Fórum dos Leitores

DESEMPREGO

O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2013 | 02h07

Dados do IBGE

Números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) atestam que, em novembro, o desemprego ficou em 4,6%, a menor taxa desde março de 2002. E os desocupados, aqueles que procuram emprego, totalizam 1,1 milhão de trabalhadores. Agora, como explicar, lá em casa, que pouco mais de 16,8 milhões de brasileiros adultos (não aposentados, diga-se) não procuram emprego e não entram nessa estatística do IBGE? Não é estranho? Por que não procuram emprego? Não o encontraram e se cansaram? Ou têm baixa qualificação profissional? E, se essa é a realidade, onde estão os milhões de reais despejados pelo governo em ONGs fajutas e sindicatos de camaradas que nem sequer prestam contas dos recursos que recebem para qualificação profissional? Respeito o IBGE, mas essa metodologia empregada não me convence. A Nação precisa de uma resposta, porque conformar-se com que 16,8 milhões de brasileiros adultos que não procuram emprego, não produzem e, no entanto, consomem também serviços das nossas instituições, sustentados que são com os recursos dos contribuintes, é jogar produtividade no lixo.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Bolsistas

A explicação para a queda da taxa de desemprego de outubro a novembro (de 5,2% para 4,6%) é o grande aumento do número de pessoas que não trabalham nem procuram emprego. Antes de perguntar se esses números fazem parte da "contabilidade criativa" do governo, porque causam espécie, gostaria de saber como são contabilizados, para efeito dessas estatísticas, os 13,5 milhões de famílias que recebem o Bolsa Família.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Nem-nem

Desemprego alcança a menor média histórica. Muito bonito! Não fosse o IBGE considerar desempregados somente aqueles que procuram emprego, estaria tudo certo. O que fazer com a crescente geração "nem-nem", que nem trabalha nem estuda? E os dependentes do Bolsa Família, onde aparecem? E o que dizer, então, dos níveis recorde de desembolso do seguro-desemprego? Esses índices são mera fantasia. Acredite neles quem quiser. Ninguém vive de sonhos e nenhum país sai do lugar enganando a si próprio.

MARIA C. ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

MENSALÃO

Emprego para Dirceu

A escola da vida é mesmo a que melhor nos ensina a refletir sobre nossos erros. José Dirceu, condenado no processo do mensalão, aceita trabalhar num escritório de advocacia por um salário de R$ 2,1 mil mensais, valor bem diferente dos R$ 20 mil que receberia como gerente de hotel em Brasília. Será que assim ele já começa a refletir sobre seus erros praticados?

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

JUSTIÇA

Acesso ao Judiciário

Estudo organizado pelo Ministério da Justiça revela como está o nível de acesso dos cidadãos brasileiros ao Judiciário. O Distrito Federal tem a melhor Justiça do País, segundo o levantamento. O Maranhão tem o pior desempenho. Ainda há muitos problemas que envolvem o acesso ao Judiciário no Brasil. De nada valem as conquistas sociais e os direitos reconhecidos em leis, se o aparelho judicial não cumpre eficazmente sua tarefa de dar efetividade a essas leis. A propósito, quando se almeja equacionar as dificuldades do acesso à Justiça, não se pode perder de vista que grande parcela da população passa ao largo da proteção jurídica, em razão da situação particular em que vive, causada notadamente pela gritante diferença na distribuição da renda, criando camadas e subcamadas populacionais que vivem à margem da sociedade. Não basta um programa de reformas na máquina judiciária. A possibilidade de ordem jurídica justa exige vontade política para reverter um sistema econômico e político corrompido e injusto, de forma a emancipar da condição de pária um grande contingente de brasileiros, dando-lhes primeiro o acesso aos confortos mínimos da cidadania: comida, casa, saúde, educação e informação.

