Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2013 | 02h08

Espionagem

O comportamento de nossa presidente no caso da espionagem pela NSA pode ser comparado ao de um time de futebol que ao tomar um gol vai reclamar com o técnico do time adversário, em vez de cuidar da própria defesa!

ANTONIO Q. DE ALMEIDA SAMPAIO

queiroz2000@zipmail.com.br

São Paulo

Ilha da fantasia

Ao contrário do que demonstra a presidente Dilma Rousseff - irritação em sisudos discursos contra a espionagem americana em nosso território, que seguiu os seus passos e bisbilhotou a Petrobrás -, no fundo, no fundo, ela deve estar gostando, pois é mais um trunfo para a reeleição. Com a monopolização do assunto, não se fala mais nas reivindicações de melhorias na saúde e na educação, mobilidade urbana, precariedade de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, reforma política, alta da inflação, câmbio inconstante, crescimento pífio da economia, etc. O tema bisbilhotagem tem sido muito bom negócio para o governo.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Será?

Não há motivos para pôr em dúvida a afirmação da diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo de que os bancos de dados da ANP não estão conectados à internet e os dados relativos ao leilão de Libra estão disponíveis com total transparência. Então a "denúncia grave" de espionagem na Petrobrás seria uma denúncia vazia? Mais uma bandeira ianque queimada sem razão?

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo

A famigerada decisão

Foi depois de uma conversa a três, com o marqueteiro e o ex, que Dilma decidiu cancelar a viagem aos EUA. Busco, mas não encontro o motivo real. Ou a presidente acorda ou ficaremos com o chapéu e o pires na mão.

J. PERIN GARCIA

jperin@uol.com.br

São Paulo

De bravata em bravata, o marqueteiro vai construindo a recuperação da popularidade do poste. Acorda, Brasil!

ARIOVALDO MARQUES

arimarques.sp@gmail.com

São Paulo

Bolivarianismo

O cancelamento foi decidido por motivos "bolivarianos". Espionagem entre nações, mesmo as ditas amigas, existe desde os tempos bíblicos. Gostaria que o governo do PT tivesse cancelado a visita do então presidente do Irã após ter declarado na ONU que varreria Israel do mapa. Essa, sim, teria sido uma medida justa, correta e positiva para o Brasil.

ROBERTO CESAR S. LEONTSINIS

roberto.leontsinis@terra.com.br

Sorocaba

Coerência

Bravo, dona Dilma! Muito patriótica a sua atitude de cancelar a visita aos EUA, jogando para a plateia. Agora, para ser coerente, proteste contra a revista do avião do ministro Celso Amorim pelo Exército boliviano.

CARLOS NORBERTO VETORAZZI

cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

Momento incerto

Breve saberemos quanto a atitude de Dilma, mesmo diante da espionagem, vai ser prejudicial aos brasileiros que vivem de negócios (comércio) com os EUA. Não é o momento de demonstrar "coragem", mas bom senso.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

Gigantes desistem

Não sou profeta, mas é uma tremenda coincidência a não participação das gigantes petrolíferas americanas no leilão do pré-sal. Será que isso nada tem que ver com a recusa da presidente Dilma de ir aos EUA em outubro - não que os americanos tenham algo a perder com isso - por causa do imbróglio das alegadas espionagens, até na própria Petrobrás? Não seria esse o pano de fundo para a desistência? Ou terá sido a decantada caixa baixa momentânea das companhias desistentes? Ou, ainda, o campo de Libra não será tão interessante como apregoado?

ALOISIO A. DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

Leilão de Libra x NSA

Coincidência ou não, o fato é que nenhuma companhia petrolífera dos EUA se habilitou ao leilão do campo de Libra, que o governo reputa como o filé mignon da área do pré-sal. Se acreditarmos que os dados da Petrobrás não foram espionados, fica difícil entender o desinteresse das norte-americanas. Por outro lado, se os dados foram postos à disposição, fica a preocupação de que ou esse filé tem osso, ou o custo de produção e tecnologia necessárias à exploração do pré-sal não faz sentido para os americanos, que estão muito próximos de obter autonomia no setor de petróleo/gás.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Desconfiança para investir

Quando verificamos que as grandes empresas petrolíferas ficaram fora do leilão do campo de Libra, concluímos que acreditar no ufanismo eleitoreiro do ex-presidente (e atual "primeiro-ministro") Lula é privilégio exclusivo dos brasileiros. Pois é evidente que, se acreditassem no governo petista, seria muito interessante para elas participar do leilão. Como sempre, o PT não assume a sua incapacidade de gestão de qualquer negócio e a culpa é sempre dos outros. O "pessimismo" que Dilma vê nas notícias nada mais é do que a capacidade dos investidores de perceber a incrível situação falimentar em que esse governo deixou a Petrobrás, a incompetência administrativa e a conduta desonesta que políticos - e até magistrados - desfilam para quem quiser ver. Assim, graças à soma dessas "fortuidades", não têm a mínima confiança em investir no Brasil. Parece que a espionagem da NSA surtiu efeito, alertando para o dito atribuído a De Gaulle: o Brasil não é um país sério.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

