Fórum dos Leitores

CONGRESSO DO PT

O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2013 | 02h04

Sexta-feira 13

Não podia ser mais adequada a data escolhida pelos militantes do PT para um ato de desagravo aos presos petistas: sexta-feira 13, sinônimo de mau agouro. Um desfile de zumbis envergando camisetas com fotos dos mensaleiros José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares e com frases de apoio a esses criminosos, que só eles consideram heróis.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Hipocrisia

É muita cara de pau desses militantes petistas que pediram anulação da Ação Penal 470. Os dirigentes do partido não passam de hipócritas. No começo de suas "carreiras" se diziam humildes e trabalhadores, depois, quando alcançam o poder, tornam-se corruptos e tiram dinheiro daqueles que lá o colocaram. Minha tristeza é ver essas pessoas ludibriadas apoiando políticos que destruíram a política brasileira. As provas estão vistas, roubaram. Vão para a cadeia e espero que fiquem por lá. Basta!

FELIPE DA SILVA PRADO

felipeprado39@gmail.com

São Paulo

GOVERNO DILMA

De pernas quebradas

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, extrapola e se Dilma Rousseff tivesse seriedade e pulso já o teria demitido. Além de quebrar as duas pernas da economia do País, sob o olhar complacente e irresponsável da "presidenta", quer agora adiar a obrigatoriedade dos freios ABS e dos airbags para salvar a cara do governo pela redução de alguns centésimos na taxa de inflação de 2014. Não contente com a manipulação "criativa" das contas, torna o governo Dilma responsável direto pelas mortes que seriam evitadas. E isso deixando ociosos os investimentos já feitos pela indústria! Confirma-se a índole pseudorrevolucionária do governo do PT, que dá prioridade unicamente ao poder - as próximas eleições -, desprezando não somente o futuro e a competitividade industrial do País, mas a própria vida dos brasileiros.

PETER GREINER

peter.greiner@aclnet.com.br

São Paulo

Carroças

Lamentável a decisão do governo de reavaliar a decisão da obrigatoriedade do uso de airbags e freios ABS nos veículos fabricados a partir de 2014 (sabemos o que vem pela frente...), decisão essa tomada há muito tempo pela Resolução 311/2009 do Conselho Nacional de Trânsito. Está claro que é uma decisão político-eleitoreira de última hora, pois Dilma e seu superministro Mantega não sabem mais o que fazer para manter o sindicato ao seu lado e deixar de perder mais votos na próxima eleição. Ao invés de andarmos pra frente em tecnologia e segurança de nossos veículos, voltamos pra trás, também como de costume, nas mudanças de rumo que atrapalham os investimentos programados e, principalmente, a confiança dos investidores. Mas tudo fica bem, porque agora as montadoras vão poder relançar veículos bastante atualizados e de design atraente, como a Kombi, o Mille, o Ka e outros cacarecos... Eita, esse é o nosso Brasil!

ARTUR LOVRO

artlovro@hotmail.com

São Paulo

Argumentos

Se correta for a informação que o governo vai cancelar, a partir de janeiro de 2014 até 2016, a obrigatoriedade de airbags e freios ABS em veículos novos, voltaremos de fato à época das carroças. Que "argumentos" levaram a Anfavea (sindicato da indústria automobilística) e seus associados ao ministro para que Mantega use tal prerrogativa?

HANS DIETER GRANDBERG

h.d.grandberg@terra.com.br

Guarujá

Inflação x vidas

Quantos pontos na inflação vale uma vida? A notícia de que o governo pretende adiar por dois anos as regras para a obrigação de incluir dois itens de segurança nos carros é de deixar qualquer ser pensante arrepiado. Essa regra obriga à instalação de freios ABS e airbags em todos os carros novos a serem comercializados. São importantíssimos itens de segurança, que preservam a integridade das pessoas e evitam mortes. No anúncio feito pelo ministro Mantega, ele avalia que o preço dos automóveis vai aumentar e sua preocupação é que o índice da inflação, também. Pergunto ao sr. ministro: quanto vale uma vida? Os R$ 800 que, segundo a Volkswagen, impactariam no custo do carro? Uns pontos na taxa da inflação? É um absurdo termos autoridades tão frias e insensíveis que para se livrarem de uns pontinhos na inflação (que já está galopante, é só sair às ruas) dizem coisas dessa natureza. E mais: fica então provado não sermos um país confiável. Pois quem se arrisca a investir por aqui, se toda hora as regras são mudadas?

