Fórum dos Leitores

OMC

O Estado de S.Paulo

11 Maio 2013 | 02h02

Emergentes no poder

A vitória de Roberto Azevêdo para o cargo de diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) representa o poder dos países emergentes nas relações internacionais de comércio. Azevêdo concorreu com outro candidato latino, o mexicano Herminio Blanco, que tinha o apoio dos EUA e da Europa. O resultado da eleição mostra um declínio da influência dos países ricos no comércio mundial. O diplomata brasileiro terá o desafio de dar um novo e equilibrado impulso a essa área, importante para que a economia global entre em novo período de crescimento e possa sair da crise. A escolha de um brasileiro tem também um significado especial para o nosso país, pois, além de realizar um sonho antigo do Itamaraty, mostra que o Brasil está preparado para assumir cargos importantes em âmbito mundial.

PEDRO MELGAÇO CONRADO

pedroconrado1997@gmail.com

São Paulo

VISITA DE MADURO

Primeiro o rei

Notícias dão conta que Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, ou não conhece diplomacia ou pensa que, como bolivariano, pode tudo, até mesmo não respeitar o protocolo em sua visita ao Brasil. Deixou a presidente Dilma Rousseff esperando por mais de uma hora porque foi encontrar-se primeiro com o "reizinho", que ainda não se desgrudou do Palácio do Planalto. Diplomacia, cerimonial, essa coisa toda não é para membros do "socialismo do século 21". Lulla não deixou por menos: primeiro elle, porque manda mais, depois a presidente da República. Convenhamos, essa turma é folclórica!

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Curiosidade

E o pôster de Hugo Chávez onde será pendurado?

JOSÉ PIACSEK NETO

bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

Presente de grego

Sra. presidente, eu também gostaria de saber onde vai colocar o retrato de Hugo Chávez. Foi, realmente, um presente de inestimável valor.

IVAN BERTAZZO

ivan.bertazzo@gmail.com

São Paulo

Alimentos para o povo

O presidente Maduro veio pedir a Dilma alimentos para o povo da Venezuela. O governo brasileiro não produz nada disso. O governo Maduro deve comprar dos empresários brasileiros que negociam esses produtos. Ainda não estamos numa economia estatizada. Mas o que Maduro está fazendo bem demonstra o sucesso do governo socialista.

HELIO MAZZOLLI

mazzolli@terra.com.br

Criciúma (SC)

Falência socialista

O que houve com a Venezuela? Até o final do governo Chávez, há poucos dias, o país estava todo bem, tudo legal... Agora precisa de abastecimento urgente de alimentos? A fome instalou-se lá? Necessita desenvolver a agricultura? Sim, o socialismo chavista estatizou as terras e o país perdeu quase 70% de sua produção agrícola ou de sua área plantada. O que Maduro, "irmão" de Lula e admirado amigo de Dilma, está declarando é a total falência e a absoluta degeneração e depravação do socialismo populista chavista, que não merece um grama de aprovação nem ser olhado como exemplo por nenhum governante no nosso planeta.

NELIO ALVES GOMES

raytomonelio@hotmail.com

Curitiba

País 'sui generis'

Os médicos brasileiros devem estar justamente afrontados com a cubanização da medicina no Brasil, proporcionada pela abertura das porteiras a uma multidão de médicos descalços oriundos daquela desafortunada ilha do Caribe. Então o ensino da medicina no Brasil, com sua tradição científica trissecular, não basta? Esses caras são médicos mesmo ou se trata de uma abertura para o atraso no mesmo estilo do que foi feito pela invasão cubana consentida pelo malogrado Chávez em seu próprio país? Pelo que consta, esses "médicos" têm, antes de medicar, a missão de fazer proselitismo e oferecer "orientação" psicológica, fiscalizar o comportamento. O que dirá a Santa Sé, agora que Maduro visita dona Dilma, estabelece o dogma do mistério da "santa quadriga" - Pai, Filho, Espírito Santo e Chávez - e deu um santinho à sra. presidente? Como se pode conceber, era só um santinho, porque um retrato deveria ter, no mínimo, uns 30 metros de altura para ser exposto em frente ao Alvorada, de acordo com o estilo de praxe. "A Venezuela tem gás, tem petróleo, não tem razão para sofrer problemas de abastecimento de eletricidade" comentou o sr. assessor especial da Presidência. Nem de abastecimento em geral. Mas a culpa é do empresariado mau-caráter que esconde alimentos para prejudicar o governo. É claro que para os empresários é mais importante prejudicar o governo do que vender e ganhar dinheiro. Que país verdadeiramente original... E é essa turma que vai presidir o pobre Mercosul. Que folclore!

MARTIM A. P. DE HARO

martim.haro@terra.com.br

Florianópolis

BEIJA-MÃO

Simplesmente ridícula a foto do beija-mão da presidente Dilma pelo vice-governador de São Paulo, estampada no "Estadão" de ontem (10/5), na primeira página. Não há óleo de peroba que chegue para lustrar tal cara de pau do sr. Afif Domingos, na aceitação e tomada de posse do Ministério da Micro e Pequena Empresa. Nem Freud explica o que leva um homem público - levado ao posto de vice-governador de São Paulo graças ao PSDB de Alckmin - aliado a uma vertente oposicionista, abandonar o barco que lhe deu sustentação e passar a servir, a partir de agora, os interesses eleiçoeiros dos petistas. Estes não se furtarão em usar todas as armas possíveis e "impossíveis" para a reeleição da presidente e se apoderarem do governo de São Paulo, última trincheira a ser conquistada, para o total domínio social, político e administrativo da Pátria brasileira, por enquanto, ainda livre.

