Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2013 | 02h11

Piada do dia

A 10.ª Câmara de Direito Público do TJ-SP confirmou ontem a sentença de primeiro grau em que Paulo Maluf foi condenado por improbidade administrativa, pelo superfaturamento nas obras do Túnel Ayrton Senna, durante sua gestão na Prefeitura de São Paulo (1993-1996), mantendo também a suspensão de seus direitos políticos por cinco anos. Dessa decisão cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF). Por isso os eternos eleitores de Maluf não precisam ficar preocupados, pois, como ele é amigo de Lula, que é amigo da maioria dos ministros do STF, tudo vai acabar em embargos infringentes, ou seja, pizza! E Paulo Maluf vai continuar atuando na política brasileira, democraticamente eleito pelos votos de seu fiel eleitorado. Brasil, o país da corrupção...

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Condenação de Maluf

Será que essa é uma notícia para comemorarmos? Não pelo fato de Maluf ter sido condenado por um órgão colegiado e agora tornar-se inelegível pelo que dispõe a Lei da Ficha Limpa, mas pela demora dessa condenação. Um agente público sofrer punição por seus atos, por sua célebre confusão entre o que é seu patrimônio e o que é do público, somente 20 anos depois de ter saqueado os cofres públicos? Eu me envergonho da ideia de "justiça" que temos neste país!

RÔMULO RIPPA

romulorippa@yahoo.com.br

Porto Ferreira

Na Prefeitura paulistana

O auditor entrou no programa de delação premiada e perdeu o emprego. Até aí, tudo bem. Mas com R$ 15 milhões no bolso o crime já compensou! Do jeito que a impunidade anda solta no País, no futuro vai alegar que a origem do dinheiro é herança, é inocente, e ainda pedirá ao Estado indenização por ter perdido o emprego. É ver para crer.

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

GESTÃO HADDAD

Socorro!

Depois de asfixiar a classe média paulistana com escorchante aumento do IPTU, o incompetente prefeito Fernando Haddad e sua péssima administração querem agora promover uma mortandade jamais vista de idosos na cidade ao deixar de fornecer às farmácias das UBSs remédios de uso contínuo receitados pelos médicos da Prefeitura! Algo precisa ser feito com urgência.

MAURÍCIO LIMA

mapeli@uol.com.br

São Paulo

SAÚDE PÚBLICA

Programa Mais Médicos

Mais uma vez o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, vem a público proferir incorreções demagógicas sobre o Mais Médicos. Ao contrário do que afirma, o Revalida tem a finalidade de verificar se o médico estrangeiro tem conhecimento geral de medicina, e não especificamente se tem capacidade de operar ou atuar em UTI. Além disso, avaliações estritamente subjetivas após três semanas de curso podem muito bem ser tendenciosas, daí a necessidade de prova de avaliação. Como o índice de reprovação do Revalida tem confirmado a falta de preparo dos estrangeiros convidados pelo governo, Padilha tenta explicar o inexplicável.

LUCIANO HARARY, médico

lharary@hotmail.com

São Paulo

Invalida

Se, para o ministro da Saúde, não faz diferença a reprovação no Revalida, então, exame para quê? Ele disse que se consultaria sem nenhum problema com um médico reprovado. Nosotros não nos consultaríamos nem com ele, pois, como médico, seria um péssimo governador.

FLAVIO MARCUS JULIANO

opegapulhas@terra.com.br

Santos

Como assim?

Defendendo os "médicos" estrangeiros reprovados no Revalida, o ministro disse que se consultaria com eles sem nenhum problema. Consultaria, no condicional, pois ele e todos os "cumpanheros" correm para o Sírio-Libanês ou o Einstein, não?

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

Inabilitação

O ministro também contrataria profissional não habilitado para projetar e construir sua casa, defendê-lo nos tribunais, administrar seus negócios? Com a palavra CRM, CAU, Crea, CRA, Creci e demais conselhos de profissionais liberais. Como dizia o Jô, "vai pra casa, Padilha!".

JOSÉ EDUARDO DE A. MACHADO

jecameng@hotmail.com

São Paulo

Vale-tudo eleitoral

Cá entre nós, a esta altura da campanha de propaganda eleitoral antecipada tanto de Padilha como da presidenta Dilma, é bem provável que ele dissesse que iria a um desses médicos mesmo que não houvesse terminado o curso de Medicina...

JOSÉ MARQUES

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

ELEIÇÕES 2014

Cruzada espartana

A reportagem publicada no Estado de domingo (A8) sob o título Por 2014, Serra faz cruzada espartana, segue o enredo dessas intrigas partidárias que só prejudicam o PSDB. Elas me provocam a mais viva irritação, especialmente, como foi o caso, quando sou citado e não sou ouvido. Quando hostilizam José Serra, tentam desqualificar sua ação política e subestimar sua liderança, os deputados Carlos Sampaio e Marcos Pestana miram no adversário errado, brincam com fogo e, lamento dizê-lo, fazem o jogo do PT. Sou, sim, amigo de Serra. Ele sabe que sempre poderá contar comigo, inclusive nos projetos políticos que vier a acalentar. Isso não me impede de colaborar com Aécio Neves no excelente trabalho de mobilização do partido que ele vem realizando.

