Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

07 Abril 2013 | 02h06

Respeito e desrespeito

Ao afirmar, na inauguração festiva do estádio em Salvador, que o ato era um sinal de respeito aos baianos e aos brasileiros, a presidente Dilma Rousseff deixou subentender, como corolário óbvio ululante, que a demora na entrega das obras de transposição do Rio São Francisco, muito mais importantes que um campo de futebol, por incompetência, desmandos e burocracia, é um sinal de desrespeito aos brasileiros, em especial aos que sofrem com as secas esperáveis a cada ano.

GERALDO SIFFERT JUNIOR

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

'Insuperável'

Concordo com a presidente Dilma quando diz que o Brasil é "insuperável" na preparação para a Copa. Insuperável na falta de planejamento, na infraestrutura de mobilidade urbana precária, no cumprimento de prazos, no uso de dinheiro público (e inevitáveis desvios) e na politicagem. Somos insuperáveis. Parabéns para nós.

SÉRGIO KOCINAS

sergio.koc@hotmail.com

São Paulo

Mantega caiu?

A primeira página do Estadão de sexta-feira destaca, ao lado da manchete sobre aquele maluco norte-coreano: 'O PIB para o povo é renda e emprego', diz Mercadante. Pode até ser, mas até a véspera essa seria uma fala de Guido Mantega, até então ministro da Fazenda, não de Aloizio Mercadante, até então titular da Educação (o ministério do Enem). Ou Mantega caiu e ninguém nos avisou ou Mercadante acumula irrevogavelmente as duas pastas e ninguém nos avisou. Afinal, somos ninguém mesmo.

NEIL FERREIRA

neil.ferreira1804@gmail.com

São Paulo

O articulador político

Se a frase "o PIB, para o povo, é o emprego e a renda" tivesse vindo de um desinformado, eu até entenderia, mas do ministro da Educação do governo Dillma é de matar! Ainda bem que Mercadante, agora mais que nunca "o aloprado" que sempre almejou o Ministério da Fazenda, jamais chegou lá. Porque PIB, grosso modo, é o resultado de produção, investimentos, infraestrutura e gastos de governo. O povo pode não entender essa matemática e os porquês de um pibinho de 0,9% em 2012. Se tivéssemos uma gestão mais eficiente, poderia ser muito maior, gerando mais empregos. Disso o povo entende e o desemprego é seu maior temor. As empresas pararam de investir, não contratam, ao contrário, estão demitindo. A Bolsa de Valores, um dos melhores meios para medir a confiança na gestão empresarial, não para de cair. Os investidores sumiram. A inflação continua a desandar e logo comerá o salário do trabalhador. A balança comercial está em queda, porque é mais barato importar do que produzir. Infelizmente, é questão de tempo para o povo descobrir que PIB é, sim, importante, porque mede principalmente a eficiência do governo para gerenciar a economia: se o governo é péssimo administrador, seu emprego corre risco! Como dizem, um dia todo cidadão precisa perder a sua "inocência". Acho que a perda da dos brasileiros está próxima, e com a pior delas: o emprego!

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Mercadante e o pibinho

Como simples dona de casa, "do povo", já sinto na carne e no bolso os efeitos do pibinho: com a falta de investimentos do governo em infraestrutura e os empresários não tendo como investir, em breve haverá menos empregos e menos renda. E a inflação já reduz o poder de compra da cesta básica. Será que ninguém do governo percebe isso? Suas esposas ainda não comentaram a alta dos preços? Ou para elas não altera nada, porque podem usar o cartão corporativo?

SONIA ARRUGA

sonia.arruga@gmail.com

São Paulo

Ridículo

O papagaio de pirata de Dilma já posou de cientista quando era ministro da Ciência e Tecnologia, travestiu-se de educador no comando do Ministério da Educação e agora resolveu dar uma de economista de quinta categoria - sua verdadeira formação - ao declarar que o PIB, para o povo, é o emprego e a renda. Sua declaração vai repercutir ridiculamente mundo afora, por estar um representante do governo brasileiro desmerecendo a seriedade e a importância de um índice que é unanimemente utilizado para medir a economia de cada país.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

O pássaro e a gestora

Aparentemente, não há relação entre o pássaro Chávez do Maduro e a "gestora extraordinária" do Mercadante. Aparentemente.

HELENA RODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

Ideia fixa

A frase de Mercadante é mais uma prova de que os políticos, no governo, não estão preocupados com ideias para a próxima geração, e sim com medidas de curto prazo, para a próxima eleição.

ROBERTO CASTRO

roberto458@gmail.com

São Paulo

NOSSOS REPRESENTANTES

De quem...?!