Aloisio A. De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

*

A IMAGEM DA OPOSIÇÃO

A foto do beija-mão é a imagem da oposição - servil, pior que ajoelhada, de quatro. Parabéns ao fotógrafo e ao "Estadão"!

Ademir Fenicio ademirfenicio@uol.com.br

Santo André

*

NÃO MERECEMOS

Sr. Guilherme Afif Domingos, gostaria de saber como o sr. encara seus filhos, depois dessa vergonhosa foto publicada na imprensa, em que o sr. beija a mão da Dona Dilma. O correto deveria ser abaixar-se um pouco mais, se é que é possível, e beijar-lhe os pés. Por favor, renuncie ao cargo de vice-governador, nós, paulistas, não merecemos alguém como o senhor no governo de nosso Estado.

Artur A. Intaschi lene.arte@hotmail.com

Ubatuba

*

SEM BANDEIRA

Até pode ter bandeira, mas com certeza idealismo e regulamento tem. Guilherme Afif (é o contrário de Fifa), PSD-SP, disse que secretaria partidária não tem bandeira. Pegou mal a ilação, é por isso que não existe oposição, políticos vão aonde podem receber mai$, é i$$o que intere$$a. Vice-governador de São Paulo e, agora, secretário, com status de ministro (o 39.º), da Micro e Pequena Empresa do governo da dona Dilma. Vai agitar outra bandeira, é do partido do Kassab, então pode, estamos aqui, ali, aí!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

É CONSTITUCIONAL?

Temos o dr. Michel Temer como vice-presidente da República. Antes disso, e acima disso, é ele doutor e professor de Direito Constitucional. Assim, indago dr. Michel: como profundo conhecedor do Direito Constitucional, é possível ao Afif acumular o exercício do cargo de vice-governador do Estado com o de ministro da União? Melhor do que o próprio Afif, V. Exa. é pessoa indicada e com condições acadêmicas para esclarecer.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

TROCA

Já que é para brincar com absurdos, como um vice-governador servindo ao PSDB e ao PT, ao mesmo tempo, por que o governador Alckmin não aproveita e convida o também vice Michel Temer para um cargo no governo do estado de São Paulo? Será que ele aceita?

Marco Antonio R. Nunes nunesmarcelao1@ig.com.br

Pindamonhangaba

*

VINGANÇA

Agora eu entendi por que Dilma nomeou Guilherme Afif Domingos como ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa: pura vingança. Ele, há quatro anos, classificou Dilma como alguém sem biografia política para presidir o Brasil, declarando aos jornalistas: "É a mesma coisa que entregar um boeing para quem nunca pilotou um teco-teco". Após aceitar o convite para assumir o cargo de ministro, ele passa a ser um subalterno dela.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

CAIU A MÁSCARA

A adesão de Guilherme Afif Domingues ao PT, com a aceitação do cargo de ministro do governo Dilma, é muito emblemática. Demonstra que caiu a máscara de alguns políticos que faziam oposição a Lula e ao PT, e demonstram finalmente que pretendem cargos, promoção pessoal e votos. Seus compromissos políticos com o Brasil são limitados pelos interesses particulares. Assim, abrem mão da obrigação com a ética, a honradez e o patriotismo, ingredientes não encontrados em seus novos associados. Estes, ao contrário, labutam pela instituição da corrupção, do desrespeito à Constituição e às leis eleitorais, pela destruição da independência e harmonia dos Poderes e a implantação do partido único - se já não o é - no País, a fim de melhor controlá-lo. Provavelmente Afif Domingues procurará ajudar na busca da inocência e consequente soltura de seus novos companheiros de grupo partidário, os mensaleiros. Após sua adesão ao partido PSD, que não é de esquerda, direita ou centro, apenas negociante de legenda, caiu a máscara, também, do antigo político Afif de São Paulo, onde deve ter perdido muitos eleitores para o futuro.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

CONJUGANDO OS VERBOS

Que legal! O PT que já havia recentemente "malufado". Agora, "afifou"! Só falta reabilitarem o Costa e Silva...

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

MP DOS PORTOS

Os debates na Câmara dos Deputados na tentativa de se aprovar a Medida Provisória (MP) dos Portos, de vital importância para a economia nacional foi pautada de tamanha baixaria que o presidente da casa Henrique Alves disse que em 40 anos de vida parlamentar, jamais vira espetáculo tão degradante. A MP dos Portos caduca no dia 16, quinta-feira e é evidente que antes desta data, o rolo compressor do PT, pelas mãos de Dilma colocará ordem na casa.A maioria parlamentar do governo não é aquilo a primeira vista parece ser. A resistência dessa maioria reside no fato de que, Dilma, do alto da sua prepotência de gerentona não admite que a MP sofra emendas que não estejam conforme a sua vontade. Tem que ser como ela quer. Até aqui estava acostumada com o "tudo o que seu mestre mandar faremos todos". Os deputados recordam que a Lei dos Portos, de Itamar Franco tramitou como projeto de lei, de forma democrática, enquanto o que Dilma tentou fazer o mesmo por MP "por si só. impositiva, cheia de erros e geradora de conflitos". Com todo o seu favoritismo, uma incerteza coloca a base partidária em polvorosa diante de uma personalidade agressiva que insiste em ignorar os paradigmas de uma democracia plena. Nessa MP dos Portos Dilma pretende injetar a ação dos sindicatos e a ingerência governamental que por outras palavras recria a Portobras.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

