Fórum dos Leitores

POLÍTICA ECONÔMICA

O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2013 | 02h03

Petrobrás em queda

Após o anúncio do reajuste dos combustíveis, as ações da Petrobrás despencaram. Na segunda-feira, a PETR3 caiu 10,37% e fechou a R$ 16,42, a PETR4 caiu 9,21%, fechando a R$ 17,36. Não demora muito e essas ações estarão valendo R$ 1,99. Isso lembra alguma coisa, presidente Dilma Rousseff? Na minha humilde opinião, Dilma precisa fazer um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, em horário nobre, para esclarecer aos acionistas da Petrobrás que os investidores não têm espírito esportivo nem sabem brincar. E Lula tem de ser entrevistado para dizer que a Petrobrás está falindo por causa da herança maldita de FHC. Ainda vou ouvir muitos petistas falarem que no tempo de FHC eles eram felizes e não sabiam.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Ações despencando

Desse jeito, as ações da Petrobrás vão chegar ao fundo do poço do pré-sal muito antes que a sonda de perfuração!

JOSÉ GILBERTO SILVESTRINI

jsilvestrini@hotmail.com

Pirassununga

E o País empobrecendo

Houve um tempo em que as economias do FGTS eram trocadas por ações da Petrobrás, recomendadas pelos consultores de investimentos. Os fundos de pensão também são investidores. O governo do PT pouco se importa com o patrimônio dos cidadãos poupadores. Dilapida o patrimônio público das geradoras de energia, da Petrobrás e do Tesouro Nacional, elevando as dívidas públicas sem investir na estrutura produtiva. E ainda escamoteia o verdadeiro índice da inflação. Sacrifica o futuro do povo em benefício dos aparelhados e de seu projeto eleitoreiro. Conta com que os cidadãos não reajam ao furto sorrateiro. O País está empobrecendo.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

Centavos

Não demora muito e as ações da Petrobrás virarão centavos, tendo o mesmo fim que a OGX. Parabéns, Guido Mantega!

VALDIR SAYEG

valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

Hora de mandá-los pra casa

As marolinhas desprezáveis converteram-se em trovoada atemorizante. Raios caíram fortemente sobre a Bovespa, principalmente pela falta de transparência da Petrobrás, cujas ações despencaram num dia "somente" 10% - baixa de 2,3% na média da bolsa, que a fez recuar para 30 de abril, a lamentáveis 51.244,87 pontos. Um ano de fortes prejuízos no mercado de capitais não pode justificar as declarações otimistas do governo. Sem falar no anúncio feito ontem de mais um pibinho. É hora de mudança política, pouco importa se ganhar Aécio Neves, Marina Silva ou Eduardo Campos, como bem disse FHC. O importante é mandar para casa esses aventureiros ineptos e irresponsáveis.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Retrato do Brasil

Ontem tivemos um perfeito retrato - aliás, muito triste - do nosso glorioso Brasil. O ex-guerrilheiro que diz ter pegado em armas para lutar contra a ditadura apelou para a renúncia ao seu mandato de deputado federal, que deveria ter sido cassado quando da condenação no mensalão, para não perder a chance de se candidatar de novo, apesar de estar "dodói" e não poder "cumprir" pena no presídio da Papuda. Também ontem soubemos que o pibinho continua em franca queda, apesar dos "discursos poliana" de Dilma Rousseff e de seu ministro lácteo. Preço dos combustíveis "controlados", apesar de estarem quebrando a Petrobrás - só nesta segunda-feira a empresa perdeu "módicos" R$ 24 bilhões de valor de mercado. A grande pergunta é: por que esses petralhas querem mais quatro anos de (des)governo?! Ainda não deu tempo de destruir totalmente a economia brasileira, é isso?

RENATO AMARAL CAMARGO

natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

O MAIS ADMIRADO

Parabéns, 'Estadão'!

Eleito pelo quinto ano consecutivo por 888 profissionais do mercado como o jornal mais admirado do País, O Estado de S. Paulo está de parabéns. Cumprimento também os jornalistas do Estadão pela coragem e dignidade com que noticiam, sem medo de represálias, as verdades e sujeiras escondidas debaixo do tapete da política brasileira.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

Exemplo de qualidade

O nosso querido Estadão nos enche de orgulho! Na pesquisa realizada pelo Grupo Troiano de Branding, o jornal aparece pela 11.ª vez como o veículo impresso mais admirado do País. Não fossem o talento e a determinação de bem informar de seus diretores, jornalistas e colaboradores, essa honrosa liderança - e a empatia com os seus leitores - não seria alcançada. Parabéns a todos os envolvidos!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Prestígio e confiabilidade

Como leitor diário do jornal há mais de 50 anos, cumprimento a direção e todos os colaboradores de O Estado de S. Paulo pela manutenção do prestígio e da confiabilidade ao longo de seus mais de cem anos de existência, agora novamente confirmados pelo estudo publicado na revista Meio & Mensagem.

