Fórum dos Leitores

ESPIONAGEM

O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2013 | 02h12

'O Rato que Ruge'

Dilma Rousseff cogita de cancelar a viagem aos EUA se Barack Obama não justificar a espionagem supostamente feita sobre ela. Realmente, Obama deve estar muito preocupado. Sua grande dúvida agora deve ser se ataca a Síria ou liga para a nossa "presidenta" pedindo desculpas (sic). Será que o Planalto está pensando numa nova versão do filme clássico O Rato que Ruge?

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

Retaliação

Em retaliação ao episódio de espionagem americana sobre a presidente Dilma, o governo brasileiro estuda uma forte retaliação econômica: proibir o turismo brasileiro nos EUA. Tio Sam está muuito preocupado...

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Indignação atrasada

Os EUA estão 50 anos à frente do Brasil em qualquer modalidade de tecnologia - seja de um simples carrinho de bebê, que todo brasileiro vai lá buscar, até a mais alta tecnologia via satélite que monitora o planeta de polo a polo. O que não entendo é a nossa presidenta ficar indignada por ter sido escutada pelos americanos nas conversas de gabinete com seus excelentíssimos ministros de Estado. De duas, uma: ou ela expôs planos de ação que os americanos ouviram e ficaram apavorados com a possível perda do domínio mundial, ou falou tanta abobrinha que ficaria com vergonha na frente de Obama. Conhecendo as figuras do nosso governo, fico com a segunda opção. Acorde, presidenta.

MANOEL BRAGA

manoelbraga@mecpar.com

Matão

Perda de tempo

O governo dos EUA perdeu precioso tempo espionando Dilma. Nem os brasileiros conseguem entender direito o que ela fala.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

Posar de vítima

Os EUA espionando Dilma? Deve ser piada. Que perda de tempo! Pois se nós, brasileiros, sem espioná-la e sabendo de todo o seu passado, hoje pagamos um preço muito alto por sua incompetência administrativa e a engolimos... Esse assunto deve ser para conquistar espaço na mídia como vítima, o que ela não é.

EDMAR AUGUSTO MONTEIRO

edmarmonteiro@ig.com.br

São Paulo

CPI

CPI da espionagem? Isso vai virar palanque para aqueles que costumam usar de apelos nacionalistas para enganar o povo.

JORGE MANO

jrmano@yahoo.com

São Bernardo do Campo

Censura

O ParTido pode reclamar de espionagem externa se defende, apoiado pelo Judiciário, a censura à imprensa? Vide a censura ao Estadão e à Gazeta do Povo, entre muitos outros...

NELSON CARVALHO

nscarv@gmail.com

São Paulo

Truque velho

O truque de inventar um inimigo externo é tão velho que pensei que todo mundo teria vergonha de ainda o usar. Não só não tiveram vergonha, como aproveitaram a sua visão da adolescência para carimbar os yankees como os nossos inimigos de sempre. Amigos mesmo são Evo Morales, que se apoderou dos bens da Petrobrás sem a menor cerimônia, ou Nicolás Maduro e Cristina Kirchner, que fazem o possível para que o Mercosul não funcione, ou alguns ditadores africanos corruptos e sanguinários, mas muy amigos.

ALDO BERTOLUCCI

accpbertolucci@terra.com.br

São Paulo

E-mail nacional

Depois da denúncia de espionagem que teria sofrido a presidente do Brasil, fala-se que o governo do PT estaria estudando a possibilidade de desenvolver um e-mail, via Correios, para que as mensagens não vazem para outros países e, dessa forma, o governo possa monitorar o que escrevem os brasileiros. Algo parecido com Cuba, onde o cidadão é fiscalizado em tudo o que faz, pensa ou escreve. Não custa lembrar ao governo populista do PT que quem detém a tecnologia são os americanos e seu custo é altíssimo. Se o Brasil até hoje não deu conta de levar sinal de aparelhos celulares a lugares de fácil acesso, como em São Paulo, e tampouco não conseguiu levar a banda larga a todos os rincões deste país, imaginem ter um e-mail totalmente brasileiro...

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Caso Donadon

Com a decisão do ministro Luiz Roberto Barroso (de suspender a sessão da Câmara que manteve o mandato do deputado federal Natan Donadon até o julgamento do caso pelo Supremo), os "archotes do Direito" voltaram a iluminar Brasília, no aguardo de uma atitude da Câmara capaz de dissolver a mácula que a envolve.

CAIO AUGUSTO BASTOS LUCCHESI

cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

Os absurdos de Brasília

De um ministro do STF: "... não se aplica em caso de condenação em regime inicial fechado, por tempo superior ao prazo remanescente do mandato parlamentar. Em tal situação, a perda se dá automaticamente, por força da impossibilidade jurídica e física de seu exercício". Ora, senhores, é necessário que isso seja dito por um ministro da mais alta Corte do País?! Qualquer cidadão brasileiro já tem, há muito tempo, esse entendimento, o que comprova a imbecilidade da maioria dos membros da Câmara dos Deputados.

JOSÉ WILSON GAMBIER COSTA

jwilsonlencois@hotmail.com

Lençóis Paulista

Fim do voto secreto

O fim do voto secreto na Câmara impedirá que deputados condenados pela Justiça continuem no exercício do mandato? Fato é que na votação do caso Donadon 108 parlamentares, devidamente identificados, deixaram de votar, ou seja, uniram-se aos que secretamente se opuseram à cassação, sem se importar com a opinião pública. Poderá ocorrer que o fim do voto secreto só faça aumentar o número de omissos, com resultado final sempre favorável ao condenado pela Justiça.