ANÍBAL TEIXEIRA, presidente

do Instituto JK e ex-ministro do Planejamento

renato.alvescunha@hotmail.com

Belo Horizonte

Recesso

Os fóruns do País estão fechados e funcionam apenas em sistema de plantão desde sexta-feira até 6/1/2014, por causa do recesso forense no período das festas de Natal e ano-novo. É uma medida benéfica e salutar para os advogados e demais operadores do Direito. Porém, para a imensa maioria da população brasileira, não é uma boa. As pessoas necessitam da prestação jurisdicional de forma urgente, mas terão seus processos adiados e ainda mais demorados por causa dessa pausa. Milhares de audiências, sentenças e atos processuais deixarão de ser realizados durante este período de 18 dias, repetindo o que faz o Poder Legislativo, com as férias dos parlamentares. Verdade seja dita: o Judiciário brasileiro precisa trabalhar, produzir mais e oferecer uma melhor prestação de serviços jurisdicionais à sociedade, tão carente de justiça e de direitos no Brasil.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Alexandre Coutinho Vianna Lima, Cultura Artística, Editora Paulus, Eletronuclear, Fernanda de Almeida Prado, Francisco Samuel Fiorese, Francisco Zardetto, InformaMídia Comunicação Empresarial, Insider 2 Comunicação Corporativa, Instituto Millenium, Itaú Personnalité, Jornal Folha Noroeste, José Roberto Birolli, J.S. Decol - Decol, J.S. Marketing & Copyright Worldwide, Link Comunicação Empresarial, Luis Arias Manzo - fundador e secretário-geral de Poetas del Mundo, Luiz Henrique F. C. Pestana, Madis, Mário Roberto Hirschheimer - presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Monica Baumgarten de Bolle e equipe da Galanto, Nissan, Ordem dos Bacharéis do Brasil, Pedro Bigardi - prefeito de Jundiaí, Regina Helena de Assis - Associação Brasileira dos Empregados em Telecomunicações, Sérgio Dafré, Sergio Vieira - ESPB, Shimano Latin America, Sociedade Rural Brasileira (SRB), Sol Panamby - Claudia Rei e Alaíde Quércia, Telcomp - Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas, The World Association of Newspapers and News Publishers, TV Sorocaba/SBT e Rádio Vanguarda - Diretoria e Jornalismo, TV Vale das Artes, Viviane Sarraf - Museus Acessíveis e Rinam.

___________________


PRESENTE DE NATAL ANTECIPADO

O Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a liminar que suspende o reajuste do IPTU em até 35% (no caso dos imóveis comerciais) na cidade de São Paulo. Um tapa na cara dos vereadores, que deveriam representar os eleitores, e não legislarem contra eles. A choradeira do prefeito Fernando "Malddad" será como a de Lula quando acabou a CPMF. Nada mudaria com o aumento do imposto, pois os serviços prometidos só aumentaram de tamanho e pioram cada vez mais. Quem é bom para administrar tira leite de pedra antes de tungar o bolso do contribuinte. Joaquim Barbosa, ministro que honra seu cargo, do alto de sua magnitude, mais uma vez mostrou aos políticos deste país que já passou da hora de fazer o cidadão de trouxa. Tivéssemos 11 ministros deste staff, o Brasil seria passado a limpo facilmente. O presente de Natal dos paulistanos veio mais cedo.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

O STF NA DEFESA DOS PAULISTANOS

Estou gostando de ver! Parece que alguma coisa de bom está mudando no nosso país. Porque pela força do apelo popular (algo raro entre nós) conquistamos a Lei da Ficha Limpa, o Supremo Tribunal Federal condenou e prendeu a quadrilha do mensalão do PT e, agora, quem diria, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), sempre muito omissa nas questões nacionais, em conjunto com o PSDB conseguiu na Justiça derrubar o reajuste cavalar e irracional do IPTU, para entrar em vigor em 2014, patrocinado pelo insensível prefeito Fernando Haddad (PT), incluindo o aval da maioria dos vereadores de São Paulo. É ou não é para comemorar? E quem sacramentou essa decisão foi ninguém menos do que o presidente do STF, Joaquim Barbosa. Aleluia!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

SEM PALAVRAS PARA AGRADECER

Assim como inúmeros paulistanos, não encontro palavras para agradecer tão oportuna decisão da Justiça que impediu o aumento arbitrário, abusivo e ilegal do IPTU em 2014. Muito obrigado, Fiesp e PSDB, por serem os autores de tão oportuna ação na Justiça, visando a barrar tal aumento. E muito obrigado, ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do STF, na figura do ínclito, probo e ilibado excelentíssimo Joaquim Barbosa, ministro do STF, que tanto tem nos orgulhado ultimamente por suas posições corajosas e sua decisões acertadas !

