Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

01 Julho 2013 | 02h12

Decadência

A queda de 27 pontos da popularidade da presidente, conforme pesquisa Datafolha, e o ex se escondendo mostram a decadência de um (des)governo que está chegando ao fim. O motivo é que os brasileiros estão cansados - e indignados! - de tanta mentira, corrupção, impunidade, incompetência e da inflação, que está corroendo o seu salário! Que continuem essas manifestações por um Brasil melhor.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA
jwlcosta@bol.com.br
São Paulo

*
Vai cair mais

Enquanto seu índice de aprovação despenca para 30%, Dilma Rousseff alardeia promessa de diálogo reunindo-se com entidades chapa-branca, que não engrossaram os protestos. Para esse grupo, o interesse é que, assim como no quartel de Abrantes, tudo permaneça como dantes. Mudar o que já está muito bom para eles para quê? Desse jeito, a aprovação da presidente vai a 15% na próxima pesquisa.

RONALDO GOMES FERRAZ
ronferraz@globo.com
Rio de Janeiro

*
Derreteu

A popularidade da sra. Dilma como presidente da República, literalmente, derreteu. Prova de que as reações dela e as propostas feitas não foram aceitas, porque não é mais possível continuar enganando. O pior de tudo é termos de suportar essa senhora por mais um período à frente do País. E agora, Lula? Vai explicar aos brasileiros "tudo isso que está aí"? As lideranças do PMDB já devem estar procurando a "porta de saída" desse governo incompetente. Ou vão permanecer para o velório? 

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES
ammoraes57@hotmail.com
São Paulo

*
Regra básica

Sr. Lula da Silva, colhe-se o que se planta. Como no seu governo nada foi feito, só deu continuidade ao governo anterior, a dona Dilma está colhendo os frutos... Isso é que é herança maldita!

CARLOS ROBERTO G. FERNANDES
crgfernandes@uol.com.br
Ourinhos

*
Obra de Maluf

Quem poderia imaginar, em sã consciência, que da aliança sinistra firmada em 18/6/2012 entre Lula e Maluf (PT-PP) para angariar mais 90 segundos no horário eleitoral gratuito do PT para prefeito de São Paulo resultaria, justo um ano depois, o despertar de um gigante que hibernava há tanto tempo, após um aumento de 20 centavos nos transportes públicos dado pelo prefeito, sacudindo o Congresso e triplicando a avaliação negativa da nossa presidente? Foi Maluf que fez!

RODOLFO JESUS FUCIJI
fucijirepresentacao@ig.com.br
São Paulo

*
O diabo e as vaias

Se o governo declarou que faria o diabo para não perder a eleição, isso quando Dilma se mantinha em alta nas pesquisas, imaginem o que será capaz de fazer agora com a queda dos índices. Socorro! Aliás, um governo que "investiu" tantos recursos, submeteu-se aos caprichos da Fifa, dos construtores e de políticos, em projetos como a Copa das Confederações, ter de se esconder do povo para não ouvir uma vaia estrondosa... Quanta tristeza e vergonha!

LUIZ NUSBAUM
lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*
Questões pertinentes

Quem manda no governo federal, Dilma, Lula ou João Santana? Eu fico com João Santana. E vocês, caros leitores? A presidente Dilma não quis ir ao encerramento da Copa das Confederações por medo de ser vaiada. Que país é este, que tem uma presidente com medo do povo?

JOÃO CARLOS CORRÊA
taiga.tai@hotmail.com
São Paulo

*
Carochinha

Se a líder de uma nação tem medo de vaias, como pode ter coragem de enfrentar os desafios de gerir um país? Acovardar-se diante de manifestações pacíficas demonstra ou falta de preparo ou a vontade de viver num mundo de contos da carochinha.

GUSTAVO CHELLES
guchelles@gmail.com
São Paulo

*
Erro fundamental

Essa atitude da presidente Dilma de se acovardar e não ir à final da Copa é mais um tiro no pé. Dona Dilma, a primeira vaia é a mais dolorida, as que vêm depois não machucam tanto.