FLÁVIO J. RODRIGUES DE AGUIAR

flavio.daguiar@gmail.com

Resende (RJ)

Chega, cansou, fim do voto secreto já! É muita picaretagem, muita covardia com a Nação.

JOSE ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

A ESPIONAGEM NORTE-AMERICANA

A ridícula espionagem de um governo ridículo, que nas palavras do ministro Gilberto Carvalho é uma situação de "emergência", soa mal. A única emergência que realmente existe é a falta de competência do governo brasileiro que ainda não "blindou" as comunicações sensíveis, após as denúncias de espionagem há alguns meses. Certamente, embaixadas estrangeiras e até a imprensa no Brasil estão "blindando" suas comunicações, como fazem seus semelhantes em todo o mundo. Quanto ao Brasil, os EUA não precisariam saber de nossos votos na ONU, pois o Brasil do PT vota sempre contra eles. Poderia haver interesse no assunto dos caças para a Força Aérea Brasileira (FAB), mas o nosso governo nunca vai se decidir neste tema. É muito claro que os ministros Gilberto Carvalho e José Eduardo Cardozo estão usando esse assunto para fins políticos, eis que, desde o descobrimento do Brasil sabemos que somos espionados, assim como todas as outras nações. É bom avisar às nossas autoridades de que hoje não se usam mais pombos-correio.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

TEMPESTADE EM COPO D’ÁGUA

Dilma Rousseff está furiosa, porque teve um papel de destaque nas espionagens americanas, reveladas domingo (1/9), em horário nobre pela TV. Provavelmente não sabia de nada, como no caso da Bolívia. Se fossem tão importantes e raros esses episódios de espionagem dos EUA, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, não faria outra coisa a não ser reclamar todo dia ao presidente Barack Obama. E os EUA são o maior aliado de Israel. O governo brasileiro está fazendo um escândalo, isto é, "passando recibo" de que o Brasil é uma republiqueta de Terceiro Mundo. Sem dúvida o México, que também foi espionado, terá uma abordagem discreta, através dos canais diplomáticos, encerrando o assunto.

José Francisco Peres França

josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

A CPI DA ESPIONAGEM

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Espionagem, atendendo à proposta da senadora Vanessa Grazziotin, do PCdoB-AM, tem tudo para, afora os custos, não dar em nada, seguindo o padrão das CPIs brasileiras. Lembrando que a espionagem norte-americana, objeto da proposta, se não fosse denunciada no exterior, nossas eficientes autoridades jamais saberiam ou teriam quaisquer conhecimentos. Pensando bem, diante de tantas petralhadas, o interesse nas audições seria focado no hilário.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

REPORTAGEM DO ‘FANTÁSTICO’

Seria a sra. Dilma Rousseff uma personagem tão importante para ser alvo de espionagem americana? Tá faltando assunto sério na Rede Globo? Tenham paciência, vá.

Ademar Monteiro de Moraes

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

UM HISTÓRICO SUSPEITO

Se considerarmos a posição da presidenta Dilma no afastamento do Paraguai do Mercosul, um país que tem uma democracia moderna (recall presidencial); a convocação de médicos cubanos sem a devida avaliação; e o empréstimo de dinheiro a Cuba e a outros países bolivarianos; a espionagem feita pela Agência de Segurança Nacional (NSA, em inglês) dos Estados Unidos da presidenta Dilma e seus assessores é um componente a mais ao lado da maioria da população brasileira, que abomina regimes bolivarianos e a mais sangrenta ditadura latino-americana, que é Cuba.

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

VAI SAIR CARO

Com relação à espionagem americana que teria monitorado conversas e trocas de mensagens da presidente Dilma Rousseff e seus assessores, não é necessário nenhum espanto. Primeiro, porque os assuntos devem ser aqueles de sempre. Diz a presidente, por exemplo: "Eu falei na imprensa que vou demitir o fulano, mas, cá entre nós, deixa baixar a poeira que ele volta", como foi o caso de Erenice Guerra. Ou: "Vamos fazer um pacote, Mais Médicos, pro forma e depois traremos os médicos cubanos como quer o governo castrista". Ou seja, tudo o que a presidente faz acaba chegando aos ouvidos da sociedade. É somente uma questão de tempo e de um bom trabalho da imprensa que não se deixa levar por agrado$. Convenhamos, essa denúncia vai ficar cara para o Brasil, vamos voltar ao século passado, quando os recados eram dados pessoalmente. Haja avião para carregar tanta gente.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

OS SEGREDOS DELES

Saber que o EUA espiona o mundo inteiro, isso é fato. Agora, saber o que eles tanto fazem e têm no espaço com centenas de viagens com um "ônibus espacial" com capacidade de 14 toneladas, isso alguém sabe?

Edmar Francis

edmarfrancis@gmail.com

Silvânia (GO)

*

PROPAGANDA

Para quem critica os EUA por espionarem a países e, agora, (dizem) à presidente criatura, ponha-se no lugar deles, com a síndrome terrorista depois do 11 de Setembro. Mas por que preocupar-se com o Brasil? Ora, ora, é o maior país do continente, mas o mais besta se faz de malandro, porque apoia os irmãos cubanos Castro, o presidente "cocaleiro" boliviano ou o chavismo venezuelano, um bando que sempre caminhou para trás crendo em comunistas como Fidel Castro. Sorte tem a presidente criatura, ao ganhar uma propaganda gratuita para 2014, com essa tal "espionagem americana", não é mesmo?

