Fórum dos Leitores

GESTÃO HADDAD

O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2013 | 02h10

Faixa na Sumaré

Sou 100% favorável ao transporte público e coletivo (ônibus, metrô, trem), que deve ser prioridade. Mas uma coisa é investir e melhorar o transporte coletivo e outra, bem diferente, é piorar cada vez mais o já caótico trânsito paulistano, como fazem a CET e a Prefeitura. A nova faixa exclusiva para ônibus na Avenida Sumaré, por exemplo, é um verdadeiro desastre. O trânsito já ficou bem pior e muito mais lento para os motoristas. Com apenas duas faixas para os carros, leva-se agora o dobro de tempo e se criou um congestionamento que antes não existia naquela via. Está cada vez mais difícil viver em São Paulo. Em vez de tomarem medidas que facilitem a vida das pessoas, como novas estações de metrô, ciclovias, etc., fazem exatamente o contrário. Se tivesse uma boa opção, deixaria o carro na garagem e só usaria o transporte coletivo. Mas isso não é possível em São Paulo, com transporte público ruim, lento e de má qualidade.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

CET precisa de trena

Ridículo o trabalho feito pela CET nas Avenidas Rubem Berta e Washington Luís ao redefinir as faixas das vias. Os ônibus estão espremidos à direita, a faixa central ficou grande e dois carros ficam numa mesma faixa, a da esquerda, e espremida. A qualquer momento poderá haver um acidente na faixa central... Como pode uma engenharia dessas?!

MANUEL MONTEIRO

manuel.pires1954@hotmail.com

São Paulo

Prefeito enfarta artéria

O sistema da Avenida Jaguaré, que já era um nó, virou um nó cego duplo com o corredor de ônibus. Não pode implantar corredor na única via de passagem da Marginal/Centro para Osasco, Rio Pequeno, Avenida Politécnica, Rodovia Raposo Tavares e Cotia, estreitando em 30% uma via arterial. Travou para sempre a Marginal do Pinheiros, a Ponte do Jaguaré, as Avenidas dos Autonomistas, Corifeu de Azevedo Marques, Jaguaré, Politécnica, Rio Pequeno e também a Raposo Tavares. Antes de implantar tem de estudar para onde vão os carros. Quilômetros de corredor criando o caos aqui, não!

MARCOS ANTONIO BAUMANN

marcosbaum@ig.com.br

São Paulo

Trânsito infernal

O trânsito de São Paulo já era infernal, mas com faixas exclusivas ficou mais difícil ainda para os automóveis. Gostaria de saber por que o prefeito, em vez de gastar nosso dinheiro com essas faixas exclusivas, que estão conseguindo piorar o trânsito em toda a cidade, socializando o inferno em todos os bairros, não utiliza recursos para manutenção de semáforos, ou melhor, aquisição de equipamentos novos com tecnologia de sincronização. Pois basta garoar para todo o sistema entrar em colapso, com amarelo intermitente, desligamento e alteração do tempo de duração. Estranhamente, os radares que multam não sofrem nenhuma dificuldade. Temos no Brasil excelentes empresas de tecnologia de sistemas de computação e excelentes engenheiros para administração do trânsito. Aliás, creio que essa deveria ser a função da CET. Será que a Prefeitura quer deixar o povo trabalhador no trânsito congestionado, propositadamente, sendo vítima de arrastões, de estresse, e assim ficar sem tempo, ou sem ação, para reclamar de outras coisas, tal qual o absurdo do IPTU? Quem sabe, num futuro não muito distante, São Paulo se torne uma cidade fantasma, em vez deste inferno?

WALDIR CASSAPULA

waldir.cassapula@gmail.com

São Paulo

Harvey Dent

O prefeito Fernando Haddad desconhece princípios básicos de quem cursou a Faculdade de Direito. Como se explica o prefeito dizer que parte do aumento do IPTU seria utilizada para "cobrir" os gastos com o transporte público, quando é sabido que a arrecadação de impostos não pode estar vinculada a nenhum gasto público? E como se explica ele dizer que, caso as construtoras tenham sido "chantageadas", paguem à Prefeitura o que devem e "cobrem" dos chantagistas, "que têm patrimônio suficiente para isso", os valores extorquidos? Ora, a administração pública é impessoal. Os chantagistas são funcionários da Prefeitura. Sem prejuízo de as construtoras quitarem suas dívidas fiscais, se chantagem houve, foi por parte da Prefeitura. Esta deve indenizar as construtoras. O "patrimônio" dos chantagistas, por sua vez, deve ressarcir a Prefeitura. Assim, o prefeito que pare de agir como Harvey Dent (o promotor público de Gotham City, terra do Batman) e, em vez de alugar salas por conta própria - o que só municiará os advogados de defesa dos malfeitores -, administre a cidade, que está um caos, especialmente quando chove.