ALOYSIO NUNES FERREIRA, líder do PSDB no Senado

luciana.moherdaui@gmail.com

Brasília

A propósito da reportagem publicada no domingo, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) esclarece que o ex-governador José Serra foi convidado a participar da reunião quinzenal de sua diretoria realizada em 28 de outubro. Na ocasião, ele apresentou um trabalho de sua autoria sobre gargalos que impedem o desenvolvimento do Brasil. Como frequentemente acontece nessas reuniões, o convite feito a Serra foi motivado pela adequação do tema, que é recorrente nas discussões internas da Fiesp.

MARIANA PASCHOAL, Assessoria de Imprensa da Fiesp

mariana.paschoal@fiesp.org.br

São Paulo

N. da R. - O Estado mantém as informações publicadas.

*

CORRUPÇÃO NA PREFEITURA

O "Estadão" publicou a reprodução da gravação de um telefonema grampeado e autorizado pela Justiça em que a ex-amante do acusado de fraude na cobrança do Imposto Sobre Serviços (ISS) em São Paulo Luís Alexandre Magalhães citava o fato de o réu ter doado ao então candidato a vereador Antônio Donato Modormo (PT-SP) a quantia de R$ 200 mil, R$ 100 mil para a sua campanha. O hoje secretário de Governo da Prefeitura nega o fato, embora o secretário dos Transportes da Prefeitura tenha dito que Donato foi quem indicou para diretor de Finanças da SPtrans Ronilson Bezerra Rodrigues, outro réu apontado, inclusive, como chefe do esquema. Evidentemente que, em princípio, acredita-se na palavra do secretário e não na da ex-amante de um quadrilheiro, mas creio que com relativa facilidade o pagamento poderá ser comprovado ou não, pois as doações devem, ou pelo menos deveriam, ser declaradas ao Tribunal Regional Eleitoral (TER) pelos candidatos. E quem faz a doação tem todo o interesse em declará-la à Receita Federal em seu ajuste anual do Imposto de Renda, obviamente desde que tenha como comprovar possuir renda para tanto. Se tais investigações não resultarem em nenhuma conclusão e ao Ministério Público ainda restarem dúvidas a respeito, existem outros meios para a investigação conclusiva: as acareações. O que não pode é restar alguma dúvida a respeito, independentemente do fato do eventual dolo do então candidato já haver prescrito.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

PERGUNTA SEM RESPOSTA

Fazer uma pergunta do tipo "o senhor recebeu dinheiro de Luis Alexandre Magalhães?" ao secretario de Governo de Haddad, Antonio Donato, e esperar uma resposta positiva seria de extrema ingenuidade. Estes canalhas, corruptos, que assumiram o poder em 2003, mesmo com provas condenatórias irrefutáveis contra, não assumem a autoria do crime e, assim como o chefe maior da quadrilha, nunca sabem de nada.

Humberto Boh

hubose@gmail.com

São Paulo

*

PT

Essas descobertas de fraude no ISS da Prefeitura de São Paulo ainda chegarão à conclusão de que existe corrupção, desvios de dinheiro público e esquemas de fraudes praticados por membros e políticos do Partido de Trabalhadores. Será?

Arcangelo Sforcin Filho

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

BUMERANGUE

Escutas telefônicas envolvem o secretário de Governo do prefeito Fernando Haddad, Antonio Donato, no suposto esquema de corrupção que pode ter desviado R$ 500 milhões da Prefeitura de São Paulo. Ou seja, o tiro vai sair pela culatra. O prefeito "Malddad" queria dar uma de santo do pau oco e agora a meleca vai vir na cara dele, afinal de contas, o PT é o partido dos trapalhões e dos corruptos. Até aqui, nenhuma novidade.

Mustafa Baruki

mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

FIO

Em novelo de corrupção ou desvio de dinheiro público, um dos fios é sempre vermelho PT.

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

CORRUPÇÃO ‘BRASILIS’

Após a leitura do artigo "Nas caravelas, a origem da corrupção" (3/11), de Roberta Pennafort, fica claro com que tipo de gente o Brasil foi "fundado", povoado e colonizado, e como o homo-corruptus passou a ser parte do DNA tupiniquim até os dias de hoje. Fica no ar a dúvida se e como será possível, algum dia, eliminar esse tumor maligno de cinco séculos do dia a dia dos brasileiros na esfera pública e privada. Quem viver verá.

J. S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

O EFICAZ COMBATE À CORRUPÇÃO

O prefeito Fernando Haddad dá exemplo aos demais administradores públicos brasileiros ao desbaratar e prender a máfia da renúncia fiscal e da propina na Prefeitura. Ele ainda poderá ter de penalizar até elementos do seu grupo político. É assim que devem agir todos os governantes e dirigentes legislativos quando lhes chega a informação sobre inconformidades no âmbito de sua administração. Com isso corta-se o mal pela raiz e evita-se desgastes como os conhecidos mensalões, sanguessugas e as farras das ONGs, cartões corporativos e tapiocas. Apesar das dificuldades, escândalos e omissões, temos hoje um Brasil melhor do que o de anos atrás. Se os políticos têm dado margem para o desgosto da população, de outro lado, o Ministério Público, a Polícia Federal e a Imprensa, têm cumprido uma verdadeira cruzada anticorrupção e maus hábitos político-administrativos, e devem ser prestigiadas e fortalecidas. O povo precisa voltar a ter motivos e até orgulho para votar. O País carece de verdadeiros líderes, que trabalhem na solução dos problemas e jamais permitam que o sagrado dinheiro público, destinado à prestação de serviços à população, seja desviado para enriquecer as quadrilhas do colarinho branco...