INSEGURANÇA JURÍDICA

A governança brasileira, sob o aspecto jurídico, é a pior possível. Medidas provisórias, excepcionalidade justificada por relevância e urgência, são utilizadas indiscriminadamente pela chefia do Poder Executivo e somente não são invalidadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em razão de conveniências políticas, uma vez que poderíamos descambar para a ingovernabilidade. Agora, se a irrita medida provisória dos portos se embaraçar no Congresso, a solução virá por simples decreto, instrumento jurídico absolutamente inadequado para tratar de assuntos que desbotam da esfera "interna corporis" da administração e apanham interesses de terceiros. Qual a razão da urgência e do menoscabo ao devido processo legal? A urgência das conveniências eleitorais, óbvio.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

A MP É IMPORTANTE

Apesar de o governo da presidente Dilma ter 70% de apoio do Congresso Nacional, o que se vê na prática não é bem assim, pois os partidos têm interesses próprios e é isso que se está vendo no impasse da votação da MP 595/2012 ou MP dos Portos, cujo vencimento é 16 de maio de 2013. Esse projeto que cria regras para a exploração de terminais para a iniciativa privada é muito importante para o País, num momento em que o déficit comercial brasileiro em abril atingiu US$ 6,15 bilhões, em parte também devido à atual estrutura portuária, totalmente ultrapassada. Como esse projeto amplia os investimentos privados e moderniza os terminais a fim de baixar os custos de logística, eu torço para que a MP dos Portos da presidente Dilma seja aprovada na íntegra pelo Congresso Nacional, independentemente das diferenças partidárias.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

O PAÍS PRECISA DE PORTOS MODERNOS

A Medida Provisória 595, mais conhecida como MP dos Portos, merece ser aprovada, porque não encerra questão ideológica, mas tem a necessária importância para o progresso e desenvolvimento do País. Com efeito, nós contamos com um atraso se considerarmos nossos competidores em questão de exportação e importação. Os nossos competidores conseguem realizar a mesma tarefa por um terço do custo nosso, ou seja, nós despendemos o custo deles e mais duas vezes, o que torna nossa posição completamente desfavorável. Assim, se Dona Dilma tem direcionado o discurso somente com vistas à sua campanha de reeleição, a MP 595, embora possa estar no mesmo escaninho publicitário, encerra questão de extrema importância para o País, valendo muito a aprovação da MP, tendo-se como mira o salto na economia brasileira, desde que, ainda, os nossos portos estão completamente defasados para atender às necessidades da produção nacional, especialmente.

José Carlos de C. Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

O MUNDO GIRA

Nada como um dia atrás do outro, um anos atrás do próximo e uma presidente receber heranças malvadas. Agora a Dilma andar-de-vaqueiro está sentindo na pele que nem dando sempre se recebe? Quer acabar com o corporativismo nos portos brasileiros, algo que o PT na oposição sempre defendeu, com veemência, ardor e até passeatas a torto e a direito. Espero que não aprovem, pois o PT não merece, depois de dez anos de tanta corrupção. E em São Paulo o Fernando Haddad, o poste, está encarando uma greve dos professores, algo que o PT sempre defendeu e sempre dizia na oposição que era preciso dialogar. Dialogue, Haddad, sente na graxa, abra as pernas, não era esse o vosso lema? Segura, PT!

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

CONCESSÕES EMPERRADAS

Depois de vários meses perdidos pela Dilma, com a promessa de concessão de estradas, agora o ministro Guido Mantega anuncia que a taxa de retorno para os investidores será de 7,2%. Será esse número ideal que os empresários almejam?! O negócio poderá ser viabilizado?! Mesmo porque o risco não é do governo, mas do investidor! Oras, o máximo que o governo petista deve saber é se a obra é realmente importante para o desenvolvimento do País, e ditar algumas regras burocráticas e de financiamento. E o restante fica por conta do contratado! Mesmo porque essas empresas não são de fundo de quintal. A maioria delas de grande porte com sofisticadas obras concluídas pelo mundo afora... Meu Deus, será que é tão difícil assim este governo petista transferir para a iniciativa privada aquilo que jamais em tempo algum o partido de Lula terá competência para realizar?! Como a necessária modernização dos portos, aeroportos, estradas e ferrovias, etc. Mesmo porque em 11 anos apenas esquentam confortavelmente as nádegas no poder, mesmo com abundantes recursos à disposição, e quase nada vem sendo feito. E o nó da questão é que, assim como ocorreu com a gestão Lula, à Dilma, da alergia só de pensar em seguir o modelo de grande sucesso dos tucanos na área de concessões! E a busca do diferente do PT não funciona! É autoritário, como foi na canetada o caso da redução do preço da energia elétrica! E querer impor a taxa de retorno fora da realidade de mercado é um suicídio! Como fizeram com as duas rodovias concedidas pelo menor preço de pedágio, e as obras contratadas não acontecem! O governo deveria saber que os empresários não são picaretas! Apenas seguem as regras de mercado, respeitam seus concorrentes, e como ninguém zelam pelo seu patrimônio, e, diga-se de passagem, conquistado a duras penas. O que, infelizmente, não podemos falar o mesmo do governo do petista, que ao longo desses 11 anos, coleciona um amontoado de desperdício, e bem regado ao gosto da corrupção. Enquanto isso, o setor produtivo é penalizado porque precisa assumir os altos custos de escoamento da sua produção por falta absoluta de infraestrutura adequada.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

