Fórum dos Leitores

BRASIL DAS MARAVILHAS

O Estado de S.Paulo

12 Maio 2013 | 02h05

Dez anos de PT

Vendo o programa do partido (9/5), tive a impressão de estar assistindo a uma campanha política cheia de promessas, como as feitas outrora. Apareceu Guido Mantega, ministro da Fazenda, afirmando que a inflação está sob controle. Apareceu Lula dizendo que o Brasil melhorou muito, principalmente para aqueles que recebem Bolsa-Família. Como o PT não perde tempo, mostraram-nos vários estádios de futebol que estão sendo construídos - com dinheiro dos contribuintes! Não sei se por distração, não ouvi a "presidenta" Dilma Rousseff manifestar-se a respeito das obras para a transposição do Rio São Francisco, pois teríamos a oportunidade de ver bilhões de reais desperdiçados em materiais, como areia e cimento, que se encontram espalhados por dezenas de quilômetros do solo nordestino.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Que país é esse?

Moro no Brasil. Ando por ruas e estradas esburacadas, onduladas, mal sinalizadas, mal iluminadas e inseguras. Sou humilhado cada vez que procuro um serviço de saúde público, correndo o risco de não ser atendido por falta de profissionais e materiais e, ainda, de ficar deitado em maca ou no chão. Meus filhos estudam em escolas caindo aos pedaços, sem recursos técnicos, com professores mal remunerados e desmotivados. Vivo em risco de ser assaltado ou até morto, mesmo que não reaja ao bandido. Pago impostos até na comida e nos remédios, caríssimos, por sinal, e recebo muito pouco em troca. Convivo com corrupção em todos os níveis e impunidade dos corruptos e corruptores. Recebo aposentadoria irrisória, que não permite meu sustento. Enfim, em cada área, uma mazela. Mas tenho a solução: vou votar no partido de Dilma e Lula e viver no país maravilha que eles mostram na televisão.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Retórica passional

O ministro Mantega, desta vez com a bancada dos companheiros, corrobora a nova genialidade na teoria econômica petista, introduzida pela presidente Dilma, segundo a qual "criar empregos é tão ou mais importante do que o PIB". Ou seja, o petismo consegue criar, frise-se, empregos independentemente do crescimento econômico e, por consequência, do produto interno bruto (PIB). De onde tiraram isso não sei. Todavia sei que, como de hábito, se trata de mais uma estratégia de retórica passional a confundir os menos avisados diante da grave situação econômica.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Que fase!

Não sei o que é pior. Se é ter um ministro como Guido Mantega, falando abobrinhas, como "gerar empregos é tão ou mais importante do que o PIB", no momento em que o desemprego, ainda que lentamente, aumenta e o crescimento do PIB - que poderia sustentar, somente assim, a estabilidade do emprego -, neste ano, pelas projeções, talvez não ultrapasse os ridículos 2%. Ou ter aliados como esses do Congresso Nacional que põem a presidente Dilma literalmente de joelhos para tentar aprovar a MP dos Portos... Que fase esta do petismo!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

GOVERNO DILMA

Baderna institucional

Somos ou não um país peculiar, que acomoda exemplos de bagunça institucional como nenhum outro no mundo democrático? Depois da bizarrice vista durante o julgamento do mensalão, quando o ministro Joaquim Barbosa teve de acumular as funções de relator do processo e presidente do STF, agora é a vez de Afif Domingos dar mais uma demonstração do nosso exotismo: vai somar à sua posição de vice-governador de São Paulo a chefia da tal pasta da Micro e Pequena Empresa. Desta feita, porém, há uma agravante: Afif servirá, simultaneamente, à presidente Dilma e ao governador Alckmin, membro do maior partido de oposição à administração federal! O caso de Afif desnuda o que talvez seja uma das maiores deficiências do aparato político brasileiro, agravado depois da chegada do PT ao poder: a falta total de apego a convicções ideológicas, que sempre serviram, em qualquer lugar do mundo, para fortalecer a democracia. Aqui ideologia não tem vez, a regra é deixar-se guiar pelo oportunismo mais rasteiro, alimentado pela sanha totalitária petista. Enquanto isso, a política no Brasil - e, por conseguinte, a democracia - vai ficando cada vez mais débil.