Dirceu Cardoso Gonçalves

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

DÃO O CARGO E FECHAM O OLHO

Isto serve para Kassabs, Haddads, João, Josés e Marias que ocupam cargos de prefeito nas cidades deste país. O imposto que foi fraudado na cidade de São Paulo em R$ 500 milhões está diretamente relacionado com as áreas aprovadas e liberadas para construção pela Secretaria da Habitação da prefeitura do Município de São Paulo. Para se saber se o imposto está sendo pago corretamente, basta dividir o ISS arrecadado pelo número de metros quadrados liberados e temos um índice que será o imposto cobrado por metro quadrado construído. Não acredito que a Prefeitura de São Paulo não tenha um funcionário sentado numa mesa de uma repartição qualquer que seja o responsável por divulgar o resultado dessa conta de dividir, ou que não tenha pensado nisso antes. Para concluir: se o prefeito não está envolvido, muito mais gente estará...

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O AUMENTO DO IPTU

Manchete do "Estadão" de 4/11: "Doação Eleitoral para secretário de Haddad". Agora está claro o indecente aumento do IPTU promovido pelo Haddataxa: pagar dívida de campanha.

Eduardo Santalucia Junior

santaluc@uol.com.br

São Paulo

*

DELAÇÃO PREMIADA

Delação premiada é a nova modalidade para proteger bandidos. Principalmente aqueles que enxotam os cofres públicos, como neste caso do funcionário da Prefeitura Luís Alexandre Magalhães, em São Paulo.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

FROUXIDÃO, EIS A QUESTÃO

Quando um filho transgride regras comportamentais estabelecidas pelos pais e esses fazem vista grossa fingindo que nada está acontecendo, com certeza a coisa vai desandar e fugir do controle. A não punição do transgressor pode arrastar para o mau caminho os demais integrantes da prole. O respeito vai pro beleléu. No Brasil, nos últimos dez anos, os políticos populistas, tretô-relô, ligam o crescimento da criminalidade no Brasil com a desigualdade social. Até mesmo aqueles que andam por aí fazendo propaganda enganosa, afirmando que está difícil encontrar pobre em nosso país. Quanta contradição. Na verdade, o que vem contribuindo para o desrespeito a tudo e a todos é a falta de rigor na aplicação das leis. Alguns exemplos: em que presídio está o contraventor Cachoeira, condenado a quase 40 anos de prisão? Onde estão os condenados do mensalão? Cadê a turma envolvida no esquema "Caixa de Pandora"? Não tenho dúvidas de que estão por aí fazendo galhofa do homem de bem. É por isso que a desordem está tomando conta do nosso país. Estão cuspindo na lei. Acordem, autoridades constituídas!

Jeovah Ferreira

jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

O PT EM TODAS

Não há corrupção neste país na qual o PT não esteja envolvido, vide a Operação Fratelli da Polícia Federal que detectou fraude em 58 municípios paulistas e a da Prefeitura de São Paulo na qual aparecem os nomes de Cândido Vaccareza, do PT, e de Arlindo Chinaglia, também do PT, dentre outros. Com respeito à corrupção da Alstom e da Siemens, envolvendo políticos do PSDB, os petistas não estão indignados com a corrupção em si, mas pelo fato de não terem participado.

Eugênio José Alati

alatieugenio@gmail.com

Campinas

*

CASO ALSTOM

Após da explicação do procurador Rodrigo de Grandis, que usou de um subterfúgio sensacional, a troca de uma pasta, para justificar por que não ajudou as autoridades suíças na investigação da corrupção nos contratos de metrô e trens de São Paulo, enfim começa a ser direcionada à Suíça a ajuda. Quem sabe agora é desmontado este grande esquema de corrupção do governo de São Paulo.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

PASTA ERRADA

Realmente, os meandros do Poder Judiciário do nosso país todos os dias nos apresentam surpresas, na sua grande maioria, desagradáveis; a última foi a justificativa, dada pelo procurador da República em São Paulo, dr. Rodrigo de Grandis, sobre a falta de manifestação à justiça Suíça a respeito da investigação sobre a Alstom: o pedido das autoridades daquele país foi arquivado em pasta errada, erro descoberto somente depois de três anos!

Luiz Antonio Alves de Souza

zam@uol.com.br

São Paulo

*

CASO MALUF

A mais recente condenação do deputado Paulo Maluf, acusado por desvio de verbas em obras públicas ocorrido nos anos em que foi prefeito na década de 90, chama a atenção por alguns aspectos. O tempo de tramitação do processo é muito grande e ele ainda pode recorrer da sentença. E, mesmo sendo acusado, ele já concorreu e foi eleito em 13 eleições, um julgamento positivo do eleitorado. Mas como ficam os empresários que com ele participaram desse verdadeiro roubo aos cofres públicos? Ou também não são culpados?