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

Rombo no FAT

O Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) pode encerrar o ano com um rombo histórico de R$ 10 bilhões. Os magos que comandam a economia no governo já encontraram a solução: restringir o acesso do trabalhador ao seguro-desemprego e ao abono do PIS. Pelo que se depreende, esse déficit é causado pelo excesso de trabalhadores no seguro-desemprego. Ora, se o governo vive alardeando queda do número de desempregados, é de estranhar que o volume de gastos com eles não recue ou, ao menos, não estacione. O PIS, que em 2012 consumiu R$ 28 bilhões, deverá sofrer mudanças consideráveis que afetarão os beneficiários. Hoje um mês de carteira assinada no ano dá direito a um salário mínimo de abono. Com a mudança, quem trabalhou só um mês receberia 1/12 do mínimo. O governo estuda medidas que podem gerar uma economia de cerca de R$ 1 bilhão com o seguro-desemprego e R$ 3 bilhões com o abono do PIS. Mas nem o mais obtuso dos Eremildos acredita que esse arrocho na classe trabalhadora ocorra num ano eleitoral de vida e morte para o PT. O Boletim de Informações Financeiras do FAT deveria ser mais claro quando informa na sua planilha que em 2012 foram repassados ao BNDES mais de R$ 28 bilhões e nos últimos dez anos, mais de R$ 117 bilhões. Mais transparência!

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Portos

É inacreditável a incompetência do governo ao fazer licitações. Não tem uma que o Tribunal de Contas da União aprove totalmente, há sempre restrições, como essas dos portos. A presidente Dilma pode ser uma eficiente gerente, como o ex-presidente Lula tentava fazer-nos crer, todavia sua equipe é lamentável. Há uma máxima em administração de que chefes competentes se cercam de gente competente e o inverso também é verdadeiro.

ÉDEN A. SANTOS

edensantos@uol.com.br

São Paulo

 

  ___________________    

 

 

CHUVA, TRAGÉDIAS E CRIME

Este é o país da Copa do Mundo de futebol e da Olimpíada, onde mais da metade da população sofre com todos os tipos de privações, de saúde caótica a educação de péssima qualidade e violência aviltante. Além disso, assistimos todos os anos às tragédias que as chuvas causam – uns anos mais, outros menos. Pessoas pobres que acabam perdendo o pouco que têm, inclusive familiares. Bahia, Belo Horizonte e Rio de Janeiro têm cidades literalmente embaixo da água. São tristes as cenas de municípios que já declararam estado de calamidade, com milhares de pessoas desalojadas, e continuam sendo castigados por temporais que os meteorologistas não são capazes de prever com exatidão e muitos acabam sendo surpreendidos pelos temporais. Porém, enquanto a maior parte da população se comove e luta contra as tragédias que assolam várias regiões do País nesta época de chuvas de verão, uma classe parece alheia a tudo e aproveita a temporada: os criminosos. Os bandidos aproveitam que motoristas ficam horas em face de alagamentos e aproveitam para praticar arrastões e saques, levando pessoas ao pânico. Os carros parados na Rodovia Presidente Dutra, no Rio e na região metropolitana, viraram alvo fácil de criminosos, um arrastão que teria envolvido pelo menos dez pessoas, segundo a Polícia Rodoviária. Foram levados pertences dos motoristas como celulares, mochilas, bolsas, jóias e dinheiro. Pelo menos dois caminhões foram saqueados, um deles na Dutra. O outro um caminhão, frigorífico, teve parte da carga levada nas proximidades do trevo das margaridas, na Avenida Brasil – importante via de ligação entre o centro e a zona norte do Rio, cidade maravilhosa, mas que vive o caos das chuvas e da violência endêmica. Para amenizar a insegurança em que vive o Rio, São Paulo e Espírito Santo vão enviar reforço policial. Surreal a situação nos dois Estados mais desenvolvidos e ricos do País. Ao invés de o efetivo ajudar desabrigados e doentes, que são muitos, é destacado para impedir que criminosos intensifiquem atuação em meio ao caos e à miséria. Não é para nos indignarmos com essa situação?

