Fórum dos Leitores

OGX

O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2013 | 02h10

O menino do Rio

Demorou, mas a OGX requereu recuperação judicial. Mas acreditar que o responsável seja só Eike Batista é injusto. A dupla Lula-Sérgio Cabral potencializou o balão X. O primeiro, querendo mostrar ao mundo que só o governo do PT produziria o homem mais rico do mundo, a ponto de "cumpanheiros" da ANP afirmarem que o Brasil "precisava de mais Eikes Batistas". O segundo, não satisfeito com seu Fernando Cavendish, da finada construtora Delta, cantou aos quatro ventos as grandes obras para o Rio de Janeiro que nunca foram realizadas pelo ex-quase mais rico - e nisso se deve incluir a hipocrisia do choro durante audiência pública visando à distribuição a Estados não produtores dos recursos do petróleo, comportamento pueril e que não passou de uma excentricidade para chamar a atenção.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Derrocada de Eike

Gostaria de saber como o povo brasileiro vai reaver o dinheiro que o BNDES enfiou nas empresas de Eike Batista. Pior ainda: por onde andará grande parte desse dinheiro? Pobre país onde os poderosos têm exacerbada adoração pelo dinheiro público, inversamente proporcional ao respeito que deveriam ter. Dinheiro farto e fácil, ao contrário do povo, que gera a riqueza para esse banco. Para este a porta está sempre fechada. Indecência total! A propósito, será que Dilma vai fazer campanha de bracinho dado com Eike, assim como fez seu antecessor - que bradava que o Brasil dele era o Brasil de empresários como Eike?

ARMANDO FAVORETTO JUNIOR

afjsrf@ig.com.br

São José do Rio Pardo

Pirâmide do BNDES?

A pirâmide de Eike Batista caiu. As dívidas da OGX com o BNDES serão pagas pelo contribuinte ou, corretamente, pelos políticos que promoveram os empréstimos sem garantia real?

SUELY MANDELBAUM

suely.m@terra.com.br

São Paulo

Somos todos fiadores

Eike Batista faliu e o nosso BNDES toma prejuízo de vários bilhões. Sendo um banco público, quem toma o prejuízo, na verdade, somos nós, o povo. O dono do Panamericano foi enganado e tomou prejuízo. A Caixa Econômica Federal também tomou prejuízo e, igualmente sendo um banco público, quem toma mesmo o prejuízo somos nós, o povo. Além desses casos existem dezenas deles. Gostaria de sugerir, se posso, ao governo brasileiro o seguinte: 1) Que crie uma maneira, ou seja, leis que defendam o povo dos bilionários prejuízos causados pelos exemplares de esforço e genialidade econômica e empresarial de amigos deste governo. 2) Que esses geniais estelionatários sejam condenados a frequentar diariamente as salas de espera de hospitais públicos pelo País. 3) Que o BNDES financie a implantação da minha pequena indústria e os milhares de projetos de empreendedorismo que não entram nesse banco nem pela porta da cozinha. 4) Que nas próximas eleições, em vez de se dirigirem à população como "brasileiros", "minha gente" ou "meu povo", nos chamem de "fiadores"!

NÉLIO ALVES GOMES

raytomonelio@hotmail.com

Curitiba

Conta salgada

Mais um final infeliz, entre muitos, que o governo do PT - especificamente o Lula - alimentou, financiado pelo BNDES. E agora aí está a conta salgada, como muitas que, como sempre, nós, o povo, vamos ter de pagar.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

Semelhanças

Vejo muitas semelhanças entre o governo petista da presidente Dilma Rousseff e a presidência exercida por Eike Batista à frente da petroleira OGX. Nas duas situações as previsões otimistas feitas pelos dois presidentes não se confirmaram. Ao contrário, nos últimos dias finalmente Eike Batista reconheceu publicamente o fiasco do campo de Tubarão Azul, no que foi considerado o maior "calote" empresarial da América Latina. No governo Dilma a saúde financeira tem-se mostrado frágil e o crescimento, pífio. A volta da inflação assusta e a economia não cresce. Para contornar a situação a equipe econômica tem criado malabarismos fiscais para fechar as contas públicas e Dilma esbraveja, dizendo que tudo está bem. Eike Batista enganou milhares de incautos investidores. E Dilma, a quem ela quer enganar?

