Fórum dos Leitores

GESTÃO HADDAD

O Estado de S.Paulo

02 Novembro 2013 | 02h05

Caixa de maldades

Os candidatos, em geral, nunca divulgam seu verdadeiro programa de governo, mas o eleitor vota de qualquer maneira, por simpatia ou porque pertence a determinado partido. Depois de eleito, o cidadão abre a sua caixa de maldades e aí vem a gritaria. Ora, alguém perguntou ao sr. Fernando Haddad, durante a campanha eleitoral, qual seria o aumento do IPTU na sua gestão? Ou se ele faria essa quantidade de faixas exclusivas de ônibus? Ou, ainda, quantas escolas, creches, postos de saúde pretendia entregar à população? Infelizmente, tudo foi feito com uma massificada jogada de marketing em que a cidade se transformaria num paraíso. Mas, quem sabe, um dia aprenderemos a eleger gente melhor. Até lá...

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Enterro prematuro

A fúria arrecadatória do PT mostra perfeitamente a que veio o prefeito Malddad, com esse irresponsável e inescrupuloso ato de aumentar o IPTU. Mas uma coisa boa aconteceu: acabaram de enterrar definitivamente a candidatura para o governo de São Paulo do ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Confisco

Quando os reajustes anuais eram da ordem de 6%, Martaxa tascou 25%! Agora vem outro nefelibata dizendo que pagará com alegria os 20% (de sua residência), prometendo cobrar igualmente em anos próximos. Esquece que os benefícios dos aposentados para chegarem a 10% de aumento levam dez anos! Isso é confisco. Nesse ritmo, a médio prazo estarei recebendo Bolsa Família também. É o programa social do PT. E ainda falam em reeleição da "presidenta"...

TADAIUKI YAMAMOTO

tadai@ig.com.br

São Paulo

Alegrinho

O prefeito Fernando Haddad disse que pagará o seu IPTU com toda a alegria. Ele deve ser muito masoquista. Ter alegria no que a população acha um verdadeiro suplício, uma vez que o aumento de 20% é quase quatro vezes a inflação no período...?! Assim fica fácil administrar: apertou o orçamento, com a maior satisfação assalte a classe média, pois é ela que sustenta os políticos deste país - inclusive os aposentados, pelo nada de útil que fizeram para o Brasil.

JOÃO HENRIQUE RIEDER

rieder@uol.com.br

São Paulo

'Condomínio' não, assalto!

Nosso alcaide que me desculpe, mas a única semelhança entre o IPTU que sou forçado a pagar e o condomínio que pago de bom grado é o desembolso anual. O dinheiro que vai para o meu condomínio é bem gasto pelo síndico, controlado pelos condôminos e com detalhada prestação de contas da administradora, enquanto o IPTU é um saco sem fundo, sem retorno e sem prestação de contas. Todo ano o IPTU sofre aumentos acima da inflação e a cidade continua mal iluminada, insegura, suja, com ruas esburacadas e enchentes depois de qualquer chuva mais intensa, etc. Na administração do prédio onde moro se vê o resultado de trabalho e responsabilidade, já na administração da cidade parece que só trabalham quando é para aumentar a própria remuneração, as benesses, a quantidade de "aspones" ou dar nome a viadutos, ruas e praças. No dia em que o IPTU for tão bem utilizado como o meu condomínio, aí, sim, eu o pagarei com "alegria". Do jeito que está, é mais um assalto abusivo ao bolso de todos os sacrificados munícipes!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

IPTU

O número de cartazes de "aluga-se/vende-se" expostos na parte externa de lojas e residências em São Paulo aumentou significativamente nos últimos dias. Sabem por quê?

RUBENS MICAEL ARAKELIAN

rubensmicael@gmail.com

São Paulo

Paradoxos

Enquanto o prefeito Fernando Haddad aumenta o IPTU em abusivos 20% a 35%, sob a alegação da valorização dos imóveis nos últimos anos, a Receita Federal, para fins de apuração do chamado "lucro" imobiliário, mantém os valores desses mesmos imóveis congelados há duas décadas. Procedimentos adversativos sempre para arrecadar o que for maior.

PAULO BUSKO

paulobusko@terra.com.br

São Paulo

Novos empreendimentos

A quantidade de novas construções no Município de São Paulo, atualmente, é assombrosa. Fala-se até em bolha imobiliária. Um terreno baldio ou pequena construção antiga dá lugar a uma edificação com 60 a 100 unidades residenciais ou comerciais. Como resultado, um local que gerava o lançamento de apenas um IPTU passa a recolher aos cofres da Prefeitura um número maior, correspondente às novas unidades, e ainda acrescido do valor do metro quadrado valorizado de uma construção nova. O certo seria que a arrecadação da Prefeitura evoluísse com o aumento desses novos empreendimentos imobiliários. Se o IPTU da nossa capital já é uma carga pesada e os imóveis estão subavaliados, a conclusão é óbvia: a alíquota que incide no cálculo do seu valor é excessiva. Para corrigir atualize-se o valor dos imóveis e baixe-se o das alíquotas.

