Fórum dos Leitores

GESTÃO HADDAD

O Estado de S.Paulo

07 Novembro 2013 | 02h08

IPTU suspenso

O absurdo aumento do IPTU no Município de São Paulo, eivado de nulidades na sua propositura e aprovado na calada da noite de 30 de outubro, à sorrelfa, foi suspenso pela 7.ª Vara da Fazenda Pública da capital, por medida liminar proposta pelo Ministério Público Estadual. Nada mais justo do que essa suspensão. Esse aumento, além das falhas apresentadas, foi realmente abusivo. Destarte, o prefeito não poderá sancioná-la até julgamento final da ação. Um alívio para os munícipes paulistanos, que estarão livres do pagamento desse escorchante tributo até a manifestação final do Juízo competente. E que a Câmara Municipal e o sr. prefeito aprendam como deve ser o trâmite correto de um projeto de lei.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Mão grande

Culta e sábia a decisão do ínclito juiz dr. Emilio Migliano Neto determinando suspenso o aumento de até 35% do IPTU em São Paulo, não pela escorchante porcentagem, mas pela forma como a Câmara o votou, antecipando em um dia a deliberação, e antes da realização de audiência pública que já havia sido convocada por uma comissão. Destarte, e pela maneira vergonhosa como os vereadores aprovaram o aumento, "à mão grande", que punição merecem? Ou não?!

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Lembrete

Vereadores que aprovaram o aumento do IPTU agora têm a chance de mudar o seu voto. Senão só nos resta grampear o nome deles no Título de Eleitor, para nos lembrarmos em 2016!

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Recurso

O prefeito Fernando Haddad, vulgo Malddad, disse que a Prefeitura vai recorrer da decisão liminar (temporária) da Justiça que barrou o reajuste do IPTU na cidade a partir de 2014. "A decisão prejudica a metade mais pobre da população, vamos recorrer", alegou. Mas, como amplamente divulgado, já não há aqui "população mais pobre", todos agora são da classe média, pois têm TV, celular... Para pagar o "condomínio" de uma cidade suja, escura, violenta, sem saúde e educação não é preciso aumentar o IPTU. Que o pague o sr. excelentíssimo, e com alegria - inclusive a minha cota.

ANTONIO JOSE G. MARQUES

a.jose@uol.com.br

São Paulo

Fazendo o diabo

O prefeito Haddad, como sempre, faz o jogo sujo do PT: culpar "os mais ricos" por soluções oportunistas e equivocadas. O povo pobre e humilde acredita e é nesse lance sujo que eles mais apostam, no complexo jogo político. O argumento é sempre o mesmo: tudo pelo bem dos pobres. Só não contam que a arrecadação, enorme, consome grande parte da renda do trabalhador, sobretudo, dos mais pobres, a quem eles sempre buscam enganar, pois já declararam em alto e bom som que para ganhar as eleições "fazem o diabo". Ademais, o que é arrecadado jamais volta em benefício do povo, seja pela corrupção, pela politicagem barata ou pelo aparelhamento da máquina pública. Para comprar apoio de políticos corruptos criam-se mais secretarias - só Haddad criou cinco, além de 1.700 cargos. Isso, sim, é que é prejudicar o pobre, pois desse jeito o dinheiro arrecadado nunca chega à periferia. Menos cinismo e mais correção na gestão do dinheiro público, prefeito! Aí, sim, os mais pobres terão vez.

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@terra.com.br

São Paulo

Prefeito black bloc

Não será mais possível morar em São Paulo se continuarmos sendo vandalizados por esse tipo de prefeito.

FERNANDO CASTELLARI

castellarinando@yahoo.com.br

São Paulo

ESPIONAGEM BRASILEIRA

Quem deve a quem?

A presidente Dilma Rousseff acha que os EUA nos devem desculpas, mas que a Abin agiu dentro da lei. Certamente o presidente Barack Obama vai alegar o contrário. Quem, afinal de contas, deve desculpas a quem? Vamos tirar cara ou coroa?

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

A quem interessa...

Dilma disse que só visitaria os EUA se Obama pedisse desculpas públicas pela suposta espionagem da NSA contra empresas brasileiras, ministros e a própria presidente da República. Primeiro, republicanamente, Dilma deveria pedir desculpas pela espionagem realizada pela Abin em representações diplomáticas de países parceiros do Brasil, os EUA incluídos. Por outro lado, seria bom o Planalto certificar-se se Obama está preocupado com a não visita da nossa presidente... E Dilma, celeremente, deveria começar a governar de fato o nosso país e acabar de vez com essa obsessão petista pela demagogia...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Tergiversando