SINTO MUITO

Numa semana em que o julgamento dos seguranças de PC Farias nos faz recordar o engodo que foi a administração Collor, este senhor, que nunca disfarçou o seu vício por holofotes e na qualidade de presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado Federal, resolveu ativar mais um pouco a nossa memória ao rasgar em frente às câmeras um relatório do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) sobre a situação das obras em rodovias federais. Sinto informá-lo, senador, de que já se foi a época em que alguém acreditava em seus showzinhos moralizadores. Hoje, o senhor não engana mais ninguém, sinto muito.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

TRAGICÔMICO

Collor rasgando relatório do Dnit, afirmando conter inverdades, mas sem apresentar fatos comprobatórios, é tragicômico. "Impinchado", falta-lhe autoridade moral para acusações sem provas, ao tempo em que volta à cena policial pela proximidade umbilical com PC Farias, morto em condições nebulosas, como têm noticiado os jornais. Não sei como conseguiu engabelar novamente o povo das Alagoas - já engabelado uma vez com todo o Brasil - e ganhar a senatoria.

Roberto Viana Santos rovisa681@gmail.com

Salvador

*

PICANDO PAPEL

Ao assistir ao ex-presidente e atual senador Fernando Collor rasgar papéis enviados pelo atual diretor do Dnit por informações falsas em relatório enviadas a Comissão de Infraestrutura do Senado me resta apenas aconselhar ao nobre senador Collor que adquira uma máquina "trituradeira" de papel, dado que, se a moda pegar, rasgar relatórios "falseados", como bem disse o senador, não haverá mãos e dedos que aguentem rasgar tantos papéis.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

MANTEGA EXPLICA O PT

O "sábio" ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a geração de empregos formais é tão ou mais importante que o PIB. Não estaria o ministro equivocado, quando deveria afirmar que tanto o PIB quanto a geração de empregos é de suma importância para o desenvolvimento do País? Causou estranheza que a apresentação do ministro tenha sido feita a portas fechadas e somente para parlamentares do PT na Câmara. Seriam os dados apresentados uma farsa? Por acaso Guido Mantega é o ministro da Fazenda do PT ou do Brasil e a apresentação que ele fez não deveria ser para todos os parlamentares? Essa gente ainda não se deu conta de que governa o Brasil, e não uma fração dele? Com essa oposição amorfa, o governo do PT já criou suas asinhas. Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

OS SEQUESTROS NOS ESTADOS UNIDOS

Li com muito interesse a noticia "Garotas deixam cativeiro após 10 anos" publicada no caderno Internacional do "O Estado de S. Paulo" de 8/5/2013, que tratou sobre a resolução do caso de três mulheres desaparecidas nos EUA ha cerca de dez anos. Nos dias de hoje, me parece que é quase impossível cogitar que alguém possa ser mantida em cativeiro durante dez anos sem que ninguém perceba. Porém isso pode ser fruto de uma alienação que nós temos em relação ao contato com os outros, ate mesmos os vizinhos, principalmente nas grandes cidades onde pelo medo e, talvez, pela angustia não nos comunicamos mais, ou seja, nós acabamos "exilados" em uma área egocentrada onde não pensamos sobre ninguém ao nosso redor além de nós mesmos. É por esse motivo que a matéria me chamou muita atenção. Como é possível isso acontecer tão próximo de nós? A que ponto chega à sociedade? Atrocidades sempre aconteceram e continuarão acontecendo, e quase sempre passam despercebidas por nós ou fazemos questão de não nos envolvermos, até que algo aconteça muito próximo a nossa família ou pessoas de nosso relacionamento. Algo precisa mudar, e a sociedade é importante nesse contexto, pois ela nos influencia e cria nossos princípios e também as nossas bases para julgarmos o que é certo e o que é errado. Precisamos estar mais atentos ao que acontece ao nosso redor, seja na vizinhança, na cidade, no país e mesmo no mundo. Para concluir, eu acho que devemos olhar esse caso, não só como um caso de sequestro, mas também como uma lição sobre como a vida nas cidades, e grandes metrópoles, nos fazem ficar alienados em relação ao externo.

