Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2013 | 02h11

Prisão dos mensaleiros

A detenção de alguns dos acusados do mensalão que foram julgados e condenados mostra uma situação que exige muita reflexão. A primeira é que, se não tiveram os argumentos suficientes para justificar seus atos, a condenação teve sua razão de ser. Segunda, não se pode usar esse fato como justificativa para apontar todos os militantes desta ou daquela tendência política como ativistas desonestos. Cada caso é um caso. Por certo, a data vai entrar para a história política brasileira. E não deixa de ser um fato que motiva tristeza.

URIEL VILLAS BOAS

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

Vergonha

De fato, é triste a Nação ter de comemorar a prisão de políticos corruptos e de colarinho branco, quando isso só nos envergonha. Obrigada a Joaquim Barbosa e aos demais ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que não se deixaram influenciar por quem os nomeou e condenaram os até então impunes e os malfeitores.

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Dia da República

O fato de a prisão dos mensaleiros ter ocorrido no 15 de Novembro foi a melhor comemoração do Dia da República!

JOSÉ ANTÔNIO GARBINO

garbino.blv@terra.com.br

Bauru

Dupla comemoração

Mais importante nesse dia festivo não foi a prisão desses facínoras mensaleiros, e sim o seu significado. O 15 de Novembro, sem dúvida alguma, passa agora a ser uma data de dupla comemoração, pois diante do esquema planejado pelo ex-presidente para manter indefinidamente o poder se pode dizer que é uma nova Proclamação da República, que livra o Brasil de uma ditadura socialista vermelha. Infelizmente, o maior culpado, o verdadeiro chefe, vai sair ileso, porque alegou não saber de nada e deixou que seus capangas sofressem as consequências por ele. Viva o Brasil! Viva o ministro Joaquim Barbosa! E viva a vitória do bem!

JOSÉ MENDES

josemendesca@ig.com.br

Votorantim

Um dia a casa cai

Quem tem um amigo e chefe como Lula não precisa de inimigos. Ao seu melhor estilo, Lula fez-se de desentendido, como se nada tivesse que ver com o mensalão, e saiu de banda. Muitos parecem temê-lo - só Deus sabe os motivos - e não dizem às autoridades o óbvio: era Lula o mandante e beneficiário do esquema e, sim, ele sabia de tudo. Mas um dia a casa cai. E nesse dia, de fato, se fará Justiça.

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Está faltando um

"Nunca antes na História deste país" tantos membros da elite de um partido governista foram condenados num mesmo processo. Pena que entre eles não esteja incluído o useiro e vezeiro dessa expressão entre aspas.

ODILON OTAVIO DOS SANTOS

Marília

Recado para Delúbio

"Em três ou quatro anos tudo será esclarecido e esquecido e acabará virando piada de salão" (Delúbio Soares, em 2005). Errou várias vezes: demorou um pouco mais (oito anos), tudo foi muito bem esclarecido, mas nada foi esquecido. Quanto a virar piada, quem está rindo é o povo brasileiro, honesto e trabalhador. Que sirva de lição aos demais larápios do erário.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Piadista

E, no fim das contas, a piada de salão acabou virando "férias" na prisão.

RICARDO SANAZARO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

Preso político?

Condenado justa e democraticamente pelo STF a 6 anos e 11 meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha, José Genoino entregou-se à Polícia Federal gritando: "Sou um preso político!". Se ele realmente acredita que o mais sórdido esquema de desvios de recursos públicos, no qual ele teve participação ativa e importante, não foi um crime, mas um mero ato político, sua pena deveria ser revista e aumentada, porque corremos o risco de ao término do cumprimento da sentença ele fazer tudo de novo e, mais uma vez, sair por aí bradando: "Viva o PT!".

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Da pior espécie

Preso político o caramba! Depois de mais de um ano de julgamento, temos é políticos presos, e da pior espécie.