Laércio Zannini

arsene@uol.com.br

São Paulo

*

BIG BROTHER GLOBAL

Com a divulgação de que a espionagem eletrônica da NSA, agência americana de espionagem, é hoje uma realidade avassaladoramente global, e assim nem os mais ingênuos podem se permitir negar a existência de uma fantástico Big Brother, que tudo controla e de tudo sabe, não é sem razão que os principais líderes das maiores nações estão voltando a se utilizarem de formas arcaicas de comunicação, como meio de interagirem com mais segurança, com seus assessores e subordinados, posto que, sem isso, nada escapa do grande "olho virtual".

José de Anchieta Nobre de Almeida

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

SEMEANDO O ÓDIO

É inacreditável os EUA gastarem US$ 52 bilhões de somente para espionar os cidadãos do planeta, enquanto nada fazem para diminuir o sofrimento dos necessitados de seu próprio país. O Brasil, apesar de pobre, sempre manteve ajuda humanitária em diversos países, prezando a amizade e cooperação com todos os povos, e nossos esforços nem sequer são reconhecidos para obtenção de uma cadeira no Conselho de Segurança da ONU, sobretudo por sermos o país-sede de eventos mundiais. O presidente Obama sempre foi a esperança de mudanças na política interna e externa dos EUA visando à paz, entretanto patrocinam e atuam em guerras desnecessárias, apenas para gerar lucros à sua indústria armamentista. Os norte-americanos cientes de suas capacidades intelectuais e financeiras poderiam exigir uma postura pacífica de seu governo diante da comunidade internacional, enquanto investiriam uma mínima porcentagem dos gastos em guerras para a promoção da paz e o desenvolvimento, gerando amizade e cooperativismo em todos os continentes, ao invés de semearem o ódio e a vingança.

Daniel Marques

danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

PIOR DO QUE ESPIONAR

O governo petista de Lula/Dilma e seus áulicos de plantão parecem alvoroçados com o monitoramento dos Estados Unidos bisbilhotando a vida dos brasileiros e, em especial, a vida dos nossos governantes. Penso que, na qualidade de guardião da democracia do mundo, e em especial do continente americano, não podem "dormir de touca" diante do que está ocorrendo por estas bandas. A esquerdopatia vermelha a cada dia multiplica os seus tentáculos numa sofreguidão alucinante de perpetuação do poder. A meritocracia se evadiu da formação dos principais quadros da administração. O vandalismo tomou conta das ruas. O Estado de Direito é nulo e a insegurança é um fato. Como não tomar conta de um governo que já tentou derrubar um movimento revolucionário para implantar o castrismo? Como não estar de olho num governo que está alinhado com as mais perversas ditaduras do mundo? Com um governo que pretende indultar centenas de milhões de dólares beneficiando ditaduras africanas. Um governo que promete importar de 4 mil a 6 mil médicos sem o exame do Revalida e que financia, via BNDES, US$ 800 milhões para a construção do Porto de Mariel, em Cuba. "O preço da liberdade é a eterna vigilância." Os Estados Unidos sabem disso e é preciso estar preparado para evitar a cubanização de grande parte da América Latina. Dilma convoca reunião de emergência no Planalto. Embaixador dos Estados Unidos é chamado ao Brasil para dar esclarecimentos. O programa "Fantástico", solidário com o governo brasileiro, coloca toda a sua indignação no noticiário. Pior do que a espionagem americana é o trabalho de doutrinação ideológica que os morubixabas cubanos podem operar no País.

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

OS SEGREDOS DE DILMA

A ser verdade que uma agência dos Estados Unidos andou investigando a moradora da caverna do Planalto, faço um apelo veemente aos americanos: Compartilhem com o povo brasileiro o que descobriram. Deve ter coisa do arco da velha.

Alexandre de Macedo Marques

ammarques@uol.com.br

São Paulo

*

DILMA EM VERMELHO

Alguém sabe a razão de a senhora presidente Dilma usar somente a cor vermelha nas vestes? Será superstição ou imposição do comando petralha?

Flávia de Castro Lima

lgcastrolima@uol.com.br

São João da Boa Vista

*

CONFLITO NA SÍRIA

A Síria está ameaçada de ataque militar por parte dos Estados Unidos, e isso mostra um quadro inadmissível. Basta lembrar o que aconteceu no governo Bush, que, contrariando uma determinação da ONU, invadiu o Iraque, admitindo posteriormente que as denúncias de existência de armas químicas eram falsas. E os norte-americanos ficaram impunes, sabendo que na invasão foram assassinados milhares de iraquianos inocentes. Até quando o mundo vai assistir passivamente às ordens de militaristas que não têm a mínima preocupação com os direitos de outras nações? E até quando a ONU vai ficar inerte diante de comportamentos tão graves? O mundo precisa de paz.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

PÉ NA MESA

A foto de Barack Obama na primeira página da edição de ontem traduz a disposição de policiar o mundo internacional. Dedo em riste, pezão sobre a mesa, junto à taça de café! Presidente dos EUA ou membro da máfia de Chicago da lei seca?!

Arary da Cruz Tiriba

atiriba@terra.com.br

São Paulo

*

COMPADRIO E DÓ NO CONGRESSO

O presidente da câmara dos deputados (minúsculas, por favor), deputado henrique alves (minúsculas de novo), avaliando a vergonhosa, absurda e inaceitável votação que livrou da cassação do mandato o marginal presidiário natal donadon (minúsculas de novo), declarou que o que levou os deputados àquela decisão foram os sentimentos "do compadrio, do corporativismo, da amizade, do sentimento de pena". É incrível não ter passado pela cabeça do presidente que o que levou a tão absurda e vergonhosa decisão foram a falta de caráter, a falta de civismo, a falta de ética, a falta de vergonha na cara, a falta de qualificação moral para o mandato que exercem e, não menos, o excesso de cinismo, de descompostura e de indignidade. Com os presidentes que temos no executivo, na câmara e no senado, estamos bem mal arranjados. O que nos está salvando a face, no momento, é a presidência do Supremo Tribunal Federal (com maiúsculas, sim senhores). Até quando?