JOSÉ SEBASTIÃO DE PAIVA

jpaiva1@terra.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Penas dos mensaleiros

Sem entrar em detalhes técnicos, definições de crimes, etc. e tal., as penas aplicadas ao conjunto dos mensaleiros parecem injustas, pois, pelo que se viu, foram mais complacentes com os do chamado "núcleo político". Todos participaram da mesma falcatrua e os considerados "chefes" receberam penas relativamente menores. Mesmo assim, revoltam-se contra a Justiça! Dá a sensação ruim de que alguma coisa não está certa...

DÉCIO ANTÔNIO DAMIN

deciodamin@terra.com.br

Porto Alegre

Cartel do trem

A Suíça condenou um ex-diretor da CPTM. O condenado é brasileiro, o delito foi cometido no Brasil e a Justiça aqui ainda está investigando... Apesar disso, foi condenado na Suíça. E não vejo ninguém reclamar que na Suíça se condena sem provas e não se permite defesa ao acusado. Não vejo a Suíça ser acusada de ser uma ditadura e condenada por desrespeito aos direitos humanos. Deve ser por isso que eles fazem parte do Primeiro Mundo e nós, do primeiro imundo.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

Piadas de salão

Duas piadas de salão ao gosto de Delúbio Soares: 1) o sr. Lula, no auge de sua atividade de palpiteiro-mor, decretar que o mensalão era uma farsa; 2) o sr. José Dirceu tentar impingir ao povo brasileiro a balela de sua inocência no lamaçal da corrupção.

ALBERTO LEMOS

diegoseixas@hotmail.com

São Paulo

Soberba e altivez

É incrível a atitude dos políticos presos! Qualquer pessoa com um mínimo de vergonha jamais agiria como esses condenados a caminho da prisão. Parece que estão indo ao parque.

ANTONIO DE ARAUJO NOVAES

aanovaes@uol.com.br

São Paulo   ______________________  

CONSCIÊNCIA NEGRA

O Brasil tem um Produto Interno Bruto (PIB) de quase R$ 5 trilhões. Esse valor, dividido pelos dias úteis do calendário, resulta numa média de R$ 19 bilhões por dia. Esse pode ser o valor estimado que cada feriado nacional custa ao País. Enquanto não houver o feriado da consciência indígena ou vermelha, da amarela e da branca, o feriado da consciência negra, além de ser um grande prejuízo para a Nação, não passa de mais um ato racista na nossa legislação.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O FERIADO DE ZUMBI E A LEI

O feriado Dia de Zumbi e da Consciência Negra é oficializado em seis Estados (Alagoas, Amapá, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul) e em mais de mil municípios, mas agora é declarado ilegal pela Justiça. Os Tribunais de Justiça de Goiás e de São Paulo dizem que Estados e municípios não poderiam criá-lo, pois a competência sobre feriados civis é federal. É louvável todo esforço que se faz pela redenção do negro. Mas há que se tomar muito cuidado para evitar a criação de guetos que possam torná-los cidadãos diferentes dos demais. Os políticos estão indo longe demais ao propor cotas, reservas de mercado e outras benesses ou honrarias que os possam colocar de bem com a comunidade negra e, evidentemente, amealhar seus votos. As ajudas e favorecimentos sociais que se possa oferecer devem beneficiar os vulneráveis, independentemente da cor de sua pele ou da etnia. Se for guardar feriado pela comunidade negra, será justo também fazer feriados pelos portugueses, espanhóis, italianos, árabes, japoneses e tantos outros grupos étnicos de que formam nossa miscigenada população. Estudo Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) diz que, em cada feriado nacional, o País deixa de produzir R$ 4,06 bilhões só na área industrial. A melhor homenagem àqueles que construíram o País é, sem dúvida, trabalhar.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

BRASIL DE TODOS

Cotas raciais anularam o sentido da palavra cosmopolita: como ficam os imigrantes, exilados, os mamelucos, os índios, os portugueses e espanhóis, os mouros e os judeus?

Carlos Jose Benati cjbenatti@globo.com

São Paulo

*

REVERÊNCIA

No feriado cívico da Consciência Negra, o Brasil aplaude e reverencia o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), por sua irretocável condução do julgamento do mensalão. A ele o Brasil deve um capítulo especialíssimo, a ser lido no futuro como uma das mais importantes passagens de sua história. Bravo, Barbosa! Bravo, Brasil!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

REGIME SEMIABERTO

José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares foram para a ala de regime semiaberto do Complexo Penitenciário da Papuda, o que significa que dormirão na cadeia e sairão durante o dia. A raposa-chefe do mensalão do PT, sr. Dirceu, vai "trabalhar" com carteira assinada num escritório de advogados, velhos amigos seus. Tentando explicar o óbvio, disse que prefere cumprir a pena em Brasília, para ficar perto dos filhos. Resumo: o escritório do lobbying vai mudar de São Paulo para Brasília...

