Fórum dos Leitores

CENTRAIS SINDICAIS

O Estado de S.Paulo

12 Julho 2013 | 02h05

Passeatas chapa-branca

São pura demagogia essas manifestações do "Dia Nacional de Lutas" pelo País, promovidas pelas centrais sindicais. Ora, todos nós sabemos que essas centrais vivem de verbas do governo federal e das contribuições dos trabalhadores aos sindicatos. Estão pegando sobras das manifestações promovidas pela sociedade por meio das redes sociais. Haja vista que o número de manifestantes não ultrapassou 2 mil em algumas cidades. Observa-se, também, a clara intenção de certos partidos de tirar proveito da situação. Hoje em dia a sociedade sabe bem o que quer e o recado já foi dado à classe política. Nas eleições de 2014 deveremos ter muitas surpresas, com a renovação maciça de governantes. Quem viver verá!

SEBASTIÃO PASCHOAL

s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

Fiasco

Que fiasco as passeatas das centrais sindicais! Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical, não conseguiu arregimentar soldados sequer para parar a Ponte do Socorro, em São Paulo, como era a sua intenção. Pela manhã o deputado percorreu fábricas na zona sul da capital paulista, mas não convenceu os empregados a se juntarem a ele. A recusa mostrou não só que os trabalhadores devem estar cansados de ser usados pelos sindicalistas, como também que não se animam a andar pelas ruas sem os costumeiros sorteios de apartamentos e carros. Bem faria o Paulinho da "Farsa" - e teria o apoio da sociedade - se lutasse pela redução dos impostos. Pelo visto, parece que o tempo de amarrar cachorro com linguiça está nos seus estertores.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

Pro forma

As passeatas de sindicalistas pelo Brasil são muito sintomáticas, pois tudo o que as manifestações populares pediam nas ruas os sindicatos já sabiam e nada fizeram. Será que após o "papo" com Lula, que tanto protegeu os sindicalistas, eles resolveram protestar não pelo que realmente precisa mudar, mas para mostrar "força", a mesma que impediu o pedido de impeachment de Lula quando do mensalão? Há gente sendo usada!

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

O equívoco da CUT

A CUT saiu às ruas com o objetivo óbvio de manter seu projeto de poder: a volta do retirante estratégico. Equivoca-se. O povo soterrou o lulopetismo. O mundo mudou drasticamente e as ideologias desgastadas não passam de bandeiras velhas com remendos de pano novo. Como dizia o crucificado que salvou um de seus dois colegas macerados, é um desespero degenerescente.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

Com a palavra, a sociedade

São muitas as diferenças entre as manifestações de ontem e as do mês passado. As de junho constituíram uma erupção natural da sociedade, deflagradas por um aumento de tarifas e rapidamente amplificadas, ao abrangerem questões que há muito vêm sufocando o povo, simbolizadas pela crescente sensação de falta de representatividade da classe política e pela irrespirável atmosfera de corrupção que empesteia o País. Além do total abandono do interesse comum, configurado pelos lamentáveis padrões de serviços essenciais à população, como o transporte público, contido numa caixa-preta que envolve empresários poderosos e políticos lobistas, cativos; a segurança pública, beirando uma espécie de estado de sítio imposto pelos bandidos; a educação, desassistida e maltrapilha, obrigando as famílias que podem a gastos escorchantes, impostos por uma indústria de ensino particular muito lucrativa e bem representada no Congresso e nas Assembleias Legislativas; a saúde pública, cujas emergências exibem cenas dignas de antecâmaras de campos de extermínio. É claro que tanta indignação represada se refletiu dramaticamente na maneira muitas vezes divergente das manifestações, com cenas de vandalismo e falta de foco objetivo, já que não havia lideranças explícitas e o grande motor foi a conclamação via redes sociais. Apesar de ter gerado alguns resultados práticos, como o susto do governo e um ritmo, meio artificial, de atividade que há muito não se via no Congresso, o ardor começou a arrefecer e, ao ser substituído pelos movimentos das centrais sindicais, com lideranças impregnadas de aspirações políticas e de poder, habituadas à montagem de grandes atos reivindicatórios que, em última análise, servem quase que exclusivamente para a promoção de seus dirigentes, fica a dúvida: o que é preferível, movimentos viscerais que nascem da alma angustiada do povo, meio desordenados, mas honestos, às vezes extravasando em exageros; ou "dias de luta" coordenados por raposas sindicais inseridas num sistema político cuja higienização era uma das aspirações dos movimentos de junho? Com a palavra, a sociedade.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

