Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

26 Dezembro 2015 | 02h03

O garantidor

A inacreditável aliança do roto com o esfarrapado está em curso neste país. Dilma Rousseff, que se declara uma mulher acima de qualquer suspeita, não obstante as mentiras ditas para se eleger e as pedaladas, que vêm a ser transgressão à Lei de Responsabilidade Fiscal, tem como garantidor de sua virtude ninguém menos que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Não é ele aquele que foi pego sendo financiado por uma empreiteira na forma de pensão para uma filha fora do casamento? Não é ele aquele que inventou notas frias de venda de gado e que, por isso, renunciou ao mandato para não ser cassado? Sendo assim, é fato que não há pior apoio do que este. Portanto, ou a presidente Dilma ainda não percebeu isso ou, por isso mesmo, o tem como fiador de seu mandato.

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurra@hotmail.com

São Paulo

Fim de ano dramático

Petrolão em funcionamento, 35 partidos políticos registrados, taxa Selic a 14,75% ao ano, Dilma discursando em sua língua particular na Cúpula do Mercosul, Joaquim Levy - aquele plantado pela Febraban no Ministério da Fazenda - passando o bastão para Nelson Barbosa, que pede tranquilidade à Nação, afirmando que tudo vai dar certo. Jaques Wagner, o ministro sotero-sindicalo-carioca, transmite segurança à população e ao mercado dizendo que "é Dilma quem banca a política econômica", enquanto Rui Falcão, o ventríloquo petista, depõe na Polícia Federal afirmando que todo o caos nacional é uma invenção fabricada por um complô da mídia "golpista e monopolizada", associada à "direita", que se apossou de parte do Estado brasileiro - mas se esqueceu de contar aos federais que, na hora de fazer suas compras de Natal, ele gosta mesmo é de ir aos shoppings mais luxuosos de São Paulo. Fora carreiristas e outros que dependem de "boquinhas", não há ninguém de alto nível que aceite trabalhar com Dilma Rousseff, tal é a incompetência que reina no governo federal. Mesmo assim, Dilma Rousseff, a sábia, ainda acredita que o Brasil não tem motivos suficientes para precisar de "guinadas bruscas" na Economia.

FREDERICO D'AVILA

fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

Sem guinadas bruscas

Sem dúvida, deve-se tratar de um novo instituto ou nova tese em Economia: crescer, a partir de um cenário caótico, sem guinadas bruscas. Certamente que os empresários não vão entender o desejo de dona Dilma Rousseff, porque, para que ocorra crescimento econômico, há necessidade de que haja: confiança no governo, controle da inflação, corte das despesas do governo, combate público e transparente à corrupção, estabilidade das regras jurídicas e respeito aos pactos privados. Como no Brasil hoje há carência de quase todos os requisitos mencionados, não haverá guinadas leves ou bruscas. O País vai continuar parado ou patinando à procura de uma luz no fim do túnel, que o lulopetismo não é capaz de proporcionar.

JOSÉ C. DE CARVALHO CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Esperança nas ruas

O brasileiro não aguenta mais. Dilma Rousseff na Presidência deixou o País em recessão, com inflação alta e desemprego crescente - sem falar nos crimes de responsabilidade cometidos. O Supremo Tribunal Federal (STF) deu fôlego à sua permanência no poder, dando ao Senado o poder de barrar o processo de impeachment. Que o povo, decepcionado, saia às ruas para derrubar a presidente.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Bofetada

Vergonha para o nosso país, que depositava confiança quase irrestrita em nossa Suprema Corte, foi o STF ter contrariado dispositivo expresso da Constituição (artigo 86). A Carta prevê que a Câmara dos Deputados admita, por 2/3 de seus membros, acusação contra o presidente da República, que será submetido a julgamento no STF, nas infrações penais comuns, ou no Senado, nos crimes de responsabilidade. Simples assim. Uma bofetada do STF no nosso povo.

HELIO TEIXEIRA PINTO

helio.teixeira.pinto@gmail.com

Rio de Janeiro

Pizzaria STF

Seria mais barato o STF já proibir qualquer tentativa de impeachment, porque, do modo como está arranjado, o processo vai ser longo e demorado, e, no fim, vai ser arquivado no Senado. A pizza já está pronta. Do jeito que estamos, só tem uma maneira de acabar com a pizzaria: é o povo unido nas ruas.

