Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2020 | 03h00

Corrupção

Nó em pingo d’água


Quem nunca ouviu a expressão “dar nó em pingo d’água”, quando se quer arrumar uma solução impossível para algum acontecimento? Pois bem, o clã Bolsonaro deve estar procurando uma cachoeira para tentar justificar os casos envolvendo Fabrício Queiroz, as milícias e o gabinete do ódio, só para citar alguns assuntos em evidência. Por mais que eles neguem seu envolvimento, fica evidente a preocupação de se descolarem do velho amigo, basta ver que, após saber da prisão do companheiro, o presidente convocou rapidamente os ministros generais, mais o da Justiça e o advogado-geral da União para tentar achar uma saída para o que vem pela frente.


PAULO HENRIQUE ANDRADE

PHANDRADE1950@GMAIL.COM

SÃO PAULO


*

Caiu o primeiro


Será que os dominós cairão na trilha...? A ver.


NELSON M. DE ABREU SAMPAIO JUNIOR

N.SAMPAIO@HOTMAIL.COM

CURITIBA


*

Queda do império


Em seu desdém peculiar, o presidente da República afirmou: “Parecia que estavam prendendo o maior bandido da Terra”. Certamente não é o maior bandido da Terra, nem do Brasil, mas se o Queiroz abrir a boca vai provocar a queda do império Bolsonaro. Simples assim.


MAURÍCIO LIMA

MAPELI@UOL.COM.BR

SÃO PAULO


*

Devaneio


Presidente, não estica. Acorda!


CÉSAR GARCIA

CFMGARCIA@GMAIL.COM

SÃO PAULO


*

Homizio


Perguntar não ofende: por que o advogado de Flávio Bolsonaro “hospedou” o Queiroz por tanto tempo e em segredo absoluto? Ou seria por quanto...?


MARIA ÍSIS M. M. DE BARROS

MISISMB@HOTMAIL.COM

SANTA RITA DO PASSA QUATRO


*

Pergunta que não cala


Já há bolsa de apostas em torno da pergunta: depois do Adriano da Nóbrega, morto na Bahia, quanto tempo o Fabrício Queiroz tem de vida?


IGNÁCIO DE LOYOLA BRANDÃO

LOYOLABRANDAO@GMAIL.COM

SÃO PAULO


*

Rachadinhas


São muitos os deputados considerados suspeitos por terem praticado a chamada rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. A grande maioria está envolvida, e com valores até superiores aos atribuído a Flávio Bolsonaro durante o mandato de deputado estadual. Em sendo comprovado o envolvimento de Flávio, nada mais justo que sua punição. Entretanto, mandatória se torna uma satisfação à sociedade pelo andamento dos inquéritos dos demais parlamentares suspeitos da mesma prática e com valores muito superiores. Com a palavra o Ministério Público e o Poder Judiciário.


JOMAR AVENA BARBOSA

JOAVENA@TERRA.COM.BR

RIO DE JANEIRO


*

Demissão de Weintraub

Ciumeira


Não tenhamos a mínima dúvida quanto ao real motivo de o sr. Abraham Weintraub deixar o Ministério da Educação. A par de sua inequívoca incompetência e total inaptidão para cargo de tal envergadura, com toda a certeza o que realmente pesou foi ter ele começado a aparecer, sem máscara, em manifestações com bolsonaristas, sair acenando para eles e ser ovacionado. Isso é tudo o que Bolsonaro não admite, alguém que lhe faça sombra. Estrela, no governo, só ele.


HUGO JOSE POLICASTRO

HJPOLICASTRO@TERRA.COM.BR

SÃO CARLOS


*

‘Imprecionante’!


Os danos que Abraham Weintraub causou na área da educação pouco significaram no seu processo de demissão. Efetivamente, a tentativa do governo é de abrigá-lo. Apesar de escrever impressionante com c e dizer que odeia povos indígenas, foi indicado para representar o Brasil no Banco Mundial. Até quando, parafraseando Rui Barbosa, veremos triunfar as nulidades e prosperar a desonra?