Minha indignação era tanta que estava amortecida! Elegemos presidente, deputados e senadores para nos representarem, isto é, fazerem o que o povo deseja. O povo fez um abaixo-assinado com milhares de assinaturas contra a eleição de Renan Calheiros como presidente do Senado e nossos representantes nada fizeram. Agora, com a eleição do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o povo faz manifestações de repúdio e eles, nada. Estão representando quem? Não se passa um só dia sem que os jornais noticiem um absurdo desse indivíduo! Dizem que o brasileiro é passivo. É não. Nós fazemos barulho e nossos representantes... só se representam.

LIZ ANDREA LIMA MIRIM

liz.mirim@terra.com.br

São Paulo

País de Felicianos

É uma vergonha para o Congresso Nacional ter entre seus membros um pastor evangélico homofóbico e racista que responde a processo na Justiça pela prática de crime de estelionato e, ainda por cima, preside uma Comissão de Direitos Humanos, algo inimaginável e que seria cômico se não fosse trágico. O deputado federal Marco Feliciano dá uma boa medida do baixo nível dos nossos congressistas e de como no Brasil o buraco é mais embaixo. Viramos reféns dos Felicianos, tanto dos políticos escroques como do povo alienado, ignorante e sem um pingo de senso crítico que os elege com maciça votação. Estamo-nos tornando um país de Felicianos. Um horror!

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo   REMÉDIOS MAIS CAROS Dilma Rousseff autoriza reajuste de 6,31% para medicamentos! O remédio, principalmente para a população mais carente, passa, infelizmente, a ser visto como artigo de luxo. Ou seja, acesso para poucos. Só para ter uma ideia do tamanho desta salgada conta, o gasto mensal com medicamentos numa família que tenha pelo menos um idoso, com este reajuste cavalar, vai eliminar a vantagem da redução do custo de energia elétrica, promovida com tanto estardalhaço pelo governo petista. Revelando literalmente o jeito petista de ser, Dilma dá um no cravo e outro na ferradura! E, mesmo assim, ela impede autoritariamente que o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, não aplique os "remédios" necessários para combater com eficiência a alta da inflação.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos *

INFLAÇÃO Todos reclamam do preço exagerado do tomate. Lindomar David, produtor rural de Ribeirão Branco, São Paulo, tem razão: tomate está caro porque safras que, também, abastecem São Paulo, principalmente a de Goiás e, em menor escala, a do Paraná e Santa Catarina, tiveram grandes perdas em razão das chuvas. Para reclamar "dos alimentos", culpando-os pela escalada da inflação, o ministro Guido Mantega tem de pedir a revogação, urgente, da lei da oferta e da procura. Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte santo de Minas (MG) *

POLÍTICOS E TOMATES Com preço do tomate na faixa de R$ 12,00 a R$ 15,00 o quilo, os políticos terão mais tranquilidade para expor suas ideias estúpidas e oportunistas diante do povo. Sairão de ternos e caras limpas dos comícios e aparições públicas, porque o povo pode ser burro na hora de votar, mas não a ponto de desperdiçar alimentos caros em maus alvos; que o digam os nobres parlamentares do PT e também o pastor Marco Feliciano. Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo *

RETRATO Preço do tomate retrata a real inflação.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo *

SEM FOME NEM MISÉRIA Presidente Dilma Rousseff, meus parabéns. O País vai de mal a pior em todos os sentidos, porém a senhora continua insistindo em que vai erradicar a fome e a miséria, mediante seus pronunciamentos por este Brasil afora. De fato, pelo que temos visto ocorrer ultimamente com os preços dos alimentos atingindo níveis alarmantes e absurdos, como, por exemplo, arroz (R$ 16), feijão (R$ 9), batata (R$ 4), tomate (R$ 12), quiabo (R$ 13) e vagem (R$ 12), a fome e a miséria serão mesmo erradicadas, pois todos morrerão. Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo *

NEM UMA BANANA A desoneração dos alimentos é mais uma mentira. Os preços estão tão altos que não dá prá mandar uma banana prá Dilma...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo *

DESONERAÇÃO, EIS A QUESTÃO Primeiro, a desoneração atingiu a linha branca dos eletrodomésticos; logo em seguida, tivemos as desonerações dos automóveis, prorrogada várias vezes. Sem considerar a facilidade que os bancos e financeiras colocaram para que os incautos e afoitos se encalacrarem numa inadimplência que atingiu a contra mão do projeto do governo e que era o aumento do consumo para alavancar a energia do PIB, tão combalida nesse governo Dilma. A nossa presidente dorme e acorda pensando numa nova desoneração. Até aqui, somente as indústrias de eletrodomésticos e as montadoras de automóveis tiraram vantagem dessa estratégia da área econômica que mostra a capacidade gestora dos responsáveis pela economia nacional. Tudo remete para conter a inflação, menos os gastos astronômicos do governo mais perdulário da nossa história. Dilma, no seu propósito de aplicar um garrote vil na classe média brasileira, a verdadeira, e não aquela criada pelo governo para fins de propaganda, Para que o reajuste dos planos de saúde seja menor serão concedidas desonerações com a intenção de aliviar a influência dos planos no índice de inflação. Visando à classe média e em especial os aposentados e idosos, o ministério autorizou a alta dos remédios de 2,7% a 6,31%. Só falta tirar do caldeirão de magias a ideia de importar tomate do Chile e da China. A alternativa está em 2014, onde duas atitudes despontam: ou tiramos essa gentalha do poder ou jogamos a toalha.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ) *