MARIO ERNESTO HUMBERG, presidente e consultor sênior da CL-A Comunicações

marioernesto.humberg@cl-a.com

São Paulo

Busca da verdade

Na condição de assinante "quarentão" do Estadão, orgulhosa e merecidamente, felicito esse digno e independente órgão da imprensa brasileira que, pela 11.ª vez liderando o ranking de jornais, é o mais admirado, o que veio aumentar ainda mais e justificar o seu prestígio jornalístico. Peço vênia para acrescentar que, além do mais admirado, é também um dos veículos noticiosos mais honestos do jornalismo mundial. Salve o Estadão, que tem como lema, como norma de procedimento, a máxima latina "vitam impendere vero" - consagrar a vida à verdade!

ANTONIO BRANDILEONE

abrandileone@uol.com.br

Assis

CORREÇÃO

Editorial

A frase citada no editorial A cidade dá o troco (3/12, A3) não é de Ulysses Guimarães. O seu autor é o ex-governador paulista André Franco Montoro.

ALIPIO FERREIRA

alipiof@hotmail.com

São Paulo

 

  _______________________  

 

JOSÉ GENOINO RENUNCIA Depois espernear, passa mal (nem tanto), ser internado, avaliado e liberado, para puxar a cana, “joga a toalha” e renuncia? Essa é velha, meu caro. J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo  

 

 *

BOM NEGÓCIO Petistas e suas estratégias: com a renúncia de Genoino ao mandato de deputado federal, deputados petistas respiraram fundo, porque não precisarão votar por sua cassação/absolvição com voto aberto. Menos constrangimentos. Para Genoino, foi ótimo, melhor renunciar do que ser cassado. Quem teria tido a ideia da renúncia? Quem souber ganha um pirulito. Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo  

 

 *

GAIATOS Nada como um dia após o outro para os mensaleiros corruptos do PT se tocarem de que entraram de gaiato no navio do pirata Lula. Agora, Inês é morta e vão ter mais é que nos aturar. Como era gostoso o poder e a grana a rodo rolando de cumpanheiro para cumpanheiro. Infelizmente, tudo na vida tem um fim. Mas que Genoino não fique triste: o que ele aguenta rindo nós, os honestos, não aguentamos nem gritando. Que vá pensar na prisão.

 

Antonio Jose Justino anjogoma@yahoo.com.br

Rio de Janeiro  

 

 *

ESTATUTO CASUÍSTICO

 

Causa espécie o fato de o PT deixar de cumprir seu próprio estatuto, que determina “expulsão” de filiados condenados de forma irrecorrível por práticas administrativas “ilícitas”. Consta que o PT “não concorda” com o resultado do julgamento do mensalão. Ora, desde quando decisão (definitiva) do Supremo Tribunal Federal (STF) há de subordinar-se aos humores dos jurisdicionados para ter sua legitimidade reconhecida?  Não custa lembrar que o próprio Lula pediu “desculpas” ao povo brasileiro pelo mensalão, em rede de TV, à época em que o escândalo veio a público. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por sua vez, em longa entrevista concedida à revista “Veja”, admitiu que houve, sim, práticas ilícitas dos implicados. A sentença do STF – que tem maioria de seus membros nomeada pelo governo petista – “transitou em julgado”, sendo, por conseguinte, irrecorrível! Não tem saída. Malgrado tudo, o PT julga-se acima da lei e da Justiça brasileira. Diz que não vai expulsar os condenados, em desrespeito ao seu estatuto. Esse é o partido que “lutou pela democracia” nos idos dos anos 60-70... Agora fazendo de tudo para deslegitimar o julgamento da Justiça – entenda-se a mais alta Corte de Justiça, o STF, um dos pilares da mesma democracia pela qual o PT sempre diz que “lutou”. Pelo que se vê, para o PT, as decisões do STF devem subordinar-se ao PT e só “valem” se o partido, ao fim e ao cabo, “concordar” com a decisão dos juízes, posicionando-se como uma instância revisora “pós-STF”. Se as pencas de provas contra os condenados do mensalão não foram suficientes para o PT, quais, enfim, o partido admitirá como válidas? A cada dia cai um pouco mais a máscara e diminui a farsa do discurso “democrático” dos antigos vestais da “ética”.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com    

São Paulo

 