As justificativas de José Eduardo Cardozo sobre a espionagem brasileira contra embaixadas e diplomatas, em Brasília, parecem coisa de criança. Como pode um ministro da Justiça do governo do Brasil tergiversar tão infantilmente? Ele diz que não houve invasão de privacidade, tampouco foi espionagem, e sim "contraespionagem". Em sua opinião, é diferente... Ora, se arapongas do governo seguiram, fotografaram, anotaram os passos de membros das embaixadas, indicando onde estiveram, com quem se encontraram, em que dias e horários, significa que havia intenção escusa de quem praticou ou ordenou tais atos. Isso é espionagem! Para maior clareza o sr. ministro veja no dicionário o significado das palavras espiar e espia. Agora o governo brasileiro quer punir quem vazou a informação e não se duvida se quiserem envolver quem publicou a notícia, sob o pretexto de serem informações confidenciais. O costumeiro nessas ocasiões é pegar um bode expiatório. O mordomo, por exemplo.

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

NOVILÍNGUA

Dicionário petista

No dicionário particular dos petistas, espionagem é a feita pelos americanos, já a cometida pelo governo do PT é "contraespionagem". Privatização é só a promovida pelo PSDB, a realizada pelo PT é "concessão". Mensalão é o do PSDB em Minas Gerais, o do PT é "apenas caixa 2". E corrupção é a roubalheira dos outros, a do PT é "malfeito".

GERALDO SIFFERT JUNIOR

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

QUE DEMOCRACIA É ESTA?

No momento em que a Justiça brasileira é acusada de não se perfazer à medida em que, no dizer de Dora Kramer, "a quantidade de recursos permitidos pela lei brasileira está ao alcance do bolso dos réus para o pagamento de advogados capazes de levar os processos ao infinito" ("Curvatura habitual", 6/11, A6); no momento em que a condenação em 2.ª instância de Paulo Maluf pelo superfaturamento do túnel Airton Senna entra para o anedotário caboclo pelo absoluto descrédito na efetividade da punição do hoje parlamentar; no momento em que o poder togado nega à Universidade de São Paulo (USP), que teve sua reitoria invadida por uma turba autoritária, reintegração de posse; neste exato momento em que os arruaceiros black blocs literalmente botam pra quebrar em praça pública, com a tolerância das autoridades; enfim, nestes tempos bicudos em que a Justiça, sagrado pilar da democracia, vê-se absolutamente desmoralizada aos olhos da Nação por não cumprir minimamente o que dela se espera, lembramos que hoje, 7 de novembro, faz exatos 1.500 dias que o nosso "Estadão" encontra-se sob abjeta censura prévia judicial, em clara afronta aos princípios previstos no artigo 5.º, IX e XIV, da Carta Magna, impedido de noticiar corrupção imputada aos poderosos de plantão. Trata-se de um novo tipo de arbítrio, o togado, que nada fica a dever ao visto nos idos da exceção. Um país onde a promiscuidade entre poderes da "Nova República" produz decisões sobre o que pode ou não ser publicado nos jornais está longe de poder se dizer "democrático" e tampouco suas autoridades têm moral para falar um "a" dos ditadores de antanho, a quem tanto vergastam.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

ESCASSEZ DE HONESTIDADE

Segundo o noticiário, "Tribunal suspende direitos políticos de Paulo Maluf por cinco anos". Cá entre nós, se esse expediente for aplicado com rigor a todos os políticos envolvidos com improbidades, corre-se o risco de não haver nenhum candidato nas eleições gerais de 2014. Só para dizer o mínimo!

José Marques

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

A CONDENAÇÃO DE MALUF

Paulo Maluf, deputado federal (PP-SP), foi condenado apos 20 anos pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, por superfaturamento das obras do túnel Ayrton Senna quando esteve à frente do Executivo municipal, de 1993 a 1996. Isso sem contar que seu advogado vai recorrer, pois a nossa Justiça é bastante tolerante com aqueles que têm dinheiro. Maluf, hoje com 82 anos, foi condenado por desvios e tem direitos políticos suspensos por cinco anos. Em 31 anos Maluf disputou 13 eleições e durante todo esse tempo seus eleitores lhe foram fiéis, dando-lhe crédito e apostando na célebre frase atribuída a Maluf, o "rouba, mas faz". De lá para cá, tivemos um progresso: o povo se acostumou tanto com a corrupção que os governos roubam, não fazem e são reeleitos. A condenação de Maluf vai tomar as páginas dos jornais por alguns dias, depois cairá no esquecimento e, se o deputado condenado quiser se reeleger, não terá nenhum problema. Seus eleitores estão aí para lhe garantir mais um mandato. Vamos combinar que nesse caso, não há inocentes, e sim espertalhões, pois, quando Maluf gana uma eleição, milhares ganham com ele.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