NÍVEO AURÉLIO VILLA

niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

Muy amigos

"Sou preso político", afirma Genoino. Bonito. "Nenhuma prisão vai prender minha consciência", declara Dirceu. Lindo. Já Lula, tirando o corpo fora, como sempre, diz: "Como eu posso ter uma opinião sobre uma decisão da Suprema Corte, gente?" - enquanto "festeja" a prisão agora, pois não "prejudicará" interesses eleitorais em 2014. Feio. A direção do PT mantém distância dos condenados. Maldade. Que belos exemplos de apoio e solidariedade. Mostram quem verdadeiramente eles são. Com amigos assim...

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Raposa perde o pelo, mas...

José Dirceu disse a um jornalista que a prisão não vai abatê-lo, muito menos tirá-lo da vida política: "Eu não vou me dobrar. Eu vou continuar lutando. Nenhuma prisão vai prender a minha consciência". O que nos leva a concluir que o cara perde o pelo, mas não perde o vício. E continua valendo o dito popular "a presunção é a mãe de todas as asneiras" ou, ainda, "quem não é dono de sua boca é escravo de suas palavras". O que, na verdade, nos interessa é que a justiça se fez e os ditos "malfeitos" e "caixa 2" se transformaram em crimes não afiançáveis. Cadeia para quem rouba ou usa mal o dinheiro do povo!

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Está em todas

O PT não pode mais acusar ninguém de corrupção, pois seus membros participam de todas as maracutaias.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

alatieugenio@gmail.com

Campinas

___________________

PRISÃO DOS MENSALEIROS

Ministro Joaquim Barbosa, durma em paz, meu anjo.

Celia Henriques Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

*

TARDA, MAS NÃO FALHA

Completada quase uma década do famigerado processo chamado mensalão, somente agora o Supremo Tribunal Federal (STF) se mostrou verdadeiramente inclinado à decretação da prisão e o imediato cumprimento das penas dos condenados. Espera-se, com isso, que a nossa classe política, tão desgastada e desacreditada, não mais desafie as leis do País e marginalize a população menos favorecida com o desvio de verbas públicas. Basta, agora, reaver o numerário de que os mensaleiros se apropriaram para que o julgamento iniciado se conclua de forma histórica, a mostrar que a Justiça tarda, mas não falha.

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

MENSALEIROS CONDENADOS

Ouvi dizer que a maioria dos mensaleiros cumprirá pena em regime semiaberto (cumprimento da pena em colônia agrícola, industrial ou estabelecimento similar). Ouvi dizer também que não há no País instituições suficientes para abrigar o número de presos condenados nesse regime. Ouvi dizer, então, que nesses casos o preso passa a cumprir pena no regime aberto (cumprimento da pena em casa de albergado ou estabelecimento adequado). Mas, da mesma forma, ouvi dizer que não há no País instituições suficientes para abrigar o número de presos condenados nesse regime. Ouvi dizer, então, que nesse caso o preso vai cumprir a pena em sua casa. Espero que isso não seja verdade e que não sejamos obrigados a conviver mais uma penca de anos com as capas de jornais e revistas estampando o sr. José Dirceu, chefe da quadrilha de mensaleiros, assaltante dos cofres públicos e, principalmente, do que resta da moral democrática do nosso país, tomando banho de sol em paradisíacas praias do nosso litoral.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

DISPOSIÇÃO PARA O DIA SEGUINTE

Supremo Tribunal Federa (STF) decide por prisão de condenados do mensalão. Entre os condenados, vários poderão passar o dia despachando no Congresso Nacional e, no período noturno, dormir na cadeia. Minha dúvida e saber se, após passarem a noite no xilindró, nossos nobres deputados terão disposição para o trabalho do dia seguinte.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PIADA DE SALÃO

Finalmente, Delúbio Soares vai poder contar aquela tal piada de salão que estava presa em sua garganta desde 2005 a uma seleta plateia composta por seus colegas de presídio.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

A BANCADA DA PAPUDA

A bancada carcerária criada há pouco e que funciona num puxadinho no presídio da Papuda, promete para breve, com a bem-vinda ajuda do STF e apoio incondicional de um Congresso desmoralizado que tenta mostrar autonomia quando tudo não passa de um corporativismo primário, quintuplicar o numero de nobres parlamentares e tornar-se multipartidária. Porém sem abrir mão do comando exercido pelo experiente Partido dos Trabalhadores. Sem dúvidas esses novos inquilinos criarão sérios problemas para a direção dessa casa de detenção em consequência do contato permanente que terão com os dois mil apenados lá existentes, pondo inclusive em risco todo um trabalho de recuperação e de integração social realizado por dedicadas psicólogas e assistentes sociais ao logo de anos. É uma pena não termos juízes chineses. Eles teriam optado por uma decisão final de custo zero para o contribuinte.