Eduardo A. de Campos Pires eacpires@terra.com.br

São Paulo

*

PAÚRA

Uma das coisas que mais preocupam os sindicalistas, políticos e dirigentes partidários condenados ao regime semiaberto é que, para a obtenção do benefício, terão de comprovar trabalho formal. Além de não estarem muito habituados, o trabalho terá de ser lícito. Dureza.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

PRISÃO OU HOSPEDARIA?

As penas, no Brasil, para os condenados, não são penas. São prêmio. Como é que pode alguns condenados no processo do mensalão poderem cumpri-la em regime semiaberto? Desviaram dinheiro, subornaram, etc. e podem passar o dia fora da cadeia. Não é de todo ruim ser fora da lei no Brasil.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O CRIME COMPENSA

O crime compensa no Brasil. A Justiça demorou quase uma década para julgar políticos que mandavam a mulher ao banco receber dinheiro vivo de lobista. Uma década para julgar irmão de político pego com milhões enfiados na cueca. Essa lentidão cúmplice da Justiça permitiu a reeleição do governo mais corrupto e incompetente que o Brasil já conheceu, permitiu a eleição da sucessora da corrupção e, certamente, vai permitir a reeleição da sucessora-poste incompetente no ano que vem, já no primeiro turno. O teatrinho com os criminosos sendo presos está com os dias contados, já vão todos para o regime semiaberto e, daí, para a liberdade. A completa falência dos Três Poderes, escravos da corrupção, não permite qualquer réstia de esperança de que algo irá mudar. A corruptocracia brasileira nunca esteve tão forte e intocável, e a prova maior disso é o patético julgamento do mensalão.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

IGUALDADE

Semiaberto ou fechado? O que não pode ser esquecido é que, perante a lei, somos todos iguais.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PARA MINISTRO, LULA SABIA

Em recente entrevista, o ministro do STF Marco Aurélio Mello, após manifestar o ponto de vista de que seria impossível ao ex-presidente Lula não saber da existência do mensalão, acrescentou, referindo-se ao resultado do processo, em fase de cumprimento das penas, ser inconcebível a continuação de exercício de mandato público por condenado, esperando, assim, que a Câmara dos Deputados proclame sumariamente a respectiva cassação, a fim de evitar o constrangimento protagonizado pelo sr. Natan Donadon, condenado a 13 anos e ainda titular da cadeira parlamentar, afastando também, em consequência, a vergonhosa hipótese da formação de uma "bancada da Papuda" naquela Casa. Como se vê, são duas opiniões que bem poderiam partir de qualquer cidadão, mesmo este não sendo ministro do STF, de bom senso e que seja capaz de formular conclusões coerentes diante dos fatos. Só resta aguardar agora que o ex-presidente, até em respeito aos correligionários condenados, se pronuncie a respeito do seu envolvimento no mensalão e que o Congresso Nacional cumpra a parte que dele espera a sociedade.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

BANCADA DA PAPUDA

Com a prisão dos mensaleiros, cresce (e ainda vai crescer mais) a "bancada da Papuda". O PCC quer se tornar partido político, mas tal partido já existe (o "Partido dos Canalhas Corruptos") e é da base aliada do (des)governo da presidente. Afinal , como disse o maior dos canalhas, aquele para quem a Justiça inexiste e tem suas botas lambidas, quer seja por quem lhe deveria ser seu opositor ou maioria de imbecis desta Terra. Espero que a Justiça tenha lido a última frase do boquirroto ao dar apoio a seus comparsas da quadrilha e o enquadre como o líder destes ladrões, afinal, segundo o próprio "estamos juntos". Prova mais cabal do que esta...

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

*

RESTA UM

Nunca antes na história deste país ouviu-se frase tão cínica: "Estamos juntos", disse Lula aos companheiros petistas encarcerados José Dirceu e José Genoino. "Juntos" como, cara pálida? Enquanto eles estão no merecido cárcere, Lula está como sempre esteve: livre, leve e solto. Acima de tudo, solto. Por enquanto. Com tanto petista preso, alguém há de abrir, e bem, o bico. E nesta hora vai encontrar os ouvidos atentos do nosso Joaquim Barbosa. O brasileiro de bem espera pelo desfecho merecido: a prisão, também, do "técnico do time". Afinal, os jogadores e o "capitão" estão à espera do chefe.