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

CORRIDA ELEITORAL

Ventos da Argentina

O desejo de mudança - resultado das recentes eleições na Argentina - deve estar assombrando os petistas por aqui. Com a aliança Eduardo Campos-Marina Silva, a derrocada do chavismo, o alto endividamento da Petrobrás e o desgaste do petismo, até Lula veio à tona, antecipando 2018 - já temeroso do resultado de 2014.

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

Autocrítica

Lula diz que Marina será a sombra de Campos, assim como ele era a sombra de Dilma. Agora ele vive assombrando os brasileiros com a ameaça da volta em 2018. Só se for como passarinho...

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

MANIFESTAÇÕES

Vandalismo

Não tenho bola de cristal nem sei ler cartas, mas tenho certeza que as manifestações dos black blocs, dos alunos da USP e do Movimento Passe Livre, as greves continuadas de metroviários, bancários, professores e segmentos do funcionalismo público têm data e hora para terminar: 5 de outubro de 2014 - após o PT tentar emplacar no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde nunca conseguiram eleger seus candidatos ao governo. No popular, está na cara que o objetivo é atacar os governadores Alckmin e Cabral. Para o PT, vale tudo, haja vista o governo federal.

OLAVO FORTES C. RODRIGUES

olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

Óbvio ululante

O artigo Uma aliança crimino-estudantil?, de Eugênio Bucci (31/10, A2), é uma das melhores coisas - se não a melhor - já escritas sobre o recente fenômeno das manifestações populares e das estranhas infiltrações que se seguiram. Ele deixa no ar a pergunta: por que será que outros observadores e analistas não perceberam (ou não tiveram coragem de expressar) o óbvio ululante? Talvez seja este o pior aspecto do nosso país: o fingimento nacional.

J. ROBERTO WHITAKER PENTEADO

jroberto@espm.br

São Paulo

*

CORRUPÇÃO E RECEITA FEDERAL

No "Estadão" de ontem lemos que alguns altos funcionários da Prefeitura de São Paulo na gestão Gilberto Kassab teriam recebido fantásticas propinas lesando o Imposto sobre Serviços (ISS), e os valores auferidos foram usados para adquirir automóveis de luxo, imóveis, etc. Segundo a notícia publicada, valores foram depositados em contas de outras pessoas. É sabido que qualquer pessoa que compra um carro ou mesmo um imóvel de ínfimo valor é obrigada a declarar na Receita Federal como ganho de capital. Mesmo no caso de declaração em nome de outra pessoa, estas são obrigadas a demonstrar a origem do numerário para adquirir o bem. Então, como a Receita não constatou este enorme aumento de capital oriundo de operações inexplicáveis ou mesmo delituosas? Não é muito esquisito? Como se explica?

Roberto Banhara Dias Cardoso

rbdc@terra.com.br

São Paulo

*

SÓ VALE PARA NÓS

Deixe-me ver se entendi: quatro altos funcionários da Prefeitura, durante sete anos, desviam muuuito dinheiro público (R$ 500 milhões), enriquecem ilicitamente e somente agora descobrem a falcatrua? Gostaria de saber onde estava neste tempo todo a Receita Federal, que não detectou a incompatibilidade de salários e patrimônio! Ou isso só vale para nós, cidadãos comuns, que, quando deixamos de declarar R$ 1 mil, caímos na malha fina? Sr. Guido Mantega, aguardo uma resposta convincente.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

FRAUDE NA GESTÃO KASSAB

Pena que a eficiência dos órgãos públicos em descobrir as fraudes de políticos e funcionários públicos é inversamente proporcional à sua capacidade de prender os culpados e reaver o dinheiro roubado.

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

DE KASSAB A HADDAD

A astúcia de alguns para aprender e usar argumentos dos mestres é destaque na situação presente. Seguindo um exemplo, sr. Kassab alega que não sabia de nada. Igualmente, também por não saber de nada, o sr. Haddad nomeou um dos acusados para um cargo de confiança. É incrível a sabedoria desses políticos.