  *

E SE? Se numa democracia o PT cobre, reveste e envolve seus líderes de privilégios, vantagens e prerrogativas, pode-se imaginar o que este partido faria se governasse acima das instituições. Eugênio José Alati alatieugenio@gmail.com

Campinas  

 

 *

O PODER DA ESTRELA No oeste dos Estados Unidos da América, na época da colonização, as autoridades regionais nomeavam xerifes que portavam uma estrela prateada como sinal de sua autoridade. Aqui, no Brasil, o governo lulopetista faz o mesmo, só que suas muitas “otoridades” portam estrelas vermelhas. Enquanto os xerifes americanos faziam valer a lei e impunham a ordem em benefício do cidadão, os da estrela vermelha, conforme nos diz o sr. A. P. Quartim de Moraes no excelente artigo “0013, licença para ser corrupto” (3/12, A2), são agentes, com apoio oficial, para garantir a hegemonia do PT a qualquer custo, por mais que prejudique e onere quem trabalha e produz honestamente. Infelizmente, acho que nossos “agentes 0013”, além de licença para serem corruptos impunes (defendidos por advogados de alto gabarito, caríssimos – quem será que está pagando suas contas?), têm também uma para mentir, abusar da demagogia, da esperteza e de “flexibilizar” as leis, desde que seja no interesse do partido.  Fica bem claro e comprovado o que disse o ex-petista Frei Betto: “O PT trocou um projeto de Brasil por um projeto de poder”. E seus “agentes 0013” são os incumbidos de fazer os fins justificarem os meios. Enquanto isso, na falta de uma oposição que se preze, os brasileiros preocupados com a conta pesada que terá de ser paga por futuras gerações que reclamem por meio do “Estadão”, que ainda tem o poder de ser nossa brilhante estrela guia.

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo  

 

 *

CORRUPÇÃO NÃO TEM ESCALA A. P. Quartim de Moraes só pode esta sofrendo de “esquizofrenia intelectual”. Como pode o sujeito escrever: “Genoino, que é honesto, mas não é burro nem cego, assinou papéis..”. Ora, se Genoino sabia o que assinava, e o que assinava era ilegal, como poder esse sujeito ser honesto? Tenho a impressão de que o jornalista quer amenizar o que o político preso fizera. Não faz diferente do que o PT quer fazer. Esse mesmo jogo de palavras vem sendo usado pela esquerda há muito tempo. Não só pela esquerda, ressalta-se, mas também por regimes totalitários os quais não se sabe se foram de esquerda nem de direita, tais como o de Stalin ou Hitler. É notório que esse jornalista age, dessa forma, com as maiores e piores intenções possíveis. Corrupção é igual pecado: não existe maior ou menor, é tudo a mesma coisa. Werly da G. dos Santos gama_eamsc@yahoo.com.br

Rio de Janeiro  

 

*

PRISÃO DOMICILIAR O parecer do procurador da República, sr. Rodrigo Janot, pedindo que o condenado do mensalão José Genoino, vulgo Geraldo, tenha sua prisão domiciliar por mais 90 dias, faz eu entender que o procurador da República é procurador do PT. Este senhor insano sabe quantos detento iguais ao Zé estão na mesma situação lá, no presídio? Lugar de bandido é na cadeia. Paulo F. Siqueira dos Santos paulof.santos@hotmail.com.br

Santa Rita do Passa Quatro  

 

*

TRATAMENTO PRIVILEGIADO Duas juntas médicas nada viram de tão grave para José Genoino, condenado mensaleiro, abandonasse a prisão, mas o procurador-geral da República ignorou os laudos médicos e pediu para seu “protegido” ficar em prisão domiciliar por 90 dias. Em pior situação há presos aguardando exames que justifiquem a prisão domiciliar, e nada acontece. Ao ignorar pedidos de presos comuns, o procurador “fere de morte o princípio constitucional da isonomia”. Como essa citação é bonita e só serve para enfeitar as páginas de um livro, vamos continuar assistindo às barbaridades que se praticam nas barbas da Justiça. Que país e este? Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo  

 

*

DE MÉDICO E LOUCO... Enquanto a 200 km de Brasília, mais precisamente no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, três médicos assistem 4 mil detentos, homens e mulheres, dentre os quais quase “300 Genoinos” diagnosticados com doenças diversas – segundo notícia recente de jornal de Goiânia –, na capital da República um único preso doente está a deixar altas autoridades de cabelos brancos, além de suscitar manifestações de leigos em medicina que nos levam cada vez mais a acreditar no aforismo de que “de médico e  louco todo mundo tem um pouco”.