Julius Boros

Cotia

*

NOVOS MANDATÁRIOS

Não será novidade alguma se a famosa militância petista voltar, de agora em diante, com força total em virtude da prisão de um dos seus principais quadros, principalmente após o ex-presidente Lula ter dito uma frase nova que se torna famosa: "Estamos juntos". A mídia em geral, que tem jogado contra os governos petistas, em todas as esferas de governo, terá de se desdobrar para manter em alta a oposição. Quem mais corre perigo é o PSDB em São Paulo. No ápice do mensalão, Fernando Haddad levou a prefeitura e, em breve, levarão o Estado de São Paulo. Será uma questão de honra para Lula. Não sou petista, não vou votar em Alexandre Padilha, mas o Palácio do Bandeirantes vai mudar de mãos. Quem viver verá, no que pese estarmos ainda em meados de novembro de 2013

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

REALIDADE

Espero que a declaração de apoio de Lula aos mensaleiros se transforme em realidade, ou seja, que em breve todos estejam juntos, no Presídio da Papuda.

Fernando Fenerich ffenerich@gmail.com

São Paulo

*

FORÇA DE EXPRESSÃO

O ex-presidente Lula, num arroubo de arrependimento ou até num ato falho, confessa o que a Justiça brasileira deveria ter reconhecido há muito tempo. Uma coisa é certa, seus companheiros jamais acreditarão em sua solidariedade, pois da parte "delle" isso não existe, seu ego é maior. Quando diz "estamos juntos", com certeza é em virtude da distância que os separa. Se tivessem realmente de estar juntos, a expressão jamais seria utilizada por "elle".

Iracema M. Oliveira mandarinooliveira@uol.com.br

Praia Grande

*

LULA FOI MACHO

Até que enfim Lula assumiu os fatos. Pela sua declaração de solidariedade aos petistas presos, dizendo "estamos juntos", estou acreditando que ele irá se juntar aos amigos na cadeia, passando suas noites no xilindró. Pela primeira vez, digo que Lula deu um exemplo de hombridade.

Domingos Perocco Netto dperocco@ig.com.br

Itatiba

*

CONFESSO

O ex-presidente Lula disse por telefone aos condenados e presos no tortuoso processo do mensalão: "Estamos juntos". Juntos significa estarem unidos, coparticipantes do mesmo crime, etc., etc., etc. Portanto, jurídico-processualmente falando, essa junção é uma verdadeira confissão e enseja a abertura formal do competente processo criminal para legalização da decretação da prisão do réu confesso.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

SEGUINDO JUNTOS

Sobre a mensagem de apoio do ex-presidente aos seus companheiros na prisão ("estamos juntos"), seria mais honesto da parte dele dizer: "Estivemos juntos e deveríamos continuar juntos, se...".

Reginaldo José Spini rjspini@uol.com.br

São Paulo

*

MOMENTO DE LUCIDEZ

"Estamos juntos". É a primeira vez que ouço Lula dizer uma verdade. Deveria estar mesmo.

José Manuel Mateos Martinez mateosmartinez@uol.com.br

Guarulhos

*

BOA NOTÍCIA

Lula ligou e disse a Dirceu e Genoino: "Estamos juntos". Que boa notícia, ele vai para a prisão também?

Marcelo L. Farah marcelolombellofarah@ibest.com.br

São Paulo

*

A PRISÃO DOS MENSALEIROS

Na manhã de 16 de novembro, vibrei quando pude ler a matéria sobre a execução das prisões de pessoas que se utilizaram da boa-fé da população brasileira – sempre enganada –, com seus discursos em prol de liberdade de expressão e democracia, mas que nunca as praticaram. Estou a falar dos senhores José Dirceu e José Genoino, que com braços erguidos e punhos cerrados balbuciavam palavras de ordem e de desdém à Justiça e à ordem democrática, dizendo-se perseguidos políticos, quando se entregaram à Polícia Federal. Absurdo! Na realidade, nunca se imaginaram presos, pois sempre tinham em sua mente serem pessoas no alto de pedestais. Como no jargão popular: a casa caiu! Outra pérola foi dita pelo senhor Lula, quando, segundo a continuação da matéria que lia, ao ligar aos amigos e companheiros Dirceu e Genoíno após a decretação das prisões, lhes disse: "Estamos juntos". Como gostaria que fosse realidade, já que o senhor Lula foi, não sei como, alijado do processo. Saudações aos presos!

Luis A. da Costa Araujo st.eb.araujo@gmail.com

São Vicente

*

INTERPRETAÇÕES

Diz o líder: "Estamos juntos". A mensagem se presta a diversas interpretações...

Jan Krotoszynski jankroto@gmail.com

Carapicuíba

*

AO PÉ DA LETRA

Lula disse por telefone ao Dirceu e ao Genoino "estamos juntos", logo após saber da expedição do mandado de prisão deles. Lula deveria estar junto com eles, mas, infelizmente, não está. Isso, interpretando a sua frase ao pé da letra.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

POLÍTICOS PRESOS

"Estamos juntos", declara Lula com toda razão. Deveria estar lá também! E mais: são políticos presos, e não presos políticos, como alegam.