Luciano de Paoli lpaoli@uol.com.br

São Paulo

*

AUMENTO FRUSTRADO

O ministro Joaquim Barbosa negou na sexta-feira, 20/12, o pedido da Prefeitura do Município de São Paulo para suspender a liminar que a proíbe de aumentar o IPTU de 2014 da forma desbragada que era a intenção da atual administração. Logo depois o prefeito Haddad declarou que não haverá aumento de IPTU em 2014. No ano que vem haverá apenas a correção da inflação de 5,6% (aos servidores municipais ele deu um reajuste de 0,86% este ano). Ele creditou judicial que barrou o reajuste à "disputa de classes", na qual o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, representaria a "casa grande" e a Prefeitura, a "senzala". Como bom petista, não perdeu a oportunidade de unir à derrota o ridículo. Na verdade a sua intenção foi desde o início muito mais política do que administrativa e só conseguiu aprovar o respectivo projeto de lei, "a toque de caixa" e na calada da noite, porque os vereadores são na sua maioria cooptados a troco da distribuição de cargos do Executivo para as suas respectivas hostes. Não poderiam jamais, se sérios fossem, aprová-lo sem uma cuidadosa análise das justificativas e dos respectivos cálculos que levaram o prefeito a solicitar um aumento muito acima da inflação. Era, em minha opinião, uma versão moderna da saga de Robin Hood, mas sem os nobres motivos do herói inglês. Alegou na véspera que a redução afetaria a saúde e a construção de creches e de corredores de ônibus. Já no dia seguinte dizia que afetará a segurança pública. Ora, quem sabe se acertar com os vereadores a redução dos salários dos mesmos, suas mordomias, o número de assessores, além de se limitarem a decidir sobre as coisas importantes para o município e a seus habitantes, no lugar de gastarem seu tempo na denominação de ruas, passarelas, "pracinhas", renomear os nomes de equipamentos públicos, homenagens, etc.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

ROBIN HOOD

O neófito alcaidade Malddad tentou de todas as formas aumentar o IPTU e não levou dessa vez: a Justiça se mobilizou e colocou pá de cal na sua tese de favorecer aos mais pobres. Entra para governar com o espírito de Robin Hood, mas a cidade de São Paulo nunca viveu como hoje um caos completo, em todos os sentidos. Há necessidade de se majorar o grau de cidadania e redução drástica da evasão de recursos via corrupção dos cofres públicos. Com isso, a sofrida população não será mais asfixiada por aumentos extorsivos e desconexos.

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

TALENTO, CRIATIVIDADE E COMPETÊNCIA

As qualidades traduzidas por essas palavras são suficientes para qualquer autoridade constituída desempenhar seu papel. É evidente que o excesso de recursos as escamoteia, parecendo que executaram bem a tarefa confiada a estes. O PT há uma década consome recursos que nenhum partido antes teve à disposição. Contudo, os resultados são pífios e indecentes. O prefeito de São Paulo, seguindo a cartilha, quer recursos e mais recursos. Por que não procura trabalhar e tentar entender o significado das palavras acima? Ou não as conhece? Ou apenas quer o poder e dinheiro, como o restante dos seus pares?

Luiz Felipe de Camargo Kastrup lfckastrup@gmail.com

São Paulo

*

SEM DINHEIRO

Haddad perdeu no STF o aumento do IPTU. Enfim alguém para proteger o povo desse crápula. Não tem dinheiro para nada, mas para comprar caças de R$ 10 bilhões o governo tem.

Fernando Castellari castellarinando@yahoo.com.br

São Paulo

*

BASTA

Senhor Malddad, sua atuação na Prefeitura de São Paulo é um desastre, e cada vez que o senhor externa uma opinião a coisa piora. Venho informá-lo de que a sua passagem pela Prefeitura será meteórica, bem semelhante à de Erundina e Marta. Lembre-se, a diferença de votos foi de apenas 700 mil. A hipótese

de um impeachment não está distante.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

EMPRESÁRIOS UNIDOS

Paulo Roberto de Almeida e Paulo Fernando Pinheiro Machado escreveram em 18/12 "Por uma fronda empresarial brasileira", artigo que ajuda a todos nós, brasileiros, a nos engajarmos nesses movimentos que estão clamando por mudança. Sempre foi assim que ocorreram as transformações que melhoraram a forma de viver dos cidadãos.