Infraestrutura

Dilma reclama do pessimismo das notícias sobre infraestrutura... Antes de reclamar, dona Dilma faça o seguinte. Monte em sua moto e, em vez de dar uma voltinha por Brasília, pegue uma estrada federal. Em seguida deixe a moto no estacionamento de um grande aeroporto e, disfarçada de cidadã comum, tente fazer uma viagem. Depois se disfarce de empresária e tente embarcar um contêiner em algum porto. Em resumo, venha para o mundo dos mortais comuns e veja se é pessimismo ou pura realidade.

ROGÉRIO TÓFOLI KEZERLE

rogeriokezerle@hotmail.com

São Paulo   ___________________  

UM PAÍS SEM JUSTIÇA

O voto do ministro Celso de Mello na sessão de quarta-feira do Supremo Tribunal Federal (STF) provou mais uma vez que não existe justiça neste país. Mostra-nos que a justiça premia a corrupção, a ladroagem e a sem-vergonhice. Todos que votaram a favor dos tais embargos infringentes são coniventes com este sistema.

Lucia Helena Flaquer lucia.flaquer@gmail.com

São Paulo

*

E O MENSALÃO CONTINUA

O julgamento do mensalão terminou exatamente como todos os brasileiros já previram. Um verdadeiro circo montado no recinto do STF, sob a batuta do ministro Joaquim Barbosa, acatou a tese dos embargos infringentes, com o voto de Minerva do ministro Celso de Mello. Exatamente como previu Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT: "Em três ou quatro anos, tudo será esclarecido e acabará virando piada de salão". O STF também deveria aproveitar e já alterar o artigo 5.º da Constituição, para "nem todos são iguais perante a lei". Afinal de contas, o que diz a OAB?

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

ESPERANDO, ESPERANDO...

Como diz a canção "Pedro Pedreiro", vamos esperar "ad infinitum" até que a Ação Penal 470 seja finalizada, lá pelo século 23. Dirceu já pode comemorar e degustar o Romanée Conti, seu vinho preferido, juntamente com seus companheiros de jornada. E nós vamos esperar, esperar, até que um dia o Brasil seja mesmo o país do futuro.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

PROTESTO

Sugiro a todas as pizzarias de São Paulo que imediatamente coloquem no cardápio um uma pizza com o nome de "Mensalão". Temos de protestar, mesmo que não seja nas ruas. Não podemos nos calar jamais! O povo merece respeito!

Gladys Castanho glad-is@ig.com.br

São Paulo

*

VIROU

O ministro Celso de Mello, com essa sua decisão, acatando os embargos infringentes, infligiu aos brasileiros sérios e honestos talvez a maior decepção das sua vida. Decepcionou a esperança de justiça. Decepcionou a honra do bravo povo brasileiro. Enfim, prestigiou a premonição do Delúbio Soares: "Vai virar piada de salão". E, graças a V.Exa., virou. Pobre Brasil! Pobres brasileiros!

Carlos Benedito Pereira da Silva advcpereira@hotmail.com

Rio Claro

*

TRAIÇÃO

O ministro Celso de Mello, que todos esperávamos que fosse entrar para a história como "herói", vai ficar na história como "traidor".

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

FINAL MELANCÓLICO

Melancólica talvez a última manifestação de importância na carreira do ministro! Que pena, principalmente para ele, que será lembrado por sua infeliz manifestação e voto pelo resto dos seus dias, e o bem que já fez se esmaece. Zavascki, Barroso e até Lewandowski ainda terão oportunidades de fazer reparos na carreira em eventuais atuações em futuros julgamentos, mas Celso de Mello já está encerrando a sua e ficará indelevelmente marcado por esta última atuação desastrosa. Mas há um aspecto positivo nisso tudo, que é o lançamento, para o ano que vem, do final da "AP 470". Será ano de eleições e a última coisa que o PT e seu governinho queriam era ter de responder por mais essa durante a campanha! Azar deles, temos de aproveitar esta chance para pormos para fora essa corja de mensaleiros safados, os conhecidos (que responderam ao processo) e os enrustidos (que se escafederam ou não foram descobertos). Haveremos de nos lembrar muito deles no ano que vem...

