Fórum dos Leitores

BRASIL

O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2013 | 02h04

De mal a pior

Se algum país estrangeiro desejar saber como andam as coisas no Brasil - país líder da América do Sul, membro do Brics e a sexta economia mundial -, é só ler as manchetes na primeira página do Estadão de sábado: Contrato da Petrobrás com Odebrecht é investigado, Quadrilha também agiria no IPTU, PF vê repasse de R$ 19,5 milhões do cartel de trens... Sem mais comentários.

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Engano de Obama

O presidente dos EUA, Barack Obama, comentou no canal de TV Bloomberg que seu país deveria investir em infraestrutura, como estão fazendo o Brasil, a Rússia e a China, para continuar crescendo e com índice de desemprego baixo. Provavelmente, Obama não está bem informado com relação ao Brasil. Se ele fizesse uma visita ao País, logo mudaria de opinião ao ver o que está acontecendo em nossos aeroportos, portos e rodovias, com a transposição do São Francisco, o saneamento básico e as obras de prevenção de catástrofes, como, por exemplo, na da Região Serrana do Rio de Janeiro. Isso sem contar com a parada de sete obras pelo TCU por superfaturamento (roubalheira). Será que seu departamento de espionagem não espionou, digo, informou nada sobre isso?

VALDY CALLADO

valdypinto@hotmail.com

São Paulo

OBRAS IRREGULARES

Eufemismo

A presidente Dilma Rousseff diz, indignada, ser um absurdo o Tribunal de Contas da União (TCU) querer parar obras com suspeitas de corrupção. Acho que absurda é essa declaração da presidente. Isso é afagar os corruptos e aceitar a corrupção como um mal necessário. Se a presidente pensa assim, imagine, então, as empresas beneficiadas. Ah, é mesmo, corrupção é um termo muito pesado, o correto é suspeita de irregularidades. Viva o país do eufemismo!

JOSÉ MILTON GALINDO

galindo52@hotmail.com

Eldorado

De absurdos

É um absurdo o TCU parar obras? Não, sra. presidenta, absurdo é obras terem indícios de irregularidades e os indivíduos envolvidos não serem exemplarmente punidos. Absurdo é o povo brasileiro ler todos os dias no Estado notícias sobre corrupção e desvios de verbas - cartel dos trens e fraude no ISS e no IPTU, só para citar dois casos - e não testemunhar a prisão de corruptos e corruptores, bem como a devolução dos valores roubados. Absurdo é ler que o nosso ministro da Fazenda qualifica como bom resultado a inflação de outubro, de 0,57%. Finalmente, absurdo é a sra. presidenta só pensar em sua reeleição. Que tal começar a governar?

FÁBIO ZATZ

fzatz@uol.com.br

São Paulo

A presidente e o TCU

A argumentação de dona Dilma contra a paralisação de obras determinada pelo TCU é justa, mas só aparentemente. Nunca se viu dinheiro de superfaturamento voltar aos cofres públicos, mesmo porque, muito volátil, ele se dirige a outros bolsos. Ademais, suspender obras e buscar culpados pelas falcatruas pode atrasar tais obras, mas tem um efeito educativo muito bom, no longo prazo, pois inibe os salteadores da "viúva".

ROBERTO VIANA SANTOS

rovisa681@gmail.com

Salvador

GESTÃO HADDAD

ISS e bloqueio de NFS-e

A propósito do atual escândalo de corrupção relativo ao recolhimento do ISS, é oportuno levantar uma questão muito pertinente. A Prefeitura de São Paulo está bloqueando a emissão de Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NFS-e) aos prestadores que estejam inadimplentes quanto ao recolhimento do ISS por quatro meses consecutivos ou seis meses em períodos alternados dentro de um ano. Esse procedimento se baseia na Instrução Normativa SF/Surem n.º 19, publicada no Diário Oficial da Cidade em 17/12/2011. O bloqueio está levando a numerosos mandados de segurança, com várias liminares já concedidas pelo Judiciário. O entendimento da Justiça tem sido o de que a postura é inconstitucional, pois impede as empresas de realizarem seu trabalho, asfixiando-as comercialmente, levando-as à ruína financeira e, por consequência, impedindo-as de ter recursos para quitação ou parcelamento de impostos. Há que destacar que alguns juízes divergem do entendimento praticamente consolidado e de clareza meridiana, empurrando os impetrantes para situações críticas que poderão levar a alternativas perigosas, como a tentativa de "acertos" na Prefeitura, estimulando as práticas atualmente denunciadas e investigadas, lesivas ao Município. É, pois, imprescindível que haja um alinhamento da Justiça em seus pareceres, derrubando de maneira definitiva a validade da mencionada instrução normativa, que, além de extremamente coercitiva, causa danos irreparáveis aos contribuintes inadimplentes. Existem meios já previstos na legislação vigente para a Prefeitura ser ressarcida dos impostos devidos pelos contribuintes, sem a truculência e a injustiça relatadas.