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

*

 

HOMEOPATIA PARA PACIENTE TERMINAL

Pronto. Está resolvido o problema dos que perderam seus pertences, casas, etc. O governador Sérgio Cabral criou o Gabinete da Integração. Nome pomposo, não? Vai trabalhar em conjunto com os municípios atingidos. Agora não há mais problema. Chega a ser hilário. Eles ministram homeopatia em doente terminal, e ele ainda pede ajuda à população para enviar roupas, alimentos, etc. Chega a ser patético. Pede o que o Estado deveria fornecer. O Estado é que deveria abrigá-los, agasalhá-los e alimentá-los, e não pedir a ajuda da população. O cidadão paga seus impostos para que isso não aconteça e o Estado ainda pede para ajudar os desabrigados? Que o Estado cumpra seu papel. Ele deveria ser responsabilizado pela omissão das autoridades em permitir construções em áreas de risco, por não dragar e limpar os rios, por não providenciar saneamento, etc.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

 

O RIO QUE NINGUÉM VÊ

O dinheiro gasto no estádio do Maracanã e nos "preparativos" para os Jogos de 2016 (as obras ainda serão iniciadas) deveria ser usado na baixada fluminense, que já não existe no mapa do Estado do Rio de Janeiro. O Estado do Rio de Janeiro, para os políticos, começa no aterro do Flamengo e termina na Barra da Tijuca. O resto é o resto, só não vê quem não quer. A cidade do Rio de Janeiro é como uma ilha maravilhosa cercada de desgraça por todos os lados.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

 

*

 

NO CONGRESSO DO PT

Em 12 de agosto de 2005, um Lula morrendo de medo de ser cassado declarou aos brasileiros sobre o escândalo do mensalão: "Eu me sinto traído, traído por práticas inaceitáveis das quais nunca tive conhecimento. (...) Nós temos de pedir desculpas. O PT tem de pedir desculpas". Agora, na festa de abertura do 5.º Congresso do partido, Lula diz que o PT enfrenta campanha de difamação, adere ao desagravo aos condenados mensaleiros e, de punho cerrado, repete o gesto feito por Dirceu e Genoino ao serem presos. Lula não é a metamorfose ambulante que pretende ser, ele é apenas um tremendo cara de pau, sem a menor vergonha na cara.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

 

AVACALHAÇÃO GERAL

O 5.º Congresso do Partido dos Trabalhadores (PT) deu uma demonstração de que o partido assumiu de vez que o Brasil, que ele "desgoverna" há mais de dez anos, é um vasto balcão de negócios onde a corrupção, a rapina aos cofres públicos e a avacalhação das instituições constituídas chegam a ser uma conquista do partido. As faixas exibidas no congresso exibiam os dizeres: "Anulação da Ação Penal n.º 470" e "Dirceu, Genoino e Delúbio, guerreiros do povo brasileiro". Rui Falcão, presidente do partido, diz que a História absolverá os presos. Quando os petistas repetirem mil vezes que os mensaleiros são inocentes, isso se tornará verdade. Atingimos o limite do desgoverno, do escárnio e do deboche. O Brasil não resiste a um quarto governo nacional de coalizão.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

 

AFRONTA AO STF E À DEMOCRACIA

A prova de que o 5.º Congresso dos petralhas foi a mais pura demonstração de que essa gente não respeita as instituições de nosso país foram as declarações de Lula, da presidente Dilma e do presidente dos petralhas. Caso esse evento tivesse acontecido na Rússia de Putin, com certeza seriam exilados para a Sibéria ou, se fosse na Cuba de Fidel, caso o fizessem, sairiam direto para as masmorras, como são os presídios da ilha, ou iriam para o paredón. Esse ato de desagravo aos integrantes do PT que foram presos em decorrência do julgamento da Ação Penal 470, caso mensalão, é uma afronta ao Supremo Tribunal Federal (STF), nossa mais alta corte de Justiça, que os condenou e mandou prendê-los, e à nossa democracia.

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com

Porto Feliz

 

*

 

OS PIORES MÉTODOS

Se alguém esperava que no 5.º Congresso do PT seus membros e militância iriam fazer um ato de mea culpa, de contrição pelos atos criminosos de seus companheiros agora condenados e presos, se equivocou. Na verdade os mesmos prestaram uma homenagem aos mensaleiros de seu partido, atacaram novamente a imprensa e desmereceram os julgadores na presença da presidente da República e do ex-presidente. A história do PT vem sendo marcada pela total falta de lógica ética e de princípios republicanos. Seu "modus operandi" se iguala aos piores métodos de inversão dos fatos, em que só os outros são sempre culpados e os que não comungam de suas opiniões são inimigos mortais. Aos opositores sobram dossiês apócrifos, com denúncias falsas sustentadas até pelos membros de seu governo. Desde as eleições de 1998, com o estímulo a divulgação do dossiê das Ilhas Cayman contra os tucanos, até hoje, em diferentes eleições, partem para o ataque sujo sem o menor pejo, a ponto, neste momento, de utilizar um ministro o da Justiça para prejudicar seus adversários no caso Siemens, com tradução fajuta de documento sem autor, envolvendo o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), pedido de emprego em troca de delação premiada. Se não houvesse má intenção o caminho de tal ação seria outra e se realmente se localizasse a fraude, que os culpados fossem julgados por seus atos. Mas... O intuito vergonhosamente é sempre outro!