Nelson Newton Ferraz nelfer@estadao.com.br

São Paulo

*

A REVOLUÇÃO DO PARTIDO ÚNICO

O final feliz para o núcleo político do mensalão vai acontecer em 2014, assim que o decano se aposentar e um novo juiz for indicado pelo Poder Executivo para compor um tribunal obediente e agradecido. Para a felicidade completa, só falta cooptar a imprensa livre ou aguardar o voto do tribunal de censura e instituir o controle externo da liberdade de expressão. Ah, esqueci de falar sobre a "armação" das brigadas rurais, pois até as Forças Armadas foram instrumentalizadas para completar a revolução silenciosa do Partido Único.

Roberto Cintra Leite rcl@cintraleite.com.br

São Paulo

*

BRASIL

Realmente,"o gigante" acordou. Levantou-se, foi urinar e voltou para dormir.

Waldemar Kogos waldemarkogos@globo.com

São Paulo

*

APRENDAMOS A VOTAR

O processo evolutivo existe e sempre existirá em nós, seres humanos. Saímos da caverna e agora moramos em modernos edifícios. As grandes mudanças foram feitas por gênios, pessoas com uma capacidade mental diferente de nós, a maioria. Eles pensam e pensaram e, com isso, criaram algo novo, transformaram o mundo. Quando esperávamos algo novo da nossa Alta Magistratura, nós, simples seres humanos, não dotados de uma grande capacidade mental, estamos todos errados novamente. Os homens que compõem a nossa alta magistratura não são nada diferentes de nós, são apenas seres humanos medianos e com uma capacidade mental limitada, seguem simplesmente regras estabelecidas pelo nosso grande sistema legislativo. Então que todos "caiam na real", as grandes mudanças só virão com "gênios". A nossa Alta Corte continuará apenas lendo o manual. Precisamos, sim, votar direito.

Dimas Theodoro dt@dimastheodoro.com.br

Guarulhos

*

É PRECISO MUDAR A LEI

Li no "Estadão" que "para o novo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a execução das penas só ocorrerá depois de julgados todos os recursos". Esses "todos os recursos" é que criaram um bando de advogados especializados em empurrar processos, de recurso em recurso, até que prescrevam. É preciso mudar a lei! Não entendo, também, porque os membros do STF são indicados pela presidência da República. Esse processo gera "conveniências" a bel prazer. Agora, que o PT está no governo há dez anos e pretende ficar 20, teremos, logo, logo, o STF como uma célula do partido lá instalada. E o País, como fica? Falo do PT, mas é válido para qualquer partido no poder, ainda mais se estiver representando interesses escusos, ideológicos ou ditatoriais. Os dirigentes que ainda tenham alguma responsabilidade precisam acordar de seu "berço esplêndido" e começar a mudar as leis "a favor do País", e não de interesses escusos. Já tenho idade e, infelizmente, não chegarei a ver esse novo dia...

Hoover Americo Sampaio hoover@mkteam.com.br

São Paulo

*

POUCO IMPORTA

Depois da auspiciosa decisão do STF em beneficiar um bando de quadrilheiros com mais um recurso protelatório, de nada mais importa se esta fase do julgamento será rápida ou não. Do ponto de vista ético, a celeuma criada em torno da aceitação dos embargos infringentes perpetuará para a eternidade nos anais da história e no subconsciente de todos os brasileiros a trágica imoralidade da desconfiança, da banalização e da imoralidade da justiça brasileira. Celeridade ou não é o que pouco nos interessa depois de assistirmos a uma epopeia nem um pouco épica.

Marcelo Rebinski marcelorebinski@bol.com.br

Curitiba

*

É POSSÍVEL

Com relação à matéria "STF tenta antecipar prisões" (19/9), gostaria de tecer o seguinte comentário: será perfeitamente possível e terá amparo em entendimento sumulado do Supremo Tribunal Federal eventual mandado de prisão contra todos os condenados na AP 470. Ao dizer "todos", refiro-me aos 25 (vinte e cinco) réus, inclusive os 12 (doze) aos quais foi concedida a aberração jurídica dos embargos infringentes em ação originária, decisão que atenta violentamente contra o artigo 609 e seu § único do Código de Processo Penal. Esqueceram-se os defensores da impunidade e da eternização do feito de que está em vigor a Súmula 354 do próprio Pretório Excelso: "Em caso de embargos infringentes parciais, é definitiva a parte da decisão embargada em que não houve divergência na votação". Desse modo, transitam em julgado, desde logo, todas as condenações em que não houve 4 (quatro) votos favoráveis, autorizando o imediato início do cumprimento de pena, por todos os condenados, independentemente do resultado do julgamento dos embargos infringentes.

Abdalla Achcar, advogado criminalista abdallaadv@ig.com.br

São Paulo

*

DECISÃO DO STF

Lei, ora a lei...

