Fórum dos Leitores

Atualizado às 6h46.

O Estado de S.Paulo

15 Abril 2013 | 02h12

IMPROBIDADE

Emenda Cassol

É isso que dá pôr raposa para tomar conta de galinheiro. Enquanto esse bando de corruptos não cair fora, não podemos esperar que a política deste país melhore.

HAMILTON PENALVA
hpenalva@uol.com.br
São Paulo

*
Distinção política

Parafraseando George Orwell, os políticos são todos iguais, mas uns são mais safados que outros.

CARLOS RENATO NAPOLEONE
crnapoleone_50@itelefonica.com
Agudos 

*
Vergonha e indignação

Há quem diga estar com vergonha do Brasil e outros, com vergonha do Congresso Nacional. Eu estou é indignado com esse monte de partidos políticos sem nenhuma utilidade para a Nação e com a ganância pelo poder e por dinheiro. Estou indignado com a invasão de falsos religiosos na política e nos meios de comunicação (concessões). Estou indignado com a enormidade da corrupção. Estou indignado com a nossa leniência diante de tanta coisa errada. Eu estou indignado com a nossa burrice na hora de votar.

SÉRGIO BARBOSA
sergiobarbosa@megasinal.com.br
Batatais

*
GOVERNO DILMA

Conta de luz

A mídia anunciou o aumento do preço da energia elétrica já a partir deste mês. Lembro-me de que pouco tempo atrás dona Dilma Rousseff determinou uma redução da conta "em benefício do povo", comprando briga com concessionárias de São Paulo e Minas que se recusaram a fazê-lo por falta de margens. Então, estes tinham razão? Era só marketing?

MÁRIO ALVES SOUZA
maroca64@bol.com.br
Salvador

*
Crendice

Alguém aí acreditou mesmo na redução real dos valores das contas de luz pelo governo Dilma?

RICARDO GUERRINI
ricguerrini@hotmail.com
São Paulo

*
Engane-se quem quiser

As tarifas de energia elétrica ficaram mais caras, pois após o anúncio da redução vieram os reajustes com base nos contratos. E também os alimentos, mesmo com a desoneração da cesta básica. Deram com uma mão e tiraram com a outra. Acredite quem quiser nesse governo de mentirinha do PT.

PANAYOTIS POULIS
ppoulis46@gmail.com
Rio de Janeiro

*
Inflação descontrolada

Ainda nem sequer havíamos percebido os efeitos da redução da conta de luz, tão demagogicamente anunciada pela presidente, e a Aneel já autorizou aumentos no preço da energia, anulando completamente as promessas da campanha de reeleição. A desoneração da cesta básica também não passou de falácia, pois não chegou ao consumidor ou foi anulada pelos índices crescentes da inflação, que dá mostras de descontrole. Na entrada de supermercados encontramos placas dizendo que o estabelecimento está praticando a política do governo, mas, na verdade, a prática é outra: os preços estão bem acima dos verificados no mês anterior. Em minha opinião, o País está sendo mal administrado, pessoas sem noção administrativa encontram-se à frente de ministérios importantíssimos. Pela falta de coerência e comando do governo, desse jeito o Brasil será levado à bancarrota.

JOSÉ MENDES
josemendesca@ig.com.br
Votorantim

*
Cesta básica

Apesar de todas as medidas tomadas pelo governo para desonerar a cesta básica, pesquisa do Dieese mostrou que ela subiu, ao invés de descer, em 18 capitais neste primeiro trimestre do ano. Em Salvador o aumento foi de inacreditáveis 23,75%! O que mais está faltando para o governo demitir por incompetência o ministro Guido Mantega, da Fazenda?

RONALDO GOMES FERRAZ
ronferraz@globo.com
Rio de Janeiro

*
O vilão da vez

Apesar da desoneração, o preço da cesta básica subiu - em São Paulo já custa R$ 336,26. E quem mais sofre as consequências são as famílias pobres, que gastam 32% do orçamento em comida. Além dos itens essenciais, como arroz, feijão, batata, ricos em carboidratos, e carne, fonte de proteínas, os preços de verduras, frutas e legumes, cujas propriedades são essenciais para uma alimentação equilibrada e saudável, estão proibitivos. Como exigir das crianças que se habituem, de acordo com o recomendado por dez entre dez nutricionistas, a comer esses frutos da terra, se o poder aquisitivo da população está cada vez mais corroído? Ah, mas o vilão da vez é o tomate... Não é coisíssima nenhuma! Quem frequenta supermercados observa a majoração de todos os produtos quase que diariamente. A prova cabal é o IPCA de março, que atingiu 6,59% no acumulado de 12 meses, superando a meta do governo, de 6,5%. E a presidente Dilma continua com a política populista, já cansativa, do desonera aqui, desonera ali, prorroga as reduções do IPI para automóveis e eletrodomésticos, como se bens duráveis enchessem a barriga do pobre.