Cores e humores

Nas manifestações populares anteriores, que reuniram milhões de pessoas em todo o País, as cores das ruas eram o verde e o amarelo da Bandeira Nacional. Na manifestação de ontem havia só uma cor, a vermelha, do MST, do PSTU, da CUT, da Conlutas, etc. Quanto a humores, em São Paulo não houve baderna, quebra-quebra nem confrontos com a polícia. É possível deduzir que os baderneiros das passeatas anteriores, que, repito, levaram milhões de brasileiros às ruas, ontem estivessem todos ocupados com as suas próprias passeatas?

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

ESPIONAGEM

'Explicações'

Enquanto debatemos publicamente soluções para problemas de saúde, educação e segurança, é lamentável ver os mandatários do PT criando mais um caso com essa história de espionagem. A imagem do Estadão na página A14 de ontem é um fato concludente de um dos famosos "barbudinhos do Itamaraty" pedindo perdão por seus pecados, ao se tornar instrumento das possíveis retaliações que virão para o setor de imprensa com mais essa novidade de espionagem internacional dos grandes interesses do PT nacional.

GERALDO FELIPPE NEGRÃO

gfnegrao@ig.com.br

São Paulo

*

SUPLENTES

O 'recuo' do Senado

A figura do suplente de senador é uma aberração dos nossos políticos. O senador é eleito para representar o povo de um Estado no Congresso Nacional. O suplente não tem voto. Não representa ninguém. Portanto, não tem mérito algum. É, como diz o povo, uma vaca de presépio.

RONALD MARTINS DA CUNHA

ronald.cunha@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

DIA NACIONAL DE LUTAS

Gostaria de saber se será descontado no salário do deputado Paulinho da Força os dias que ele vem faltando para organizar essas passeatas. Insatisfeito, agora quer organizar “greve geral” por todo o País! Acho oportuno dizer que, caso as empresas descontem no salário dos trabalhadores pelo dia perdido ou exijam reposição de horas, que os sindicatos abarrotados de dinheiro arquem com os custos. A carestia está grande e ninguém está podendo perder dias de trabalho para alimentar o pequeno grande ego de um deputado ficha-suja como Paulinho da Força, que anda magoado porque a presidente Dilma não lhe tem dado colo, como fazia o ex-presidente Lula!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

INFERNO ASTRAL

 

“Inferno astral” é pouco para definir a atual fase do desgoverno petista: inflação que não cede, baixo superávit primário, aumento da dívida pública, maquiagem fiscal, taxa Selic ascendente, investimentos estagnados, fuga de investidores, Bovespa em queda livre, câmbio aos  saltos, Mercosul  empatado e ideologizado,  exportações em baixa, importações em alta,  erosão do saldo comercial, queda na competitividade da economia,  crescimento pífio do PIB, lanterna no crescimento entre os emergentes, lanterna na saúde, educação, saneamento, segurança,  altos índices de corrupção, classe política desacreditada,  indústria retroagindo aos anos JK, Petrobrás virando “mico” entre investidores,  PAC empacado, infraestrutura no breu e, como moldura a esse quadro desolador, queda livre nas pesquisas, vaias  à presidenta em estádios e  até em reuniões com prefeitos;  protestos massivos do povo nas ruas  e – quem diria ? – gritaria  até de centrais sindicais ditas “chapa-branca” como a CUT !  A maré não está mesmo para peixe – ou para molusco. Começo a dar razão ao presidente do PT, Rui Falcão, quando vaticinou, há meses, que em 2013 o “bicho” ia pegar...  Na mosca, companheiro!

