Fórum dos Leitores

ESPIONAGEM

O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2013 | 02h11

Notícias requentadas

Documentos revelados pelo ex-espião americano Edward Snowden afirmam que, além da presidente Dilma Rousseff e da Petrobrás, o Ministério de Minas e Energia também foi alvo do esquema de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos EUA, conforme divulgado pelo Fantástico. Só pode ser para espionar tanto rolo de José Sarney e sua trupe, na qual se inclui o ministro. Na verdade, essas notícias requentadas já cansaram e mostraram que vieram para nada, só para mostrar quanto somos incompetentes também nessa área da informação.

ASDRUBAL GOBENATI

asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

Desafio

Então, o Ministério de Minas e Energia também foi espionado? Se o governo federal não tiver rabo preso, por que não desafiar esse tal de Edward Snowden e o Fantástico a revelarem o que sabem de fato e o que foi realmente "espionado" no governo e na Petrobrás? Quem não deve não teme. Ou devem?

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Nossa 'inteligência'

Felizmente, um traidor, agora asilado na Rússia, revelou a bisbilhotice americana. Ninguém aqui sabia disso, nem ao menos desconfiava...? Sinto que o governo brasileiro exulta ao achar um culpado para os nossos problemas (da Petrobrás, etc.). Ainda bem que a "nossa presidenta" os colocou no seu devido lugar e isso não vai mais acontecer, sob pena de... Bem, deixa pra lá! Se dependesse da nossa "inteligência", pelo visto, parece que nunca saberíamos de nada. Ufa, ainda bem que existem "traidores honestos"!

DÉCIO ANTÔNIO DAMIN

deciodamin@terra.com.br

Porto Alegre

Corrupção

Será que EUA, Canadá, Austrália, Inglaterra estão a fim de aprender como a corrupção está em franco progresso no Brasil? Que vergonha!

VILMA FREDIANI MOURA

vilma.frediani.moura@terra.com.br

São Paulo

Grupo X

Se o Brasil está de fato sob constante risco de espionagem internacional, por que será que o Eike Batista conseguiu enganar "meio mundo"?

MARIO ZANNI

mzanni@terra.com.br

São Paulo

ELEIÇÕES 2014

Ventos da mudança

Neste momento em que a democracia brasileira vem sendo vilipendiada pelo autoritarismo petista, um novo fato mexeu com as expectativas para o quadro político de 2014. Eduardo Campos (PSB-PE) foi brindado com a sorte dos campeões, vinda justamente do golpe sujo que tornou inviável a criação da Rede de Marina Silva, quando quase 100 mil assinaturas foram rejeitadas sem justificativa. Quanta ironia! Lula e o PT devem estar atônitos e na base de Rivotril. Parece que os bolivarianos não esperavam por essa. Aliás, ninguém esperava. Campos e Marina quebram a espinha dorsal de Lula/Dilma no Norte e Nordeste: ele é quase unanimidade em Pernambuco, um dos maiores eleitorados do País, e ela é a cara da Amazônia. Enquanto isso, Aécio Neves domina em Minas Gerais. No Sul, Lula nunca venceu nem no primeiro nem no segundo turno de 2002 e 2006. Dilma também perdeu para José Serra na região em 2010, nos dois turnos. É certo que no Rio Grande do Sul ganhou no primeiro, mas perdeu no segundo. No Rio de Janeiro, a companhia de Sérgio Cabral mais atrapalha do que ajuda. Em São Paulo, a capital ficará dividida e o interior deve ir majoritariamente para o PSDB. No Centro-Oeste, terra do agronegócio, a tendência é à direita. Enfim, os lulopetistas devem estar inquietos. Os ventos da mudança sopram no Planalto Central. A democracia agradece.

SANDRO FERREIRA

sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

Tudo pelo poder

O País está à deriva, com todas as mazelas nas áreas de saúde, transporte, educação, economia e segurança. Mas a preocupação dos que estão encastelados na "ilha dos candangos" é outra: apenas com a eleição para presidente. Ninguém se interessa mais por nada que não seja a manutenção do poder, custe o que custar. E o povo? Ora, o povo...

SÉRGIO LUIZ CORRÊA

seluco@uol.com.br

Santos

Fora do foco

Quem está adorando a guinada política de Marina Silva são os mensaleiros, os protagonistas dos escândalos de corrupção da hora e a matrona dos passeios aéreos: saíram da berlinda.

JOAQUIM QUINTINO FILHO

jqf@terra.com.br

Pirassununga

CONSTITUIÇÃO, 25 ANOS

Cidadã para quem?

Aos 25 anos da Constituição dita "cidadã" - porque se propõe a construir "sociedade (...) justa e solidária", erradicar "a pobreza e a marginalização...", "promover o bem de todos" (artigo 3.º), e no caput do artigo 5.º, num rasgo de voo de águia, edita: "Todos são iguais perante a lei..." - o que há de fato, fora essas magníficas palavras, que na visão do povo, "dos cá de baixo", não passam de meras palavras, hipócritas, é casca luzidia e bem polida que só tem validade para os amigos do rei. A bem da verdade, e o que salta aos olhos pela prova da evidência, é que a "cidadã" só existe para os "de cima", os políticos e os ricos. Para o resto que fique o resto. Vide o mau exemplo do mensalão, em que a Justiça, com fundamento na dita Lei "cidadã", estende o manto protetor ao criminoso faltoso.