 

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br

Pirassununga  

 

*

VAMPIROS BRASILEIROS Acompanhando durante um bom tempo o que fazem, o que falam e como agem vários ex-guerrilheiros brasileiros. Acabei por compará-los a um personagem do Chico Anísio, o Bento Carneiro – vampiro brasileiro. Pufit, pufit... O guerrilheiro brasileiro, destes que chegaram ao poder, o lugar merecido é o xadrez, porque não consegue como ator o emprego nem em circos de terceira categoria. Inventar doença é covardia. Inventar emprego é embuste. Mentir é trair. Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais  

 

 *

HERÓIS PARA O PT? Dirceu, Delúbio e Genoino, heróis por quê? Heróis são os pracinhas que participaram da guerra e, apesar das desigualdades de forças, venceram e votaram. Esse trio participou de algum movimento contra a ditadura por livre e espontânea vontade e no processo do mensalão por ambição desmedida pelo poder e riqueza fácil, agora aguenta coração as punições e parem de choramingar, afinal, cumpriram parte do acordo para proteger o grande líder. Deem graças a Deus por nascerem no Brasil, porque em outra parte do mundo o castigo seria muito pior, podendo chegar à prisão perpétua ou à pena capital. Sejam felizes no minha cela, minha vida! Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro  

 

 *

SEM LIMITES PARA A INFÂMIA O PT tem o péssimo hábito de assumir como de sua autoria atos positivos de outros e negar seus próprios malfeitos. Mesmo que para isso seja necessário criticar quem quer que seja, como no caso do STF, e repetir à exaustão, mesmo não sendo verdadeiro, aquilo que lhe convêm. Aos mensaleiros presos Lula disse: estamos juntos. Já Dilma não disse uma só palavra a favor, bem como criticou o tratamento privilegiado que recebem na prisão. Entretanto, em vários eventos do partido, manifestações de apoio aos “heróis” condenados e críticas até ferozes contra quem deles discorda. Mas o que está difícil de engolir é que se pretende associar o cumprimento da sentença ao “combate à corrupção por parte de Dilma, mandando até encarcerar seus companheiros e partidários”. Até quando a dividida e afável oposição vai permitir e conviver com estas balelas?

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

   *

O COLAPSO DO JUDICIÁRIO

 

A ação civil relativa ao mensalão mineiro dorme, no Supremo Tribunal Federal, há exatos dez anos (“Estado”, 2/12). Preocupa-nos o fato de que, além dessa ação, com réus importantes e de reconhecido poderio político e econômico, existem milhares de outros processos, de diferentes motivações, também represados nas prateleiras e mesas dos tribunais e fóruns de todo o País. Apesar do seu crônico atravancamento burocrático, a Justiça ainda é o pilar mais respeitado da sociedade brasileira. Seu veredicto é fundamental para o resguardo da normalidade legal. É preciso obter fluidez para que a justiça seja, efetivamente, feita. Louve-se a vontade (e desculpem-se os rompantes) do ministro Joaquim Barbosa ao reconhecer as dificuldades da Justiça. Sob sua direção o STF levou à conclusão o mensalão federal. E, agora acusam-no de não ter feito o mesmo com o mineiro. Todos os mensalões (o federal, o mineiro e outros que eventualmente venham a ser identificados), os atos de corrupção e a extensa gama de processos dormentes, em todos os foros, carecem da mais urgente solução, independente de quem sejam suas vítimas ou réus. A segurança jurídica e o deslinde das questões judiciais constituem os fundamentos da existência da própria organização social. Sem justiça, o que se tem é desagregação, selvageria, barbárie...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo  

 

 *

MARCOS VALÉRIO Marcos Valério estará em livre em 2051, ano em que completarei 100 anos (como são capazes os deuses da medicina nestes tempos), ou completaria. Seja como for, meus neurônios cansados já terão transferido às novas gerações o dever de coadjuvar no cuidado da coisa pública, invariavelmente exposta aos peritos especializados na criatividade em torná-la riquezas privadas.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

  *

A AVALIAÇÃO DE FERNANDO HADDAD Fernando Haddad teve, segundo o instituto Datafolha, 18% de aprovação do seu governo como ótimo e bom e 40% como regular, o que não me parece uma tragédia, como diz o editorial “A cidade dá o troco” (3/12, A3). O editorial considera uma condenação o fato de o prefeito ter 58% de aprovação como ótimo, bom e regular e afirma que “se em outras circunstâncias os paulistanos tivessem dado uma nota consagradora, ele também teria feito por merecê-la”. Seguindo esse raciocínio, a aprovação da presidente Dilma Rousseff feita em pesquisa do Datafolha, de 81% entre ótimo, bom e regular, deve ser considerada consagradora e justa pelo editorialista. Quanto à implementação de faixas exclusivas de ônibus, já que o editorialista respeita as pesquisas, é aprovada por 88% dos paulistanos. Quanto à afirmação de o prefeito ter sido eleito unicamente pelo apoio de Lula, lembro que o ex-presidente apoiou candidatos à prefeitura que foram derrotados nas cidades de Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Manaus, Campinas, etc. Valdenice Santana dos Santos santosvaldenice@ig.com.br