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

IMPOSTO ÚNICO

Não vi nas manifestações cartaz ou faixa pedindo imposto único, solução simples de corte rasante na corrupção, eliminando milhares de “intermediários”, ensejando arrecadação maior, dada a simplicidade e a visibilidade do sistema.

 

Luiz Antonio Fescina terrasfescina@terra.com.br

Conchas

*

POR UM CALENDÁRIO POLÍTICO

O movimento sindical, como é sabido, tem muitas divergências nos encaminhamentos das lutas dos trabalhadores. Mas ontem em todo o Brasil foram feitas paralisações e manifestações ordeiras mandando um recado para os governantes de que há questões pendentes. É isso o que está faltando, ou seja, uma negociação de forma transparente que não atenda apenas a um determinado segmento social. É isso que vai mudar a situação que estamos passando, com problemas na saúde, na educação, na segurança pública e em muitas outras questões. Mas que o movimento não fique limitado ao desabafo emocional ou a críticas pontuais. Que tenha um calendário para cobrar as respostas às reivindicações.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

UM SÍMBOLO

Manifestantes ocuparam literalmente a Ponte Estaiada, que ultrapassa o Rio Pinheiros. Seu nome é Octávio Frias de Oliveira, mas ficou popularizada pela denominação de seu tipo de arquitetura. Há tempos era o término final das águas espraiadas, que traziam os dejetos da favela do Buraco Quente. Hoje, um dos novos símbolos de São Paulo, expressa um povo cuja maioria não conheceu aquela várzea, mas sabe perfeitamente como não se deve governar um país.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

‘BARCO BRASIL’

 

Continuam as manifestações de rua (e estrada). O povo pede, desde o início da rebelião popular, saúde, educação, transporte gratuito, trabalho digno e, principalmente, o fim da corrupção e da impunidade. O governo, doutorado em marketing político, depois do sofisma do plebiscito, investe na reforma política. O Congresso, sem tocar no fundamental, vota, a toque de caixa, projetos que havia anos dormiam em suas gavetas. Os prefeitos vaiam a presidente. A sociedade está descontente e preocupada. Dilma, Renan Calheiros, Henrique Alves e até Joaquim Barbosa precisam afinar seus ouvidos aos reclamos da “polis” e, interpretando-os, conduzir da forma mais adequada seus pares e subordinados. De nada adiantará falar em forma de governo, financiamento público ou privado de campanha e demais perfumarias que só interessam à corte, quando o que o povo quer é garantia de atendimento nos hospitais e postos de saúde, vagas nas creches e escolas e a manutenção do sagrado direito de ir e vir, hoje prejudicado pela presença nas ruas dos sanguinários bandidos que assaltam, sequestram e matam. E o povo, angustiado, não pede nada mais do que é de seu direito. Suas reclamações têm de ser ouvidas e, na medida do possível, atendidas. Do contrário, as revoltas se multiplicarão e levarão ao caos o governo e as instituições. A exemplo de um barco a navegar, se leva um tiro no casco, ainda pode ser consertado; mas se levar 10, 20, 30 ou mais ao mesmo tempo, vai a pique. A maioria dos brasileiros não quer o naufrágio, mas os timoneiros do “barco Brasil” precisam ter habilidade para evitar a zona do tiroteio e, além disso, não trombar com os arrecifes...