ANTONIO BONIVAL CAMARGO

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

Iguais perante a lei...

Passados 25 anos da promulgação da Constituição, é estarrecedor e ao mesmo tempo frustrante que um de seus mais belos artigos, o que diz que "todos são iguais perante a lei", muito pouco seja seguido ao pé da letra. Neste país também impera a lei do poder político e financeiro. Criminosos de colarinho branco continuam a sair impunes. E a nossa Lei Magna em muitas circunstâncias é violada pelos próprios parlamentares, que fazem de seus mandatos verdadeiros balcões de negociatas para atos de corrupção e abuso de poder.

CÉLIO BORBA

celioborba@ovi.com

Curitiba

ENTULHO BUROCRÁTICO

Brasil competitivo

O Brasil seria altamente competitivo se a "burrocracia" do governo fosse minimizada.

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

*

MARINA SILVA E EDUARDO CAMPOS

Às vezes há casos de males que vêm para o bem de terceiros, em "n" atividades humanas. Isso também acontece na vida política de um país, como agora está se dando no nosso Brasil. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por falta do número De assinaturas legalmente exigidas, negou o registro ao partido Rede Sustentabilidade, pleiteado pela ex-senadora Marina Silva, que, em consequência, filiou-se ao PSB e anunciou apoio à provável candidatura de Eduardo Campos. Com aludida decisão da corte eleitoral, o governador de Pernambuco enredou-se com a senadora Marina e pode abocanhar 20 milhões de votos, que ela obteve na eleição anterior, quando candidata à Presidência da República. Essa aliança muda grandemente o quadro da futura eleição presidencial, surpreendendo o governo é até a oposição. A corte eleitoral, quem sabe, sem a menor intenção, com sua decisão vem em tempo oportuno e na hora propícia salvar o Brasil do nefasto lulismo.

Antonio Brandileone

abrandileone@uol.com.br

Assis

*

UMA ALIANÇA DO BEM

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de recusar legalmente a criação do partido Rede Solidariedade, da ex-ministra de Lula Marina Silva, desencadeou um acontecimento com que os petistas e aliados já contavam, mas que provocou uma reação inesperada da fundadora da Rede, quando, despojando-se de voos mais altos, pegou sua mala de quase 20 milhões de votos, aliando-se ao PSB de Eduardo Campos na qualidade de provável candidata e vice-presidente. Governo e aliados estão como barata cascuda no galinheiro. O PT não consegue manipular mentes. Seu convencimento não passa do estômago e intestinos. Desta vez, a espionagem envolvendo o Brasil fica por conta do Canadá, o 007 da vez. Uma pergunta que não quer calar: o presidente Obama já apresentou as explicações que a nossa intimorata presidente exigiu de cenho franzido? Os nossos donatários modernos precisam aprender que, entre um cacarejo e um rugido, há diferenças tão grandes que, como dizia Confúcio, "não se vê o princípio nem o fim".

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

A FILIAÇÃO DE MARINA AO PSB

Marina Silva encontrou a Sustentabilidade nos Campos.

Cláudio Moschella

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

VITÓRIA ANTES DA HORA

Se o casamento de Marina Silva com Eduardo Campos causou espanto nas candidaturas postas, é sinal de que o casal tem muito que oferecer aos eleitores cansados da mesmice. O Brasil está precisando de um governo que respeite a economia deixada pelo governo de FHC, porém precisa avançar na infraestrutura, que patina no governo atual. O País perdeu muito com o atraso das obras, e essa conta virá em breve. Apesar de o marqueteiro João Santana ter cantado vitória e feito troça de Campos e Marina, os dois unidos estão tirando o sono dos petralhas que achavam que o jogo estava ganho. A compra de votos no Brasil é um escândalo a céu aberto. O TSE finge que nada acontece, enquanto o povo é manipulado pelo Bolsa Família. Mentiras são contadas aos montes, resta saber até que ponto o eleitor vai continuar acreditando nas lorotas que saem da boca daqueles que não querem largar o osso por nada. Seu voto é sua arma, cuidado, ele tem consequências.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

O PT É COMO PARDAL

A filiação de Marina Silva ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), para provavelmente concorrer como vice do candidato Eduardo Campos à Presidência em 2014, surpreendeu o meio político. Como a alternância de poder é altamente salutar para a democracia, a volta de Marina à disputa presidencial, como vice, será uma boa opção para o eleitorado brasileiro. Porém eu estou pessimista e ainda acho que a presidente Dilma será reeleita em 2014, e isso só não se concretizará se houver algum problema econômico na época da eleição que venha a afetar o bolso do eleitor, como alta da inflação ou desemprego. Embora jamais tenha votado no PT, e não votarei, ninguém tem dúvidas de que o PT é o partido mais organizado do País e é como o pardal, que tem em todos os Estados brasileiros. O pardal está sempre em cima do muro (PT nunca sabe de nada), só come a plantação dos outros (PT sempre foi contra o Plano Real e a Lei de Responsabilidade Fiscal, do governo FHC), não faz nada (o governo Lula e Dilma deixou de lado as reformas tributária, trabalhista, política e previdenciária) e só anda em bando (o governo Dilma tem 39 ministérios). Para finalizar: o pardal (PT) faz as suas necessidades fisiológicas em todos os lugares e no País inteiro, como no caso mensalão, superfaturamento em licitações, uso indevido de aviões da FAB, transposição do Rio São Francisco e por aí vai. Por causa da oposição que não existe e da grande popularidade do ex-presidente Lula, infelizmente, o PT poderá ficar no poder por longo tempo, como aconteceu no México, onde o Partido Revolucionário Institucional (PRI) permaneceu no poder por 71 anos (1929-2000).