IVAN BERTAZZO
bertazzo@nusa.com.br
São Paulo

*
DIREITOS HUMANOS

Crimes bárbaros

Até onde sei, a ministra Maria do Rosário, dos Direitos Humanos, não se pronunciou acerca dos crimes bárbaros praticados contra o bolivianozinho fuzilado em São Paulo e a adolescente estuprada e morta no Paraná. Poderia ao menos ter posto sua pasta à disposição para auxiliar os pobres pais de alguma forma, custeando, por exemplo, as despesas do traslado do corpo para a Bolívia, bem como auxiliando-os a retornarem a seu país, como parece ser o desejo deles, conforme entrevista ao Estadão. A verdade é uma só: a sra. ministra só fala quando é para defender os direitos humanos dos bandidos ou para tachar a oposição de fomentadora de boatos.

JOSÉ ANTONIO BRAZ SOLA
jose.sola@globomail.com
São Paulo

*
PATRIMÔNIO PAULISTANO

Jockey Club

Estarrecedora, a ser verdadeira, a notícia da coluna Direto da Fonte (28/6) segundo a qual a XYZ e o Jockey Clube fizeram proposta ao Condephaat de manter a obra que estão executando - e que fora indeferida pelo próprio Condephaat - em troca da restauração das instalações existentes no hipódromo de Cidade Jardim. Não posso acreditar que o Condephaat, órgão da Secretaria Estadual de Cultura e responsável pelo patrimônio histórico do Estado de São Paulo, seja sujeito a barganhas como essa que Sonia Racy anunciou, principalmente nestes tempos em que os brasileiros, em bloco, estão se manifestando contra a corrupção na administração pública!

PEDRO ERNESTO PY
pedro_py@uol.com.br
São Paulo

*
Contraproposta

Estranho essa notícia na coluna Direto da Fonte, da jornalista Sonia Racy, pois contraria decisão do Condephaat de preservação do complexo do Jockey Club de São Paulo. Necessário se faz, da parte da centenária instituição, uma postura de planejamento que inclua uma visão global da área, respeitando o projeto original em seus aspectos físicos e paisagísticos, que constituem patrimônio cultural da cidade.

DECIO TOZZI, arquiteto
deciotozzi@uol.com.br
São Paulo

*
ECONOMIA

Informa o professor Mantega que ainda dispõe de várias balas na agulha. Por enquanto, tem errado feio, qualquer alvo. Espera-se que não desperdice as que restam. Pelo menos poupe a última para ele mesmo. E não erre o alvo.
 
Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br
São Paulo

*

MANTEIGA RANÇOSA

Nosso ministro lácteo é pavoroso mesmo. “Elle” disse que não viu nenhuma manifestação contra a economia nas ruas e que, se tivesse seguido a cartilha da oposição, a economia teria naufragado. Alguém precisa esclarecer urgentemente a esse senhor, talvez o “Golfinho” – ou melhor, Delfim –, que a economia já naufragou, justamente por eles abandonarem o tripé macroeconômico, que curiosamente deu certo até recentemente, e que a inflação é afetada em larga escala pelos aumentos nos transportes. Foi por esse motivo que ele e o poste “Dilmão” ligaram para o poste “Maldadd” e determinaram que o aumento seria só de R$ 0,20, para não realimentar o dragão da inflação. Para completar, mister “Polyana” continua afirmando que a economia crescerá 3% este ano. Meu Deus, até quando teremos que continuar engolindo este pão com Mante(i)ga rançosa?!

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br 
São Paulo

*

TREM-BALA ESPACIAL

Depois de todo esse barulho acho que o trem-bala vai para o espaço.  Seria a vertente espacial do PAC da Dilma?

José Antônio Garbino garbino.blv@terra.com.br 
Bauru

*

MÁS PERSPECTIVAS

As perspectivas de curto prazo para a economia brasileira não são nada animadoras. Todos os indicadores fundamentais apontam para baixo.  O governo da União está tomando medidas de impacto para manter o consumo num nível que não provoque desemprego em cadeia. Até vender residências para começar a pagar no ano que vem já foi anunciado pela Caixa Econômica Federal. A inflação está em alta. Ninguém quer perder e o reajuste de preço tornou-se tema diário dos agentes econômicos que possuem o poder de modificá-los. Por enquanto, está descartado o calote internacional e a quebra do mercado interno. As reservas cambiais estão robustas e os bancos privados brasileiros estão com alavancagem dentro de princípios conservadores. O mesmo não se pode dizer do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Os empresários deveriam manter esforços de exportação para poderem manter ou contratar empréstimos estrangeiros até o limite de sua balança, a forma mais barata para fugir da variação cambial. O Brasil somente crescerá de forma sustentável na medida em que cresçam as suas exportações.