Leila E. Leitão

São Paulo

 

*

 

SALMÃO PARA ROBERTO JEFFERSON

O bom advogado, principalmente o criminalista, na defesa de um cliente denunciado e condenado por qualquer crime, vai buscar provas para inocentá-lo ou para cumprir mais suavemente sua pena, provas essas às vezes as mais inusitadas. Agora temos o caso do ex-deputado Roberto Jefferson, condenado no processo mensalão a mais de dez anos de prisão de reclusão. Como antes da condenação ele foi operado de um câncer no pâncreas, seus advogados pleiteiam a transformação do cumprimento da sua pena de reclusão para pena em prisão domiciliar, para se tratar. Para tanto, ele necessita de dieta especial e, notadamente, é indispensável o consumo de um alimento marítimo caro (salmão defumado), que as penitenciárias não oferecem. Isso vem para querer reforçar o pedido dos defensores de Jefferson e convencer o presidente do STF a conceder o aludido pedido. No caso em tela, o salmão deixa de ser dieta alimentar para ser uma dieta legal para reforçar, como fundamento jurídico, uma decisão que modifique um acórdão do STF.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

 

*

 

NO NÍVEL DO RIDÍCULO

O advogado de defesa de Roberto Jefferson expôs sua classe ao ridículo quando mencionou que seu cliente deveria cumprir sua pena em "prisão domiciliar" porque o mesmo deve se sujeitar a uma dieta alimentar muito rígida e severa, com "salmão defumado, omeletes só de claras, geleia real" e só tomar "água de coco", e esse procedimento deve ocorrer de 3 em 3 horas. A defesa alega que tal controle e atendimento o detento não os teria na prisão. Portanto, se isso não for seguido à risca, seu cliente poderá falecer. Vergonhoso e absurdo!

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

 

 

COZINHA GOURMET

Ou eu estou louco ou vou ficar. Vendo as colocações alucinadas do advogado do condenado no processo do mensalão Roberto Jefferson, a gente chega à conclusão de que o Brasil acabou, só se esqueceram de nos avisar. Será que o advogado nunca pensou que existem milhares de brasileiros lesados, arrebentados, pobres presos com problemas de saúde muitíssimo piores do que o do sr. Jefferson, e nunca pediram uma cozinha gourmet nas prisões? Isso só pode ser brincadeira, ou será que esse advogado já bebeu todas antes de as festas começarem? O cara é corrupto e tem de ir em cana. "C’est fini" e sem argumentos ou enganações.

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

 

*

 

POBRES MULHERES

Aguardei ansiosa que houvesse alguma manifestação a respeito do assunto, mas, como ela não ocorreu, resolvi escrever este lamento indignado. Assisti às duas senhoras condenadas na Ação Penal 470, vulgo mensalão, serem transferidas de Brasília para Belo Horizonte, onde cumprirão a merecida pena imposta, algemadas e escoltadas por, salvo melhor juízo, quatro agentes da Polícia Federal. Diante da "periculosidade" que elas representam para a sociedade, faz todo o sentido, não é verdade? Por certo que as algemas evitaram que as duas, à semelhança de outros dois presos, erguessem o braço e cerrassem o punho à guisa de revolucionários tupiniquins que surrupiaram os cofres públicos. Alô, dona Menicucci! Alô, dona Maria do Rosário! Alô, colunistas, Miriams, Cristianas, Elianes, todas sempre tão ciosas em defender a igualdade de gêneros.