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

TIRO PELA CULATRA

Ao aderir à chapa de Eduardo Campos, Marina Silva deu um tiro no seu próprio pé. Aliar-se a um latifundiário, grande empresário e usineiro tradicional do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos, é exatamente o contrário daquilo que Marina Silva sempre pensou e pregou.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

DECEPÇÃO

Triste. Marina é farinha do mesmo saco. Lula está reeleito.

Klaus Reider

vemakla@hotmail.com

Guarujá

*

CIRO GOMES

De quando em quando, um político ressuscita. É o caso de Ciro Gomes. Ele quer saber o que Marina Silva entende de economia (7/10, A5). E o que ele entende de saúde pública para ser secretário de Saúde do Ceará?

Fausto Ferraz Filho

faustofefi@ig.com.br

São Paulo

*

A MORENA DO ACRE

Dorival Caymmi deve estar feliz lá no céu ao ver que uma das suas Marinas, da sua bela canção gravada em 1947, é o centro das atenções na política brasileira. Marina Silva, se não conseguiu a autorização do TSE para registrar seu partido, a Rede de Sustentabilidade, surpreende a todos nós e se filia ao PSB, de Eduardo Campos, para uma provável dobradinha Norte/Nordeste na eleição presidencial de 2014. E a turma do PT alojada no Palácio do Planalto deve estar tremendo nas bases, porque a ex-senadora pelo Acre, na eleição de 2010, teve quase 20 milhões de votos, e pode azedar a esperança da Dilma e, principalmente, de Lula de que a candidata petista seria reeleita já no primeiro turno em 2014. Marina Silva, na sua primeira declaração quando da sua decisão de se filiar ao PSB, disse que quer acabar com a hegemonia e o "chavismo" do PT. Sinal de que não guarda nenhuma saudade do petismo, partido ao qual pertenceu, e que vai entrar nesta próxima disputa eleitoral bem afiada para tentar chegar ao Planalto até como vice de Eduardo Campos. Isso posto, a cúpula petista, irada com a acreana, a essa altura deve estar cantando um trecho do samba canção "Marina", de Caymmi, que diz: "Me aborreci, me zanguei, já não posso falar, e quando me zango, Marina não sei perdoar". E o PSDB, de Aécio Neves, vibra agora com a grande possibilidade de que um segundo turno, com Marina praticamente como uma aliada nesta corrida, possa ocorrer. Assim ganha a democracia brasileira. E Marina dá um grito de independência com relação ao PT. Essa sua decisão adulta politicamente certamente irá ajudar o futuro desta Nação. "Marina, morena, Marina, você se pintou...", diga-se, de verde e amarelo. Parabéns!

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

REDE DE SUSTENTABILIDADE

Entendo como sustentabilidade ações políticas amplas que envolvem: mais escolas para diminuição do analfabetismo, mais hospitais bem aparelhados, com melhores médicos, diminuição das favelas com construção de casas dignas para moradia, transportes públicos bem aparelhados, término de obras dentro dos prazos estipulados, fim da corrupção, da violência, construção de redes de esgoto, diminuição de partidos políticos, com a consequente diminuição de funcionários públicos, os Poderes da República com homens sérios e honestos que trabalhem pelo engrandecimento do País, combate amplo as drogas, melhoria das indústrias, dos portos e das estradas. Será que a sra. Marina Silva, vitoriosa nas eleições de 2014, conseguirá realizar todas essas ações? O PT, com mais de dez anos no governo, não apresentou nem 10% destas ações, ao contrário, está prejudicando o País nos campos político, econômico social e militar. Eleitores brasileiros em 2014 terão a oportunidade de modificar muita coisa, se souberem votar, pois não são as inúmeras benesses oferecidas pelo atual governo que conseguirão colocar o País num patamar de Primeiro Mundo.

Carlos Alberto de Macedo Garcia

mccgarcia@terra.com.br

São Paulo

*

O FUTURO DIRÁ

A ex-senadora Marina Silva fez a opção. Correta? O futuro dirá. Mas ela mostrou com esta atitude que pode ser identificada como "Marina vai com uns outros", sem muita sustentabilidade para seus argumentos.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

EX-PETISTA MAGOADA

Enfim, após fazer suspense de "primma donna", Maria Silva parece ter se definido pelo PSB, como provável vice de Eduardo Campos para 2014. Sua atitude significa o quê? Ela fará dupla com o governador de Pernambuco e com chances de irem para o segundo turno, mas, se não, uma certeza: Lula a mandará apoiar sua criatura e ela obedecerá, como em eleição anterior. Ela é apenas uma magoada ex-petista de carteirinha, e de "lambuja" ajudará muito a conquistar uns três ou quatro ministérios para o PSB. Né não?