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

Esquizofrenia

Lembram-se de Afif em campanha presidencial com o jingle Juntos chegaremos lá? Pois é, com ele realmente chegamos lá, numa inédita e esquizofrênica situação política nunca antes vista neste país, já que é vice-governador de um Estado oposicionista do governo federal, ao qual também vai servir. A coerência deixa de existir quando a ambição fala mais alto. Principalmente para os fracos de caráter...

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS

zambonelias@estadao.com.br

Marília

Vende-se

No passado o sr. Afif "vendeu" o PL, uma opção que deveria ser ideal em política, pela liberdade de absorver ideais e programas bons, viessem de onde viessem. Confirma agora estar sempre "à venda", muito triste.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

A semente da discórdia

Minha São Paulo não é mais a mesma, parece que a pirotecnia administrativa tomou conta deste lugar. Se olharmos através de uma lupa limpa da poeira político-partidária, dá para notar que deve ser do interesse de alguns que nosso Estado tenha um vice-governador que pretende cumprir dupla jornada, assumindo o cargo de ministro, e ao mesmo tempo seja dublê de governador quando o titular estiver ausente. Imagino que os mesmos companheiros que instalaram dois prefeitos no Viaduto do Chá, um que administra e o outro que supostamente nomeia e dá ordens aos secretários do primeiro, são os responsáveis por plantar a semente da discórdia por aqui. O lema é dividir para governar.

LEON DINIZ

leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

Mangabeira Unger 2

"Não sirvo a dois senhores", diz Afif. Gente, o homem está certo! De fato, não serve mesmo a dois senhores, ele serve apenas a uma senhora...

CAIO LUIZ ARRUDA BOTELHO

cbotelho50@gmail.com

São Paulo

O PASSADO NÃO GARANTE O FUTURO

Assim como Lula, em 1987, disse que Ademar de Barros e Maluf eram ladrões, mas perto de Sarney eles pareciam trombadinhas, numa referência aos assaltos que Sarney fazia quando governava o País, antes de Dilma Rousseff se eleger, Guilherme Afif Domingos disse: "Eleger Dilma é a mesma coisa que você entregar um Boeing para quem nunca pilotou um teco-teco". Como a história sempre se repete, hoje Afif pilota o teco-teco sem ter brevê e está tudo certo. Quanto a Lula, Sarney e Maluf, todos se lembram da foto de Lula no jardim de Maluf e das diversas defesas de Lula a Sarney, inclusive quando disse que ele não era um homem comum. Política é a arte de enganar o eleitor e, pelo visto, ele gosta de ser enganado. Brasil, um país de tolos.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

VANTAGENS

É impressionante o que se faz politicamente para poder manter o poder e obter vantagens neste país, a qualquer preço e condições. Basta ver a atitude de Dilma Rousseff, que, para atrair o PSD ao PT, sela aliança ignorando até a Constituição, que determina não poder haver acúmulos de cargos públicos. Criando o 39.º Ministério, o da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, e convidando Guilherme Afif Domingos, vice-governador de São Paulo, para comandá-lo, a finalidade é acomodar o partido do ex-prefeito Gilberto Kassab e, desta forma, assegurar mais tempo de televisão (1m39s) para a propaganda política do PT.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O BEIJA-MÃO

O "Estadão" publicou na sexta-feira (10/5) no primeiro caderno uma destacada e colorida foto do tradicional beija-mão, em sinal de agradecimento, dado à presidente Dilma pelo vice-governador de São Paulo, sr. Guilherme Afif Domingos (PSD), em sua posse, por ter-lo nomeado ministro-secretário da Micro e Pequena Empresa. Até aí, nada de mais. O que causa tristeza, consternação aos paulistanos, é que, no seu discurso de posse, ele disse que não servirá "a dois senhores" e que, se tiver que renunciar a um dos cargos, só o fará por "decisão judicial" e será ao de vice-governador, esquecendo-se de que o cargo de ministro-secretário é demissível "ad-nutum", isto é, pela vontade própria da presidente, visto ser cargo de confiança. Além do mais, o cargo de vice-governador é eleito simultaneamente com o de governador e tem todas as garantias constitucionais. Só quem tem amor cego por si mesmo, uma vaidade que atinge as raias da idolatria, é que não vê a incerteza do ato que está praticando, que poderá vir em detrimento de uma situação já consolidada constitucionalmente e de uma falta de respeito ao Estado e aos seus eleitores, cujos votos serão considerados inócuos. O ministro-secretário em tela já entra para o governo sofrendo "capitis deminutio" (diminuição de poder), se não agir de acordo com a Comissão de Ética presidencial, que irá fiscalizar suas atividades, para depois julgá-lo. Este colegiado presidencial tem a "facultas exigendi" (faculdade de exigir, poder de exigir).

