Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

21 Novembro 2013 | 02h03

O PT contra Barbosa

É estarrecedor o que se vê e o que se lê no Estado. Na edição de ontem fiquei pasmo ao ler na primeira página que o PT iniciou um movimento contra Joaquim Barbosa. Na página A4 consta ainda frase do líder do PT na Câmara dos Deputados e irmão de José Genoino: "A toga que deu cobertura silenciosa à ditadura é a mesma toga que criminaliza dirigentes do PT que não cometeram nenhum crime". É, chega-se à conclusão de que quem está cometendo crime é o exmo. sr. presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), dr. Joaquim Barbosa, que vem cumprindo rigorosamente a lei, mas, no entendimento do PT, condenou "inocentes". Firme, sr. presidente do Supremo, continue a cumprir a lei, torço fervorosamente pelo senhor.

IDABERTO DAS NEVES

tapbugri@bol.com.br

Sertãozinho

Atitude vergonhosa

É escandalosamente vergonhosa a atitude de integrantes do PT entendendo que os corruptos condenados são inocentes e que o ministro Joaquim Barbosa é incompetente e não age de boa-fé. Em verdade - isso, sim -, resta punir o chefe da quadrilha e recuperar o dinheiro desviado, que pertence a todos os brasileiros.

FÁTIMA PEREIRA

fatima_pn4@hotmail.com

Jacutinga (MG)

O manifesto petista

Dói-se o PT, mas sem nenhuma razão. Henrique Pizzolato, segundo apurado no mensalão, desviou para os bolsos da quadrilha que assolou o Planalto para mais de R$ 73 milhões. A ousadia dos ataques indiretos ao STF e diretos à pessoa do relator, Joaquim Barbosa, bem demonstra a que se propõe o PT: sobrepor-se à própria lei. Mais que os ataques formais contra a ordem de prisão dos criminosos condenados, o que aterroriza é a forma e o local onde os punhos se levantam: no Congresso, onde se fazem as leis - leis essas que foram exatamente cumpridas pelo STF ao condenar o maior e mais despudorado ninho de corrupção de quantos antes houvera notícia na Nação brasileira. Esquecem-se de que Justiça é apartidária e não foi o partido (PT) o condenado, senão os criminosos que nele se aninhavam. Esquecem-se de que justiça é o princípio moral e ético que exige e obriga o exato e fiel cumprimento da lei - acrescente-se: custe o que custar, doa a quem doer. O STF julgou pelo entendimento, o PT julga pela emoção e pelos sentimentos. A razão faz o justo, a emoção faz o justiceiro. Ambos castigam, ambos mortificam. O justo castiga tendo a razão por conselheira e lume e a lei por bula, aplicando ao criminoso a dosagem correta que a lei determina. Já os justiceiros do PT que se agrupam no Congresso, cegos pelo ódio, querem atear fogo ao STF e, máxime, contra seu presidente, tentando reverter, pelo alarido maiúsculo, a imagem dos criminosos do mensalão em cristos políticos, mártires da Pátria. Ousadia jamais vista. Guiam-se pelos melindres do fogo da paixão, insuflados pelos ventos da revolta claramente cega e injusta. Com tão exatas palavras que dispensam qualquer tipo de comento, Sêneca, sempre atual na interpretação da maldade humana, que muda de época, mas não de essência, afirma: "É sempre com as aparências do verdadeiro que a mentira ataca a verdade".

ANTONIO BONIVAL CAMARGO

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

Penca de absurdos

O manifesto assinado por advogados, professores e juristas simpáticos ao PT, divulgado na terça-feira, contém uma penca de absurdos. Sugere que o STF não deve ficar "refém" de Joaquim Barbosa, ataca o julgamento do mensalão - qualificado como de "exceção", além de ter "violado garantias constitucionais" - e repudia a prisão dos mensaleiros, classificada como "açodada". Convém lembrar, pela enésima vez, que o julgamento de "exceção" quebrou o recorde mundial de número de sessões, foi transmitido ao vivo para todo o País e conduzido por um STF composto por maioria esmagadora de ministros indicados por governos petistas. Quanto às prisões, todos os 11 ministros do STF declararam transitadas em julgado as sentenças não mais passíveis de recursos. Se tudo isso é açodamento, não sei o que seria, para os ilustres signatários, o ritmo correto para o julgamento e cumprimento das penas - talvez o que permitisse a prescrição dos crimes... De resto, sugiro que o STF não deve é ficar refém das tentações totalitárias do PT.