RONALDO TELLES N. MAGALHÃES

contato@ronama.com.br

São Paulo

IPTU diferenciado

O IPTU na cidade de São Paulo para pessoas jurídicas tem previsão de aumento de quase o dobro do das pessoas físicas (residencial). É uma medida eleitoreira, pois o número de eleitores empresários é menor que o dos demais. E uma maneira de enganar o povo, pois não dizem que as empresas vão repassar esse aumento aos preços e as pessoas físicas pagarão por isso. Essa diferença, além de gerar burocracia, leva a sonegações e aumenta a necessidade de controle. É uma forma de onerar preferencialmente as empresas brasileiras, reduzindo sua pífia competitividade. Constitui mais uma legislação para acrescentar às inúmeras outras que procuram punir quem cria empregos. Toda diferença, exceção ou discriminação em legislação causa dificuldades e burocracia desnecessárias, contribuindo para complicar ainda mais a vida.

ALFREDO M. DAPENA

alfredomdapena@gmail.com

Rio de Janeiro

Sob o domínio do caos

Com a Prefeitura paulistana sob o domínio do PT há menos de um ano, já temos a revelação de alguns escândalos de corrupção, além da absurda alta do IPTU e da instalação do caos no trânsito, com uma faixa a menos nas principais vias da capital para dar prioridade ao caótico sistema de transporte público. Imaginem o tamanho da lambança se o próximo governador do Estado de São Paulo for também petista e indicado por Lula...

PETER CAZALE

pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

AS PREVISÕES DE GUIDO MANTEGA

Guido Mantega, ministro da Fazenda, admitiu a possibilidade de o setor público não cumprir a meta de superávit primário prometido para este ano, equivalente a 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Sr. ministro, todas as suas previsões não foram atingidas, então por que não dizer a verdade, de que esta também não deve ser levada a sério? A quem quer enganar desta vez?

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ELE RECONHECE

Um dos mais consagrados videntes do Oráculo do Planalto, o ministro Guido Mantega finalmente reconhece que a vaca da economia brasileira já foi para o brejo e só Dilma e seus 40 ministros não sabem. Depois que o jornal "Financial Times" informou que o Brasil pode ser o primeiro Bric a ter nota de crédito rebaixada, o ministro reconheceu que o superávit primário deste ano pode ser ainda menor. Tudo o que o governo empreende está despencando ladeira abaixo e, como cada um se defende como pode, a Anfavea cogita (mais uma vez) pedir a redução do Imposto dobre Produtos Industrializados (IPI) dos veículos, diante da queda nas vendas de unidades novas. Até quando a indústria automobilística suportará viver de subsídios do governo?

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

DÓI NO BOLSO

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou sem ruborizar que a inflação apurada em outubro, que subiu 0,57% e em 12 meses acumula escorchantes 5,85%, foi um bom resultado. Lógico que para Mantega é certamente uma merreca de aumento, porque recebe soldo mensal em torno de R$ 100 mil, como conselheiro da Petrobrás, e mais uns R$ 20 mil como ministro de Dilma Rousseff. Mas, como homem público que é, ocupando um dos cargos mais importantes da nossa República, sua declaração é uma afronta à maioria dos trabalhadores brasileiros! Estes, com seu salário, mal conseguem fazer seu supermercado digno. Em alguns importantes produtos alimentícios, aumentos cavalares ocorreram nos últimos 12 meses, como a farinha de mandioca (67,18%), a farinha de trigo (20%), laticínios (20%) e o tomate novamente nas alturas. O ministro tem seu discurso muito afinado com o da presidente Dilma, de que a inflação está sob controle. Se esses números da inflação corroem o orçamento da família brasileira, na consciência deste relapso governo petista parece puro refresco.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PAPO FURADO

Após admitir que o PIBão prometido será novamente um modesto pibinho, o ministro da Fazenda acaba de declarar que o superávit primário será igualmente menor do que o estimado no início do ano. Mantega: parole, parole, parole... Até quando?!

