Fórum dos Leitores

POLÍTICA ECONÔMICA

O Estado de S.Paulo

03 Março 2013 | 02h05

Pibão!

Finalmente foi divulgado na sexta-feira o "enorme" Pibão de dona Dilma Rousseff em 2012:0,9%! Um assombro, um PIB de fazer inveja a qualquer país dos Brics, da América Latina, etc. Isso tudo apesar de todas as manobras consumistas injetadas goela abaixo da população com várias reduções de IPI para aumentar o consumo dos incautos, que depois vão ter de se virar para ver como irão pagar suas intermináveis contas acumuladas. E ainda temos um ministro da Fazenda que agrediu com palavras quem já havia previsto tal desastre com muita antecedência. Dilma e toda a trupe lullopetista realmente estão acabando com as bases do Plano Real, que nos trouxe crescimento, estabilidade nos preços, calmaria em nosso mercado. Agora vislumbramos uma alta constante nos níveis de inflação, PIB inexistente, emprego formal em baixa, produção em queda livre, etc. Isso é que é herança maldita de um grupo que se apossou do poder e de lá, pelo jeito, não quer mais sair, afundando o País no caos total. E também, ainda temos de conviver com o rei dos petralhas, com sua verborragia e suas comparações absurdas com líderes do passado, que não fica quieto nem que o mundo acabe. Insiste em ficar fazendo discursos como na época de sindicalista arruaceiro, jogando uns contra os outros, dando opiniões sobre o que não sabe e não conhece, incitando o pessoal da CUT a exigir ainda mais de seus patrões. Seria para dar risadas se não fosse tudo isso uma realidade que nos assombra e nos irrita terrivelmente todos os dias, tardes e noites.

BORIS BECKER

borisbecker@uol.com.br

São Paulo

Cadê, presidenta?

O produto interno bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,9% em 2012, o pior resultado desde 2009. Agora pergunto à presidenta Dilma: cadê o Pibão? O que estamos vendo é um pibinho acompanhado de uma inflaçãozona... Banco Central, fique alerta!

LUIZ FELIPE DIAS FARAH

felipefarah@gmail.com

São Paulo

Ao deus-dará

Enfim saiu o veredicto. Culpado por não ter ouvido a opinião de todos os economistas e analistas, o governo apresenta o resultado de sua equivocada política econômica: um crescimento raquítico de 0,9%, muito abaixo da maioria dos outros países não diretamente atingidos pela crise, como estão os europeus. Mesmo os EUA, também em crise, cresceram 2,2%. A consequência da incompetência do nosso governo vem demonstrada pela queda de confiança do consumidor, levantada pelo Inec. Observando a fila de caminhões nos portos para desembarque apresentada na TV, fica-se com a impressão de que a economia do País está ao deus-dará, há um descaso do governo. Importante mesmo são as eleições e os "comícios" diários da presidente, confiante em que o Bolsa-Família lhe fornecerá os votos necessários.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Nível de desemprego

Entre os índices a serem explorados politicamente pela presidente Dilma na campanha pela reeleição, o do nível de desemprego - até agora suportável e invejado por alguns países europeus, em crise - destaca-se como um dos principais. Pelos mais autorizados textos de economia, no entanto, dificilmente dois anos consecutivos de crescimento medíocre (0,9% em 2012), declínio da produção industrial e perda de competitividade, por causa da infraestrutura fraturada, além da desconfiança gradual dos investidores diante de otimismos infundados manterão alta a taxa de ocupação. Como não há perspectivas de melhoras na economia até 2014, e como o PT, com a ética há muito no retrovisor, fará de tudo para se manter no poder, interroga-se que espécie de medidas eleitoreiras serão tomadas até lá no sentido de manter, talvez artificialmente, os índices anunciados. Aguardemos.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

O fracasso da economia

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que a crise internacional não bateu às portas da família brasileira, ao tentar justificar o crescimento pífio da economia - 0,9% em 2012, o menor em três anos. Os economistas são unânimes em dizer que faltou investimento na indústria. O governo fez ouvidos de mercador o tempo todo e agora, diante do fracasso da economia, a equipe econômica de Dilma faz cara de paisagem. Gostaria de saber como Lula enaltece o crescimento da economia do governo do PT nos comícios que faz Brasil afora. Mentir não pode, pois os números estão aí. Esse cenário obriga o ex-presidente a mudar de assunto quando o tema é economia em baixa e inflação em alta. O PT deixa a casa desarrumada e uma bela herança maldita para si mesmo. Nada como um dia após o outro...

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Crise

Gostaria que o sr. ministro Guido Mantega me explicasse o que provocou o aumento da inadimplência, uma vez que ele afirma que a crise não chegou às famílias brasileiras.