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

Desqualificados são 'elles'

O PT deveria valorizar-se dizendo que o sr. Joaquim Barbosa foi indicação delles, que a justiça é, sim, uma obrigação a ser seguida e políticos corruptos têm lugar na prisão. Mas o que elles fazem é tentar desqualificar o ministro que deveria ser símbolo da justiça nacional. Dá para acreditar?

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

Humilhação e desrespeito

Os mensaleiros não querem ser humilhados nem desrespeitados. Mas não foi o povo o humilhado, sabendo que os jornais do mundo anunciavam que aqui é o país do jeitinho, da corrupção, e nada acontecia aos políticos? Não foi o desrespeito maior para o povo, vendo o dinheiro ser desviado e não ter saúde, segurança, educação? E, pela lei, os presos em qualquer regime, quando chegam a um presídio, devem ficar, no mínimo, dez dias no Regime de Observação para, então, terem acesso aos familiares.

JOSÉ CLAUDIO CANATO

jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira

Por que seria diferente?

Mulheres de presos na Papuda reclamaram da diferença de tratamento que os políticos do PT vêm recebendo na prisão: além dos familiares que os visitaram em dias que não são de visita, amigos têm entrado quando bem entendem. Já a mulher e a filha de Genoino contestam o tratamento que lhe foi dispensado quando ele entrou no presídio, sendo revistado sem roupas e recebendo uniforme carcerário, tal como todos os outros criminosos. Manifestantes do PT contestam o julgamento, dizendo ter sido de exceção, e que os petistas (só eles, os outros mensaleiros, não) são presos políticos. Com todo o respeito à dor dos familiares, o que se deve entender é que os presos desse processo, todos eles, atentaram contra o Estado, desviando dinheiro público com finalidades várias, portanto, são presos comuns e como tal devem ser tratados. Realmente, eles se julgam acima das leis e pessoas protegidas da lógica de uma democracia. Talvez enviados especiais de Deus!

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Visitas e privilégios

Com o PT no poder, qualquer regime para os condenados do mensalão será diferenciado.

ROBERTO TWIASCHOR

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

_____________

 

O REVIDE DO PT

Na linha do péssimo exemplo incentivado por Lula (“se não for por nós, é contra nós”), o Partido dos Trabalhadores (PT) já prepara como punição uma cruzada difamatória contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa, que acentuadamente condenou, junto com outros ministros, alguns ícones petistas que tentaram subverter nossa democracia para se eternizarem no poder (caso mensalão), a exemplo dos liberticidas Hugo Chávez e Fidel Castro. Pergunto: aonde pretendem chegar esses adoradores de ditaduras socialistas? Trocar o verde de nossa bandeira pelo vermelho da opressão pela qual os bandidos mandam prender o xerife? O povo brasileiro é 100% democracia.

Amâncio Lobo Amanciolobo@uol.com.br

São Paulo

 

*

BANDIDOS PARTEM PARA O ATAQUE

Inadmissível e assustadora a atitude do PT ao encetar campanha de desmoralização do presidente do STF, semeando, inclusive, malícias para estimular desconfortos pessoais entre os ministros. Inadmissível por pregar abertamente a tese de desobediência às decisões da mais Alta Corte de Justiça do Brasil, partindo para a contestação despida de argumentos e travestida de deboche. Assustadora, porque demonstra a tendência absolutista de pseudolíderes que só reconhecem válidas as leis que os beneficiam, atropelando a verdade e a honestidade com o rolo compressor do cinismo deslavado. Resta saber se a tradicional leniência de nossas autoridades continuará a premiar bandidos, dando a eles a oportunidade de atacar, usando prerrogativas de cargos que lhes foram preservados pela inoperância covarde ou criminosa de irresponsáveis que julgam ser normal carregar dólares na cueca. Enfim, há de se convir que, tradicionalmente, bandidos não elogiam policiais e juízes.