O PACOTÃO CONTRA A SECA A "presidenta" Dilma, em ritmo frenético de campanha eleitoral, anuncia mais um pacotão, agora para minimizar os efeitos da seca no Nordeste. Alguns chamam de "pacotes de bondades", mas na verdade depois que as roças estão estorricadas, o gado morreu deixando os nordestinos a míngua essa pacote retardado mais parece de "maldades", mesmo porque essa dinheirama toda prometida, se sair do papel, nunca chegará aos necessitados, irá com certeza chegar aos bolsos de políticos corruptos. Chega de pacotes e "Bolsas mil", queremos é ver o governo trabalhando com afinco para tirar o Brasil da reta do fim do mundo.   Leila E. Leitão

São Paulo *

NO AGRESTE A presidente Dilma, em ritmo de campanha, se reuniu com governadores dos estados assolados pela seca com a imprensa nacional presente, para dar mais um pacote de bondades. Já saíram dos cofres públicos destinados aos sertanejos R$ 7,6 bilhões e enviará mais R$ 1,4 bilhão! Em contra partida, todos os dias a imprensa divulga os desastres com gado, bode morrendo. Plantação de milho, feijão sem condições de vingar. O povo desesperado sem água para beber e toda esta fortuna já foi enviada aos estados assolados pela seca? Alguma coisa está muito errada e com certeza o governo federal não vai a fundo ver para onde essa verba anda escoando. Para o sertanejo com certeza que não, porque se olhar sem medo de represália verá nesses Estados verba para carro de políticos, aumento de salário, obras superfaturadas, melhoria em balneários, resorts, meios de comunicação e por aí vai. Não nos esqueçamos de que estamos em vésperas de eleições federais, estaduais e eles precisam de votos das áreas mais populosas e, lá no agreste, poucos votam! A conferir...   Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo *

MEDIDAS ESTRUTURANTES A presidente Dilma, PHD em Economia (ao que consta), veio com o seguinte: "Medidas estruturantes e a proteção social explicam por que a cara ("sic") da miséria não foi tão acentuada pela seca". Considerando que medidas estruturais ou estruturantes (a economia é pródiga em adjetivos e neologismos, assim como em habituais erros crassos) são expressões com um significado bem preciso, seria interessante que a presidente detalhasse quais foram essas medidas "estruturantes". Em verdade, não vimos nenhuma medida dessa natureza em seu governo.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo *

NORDESTINO FORTE O nordestino, no dizer de Euclides da Cunha, é, antes de tudo um forte. Na verdade, em primeiro lugar, ele é resignado ante as provações seculares e encontra conforto em Deus. Ele é governado de Brasília e mais de perto, das capitais dos seus estados, todas no litoral, onde chove regularmente. É esta gente do litoral, que desconhece a falta d'água em níveis intoleráveis, pois só vai ao sertão para contar os votos do seu curral, que comemora este pacote enganador de Dilma para combater os efeitos da seca. Produtores rurais, clamam e não são ouvidos por medidas de longo prazo, pelo combate ao permanente estado de seca. Ah!, mas é a pior seca dos últimos 50 anos! Ninguém deve se surpreender com isto, pois ecologistas e ecólogos - os profissionais do meio ambiente - vêm alertando para os problemas decorrentes do desmatamento, da camada de ozônio, do aquecimento global, etc. Pensavam que milagrosamente as coisas iriam melhorar? Os políticos, que se oferecem altruisticamente para cuidar do "seu" povo estão cansados de saber disto. Mas como desprezar o velho e bom curral eleitoral. Quedê (cadê, em nordestinês) as represas, a interligação de bacias, o aproveitamento de águas subterrâneas profundas, e blá, blá, blá?   Mário Alves Souza maroca64@bol.com.br

Salvador *

REELEIÇÃO A TODO CUSTO

 

 A cada dia percebemos perplexos que a presidente Dilma  não tem mais olhos para o Brasil e seus inúmeros problemas. Seus olhar está  fixo e determinado em sua reeleição. Deixar seu expediente no Palácio do Planalto para vir a São Paulo, hospedar-se em hotel de luxo, para confabular secretamente  com Lula (fora do governo), Palocci, o petista milionário, também fora do governo, Mercadante, seu fiel escudeiro, e o sempre iracundo presidente do PT, Ruy Falcão, fica claro aos nossos olhos que o assunto em pauta, na privada reunião, não poderia ser outro, senão a reeleição de Dilma para 2014. Ultimamente Dilma não tem se dedicado aos problemas nacionais. Criar estatal para abrigar aliados de todos os matizes, criar mais um ministério inócuo, são sinais claros de que ela já esta mesmo fazendo "o diabo" para ser reeleita. E o Brasil, ora o Brasil, como sempre, pode esperar!