J. S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

O MUNDO ERRADO

Temos uma política fiscal pífia e ainda não conseguimos a tão sonhada reforma tributária. Aí vem o jornal "Financial Times" e relata o óbvio, mas o governo insiste em dizer que o mundo está errado. Como dizia meu professor, "tem pêlo, focinho, balança o rabo e late, mas não é cachorro?". Tenha paciência, hein, dona Dilma.

Everson Rogério Pavani

roger.advog@gmail.com

São Paulo

*

CARGA TRIBUTÁRIA

Engraçado, todo mudo sabe que o governo arrecada muito e gasta mal e que o desvio de dinheiro público é uma das principais causas da elevada carga tributária no Brasil. Só faltava agora o contribuinte ser chamado a cobrir o rombo milionário que os fiscais do Imposto sobre Serviços (ISS) causaram à Prefeitura de São Paulo.

Yvette Kfouri Abrão

m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

MAIS PROBLEMAS NO MAIS MÉDICOS

Desde o lançamento do programa Mais Médicos pelo governo federal, a relação entre os médicos e o Ministério da Saúde tem gerado duras críticas das entidades médicas. Pelo visto as divergências não irão parar, pois, de um lado, a Receita Federal cobra a contribuição da previdência social (INSS) sobre o salário de R$ 10 mil pago aos médicos, e, do outro lado, o Ministério Público do Trabalho está iniciando uma ação civil pública para que o governo Dilma respeite a legislação trabalhista vigente (a Consolidação das Leis do Trabalho), o que implicaria um acréscimo de 102,43% (13.º salário, férias, etc.) no programa. Para finalizar: o gasto do programa Mais Médicos, estimado em R$ 511 milhões, passaria para mais de R$ 1 bilhão, e esse acréscimo, por causa do imbróglio feito pelo governo Dilma, viria para a conta da população brasileira, que já paga impostos equivalente a 37% do PIB. Para o Ministério Público do Trabalho, a intermediação da Organização Panamericana da Saúde na contratação dos médicos cubanos já está sendo considerada "gato" (gíria trabalhista) ou intermediário de mão de obra.

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

SUSTO TRABALHISTA

Sugiro ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que leia com atenção o artigo "Médicos cubanos - sustos trabalhistas", do professor José Pastore, publicado no "Estadão" (5/11, B2).

Wilson Mendes de Oliveira

wilson220@itelefonica.com.br

Assis

*

AINDA O DESPERDÍCIO

Mais uma vez nos deparamos com a falta de eficiência dos nossos governantes. Só agora o governo federal se deu conta de que os médicos cubanos, importados depois de inúmeras reuniões clandestinas, vão custar aos cofres públicos (quer dizer, ao bolso do contribuinte) nada menos do que mais 102,43% do salário de R$ 10 mil. Dos R$ 511 milhões que foram previstos de gastos, o custo subirá para mais de R$ 1 bilhão. Isso porque as nossas leis trabalhistas impõem os mesmos encargos que caem sobre os trabalhadores brasileiros (INSS, FGTS, descanso semanal, etc., etc.). Será que Dilma e o ministro da Saúde não sabiam disso? Não têm assessores que pudessem alertá-los? Esses recursos deveriam ser mais bem administrados e poderiam ser destinados à área da saúde com muito mais eficiência. Só mesmo um país onde se empresta dinheiro de bancos oficiais para os aliados e amigos do governo sem que se tenha a transparência necessária coisas deste tipo acontecem. Nosso dinheiro continua a ser desperdiçado impunemente, e até quando?

Maria Tereza Murray

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

MAIS UM ENGODO

O programa Mais Médicos não sai do noticiário, e não pelo sucesso esperado, mas sim pelos aspectos negativos tais como a reprovação de 48 médicos no exame do Revalida e a precariedade da relação de trabalho. É mais um engodo federal? Penso que sim.