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

FALTA DE CARÁTER

Ainda bem que, a partir do próximo ano, não terei mais a obrigação legal de votar. Depois desta do sr. Afif Domingos e, contrariando o que sempre apregoei aos meus filhos, a vontade que tenho é de sumir. Nosso país padece da doença "falta de caráter" da maioria dos homens públicos. Decepcionante.

Marcos Antônio Scuccuglia sasocram@ig.com.br

Santo André

*

NÃO PRESTA

A foto estampada na capa do "Estadão" (10/5) dá uma tristeza! A que ponto chega um homem pelo poder? Afif Domingos traiu todos seus eleitores por um carguinho chinfrim no governo que um dia demonizou. Bem que antigamente nossos pais diziam: "Não confie em homem que beija a mão de uma mulher, porque não presta"! E não é que eles tinham razão? Só que Afif se mostrou traidor de todo um estado e pagará caro por esse beijo dado em tom de subserviência a um governo que um dia chamou de corrupto! Em São Paulo ele não se elegerá nem para sindico de condomínio! Todo beijo tem seu preço e Afif se desnudou. Mostrou sua verdadeira cara. Ganhamos nós, paulistas!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

FIDELIDADE PARTIDÁRIA

Vendo a foto patética do Afif no beija-mão da sua nova "chefona", fico me questionando: Onde foi parar a tal lei da fidelidade partidária? O político eleito em uma determinada sigla partidária não teria a obrigação de ter o mandato vinculado ao partido? Jamais votei ou votarei no PT, mas volta e meia vejo gente em que votei e fazia oposição ao "lulismo, petismo, dilmismo", aderindo oportunisticamente a essa gente, e ainda manter o cargo que lhe foi confiado por sua ideologia anterior. Isso é correto? O Afif poderia responder essa pergunta?

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

IRMÃS GÊMEAS IMORAIS

Ensarilhando minhas armas no último ano, sempre fui um escritor ferrenho de cartas aos jornais há mais de 30 anos, com o recorde de mais de mil textos na última década, mesmo não sendo todas publicadas, mas era a única maneira de protestar contra os desmandos de governos seguidos, sendo a arma com a qual me dava o direito de me rebelar sem baderna, sem falso patriotismo. Muitos reclamam do exagero da fama negativa atribuída aos políticos, mas na sexta-feira, ao ver estampada na primeira página dos jornais a figura repulsiva do sr. Afif Domingos, subserviente, camuflando uma elegância inexistente em troca de um suposto comportamento ético-social, para impressionar, causou-me nojo, revoltou-me as entranhas ao presenciar cena tão degradante a que chega um político por simples interesse, mesmo desdizendo o tanto que disse. O baixo comportamento dos políticos, por interesses, entrega-se sempre nas mãos das irmãs gêmeas da imoralidade - "fanatismo e subserviência - o degrau mais baixo que o ser humano pode descer na escala social, para alcançar seus objetivos duvidosos. Repetindo o antigo refrão popular de que "quem muito se abaixa os fundos aparecem", o sr. Afif Domingos mostrou os seus para todo o País sem qualquer pudor, tirando a máscara da face e se igualando aos demais políticos demagogos.

João Roberto Gullino jrobertogullino@gmail.com

Petrópolis (RJ)

*

ERROU O ALVO

Circulou na sexta-feira na imprensa e na internet foto de Guilherme Afif Domingos beijando a mão de dona Dilma. Ele deveria ter-se baixado um pouco mais e beija do pé. Errou o alvo.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

DESRRESPEITO ABSURDO

Afif Domingos, dos políticos brasileiros atuais, era um dos poucos que me parecia merecer algum respeito. Entretanto, esse senhor Afif, ao aceitar cargo no governo do PT, demonstrou não ter nenhum princípio ético, além de desrespeitar vergonhosamente seus governados. E, a partir de agora, de mim, particularmente merece apenas repulsa, desprezo, e nojo.