SÉRGIO DAFRÉ
sergio_dafre@hotmail.com
Jundiaí

*
Nova bolsa

Dilma Rousseff deveria aproveitar o momento para se promover cada vez mais perante a população miserável do País, instituindo a bolsa-tomate, né não?

ANGELO TONELLI
angelotonelli@yahoo.com.br
São Paulo

*
Carestia

O preço do tomate revela que a economia do Brasil virou um grande abacaxi...

ROBERTO TWIASCHOR
rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
Preço do tomate

Há uns sete meses fui ao sítio de uns amigos que vendem seus produtos na Ceagesp e notei que os tomates haviam sumido da plantação. "Você está perdendo dinheiro, viu o preço do tomate?", perguntei. E ouvi esta resposta: "O governo importou da Índia sementes contaminadas, e isso se estendeu aos legumes. Aí dizem que foi falta de chuvas no período...". É demais! Até quando, tanta mentira e incompetência?

MARIA JOSÉ DA FONSECA
fonsecamj@ig.com.br
São Paulo

*
Populismo irresponsável

Se continuarmos com essa política econômica, uma mistura de Venezuela (populismo) e Argentina (irresponsabilidade), quando finalmente chegaremos aos padrões de Cuba, onde, como pude comprovar pessoalmente, há falta de sabonete e papel higiênico?

ELY WEINSTEIN
elyw@terra.com.br
São Paulo

*
JOGANDO DINHEIRO FORA

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), parece ter perdido completamente o bom senso e o respeito pelos paulistanos. Enquanto publica no “Diário Oficial” do Município pedido de doação de cadeiras, telefones, lixeiras, impressoras, micro-ondas, notebooks, televisores e ventiladores, equipamentos que não precisam ser novos, mas em bom estado, para a Secretaria Municipal de Transportes e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que estariam com seus equipamentos sucateados, ele gasta inutilmente verba de publicidade nos horários nobres das emissoras de televisão e de rádio para propagar a doação de um terreno municipal de 68 mil metros quadrados em Pirituba para o Instituto Federal de Educação e Tecnologia. É o tipo de gasto desnecessário e inútil. Enquanto o terreno que era da Prefeitura é doado ao governo federal, o prefeito gasta vultosa verba de propaganda para anunciar o seu feito. Ao mesmo tempo, está à procura de terrenos no mesmo bairro para construir creches e unidades de educação, que por certo a Prefeitura terá de comprar, pois são poucos os terrenos municipais disponíveis na região de Pirituba. O único que comportaria o campus do Instituto Federal de Educação e Tecnologia e outros equipamentos educacionais e culturais doou totalmente ao Ministério da Educação, por certo para agradar aos seus amigos de partido e ficar bem na foto com a presidente Dilma. Se fosse mais racional, tivesse melhor noção de gestão pública e zelasse de fato pelo dinheiro dos munícipes, o prefeito não cometeria esses desatinos: passa o pires de um lado, uma verdadeira humilhação para os paulistanos e gasta descontroladamente com publicidade para anunciar uma discutível doação. Está na hora de o prefeito Haddad descer do palanque, se é, ao julgar pelos seus atos, que não continua em campanha de olho em 2016. E o que é pior, à nossa custa!
 
Celia Morau celiamorau@bol.com.br 
São Paulo

*
A ESMOLA OFICIAL

Se não for uma “gozação”, é no mínimo acintosa a Prefeitura de São Paulo publicar em seu “Diário Oficial” pedidos de doações. Para onde irão os avultados impostos e taxas que pagamos já no início do ano? É no mínimo vergonhoso para um prefeito da maior cidade do País sair pedindo esmolas oficiais. Seria uma nova forma de governar dos petistas? Só nos faltava mais essa!

Leila E. Leitão
São Paulo

*
CATA-TRECO DO PT

O hoje prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que prometeu o impossível em sua campanha eleitoral, agora inova e pede doações para a população. Ou seja, se você tiver jogado na sua casa, “trecos” sem mais uso, como por exemplo: telefones, impressoras, micro-ondas, notebooks, TVs, ventiladores, etc., o prefeito Fernando Haddad, de bom grado aceitará. Não é piada de 1º de abril, não! Está publicado no “Diário Oficial” do Município de 29 de março de 2013, e listados 96 itens, e 11 mil produtos, que podem ser destinados principalmente à Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). É o fim da picada! Uma desmoralização total para a nossa Capital. Este anúncio publicado no “Diário Oficial”, na verdade, marca melancolicamente os 100 primeiros dias do governo municipal petista, que para estar na mídia faz qualquer negócio. Mesmo que indigne a população!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
E A ARRECADAÇÃO?