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

INFRINGÊNCIA

Maluf, esta é fácil, entre com embargos infringentes.

Ivan Bertazzo

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

O OPEROSO MALUF

Pouco me importa se serei alvo da ira dos paladinos de araque. Mas Paulo Maluf não merece ser execrado pela Justiça nem pela imprensa. Como prefeito e governador, dedicou a vida a São Paulo e aos paulistanos. Seguramente errou muito, mas também acertou bastante, em beneficio da coletividade. Não conheço ninguém na vida pública que tenha mais capacidade de trabalho do que Maluf. Imagino a alegria dos parasitas e hipócritas lendo notícias contra o operoso Paulo Maluf. Contudo, não se destroem homens fortes como Maluf com balas de sordidez e leviandade.

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

CONDENAÇÃO NÃO IMPEDE CANDIDATURA

A decisão tomada hoje pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo não impede que Paulo Maluf participe das próximas eleições. Para ser impedido pela Lei da Ficha Limpa é necessário que a condenação por improbidade administrativa tenha as seguintes características de forma cumulativa: 1) proferida por órgão colegiado; 2) determine a suspensão de direitos políticos; 3) que o ato tenha sido praticado na modalidade dolosa; 4) que o ato importe em prejuízo ao erário; e 5) que o ato cause enriquecimento ilícito do agente público. A ausência de qualquer uma dessas características faz com que a condenação não se enquadre na Lei da Ficha Limpa. No caso em questão, o Tribunal de Justiça não condenou o deputado Paulo Maluf pela prática de ato doloso, como também não o condenou por enriquecimento ilícito. Por essas razões a Lei da Ficha Limpa não impede que o deputado participe das próximas eleições. Oportunamente o deputado Paulo Maluf irá recorrer desta decisão ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal.

Eduardo Nobre e Patricia Rios, advogados, e Adilson Laranjeira, assessor de Imprensa de Paulo Maluf

lisjs@bol.com.br

São Paulo

*

COTAS NO CONGRESSO

A proposta de emenda a constituição (PEC) que reserva vagas a parlamentares de origem negra, do deputado federal Luiz Couto (PT-PB), é uma excrescência, pois vai na contramão da história. De acordo com a proposta, a cota valerá para a Câmara dos Deputados, Assembléias Legislativas e Câmara Legislativa do Distrito Federal por cinco legislaturas a partir da promulgação da emenda aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Câmara dos Deputados na quarta-feira (30/10), prorrogáveis por até mais cinco legislaturas. Porém, o projeto ainda passará por comissão especial antes de ir a votação em dois turnos no plenário da casa. Na justificativa do tal projeto, seus autores justificam ser necessários avançar a representação de origem negra no legislativo, pois atualmente conta com apenas dois senadores e 43 deputados negros no congresso, entre os 513 congressistas. A proposta é, sem dúvida bem-intencionada, porém, discutíveis da forma que foi apresentada. Hoje não há nenhum impedimento para qualquer cidadão de qualquer cor de pele ou religião ou etnia se candidatar, como também independentemente da origem social. Acredito que a falta de representação da raça está mais é na formação de chapas eleitorais dos partidos políticos, que vem apresentando poucos ou quase nenhum candidatos negros tanto homem quanto mulher. É importante ressaltar que as cotas raciais, apesar das controvérsias, são reconhecidas como fator de inclusão social. O caminho na minha modesta opinião seria o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) obrigar como no caso das mulheres, as legendas partidárias ofereceres cota mínima de candidatos afro descendentes. Essa seria uma decisão plausível e democrática. Ai sim deixar que o eleitor faça a escolha, entre todos os candidatos, aqueles que tenha valores éticos e intelectuais necessários ao exercício do mandato. O Brasil precisa urgentemente de novas pessoas na política, que sejam éticas e honestas, independente de sua cor de pele, acima de tudo que respeitem as instituições democráticas do país como também o povo que os elegeu. Será pedir muito?

Turíbio Liberatto

turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

FALTA DO QUE FAZER

Um deputado federal petista sem ter o que fazer enviou ao Legislativo uma proposta que consiste na criação de cotas para cidadãos de raça negra nos cargos legislativos federal e estadual. Ele quer criar um privilégio desnecessário e até serve de insulto para muitos brasileiros negros ou pardos que já são políticos ou ocupam cargos de destaque sem depender dessa condição, como é o caso do atual presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, que chegou lá por méritos próprios. Mas, se levado à frente tal projeto, proponho acrescer uma reserva de cota para indígenas e nisseis. De quebra, não seria ótimo para ele acrescer na cota, um porcentual, aos descendentes de imigrantes italianos, como meu caso? Afinal, representamos uma massa enorme de eleitores nessa condição, né não? Desculpem-me pela ironia, mas é muita cara de peroba dessa turma frequentadora do Cambalacho Nacional.

Laércio Zannini

arsene@uol.com.br

São Paulo

*

‘NONSENSE’

Um professor titular das Arcadas não pode se expressar desconsiderando a Constituição ("Nonsense", Miguel Reale Júnior, 2/11, A2). Alega o professor Reale que Sarney manobrou por cinco anos de mandato. Como foi eleito para governar por seis anos (assim como o antecessor), seria o caso de considerar que Sarney foi generoso em admitir a diminuição do mandato?