Sansão José da Silva sansao@sansaojsilva.com.br

Uberlândia (MG)

*

CALAMIDADE

O contexto da ida de Afif para ministério de Dilma retrata a calamidade moral da política brasileira.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

BOAS VINDAS

Guilherme Afif afirma que debate sobre acúmulo de cargos é "política". Diz, ainda, que críticas contundentes a Dilma eram "retórica política". Caro (aliás, caríssimo) senhor: independentemente de o senhor abrir mão de uma de suas fontes de renda, o caráter da coisa não é político, mas sim moral e ético. Com suas últimas atitudes e palavras percebe-se que tais valores foram jogados no lixo, e que sua capacidade de ajustar-se em qualquer ambiente fétido é tão grande quanto o criador de seu partido e seus cooptadores. Servir a dois senhores tão díspares mostra quão flexível é o seu arcabouço ético e moral. Seja bem-vindo ao que de mais baixo existe na política deste país.

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

*

VIROU BAGUNÇA

No afã de conquistar mais apoios, a presidente Dilma Rousseff convidou o vice-governador de São Paulo, sr. Guilherme Afif Domingos, para o cargo de ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa no governo federal. E no afã de se dar bem, ele aceitou. Só que acumulando as duas funções. Mas que ninguém se engane: a aberração deverá ser examinada pela Comissão de Ética da Presidência na próxima reunião do colegiado. Pelo menos é o que espera boa parte da população brasileira. A parte boa, outrora mais numerosa e esperançosa.

João Direnna joao_direnna@hotmail.com

Quissamã (RJ)

*

ALI BABÁ

Mais um mi(ni)stério: Esbórnia sem fim! Já trinta e nove ministérios! Quase quarenta, e faz-me lembrar de Ali Babá!

Jorge de Azevedo Pires jorpires@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

TAL QUAL

O 39.º Ministério me fez lembrar do conto "Ali Babá e os 40 Ladrões".

Luís Afonso P. Offa offa@uol.com.br

Jundiaí

*

FALTA UM

Se Dilma criar mais um ministério totalizando quarenta, o Brasil terá um governo das mil e uma noites: Ali-Babá e os 40 ladrões.

Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br

São Paulo

*

OUTRA DECEPÇÃO

A política no Brasil que já andava deteriorada desde 2003, com a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, agora, apodreceu de vez. A nuvem tóxica vinda Brasília, atingiu São Paulo na última segunda-feira, com a nomeação de Guilherme Afif Domingos (PSD), vice-governador, para comandar a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, o 39º ministério da era Dilma Rousseff. Mais R$ 8 milhões por ano desperdiçados. A população do maior Estado da Federação e da Capital que já sofre com a poluição sonora, com índices insuportáveis de monóxido de carbono, terão que conviver com mais esse odor fétido no ar. A conclusão que se chega, é que todos são farinhas do mesmo saco, troca-se o bolo, porém, as moscas-varejeiras são sempre as mesmas que infectam ainda mais as feridas difíceis de cicatrização. Em todos os pleitos, eleitores deixam seus lares, para cumprirem o dever patriótico de votar e escolher, o que já é difícil, seus representantes e mais tarde, são surpreendidos com alianças viciosas, sujas, espúrias, ajeitadas exclusivamente em nome do poder. Cá pra nós, sair de casa para tomar parte nessa farsa, ninguém aguenta mais, eu pelo menos, já cansei. "Até quando, Catilina, abusarás de nossa paciência?!" (Cícero, 65 a.C).

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

O PT E SUAS ALIANÇAS

Muitos criticam, com razão, as alianças que o PT tem feito ao longo desses 10 anos e 4 meses. Sim, o PT, à semelhança do PSDB, faz alianças com pessoas e partidos que têm uma história, digamos, diferente do partido criado por Lula. No entanto, faz-se necessário lembrar que, apesar dessas alianças, o PT não abandonou sua principal bandeira, a inserção social. Os diversos programas sociais do PT (Brasil Sem Miséria, Brasil Carinhoso, Bolsa Família, Bolsa Escola, ProUni, Minha Casa, Minha Vida, Brasil Alfabetizado, ProUni, Brasil sem Miséria, Cadastro Único dos Programas Sociais, Programa de Aquisição de Alimentos, Programa Nacional de Ensino Técnico e Emprego e outros) foram responsáveis pela inclusão social de milhões de brasileiros. Graças, principalmente, a esses programas mais de 19 milhões de empregos formais foram criados (os programas sociais trouxeram milhões da economia de subsistência para o mercado consumidor, o que ajudou na geração de tantos empregos), dezenas de milhões de brasileiros saíram da extrema pobreza, foram concedidas mais de um milhão de bolsas para estudantes universitários etc. Não nos esqueçamos também do aumento real de 70% do salário mínimo. Tudo isso sem a necessidade de privatizar baratinho.