WALDIR CASSAPULA

waldir.cassapula@gmail.com

São Paulo

Independência dos Poderes

Se coubesse às instâncias do Judiciário a incumbência de indicar os ministros do STF, e não ao Executivo, não nos surpreenderíamos com resultados como o "bolivariano" da análise do rito do impeachment. Por mais que esses juízes procurem ser isentos, sempre pesa sobre eles a influência de quem os indicou. Pelo pouco que li de Paulo Brossard, não consta que o Senado tenha o direito e o poder de arquivar a decisão da Câmara. Por que iniciar, então, o processo lá? Não se pode jogar no lixo a opinião de 93% dos brasileiros.

RICARDO PEREIRA DE MIRANDA

ricarmiran@terra.com.br

Salvador

Erudição e golpe

Cumprimento os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes, pelos votos dados no julgamento do rito do impeachment, tanto pelo conteúdo quanto pela forma como foram dados. Seus pares, não se sabe por que (talvez para mostrar erudição jurídica - haja ego!), teimam em usar linguagem rebuscada, repleta de citações doutrinárias e jurisprudenciais, inacessíveis ao cidadão comum, tornando o julgamento infindável e mesmo tedioso. Em contrapartida, Toffoli e Mendes, com argumentação não menos sólida, mas em linguagem simples, direta, objetiva e concisa, deram seus votos contra o pretendido pelo PCdoB na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 378. Os demais ministros, à exceção de Edson Fachin, na verdade, calaram a voz do povo, já que é a Câmara que o representa, conferindo ao Senado poderes absolutos. Isso é que é golpe!

JUNIA VERNA F. DE SOUZA

juniaverna@uol.com.br

São Paulo

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de boas-festas e próspero ano-novo de Amyn Daher Jr., Domínio Tecnologia, Felipe Clemente Santos - Apae/SP, Instituto Litoral Verde, Luiz Felipe Dias Farah e Villa Country.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

A FALÊNCIA DE BUMLAI

 

Por que será que somente agora o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) resolveu pedir falência das empresas do "não muy amigo! do sr. Lula José Carlos Bumlai? Por que, em 2012, o banco emprestou mais de R$ 100 milhões a uma empresa do grupo de Bumlai que já estava em situação falimentar? Acho que nesta época o sr. Bumlai ainda era amigo do ex-presidente. Aposto que a perda do BNDES no empréstimo de R$ 500 milhões vai ser enorme... Quem deu aval para estes empréstimos?

 

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br 

São Bernardo do Campo 

 

*

AMIGO DO 'REI'

 

O pedido de falência das empresas do amigão de Lula, aquele que entrava a qualquer hora no Palácio do Planalto sem mesmo avisar com antecedência, feito pelo BNDES é mais uma prova de como foram usados todos os recursos que haviam disponíveis para enriquecimento de quem era amigo do "rei". E note-se que foram liberados mais de R$ 100 milhões em 2012 quando já havia pedido de falência com a desculpa de que seria para ajudar a reestruturar as empresas... Há um ano as empresas não pagam um único tostão para o banco de fomento! Com dívidas de mais de R$ 1 bilhão, mais de R$ 300 milhões são do BNDES. Lula afirma que ele é só conhecido de Bumlai, sem explicar o porquê da autorização de entrada dada só a ele no Planalto nem qual a razão de os seus filhos usarem o escritório do empresário. Lula afirma, também, que os diretores da Petrobrás presos acusados de corrupção não têm nada que ver com ele, foi tudo indicação de José Dirceu, quando este era ministro da Casa Civil. Moral da história: Lula não sabe de nada, não conhece ninguém (nem o nome das noras ele sabe) e não tem culpa de nada disso que está acontecendo no País. Tudo o que dizem é porque estão querendo incriminá-lo e também ao PT. Ele é totalmente inocente!

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

 

*

CADÊ O DINHEIRO?

 

O juiz Sérgio Moro ordenou o bloqueio de R$ 53,5 milhões das contas do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, mas o resultado do rastreamento realizado pelo Banco Central foi de pífios R$ 4,4 mil. Será que o rastreamento atingiu as contas abertas em cooperativas de crédito? Essas cooperativas de crédito estão na moda, e, apesar de serem associações "sem fins lucrativos", têm gasto muito dinheiro em publicidade. Desculpem a minha ignorância, mas uma coisa me intriga: será que essas cooperativas de crédito não estão sendo usadas como esconderijo de dinheiro não contabilizado?