CARLOS ANGELO FERRO

carlosangelo@uol.com.br

Mogi-Mirim

Bravatas

O nosso glorioso ministro Mante(i)ga, depois da divulgação do pífio crescimento do PIB em 2012, declarou que "o ano foi fraco, mas com aceleração" e que "os brasileiros não sentiram a crise". Só faltou dizer que foi apenas uma marolinha... Aliás, somente com seu discurso não vamos sair da letargia em que o País se encontra. E pensar que ele classificou como "piada" a previsão de crescimento de 1% no ano passado. Num país sério, ou esse ministro seria demitido ou teria hombridade suficiente para pegar o boné e ir para casa brincar e contar verdadeiras piadas aos seus netos.

RENATO AMARAL CAMARGO

natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

Troca, Dilma

Mantega convocou a imprensa para dizer que, apesar de as coisas não terem dado certo, "como prevíamos para 2012", vai dar certo em 2013. Ora, quem não tem competência que não estabeleça vã esperança na cabeça de gente simples e ingênua. Coitado do povo brasileiro, iludido pela trupe petista. Está na hora de trocar um semeador de promessas por um pagador de promessas.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Enquanto isso...

... o Brasil se isola do mundo produtivo, esnobando os EUA e a União Europeia, para se afogar no Mercosul com os amiguinhos dos mensaleiros. Até quando?

LUIZ ANTONIO FESCINA

terrasfescina@terra.com.br

Conchas

 

2005, O ANO QUE NÃO EXISTIU PARA O PT

O PT é coerente demais, mas desta vez exagerou! Ele está sempre voltado a "reconstruir" a História do Brasil segundo sua ótica, mas agora resolver reconstruir sua própria história ao simplesmente apagar de seus anais o ano de 2005 e o evento do mensalão, suprimindo este ano fatídico de seu painel histórico armado na Câmara dos Deputados, em Brasília. Justo na Câmara, quanta ousadia dos petistas, onde o dinheiro do mensalão do PT comprou as consciências dos deputados! Eles precisam saber que não basta apagar a sujeira do painel, dos anais, dos livros. Não enquanto tivermos memória e liberdade de expressão "neschte paíç". E querer impor a censura com truculência, não aceitando manifestação da oposição, este é apenas o método inaugurado pela militância que segue as ordens de Gilberto Carvalho. Se eles podem usar os corredores da Câmara para expor as suas "verdades", por que os políticos da oposição não podem? As instalações da Câmara pertencem ao PT? Só quero entender...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

RENASCE A OPOSIÇÃO

Essa os petistas não esperavam! Os partidos de oposição (DEM e PSDB) introduziram, com muita criatividade, nesta exposição que ocorre nos corredores da Câmara federal sobre os 33 anos de vida do partido do Lula, uma ampla placa sobre o horroroso caso do mensalão! Ou seja, contando a história completa do Partido dos Trabalhadores, que os petistas se negam a assumir. Como não poderia deixar de acontecer, o deputado petista Amauri Teixeira (PT-BA), deslumbrado com o fato, num daqueles chiliques próprio da vida institucional do lulismo, ofendeu e até chamou para briga deputados presentes da oposição. E, não satisfeito, ainda colocou a tal placa do mensalão nas costas, no intuito de censurar (muito a gosto dos camaradas) um fato grave e lamentável da história do PT. Mas essa sua atitude não ficou barato. Ouviu palavras de ordem de um parlamentar oposicionista, dizendo, que até a placa do mensalão os petistas são capazes de roubar... Era só o que faltava!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

MENSALEIROS PRESOS ATÉ JULHO

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, prevê que as penas do mensalão deverão ser aplicadas até julho (1/3). Será que os advogados dos réus que planejam entrar com recursos e mais recursos infinitamente, e que também não contavam com a aplicação da "Teoria do Domínio do Fato" durante o julgamento do mensalão - levantada pelo então relator Barbosa -, não começarão a perder o sono outra vez?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

'DURA LEX'

No ano em que os mensaleiros condenados devem iniciar o cumprimento de suas penas atrás das grades,é muito oportuna a declaração dada (28/2) pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa: "Nosso sistema penal é muito frouxo. É um sistema totalmente pró-réu, pró-criminalidade. Há vários mecanismos para ir reduzindo as penas dos sentenciados pela Justiça. Esse sistema frouxo tem vários mecanismos de contagem de prazo que são uma vergonha. São quase um faz de conta. Tornam o sistema penal um verdadeiro faz de conta. O sistema prisional é caótico. Isso, no Brasil, infelizmente, é utilizado para afrouxar ainda mais o sistema penal. O que eu acho um absurdo. Os governantes brasileiros não dão importância a esse fenômeno que é esse sistema prisional caótico." Que suas corajosas palavras encontrem eco no Ministério da Justiça de modo a provocar a revisão e alteração do Código Penal, o suficiente para que os advogados de defesa de réus condenados (em geral, e não apenas neste imbróglio) não encontrem tantas brechas e mecanismos na lei brasileira que facilitem suavizar e reduzir o cumprimento das penas de seus clientes. Uma das possibilidades seria o aumento de duração da pena máxima no País para muito além dos atuais 30 anos. Deste modo, mesmo quando fosse reduzida, o que dela sobrasse já seria suficiente para afastar malfeitores por um bom tempo do convívio em sociedade. A Justiça tem como um de seus princípios básicos que a lei que pune seja tão dura quanto o crime cometido. "Dura lex"...