Helio Mazzolli mazzolli@terra.com.br 
Criciúma (SC)

*

‘FARTA’ TUDO

Dilma diz que estamos no “país da fartura”, mas “farta” tudo e mais um pouco. Infelizmente, é só propaganda. Espero que acorde antes de perder o segundo mandato, que ela tanto quer, e o PT também, para continuar faturando.
 
Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br 
São Paulo

*

PAÍS RICO?

A economia brasileira é a sexta maior do mundo, entretanto, no IDH, o Brasil está em 83º lugar. Onde está a riqueza do País?

Delpino Veríssimo da Costa dcverissimo@gmail.com 
São Paulo

*

COM QUANTOS PROTESTOS SE FAZ UM PAÍS?

Quantas manifestações mais serão necessárias para Dilma também mostrar à população que entendeu o recado? Queremos a extinção de diversos ministérios inúteis, a extinção das estatais criadas por ela, enfim, queremos redução dos gastos públicos, para que a inflação seja controlada de forma mais efetiva e não somente com o aumento da taxa básica de juros. Não queremos discursos, queremos ações. Vamos lá, Dilma, faça a sua parte e depois nos agradeça, pois estamos ajudando você a conquistar sua reeleição, colocando o Brasil de volta nos trilhos, após dez anos de (des)governo do PT.
 
Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*

ECONOMIA REVERSA

Estamos no limiar de uma nova era da economia: a economia Reversa, que consiste em rever todo o processo atual e transformá-lo de forma a atender as necessidades do mercado, do meio ambiente e do social com o objetivo de levar o bem-estar ao povo, tendo por base a redução dos impostos, da corrupção e dos gastos do governo. A economia reversa será o meio de cuidar para não perecer! Esse é o recado que a multidão está dando nas ruas do País e no mundo! 

José Carlos Costa policaio@gmail.com 
São Paulo
 
*

FAVELA ZERO

Se o dinheiro público que some nos ralos da corrupção fosse aplicado em saúde, educação e habitação, o Brasil seria um país desenvolvido há muito tempo. Daí que o combate implacável aos corruptos é imperativo da nova agenda que se discute no País. A questão não é da “tarifa zero”, mas da “favela zero”, pois, sem moradia digna, não há cidadania no país em que 10% da população se espremem em favelas, barracos, cortiços, sem contar os moradores de rua.

Yvette Kfouri Abrão m.abrao@terra.com.br  
São Paulo

*

O TSUNAMI

Durante a crise econômica mundial de 2008, a “herança maldita” de FHC permitiu a Lula enfrentar a “marolinha”. A mesma crise, com a “herança bendita” recebida de Lula, está fazendo Dilma se afogar no tsunami.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 
São Paulo

*

MAIS GÁS NO TRANSPORTE

Milhares de voos diários: por que os aviões ainda não usam o etanol? Fala-se muito em sustentabilidade, mas, na prática, a teoria é outra e muito lerda. Muitos veículos já deveriam ter seus combustíveis alterados. Em 1976, viajei para a Dinamarca e os táxis já usavam gás, enquanto, por aqui, ainda estamos engatinhando. Por essas e outras é que o ozônio está nos cobrindo e a poluição só sobe. Temos no Brasil condições de movimentar toda a frota de táxis e ônibus a gás, mas insistimos em usar o etanol, que depende de safra e de especulação e logo, logo vai virar uma commodity. Aí, sim, a coisa vai piorar. E muito. 

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br 
Rio de Janeiro

*

PRESENTE GLORIOSO

Eis que abro o jornal e leio: Tribunal de Contas da União vê risco para cumprir prazo de início da exploração no pré-sal. Pois é. Aquele presente glorioso que você vê na televisão é mentira. Talvez seja o futuro, mas bem distante!