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br

Campinas

*

SENTIMENTO DE PENA?

Se o mandato de deputado de Natan Donadon foi mantido por pena e compadrio de seus pares, conforme alega o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, em entrevista ao "Estado" (1/9, A4), isso confirma uma vez mais o que já sabemos: a velha prática de proteção mútua entre os parlamentares. Agora, dizer também que Donadon escapou da cassação por pena é uma afirmação jocosa e ridícula. Quem desviou R$ 8,5 milhões da Assembleia de Rondônia é digno de pena? Onde estão a coerência e o bom senso nessa afirmação? O sentimento que deveria imperar entre os senhores deputados é o de ter vergonha na cara e pensar mais no Brasil do que em si próprios.

Francisco Zardetto

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

DONADONS

Está dominado! O Congresso Nacional é a embaixada dos condenados! Uma salva de palmas aos Donadon!

Roberto Nascimento

robenasya@yahoo.com.br

São Paulo

*

TERATOLOGIA

O Poder Judiciário condenou Donadon pelo crime denunciado e suspendeu seus direitos políticos arrimado em legislação oriunda do Poder Legislativo (AP 396 e art. 15, III, da Constituição). O Poder Legislativo, revendo a cominação respeitante à suspensão daqueles direitos, o inocentou, procedendo a uma exegese corporativista da legislação que disciplina a espécie, vez que decidiu que a legislação que aprovou, embora omisso seu texto, comportava exceção, pois só poderá coagir, só poderá ser eficaz em relação ao não parlamentar, portanto, o precedente aberto vale para todos os parlamentares exercentes de mandato. Enquanto arcarem com os efeitos da condenação, continuarão representando os eleitores e recebendo sua remuneração. Isso configura teratologia no universo jurídico, bem como o Poder Legislativo rescindir parcialmente uma decisão do Poder Judiciário proferida exatamente com supedâneo em lei emanada daquele poder.

Eduardo Jessnitzer

jessnitzer@terra.com.br

São Paulo

*

DÁ PARA PIORAR

O presidiário e ainda deputado Natan Donadon (ex-PMDB) protagonizou um episódio em conluio com a Câmara dos Deputados que causou indignação nacional. Ele manteve por decisão da Câmara o seu mandato de deputado e isso deve dar um novo gás aos protestos no País inteiro. Vai ser uma oportunidade para saber se "o País despertou", como diziam nos protestos de junho, ou se voltou para casa e está com preguiça de sair. Falou-se com otimismo, com exagero, que o País mudou depois dos protestos. Os deputados federais, na semana passada, zombaram disso. O deputado Tiririca dizia, em sua campanha, que pior do que está não fica. Estava errado. Sempre dá para piorar.

Carlos Iunes

carloiunes@gmail.com

Bauru

*

DE TIRIRICAS E DONADONS

Nem com todo o seu humor e irreverência o deputado Francisco Everardo Oliveira da Silva, o Tiririca, poderia supor que um dia a Câmara tivesse um deputado presidiário ou um presidiário ainda deputado. O seu slogan de campanha, "pior do que está não fica", subestimou a capacidade do Parlamento brasileiro. Em se tratando de políticos e de política, no Brasil sempre há muito espaço para piorar.

Claudio Juchem

cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

BARATAS TONTAS

Como observador, é seguro afirmar que andamos como baratas tontas na vida do Brasil. Um governo que se curva a verdadeiras republiquetas vizinhas. Juízes são acusados de improbidades, um deputado federal acusado de improbidades, condenado e preso, não é cassado por seus pares dado que não são seus ex-pares, afinal, são colegas. No que tange à saúde pública, transportes de massa e educação, tudo está falido. Assisti na TV, dia destes, a uma menina com seus 7 ou 8 anos chorando em plena sala de aula por não ter uma cadeira para sentar. Fica em pé na classe. É de fato uma loucura, e não vejo saída para tão logo. Com essa turma que nos governa, nos municípios, Estados e governo federal, nada de bom acontecerá em futuro próximo. São só bandalheiras.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

MARGEM PARA SUSPEITAR

Como um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) que obtém financiamento milionário de um banco pode ser relator em duas ações deste mesmo banco, contrariando o Código de Processo Civil e o regimento do Supremo? Dá margem para suspeitar que esses empréstimos foram dados com interesse do banco em obter vantagens. Como ministro da Corte Suprema, Antônio Dias Toffoli deveria se declarar suspeito.

José Wilson de Lima Costa

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

OBRIGAÇÃO

O sr. Dias Toffoli, aparentemente, aceitou conselhos espertos de seu ex-cliente Jose Dirceu e, agora, em saia-justa, deve ter perdido credibilidade perante seus pares. Terá a obrigação de se explicar ou, finalmente, se declarar suspeito. Sem isso, seus pareceres e votos se somarão aos do sr. Lewandowski.

André C. Frohnknecht

anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

FORA DO SUPREMO

Inacreditável o comportamento do ministro Toffoli, não sei o que estão esperando para tirá-lo do Supremo. País de impunidades.