Silvia Alessio bltoledo@uol.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA

O sr. Lula solidariamente ligou para seus companheiros Genoino e Dirceu, que respectivamente tiveram expedidos seus mandados de prisão, afirmando: "Estamos juntos". Quem me dera se isso fosse verdade... literalmente!

Fernando José Prado fjprado66@gmail.com

São Paulo

*

TELEFONEMA ERRADO

Lula telefonou para os Zés, Dirceu e Genoino, e disse para eles: "Estamos juntos", quando o correto seria: deveríamos estar juntos. Pena que não estão, o "capo di tutti i capi" escapou.

Mario Silvio mario_silvio@hotmail.com

São Paulo

*

JUNTOS

Estou certo de que o ex-presidente Lula atenderia melhor ao clamor da Justiça se tivesse dito aos companheiros José Dirceu e José Genoino: "Deveríamos estar juntos".

Caiuby Luciano Gomes caiubylgomes@yahoo.com.br

Botucatu

*

CUMPRA-SE

Lula, aos "cumpanheros": "Estamos juntos!". Excelente ideia. Cumpra-se, pois.

Ruy Mendonça ruymendonca@gmail.com

São Paulo

*

PIMENTA

Lula disse aos companheiros mensaleiros presos que estão juntos nessa. Juntos como? Eles presos e ele solto? O adulto que acredita que Lula de nada sabia também acredita em Papai Noel. É, Lula, pimenta nos olhos dos outros é refresco, para não usar outra frase, que seria a mais adequada.

Alberto Souza Daneu albertodaneu.health@gmail.com

Osasco

*

LULA ESTÁ JUNTO

Só que ele é quem deveria estar puxando a fila!

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

DEVERIAM

Lula telefona para Dirceu e Genoíno: "Estamos juntos". Não estão, mas deveriam estar.

Jorge Manuel de Oliveira jmoliv11@hotmail.com

Guarulhos

*

ELITES

Sempre achei que não estaria vivo para ver os bandidos do colarinho branco atrás das grades. O que não posso admitir é um falastrão (José Dirceu) afirmar que se considera um preso político e que foi preso "por influência das elites". Será que ele consegue definir "elites", sem se identificar integralmente com elas?

Roberto Luiz Pinto e Silva robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

*

VÍTIMAS DE SI MESMOS?

Fiquei "comovido" com a expressão de tristeza, vergonha e arrependimento expressa pelos mensaleiros José Dirceu e Genoino na primeira página do "Estadão". Se presos comuns já têm celular e outras benesses na cadeia, estes têm a certeza de que a mordomia vai continuar e, quando lemos Lula dizendo "estamos juntos", fosse este um país mais sério, "elle" literalmente estaria lá. Até quando vamos ouvir, principalmente deste trio, que tudo é culpa das elites, quando estes fazem parte desta elite? Ou não sabem o significado do termo ou acham que somos um bando de ignorantes.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

ALIVIADO

Lula a petistas condenados: "Estamos juntos". Para quem disse que não sabia de nada e saiu ileso do processo do mensalão, as palavras do ex-presidente, famoso por não assumir culpa de nada, que à primeira vista podem parecer um ato de solidariedade, estão mais para expressar um sentimento de alívio e fazem lembrar um dito popular: "Antes tu do que eu".

Odilon Otavio dos Santos

Marília

*

ALI BABÁ

"Estamos juntos." Não estão, mas deveriam estar, não moralmente, pois desconhecem a moral, mas fisicamente. Os ladrões estão presos, falta o Ali Babá.

Luiz de Gonzaga Santos lg.santos@terra.com.br

São Paulo

*

CANA

"Estamos juntos", mas a "cana" a ser tomada é bem diferente pra uns e outros...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

A PIADA DO ANO

"Estamos juntos", frase dita pelo ex-presidente Lula ao telefonar para José Dirceu quando da expedição de mandado de prisão pelo STF.

Fabio de Araujo fanderaos@gmail.com

São Paulo

*

NEM TÃO JUNTOS

É, Lula, "butô os cumpanheiros" na cadeia, diz "estamos juntos", más para lá você não quer ir, né?

Antonio Boer toboer@uol.com.br

Americana

*

RESPONSABILIDADE

Se o companheiro Lula afirma e liga para Dirceu e Genoino dizendo que estão juntos, a questão é de saber se o ex-presidente também será responsabilizado ou confessará sua participação no esquema do famigerado mensalão, crime de lesa-Pátria.