Adib Hanna

adib.hanna@bol.com.br

São Paulo

*

DIFERENTES

Deu no "Estadão" que gestão Haddad contratou fiscal preso para a SPTrans. Por favor, não confundir com Kassab. No que pesem sobrenomes de origem do oriente médio e até que meio parecidos, um não tem nada que ver com outro.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

NÓS PAGAMOS

As mazelas cometidas na administração pública municipal da Prefeitura de São Paulo, na área de alvarás de imóveis, e agora descoberto em relação aos tributos, demonstram monstruoso desfalque aos cofres públicos. Ao invés de acabar com os esquemas de corrupção, decide-se aumentar os impostos para que o contribuinte pague a pesada conta da improbidade administrativa escancarada. Que a Prefeitura recupere os valores e não puna os munícipes.

Carlos Henrique Abrão

abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

ROMBO MILIONÁRIO

Lemos notícias diárias a respeito das máfias da Sabesp e do Asfalto, que causaram prejuízos estimados em R$ 500 milhões e R$ 1 bilhão, respectivamente. Temos conhecimento de que cartéis formados por multinacionais (Siemens, Alstom, etc.) convivem, harmoniosamente, há 20 anos, com os governos Covas, Serra e Alckmin. Agora somos surpreendidos pela descoberta da recém-criada Controladoria-Geral do Município (GCM) de um rombo de R$ 500 milhões na Secretaria Municipal de Finanças da Prefeitura na gestão Gilberto Kassab, chefiada por Mauro Ricardo, indicado por Serra. As bancadas do PSD e do PSDB na Câmara Municipal, ao invés de indignarem-se com o fato em si, preferiram criticar que a notícia tenha sido revelada na data da votação do IPTU. Devemos nos preparar para a descoberta de outros rombos gigantescos, pois tudo indica que esses fatos são apenas a ponta do iceberg. Resta-nos desejar que a Justiça tenha um desempenho mais eficiente que o Ministério Público Federal de São Paulo, que foi omisso e perdeu o prazo de envio de documentos solicitados pelo governo suíço no caso Alstom.

Wilson Haddad

wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

*

ESPIONAGEM

A NSA, Agência Nacional de Segurança dos EUA, provavelmente sabia da patifaria dos fiscais do Kassab.

Harry Rentel

harry@citratus.com.br

Vinhedo

*

MIXARIA

O jornal "O Estado de S. Paulo" revelou que o deputado federal Devanir Ribeiro (PT/SP) recebeu, em 2010, R$ 100 mil em doações de campanha da Scan Vias Construções e Empreendimentos Ltda., empreiteira do Grupo Demo - controlado pelo empresário Olívio Scamatti, acusado pelo Ministério Público de liderar a Máfia do Asfalto. Procurado pela reportagem, a assessoria do deputado disse que ele não vai se manifestar. Realmente, o deputado deve ter achado uma mixaria manifestar-se por R$ 100 mil. Convenhamos, há muito mais a ser investigado. Deve ser por isso que a reforma eleitoral não sai. Como se elegerá um parlamentar sem ajuda de dinheiro dos empresários? Ultimamente rouba-se tanto e tão intensivamente que R$ 100 mil devem ter sido gorjeta. Reparem só, o partido ora citado é aquele que não se vendia e pregava a ética e a transparência. Para os outros deve ser. Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

DATAS COMEMORATIVAS

1.º de novembro é o Dia de Todos os Santos. Dia dos Políticos Honestos é 1.º de abril.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

E OS EMPRESÁRIOS?

Impressionante como tem ladrão em cargos públicos no Brasil, em todas as esferas temos em abundância ladrões profissionais. Em troca de R$ 500 milhões, diretores da Prefeitura na gestão Kassab deram descontos de ISS a incorporadores paulistas, facilitando assim a obtenção de habite-se em suas obras. Quatro deles estão presos. E quanto aos empresários corruptores, quando irão para a cadeia? Ou será que seus crimes foram diferentes dos dos funcionários do senhor Kassab?