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

 

*

DEPOIMENTO À PF

 

A admissão do pecuarista José Carlos Bumlai, em depoimento à Polícia Federal, de que a estrutura da Petrobrás era do PT, é tão clara quanto da mais alta gravidade. É o elo quase que documental que faltava para vincular o partido a seu projeto imoral de perpetuação de poder usando a máquina estatal, ou seja, dinheiro público. Ou seja, ladroagem. Verdadeiro crime de lesa-pátria cuja apuração deve ser levada às últimas consequências, com punição severa ao partido. Quem sabe até merecidamente extingui-lo, o que faria um enorme bem ao País. 

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo

 

*

A VERDADE

 

Denunciado já foi José Carlos Bumlai, amigo íntimo de Lula. E preso também está. Agora é só aguardar a delação premiada, que pedirá para ocorrer, mesmo com as interferências esperadas. E, quando isso acontecer, na realidade, teremos o que o lulopetismo precisa: a verdade total jogada na face!

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

 

*

PECUÁRIA LULOPETISTA

 

Bumlai calado é boi-de-piranha. Bumlai falando é boi-na-linha...

 

A.Fernandes  standyball@hotmail.com 

São Paulo

 

*

QUESTÃO BOVINA

 

O Brasil de hoje em dia é um país profundamente envolvido com o "gado vacum". Dilma diz que atravessamos tempos de vacas magras. Eduardo Cunha faz fortuna com carne enlatada. José Carlos Bumlai paga empréstimo bancário com sêmen de touros. O rebanho de envolvidos na Lava Jato não para de crescer, e, pela pouca vontade, creio que boa parte da chamada "oposição" também andou pastando nesse vasto capinzal. Apesar dos acordos de delação, os envolvidos recusam-se a "dar nomes aos bois". Enquanto boa parte da população rumina na estagnação, e olha com inveja os verdes pastos de alguns vizinhos do continente, Lula bovinamente confia no comportamento de manada do povo para voltar, muito embora ele e seu bando de bois aloprados tenham produzido tanto esterco, resultado do apetite exagerado da tropa, que estragaram completamente a pastagem.

 

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br 

São Paulo

 

*

UM AMIGO

 

Como Zé continua preso e, pelo visto, vai "mofar" por lá e por algum tempo, o seu grande amigo Lula acha que "um amigo é p_otro". E, como todo 'testa de ferro', indicou os 'laranjas', como afirmou o outro grande amigo Bumlai. Agora Lula joga mais 'sujeira' em cima do Zé, e a revanche é verdadeira. Desta vez Lula atribuiu a ele as indicações dos diretores da Petrobrás que se aproveitaram para 'meter a mão' em desvios sem limites. Como no mensalão, no petrolão Lula continua afirmando que não sabe de nada. Seria esperteza ou é 'burrice' crônica?

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br 

São Paulo

 

*

REVOLTA

 

Tristeza é a sensação desagradável que estamos sentindo. Percebemos pelo conteúdo das últimas manchetes editadas pelo "Estado" o esvaziamento dos assuntos abordando o impedimento de nossa presidente. Parece que oito pessoas desafiaram milhões de brasileiros decidindo nossos destinos e sepultando estes mesmos que elegeram seus representantes, cerca de 500 deputados. Nossa percepção não vai em defesa de uma oposição, porém na direção de um profundo sentimento de revolta com o governo que está no poder. O que ocorreu com o cantor Chico Buarque não é de antipetistas e muito menos direita que está no armário. Longe disso, é uma revolta contra a corrupção praticada no e por este desgoverno. Cidadãos do bem devem, sim, se manifestar sem agressões, pois isto é o que desejam que façamos. Não deixamos de admira-lo como artista, mas, como apoiador de um partido ladrão, não posso aceitar. Venceram eleições anteriores e não ocorriam essas manifestações, até que viesse à tona toda esta vergonha. Revoltamo-nos, sim, e iremos pacificamente às ruas demonstrar nossa rejeição a tudo o que está aí. Felizmente, voltamos às manchetes debatedoras.