Gustavo Eugênio de Oliveira Borges

goliveiraborges@gmail.com

Rio de Janeiro

*

TOFFOLI SUSPEITO

Ex-advogado do PT, foi advogado de Lula, amigo de Lula, assumiu a Advocacia-Geral da União (AGU), ex-assessor jurídico da Casa Civil na gestão de José Dirceu, namorado de advogada que defendeu réus do mensalão, reprovado duas vezes para a magistratura e, pelas mãos de Lula, foi direto para o STF. De advogado virou ministro do Supremo, absolveu João Paulo Cunha, José Dirceu (este em 18 segundos), disse que pena de prisão é medieval, disse que ladrão de dinheiro deve pagar com dinheiro, disse que os presídios no Brasil são da idade média, disse que o intuito do mensalão era o "vil metal" - não sabia que também era para tomar o poder para sempre - e, mesmo assim, com todas essas constatações, atribuiu-se o direito de julgar seus amigos e chefes, condenados no processo do mensalão, absolvendo-os. Agora, não satisfeito, surge triunfante e obtém financiamentos do Banco Mercantil do Brasil nos valores de R$ 931 mil e R$ 463 mil, banco do qual é relator em duas ações no Supremo, e é sabido que, após prolatar sua decisão nos dois processos, o banco reduziu os juros dos empréstimos de 1,3% para 1% ao mês, o que lhe assegurou uma economia de R$ 636 mil. Mas o ministro não se afastou do processo. O ministro Toffoli, apesar do seu passado, resolveu julgar seus amigos, absolvendo-os; agora, resolveu julgar o banco que lhe emprestou R$ 1,394 milhão. E seus colegas do STF? Certamente nada farão! E o povo paga a conta. Que país é este?

Alpoim da Silva Botelho

alpoim.orienta@uol.com.br

São Paulo

*

PLANOS ECONÔMICOS

O empréstimo do Banco Mercantil do Brasil (BMB) é só a ponta do iceberg. O iceberg é a liminar a favor da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que permitiu aos banqueiros não pagarem aos poupadores o que devem dos planos econômicos.

José Gilberto Silvestrini

jsilvestrini@hotmail.com

Pirassununga

*

CONTINUAÇÃO

Será que os "empréstimos" concedidos ao ministro Toffoli foram similares aos concedidos a Marcos Valério? Ao que tudo indica, o mensalão continua.

Ricardo Sanazaro Marin

s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

‘MALFEITOS’ NO STF?

Será que os "malfeitos" chegaram à Suprema Corte? Sabemos que o Código de Processo Penal e o Regimento Interno do Supremo Tribunal dizem com todas as letras que o juiz deve se considerar impedido de julgar causas em que alguma das partes seja sua credora. Então o "eminente" Dias Toffoli estava impedido e não se importou que não devesse julgar ações do BMB, do qual recebeu regalias. Mas se considerarmos que esse mesmo senhor não se sentiu impedido de julgar o "mensalão" do PT, tendo em vista que era nitidamente ligado à sigla por diversos motivos, só nos resta pedir ao Senado que mova uma ação contra esses deslizes, pois foram os senadores que deram aval à escolha de Lula para que um simples advogado com nítidos comprometimentos políticos chegasse a tão importante cargo. Qualquer cidadão pode e deve denunciar um ministro do STF, desde que as provas de desdouro sejam evidentes. Não podemos deixar que a mácula chegue aonde ainda a maioria dos cidadãos brasileiros depositam suas esperanças de confiança, decência e Justiça.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

BRASILEIROS MAIS POBRES

Com a alta do dólar, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos brasileiros foi reduzido em 5%, o que, na verdade, representa acentuado índice na pobreza. Então, os brasileiros ficaram 5% mais pobres, apesar de nosso PIB ter alcançado, neste primeiro semestre, a inesperada porcentagem de 1,5% de crescimento. A economia brasileira encontra-se em estágio de difícil confiabilidade, tanto que os investimentos não estão à altura do esperado pelo governo, da mesma forma que o nível de emprego não tem crescido constantemente. Relembre-se que o PIB de 1,5% se deve ao desempenho do agronegócio, motivo de alegria para os brasileiros progressistas e de tristeza para os retrógrados e integrantes do MST. A estabilidade do dólar e o controle da inflação, também via redução de gastos públicos, seriam medidas que poderiam firmar a confiança dos brasileiros e alienígenas em nossa economia.

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

‘NÃO PODEMOS REPETIR O ERRO DE 2011’

A entrevista ao "Estadão" da doutora em Economia e professora da FGV/SP Laura Barbosa de Carvalho (2/9), além de ter sido muito esclarecedora, foi uma aula para muitos que se consideram economistas e disparam suas opiniões e comentários absurdos e insensatos a esmo. Pois sem dúvidas, como ela disse, o País vive um momento de inflação pelo custo, e não pela demanda. Basta considerar a incidência de mais de 1/3 de impostos nos preços que o governo abocanha sem nos oferecer absolutamente nada em troca, se considerarmos que mais um bom porcentual fica para os bancos, pelos juros, financiamentos e taxas extorsivas cobradas, que mais se parecem com prática de agiotagem, o que dava até cadeia há alguns anos. Hoje, porém, é totalmente liberada e legalizada por um governo que, quando na oposição, se dizia totalmente contra. Isso colocado, quanto resta para os empresários manterem suas indústrias funcionando, investimentos, funcionários, serviços terceirizados, etc., etc.?

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘ENVELHECER COM O PRÉ-SAL’

Concordo integralmente com a análise apresentada no artigo "Envelhecer com o pré-sal", de Suely Caldas (1/9, B2). A expectativa em relação aos legisladores é nula. Creio que resta ao jovem de hoje e àqueles que virão colocar a poupança como item prioritário de suas respectivas planilhas de gastos...