 

Gustavo A. S. Murgel gustavomurgel@hotmail.com

Campinas

*

COITADOS

Estou morrendo de pena dos três mosqueteiros do PT que cumprirão suas penas em regime semiaberto. Pelas leis brasileiras, o preso que estuda ou trabalha tem dias descontados de sua pena. Dirceu anunciou que vai estudar e arrumar emprego. Por certo não quer trabalhar, pois procura emprego e emprego para essa gente não faltara no governo petista. Basta ver os milhares de cargos de confiança que incham as diversas secretarias em todo o País, corrompendo por onde passam. Os presos em regime fechado que não se interessam em trabalhar ou estudar comandam o crime de dentro das prisões e nunca são aborrecidos pelo serviço de telefonia, que lhes garante o sinal. Pobre Brasil, do colarinho branco aos sem colarinho não há salvação, onde quer que eles estejam, é um pedaço do País que depenam, enquanto uma grande parcela da população sustenta essa maracutaia. Como e difícil a vida do preso endinheirado no Brasil. Fala sério!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

*

‘QUESTÃO HUMANITÁRIA’

Dilma Rousseff revela-se preocupada e diz que a saúde de José Genoino é “questão humanitária”. E a saúde dos outros presidiários, dona Dilma, não é? E a saúde das multidões que buscam o serviço público de saúde e não são atendidas ou o são precariamente? Sobre essas, a presidente silencia, talvez por considerá-las doentes de segunda classe. Sugiro que a primeira mandatária aproveite a presença de médicos cubanos no País e mande um deles cuidar, humanitariamente, desse ex-guerrilheiro, hoje encarcerado.

Jorge Bouquet jorgebouquet@gmail.com

São Paulo

*

MELHOR CALAR-SE

Exma. Sra. presidente Dilma Rousseff, convenhamos, questão humanitária são os direitos humanos dos que são violentados todos os dias pela falta de infraestrutura na educação, saúde e segurança deste país. Questão humanitária é o sistema de saúde pública. É a fila de desatendidos no HC (um hospital de referência!). É a comida servida em escolas públicas. O professor que não é bem remunerado.

Questão humanitária é o transporte que não transporta, é a falta de estradas. Questão humanitária é o submundo das penitenciárias (ratos de esgoto vivem melhor, e ainda tem a opção de se regenerar e colaborar para a sociedade em laboratórios de pesquisa!). Por favor, sra. Dilma Rousseff, não me venha dizer que a saúde de Genoino é questão humanitária. A senhora sabia que ele, Genoino, estava há algumas semanas no consultório médico de um o grande especialista cardiologista, o chefão do coração - e tem ideia do valor da consulta desse médico?! A consulta custa R$ 1 mil! Isso, sim, é questão humanitária. Doar para quem precisa. Agora roubar o dinheiro do caixa público para benefício próprio, ah, sra. presidente Dilma Rousseff, por favor, tem horas em que o melhor a fazer é calar-se.

Ana Lucia Egydio Martins de Moraes anaegydio@me.com

São Paulo

*

A PIEDOSA DILMA

Em reunião com companheiros aliados, a presidenta Dilma chegou, dramaticamente, a definir como dramático o estado de saúde do deputado José Genoino. É plausível que o deputado preso receba tratamento conforme suas necessidades, sem, todavia, esquecer-se de que os demais doentes do SUS o recebam também. Aliás, é oportuno perguntarmos se a presidenta tem visitado os hospitais oficiais, principalmente aqueles que abrigam crianças e idosos portadores de doenças graves? Em tempo: recomendamos que o enfermo preso, sr. Genoino, atenda também às prescrições médicas de não fazer esforços com seu braço esquerdo, gesticulando-o com tanta violência e com o punho cerrado, pois não é atitude politicamente correta, nem mesmo saudável.

Carlos Rolim Affonso profrolim@globo.com

São Paulo

*

VALORES DETURPADOS

Gostaria de saber o que quis demonstrar o Sr. Genoino ao dizer que não iria se curvar e enfrentaria tudo com dignidade. Realmente, neste país, os valores estão deturpados. Dá a impressão de que não se fez justiça com ele, que se trata de um coitado, alguém do povo, que não teve acesso aos melhores advogados, que amargurará uma cela coletiva, uma refeição desbalanceada e tudo o mais que o “ladrão de galinha” sofre. O sr. Genoino deveria agradecer por não morar na China, onde em 2010 foram executadas 5 mil pessoas. Lá, o bandido não recebe bolsa reclusão.

Everson Rogério Pavani roger.advog@gmail.com 

São Paulo

*

OS INTERESSES DA OAB

Os direitos humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pedem tratamento especial para José Dirceu e José Genoino. Senhores da OAB, e os direitos humanos dos presos que já cumpriram sua pena e continuam nas masmorras que são as prisões brasileiras? Será que esses não interessam à OAB? Será que esses não dão mídia para a OAB? Gostaria que me respondessem, mas eu também não sou ninguém para eles perderem tempo comigo. Eu só pago impostos.