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

SIM, SÃO CRIMINOSOS

Dirceu, Genoino e outros seus companheiros condenados receberam, na hora de entrarem na prisão, o apoio de Lula dizendo "estamos juntos". Entendo, como a maioria, provavelmente, que foi um ato falho do ex-presidente e faço a leitura de que ele deveria dizer "estávamos juntos". É inimaginável que Lula, ocupando a sala ao lado, não soubesse que seu auxiliar Dirceu, da sua maior confiança, estivesse manipulando o Congresso "a dinheiro", para trazer vantagens ao próprio Lula. Afinal, a quem isso poderia beneficiar se não a ele? Além disso, a ridícula atitude dos presos dizendo que foi "crime político" deve satisfazer a seu grupo de admiradores que, na maioria, como todo o povo brasileiro, sabe que eles cometeram indesculpável crime contra o Estado. O fato mais importante foi, entretanto, que a Justiça, diferentemente de momentos passados, não permitiu que réus com a culpa provada saíssem impunes, o que é um alento e esperança de que a Justiça do Brasil volte a funcionar. E ainda que restabeleça a sua independência como prevê a Constituição, tornando-se, novamente um poder honesto e responsável. Quem sabe essa independência colabore para o restabelecimento da decência no Congresso Nacional, infestado de bandidos e desonestos que busca, principalmente, o enriquecimento de seus membros. Igualmente seria importantíssima a vigilância da Justiça sobre o Executivo, eivado de corruptos e com desvios imensos de recursos para propósitos eleitorais e partidários. O Brasil tinha um só poder. Agora são dois. Precisa caminhar para restabelecer os Três Poderes.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

MANIFESTO DA VERGONHA

Eu, como brasileiro nato, tenho vergonha hoje de dizer que sou brasileiro. Vi, revi e tentei entender como brasileiros, militantes ou não de um partido chamado PT, podem apoiar pessoas (bandidos) como os srs. José Dirceu e Genoino na porta da Polícia Federal em São Paulo. Foi provado e largamente discutido que esses senhores (os aplaudidos do PT) roubaram, desviaram verbas públicas (dinheiro do povo brasileiro) para financiar o partido, campanhas e seus próprios interesses. É vergonhoso saber que o sr. Luiz Inácio Lula da Silva vai a público e diz a seus comparsas e companheiros "estamos juntos", ou seja, "eu sabia de tudo e vocês me livraram". Tenho vergonha deste Brasil em que vivemos, este Brasil onde não há justiça, este Brasil em que perdemos o direito de ir, vir e este Brasil que aplaude bandidos e corruptos.

Juvenal Bonifácio Junior jbj@pkk.com.br

São Paulo

*

E O DINHEIRO?

A situação dos "condenados" no processo do mensalão está virando piada. Eles se entregam à polícia e ainda têm torcida organizada dizendo que a prisão é uma injustiça. Quanto ao retorno (se é que haverá algum) do dinheiro roubado e desviado, isso é outra história. Quem roubou roubou, mas devolver, nunca.

Ary Cesar norma@contabilmachado.com.br

Santo André

*

PROPINA NA FAZENDA

Se o Ministério da Fazenda não tem a prerrogativa de contratar grandes obras, é nos contratos de prestação de serviços que as mazelas podem acontecer. E não deu outra. O chefe de gabinete do Ministério da Fazenda, Marcelo Fiche, e seu colega Humberto Alencar não perderam tempo e, ao assinar um contrato de 12 meses para fornecimento de serviços de jornalistas com a empresa Partners, de Brasília, exigiram uma contrapartida, ou seja, uma propina de R$ 60 mil. Como as conversas entre as partes foram gravadas, como informa a revista "Época", é lógico que a Polícia Federal já está investigando mais este rumoroso caso. Esta é a tal desabonadora era petista, que, com seus absurdos 39 ministérios (na gestão FHC eram apenas 23). E o da Fazenda, de Guido Mantega, até então mantinha sua virgindade no quesito corrupção. Agora entra na vala comum dos vis e se incorpora, infelizmente, para a sociedade brasileira, ao rol das indignações protagonizadas pelo lulismo, que não cessam também no governo Dilma. Joaquim Barbosa, ou STF, neles.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MAIS UMA DENÚNCIA ‘FALSA’

Como sempre ocorre no reduto petista, quando surge uma denúncia de corrupção, surge um advogado dos mais conceituados na praça, que no caso é Antônio Carlos de Almeida Castro (o Kakay) para garantir que a denúncia é falsa. As denúncias foram publicadas na revista "Época" do fim de semana e envolvem o chefe de gabinete de Guido Mantega, Marcelo Fiche, o chefe de gabinete substituto, Humberto Alencar, e a ex-secretária da Partnersnet Comunicação Empresarial, Anne Paiva Esta atuava como elo da cadeia, recebendo depósitos em sua conta para que sacasse o dinheiro e repassasse para os assessores. Não dá para admirar que uma denúncia de negócios escusos do governo tenha atingido o Ministério da Fazenda. Brasília se transformou num valhacouto em que desde o mais sofisticado secretariado até a menor nesga do poder ali estará disseminada a arte da rapina. Parece que o fim da Ação Penal 470 não serviu de exemplo.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

TRAMBIQUE

Agora é no Ministério da Fazenda. Estamos vendo o início de um novo mensalão envolvendo o partido trambiqueiro. Será o terceiro grande episódio de fraude e desvio de recursos públicos patrocinado pelos petralhas. O responsável está lotado no gabinete do ministro da Fazenda.