JOSÉ SARTORIS NETTO

sartoris@uol.com.br

São Paulo

Que país é esse?

As notícias desta semana traduzem bem o quão frustrante é viver no Brasil. O que era para ser uma discussão séria a respeito do aumento do IPTU, que atinge milhões de pessoas e empresas, acabou se resumindo a um conchavo maquinado entre o prefeito Haddad e os vereadores da sua base aliada, na calada da noite e com o voto de um vereador suspeito. A prática lembra muito as cenas dos filmes de gângsteres dos anos 1930, e não uma solução democrática para gerir uma das maiores metrópoles do mundo. Não bastasse, ainda vemos a notícia da troca de afagos e medalhas entre nossos ex-presidentes e os chamados picaretas, numa celebração à hipocrisia e à prepotência que reina nos céus da capital federal, não passando, verdadeiramente, de uma paródia do medíocre quadro político brasileiro. Enquanto isso, nos Jaçanãs e Marés da vida...

FABIO CURY

fcury@hotmail.com

São Paulo

Nas nuvens

Se 35%, em São Paulo, é um absurdo, qual será o adjetivo para 317% de aumento do meu IPTU, em Ribeirão Preto?

CYRO BARRELLA

cyrobrp@hotmail.com

Ribeirão Preto  

CAFÉ DA MANHÃ NO ITAMARATY

O Tribunal de Contas da União (TCU) relatou os gastos excessivos do Itamaraty com alimentação aqui, no Brasil, para membros do corpo diplomático. Café da manhã por R$ 159! Imaginem o que deve acontecer no exterior. Está mais do que na hora de abrir a caixa preta do Itamaraty e saber o que realmente fazem nossos custosos senhores do Ministério das Relações Exteriores. Parece-me que essa entidade é apenas mais um inútil e perdulário órgão do governo federal. Uma vergonha. Um país trabalhando para sustentar festas para desocupados.

André L. Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

ESTAMOS FARTOS DE PAGAR A CONTA

É inaceitável constatar que o Itamaraty consegue gastar R$ 159 para alimentar uma única pessoa com biscoitos, bolos, sucos e frutas, apenas num café da manhã. Essa relação de descaso com o dinheiro público precisa acabar. Precisamos de regras e limites mais rigorosos com relação a essas cotações e pregões. Pois quem paga essa conta é o contribuinte, que está trabalhando cada vez mais só para pagar impostos e receber migalhas. Será que Dilma Rousseff pagaria essa conta do próprio bolso para alimentar seus camaradas?

Marcelo Rufino Bonder marcelobonder@hotmail.com

Paraguaçu Paulista

*

COTA RACIAL NO CONGRESSO

A recente decisão da (Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal em aprovar cotas para negros nas instituições legislativas em todo o território nacional vem provar o que já é sabido de todos: que a qualidade dos nossos políticos, com raras exceções, é deprimente, o que coloca os nossos eleitores numa posição pior ainda. O sistema de cotas, tão preconizado por este governo (?) que temos que engolir a seco, é um atestado do desprezo que é dado à meritocracia em favor da tutela governamental. Que democracia é esta em que a nação está à mercê de políticos que vivem em simbiose com o mais vergonhoso assistencialismo jamais visto abaixo do equador? A incultura dos nossos governar poderá nos levar (Deus não permita) a uma disputa racial nos moldes da segregação racial nos Estados Unidos.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

PEC RACIAL

Por que não reservar vagas também nas prefeituras, nos governos de Estado e na Presidência da República? Se for para a sociedade se redimir de injustiças cometidas, por que a PEC racial - que garante cotas raciais para o ingresso no Congresso Nacional - não reserva vagas para índios, sem terra, sem teto, favelados, moradores de rua, judeus, corintianos e todo tipo de desafortunados e perseguidos? O ministro Joaquim Barbosa chegou à ministro do Supremo Tribunal Federal sem reserva de vaga e sem privilégio, apenas estudou, se dedicou e mereceu. O que o País precisa é de equiparar as oportunidades e dar estudo de qualidade a todos. Chega de populismo e demagogia!