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com 
Florianópolis

*

QUEBRA-GALHO

Vira e mexe, esse tal de Eike Batista é notícia. Quando não de benesses recebidas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) são notícias sobre seu filho, que de fato foi culpado pela morte de um pobre ciclista, em virtude de excessiva velocidade a bordo de uma Mercedes-Benz, ou sobre a queda das ações de suas empresas nas diversas bolsas de valores. Será que o BNDES e seu presidente não percebem que chega de ficar “quebrando o galho” do velho amigo? Ou será que essa e velha “carcomida ação entre amigos” está chegando ao fim? Esses caras são um verdadeiro bando de cafajestes da República.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*

VELHINHO, MAS ATUAL

As empresas de Eike Batista – aquele que se fez abastecido por dinheiro público, transformando-se no homem mais rico do Brasil e sonhava ser o mais rico do mundo – estão virando pó como as mentiras cantadas aos quatro ventos pelo PT! E agora? Menosprezaram o ditado que diz que “mentira tem pernas curtas” não é? É velhinho, mas continua atual!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br
São Paulo 
  

*

PADRÃO FIFA NA SAÚDE

A presidente Dilma Rousseff vetou a proposta de perdão de uma parte da dívida das Santas Casas e o parcelamento da outra parte, medida aprovada pelo Senado Federal no final de maio. Mas se a dívida fosse de uma empreiteira “cumpanheira” ou do empresário amigão do Lula, Eike Batista, ou de outro qualquer, aposto que o BNDES seria acionado e tudo seria resolvido. As Santas Casas de Misericórdia prestam um serviço inestimável aos cidadãos, que estariam em situação muito pior do que se encontram, se elas fossem à falência. Está na hora de D. Dilma escutar as vozes das ruas, que pedem serviços do nível de exigências da Fifa. 

Leila E. Leitão
São Paulo

*

O QUE SE PERDOA

A presidente Dilma Rousseff vetou a proposta de perdão de uma parte da dívida das Santas Casas de Misericórdia e o parcelamento da outra parte, medida aprovada pelo Senado Federal no final de maio, mas... Na comemoração dos cinquenta anos da fundação da União Africana, realizada na Etiópia, este ano, a presidente deu aos anfitriões um presentão de US$ 840 milhões. O valor equivale ao total da dívida que doze países do continente haviam contraído com o Brasil e que, a partir de então, não terão mais de se preocupar em pagar. Dilma os perdoou. 

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br 
Guarulhos

*

BOM PARA AS EMPREITEIRAS, RUIM PARA O PAÍS

Dilma ajuda os ricos. Os pobres que “se danem”. Na verdade, Dilma está ajudando Lula na promoção de nossas empreiteiras em diversos países, como Congo e Costa do Marfim, governados por ditadores inescrupulosos e outros países africanos que estão inadimplentes com o Brasil não podem receber créditos do BNDES. Assim, não tem como financiar as obras que nossas empreiteiras desejam realizar. É um bom negócio para as empreiteiras, mas para o Brasil ficará uma nova dívida, que também não será paga, pois são países que estão inadimplentes em todos os mercados financeiros. Assim, Dilma e Lula favorecem as empreiteiras e esses ditadores com o dinheiro dos brasileiros. Talvez nossos dirigentes não tenham percebido que falta dinheiro para saúde, educação, estradas....

 
Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*

ESTRANHEZAS

Muito estranho emprestar dinheiro público a quinze países, entre os quais Angola e Cuba, com direito a empréstimos secretos. A Constituição prevê empréstimos secretos? Além de tudo, é de costume a presidente visitar esses países e perdoar essas dívidas. Não é curioso, triste e lamentável? O que há por trás disso? O MP não investigará esse absurdo, uma vez que a PEC 37 foi arquivada?
 
Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com 
Itapevi

*

QUE BARBARIDADE, TCHÊ!

Conforme a estimativa recente do Banco Central (BC), a conta corrente do País terá um déficit de U$ 75 bilhões de dólares. E ainda o governo federal, com a sua mania de grandeza, sonha com o  trem-bala estimado em R$ 35,6 bilhões  e que com o tal  “jeitinho brasileiro” fatalmente chegará  aos R$ 60 bilhões ou mais. E como fica a reivindicação das mais de duas mil Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, responsáveis por mais de 50% de atendimentos do Sistema Único de Saúde e necessitam de ajustes de 100% nos principais atendimentos à nossa gente? Que barbaridade, tchê!