Sydney Francisco Machado

sydneyfmachado@yahoo.com.br

São Paulo

*

PETRÓLEO E APOSENTADORIAS

Concordo com as colocações de Suely Caldas, adotar o modelo norueguês é a saída. Porém, antes de aumentar a idade para a aposentadoria, julgo que seria mais justo proceder à adequação entre as aposentadorias do setor público e do privado, onde a diferença é gritante.

Gustavo Guimarães da Veiga

ggveiga@outlook.com

São Paulo

*

O PESO DA PETROBRÁS

A conta petróleo (-US$16 bilhões no ano) prejudicou a balança comercial, a Petrobrás, o câmbio, os juros, o risco e a confiança. Até o trânsito estaria melhor. Se não houvesse essa política burra de sócio majoritário, que merecia uma ação por incompetência dos outros sócios, tudo estaria melhor, inclusive as perspectivas de inflação.

Luiz Carlos Abel

luizcarlosabel@uol.com.br

São Paulo

*

APAGÃO - O SONHO CIROU PESADELO

Tudo começou com a Brasil Ecodiesel, uma empresa brasileira que se propôs produzir biodiesel, mas que não conseguiu manter o Selo Social, um conjunto de medidas que visa a estimular a inclusão social da agricultura, sem o qual suas unidades não poderiam vender biodiesel em leilões certificados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Atualmente, a companhia conta somente com o Núcleo Santa Clara, no município de Canto do Buriti, cuja produção deveria ser obtida através de parcerias com 630 famílias, que seriam responsáveis pelo cultivo da oleaginosa mamona. Em 2003 e 2004 foram celebrados contratos de parceria que garantiriam a propriedade dos lotes e imóveis do núcleo a esses parceiros rurais, após dez anos da primeira colheita. Acontece que em 2009 a Brasil Ecodiesel encerrou suas atividades no Piauí, fechando a fábrica no município de Floriano e não mais plantando mamona na fazenda Santa Clara. Os trabalhadores rurais, que não foram informado da situação de abandono pela empresa, totalmente desamparados, recorreram diretamente ao Judiciário, desprezando a intervenção do Incra. Hoje vivem de agricultura de subsistência, em área desmatada, sem equipamentos agrícolas apropriados, queimando pequenas áreas para preparar plantio de cereais ou para renovar pastagens para suas criações. Resumindo: acende-se um foguinho debaixo de torres de transmissão, que apaga a energia de toda uma região. Sonho que virou pesadelo.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

DESABAMENTO EM SÃO MATEUS

Projetos de reformas e novas edificações devem ser submetidos à prefeitura da cidade, que aprova ou não a sua execução. As subprefeituras ou a Sehab, dependendo do tipo de imóvel, expedem para isso, os alvarás de aprovação de projeto e os alvarás de execução da obra. Desde agosto do ano passado, quando o ex-prefeito Gilberto Kassab resolveu implantar a análise eletrônica desses processos, esse sistema se encontra praticamente paralisado. Uma parcela mínima de processos foi analisada pelos funcionários da prefeitura, que como todos os profissionais da área foram pegos de surpresa com o novo sistema eletrônico de aprovações. Há alguns meses, o prefeito Fernando Haddad resolveu retroceder e apenas pequenas reformas e pequenas obras seriam analisadas pelo novo sistema. As grandes voltariam a ser analisados pelo sistema antigo, em papel. De acordo com a lei, se não há manifestação do órgão responsável da Prefeitura, após 30 dias da entrada do processo, a obra pode ser iniciada, desde que o proprietário e/ou o profissional responsável assumam os respectivos riscos de uma eventual não aprovação por parte da Prefeitura. Esse prazo, pela estagnação de todo o sistema, já foi aumentado para 90 dias, mas não surtiu resultado, e a paralisação das aprovações é quase que completa em todas as subprefeituras. A verdade é que o sistema eletrônico foi implantado às pressas, sem que os funcionários responsáveis tivessem uma preparação de como utilizá-lo. Quem sabe o desmoronamento da obra de São Mateus não foi o primeiro de uma série, em que os envolvidos não podem adiar suas responsabilidades nem continuar na dependência de um sistema complexo de aprovações que se tornou mais ineficiente do que sempre foi, por ter sido precipitadamente implantado.