Sandra de Oliveira mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

 

EFEITO COLATERAL

Com a prisão dos mensaleiros famosos, com advogados caríssimos que sabem armar maracutaias jurídicas para justificar privilégios e defender seus clientes, as mazelas do sistema prisional brasileiro vieram à tona. O descaso do Poder Executivo com este sistema, pior que os cárceres medievais, além de causar revolta dentro dos presídios pela desigualdade causada pelos privilégios da "elite" criminosa, permite que o crime avance rapidamente, porque os celulares e demais contatos dos chefes presos com o mundo externo direcionam as ações malignas a seus subordinados em liberdade. Espero que os chefes políticos presos na Papuda não utilizem as mesmas técnicas dos bandidos do Comando Vermelho, no Rio de Janeiro, e do PCC, em São Paulo, para orientar os criminosos de colarinho branco para "rapinarem" dinheiro da saúde e da educação e, indiretamente, sacrificarem vidas inocentes silenciosamente.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

 

HO, HO, HO

Condenados do mensalão devem passar Natal e ano-novo na prisão. Bem que Lula poderia se fantasiar de Papi Noel para dar uma alegria aos seus amigos hospedados na Papuda!

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

 

*

 

ALI BABÁ

Alguns dos 40 ladrões já foram condenados e estão cumprindo as penas da lei. Uma pergunta se faz necessária: quando será que o nosso Ali Babá vai ser preso e condenado?

Agostinho Locci legustan@gmail.com

São Paulo

 

*

 

JOÃO PAULO CUNHA X JOAQUIM BARBOSA

Que há bandalheira na Justiça todos sabemos, há até o tal de Lewandowski como ministro no Supremo Tribunal Federal (STF). O bom seria que todos abrissem o bico de vez, principalmente os mensaleiros "injustiçados".

Ariovaldo Batistas arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

 

A GRANDEZA DO PARAGUAI

Enquanto Cuba e Venezuela dão péssimos exemplos de falta de liberdade e desrespeito ao cidadão, o pequeno e vizinho Paraguai começa a dar sinais de grandeza moral ao tratar políticos corruptos com o devido rigor que merecem ao não aceitá-los em bares restaurantes e shoppings, como informou Gaudêncio Torquato em "Babá de Borgado" (8/12, A2). Que esse bom exemplo seja seguido pela sociedade civil brasileira, cansada de tanta corrupção, impunidade e da simpatia demonstrada pelo governo brasileiro a regimes autoritários. O sonho do povo brasileiro sempre foi progredir, não regredir.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

 

*

 

O PARAGUAI CONTRA A CORRUPÇÃO

Viva aos paraguaios e seus comerciantes, que aprenderam a rejeitar políticos corruptos até nas ruas, proibindo-os de entrarem em lojas bares e shoppings. Precisamos colocar em prática urgentemente essa ideia, já que no Brasil a corrupção e a impunidade se tornaram doenças endêmicas.

Paul Forest paulforest@uol.com.br

São Paulo

 

*

 

PRESSÃO QUE FUNCIONA

No Paraguai funcionou, vamos tentar aqui, no Brasil, também. Diversos logistas, restaurantes, taxistas, salão de cabeleireiros, etc., resolveram boicotar e não atender os 22 senadores, mais o senador corrupto, que foi inocentado por seus 22 pares. Com esses protestos dos comerciantes ao senador corrupto e seu grupo, houve um recuo, e o corrupto foi liberado para ser processado pela Justiça por corrupção.

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

 

*

 

PARAGUAIOS LEGÍTIMOS

Os paraguaios, através de intensos protestos pelas redes sociais, dão um exemplo de ação anticorrupção. Após a Justiça ter obrigado os órgãos públicos a divulgar a lista de seus funcionários e respectivos salários, escândalos com contratações indevidas e nepotismo revoltaram a população, que atingiu o ápice com a votação contra a suspensão de imunidade parlamentar do senador Bogado, denunciado por contratar babá com dinheiro público. Estes 23 senadores que votaram foram execrados nas ruas e proibidos de entrar em estabelecimentos comerciais como bares, restaurantes, pet shops, cinemas e até na Pizza Hut, numa demonstração fantástica de cidadania. E ganha fama por lá o aplicativo "Quem eu escracho?", com fotos e detalhes dos safados, para identificá-los pelas ruas. Num momento em que os movimentos de rua iniciados em junho no Brasil arrefeceram pela ação dos black blocs, a adoção maciça e permanente de ferramentas como essa seriam perfeitas. Parabéns aos paraguaios!