Humberto de Luna F. Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

INOCÊNCIA

Lendo o que disseram alguns dos defensores de réus do "mensalão", inevitavelmente chega-se ao dilema: ou os senhores bacharéis são um poço de virtudes e de inocência ou são de um caradurismo monumental. Senão, vejamos: diz um que, "se a pena é para socializar a pessoa, a presença da família é essencial". O outro: "Meu cliente fará uma pequena viagem para visitar parentes". E a melhor: "Dirceu é um homem que cumpre rigorosamente a lei". São declarações para um novo Febeapá, o Festival de Besteiras que Assolam o País. As faculdades onde se formaram tais bacharéis merecerão culpa por isso?

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

SINAL DE ALERTA

O artigo 101 da Constituição federal de 1988 estabelece que o STF será composto por 11 ministros, escolhidos entre cidadãos com idades no intervalo de trinta e cinco a sessenta anos, de notável saber jurídico e reputação ilibada. O nomeado não precisa, portanto, em princípio, possuir sequer o título de bacharel em Direito nem necessita, em consequência, comprovar experiência de expedição de sentença, o que, para o cidadão comum, constitui uma espécie de paradoxo. O parágrafo único do mesmo artigo, combinado com o artigo 52 da lei maior, afirma que cabe ao presidente da República as nomeações dos togados da Corte, sendo estas ratificadas pelo Senado federal, em sabatina, de utilidade duvidosa. Ao longo de todo o processo do mensalão cujo desfecho começa a ser finalmente desenhado, a sociedade alternou momentos de sobressalto e apreensão, originados pelas atitudes e posturas de alguns ministros – o governo do PT nomeou 9 dos 11 atualmente em atividade – sugerindo um ambiente de velada fidelidade a quem os nomeou, desconfiança que indignou alguns deles mas que era inevitável. Que fique como ensinamento de todo este zigue-zague jurídico, com duração de mais de sete anos, a importância de um debate sobre a revisão das cláusulas constitucionais referentes aos critérios de escolha dos juízes. Tudo indica que tal iniciativa não partirá do governo, por motivos óbvios, mas fica o sinal de alerta para a questão.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

INFERNO ASTRAL DO PT

Se o Supremo Tribunal Federal (STF) surpreende a cúpula petista ao decretar a prisão da quadrilha do mensalão, incluindo seu líder e mentor, José Dirceu, na economia, se não surpreendem, preocupam muito a sociedade brasileira os inquestionáveis equívocos cometidos até aqui pela presidente Dilma. A previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) do 3.º trimestre de 2013, divulgada pelo Banco Central, aponta para uma queda de 0,12%. Sinal de que neste ano, se a atividade econômica continuar no mesmo ritmo que o de julho a setembro, o PIB dificilmente atingirá os 2%. E como os especialistas já admitem para 2014 uma economia mais fraca ainda, Dilma corre o sério risco de encerrar seu mandato com uma média de crescimento abaixo de 2%. Ou seja, medíocre. Bem diferente dos nossos vizinhos, como o Paraguai, Peru e Chile, que não ficam perdendo tempo em culpar por seus possíveis fracassos a zona do euro e os EUA, como infelizmente faz a nossa presidente. Esses países crescem a taxas de dar inveja a todos nós, brasileiros. Só espero que o PT não culpe, a partir de agora, também pelo seu completo amadorismo administrativo o STF, que em boa hora lava a alma da nossa sociedade, decretando o encarceramento dos mensaleiros de Lula, e dá as boas-vindas ao possível ressurgimento da ética no seio das nossas instituições. Aliás, essa dignificante decisão da nossa Corte pode até reanimar aqueles investidores externos que estão céticos, desiludidos com os rumos que vem adotando o governo petista, porque pelo menos no quesito combate à corrupção algo já está sendo feito.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PAQ

Dilma, a quatro mãos com Mantega, toca sua dissonante composição: PAQ, Programa de Aceleração de Queda.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

OBRA EMPERRADA

A presidenta Dilma reclamou do Tribunal de Contas da União (TCU), que recomendou a paralisação de sete obras com indícios de irregularidades, mas se esquece do que está acontecendo com a transposição do Rio São Francisco, por exemplo.