Matheus Garabosky matheus.o.g@hotmail.com

São Paulo

*

JUSTIÇA INDICIA SEQUESTRADOR DE OHIO

Cara Denise Chrispin Marin, fiquei absurdamente impressionada com sua habilidade de captar informações tão precisas em um curto período de tempo e reuni-las sabiamente na reportagem cujo título era: "Garotas deixam o cativeiro após 10 anos", da edição destas quarta e quinta-feira, dias 8 e 9 de maio de 2013. Escrevo para dizer-lhe que gostei muito da sua forma de escrita e para deixar minha sincera opinião sobre o assunto tratado pela reportagem. Esse assunto circunda sua matéria, que fala sobre as três mulheres estadunidenses que foram descobertas vivas após serem mantidas durante aproximadamente dez anos em cativeiro. Suas famílias já tinham se conformado sobre seus desaparecimentos e prováveis mortes, porém, graças à ajuda do morador da casa vizinha onde elas estavam sendo mantidas, o destino dessas mulheres sofreu uma excelente revira-volta e elas conseguiram se libertar do doentio aprisionamento de, o que devem ter sido, longos e desesperados dez anos. O assunto que é claramente fácil de ser analisado pela reportagem é a desumanização cada vez mais frequente dos seres humanos, se é que ainda é possível denominar-nos dessa forma. O que aconteceu com nós? O que nos tornamos? Como será que psiquiatras vão conseguir explicar os feitos de Ariel Castro, o sequestrador das três mulheres? Há como um animal da mesma espécie analisar e criticar os feitos de um outro e achar que entende do mesmo sem nunca ter o conhecido? Qual vai ser a desculpa, dessa vez, pelo feito de um bandido? Drogas, alguma doença mental específica ou algo do tipo? Creio que nenhuma dessas seja a resposta verdadeira para o motivo da ação problemática de Ariel Castro: ele não tem uma doença mental, acredito que tenha um problema mental sério, não só um transtorno. Esse problema é de índole. Uma pessoa, mesmo com doenças mentais, irá procurar ajuda ou não chega a este ponto de sequestrar pessoas, muito menos de mantê-las em sua residência, muito menos ainda por um período de dez anos. Já uma com um problema mental, juntamente com uma má índole, é capaz de qualquer atrocidade. Desta vez, não há doenças mentais ou drogas que diminuam o crime cometido por esse ser, em plena consciência e vontade de sequestrar as mulheres. Esse problema que o sequestrador provavelmente tem foi se agravando cada vez mais pelo fator que nos destrói a cada dia: a nossa desumanização. Estamos nos tornando aquilo que nunca gostaríamos de ser, e o pior, é que nem ligamos. Tacamos braços de pessoas pela janela, estupramos pessoas em transportes públicos, matamos pessoas por um celular. A repetição da palavra pessoas é proposital, por razão ao enfoque que gostaria de dar ao fato de que fazemos isso com nós mesmos. Obviamente, ninguém falaria que cometeria essas ações que, vistas de fora, parecem meio "loucas", mas penso que elas estão refletindo a nossa sociedade do momento: irracional, sendo assim, desumana. Não é por que não faríamos que elas não sejam feitas, é exatamente o contrário. Agradou-me bastante a reportagem localizada embaixo da citada acima, na mesma página (A12). Ela serviu de esclarecimento e complementação, pois fala sobre o herói que ajudou as mulheres a fugirem do cativeiro, o vizinho da onde elas estavam mantidas, Charles Ramsey. Infelizmente, uma parte de seu discurso não me agradou, a qual fala que ele achou que havia algo de errado, quando uma menina branca foi abraçar desesperadamente um negro. Isso prova ainda mais a desumanização das pessoas. Para mim, Charles Ramsey quis protestar e chamar a atenção para outro foco cujo nada tinha relação com o assunto tratado: o preconceito. Sinceramente, não entendi o que ele quis dizer com sua fala, sei que quis tratar do preconceito racial, como uma forma de protesto, mas achei completamente desnecessária e o fez menos humilde no meu conceito, pois o assunto não era ele e seus sentimentos ou opiniões e sim as mulheres presas a condições desumanas e que podiam estar, naquele momento, se recuperando de um trauma horrendo. Esta situação me deixa circuncisfláutica, pois até em momentos de desespero, as pessoas falam delas mesmas ao invés de falarem de quem precisa. Um fator negativo da página como um todo seria o Box dos "Sobreviventes de Sequestros", pois creio que mostrar outros casos passados de pessoas sendo mantidas em cativeiros por muito tempo deixou a matéria excessivamente macabra e a fez um pouco mais assustadora do que deveria ser. Por fim, gostaria que as pessoas se conscientizassem da sociedade em que vivem, e acredito que sua reportagem contribuiu para esse feito, mas, além disso, de que, após essa consciência, tentassem realmente recuperar aquilo que sobrou de primitivo em todos nós: o amor, a união, a amizade, o conceito de família e os valores básicos para uma convivência harmoniosa. Espero que depois dessa frequência de mortes incoerentes, das cinzas que se formaram, nós consigamos fazer um belo túmulo de desculpas às pessoas que morreram por motivos ridículos e, além disso, reconstruir nossa jornada, que será em rumo a um mundo melhor, e consequentemente, sem pessoas levadas a maus caminhos e a sequestros bizarros como esse.

Marina Cardinali Martins, 14 anos rmartins@tenaris.com

São Paulo

*

ANOS DE CHUMBO

Impressionante o depoimento à Comissão Nacional da Verdade do coronel-aviador Roberto Baere, revelando, com riqueza de detalhes, a conspiração montada em 1961, por oficiais da Aeronáutica para matar o vice-presidente João Goulart e assim impedir sua posse na Presidência. A atitude corajosa do ilustre militar, abortando o atentado terrorista, lhe valeu a prisão e o sacrifício de sua carreira mas resgata a memória dos militares punidos por se oporem ao golpe fascista, ao contrário de outros que, covardemente, voltaram contra o próprio povo, as armas que o povo lhes confiou para sua defesa.

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

*

O DEPOIMENTO DE USTRA

Direta, clara e objetiva a declaração do ex-coronel Carlos Alberto Ustra, ao afirmar que a presidente Dilma e seu grupo tinham como intenção impor o comunismo no Brasil. Um dos regimes mais nefastos do planeta, juntamente ao nazismo, o comunismo foi - e ainda é - responsável pela morte de milhões de pessoas mundo afora; tamanha opressão e violência das quais se utiliza. A tática patética do governo federal em utilizar médicos cubanos nos rincões do Brasil é bem clara. Aproveitar a falta de informação local e vender o modelo comunista cubano - cujos próprios médicos vivem na miséria - como o correto. Deste modo, fica claro que Dona Dilma ficou mansinha, porém suas intenções permanecem as mesmas!

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

TORTURA NUNCA MAIS

O torturador coronel Ustra deveria ser condenado e preso pelos crimes por ele cometidos durante a ditadura militar que assolou o Brasil (1964-1985). Ustra já foi reconhecido e apontado como um torturador sádico e covarde por diversas de suas vítimas. Não se admite que alguém como ele, um "açougueiro" da pior espécie, fique impune e não pague pelos seus crimes, que são imprescritíveis e imperdoáveis. Tortura Nunca Mais!