Carlos A. Ramos Soares de Queiroz soares.queiroz@terra.com.br

São Paulo

*

SERVIDORES CORRUPTOS

O principal vilão da corrupção é constituído pelos que estão dentro do balcão, os servidores públicos. Eles são os responsáveis pela correta aplicação dos recursos públicos e são pagos pelo povo para isso. Se somente eles fossem punidos os cidadãos denunciariam e a corrupção caminharia para sua extinção.

Alfredo M. Dapena alfredomdapena@gmail.com

Rio de Janeiro

*

NOSSA FRACA DEMOCRACIA

Corrupção no Brasil não e novidade, mas ultimamente ficamos a ver um festival de denúncias que levaram ao conhecimento público fatos como o do mensalão e o atual das propinas dos fiscais de São Paulo. Denúncias de parceiros beneficiados pela roubalheira que, em certo momento, se sentiram traídos e denunciaram. Assim foi Collor com o irmão, Pitta com a esposa, e por aí vai. O que seria do Brasil sem as denúncias? Isso tudo e mais muitas que estão por aí permaneceriam como bons negócios com o governo. Parcerias público-privadas são de longa data praticadas e com sucesso, "roubalheira é o bom negócio de que você não participa" e por aí vamos em nossa fraca democracia. Não existem órgãos controladores? Será possível um futuro com tanta omissão? Só resta esperar as eleições e esperar que exista uma alternativa ao desmando que o País virou sob o domínio do PT.

João Braulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com

São Paulo

*

DESPERTA BRASIL

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou em 12/11 o avanço da inflação, praticamente em todos os setores da economia, desde alimentação até salas de espetáculo. O resultado dessa pesquisa não é novidade para ninguém. Quem frequenta supermercados e outros segmentos do comércio tem notado o aumento nos preços quase que semanais. Mas o governo tem tentado estancar a inflação em torno de 6% no grito, pois segura o aumento dos combustíveis, mesmo que isso afunde a Petrobrás, dos transportes urbanos, que continuam uma lástima, e com medidas populistas, como a redução na conta de energia elétrica. Portanto, assim que liberados os ajustes, o índice de inflação poderá chegar a níveis insuportáveis. No entanto, para a equipe econômica, chefiada pelo ministro ilusionista Guido Mantega, da Fazenda, está tudo bem, tudo ótimo, tudo muito tranquilo. Creio que a situação só pode estar tranquila para eles, da cúpula governista, que ganham muito bem, comem e moram melhor ainda, ao contrário dos menos favorecidos, os pobres, filhos da "presidenta" Dilma Rousseff – ao menos é assim que gosta de ser vista –, que, com mísero salário, não conseguem completar a cesta básica e nem sequer têm onde morar. E, em contrapartida, dão à presidente alto índice de aprovação. A inflação pode ser considerada como o mais cruel de todos os impostos, para todas as classes, mas o "povão" está mais vulnerável aos seus efeitos. Desperta Brasil!

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

O COMBUSTÍVEL DOS PARLAMENTARES

A desonestidade, o descaramento e o extremo ridículo são as atitudes e o comportamento dos deputados que gastam (desviam?) quase R$ 8 mil em postos de gasolina por mês, alegando ser gasto com combustíveis. Alguns chegam a abastecer 1.600 litros num único mês, o que representa rodar 16 mil quilômetros no período de 30 dias. Considerando que, para dar uma volta ao mundo, percorrem-se 40 mil quilômetros, eles em 75 dias o fariam. Pior ainda é no Senado, onde os limites indenizatórios podem ficar entre R$ 21 mil e R$ 44 mil mensais, a depender do Estado de origem do parlamentar e da sua "cara de pau" ao solicitar o reembolso.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A SOLUÇÃO É O CONTROLE

Com certeza, os deputados brasileiros já estão gastando com as enormes perspectivas do pré-sal, todavia, se o governo quiser acabar com essa farra, basta exigir dos parlamentares o preenchimento de um formulário próprio, conforme fazem as empresas privadas. Exemplo: modelo e ano do carro usado; quilometragem atual; viagens realizadas (de onde para onde) – explicitar todas, de acordo com os dias de viagem; quilometragem final; litros de combustível consumido; total em reais.