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo *

MERCADANTE CANDIDATO Quer dizer que a presidente Dilma,  o primeiro-ministro Molusco, o próprio e acho eu mais alguns estiveram em São Paulo, à custa do povão, escondidos em algum hotel bem caro para lançar o dito para candidato ao governo do Estado? Sr. Alckmin e PSDB, deixem eles ganharem em 2014, sigam meu conselho, não lancem ninguém. Um dia o povo vai acordar e vai dizer "o que foi que nós fizemos?".   Nelson Piffer Jr. pifferjr86@gmail.com

São Paulo *

REUNIÃO DE CÚPULA Que pena , que pena , a senhora Dilma, sr. Lula, sr. Mercadante, sr. Palocci e Luiz Marinho esqueceram-se de convidar o Fernandinho Beira-Mar para a reunião  de 7 horas em hotel de luxo, na quarta-feira passada, na capital paulista. Do que trataram não sei, mas de uma coisa tenho certeza: os "bumbuns", como sempre, foram os nossos.   Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo *

MAZELAS Dilma preocupada com a reeleição, aliás é a única coisa com que os petralhas se preocupam, agora nomeou um cumpanhero para o Ministério dos Transportes, como afago ao PR. Se ele entende do riscado, são outros 1500. O modus operandi dos petralhas é assim, toma lá dá cá. Enquanto isso, continuamos navegando por águas turbulentas, mais conhecidas como inflação, sem comando e sem perspectivas de termos um bom timoneiro no comando da embarcação, afinal o senhor bola de cristal, continua acreditando nas suas estimativas, palpites e sonhos... Um estuprozinho no Rio, um ônibus que cai da ponte, são verdadeiros retratos do que espera os incautos que arriscarão suas vidas, literalmente falando, ao se aventurarem em terras brasileiras para a "estruturada" Copa e Olimpíada. E "la nave va", como diria o surreal Fellini.

 

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo *

A FATURA CHEGA MAIS TARDE Dilma foi obrigada pelas circunstâncias a mexer nos ministros (todos indicados pelo seu antecessor) porque a corrupção era tão grande que não dava mais para fingir ignorar. Na época o sempre muito eficiente marqueteiro dos petistas aproveitou a ocasião e lançou a idéia de que Dilma estava fazendo uma faxina no Brasil, como se estes ministros não tivessem sido escolhidos por ela. Os brasileiros que não prestam atenção no que está acontecendo compraram esta imagem e os jornais ajudaram a propagar que a presidente era dura, exigente e honesta. Agora um dos ministros "faxinados" indicou outro para a pasta dos Transportes do mesmo partido, o PR, e como se nada houvesse acontecido Dilma aceita para poder obter mais tempo de propaganda eleitoral na TV. Ou seja, para ganhar a eleição em 2014 Dilma não tem dúvidas em compactuar com o partido que operou o ministério como se fosse seu e não dos brasileiros. E na posse o novo ministro, o ex-carlista Cesar Borges, elogiou a gestão anterior de Alfredo Nascimento como se nada tivesse acontecido e a presidente, antes tão dura e tão exigente, ouviu todo o discurso sem pestanejar e ainda classificou a união com o PR de muito importante. O que se vê é de virar o estômago de qualquer um. A presidente não tem nada de diferente dos outros e só está pensando nas próximas eleições deixando de governar o país como deveria. Está  abrindo uma parafernália de ministérios, departamentos e agências que só servem para serem cabides de empregos dos associados e nunca para dar eficiência ao País. Mas o futuro chega rápido e cobrará dos brasileiros esta fatura que será cara e amarga para todos. Sem exceção. E aqueles que pensam que estão sendo governados por alguém com a intenção de fazer o Brasil um país verdadeiramente com futuro não se dão conta do que realmente está acontecendo porque não tem acesso à informação ou porque estão iludidos pela verborragia do sempre presente Lula terão uma ingrata surpresa no futuro próximo.

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo *

SUJEIRA À MOSTRA Sujeira não é mais problema em Brasília, nada de varrê-la para debaixo do tapete, bom é deixá-la à mostra, afinal, a palavra de ordem dos petistas  era e deve continuar a ser "transparência". Portanto, de volta ao aconchego de ministérios estão ex-faxinados por corrupção. E Dilma não fica nem vermelha de vergonha...   Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo *

MALFEITORES De olho comprido na reeleição, em 2014, o governo Dilma, sem ruborizar, dá posse a vários malfeitores, há pouco afastados, após serem devidamente "faxinados". É como se diz por aí: lavou, tá novo! Isso é uma vergonha!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo *

REVOLUÇÃO OU GOLPE? Aécio Neves foi questionado por jornalistas pela "gafe" de usar a expressão revolução de 64 e não ditadura (5/4, A6). Aécio de fato errou, pois o que houve foi uma contra-revolução já que estava sendo armada uma revolução comunista, finalmente rechaçada pelas famílias na marcha "Com Deus, pela Liberdade"! A ditadura veio depois...   Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo *

AÉCIO, GOLPE E REVOLUÇÃO Nem revolução nem golpe: contrarrevolução.