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

AMÉM!

Mensaleiros presos até julho? Que os anjos digam amém, Sr. Barbosa!

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

 

CAMPANHA ANTECIPADA, INOPORTUNA E ILEGAL

O ex-presidente Lula "lançou" a candidatura da presidente Dilma Rousseff à reeleição. O PSDB indica Aécio Neves como candidato. O PSB ensaia o lançamento de Eduardo Campos. Essas notícias provocam grande movimentação política e já deflagram uma reforma ministerial, onde os postos-chave do governo servirão de moeda a ser trocada por apoio. Deflagrado na área federal, o processo é seguido em nível estadual, onde os governadores passam a mercadejar cargos e posições de governo junto àqueles que podem ajudá-los na reeleição ou na eleição do seu sucessor. O loteamento dos governos é perverso, pois não entrega os ministérios, secretarias e cargos estratégicos àqueles de mais competência para exercê-los. Isso justifica os tantos problemas, inclusive atos de corrupção, surgidos no seio governamental. Os "Ets" de boa densidade eleitoral acabam por cometer desatinos. A campanha presidencial de 2014 é lançada com, pelo menos, um ano e meio de antecedência. O calendário eleitoral estabelece que a propaganda eleitoral só pode ser realizada a partir de julho do ano em que ocorrem as eleições. O lançamento prematuro é prejudicial. Os governantes, na condição de pré-candidatos, passam a ser discriminados e a discriminar. Há o risco de colocarem a futura eleição como prioridade em relação à obrigação de governar e administrar a máquina pública decorrente das eleições passadas. A campanha passada (de prefeito e vereador) terminou no dia 1.º de janeiro, com a posse dos eleitos. Agora começam as de presidente e governador. O País não pode viver em movimento eleitoral permanente.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

CANGACEIROS DE ALUGUEL

Mal começou a campanha para 2014, e os dois cangaceiros de aluguel já atiram para todos os lados. Haja sogra!

Renato Pires repires@terra.com.br

Ribeirão Preto

 

A VOLTA DE FHC

Fernando Henrique Cardoso finalmente acordou que há necessidade de dar um basta na calamitosa administração do PT na Presidência da República. Porém, só há um candidato em condições de derrotar o PT em 2014, é o próprio FHC. Não adianta apoiar Serra ou Aécio. A candidatura de um dos dois só irá dividir as forças do PSDB, e o PT irá receber mais um mandato de mão beijada. É bom que o PSDB faça uma análise sem vaidades pessoais, e chegará à conclusão de que o único candidato em condições de unir forças dentro do PSDB é Fernando Henrique Cardoso. Há necessidade também na escolha do candidato a vice-presidente de um nome forte que venha aglutinar forças e não dividir. Com Fernando Henrique Cardoso na Presidência o Brasil voltará aos trilhos, e a reeleição de Geraldo Alckmin, para o governo de São Paulo, será bem tranquila. Abaixo as vaidades pessoais no PSDB, que só estão favorecendo o PT.

Edson Baptista de Souza baptistaedson@ig.com.br

São Paulo

 

LULA QUER CALAR FHC

Lula não se conformou com o que FHC vem dizendo em suas falas, elogiando Aécio e dizendo o que pensa (e é verdade) sobre o besteirol dito nos 10 anos de governo petralha, eivado de inverdades, autopromoção, negando o que todos sabemos, o excelente trabalho de FHC em seus governos. Está na hora de Lula sair do palanque, já não aguentamos mais suas inverdades, a corrupção que veio com seu governo, a incompetência, a má gestão dos bens públicos e bolsas eleitoreiras.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

 

LUCIDEZ

O inconsciente de Lula assumiu o lugar do racional ao mandar Fernando Henrique Cardoso parar de falar sobre seu governo ("rectius", de Dilma Rousseff). A fala do ex-presidente FHC pode trazer a necessária clareza à análise da política brasileira, erradicar o PT do poder e promover as mudanças de governo que as mentalidades lúcidas já consideram imprescindíveis e inadiáveis.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

FALE, LULA!

Se FHC deveria ficar quieto, Lula deveria falar e explicar aos brasileiros o seu envolvimento com Rosemary Noronha. Faz mais de três meses que o escândalo foi divulgado e até agora o ex-presidente não abriu a boca sobre o assunto.

Leão Machado Neto lneto@uol.com.br

São Paulo

 

POR QUE NÃO TE CALAS?

Lula, como sempre, acha-se no direito de falar o quer, mas numa clara demonstração de sua personalidade autoritária quer impedir FHC de opinar sobre o risível comentário de Dilma ("nós construímos tudo"), atribuindo os avanços do País exclusivamente ao PT, a partir de 2003. Lula, por que não te calas?