 

Claudio A S Baptista clabap45@gmail.com 

São Paulo

 

*

LIBERDADE, LIBERDADE

 

"Todo mundo tem o direito de torcer para o Flamengo em plena arquibancada do Vasco."  Essa expressão é do Millôr Fernandes, ele mesmo um vascaíno de carteirinha. Millôr cunhou essa assertiva em determinado dia no calendário dos anos de chumbo. Naquele tempo, como é sabido, ninguém podia ter opiniões divergentes ao regime militar-ditatorial. Mas sempre um alguém ou outro encontrava um meio de "driblar" a impiedosa censura.  Millôr foi um daqueles argutos opositores. E Chico Buarque, outro. A propósito deste, sua manifesta preferência partidária ao PT tem sido politicamente criticada, de forma leve ou rígida, tal qual ocorrera na noite do último dia 21/12. O embate entre Chico e alguns antipetistas, na calçada de um restaurante no Leblon, logo ganhou as redes sociais e virou um "même". E logo teria se esvaecido, não fosse a entrada em cena do arauto "defensor galáctico" Lula da Silva.  Sem a verve de um Millôr, ou a de um Chico, ganhou destaque nas redes, ao imprimir o rótulo de "analfabetos políticos" àqueles opositores do seu partido, após parafrasear trecho de uma canção do compositor. Pelo menos, dourou um pouco a pílula. 

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com 

São Paulo

 

*

CHICO BUARQUE AGREDIDO

 

O lamentável episódio de agressão ao cantor e compositor Chico Buarque de Holanda deveria motivar o artista a gravar novas músicas enaltecendo os feitos dos guerreiros da liberdade do seu amado PT. Zé Dirceu, Erenice Guerra, os irmão Genoino, a dupla Lula e Dilma, Mercadante e Mantega, Delcídio e Graça Foster, são tantos os personagens e casos que Chico deveria fazer logo um romance, que logo seria adaptado para o cinema, tudo financiado pela Lei Rouanet, claro. O Brasil espera essa linda homenagem do cantor aos seus ídolos. 

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

 

*

BATE-BOCA

 

As respostas do artista Chico Buarque foram as dos bolivarianos de sempre, acusando os outros: "O PSDB também é bandido". Então pode ser bandido, não é? O outro, Nepomuceno, põe a culpa na direita enrustida. A democracia que Chico e Nepomuceno querem é a totalitária, a hegemonia do lulopetismo. Essa atitude dos jovens não é violência gratuita, é uma profunda desilusão com estes caras que ainda acreditam que os fins justificam os meios.  

 

Jose Antonio Garbino ja.garbino@gmail.com 

Bauru

 

*

SOLIDARIEDADE A CHICO

 

Não consta que o "Brahma", Luiz Inácio Lula da Silva, tenha se solidarizado com a atriz Regina Duarte, quando ela corajosamente expressou temor pelo futuro governo petista, pelas consequências que adviriam, como estamos vivendo hoje. De minha parte, continuo solidário apenas com a grande atriz, que também se revelou uma profetiza.

 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com  

São Paulo

 

*

'SANTO E CAVALHEIRO'

 

Assim um dos participantes do jantar mensal de Chico Buarque e amigos se referiu ao cantor ao ser apupado por jovens na saída de um restaurante do Leblon. Interessante a argumentação dos "cumpanheros" ao falar sobre "repressão nazista e absoluta intolerância" e o inominável, também conhecido como "Barba", "Brahma" (e alguns outros alcunhas) falar sobre ódio de alguns que se consideram superiores. Mas quem foi que sempre, de forma ensandecida, à frente de microfones, disseminou ódio estimulando o "nós" e "eles": pobres e ricos, negros e brancos, como nunca antes neste país? Quem conclamou um "exército" para lutar contra aqueles que não comungam com a ideologia petista? Inesquecível, por revoltante, o vídeo em que certa "cumpanhera" vocifera que odeia a classe média (por que produz?), sob aplausos do chefe? Deu no que deu, principalmente pelo fato de muitos terem acreditado nesses indivíduos e logo perceberem que, ao invés de mudarem "tudo isso que está aí", aperfeiçoaram a bandalheira. Será que é preciso desenhar?