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

FISCALIZAR É PRECISO

Edificar é coisa séria. Contrate apenas bons profissionais porque, senão, a vítima pode ser você, e isso significa perder todo o dinheiro empregado na obra e ainda ter de indenizar os prejudicados por ela, pessoas físicas, jurídicas e o Estado. Em pleno século 21, estamos tendo problemas construtivos relevantes, como a queda de prédio e de muro, com vítimas fatais. Por que entram em colapso prédios, muros e pontes em nosso território? Sabemos que uma construção pode ser iniciada erradamente, ou ter alguns graves problemas com a sua construção, utilização, manutenção, reparos ou acréscimos. Para evitar isso, o primeiro passo é contratar profissionais de engenharia que tenham formação adequada e que estejam registrados num conselho. Outro passo para que uma obra seja executada em conformidade são os projetos, as sondagens do terreno e a execução conforme normas em vigor, por associação de normas técnicas. No Brasil existe a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), cujas normas, especificações e ensaios devem ser seguidos. Fui professor de Materiais de Construção, de Resistência dos Materiais e de Práticas de Laboratório de Concreto, além de Teoria das Estruturas e de Cálculo do Concreto. Se seguidas à risca as instruções do calculista, dos laudos de sondagem e as normas brasileiras, fica praticamente impossível levar à queda uma construção. Explico, num simples cálculo de pilar interno existem quatro coeficientes de segurança, que maximizam o peso da carga, tratam da sua excentricidade, minoram as resistências do concreto e do aço, componentes que resistirão conforme estudos efetuados às cargas. Para que se tenha uma ideia aproximada, três destes coeficientes são de 40% e um, de 15%. Um bom profissional zela ainda pela limpeza e estanqueidade das formas, pela qualidade dos aglomerantes, agregados, corpos de prova, tempo de cura do concreto, entre uma gama de exigências normativas. Como afirmei, é necessário efetuar uma enorme não conformidade para colapsar uma construção. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) passou a ser apenas um conselho de engenheiros na atualidade, os arquitetos criaram um conselho denominado CAU. Portanto, problemas de arquitetura devem ser tratados com este novo conselho, o CAU. Quando contratado, o engenheiro preenche e assina conjuntamente com os contratantes, a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Essa ART tem a força de um contrato. Para ser validada pelo Crea, ela deve ser paga em instituição bancária reconhecida. A partir daí, durante determinado período, o profissional da área da engenharia se torna o responsável pela obra. Em caso de divergências, pode ser aberto um processo no Crea, que será analisado pela Câmara Especializada em Engenharia daquela modalidade. É escolhido um relator para o processo, e este, após a análise, o apresenta com os comentários devidos para votação. Este mesmo relator o apresenta como resolvido em reunião plenária de câmaras, para que ainda possa ser aprimorado ou não. Numa terceira instância, o cliente não satisfeito pode ainda recorrer ao Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, onde não existem câmaras, e sim uma plenária. Daí, estando ainda insatisfeito, o cliente pode entrar na justiça comum com um processo e tramitar em outras três instâncias judiciais. Engana-se quem pensa que o Crea protege o profissional. Ele protege a sociedade preventivamente contra o mau exercício profissional. Muitos profissionais, insatisfeitos com o salário, por exemplo, criticam o Crea, enquanto deveriam se dirigir ao seu sindicato, com as suas reivindicações. Portanto, contratado um bom profissional registrado no Crea, a tendência é a de haver o mínimo de problemas, dado que, por sua própria formação acadêmica, ele deverá estar apto a resolvê-los a contento. Sugiro às autoridades que não vivam tanto de perícias, exercendo mais fiscalização preventiva em campo. Há relatos de construções em que a placa estava gravada com o nome de profissional já falecido. Houve caso relatado em que o profissional deu a baixa na ART e no qual a construção é continuada pelo proprietário, sem o mínimo respeito a este profissional ou aos órgãos fiscalizadores. Fiscalizar é preciso!

Santelmo Xavier Filho

santelmoxf@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

‘DOUTROS PRETO’

Venho por meio desta argumentar sobre o artigo de Laura Greenhalgh publicado no jornal "Estado" em 31/8 (‘Doutor Preto’, página C10). Gostei muito da reportagem, pois vejo na autora muita coragem e ousadia de mudar nosso país. Realmente o preconceito é uma coisa terrível, que deve sair de nossa vida, pois, como Laura demonstrou saber, eu e você, um gordo e um magro, um feio e um bonito, um branco e um negro, um cadeirante e um deambulador, enfim, TODOS, são seres humanos com a mesma dignidade, os mesmos direitos e deveres, devendo ter as mesmas oportunidades não importa a aparência, origem, etnia, etc. Como médica brasileira, em breve mãe por adoção de uma criança de uma origem diferente da minha, amiga de muitos negros, trabalhando exclusivamente com deficientes físicos, ativista dos direitos destes, além de ser colega de excelentes médicos de diferentes etnias, inclusive cubanos que fizeram o Revalida, posso dizer que talvez a autora tenha se equivocado em pensar que todos os manifestantes de minha classe que estavam naquele aeroporto realmente protestassem pelo simples fato de os cubanos serem negros, ou não serem bonitos, ou não falarem a nossa língua, etc. Não sei se a autora sabe, mas grande parte desses corajosos paramédicos cubanos vem em busca de condições melhores de vida, que não encontraram em seu país de origem. Em Cuba, e posso falar com propriedade, pois já estive lá convivendo com estes, o salário de um médico/para-médico não ultrapassa R$ 400. Assim eles não conseguem comprar nada. Vivem de cesta básica, que não dá até o final do mês, consequentemente não podem viajar, comprar roupas próprias, decorar sua casa com um vaso que seja, comprar presentes aos seus filhos, enfim, não têm liberdade de ir e vir, escolher sua casa, etc. Assim, eles vêm enviados pelo seu governo, sob um regime desumano, a que aceitam se submeter por uma questão de sobrevivência, com o emblema populista de R$ 10 mil de salário, enquanto sabe-se que na verdade não ganham sequer um terço do mencionado, sendo o restante entregue aos seus governantes. Além disso, com muita tristeza, devo lembrar, e gostaria de dividir isso com a autora, que estou realmente descobrindo que o nosso governo diz estar atuando pelo bem da população trazendo esses médicos, porém, ao mesmo tempo, está cortando as verbas do setor da saúde, e obviamente isso não é exposto pela televisão. Um exemplo claro disso é a tentativa de acabar com o atendimento do setor terciário (por exemplo, com o corte de verba que ocorrerá em 2016 para as Apaes), pelo simples argumento que todos os médicos devem estar preparados para atender qualquer patologia, por mais específica que seja. Isso é irreal. Acredito que não precise me aprofundar muito nesse assunto, para mostrar que uma das fórmulas para o sucesso de um atendimento médico é a presença do sistema primário, secundário e terciário. Basta olhar a forma de atendimento em países de Primeiro Mundo, onde a população é realmente atendida com a dignidade, sendo exigida dos profissionais a formação necessária para ter o mínimo de conhecimento que o paciente merece. Somado a isso, o governo passou a demitir alguns de meus colegas, ótimos médicos que ganham salários líquidos menores que R$ 10 mil, para substituí-los por médicos de fora. A contratação não era para locais onde não houvesse médicos? Inclusive, quando esses paramédicos/médicos receberem seus CRMs (pois isso logo acontecerá, mesmo sem eles terem uma formação suficiente), se os mesmos não voltarem a estudar e a elaborar seu conhecimento, continuarão a atender no SUS, gerando assim uma inflação da exclusão social: quem não tiver dinheiro será atendido por qualquer agente de saúde e quem tem dinheiro, por médicos capacitados e estudados, distanciando ainda mais as classes sociais brasileiras. Enfim, com certo pesar, desconfio de que nossa presidenta na verdade não queira o bem do nosso povo, como realmente diz, e, além disso, temo que essa seja apenas mais uma atitude populista, utilizando eu e você, digo, nossa população, como massa de manobra para esconder, manter e até mesmo aumentar o privilégio de uns poucos, bem poucos. Assim, amiga Laura, concluo que entendo sua boa vontade e sua nobre intenção com esse alerta, mas temo que seu julgamento quanto àqueles médicos e essa rotulação massificada possa resultar num certo sentimento de revolta da população contra a classe médica em geral, provocando exatamente o que o governo quer e que a Sra. está criticando, um preconceito da população a todo e qualquer médico brasileiro. Termino com uma frase que li há poucos dias do ator Morgan Freeman: "O dia em que pararmos de nos preocupar com consciência negra, amarela ou branca e nos preocuparmos com a consciência humana, o racismo desaparece".