Mauricio Nardi Jr. mauricionardi@hotmail.com

Valinhos

*

PALHAÇADA

Antigamente, os políticos faziam do futebol e carnaval o circo que alienava a população. Hoje usam o próprio processo político para levantar a lona e como mágicos, iludirem o povo com o jogo de cena entre oposição e situação, seja lá quem for que ocupe uma ou outra posição, independentemente do regime político-econômico. Uma coisa não mudou: os "palhaços" não estão no picadeiro, mas, sim, ao redor dele... divertindo a classe política.

Geraldo Dias planejaci@coop-sp.com.br

São Bernardo do Campo

*

ACÚMULO DE CARGOS

Um país com 39 ministérios não pode ser um país sério. Isso é coisa que se sabe há muito tempo. Que o país é surrealista também é coisa notória. Agora, um ministro "anfíbio" é coisa inédita. O governo Dilma não precisava exagerar.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

CONSOLO

Que pelo menos a presidenta saiba o nome de todos seus ministros...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

AFIF DOMINGOS

Vice-governador do Geraldo Alckmin e ministro da dona Dilma? Sempre ouvi falar que ninguém pode servir a um senhor e a uma senhora ao mesmo tempo porque ou há de aborrecer-se de um e amar a outra, ou se devotará a uma e desprezará ao outro. Não se pode servir ao "deus" do PSDB e às "riquezas" do PT.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

PROJETO ANTIDEMOCRÁTICO

Como forma de conseguir mais apoio para sua reeleição, a presidente petista cria mais um ministério e o que é uma decepção para os paulistas, que acreditavam na coerência do escolhido. O senhor Afif Domingos, inventor do impostômetro e forte oponente do petismo, acabou rendendo-se a um projeto de governo antidemocrático e que abriga descompromissados com a ética.

Carlos Rolim Affonso profrolim@globo.com

São Paulo

*

OPOSIÇÃO DECEPCIONADA

O fato de o governador Geraldo Alckmin parabenizar e aplaudir a presidente por ter escolhido Guilherme Afif Domingos para a Secretaria de Micro e Pequena Empresa e parte do PSDB se curvar perante este governo petista, por esta escolha, que recebeu com entusiasmo essa manobra esperta para Dilma ampliar a sua base de sustentação para as eleições de 2014, foi uma decepção para o eleitorado da oposição. Ainda bem que está despontando como opção o governador Eduardo Campos como candidato a presidente.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

VALE TUDO

Em foto recente mostrada pela imprensa, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), aparece feliz e sorridente ao lado da "presidenta" Dilma Rousseff na posse do vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD) para assumir a Secretária da Micro e Pequena Empresa. Como perguntar não é ofensa, governador Geraldo Alckmin, de que lado o senhor está? Ou será que o senhor também é daqueles que acredita que na política vale tudo?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

NO POLEIRO PETISTA

É por essa e por outras que se constata que PT e PSDB são farinha do mesmo saco. Como toda quadrilha, só se estranham na divisão do butim.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

GOL DE PLACA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Muito tem se comentado sobre Guilherme Afif (PSD), mas como cidadão paulista eu torço para que ele continue como vice-governador do Estado de São Paulo e à frente da presidência do Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas (PPPs) do Estado, a fim de entregar em outubro de 2013 o processo licitatório do Trem Intercidades (430 km), que ligará a capital a 12 cidades paulistas. Será um gol de placa do Estado de São Paulo!

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

TOLERÂNCIA ZERO

Há poucos dias, quando sua filha fora vítima de uma tentativa de assalto, o vice Afif Domingos clamou pela tolerância zero em relação ao crime. Agora que ele se lança para novos voos rumo ao governo do PT não seria o caso de termos uma tolerância zero na política, de total fidelidade partidária e impossibilidade de migração de cargos em prol do interesse pessoal?

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

COMISSÃO

Quanto à análise da Comissão de Ética, se o agora ministro Guilherme Afif Domingos poderá acumular dois cargos, o de vice-governador de São Paulo e o de ministro de Estado, a conclusão (da dita comissão) será a de que se houver necessidade de ser ocupado o cargo de governador por algum motivo de vacância no cargo, terá que se demitir do cargo de ministro. A conclusão mesmo que interessa é o tal do voto para 2014. O resto é conversa.