Helena Maria Bruno Pinto e Silva lelem@uol.com.br

São Paulo

*

O ‘BEABÁ’ E O ‘DNA’

De alguma forma surpreendeu a divulgação do último Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), que veio com alta de 0,75% em dezembro, dado que fez reacender luz amarela no horizonte das autoridades fazendárias. A tendência da inflação é altista porque o desgoverno insiste em não reduzir os gastos de custeio para conter a demanda agregada – o "beabá" da história. O desgoverno petralha, populista e gastador, e incapaz de tocar a economia de forma austera e responsável, como faria um chefe de família criterioso. Seu negócio é gastar e gastar – mais ainda em ano eleitoral. Assim, é ele, governo do PT, o causador da alta que não consegue estancar porque, para tanto, teria de rever seus princípios populistas, coisa que não faz parte de seu DNA. O que fazem é atuar não na origem mas nas consequências do problema. Daí, "segurar" a tarifa do combustível ainda que à custa da saúde financeira da Petrobras; daí "segurar" a tarifa do ônibus e do metrô, "segurar" a tarifa de energia, entre outros expedientes de igual natureza. Chegou-se, ainda agora, ao cúmulo de considerarem a hipótese de adiamento da exigência de "airbag & ABS" nos novos automóveis para, com isso, segurar mais um "tiquinho" o índice. Mutatis mutandis, e já que falei em freio ABS, o desgoverno age no combate à inflação como se fosse um motorista maluco que pretende frear o seu carro na descida não acionando o pedal de frenagem – o que seria o lógico – mas segurando o ponteiro do mostrador de velocímetro. E o pior é que, malgrado tudo, pesquisas indicam que Dilma pode ser reeleita para mais quatro anos desse desatino. Será que o País aguenta?

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

DIFICULDADES PARA DILMA

A presidente Dilma Rousseff responde raivosamente quando as coisas vão contra sua vontade e sua necessidade, como a previsão da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) no sentido de que poderá não haver recursos para crédito abundante em 2014. Não gosta quando a acusam de não atingir metas econômicas, como a da inflação de 4,5%, que ela nunca atingiu. A economia é importante, sobretudo a inflação, para comprometer sua reeleição, mas as previsões para 2014 são ruins, podendo prejudicá-la. O relatório Focus do Banco Central (BC) indica que o País crescerá apenas 2,3% em 2013 e menos ainda, 2,01%, no próximo ano, quando juros (taxa Selic) estarão em 10,38%. Grupo de ex-diretores do Banco Central previram a necessidade de o BC continuar sua política cambial, já que a economia sofrerá com a mudança da política monetária norte-americana e outras questões. Delfim Netto, grande conhecedor dos meandros da economia brasileira, fez duras críticas ao governo Dilma pelas "barbeiragens" cometidas no País. As coisas não estão fáceis para o futuro da presidente, seu índice de aprovação atingiu 43% em dezembro, muito distante dos 68% de março. Dilma não está "com essa bola toda" que tentam nos passar.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

O PRIMEIRO TRILHÃO

As coisas vão se sucedendo a cada dia neste país a um ponto em que o cidadão não petista ou agregado tem receio de abrir os jornais e encarar as notícias. Ler diariamente os jornais passou a ser um exercício que desperta a maior das ignomínias que pode levar o leitor a um enfarto violento ou um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Os jornais informam que a arrecadação federal cresceu 3,6% no ano e supera R$ 1 trilhão pela primeira vez, e quase R$ 300 bilhões têm origem na receita previdenciária. O governo não deve festejar, mas lamentar, porque com uma arrecadação recorde como essa o dinheiro não aparece para minimizar o naufrágio em que se encontram a saúde, a educação, transportes e segurança. Quem não se lembra de Eunice Guerra, uma das "walkirias" do governo petista e que foi defenestrada por mau uso do cargo? Pois bem. Está impoluta e fagueira circulando no Tribunal de Contas da União (TCU). Parece piada, mas é sério. Em 1964, a Igreja, a OAB e, principalmente, as Forças Armadas agiram como guardiães da democracia. Hoje estamos como aquele condenado à forca, quando só falta chutar o banquinho. Nuvens negras estão surgindo no horizonte com a possível saída de Joaquim Barbosa da presidência do STF e a entrada em seu lugar de (faça figa) Ricardo Lewandowski.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