 

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br                                                                                                      

São Paulo

*

JAGUNÇOS DO PLANALTO

Esta greve geral fora de curva promovida por dirigentes sindicais não pede o que mais a sociedade reivindica, como a redução do índice inflacionário, a melhor qualidade no transporte público, caos na saúde e o fim da epidêmica corrupção, etc. Essa agenda é palavrão para esses dirigentes irresponsáveis! Na realidade, esses sindicatos, em sua maioria, servem ao governo petista em troca de milhões de reais a fundo perdido, como se fossem partidos nanicos de aluguel... Fazem qualquer negócio em troca de facilidades espúrias com o Planalto. Menos defender a classe trabalhadora. Literalmente são jagunços do Planalto, que até negociaram em Brasília, que nenhum cartaz seria exposto nessa estúpida greve geral que mencionasse “Fora Dilma”... Ou seja, um evento em família!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Paulo

*

TOSCA IMITAÇÃO

 

Os “PeTralhas”, numa tosca imitação das manifestações apolíticas do povo brasileiro, paralisaram as cidades ontem. A idéia é também a divulgação do “Fora Dilma”, na disputa interna para derrubar a presidenta e trazer de volta aquele que realmente manda no atual governo, que, sem dúvida, reporá a namorada nos aviões presidenciais, em novos roteiros. E ficará ainda mais rico, bem como os súditos. E tudo continuará sendo como dantes... Oremos.

 

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com

São Paulo

*

VOO CEGO

Quando os caminhoneiros bloquearam as estradas, os políticos vieram a público para dizer que esse tipo de ação era criminosa e, por isso, seria atacada com rigidez pela polícia, tendo também se manifestado a própria presidente Dilma para dizer que o seu governo não admitiria jamais que parassem o Brasil. E achei muito acertada essa decisão. Pois bem: hoje, uns magotes de pelegos dos sindicatos bloquearam estradas e vias brasileiras dificultando o povo de ir ao trabalho e não vi nenhuma intervenção policial impedindo esses manifestantes, cujas reivindicações são do molde a pedir menos horas de trabalho em troca de melhor remuneração... Ou seja, um bando rarefeito de irresponsáveis movidos por outro bando irresponsável: Paulinho da Força, um político do PDT que se dá o direito de liderar um movimento grevista disposto a parar o Brasil! Até o meio da manhã a presidente Dilma não havia dado uma palavra sobre essa manifestação, como se nada estivesse acontecendo no País. Mas já se sabe que ela viajará ainda hoje para o Uruguai para participar da Cúpula do Mercosul ! Socorro! O piloto fugiu, e o Brasil é uma aeronave num voo cego!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

DILMA É VAIADA NOVAMENTE

Mais uma vez a presidente Dilma é vaiada. E com inteira justiça. Dessa vez, foi na 16ª Marcha de Prefeitos. Em discurso, a presidente anunciou ajuda de R$ 3 bilhões para prefeitos investirem em educação e saúde, mas o necessário, segundo eles, seria o dobro. Além disso, a presidente prometeu a construção de mais 225 UPAs e 2000 creches. Será que alguém acredita? Afinal, ela prometeu 6000 creches e 500 UPAs na campanha de 2010 e, até agora, o resultado tem sido pífio. Ela pode não gostar das vaias, mas são amplamente merecidas.

Maurício Rodrigues de Souza mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

*

ESMOLA

Dilma começa a se coçar um pouco depois de tantos protestos, porém liberou R$ 3 bilhões aos prefeitos, sob o pretexto de serem utilizados em saúde e educação. Ocorre que esse pretenso benefício será depositado em duas parcelas, uma em agosto e outra em abril de 2014, coincidentemente em ano eleitoral. D. Dilma, o Brasil precisa de muito mais, isso é esmola!

 

Luiz Felipe Dias Farah felipefarah@gmail.com

São Paulo

*

MENINO ZANGADO

Na foto exibida pelo “Estado” anteontem, em que vemos Dilma rodeada pelo vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves o primeiro está com o visual e a postura de poucos amigos, bem com as feições sisudas, mais aparentando um menino zangado por lhe terem tirado o direito de brincar.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

QUEM É QUEM

Quem manda no Brasil: Lula – Sarney – Renan – Afif e a Fifa.  