Miguel Ribeiro da Silva mrsierra@ig.com.br

Jandira

*

PIORES

Sra. Dilma, piores que o custo da paralisação das obras são o não-ressarcimento do desviado, a não-punição prevista e a continuidade da roubalheira.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ABSURDO

A recomendação da paralisação das obras com indícios de irregularidades (diga-se roubalheira) deveria ser tratada como perfeitamente normal e saudável para um bom administrador, e não classificada por ele como "um absurdo". Absurdo é a reação do administrador que se insurgiu contra o alerta de um órgão de controle. Absurdo é a passividade do povo diante de tantos desmandos na condução dos negócios públicos. Absurdo é vermos o País ser espoliado diariamente pela classe política, sem nenhuma reação. Absurdo é ver o povo ser enganado diariamente por mentiras para acobertar a economia do Tesouro e das empresas públicas. E por aí vai.

Carlos Fernando Braga cafebraga@yahoo.com.br

São Paulo

*

INCOMPETÊNCIA

A nossa incompetente presidente declara ser absurdo paralisar sete obras com suspeita de irregularidades. Realmente falta a ela um mínimo de bom senso. O que ela deveria tomar em conta é que absurdo é o governo federal ter sete projetos sob suspeita de malfeitos. Nem tomemos em conta, por enquanto, que de fato haja algo errado nestes projetos, mas o fato de que indícios de malfeitos se configurem já mostra a falta de cuidado e competência deste governo federal. É lamentável!

Abel de Mattos Cabral Neto abelcabral@uol.com.br

Campinas

*

‘O VERDADEIRO ABSURDO’

O editorial "O verdadeiro absurdo" (12/11, A3) é irretocável, ainda que muito elegante, não ressaltando a má gestão da presidente. Ela não se sente chocada com maus projetos, perda de dinheiro público (ah, se saísse dos bolsos dos responsáveis!), má execução. Em resumo, depois de tantos anos no governo, não soube impor competência e lisura, e continuam as patotadas. Se as coisas, de um modo geral, vão muito mal, quanto cabe à "gerente"? (faz-me rir!).

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

A VENEZUELA NO MERCOSUL

A Venezuela, mais novo integrante do Mercosul, traz ao grupo o que sabe fazer de melhor: atrapalhar! O país de Nicolás Maduro impede as negociações do grupo com os países europeus. Sabem quais os mais prejudicados com isso? Não? Então vai lá: Brasil, Uruguai e Paraguai. As aparições do falecido Chávez (Deus o tenha) ao Maduro são consequentes. Em tempo: o Brasil foi defensor ardoroso do ingresso daquele país no Mercado Comum do Sul.

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

*

MAUS COMPANHEIROS

Recado do negociador europeu do acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul, ao negociador brasileiro: Diga-me com quem andas e eu te direi quem és.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

MER(D)OSUL

Após a leitura do artigo "O Mercosul na encruzilhada" (12/11, A2), do ex-embaixador Rubens Barbosa, presidente do Conselho de Comércio Exterior da Fiesp, peço vênia para grafar o malogrado e infrutífero acordo sul-americano de Mer(d)osul. Não há palavra mais apropriada!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