UM BOM INDÍCIO

Mais do que depressa e antecipando a enxurrada de cartas de leitores que seriam publicadas nos jornais comemorando a alvissareira notícia da perda dos direitos políticos e a consequente inelegibilidade de Paulo Maluf, seus advogados e assessor de Imprensa, pagos regiamente com parte desses recursos desviados da Prefeitura de São Paulo, enviaram uma carta afirmando que a condenação do notório deputado procurado como criminoso pela Interpol não impede a sua candidatura nas próximas eleições. Pelo menos essa condenação pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo já é um indício de que o Brasil está mudando e de que, em breve, não haverá a possibilidade da existência de Paulos Malufs em nossa política.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

SINAPSES

O nosso subconsciente faz coisas espantosas. Ao ler a notícia sobre a mais recente condenação do Maluf, imediatamente recebi lampejos, aparentemente conflitantes, ou seja, uma reportagem sobre avestruzes e uma foto publicada durante a campanha eleitoral do atual prefeito de São Paulo, onde Haddad aparece sendo acariciado por Maluf e Lula. Aí fiquei pensando: qual a relação entre as duas coisas? Então lembrei - é que a reportagem afirmava que os olhos dos avestruzes são maiores do que seu cérebro, o que significaria que são pouco "inteligentes" (se é que o conceito de inteligência humana pode ser aplicado aos animais). Tudo pura bobagem, já que esses bichos, como a maioria dos outros, vive perfeitamente com seu diminuto cérebro, não necessitando de maiores acréscimos em sua massa cerebral, pois suas preocupações se resumem ao pasto e à procriação. Parece que a enorme massa cerebral dos humanos, principalmente brasileiros, não tem servido para grande coisa - basta olhar para os políticos que temos elegido. Acho que, a exemplo dos avestruzes, deveríamos ter os olhos um pouco maiores; então quem sabe enxergaríamos certas coisas um pouco antes de elas se tornarem fatos consumados, e então talvez possamos evitar que o Brasil se transforme num grande pasto, como é desejo da classe política.

Nestor Rodrigues Pereira Filho

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

MALUF CONDENADO

Calma, sem comemorações. A Interpol ainda vai ter de esperar o recurso disso, o recurso daquilo, duas horas de elucubrações do amigo Celso de Mello e os tais infringentes...

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

CONFIANÇA NA JUSTIÇA

Paulo Maluf nunca aceitou as acusações das quais foi imputado, mas em face de uma suposta obstrução à Justiça, já chegou a ficar preso por 90 dias, na Sede da Polícia Federal da Cidade de São Paulo. Imaginem quantas obstruções supostamente podem ter ocorrido por políticos acusados no mensalão, deputados federais do PT que nem a população nem a imprensa souberam, mas por serem políticos ligados ao Partido que está no poder há mais de dez anos, também o Ministério Público e tampouco o Poder Judiciário tomaram conhecimento. Até que ponto podemos falar em independência do Poder Judiciário, independência entre poderes, se o próprio governo quem indica os membros do Supremo Tribunal Federal (STF)? Como podemos falar em independência e imparcialidade, se a política permeia os Três Poderes? Será que o Judiciário julga mesmo com toda essa independência e imparcialidade necessárias para que haja a verdadeira democracia? Não podemos duvidar da Justiça, pois é nela que o cidadão deposita sua última esperança de que sobrevive num Estado Democrático. Não se pode duvidar do Poder Judiciário. Podemos criticar o Legislativo o Executivo, mas quando a crítica recai sobre o Judiciário, judicializamos a democracia e todos vamos para o banco dos réus. Portanto, decisões erradas, decisões acertadas, quando se trata de judicialização, precisa-se ter muito mais seriedade, pois tais decisões marcarão para sempre a trajetória deste ou daquele cidadão exposto no banco de réus, onde neste país a grande maioria que opina não costuma dar o benefício da dúvida, e condena antecipadamente, ou, dito de forma diferente, presume a culpa. Será sensato ser assim? Parece que todos que opinam sob forte emoção ou comoção acabam por imprudentemente condenando a si no futuro, o mesmo direito que se reservaram a não dar ao acusado de hoje.

Fábio André Balthazar

fa-balthazar@bol.com.br

São Paulo

*

O STF E O MENSALÃO

A cada dia que passa, e a cada aviso do presidente Joaquim Barbosa aos ministros do STF de que haverá julgamento de mensaleiros, com dia fixado, o assunto passa a integrar a agenda brasileira do inatingível, ou seja, a da convicção de que nada acontecerá de palpável aos condenados, especialmente a José Dirceu, que está delegando a sua condição de chefe da quadrilha para outros fantasmas. E certamente terá o apoio dos dois mais novos ministros, Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso. Enfim, para pacificar a Nação e demonstrar aos brasileiros como podem contar com a sua Justiça, a absolvição de todos seria melhor que ficar empurrando as culpas com os dedos da conveniência e da parcialidade.