Maria Lucia Guarita

m_costacurta@yahoo.com.br

São Paulo

Resposta de Laura Greenhalgh - Prezada Maria Lucia, muito obrigada por sua mensagem, acolhida por mim com imenso respeito. Entretanto, minha coluna trata dos participantes do protesto em Fortaleza e dos termos de conteúdo discriminatório, sem falar na ignorância em si, de uma internauta. Não generalizei a crítica, digo até que nossa medicina não merece isso - você não merece isso. Quanto ao fato de termos tão poucos médicos negros, a estatística constata a situação, que abrange outras carreiras. O que só aumenta o problema, convenhamos. Quanto ao programa do governo, com questões complicadas a resolver, não foi o meu foco. Meu foco foi o Doutor Preto, uma figura para ser lembrada sempre.

*

COMPARAÇÃO INFELIZ

Infeliz a comparação da sra. Laura Greenhalgh ("Estadão", 31/8, C10). Segundo soube e as fotografias estampavam, vaiado foi o médico cubano que vem trabalhar no Brasil "sem" exame de proficiência, o Revalida. O artigo "Doutor Preto" era, pela próprias palavras da autora, culto, estudado como se diz no interior. Antes de fazer um curso de Medicina numa faculdade brasileira tradicional, fora bacharel em Ciências e Letras, tendo lecionado em ginásio. A autora sabe qual é o currículo de uma Faculdade de Medicina de Cuba? Pois é. O que sabemos há décadas é que muitos brasileiros vão estudar em outros países porque não passaram nos nossos vestibulares. Ou nem coragem tiveram para enfrentá-los. A autora não acha que um Revalida, feito por uma de nossas universidades, poderia dar essa resposta?

Antonio Carlos Gomes da Silva, membro da Academia de Medicina de São Paulo

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

*

MÉDICOS CUBANOS

Médicos Cubanos - que estão entre os melhores do mundo, segundo a revista "Ciência e Saúde" - para os pobres e regiões carentes do Brasil não pode... Mas trouxemos a máfia Yazuka do Japão, essa pode. Mas trouxemos a máfia do contrabando de drogas da África, essa pode. A máfia da mídia e das novelas mexicanas, essa pode. A máfia católica manonegra da Itália, essa pode. A máfia do sexo e da pornografia infantil da Espanha, esse pode. A máfia das piratarias cibernéticas dos Estados Unidos, essa pode. A máfia do narcocontrabando informal da China, essa pode. A máfia neoliberal das privatizações-roubo e do neoescravismo da terceirização trazida da Inglaterra e que pinta e borda e impune em São Paulo, o Estado máfia, essa pode. Mas médicos cubanos para os pobres do Brasil não pode. Precisamos importar alguns cérebros brilhantes para os criticozinhos-Daslu, os coxinhas. E nunca se viu a Rede Globo criticar isso, ou os aloprados filhinhos de papai irem para as ruas por isso. "O Brasil precisa de médico especialista em gente", disse o ex-ministro da saúde Adib Jatene -à época de FHC, quando ainda tinham a alta grana da CPMF, que não deu em nada (e ninguém foi para a rua "passetear" contra isso).

Silas Correa Leite

poesilas@terra.com.br

Itararé

*

TORCEDORES VIOLENTOS

Parece que identificaram torcedores corintianos e um "vereador" no tumulto no Estádio de Brasília, há poucos dias. Bem, quanto ao "vereador", já é sabido que essa raça de políticos não presta, bastam simplesmente enquadrá-lo na lei da Ficha Limpa e pedir a cassação de mandato, por formação de quadrilha, provocar tumulto e agressão a um agente de segurança pública, ou seja, cadeia. Quanto aos torcedores corintianos, os dois que foram presos como suspeitos no assassinato do garoto boliviano, penso agora, são inocentes? Valeu a pena o povo brasileiro gastar com diplomacia e verbas para garantir o direito de defesa desses torcedores desqualificados? Não, eles não mereciam isso. O que eles merecem agora é que sejam devolvidos à Bolívia, para que lá decidam o que de fato eles merecem.

Eldmar Maretti Fernandes

eldmar@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.