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com      
Campinas

*

DILMA E O GURU

Quanto as previsões da presidenta Dilma Rousseff – que é a maneira declarada como gosta de ser chamada –, junto ao “guru” da economia brasileira, Guido Mantega, afirmando que a inflação está sob controle total e não ultrapassará o percentual preestabelecido: gostaria de alertá-la de que a mesma já chegou, em doze meses, a 6,67%!

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*

DISTRAÇÕES OPORTUNAS

Enquanto as manifestações aconteciam, o dólar disparou, a inflação subiu, a indústria parou e a balança comercial deu sinal negativo... Seria isso uma forma de desviar a atenção para a medíocre economia? Se sim, a quem interessaria?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*

A INFLAÇÃO E A REDUÇÃO DA TARIFA

Sabe quem mais comemorou a baixa dos R$ 0,20? D. Dilma e sua inflação!
 
Tania Tavares taniatma@hotmail.com 
São Paulo

*

A SOLUÇÃO

Estou de pleno acordo com o ministro Mantega em não desonerar impostos para baixar a tarifa de transporte. Basta acabar com a corrupção, com dezenas de milhares de funcionários não concursados, com o custo absurdo de 39 ministérios, com o salário e vantagens vergonhosas dos políticos, com a Copa, com a Olimpíada, etc. 

Frederico Fontoura Leinz fredy1943@gmail.com 
São Paulo

*

SUBSÍDIO, SUICÍDIO

De subsídio em subsídio, chegaremos logo ao suicídio.

Eduardo Augusto de Campos Pires ecpires@terra.com.br 
São Paulo

*

ALIMENTOS EM ALTA

Entrem num supermercado e vejam os preços dos produtos básicos, arroz, feijão, açúcar, frango, leite, etc. Carne, ao preço que está, só uma vez por semana, e olhe lá. Peixe, então, nem se fala. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Vila Isabel (RJ)

*

BRASIL CONSCIENTE

Quando a inflação está alta e o desemprego cresce, o povo vaia o governo, mas a situação não muda. É que a memória do povo é curta. E a política de pão e circo cria uma loucura coletiva. De repente, todos se envolvem em novelas e eventos esportivos e esquecem as promessas antigas e novas. O que falta é a consciência de um povo que é eternamente cobrado por uma dívida que perpassa a 400 anos de escravidão e de uma educação fraca. Viva um Brasil consciente e livre para ensinar aos seus filhos verdadeiros valores de união e progresso.

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@uol.com.br 
Fortaleza

*

FORA DA ROTA

 Os problemas de câmbio e o desajuste fiscal, com a casa desarranjada afastam os investidores porque a desconfiança no País afugenta os capitais interessados. Os indicadores negativos servem sempre como base para a fuga nos investimentos nacionais e alienígenas, o que impede o desenvolvimento do País, com a não criação de empregos, situação indesejada pela presidenta, mas por ela provocada. Ninguém deseja que o País não se reabilite, mas a presidenta precisa ouvir mais os especialistas e prestar atenção às tendências da economia que direcionem para a correção dos erros cometidos. Ela saiu da rota e deve a ela retornar sem teimosia nem posicionamentos ditatoriais. O Brasil quer assim.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br 
Rio Claro

*

CORTES PRIORITÁRIOS

Em vez de cortar investimento para cumprimento de meta fiscal, não seria muito mais producente o governo cortar gastos?
 
Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com 
Bauru

*

FUNDO DO POÇO

É inacreditável a estupidez e a burrice dos governos brasileiros de Dilma e argentino de Kirchner. Quem fabrica automóveis no Brasil e na Argentina são as mesmas multinacionais, que nem sequer participam das discussões das presidentas. Realmente, a América Latina chegou ao fundo do poço da imbecilidade política, sob qualquer ângulo que se analise.
 
Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com 
São Bernardo do Campo

*

ACORDO SOLITÁRIO

No comércio, Dilma só apoia o multilateralismo. Para a presidente, acordos bilaterais oferecem a ilusão de ganhos. Puxa, e eu que pensava que diversos acordos bilaterais em uma mesma região, feitos com países com dinheiro para gastar, fossem equivalentes a um frutífero acordo multilateral! Se o país só apoia o multilateralismo tipo Doha, terá acordo sozinho.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br 
São Paulo

*

DESATUALIZADO

Eu estou tão desatualizado que pensava que, estando com pendências junto ao fisco brasileiro, não poderia participar de concorrências de entes públicos e nem obter financiamentos de bancos públicos, entre outras coisas. Como é que empresas públicas podem patrocinar clubes de futebol que devem impostos?

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br 
Batatais

*
O TESTE

Será que a FIFA está gostando do “evento teste para a Copa do Mundo”?

Ricardo Sanazaro Marin s1estudio@ig.com.br
Osasco

*

NADA ADIANTA

Nada adianta bradar na mídia contra os desmandos do PT, seu eleitorado vê apenas novelas e programas evangélicos no rádio e na TV (jornal impresso, nem pensar). O País naufraga a passos largos e, nas próximas eleições, veremos a velha retórica da boca do ex-barbudo, agora bigodudo, de que, caso a oposição ganhe, vai acabar o “bolsa isso e aquilo”.

Gattaz Ganem gattaz@globo.com 
Carapicuíba

*

REFORMA POLÍTICA
 
A presidenta Dilma tem demonstrado total despreparo em todos os sentidos para bem conduzir nosso Brasil. Casa Civil não funciona, Abin não existe, interlocutores do governo são fracos nas argumentações, ministros não apresentam produtividade (39, mais o marqueteiro ). Está no momento propício para montar uma força-tarefa com juristas, políticos, religiosos, associações representativas e outros renomados para apresentar soluções de curto, médio e longo prazo para os problemas que o povo sabiamente levam as ruas, e não aparecer na mídia transmitindo uma imagem frágil, acuada, como vários políticos. Alguns até sumiram para não serem lembrados.
 
 
Mauro Roberto Ziglio mrziglio@hotmail.com 
Ourinhos

*

QUEM O HINO MERECE

O hino nacional deve ser entoado somente por brasileiros que realmente amam o Brasil e não por políticos que não respeitam o País, roubando aquilo de que uma Nação mais precisa: dignidade, saúde, segurança, educação, moradia, saneamento e respeito ao seu voto e ao dinheiro público. 

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com 
São Paulo

*

CESARE BATTISTI

Apesar de, na época, o STF ter recomendado que Cesare Battisti fosse devolvido à Itália, onde já estava condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos, por decisão única e exclusiva de Lula, que passou por cima até de acordos internacionais firmados entre Brasil e Itália, esse criminoso aqui ficou, livre, leve e solto, desfrutando das delícias do litoral paulista. Mas, apesar deste assassino ter sido beneficiado pela impunidade graças ao seu padrinho e ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, agora se descobre que ele também falsificou seu próprio passaporte para entrar no Brasil. Será que o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo vai descobrir uma brecha sem vergonha na lei para impedir que esse desqualificado seja, finalmente, extraditado?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com
São Paulo

*

A COMISSÃO DA VERDADE E A PM

A Comissão da Verdade, em seu relatório final, vai recomendar ao governo mudança na estrutura das forças policiais militares dos Estados. O objetivo é torná-las menos militarizadas e mais adaptadas ao regime democrático e ao exercício da cidadania. Mais um engodo dessa Comissão da Verdade que de verdade não tem nada.  Primeiro porque se desviou totalmente do objetivo de sua criação, segundo porque com tal iniciativa demonstra querer trazer ao País a anarquia, seguindo a linha de que devem combater a policia e o exército, baluartes da segurança do País. Ora, se não teremos uma policia combativa nas ruas, então quero de volta o direito do cidadão se defender, portando sua arma pessoal. Nos envergonha a iniciativa da coordenadora da Comissão em indicar tal mudança, mesmo porque, segundo ela, a iniciativa é da década de 1990, tomada no Rio, quando a Secretaria de Justiça era chefiada por Nilo Batista, durante o governo de Leonel Brizola. A pretensão mais importante foi na época do governo Mario Covas (1995-2000) quando estava na Secretaria da Justiça e Cidadania Belisario dos Santos Junior e o objetivo principal era dar melhor formação à policia, colocando cursos à disposição da mesma, mas nunca tirar dela o caráter ostensivo. Temos que tomar cuidado com as entrelinhas dos projetos.
 