Dionysio Vecchiatti dio.vecchiatti@terra.com.br

Valinhos

*

UMA DÚVIDA

Já que perguntar não ofende, o que é mais fácil? Ser contra a ditadura militar e descontente ou ser governo e lidar com descontentes? Com a palavra, a presidente Dilma.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

LEMA OCULTO

O lema oculto do governo Dilma parece ser “Non duco, ducor”: não conduzo, sou conduzida. E la nave va...

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

ESPERANÇA

Se 81% da população afirmam que os políticos são corruptos, colocar o Palácio do Planalto atrás das grades já é uma esperança.

 

Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br  

São Paulo

*

PERCEPÇÕES

Gostaria de curtir uma foto ou charge de membros das mais “corruPTas” instituições do País (partidos, 81% e Congresso, 72%) serem servidos de sanduíches por membros da instituição com mais baixo índice de percepção de corrupção do Brasil (Forças Armadas, 30%).

Osmar J. Gomes osmar_jg@terra.com.br

Camanducaia (MG)

*

‘RASPUTIN TROPICAL’

Enquanto isso, posto em repouso no ABC, o “Rasputin tropical”, há mais de uma década senhor dos destinos da Nação, nega-se a quebrar o silêncio obsequioso, imposto pelo seu marqueteiro, uma vez que o seu mantra “eu não sabia de nada” foi ultrapassado pelos acontecimentos...

Caio Augusto Bastos Lucchesi cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

*

VISITA DE RELIGIOSO ESCANCARA COFRES PÚBLICOS

A propósito da incessantemente apregoada visita do papa, como cidadão sou tomado de perplexidade. E o motivo jaz precisamente no fato incontestável de que o Brasil é um Estado notoriamente, evidentemente e constitucionalmente laico! Não há nítida separação entre Estado e igreja? Por que, então, cargas d’água milhões e milhões de reais estão sendo tirados dos cofres públicos e gastos com a visita desse religioso?! Isso é uma agressão ao contribuinte brasileiro! Isso é uma vergonha! Atenção, autoridades! Atenção, Ministério Público Federal!

José Rubens Medeiros jrubensmedeiros@oi.com.br

Conselheiro Lafaiete (MG)

*

A DECEPÇÃO DE UM ELEITOR

Num momento que o governador Geraldo Alckmin corta despesas, não dá para entender a decisão da Polícia Militar de São Paulo que escolheu comprar veículos especiais para dispersar multidões com jatos de água e tinta. Os mais de R$ 60 milhões de reais que o governo estadual deve gastar com esses equipamentos,

que serão usados contra a população (manifestantes) – que não é bandida – deveriam, isso sim, ser usados em melhores meios de segurança para essa própria população, muito carente nessa área. Realmente é de se lamentar essa posição do governo estadual. É de fazer pensar em não mais votar no governador Geraldo Alckmin. Eu que sempre fui eleitor dele.

 

José Geraldo jgguara@hotmail.com

Guararema

*

RESIDÊNCIA MÉDICA OBRIGATÓRIA NO SUS

Serviço obrigatório para civis num país que se diz democrático: nem pensar! Devagar, interferindo na vida do cidadão aqui e ali, o governo vai se transformando num regime autoritário, escravizando o povo à sua vontade de acordo com seus interesses políticos, ignorando o direito das pessoas de desejarem ser voluntárias em determinadas circunstâncias. Citar como exemplo uma monarquia não vale, pois lá existe uma rainha, que é a dona do País. Aqui, somos uma República com presidente eleito, onde o povo é soberano e o governo lhe deve respeito e prestação de serviços honestos e eficazes. Aquela manifestação bonita e espontânea nas ruas indica isso.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

*

POLÍTICOS FABRICADOS

Calma, presidente Dilma ,médicos não são políticos, que são fabricados aos montes. Independente de ter ou não uma boa formação, basta assinar o nome, virar líder sindical e perder um dedo: estará pronto para assumir a Presidência da República.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

MÉDICOS E ENGENHEIROS

 