Laércio Zanini

arsene@uol.com.br

Garça

*

OS ERROS DE MARINA

Marina Silva, que batalhou para a criação do seu partido político (Rede) e concorrer à Presidência da República em 2014, cometeu alguns erros que precisam ser analisados, a saber: na eleição que elegeu Dilma Rousseff, no segundo turno, não ofereceu o seu apoio ao candidato da oposição José Serra, demonstrando que só olha para o seu umbigo e que o seu DNA petista ainda fala alto. Recentemente, teve tempo suficiente para registrar o seu partido e deixou tudo para a última hora, não conseguindo o seu objetivo. Sabemos que os partidos da situação agem de forma organizada. Se quiser se estabelecer, que aja com competência.

José Carlos Degaspare

degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

A JUSTIÇA E O GOVERNO PETISTA

Não seria impossível e não se deixaria de pensar que a Justiça Eleitoral está comprometida com o governo e o PT, tanto quanto o Supremo Tribunal Federal. Este mostrou cinco juízes indicados pelo PT (presidentes Lula e Dilma) que votaram no processo do mensalão sempre favorecendo os réus (petistas), ao contrário dos demais juízes. E no último julgamento, o dos embargos infringentes, um juiz que havia condenado e chamado a atenção para a gravidade do crime cometido, aparentemente volta atrás para que os réus sejam novamente julgados em crimes para os quais os réus receberam ao menos quatro votos favoráveis, o que faz a "mídia" transmitir comentários diversos de que haverá redução das penas e outros benefícios. Por isso, no julgamento dos novos partidos políticos pela Justiça Eleitoral, ficou uma dúvida incômoda: Por que o tribunal eleitoral aprovou o partido "Solidariedade", do Paulinho da "Força", contendo assinaturas falsas, como informaram pessoas vítimas das falsificações, e não aprovou o partido Rede? Já que o Solidariedade apoia o governo Dilma e sua candidatura, e a Rede é contra e aparentemente foi prejudicada nos cartórios eleitorais a mando de alguém, fica uma razoável suspeita de que há a mão do governo também no tribunal eleitoral. Afinal, Marina, a candidata da Rede, é a única pessoa que estava, segundo as pesquisas, em condições de competir com a presidente Dilma nas próximas eleições.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

MUITO ESTRANHO

Na rejeição de Marina, parece que foi formada uma Rede de Solidariedade entre os cartórios...

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O ÚNICO VOTO

Recentemente, o TSE aprovou a legalização de mais dois partidos políticos, o que eleva para 32 o número capaz de chancelar candidaturas. Apesar do absurdo que tal acréscimo representa, não há dúvida de que a Corte eleitoral, agindo segundo deliberação do STF, que considerou inconstitucional a chamada cláusula de barreira, não tinha outra saída senão homologá-los, uma vez que o principal critério para tal é um número mínimo de assinaturas solicitantes. Sendo elas em número suficiente, não há discussões nem interpretações, o pleito é acolhido e a agremiação passa a fazer parte da matriz partidária. Esse é o quadro passado ao cidadão comum, que não entende, então, como o grupo da ex-senadora Marina Silva, embora sem ganhar a legalização por insuficiência de assinaturas, obteve um voto favorável, o do ministro Gilmar Mendes, com resultado de 6 x 1. Mesmo considerando uma piada de mau gosto o que seria a aceitação de um 33.º partido, a sociedade, perplexa, tem o direito de ser esclarecida a respeito desse único voto. O ministro que o concedeu, alegando uma situação pouco clara de abuso de cartórios, está contrariando preceitos legais da suprema Corte? Afinal, juiz tem de ser guiado pela letra rigorosa da lei ou pode divergir mesmo que seu conteúdo seja indiscutivelmente objetivo? No caso presente, há margem para interpretações. E de que tipo? Políticas? São essas questões que fazem com que seja cada vez menor a confiança da população na coerência da Justiça, o que, sob todos os aspectos, é lamentável.

Paulo Roberto Gotaç

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

‘A RESPONSABILIDADE DO STF’

Como não ia deixar de ser, FHC produziu um texto elegante e pertinente no contexto do ambiente cultural vigente ("A responsabilidade do STF", 6/10, A2). No entanto, ele não atende à necessidade de mudança justamente do ambiente cultural tolerância e omissão em relação a malfeitos políticos absolutamente deletérios para o desenvolvimento de sólidos costumes democráticos. Os costumes são, como o sociólogo FHC bem deve saber, instituições informais que fundamentam as instituições formais, inclusive as leis. A procrastinação sistemática de punições a crimes esgarça as instituições. E o desvio de verbas públicas, a compra de votos e outros atos acusados no mensalão configuram verdadeiros crimes contra as instituições, que a cidadania não deve tolerar. Em outras sociedades, por muito menos - a "cola" em trabalhos acadêmicos sem indicação da origem -, suscita indignação na sociedade e na mídia a ponto de os acusados renunciarem a cargos públicos e políticos. Trata-se "apenas" de uma questão de percepção de honradez e direito a credibilidade. Representantes do povo sem credibilidade devem ser afastados; representantes do povo criminosos devem ser punidos com rigor exemplar. É admissível que um sociólogo seja mais um relator que um formador e inovador. Mas um sociólogo político conhece as responsabilidades pela prática. Sabe que precisa prestar exemplo de credibilidade. Neste sentido FHC produziu um mau texto. Cabe-lhe reconsiderar e corrigir.