É simplesmente vergonhoso, para um cidadão, tomar conhecimento que a prefeitura da Capital, para manter a estrutura administrativa-operacional do CET e da SPTrans em funcionamento, precisa de doações, conforme constou do “Diário Oficial” do Município.  O orçamento da Capital é o 3.º maior do País. Logo se deduz que a receita arrecadada com a cobrança das famigeradas multas de trânsito, também, deve ser uma das maiores do Brasil. Essa arrecadação milionária pode ser empregada na engenharia de trânsito e tráfego da cidade, segundo o disposto no artigo 320 do Código de Trânsito Brasileiro.

Aloisio Pedro Novelli celnovelli@terra.com.br 
Marília

*
DE CABEÇA PARA BAIXO

Eu pensei que já tinha visto de tudo neste nosso Brasil, mas desta vez o ridículo foi ultrapassado. Será que alguns políticos perderam definitivamente a postura que o cargo requer? O secretário Tatto teve o desplante de publicar no “Diário Oficial” do Município o pedido para que a população faça doações de mobiliário e equipamentos usados para atender às necessidades da CET, a fim de que os funcionários possam trabalhar adequadamente e os usuários tenham onde se acomodar para atendimento e serviços. Aonde esse pessoal do PT quer chegar? Será que não ha uma liderança nesse partido que possa frear o ímpeto alucinado desses pretensos ideólogos de administração participativa? E o prefeito, que não soube nem explicar o ato tresloucado do seu secretário? Será que tudo está mesmo de cabeça para baixo/perdido?
  
Adib Hanna adib.hanna@bol.com.br 
São Paulo

*
VILÃO

O famigerado tomate está fazendo história. As manchetes dos grandes jornais dão conta de que a alta dos alimentos derruba vendas de supermercados. Alguém tem alguma dúvida quanto a isso? Não tenho, e não é de hoje!
 
José Marques seuqram.esoj@bol.com.br 
São Paulo

*
ATÉ OS TOMATES

Ninguém segura o preço dos tomates, que tiveram um aumento de 220%, a dona Dilma e o “seu” Mantega sabem? Os assaltantes de caixas eletrônicos passaram a assaltar caixas de tomates, onde vamos parar? Mas a inflação do atual (des) governo chega a 6,59%, dá pra acreditar? Que tal abrir uma linha de crédito para compra de tomates, pode gerar votos e “voto é o que intere$$a, o resto não tem pre$$a”.

Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br 
São Paulo

*
A ECONOMIA DA MAROLINHA E DO TSUNAMI

A inflação dos últimos 12 meses superou aos 6,5% previstos pelo governo. O comércio varejista sofreu sua primeira queda de vendas em 10 anos. A inflação dos alimentos foi de 13,9% e os combustíveis subiram 3,6% em fevereiro. Os veículos e os eletrodomésticos, mesmo com desoneração fiscal, venderam menos. A redução do preço da eletricidade, festejada pelas autoridades nos últimos meses, já se anula pelos reajustes tarifários. O caminho da desoneração fiscal e indução do mercado, encontrado para enfrentar a crise de 2008 que, na fala oficial, aqui chegaria apenas como “marolinha”, é discutível. A renúncia fiscal somada à facilitação do crédito tornou atrativos os preços dos veículos e eletrodomésticos, levou muitos brasileiros a adquiri-los sem deles necessitar e, muitas vezes, sem reunir condições para saldar a dívida contraída. Quando usado por tempo limitado, para manter a atividade produtiva durante a tormenta, o recurso pode dar certo. Mas, quando se pereniza, constitui-se num grande risco. O grande destinatário do enfrentamento à crise é a atividade econômico-produtiva. O consumidor é apenas o destino da ação e, cada dia mais endividado, perde o poder de novas compras. É nesse ponto que, se os formuladores da política econômica não encontrarem outras alternativas – e parece não terem encontrado, pois as desonerações fiscais vão se prorrogando – aquilo que se tratou como marolinha poderá revelar-se no temeroso “tsunami”, que já varreu os EUA, Japão e outros centros econômicos importantes do planeta. Precisamos de um efetivo combate aos efeitos da crise econômica internacional. E não podemos negligenciar com a inflação. Toda a política econômica das últimas duas décadas foi calcada na estabilidade dos preços. Se os preços voltarem a caminhar em galope, todo o esforço terá sido em vão e o futuro incerto. Acautelem-se senhoras e senhores do poder...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
A SEMANA DE TOMBINI

“Não há nem haverá tolerância com a inflação”, afirma Alexandre Tombini, presidente do Banco Central (BC). Quero vê-lo falando grosso assim com a presidente Dilma, que afirmou preferir inflação a estagnação da economia, como se uma coisa não interferisse na outra. Para quem tem se mostrado bem subserviente, Tombini mesmo sendo presidente do Banco Central que “a priori” deveria ser independente, será que resolveu alçar voo solo? A conferir...