Grimaldo Grimaldi Junior grimagri@terra.com.br 

São Paulo

*

DIRETO DA CADEIA

A cúpula da quadrilha do mensalão (falta um...), formada por Delúbio, Genoino e Dirceu, manda um recado diretamente da cela, de que rejeitam a “humilhação”.  E o que dizer então dos 200 milhões de brasileiros que, principalmente nestes últimos 11 anos, seguem mais do que humilhados pelo governo petista, que canta de galo do poleiro das demagogias, não entrega obras prometidas, abusa dos gastos improdutivos, despreza literalmente a ética, e ainda desvia recursos dos contribuintes, que muito bem poderiam minorar, como exemplo, os graves problemas do atendimento a saúde?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

SITUAÇÃO INUSITADA

O fim do julgamento do processo denominado de mensalão cria situação inusitada. De um lado, é o encerramento de uma novela, com o início do cumprimento das penas pelos condenados. Mas não pode ser omitido o fato de que isso vai tirar um argumento que poderia ser usado pelas oposições nas próximas eleições. É um problema a menos para o grupo que comanda o País atualmente, por certo.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

UM AVANÇO

Claro que a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) determinando a validade dos embargos infringentes foi frustrante. Ficou a impressão de que a instância máxima do Judiciário estava prestes a jogar no lixo boa parte do brilhante trabalho por ela realizado no ano passado, durante o julgamento do mensalão. A deliberação sobre o início do cumprimento das penas dos condenados, conduzida nessa semana, faz com que todos os brasileiros decentes se sintam um pouco mais revigorados e reconfortados com relação à saúde de nossa República que ora completa 124 anos de existência. É triste que ainda nos espantemos quando poderosos políticos corruptos sejam levados em cana - em democracias mais sólidas, tal procedimento é meramente rotineiro. O fato é que a condenação e prisão dos mensaleiros decididas pelo STF representam um dos mais significativos avanços institucionais ocorridos no Brasil nos últimos tempos, ainda mais quando se leva em conta tantas manobras protelatórias lançadas durante o processo, além da pressão exercida pelo PT contra os juízes que compõem a Suprema Corte. A despeito dos vitupérios petistas contra o STF, prevaleceu, felizmente, a Justiça.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

DOIS GRANDES EFEITOS

 

Noticia-se que o cumprimento da pena de prisão imposta a José Dirceu, inicialmente em regime semiaberto, quando o condenado trabalha de dia e à noite volta para o cárcere, terá, ao menos, dois grandes efeitos: primeiro, mostrar aos criminosos de colarinho branco que um dia também poderão ir para a cadeia; segundo, permitirá aos brasileiros saber onde Dirceu trabalha. É fantástico! Parabéns aos ministros sérios do STF.

 

Sebastião Vanderlei Pinheiro vanderlei106@terra.com.br

São Paulo

*

PERGUNTAS

Perguntas: 1) Se é inocente, por que José Dirceu renunciou ao mandato antes de ser cassado pela Câmara dos Deputados? 2) Se foram seus colegas da Câmara dos Deputados que caçaram seu mandato em 1.º de dezembro de 2005, por que José Dirceu alega ser vítima da  imprensa e da “elite”? 3) Se foram seus colegas da CPI dos Correios que comprovaram que houve pagamento de propina a deputados do PT,  PTB, PP, PMDB e PL, por que José Dirceu insiste em dizer que seu julgamento no STF foi político? E, finalmente, por que o ex-presidente Lula não pressionou o Congresso, durante seu processo de cassação em dezembro de 2005, ao invés de tentar pressionar o ministro Gilmar Mendes do STF em 26 de maio de... 2012?

S. E. Alpha sebastiao.alpha@icloud.com

São Paulo

*

PRESOS POLÍTICOS?

Os mensaleiros não são presos políticos nem aqui nem lá na China! Aliás, na China, corrupção pode dar pena de morte.

 

Vanderlei Zanetti vanzanetti@uol.com.br

São Paulo

*

QUE CASTIGO!

Depois de anos de processos, toneladas de papéis, recursos, etc., enfim veio a condenação da quadrilha do mensalão. Se muito, três anos de prisão domiciliar. E, como todo ladrão fino brasileiro, todos têm mansões com piscinas, quadras, churrasqueiras e serão castigados a não saírem de casa. Que castigo!

Fernando Castellari castellarinando@yahoo.com.br

São Paulo

*

LAVANDERIA

A quadrilha dos mensaleiros vai lavar outras coisas na cadeia, menos dinheiro.