Claudio Mazetto cmazetto@ig.com.br 
Salto

*

IMAGINA NA COPA
 
Em época de Copa do Mundo, o Brasil transforma-se numa pátria de chuteiras, todo mundo se une e o patriotismo exacerbado é exteriorizado de várias maneiras: uso de bandeiras, camisas da seleção e pinturas na face em verde e amarelo. Dessa vez, a ansiedade era maior em razão de o País ser o anfitrião em vários grandes eventos: Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíada.  A histeria coletiva da torcida foi dando lugar ao temor e a preocupação de não conseguirmos levar adiante essa empreitada. Criou-se um jargão – “Imagina na copa”. A onda de críticas foi crescendo porque sabíamos das nossas limitações: o transporte é um fracasso total, a educação é cada dia pior, a saúde é falida e a segurança pública, a nossa maior vergonha.  A violência e a criminalidade crescem cada vez mais. A justiça é morosa, as leis favorecem a impunidade e a corrupção aflige e impede o progresso da nação. 
 
 
Edilson Ricardo rs311068@gmail.com 
Brasília

*

BOLSA ESTÁDIO

Ruy Barbosa dizia que a verdadeira igualdade consiste em tratar desigualmente a desiguais. Isto tem a ver com gratuidades impostas pelo governo, empurrando a conta para todos. Meia passagem e meia-entrada é pura demagogia. Se fiz 65 anos e posso gozar destes “direitos”, não importa se me chamo Eike, Monteiro Aranha ou Odebrecht, pago meia. Concerto no Teatro Municipal, coisa da “zelite”, casa lotada, renda pela metade. Arena Mané Garrincha depois da Copa – ocupação máxima no campeonato de 660 pessoas – como mantê-la? Proporcionar facilidades a idosos ou estudantes, tudo bem, mas seria bom cadastrá-los, como no Bolsa Família, a partir do nível de renda. Aliás, Arena é imposição da Fifa, então digo estádio.

Ricardo Mello Santos pramar681@hotmail.com  
Salvador

*

PASSEATA DOS SEGURADOS

A degeneração macular relacionada à idade é uma doença que atinge a visão das pessoas de mais idade, e que, quando não tratada adequadamente, leva à “cegueira legal”. Em todo o mundo só existe um procedimento oftalmológico para impedir o avanço da doença: aplicação de injeções intraoculares na retina, realizada em clínicas especializadas que possuam salas de cirurgia. E só existem dois laboratórios, na Europa, que fabricam esses produtos, a Novartis e a Bayer. A ANS e a ANVISA já há alguns anos aprovaram a inclusão desses produtos, cujo custo no Brasil é altíssimo, para aplicação pelas empresas de Seguro Saúde. A Sulamerica Saúde, entretanto, valendo-se da conhecida morosidade e ineficiência da Justiça neste país, usa de todos os subterfúgios para não autorizar a realização desse procedimento ou reembolsa valores muito abaixo do que os conveniados já pagaram e por aí vai. Tornou-se recordista em processos e liminares contra ela expedidos pelos segurados. Em contrapartida, anunciou um reajuste anual para julho de 14,3%; uma verdadeira “cacetada” nos segurados. Nesse mesmo período, nenhum dos vários índices que medem a inflação no país passou de 9%. Vamos torcer para que o Judiciário também acorde e passe a resolver essas pendências em prazo aceitável. Ou então, aproveitando o momento, quem sabe fazer uma “passeata dos segurados” da Sulamerica Saúde?       

Roberto Cataldi ro.cataldi@hotmail.com      
São Paulo

*

PELÉ E A DITADURA

Pelé diz que boicotou a copa de 1974 para protestar contra a ditadura. Mas foi para as copas de 1966 e 1970? Como diria Caco Antibes: “Cala a boca, Pelé!”

Rogério Tófoli Kezerle rogeriokezerle@hotmail.com
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.