José C. de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

UTI

Mensalão, operação acerto de contas, Máfia do Asfalto, Máfia dos Fiscais, Sanguessuga, Anões do Orçamento, Operação Navalha, TRT de São Paulo, Sudan, Banco Marka, Bancoop, Banestado, Banco Santos, Vampiros da Saúde, Operação Tsunami, Correios, Gamecorp, atos secretos, passagens aéreas, Satiagraha, cartões corporativos, Renangate, Propinioduto, Anaconda, Operação Uruguai, fundos de pensão, Jorgina, Lutfalla, Operação Boi Barrica, Cachoeira, Esquema PC Farias, e o pulso ainda pulsa...

Alessandro Lucchesi

timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

A MÁFIA DOS FISCAIS NA PREFEITURA

Deixe-me ver se entendi: quatro altos funcionários, durante sete anos, desviam muito dinheiro público (R$ 500 milhões), enriquecem ilicitamente e somente agora descobrem a falcatrua? Gostaria de saber onde estava, neste tempo todo, a Receita Federal (Imposto de Renda) que não detectou a incompatibilidade de salários x patrimônio! Ou isso só vale para nós, cidadãos comuns, que quando deixamos de declarar R$ 1 mil caímos na malha fina?

Luiz Roberto Savoldelli

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

ARQUIVAMENTO

O secretário de Finanças da gestão Gilberto Kassab, Mauro Ricardo Machado Costa, que chefiou os fiscais acusados de causar prejuízo de até R$ 500 milhões à Prefeitura, mandou arquivar, em 28 de dezembro do ano passado, uma denúncia sobre o mesmo esquema revelado na quarta-feira pela operação que prendeu os quatro funcionários públicos. O objeto da denúncia também era a cobrança de propina para a emissão de certificado de quitação do Imposto sobre Serviços (ISS). Pelo jeito, Kassab, depois que se incorporou ao PT, está igual ao Lula, não sabe de nada e ainda mente dizendo que foi ele que pediu a investigação. Essa união com o PT vai ajudar e muito Alexandre Padilha, pois, em matéria de bandalha, o PT é dez e o Kassab, nove. Que os eleitores não se esqueçam disso - e, claro, também do IPTU que o Malddad tem prazer em pagar. Só ele tem.

Jani Baruki

janibaruki@bol.com.br

São Paulo

*

INVESTIGADO

O arquivamento de denúncia contra os fiscais do ISS paulista pelo secretário de Finanças do governo Gilberto Kassab, Mauro Ricardo, não impediu a descoberta do esquema de sonegação em conluio com as construtoras, colocando em xeque a conduta do ex-secretário, que se limitou a ouvir os próprios suspeitos, para logo em seguida arquivar a denúncia. Mauro Ricardo está sendo investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) por suposto desvio milionário de verbas quando presidiu a estatal Funasa de 1999 a 2003. Mais recentemente, ocupou o estratégico cargo de secretário de Finanças nos governos Serra e Kassab, levantando suspeitas de que possa ter atuado como tesoureiro de campanha de ambos.

Marcos Abrão

m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

TRISTEZA

A cada dia me entristeço mais com as notícias que vejo por aí. Esta semana em especial me causou grande revolta quando fiz um paralelo com a notícia dos fiscais "ladrões" da Prefeitura de São Paulo e o caso da reintegração de posse debaixo da Ponte Orestes Quércia. Até quando veremos esse tipo de notícia?

Julio Cesar Dias Novais

julionovais@superig.com.br

Catanduva

*

MAIS MÉDICOS E ENCARGOS TRABALHISTAS

Não bastasse o vexame da não obrigatoriedade de fazer o exame Revalida para aprovar médicos cubanos que vão trabalhar no Brasil, agora tomo conhecimento - por meio do oportuno artigo publicado no "Estadão", do professor José Pastore (5/11, B2) - de que o governo Dilma ou se fez de morto ou não sabia mesmo que nesta tal de terceirização de profissionais estrangeiros pelo programa Mais Médicos, diferentemente do que o governo anunciava, os salários pagos serão todos regidos também pelas nossas Leis do Trabalho, a CLT. Ou seja, com a obrigatoriedade na forma da lei, que sejam recolhidos todos os encargos sociais! O que não sai (e o empresário brasileiro sabe muito bem disso) por um custo menor do que 102% sobre o salário contratado. E quem alerta a presidente Dilma é a Secretaria da Receita Federal. Não tem nada que ver com a oposição... Isso é mais um golpe do governo petista contra o contribuinte brasileiro! Porque daqueles R$ 511 milhões previstos inicialmente pelo Planalto, que seriam gastos para contratar 4 mil médicos cubanos, certamente o valor irá ultrapassar a casa de R$ 1 bilhão. Essa diferença equivale ao que os servidores da Prefeitura de São Paulo desviaram do município pelo não recolhimento do ISS, pelas construtoras, em troca de polpudas propinas. E se fossem aplicados esses milionários recursos que serão desperdiçados neste programa Mais Médicos na melhoria das condições dos hoje caóticos hospitais públicos, os contribuintes, principalmente das classes carentes, seriam um pouco mais respeitados.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

ANALOGIA DE TRABALHO ESCRAVO

Vamos imaginar um trabalhador rural do norte de Minas Gerais, contratado para colher café aqui, em Monte Santo de Minas (MG), na zona cafeeira do sudoeste do Estado, e que tenha de se sujeitar às seguintes condições: não pode trazer seus familiares; está impedido de sair do município durante a safra; não pode permanecer no município depois de encerrada a safra; e ainda tem 70% do seu salário confiscado e remetido para a prefeitura da sua cidade de origem. Fico pensando... Como reagiriam o Sindicato Rural local e a Vara do Trabalho regional?