Elcio Espindola elcio.espindola2013@gmail.com

Santana de Parnaíba

 

*

 

O REGULAMENTO DO BRASILEIRÃO

É impressionante como o Brasil é um país onde não se respeitam minimamente regras, leis e regulamentos. Na cultura nacional, quem erra não assume a responsabilidade e as consequências pelos atos praticados e quer sempre sair impune. Seja no futebol como na vida em geral, lamentavelmente essa é a cultura geral do País. No Brasileirão 2013, alguns clubes infringiram o regulamento de forma primária e infantil ao escalarem atletas de forma ilegal e irregular. Por isso devem mesmo ser punidos e perder os pontos, como manda o regulamento do campeonato, e é o que se espera que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decida. Os infratores preferem culpar terceiros que não têm nada que ver com os fatos. É um princípio básico: errou, tem de responder e pagar pelo erro cometido. Fosse o Brasil um país sério, esse tipo de coisa jamais ocorreria e cada um assumiria seus atos e as consequências. Como não é, fica essa cultura da impunidade, do "jeitinho", do "levar vantagem", como manda a famosa Lei de Gerson reinante no País. Os amantes do futebol querem apenas que o regulamento seja cumprido, nada mais do que isso, doa a quem doer.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

 

*

 

PIADA

Pode se transformar numa piada para os nossos irmãos lusitanos. Correm o risco de a Portuguesa cair para a série B do Campeonato Brasileiro, por ter escalado o jogador Héverton, que estava suspenso pelo STJD, beneficiando o Fluminense, que é especialista em "tapetão". Pior é que o Flamengo corre o mesmo risco de ser rebaixado pelo mesmo motivo, por ter escalado o jogador André Santos, também suspenso, na partida com o Cruzeiro. Piada carioca. O Vasco também tentou ganhar os pontos do jogo contra o Atlético Paranaense, mesmo tendo perdido por 5 a 1. A briga ou o tumulto foi dos torcedores dos dois clubes, não justificando a mudança do resultado no campo. Êta campeonato bem organizado! Pelo visto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não acompanha nada. E agora? Melhor, ficar como está. Ou vão favorecer os clubes cariocas?

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

 

*

 

A CBF NÃO É POLÍCIA

A CBF é a entidade máxima do futebol brasileiro, mas não é babá de jogador, muito menos de torcedor. Quem coloca nos estádios as famigeradas torcidas organizadas, autênticos marginais, ordinários e desocupados, são os clubes. Muitos deles chegam a pagar todas as despesas nos deslocamentos dos pseudotorcedores pelos estádios brasileiros. Quem também deveria cuidar com mais rigor dessa corja de bandidos que coloca em pânicos os verdadeiros torcedores e suas famílias é o Ministério do Esporte. Para coibir a ação dos covardões e canalhões que vão aos estádios fazer confusão, existe o Estatuto do Torcedor. A CBF e Marin não têm autoridade nem têm competência de policiais para mandar prender os facínoras que envergonham o Brasil e o futebol pentacampão do mundo aos olhos do outros países. A CBF cuida e muito bem, do calendário do futebol, dos diversos campeonatos em suas variadas séries, todos realizados com inegável sucesso, da seleção feminina de futebol (agora mesmo Brasília vai sediar um campeonato internacional). A CBF e Marin cuidam e zelam também pelos êxitos da seleção brasileira, ampliando o prestigio da seleção e dos jogadores no mundo inteiro. Agora mesmo a gestão José Maria Marin determinou a realização da Copa Verde, com a participação de dezenas de clubes do Norte e Nordeste, valorizando assim os times profissionais dos Estados mais distantes do País, já que o cretino Bom Senso FC só exige melhorias e regalias apenas para os jogadores da elite do futebol brasileiro, esquecendo-se completamente dos atletas profissionais das séries B, C e D. A CBF, sob a gestão Marin, ampliou o elenco de patrocinadores da seleção. Sinal da credibilidade da CBF e de confiança na seleção na Copa do Mundo. Por fim, é preciso lembrar que o futebol brasileiro sob a presidência de Marin conquistou a Copa das Confederações, vencendo seleções expressivas como México, França, Chile e a Espanha, atual campeã do mundo, dando ânimo novo, energia e otimismo à seleção pentacampeã.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

 

*

 

VIOLÊNCIA NO FUTEBOL

Cartão vermelho para a violência das torcidas (des)organizadas! Paz nos estádios aos torcedores de boa vontade! Amém.