VALTER VICENTE SALES FILHO

VALTERSAOPAULO@YAHOO.COM

SÃO PAULO


*

Calinadas


Assim é fácil estar nesse governo. O cara da Educação, que não tem nenhuma, sai do ministério e ganha como prêmio cargo no Banco Mundial, em Nova York. Que besteiras nos esperam no futuro próximo? Pois se nem português ele sabe falar, como vai fazer em inglês? Será uma série de besteiras e ataques a pessoas e outros governos, como ele já fazia aqui.


JOSÉ CLAUDIO CANATO

JCCANATO@YAHOO.COM.BR

PORTO FERREIRA


*

Punição


O sr. Abraham Weintraub, que nunca deveria ter sido nomeado para nenhuma função ministerial, sai do seu posto depois de ter causado imenso prejuízo à educação no Brasil. O já precário Ministério da Educação teve em seu comando uma pessoa totalmente desqualificada, com temperamento descontrolado. Mas ele era perfeito para o clã Bolsonaro, para o qual a falta de educação e o despreparo são qualidades. Já a job description para o Banco Mundial é outra. E quem disse que esse sr. Weintraub, que só provocou males para o Brasil, tem de ser premiado com um posto no exterior? Ele não tem de ser premiado por nada, não, ao contrário, tem é de ser punido pelos tantos males, ofensas, perdas e danos que causou.


MARTA LAWSON

LAWSONMV@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO


*

Nossas Forças Armadas

Missão constitucional


O artigo O Exército dos brasileiros (19/6, A2), do general Alberto Cardoso coloca a Força Terrestre no lugar devido. E nessa posição estabelece em nós, civis, admiração, orgulho e a tranquilidade de podermos contar com a responsabilidade das Forças Armadas sempre na defesa permanente da Pátria nos exatos termos constitucionais, independentemente de governos momentâneos e arroubos políticos.


ADEMIR VALEZI

VALEZI@UOL.COM.BR

SÃO PAULO


______________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


PLANALTO EM POLVOROSA


Apesar do estranho sumiço, Fabrício Queiroz, ex-assessor e tesoureiro das rachadinhas que supostamente favoreceram Flávio Bolsonaro e amigo dileto do presidente Jair Bolsonaro, finalmente foi preso na quinta-feira. Ele foi encontrado escondido na casa de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro, na aprazível cidade de Atibaia (SP) – a mesma do fatídico sítio de Lula. E agora, Jair? O presidente da República se gaba de ter uma polícia particular “que funciona” e diz que só nela ele confia (na Polícia Federal e na Abin, não), então, certamente informado por Frederick Wassef, foi cúmplice do sumiço de Queiroz. Qual será a desculpa à Nação? Vai continuar tagarelando que é contra a corrupção? Por que, então, protege Queiroz, também ligado às milícias do Rio de Janeiro? Será que na figura de Fabrício Queiroz temos um novo PC Farias ou João Vaccari Neto, tesoureiros de desvios de recursos públicos, respectivamente, de Fernando Collor e de Lula da Silva? Se não tem envolvimento algum com Queiroz, por que vimos um Bolsonaro apavorado na manhã de quinta-feira, que nem deu a atenção rotineira a seus bajuladores naquele cercadinho do ódio no Palácio da Alvorada? Este grave fato, que a imprensa responsavelmente relata ao Brasil e ao mundo, não tem nada de fake news, como aquelas produzidas às centenas pelo gabinete do ódio instalado no Planalto. É a cristalina demonstração democrática do vigor do Judiciário calcado na nossa Constituição. É, no entanto, deplorável que mais este evento protagonizado pelo clã Bolsonaro venha a dilacerar ainda mais a esperança dos brasileiros e a imagem do nosso Brasil mundo afora.