São Paulo  

 

 *

‘A CIDADE DÁ O TROCO’ Ao contrário da posição adotada pelo editorial deste jornal, acredito que há um grupo de paulistanos que devem, sim, ser punidos pela infeliz escolha de optar pelo carro ao invés do transporte coletivo. Utilizar o transporte público é uma escolha responsável, inteligente e urgente. Quem, tendo a opção do transporte coletivo, opta pelo uso do carro deve, sim, padecer horas no trânsito como consequência da escolha irracional e egoísta que fez. É óbvio e previsível que usar carro é uma tremenda furada, quem insiste é um completo mal informado. Samuel Clementino da Costa samuel_ccosta@yahoo.com.br

São Paulo  

 

*

SOMOS TODOS CIDADÃOS Não é nada difícil para quem anda de carro em São Paulo entender a popularidade pífia do prefeito Fernando Haddad, a pouco menos de completar um ano de mandato. O aumento atabalhoado e mal planejado dos corredores de ônibus em vias já congestionadas só pioraram o trânsito nos últimos meses. O alcaide parece ter-se esquecido (ou nunca considerado) de que quem utiliza veículos de passeio também é cidadão. É perigosa a estratégia do PT de aplicar medidas populistas e eleitoreiras desprovidas do mínimo critério e bom senso.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo  

 

*

O JULGAMENTO DA CIDADE

 

O grande e inesquecível político de minha terra, Ulysses Guimarães (1916-1992 – Rio Claro), citado em editorial do “Estadão”, sempre repetia que os cidadãos não moram na união, nem nos Estados, mas nos municípios, porque estes são, na verdade, a célula mater do País e onde se formam os futuros governantes nacionais. Daí que, para governar um município, é necessário preparo e conhecimento de sua população e das características peculiares de cada região ou local. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, não estava preparado para governar a maior cidade do País. Ele foi metido na garganta dos paulistanos por Lula, que agora fica quietinho e até critica o seu poste. A desaprovação ao seu governo, também, é o troco que o PT merecia, servindo, ainda, para demonstrar a queda do lulopetismo no Estado mais rico da Federação. Não é sem razão que as pesquisas mais recentes informam que 66% desejam mudança total no panorama político. E as eleições ainda estão bem longe. José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

   *

NA MESMA LINHAGEM O saudoso Leonel Brizola, quando se referia ao ex-presidente Fernando Collor de Mello, era taxativo em dizer que Collor era um filhote da ditadura. Seguindo a linha de raciocínio de Brizola, será que podemos dizer que Haddad é um filhote de Lula? Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

 

  *

TÉCNICO Lula está criticando Haddad por ele fazer um governo “eminentemente técnico”. A minha singela sugestão: o prefeito poderia dar 50% de desconto no IPTU de 2014 a todos os aposentados do INSS. Com isso o governo teria uma conotação bem mais social. Vocês concordam? José Luiz Martin jluizmartin@yahoo.com.br

São Paulo  

 

 *

O QUE PREOCUPA O PARTIDO A verdadeira preocupação do PT-lulismo não é com o fato de Fernando Haddad não estar fazendo um bom mandato, para cumprir suas promessas de campanha em benefício da população, e sim com o fato de que tal comportamento seja uma ameaça ao projeto do PT de reeleger Dilma Rousseff e eleger Alexandre Padilha para o governo do Estado de São Paulo. Ou seja, se tudo o que ele estivesse fazendo não prejudicasse os índices de popularidade de Haddad e do PT, não estariam nem um pouco preocupados. O povo que se exploda, né não? Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo  

 

 *

HADDAD DEFENDE DONATO Pegou muito mal para o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), defender publicamente o vereador e ex-secretário Antonio Donato, que recebia dinheiro de fiscais da máfia do imposto sobr serviços (ISS). O prefeito deveria ter um mínimo de isenção, imparcialidade, ética e agir como um verdadeiro homem público, e não fazer esse papelão que só o desmoraliza e compromete ainda mais. Ao invés de defender a cidade e os direitos dos paulistanos, Haddad preferiu apoiar e defender alguém que recebia mesada de fiscais corruptos e que ajudaram a financiar com “doações” de R$ 200 mil sua campanha para vereador. Por aí se vê o baixo nível dos nossos políticos, que agem de forma nada ética e sem o menor compromisso com a verdade, a justiça e com os direitos dos cidadãos.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo  