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

CORRUPTOS E CORROMPIDOS

Não há como receber propinas se ninguém quiser pagar. Não é fácil no nosso país ser empresário, e temos de admirar quem o consegue. Porém os empresários sabem da força que têm (teriam) se se unissem contra os gestores, políticos e funcionários que os quisessem extorquir, pois não há corruptor sem os que se deixam corromper. Está mais do que na hora de os grandes e pequenos empresários lutarem contra a corrupção, e não mantê-la, sem mesquinhamente pensarem apenas nos seus lucros e se esquecerem da responsabilidade que têm para que este país se torne uma grande nação, com o mínimo de extorsão e corrupção.

Tania Tavares

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

A ALEGRIA DO PREFEITO

Fernando Haddad declarou-se satisfeito com o aumento do IPTU aprovado pela edilidade para 2014 na capital paulista: de 20% para imóveis residenciais e de 35% para comerciais e industriais. Por certo que o alcaide também ficaria satisfeito se o País tivesse uma inflação de 20% ou de 35%, como ocorreu na época de seu amigo Sarney. Comparar o IPTU ao condomínio de edifícios é demonstração da sua falta de preparo para governar. Quais moradores de um edifício concordariam com um aumento de 20% a 35%? Ademais, IPTU é imposto, e não taxa. Daí que precisa ser imposto com a devida parcimônia e cautela, porque o tributo pesa sobremaneira no orçamento familiar e no balanço das empresas. E ninguém é obrigado ou tem o dever de suportar imposto extorsivo. O prefeito paga "com alegria". Mas se fosse aposentado, com poucos recursos ou com renda pequena, então, estaria esbanjando alegria? A agressão sofrida pelos paulistanos precisa sempre ser lembrada, inclusive com os nomes dos vereadores que aprovaram o absurdo tributo, por ocasião das próximas eleições e das posteriores.

José C. de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

O DEBOCHE DE HADDAD

É triste, mas é verdade! O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, não satisfeito em ter aprovado um aumento cavalar do IPTU de 20% para residências e 35% para empresas para o exercício de 2014, e já garantindo também reajuste acima da inflação para 2015, afirmou que paga o seu IPTU com a mesma alegria com que paga sua despesa de condomínio. Essa declaração é uma afronta aos munícipes da capital, porque a renda média dos paulistanos é infinitamente inferior ao seu salário como chefe do Executivo, que acumula ganhos também como de professor que é da USP. Aliás, essa alegria do prefeito é a mesma dos seus camaradas do partido que pagam com recursos desviados no episódio do mensalão hotéis, restaurantes de luxo, etc. E as entidades representativas das empresas fazem muito bem em recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), para tentar anular esse indigesto e nocivo reajuste. Mesmo porque é o partido do prefeito que, de um lado, faz desonerações da folha de pagamento e, com a outra mão, carrega na conta das empresas um IPTU de efeito desastroso. Inclusive com sério perigo de precisar dispensar trabalhadores para equilibrar orçamento. Esse é o tal do Partido dos Trabalhadores! Vai entender...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.coam

São Carlos

*

PROJETO INDECENTE

Para evitar pressão da sociedade nas galerias da Câmara, 29 inescrupulosos vereadores, traidores de seus eleitores, aprovaram, na calada da noite, esse indecente projeto do prefeito "poste" de aumento do IPTU, com reajuste, em 2014, de 20% para as residências e 35% para comércio e indústria, enquanto a inflação é estimada em 6%, que corrigirá o imposto. Espera-se que os manifestantes das passeatas de junho, contra o aumento das tarifas de ônibus, saiam novamente às ruas empunhando placas com o nome de todos esses vereadores que apoiaram essa vergonha em troca de cargos e outras benesses prometidas por este desgoverno petista.

José Wilson de Lima Costa

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

29 A 26

Diante da expressiva votação contrária ao aumento do IPTU pela Câmara Municipal de São Paulo, não cabem "embargos infringentes"?

Angelo Antonio Maglio

angelo@rancholarimoveis.com.br

Cotia

*

OLHO POR OLHO!

Fomos às ruas reclamar R$ 0,20. Agora vamos todos tomar no IPTU!