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

CURATIVO

Alguém poderia explicar como uma ilha como Cuba, vivendo no século 18, ao contrário do senso do progresso, pode exportar 6 mil médicos para qualquer lugar do mundo, principalmente para o Brasil? Uma nova colonização portuguesa travestida de cubana? O atendimento médico dos Castro não passa de uma sala de curativos. E, como sempre, aceitamos.

Mauro Evaldy de Souza

mauroevaldy@yahoo.com.br

Paulínia

*

ESPIONAGEM INTERNACIONAL

O assunto espionagem teve um "final" cômico. Surpresa, seis dentre os principais países europeus colaboram com a espionagem dos Estados Unidos, inclusive aqueles cujos mandatários mostraram-se surpresos. O Brasil espionou Iraque, Irã e Rússia, através de suas embaixadas. E até agora não apareceram provas da veracidade do que Edward Snowden informou. Ele provavelmente está ganhando um bocado de dinheiro vendendo suas histórias para o "Guardian", histórias que não foram e nunca poderão ser comprovadas sem que os Estados Unidos se metam numa encrenca monumental. E os europeus que reclamaram viram seus países envolvidos na "trama" norte-americana. A imprensa internacional, esta está igualmente dando guarida às informações de Snowden, e também vendendo muito mais jornal. O Brasil e a Alemanha apresentaram uma proposta de resolução na ONU, que não será aprovada pelo menos até 2050. No episódio, lucraram com boa propaganda a presidente Dilma e alguns outros chefes de Estado e de governo, além da imprensa.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

O NOSSO DEDO-DURO

Morro de rir ao ler que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) vai caçar o seu espião dedo-duro para puni-lo. Não era o governo brasileiro que considerava Edward Snowden, o espião dedo-duro americano, uma espécie de herói? Nada como a coerência, não?

Maria Cristina Rocha Azevedo

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

DESDE AS CAVERNAS

Com que então nossos órgãos de inteligência também espionaram vários diplomatas estrangeiros de países como Irã, Iraque e Rússia? Quer dizer que a presidente que exigiu desculpas dos americanos agora vê a sua máscara cair? Se nossa Abin não tem a capacidade tecnológica que tem a NSA, é outra história. O ponto é que espionagem fez, faz e sempre fará parte de governos, não importa qual. Dilma cancelou uma visita de Estado dizendo-se indignada e agora vai fazer o quê? Se não temos a tecnologia necessária para fazer a espionagem atualizada com os grandes países, pior para nós. Mas posar de ofendidos é que não dá. O tal Snowden nada mais é do que um traidor, e agora tem de viver com as consequências do que fez. Já o jornalista americano Glen Greenwald denunciou operações de rotina, pois todos os países fazem o mesmo, talvez desde a época das cavernas. Só pessoas cheias de ideologia contra os americanos, por sinal ultrapassada, podiam acreditar que são só eles que espionam. Todo o mundo faz, o que diferencia são só o método e as técnicas.

Maria Tereza Murray

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

ESPIONAGEM - DIGITAIS

O lullopetismo é mesmo reincidente. De novo, apontando os erros alheios com o dedo sujo...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

MARCO CIVIL DA INTERNET

O marco civil da internet, tendo por relator um deputado da base aliada do governo, deveria ser objeto de grave preocupação de todos, e manifestações públicas de rejeição. Influenciados pelos grampos americanos, os brasileiros parecem aprovar a insensata coleta e armazenamento de dados no Brasil. Quem nos garante que o governo não nos vai espionar, como fez Antonio Palocci com um pobre caseiro, em Brasília? Querem saber? Sinto-me mais seguro sendo espionado pelos americanos!

Paulo Roberto Santos

prsantos1952@bol.com.br

Niterói (RJ)

*

AS CONTAS DO GOVERNO

O governo federal vai reduzir em 20% os financiamentos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o ano de 2014, após apresentar o maior déficit fiscal dos últimos quatro anos. Ou seria por causa do tombo, rombo, rasteira ou calote dado pelo Grupo OGX, de R$ 10 bilhões, cujas ações hoje não compram um chiclete vindo do Paraguai? E agora, sr. Guido Mantega e dona Dilma, vão fazer as contas para cobrir o rombo, ou fica por isso mesmo, como os perdões das dívidas na África? Esse é o Brasil administrado por amadores.