Luiz Nusbaum, médico

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO COM O MEU DINHEIRO

O governo do PT estuda ressuscitar o velho sonho do ex-presidente Lula, de aprovar a famigerada CPMF, rejeitada vigorosamente pela sociedade em 2008. Não satisfeito com a derrota, o governo insiste em aprovar novamente essa aberração tributária, agora sob o pomposo titulo de Contribuição Social para a Saúde (CSS). Pergunto: o que faria o governo com um adicional de R$ 40 bilhões, caso o imposto do cheque fosse aprovado? Continuaria enviando ajuda milionária ao camarada Nicolás Maduro, da Venezuela, que passa por dificuldades impostas pelo socialismo do século 21? Ou, não satisfeito com a generosa ajuda oferecida pelo BNDES à ditadura cubana na reforma do Porto de Mariel, proporia agora a construção de um novo aeroporto para modernizar a ilha-prisão dos irmãos Castro?

Peter Cazale

pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

DESABASTECIMENTO NA VENEZUELA

Acabou! A revolução do falecido Chávez não passou pelo teste do tempo e virou bagunça. Papel higiênico, quem tem usa frente e verso e observa atento antes do descarte final, pois pode ter alguma imagem significativa que lembre alguém... A decoração de Natal é a melhor do mundo, um pisca-pisca gigante, uma hora para cada cidade de energia elétrica e folga nos sábados e domingos. Comida, coitados, vai faltar como falta em Cuba, infelizmente. Esse é o preço mais caro da aventura do socialismo, a fome que com certeza virá, mais dia menos dia, menos para os dirigentes e seus protegidos, a elite capitalista do socialismo, os que realmente sentem que vale a pena usar o povo para se dar bem. Devem tentar o mesmo aqui, se as pesquisas verdadeiras mostrarem que a farra vai acabar, o povo acordar e começar a votar pensando no futuro de seus filhos e netos. Pelo sim pelo não, o papel higiênico está barato e não tem prazo de validade. Fazendo os cálculos - 40 metros - uso de 5 metros pessoa/dia - um rolo dura 8 dias - 45 rolos por ano - vou comprar 540 rolos - conforto garantido por 3 anos para a família - depois de dois anos no mercado negro vale R$ 20 o rolo. É um bom investimento... Todas as revoluções socialistas começam e terminam do mesmo modo: se metade de uma nação estiver na beira da miséria, tecnicamente a revolução já deu o primeiro passo, o segundo é aparecer o salvador, e é aí que mora o perigo...

Luiz Ress Erdei

gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

O IPTU EM SÃO PAULO

O povo de São Paulo, cansado de pagar impostos escorchantes e não ter nada em troca, espera que o prefeito Fernando Haddad (PT) reveja o aumento absurdo no IPTU proposta para 2014. Apesar da valorização dos imóveis em São Paulo, nenhum contribuinte teve seu salário majorado em 20%. Com esse acréscimo, de até 35% para os imóveis comerciais e 20% em imóveis residenciais, não só várias empresas irão repassar esse aumento absurdo aos seus produtos e serviços, colocando mais pressão na inflação, que há muito tempo anda perigosamente alta, como várias provavelmente irão se transferir para outros municípios, resultando no fechamento de vários postos de trabalho na capital e, consequentemente, no aumento do desemprego. Haddad poderia entrar para a história e ser reeleito em 2016 se, ao invés de majorar tributos, sempre a solução mais fácil, começasse a combater com firmeza e determinação o desperdício do dinheiro público e a corrupção. Que tal começar colocando na cadeia os agentes responsáveis pelo desvio de mais de R$ 500 milhões e solicitando a imediata devolução desses recursos?

Fábio Zatz

fzatz@uol.com.br

São Paulo

*

PRESENTE DE NATAL

O paulistano já ganhou o seu presente de Natal do prefeito do PT: um grande aumento do IPTU. E o que é mais grave, um presente prolongado, para 2014, 2015, 2016... Nas eleições do próximo ano deveremos agradecer o presente.

Francisco Jose Cárdia

fra.cardia@hotmail.com

São Paulo

*

ASSALTO

O alcaide Malddad declarou que paga seu IPTU "com alegria". Pode ser, se ele for masoquista. Certamente não o são todos que estão protestando, inclusive aqueles que estiveram em frente ao prédio dele. Mas deve-se reconhecer que o escorchante aumento do IPTU em São Paulo criou uma situação paradoxal: já não é preciso ser vítima de bandido para ser assaltado.