MAIS DINHEIRO PARA OS BANDIDOS

A arrecadação federal ultrapassou R$ 1 trilhão no ano. Só no mês de novembro alcançou R$ 112 bilhões. Dá para imaginar o que poderia ser feito com essa dinheirama se não houvesse tantos ladrões assaltando os cofres públicos? E um mundo de incompetentes pendurados nas tetas do governo?

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

SERÁ QUE FOI GASTO?

Impostômetro marca R$ 1 trilhão. Será que foi gasto em saúde, moradia, saneamento e educação?

Cícero Sonsim c-sonsim@bol.com.br

Nova Londrina (PR)

*

TRILHÃOZINHO

Nos tempos do socialismo romântico dos anos 60, Carlos Lyra e Chico de Assis compuseram uma canção que dizia: se eu tivesse um trilhãozinho, meu país tão bonitinho ia ser (...) trilhãozinho resolvendo, meu país desenvolvendo... Hoje, o governo do PT tem um trilhãozinho em suas mãos e o País continua estagnado, com graves problemas nas áreas da educação, saúde, infraestrutura e justiça social, sem conseguir que essa montanha de dinheiro arrecadado dê jeito em tudo isso. Dinheiro na mão de gente sem competência e sem honestidade é a mesma coisa que nada.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

SEM MANOBRAS

Recentemente, o ministro Guido Mantega disse que o governo não vai mais usar artifícios como manobras, manipulações, informações falsas, etc. para fechar suas contas maquiando resultados, como vem fazendo há 11 anos. Ou seja, "a ordem neste ano e nos próximos é que uma transação deve também parecer correta". Finalmente acordaram e descobriram que o mundo gira e a roda é redonda. Antes tarde do que nunca, não é?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MAQUIAGEM CONTÁBIL

O ministro Guido Mantega disse ao "Estado" que o governo não vai mais usar artifícios para fechar as suas contas (15/12, B1). "Todos os governos fizeram", ele diz como defesa de suas atitudes. Ele admite, então, que vinha maquiando números para apresentar dados supostamente positivos à população. Que desavergonhado! Tem que sair do ministério, em governo sério já estaria fora e longe, há muito tempo. E aparece rindo na foto que ilustra a matéria, a "chefa" não gostou, mas nada fez, só disse para ter mais cuidado daqui para a frente.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

IMPOSSÍVEL ESCONDER

Nem as mais criativas maquiagens conseguirão esconder as manobras contábeis do fictício fechamento das contas públicas.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

A QUALQUER CUSTO

Depois de11anos de governo PT, resolveram que não vão mais maquiar nada apartir do ano que vem. Não adianta, ministro, o DNA do seu partido não permite fazer o certo e transparente, o lema é poder a qualquer custo.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

OPERAÇÕES CORRETAS

Ministro Guido Mantega, desculpe, mas não entendi. Segundo sua entrevista publicada no "Estadão" (15/12), a partir deste e do próximo ano, as operações-contábeis do governo "é não fazer operações que não parecam corretas". Isso significa se até então elas não pareciam corretas, a razão seria de confundir. É isso? Mas a operação em si, na sua essência contábil, continuará igual? Isto é, a "criatividade" bizarra do petismo permaneçerá, continuando a ser objeto de questionamentos e impugnações?

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

‘POPULARIDADE’ – QUEM ENTENDE?