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
SELIC

Subir os juros da Selic? Só se for “tanto” a ponto de inibir o consumo à inflação cair. Se não, é propaganda enganosa. Ao que tudo indica, um aumento de 25 ou 50 pontos interessa mesmo àqueles que fazem arbitragem, ou seja, os bancos, pegando dinheiro lá fora a 2% e aplicando aqui, digamos a 7,25%. 
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*
‘O GOVERNO NEM AÍ...’

Quando crianças, brincávamos com essa cantiga: “A Selic vai subir... / olê, olê olic! / E o juro vai subir / olê, olê olê! / E o governo nem aí... / Olê meus cavaleiros!”.
 
Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com 
São Caetano do Sul

*
PACOTÃO BRASIL

Na desesperada tentativa de conter a ressuscitada inflação de triste memória, o governo resolveu “empacotar” o País com o anúncio semanal de um “pacotão de intenções” em vários setores da economia. As labaredas da carestia espalham-se por todos os lados enquanto o governo corre com baldes para tentar conter e apagar as línguas do fogo incontrolável. De boas “intenções” o inferno está cheio. Enquanto não forem atacadas as causas principais do custo Brasil, não as consequências, todo esforço será em vão. Reformas,já!
 
J. S. Decol  decoljs@globo.com 
São Paulo

*
A DESTRUIÇÃO DO REAL

A inflação está ai! Já é uma realidade! Remarcações já postas em pratica nos supermercados denotam o fracasso do governo e os medíocres da Fazenda neste combate, agora estamos apenas esperando o gatilho salarial para completar o quadro da destruição do real, esta gente não merece o lugar que ocupam, a sociedade tem de tomar alguma providência.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br 
Votorantim

*
CÁLCULO

Os institutos de pesquisas não deveriam levar em conta, como cálculo da inflação, produtos alimentícios que podem facilmente ser substituídos por outros. O tomate, por exemplo, produto que nem todos apreciam e que teve um aumento de mais de 200%, não deveria entrar para esse cálculo, uma vez que vai ser somado ao computo geral do índice inflacionário, o qual servirá de base para outros reajustes mais prejudiciais ao bolso do brasileiro. 

Cláudio de Melo Silva melo_riodoce@hotmail.com 
Olinda (PE)

*
INFLAÇÃO FAJUTA

O ministro Guido Mantega já passou a “bola” para o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para reforçar a “fantasia” em afirmar “que não há e não haverá tolerância com a inflação” nos convençam. O que reforça e confirma a desconfiança dos números informados que não condizem com a realidade. A inflação represada por longo tempo pode “estourar” e trazer consequências sérias exatamente nas proximidades da eleição de 2014, daí a reeleição da presidente pode ir mais rapidamente para a “cucuia”. Até quando seremos enganados e ludibriados pela maquiagem dos números da inflação? Os maiores penalizados são os mais humildes brasileiros, com o mesmo valor em mãos, a cada semana não compram os mesmos produtos, “aritmética” mesmo sem estudo, sabem fazer... Ninguém acredita mais, já falam em inflação fajuta e com muita propriedade.
 
Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*
SAL GROSSO NELA

Dilma está precisando de um banho de sal grosso, pois parece que o universo está conspirando contra si. Em janeiro de 2013 ela afirmou em alto e bom som em rede nacional: “A partir de agora, a conta de luz das famílias brasileiras vai ficar 18% mais barata”. Em março de 2013, aproveitando a comemoração do Dia Internacional da Mulher, Dilma destacou que o governo federal retirou todos os impostos dos produtos da cesta básica. Resultados práticos? Nenhum. A economia na conta de luz foi corroída pelas revisões tarifárias de várias distribuidoras de energia elétrica que simplesmente não podem trabalhar no vermelho. A desculpa de que problemas climáticos interferiram nos resultados não deveriam valer, já que não valeram na época de FHC que amargou reservatórios baixíssimos, mas mesmo assim foi execrado pelos petistas. Quanto à cesta básica, vamos à realidade? Não é somente os preços dos produtos da cesta básica que foram às alturas, foram todos os preços dos alimentos, e o povão está começando a sentir que os tempos das vacas magras chegou para todos, mas que judia muito mais das pessoas que pertencem às classes de menor poder aquisitivo, justamente aquela que está afundada em dívidas. Mantega, na TV, tem um olhar meio ausente quando afirma, com voz monocórdica, que a inflação está sob controle. Se o caso não fosse tão grave, diria que Mantega virou uma pandega...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com
São Paulo

*
PROBLEMAS DO BRASIL REAL

São péssimas as notícias dos jornais para a imagem da “presidenta”: juras do Lobão de que não há risco de apagão, o que indica, isso sim, grande possibilidade de racionamento de energia; cesta básica desonerada e preços em disparada, indicando inflação sem controle; refazem-se as contas e tudo aponta para outro “pibinho” em 2013; no desespero, Dilma convoca Delfim, o mago do milagre econômico e Peluzzo, conselheiro do Sarney, para resolver os problemas que os economistas petistas não resolveram, antes agravaram. João Santana terá trabalho dobrado, pois a cantilena do Comissão da Verdade não ganha a mídia nem substitui os problemas do Brasil real e atual.

