Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2014 | 02h06

Prevalência do jogo político

PT e PMDB digladiam-se para conseguir cargos na reforma ministerial anunciada pela acuada presidente Dilma Rousseff. A disputa está acirrada a ponto de o PMDB, de forma absurda, ter até solicitado a intervenção do ex-presidente Lula para acalmar os ânimos entre os dois partidos. O governo não quer abrir mão dos Ministérios das Cidades e da Integração Nacional, muito cobiçados pelo PMDB. Enquanto o jogo político ferve nas hostes governamentais, o Banco Central elevou os juros a 10,5%, posto que a inflação está em alta acima do previsto. As perspectivas para 2014 são preocupantes, pois há sinais claros de estagnação econômica, perigo de a inflação ficar fora de controle, as despesas governamentais não param de aumentar. E o jogo político está na ordem do dia, sintoma claro de que a disputa por cargos é assunto que tem primazia em detrimento dos preocupantes problemas nacionais, no momento. Reuniões e mais reuniões para decidir quem vai ficar com a maior parte do bolo. E o Brasil? Ora, o Brasil, como sempre, pode esperar.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Novo Ministério

Excluindo os interessados diretamente no dinheiro da viúva, alguém está interessado nessa reforma do Ministério? Alguém ao menos sabe o nome de todos os ministros atuais?

GERALDO SIFFERT JUNIOR

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

Mais um recorde

A vaca está indo de vento em popa para o brejo no Brasil, que bate recordes negativos sobre recordes negativos nesse governo PT-lulista, há 11 anos no pudê nos dilacerando e dizimando. Agora foi a vez de a indústria atingir um déficit nunca antes visto de US$ 105 bilhões.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Ao buraco

Lamentável o processo de desindustrialização do Brasil nos últimos anos. A indústria nacional tem registrado déficits seguidos, chegando agora ao recorde negativo de R$ 105 bilhões na balança comercial. A política econômica incompetente e equivocada adotada pela despreparada e demagoga presidente Dilma Rousseff (PT) está levando o País ao buraco. É preciso reduzir os juros, a taxa Selic, investir em produção, consumo, crédito e no nosso imenso mercado interno. Dilma já conseguiu detonar a Petrobrás e continua cometendo os mesmos erros, sem correção na rota, de forma teimosa e irresponsável. Um país rico, continental e pujante como é o nosso não pode ser administrado tão mal. Se fosse uma empresa privada, o Brasil já estaria em concordata e com sério risco de decretar falência.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Comércio exterior

As duas primeiras semanas do ano fecharam com as importações superando as exportações em quase US$ 600 milhões, mantendo o desequilíbrio da balança comercial do País. A Europa revogou o tratamento privilegiado que dava às exportações brasileiras, por considerar que nosso país já deixou de ser subdesenvolvido. Isso vai reduzir nossa competitividade nesse mercado e reduzirá ainda mais as nossas exportações. Os EUA não renovaram o Sistema Geral de Preferências pelo mesmo motivo e também teremos uma perda de competitividade nesse país. O governo brasileiro havia proposto a renovação do incentivo aos exportadores, o Reintegra, até 2017. A medida provisória que permitia essa renovação não foi aprovada pelo Congresso, em alguma queda de braço em troca de mais favores para os congressistas, e o Ministério da Fazenda resolveu que "o dólar aumentou, os exportadores não precisam mais de incentivo" e o que ia vigorar até 2017 deixou de ser necessário. Quem tiver a curiosidade de procurar a taxa do dólar de 2000 e aplicar o IPCA do período encontrará uma taxa de câmbio de R$ 4,45 por dólar, ou seja, nossos produtos custam 50% mais do que no passado. Nada se faz para conseguir assinar tratados comerciais com a Europa ou a Alca, o que interessa é a Venezuela, a Argentina e Cuba. E ainda se perguntam por que as indústrias perderam sua competitividade?