 

*

INTERESSES CONTRARIADOS Com a criação da Controladoria Geral do Município (CGM), ficou público e notório que a corrupção andou solta nos oito anos de gestão Serra/Kassab. Não é justo culpar unicamente Gilberto Kassab, pois José Serra, antes de renunciar, entre outras ações, foi responsável pela nomeação de Hussain Aref Saab como diretor de Aprov, que comprou 106 imóveis com dinheiro de propina, e pela nomeação de Mauro Ricardo Costa como secretário municipal de Finanças, onde existia a máfia do ISS. O prefeito Fernando Haddad criou a CGM para combater a corrupção e deu carta branca ao eficiente e íntegro Mário Spinelli para agir com todo o rigor possível. Corruptos e corruptores com interesses contrariados tentam, em desespero, levantar uma cortina de fumaça ao insinuar que o prefeito recuará atendendo a conselhos do Lula ou por receio que a ação respingue em algum correligionário. Haddad responde prontamente fortalecendo a CGM com a contratação de mais funcionários para tornar a ação mais abrangente, independentemente de interesses eleitorais ou que atinja quem quer que seja. Certamente a Prefeitura recuperará os valores de ISS sonegados pelas construtoras, ficando por conta do Ministério Público e da Receita Federal a implementação das ações que legalmente lhes cabem.

 

Paulo Sergio Fidelis Gomes psf.gomes@ig.com.br

São Paulo  

 

 *

CONSELHOS PARTICIPATIVOS Como no atual estágio da nossa democracia os vereadores, assim como os demais Poderes Legislativos, são na verdade um pedaço do Poder Executivo – afinal a maior parte dos secretários (e ministros) é por eles nomeada – a verdadeira eleição de vereadores estará ocorrendo no próximo domingo, pois os tais conselhos participativos municipal, como mostra a matéria “Pela 1.ª vez, conselhos de bairros têm eleição” (1/12, A25), têm a função de assegurar a participação da sociedade no planejamento e na fiscalização das ações e gastos públicos da cidade. Com isso, parece que os vereadores eleitos no ano passado vão ficar sem ter o que fazer! Moramos mesmo num país “sui generis”. José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

 

  *

ECONOMIA BRASILEIRA Mais incrível que o decepcionante resultado do nosso Produto Interno Bruto (PIB) do 3.º trimestre do ano, que sinaliza um crescimento para 2013 bem abaixo dos 2,5% projetados pelo governo, é descobrirmos que nossa presidente está sendo iludida e acreditando na conversa do ministro Guido Mantega. Uma declaração sua feita há poucos dias ao jornal espanhol “El País” garantia que o PIB de 2012 mudaria de 0,9% para 1,5%, o que não ocorreu, pois ficou após a revisão em apenas 1%. Um enorme erro de 50%, que muito nos envergonha por escancarar a incompetência de quem está no comando da nossa economia. Por isso é que o Brasil perde a sua credibilidade no resto do mundo e afasta interessados em investir no País. Ninguém mais leva a sério os discursos de Dilma e Mantega. Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro   

 

 *

PERIGOSAS MENTIRAS Desde o final de 2012 quando o governo “arranjou” as contas brasileiras para parecerem melhores, a exemplo do que faz Cristina Kirchner na Argentina, parece que a presidente Dilma criou o hábito das inverdades na economia. Na área dos números desse setor, o técnico Arno Augustin, favorável e executor das “melhorias de números” e autor da “contabilidade criativa”, tem tentado “enganar” economistas e, por exemplo, após o péssimo resultado das contas públicas em outubro, o pior de todos desde 2002, garantiu que novembro será melhor, no que ninguém acreditou. Depois dona Dilma, talvez por estar em campanha eleitoral, declarou a um jornal que o PIB de 2012 teria crescido 1,5%, e não os 0,9% anunciados. Surpresa! Será que aí existe também a “contabilidade criativa”? O problema verdadeiro é que economistas e jornalistas já não acreditam nos números fornecidos pelo governo. Talvez o Brasil siga o caminho da Argentina, onde os economistas não acreditam mais pois, para eles, a inflação é de 25%, mas para Cristina é de 10%. Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo  

 

*

SEGREDO Qual é o segredo que dona Dilma tem a respeito do sr. Mantega que a impede de demiti-lo, se ele não tem capacidade de gerir nem uma microempresa? Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo  

 