José Piacsek Net bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

O JEITO PT DE GOVERNAR

Como os políticos podem ser tão canalhas a ponto de chegar a colocar o País em risco, para se beneficiarem com as suas atitudes?

Gilberto Lima Junqueira glima@keynet.com.br

Ribeirão Preto

*

A OPOSIÇÃO CONTRA O POVO

Dizer que temos partidos de oposição é engano e ingenuidade. Outro dia o senador Aécio Neves candidato à presidência da República discursou fazendo críticas ao governo Dilma e, na outra semana, já estava com ela no mesmo palanque. Isto é conceito de opositor? Não há ideais, tudo gira em torno de cargos e de se arranjar. Talvez dos 29 partidos políticos existentes tenhamos um ou outro sem uma mamadeira. O cabide de emprego aumentou com a criação do 39º ministério. A Secretaria da Micro e Pequena Empresa, tendo como ministro o sr. Afif Domingues, que ganhará R$ 26 mil, além de ser vice-governador de São Paulo, um dos idealizadores do "Impostômetro", que marca quanto o brasileiro paga de imposto no País. Hoje sendo ministro o sr. Afif, é possível que tenha de se desfazer disso, vamos aguardar para ver, uma vez que foi até há pouco tempo oposição e não é mais. Resta saber se poderá acumular ao mesmo tempo os dois cargos. Não temos oposição a não ser a de alguns congressistas veteranos e de uma pequena parcela da mídia. Aquela mídia que chamo de inteligente e centenária. Nas eleições para a prefeitura da cidade onde resido trabalhei para um tablóide que fazia oposição ao atual prefeito que vencera as eleições. Depois disso o dono do jornal apareceu em fotos no gabinete do prefeito e nada mais publicou contra. Tornou-se caudatário do adversário. Acabou-se a campanha acabou também a oposição. E viva a gasolina! Assim é em todo o Brasil. Dignidade, honestidade, caráter e ideais são para homens. Entretanto, pouco a pouco está nascendo uma oposição como fogo num palheiro: é a opinião pública que se não for respeitada poderá se tornar em vendavais e furacões. O povo está se conscientizando de que eleger pessoas que se esquecem do cidadão e pouco se lixa para ele, não está dando resultados, porque tudo vem para prejudicar a sociedade; as leis são contra a cidadania e a oposição política partidária está contra a população, que poderá se tornar perigosa aos que duvidam da opinião pública, que seguirá os ditames da exigência fervorosa a exigir reformas imediatas para mandatários pachorrentos que se não atenderem a tempo não serão reeleitos. Veja o tamanho da população brasileira? Acham que o povo é bobo? Até parece... A onda está crescendo e pode se transformar num tsunami diante da falta de atitudes contra os assassinatos diários de cidadãos por bandidos, frios e sanguinários, maiores ou menores de idade, protegidos por uma legislação leniente e fracassada cujas cláusulas pétreas deveriam sem perca de tempo de ser implodidas e extintas, porque deixam a população agitada que pede por mudanças não atendidas. Políticos continuam sonhando, vivem repletos de seguranças e carros blindados, sonham como se os cargos que ocupam fossem eternos e que não estivessem por um fio. Outubro de 2014 será o tempo da transformação, da mudança deste cenário triste que não dá perspectivas ao povo deste país. Poderão e serão julgados e expurgados nas próximas eleições. Além de tudo, não são os povos que provocam as revoluções, são os próprios governantes pela audácia, pelo orgulho e falsidades. Os que acham que o povo não optará por mudanças radicais, pelo voto, não reelegendo nenhum picareta, ou se não hesitará em pedir a intervenção das Forças Armadas para colocar o País nos eixos, cassando mandatos e confiscando tudo que roubaram do erário brasileiro, ampliando a segurança pública que está um caos, estão completamente enganados. O povo recorrerá a qualquer meio para escapar são e salvo dessa arapuca, dessa sinuca em que o governo o colocou sem meios de defesa para viver. A oposição política partidária está contra o povo e, portanto, contra o País. Não está contra os absurdos, contra as falcatruas, contra os assassinatos de inocentes, contra o desmantelamento da família, contra os roubos e a corrupção sem tamanho. Ainda querem controlar a Justiça, ditar regras ao Supremo Tribunal Federal. Parece até que provocam a opinião pública. Ora, a maioria da Câmara livrou a deputada ladrona Jaqueline Roriz, dentre outros, flagrada filmada escondendo um pacotão de dinheiro na bolsa, de ser cassada. São esses os mesmos caras que querem ditar regras e dar a palavra final ao Supremo Tribunal Federal? Se o STF condenou, está condenado! A Câmara é que vai livrar como livrou a Jacqueline Roriz? Querem ver o que o povo acha? O povo já está tocando fogo em ônibus por nada. Dinamites estão sumindo das pedreiras. Fuzis e metralhadoras sendo encontradas em caminhões. Aonde a politicalha quer chegar, acham mesmo que o povo cairá nessa arapuca de enganação? Nessa esparrela em que o governo nos colocou? Caminhamos para a anarquia. O governo não quer modificar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que dá ficha limpa aos bandidos assassinos por considerar cláusula pétrea. Isto é cláusula pétrea dos infernos. O povo não deverá reeleger ninguém porque se o fizer continuará sendo assassinado por bandidos que têm dos políticos todo o apoio porque não querem modificar a lei ajustando-a para a realidade. Não chorem e não peçam por justiça, pois ela não existe; melhor é não reeleger nenhum político. Eleger somente quem se declarar contra essas leis que provocam a criminalidade. Acabar com a progressão, com os recursos, com a prescrição, com o Bolsa-Presídio que incentiva o crime, porque na visão do bandido matar é ganhar sem trabalhar, acabar com o ECA e com outros absurdos.