ALDO BERTOLUCCI

accpbertolucci@terra.com.br

São Paulo

Solução

A economia americana está se recuperando - lentamente, mas está. A economia da zona do euro também mostra sinais de recuperação - lentos, mas positivos. Aqui, no Brasil, a economia mostra sinais de decadência contínua, que pioram desde a posse da presidente Dilma. Então, estamos indo em direções opostas, eles para cima e nós, para baixo. E a previsão é bastante pessimista. Os preços vão continuar subindo, a dívida externa vai continuar aumentando, a confiança do investidor continuará caindo, as despesa do governo estão explodindo, a Bolsa de Valores vai cair mais ainda, mas, para o PT, a economia está sob controle. O duro é ter de ouvir as explicações absurdas do sr. Guido Mantega. Será que ele acredita no que fala ou está só cumprindo ordens da chefia? A solução para reverter tudo isso e voltarmos a crescer corretamente é trocar o ministro da Fazenda e sua equipe desastrada por profissionais competentes e mais qualificados. Se isso for feito, a bolsa sobe no dia seguinte e tudo começará a entrar nos eixos novamente. Podem crer!

KÁROLY J. GOMBERT

gombert@terra.com.br

Vinhedo

E agora, José?

A festa acabou. O modelo de crescimento assistencialista dos últimos anos esgotou-se. O triste resultado da inflação em 2013, ao lado do pífio crescimento econômico e do dúbio superávit das contas públicas são evidências concretas. A incapacidade de o País modernizar sua infraestrutura e a decrescente competitividade da indústria no mercado internacional são sintomas adicionais. As manifestações populares, a mudança de posição da mídia internacional e do humor das agências de rating mostram que a percepção do fracasso já se instalou. Em qualquer outro país em ano eleitoral este cenário apontaria para uma importante vitória da oposição. Mas não é o que mostram as pesquisas por aqui... Aparentemente, nossa oposição tem sido tão ineficiente na produção de caminhos alternativos quanto a situação. A falta de um debate de ideias e programas pode reduzir nossa campanha eleitoral a uma disputa entre marqueteiros pelo melhor jingle, mais uma vez. Fica a pergunta: como uma democracia que põe políticos de primeiro escalão na cadeia não consegue produzir uma oposição à altura do desafio que o País enfrenta? José, para onde?

RICHARD DUBOIS

rjmdubois@gmail.com

São Paulo

O 'DIABO' SENDO FEITO

O Maranhão, mais conhecido como enclave no Brasil da dinastia Sarney, tem na sua Assembleia Legislativa um mordomo prestativo para todas as horas. O presidente da Assembleia, Arnaldo Melo (PMDB), recebeu uma denúncia de violação dos direitos humanos pela governadora Roseana Sarney. Sem estudar o mérito, mandou numa só canetada arquivar o pedido, contrariando o artigo 277 do Regimento, ao afirmar que não há justa causa para o pedido. O presidente Arnaldo Melo, pela subserviência invulgar, mostra a mixórdia em que se encontra a política do Brasil capitaneada pela dupla PT/PMDB. Ora, direis, políticos da base do governo tendem a se manifestar sempre a favor de seus caciques, mas agora o que se vê são políticos do governo e da oposição em franca atividade "debaixo do edredon" da política e favoráveis à decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que proibiu a Polícia Federal e o Ministério Público de investigarem possíveis crimes eleitorais nas eleições deste ano. Essa aliança da oposição com os governistas vem provar que de fato é tudo farinha do mesmo saco. O "diabo" está sendo feito, como Dilma prometeu.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

MEMÓRIAS DO MARANHÃO

Você sabia que, quando da Proclamação da República, o Brasil era a segunda potência mundial economicamente e em esquadra naval, dominando todo o Atlântico Sul, atrás apenas do Reino Unido da Inglaterra? O nosso Maranhão sozinho era a quinta potência mundial com a riqueza de seu algodão. Pois é, José Sarney ainda não tinha nascido. Fizemos muita coisa errada desde então e muitas pedrinhas foram jogadas fora.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@Hotmail.com