Ronald Martins da Cunha ronaldcunha@hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

PERDEMOS TODOS

O ministro Celso de Mello se pronunciou a favor dos "embargos infringentes". Por mais que seus argumentos tenham amparo legal, carecem de respaldo moral, pois perpetuam a impunidade neste país. Sua Excia. perdeu uma oportunidade de ouro de dar um basta a esta corja condenada e fazer valer a sentença de condenação. Perdeu S.Excia, perdeu o povo honesto e perdeu o Brasil. Que pena, que desilusão!

Sergio Bradaschia Penteado penteado.sergio@ig.com.br

Piracicaba

*

NÓS SOMOS JOVENS

Num país democrático, de instituições perfeitas, a Constituição é sintética, clara, completa, coerente e as emendas são raras. Não é o caso do Brasil, uma democracia "jovem". Nesse caso nenhum dos poderes instituídos deve se alienar da realidade devendo, isto sim, contribuir, sempre que necessário, com a sabedoria de seus membros no sentido de fechar lacunas visando ao bem comum. No caso do mensalão não foi o que se viu. O decano do STF, alheio a essa realidade, ampliou as lacunas na medida em que, enfaticamente, decidiu que não basta ao cidadão estar submetido às leis que, por si só, constituem um cipoal infinito, mas agora também terá de submeter-se aos regimentos internos de cada instituição, criando mais uma absurda jurisprudência que só agrava a inviável e kafkiana Justiça do País...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

FOCO NO CONGRESSO

Interessante a quantidade de leitores que teve acesso às 50 mil páginas do processo para comentarem de maneira tão contundente. Como advogado, sei o quanto perigoso e ignóbil é opinar sem conhecer os autos. Quanto à aplicabilidade dos Embargos Infringentes na AP 470, é importante destacar que, ao Poder Judiciário não cabe "fazer as leis", mas aplicá-las e, havendo disposição legal que obrigue esta ou aquela consequência, assim deve ser feita. Querem leis mais justas, elejam um Congresso mais justo, mas jamais critiquem aquele que cumpriu com o que o povo escolheu, pois se existe político corrupto é porque houve um voto de eleitor corruptor para legitimá-lo.

Alan Silva Oliveira alan.adv1@adv.oabsp.org.br

Guareí

*

RELEITURA

Traduzido o jurisdiquês supremo, fica claro: o crime compensa...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PROFECIA

Parabéns, ministro Celso de Mello. O senhor conseguiu com duas horas de blá, blá, blá transformar o cínico e debochado Delúbio Soares em profeta: "O mensalão vai virar piada de salão".

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

PASSARAM LONGE

Que beleza, ministro Celso! Ética e moral passaram ao largo do seu voto. Belo exemplo.

Fernando Ulhôa Levy foulevy@gmail.com

São Paulo

*

VOTO DE MINERVA

Tatuí, cidade natal de Celso de Mello, deixa de se chamar Capital da Música para se tornar Capital da Pizza.

Mario Ribeiro Duarte mario.rduarte@terra.com.br

Avaré

*

PIZZACRACIA

Mais uma vez o País perde a oportunidade de entrar no rol das democracias civilizadas, onde condenados são punidos. Com um voto já esperado, voltamos à pizzacracia, na qual conluios de alcova definem o atraso institucional da nação. Já sabemos que independentemente de quem seja o relator, independentemente do brilhantismo de sua peça, os votos de Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso serão de absolvição dos réus, o que alterará todo o intuito deste julgamento, encontrar culpados e puni-los (os culpados foram encontrados). Por que acham que eles foram alçados à posição que estão? Aliás, a pérola deste julgamento veio de Barroso: "Para isto existe a Constituição, para que o direito de 11 não seja atropelado pelo interesse de milhões". A leitura deste frase permite depreender a lógica perversa do delinquente político, na qual o direito ao desmando e delinquências de 11 atropele a vida honesta de milhões. É a mesma frase lida do ponto de vista do condenado. Parabéns! O País merece. Nós merecemos. O Brasil volta a fazer jus à alcunha de República das Bananas. E nós agora sabemos quem e o que nos lidera executiva, legislativa e judiciariamente. E nós voltamos a ser os macaquinhos de circo de sempre.

Dário Nardini dario.nardini@uol.com.br

São Paulo

*

DIA D

Quando formos estudar História com nossos netos, com certeza vai ser difícil explicar que 18/9/2013 foi o dia em que a democracia morreu.

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

TANGO

Ao ouvir o voto do ministro Celso de Mello, lembrei-me de um famoso tango de autoria de Enrique Santos Discépolo, escrito em 1935 e que começa assim: "Que el mundo fue y será una porqueria ya lo se en el 506 y en 2013 tambien". Daí a letra segue já antecipando como seria a sociedade que se propunha para o século 20. Alerto que no original o ano é 2000, e não 20l3, como aqui apresentado. Mas pelo jeito vai continuar assim até depois de 3000, quando termina afirmando: "Que a nadie importa si naciste honrao.... o está fuera de la ley". Ministro Celso de Mello, vossa excelência não precisava fazer parte deste Cambalache!

Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

*

JABUTICABA

Os embargos infringentes é irmão da jabuticaba, só existe no Brasil. Essa decisão vergonhosa pela perpetualização do mensalão só poderia vingar aqui, nesse país das quimeras. Sem dúvida, existe um mensalão na mais alta Corte brasileira, porque o PT aparelhou o STF, que antes proferia decisões irrecorríveis, para todos os brasileiros. Agora, depois do dia 18 de setembro de 2013, ao brasileiro ladrão de galinha sentença irrecorrível, direto para cadeia. Ao brasileiro mensaleiro, político corrupto e ladrão do dinheiro público, a impunidade, com nome sofisticado: embargos infringentes. Ou jabuticaba.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

VERGONHA

E aconteceu o que prevíamos: o STF "mellou" o julgamento e os petralhas venceram. O Brasil se envergonha dos Três Poderes!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

PRÓXIMO PASSO

Qual será o próximo passo dos seis ministros do "sim"? Pedir a canonização de Dirceu, Genoino, Delúbio, Valério?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

ESTAMOS EXAUSTOS

Diante de tantas desmoralizações que vem sofrendo o povo pagante desse verdadeiro País das Bananas, esperamos que Dilma não vá na onda do "não sabia" e ponha um fim na bandalheira que está acontecendo mais uma vez no Ministério do Trabalho. Estamos exaustos, fomos às ruas pedindo por um Brasil melhor em todos os sentidos e as respostas dadas pelas autoridades dos Três Poderes estão desvirtuando as nossas reivindicações. Só nos resta nas próximas eleições irmos para as urnas pedindo o fim dessa era das mediocridades. Fora traidores da Pátria!

Leila E. Leitão

São Paulo

*

QUANTO MAIS CAVAMOS...

Vocês já repararam? Cada enxadada uma minhocada. Agora é no Ministério do Trabalho. Só R$ 400 milhões. Não será por isso que Barack Obama está preocupado em espionar? Para ver se tira uma casquinha para as empresas americanas? A preocupação é que o dinheiro vai acabar, essa, sim, é a verdade.

Luiz Carlos Cunha luiz.cunha@terra.com.br

São Paulo

*

DESVIO POR MEIO DE ONGS

Não é de agora que entidades ligadas a ONGs e sindicatos "adoram" capacitar trabalhadores, é o que mais gostam de fazer, como gostam dos trabalhadores!

Paulo T. J. Santos ptjsantos@yahoo.com.br

São Paulo

*

AS ONGS E GILBERTO CARVALHO

Gilberto Carvalho, da corriola de Lula, é aquele que está enrolado até a alma na morte do ex-prefeito de Santo André, mas, como é autoridade, ninguém o incrimina, afinal o PT compra até Deus. Agora Carvalho resolve fazer lobby com empresas corruptas do nosso querido Brasil varonil e sem solução. Esse é o forte dele: meter-se em bandalha. Espero que um dia alguém do Ministério Público o pegue ou o enquadre, afinal já cansou tanta corrupção desses petistas.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

É ROUBO!

Segundo o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho (ai que saudades de Sérgio Mota!): "Tenho uma crença histórica de que não houve uso de recursos públicos, e sim um erro que tem de ser punido, todos sabemos, de uso do caixa 2 em eleições e processos eleitorais. É disso que se trata, a meu juízo. Qualquer desvio tem de ser punido". Só para lembrar ao dito cujo: isso é roubo! De onde vem esse dinheiro? Me engana que eu gosto, pô!

José Roberto Palma palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

PERIGO NA ANTESSALA

Segundo noticiário, a Polícia Federal detecta lobby de ONG sobre Gilberto Carvalho (ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência). A coisa está chegando perto!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

A ONG COMO VÁLVULA DE CORRUPÇÃO

As Organizações Não Governamentais (ONGs) são entes jurídicos com dotes para vencer a burocracia dos órgãos estatais e, com isso, tornar mais ágil a realização de obras e prestação de serviços à comunidade. São de extrema valia quando administradas com competência e, principalmente, honestidade. Mas tornam-se verdadeiras vilãs quando são açambarcadas por facções políticas, políticos e ongueiros inescrupulosos que desviam seus recursos para finalidades diferentes das previstas no estatuto social e nos contratos firmados com as fontes de custeio. O desvio do dinheiro das ONGs para benefício próprio é peculato, pois os recursos vêm do cofre público; quando custeia atividades partidárias ou campanhas políticas, além de peculato é, também, crime eleitoral. E o prejudicado, sempre, é o destinatário dos serviços. Essa irregularidade já derrubou ministros e tem feito muitos estragos. De instrumento facilitador e de interesse social, as entidades se transformam em válvulas da corrupção. Fortalecê-las é uma obra de alto interesse social. Mas é fundamental eliminar todas as formas de promiscuidade com política, políticos e, principalmente, com corruptos...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CASO SIEMENS