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 

São Caetano do Sul 

 

*

INDIGNAÇÃO

 

A respeito do "affair" Chico Buarque, jantando com sua turminha, como "coxinhas", em restaurante de "zelite" ao qual o povo pobre que dizem defender jamais terá acesso, beira o ridículo, se não o extravasa a alocução do cineasta Cacá Diegues (um dos que mama dos impostos que pagamos a ele carreados via Ancine. O capital dele ele não arrisca nem reparte o lucro resultante...). Repressão nazista?! A intolerância foi plantada, adubada e é diuturnamente regada com o ódio petista, dividindo um povo entre "nós" e "eles". Essa turminha apoia abertamente supostos (sic) ladrões do dinheiro que deveria estar sendo usado em saúde e em educação em prol deste mesmo povo. E ainda os aclamam "guerreiros do povo brasileiro". Colher cana em Cuba, para eles, é solidariedade. Alguma vez colheram, no Brasil, um único grão de soja, ou milho, ou arroz, ou feijão, que alimentassem nosso povo? Não! São inimigos do agronegócio, que sustenta nossa pátria-mãe "tão distraída, sem perceber que é todos os dias subtraída em tenebrosas transações". E também os "exércitos" de trabalhadores que não trabalham, que "erram cegos como penitentes erguendo estranhas catedrais", visto estarem ocupados em destruir laboratórios de pesquisa, inclusive da Embrapa, nossos campos plantados e os pastos dos rebanhos que nos alimentam e nos trazem divisas. Não trabalham nem produzem nada, mas recebem para destruir. Por que não se indignam pelo suor do nosso povo sendo desviado para fazer em terras estrangeiras o que nosso país precisa: estradas, portos, hospitais (13 mil leitos desativados e carência de UTIs)? E calotes de usinas para processar exclusivamente petróleo venezuelano? E por que não se indignam também com a escravatura da exploração dos cubanos do programa Mais Médicos em solo brasileiro (quem mama os 80% restantes dos "salários" que não lhes são pagos?)? Porque são hipócritas. Porque esperam ascender à "nomenclatura" e mamar à tripa forra. São maus brasileiros, egoístas que jamais se importaram com o Brasil, só com os seus umbigos de suas barrigas bem cheias. E ainda falam em repressão? Merecem é desprezo. 

 

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br 

São Paulo

 

*

ONDE ESTÁ A COERÊNCIA?

 

À partida, necessário realçar que repudiamos as ações agressivas contra qualquer pessoa em razão de posicionamento político. Causa espécie, no entanto, as reações dos srs. Eric e Cacá, rotulando os jovens que criticaram Chico Buarque de "repressores nazistas". Entretanto, nada se ouviu desses cidadãos quando a blogueira cubana Yoani Sánches, em visita ao Brasil, foi violentamente hostilizada pelos "companheiros", sofrendo até agressões físicas. Nesse caso, por se tratar de oponente aos ditadores esquerdistas cubanos, a violência está justificada? É no mínimo estranho o fato de pessoas que se dizem democratas, defensoras dos pobres e oprimidos, que enaltecem os direitos individuais em suas falas e cantorias, mas que na vida real se comportam de modo diametralmente oposto, ou se omitem. Como admitir que tais cidadãos defendam as ditaduras de esquerda e se calem diante da violência do camarada Maduro contra seus opositores, do desrespeito aos direitos humanos dos dissidentes dos irmãos Castro, aceitando que "políticos metam a mão" no dinheiro público em proveito próprio e dos familiares (nem pela causa, seria válido), sabedores que são das mazelas sofridas pelos desvalidos em relação ao atendimento à saúde (especialmente no Rio de Janeiro), apenas para dar um exemplo? Por que será que Chico, Cacá, Eric e companhia, uma vez por mês, não comparecem aos hospitais públicos para dar apoio aos miseráveis empilhados nos corredores? Parafraseando o rapper Túlio, repetimos a sua indagação: "Mas como um cara desse nível intelectual continua apoiando cegamente o PT?" Finalizando, reiterando o posicionamento contrário às agressões, reproduzimos o seguinte trecho da nossa manifestação natalina deste ano, ao nos referirmos sobre o modo de lidar com os que se locupletam no erário: ao vê-los, não os ofenda, nada de agressão. Nos aviões, basta trocar de lugar. Vá embora da loja, do teatro. Nos bares e restaurantes, levante-se e deixe o prato, justificando o porquê ao gerente. Evite o confronto. Simplesmente olhe firme e saia em silêncio sonoro. Pronto. Eis modo elegante de demonstrar aversão aos aldrabões.