Luiz Gornstein

gornstein@uol.com.br

São Paulo

*

A ESPIONAGEM DA ABIN

A divulgação de que diplomatas da Rússia, do Irã - países com os quais o Brasil estreitou relações nos últimos anos - e também do Iraque foram espionados pelo governo do PT em suas respectivas embaixadas e residências, nos anos de 2003 e 2004, volta a expor as contradições da política externa brasileira. Faz pouco, Dilma Rousseff - sangrando-se em saúde - cancelou visita de Estado a Washington, havendo ocupado a tribuna da ONU para divulgar, furibunda, catilinária contra uma suposta espionagem dos EUA no Brasil, qualificando-a como "falta de respeito" entre países amigos e "violação" de nossa soberania. A mandatária lidera, ainda, uma iniciativa para que as Nações Unidas adotem resolução que ponha fim à espionagem eletrônica. Vê-se Dilma, agora, forçada a admitir que seu dileto padrinho, antecessor e "adjunto" Lula autorizou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) a "faltar com o respeito" e a "violar a soberania" de países com os quais mantemos estreitas relações, no melhor estilo "faça o que eu digo, não faça o que eu faço". Consumado o estrago, e exposta mais esta contradição do desgoverno, a Presidência apressou-se em esclarecer que as operações da Abin "obedeceram a legislação brasileira de proteção aos interesses nacionais". A questão que fica no ar é: por que, diabos, Tio Sam - alvo preferencial de atentados terroristas - não teria o mesmo direito de alegar "interesses nacionais" para justificar suas ações de inteligência num país que amplia relações com Cuba e Venezuela, dá abrigo ao terrorista italiano Cesare Battisti e nutre simpatias pelos grupos Hamas e Hezbollah, além de ter as Farc, falange narcoterrorista colombiana, como co-fundadora do Foro de São Paulo, irmanada ao PT? Como em tantas outras questões, nesta em particular o governo do PT tem pouco moral para dar lições e fazer cobranças a quem quer que seja.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

AS PEDRAS DE DILMA ROUSSEFF

Segundo reportagem de 4/11 da "Folha", o Brasil também tem o seu Edward Snowden, que vazou alguns relatórios da Abin informando que o Brasil também faz espionagem. Em resposta, o governo federal informou que as operações secretas (espionagem) foram realizadas com o único objetivo de proteger segredos de interesse nacional. E a espionagem realizada por outros países, como, por exemplo, os Estados Unidos da América, tem qual objetivo? Descobrir a cor da calcinha da presidente do Brasil ou da Alemanha? E agora, Dilma, após pedir desculpas ao médico cubano, Vossa Excelência também vai pedir desculpas aos diplomatas russos, iranianos e iraquianos, que tiveram sua vida vasculhada pelos agentes da Abin? Como diz o ditado bíblico: quem não tem pecado que atira a primeira pedra.

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

DESCULPAS

Abin monitorou diplomatas russos, iranianos e iraquianos em 2003 e 2004. Será que agora a presidenta Dilma "andar de vaqueiro" vai pedir desculpas a esses países? Pimenta nos olhos dos outros é colírio sempre.

Antonio Jose G. Marques

a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

ESPIÃO, EU?

Que o "governo" brasileiro é contra a inteligência a gente já sabia.

Ricardo Sanazaro Marin

s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

ESPIONAGEM AMERICANA E EUROPEIA

Segundo o jornal britânico "The Guardian", tendo como referência os documentos do ex-analista Edward Snowden, as agências de espionagem europeias da Alemanha, França e Espanha agem de forma semelhante aos programas de espionagem norte-americanos. Pelo visto o recente projeto apresentado na ONU pelo Brasil e pela Alemanha, para o fim da vigilância eletrônica excessiva e invasões de privacidade, ficou comprometido. Sendo assim, que tal o Itamaraty atender à "espionagem" feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e baixar o preço de R$ 159 pelo café da manhã servido aos diplomatas? A população brasileira que paga impostos equivalentes a 37% do PIB agradece.

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

A ECONOMIA E O DESEMPREGO

Foi recentemente divulgada a informação dando conta de que os gastos com o seguro-desemprego em outubro assustaram a equipe econômica e estão perto de estourar o orçamento autorizado no ano para o programa. Por outro lado, a taxa de desocupação no País, segundo o IBGE, é de 5,4%, número vinculado, por fontes governamentais, a uma virtual situação de pleno emprego. É claro que o cidadão comum, não preocupado com impactos eleitorais passíveis de serem produzidos pela divulgação de dados sensíveis, tenta harmonizar os resultados oficiais com as dificuldades financeiras do programa que, aparentemente, acenderam uma luz de advertência no governo. O que estará acontecendo na realidade? O cenário efetivo do mercado de trabalho não condiz com os números divulgados pelo IBGE? Por acaso as discrepâncias estão ocorrendo pelo excesso de acordos entre empregados e empregadores que propiciam passeios pelo benefício e retornos às mesmas funções, após período informal, quando tudo volta ao normal? Neste caso, urge um controle mais rigoroso por parte dos órgãos responsáveis pela condução do programa. Existem implicações relativas à já endêmica carência de mão de obra especializada? Qualquer que seja a razão da dicotomia, a sociedade tem o direito de dispor de um fluxo de informações mais transparente e sem restrições de natureza eleitoral, para entender o que está efetivamente ocorrendo no mercado de trabalho, já que este constitui o grande argumento do governo para tranquilizar a população, em relação às advertências oriundas de fontes internacionais sobre a deterioração da economia do País.