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

PADRÃO DILMA

No dia 12 de abril de 2012, a presidente Dilma Rousseff, em evento de inauguração de prospecção de petróleo pela OGX, afirmou que "Eike Batista é o nosso padrão, a nossa expectativa e, sobretudo, o orgulho do Brasil quando se trata de um empresário do setor privado". Dilma sabia muito bem do que estava falando... Porque, se o seu governo produz somente PIBs medíocres, inflação alta, investimentos em infraestrutura que não prosperam, prejudica a Petrobrás e ainda faz traquinagens contábeis desmoralizantes, Eike Batista, que levou sem se esforçar do governo petista mais de R$ 10 bilhões dos cofres públicos, e agora está quebrando, sem dúvida está à altura do "padrão Dilma". Não é verdade?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

NÃO PERCEBERAM

O que é mais estranho nesta recuperação judicial solicitada pela petroleira OGX, de Eike Batista, é que pessoas cultas e muito bem informadas a respeito dos fatos e dos mercados em geral e que participavam do seu conselho diretor não tenham atentado para a situação em que a dita petroleira se encontrava. É de fato tudo muito estranho.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

O GRANDE XIS DA QUESTÃO

"Você e eu nunca ficaríamos sentados observando os nossos negócios resvalarem para o desastre. Nós agiríamos. Mesmo a mais ligeira possibilidade de que a nossa empresa pudesse falir nos impeliria a reavaliar pressupostos básicos, a eliminar políticas potencialmente desastrosas e a procurar alternativas viáveis. Na condição de empresários, aprendemos que só temos a lucrar reconhecendo um compromisso equivocado e mudando de rumo. Erros são perdoáveis. O que é imperdoável - para países e corporações - é seguir um curso prejudicial que pode revelar-se suicida" (texto extraído do livro "The Trimtab Factor", de Harold Willens). Muito atual.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

SONHO E PESADELO

O gigante Grupo X hoje se torna anão e não vê mais terreno para sedimentar seus sonhos, que se tornaram pesadelo. O homem mais rico do Brasil e com pretensão de sê-lo do mundo agora se vê numa encruzilhada, com o esvaziamento de sua riqueza e a destruição dos projetos reputados bilionários. A humildade é a melhor virtude e todos que se orgulham ou esbanjam podem ser humilhados.

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

O CALOTE DO 'X

Sao imensos os prejuízos deixados pelas empresas X de Eike Batista. Propositadamente, a colocação do X ao final de cada sigla serve para dizer que X não tem explicação. Como sempre, a corda arrebenta do lado mais fraco, e, a se confirmarem as notícias, a conta do calote ficará com os acionistas minoritários, com credores internacionais e, para salvar o governo desse rombo, Eike vai dividir a conta salgada com todos os brasileiros. Pois é, na hora do lucro, ninguém se lembrou do povo, na hora do prejuízo, todos pagam. Mais um golpe do PT no bolso do cidadão. Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

EMPRÉSTIMOS E EMPRÉSTIMOS

Qual teria sido o interesse de liberaram para a OGX, de Eike Batista, um empréstimo de US$ 5,1 bilhões sem garantias reais? Enquanto para nós, pobres mortais, para financiar um veículo se exige garantia ou nos é oferecido um empréstimo consignado, que autoriza os bancos a cobrar a parcela antes que o nosso salário chegue às nossas mãos.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MAIS (MAUS) MÉDICOS

Boa noticia para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha: somente 155 dos 1.595 médicos inscritos foram aprovados na primeira fase do exame do Revalida. Sendo assim, seu programa do "maus", digo, "mais médicos" poderá fazer oferta aos 1.440 diplomados, mas reprovados, no exame oficial.

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

EXCEÇÃO PERIGOSA

A pergunta que não pode calar: Considerando que só 10% dos médicos com diploma estrangeiro conseguiram ser aprovados no Revalida, imaginem o que pensar dos que se apresentaram para o Mais Médicos? Seria por essa razão que o governo totalitarista de Dilma manobrou vergonhosamente para a turma dos "médicos cubanos" não precisar ser submetidos às provas? Essa exceção é temerária e coloca os brasileiros menos assistidos em situação de perigo nas mãos de meros "atendentes de saúde", que já estão dando muitas "bolas fora", comprovadamente, em seus primeiros atendimentos.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

SE SÓ TEM TU...