F. G. Salgado Cesar

fgscesar@hotmail.com

Guarujá

*

BOLSA PARA TODOS

Todos os preços, administrados ou não, aumentam acima do INPC, o último exemplo é o do IPTU (quatro vezes maior), assim, logo mais todos os aposentados e pensionistas estarão no Bolsa Família, é só uma questão de tempo. Que vergonha!

Gustavo Guimarães da Veiga

ggveiga@outlook.com

São Paulo

*

O CONTRIBUINTE FEITO DE PALHAÇO

O Planalto está querendo interferir nos preços das passagens aéreas, alegando que os aumentos para a Copa do Mundo de 2014 são abusivos. São mesmo, mas é a lei da demanda e oferta - e ninguém é obrigado a viajar para assistir aos jogos, podem ver em casa, na TV, de graça. Mas, sobre o abusivo aumento do IPTU sugerido pelo petista Haddad o Planalto não fala, nem da maior carga tributária mundial - e suas absurdas regras que mais parecem um pacote de palha de aço. E, neste caso, as duas contas o contribuinte é obrigado a pagar.

Mário A. Dente

dente28@gmail.com

São Paulo

*

ENFRENTANDO A REJEIÇÃO

Fico curioso em saber se, após provocar o escandaloso e imoral aumento do IPTU na cidade de São Paulo, o prefeito Haddad continua a ir de ônibus para o trabalho. Sem seguranças.

Paulo Ribeiro de Carvalho Jr.

paulorcc@uol.com.br

São Paulo

*

BAIRRO DETERIORADO, IPTU REAJUSTADO

Tenho 70 anos e moro nos jardins há 69. Só vejo isso aqui se deteriorar. Serei só eu que observo esta deterioração ano a ano? No governo de Marta Suplicy, a Avenida 9 de Julho foi reformada, sobretudo as calçadas, só que com o seu esmalte de unha. Hoje restam só buracos e crateras. As árvores plantadas pela firma de seu companheiro secaram, como o seu amor. A Rua Cuba (rua de dois quarteirões apenas) vira um rio caudaloso se há chuva mais forte. No final desta rua tem um vazamento da Sabesp há mais de um ano. Na Rua Cuba, fomos assaltados o ano passado seis vezes por "equipes" diferentes. No mês passado, faltou luz quatro vezes no bairro, sendo que em duas delas a companhia responsável teve o descaramento de falar que foi "roubo da fiação da rua". A Rua Canadá, em frente o número 676, tem um esgoto vazando no meio da rua há mais de dois meses. A Sabesp vem, vê, e tudo continua como está. A continuação da Canadá é a Rua Argentina - quase chegando à Avenida Brasil -, onde tem um poço que, chova ou faça sol, está sempre cheio de água (suja) que dá um banho de sujeira no pedestre incauto. A ironia é que fica na lateral de uma filial do Albert Einstein. O farol da Rua Argentina com a Avenida Brasil quase todo dia está com defeito (ou apagado ou amarelo piscante). Na Rua Canadá, em frente ao distinto "Clube Harmonia", tem uma árvore morta, enorme, que mais dia menos dia cai na cabeça de um pedestre ou de um carro. Os crentes irão falar que os desígnios de Deus são insondáveis. Eu, como sou ateia, acho que tudo o que nos acontece é fruto da calhordice dos nossos homens públicos (dos mais diferentes partidos) e de nossa secular indiferença diante dos desmandos e patifarias dos poderes públicos. Agora, só levando para o lado de piada de péssimo gosto: colocaram umas placas laranjas avisando de caminho alternativo pela Rua Canadá. Deve ser algum quinta-coluna ou humorista, ou ambos! É neste estado de coisas que vemos o prefeito querer aumentar o IPTU?

Marize Carvalho Vilela

marizecv@ig.com.br

São Paulo

*

CIDADE DE ONDAS E BURACOS

A cidade de São Paulo vem padecendo com o descaso das autoridades na reparação de vias e logradouros públicos. Com efeito, os usuários sofrem com o mar de buracos e ondulações de pista, a ponto de os veículos serem obrigados a recorrer a oficinas mecânicas para consertos e realinhamentos de direção, por causa da constante trepidação nos corredores transitáveis, infernizando a vida dos motoristas, muitos deles com poucos recursos para tal. Esse descaso, que já era grande na gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab, o qual nada fez para melhorar a vida do paulistano, se intensificou na atual administração petista de Fernando Haddad, que apenas se tem preocupado com a implantação e ampliação dos corredores exclusivos de ônibus, provocando diariamente fortes congestionamentos nas faixas para os demais veículos, como nunca dantes visto. E agora essa administração ainda busca elevar o IPTU sem, no entanto, oferecer nenhuma contrapartida à população. Acorda, Haddad, a cidade está um caco!