Paulo Mello Santos policarpo681@yahoo.com.br 
Salvador

*
O GOVERNO E A GRANDE MENTIRA
 
Resta provado que o PT e os governos Lula e Dilma foram e são uma grande mentira, iludindo o povo com falsas benesses e dando pão e circo, criado uma cortina de fumaça para esconder a grande corrupção que grassa este país. Na verdade nenhum “benefício” é concedido sem que haja a contrapartida favorecendo estatais, apadrinhados e grandes empresários e, consequentemente tirando do bolso do povo, indiretamente, o falso auxílio dado. Verifica-se que a redução média de 20% das contas de energia elétrica foi absorvido com o oculto aumento da tarifa, como é o caso das tarifas de alta tensão da CPFL, que caíram apenas 0,9% das praticadas antes da redução da conta. Da mesma forma, embora Lula tenha dito em suas campanhas (e isso está gravado em vídeo) que iria melhorar a vida dos aposentados, verdade é que seus adeptos de partido estão instruídos pelo próprio governo para apresentar recursos contra a desaposentação e barrar aumentos dos salários dos aposentados. Não bastasse, vemos o dinheiro do povo vazar pelos ladrões, em evidente furto ao bolso dos brasileiros, nas obras iniciadas e não terminadas e nas grandes reformas (?) daquilo que foi mal feito em seu próprio governo. Verifica-se ainda que, desde 2011 esse governo fez doação a 35 países, através do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas de mais de 300 mil toneladas de alimentos e que suas contribuições aumentaram de US$ 1 milhão em 2007 para mais de US$ 82 milhões durante 2012, sendo que no final do ano foram doadas 25 mil toneladas de arroz para Cuba. Enquanto o povo brasileiro morre de fome o Brasil doa alimentos para os “companheiros”. Se verificarmos os índices de criminalidade percebe-se que tiveram aumento alarmante.  Em vez de proteger, o governo desarmou a população e deixou-a a mercê dos bandidos. Na área a saúde as Santas Casas estão à beira da falência, recebendo em torno de R$ 1,00 por uma radiografia (isso quando faz) e o povo morre nos corredores dos hospitais. Então, esse é o governo que eles pregavam e que alegaram ter morrido por ele, percebendo pensões e outros benefícios, mudando a ideologia quando assumiram o poder. Deturpou-se os costumes, a moral, a honestidade, o respeito, a segurança, o direito a vida. Ate onde seremos levados?
 
Claudio Mazetto cmazetto@ig.com.br 
Salto

*
ENERGIA ELÉTRICA – ELETROMÁGICA

Só mesmo uma presidenta supergerenta para conseguir desoneração sem desconto...
 
A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
POVO FELIZ

Leio em jornal de circulação nacional que a energia terá aumento. Coisa de dois meses atrás o governo anunciou uma redução de tarifas e acusou o governo de São Paulo e de Minas de politizarem a questão, pois alegaram que as contas não iam fechar. Parece-me uma conta de soma zero: dá um desconto ali, seguido de um aumento aqui e assim, fica tudo como está. E o povo enganado, como fica? Parece-me que feliz!

Roberto Viana rovisa681@gmail.com 
Salvador

*
PEC PRÓ-BANDIDO

Atenção, eleitor, se a sua segurança está ruim, ela pode piorar se a malfadada Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37 passar na Câmara dos Deputados. Se aprovada, a emenda retirará do Ministério Público (MP) o poder de conduzir as investigações criminais, permitindo a impunidade de políticos, banqueiros, grande imprensa, PT e aliados. O autor dessa excrescência é o deputado do baixo clero, Lourival Mendes. A relatoria coube ao deputado Arnaldo Faria de Sá, um parlamentar que deveria ter preocupação com seu nome. Faria de Sá sempre teve o voto dos aposentados e por isso foi eleito várias vezes. É verdade que o Congresso está de costas para a sociedade, mas convenhamos essa situação é vergonhosa. O Brasil, país da impunidade, segue dando regalias aos bandidos enquanto a sociedade se tranca dentro de casa. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
CHEGA DE CARAS DE PAU