Marcos Di Paolo

m_p_f_p@hotmail.com

São Paulo

*

TUDO A VER

As portas grafitadas das lojas do Jaçanã, na foto de primeira página do "Estadão" do dia 30/10, têm tudo que ver com a frase do ex-presidente Lula na parte inferior (bom lugar para ele) de que voltará em 2018 "se encherem muito o meu saco" (sic). Seu nível de boa educação é o mesmo dos pichadores. Também o prefeito Haddad, que diz pagar o IPTU "com toda alegria" porque compara essa taxa à dos condomínios residenciais, tem tudo que ver com a insensatez de seu chefe. Seria ótimo se pedisse demissão imediatamente e ambos rumassem para o ostracismo, melhor lugar para políticos que na campanha se dizem contra os altos impostos, mas os aumentam na primeira oportunidade. O vereador Ari Friedenbach (PROS) parecia ser uma esperança. Será esta a sina dos brasileiros? Só decepção com seus "promessinhas" e "promessões"?

Luiz C. Bissoli

tiocaio17@gmail.com

São Paulo

*

IPTU COM ALEGRIA

O prefeito Fernando Haddad disse que paga o IPTU "com alegria". Eu também pagaria o IPTU com alegria se: ganhasse o belo salário do prefeito ou de seus secretários e assessores; o bairro onde moro fosse realmente nobre, isto é, sem trânsito caótico, se tivesse lugar para estacionar sem ter de pagar zona azul, se tivesse estacionamento a preços razoáveis, se não tivesse tanta poluição sonora, se não tivéssemos assaltos e arrastões, se não tivéssemos congestionamentos; se o meu salário de aposentado do INSS fosse equivalente a 50% do salário do prefeito de São Paulo; se o ônibus e o metrô que tenho de usar não fossem tão lotados; se os táxis não fossem tão caros; se não precisasse fazer seguro de vida e de residência; se tivesse saúde pública de qualidade com bons hospitais e postos de saúde; e se tivesse escolas e ensino público de qualidade. Mas, como os senhores sabem, temos de pagar os impostos, pois as nossas obrigações como cidadãos contribuintes são muito importantes para o bem geral da Nação. E assim vamos vivendo, pagando, pagando, pagando até morrermos e pagarmos o nosso próprio enterro com alegria por termos ido embora deste mundo sem pé nem cabeça.

José Luiz Martin

jluizmartin@yahoo.com.br

São Paulo

*

LUTO E ALEGRIA

O luto se faz presente pelas atitudes tanto do vereador Ari Friedenbach - que era oposição e "virou a casaca" se filiando ao Prós PT de Lula e Dilma, votando em favor deste aumento imoral do IPTU em São Paulo - quanto de Claudio Lottenberg, que se filiou ao PR-PT e, no último domingo, como noticiado em 29/10 na coluna de Sônia Racy, ofereceu um lauto jantar a Alexandre Padilha (PT), novo poste de Lula para concorrer ao governo de São Paulo. A alegria, por outro lado, se baseia nas palavras do nada nobre prefeito Fernando "Enem" Haddad, para quem pagar o imoral IPTU é uma alegria. Então este "nobre" senhor ficará exultante quando ele tiver de pagar a conta dos reparos na suspensão de meu veículo que foram feitas no início de 2012 e já estão danificadas novamente, pelo imenso retorno que as aplicações deste IPTU nos dão. E ele pagará mediante ação por danos materiais e lucros cessantes, porque dependo deste veículo para meu trabalho. Daí veremos se Haddad irá ficar tão alegre assim.

Boris Becker

borisbecker54@gmail.com

São Paulo

*

ONDE ESTÃO OS BENEFÍCIOS?

Ainda temos de passar por cretinos e imbecis ao ouvir o prefeito Fernando Haddad declarar pagar o IPTU com alegria e comparar o imposto com os condomínios. Só se esqueceu de que há uma enorme diferença entre ambos, pois o condomínio é totalmente revertido em benefícios a quem os paga, com prestação de contas mensais de toda a sua movimentação. Em contrapartida o IPTU é uma assalto à população, porque além de ninguém saber o seu destino, de uma coisa temos certeza: em nosso benefício ele não é aplicado.