 

Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br 

Jundiaí

 

*

DECEPÇÃO

 

Caro sr. Francisco Buarque de Hollanda, que decepção! Mas, apesar de você, amanhã há de ser novo dia! Quando chegar o momento, esse meu sofrimento, eu vou cobrar com juros, juro! Sem pedir licença, eu vou morrer de rir. Que esse dia há de vir, antes do que você pensa! Adeus, PT! Tenho pena de você. Sr. Francisco Buarque de Hollanda, pelo que foi e a caricatura do que é hoje.

 

Pedro P. de Mendonça Antonaccio pepantonaccio@gmail.com 

Santana de Parnaíba

 

*

O GOLPE DE CHICO

 

Figuras públicas brasileiras, formadoras de opinião, intelectuais, deveriam ter um pouco de vergonha e recato, independentemente de sua vocação política. Elas têm silenciado por conveniências pessoais ante os mais altos descalabros, aparelhamento, estelionato ideológico e roubalheira desenfreada que assolam este judiado país - tudo promovido pelos seus "ídolos" políticos patrocinadores. E também o que explica seu silêncio ante os desmandos de Maduro, ditador sanguinário que persegue artistas e políticos que clamam por justiça e democracia na Venezuela? Há pouco tempo, víamos esses artistas se confraternizando com Mercedes Sosa, cantando a justiça e a liberdade na América Latina. Tudo mentira! Como se não bastasse a destruição de um país rico, a Venezuela está agora ameaçada pela criação de um Parlamento paralelo formado por representantes indicados por Maduro, que farão as vezes do Congresso eleito legitimamente, de maioria oposicionista. E nessa hora, cadê Chico, cadê Caetano, Gil (o ex-ministro que convida os amigos chiques para assistir em primeira mão ao DVD pirata de "Tropa de Elite") e os outros artistas coxinhas disfarçados? Esse é o verdadeiro golpe, jamais denunciado por esses que simulam estar ao lado do povo - na verdade, estão ao lado de seus próprios interesses financeiros. Pearl Jam veio aqui, sem ter nada que ver com o peixe do Rio Doce e doou seu cachê para Mariana (MG), mandando um recado de civilidade para nossos artistas egocêntricos. Chico Buarque está cometendo um grande erro e, infelizmente, ou felizmente, vai pagar caro no meio da rua. Cada um colhe o que planta. 

 

Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br 

Cotia 

 

*

LAMENTÁVEL

 

A despeito de não rezarmos na mesma igreja, Chico Buarque apequena sua biografia ao promover ataques torpes e absurdos contra o PSDB ("Chico Buarque é hostilizado por grupo antipetista no Leblon", 22/12). É lamentável que a esta altura de sua carreira de sucesso possa encerrá-la de forma melancólica. Ele tem todo o direito de socorrer o PT, contudo o que ele fez ao defender o seu partido foi agredir de forma grosseira o PSDB. Com isso, ele não foi vítima, mas autor de um gesto de intolerância política. Chico, que pena!

 

Ronaldo Cesar Antunes de Oliveira ronaldocantunes@gmail.com 

Belo Horizonte

 

*

ATROPELO NAS PEDALADAS FISCAIS

 

O senador Acir Gurgacz (PDT), de Rondônia, sugeriu que as contas do governo de 2014 sejam aprovadas "com ressalvas", contrariando o parecer do Tribunal de Contas da União (TCU), que as rejeitou. Com suas ressalvas e sua frota de ônibus financiada pelo BNDES, o senador atropelou todos nós, brasileiros. Lembram-se dos ônibus e do BNDES?

 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com  

Avanhandava

 

*

INCÊNDIO NO MUSEU

 

O incêndio que destruiu o Museu da Língua Portuguesa, na Estação da Luz, em São Paulo, representou inúmeras perdas muito sérias. Entre outras, destaco as lamentáveis perdas do nosso imenso patrimônio histórico ali existente, por demais desprezado, e a perda humana com a morte de um corajoso bombeiro civil no cenário de tragédia, na realidade, anunciada há tempos. Espero que essa dor, tão visível a todos nós, que amamos as letras e os valores que nos dão identidade nacional, possa revelar outra perda, esta bem mais silenciosa e menos cinematográfica, mas igualmente grave, criminosa e não menos dolorida, que vem ocorrendo insistentemente há décadas: o absurdo abandono e desprezo de nossas ferrovias.