A revelação de que a presidente Dilma Rousseff está recuperando sua popularidade e seu governo já ostenta 43% de "ótimo ou bom" (segundo o Ibope), dá bem a medida do nonsense na política nacional. O governo Dilma foi, claramente, o responsável por aquela onda de indignação que foi muito além dos "vinte centavos". A "aprovação" ao governo, então, despencou de 55% para 31%. Vamos refletir: descontados os protestos, que apenas explicitaram a insatisfação popular, nada (de ruim) havia acontecido em junho que justificasse a queda da forma brusca que se deu. Passado aquele momento, e com o refluxo das manifestações, Dilma recupera-se, já batendo em 43%. Não será um espanto se, em breve, voltar aos 55% sem que nada (de bom) esteja acontecendo para justificar tal recuperação. Quem quiser que entenda algo assim tão destituído de sentido.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

PESQUISA DO IBOPE

Nas TVs, saiu uma perquisa do Ibope em que a Dilma está cotada para ganhar no primeiro turno em 2014. Fui pesquisar na internet e saiu a notícias de que esse instituto fechou um contrato milionário com o governo federal. Está explicadinho?

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

REELEIÇÕES

A cada pesquisa de opinião pública constata-se uma melhoria no conceito da atual mandatária do Brasil, o que configura ampla possibilidade de sua reeleição. E a continuidade de um governo que tem muito ainda a implementar para que nosso país entre num ritmo de efetivo desenvolvimento. Mas esta questão depende também dos governos estaduais. Daí a necessidade de se avaliar com muito critério se já não está na hora de troca de um governo como o de São Paulo. No esquema de 20 anos já mostrou que o Estado não consegue evoluir.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

ALGO ERRADO

As pesquisas mostram que Dilma melhorou sua posição junto ao povo. Abro os jornais e só leio sobre corrupção, desvios, obras não realizadas, excesso de gastos, inflação. Ligo a televisão e vejo a saúde degradada, a educação esfarrapada, o transporte arrebentado. Alguma coisa está errada: ou a pesquisa e o noticiário são mentirosos ou o povo gosta mesmo de sofrer.

João Menon joaomenon42@gmail.com

São Paulo

*

‘FELIZMENTE ESTOU MORRENDO’

Apesar dos esforços envidados por alguns historiadores e pensadores do século passado, no sentido de enaltecer o credo e a prática do comunismo, a verdade é que o inventário histórico da ideologia é frustrante. Implantado na prática inicialmente em 1917, foi responsável pela morte e aniquilamento de milhões de pessoas nos países que sucessivamente o experimentaram, não trazendo como contrapartida aos povos dominados a prometida prosperidade e justiça social, a ponto do principal deles, a Rússia, tê-lo encerrado, após 70 anos de atuação impregnada de propaganda e propagação, e os países que ainda hoje insistem na sua vigência serem símbolos do mais acachapante atraso. Mas infelizmente, a semente continua a germinar e em algumas partes do mundo, oportunistas e demagogos voltam a pendurar-se em seus gastos clichês para alcançarem o poder e lá se manterem. A sociedade brasileira, após frustrar, ao longo do século 20, duas tentativas de imposição do regime, patrocinadas e inspiradas por Moscou e Havana, se vê de novo, perplexa, às voltas com revigoradas investidas, agora mais sutis, levadas a cabo por grupos, outrora derrotados, que agora detêm o poder e que, glamourizados pelo passado convenientemente maquiado, estão transformando o Brasil numa ditadura de estado, isolada dos grandes centros de decisão mundiais e com resultados melancólicos na sua economia e na qualidade dos serviços públicos ligados à educação, à segurança do cidadão e á saúde pública. Adotando um procedimento marcado por ações revanchistas, as atuais lideranças tentam negar o que deveria ser inegável, transformando as novas gerações, que não conheceram a realidade das tentativas de assaltos perpetrados à república no passado, em apóstolos de uma ordem eternamente subordinada a uma elite Orwelliana que já deu mostras que não medirá esforços, e usará de todos os meios, éticos ou não, para se manter no poder . É a velha nova esquerda brasileira em marcha, a mesma que idolatra Cuba mas de Paris, que usa o Sírio-Libanês mas importa médicos de qualidade duvidosa para assistir o povo, que permite que sua principal empresa pública se esfacele, em nome de objetivos políticos, que troca, numa atitude covarde de revisionismo, nome de escola para reverenciar ex-terrorista e que devolve simbolicamente mandato de presidente deposto a seus descendentes, após promover uma atrapalhada exumação de cadáver, criando também, mediante uma postiça comissão da verdade, factoides históricos que atribuem a misteriosos agentes o planejamento de acidente automobilístico que vitimou um ex-presidente. Só resta rezar pelos nossos descendentes e lembrar com preocupação as palavras de Osmard Andrade, veterano que lutou pela democracia contra o Nazismo e que do alto dos seus 91 anos afirma, em recente artigo: "Que me perdoem o mau gosto da frase mas, felizmente, estou morrendo".