Ronaldo de Souza Júnior

ronaldojradv@aasp.org.br

São Paulo

*

EM CIMA DE PAU, PEDRA

Não me lembro de o trânsito de São Paulo ficar tão ruim quanto agora. São congestionamentos gigantes que incomodam, torturam, adoecem o cidadão. Já tenho algumas multas em dias de rodízio, apesar de sair bem antes dos compromissos. Por causa do trânsito não consigo chegar em casa no horário certo. E o prefeito Haddad (uns dizem que é Vaiddade, outros que é Malddade) anuncia de boca cheia mais corredores de ônibus, menos garagens, menos estacionamentos e diz que todo mundo tem de andar de busão. Isso passados apenas alguns meses de sua chefe máxima, a cacica Dilma Rousseff (se presidente pode ser presidenta, cacique também pode virar cacica) ter incentivado as pessoas a comprarem carros. Aumentada a frota, vem o prefeito e manda todos para os ônibus! Sintonia parece que não é palavra do dicionário petista. Esta cidade nunca teve um prefeito tão incompetente, prepotente, ditatorial, até cruel, pois o que está fazendo com a cidade é crueldade. Ainda por cima é demagogo: disse que ia de ônibus para o trabalho todos os dias, mas ficou só na experiência, uma única vezinha e bastou... Para completar a crueldade, toca aumento de IPTU em cima da gente. Em cima de pau, pedra!

Regina Helena de Paiva Ramos

reginahpaiva@uol.com.br

São Paulo

*

VANDALIZANDO

Alguma coisa está errada em São Paulo. Dezenas de viaturas da Polícia Militar nas ruas, vândalos sequestrando ônibus e caminhões na Fernão Dias, parece omissão. TVs mostrando repetidamente a ação desses vândalos, enquanto a Prefeitura e a Câmara Municipal vandalizam com aumento do IPTU para este e os próximos anos e com a mudança de linhas de ônibus na zona leste, provocando um caos mostrado rapidamente na TV Globo. Será que eu poderia pagar IPVA e licenciamento proporcionais, já que não posso usar as vias públicas integralmente nem todos os dias?

Alberto dos Santos Ferreira

alberto.ferreira@globo.com

São Paulo

*

O FUTURO DO PREFEITO

O prefeito de São Paulo, de cujos moradores nada menos que 89% se declararam contra o extorsivo aumento do IPTU, segundo pesquisa Datafolha, não deve alimentar grandes ilusões a respeito de seu futuro político. As contínuas demonstrações de incompetência de Haddad certamente o haverão de desalojar da Prefeitura da capital nas próximas eleições para prefeito, mesmo tendo ele um padrinho político do calibre de Lula.

Luiz M. Leitão da Cunha

luizmleitao@gmail.com

São Paulo

*

TINTA

Morador de São Paulo tem o preço de tintas mais caro do mundo, pois o aumento do IPTU até agora só se justifica pelos ditos corredores de ônibus, que não passam de pintura no asfalto. Pergunto, e a saúde, educação, saneamento, moradias?

Jose Roberto Palma

palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

VÊM AÍ AS CHUVAS

Depois do aumento abusivo do IPTU e da política demagógica de pintar faixas de ônibus nas principais vias da cidade em detrimento dos veículos particulares, convém que o prefeito Fernando Haddad, com a chegada das chuvas, deixe para o Ministério Público a sujeira dos fiscais do ISS, que certamente terminará numa suculenta pizza, e passe a comandar a limpeza do lixo que está espalhado pela cidade, a fim de amenizar o sofrimento do paulistano com a chegada das águas.