Menos de 10% dos médicos formados no exterior inscritos no Revalida passaram na primeira etapa do exame e que, após passarem pela segunda fase do mesmo, poderão exercer legalmente a Medicina em todo o território brasileiro. Esse baixo índice de aprovação nos mostra que não são os profissionais bem formados que se interessam em sair de seus países de origem, pois lá encontram vasto mercado de trabalho para exercer a sua profissão. Isso explica a posição do governo Dilma de permitir que participantes do programa Mais Médicos trabalhem em locais indicados pelo Ministério da Saúde sem a necessidade de comprovar a sua competência profissional através do Revalida. Para o povão que será assistido pelo Mais Médicos, porém, isso não será problema, pois vai valer a antiga máxima: se só tem tu, vai tu mesmo.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

ENTRE DILMA E O MINISTRO

O governo brasileiro resolveu fazer uma operação comercial com Cuba, importando os médicos produzidos em "fábricas de médicos". Não tem problema se eles são competentes ou não, o que não vai fazer diferença, porque não haverá local adequado e preparado para um bom médico agir. Dilma deve ter dado ordem ao ministro Alexandre Padilha, da Saúde, mais ou menos assim: "Manda vir os médicos assim mesmo, a população que eles vão atender é principalmente de analfabetos ou mal alfabetizados que nem perceberão". Por outro lado Dilma, como conhecedora do Brasil sabe que quase a metade das moradias do País não é servida de esgoto, assim, o maior problema nas comunidades a serem atendidas será "dor de barriga", já que para outras coisas mais complicadas não haverá equipamentos para exames e talvez os médicos não tenham a competência necessária. Padilha deve ter "titubeado" com as ordens da chefe, mas muito provavelmente o curso rápido a que foram submetidos não abordou o assunto. Provavelmente pensou: "Esse governo é assim mesmo, não adianta reclamar, os únicos objetivos são as eleições de 2014, no que tenho interesse. Melhor enviar comprimidos com os médicos e calar-me".

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

A LEI DA MÍDIA ARGENTINA

A justiça da Argentina deu o primeiro passo para a mordaça total da mídia - sendo o Grupo Clarín a vítima principal - com a aprovação da constitucionalidade da lei proposta pelo governo. A partir de agora, o povo portenho vai ter de rezar "na marra" pela cartilha kirchnerista. Aqui, no Brasil, a mesma semente está sendo plantada nas hostes legislativas, pelos petistas, que não se conformam com nossa até agora liberdade de expressão e de ideias. Imaginemos um dos maiores grupos midiáticos do mundo, nossos jornais tradicionais, sendo obrigados a vender bens materiais, dividir ou entregar totalmente suas vertentes democráticas, para ideólogos socialistas, ávidos em cubanizar nosso país. O cidadão-eleitor que ainda consegue enxergar a realidade política administrativa vigente em nosso país deve estar atento a todas as manobras perpetradas por deputados interessados em calar a boca da mídia escrita e falada. Estejamos vigilantes, porque, depois da porta arrombada, adeus democracia.

Aloisio A. De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

*

TANGO DESAFINADO

A Argentina sob o governo Kirchner bebe vinho azedo e passado ao som de um tango desafinado e fora do tom. Outrora próspera e civilizada, acabou transformada numa republiqueta de segunda categoria, irmanada com o bolivarianismo que grassa de cima abaixo pelo continente. Quem te viu, quem te vê...

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

REVOLTAS POPULARES

O povo brasileiro sempre foi desinformado e nunca teve acesso pleno aos meios democráticos de direto à informação e demais serviços públicos. Isso se comprova desde os tempos da revolta da vacina no Rio de Janeiro, em 1909, um caos generalizado devido ao uso da força para a vacinação e outros fatores. Assim é o Brasil atual, onde montanhas de dinheiro são despejadas nas mãos de empreiteiras, políticos ou em outros países e até para realizar Copa do Mundo e outras festas num país que nem sequer possui atendimento médico decente. E o povo que não possui internet, telefone nem paciência para usar os "canais disponibilizados pelos governos" usa pneus queimados, quebra-quebra, gera congestionamentos gigantes, pois só assim tem seus apelos escutados por aqueles que só se preocupam com a minoria rica. É tempo de nossos governantes atentarem ao fato de que o povo não quer só uma bolsa-auxílio todos os meses, quer segurança, saúde e educação de qualidade e com respeito.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

ANARQUIA

As imagens deprimentes do começo desta semana, na maior cidade do País, leva-nos a crer que a deturpação do conceito de democracia está gerando algo que em breve não terá mais controle, qual seja: a anarquia generalizada. A república imoral e corrompida, pela ditadura de direita e pelos governos, pós "redemocratização" dos guerrilheiros que a combatiam para instaurar uma ditadura de esquerda, está aí carcomida e moribunda. É necessária já a mudança de forma de governo e sistema de governo, onde a democracia seja responsável e se prime pelo princípio da autoridade do Estado honesto e dos homens de Estado honesto, pois vemos hoje que o Estado corrupto controlado por homens desonestos, por não terem moral, não têm autoridade para impor autoridade. Se continuar essa festa de absurdos, o que restará será o povo honesto refém dos bandidos e aproveitadores que surgiram sobre o que restar dessa instituição anômala que nasceu em 15/11/1889. Não adianta eleger um novo salvador da Pátria, pois será mais um na lista dos muitos que se mostraram lobos depois de eleitos.