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

FRAUDE NO ENEM

Todo ano é a mesma coisa, fraude no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e os incapazes dos ministros da Educação sempre alegam que é coisa pequena e pontual, bem como fora da área de domínio do Ministério, não assumindo nunca a culpa por nada. Depois de 11 longos anos no (des)governo deste país, o que mais falta para os eleitores brasileiros se conscientizarem de que o "Partido da Truculência" não tem capacidade para ocupar nem cargo de "inspetor de quarteirão". Pobre povo brasileiro!

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

DE VINTE PARA DOIS

Conformado José Dirceu em não poder ganhar R$ 20 mil em hotel de amigo e integrante do esquema petista, aceita emprego em escritório de advocacia para ganhar R$ 2,1 mil. Também, com a aceitação, pode-se avaliar a estatura ética e profissional do condenado a dez anos e dez meses no processo do mensalão. Aos poucos, a turma de condenados na Ação Penal 470 vai demonstrando os pontos da teia em que podem repousar seus membros. Aliás, entre a Justiça para todos, feita pelos tribunais, e a Justiça petista, é claro que os integrantes da agremiação rasgam a Carta Magna e aceitam ser desiguais dos outros que devem ser iguais.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

KANT E O PT

Kant não ficaria satisfeito em saber que a mobilização nacional para anulação da Ação Penal 470 só não foi feita para não atrapalhar a campanha de 2014. Eles estão fazendo a coisa certa (que é não pedir a anulação), mas pelo motivo errado. É triste saber que é assim que pensam os petistas, estes deveriam entender que o sistema judiciário exerce sua função independente do partido do que está sendo julgado e "por acaso" são petistas que estão na cadeia. Gostaria de saber quais são os valores do PT estampados atrás da bancada no 5.º congresso. Se um deles é menosprezar a razão pela qual um ato é praticado em prol de uma eleição, a mim não apraz.

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com

São Paulo

*

DESAGRAVO A MENSALEIROS

O PT não é, hoje, um partido político; é apenas um bando de esfomeados pelo dinheiro público. Sua cúpula está na cadeia. Seus outros dirigentes estão apenas aguardando o momento de também serem recolhidos à penitenciária da Papuda, em Brasília. Arrebentaram as nossas estatais (Vale, Banco do Brasil, Petrobrás, etc.). Abandonaram o plano de governo elaborado pela equipe de FHC, que acabou a com inflação brasileira e inseriu o Brasil no Bric. Nomearam corruptos para os postos-chave do governo federal. O Brasil, como país, está um lixo. Estamos nas últimas posições em diversos rankings de classificação das nações. Os petistas que ainda não foram presos, ao invés de promoverem a necessária correção de rumo do partido, ficam a esconjurar a nossa Justiça, único órgão ainda não contaminado durante estes anos de governo petista. Neste momento, eles não têm moral para tanto, nem notam o ridículo de seus pronunciamentos.

Domingos Perocco Netto dperocco@ig.com.br

São Paulo

*

AGRESSÃO À DEMOCRACIA

Que pretensão absurda! No 5.º Congresso do PT realizado em Brasília, a ala radical do partido pretendia uma mobilização nacional no sentido de rentar a anulação do julgamento do mensalão pelo STF. É inacreditável e inaceitável uma pretensão dessa natureza, pois, em se confirmando, seria uma verdadeira agressão à democracia e às instituições nacionais. Será possível que esses revoltosos petistas não admitem que os réus, fervorosos militantes do partido, foram julgados e condenados em estrita obediência às normas formais do processo penal brasileiro? Mobilização nacional essa ala radical deveria fazer sim, porém visando outros fins. Citando apenas um exemplo: as obras de transposição das águas do Rio São Francisco estão paralisadas, e, no entanto, já foram gastos nela quase R$ 6 bilhões. Onde está essa dinheirama?

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

PT E MENSALEIROS

Está corretíssimo o deputado José Guimarães (PT-CE) quando disse: "Não tem como separar o PT desses companheiros". Realmente não dá, pois não haveria presídio suficiente para tantos.