Wilson Solani Brinkmann wsbrink@gmail.com

Atibaia

*

SEM ALIVIAR

Mensaleiros na cadeia sim, alívio dos crimes e regimes não. Senta a pua, STF, porque, se o bicho pegar, a cobra vai fumar.

 

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

DELÚBIO SOARES

O homem da piada de salão vai acabar passando as noites na prisão.

  

Ricardo Sanazaro Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

15 DE NOVEMBRO

A história do Brasil divide-se em antes e depois de 15 de novembro, de 1889 e de 2013. Viva a República! Viva a Justiça!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

PIADA DE SALÃO?

É uma no cravo e outra na ferradura. Bota para gelar novamente a champanhe e a cerveja. Ainda não foi desta vez que pudemos testemunhar a justiça sendo cumprida. 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

CADÊ OS EMBARGOS?

Muito se discutiu, muito se debateu, houve elucubrações exaustivas e longos discursos até o voto de minerva do ministro Celso de Mello: foram admitidos pelos ministros do STF os tais embargos infringentes.  O que aconteceu com esses embargos? Todos os réus condenados estão sendo recolhidos para o cumprimento de suas sentenças e nenhum advogado de defesa sequer mencionou essa decisão tão monumental, tão amplamente divulgada e ansiosamente acompanhada por todos.  O que houve?  O que era infringente virou “detergente”, fez muita espuma e bolhas de sabão e depois desapareceu?  Ou será que tomou Doril? Não precisam explicar, só gostaria de entender!

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

NÃO DIGA!

Segundo o noticiário, o ministro do STF Marco Aurélio Mello presume que Lula sabia da existência do mensalão. “Caro ministro”, não só o senhor, como restante da população brasileira minimamente informada, já havia chegado à mesma conclusão.

 

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ESTÁ FALTANDO ELE

Gostaria de acrescentar ao artigo de Aloísio de Toledo César (“Naquela cela está faltando ele”, 19/11, A2) o fato de que o principal beneficiário do mensalão foi o ex-presidente que está solto. Ele disse que não sabia de nada, mas ganhou muito com isso. Só quem é muito ingênuo ou muito sem vergonha para acreditar nisso.

Daniel Bayerlein danielbayerlein@icloud.com

Jandira

*

‘DEVERÍAMOS ESTAR JUNTOS’

Ótimo o artigo “Naquela cela está faltando ele”, de autoria do desembargador Toledo César. Para ele, quando Lula se dirigiu aos detentos Dirceu e Genoino dizendo “estamos juntos”, deveria ter dito “deveríamos estar juntos”. Aí, sim, seria uma declaração perfeita. A oposição ao PT, entre outras coisas, poderia usar essas observações, e outras mais do artigo, na campanha eleitoral de 2014. Os argumentos desse desembargador bem que poderiam chegar aos ouvidos do povão e, assim, mudar sua postura eleitoral. Deus ilumine o eleitor brasileiro!

 

Roberto Hungria angelinah13@bol.com.br

Itapetininga

*

DEFENSORES

Apenas duas questões: 1) Como o sr. Lula da Silva vai fazer declarações sobre o mensalão, “se ele não sabe de nada?”. 2) Quem irá pagar (deve ser muito caro) os serviços advocatícios dos srs. Lewandowski e Dias Toffoli, pela empolgante defesa dos mensaleiros?

Candido M. P. Moraes candido-moraes@ig.com.br

Guaxupé

*

‘ESTAMOS JUNTOS!’

Sabendo-se que todo o esquema do mensalão foi idealizado e projetado a poucos metros do gabinete de trabalho do então presidente Lula; que este, por conseguinte, tinha conhecimento de toda a articulação da teia de corrupção a ser colocada em prática, podendo, portanto, ser considerado um dos arquitetos do programa; que um enorme esforço, congregando não se sabe que tipo de influências, o manteve blindado durante os sete anos que durou o julgamento; que tudo indica serem sólidos os laços de amizade, quase fraternais, que o une aos auxiliares ora condenados e prestes a cumprir as respectivas penas; enfim, diante de todas esse cenário, é natural  que o cidadão consciente e coerente, capaz de interpretar fatos e atitudes de seus políticos e figuras públicas e ao qual estes, afinal, devem  prestar contas, tenha experimentado um momento de arregalante perplexidade, ao tomar conhecimento que Lula, em telefonema aos ex-auxiliares condenados e a caminho da prisão, tenha lançado a seguinte conclamação: “estamos juntos!”. Isso, em meio a um rumor, divulgado pela cruel, segundo ele, mídia, dando conta que teria partido simultaneamente do ex-presidente a orientação de neutralidade ao Planalto, a fim de não prolongar o desgaste provocado pelo processo, o que poderia trazer desdobramentos aos resultados eleitorais de 2014. É este o fabricante de postes mais produtivo do momento. É desalentador!