Ana Maria Carmelini anacarmelini@yahoo.com.br

São Paulo

 

LULA X FHC

Lula, em vez de ter beijado a mão "barbalha", deveria, sim, beijar o pé do Fernando Henrique Cardoso, porque, não fosse o tucano e após o escândalo do "mensalão" em 2005, o "boca de latrina" ingrato não existiria mais.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

 

PT X PSDB, BRIGA BOA

Segundo declarações de Cid Gomes, governador do Ceará, FHC não fez nenhum favor a Dilma, e ele não tem nenhum motivo para chamá-la de ingrata. Realmente, FHC não é político de fazer "favores" aos "cumpanheiros", pois este é o modo de governar do PT. FHC fez um grande favor ao Brasil, durante o período em que governou, acabando com a inflação e dando um rumo ao País para se desenvolver. FHC errou ficando calado durante estes últimos dez anos, ouvindo tantas besteiras do Lula, mas parece que agora resolveu entrar na briga. Quero assistir de camarote.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

MELHOR SAIR DO GOVERNO

Nunca concordei com tudo que Ciro Gomes diz, mas concordo plenamente quando ele diz que "se é candidato contra a reeleição de Dilma, tem que sair do governo" (27/2, A6). Nós, eleitores, não vamos entender mesmo a razão porque o PSB de Eduardo Campos, fica comendo migalhas debaixo da mesa do banquete do PT-PMDB. Para apresentar-se como candidato à Presidência, Eduardo Campos precisa dizer ao povo brasileiro, livremente, sem estar preso ao governo atual, quais são seus planos para o País. Espera-se isso de todos os candidatos para que os eleitores saibam a quem escolher. Sem isso, a tendência é ficar com quem já está ocupando o posto, até que se acabe com a reeleição, quando se usa a máquina do governo, sem nenhum pudor, para a campanha política.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

 

OS GOMES

Bastou o PT estalar os dedos para os meninos de recado, irmãos Gomes, entrarem em cena.

José M. Augusto jem.consult@uol.com.br

Valinhos

 

TRÊS PATETAS

O primeiro, Lula, nunca se lembra de nada (a política econômica de FHC, que o PT surrupiou); O segundo, Ciro Gomes, tem raiva do Fernando Henrique, é Maria vai com as outras, bajula o PT, caiu no ostracismo e quer aparecer de qualquer jeito; O terceiro, Cid Gomes, inaugura hospitais que desabam e paga milhões por shows da Ivete Sangalo, e não vamos nos esquecer do Rui Falcão, ele é ruim demais!

Helcio Silveira heldiasilveira@gmail.com

São Paulo

 

DEFESA

Lula, pelas pesquisas da época em que governava, foi um dos presidentes mais bem cotados, apesar de tanta corrupção. FHC ficou bem aquém dos números de Lula. O que me causa espanto e que nas cartas dos leitores poucos ou quase nenhuns escrevem para apoiar o tal cara? O que será que aconteceu com aqueles adoradores do homem, tirando, claro, os petistas de carteirinha? Pelo andar da carruagem, tomaram Doril ou foram para lugares mais longínquos. Se o cara era tão bom, alguém o deveria defender.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

 

A MELHOR DEFESA É O ATAQUE

Lula e Dilma Rousseff demonstram sempre muita esperteza e agilidade em profanar Fernando Henrique Cardoso, porém sem nenhuma inteligência, pois se a tivessem aliada a um pouco de vergonha e bom senso para analisar e considerar o que vem ocorrendo no País com eles no "pudê", permitindo que nos roubem, desviem e superfaturem mediante a implantação e liberação para praticar deliberadamente a corrupção que nos assola, dilapida e escorcha brutalmente. Basta ver o que vem acontecendo com a Petrobrás, a Eletrobrás, o que aconteceu com a LBR Lácteos, a maior empresa de laticínios, o BNDES descapitalizado, tendo de receber reforço do Tesouro Nacional, e agora com a Vale amargando o maior prejuízo dos últimos dez anos. No entanto, continuam exaltando a economia brasileira, querendo, como sempre, nos iludir para que acreditemos nos números por eles manipulados e maquiados, como se manifestaram no último evento com empresários - no qual Dilma novamente não perdeu a chance de rebater, criticar e desmerecer FHC, pois sem dúvidas o lema para eles é "a melhor defesa é o ataque", em qualquer circunstância.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

SÓ PARA LEMBRAR

Todo mundo sabe, que o governo petista herdou nada mais nada menos do que a estabilidade econômica do País. Mas não custa nada lembrar, que essa inédita estabilidade econômica, foi alcançada no governo Itamar Franco, com o plano econômico real, o qual nunca deixou de ser combatido por toda a comunidade petista durante a sua implantação. A década petista de governo herdou e usufruiu, portanto, de uma estabilidade econômica que o País nunca havia experimentado em toda a sua história republicana. Foi com certeza a essa herança que o ministro da Economia de Itamar Franco e principal responsável pela aplicação do Plano Real, Fernando Henrique Cardoso, se referiu ao chamar a presidenta Dilma Rousseff de ingrata. O ex-presidente Lula, cuja cultura histórica está próxima do zero absoluto e que tem o conhecido costume de nunca saber de nada, saiu atirando em todas as direções em defesa de seu poste predileto, contra as palavras mais do que verdadeiras de FHC. Lula, historicamente uma nulidade em economia, deveria, isso sim, reconhecer que o País está passando pelo perigo de perder novamente a estabilidade econômica alcançada há 10 anos, por culpa da equipe econômica do governo Dilma, chefiada pelo ministro Guido Mantega, que há muito tempo tem transmitido aos brasileiros e ao resto do mundo uma grande desconfiança de que não terá competência para mantê-la.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