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

*

OS PTS

Segundo as declarações de Lula, contidas na publicação "10 Anos de Governos Pós-Neoliberais no Brasil: Lula e Dilma", pode-se depreender que existem dois PTs: o PT imaginário, puro, virgem e imaculado, de nobres virtudes, vermelho e branco, conforme foi idealizado quando fundado, e o PT real, safo, velho de guerra, multicolorido e tuttifrutti, que aprendeu a bailar conforme toca a orquestra. Entre o sonho e a realidade, o Brasil segue rumo ao precipício. Perda Total.

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

NUNCA ANTES NESTE PAÍS...

O ex presidente Lula, no início de sua gestão em 2003, não admitia que FHC desse opiniões ao governo eleito; hoje, ele abelhudo como ele, usa avião da presidência, faz reuniões em hotéis de luxo em São Paulo em Belo Horizonte com mensaleiros, Antonio Palocci e Ruy Falcão, mais a presidente Dilma Rousseff (Planalto pagando), vai ao Maracanã ver jogo (amigos de Ronaldo x amigos de Bebeto), foi o estádio Mané Garrincha "examinar" o gramado; a presidente recebeu o dirigente egípcio de manhã e ele (Lula) à tarde no Palácio do Planalto. Por que não marcou no Instituto Lula, que também recebeu de presente, pare de usar dinheiro público, quer fazer marketing, faça à custa do PT; já levou 11 carretas de presente indevidamente - se aposente! Põe o pijama, sem manca!

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

LULA E OS DOIS PTS

Nos, eleitores, também sabemos que existem dois PTs, não é necessário o apedeuta Lula nos lembrar disso. Conhecemos o PT "eleitoreiro", que mente como nunca antes tivesse ocorrido neste país, quando das campanhas políticas para eleições. Maquiando ou mudando alguns dados como: resultados do PAC, exportação, produção do estaleiro naval, uso do veículo aéreo não tripulável para policiar nossas divisas contra a entrada de drogas e armamentos, crescimento do PIB, Taxa de inflação, saúde, educação, moradia e combate a violência, transposição do Rio São Francisco e combate á seca do Nordeste, para citar algumas mentiras escabrosas. Bem como também conhecemos o PT da "base", da truculência e dos mensaleiros , dos aloprados, dos dólares na cueca, da Rosemary, da investida permanente contra a liberdade de imprensa, da luta insana para amordaçar o Ministério Público, da PEC para limitar e censurar os trabalhos do STF, casos Celso Daniel e Toninho do PT e da ajuda financeira constante aos países como Cuba, Venezuela, Bolívia, e apoio político ao Irã, Síria, Líbia do Kadafi e Coreia do Norte. Portanto, senhor Lula, nós, brasileiros trabalhadores, que pagamos todos os nossos impostos em dia e nunca necessitaremos de nenhuma "benesse" deste (des)governo PeTralha, conhecemos e muito bem os dois PTs, e temos uma vergonha política imensa de que o Brasil com o PT esteja no mesmo nível das republiquetas de bananas e bolivarianas da América do Sul, decadentes e falidas.