 

Rubens Tarcisio da Luz Stelmachuk rtls@bol.com.br

Curitiba *

P.I.T.   No mês de março, tradicionalmente, a imprensa é pautada por notícias que remetem ao episódio histórico de 1964. Penso que nenhum outro acontecimento pretérito é tão abordado. Pesquise o quanto se noticiará sobre o 21 de abril, o 22 de abril, o 7 de setembro, o 15 e o 19 de novembro. Dedicar-se-ão os jornais, rádios, TV e portais ao assunto com tamanho empenho quanto o fazem em relação à revolução de 1964? No corrente ano, antecedendo os 50 anos, os quais coincidirão com a entrega do relatório da Comissão da Verdade em 2014, a pauta se exacerbou. Aparentemente instigado pela própria presidente da república, com declarações de quase todos os membros da citada comissão e as mais variadas manifestações, o assunto dominou o noticiário. E eis que surge então a velada proibição de qualquer manifestação favorável ao movimento. Parece até que as seções de cartas dos leitores passaram a obedecer a esta lógica. Depois de os militares serem aconselhados a não se reunirem formalmente, embora em Fortaleza, em Santa Maria, em Brasília, em Belo Horizonte e no Clube Militar no Rio de Janeiro tenha ocorrido algum tipo de manifestação, eis que agora, parece que os civis também estão sendo patrulhados. O secretário particular do governador do Estado de São Paulo vem recebendo, dia sim o outro também, críticas pelo fato de ter feito declarações de apoio ao movimento de 1964. Bastou o senador Aécio Neves usar a expressão revolução de 1964 para ser vigorosamente questionado e censurado.  Onde será que a nossa sociedade vai chegar? Leiam sobre a reunião da presidente da república com os representantes da Jornada de Lutas da Juventude e verifiquem a pauta de reivindicações apresentadas. Cuidado, você que constitui a maioria do povo brasileiro, democrata, conservador, amante dos direitos, mas também cumpridor dos deveres, sua liberdade está sujeita à P.I.T. É a patrulha ideológica totalitária: você só poderá se manifestar de acordo com a pauta que lhe impuserem!    Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro *

E NA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS... Confesso que estou bastante assustada com o rumo que a questão Marco Feliciano está tomando. Antes era um grupo de ativistas pedindo a saída do deputado, mas agora parece que resolveram estender suas "reivindicações". Poucos dias atrás, em frente ao teatro Juca Chaves, e, São Paulo, onde haveria a apresentação de um grupo de teatro da Igreja Renascer em Cristo, manifestantes e simpatizantes da causa GLTBS (se faltou uma letra me perdoem, pois já não sei mais o significado real desse grupo), de forma bastante agressiva, fizeram piquete na porta do teatro, tentando impedir a apresentação, gritando "Fora amigos de Marco Feliciano". Isso muito me preocupa, pois mostra uma declaração aberta de discriminação com os evangélicos. Temo que esses atos se tornem mais agressivos. Se eles reclamam tanto de discriminação, por que usam do mesmo método contra pessoas que apenas expressam seu ponto de vista, sua fé e crença? Querem viver pacificamente, exercendo seus direitos? Então deixem que as outras pessoas também tenham seus direitos garantidos. E o pior é saber que há tantos políticos pegando carona nessa onda, tentando (e conseguindo) desviar a atenção do povo para problemas muito mais sérios, como as constantes enchentes no Rio, a eterna corrupção no governo, os problemas com o transporte , a soja se perdendo no campo, a dengue sem controle, médicos matando, hospitais sem leito, o mensalão sem castigo, inflação sem controle, número crescente de pessoas morando na rua e tantas outras coisas, que ficaria dias aqui escrevendo. O que não adianta nada, mas serve para eu desabafar um pouco. Gente, vamos acordar para o que está acontecendo de verdade nessa questão. Eu pergunto a todos, alguém está preocupado com as mortes por bandidos, como a mãe que perdeu a vida em São Paulo por um celular e que sua filha nasceu com ela já morta? Ah, os criminosos foram julgados e condenados. E daí, por falta dos deputados e senadores "perderem seu precioso tempo" para mudar o código antiquíssimo penal, em 5 anos podem estar na rua. Menores matam, estupram e se escondem atrás de um código falho. Os jornais americanos destacaram na última semana, o caso do estupro da turista americana e constataram o que nós estamos fartos de saber, mas não admitimos: não há segurança no Rio para sediar uma Copa ou Olimpíada. Só queria avisar a eles que não há segurança no Brasil inteiro, nem para eles e nem para nós. Sem contar que o dinheiro que será gasto, desviado, doado, etc. nesta Copa é uma falta de vergonha. Quantas famílias seriam beneficiadas com moradia com esse valor? E a nossa polícia totalmente desequipada e despreparada? Não poderia receber parte desse dinheiro em equipamento e treinamento? E o País mobilizado e sensibilizado com a causa GLT (vou usar essa sigla, pois assim não corro o risco de errar, pois cada vez tem mais adeptos) x Marco Feliciano. Tenho vergonha de ser brasileira, de fazer parte de um povo que fecha os olhos para coisa sérias, verdadeiras causas humanitárias e se preocupa com opções sexuais. Será que as milhares de famílias que todos os dias perdem entes queridos para o tráfico, bandidismo, erros médicos, falta de assistência médica governamental, secas, chuvas, estão preocupados com isso? Será que os políticos não tem coisas mais importantes a fazer, invés de ficar "politicando", usando essa causa para garantirem futuros votos ou reivindicarem para si próprios cargos? Será que os grupos que se intitulam defensores dos direitos humanos, os artistas e todas as pessoas, direta ou indiretamente envolvidas nessa questão, estão realmente preocupadas com o direito do próximo? Será que foram visitar vítimas de criminosos? Estão dando assistência a milhares de famílias que estão morando na rua e muitos morrendo diariamente de frio, fome e doenças, por não ter ninguém por elas? Será que essas pessoas estão preocupadas com a seca no Nordeste, com a fome e a morte que essa situação está trazendo?   Tânia Maria Domingos Noronha virginia.noronha@icloud.com