 

CAMPANHA PRESIDENCIAL 2014

A campanha presidencial é preocupante. A única manifestação que ouvi até agora é a de Aécio Neves. Terrível por dois motivos: péssimo governador, apenas soube fazer uma propaganda e divulgar através de institutos de marketing uma imagem positiva e contou com a imprensa mineira que ele tem nas mãos e, por outro lado é candidato do derrotista PSDB, um PTzinho fuleiro. Meus Deus, de onde surgirá um candidato para enfrentar o PT e nos livrar dessa agonia? Queria aproveitar para comentar que está havendo um movimento pró-Eliana Calmon ocupando uma cadeira no Legislativo, o que seria muito improdutivo, pois a meu ver Eliana Calmon tem potencial e seria melhor aproveitada comandando as reformas judiciária, fiscal, tributária, e política. E isso seria trabalho para presidente da República.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

 

FHC CANDIDATO

Começou a ladainha do ex-presidente Lula da Silva, em fazer campanha antecipada para as eleições 2014. Já não bastasse isso, ele faz frente com o ex-presidente FHC. Faço um apelo a FHC para que seja candidato à Presidência da República, não desmerecendo o Sr. Aécio Neves. É questão de sobrevivência, de querer ver uma luz no fim do túnel.

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

MEDO DE OUVIR

Vejo tantas contradições na fala do Lula. Quem está com medo de ouvir agora? Oras! Como pode ele mandar alguém se calar, se ouvimos seus berros há décadas? A ele faltam bom senso e um bom espelho. E ao povo, discernimento para ver que desde que ele subiu a rampa, tornou-se pior do que seus atuais companheiros, como Sarney, Collor, Renan e Maluf, entre outras maçãs podres. Acho que até o Odorico Paraguaçu ficaria indignado com tanta tendenciosidade e compra de votos a céu aberto.

Wallace Andrade wallace12000@yahoo.com.br

Mairiporã

 

RÃS NA FERVURA

Nosso pressuroso governo continua nos protegendo de nossa incapacidade de zelar por nossa própria segurança. Baseiam-se no fato de elegermos o PT por três vezes. Com certeza, quem comete esta estupidez está totalmente despreparado para cuidar da educação de seus filhos, sendo para isto necessário fazer leis que autorizem o que é ou não correto no tratamento dos pequenos. Palmadas são proibidas. Não sabemos lidar com tomadas. Cria-se então uma lei que as uniformiza. Gostamos de comprar remédios em vez de comida. Proíbe-se então ao máximo o acesso aos remédios. Consumimos muita comida salgada e gordurosa. Proíba-se a propaganda destes produtos. O álcool pode causar queimaduras quando usados para acender o carvão nos nababescos churrascos que a população promove diuturnamente e também noturnamente (vide a "presidenta"). Solução: proíbe-se a venda de álcool líquido. Qual será a próxima cruzada dos paizões de quem tanto necessitamos? Quem sabe o uso de facas e similares, que, como alguns já devem ter notado, podem causar ferimentos e até morte. O fogo também não deveria estar nas mãos destas crianças inconsequentes. Precisamos de alguém que nos defenda dos perigos do dia a dia, quem sabe com a contratação de alguns milhares de novos funcionários públicos e mais leis asfixiantes. E agora, falando sério, sinto-me como a rã que morre cozida sem perceber, porque a temperatura sobe lentamente. Estão entrando em nossas vidas, tirando-nos o direito de escolher e decidir o que é melhor para nós mesmos. E a única coisa que um governo decente poderia fazer seria promover educação de qualidade ao povo para que pudessem embasar suas decisões. Mas isso não interessa a este governo protototalitário, que continua destemidamente a cozinhar as rãs.