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

NÃO TÃO JUNTOS

“Cumpanheiros, ‘estamos juntos’, pero no mucho...”.

 

Jorge Zaven Kurkdjian zavida@uol.com.br

São Paulo

*

PUNHOS ERGUIDOS

A primeira página do “Estadão” de 16/11 estampou dois indivíduos em atitudes de escárnio e menosprezo a todos brasileiros. Com os punhos erguidos, comemorando não sabemos o quê. Na verdade, tratam-se de marginais, condenados pela Corte máxima de Justiça do País. Conforme foi noticiado, o ex-presidente Lula telefonou aos antigos companheiros e disse “estamos juntos”. Será que ele também pretende acompanhá-los na prisão?

Luiz Antonio Alves de Souza  zam@uol.com.br

São Paulo

*

A SERVIÇO DO GOVERNO

Está provado que Lula calado é um Demóstenes redivivo. Prometeu que só iria falar sobre o mensalão quando o julgamento acabasse. Terminado o julgamento, telefonou para a dupla Dirceu e Genoíno dizendo: “Estamos juntos”. Sim, estariam juntos se não ocorresse a única falha nesse processo: a não indiciação dele, parodiando o livro de David Násser “Falta alguém em Nuremberg”. Lula prometeu falar sobre o mensalão depois de terminado o processo. E falou: “Quem sou eu para comentar uma decisão do Supremo?”. Diante da corrupção desenfreada que tomou conta do País, do encarceramento exemplar de parte da cúpula do PT, só nos resta esperar a próxima pesquisa de popularidade de madame Rousseff para confirmar o que parece: os institutos de pesquisa estão a serviço do governo.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

A JOGADA DO PT

Na sexta-feira, 15 de novembro, o Supremo Tribunal Federal (STF) decretou a prisão dos ladrões do caso mensalão, que foi criado pela cúpula do PT. No entanto, já na segunda-feira, 18 de novembro, foi divulgado o resultado de uma pesquisa sobre a eleição para a presidência da República em 2014 apontando Dilma como a favorita à reeleição, Aécio Neves aparece estável, porém, rebaixando Eduardo Campos. Ao que nos parece, não passa de mais uma armação do PT, porque o povo jamais pode se esquecer de que foram estes os ladrões responsáveis pelo maior caso de corrupção já conhecido neste país, e até agora continuam nos roubando. E Lula, com medo de ser denunciado pelos companheiros que foram presos, ligou para José Genoino e José Dirceu dizendo “estamos juntos”. Posso dizer que essa atitude é um tanto comprometedora, pois, partindo de um ex-presidente, deveria ter ligado para dizer a eles que a justiça tarda, mas não falha. Se roubaram, devem pagar, e não demonstrar apoio ao crime organizado, camuflado pela belas gravatas e os ternos de grife. Dessa forma, para aqueles que ainda imaginavam que Lula sempre foi um santo inocente nesta história, ficou bem claro que, com essa pesquisa duvidosa e com esse telefonema, quis mais uma vez abafar o caso.

Daniel de Jesus Gonçalves al_amachado@yahoo.com.br

Paranavaí (PR)

*

PESQIOSA IBOPE

Pesquisa do Ibope revela que a presidente Dilma Rousseff (PT) venceria as eleições com facilidade e se reelegeria ainda no primeiro turno, nas eleições de 2014. Faltando menos de um ano para as eleições, se não houver nenhuma zebra, é o que irá acontecer. Tais números francamente favoráveis ao governo passam a falsa impressão de que o Brasil vai ás mil maravilhas, de que não há crise, violência, corrupção, impunidade, poluição, alta carga tributária, os juros mais altos do mundo, obras superfaturadas, baixa qualidade dos serviços públicos, mordomias, desperdício do dinheiro público, exclusão social, desigualdade, falta de planejamento, etc. Dilma e seu grupo no poder se valem e se beneficiam diretamente do fato de termos um povo alienado, ignorante, com baixo nível educacional e cultural, desinformado, que quase não lê, vai ao cinema ou reflete sobre o mundo em que vive, sem noções elementares de cidadania e exercício de direitos e com baixas expectativas quanto ao futuro. Basta receber um Bolsa Família (sou favorável) ou uma cota para negros ou alguma outra esmola estatal, que já está tudo bem e o voto na candidata da situação está garantido, para mais quatro anos disso que estamos vendo e sofrendo.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