O então secretário de Transportes do Estado de São Paulo, Jurandir Fernandes (PSDB), se reuniu nada menos que 73 vezes com as empresas que fizeram a fraude na licitação do metrô paulistano, no caso Siemens. Alguma dúvida da participação do governo do PSDB nessa fraude de milhões de reais?

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

A CONCESSÃO DE RODOVIAS

Tudo em nome da campanha escrachada para a reeleição da presidente Dilma Rousseff, não importando o que o governo vá gastar. A concessão de rodovias no Estado do Rio de Janeiro já vai para 18 anos. Não é de hoje que essas rodovias carecem de conservação e reformas para reduzir o número de acidentes e suportar o tráfego atual e futuro. As concessionárias, por uma questão de lógica empresarial, poderiam investir nessas obras, mas teriam como contrapartida o aumento do pedágio, que, "ipso fato", teria influências negativas para o índice de inflação, o que Dilma não quer nem por reza braba. Simples assim. Para segurar o aumento do pedágio nas rodovias estatais, o governo vai torrar R$ 2,2 bilhões, não para melhorar as rodovias e diminuir o índice de mortes, mas como um suporte para o palanque em que se encontra nas barbas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nem com essa mamata no Estado do Rio não houve interessados na Rodovia BR-262 no trecho entre Minas Gerais e Espírito Santo. Esse dinheiro seria muito bem-vindo se fosse empregado na rede do SUS.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

VARIAÇÕES DO MESMO TEMA: PRIVATIZAÇÃO

Privataria, do PSDB. Privatização à meia com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), privatização com participação minoritária do BNDES, privatização com participação majoritária dos Fundos de Pensão, privatização com limitação indexada de lucro, privatização de alto risco sem garantia de cobrança de pedágio; privatização ameaçada por eventuais ações judiciais, privatização assombrada por programas ambientais de licença de instalação, referentes á supressão vegetal, fauna e flora, privatização com risco de embargo para a preservação de sítios arqueológicos, privatização direcionada exclusivamente a futuros "campeões nacionais", privatização de mentirinha, geralmente de cunho político... todas do PT.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

NOVA MAQUIAGEM

O governo vai colocar R$ 2,2 bilhões em obras em estradas do Estado do Rio, que foram privatizadas há 18 anos, para evitar que aconteça um aumento no valor dos pedágios, que poderiam subir até 50% do valor atual, já que as obras são necessárias. Na verdade, isso não passa de mais uma grande maquiagem do governo para segurar o aumento da inflação, que ocorreria caso houvesse esse reajuste nos preços dos pedágios, além de se proteger contra uma gritaria geral, pois os aumentos seriam bem maiores que aqueles 20 centavos de junho. Assim, Dilma decidiu cobrar de todos os contribuintes brasileiros essa conta de R$ 2,2 bilhões, usuários ou não das estradas, para mostrar uma falsa imagem do dragão da inflação, e evitar possíveis protestos. Uma vergonha!

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

‘GERENTONA’ INCOMPETENTE

Dona Dilma não é a "gerentona" que Lula "vendeu ao eleitorado. Ao contrario, nunca obras públicas, programas e atividades governamentais, em geral, andaram tão devagar, quando atualmente. "Todas" as obras e programas do governo federal estão atrasados e estouraram os orçamentos. Repito, "todas", sem exceção. O motivo é que tanto a presidente como seus auxiliares não têm formação de administradores públicos nem a menor ideia de como fazer. A maioria dos ministérios é dirigida por políticos e seus assessores, igualmente não conhecedores dos assuntos da pasta nem de administração. Com isso, não só a economia está em linha descendente, como o governo gerou uma grande desconfiança nos empreendedores e investidores, resultando na paralisação das obras públicas, no desinteresse em investir e até na falta de interesse de particulares pelas concessões de estradas, como a ocorrida nos últimos dias. Muitas empresas estão cancelando ou reduzindo investimentos em todas as áreas, e a taxa brasileira de investimentos não passa há algum tempo de 18%, quando países do mesmo nível de desenvolvimento como o nosso investem 25%, que é do que precisaríamos. Por isso, não passamos de crescimento de 0,9% em 2012 e uma previsão inferior a 2% para 2013, considerada muito baixa. Essa falta de capacidade de governar de dona Dilma é o que levou ao caos a saúde pública e a educação no País. Até hoje ela não anunciou qualquer medida que possa melhorar esse quadro, apesar de inúmeras sugestões recebidas de especialistas nessas áreas. A importação dos médicos foi uma medida tardia, destinada a tentar agradar críticos, promover o ministro Alexandre Padilha e gerar dinheiro para o PT e os irmãos Castro.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