Lizete Galves Maturana lizete.galves@terra.com.br

Jundiaí

 

PAÍS DO FUTURO

Tenho 56 anos, o que significa que passei minha vida até a adolescência sob o domínio do militarismo. E eram comuns algumas frases: "Este é o país do futuro"; "o petróleo é nosso"; Brasil: ame-o ou deixe-o". Alguns sumiram, outros foram deportados (depois voltaram), outros morreram. Bom, veio a eleição direta, veio uma nova Constituição, hoje sou avô e temos o tal do pluripartidarismo. Os que voltaram uniram-se com os intelectuais de plantão, e veja o resultado: 1) Petrobras = quebrada (como se compra um plataforma por um alto valor e vende por um bem menor); 2) futuro de quem? (Renan, família Ribamar dona do Estado do Maranhão, Collor, Maluf, etc.?) Sou da época em que uma criança na escola aprendia o Hino Nacional, o Hino da Independência, o Hino da Bandeira, droga era maconha, o Brasil era o bom no futebol. Hoje, uma criança não é reprovada na escola, não sabe um hino do País, conhece tudo de drogas e armas. A nova Constituição (que já não é mais nova) deu tanto direito ao brasileiro que esqueceram de avisar que também tem de ter deveres. E ainda temos que suportar o PT dizendo que nunca se fez tanto pelo País como nos últimos doze anos. Por favor, deixem o Brasil.

Francisco Carlos Netto xikoembu@bol.com.br

Embu das Artes

 

A SORTE DE DILMA

Dilma é uma mulher de muita sorte. Se não fosse o episódio do mensalão que tirou José Dirceu do posto de ministro chefe da Casa Civil e da posição de homem forte do primeiro governo Lula, Dilma nunca teria chegado aonde chegou. Agora, quando Lula poderia resolver se candidatar a presidente, e tirar o seu segundo mandato, surgem, ao mesmo tempo, as denúncias de Marcos Valério envolvendo Lula no mensalão e, especialmente o escândalo Rosegate. Lula já está muito velho para encarar a exposição de seus problemas conjugais, que seriam bastante explorados pelos seus adversários numa disputa presidencial e vai preferir abrir mão do cargo que ele acredita que lhe pertence. Mais uma vez, o grande prêmio cai no colo de Dilma.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

PEDIDO DE PACIÊNCIA

Lula mostrou que não confia tanto assim no governo Dilma, a ponto de pedir à Central Única dos Trabalhadores (CUT) que tenha paciência com ela. Ele, sim, deveria ter se calado.

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

 

DECADÊNCIA OU OPORTUNISMO?

A destemida guerrilheira não passa, agora, de uma marionete. Só falta Lula virar ventríloquo.

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

 

A VERBORRAGIA LULISTA

O ex-presidente Lula, um autêntico verbômano. Quando abre a boca para fazer algum pronunciamento político, o faz sem a menor reflexão, sem o menor juízo, sem tino. Sem o mais tênue senso crítico. Isso acaba de acontecer na comemoração de existência de 30 anos da CUT, feita pelo PT, quando o ex-aludido presidente se comparou com o presidente norte-americano Abraham Lincoln, cujos governos se distanciam por mais de 140 anos e se distanciam, também, quanto à grandeza das suas gestões. Lula teve o desplante de dizer que se assemelha a ele, porque ambos foram "duramente criticados pela imprensa enquanto estavam no poder" e se apiedou dele, chamando-o de "coitado"... E por aí vai. Esta desfaçatez, no entanto, teve um mérito: para ser presidente da República não precisa ser um doutor, como disse o ex certa vez, mas precisa ter um mínimo de escolaridade para não envergonhar uma nação.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

 

O HOMEM QUER MAIS ESPAÇO

Ao se comparar a Lincoln, ex-presidente dos EUA, Lula disse que não vive reclamando do espaço que não tem na mídia, ele quer reclamar o que falta ele fazer para ter o espaço que ele quer independentemente da imprensa. Apesar de se achar um Deus, Lula deveria se olhar no espelho. Como pode um homem com essa idade mentir aos seus eleitores de forma tão descarada? O Brasil está saturado de discursos mentirosos, de articulações sujas e viciadas que deram vida ao maior escândalo que este país já viveu, o mensalão. A frase da filósofa russo-americana Ayn Rand retrata a cara desse nosso Brasil ao vaticinar: "Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em autosacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada". Só para relembrar, ela também não tinha computador.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

O POVO

É demais. O PT querer se apropriar de uma das frases mais enraizadas na história americana, para reeleger quem ajudou a sequestrar o embaixador daquele país, é inaceitável. O "governo do povo, pelo povo e para o povo" faz parte do discurso de Lincoln em meio à guerra civil americana, e é uma das frases mais conhecidas da história mundial cujo significado nunca o PT ou seu criador Lula conseguiriam sequer imaginar. É plágio dos mais humilhantes e mais vergonhosos da nossa história política. Aliás, como se compara o povo a que Lincoln se referia na frase, e quem a pronunciou, à situação do PT neste momento? Basta!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

ATÉ ELE?

Mas não é que o PT roubou ideia até de Abraham Lincoln? Minha nossa!