Paulo Roberto Gotaç

prgotac@hotmail.com

São Paulo

*

MAIS MÉDICOS

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ainda na campanha para introdução dos médicos cubanos, afirmou que se consultaria com médicos estrangeiros não aprovados no exame do Revalida, que garante a aptidão de médicos estrangeiros para atuarem no Brasil. É hipócrita e mau caráter, como foi definido por um seu ilustre colega. Os governos do PT sempre enganam o povo com serviços de péssima qualidade. Os serviços médicos, o Sistema Único de Saúde (SUS), sem médicos e sem recursos, deixam morrer muitos coitados que não podem servir-se do Sírio-Libanês, como fazem os nossos governantes. Como o governo importa, numa operação altamente suspeita, uma quantidade de médicos cubanos que deverão atender a população dos recantos mais pobres, sem que eles contem com instalações e equipamentos adequados? Além disso, serão encaminhados às áreas mais pobres onde faltam esgotos em 50% das residências brasileiras, cujos efeitos na saúde da população os cubanos não terão condições de solucionar. Assim, o governo está sempre fornecendo uma solução "porca", que não resolverá os principais problemas. Da mesma qualidade é o programa Bolsa Família, que dá ao cidadão uma mesada para garantir o voto, mas não oferece opção de educação profissionalizante, ou mesmo em nível elementar, para que os beneficiados possam se desenvolver e se manter com seus próprios recursos, libertando-se do jugo do governo.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

BOLSA FAMÍLIA E CLIENTELISMO FEDERAL

Em linhas gerais, o artigo "O neoliberal Bolsa Família", de Suely Caldas ("Estadão", 3/11, B2), toca num ponto fundamental, que é o cinismo dos governos petistas em sua negação de que copiam tanto a política econômica como os programas sociais de FHC. Há vídeos na internet que comprovam ter saído de Lula a afirmação de que o Bolsa Escola era uma "esmola". Os petistas sempre falaram em mudanças estruturais... Antes havia ao menos os requisitos da atualização do cartão de vacinação e da matrícula escolar. Hoje o critério é a ausência de critérios. O Bolsa Família, que "beneficia" 50 milhões de pessoas (13,8 famílias), é verdadeiro mecanismo de fidelização eleitoral! Como vencer os petistas com esse cabo eleitoral que transfere dinheiro ao eleitor? Duvido dessa classe média e dessa erradicação da miséria que dependem de dinheiro do Estado. Ora, se o dinheiro é dado, como se pode afirmar que essas pessoas saíram efetivamente da miséria ou pobreza? Não se está diante de um falseamento da realidade? Dilma disse outro dia que, enquanto houver um pobre no Brasil, haverá o Bolsa Família. Está mais do que claro que eles não irão oferecer a "porta de saída". Os petistas criaram o clientelismo federal, que sucedeu o clientelismo municipal. As bolsas federais substituem os favores dos prefeitos e dos coronéis, fenômeno estudado por Vitor Nunes Leal em "Coronelismo, Enxada e Voto". Estou triste com a situação do Brasil, tão emburrecido e tão dependente.

Alex Esteves da Rocha Sousa

alexesteves.rocha@gmail.com

Salvador

*

‘O NEOLIBERAL BOLSA FAMÍLIA’

Realmente, política e história sempre se cruzam, mas nem sempre a verdade é posta às claras. Que a verdade continue aparecendo a partir de historiadores e pesquisadores honestos e corajosos como a jornalista Suely Caldas.

Nelson Amantéa

nelsonamantea@uol.com.br

Itu

*

O EGO LULISTA

Quando Lula "casou-se" com o Brasil, já havia várias sementes no ventre do País, mas Lula adota, quando interessa, o discurso de que a paternidade é dele. A única coisa que ele parece querer transferir a paternidade a terceiros é o mensalão. Lula poderia adotar a postura de um real estadista e estaria, a esta altura, talvez merecendo um Prêmio Nobel ou algo equivalente. Mas para valorizar as coisas que faz, ele opta por desvalorizar as coisas que outros fizeram ou iniciaram. Até certo ponto, porque o que Sarney, Collor ou a ditadura fizeram não contam para ele. O problema dele parece que é só com FHC e o governo FHC. A afinidade entre PT e PSDB era grande, mas a vaidade/ego de Lula parecem ser maiores. Por que será? Será que algum dia iremos saber a razão dessa disputa, dessa amargura, esse desprezo que Lula parece nutrir contra FHC? Trata-se apenas de uma percepção de um leitor que gostaria que os governantes deste país usassem suas energias para tornar o Brasil um grande país. Gastamos tanto em educação, e o que se vê são debates, disputas e marketing político, que só contribuem para deseducar o povo.