Jose Pedro Naisser

jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

QUEREM NOS ENGANAR

O Banco Central (BC), por meio de seu chefe do Departamento Econômico, afirmou que o resultado fiscal das contas públicas é "desafiador", apesar de admitir que a situação seja de deterioração. Mais um dos que aprendeu com a turma dos governantes a dar nomes deleitosos, maquilados às notícias desfavoráveis da administração Dilma e sua equipe econômica, entre outros resultados nada abonadores de outros setores. A quem pensam que enganam?

Leila E. Leitão

São Paulo

*

INFLAÇÃO, PESADELO DO GOVERNO PETISTA

Na abertura do 5.º Fórum sobre Inclusão Financeira, Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, fez a seguinte afirmação: "Para que a inflação observada nos 12 meses efetivamente se revele um processo de curta duração, a política monetária deve se manter especialmente vigilante". Traduzindo: a taxa básica de juros (Selic) vai continuar subindo. Já desisti de ver um pronunciamento de nossa querida presidente Dilma em rede nacional informando o aumento da Selic à população brasileira. Graças à má gestão da presidente Dilma, as contas públicas estão em desordem e começa a preocupar até o ministro da Fazenda, Guido Mantega, pois ele sabe que a corda sempre arrebenta do lado mais fraco. Minha dúvida é: será que o governo vai conseguir manter a inflação dentro da meta máxima (6,5% ao ano) apenas com o aumento da taxa Selic? O governo continua gastando muito, pois já estamos em campanha eleitoral, o dólar voltou a subir, o seguro-desemprego virou o vilão do momento... Ai, ai, Dilma está rezando para o início da Copa e torcendo para os brasileiros se esquecerem da inflação. Mas eu torço pela volta do gigante. Acorda, Brasil!

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

REUNIÃO COM MINISTÉRIO

Sobre a coluna de Dora Kramer de 5/11 ("Rolando lero"), antigamente a reuniões dos ministérios era coisa séria e tinha pompa, por quê? Os eleitos vinham com um programa de governo para ser executado, distribuído e cobrado. Agora, o negócio é não perder a bolada que os votos proporcionam. O resto é resto!

Washington B. Estoyanoff

wa.botella@me.com

São Paulo

*

GABINETE DE CRISE?

A notícia de uma reunião de 7 horas seguidas de Dilma com seus ministros no sábado, Dia de Finados, mostra o grau de incapacidade de organização e comando da presidente (com "p" minúsculo) no dia a dia. Quem sabe de fato comandar, o faz em doses homeopáticas, com suavidade e sem espetáculos. Reuniões muito longas historicamente costumam ser sinal de alguma situação muito anormal, como crises profundas ou mesmo guerras. Bom, deve ser isso..., mas duvido de que a reunião tenha girado em torno da crise geral do País e do estado de guerra civil apontado pela incrível violência que vivemos.

Arturo Condomi Alcorta

arturoalcorta@uol.com.br

São Paulo

*

COTAS E CONTAS

A notícia que diz que "Dilma quer 700 mil vagas em creches para beneficiários do Bolsa Família" dá a certeza de que as bolsas são coleiras. Vagas em creches devem ser exclusivamente para mães que trabalham, não para procriadores cuja única função é aumentar a densidade demográfica sem nenhuma noção de futuro. Não se constroem creches na mesma velocidade que se gera um filho. Nem escolas. Nem postos de trabalho. Nem presídios. Cabe ao jornalismo informar qual a quantidade de nascidos mensais nos hospitais públicos (São Paulo e média no Brasil) e comparar se surgem vagas em creches em número suficiente. O futuro dessas crianças será as cotas. O nosso, as contas para pagar a tal dívida histórica. Se é assim, por que os índios não são cobrados por seu passado de canibalismo?

Lucília Simões

lulu.simoes@hotmail.com

São Paulo

*

CADASTRO ÚNICO DO GOVERNO FEDERAL

Sobre o artigo de Suely Caldas "O neoliberal Bolsa Família" (3/11, B2), o ex-presidente Lula também não foi o responsável pela unificação dos cadastros dos programas sociais criados durante os governos FHC. O Cadastramento Único do Governo Federal foi instituído pelo Decreto n.º 3.877, de 24 de julho de 2001, portanto ainda no governo FHC. Isso é confirmado no parágrafo único do artigo 1.º do decreto que criou o Bolsa Família, a saber: Art. 1º Fica criado, no âmbito da Presidência da República, o Programa Bolsa Família, destinado às ações de transferência de renda com condicionalidades. Parágrafo único. O Programa de que trata o caput tem por finalidade a unificação dos procedimentos de gestão e execução das ações de transferência de renda do Governo Federal, especialmente as do Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Educação - Bolsa Escola, instituído pela Lei nº 10.219, de 11 de abril de 2001, do Programa Nacional de Acesso à Alimentação - PNAA, criado pela Lei nº 10.689, de 13 de junho de 2003, do Programa Nacional de Renda Mínima vinculada à Saúde - Bolsa Alimentação, instituído pela Medida Provisória nº 2.206-1, de 6 de setembro de 2001, do Programa Auxílio-Gás, instituído pelo Decreto nº 4.102, de 24 de janeiro de 2002, e do Cadastramento Único do Governo Federal, instituído pelo Decreto nº 3.877, de 24 de julho de 2001.