Salvador Bochembuzo salvadorbochembuzo@hotmail.com

Piracicaba

*

DOMÍNIO DO FATO

No recente congresso do PT, vários membros do partido, entre eles Lula e Rui Falcão, fizeram críticas à imprensa e ao STF, dizendo que os companheiros petistas foram condenados sem prova. O que os petistas e os advogados de defesa não contavam foi com a aplicação da teoria do domínio do fato – está no Código Penal brasileiro –, e assim foi possível condenar aqueles que na posição de comando (faltou Lula) planejavam e davam ordens para a execução do mensalão, mesmo sem participação direta no delito. Em suma, não houve nenhuma deturpação jurídica, e se a teoria do domínio do fato for aplicada nas instâncias judiciais inferiores, como previsto, será que não haverá necessidade de ampliação de presídios por este país afora através de um programa Bolsa Presídio? Tomara!

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

PATÉTICO

Chega a ser patética a foto do ex-presidente Lula no Congresso do PT, ao lado dos cumpañeros e da presidente Dilma, de punho cerrado para o alto, e mais patético ainda defender os mensaleiros condenados. Ridículo este PT.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PAPELÃO

Parece piada, mas é verdade: o Ministério Público paulista (MP/SP) irá investigar o julgamento da Lusa no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), afirmou o promotor de justiça e deputado estadual Fernando Capez (PSDB). Será que o MP/SP não tem coisas mais importantes para fazer? Tanta corrupção, desvio de dinheiro público, obras superfaturadas, violência, criminalidade, total desrespeito aos direitos humanos e aos cidadãos e os promotores de justiça vão perder tempo com isso? É revoltante que o povo pague altos salários para que esses privilegiados – que têm 60 dias de férias, auxílio aliementação, licença-prêmio, etc. – façam um papelão desses.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

SÃO PAULO NA COPA DO MUNDO

Além do caótico trânsito que nosso alcaide está proporcionando a esta cidade, gastando milhões de dólares em gasolina com carros parados, tive, no domingo, um exemplo de que como estamos preparados para a Copa do Mundo: fui buscar minha filha em Guarulhos, que está estudando fora do País (e é mais barato, acreditem!), e, ao sair de casa, minha cunhada avisou-me que deveria ir de carro blindado porque tentaram assaltá-la dez minutos antes na Avenida Marginal, vindo do mesmo aeroporto, já que minha sobrinha chegara antes, na mesma manhã, em outro voo, e os bandidos só não conseguiram sucesso porque ela estava com o carro blindado, e, quando baterem em seu carro, e apontaram a arma, no choque de veículos sentiram que iam levar a pior. Provavelmente os bandidos deram a dica de que minha cunhada, com a filha, seria um assalto fácil, ao saírem do Terminal 1, do aeroporto, mas não haviam visto que o carro seria blindado, e se deram mal. Pergunto se não seria melhor vigiar este trecho com câmaras e motos, e não gastar dinheiro público com centenas de sensores de velocidade? Troquei de carro e fui calmamente para o aeroporto, pela Avenida 9 de Julho, quando, ao chegar no Anhangabaú, às 7h40, o trânsito estava congestionado, em pleno domingo! O motivo não eram os corredores malucos, mas um atropelamento em uma das vias, onde três viaturas e seis policiais militares guardavam o pobre homem morto. Abri a janela e gritei aos policiais que um deveria preservar o pobre homem morto, e os demais deveriam ir para Avenida Marginal, cuidar dos vivos (talvez tenham até me multado em represália pelo grito de advertência, na verdade, grito de desabafo). Ao chegar ao aeroporto, às 8h10 da manhã, estacionei o veículo e me deparei com dois diligentes policiais no mesmo Terminal 1, com caneta na mão, preocupados unicamente em aplicarem multas e mais multas, e não bastando, um vira para o outro na minha frente e diz: "Você esta muito bonzinho, não manda sair não, multa logo!" Será que estes policiais não deveriam estar vigiando e alertando os infratores que estão apenas tentando evitar o alto custo do estacionamento? E não multando! Pois é, esta é a cidade que vai receber jogos da Copa do Mundo!

José Rubens Macedo Soares federmacedo@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.