DESEJO DE MUDAR

 

Comentando bem especificadamente a pesquisa do Ibope desta semana, que dá pequeno acréscimo de preferência para a presidenta Dilma em 2014, no entanto, José Roberto de Toledo frisa que 62% dão preferência às mudanças. Ou seja, a maioria encontrada para dona Dilma não é definitiva, porque quem deseja mudanças pode votar nela ou não. Assim, a maioria a ela atribuída pode ser submetida a variáveis no decorrer da campanha eleitoral. Na verdade, são muitos os fatores que conduzem os eleitores para uma mudança no estado atual. A inflação crescente, o desemprego em fase de aumento, a total insegurança do povo, a saúde conturbada e servindo como objeto de aspirações políticas, a previdência castigando os aposentados e, enfim, a queda acentuada dos investimentos estrangeiros são o suporte para uma mudança do quadro atual.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

REFRESCO

Na pesquisa pré-eleitoral divulgada dia 18 pelo Ibope, cometeram um erro grosseiro, deduzindo: dona Dilma aumenta a vantagem, mas a “maioria” quer mudança. Ora, se a maioria quer mudança, não quer a reeleição da presidenta, é óbvio e evidente! Como o País atravessa um péssimo momento, em todos os sentidos, passa ao eleitor esclarecido que a pesquisa serve apenas de “refresco” para os eleitores cativos e beneficiários dos programas sociais, configurando propaganda eleitoral. Esses resultados só valeriam se a eleição fosse agora, mas será realizada em outubro de 2014 e até lá só Deus sabe o que poderá acontecer, muito embora as chances de vitória da dona Dilma pioram e diminuem a cada dia... Não ganha, nem com reza braba!

 

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

MAU PRENÚNCIO

O retrato do momento, diante de pesquisa Ibope divulgada esta semana pelo “Estadão”, que mostra Dilma crescendo, comparando-a com os quatro cenários possíveis em 2014, é algo de alarmante, assombroso e temeroso que pode ocorrer novamente no País. Mantendo desta forma o domínio e a manipulação do PT-lulismo, continuando a nos escorchar e dilapidar por mais quatro anos. A única conclusão e definição a que chegamos é: cada povo tem o governo que merece, baseado na sua cultura, educação e conhecimentos.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MAL EXPLICADO

Não entendi essa pesquisa eleitoral: Dilma, 43%; Aécio, 14%; e Campos, 7%. Isso soma 64%, e o restante, 36%, onde está? Campos e Aécio ainda não anunciaram a candidatura e Dilma estaria concorrendo com quem?

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo  

*

COVARDIA

Êta oposição covarde a que nós temos, hein?

Nereu S. Domingues nvci@ig.com.br

São Paulo

*

CORREÇÃO

À época das eleições nos habituamos a ver no noticiário da TV e na mídia escrita a divulgação de índices de aprovação dos candidatos, sempre seguidos da margem de erro. Os jornais dos últimos dias citam o Ibope - e todo mundo sabe o time de Montenegro, além do Fogão - dando vitória a Dilma já no primeiro turno, mas omitem a margem de erro. Solicito que a notícia seja republicada sem falsetas.

Paulo Mello Santos policarpo681@yahoo.com.br

Salvador

*

CORRUPÇÃO + INCOMPETÊNCIA

Os políticos brasileiros sempre se gabaram da famosa política do rouba, mais faz. Como nada é tão ruim que não possa piorar, o estilo rouba, mas faz, foi substituído pelo rouba e não faz do PT. As obras do PAC estão aí para ilustrar que a corrupção, que sempre houve na política brasileira, foi acrescida de um importante componente: a incompetência. O exemplo disso são os 39 ministros leigos do governo Dilma.  Uma comparação entre o túnel Ayrton Senna, obra de Paulo Maluf, e a transposição do Rio São Francisco, obra do PT ilustra cabalmente essa mudança. Os túneis do Maluf estão ai funcionando perfeitamente, se houve superfaturamento e desvios de verba, ainda não se sabe, pois os processos ainda estão em trânsito. Já a transposição do Rio São Francisco, quem viver verá se um dia ficará pronta, assim como as demais obras do PAC. Já o confesso caixa 2 do PT vai muito bem, prosperando em dólares lá fora, prontinho para reeleger o poste no primeiro turno.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