Harald Hellmuth

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

ESPIONAGEM

A notícia sobre a tal espionagem canadense do ministro Edison Lobão, do Ministério de Minas e Energia, me fez lembrar, como conhecedor do setor de mineração e energia, aquela piada do cidadão que recebeu a denúncia de que estava sendo traído pela mulher e justamente com o grande amigo Walter. Um tanto incrédulo, houve por bem conferir e meteu-se no armário, aguardando os acontecimentos. E, quando a esposa se desnudou na frente do Walter, ao invés de escancarar a situação e detonar tudo, gemeu quietinho no armário: "Ai que vergonha do Warte...".

Carlos Eduardo da Silva Braga

carlosbraga@mmol.com.br

São Paulo

*

FORA DE FOCO

Viva Dona Dilma. Já discursou na ONU, prensou Barack Obama na curva, para explicar "everthiiing", twita e reclama. É isso aí. Temos de desvendar esta espionagem absurda. Assim, vamos resolvendo também o PIB, os atrasos e a falta absurda de programação do PAC, os desvios de recursos e demais mazelas que estão nos jogando de volta ao Terceiro Mundo. Ou estamos apenas desviando a atenção do povo?

Ulysses Fernandes Nunes Jr

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

PODE E NÃO PODE

Espionar o Ministério de Minas e Energia não pode. Espionar a conta bancária do caseiro Francenildo pode.

Jorge Mano

jrmano@yahoo.com

São Bernardo do Campo

*

ESPIÕES

Ministério de Minas e Energia espionado. Gringos patifes! Onde já se viu?! Mas, meu Deus, e o que descobriram desta vez? Ah, decerto descobriram como NÃO fazer qualquer coisa. Agora, sério, para proteger os segredos da Pátria, precisamos de medidas "enérgicas"! Assim sendo, sugiro ao ministro Lobão o astucioso uso da língua do "pe". Que tal? Pe-ES-pe-PER-pe-TO, pe-HEIN? Genial! Os gringos vão pirar! O Brasil está salvo.

Vivien Marion B. Hornett

hornettvivien@hotmail.com

São Paulo

*

LOBÃO E O LOBO

Lobo mesmo é o Canadá. É o lobo, com pele de carneiro, espionando o Lobão.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

CONDENADOS PODEM RECUPERAR R$ 28 MI

A Suíça, como mostra a matéria "Suíça ameaça devolver US$ 28 milhões a grupo condenado" (6/10, A12), também não aceita a demora de nossa Justiça, cheia de chicanas, a ponto de eternizar até uma ação em que o crime está mais do que comprovado! Que vergonha!

José Elias Laier

joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

SÓ NO BRASIL MESMO

Suíça ameaça devolver a corruptos condenados US$ 28 milhões bloqueados naquele país há mais de dez anos, aguardando decisão da Justiça brasileira. Lá, os condenados até já cumpriram penas, mas aqui, por interesses políticos e financeiros, atrelados a uma Justiça fraca e acomodada, cujos componentes foram comprados por este governo podre que aí está, nada foi feito. Enquanto isso, os bandidos brasileiros, corruptos e ladrões, encontram-se livres e soltos, rindo muito de nossa cara. Só no Brasil mesmo.

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

INJUSTIÇA QUALIFICADA E MANIFESTA

"A Justiça atrasada não é justiça, senão injustiça qualificada e manifesta", nos disse Rui Barbosa. Onze anos se passaram e a impunidade se mostra inabalada. Qual será a visão que a Suíça e países adiantados em moral educação e ética têm do Brasil? Realmente, o Silveirinha e o Garotinho vão gostar muito de receberem de volta o suado dinheiro que eles mandaram para fora. É uma vergonha!

Emerson Luiz Cury

emersoncury@gmail.com

Itu

*

25 ANOS DA CONSTITUIÇÃO DE 1988

A Constituição de 1988 comemorou sábado 25 anos. Muito avançada para a época e até hoje. Elaborou-se para uma sociedade onde, na sua maioria, não tinha, e ainda não tem, preparo para uma Constituição como a brasileira. Muito moderna. Nem países com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) próximo de 1, que é o ideal, tem uma Constituição como a nossa. Exageraram nos direitos e liberdades. Não que não deva haver, mas houve exagero, porque ela surgiu no rastro e no ranço contra a ditadura militar. Haja vista que no dia da solenidade da promulgação da mesma o deputado Ulysses Guimarães proferiu palavras desrespeitosas e ofensivas às Forças Armadas, deixando o então ministro do Exército, na primeira fila, desconfortável. Foi, no mínimo, mal educado. Alguns artigos da avançada Constituição são letra morta. Outros nem regulamentados estão. O social, que é a prioridade, não progrediu como o esperado. Qual o nosso IDH? Cidadão que ainda tem de ir de madrugada para a fila de um hospital, pegar senha para ser atendido e, quando chega sua vez, ouve que naquele hospital não tem o especialista da sua enfermidade, é um país de quinta categoria. A Constituição é boa. Boa até demais. Os políticos que elegemos é que não são bons.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ERRO