A onda do momento é o impasse criado com a vontade de Lula/Dilma de importar 6.000 médicos sem a necessidade de validação do diploma e sem estrutura de trabalho. É uma discussão na qual ninguém tem razão e, por que não, o mínimo de bom senso de sugerir uma megaoperação no Brasil para resolver o gravíssimo problema do saneamento básico. 90% das doenças na zona rural e periferia das grandes cidades são consequência da falta de saneamento e orientação ao povo, que abre as fossas em local que atinge o lençol freático. Acho que temos no Brasil dois problemas na área da saúde – a engenharia e a boa vontade resolve, que é o saneamento básico (que não dá voto) e a falta de médicos que, se resolvida, mesmo que paciente e médico não se entendam, dá voto. Nunca neste país um político sério, se é que já houve ou até possa existir, lutou pelo saneamento básico. É luta de candidato derrotado. Será que não existe um deputado ou um senador que possa levantar essa bandeira? Ou será que eu devo levar para a Avenida Paulista um vaso sanitário, e ficar sentado em cima dele com uma placa em que se vê escrito: “Dilma, estou sentado em cima do problema do Brasil, socorro!” Obs.: na minha idade não dá mais. Fica a sugestão.

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

A INDÚSTRIA DA INVASÃO

A Justiça de São Paulo ordenou à Prefeitura a colocação de esgoto e água numa comunidade em terreno que está sub judice, ante a invasão. Não deveria a Justiça aguardar o desfecho da questão ou acelerar esse processo? O morador que está lá tem direito a isso, mas, pelo visto, é área invadida. A Justiça, com isso, está legitimando uma ação ilegal. Amanhã ou depois tem que desocupar a área e terão de ser indenizados por uma área que não tinham direito. É a indústria da invasão. A ordem é: invada, deixa rolar e sai de lá com dinheiro, do contribuinte.

Panayotis Poulis Isabel ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

BRASIL NEGA ASILO A SNOWDEN

O ministro das Relações Exteriores, Antonio “PaTriota”, afirma categoricamente que o (des)governo brasileiro não pensa em dar asilo político para o ex-técnico da CIA, Edward Snowden. Será que é para não passar vergonha do que sabe a respeito dos “no$$os” políticos? Incomparável com Cesare Battisti, que é quase igual aos “no$$os”, sem dúvida... Rigidez é “a$$im”!

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

ESPIONAGEM AMERICANA

Como o Brasil é uma grande potência militar – tem armamentos muito avançados, aviões de ataque de longo alcance e elevado poder bélico,  grande esquadra naval incluindo submarinos com ogivas nucleares, sistemas de informação, espionagem e  contra espionagem muito desenvolvidos – é um potencial adversário perigosíssimo  e, por isso , está sendo espionado por americanos e vários ouros países. Nós também espionamos vários potenciais inimigos para o caso de uma guerra, mas não temos um Snowden. Espionamos não só potenciais, mas também efetivos inimigos da Nação: políticos trambiqueiros, malfeitores incompetentes que vivem na TV com planos mirabolantes nunca efetivados, mas não mudam as leis atrasadas, empresas estatais deficitárias, traficantes de drogas, menores criminosos, etc., etc.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

QUEM NÃO DEVE NÃO TEME

Essa denúncia do tal Snowden veio a calhar para o governo brasileiro fingir que está preocupado com a espionagem americana e, assim, desviar a atenção da população brasileira, revoltada com a incompetência e a corrupção. Para começar, eu não confio em traidores, principalmente num que reclama de falta de liberdade, mas se refugia em países autoritários. Segundo, o governo americano não tem como rastrear terroristas sem vasculhar a internet que se globalizou totalmente. De quebra, deve dar alguma espiadinha marota. Terceiro, somos espionados o tempo todo pelas nossas repartições, operadoras, prestadoras, etc., por meio dos nossos dispositivos magnéticos, cadastros virtuais e câmeras para todo o lado. Para evitar isso, só quebrando tudo o que se conecta à internet. Como não posso mais viver desconectado e nada devo, podem me espionar à vontade!