No momento em que todo o País se revolta contra os incontáveis casos de corrupção e que se comemoram os resultados do maior julgamento ocorrido no País, o mensalão, diversos parlamentares agitam-se para tentar salvar suas “cabeças” e “escapar”. Depois da iniciativa do deputado Lourival Mendes em aprovar a PEC 37 que alija os promotores de investigações sobre políticos para o que tem apoio de Arnaldo Faria de Sá e Ricardo Izar, todos suspeitos em processos ou investigações, surge agora o Senador Ivo Cassol, do PP, também investigado, pretendendo modificar a Lei de Improbidade Administrativa.  Alega que suas vidas são muito “investigadas”. Ainda assim, multiplicam-se os roubos ao erário!  Na medida em que a sociedade preocupa-se e busca meios de reduzir o elevadíssimo grau de corrupção que graça entre os nossos governos e políticos, estes buscam novas defesas. É preciso que o cidadão não relaxe, continue ativo exigindo ética na política. Precisamos melhorar nossos quadros nesse setor. Continuemos a luta, com maior energia.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*
ABERRAÇÕES

Existem dois projetos de lei em tramitação no Congresso extremamente danosos à sociedade, o que vai aumentar a facilidade dos maus políticos em desviarem dinheiro público. O primeiro é a PEC 37, que retira de procuradores e promotores a possibilidade de investigar crimes, o que só ocorre na Indonésia e em dois países africanos (lá só a polícia pode investigar); e o segundo é o projeto do senador Cassol, que propõe mudanças absurdas na Lei de Improbidade Administrativa. A sociedade e órgãos de defesa da mesma devem se mobilizar entrando em contato com parlamentares para evitar a aprovação destas duas aberrações jurídicas, que facilitando o desvio de dinheiro público e piorarão ainda mais a saúde, educação e segurança públicas.
 
Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br 
São Paulo

*
PEC 37

Há que se discordar do editorial do “Estado” de 11/4 “O mutirão do Ministério Público”, quando este conclui que há risco no equilíbrio entre os Poderes com um Ministério Público superdimensionado. Se é superdimensionado ou não, o fato é que as polícias, principalmente as civis, é que são atrofiadas e disfuncionais, com índices vergonhosos de resolutividade de crimes e a corrupção, hipertrofiada no nosso meio. Além do mais, a polícia tem seus comandantes nomeados pelo Executivo, o que já caracteriza um importante viés político. A defesa da democracia e da sociedade, principalmente com ações anticorrupção, só se enfraquecerá sem a parceria efetiva do Ministério Público.

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br 
Marília

*
JOSÉ DIRCEU X LUIZ FUX

As declarações do ex-ministro José Dirceu em relação aos procedimentos do atual ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux quando pleiteava a indicação para o cargo que ocupa atualmente tem toda a característica de um desabafo emocional. E verdadeiras ou não, a questão maior é outra, ou seja, o momento em que são tornadas públicas. E por certo, criam um clima de descrédito tanto em relação aos procedimentos de ocupantes de cargos de um Poder Executivo como tem respingos também em relação aos integrantes do  órgão maior do Judiciário. O que é muito preocupante, sem dúvida alguma.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos 

*
MUITO INTELIGENTES

Lê-se nas redes sociais alguns petistas ensandecidos pedindo o afastamento do ministro Luiz Fux, devido às “denúncias” de José Dirceu. Em primeiro lugar, invertem, como sempre, a lógica dos fatos. Luiz Fux, que – segundo o réu condenado – “prometeu e não entregou”, apegando-se às leis e condenando José Dirceu, mereceria punição por ter agido corretamente. Absurdo! Em segundo lugar, se o que Dirceu diz fosse verdade, os ministros Ricardo Lewandowski, Rosa Weber e Toffoli estariam automaticamente sob forte suspeita e, eles sim, deveriam ser afastados. Afinal, também foram nomeados por Dilma, absolveram o réu e não sabemos se prometeram isto a Dirceu em troca da sua indicação. Finalmente, a presidente Dilma Rousseff teria muito a explicar, pois teria concedido a um já então réu de processo por corrupção a prerrogativa de receber e entrevistar candidatos à juiz do Supremo Tribunal Federal. Dilma teria prevaricado gravemente, atuando em favor de uma quadrilha, podendo e devendo ser afastada do seu cargo imediatamente. Se escolherem levar as palavras de José Dirceu em consideração, não há como evitar estes desdobramentos lógicos. Mais que a Fux, os petistas atingiriam mortalmente a reputação de Dilma e inviabilizariam a sua permanência na Presidência da República.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com
Florianópolis