Elcio Tadeu Palmieri

palmieri.elcio@terra.com.br

São Paulo

*

LUZ NO CAMPO

Suely Caldas se esqueceu de citar também o programa do Fernando Henrique Luz no Campo, que se tornou o Luz para Todos. Eles apenas deram uma maquiada nos programas e posam de criadores.

Rosa Teco

rosateco.buritis@hotmail.com

São Paulo

*

ITNERÁRIOS DOS ÔNIBUS

A administração do PT na Prefeitura de São Paulo está conseguindo realizar o inimaginável: fazer com que a vida dos cidadãos paulistanos piore ainda mais. Não fossem suficientes o lixo na rua, as praças completamente abandonadas, o abusivo e inexplicável aumento acachapante do IPTU e as demagógicas e pouco producentes faixa de ônibus - primores de absurda falta de planejamento e com viés puramente eleitoreiro, prática usual da cartilha petista, diga-se -, a Prefeitura ataca o cidadão nos itinerários de ônibus. Com a desculpa esfarrapada de que há uma readequação das linhas, o que se vê é uma total e completa aberração nos trajetos dos ônibus, em que linhas foram ceifadas, obrigando, inexplicavelmente, que o cidadão tenha de tomar 3 ou 4 conduções para chegar ao trabalho ou à escola, somente para que os ônibus transitem nas abjetas faixas de ônibus, que, paradoxa e contraditoriamente, acabam por perder a função de dar rapidez ao transporte público, já que os novos itinerários fazem com que a viagem do passageiro seja mais longa do que antes das faixas. Cito o meu exemplo: para ir do Brooklin ao Centro, devo tomar um ônibus e ir até a Avenida Professor Abraão de Moraes, no Ipiranga, para tomar outro ônibus, que subirá a Rua Lins de Vasconcelos para que se chegue ao Centro via Cambuci. Um verdadeiro "caminho de rato" que só pode ter sido ideia de quem não conhece a cidade, já que seria muito mais fácil implementar uma linha de microônibus que levasse do bairro aos corredores das Avenidas Santo Amaro e Vereador José Diniz. Inacreditável e sem nenhuma explicação! Só posso chegar a uma conclusão: se, como o prefeito Haddad diz, o IPTU é a taxa de condomínio do paulistano, ele, como síndico, já passou da hora de ser destituído do cargo.

Tales Battaglia

talesbat@gmail.com

São Paulo

*

CORREDOR DE ÔNIBUS FANTASMA

Não sou contra corredor de ônibus. Muito pelo contrário, mas desde que favoreça os usuários. Andando, no dia 05 de novembro, pela Avenida 23 de Maio, fiquei revoltada ao constatar que na faixa da direita (corredor), um único ônibus utilizou a referida faixa. Em contra partida, a fila de carros era de desanimar... Eu acho, que, com bom senso, os auxiliares do prefeito poderiam achar uma solução melhor para aproveitar o pouco espaço de nossas ruas.

Maria Neusa M. Roche Moreira

rosamistica@uol.com.br

São Paulo

*

O CAOS EM SÃO PAULO

Nosso glorioso alcaide, que sente alegria ao pagar impostos, tem a dizer o que sobre as centenas de semáforos em pane com a chuva desta semana?! Este é um típico e triste retrato do Brasil. Somos cobrados compulsoriamente, porém o retorno, ora o retorno... Isso se repete em todas as esferas governamentais. IPVA em dez parcelas? Para que, se podemos cobrar em três? IPTI (Impossível Pagar Tudo Isso) majorado insanamente. Imposto de Renda, cuja tabela não é reajustada há anos. E assim vai, numa lista interminável de obrigações dos cidadãos, porém sem nenhum retorno, como seria obrigação, de melhorias e avanços pelas nossas autoridades. Para finalizar, prefeito Malddad, os radares por acaso pararam de funcionar?! Claro que não! E sabem por quê? Porque são empresa terceirizadas e, portanto, competentes, que administram os grande irmãos espalhados pela cidade para flagrar quem ousa invadir faixa de ônibus, passar dos 40 km, dependendo da avenida, etc. Já imagino as respostas do Malddad em janeiro, caso esteja na cidade: "choveu mais do que esperávamos", "nunca antes na história desta cidade houve tanta precipitação pluviométrica", entre outros bordões sem fim de nossos gloriosos prefeitos nem um pouco perfeitos.