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

 

MEDIDA CONTRA BRIGÕES

Em vez das nove medidas inúteis do governo, coloque-se os brigões trogloditas numa jaula no zoológico, comendo só bananas, até ficarem mansos...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

 

PARECE QUE NÃO DÁ VOTO

João Santana deve estar reavaliando a postura da candidata à reeleição Dilma Rousseff no que diz respeito ao aproveitamento do tema tortura e Comissão da Verdade. A presidente foi vaiada em evento na quinta-feira, onde fez questão de frisar que ainda existe tortura no País, coisa que todos nós sabemos e de que ela própria foi vítima em passado distante, coisa que só ela explicita. Quem sabe ela não depõe na Comissão da Verdade. Pode ser o passo decisivo para obter o apoio popular ou perdê-lo em definitivo. Com a palavra, João Santana.

Marco Antonio Esteves Balbi balbi393@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

 

QUEM MATOU CARLOS LACERDA?

No dia 21 de maio de 1977, um infarto matou Carlos Lacerda, o terceiro membro da "Frente Ampla" formada contra o regime militar. A Comissão da Verdade exumou Jango e confirmou a morte de JK pela ditadura militar. E quanto ao ex-governador do Estado da Guanabara que apoiou a revolução de 1964 e se arrependeu depois? Não merece o mesmo tratamento nesta trajetória de reconstrução da história recente do Brasil. Depois de Jango e JK, a Comissão da Verdade precisa investigar o caso de Lacerda.

Mario Jun Okuhara mariojun@hotmail.com

São Paulo

 

*

 

COMISSÃO DA VERDADE DE SÃO PAULO

Que vergonha! Quanta besteira, baboseira, perda de tempo e dinheiro, a "nossa" municipalidade gasta em discutir a morte do ex-presidente Juscelino Kubitschek. Os "nossos" ilustres vereadores, na tentativa de se promoverem, buscam os holofotes para apresentarem a proposta de exumação do corpo do motorista do ex-presidente, como se isto vai resolver alguma coisa. Deveriam gastar energia discutindo, pela "famosa" Comissão Municipal da Verdade de São Paulo, os itens a seguir: Comissão da Verdade dos Camelôs, da Cracolândia, dos Moradores de Rua, dos Semáforos, da CET, das Calçadas, do IPTU, da Educação, da Limpeza Pública, dos Corredores de Ônibus, do ISS municipal, da Habitação e por aí vai.

Jose Roberto Marforio bobmarforio@gmail.com

São Paulo

 

*

 

QUERENDO APARECER

Esse tal vereador Gilberto Natalini, da Comissão da Verdade de São Paulo, nem sei qual seu partido, está mesmo é querendo aparecer e não sabe como. Achou JK para mote e tenta aparecer. Seria melhor que se incomodasse com os reais problemas paulistanos e encontrasse soluções para os mesmos.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

 

*

 

O VOO DO APARTHEID

Apesar da aparente saia-justa e da perplexidade de milhões de brasileiros, o voo presidencial para Johanesburgo, sob o comando da gerentona Dilma Rousseff, levou a bordo os adversários políticos Lula (PT) e FHC (PSDB), além das malas Collor e Sarney (sempre da base aliada), os únicos ex-presidentes vivos do Brasil. Só ficou faltando a Comissão da Verdade sugerir a ida de Jango e JK numa caixa com os restos mortais. Os assuntos que antecederam a missa em homenagem a Nelson Mandela, certamente, ninguém nunca saberá, mas o gesto, bastante revelador, mostra o quanto os políticos brasileiros podem se sacrificar quando querem aparecer perante o mundo. Inimigos ferrenhos nos últimos 25 anos, período chamado de democrático, agora sorriem em frente às câmeras e até "choram" pela morte do líder sul-africano (este, sim, uniu povos em torno de ideais), já pensando nas campanhas que começam daqui a sete meses e, aí, cada qual vai mostrar quantas e quais garrafas tem para vender.

João Direnna joao_direnna@hotmail.com

Quissamã (RJ)

 

*

 

EM BOCA FECHADA TAMBÉM ENTRA MOSQUITO

Certa vez, em território africano, dona Dilma Rousseff abriu a boca sobre controle da inflação no Brasil e a expectativa do mercado financeiro caiu, mais recentemente, de boca fechada sobre a política de preços de combustíveis, as ações da Petrobrás despencaram. De volta à África, para discursar nas exéquias de Nelson Mandela, o que desabou foi o prestígio do FHC, que aceitou convite para viajar, de segunda classe, no Aerolula.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

 

MASSA

Collor, Sarney, FHC, Lula & Dilma. Essa é a farinha usada na receita do pão que o diabo amassou. O gosto só piora usando-se Mantega...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

 

GRANDEZA

Foi um gesto de grandeza o da presidente Dilma ao convidar os ex-presidentes para acompanhá-la em viagem à África do Sul para as últimas homenagens ao Nelson Mandela.