Luís Severiano Soares Rodrigues luisseveriano@bol.com.br

Mesquita (RJ)

*

SEM CONTROLE

Lamentavelmente, em junho deste ano, deu-se início a "consagração" e "comprovação" daquilo que nós, brasileiros, sempre soubemos: a ineficiência geral por parte do governo federal refletida em atos de vandalismo sem controle de policiais despreparados, cujo reflexo também vem da "aprovação continuada" no ensino público. Conclusão: o caos sem controle e, enquanto isso, políticos se confrontam verbalmente esquecendo-se do maior compromisso transformador desta nação: investimento pesado na educação.

José Ageilson dos Santos ja-67@ig.com.br

Americana

*

DIÁLOGO COM O BLACK BLOC

Era só o que faltava. O secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, propondo diálogo com os bandidos denominados "Black Blocs". E porque não, sr. ministro, estender esse diálogo ao PCC, ao Comando Vermelho e a outras facções do crime organizado? Já que o governo não consegue derrotá-los, vamos aderir a eles. Afinal, segundo sua chefe, em campanha pode-se fazer "o diabo".

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

'UMA ALIANÇA CRIMINO-ESTUDANTIL?'

Já que o título tem uma interrogação, eu respondo: não concordo que seja uma "aliança crimino-estudantil" ("Estadão", 31/10, A2). No próprio artigo o sr. Eugênio Bucci cita: "Sem falar nos que dizem amém para as milícias, esvaziar as manifestações de rua, transformando-as em arruaça em que cidadãos de cara limpa não têm mais lugar". Os que dizem amém têm nome e sobrenome: Dilma e lulopetismo.

José Gilberto Silvestrini jsilvestrini@hotmail.com

Pirassununga

*

TIRANDO PROVEITO

Desde as primeiras manifestações em que os chamados Black Blocs se infiltraram, tirando das pessoas de bem o direito de mostrar seu descontentamento "com tudo o que está aí", todos os dias eu, assíduo leitor deste jornal, esperava por um artigo como este "Uma aliança crimino-estudantil?". Faço, entretanto, uma ressalva que me parece de suma importância: desde os primeiros atos de vandalismo que tiraram das ruas as pessoas de bem, intuí que os famigerados petistas ou estavam diretamente por trás desses atos ou, ao menos, sorriam de satisfação por ver o quanto tirariam proveito da situação. Quanto mais violentas fossem as manifestações, mais chances de elas se tornarem uma alternativa para o governo alardear seu total "descontentamento" diante delas perante a população, esperando que os "brasileiros e brasileiras" vejam o quanto "eles" representam a salvação deste pobre Brasil, mais uma vez vilipendiado. Terminarei meus dias por aqui mesmo, mas espero que meus netos conheçam bem o caminho para o aeroporto, levando no bolso a passagem só de ida.

João Zocchio jotagz@uol.com.br

São Paulo

*

RISCO DE QUEBRA INSTITUCIONAL

O ministro da Justiça vai reunir-se com os secretários da Segurança Pública de São Paulo e Rio de Janeiro, para definir ações conjuntas de combate aos baderneiros ("Estado", 30/10). A autoridade constituída deve à população um ambiente onde o cidadão e sua família possam viver. Não pode admitir que, a qualquer pretexto, radicais fechem vias públicas, depredem equipamentos ou periclitem o sagrado direito de ir e vir. As manifestações populares devem ter local definido, hora para começar, hora para terminar e um objetivo. Assim, são credoras de todo o apoio de segurança. Mas quando degeneram, tornam-se ilegais e têm de ser reprimidas, em nome da ordem pública. Porém, o mais importante é conhecer os autores intelectuais e financeiros de todo esse processo e fazê-los parar, antes que a situação se torne absolutamente insustentável e o controle só seja possível com a quebra da ordem institucional. São Paulo e Rio de Janeiro, pelos que temos visto, já padecem dessa relativa falta de controle. Nossa história registra muitos momentos onde, por menos do que tem ocorrido nos últimos dias, o remédio amargo da quebra institucional teve de ser usado, com conseqüências imprevisíveis no momento de sua aplicação. Pode resolver, mas é melhor evitá-lo...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

QUEM É O VÂNDALO?