PRIVATIZAÇÕES ‘MEIA BOMBA’

Um dos problemas macroeconômicos que temos é esse sistema de privatização "meia-bomba" que temos. As concessionárias do metrô, barcas e estradas apenas controlam a receita de tais atividades, continuando o Estado – leia-se verba pública – com os ônus de manutenção ou compra de equipamentos desses setores privatizados, tudo em nome da manutenção de um índice de inflação artificial. Romper esse sistema privado de "faz de conta" da gestão de tais infraestruturas, é imprescindível para termos um capitalismo real e eficiente que beneficie a todos no País.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

NÃO PRECISAVA

Vem cá, que privatização e essa? O governo vai assumir as obras para não haver aumento no pedágio. Isso é uma beleza. Privatizaram para quê?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DIA MUNDIAL SEM CARRO

Neste domingo a ideia não e só deixar o automóvel na garagem e sair a pé, passear com o cachorro, andar de bicicleta ou usar o transporte público. A proposta vai mais longe, como, por exemplo, debater e incentivar essas alternativas de deslocamento em seu bairro, cidade ou Estado, mais racionais e menos poluidoras do que os carros. Essa discussão tem muita importância, vem ganhando as ruas nos últimos anos, principalmente em cidades onde o transporte individual lota as ruas e avenidas, como são os casos das cidades do ABC paulista e a capital de São Paulo e sua periferia. Obviamente, esse não é o caso só em São Paulo, mas nas grandes cidades do Brasil. Não se trata de crucificar ou punir quem prefere o carro. O que de fato está em jogo é chamar a atenção de prefeitos e governadores para a falta de transporte público de qualidade como ônibus, trens e metrô. Se ônibus, metrô e trens urbanos fossem bons e confortáveis, rápidos e atingissem boa parte de São Paulo, da periferia como também todo o ABCD, muita gente deixaria o automóvel parado na garagem, ou nem compraria um, mesmo com todos os incentivos que vêm sendo dado pelo governo federal e pelas montadoras. É assim em muitos países desenvolvidos, que priorizaram ao longo dos anos o transporte público. Para dar uma ideia de como São Paulo precisa melhorar, basta ver a aceitação da população a faixas exclusivas de ônibus que vêm sendo implementadas na capital pelo prefeito Fernando Haddad (PT), prometendo chegar ao final do ano com 220 km de pistas, o que é uma excelente notícia para os usuários de ônibus. Uma comparação ajuda. Na região metropolitana de Madri, capital da Espanha, existem 280 km de metrô para pouco mais de 4,6 milhões de habitantes. A grande São Paulo, com 20 milhões de pessoas, tem apenas 74 km. Não dá nem para o começo, São Paulo está muito atrasada na questão de metrô. Quem se aperta como sardinha todo dia no coletivo está careca de saber disso. É lógico que o dia mundial sem carro não vai resolver os problemas da mobilidade, mas vai fazendo com que as pessoas e os governantes se conscientizem de que o trânsito e a fluidez do transporte, como também a poluição, só vão melhorar quando mais pessoas pararem para pensar sobre o problema do uso exacerbado do carro. Isso já será meio caminho andado para melhorar o trânsito de nossas cidades. Para isso era preciso haver mais investimentos massivos em transportes coletivos de boa qualidade e baratos, como é hoje em Coritiba no Paraná.