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

USTRA E O CÓDIGO MILITAR

Esqueceram de ensinar ao coronel Ustra que o artigo 55 do Código Penal Militar Brasileiro de 1969 permitia a pena de morte. Mas não falava nada sobre estupro, cadeira do dragão, pau de arara e afogamentos dos prisioneiros, fossem eles terroristas ou não.

Roberto Vieira robervieira@uol.com.br

Recife

*

CABRAL E O HOLOCAUSTO

Não achei adequado o governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, ao tratar da criação de um espaço em homenagem aos terroristas brasileiros, fazer comparações com o Museu do Holocausto. São fatos distintos, a começar que há unanimidade em relação a mortandade de seis milhões de judeus inocentes, com o intuito de dizimar a "raça". No Brasil, embora o governo atual queira impor uma ideia de vítimas inocentes aos terroristas, todos sabem que eles queriam implantar uma ditadura comunista e mataram, assaltaram, sequestraram e justiçaram (os seus). É uma história a ser contada, depurada e recontada pelas gerações futuras, não comprometidas. De mais a mais governador, em defesa do estado e da população israelense, as leis lá são bem permissivas quanto a interrogatórios: se há informações vitais a serem "retiradas" de terrorista, eles o fazem por quaisquer meios. Não faça blague ou comparações com coisas sérias governador!

Paulo Roberto Santos prsantos1952@bol.com.br

Niterói (RJ)

*

O MENSALÃO E O GOVERNO LULA

O sr. Lula da Silva declarou: "Tentaram usar o episódio do mensalão para acabar com o PT e obviamente, acabar com o meu governo". Saiba, senhor, que quem ficou frustrado com o episódio, fomos nós, povo brasileiro, que esperávamos que o sr. FHC com a Carta ao Povo Brasileiro assinada pelo senhor, não quis tomar nenhuma providência em relação ao seu impeachment, pois seria uma decepção ao povo nordestino que votou num candidato simples, nordestino, pobre e humilde e que hoje é um dos mais ricos e poderosos e faz pouco caso deste mesmo povo, pois conseguiu seu objetivo implantar um governo socialista de direita que sempre foi o objetivo do PT e seus membros.

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

PONTUAÇÃO

O Supremo Tribunal Federal (STF) pôs um ponto final no caso dos mensaleiros apenados e condenados; estes, por meio dos embargos da defesa, querem pôr um ponto e vírgula no final das sentenças. No ar, a questão: o novelão acabou de vez ou haverá nova série 2? Quem viver verá...

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

O STF SOB PRESSÃO

O povo do Brasil experimenta, de forma alarmante, preocupante e, certamente, perplexo as mais variadas formas de pressão de um poder construído sobre o outro. O Executivo, e aí destaque para os petralhas, não mede ou poupa esforços e recursos - estes de forma abrangente, desde a compra velada de políticos à escancarada propaganda política antecipada, tudo à custa do contribuinte - para se manter no poder: "Vou fazer o diabo", disse Dona Dilma, e está fazendo! O Poder Legislativo, este então, não tem limites, nem morais e nem éticos, "em nome do povo" - pobre povo! - já que foram eleitos pelo voto popular, acham podem tudo. São 513 deputados federais preocupados com o próprio umbigo e a serviço única e exclusivamente do PT e os 81 senadores, devidamente "domados" pelo Executivo, tal qual vaca de presépio só dizem sim à vontade política da Dona Dilma. Salvo uns poucos desses "nobres" representantes "populares", se somar todos talvez não dê um bom. Não passam de "curva de rio", são só tranqueira. O Judiciário, especialmente, o STF está sob inadmissível pressão - às vezes explícita e outras sub-reptícias - dos presidentes da Câmara e do Senado. Esqueceram ditas "Excelências" que o Poder Judiciário só age, ou toma qualquer decisão ser acionado por qualquer cidadão. Não age de oficio. Noutras palavras não se mete com os outros Poderes. Agora, o STF, guardião da Constituição, toda vez que um cidadão entender que qualquer um dos demais Poderes ou o próprio Judiciário ofender a lei ou direitos pode recorrer à Justiça. Essa é garantia constitucional do cidadão é o direito de petição e o Judiciário não pode ser furtar ou se omitir quando acionado. Portanto, basta os políticos não avançarem demais ou atropelarem direitos de outrem, que o cidadão não irá bater às portas do Judiciário, e quando bater haverá uma resposta que deve ser respeitada, acatada, sob pena de se instalar um regime anárquico. E, pelo visto, o que os PeTralhas querem é calar. sufocar e emudecer as vozes que se opõem ao seu projeto de poder a qualquer custo, qual seja uma "democracia" socialista no melhor estilo cubano e outros sistemas políticos ditatoriais disfarçados de democráticos. Acorda, Brasil! Acordem, brasileiros!

Carlos Benedito Pereira da Silva advcpereira@ig.com.br

Rio Claro

*

PENAS VOANDO

Já que a voz embargada do povo não tem o poder de manter o resultado das sentenças dadas aos condenados no julgamento do mensalão, prevê-se, pelo andar da carruagem, que em breve o bando estará novamente em ação e festejando: "nós podemos fazer muito mais e melhor".