*
ÉTICA E MORAL FAZEM A DIFERENÇA

O sub-chefe de quadrilha (o chefe tem outro nome), José Dirceu, condenado pela suprema corte do País, está usando de todos os meios possíveis e imaginários para tentar desmoralizar o Supremo Tribunal Federal (STF). Concedeu uma entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” em que acusa o ministro Luiz Fux de assédio moral na tentativa de obter apoio, durante seis meses, para a indicação de uma vaga no STF. Os 11 ministros que compõem a corte são indicados pelo presidente da República, que envia seus nomes ao Senado para, em um seção circense, que invariavelmente resulta na aprovação do indicado. Ora esse modelo foi copiado dos Estados Unidos. Acontece que lá o Executivo e o Congresso são formados por homens sérios e patriotas, muito diferentes dos fichas-sujas que invadiram o Congresso tupiniquim. Aqui os Três Poderes se associaram contra a sociedade e contra a nossa democracia, que há muito deixou de ser representativa. Aqui tudo se compra: de voto de analfabetos através do bolsa-família, passando por parlamentares através do mensalão, e ainda com a criação de ministérios para abrigar bandidos oriundos do Congresso ou indicados pelo mesmo, garantindo assim apoio para as imorais medidas provisórias do Executivo, e votar na calada da noite as ridículas Propostas de Emenda Constitucional. 
 
Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 
São Paulo

*
OPINIÃO

O nosso ministro Joaquim Barbosa tem dito muitas verdades que tem irritado muita gente, agora eu gostaria de ouvir sua opinião sobre o ministro Fux e o condenado Dirceu.

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com 
São Paulo

*
CARAS DE PAU

Em face das últimas manifestações do Zé Dirceu, condenado por vários crimes no mensalão/2005, alegando inocência neste episódio, parece até que ele deveria ser absolvido e o sr. ministro Luiz Fux, condenado. Só está faltando ele também usar os argumentos de praxe dos PeTralhas, de que tudo não passa de perseguição das elites dominantes e da maldade da imprensa sensacionalista. Fora Zé Dirceu e leve consigo o Genoíno e o João Paulo Cunha, todos corruptos caras de pau!
 
Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com 
Taubaté

*
NOVELA BURLESCA

Não consigo entender esta palhaçada do José Dirceu. Se for verdade, a presidente Dilma estaria extremamente envolvida nesta jogada, além da desmoralização da justiça. Sendo uma alegação mentirosa, fica mais fácil de entender, pois se trata apenas do desespero do Zé. De qualquer forma, é mais um triste episódio desta novela sórdida e burlesca.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br 
São Paulo

*
HAJA PACIÊNCIA!

Bastou Lula passar oficialmente à condição de investigado da Justiça e se aproximar o momento da publicação do acórdão do julgamento do mensalão para que houvesse nova escalada retórica de petistas graúdos. José Dirceu mira sua artilharia em Luiz Fux, e Tarso Genro, na “mídia” e no STF como um todo. São patéticas essas tentativas de intimidação do PT. Quem eles pensam que são? Se acham que, por terem sido contrariados em um processo claro e cristalino como o da Ação Penal 470, podem soltar seus cachorros para cima da democracia e moldar uma ditadura petista no Brasil, estão muito enganados. Afinal, tivemos a sorte de FHC ter deixado um aparato institucional bastante sólido aos seus antecessores e, devido a isso – e somente a isso – podemos testemunhar a punição de poderosos infensos à ética e, quem diria, um ex-presidente com chances de virar réu por conta do maior escândalo de corrupção da história da República. Dirceu diz que, se Lula virar réu, isso será uma “provocação” ao PT. Digamos que o dono do partido seja mesmo alçado a essa condição: e aí, o que o todo-poderoso PT fará para que os que a ele se opõem fiquem tão atemorizados, hein, cara pálida? Colocará tanques na rua para defender o neodescobridor do Brasil? Haja paciência!

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br 
Pindamonhangaba

*
FALTOU A HONESTIDADE

Declarações na internet do ex-todo-poderoso ex-ministro José Dirceu: “Fux disse que ia me absolver” e “penso que era melhor se tivesse morrido”. Será que em momento algum passou pela cabeça daquele senhor que teria sido melhor se tivesse agido corretamente? Estranho! Honestidade, que eu saiba, nunca fez mal a ninguém.

Flávia de Castro Lima lgcastrolima@uol.com.br 
São João da Boa Vista

*
DIFAMAÇÃO

No filme “Hércules 56”, José Dirceu confessa que graduou-se em clandestinidade lá em Cuba, o quintal dos russos. Com toda certeza, a importante faculdade de formação militar da ilha também oferecia o curso de difamação. Esta estratégia stalinista, que foi usada contra Gilmar Mendes, é agora adotada para difamar o ministro Fux. Vergonha!
 
Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br 
Rio de Janeiro 

*
EIKE BATISTA

O governo brasileiro tem tanta determinação de socorrer o empresário Eike Batista que fica evidente que está apenas pagando algum favor recebido. Agora resolve entregar de mão beijada o Estádio do Maracanã ao empresário, maior interessado e provavelmente o vencedor de uma suspeita licitação para administração do estádio, conforme apurou o Ministério Público do Estado do Rio de janeiro.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br 
Marataízes (ES)

*
GOVERNO PARA O POVO

Este é o exemplo do governo PT para o povo: liberar verbas para ajudar o Eike e nada em estradas, hospitais, segurança, morais... Enfim, só esmolas que enganam o infeliz povo brasileiro.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br
São Paulo

*
MERA COINCIDÊNCIA?