O principal mérito da Constituição de 1988 foi a consagração das liberdades democráticas individuais, liberando o cidadão de dar sua opinião, de se manifestar publicamente, deu fim ao racismo, liberou o livre exercício dos cultos religiosos, repudiou a tortura e aos tratamentos desumanos, eliminou a censura, etc. etc. Mas cometeu um erro: extinguiu a pena de morte, infelizmente.

Arcangelo Sforcin Filho

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

DEMOCRACIA ECONÔMICA

A maior lacuna da Constituição Cidadã, que completou 25 anos de vida, com mais de 60 emendas, se localiza na distribuição de renda e, por conseguinte, no distanciamento entre poucos ricos e muitos pobres. Essa clamorosa situação entre planície e planalto faz com que o Brasil não avance e sinta permanentes conflitos sociais. Sem a democracia econômica, não se chega a um bom destino de igualdades sociais.

Carlos Henrique Abrão

abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

É O CAOS

Em meio ao caos, algo para comemorar: os 25 anos da Constituição do Brasil, que devolveu ao País a garantia aos cidadãos dos seus direitos e deveres fundamentais à cidadania, tais como: saúde, educação, segurança, moradia e serem cumpridores dos deveres que a constituiu. E os políticos que representam a população são quem aproveitam desses benefícios, deitam e rolam na Constituição. Lastimável é que a mesma Constituição que favorece a população deixa brechas como a que o ministro Celso de Mello garantiu aos já condenados réus do mensalão, nova chance de defesa, os chamados embargos infringentes. Como um assunto puxa o outro e a população é quem paga a conta, coincidência ou não, mais uma decadência em nosso atual governo, desta vez no ensino, nosso orgulho USP, excelência na formação universitária brasileira e internacional, está fora do ranking das melhores universidades do mundo, talvez terá sido pelos vexames das invasões na cidade universitária o ano passado, quando até o MST estava envolvido. Ou será por falta de pulso firme dos administradores? A questão é que o País se instalou no caos absoluto, com greves recorrentes em setores distintos como correios, bancos e professores, e os arruaceiros (petistas) mascarados infiltrados em manifestações passivas destruindo patrimônio público e privado, enquanto nossa presidente, Dilma Rousseff, viaja pelo Nordeste fazendo visita aos projetos de campanha do Mais Médicos. Enquanto isso o PT, em São Paulo, representado pelo prefeito Fernando Haddad, quer um aumento abusivo nos IPTUs, de 30% para residências e de 45% para comércio. E o ministro Mantega reclama que a decadência de Eike Batista não faz bem para os negócios no Brasil. E a Petrobrás faz?

Márcia Callado

marciacallado@bol.com.br

São Paulo

*

O AUMENTO DO IPTU

O Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) vai subir 24%, quase quatro vezes a inflação petista. Mas os serviços que competem à Prefeitura de São Paulo, como consertar as ruas esburacadas, gerenciar o trânsito e os semáforos, fiscalizar os horários dos ônibus anciãos e impedir que os passageiros viajem em pé e amontoados, fiquem muito tempo esperando nos pontos e, quando o ônibus chega, não possam entrar porque ele não para, pois está superlotado. Isso, mais as denúncias do que acontece na Câmara Municipal, deveria ser fiscalizado pelo caríssimo Tribunal de Contas do Município, mas é uma esperança perdida, porque ele nunca condenou ninguém. E olha que já tivemos um monte de Malufs e Kassabs.

Mário A. Dente

dente28@gmail.com

São Paulo

*

REVELANDO-SE

Fernando Haddad está-se revelando um misto de Martaxa + Kassab. A primeira se destacou pelo aumento de impostos e o segundo, pelas proibições. Haddad começou a combater os congestionamentos apelando para óbvia solução de proibir os veículos de trafegar e agora, como bom petista, resolveu castigar quem mora em áreas "valorizadas". Será tão difícil assim de enxergar que esse aumento violento no IPTU refletirá nos bolsos dos inquilinos, sejam eles aposentados, assalariados ou empresas? Claro que ele usará a velha tática de anunciar 30% de aumento e depois posará de bonzinho recuando para 10% ou 15%, mas mesmo assim é inadmissível tanto descaramento. Cheira até a ranço vingativo contra bairros onde não foi bem votado. Administradores deste nível jamais conseguiriam emprego em empresas privadas, mas entre os dirigentes públicos proliferam como ervas daninhas. Na iniciativa privada se saneia reduzindo custos e cortando pessoal. Na máquina pública, emprega-se a "cumpanheirada" e assalta-se o bolso da população.