João Carlos A. Melo jca.melo@yahoo.com.br

São Paulo

*

PAVOR DE VIGILÂNCIA

Minha empregada está apavorada. Soube pela TV que os EUA estavam monitorando telefones e e-mails de brasileiros. “E agora, patrão, vão saber que ganho um salário mínimo e que não paguei a conta da C&A! Vão ler os comentários sobre minha vizinha biscate (vive se engraçando com meu marido). E a receita de bolo que mandei para minha sogra... Os gringos vão ficar sabendo de tudo!” Finalmente agora a presidenta achou algo para se preocupar.

 

Achille Aprea newplay1@terra.com.br

Vitória

*

QUEM VIGIA OS VIGILANTES?

Ora que EUA, Rússia e China espionam todos e tudo é novidade?  O PT aproveita o nojento caso para desviar a atenção dos grandes problemas que enfrentamos tampouco! Mas o que poucos lembram é que os cupinchas do governo federal têm acesso a todos os seus dados fiscais e quebram seu sigilo ilegamente (lembram-se do caso Francenildo e do dossiê da filha do Serra?); que os desastrados arapongas da Abin vigiam adversários políticos; e os  numerosos grampos ilegais (sem ordem judicial) do famoso aparelho “Guardião”. Impressiona o fato de que, fora as polícias, as secretárias de segurança pública – a prazer das políticas dos governadores e escritórios do Ministério Público – já têm o seu!  Ora, o MP, que tem o dever de fiscalizar o uso legal desses programas pela polícia, tem o seu próprio aparelho! Afinal, quem fiscaliza e assegura os direitos constitucionais dos Brasileiros? Não há ordem de direito no Brasil?

José Marques jmarques_sp@yahoo.com.br

São Paulo

*

MEGA SENA É INVESTIGADA

Por isso quero muito que liberem os cassinos no Brasil. A área privada mete a mão, mas ao menos distribui melhor os prêmios e paga impostos. Esses jogos infelizes do governo só servem para esses vagabundos.

Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

PRÉ-SAL

Considerando que o potencial da jazida de Green River Formation, encontrada entre os estados de Utah e Colorado, no interior dos Estados Unidos, será igual à soma de todas as reservas mundiais de petróleo conhecidas até hoje, o dobro das reservas confirmadas da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e várias vezes o trilhão de barris que a humanidade consumiu nos últimos 100 anos, transformando aquele país, por volta de 2020, no maior produtor de petróleo do mundo, ficam algumas perguntas no ar: será que o petróleo extraído do pré-sal terá preço competitivo no mercado mundial daqui a sete anos? Como vai concorrer, se sua extração, em águas profundas, exige tecnologia mais sofisticada, de custo mais elevado? Em quanto o seu preço será onerado pelos prêmios pagos às seguradoras para que assumam a responsabilidade de eventuais danos ambientais?

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

LEI GERAL DA COPA

Eu pensava que já era fato consumado. Foi com alegria que li no Estadão online – (www.estadao.com.br/noticias/esportes,fifa-nao-vai-aceitar-mudancas-na-lei-geral-da-copa,1052121,0.htm) – que ainda podemos nos livrar desses parasitas. Que se vão logo, enquanto é tempo!

Severino Toscano do Rego Melo toscanomelo@gmail.com

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

Já que os apresentadores de telejornais vêm se debruçando sobre o assunto da morte do jovem MC Daleste sem chegar a nenhuma conclusão, permitam-me formular uma hipótese: os tiros, de carabina ou fuzil, foram dados de dentro de um apartamento ou outra dependência dos prédios, daí não terem sido percebidos pelo público presente.