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

FESTA DA LARANJA


Depois do sítio do Lula que não era dele, o cafofo do Queiroz que o advogado não sabia. Do jeito que a coisa vai, Atibaia, que não merecia isso, se verá obrigada a cancelar sua tradicional Festa do Morango e patrocinar a Festa dos Laranjas...


A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

DISSIMULAÇÃO


Só falta o advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, processar o Fabrício Queiroz por invasão de domicílio!


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

QUEIROZ E WASSEF


A respeito da oportuna e não “espetaculosa” prisão do ex-PM Fabrício Queiroz, ex-assessor do então deputado Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, escondido há mais de ano – de acordo com o que disse um caseiro – na “casa-escritório” de seu advogado Frederick Wassef, em Atibaia (!), cabe, por oportuno, citar uma antiga expressão do meio jurídico: “tal cliente, tal advogado”.


J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo


*

DEU RUIM


Com este advogado, a família Bolsonaro não precisa de inimigos!


Cecília Centurión ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo


*

FORAGIDO


Se Queiroz não estava foragido, como disse Jair Bolsonaro, por que ele estava numa casa em Atibaia, se ele é do Rio de Janeiro, e, no mais, não saía sequer de dentro da casa, para não ser visto.


Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca


*

O MENTIROSO


E o presidente disse que Fabrício Queiroz não estava foragido. Para acreditar em tão burra mentira, não basta ser bolsonarista, tem de ser um perfeito idiota brasileiro. Ou não?


Sérgio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais


*

OBSTRUÇÃO DE JUSTIÇA


Acharam! Fabrício Queiroz, que andava oculto, foi encontrado, ou, melhor, capturado, sob as sombras do braço jurídico pessoal da família Bolsonaro. Escondido à mostra e à disposição do clã bolsonarista. Urge, agora, uma nova pergunta sobre o mesmo personagem não mais oculto: o que vai falar Queiroz? Já ao advogado que (tudo indica) o ocultou resta uma indagação válida: a mando de quem? Não cabem mais vagarosas respostas, impõe-se a responsabilização de quem tentou obstruir a Justiça.


Renato Mendes do Nascimento renato.mg@outlook.com.br

Santo André


*

FALE, QUEIROZ!


Fale, Queiroz! Conte tudo e acabe de vez com este governo genocida e atroz. Fale, Queiroz! Delate o esquema dando alento ao Brasil e a todos nós. Fale, Queiroz! Arrependa-se e seja da verdade um porta-voz. Fale, Queiroz! Purgue suas culpas desatando todos os nós. Fale, Queiroz! Antes que a bandidagem que quer sua morte seja mais veloz. Fale, Queiroz! Revista-se da coragem e faça dela seu albornoz. Fale, Queiroz!


Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte


*

MAIS UM CORPO ABATIDO


Enquanto era operador da rachadinha de Flávio Bolsonaro, amigo antigo, dileto e confiável. Enquanto homiziado na casa de seu advogado, silêncio providencial e sepulcral. Descoberto e preso, era um elemento que tinham de aturar, um verdadeiro asqueirozo. Mais um corpo abatido e deixado para trás, sem o menor pudor. E, assim, la nave va nos mares bolsonaristas revoltos.


Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo


*

APERTANDO O CERCO


Acabou! Chega! E agora, Flavinho?


Adriles Ulhoa Filho adriles@uai.com.br

Belo Horizonte


*

PESOS E MEDIDAS PRESIDENCIAIS


Há de se lembrar, após a Polícia Federal (PF) ter feito uma operação no Palácio Laranjeiras, residência oficial de Wilson Witzel, quando o presidente da República passou em frente aos seus apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada, entusiasmado, e falou que a PF iria continuar essas operações até o fim de seu mandato. Mas, no dia seguinte, quando o alvo da PF foram empresários e publicitários ligados ao partido e, posteriormente, os deputados bolsonaristas, a história mudou de figura e o presidente fez declarações bem contrárias, que soaram como ameaça aos outros poderes. Agora, a Polícia Civil pegou o Queiroz e Bolsonaro nem ao menos parou diante de seus apoiadores. Nossa!