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

PIZZA

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes admitiram que os recursos chamados de "embargos de declaração" protocolado pelo 25 condenados do mensalão podem levar à modificação da decisão tomada pela corte. Pelo andar da carruagem, esse processo do mensalão já se transformou em uma pizza gigantesca.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PROPAGANDA ANTECIPADA

Paulo Skaf, "presidente" de araque da Fiesp vive parecendo na TV fazendo propaganda política visando sua candidatura ao governo do Estado de São Paulo e também em apoio à candidatura à reeleição de dona Dilma. O PSDB até agora somente ameaçou entrar com uma representação contra esta pouca vergonha mas, até agora nenhuma atitude realmente de oposição a isto foi tomada. Lula e Dilma parecem em propaganda dos petralhas falando um monte de mentiras só para inglês ver tentando enganar aos incautos mais desavisados do Brasil. São dois que nunca mereceram estar nos postos que ocuparam e ocupam por serem mentirosos, incompetentes e Lula, o mentor-mor do mensalão do PT. Caso a justiça realmente se fizesse presente Lula e seus asseclas mensaleiros já teriam tido seus julgamentos terminados e colocados em prisão de segurança máxima nos confins de Judas para verem o sol nascer bem quadradinho pelo resto de suas vidas, porém alguns ficam ocupando cadeiras na CCJ dando opiniões quando deveriam se calar e estar presos, outros ficam dando palestras e escrevendo artigos no "The New York Times". Tudo isso parece ser surreal, parecemos estar num país de faz de conta onde não existem leis, não existe justiça, não existe o mínimo de lógica em tudo o que vemos todos os dias com pessoas inocentes sendo mortas de maneira vil e assassinos soltos pelas ruas nos amedrontando e colocando as famílias atrás das grades de proteção! Ainda vem os tais dos direitos humanos defenderem estas menores infratores e assassinos e sem alma. Torço para que um destes defensores sofram na própria pele o que nós, cidadãos comuns estamos sofrendo todos os dias com esta violência diária, impunidade em todos os sentidos e níveis. Está na hora do basta, o povo brasileiro tem que se mobilizar contra tudo isto que nos afronta todos os dias e mudar as brandas leis em todos os aspectos para, aí sim, tornarmos este país um local justo para todos.

Boris Becker borisbecker54@gmail.com

São Paulo

*

FIESP

É constrangedor ver a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) ser tão acomodada, permitindo-se ser usada para fins políticos, como acontece hoje. Tudo muda, tudo avança, mas a Fiesp está na contramão. Já achava estranho que ela fosse presidida por um não industrial, mas tudo o que é ruim pode piorar, e deu a lógica.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

A DIREITA DE ALCKMIN

Surpreendeu-me a fala do governador de São Paulo, o tucano Geraldo Alckmin, dizendo que faltariam guilhotinas se o povo soubesse da metade do que é desviado. Se o senhor afiar este discurso e mandar às favas os partidos existentes e mesmo o PSDB, caso haja resistência de alas liberais, representaria uma novidade para 2014. Por isso, deve-se agir rápido. Veremos, assim, um possível divisor de águas, entre cães e leões. Só uma mente muito ingênua ou em situação de conformismo ou conforto, pensa que este Brasil mudará da noite para o dia através da democracia. Demorará décadas. Deve-se procurar uma guerra para chacoalhar o povo ou apontar um bode expiatório (políticos e bandidos do colarinho branco, por exemplo) e dar andamento ao processo de purificação nos três poderes. Pode-se montar em frente ao Congresso o grande palco, com a portentosa guilhotina, fazendo os culpados pelos nossos problemas descerem a rampa para o delírio do povo em frenesi. Os militares devem resguardar o território, em caso de intromissão, e no caso de insubordinação, o fuzilamento. Com o extermínio das oligarquias transformaremos o nordeste em uma Las Vegas, a Amazônia viraria um santuário e o petróleo nos traria a independência energética para mover nossa máquina de guerra que daria sustentabilidade para o nossa infalível glória.

Luiz Fabiano Alves Rosa fabiano_agt@hotmail.com

Antonina (PR)

*

CARTÃO RECOMEÇO

No decorrer da conceituação e reconceituação da profissão de assistente social, o termo "assistencialismo" foi definitivamente banido do serviço social. Somos profissionais comprometidos com o cidadão de direito e não na perspectiva do amparo ao "necessitado". Mas, na prática, vemo-nos de braços atados, temos de dançar conforme a música que o nosso governo impõe, criando um povo cada vez mais dependente, com Bolsa-Família e Auxílio Reclusão. E, como se não bastasse, o governo do Estado de São Paulo, nas mãos do sr. Geraldo Alckmin, lança o "Cartão Recomeço", destinado ao tratamento dos dependentes de crack. Auxílio Reclusão e Cartão Recomeço, nosso governo está investindo na consequência da falta de investimento na educação. Acorda, Brasil!

Rosângela Lopes rolopes20012@hotmail.com

Sarapuí

*

TIRO NO PÉ

As providências de cunho ideológico tomadas para resolver problemas sociais, como o atual cadastramento pela Prefeitura de São Paulo para famílias com filhos drogados, para receberem uma bolsa de R$ 1.300,00, vão acabar sendo um tiro no pé. Ao contrário de tratar o viciado em drogas, irão encher os bolsos dos traficantes de droga. Há que se amparar os usuários com medidas de saúde pública, e não inadequadamente, sustentado-os à custa dos contribuintes.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

A VOLTA DOS DROGADOS

Quem se queixou da retirada dos drogados do centro velho da cidade de São Paulo no final do governo Kassab, definindo-a, maldosamente, como sendo uma política higienista, deve estar satisfeitíssimo ao notar que os drogados e traficantes de drogas já retornaram aos mesmos locais, inclusive com suas barracas, transformando o local num ponto de concentração de miséria humana e social e de extrema imundície. Esta é a política humanista da administração petista em São Paulo. Agora vão-se formar as filas de cadastramento dos familiares que serão abençoados com uma bolsa de R$ 1.300,00 pelo fato de terem um infeliz drogado entre os seus, e certamente, como costuma acontecer em família de drogados, esse dinheiro vai acabar nas mãos ávidas dos fissurados para aplacar o seu vício. Lastimável!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

QUE DEPUTADOS SÃO ESTES?