Jose Millei

millei.jose@gmail.com

São Paulo

*

LINHAS DE ÔNIBUS, O CAOS

Com a diminuição, alteração ou extinção de itinerários de dezenas de linhas de ônibus em São Paulo, a SPtrans está provocando um verdadeiro caos na cidade e, pior, não pode culpar a gestão Kassab, porque o partido do antigo prefeito faz parte da base aliada de seu governo, do governo federal e, além disso, pode ser um importante aliado em 2014. Sendo assim, dou minha contribuição ao alcaide: convoque a imprensa e diga que "mascarados tucanos infiltrados na SPtrans e em outros órgãos da administração municipal estão tornando incompetente uma administração que começou competente". A imprensa está tão acostumada e doutrinada a dizer que "vândalos mascarados infiltrados acabaram com uma manifestação que começou pacífica" que nem perceberá a pequena diferença no texto.

Maurício Rodrigues de Souza

mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

*

ÔNIBUS URBANOS

O fator mobilidade vem sendo debatido e há várias medidas em fase de implementação. Por outro lado, há aspectos importantes a questionar, por exemplo, o modelo de veículos adotados pela maior parte das empresas. À exceção dos ônibus de piso baixo (Mercedes Benz), grande parte dos demais exige um esforço anormal para subir e descer - degraus para alpinistas que são intransponíveis para pessoas de idade. Em qualquer cidade europeia (das que conheço) os ônibus são de fácil acesso, confortáveis, limpos e confiados a funcionários devidamente preparados. Creio urgente um esforço das empresas no sentido de passar à frente veículos obsoletos e colocar em circulação veículos adequados às condições da cidade, aos padrões internacionais e ao conforto dos usuários. A Copa vem aí! Observo, ainda, que poucos anos atrás os ônibus tinham impressa em suas laterais a inscrição "Cidade de São Paulo", e agora, estranhamente, é "Prefeitura de São Paulo". Por que não se volta à primeira expressão? "Cidade de São Paulo" nos leva ao amor e ao orgulho que sentimos por esta metrópole. Amamos a cidade, mas dificilmente haverá quem ame a Prefeitura (provavelmente nem o prefeito). São recursos subliminares, senão liminares, que contribuirão para caracterizar nossos sentimentos e hábitos em relação à cidade em que vivemos.

José de Ávila Aguiar Coimbra

avila_coimbra@yahoo.com.br

São Paulo

*

ADMINISTRAÇÃO DE PARQUES FUTUROS

É impressionante como uma notícia causa impacto na vida das pessoas. Pense você que, na situação em que se encontra a cidade de São Paulo, em 2022, aproximadamente nove anos, os moradores poderão ganhar um novo parque público. E não é só isso, minha gente, aos 115 anos de idade, o prefeito Fernando Haddad, no ano de 2078, irá entregar e/ou cobrar a entrega de mais um parque público onde no ano de 2077 funcionou o antigo CT do Palmeiras. Senhor Haddad, é muita gentileza de sua parte para com os moradores da cidade mais poluída e porca do País querer construir duas obras de tamanha importância para o pulmão paulistano, como são os parques, mas enquanto isso não entra no papel, quem dirá sair, seria possível administrar melhor os recursos de forma a garantir pelo menos a segurança das pessoas que supostamente virão a frequentar esses dois parques? Já seria um bom começo!

Rafael Piccin

rafael.piccin@gmail.com

Americana

*

ENXURRADA PROGRAMADA

De olhos postos nas eleições e na Copa do Mundo de 2014, políticos atentos propuseram, por meio de projeto de lei complementar, a retirada do salário dos policiais do teto de gastos com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal, para garantir a imagem de segurança. Será que o custo dos profissionais de medicina não é retirado da Lei de Responsabilidade Fiscal, apenas para sustentar a vinda dos médicos estrangeiros?

Carlos D. N. da Gama Neto

carlosgama@conjeituras.com.br

Santos

*

A PAZ NO RIO DE JANEIRO

Com os recentes acontecimentos na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, parece que a ilusão da paz está chegando ao fim. Os tiroteios voltaram e os moradores inocentes preveem a volta do inferno da convivência com os bandidos e traficantes de drogas. A polícia envolveu-se com a tortura e o provável assassinato de Amarildo, motivo pelo qual ressuscitou a petulância dos bandidos e a coação dos moradores, vítimas de suas ameaças e chantagens. Enxugar gelo é uma ação inglória. Só nos restam a oração e um milagre para extirpar o diabo destas favelas, frágeis e vítimas de sua ação maligna.

Mário Negrão Borgonovi

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.