Eni Maria Martin de Carvalho enimartin@uol.com.br

Botucatu


*

ESTÁ CHEGANDO A HORA...


Está chegando a hora de “tudo ser colocado no devido lugar” ou, como diz a tradicional marchinha de carnaval, de “ir embora”?


Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo


*

SEM ESTRUTURA


O desconforto do presidente Jair Bolsonaro era visível durante o pronunciamento sobre a demissão de Abraham Weintraub. Nos últimos dois meses, Bolsonaro perdeu o ministro da Justiça, o ministro da Saúde e o ministro da Educação. Aquela velha promessa de campanha foi por água abaixo. O tripé composto por segurança, educação e saúde não existe mais no atual governo. Acabou a brincadeirinha de arminhas nas duas mãos. Estamos atravessando duas graves crises, a da saúde e a da economia. A prisão de Fabrício Queiroz estremece a proteção de Flávio Bolsonaro e do advogado Frederick Wassef. Queiroz está no presídio em Bangu e logo negociará uma delação premiada, expondo mais detalhes da suja prática de rachadinha dos deputados e vereadores. Bolsonaro está sendo atacado por todos os lados e demonstra frequentemente que não tem estrutura psicológica para suportar a montanha de problemas que está caindo sobre a sua cabeça. O Brasil perde mais uma vez por estar nas mãos de um despreparado.


José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte


*

UM ‘EDUCADOR’ POR DIA


Como suposto ministro de Educação, Abraham Weintraub não fez nada a não ser ofender as universidades federais; realizar uma versão sofrível do Enem; ameaçar de colocar “estes vagabundos todos na cadeia, começando no STF” e, de saída, revogar a portaria que estipulava cotas para negros e indígenas na pós-graduação. Por tal atuação brilhante, foi promovido pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar um alto cargo no Banco Mundial. O Brasil não percebe que não é um país sério.


Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo


*

‘LINHA VERMELHA’


“O ministro da Educação, Abraham Weintraub, tem de ser demitido imediatamente” (não foi). Assim começava o editorial Linha vermelha, de sete meses atrás (19/11/2019), categórico. “Se ainda assim Abraham Weintraub não for substituído, o que mais pode vir?”. E dessa maneira o editorial encerra o assunto, em sua página (secular) A3. Alguns diriam: antes tarde do que nunca; outros, já vai tarde! Porém, o editorial estava absolutamente correto em relação ao senhor ministro, o editorial foi contundente, e pagaram para ver. Hoje, vemos e sentimos na carne o que nos veio com a permanência de Weintraub: crianças e jovens do ensino público sem norte, sem perspectivas e, sobretudo, sem esperança. Esperança nas mãos de Weintraub tem cheiro de doença, o estrago foi feito, uma lástima. Sim, falem mal da imprensa livre, falem mal de editoriais, mas a bola foi cantada em 2019, dobraram a aposta e, hoje, sete meses completos (19/6), nossos filhos estão sem esperança, longe do ensino. Houvesse lido o editorial do ano passado, senhor presidente Jair Bolsonaro, hoje, nossos filhos estariam com sonhos engatilhados. Temos bons quadros, mas não para este governo, o ideal é algum ceifador de sonhos e esperança: temos vaga!


Leandro Ferreira silvaaleandro619@gmail.com

Guarulhos


*

ENTENDIDO


Governo oficializa indicação de Weintraub para Banco Mundial. Já não entendia de educação, vai entender de finanças?


Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo


*

ABRAHAM WEINTRAUB


Como este ignóbil pode ocupar uma diretoria do Banco Mundial? Ele tem é de responder por tudo o que fez que nos prejudicou. Nossos jovens ficaram traumatizados com este ministro. Alguém tem de fazer alguma coisa.