 *

SAPO SEM BARBA PIB recua, Petrobrás desaba, corrupção aumenta, educação patina, Haddad fracassa, dólar sobe, inflação volta e Lula quer a reeleição de Dilma e a eleição de Padilha (quem?) em São Paulo. Ora, ora, sapo sem barba, está na hora de sair do caminho e deixar o Brasil crescer de novo. Fora PT! Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

 

  *

PETROBRÁS EM BAIXA Dia 2/12/2013, 10h56, a Bolsa de Valores está operando no vermelho, com queda de 1,41% e as ações PETR3 estão caindo 8,13% e a PETR4 está caindo 6,38%. Esse é o resultado que o governo federal conseguiu após anunciar o aumento do valor do combustível na sexta-feira, após o fechamento da Bolsa. Onde está a governança corporativa da empresa Petrobrás, que anunciou que o conselho aprovou uma fórmula para o reajuste do diesel e da gasolina, mas que por “questões comerciais” ela não pode ser divulgada? Como ficam os acionistas, principalmente aqueles que investiram o dinheiro do FGTS na empresa? Com o dólar valendo R$ 2,335, podemos concluir que o reajuste dos combustíveis não vai fazer nem cosquinha na dívida da Petrobrás  e sobrar dinheiro para investimento nem pensar. Graça Foster pode esperar sentada, pois de pé vai ficar cansada. Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

  *

A PETROBRÁS PEDE AJUDA A abandonada e mutilada Petrobrás, perdeu no dia 2/12/2013, em razão da frustração do mercado pelo índice abaixo do esperado do reajuste dos combustíveis, quase R$ 25 bilhões de seu valor de mercado porque suas ações na Bolsa de Valores despencaram quase 10%. E nestes últimos dois anos, mais de 50%! Uma catástrofe por obra e graça da ignorância e do populismo administrativo petista. As forças políticas e entidades representativas deste país precisam reagir de forma contundente para que se dê um basta nesta ingerência maléfica do governo petista, que desde Lula suga até o bagaço dessa outrora respeitável e eficiente estatal. E para confirmar essa desconfortável falta de conhecimento macroeconômico, ou desprezo pela defesa do nosso patrimônio e condução da nossa economia, os mais recentes índices apontam o pior saldo da balança comercial desde o ano 2000. Ou seja, negativo em US$ 89 milhões. O superávit primário prometido de 3,1% para 2013 mal chegará a 2%. PIB anunciado de 3,5%, no início do ano, com muita sorte será de 2,5%.  Investimentos estão estabilizados no pior dos níveis históricos. E a inflação para 2014 poderá alcançar o teto da meta de 6,5%, porque os preços administrados, que neste ano foram reajustados na marra em apenas 1%, no próximo ano não deverão ficar abaixo de 5%, o que contaminará toda a cadeia produtiva. Porque vão subir os preços de energia elétrica, transporte urbano, reajuste do aluguel, excessivamente o IPTU, principalmente o do governo petista de Fernando Haddad, em São Paulo, etc. E se quiserem  salvar a combalida Petrobrás, o preço dos combustíveis também deve ser celeremente reajustado. Tudo a ser computado, como sempre, na conta do sofrível bolso do contribuinte. Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos  

 