Alguns defendem que o vandalismo que vem ocorrendo em nosso dia a dia, trazendo terror e causando prejuízos aos comerciantes e à população em geral, é uma resposta ao Estado violento, este, sim, o vândalo da história, com sua negligência e descaso enquanto não dá saúde, educação e segurança ao povo brasileiro, marginalizado na sua existência. Não concordo com atos de vandalismo, acho mesmo que há de se ter controle rápido para que a situação não descambe para grandes tragédias. Mas, que as autoridades e políticos atentem para este fato, mudando radicalmente sua postura de ganância por dinheiro e poder. Que passem a representar a sociedade nos seus anseios e necessidades, afinal, são pagos para isso, tendendo a enxergá-la de fato. Que comece pela presidente do Brasil, quem deve parar de fazer palanque e governar, no cumprimento das promessas feitas quando de sua eleição, indo aos vereadores, que nada mais fazem do que defender seus próprios interesses. Aliás, como nossos governantes em sua maioria. O recado está sendo dado nas ruas!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

LEDO ENGANO

Atores da TV misturam fantasia com a realidade e veem o Brasil como sua nova Saramandaia. Na manifestação que promoveram como sendo o chamado "Grito da Liberdade de 31/10", imaginei que fossem reverenciar a sociedade em seus protestos pacíficos de junho último, ledo engano. Para minha surpresa o que vi foram atores interpretando um roteiro de duvidosa direção que só interessa à causa cujo script eles servem e seguem fielmente. Eles fazem a defesa de vândalos destruidores que ocuparam as ruas assim que a sociedade ordeira se recolheu em suas casa acuadas pelos atos de vandalismos que passaram a presenciar. Hoje os tais artistas, diante da prisão de uma minoria inexpressiva de arruaceiros, exigem suas solturas chamando-os de presos políticos injustiçados pela truculência das elites.

Leon Diniz leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

*

ORDEM PÚBLICA

No reino do lulopetismo, os fatos mostram que a ordem pública já esta alterada.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

'A AGRESSÃO CONTINUADA'

A respeito do editorial "A agressão continuada" (30/10, A3), vale a pena acrescentar que só quem não foi jovem não percebe que eles gostam de ver o perigo de perto, sentir a adrenalina no sangue e depois vangloriar-se dos malfeitos. Os governos, seja estadual ou federal, vão se arrepender se isso tudo não for coibido.

Éden A. Santos edensantos@uol.com.br

São Paulo

*

AFUNDANDO NA INDECISÃO

Quando não se consegue distinguir claramente o que é certo do que é errado no comportamento de pessoas ou grupos, o caos rapidamente se estabelece. Vandalismo é certo? Parece haver dúvidas de que é errado, a julgar pelas tímidas e inseguras ações da PM... Destruir patrimônio e agredir autoridades pode? Se não pode, por que deixam? O povo necessita de clareza para decidir o que fazer em cada encruzilhada do caminho, mas nossos governantes se perdem entre atitudes e valores opostos, e chafurdam nas areias movediças da indecisão. A esperança está nas próximas eleições quando uma nova liderança, menos errática e mais esclarecida, possa dirigir o País e inspirar o povo a seguir os caminhos da convicção e da virtude.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

O CONFLITO NA FERNÃO DIAS

O secretário da Segurança de São Paulo deixou crer que a demora de intervenção policial naquela confusão da Fernão Dias deveu-se ao fato de a estrada ser federal. Êta desculpazinha esfarrapada! Esse negócio de a estrada ser federal não significa absolutamente nada quanto à responsabilidade pela segurança dos cidadãos. A segurança deve ser apenas POLICIAL, não interessa se estadual ou federal. Se essa moda pega, a bandidagem encontrou mais um excelente filão a ser explorado.

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

ALTO ASTRAL

Apavorada e preocupada com a violência destruidora dos vândalos que se aproveitam de manifestações inicialmente pacíficas, com claros ataques ao Estado, resultando, inclusive, em ferimento de autoridade policial, sem que a corporação, meio que imobilizada, seja capaz de reação à altura, cena amplamente divulgada pela mídia, a sociedade, ansiosa por punições exemplares, cai numa perplexidade desalentadora ao tomar conhecimento que o governo federal vai negociar com os grupos responsáveis pelas badernas, com a justificativa demagógica de que a repressão e os recursos de justiça estão sendo ineficazes para lidar com o problema, confissão explícita da falência das respectivas instituições. Enquanto isso, a população, acuada, assiste, impotente, à destruição de suas cidades, temerosa pela possibilidade cada vez mais concreta de perda de controle da situação e a presidente "preside" solenidades portando um alto astral evidentemente artificial.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

CERTEZA DA IMPUNIDADE

Sabe por que um policial mata um menino inocente, sob alegação de o gatilho "ter disparado sozinho ao descer da viatura", e não acontece nada? Por que políticos usam e abusam do cargo, corrompem e são corrompidos, e nada acontece (no máximo um faz de conta dos tribunais)? Profissionais da medicina injetam substâncias erradas em recém-nascidos e idosos, matando-os e, também, não dá em nada? Sabe por que homens, supostamente, enciumados ou com raiva pelo fim de um relacionamento, assassinam mulheres e filhos e, quando entrevistados ou expostos, não estão nem aí? E por que pedófilos e estupradores cometem suas taras sempre com gosto de querer - e vão - fazer mais? E por que roubam e matam com o mesmo sentimento? A resposta para todos estes desvarios é simples: a certeza da impunidade e a leveza das leis brasileiras.