Tereza Mostaco reneecbr@gmail.com

São Paulo


*

DESCONSTRUÇÃO


Depois de desconstruir o Ministério da Educação, Weintrouble vai destruir o Banco Mundial por dentro. Vai virar Banco de Sangue. Já Fabrício Queiroz é o nome ideal para substituir o Roberto Azevêdo na Direção-Geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) – ninguém compra e vende melhor do que ele. E o general da Saúde vai trazer o inverno de Manaus para o Rio Grande do Sul hoje (sábado, dia 20), às 18h44 em ponto. Na Amazônia, começará o verão, após o rigoroso inverno que atrapalhou o combate à pandemia, como o general alertou.

     

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

VEXAME MUNDIAL


O governo de Jair Bolsonaro já fez tantas besteiras e provocou tantas calamidades que transformou a imagem de nosso país em pária internacional. Com a nomeação de Abraham Weintraub para o Banco Mundial, ele estará consolidando nossa imagem como de um país que não respeita seus pares. Vamos torcer para que seu nome não seja aprovado pelos outros países da América Latina, evitaria um vexame ainda maior.


Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo


*

DESQUALIFICADO


O sr. Weintraub, como prêmio por afundar o Ministério da Educação, recebe do #PresidenteMorte o singelo presente de uma diretoria no Banco Mundial com uma remuneração de R$ 1.300.000,00 por ano. Realmente, o Brasil deve muito a esse desqualificado!


Filippo Pardini filippo@pardini.net

São Sebastião


*

CAIU PARA CIMA


Confesso que eu também gostaria de ter uma demissão com um salário anual de mais de R$ 1 milhão. Weintraub caiu para cima, com certeza.


Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso zaffalon@uol.com.br

Bauru


*

PUNIÇÃO


O alucinado ex-ministro da Educação, depois de ser punido com cargo no Banco Mundial, provou que pelo menos para ele o crime compensa.


Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília


*

ARQUIVO VIVO


A preocupação do governo em preservar o arquivo vivo Abraham Weintraub estava deixando o povo brasileiro muito preocupado. O presidente da República estava cheio de dedos com a demissão do ministro. Dizem as más línguas que Weintraub “sabe demais” sobre a família do presidente e, para mantê-lo calado, só o agraciando com uma boa recompensa: uma diretoria do Banco Mundial, para que permaneça calado. Afinal, é de estranhar a atitude presidente.


Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*

POR SORTEIO


Com dificuldade inconteste para escolher um ministro da Educação adequado, o presidente poderia fazer um sorteio entre candidatos com o mínimo de dez anos profissionais em universidade pública, apresentar uma redação sobre “a importância estratégica da educação no futuro do País” e declaração juramentada de não ser politicamente correto, negacionista, terraplanista, globalista ou outra qualquer tendência da moda. Certamente, faria uma escolha bem melhor que as duas anteriores.


Alberto Mac Dowell de Figueiredo amdfigueiredo@terra.com.br

São Carlos


*

GOLEADA


Somente nesta semana passada tivemos: 1) a prisão da extremista-bolsonarista Sara Giromini; 2) a prisão de Fabrício Queiroz; 3) quebra de sigilo bancário de parlamentares e apoiadores do presidente; 4) indeferimento, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), do habeas corpus impetrado em favor do ministro da Educação; 5) a própria demissão de Weintraub; 6) o ridículo a que se expôs Jair Bolsonaro naquele vídeo de despedida; e 7) a manutenção do inquérito das fake news no STF. Da mesma forma como a seleção brasileira de futebol na Copa de 2014 – cuja camisa, inclusive, foi adotada por bolsonaristas como símbolo do movimento –, Jair Bolsonaro sofreu uma goleada de 7. E o pior para o presidente é que nesse jogo não há duração determinada e a fome de gols, ao que tudo indica, ainda não foi saciada.


Lucas Dias lucas_sandias@hotmail.com

Rio Verde (GO)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.