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

RESTRIÇÃO AOS AUTOMÓVEIS

Muito interessantes as palavras do nosso secretário municipal de Tranportes, Jilmar Tatto, quando disse que "cada vez é do mais profundo mau gosto sair de carro, porque ele polui, ficamos no trânsito e o estacionamento é caro". Primeiro ele mistura temas diferentes (preço do estacionamento com poluição ambiental). Segundo, parece que foi declarada uma guerra aos proprietários de veículos de "transporte individual", como inimigo publico número um da cidade. Mais interessante ainda são as pesquisas que divulgam que mais de 60% dos entrevistados trocariam o automóvel por transporte público, se ele fosse eficiente. Neste ponto, chegamos ao problema. Quero ponderar para aqueles que começam a ser "enfeitiçados" pelas promessas e ações eleitoreiras visando a 2014 que podem ser criados quantos corredores de ônibus quiserem, que isso não "consertará" a total falta de planejamento e organização de nossos antigos administradores. Esses, com a fúria arrecadatória que lhes é peculiar, permitiram a total descaracterização de diversos bairros e regiões da cidade, que eram compostos apenas por casas e hoje estão tomados de prédios residenciais, cada um deles com duas ou mais vagas para veículos por apartamento, transformando as ruas, que continuaram do mesmo tamanho, em verdadeiros infernos na Terra. Outro absurdo divulgado na semana passada, foi o projeto do tal Arco Norte, que uma das soluções seria fazer uma nova "Marginal", sob o Rio Tietê. Onde estão os recursos para tal obra, se já se vão anos para concluir o Rodoanel e a extensão do Metrô, essa, sim, uma solução muito mais eficiente, continua muito aquém da velocidade necessária para a população. Para encerrar, quero fazer uma proposta. Já que hoje é o Dia Mundial Sem Carro, quando será inibida a utilização deste veículo na "rotula central", que tal amanhã, segunda-feira, todos nós, motoristas, deixarmos nossos veículos nas garagens e nos utilizarmos do transporte coletivo e dos corredores de ônibus? Será que a população conseguirá chegar aos seus postos de trabalho nos hospitais, bancos, indústrias, comércio e serviços, e fazer a nossa adorável cidade de São Paulo funcionar? Pobre São Paulo...

Mauricio Adriano Niel mario@abinee.org.br

São Paulo

*

SÍRIA

A frase pungente de um refugiado sírio recém chegado ao Brasil expressa, de forma trágica e contundente, o intolerável e condenável massacre cometido com o uso de armas químicas e convencionais pelo covarde regime assassino de Bashar Al Assad contra seu próprio povo há quase três anos: "Não existe mais lugar seguro na Síria, só o cemitério!"

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

PREOCUPAÇÃO

Com a confirmação da não ida de Dilma Rousseff aos Estados Unidos para a reunião com Obama, este deve estar franzindo sua testa de preocupação, pois não tem mais nada com que se preocupar. O mastodonte Petrobrás foi "vigiado" pela NSA, oras os Estados Unidos estão inovando com todas as suas enormes reservas de xisto e vão se preocupar com o pré-sal brasileiro, com um custo astronômico que torna quase que inviável a extração destas jazidas de petróleo! Dilma, ela, sim tem de se preocupar com toda as situações de corrupção que pululam em seu governo todos os minutos, com escândalos em todos os níveis possíveis e imagináveis. Deveria se preocupar com a inflação crescente no País, deveria estar preocupada em não estar sabendo bem administrar o País com seus 39 ministérios, que, na grande maioria, são somente cabides de empregos para seus partidos de sustentação. Quando afirma não haver clima para ir se encontrar com Obama, foi ela quem gerou este clima ruim com todo o seu histórico.

Boris Becker borisbecker54@gmail.com

São Paulo

*

MALUF E DILMA

Li que o deputado Paulo Maluf prestou solidariedade a Dilma, a respeito do cancelamento da sua viagem aos EUA, declarando que ele, também, nunca mais vai por os pés lá.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

DILMA X OBAMA

Lamentável a decisão da presidente Dilma de cancelar a viagem agendada aos Estados Unidos. Os dois países são irmãos, sempre foram parceiros e aliados, uma vergonha que a politicagem brasileira coloque em risco a importantíssima parceria que sempre houve entre os dois países para que a presidente poste possa aparecer como a valentona na campanha eleitoral do ano que vem, sempre abraçada com a escória da política mundial. Seria ótimo se o monitoramento dos Estados Unidos pudessem esclarecer um pouco sobre tantos assuntos cabeludos e fedorentos que a corruptocracia petista mantém escondidos a sete chaves.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

VISITA CANCELADA

Obama deve estar tremendo de "medo".

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

PETROBRÁS E VALE

A espionagem norte-americana quanto ao Brasil não vai acrescentar nada, é perda de tempo, mas mexeu com os brios nacionais e envolverá a mídia até as próximas eleições, beneficiando o Partidão, ainda mais que envolve a Petrobrás. A Vale, que também é gigante no cenário internacional, não incomodou o Planalto. A Petrobrás é a galinha dos ovos de ouro ao alimentar centenas de misteriosas ONGs cuja caixa preta, a qualquer preço, é protegida pelo governo, quando, por ser de capital aberto, deveria ser transparente aos seus acionistas, o que nos dá o direito de afirmar que fomenta muitas maracutaias, tão comuns nos bastidores de Brasília. Nem tudo é negativo. Bem que poderíamos desvendar os destinos e uso de cada centavo dos vultosos recursos destinados às enigmáticas ONGs.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

LONGE DEMAIS

A presidente Dilma, com essa questão da espionagem de agência dos Estados Unidos, arranjou um bom tema para desviar a atenção de nossas recentes mazelas, mas levar isso longe demais só vai piorar essas mazelas. Hipocrisia tem limite!

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.