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

OPOSIÇÃO DA OPOSIÇÃO

Lula consegue ser o demagogo dos demagogos. Agora tá querendo dar uma de opositor ao seu próprio "governo". Incrível!

Ricardo Sanazaro Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

ADMINISTRAÇÃO PETISTA

Moro em São Bernardo do Campo, e com apoio do Sr. Lula e uma enxurrada de dinheiro do Planalto, o PT conseguiu novo mandato em nossa cidade. Mas como em matéria de criatividade os petistas são imbatíveis, aqui vai mais uma: pelo menos quatro obras com gastos vultosos alardeados na campanha para reeleição estão com o prazo de entrega atrasados, então, qual a melhor solução: simplesmente apagaram as datas de conclusão das mesmas, sendo que este item é obrigatório que conste nas placas de execução das obras em nossa cidade.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

VENEZUELA

Eis que o Sr. Nicolás Maduro, presidente da Venezuela do eficiente socialismo, em visita ao Brasil pede ajuda emergencial ao abastecimento de alimentos diante da escassez, e a desenvolver a agricultura, além de apoio diante da crise do setor elétrico, e sobre a qual o assessor especial da presidente Dilma, o notório cubanófilo Marco Aurélio Garcia, justifica o pedido venezuelano dizendo "eles têm gás, têm petróleo e não têm razão para sofrer problemas de abastecimento de eletricidade". A propósito, o assessor convenientemente deixou de considerar desses mesmos problemas que nos afligem, e de que este governo que nos pede, deve e não paga em torno de US$ 8.5 bilhões, pela participação no capital da Usina Abreu e Lima, em Pernambuco, sonho delirante do lulismo com o chavismo.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

PAPEL HIGIÊNICO

Nicolas Maduro veio pedir ajuda a Dilma para abastecer a Venezuela. Dizem que as filas para comprar papel higiênico são quilométricas, naquelas bandas. Por que será que nos países socialistas nunca há papel higiênico?

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

TÉDIO

Maduro ganhou uma eleição limpa na Venezuela. Foi apertado, mas ganhou. Se tivesse havido fraude a diferença teria sido maior, para não dar margem a dúvidas. Chega dessa história de divulgar fatos tendenciosos e mentirosos de fins interesseiros e a mando das grandes forças econômicas, tipo EUA e Cia. Já virou rotina e ficou muito tedioso. Vamos jogar limpo e apenas com a verdade dos fatos.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

*

ABRA OS OLHOS E ACEITE-SE

Fiquei muito revoltado ao ler a matéria "Mulher morre após 6 plásticas em Pinheiros", de Bábara Ferreira Santos, no dia 8 de maio de 2013, que vem a contar sobre a morte de uma mulher, Janir Tuffani, de 48, diretora, que em sua 6º cirurgia plástica faleceu no hospital Salt Lake, em Pinheiros, no mesmo hospital onde já havia morrido outra mulher de 41 anos a menos de 6 meses e a polícia procura ligação entre esses dois acontecimentos. Após o término de minha leitura, me chamou a atenção o fato de que as pessoas estão cada vez mais insatisfeitas com seu próprio corpo e para se sentirem melhores consigo mesmas acabam fechando os olhos para os riscos e problemas que podem adquirir depois da cirurgia. Não estou dizendo que a culpa é de Janir, mas ela antes de realizar esse procedimento deveria verificar os riscos a sua saúde. Logo após me perguntei duas coisas. O que leva um médico perceber que uma mulher morre e não ver o que deu de errado para corrigir e impedir que ocorra com outra pessoa, pois não foi isso que ocorreu? E outra pergunta que me veio a cabeça foi: Por que nós brasileiros fechamos os olhos para as consequências só para ter um corpo melhor? Em assuntos que envolvem a nossa vida deveríamos abrir mais ainda nossos olhos. Eu sou a favor que nós seres humanos deixemos de ser a única espécie que procura defeitos ao se olhar no espelho. Acredito que essas cirurgias só devessem ser feitas para corrigir uma deformidade causada pelo nascimento ou acidente. Gostaria que todos pensássemos igual e quando nos víssemos pelo espelho aceitássemos como somos e abríssemos os olhos para riscos tanto para nós, quanto para os outros para impedir que tais acontecimentos se repetissem.

Raphael de Freitas Espíndola espindola-raphael@bol.com.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.