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A DERRAMA DE FERNANDO ‘MALDDAD’

Tomando emprestado do leitor Arcângelo Sforcin Filho ("Fórum dos Leitores", 31/10) o magistral apelido conferido ao prefeito paulistano depois do famigerado aumento do IPTU, pode-se reconhecer, de imediato, que Fernando "Malddad" é filho legítimo da ex-prefeita Martaxa. E neto, naturalmente, da nossa "Rainha de Copas", a presidenta de rechonchuda silhueta, a ditar, sempre com aquele habitual voluntarismo imperial, o que deve e o que não deve ser feito neste "País das Maravilhas" em que o PT transformou este Brasil. A nova derrama perpetrada por Fernando "Malddad" é simplesmente uma barbaridade contra o povo paulistano, ornada com o discurso demagógico da "justiça tributária" contra as "elevadas valorizações" dos imóveis em São Paulo. É preciso resistir a esse assalto.

Ailton Coentro Filho

coefilho@uol.com.br

São Paulo

*

O IPTU DO PT

Os paulistanos precisam saber quais foram os 29 companheiros que traíram sua confiança e lembrar muito bem no dia das eleições em quem NÃO votar. Mais uma vez o PT dá mostras de sua genialidade e competência.

Everson Rogério Pavani

roger.advog@gmail.com

São Paulo

*

VIROU CONCHAVO

As notícias recentes traduzem bem o quão frustrante é viver no Brasil. O que era para ser uma discussão séria a respeito do aumento do IPTU, que atinge milhões de pessoas e empresas, acabou se resumindo num conchavo maquinado entre o prefeito Haddad e os vereadores da sua base aliada, na véspera da votação na Câmara, na calada da noite e com voto suspeito, o que lembra muito as cenas dos filmes de gângsteres dos anos 1930, e não uma solução democrática para gerir São Paulo. Não bastasse isso, ainda vemos a notícia da troca de afagos e medalhas entre nossos ex-presidentes e os chamados picaretas, numa celebração à hipocrisia e à prepotência que reina nos céus da Capital Federal, não passando, verdadeiramente, de uma paródia do medíocre quadro político brasileiro. E, enquanto isso, nos Jaçanãs da vida...

Fabio Cury

fcury@hotmail.com

São Paulo

*

A ‘CONCORDATA’ DO GRUPO EBX

Diz o dito popular que "gente fina é outra coisa". Dito e feito. Depois de construir um império econômico com dinheiro das nossas mais poderosas instituições, desmorona o castelo de óleo do sultão tropical Eike Batista, atolado em dívidas menores do que sua notória arrogância. Ele desce do seu pedestal e recorre à proteção judicial, título pomposo que para um simples empresário que não mama nas tetas do Planalto seria apenas uma concordata. Estou certo de que o governo de Dilma tudo fará para salvar aquele que pretendia ser o homem mais rico do mundo. Eike foi alavancado no mundo dos negócios pelo braço poderoso de seu pai, Eliezer Batista, por duas vezes presidente da Companhia Vale do Rio Doce e de forte influência no projeto Carajás. O pretenso homem mais rico do mundo é um retrato cuspido e escarrado da administração do Brasil atual. Orgulho e arrogância os deuses castigam, que o diga Aquiles depois de ter vencido Heitor na guerra de Troia e recebido uma flechada no calcanhar, seu único ponto vulnerável.

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

EIKE BATISTA

Àqueles que compraram ações do Grupo EBX, entrando de gaiato na conversa fiada de Eike Batista, e hoje, incrédulos, têm em mãos um mico com a anunciada pré-falência do grupo X, convém lembrar o que disse P. T. Barnum, empresário americano inventor do circo moderno: "Nasce um otário a cada minuto".

J. S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

A AJUDA DE LULA

A OGX está falindo, mas não tem problema, Eike pode chamar o Lula, seu mentor. Grana não vai ser o problema, quem criou o mensalão pode criar qualquer outro imbróglio para ajudá-lo, afinal de contas Eike era "um exemplo de vencedor". Era?