Nossos deputados estão preocupados em votar o projeto "cura gay", com tantos problemas para serem solucionados neste país. Senhores deputados de qualquer partido, crença religiosa ou opção sexual, já pensaram em criar o projeto "cura corruptos e corruptíveis"? Olhem que aí mesmo tem muitos.

Therezinha Stella Romualdo there.stella@hotmail.com

Santos

*

JUSTIÇA NA IGREJA

Escrevo esta carta com o intuito de comentar sobre a matéria "Marco Feliciano já defendeu pastor acusado de estupro", publicada no dia 9/5/2013, que tratou sobre a defesa do deputado federal e pastor Marco Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, sobre a prisão do pastor evangélico Marcos Pereira da Silva, líder da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias acusado por estupro de fiéis de sua igreja. Foi com muita satisfação e interesse que li essa matéria, sinto que finalmente as autoridades estão se preocupando com esta onda de estupros, que estão assustando tantas pessoas no Brasil e no mundo a fora. Mas o que me entristece é o fato de a maioria desses crimes serem cometidos por líderes de igrejas e seguidores de Deus. Enoja-me ouvir falar sobre tantos estupros cometidos pelos "representantes de Deus", que, em alguns casos, se dizem vítimas de perseguição. E não é espantoso ver parte do governo agir a favor destes líderes, pois trabalham no mesmo ramo sujo e fora da lei, e envergonho-me ao perceber que o governo e as autoridades religiosas do Brasil são todos uma farsa. Porém o que me dá esperanças em relação a todo este acontecimento é que teremos ao menos um estuprador na cadeia. Espero que continuem investigando cada vez mais casos como este, do pastor Marcos Pereira da Silva, e também que investiguem outros casos de estupro, pois isso é um problema muito sério que temos, não só aqui no Brasil, mas no mundo inteiro, que é preciso ser resolvido não com pouca, mas com muita urgência e seriedade.

Camila Biachi camila.a.bianchi@hotmail.com

São Paulo

*

FEIRA DA MADRUGADA

A Prefeitura de São Paulo resolveu fechar definitivamente a "Feira da Madrugada" por ser insegura aos funcionários e milhares de pessoas que circulam por lá diariamente. Ele será fechado por não existir meios considerados seguros para escape num provável incêndio a exemplo da boate "Kiss" que matou mais de 200 pessoas no Rio Grande do Sul! O local é de propriedade do governo federal e há anos o prefeito Kassab já havia pedido melhorias, sem receber respostas. Se o problema na "Feira da Madruga" for insegurança contra incêndio, precisam dar uma olhada no "Shopping 25 de Março" que há anos é uma tragédia anunciada. Existem apenas dois locais de fuga, pequenos e estreitos onde milhares de pessoas se aboletam entrando e saindo segurando pacotes, etc. As escadas rolantes são estreitas e as escadas comuns são de difícil acesso a pessoas que desconhecem o local. Várias vezes esse shopping já foi interditado e engraçado que, quando reaberto, está inseguro do mesmo jeito. Parece que ele é de propriedade daquele chinês que cumpre pena por contrabando. Fica aqui uma pergunta clássica: Existe fiscalização no "Shopping 25 de Março" ou não? Melhor prevenir do que remediar antes que a prefeitura tenha de pagar num provável sinistro indenizações milionárias!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

DIA DAS MÃES

Os irmãos Cravinhos assassinaram um casal de pais. A "noça justissa" vai soltá-los para o "Dia das Mães"...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

SENADOR SUPLICY

José Piacsek Neto (comentário "Bom de Voto", "Fórum dos Leitores" de 8/5) fez uma avaliação com base em informações incompletas sobre o senador Eduardo Matarazzo Suplicy. Gostaria de lembrar que o senador obteve votações cada vez maiores, a saber (em 1990, 4.229.706 milhões de votos, 30%; em 1998 6.718.463, 43,07%; em 2006, 8.986.803 votos, 47,82%). Além disso, o senador Suplicy, em todas as 17 edições da pesquisa do DIAP, "Cabeças do Congresso", sempre foi incluído. Da mesma forma, nas votações feitas pelo site do Congresso em Foco sempre foi apontado (por mais de 180 jornalistas e 200 mil internautas) entre os 10 melhores senadores, e na última edição, em 2012, foi eleito o melhor senador. O projeto do senador Suplicy que institui a renda básica de cidadania, foi aprovado por todos os partidos no Congresso Nacional e sancionado em lei (Lei 10.835/2004) em ou 8 de janeiro de 2004 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na última semana o senador apresentou, no Congresso Norte-Americano da Renda Básica em Nova York, o trabalho sobre a Ley Marco de La Renta Básica, elaborado juntamente com mais três parlamentares da Venezuela, Equador e Uruguai, e que foi aprovado na Secção Geral do Parlamento Latino Americano. O mesmo passará a ser analisado pelas Assembleias Nacionais dos países da América Latina e Caribe.

Rosa Maria Wasem wasem@senado.gov.br

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.