Denis Mori

djmori@uol.com.br

São Paulo

*

ERA MENTIRA

Exultei com o esclarecedor e irrefutável artigo de Suely Caldas (3/11, B2). Constitui-se em "rolhas" nas bocas dos petistas Lula e sra. Dilma pelas suas mentiras, entre tantas, sobre a criação do programa Bolsa Família. Em carta dirigida ao Comitê Central do PSDB, em 30 de agosto de 2010, então sediado na Rua Santo Antônio, 200, São Paulo, corroboro com a autora, nos seguintes termos: "Num dos programas televisivos dos candidatos a Presidência da República, a candidata do governo afirmou, entre outras parlapatices, que o programa Bolsa Família é uma criação do governo Lula. O boquirroto apenas mudou a denominação e englobou todos os programas do gênero já existentes no governo FHC. Aguardei o próximo programa para ver se o nosso candidato, sr. José Serra, iria refutar essa afirmação acusando, curto e grosso, que a candidata mentiu. Porém, ele se restringiu a nominar dois daqueles programas, deixando de lado todos os que compunham o atual Bolsa Família, que teve a sua origem em Campinas-SP, na gestão do falecido prefeito José Roberto Magalhães Teixeira, conhecido pela alcunha de ‘Grama’. O governo FHC adotou aquele programa por considerá-lo inteligente e produtivo, acrescentando outros similares". A carta foi bem mais longa, nela "desanquei" o candidato por seu medo de enfrentar corajosamente a adversária. É irrelevante transcrevê-la na íntegra. Resultado: perdemos a eleição, assim como perdemos a de 2006 entre Lula e Alckmin, pela mesma falta de corajoso enfrentamento fundamentado sobre as corretas e inquestionáveis privatizações feitas por FHC.

Bernardo Prevedel

aloisaprevedel@yahoo.com.br

Vinhedo

*

‘NÃO É MAIS ESMOLA’

Na comemoração dos dez anos do maior programa social (eleitoreiro) do mundo, a presidente afirmou e garantiu que não é esmola, só na gestão do FHC que era, pelo menos era o que o PT dizia... Mudaram o discurso de acordo com a conveniência dos mesmos. Claro que não é esmola, é um programa social que ajuda os brasileiros mais humildes e quase sem nenhuma instrução a viverem sem trabalhar, com "emprego" cativo no programa. Tanto é verdade que se trata de uma transferência de renda que "não acomoda nem vicia". Por favor, acreditem! Na realidade, é uma troca de favores do desgoverno petista, apenas aliciando ou "comprando" votos sem qualquer constrangimento, "na cara dura". São quase 14 (catorze) milhões de famílias que recebem. Com ampla, geral e irrestrita conivência entre os Três Poderes, e nem pode ser diferente, mas com certeza o Bolsa Família não é esmola, foi... Verdade! Não é mais, entendam!

Luiz Dias

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

DISCURSO PARA 2014

Até o último dia de campanha da última eleição majoritária brasileira (outubro de 2010), a incompetente oposição a tudo isso que taí" (sic), ou seja, ao "pudê" da rapinagem petista, pautava suas campanhas eleitorais por meio de tentativas de negar as argumentações, os ataques e arrazoados virulentos e falsos do PT. Em outras palavras, a oposição toda, sem exceção, durante o baile de máscaras de toda a campanha eleitoral nos últimos dez anos, dançava conforme a péssima música que a banda petista ("a furiosa", seria o termo correto) tangia. Agora, entretanto, ressuscitando um "discurso ambiental engavetado há anos (todos sabemos que o PT é visceralmente contra a proteção do meio ambiente e que, para ser contra, argumenta que essa prática inibiria o progresso do País), o fundo de compensação (ambiental) volta à (sua) agenda para fazer frente a críticas de Marina Silva ("Estado", 4/11, A1 e A4). Por isso mesmo, este é o momento exato e certo para que, aproveitando o claudicar da cúpula do PT quanto aos rumos de sua campanha - pois percebe-se claramente que já sentem muito medo, mesmo -, tudo indica que estamos no momento oportuno, próprio e conveniente de o PSDB, o DEM, o PPS e todos os partidos da atual oposição enfim, comporem-se com o PSB para que, finalmente a pátria retorne à posse do povo brasileiro e aconteça a redenção deste país. Que demonstrem os seus tão decantados patriotismos e tirem as mãos sujas e mal cheirosas da Argentina, da Bolívia, Equador, Venezuela e principalmente de Cuba sobre nós, e voltemos a ser o país que um dia foi nossa Ilha de Vera Cruz.