J. Celio Garcia imaculadasalci@hotmail.com

São Paulo

 

*

 

DIGNO

Fico imaginando quantos políticos temos no Brasil que seriam dignos de homenagens como as que Nelson Mandela recebeu do povo africano e também do mundo inteiro. É de matar de inveja os nossos governantes.

Paula de Ribamar e Silva paula.ribamar@gmail.com

São Paulo

 

*

 

GALHOFA

Para homenagearem o gigante Mandela, em seu funeral, cinco anões brasileiros rumaram para a África: presidente Dilma, ex-presidentes Lula, Fernando Henrique, Sarney e Collor. Todos por oito horas juntos no mesmo voo. Dizem as más línguas que Dilma achou uma nota de R$ 100 no corredor do avião e comentou o seguinte: vou jogar essa nota pela janela e fazer um brasileiro feliz. Lula completou: melhor dividir em duas de R$ 50 e fazer dois brasileiros felizes. Sarney sugeriu 5 de R$ 20; e Collor, cem notas de R$ 1. Como faltava a opinião de Fernando Henrique, a presidente cobrou: "E então, Fernando, o que você sugere?". "Bem, presidente, já percebi que a vontade de todos é fazer o maior número de brasileiros felizes, então que tal saltarmos todos pela janela e fazer mais de 200 milhões de brasileiros felizes?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

 

*

 

O DISCURSO DA PRESIDENTE

Conforme as notícias, o discurso da presidente Dilma durante a cerimônia em homenagem ao ex- presidente Nelson Mandela não agradou aos sul-africanos devido ao tom burocrático em que foi proferido. Outra hipótese: será que os sul-africanos ficaram sabendo que a presidente Dilma não convidou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, para participar da comitiva que viajou à África do Sul?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

 

TRADUÇÃO

"Dilma afirma que líder transcendeu fronteiras." Há coisas que são inconcebíveis. A nossa presidente não sabia que iria discursar no velório do sr. Nelson Mandela? Por que não deixar que o tradutor saiba do discurso previamente para fazer o melhor trabalho possível? Depois vêm dizer que o som do estádio dificultou o trabalho de tradução simultânea. Isso nunca vai mudar? O trabalho do tradutor-intérprete é desprezado e perde-se uma grande oportunidade de nós, os brasileiros (representados por quem somos), abrilhantarmos e impactarmos o mundo com a nossa visão. O nome do Brasil ficou exposto por palavras incompreensíveis e a nossa voz não se fez ouvir, mais uma vez.

Nelma Barros Braga Perovani nelma@puigperovani.com.br

Piratininga

 

*

 

A EXORTAÇÃO DE PAPA FRANCISCO

Quero cumprimentar o querido professor Oliveiros S. Ferreira pelo artigo "A exortação de Francisco à sua Igreja militante" (11/12, A2). O artigo tece uma análise lúcida sobre a opção da Igreja pelos pobres, que são os destinatários privilegiados do Evangelho, conforme nos diz o papa, enfatizado em "Evangelii Gaudium". A que conceito de pobreza alude a Igreja? A pobreza referida se dá num nível concreto ou espiritual? "Dos pobres de meios ou dos pobres de espírito?" O professor salienta que o papa não anistiou a Teologia da Libertação, e que o "cerne da questão não está na propriedade, está na alienação que se dá no dinheiro." Eu creio que o papa foi veemente em sua crítica à ditadura do dinheiro e à importância absoluta que este adquiriu no enfoque dos governantes ao redor do globo. Essa postura exige muita coragem, determinação e trabalho árduo pela frente. É por isto, e por sua atitude de humildade ao perguntarem-no sobre a sua opinião em relação à homossexualidade, ao dizer "quem sou eu para julgar?", além de seu carisma esfuziante, entre outras qualidades, que o papa foi escolhido, merecidamente, a personalidade do ano pela prestigiosa revista americana "Time". Durante toda a minha juventude lia com avidez as colunas do professor e ainda tenho muitos recortes de artigos. Fiquei muito triste quando o professor Oliveiros parou de escrever, e fiquei extremamente feliz quando do seu regresso às suas colunas que nos cutucam e nos obrigam a refletir sobre assuntos que impactam as nossas vidas.

Silvana Ibrahim silvanaib@bol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.