 

José Manoel Ferreira Gonçalves josemanoel@sosplaneta.com.br

São Paulo

 

*

FOGO NA LUZ

 

São Paulo e o Brasil estão de luto!

  

Robert Haller robelisa1@terra.com.br 

São Paulo

 

*

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA

 

Na Luz, / encoberta por chamas e fumaça, / guardadas para proliferar / as palavras / evapoqueimaram.

 

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com 

Lorena

 

*

PRÉDIOS PÚBLICOS

 

Cogitar a preservação de prédios públicos é impensável num modelo implantado pelos nossos governos, cujos investimentos são escassos e até se apuram no Teatro Municipal de São Paulo, por exemplo, desvios de verbas públicas. Enquanto o cancro da corrupção danificar a Nação, nossa história será uma página virada e a importância apenas uma lenda em termos de vantagens pessoais, mazelas e falcatruas que dominam o cenário nacional e estão impregnados na vida pública.

  

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br 

São Paulo

 

*

FOTO

 

Com admiração, cumprimento o fotógrafo Nilton Fukuda pela incrível foto na capa do "Estadão" de 22/12/2015, em que conseguiu juntar a enormidade do incêndio no Museu da Língua Portuguesa, como se fosse um vulcão, com a pequena e esfumaçada figura do bombeiro e sua "mini" mangueira e o relógio marcando esse momento triste.  

 

Helga Bell helga.rod.bell@hipernet.com.br 

São Paulo

 

*

CARIOCA HUMILHADO

 

Manchetes do Museu do Amanhã: "Hospital Getúlio Vargas fechou as portas"; "Diretores Albert Schweitzer vão à delegacia pedir providências"; "Hemorio em crise"; "Hospital Mário Kroeff perto do fim"; "Hospital São Francisco da Providência de Deus suspende transplantes"; "Hospital da Mulher não tem luvas ou gases"; "Adão Pereira Nunes não atende"; "Salgado Filho superlotado"; "Federal do Andaraí caótico"; "Salários e décimo terceiro atrasados"; "CRM diz que 24 unidades estão tomadas pela crise". Difícil não é clicar numa matéria trágica, mas sim descobrir o paradeiro dos faraônicos Sérgio Cabral, Eduardo Paes e Luiz Fernando Pezão numa hora dessas, porque o oba-oba só dura até o final da festa, depois o Rio terá de assumir seus mortos e feridos...

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

 

*

CRISE NA SAÚDE NO RIO

 

Reclamação total no Rio, além de municípios da baixada fluminense não terem mais dinheiro para pagar seus funcionários, especialmente o 13.º natalino, os hospitais não têm nem dipirona para ministrar a seus doentes. Fora as demissões de pais de família e trabalhadores em geral (a CSN, em Volta Redonda, anuncia corte de 3 mil funcionários diretos e indiretos, fora os demitidos dos polos petrolíferos e estaleiros). O Rio de Janeiro de longe é o que mais sofreu nesta depressão econômica que vivemos, apesar de este Estado ser o responsável direto pela vitória de Dilma, pois lá obteve quase 1 milhão de votos de diferença. Assim, deveriam os reclamantes da saúde e da falta de trabalho saírem em passeata exigindo aporte de verbas do governo federal. 

 

Ciro Bondesan dos Santos cirobond@hotmail.com 

São José dos Campos

 

*

SANEAMENTO NA FIFA

 

Cumprimento o Comitê de Ética da Fifa por ter suspendido Joseph Blatter e Michel Platini, presidentes da Fifa e da Uefa, por oito anos, por terem recebido vultosas quantias em contratos pelas entidades que presidiam, em conflito de interesses e de forma indevida e antiética. É um passo importante para que a Fifa se redima e resgate sua credibilidade. Esperamos que o mesmo aconteça na Confederação Brasileia de Futebol (CBF), na Conmebol e nas demais federações e confederações dominadas por corruptos e mafiosos da pior espécie, uma escória que só usa o futebol para enriquecer. O futebol é o mais amado e popular esporte do planeta e não pode ser comandado por criminosos.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br 

São Paulo

 

*

BLATTER E A FIFA

 

Com o afastamento de Joseph Blatter da presidência, mais do que nunca soam verdadeiras as palavras proferidas por Carlos Alberto Parreira por ocasião da Copa do Mundo do ano passado: "A Fifa é o Brasil que deu certo".

 

Mario Cavagna mariocavagna@yahoo.it

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.