João Direnna joao_direnna@hotmail.com

Quissamã (RJ)

*

BADERNA

Estamos nos avizinhando da parte final da baderna instaurada no País pela Constituição de 1988, claramente socialista-coronelista. Já se agrediu o comandante da Polícia Militar em São Paulo, a hora que um general de comando de alguma força militar for também atacado, com certeza veremos nossas Forças Armadas se levantarem e "chacoalhar a juba", e já está passando da hora.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

SINAL DOS TEMPOS

O Estado de São Paulo, até então o mais rico e produtivo do país, tem sua Polícia Militar desmoralizada, por conta de uma política subserviente comandada por um governador que demonstra covardia ou simplesmente interesse pessoal em uma política voltada à reeleição. Acabamos de ver um coronel da PM sendo linchado por bandidos sem que a tropa que comandava tivesse a menor reação, além de bater com os pés na bunda. A essa altura imaginem que segurança terá a população civil, em grande parte desarmado por iniciativa de um governo corrupto e hipócrita que defende bandidos, permite que andem armados, que matem quem quiser e ainda recebam, quando presos, uma salário maior do que alguém que trabalha.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

EU, A BANDEIRA E O REPRIMIDO OPRESSOR

Estou indignado, sem palavras pelo que presenciei na noite de 31/10. Horário, 18 horas; local, Masp; causa, IPTU. O protesto havia sido feito por um grupo apolítico, com interesse em reverter o aumento do imposto abusivo. Tudo parecia ocorrer bem até momentos antes da partida. Os manifestantes jovens à paisana começaram a colocar suas máscaras, surgiu a bendita bandeira negra e o protesto perdeu o caráter democrático. Pessoas que aguardavam o início do protesto se viram desmotivadas, sem entender o que estava acontecendo, olhavam uns para os outros com a mesma pergunta: É um protesto do Black Bloc? A Polícia Militar (PM) e seu pequeno batalhão de no mínimo 200 homens começaram sua rotina de escolta, escudo para cima, capacete apertado, medo eminente. Foi nesse momento que aconteceu o que me chocou: um garoto com a bandeira nacional se juntou e começou a repressão. Não pela PM, mas pelos próprios mascarados. A cena foi triste, um jovem erguia a bandeira nacional e gritava com toda sua alma seu ensejo por um país decente, quando o grupo de máscaras pegou um megafone e começou a gritar: "Patriota idiota", "patriota idiota". Não consigo digerir a covardia sem tamanho de humilhar um jovem sozinho que estava fazendo sua parte por um país melhor. O bando de máscaras sem cérebro grita "vem pra rua", mas humilha aquele que se junta a eles. Não querem o Estado, passaram a vida reprimidos por alguém e descontam sua raiva naqueles que querem tornar um sistema caótico num sistema eficiente. Covardes, egoístas, revolucionários de meia tigela. Cansei desse grupo que não é grupo, tática de manifestação que reprime o manifestante e anarquista que impõe regras. Chega de hipocrisia do Estado, da PM, de "revolucionários", de tucanos corruptos e petralhas incoerentes. Quero o povo de volta às ruas para botar ordem nesse caos que não está representando ninguém. Só o diabo em si tem o que comemorar com a situação atual.

Joao Costa Palmer j.costap@aol.com

São Paulo

*

IPTU, A HISTÓRIA SE REPETE

Esta história se passa há muitos séculos, quando um senhor feudal chamado Polvo Silva ofereceu a melhor gleba de terra do feudo a seu vassalo Fernand, o Malvado. Sr. Polvo Silva permitiu que o vassalo Fernand entregasse terras aos duques e viscondes em troca da colaboração na cobrança de pesados impostos de seus cavaleiros e camponeses. Sr. Polvo, experiente que era nesse assunto, orientou seu vassalo e os outros senhores que usassem parte do dinheiro arrecadado com os impostos para alegrar seus esperançosos súditos com festas e apresentações circenses, iludindo-os, prometendo que teriam em troca pão em suas mesas, tratamento de seus males com os melhores curandeiros vindos de terras remotas e aprenderiam a ler. Os cavaleiros, que sempre defenderam sua rainha e seus senhores com suas pesadas espadas, se indignaram, rebelaram-se, gritaram, mas tudo em vão, foram calados. Os camponeses, coitados, continuaram seu árduo trabalho entregando a maior parte de sua produção aos senhores feudais em troca apenas de pão escuro e cevada, mas nunca desanimaram e clamam até hoje por um dia em que a Justiça Divina se faça presente e clareie seus olhos e caminhos. Esta história é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com a atualidade é mera coincidência.