ANTIAMERICANISMO

Humilhante, com declarações agressivas, foi o discurso no almoço de despedida do embaixador norte-americano, Thomas Shennon, em setembro do Itamaraty, feito por um diplomata tapuia do terceiro escalão. Sem a presença do ministro das Relações Exteriores, o que seria natural nos meios diplomáticos, o petismo com suas manifestações patológicas antiamericanas, procura o quê? Identificar-se cada vez mais com a ilha-presídio dos ditadores irmãos Castro, com a Venezuela de Maduro, que nos deve e não paga, e onde até a correlação entre a falta de comida e papel higiênico mostra-se confusa, engraçada se não fosse triste, ou com a Argentina, para quem o Mercosul só existe desde que a seu favor. Como se não bastasse, ainda usamos dos nossos recursos no BNDES para financiar Angola, Equador, entre outros com identificação ideológica, não importando se ditaduras assassinas e ou corruptas, desde que esquerdistas, exemplos do fracasso. Todavia, algo o PT está conseguindo em nossa história: estar na contramão do mundo civilizado e, lamentavelmente, ser o governo brasileiro considerado patético e alvo de piadas.

Mario Cobucci Junio maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

O SENADO SOB CALHEIROS

Gostaria de cumprimentar o "O Estado de S. Paulo", na pessoa do jornalista Ricardo Brito, pelas excelentes matérias sobre os mandos e desmandos do senador Renan Calheiros no Senado Federal. Como cidadão e servidor público, acompanho as notícias relacionadas ao Senado com muita tristeza em ver, mais uma vez, figura política que representa o coronelismo no Brasil em posição de destaque, ocupando o cargo mais alto do Poder Legislativo. Sou servidor de carreira, aprovado em concurso público, e, assim como 30 milhões de brasileiros que se dedicam ao sonho do cargo público, não deixo passar em branco qualquer atitude que contrarie o sagrado princípio do concurso público, elencado na Constituição, do qual o senador Renan Calheiros parece se esquecer ao promover essa farra de apadrinhados políticos no Senado da República. Parabéns mais uma vez!

Bruno Lima brunolimaprf@hotmail.com

São Paulo

*

MORALIZAÇÃO

Sr. Renan Calheiros, aproveite que o senhor é o presidente do Senado e moralize esta Casa em benefício do nosso povo tão carente! Não se pode aceitar que, para cada senador, existam 77 funcionários! Uma folha de pagamento de R$ 3 bilhões por ano!

Cleo Aidar cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

UM VERDADEIRO CABIDE

Conhecendo o presidente do Senado, Renan Calheiros, e seu passado, como conhecemos, alguém tinha dúvidas de que o Senado se tornaria, pela primeira vez em 11 anos de "pudê" do PT-lulismo, o recordista em servidores admitidos por indicação, ou seja, um verdadeiro cabide de empregos?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

CORRUPÇÃO NA PREFEITURA

Evidentemente, o fato primordial em relação ao rombo de R$ 500 milhões na Secretaria Municipal de Finanças de São Paulo, na gestão de oito anos Serra/Kassab, foi sua descoberta possibilitada pela criação da Controladoria Geral do Município (CGM). Logo, neste caso específico, aplausos para Fernando Haddad e repúdio à gestão Serra/Kassab. O resto é tentativa desesperada de jogar cortina de fumaça no assunto.

Paulo Sergio Fidelis Gomes psf.gomes@ig.com.br

São Paulo

*

BAIXA NA GESTÃO HADDAD

O prefeito "Malddad" já teve a primeira baixa em seu governo. O seu secretario de Governo, Antonio Donato, pediu afastamento do cargo e alegou uma orquestração dos funcionários investigados no sentido de envolvê-lo levianamente no caso de corrupção na Secretaria de Finanças da Prefeitura. Fernando Haddad percebeu que o tiro saiu pela culatra, pois achou que, investigando os fiscais, seu governo sairia ileso. Essa é uma ponta do iceberg. Se os investigados resolverem falar, muita coisa vai aparecer e muito mais gente deve estar envolvida. A sociedade espera que a investigação continue e que os culpados sejam punidos exemplarmente. Mas os homens do governo, percebendo que tal escândalo pode virar para a gestão petista, serão capazes de perdoar os envolvidos e até pedir desculpas a eles. Afinal, roubar sempre foi uma prática em todos os governos e a solução de todo gestor incompetente é aumentar impostos. Quem discordar, que me prove o contrário. O Brasil é o país que tem a maior carga tributária do mundo e, pelo andar da carruagem, ainda vamos pagar muita conta das quadrilhas infiltradas no poder. A conferir.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