Alice Baruk

alicebaruk@bol.com.br

São Paulo

*

O GRUPO DE EIKE E O PODER

Para comprar o terno de Lula, Eike tirou as calças dos sócios...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

CANOA FURADA

Para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a "presidenta" Dilma Rousseff, o empresário Eike Batista servia de exemplo a ser seguido por outros investidores brasileiros. Como perguntar não é ofensa, será que agora, com o barco de Batista afundando, eles continuam pensando como outrora? Como simples aposentado do INSS, o único receio que tenho é de pensar que o império edificado por Eike Batista tenha se edificado com empréstimos feito pelos bancos do governo, o que provavelmente faria com que toda a sociedade brasileira estivesse incumbida de pagar a conta.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

LIÇÕES DA DERROCADA

A derrocada do império econômico industrial do ex-bilionário Eike Batista é emblemática. Fruto, entre outras causas, do excesso de diversificação das atividades do Grupo X, que acabou se perdendo por falta de foco, serve para que nossas lideranças empresariais aprendam a lição de tal fracasso e dirijam as ações de suas empresas nas melhores linhas de um capitalismo moderno, tendo sempre em vista a função social dos empreendimentos macroindustriais.

José de A. Nobre de Almeida

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

COTAS RACIAIS NO CONGRESSO

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou parecer do deputado Luiz Couto (PT-PB) referente à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reserva vagas a parlamentares de origem negra. Mais uma excrescência neste país de faz de conta, repleto de corruptos. Não tenham dúvidas de que no dia de registrar a candidatura no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) vai ter muita gente pintada de preto.

Humberto de Luna Freire Filho

hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

NOSSO APARTHEID

Fantástico! Depois de institucionalizar diferenças raciais, o Legislativo começa a elaborar o apartheid brasileiro. Será que, no futuro, precisaremos também de um Mandela?

Ciro A. Rosolem

rosolem@fca.unesp.br

Botucatu

*

MÉRITO

Uma pergunta: o ministro do STF Joaquim Barbosa precisou de alguma cota para chegar aonde chegou? Não, né? Só estudou.

José Claudio Canato

jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira

*

COTA NA PRESIDÊNCIA

Aproveitando o gancho desta ridícula cota racial para deputados que a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara acabou de aprovar, gostaria de pedir que também fosse instituída uma cota racial para presidente da República já na eleição de 2014, para que tenhamos de eleger um presidente negro, e que ele seja o nosso ilustre e querido ministro Joaquim Barbosa.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

CHIBATA AUTORITÁRIA

Sobre o artigo "O Enem e a chibata autoritária", publicado na página A2 de 31/10, diante da pressão "maquiada" cujo efeito tem sido percebido diariamente, o governo tem conseguido êxito dentro do autoritarismo "disfarçado" com a obrigatoriedade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e, como se não bastasse, de forma "ditadora", somos intimados a registrar a nossa biometria para as próximas eleições. Caro Alexandre Barros, autor do artigo, o governo federal nem sequer olhará pelo retrovisor porque sabe das mazelas deixadas para trás, cujo reflexo levantou o grito de um povo que não irá calar por medo ou perseguição.

José Ageilson dos Santos

ja-67@ig.com.br

Americana

*

DIÁLOGO

Conforme noticiou o "Estadão", o secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, levanta a necessidade de o governo estabelecer um diálogo com os Black Blocs. Ora, para que se estabeleça um diálogo, é preciso que as partes tenham boas intenções e um ponto em comum a ser discutido. Como os black blocs se autointitulam anarquistas, isto é, contra qualquer ordem, e comprovadamente não têm boas intenções, gostaria que o senhor ministro nos esclarecesse qual é o ponto que aquele grupo partilharia com o governo.

Ralph Solimeo

ralphsolimeo@terra.com.br

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

A Polícia Militar prometeu dar uma resposta forte contra o black blocs que, recentemente, agrediram um oficial da corporação. É exatamente essa reposta forte de que carecem nossas leis penais quando o assunto é penalizar o crime. É justamente a frouxidão das leis que geram a prática da justiça paralela e o crescimento da violência na sociedade. Está fartamente provado que bandido nenhum tem medo da justiça brasileira. A hipocrisia é muito grande.

Marcelo de Lima Araújo

marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Mogi das Cruzes

*

SERÁ?