São Paulo *

TOMA LÁ, DÁ CÁ Marta Suplicy declarou que Feliciano é tapa na cara dos direitos humanos. Calma, Marta. Não é bem assim. Tem coisas bem piores na atual política brasileira. Relaxe e goze que não é culpa dele estar na presidência dessa comissão. Quem o colocou lá foi o toma lá, dá cá desse governo do qual você é ministra.   Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro *

MADURO, O HOMOFÓBICO DA CAUSA No melhor estilo "Marta Suplicy" de fazer campanha, insinuando que Henrique Caprilles é  homossexual, Nicolas Maduro diz que o adversário, por esta razão, não pode ser presidente da Venezuela. Os abominados pastores da Comissão de Direitos Humanos da Câmara fizeram uma moção de repúdio a isso. Não se ouviu uma palavra ou se leu uma linha sequer de protesto a Maduro, de qualquer um dos "manifestantes" ou jornais que tanto barulho fazem contra Feliciano. Pelo jeito, a homofobia e permitida, sim, desde que vinda de algum companheiro.   Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis *

INDIGNAÇÃO Gostaria de ver toda essa indignação que está sendo mostrada no caso do deputado Marco Feliciano, ser mostrada em todos os outros absurdos cometidos pelos nossos políticos. Por que não houve essa movimentação toda no caso dos mensaleiros Genoíno, que assumiu uma das cadeiras no Congresso, e João Paulo Cunha, outro condenado, que faz parte da Comissão de Justiça? Por que não houve tentativa de invasão de sessões da Casa quando da posse de Renan Calheiros como presidente do Senado? Ou de Henrique Alves como presidente da Câmara? Tudo isso que está acontecendo é uma nuvem de fumaça para desviar a atenção das bobagens que essa quadrilha do PT, que tomou conta de Brasília, está fazendo. Partidos que foram "faxinados" dos ministérios estão voltando, a inflação está voltando com toda a força e Dona Dilma está percorrendo o País em flagrante campanha eleitoral, sem se importar com os assuntos importantes que ela tem que resolver. Espero que nas próximas eleições os brasileiros não se deixem comprar por bolsas-qualquer-coisa e se importem com o país, elegendo pessoas realmente com ficha limpa e comprometidos com o futuro do Brasil. Fora "cumpanheiros"!

 

Daniel Enrique dos Santos Júnior daniel@propsique.com.br

São Paulo *

CORTINA DE FUMAÇA Esta história que está prendendo o Brasil e toda a mídia, deputado Feliciano x deputado Jean Willis, serve para duas coisas terríveis: a primeira é dar uma visibilidade descomunal a dois deputados medíocres que de útil mesmo não fizeram grandes coisas; e a segunda, mais tenebrosa, esta cortina de fumaça sobre problemas realmente importantes e urgentes, como por exemplo: a inflação galopante e logística totalmente atrasada no Brasil. O Brasil hoje é um país grande, porém, não se movimenta, ou seja, virou um dinossauro gigante.   Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