ANTONIO DONATO IMUNE

Antonio Donato disse que saiu da secretaria de Governo para não atrapalhar as investigações. Conversa! Voltando para Câmara dos Vereadores, ele tem novamente imunidade parlamentar e foro privilegiado. Ótima manobra para quem já sente a justiça morder seus calcanhares. Aproveitando, aliás, já que a Suécia quer desativar presídios por falta de uso, sugiro que o governo brasileiro faça um acordo com os suecos para exportar corruptos, já que esses gostam tanto de levar uma vida de Primeiro Mundo com dinheiro público desviado, vão se sentir à vontade lá. Sugiro, porém, que construam, pelo menos, mais três presídios, dos grandes, para caber todos os ladrões de terno e gravata deste meu país.

Sérgio Aparecido Nardelli sergio9@ig.com.br

São Paulo

*

O INVERSO DE MIDAS

Pelo andar da carruagem, parece que o PT, antigo partido da pureza nacional, está atolado até o pescoço em mais um caso de corrupção, desta vez envolvendo a Prefeitura de São Paulo. Ao que tudo indica, vem aí mais um mensalão. Pois é, segundo a lenda, tudo o que o rei Midas tocava se transformava em ouro e, ao que parece, tudo o que o PT toca se transforma em corrupção.

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

DONATO CAI, RODRIGUES SOBE

No dia em que o secretário de Governo Antonio Donato (PT) deixou o cargo, o assunto no Campo Limpo/Capão Redondo, zona sul, foi o suplente da ministra da Cultura, Marta Suplicy, o senador Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP). Os seguidores do "tio" ou "painho" – como é chamado o senador Rodrigues pelos mais pobres do Campo Limpo – querem sua indicação já para ser vice de Alexandre Padilha ao governo de São Paulo. Alegam a sua lealdade à presidente Dilma Rousseff. Para cacifar Antonio Carlos Rodrigues, orquestram a vinda do ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) para um grande ato ecumênico pela paz no Capão Redondo, em janeiro. Também esperam a presença de Lula no palanque.

Devanir Amâncio devaniramancio@ig.com.br

São Paulo

*

CRUZANDO FRONTEIRAS

Este esquema dos auditores fiscais da Prefeitura de São Paulo é só em São Paulo? Acho bom verem outras prefeituras também. Embora saibamos que não vai dar em nada, porque neste país não acontece nada contra os corruptos, seria bom apurar.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

BREJO

Brasil, campeão da impunidade! É mensalão, é cartel dos trens, é ISS, é dinheiro na cueca, são condenados pela Justiça soltos. Falem a verdade, alguém ainda acredita na recuperação do País? Francamente, para mim o Brasil já foi para o brejo, como dizia meu avô Serafim. Não tem cura.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

DITADURA X CORRUPÇÃO

Não será impossível que o regime militar, que nos proporcionou a odiável ditadura, se rejubile por ter permanecido no poder por quase o dobro do tempo que perdurou o regime corrupto e incompetente atual. Espero, torcendo, pra ver.

Lourival Geraldo Moreira Logmoreira@yahoo.com.br

Botucatu

*

PROFISSIONAIS

É o que sempre digo: a Prefeitura de São Paulo, o governo dos Estados e a Presidência da República não são para principiantes...