Será coincidência o fato de o Black Bloc só atuar em Estados governados por partidos adversários dos petralhas, a exemplo de São Paulo, ou onde, mesmo governado por aliados, os petralhas tenham interesses partidários na disputa pelo governo em 2014, tal como ocorre no Rio de Janeiro? Qual será o motivo para que o grupo de arruaceiros não atuem com tanta intensidade em locais governados pela petralhada, a exemplo da Bahia e Distrito Federal, local onde sabidamente existe a maior concentração de "político safado por metro quadrado"? Não seria lógico que se o tal Black Bloc tem tanto o que reclamar dos governantes, e quer tanto chamar a atenção da imprensa, nacional e estrangeira, começasse por vandalizar do tal Instituto Lula, na região central da cidade de São Paulo? Do jeito como atua, o tal Black Bloc levanta suspeitas de que poderia ser apenas mais um "braço armado" dos petralhas, devidamente comandado por alguns bem treinados "militantes profissionais". Será que estou longe da verdade?

Júlio Ferreira

julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

BARBÁRIE

Entre as multidões deste país onde reina soberana a ignorância de nossa verdadeira história, que por seu "escapismo" e por seu malfadado vezo de sempre culpar terceiros por suas mazelas e por seus erros e desvios de conduta, está na hora de rever seus falsos conceitos de que todos nossos males vêm da influência de nossos civilizadores cristãos e latino-europeus. Uma reflexão séria sobre fatos recentes ocorridos nestas terras e outras ocorrências menos recentes e bastante frequentes poderia mudar a concepção que temos da Nação e, provavelmente, indicar-nos novos rumos civilizatórios com saudável retorno ao apreço da cultura que, de certa e injusta forma, rejeitamos. Seria oportuno refletir para procurar entender de onde nos vem o "impulso" para as atividades dos black blocs e dos marginais que, agindo com métodos muito comuns ao tribalismo sub-saariano em seus permanentes conflitos genocidas, agrediram a sociedade com o bárbaro ato de decapitar o marido de uma policial militar na ex-Capital Federal. Atos de tal barbárie há séculos não se perpetram em países civilizados e que tenham governos dignos e protetores da ordem pública. Ou nossos demagógico, populistas e incompetentes governos agem ou logo estaremos de volta a nosso estágio de desenvolvimento pré-povoamento do século 16.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br

Campinas

*

BLACK BLOCS SILENCIARAM NOSSA VOZ

É visível que os black blocs continuarão suas ações destrutivas até conseguirem cada vez mais vítimas fatais do descontrole policial que acaba acontecendo em razão da violência a ser contida, tratando-se, pois, de mortes anunciadas. E, quanto maior o número dessas tragédias, mais esses guerrilheiros urbanos triunfarão tal qual representantes de um mal injustificado e impiedoso. Fica sempre a pergunta de quem estaria por trás de tudo isso. Mas o fato é que estão conseguindo se impor ante as manifestações ordeiras que tiveram lugar em junho, quando o povo veio às ruas para exigir melhorias na educação, na saúde, nos transportes, apontando a corrupção e a impunidade dos que cometem atos ilícitos sem nenhuma cerimônia, com prejuízos a toda uma população necessitada dos recursos para uma vida melhor. Toda a beleza desse movimento cívico cessou, o silêncio dos bons se fez presente e foram banidos de cena, ficando à margem de um ativismo político que emergia com o brilho da esperança em dias melhores. O mês de junho prometia, levando a classe política a rever seu "modus operandi", a amedrontar-se pela primeira vez com a voz rouca das ruas, mas que acabou por emudecer diante da truculência desses criminosos que, com sua destrutividade, substituíram uma causa justa por vandalismo difuso e perverso, impondo o terror no lugar do patriotismo e esperança. Parece que jamais teremos de volta movimentos cívicos e democráticos, espontâneos e até singelos, que falem de valores éticos expressando cidadania. O povo brasileiro parece estar fadado a submeter-se ao que há de pior no mundo da política, sem espaço para a expressão de repúdio saudável e pacífico. Será de lastimar profundamente se as pessoas de bem desistirem de lutar publicamente por valores éticos e democráticos, deixando-se intimidar. Precisamos ter a coragem de mostrar que não tememos a truculência e a arrogância que asfixiou nosso grito de BASTA.

Eliana França Leme

efleme@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.