Tendo em conta as benesses concedidas a mancheias pelo BNDES, a reverência e as facilidades ofertadas pelo governo federal, indaga-se: Será que o Eike Batista é “laranja” do Lula?

Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br 
Jundiaí

*
EIKE ‘GERSON’ BATISTA

Parabenizo: primeiro, vendeu sonho, construiu império à custa de informações privilegiadas e investidores incautos que agora sofrem prejuízos enormes para manter os investimentos ou assumem e se desligam. Segunda etapa, posa de vítima e bem feitor do Brasil socializa o custo da ineficácia, da inépcia, passando para o governo a responsabilidade de sua irresponsabilidade, e este distribui o ônus à sociedade brasileira. Terceiro ato da patifaria: reabilita-se, reconstrói o império através do dinheiro dos brasileiros. Vira herói! Vivam o PT, a Lei de Gerson e Eike “Gerson” Batista. 

Jamil Elia Ayde jamil_ayde@hotmail.com 
São Paulo

*
SITUAÇÕES INACEITÁVEIS
 
A demagógica posição do governo de reduzir, em média 20% nas contas de energia elétrica dos usuários, veio por terra, quase na totalidade, pelos reajustes impostos pelas empresas fornecedoras. Ainda, a montagem que o partido do governo realizou para projetar internacionalmente Eike Batista, caiu também por terra, mas com enormes impactos no patrimônio público dos brasileiros, porque o castelo de areia montado não resistiu à realidade sempre existente nas ações financeira e econômicas. Outrossim, não mais adianta os radicais de esquerda tentarem segurar a redução da maioridade penal para 16 anos, a pretexto de sujeição dos menores a um nível social baixo, porque a atuação deles é crescente e cada vez mais agressiva, a demonstrar que a situação financeira nada tem a ver com suas atitudes, mesmo porque traficantes e bandidos são os maiores utilizadores de menores em seus atos de delinquência. Então, com demagogia ou sem ela, as situações acabam demonstradas ao povo com a força da realidade, porque não se pode prorrogar o mal para sempre e nem mentir que o bem foi feito para a eternidade. Ainda, é bom lembrar, que até a época das eleições de 2014, nós veremos muitas coisas novas e até estapafúrdias, em nome do interesse do povo.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
‘OUTORGA’ DO MARACANÃ

Para reconstruir o Maracanã foram gastos nos últimos três anos nada menos do que R$ 1 bilhão. Em 2007 na reforma do estádio para o Pan já haviam sido gastos R$ 400 milhões. Então o valor da tal “outorga” – que é o nome dado ao aluguel que o vencedor da licitação deverá pagar ao governo – deveria ser por volta de 0,5% (meio por cento) por mês sobre o que o governo estadual investiu em obras. Esse é o percentual praticado no mercado de aluguel de casas e apartamentos. Portanto quem vier a ter o direito de explorar o Maracanã (e ainda levará de quebra o Maracanãzinho) teria de pagar uma “outorga” de R$ 7 milhões mensais (0,5% x R$ 1,4 bilhão), ou seja, R$ 84 milhões por ano. Como é possível então aceitar a moleza estabelecida na licitação governamental de um lance mínimo de “outorga” (por 35 anos) de apenas R$ 4,5 milhões por ano, ou seja, quase 19 vezes menos do que um valor coerente com o que foi gasto de dinheiro da população. Vamos ficar assistindo a mais essa mamata?

Claudio Janowitzer cjano@terra.com.br 
Rio de Janeiro

*
ENGENHÃO 

O Estádio Engenhão no Rio de Janeiro, no início tinha um custo estimado em R$ 60 milhões, e no final do projeto chegou a R$ 360 milhões  e, ainda assim, precisou ser desativado para avaliação técnica de problemas surgidos. Conforme os arquitetos, urbanistas, e especialistas na área, a Lei de Licitação Pública 8.666, permite que haja a concorrência e contratação das obras públicas, baseada unicamente num Projeto Básico que é insuficiente, por não ter informações técnicas detalhadas para a execução da obra. A medida que a obra vai se desenvolvendo, vão surgindo os adicionais e ajustes na realização do projeto – tornou-se prática habitual das construtoras – elevando assim o preço final bem acima do previsto. Para os arquitetos e urbanistas, os governos federal, estadual e municipal deveriam primeiramente fazer uma licitação para a contratação do projeto com as concepções arquitetônicas e urbanísticas, e em seguida a licitação para a execução de obras com o projeto totalmente detalhado. Seguindo esse procedimento, o risco de ajustes financeiros serão eliminados, e haverá melhor qualidade na execução da obra.
 
Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.