João Carlos A. Melo

jca.melo@yahoo.com.br

São Paulo

*

O IPTU NO PARAÍSO

Concordando plenamente com os srs. leitores Eduardo Finger e Valdir Sayeg, faço minhas suas palavras (4/10). Aproveito, ao ler na edição do "Estadão" de 4/10/2013 que meu bairro (Moema) está entre os que mais vão sofrer aumento do IPTU, para perguntar ao sr. servidor público atualmente na cadeira de prefeito desta pobre e descuidada cidade de quanto será o aumento no bairro onde ele reside, o Paraíso, que é considerado tão nobre quanto todos os que aparecem listados como os mais afetados.

Nelson Marques

nelson@prevident.com.br

São Paulo

*

‘VENDETTA’

Como ninguém votou nele, Haddad se vinga aumentando o imposto...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

BARBÁRIES

A volúpia para arrecadações fez em pouco tempo aguçar o apetite do prefeito Fernando Haddad, fazendo com que viesse a superar os que o antecederam. Além da barbárie absurda que efetuará metendo a mão no nosso bolso mediante aumento do IPTU entre 30% e 45%, agora instalará mais 200 radares na cidade para aumentar e reforçar o caixa da indústria das multas administrada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Que é a única coisa que sabem fazer e muito bem, né não?

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ASSIM É FÁCIL

Parte expressiva dos contribuintes já subsidiou, dentre outros, água, luz, IPTU dos isentos, e agora irão subsidiar as passagens de ônibus. Assim é fácil governar, difícil é distribuir a já excessiva carga tributária de forma equânime entre todos. Enfim, todos deveriam pagar IPTU, água, luz, etc., sem subsídios que deformam e produzem injustiça entre os contribuintes.

Gustavo Guimarães da Veiga

ggveiga@outlook.com

São Paulo

*

RECLAMANDO POR RECLAMAR

Os paulistanos estão reclamando de barriga cheia. Os ônibus dobraram a velocidade, milhões de operários hoje são da classe média e estão reclamando do aumento do IPTU. Isso é justiça social. Está certo o prefeito Haddad. Melhorou de vida, paga mais. Tem carro, obedeça ao rodízio e às faixas de ônibus, senão já sabe, é multa e pontos na carteira. Os únicos que têm direito de reclamar são os que não têm casa e carro. Os demais devem agradecer pelo prefeito eleito democraticamente pelo povo, para governar para o povo, junto com o povo. Está escrito na Constituição. Parabéns, prefeito Haddad, nunca vi um governo tão justo e igualitário como o seu.

Luiz Ress Erdei (vulgo Gardenal)

gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

URGÊNCIA E SERIEDADE

O acréscimo de 10% na multa do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em demissões sem justa causa foi criado para cobrir o déficit do Fundo, cujo superávit já foi alcançado desde o ano passado, mas o governo continuou cobrando para ajudar no fechamento de suas contas. Agora foi mantido para continuar sendo usado no programa Minha Casa Minha Vida, mantendo esse ônus para os empresários. Em São Paulo, o prefeito quer justificar o abusivo aumento proposto para o IPTU para manter a passagem dos ônibus em R$ 3,00 (três) reais, como se não soubesse até antes de se candidatar que o transporte coletivo em nossa cidade é altamente subsidiado e necessita ser revisto com urgência e, principalmente, seriedade, sob pena de não haver solução de continuidade, perpetuando-se subsídios cada vez maiores.

Sérgio Eleutério

eleuterio.se@gmail.com

São Paulo

*

GERÊNCIA MÍNIMA, ARRECADAÇÃO MÁXIMA

Não dá para misturar quando falamos de um assunto deve ser um assunto de cada vez, mas, quando falamos de um mau assunto e que envolve petistas, fica difícil. A cidade de São Paulo começou a sofrer o "mau assunto" desde o governo de Erundina, piorou com o de Marta e, agora, é decadência total com Haddad, todos petistas que exibem a identidade padrão: gerência mínima e arrecadação máxima. O trajeto percorrido é grande e sempre marcado pela incompetência; como ministro da Educação ajudou a afundar a USP/Unicamp, que caíram no ranking internacional e, embora sob administração tucana, não resistiram à péssima gestão que vem de cima, bem como à invasão petralha nos meios acadêmicos, cuja preocupação não é aprender (e de graça para eles), mas competir e atacar as regras estabelecidas, além de destruir o patrimônio que nós pagamos, com invasões descabidas e vandalismos. No tocante à cidade, o "grande çábio alcaide" achou que iríamos acreditar na sua imagem como usuário de transporte público, ao transitar em um ônibus em bom estado de conservação e vazio às 8 horas da manhã, para justificar a medida paliativa de multiplicar ao infinito as faixas exclusivas. Não bastasse, atiça o estouro da boiada com a notícia do aumento do IPTU para compensar o não aumento em R$ 0,20 dos ônibus, quando toda a cidade sob sua administração está virando um lixão a céu aberto, graças ao acúmulo de lixo e de moradores de rua, que utilizam as vias públicas como banheiro! Ou seja, é o protótipo do Robin Hood às avessas: dá com meia mão e tira com as duas, não só dos pressupostos ricos, mas de toda a sociedade, que sofre com os péssimos resultados dessa desastrosa gestão.