Cotia *

A LINGUAGEM DOS PÁSSAROS Não é de surpreender, mas é de assustar, que Lula vá prestar apoio a Maduro na Venezuela, dando um depoimento contundente na TV venezuelana a quem, sem nenhum pudor, está ludibriando o povo daquele país com fantasias surreais que os remete à volta de Cristo na figura do falecido Chávez. É gente simples que, no seu desamparo, fica ávida pela figura de um novo santo que os proteja do sofrimento e que estará presente na pessoa do "discípulo dileto" que com Chávez se comunica através da linguagem dos pássaros  criando assim uma associação com a pomba branca, símbolo sagrado. Mal sabem eles que, se desamparadas se sentem, é porque estes governantes lhes negam tudo quando adotam uma política populista de tal forma perniciosa que os tornam domesticados, fanatizados mas sem nenhuma perspectiva de futuro, pois uma coisa é adotar políticas compensatórias com portas de saída e promotoras de desenvolvimento sustentável e real, outra coisa é criar dependência para manter-se no poder, gerando a falsa percepção de que o povo está sendo ajudado. O que concluir pois se Lula prestou seu apoio incondicional à continuidade dessa farsa demagógica e populista que 'faz o diabo' para se manter no poder a qualquer custo?

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo *

CHÁVEZ, O PASSARINHO Não, não e não! Não me venham os venezuelanos querer surrupiar a condição de Deus do nosso "todo poderoso e sempre presidente Lula.A presidenta já avisou o novo papa e ele calou, logo... O Deus mais antigo demorou 7 dias para fazer todo o mundo mas ele era três. O nosso Deus Lula levou 8 anos para fazer o Brasil mas teve que desmanchar a herança maldita, o que foi uma tarefa que só o dom divino poderia conseguir. Ele ainda tem que assoprar na orelha da presidenta o que deve ser feito para conduzir o Brasil ao seu glorioso destino. O Chávez pode piar quanto quiser mas Deus é brasileiro. É o nosso nunca por demais louvado, relicário de todas as virtudes, guardião de toda a sabedoria presidente Lula.   Affonso Maria Lima Morel affonso.m.morel@hotmail.com

São Paulo *

O PASSARINHO

 

O pequeno pássaro que aparece nos sonhos de Maduro é um filhote do pássaro Dodô, aquele que foi extinto...

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco *

NEM LOUCOS NEM IRRESPONSÁVEIS O que a Coreia do Norte quer, e pouco se fala nisso, é ter o direito de poder se defender com armas nucleares, como outras nações têm. E a solução para isso é uma só: a proibição para todos, incondicionalmente, de fabricar e de possuir armamento nuclear.   Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo *

OS ZUMBIS NORTE-COREANOS

 

O que mais assusta nessa comédia (pré-tragédia?) norte-coreana é ver imagens de uma multidão de zumbis batendo palmas em uníssono até para  "puns" soltos por esse tosco projeto de homem. Lembra os alemães aplaudindo Hitler em sua loucura.

 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça *

PESQUISAS NUCLEARES Repelimos as críticas de europeus e americanos ao Brasil por dificultar sanções contra o Irã e a Coreia do Norte, países com quem mantemos relações diplomáticas, até porque já passou a época em que nossa política externa era ditada por Washington. O Irã e a Coreia têm todo o direito, como EUA ou Brasil, de realizar pesquisas nucleares, valendo lembrar que não foram os persas ou coreanos que lançaram bombas atômicas sobre a população civil de Hiroshima e Nagasaki. 

 

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo *

NO FUNDO, NO FUNDO Gostaria de saber qual é a cachaça que o ditador norte-coreano está bebendo? Porque, na verdade, no âmago, o que ele quer mesmo é ter um grande relacionamento amigável e pacífico com os americanos.

 

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi *

COMPANHEIRO O que Lula está esperando para manifestar seu apoio ao companheiro Kim Jong-un?   Wallace Andrade wallace12000@yahoo.com.br