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

DECRETADO O FIM DA MISÉRIA

Finalmente, graças à competência de nosso governo a partir de 15 de março de 2013 não haverá mais miséria no país, conforme decretado pela presidente Dilma. Cadastro de 700 mil famílias miseráveis foi levantado dentre os que estão abaixo da linha da pobreza de R$ 70,00 mensais. Os incluídos nesse cadastro passarão da categoria de miseráveis para a de pobres, recebendo R$ 70,00 por mês, excluídos os não constantes do cadastro por não terem sido encontrados pelas autoridades e aqueles cuja renda seja de R$ 71,00 ou acima. Através dessa medida o Brasil passa a ser o único país a deixar de ter miseráveis oficialmente em sua população, já que outros, com limites de pobreza mais elevada como a Rússia, por exemplo, com valor equivalente a R$ 420,00, nunca nos poderão alcançar. Incluem-se aqui os Estados Unidos, Alemanha, Suécia e Suíça. Essas novas "bolsas" pagas com nossos impostos operarão um milagre na sociedade brasileira, extremamente benéfico à reeleição de nossa presidente em 2014. Naturalmente, não teria o mesmo efeito eleitoral a elaboração de plano de educação profissional para as pessoas de baixa renda beneficiados por bolsas há 10 anos e que continuam recebendo suas mesadas sem nenhum incentivo para melhorar de vida e libertar-se dos votos obrigatórios ao sistema implantado. Poderiam ter surgido novos médicos, engenheiros, advogados.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

PROGRAMA BRASIL SEM MISÉRIA

PT compra votos em suaves prestações de R$ 70 mensais.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

A MISÉRIA INVISÍVEL

A presidente Dilma declarou que tem de ir atrás da miséria ainda invisível. Ela certamente está vivendo em outro planeta. A miséria não está invisível, Dona Dilma, e muito menos escondida aos nossos olhos. Ela está escancarada, à vista de qualquer um que queira enxergar, nos faróis de trânsito, jogados pelas ruas e calçadas, embaixo de pontes e viadutos, sem a mínima condição de vida, Dona Dilma, isso no Estado mais rico da Federação. Ela está jogando pérolas aos porcos!

Edward Brunieri patricia@epimaster.com.br

São Paulo

 

PALAVRAS AO VENTO

Em campanha antecipada para re-eleição a presidenta Rousseff saiu-se com esta pérola: "Agora temos de ir atrás da miséria ainda invisível, que teima em se esconder dos nossos olhos, dos nosso programas e das estatísticas oficiais". Por que não ir atrás da corrupção dos políticos que não se esconde e que não é punida? Os valores economizados dariam para acabar com a miséria, mas prejudicariam a "ingovernabilidade".

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

 

SLOGANS

"O fim da miséria é apenas o começo". Segundo Luis Fernando Veríssimo, este slogan do PT "de um ponto de vista puramente publicitário é ótimo". Bem verdade. Assim como tantos outros que reboaram nesta nossa pátria amada. "Um novo tempo vai começar" (governo Collor). "Esse nome dá dinheiro" (caderneta de poupança Haspa). "A maneira mais elegante de voar" (Varig). "Seja econômico. O melhor pra você" (Banco Econômico). "O prazer de fazer bem feito" (cerveja Malt 90, à época também conhecida como "malte nojenta"). "A estética russa em movimento" (automóveis Lada). "Tudo azul. Tudo Buc" (Banco União Comercial, semanas antes de quebrar). "Tudo pelo social" (governo Sarney).

J. B. de Souza Freitas jbdesouzafreitas@gmail.com

São Paulo

 

ECONOMIA COM A CORRUPÇÃO

A corrupção anualmente consome 2,3% do PIB cerca de R$ 82 bilhões. Se o governo recuperasse 50% dessa importância, daria para atender todas os dependentes do Bolsa-Família. E o que precisaria ser feito? Em primeiro lugar acabar com Emendas parlamentares, pois o papel do parlamentar é legislar e não distribuir verbas para suas bases. Diminuir drasticamente o número de vereadores, pela sua quase inutilidade pública. Além disso, o governo fiscalizar seus próprios gastos, para minimizar superfaturamentos em investimentos e serviços, procurar saber qual era o milagre que governos de décadas anteriores, em 10 anos montaram 10 refinarias, construíram Itaipu, Angra e outras usinas, sem as quais hoje estaríamos guindo nossos carros com gasolina Chávez, jantando e lendo sob luz de velas. Finalmente , comparar o tamanho do governo federal que emprega, só em cargos de confiança, 90 mil pessoas, enquanto os Estados Unidos tem 9.051, a Grã-Bretanha cerca de 300. Chega de programas como Inovar Auto, Minha Casa Minha Vida, Brasil sem Miséria e de slogans "Brasil, um país de todos", "País rico é país sem pobreza". O País não necessita de "soft power", mas de "trabalho duro".

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

 

FALTA DE OPORTUNIDADE?