Carmela Tassi Chaves

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

OS OBREIROS

O prefeito Haddad está fazendo faixas de ônibus para todo canto, mesmo onde não passam ônibus, gastando o nosso dinheiro e inclusive tirou algumas linhas, prejudicando os usuários. Agora, com esta notícia do aumento do IPTU em até 45% para 2014, eles estão brincando com a população. Onde está a oposição? Marina, que alguns tinham como candidata, provou que não está apta a ser uma presidente da República e aceita qualquer papel, desde que esteja por perto. Estamos órfãos de pai e mãe neste país.

Maria José da Fonseca

fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

NAS COSTAS DE QUEM

Milhões de pessoas viajam diariamente de ônibus em são Paulo, e serão todos necessitados de subsídios? Não há milhares de pessoas que podem pagar tarifa normal, e têm de jogar nas costas dos pagadores de IPTU? Ou seja, é fácil fazer outros pagarem. Lamentável.

Everardo Miquelin

everardo.miquelin@ig.com.br

São Paulo

*

VAIAS

Sonoríssimas vaias para o petralha Haddad, que demagogicamente diz ir de ônibus ao trabalho. Peço também que seja atendido pelo SUS, matricule seus filhos nas escolas públicas, passeie com sua família a pé sem segurança pessoal pelos arredores da cidade. Trabalho desde os 10 anos de idade, após luta duríssima para melhorar de vida e comprar apartamento próximo da área central, e agora sou penalizado com esse absurdo aumento no IPTU. Aposentado pela iniciativa privada, aos 73 anos de idade, pergunto ao sr. Haddad onde vou conseguir dinheiro para pagar esse aviltante aumento.

Wilson Lino

wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

*

PLANO DE NEGÓCIOS

O debate sobre o Plano Diretor (PDE) na TV Estadão (1/10) foi publicado no caderno correto, "E&N" (6/10, páginas B6 e B7, do "Estadão", porque se trata de um belo negócio. A população de moradores e trabalhadores é quem menos conta nesse Plano - tanto na participação desconsiderada pelo executivo quanto no conteúdo do PDE. Se, segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano, o PDE "tem de ser entendido como um pacto de toda a sociedade a respeito do futuro da cidade", a tal da sociedade tem que ser respeitada e não ser espoliada. Assim, é imprescindível anular os artigos referentes ao consórcio imobiliário e à concessão urbanística que são instrumentos criados para confiscar qualquer naco de propriedade do paulistano de classe média para transferir às bilionárias empreiteiras explorar.

Suely Mandelbaum

suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

HELIPONTOS EM SÃO PAULO

Muito oportuna a matéria sobre as ilegalidades dos helipontos paulistanos ("Cidade já fechou 79 potos de pouso", 6/10, A24). Aquele instalado no topo do edifício Metropolitan Office, no bairro do Itaim Bibi, está certamente a menos da distância mínima legal da Escola Morumbi, na Avenida Cidade Jardim, do campus da FMU na Rua Iguatemi e do centro de pronto atendimento da Amil na Avenida Nove de Julho; mesmo assim, segue operando. Está mais do que na hora dos poderes públicos municipal e federal pararem com o jogo de empurra e fiscalizar para valer esta exorbitante e incompreensível quantidade de helipontos, bem além do tolerável em uma cidade que se pretende civilizada, infernizando com seu ruído a vida de todos que moram ou trabalham no seu entorno. Eles devem ser instalados apenas em avenidas de grande tráfego, jamais em ruas residenciais, e a uma distância segura uns dos outros; seu número excessivo e suas condições irregulares servem apenas aos interesses financeiros de condomínios que cobram por pouso/decolagem realizados ("toques"), por vezes fora os limites para os quais homologados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e dos nata da elite paulistana que faz uso de tal meio de transporte, muitas vezes para mero lazer, tudo em detrimento de bairros e vizinhanças inteiros.

Flávio Calichman

ibracal@uol.com.br

São Paulo

*

BLOG DE FAUSTO MACEDO

Apresento minhas efusivas congratulações ao "Estado" pelo recém-criado blog do Fausto Macedo. Na qualidade de advogado criminalista militante há 35 anos na esfera penal e no Tribunal do Júri, tive o privilégio de conviver com ele, que acompanhou vários julgamentos nos quais atuei. Considero-o - e já lhe disse isso pessoalmente - o precursor do jornalismo investigativo, na área policial (apenas para exemplificar, cf. a célebre série "Os crimes da polícia" e ainda julgamentos do "Esquadrão da Morte" - Caso "Adriana Caringi" - Caso "Túnel da Rota" - Caso "GAS" - e tantos outros). Repórter de campo (ainda no tempo da máquina de escrever), Fausto Macedo, com sua prancheta e bloco de anotações manuscritas, sempre foi, e continua sendo, incansável e implacável no combate à corrupção, aos desmandos e à truculência dos detentores do poder. Bem por isso, guardo com muito carinho as matérias de Fausto Macedo referentes a meus clientes e à minha atuação, especialmente a intitulada "A absolvição de Correinha", publicada no "Jornal da Tarde" de 11 de março de 1981.

Abdalla Achcar

abdallaadv@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.