 *

O GOVERNO E A PETROBRÁS Já é sabido por boa parte dos brasileiros que governo interveio nas atividades de repasse de preço às bombas de gasolina e diesel na Petrobrás ao longo dos últimos anos, mas por que o susto da queda dos 10% em 2/12/2013? A Petrobrás, em virtude da alta demanda interna de ambos os combustíveis (gasolina e diesel), está importando petróleo para suprir o mercado interno. Nisso, não há problema nenhum. Em função da desvalorização cambial do real perante o dólar, tal importação se tornou mais cara e, em virtude disso há problemas, porque o repasse desse aumento do dólar para as bombas de gasolina seria inevitável, uma hora ou outra. Não me atenho aqui às manobras praticadas pelo governo que fizeram com que o real desvalorizasse no mercado mundial, mas sim aos efeitos dessa desvalorização, que podem causar problemas futuros no setor de transportes (o aumento do ônibus será inevitável a não ser que transfiram a fonte de arrecadação para outro lugar, como tentaram fazer, em São Paulo, com o IPTU) e em todos aqueles que dependem de tal matéria-prima. O fato da Dilma não ter aceitado o repasse gradual, por parte da PETR, ao longo dos anos, fez com que a empresa sofresse uma “hemorragia” (termo assaz utilizado para tal fato), não satisfazendo os objetivos da empresa, que teve que arcar com prejuízos pela falta do repasse ao mercado interno, que seria maior se mais tempo tivesse passado. O governo pediu para que não fossem repassados os preços para evitar a tão famosa “espiral inflacionária”, que como sabemos, assolou o Brasil na segunda metade da década perdida, os anos oitenta, ou sarneyzistas. A espiral já está criada, além de ultrapassarmos a meta dos 4,5% ao ano, o governo conseguiu desestabilizar uma empresa de grandíssimo porte que desenvolve função vital na economia do País, interferindo no PIB e na balança comercial, entre outros indicadores macroeconômicos e mesmo micro, pois nós, meros consumidores do combustível (ainda que pelo uso do transporte público), sofreremos com o impasse petrolífero. A intervenção estatal na economia é necessária? Sim. O mundo aprendeu isso principalmente depois da crack da Bolsa de 1929, quando a mão livre do Adam Smith acabou se transformando num gesto de matar para Nero, o famoso “joia” virado de ponta cabeça. Se o governo permanece segurando o repasse, o rombo da empresa fica maior, causando, “a posteriori”, problemas maiores em prol de uma tentativa tosca de reter a inflação. Da mesma forma que o ministro Guido Mantega, há pouco, quando quis “proteger” a indústria nacional de veículos taxou os importados, poderia ter diminuído as taxas dos nacionais, incentivando tal consumo, mas preferiu dificultar o acesso dos importados àquela pequena camada da população que usufrui da compra de carros importados pagando, já anteriormente, impostos altíssimos. As manobras de intervenção estatais devem, sem dúvida, ser realizadas, mas é preciso analisar morosamente os melhores meios para tal, pois, sem isso, podemos ser prejudicados posteriormente, talvez em um governo com outra sigla que nada tenha a ver com tais intervenções. O fato de não divulgarem a metodologia utilizada para o repasse do aumento dos preços é o que assusta os investidores, externos e internos, deixando o mercado à deriva despencando num abismo sem freio e um dos princípios de uma empresa do porte da Petrobrás é a transparência, não se pode deixar o investidor desinformado, e é isso que aguardamos, mais informação. Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com

São Paulo  

 

*

REAJUSTE DOS COMBUSTÍVEIS Ao final das contas, o governo quer acabar com a inflação ou com a Petrobrás?! J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

  *

PREÇO DA GASOLINA O preço do litro de gasolina e demais derivados no Brasil não está defasado em relação aos preços internacionais. Mas o que a Petrobrás recebe está, sim, bastante defasado. A questão é o grande valor dos impostos embutidos. Dessa maneira, nem a Petrobrás consegue margem para investir nem o consumidor tem o preço justo.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr. Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo  

 

*

IDOSOS DESPROTEGIDOS Não deixa de ser um fenômeno social o que está ocorrendo no Japão. As más condições econômicas aliadas ao isolamento social fazem com que a população acima de 65 anos se envolva com a polícia. Com uma população das mais velhas do planeta, o Japão tem, nos seus 127 milhões de habitantes, 30 milhões, que correspondem a 23%, de idosos com mais de 65 anos. No ano passado 8,8% dos crimes foram atribuídos a idosos, contra 3,6% no ano de 2002. Ressalte-se que a maior parte dos delitos não se caracteriza pela violência, e furtos predominam a mais da metade das condenações. Os japoneses, assim como outros povos asiáticos com preceitos confucionistas, cultuam o respeito aos idosos. Segundo o IBGE e estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil deve chegar a 32 milhões de idosos com 60 anos ou mais em 2025. O aumento da expectativa de vida, que deve chegar aos 80 anos em 2041, reclama políticas públicas que alcancem a proteção dos idosos, o que na verdade não é prioridade para o governo federal, haja visto o atendimento hospitalar e o garrote vil aplicado nos milhões de aposentados da Previdência Social. Na verdade, a assistência ao idoso não acompanha a demanda, enquanto o Estatuto do Idoso, bom, deixa para lá. Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

  *

GERAÇÃO NEM-NEM Mais uma estatística divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é a da geração “nem, nem”: nem estudam, nem trabalham. Ela atinge uma população de 9,6 milhões de jovens entre 15 e 29 anos, equivalente a um em cada cinco brasileiros nessa faixa etária, ou 19,6%. A maioria são mulheres e representa 70,3%, que não tem nenhuma atividade produtiva; e 58,4% que tem pelo menos um filho. A maioria dos jovens tem o ensino médio completo, por outro lado, 32,4% nem sequer completou o ensino fundamental. É no Nordeste a maior população dos jovens “nem, nem”. Será que a presidente Dilma tem conhecimento dessa estatística? Com certeza não. Quando souber, ou vai nos passar uma mentira ou vai ficar calada. É a presidente que nem governa nem fala a verdade, mas quer se reeleger. Estamos em maus lençóis. Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.