Renato Amaral Camargo

natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

ESTILO HADDAD

Haddad criou confusão no Ministério da Educação. Enem com erros e de repetição. Aumentou o analfabetismo no Brasil, de acordo com dados oficiais. Só foi considerado muito bom pelos petistas, porque em terra do PT quem tem um olho é rei. Agora, seguindo seu estilo, está criando a maior confusão em São Paulo. Deu sorte, pois essa corrupção recentemente descoberta esfriou um pouco o disparate do IPTU e ainda o deixou com uma quase fama de justiceiro. Coisas do Brasil.

Geraldo Siffert Junior

geraldo.siffert@ig.com.br

Rio de Janeiro

*

GUERRA NO IPTU

Mais uma guerra de aumento em São Paulo criada pelo teimoso prefeito do PT, Fernando Haddad, já apelidado pelos paulistanos por Fernando Malddad. Existe algum movimento de defesa do proprietário de imóveis em São Paulo como os garotos do Movimento Passe Livre (MPL)? Quem vai orquestrar as manifestações na Paulista pela internet? É possível culpar o governador Geraldo Alckmin? Não? Então, pessoal, vamos ter de engolir este aumento.

Vagner Ricciardi

vbricci@estadao.com.br

São Vicente

*

PALHAÇADA

Quem votou num palhaço e o elegeu vereador paulistano, pague seu IPTU com um grande aumento e sorria da própria palhaçada.

Eraldo Bartolomeu Cidreira Rebouças

real742@yahoo.com.br

São Paulo

*

A JUSTIÇA BARRA O AUMENTO

Liminar concedida pela 7ª Vara da Fazenda Pública da Capital suspende aumento do IPTU em até 35% em São Paulo, contestando o processo de votação adotado pela Câmara de Vereadores. Alguém tem dúvidas de que Fernando Haddad, junto de seus cupinchas vereadores e nossos traidores, já estejam se articulando para reverter tal liminar e até determinando nova data para outra votação?

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

CARTAS MARCADAS

Os nossos políticos estão desdenhando da inteligência do contribuinte. Está muito óbvio que essa briguinha entre a Prefeitura e o Ministério Público é um jogo de cartas marcadas, e quem perde é o contribuinte. Tudo não passa de uma novelinha mexicana ensaiada às pressas, e os dois estão atuando juntos para enganar a população. Imaginam eles que, ao impedir o aumento de 35% do IPTU em São Paulo, o Ministério Público recuperará um pouco do seu prestígio perdido. E então a Prefeitura será "obrigada" a aceitar um aumento de apenas 17% no IPTU, que era na verdade o que a Prefeitura já pretendia. Fantasiam eles que, ao ameaçar enfiar cinco bodes na casa de cada um, e depois nos deixando só com dois, ninguém irá reclamar. Sendo que o valor final ainda será muito caro e bem acima da inflação e da correção de salários. Na sua ânsia de arrecadar impostos para sustentar políticas insustentáveis, o governo desdenha da meritocracia, e totalmente cego não percebe que está matando a galinha dos ovos de ouro.

Aurélio Nunez Rolan

aurelioanr@gmail.com

São Paulo

*

DE VOLTA ÀS RUAS

O IPTU aumentou através de uma votação secreta entre políticos totalmente incompetentes e descompromissados com a população paulistana. E é uma grande injustiça com os verdadeiros cidadãos desta grande metrópole que sofre mês a mês para pagar os vários e altos impostos concedidos por este governo atrasado e extremamente cruel do qual infelizmente nós fazemos parte. Por consequência, uma das várias ações já está em andamento. A Justiça de São Paulo concedeu liminar que impede a Prefeitura de sancionar o projeto de lei de reajuste do IPTU na capital paulista. Na minha opinião, é um bom caminho para que anule este projeto infeliz, mas não é a única saída. O verdadeiro ato a ser realizado, é voltarmos às ruas da cidade para mostrar a nossa revolta e descontentamento com esta política de pão e circo que assassina o futuro da maior cidade do País e uma das maiores do mundo. Vamos lutar, em busca de mudanças para o bem-estar de todos nós, brasileiros e paulistanos.

Flávio Porto Gomes Camacho

fpcamacho@bol.com.br

Guarulhos

*

CONTRA O AUMENTO DO IPTU

Por que os manifestantes de junho não se mobilizam contra esta vergonha do aumento do IPTU, para compensar os R$ 0,20 que deixou de aumentar nas passagens de ônibus? Será porque esse aumento só foi nas áreas onde o prefeito não venceu nas eleições e concentram os imóveis mais valorizados? Esses manifestantes têm de entender que a grande maioria que paga, com sacrifício, esse imposto exorbitante é o locatário desses imóveis.

José Wilson de Lima Costa

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.