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

‘A REFORMA QUE INCLUI TODAS AS REFORMAS’

Venho por meio desta atiçar os privilegiados leitores do “Estado” e os não leitores também a estudarem com afinco o texto histórico de 10 de julho de Fernão Lara Mesquita, “A reforma que inclui todas as reformas” (A2), em que ele defende convictamente a adoção do voto distrital com recall. Vai ser a mais confortadora prática democrática deste país ver o povo demitir a cada semana prefeitos, vereadores, governadores e parlamentares de mau comportamento. Sosseguem, não haverá sombra de desordem. Antes do aviso prévio, os representantes do povo relapsos ou coisa pior vão ter a oportunidade de corrigir suas condutas. Se não, a perda do emprego. O recall é a única reforma eficaz de que o Brasil precisa e que os sofridos e sempre enganados brasileiros merecem. Esqueçam as reformas exigidas nas passeatas de protesto. Não vai acontecer nada. O rugir das ruas não mexe um músculo desse pessoal do Congresso, que até mesmo já acenou com dificuldade de acordo entre os partidos para mudar as perniciosas práticas políticas vigentes. E quem viu as sugestões de mudanças do PSDB percebe que o pau que mexe a sopa de suas propostas apenas agita a mistura dos ingredientes e a sopa fica a mesma. Michel Temer já defendia o recall faz 20 anos e quem não é contra nós é por nós. Seja você também um apóstolo dessa feliz idéia, essa, sim, que vai mudar o Brasil, o voto distrital com recall.

Apollo Natali apollo.natali2@gmail.com

São Paulo

*

‘DITADURA’ DO LEITOR

 

Como propôs Fernão Lara Mesquita em seu excelente “A reforma que inclui todas as reformas” (10/7, A2), sejamos apóstolos do voto distrital com recall, por meio do qual o eleitor pode destituir o parlamentar que não estiver honrando o seu mandato. Num plano mais amplo, poder-se-ia instituir – como faz o parlamento britânico desde 1782 – a moção de censura, dando ensejo à renuncia do Executivo ou a dissolução de todo o Congresso com convocação de eleições gerais. Embora as propostas não sejam excludentes, na atualidade brasileira, iria mais longe – o eleitor teria o direito de votar sempre em dois nomes: naquele que deseja dentro do Congresso e naquele que deseja fora (que lhe pareça desonesto, mesmo sem prova). Seria uma maneira de delegar ao povo – sem quebra da espinha dorsal da democracia – a responsabilidade de praticar uma CPI político-popular.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

 

 *

MATEMÁTICA

Lendo a coluna da Dora Kramer – “Estado”, 10/7, A6 – sobre a resistência da presidenta Dilma em encolher o número de ministérios no Brasil, fui dar uma “olhada” no número de ministério dos EUA – pasmem: são 15. Na época de FHC, eram 15. Como no Brasil tudo tem que ser exagerado, temos 39. O custo da diferença entre 15 e 39 deve ajudar no ramo da saúde, da educação, etc. Como o PT abomina tudo e nos diz que FHC deixou uma herança maldita, vamos ficar com 16?

 

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.comforum

São Caetano do Sul

*

‘UMA CRISE EM BUSCA DE UM GOVERNO’

O artigo de José Serra no Estado de 11/07 (A2) é, sem dúvida, muito bom. Mas o ex-governador não pode se esquecer das razões da derrota para um “poste” com a eleição nas mãos. Entrou tarde na campanha com 36% nas pesquisas, escondeu o legado precioso de FHC com o próprio, não conteve a arrogância patológica do PSDB, não citou uma única vez o mensalão, não soube lidar com seu grande inimigo, o mineiro Aécio Neves, que o boicotou descaradamente. Também não podemos esquecer a paúra que os tucanos têm do ex-presidente Lula, muito bem demonstrada no escândalo do mensalão, quando o PSDB não fez nada.

 

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

A OPORTUNIDADE

Aproveitando que as coisas estão começando a mudar neste país, acho que está mais do que na hora de dar um basta nesta longa censura imposta ao jornal “O Estado de S. Paulo”!

 

José Candido da Silveira Lienert Jr. jclienert@gmail.com

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.