Rubens Stock rsstock@uol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES NO CHILE

O Chile, quando foi governado pela presidente Michelle Bachelet, deu um salto na economia e passou a ser olhado com curiosidade pelos países de Primeiro Mundo. Isso tanto é verdade que nem mesmo se aliou ao Mercosul. Um segundo turno vai decidir a próxima eleição, em dezembro. Oxalá Bachelet ganhe, pois os chilenos estão em alta nos EUA e foram presenteados com a dispensa do visto, afinal fizeram a lição de casa corretamente. E o Brasil, que estava perto de realizar essa façanha, ficou para trás, porque em mais de dez anos no poder Lula e Dilma estiveram preocupados em apoiar governos ditatoriais como Cuba, Venezuela, Equador e Bolívia. Eis o retrato do retrocesso e do atraso. Basta ver a economia desastrosa de dona Dilma. Pobre Brasil!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

VOTO FACULTATIVO

Belo exemplo de democracia deu o Chile ao mundo. Nas eleições para presidente, no fim de semana, o por voto foi facultativo. O Brasil é um exemplo de falta de democracia, que ainda ninguém tenha se dado conta (e políticos, intelectuais, mídia, etc. se comportam como se tudo estivesse correto): por nosso sistema de eleição, os brasileiros têm o dever de votar, mas não têm o direito de não votar. Que democracia é esta, originária da Constituição de 1988, feita e aprovada pelos chamados progressistas na época? Nos EUA, ou em qualquer país realmente democrático, vota quem quer e a eleição é até num dia útil da semana. Por isso, no Brasil, quem elege a maioria dos políticos é o Bolsa Família. Vocês acham que eles querem reforma política ou mudança na Constituição? Essa deveria ser a principal bandeira da população, por meio das redes sociais, internet, mídias e por todos nós que temos sentimentos patrióticos. A população brasileira está há muito sendo manipulada por um "maniqueísmo unilateral" por parte da mídia, políticos e até entidades de ensino e organizações não governamentais.

José Mondelli jomond@fob.usp.br

Bauru

*

UM ERRO

Já passou da hora de o Brasil acabar com o voto obrigatório e passar a adotar o voto facultativo, como ocorre nos EUA e em muitos países europeus. Votar deve ser encarado como um direito, é bom, faz parte da vida democrática, é importante, mas jamais poderia ser um dever ou obrigação. Hoje, no Brasil, do jeito que a política está dominada por bandidos e oportunistas, num sistema corrupto e viciado, sem a mínima ética e que atinge a todos os partidos, sem exceção, a única alternativa que nos restou é o voto nulo, como forma de protesto. Já superamos uma nefasta ditadura militar de 21 anos que tantos males causou ao País e ao povo brasileiro e agora precisamos acabar com o autoritário e paternalista voto obrigatório. Afinal, vota quem quer e ninguém deveria ser obrigado ou coagido a fazê-lo, sob pena de sanções. Só pelo baixíssimo nível de 95% dos políticos que estão aí, já se vê como o voto obrigatório é um erro e algo que precisa acabar de vez no Brasil.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

PELO VOTO OBRIGATÓRIO

Sou idoso e poderia não votar, mas o voto é a única arma permitida na democracia. Já houve trapaça no voto eletrônico confirmada por pessoa que não precisava mentir e foi alardeado que, para vencer as eleições, "fará o diabo". Embora sob suspeição e eu seja um pingo d’água no oceano, faço questão de votar e sou a favor do voto obrigatório. Explico. Pode até chover canivete que os fanáticos petistas irão votar, enquanto os demais, se facultativo, tendem a não votar. Em tempo: sou apartidário (o meu partido é o Brasil).

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

IMPÉRIOS NAS FILIPINAS

Na tragédia das Filipinas, a China absteve de se emocionar. De olho no seu programa de expansão pelo sudeste asiático, destinou míseros milhares de dólares para socorrer vítimas. Apequenou-se diante do "imperialismo" norte-americano, que, além de destinar milhões de dólares, deslocou enorme porta-aviões nuclear para socorro de urgência, fornecendo transporte, alimentos, apoio médico, energia elétrica e água potável. Quanto vale um aliado desse quilate?

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

‘AS REFORMAS NA CHINA’

Ao ler no "Estadão" de 14/11 (página A3) "As reformas na China" e, na edição de 16/11, página A14, "Partido Comunista confirma papel maior da iniciativa privada", lembrei-me da máxima do grande líder Winston Churchill sobre o comunismo dita em 26 de agosto de 1968: "A filosofia do fracasso, o credo da ignorância e o evangelho da inveja, cuja virtude inerente é a distribuição equitativa da miséria". Vide Cuba e Coreia do Norte, remanescentes do comunismo ortodoxo, que tem fanáticos defensores incrustados no desgoverno do PT, o que explica a economia brasileira ladeira abaixo.

Dreyfus Soares dreyfussoares@mmmidia.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.