VIOLÊNCIA NA AMÉRICA LATINA

Acerca da violência na América Latina, objeto do editorial de 18/11 (“Violenta América Latina”), registrando que vivemos no continente mais violento do mundo, com 1 milhão de vítimas anuais, é preciso destacar que o governo brasileiro é um expressivo incentivador da fabricação e comércio das armas de fogo leves, o que pode ser constatado pela Medida Provisória n.º 544/2011, da presidente Dilma Rousseff, convertida na Lei 12.598/2012. Somente no Brasil, tiveram curso 4,3 milhões de armas desse tipo, os instrumentos responsáveis por 90% das atrocidades. Ainda para aqueles que defendem a circulação indiscriminada de armas, agregá-las à péssima educação e à impunidade, para usar-se um termo do momento, é a tempestade perfeita.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

50 ANOS SEM JFK

O que teria ocorrido se Kennedy não tivesse sido assassinado? O combate ao “apartheid americano” teria sido muito mais eficiente. Os Estados Unidos teriam saído do Vietnam muito antes, evitando as milhares de mortes em vão por aquele país esquecido por Deus e corrompido pelo oportunismo russo. Cuba teria se livrado do comunismo e seus dias de esplendor estariam de volta. A União Soviética teria caído muito mais cedo, desacreditada diante da forte política de expansão dos valores americanos, baseados no capitalismo, na democracia e na liberdade de expressão. Talvez Nixon, Bush pai e Bush filho jamais teriam chegado ao poder e causado os estragos que causaram. A imagem dos Estados Unidos estaria muito mais intacta e com sua credibilidade quase intocada. O mundo seria um lugar melhor, bem melhor. Mas, há 50 anos, o sonho americano acabou. A inocência dos Estados Unidos foi violentada com a mesma força de um estupro. A América dourada deu lugar à um país cético e desconfiado. A morte de Kennedy é um marco divisório entre a ordem e a bagunça, entre um futuro empreendedor e a realidade frustrada; corrompida pelo oportunismo chinês e pelos ecos de podridão do comunismo soviético, além da insurgência da anarquia mundo afora.

 

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

KENNEDY

Em 1997 saiu nos EUA um livro - “The Dark Side of Camelot”, escrito por Seymour Hersh - revelando uma série de escândalos que desmistificam a figura de John Kennedy, mostrando o lado sinistro do ex-presidente estadunidense que, por ter sido assassinado em 1963, comoveu o mundo, razão pela qual acabou sendo objeto de homenagem póstuma com a denominação no Brasil de dois municípios (no Espírito Santo e em Tocantins) e dois distritos (em Verê, no Paraná e em Concórdia, em Santa Catarina) com o seu nome. Tendo em vista que a referida figura histórica não teve qualquer ligação com a História do Brasil e nem pode ser considerado um benfeitor da Humanidade, parece mais do que sensato rever as homenagens acima mencionadas. Isso não significa xenofobia nem qualquer hostilidade contra a grande potência do Norte, será apenas uma posição amadurecida, de valorização da nossa cultura e da nossa história. É bom lembrar que Dom Pedro I, o imperador que proclamou nossa independência, não é nome de qualquer um dos cerca de dez mil distritos e municípios brasileiros.

Roldão Simas Filho rsimasfilho@gmail.com

Brasília

*

CONTRAPONTO À HISTÓRIA

O caderno “Aliás” (17/11) trouxe entrevista interessante sobre o assassinato de JFK. Vi muitas vezes os filmes que gravaram aqueles tiros e não é uma conclusão simples dizer que foi apenas obra de um atirador. Se aquilo registrado e investigado a fundo ainda causa dúvida, o que dirá de fatos mais nebulosos como o julgamento da Ação Penal 470. Muitos comemoram as condenações presentes, mas será isso mesmo que será confirmado no futuro, quando isso tudo for um longínquo passado? Tenho dúvidas.

 

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Lorena

*

FALTOU DIZER

Onde está o JFK de Oliver Stone, de 1991, baseado no livro de Jim Marrs, que mostra claramente o absurdo sobre a versão de que o assassino foi Lee Oswald? O filme baseado em livro mostra em detalhes a farsa desta versão e mostra que JFK foi vítima de uma conspiração que culminou em seu assassinato. Uma reportagem deste quilate no “Estadão” deveria informar sobre o filme, sobre a farsa da comissão Warren, e o jornal simplesmente omitiu ambos.

Pedro Demeter pdemeter11@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.