A ministra Tereza Campelo, do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, disse, numa reunião, entre outras coisas, que a maioria dos adultos beneficiários do Bolsa-Família são trabalhadores que se encontram em situação de pobreza extrema por não terem tido oportunidades de estudo e qualificação profissional. Não tiveram ou não quiseram, ministra? Quem quer se esforça e, como costuma se dizer, corre atrás. Desculpem-me, mas são indolentes, a maioria deles, e o governo incentiva isso com o dinheiro do contribuinte, estimulando a indolência. Conta outra, ministra.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

OPOSIÇÃO, MUDANÇA RADICAL

O PT celebrou seus dez anos no governo com muitas gargalhadas por reinar tranquilamente durante tanto tempo sem ser incomodado. A grande estrela foi o sr. Lula que exerce o seu terceiro mandato titereando a "presidente" que obedece o seu criador com toda devoção. Lula acredita que tem um mandato divino e já lança sua criatura e o vice para 2014. Acostumado a reinar confortavelmente sem oposição, pavimenta os caminhos que o levará ao seu quarto mandato em uma gigantesca afronta a nação brasileira. Teve até distribuição de um livrinho com exaltações aos "feitos" do PT e, claro, os tempos nefastos da época FHC. Tudo é feito as claras com a certeza de que a letárgica oposição continuará calada e omissa como sempre foi. O sr. Fernando Henrique foi encarregado de coordenar a campanha de Aécio Neves para as próximas eleições numa tentativa de conter o ímpeto de Lula. Parece uma boa estratégia, mas não terá nenhum efeito se a oposição não mudar radicalmente seu "modus operandi" e passar a atuar com mais ardor no combate ao grande enganador que plantou na mente do humilde povo brasileiro a ideia de que Lula veio para salva-los da miséria e infelicidade em que viviam. FHC somente será eficaz se abandonar seu estilo de "polite man " e partir para o vale-tudo tendo como alvo o eleitorado de Lula. Por outro lado, é preciso mudar o estilo de "bon vivant" e "playboy" de Aécio Neves que será facilmente explorado pelo PT. A oposição terá muito material para desmascarar o Lula, mas nunca esquecer que o apedeuta não é burro e pode virar o jogo se perpetuando como um semideus brasileiro.

Wilson Sanches Gomes sancheswil@hotmail.com

Curitiba

 

SALÁRIOS EXTRAS NO CONGRESSO

Os senhores congressistas brasileiros, visando a sensibilizar o coração do povo, bolaram uma manobra marqueteira, uma saída de mestre para levantar o moral da Câmara, emergindo uma causa nobre dos recônditos de suas manchadas almas, abolindo dos seus contracheques os 14.º e 15.º salários. Esses benefícios financeiros, embora imorais, não constituem nenhum descalabro pecuniário ao erário. O que o povo desejava era uma racionalidade e decência no trato com os recursos públicos através de uma ampla reforma política visando acabar com as sinecuras e a generosa distribuição de cargos e encargos aos seus parentes, amigos e amantes. Não se justifica que, para um cidadão exercer um mandato outorgado pelo seu povo para elaborar as leis necessárias à gestão pública, possa se acercar de tantos "aspones" ganhando salários absurdos, muitos vezes, sem concurso público e sem a necessária competência para a função. Além dessas orgias gratificadoras, ainda criaram uma tal de "emenda ao Orçamento", em que cada parlamentar bafeja os seus currais eleitoreiros com substanciais verbas destinadas à aplicações ao gosto dos amigos correligionários, aplicações estas, nem sempre em favor das comunidades, mas com retorno certo de milhares de votos. Caros congressistas, podem ficar com seus 14.º e 15.º salários, desde que trabalhem em favor de quem os elegeram, em causas realmente nobre, com destemor e patriotismo. Afinal, os seus excelentes empregos existem, porque vivemos num regime democrático que os senhores insistem em enlamear.

José Batista Pinheiro batistapinheiro30@yahoo.com.br

Fortaleza

 

CORONÉIS DO ATRASO

Incrível que um deputado do Maranhão tenha a cara de pau de vir a público reclamar que ganha pouco, precisa atender eleitores que vêm a seu gabinete pedir dinheiro, passagem de avião, etc. E que se não ganhar a mais os 14.º e 15.º salários, ele deverá tirar do seu "bolso" essas benesses! Ora deputado: a maioria do povo não quer nem saber do seu emprego justamente por causa das agruras que suas excelências precisam passar. Imagino o que fazem por causa de um voto. Mas ser eleito na base da promessa é assim mesmo. Enquanto os coronéis do atraso não vestirem a vestimenta moderna do que deveria ser um mandato, cumprindo seu papel perante toda a sociedade brasileira e não a apenas alguns redutos eleitorais, será assim mesmo! Elegem-se na base da promessa e não seremos nós, contribuintes que devamos pagar a conta por elas, concorda? Mas se suas excelências quiserem sair no mercado privado p ara se situarem, perguntando o tempo de trabalho e responsabilidade dos profissionais que ganham os mesmo R$ 26 mil que reclamam ser pouco, iam voltar rapidinho com o rabo entre as pernas e se verem como privilegiados, usufruindo caladinhos os dois dias semanais de trabalho.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

NÃO BASTOU

Foi aprovado o fim do 14.° e do 15.° salários para parlamentares. Bom seria se também acabacem com auxílio paletó e outros penduricalhos que tanto oneram os cofres públicos.

Virgílio Melhado Pasoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.