Mairiporã *

EDUCAÇÃO DE QUALIDADE O discurso "uma educação de qualidade" está na ponta da língua de todo parlamentar, governante e  secretários de educação do país inteiro. Mas por que será que essa tão falada transformação não acontece na escola pública? Qualquer cidadão tem a resposta: violência nas escolas, baixa remuneração, falta de capacitação, ausência da família para acompanhar o aluno, falta de professores nas diferentes disciplinas etc. Com esse cenário que se anuncia quem de verdade quer ser professor? Como pode um sujeito sobreviver ganhando R$ 9,00 a hora aula? Qualquer pedreiro, encanador, eletricista não executa um trabalho se não lhe pagarem R$100,00 a hora. Onde será que erramos? Por que o professor é tão desvalorizado na escola pública, quando se sabe que muitos deles trabalham em escolas privadas, porém lá, eles são bem recompensados pelo trabalho que desempenham. A nossa Educação vai de mal a pior. Vimos em diversos governos que o dinheiro destinado à capacitação dos professores serve para engordar a conta bancaria de muitos secretários e funcionários que não estão minimamente preocupados com a vida escolar dos  alunos mais necessitados. Muitos cidadãos chegam à escola pública por falta de opção, pois o idealista busca lugares onde ele sabe que terá retorno financeiro, condições de trabalho e reconhecimento.  Embora seja  um dever do Estado educar seu povo, muitas famílias vêm sacrificando seus orçamentos pagando educação para seus filhos, pois já perceberam que o atraso vem se acumulando a cada ano. Um exemplo recente desse descompasso foi o evento que aconteceu no Hotel Maksoud Plaza em São Paulo, com acesso restrito de convidados. Ideias inovadoras de especialistas do Brasil e do exterior para mudar o ensino e a aprendizagem foram apresentadas. O Transformar 2013 discutiu os resultados de experiências reais com essas novas maneiras de conectar alunos, professores, escolas e conteúdos. E aqui cabe a pergunta: onde estavam os maiores interessados nesse evento?  É muito fácil entender o atraso da educação no Brasil, os governantes estão de costas para a população, para os professores e para as crianças. Por mais que se faça discursos e se prometa melhorar a educação, não nos enganemos, Educação se faz com pessoas envolvidas no processo e que acreditam na transformação do ser humano através do ensino-aprendizagem. O mundo mudou, a internet tornou o mundo pequeno, lá na sala de aula está o velho professor passando lição na lousa e os alunos copiando. Melhorar como e quando? O dia em que a população despertar para a importante tarefa que é a Educação vai exigir dos governos seu direito maior aprender. E quem aprende vota melhor. Já dizia Paulo Freire: "Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda. Acorda, Brasil!   Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo *

TRISTE REALIDADE   Como se fosse pouco lidar com a violência e a indisciplina na sala de aula, alunos revoltados e que demonstram que só estão na escola porque o governo os obriga. Quando você entra em uma sala de aula e pensa "este é o futuro do Brasil", não há como conter as lágrimas. Adolescentes pobres e que simplesmente acham que não precisam estudar, só precisam de funk e curtição não estão preocupados com seu futuro e professores , que dedicaram a vida toda à educação e chegaram a um ponto de simplesmente entrar na sala de aula, encher a lousa de lição para acalmar os alunos e desistirem de explicar o conteúdo porque não têm mais ânimo para pedir silêncio e atenção a cada 5 minutos. E eu me pergunto: Esse é o país que está em crescimento econômico? Crescimento econômico para quem? Para os ricos, para aqueles que têm condições de colocarem seus filhos em escolas particulares e pagarem cursos para ele ocuparem bons cargos nas empresas. É maravilhoso ter uma vocação e trabalhar fazendo o que você gosta, mas imagina quando você tem que abrir mão disso, porque o que você gosta não te dá condições de viver dignamente e você não sabe mais o que fazer, como buscar outra profissão e abandonar sua carreira. Esse é um dilema vivido por muitos professores hoje em dia.   Antônio Dias Neme antonio.neme@superig.com.br

São Paulo *

FALTA DOS PROFESSORES

 

De 230 mil professores no Estado de São Paulo, cada um faltou 21 dias de licença saúde, mais 6 faltas abonadas por lei. Se do programa escolar conseguem cumprir apenas 60% (contra 90% dos EUA), está explicado o porque das notas mil nos exames do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), não obstante "nóis vai, nóis fica". Meritocracia: só poderia usufruir de tais faltas quem estivesse cumprindo seu programa de ensino à risca, com bom desempenho de seus alunos. Simples assim, não?

 

Sebastião C. Pereira jardins@oadministrador.com.br

São Paulo *

AS EXCEÇÕES   Senti-me ofendida com a matéria do dia 4/4, páginas A17 e A18. A análise é equivocada e injusta para com os professores que não fazem parte deste universo de faltas. Trabalho há 19 anos na mesma escola, aqui na Zona Sul de São Paulo e no ano de 2012 eu abonei apenas 1 vez. Nunca tirei licença médica, pois graças a Deus nunca fico doente. As únicas licenças que tirei nestes 19 anos foi a licença maternidade e licença prêmio aos quais tenho direito por lei. Tenho a sorte de trabalhar próximo de casa e a escola ser organizada e não ocorrer violências contra o professor por parte de pais e alunos. Mas sei que existe muita violência para com os professores e muitos deles trabalham em três escolas e muito longe de casa. Isso dificulta muito e acredito que muitos ficam realmente doentes e tristes. Vocês deveriam visitar as escolas, principalmente de periferia e mostrar a vida desses professores e gestores. É muito ruim trabalhar assim, mas mesmo assim me senti ofendida por não faço parte desse universo de 27 faltas por ano. Quando eu começar a ficar doente por causa de alunos, escola, salários, encerro minha carreira e vou procurar outra coisa para fazer!   Mônica Pratali monibiel5@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.