Solange Abrao Jana solangejana@terra.com.br

São Paulo

*

CASO ALSTOM

O atraso do Ministério Público de São Paulo, em nome do procurador Rodrigo de Grandis, acerca das investigações e colaboração com a justiça suíça no caso da corrupção envolvendo trens e metrôs, demonstra claramente o quanto o Ministério Público de São Paulo está de joelhos para o governo do PSDB, há 15 anos no poder do Estado. É lamentável que a cúpula maior do Ministério Público se descaracterize a este ponto, e a sociedade fica sem um defensor.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

AMBIENTALISTAS X RURALISTAS

Fiquei perplexo com a notícia do antagonismo entre ambientalistas e ruralistas, no artigo de Xico Graziano ("Marina contra Ronaldo", 29/10, A2). De fato, somos uma nação dividida por causa comum, o meio ambiente que serve a todos. O ideal seria de reconhecer os nossos produtores rurais como "guardiões dos recursos naturais" nas suas propriedades. Urge-se um movimento do centro, afastando os extremistas de ambos os lados, e criando uma pororoca de razão que leva soluções razoáveis para pôr fim a este embate infrutífero. Precisa de um simples reconhecimento da enorme evolução da consciência ambiental dos produtores rurais brasileiros modernos nos últimos 25 anos e um pagamento modesto por seus múltiplos serviços ambientais. Isto seria apenas uma retribuição parcial dos benefícios para a sociedade em geral criados apenas pela adoção do Plantio Direto, valorados por nós em mais de US$ 2 bilhões por ano. A chave disso é de separar a imagem do aproveitador da fronteira daquela da maioria de produtores, sedentários e honestos, e de convencer as donas de casa a respeitar a redução do custo real da cesta básica para menos da metade, desde 1994. Também é necessário demonstrar que os passivos ambientais da população urbana são maiores que dos fornecedores de alimentos e outros produtos rurais, oriundos das áreas consolidadas de produção. O problema da devastação ilegal da fronteira não é apenas brasileiro. surge da falta de governança em lugares longínquos, tipo Far West. Temos a tecnologia de expandir verticalmente sem desmatamento, mas custa mais. Quem quer pagar para preservar? Ao contrário, não critique os heróis da agricultura.

John N. Landers, OBE, pioneiro de Plantio Direto no Cerrado john.landers@uol.com.br

São Paulo

*

COPA DO MUNDO 2014

O técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Felipão, fez discurso bobo criticando o jogador Diego Costa porque não se submeteu a ele e escolheu defender a seleção da Espanha em 2014, no que fez muito bem, porque Felipão convocaria o atacante apenas por pirraça, porque até os quero-quero dos gramados sabem que ele já tem definido seus centroavantes para a Copa: Fred, Jô, Damião e ainda o Pato - este último ele convoca só para dar número nos treinos. Mas, se ficou chateado, convoque o Boi Bandido.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

A CHANCE DO JOGADOR

Cumprimento o jogador Diego Costa, que seja feliz na seleção espanhola. Como ele, somos milhares de brasileiros que gostariam de uma oportunidade de deixar o País. Nosso Brasil é maravilhoso, mas em contrapartida temos os piores políticos do planeta, nenhum se salva. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), então, tornou-se a maior máfia do futebol brasileiro, é uma entidade politiqueira em que ocorrem as grandes negociatas do futebol brasileiro.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

ANTRO

A CBF quer cassar a cidadania do jogador Diego Costa. É para rir ou para chorar? A CBF é a entidade que teve os maiores ladrões do Brasil como presidentes, nenhuma CPI conseguiu ser aprovada, apesar de as evidências serem claríssimas. É por essas e outras que o Brasil desanima o brasileiro honesto, vai cansando... Quando a impunidade é a maior certeza do criminoso, por que nós, os honestos, temos medo da lei? Temos até deputado preso! Na Rússia, já teria sido fuzilado, mas aqui ainda vão pensar em como "tirar" o mandato do indivíduo. Nosso medo deve ser o de perder tempo comparecendo a audiências, só pode!

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

SOMOS LIVRES

Quem tem o direito de julgar a decisão de Diego Costa? Ainda menino, foi tentar fazer carreira fora de seu país, venceu e hoje opta pelo país que o acolheu e cedeu cidadania por mérito. Perguntemos aos órfãos do Brasil sua opinião. Enquanto vivos, nós escrevemos nossa biografia, e ainda somos livres para isso. Aqui não é Cuba, por enquanto e graças a Deus.

João Braulio Junqueira emaeng@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.