Ricardo Kushiyama rkushiyama@gmail.com

São Paulo

*

IPTU E PRECATÓRIOS

O noticiário está para a festa da corrupção e da impunidade. Venda de "habite-se", aumento extorsivo do IPTU e "modulação", nova moratória, dos precatórios. Vítima de agentes corruptos, ao invés de auditar e rever os lançamentos de ISS de "habite-ses" viciados pela criminalidade, cassando-os e lançando as diferenças devidas, abocanhadas pelos auditores e contribuintes corruptos, eis que a Prefeitura de São Paulo propõe-se agravar o imposto predial que vai atingir proprietários e inquilinos honestos e trabalhadores. Pactua com o vício e pune a pureza. Por outra, da nossa mais alta corte, o Supremo Tribunal Federal (STF), guardiã da nossa Lei Maior, eis que um dos seus ministros (não merece ser citado – a notícia deve ser boato), ao invés de defender, estaria invertendo sua função ao propor, sob o rótulo de modulação, nada menos que a violação dos princípios que lhe cabe defender, da coisa julgada, cláusula pétrea do estado democrático de direito que, assim, se mantém "fajuto", na opinião do saudoso professor Miguel Reale. Ainda bem que alguns devedores caloteiros contumazes das decisões judiciais (Santo André e Guarujá, ao que se sabe) já se deram conta de que será melhor aproveitar a demora do STF na divulgação do acórdão que julgou inconstitucionais as vergonhosas e arbitrárias Emendas Constitucionais 30 e 62 para ir pagando quanto pode para evitar a execução da coisa julgada com sequestros de receita e intervenções previstos pela Lei Maior.

Nevino Antonio Rocco nevino_a_rocco@yahoo.com

São Bernardo do Campo

*

BEM FEITO

Aumento do imposto predial! Muito bem feito para esses idiotas do PT que elegeram este prefeito.

Agostinho Locci legustan@gmail.com

São Paulo

*

CAMPANHA CONTRÁRIA

Não li nenhuma manifestação da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) sobre o aumento do IPTU. Gostaria de saber por que a Fiesp, através do seu presidente, Paulo Skaf, não veio a público, como fez em outras campanhas, defender a nós, os paulistanos, contra o abusivo aumento do IPTU proposto pelo sr. Fernando Haddad.

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

RODOVIAS – 2013

A Confederação Nacional dos Transportes (CNT) divulgou pesquisa das Rodovias em 2013, e, dentre as 10 melhores estradas avalizadas, nove (9) estão no Estado de São Paulo, Estado que apresenta o maior percentual da malha rodoviária avaliada como ótima, com 57,3%, seguida do Rio de Janeiro, Santa Catarina e demais. Acresce que 82,2% das rodovias paulistas foram consideradas ótimas e boas, em comparação com a malha nacional pesquisada, das quais apenas 36,2% foram consideradas ótimas e boas. Embora haja reclamação quanto ao preço cobrado pelo pedágio nas estradas paulistas, as concessionárias das mesmas têm feito jus ao pedágio conservando e mantendo a segurança em todas elas.

Douglas Jorge douglasjorge@terra.com.br

São Paulo

*

NOVOS MUNICÍPIOS

Finalmente uma notícia favorável à gestão da "presidenta" Dilma. A sua lucidez transpareceu por meio do veto à criação de mais 188 cidades no País. A manobra imoral dos políticos que desejam criar mais cargos para acomodar políticos em sua maioria corruptos e despreparados, criando novos municípios e retalhando o território nacional, parece que já não funciona mais, graças a Deus! Até mesmo o argumento de que os distritos de alguns municípios estão muito longe do distrito sede é frágil, porque quem deve ir aos distritos é o prefeito e percorrer todo seu território e não ficar sentado na corte municipal, sob o conforto do ar condicionado e tomando cafezinhos, quase sempre acompanhado de adulações de suas secretárias muito bem pagas com o dinheiro público.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

UM POUCO DE SERIEDADE

Muito bom o veto para criação de mais e mais "currais" eleitorais, já que a imensa maioria dos municípios criados vive à custa do governo federal. Mas a coisa não acabou. Começa agora a avaliação do veto pelos congressistas. São tantos e tantos os interesses de cada um, ou de grupos, como acontece na política brasileira! Vamos esperar um pouco de seriedade dos políticos (coisa rara no Brasil).

Plínio Zabeu pzabeu@uol.com.br

Americana

*

SERTÃO SEDENTO

A seca de 1953 levou muito sofrimento ao povo nordestino. Há 60 anos o povo retirante caminhou em busca de dias melhores. Os currais eram campos de concentração onde alguns esperavam a morte por não ter aonde ir. Hoje, após anos de novas tecnologias, como o carro-pipa e de canais integrando açudes juntos a grandes adutoras, ainda há a sombra dos dias de sofrimento das secas no sertão. Cabe a todos nós a união para que as secas sejam trabalhadas e amenizadas. O sertão espera chuvas sedento de água e de vida.

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.