João Guilherme Ortolan

guiortolan@hotmail.com

Bauru

*

SLOGAN

A metamorfose ambulante Lula-PT quer emplacar mais um slogan, que vejo, resumindo, da seguinte forma: FEZ: marketing eleitoreiro de obras para pegar o poder (exemplo do Fome Zero); tudo o que condenou no governo FHC, aliando-se a Sarney, Collor, Maluf, Renan, Jader, etc.; uso das políticas econômicas do governo FHC; criou inúmeros cargos para "cumpanheiros" e cooptou os sindicatos e a União Nacional dos Estudantes (UNE); o mensalão e as ONGs fantasmas; a divisão dos brasileiros brancos e negros, pobres e ricos, elite e não elite, etc.; o Brasil concorrer para trazer a Copa do Mundo de 2014, sem que saúde, educação e infraestruturas estivessem o.k.; o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) cheio de falhas; inúmeros ministérios e as agências regulatórias esvaziadas das suas funções; avacalhou com a ética e o decoro; reuniões para discutir o "controle social da mídia" (censura); etc. FAZ: marketing eleitoreiro para ficar no poder (exemplo: 800 creches); a desconstrução do tripé câmbio flutuante, metas fiscais e de inflação; a criação de mais ministérios e cargos em comissão para os "aliados"; sempre a comparação "das elites", esquecendo-se de que se tornaram elite; os mais caros estádios de futebol para a Copa 2014, e se esquecem de saúde, educação e transportes; zero pela nossa infraestrutura, deixando a produção e distribuição dos diferentes produtos muito caros; Enem ainda dando problemas; a responsabilidade fiscal é desrespeitada; "faz" impostos os mais caros por onde governam, vide IPTU-SP; reuniões para discutir o "controle social da mídia" (censura); etc. FARÁ: tudo o que já fez acima e mais "o diabo"; mais marketing eleitoreiro para permanecer no poder (exemplo: mais tudo); com que o Brasil se assemelhe à Argentina, à Venezuela e à Bolívia; reuniões para discutir o "controle social da mídia" (censura); e a dominação total desta republiqueta sindicalista em que nos tornamos. Viva a democratura, que caminhará para uma dita.

Tania Tavares

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

OPOSIÇÃO

Poucos têm a clareza de dizer verdades com poucas e simples palavras. Isso sobra em Dora Kramer. No entanto, isso parece dificílimo para a maioria dos políticos brasileiros. Lula descobriu isso, e está anos luz à frente de seus opositores, que são hesitantes e, por que não dizer, medrosos no uso da palavra e da escrita. Que o PSDB não sabe fazer oposição, isso já e conhecido há mais de dez anos. Mas que a aliança Eduardo-Marina, ou seria Marina-Eduardo, começasse afagando Lula é o que poderíamos chamar da hipocrisia da ingenuidade política. Não é difícil fazer oposição a um partido que renunciou aos valores morais e éticos na política, não se posicionou em favor da moral e da punição dos malfeitores de seu governo, teima em conviver com suspeitos e condenados, contribuindo para a degradação moral dos agentes públicos e da sociedade brasileira. No entanto, os políticos brasileiros que vieram de uma mesma origem ideológica têm uma imensa dificuldade de deixar para um segundo plano, a sua quase incondicional solidariedade comum a todos eles, em prol de um objetivo e de valores maiores, quais sejam um Brasil melhor e uma sociedade com base em valores morais superiores aos que estão aí. Dora, precisamos então dizer a eles que, como oposição, não são mais "farinha do mesmo saco".

Manoel Sebastião de Araújo Pedrosa

link.pedrosa@gmail.com

São Paulo

*

EM PLENO FINADOS

Humor negro, talvez! Mas a presidente Dilma, ao convocar uma reunião ministerial em pleno Fia de Finados, é porque ela mesma não acredita que seus múltiplos projetos em infraestrutura, que não se concluem, estejam realmente com seus prazos pela hora da morte. Essa esdrúxula decisão de fazer uma reunião em dia de Finados ou é ideia de seu marqueteiro, para sensibilizar o eleitor de que a presidente trabalha até no dia dos mortos, já que empacou nos 38% da preferência do eleitorado, ou Dilma definitivamente não tem noção alguma de liderança, e menos ainda bom senso. Mesmo porque seus excessivos 40 ministros, que já não conseguem produzir com eficiência nos dias normais, o que é que podem acrescentar no dia dos mortos?! Se esse PT de Lula ainda não é um partido trágico, pelo menos cômico é.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

DATA CERTA

Quem dúvida da capacidade da Dilma viu que ela não é incapaz, marcou a reunião com os ministros exatamente no Dia de Finados (dedicado aos mortos). Não poderia ter marcado data mais oportuna. Uma reunião com um bando de "mortos" (que nada fazem em benefício da população) não teria dia melhor para ser marcada.

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

DEPREDAÇÕES NO CEMITÉRIO

Roubos e vandalismos sempre houve, mas as depredações que vem sofrendo o Cemitério do Araçá mostram que há gente entre os habitantes de São Paulo que não se contenta em prejudicar o presente e comprometer o futuro da cidade. Querem também destruir o passado dos paulistanos.

Leonardo Giannini

leogann930@terra.com.br

São Paulo

*

NEM ELES ESCAPAM

Sábado, dia de Finados, Cemitério São Paulo. Pessoas lidando com flores, vasos com plantas, limpando os túmulos, e ao buscar uma torneira para lavar as mãos ou mesmo colocar água nas flores, encontravam-nas sem os registros. Funcionário diz que tem de ser assim, porque senão eles "roba". Funcionário em questão estava usando um registro "portátil". Usava a torneira e levava embora o registro após o uso.

João C. Arruda Filho

jcarrudacomex@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.