São Paulo

*

O PMDB PROCURA POR LULA

A peroração usual do Partido dos Trabalhadores (PT) com relação à retórica suja de Luiz Inácio Lula da Silva sempre ultrapassou as raias da sensatez e lembra o discurso de Marcus Antonius Orator em defesa do cônsul Manius Aquillius, acusado por má administração. Ele rasgou a túnica de Aquillius para revelar suas cicatrizes de guerra. A túnica de Lula foi rasgada por Romeu Tuma Junior em seu livro intitulado "Assassinato de Reputações - um Crime de Estado", e o PMDB ainda não está sabendo. Falta agora a sociedade esclarecida rasgar a máscara desse mau caráter, que apesar de tudo continua mandando no País, usando como intermediário um poste, que há três anos foi colocado por ele no Palácio do Planalto.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

CHATICE

Não é por nada, não, mas existe alguma coisa mais chata, mais insuportavelmente aborrecida do que o noticiário sobre a atual disputa do PMDB por mais espaço no governo Dilma, aproveitando a reforma ministerial que supostamente se aproxima? A imprensa brasileira dá cobertura "paranoica" à babaquice dos políticos. Fora PT, e leve junto o PMDB!

José Roberto Palma palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

HERANÇA MALDITA

O próximo presidente que conseguir nos livrar do legado lulopetista receberá realmente uma herança maldita e, além de ter de contar com um bom ministro da Fazenda, para nos livrar mais uma vez do monstro da inflação, terá de contar com a competência de um grande sanitarista.

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

LULOPETISMO

Um parceiro do "Fórum dos Leitores" disse que o brasileiro que acabar com o lulopestismo vai entrar para a história do Brasil. Digo mais: se for um cidadão, deverá ter uma estátua em cada esquina de todas as cidades do País - se for por obra divina, ficará comprovado que Deus é brasileiro. Este senhor, Lula, disse à presidente Dilma Rousseff em dezembro de 2013 que ela deveria "descer do trono para segurar até criança remelenta...".

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL, GOVERNO E OPOSIÇÃO

Na década de 90, havia governo e oposição ferrenha, passamos para os anos 2000, e as coisas se modificaram, oposição virou governo e os ex-governantes deveriam passar a ser oposição, porém isso não aconteceu. Fala-se dos oposicionistas, mas estes não têm voz, não têm postura e a conduta não é de oposição. Poucas palavras, poucas ações, pouca determinação, até parece coisa de ficção. Se a oposição é fraca, inerte e sem forças, só fortalece o governo; entre escândalos, explodem mensalão, livros do Barba, confisco de poupança, desvios de verbas, maquiagem de contas e balanços, desmonte da Petrobrás, BNDES e outros, o rugido da oposição mais parece de um gatinho, e não de um leão. O silêncio, a pouca ação e a falta de liderança da oposição são vergonhosos. Se somarmos nos últimos dez anos as centenas de loucos, aloprados, dossiês falsos e outras lambanças que surgiram por erros, desmandos, deslumbres e desrespeito à Nação, passam de cem, e a oposição nada fez, perdendo todas as oportunidades que o governo lhe ofereceu gratuitamente para que agisse, como qualquer oposição do mundo teria aproveitado a vasta coleção de deslizes cometidos ao longo de três mandatos. Seria a oposição brasileira fraca, burra, incompetente, leniente? Ou quem sabe um silêncio conveniente? Não sei, não entendo, não consigo decifrar esse enigma complexo e sem resposta. Sei somente que quem não tem competência não se estabeleça, quem não sabe ser oposição não seria melhor quando situação.

Eugênio Iwankiw Junior iwankiwjr@hotmail.com

Curitiba

*

ELEIÇÕES 2014

Com a divulgação de mais um índice negativo do governo petista, o rombo de US$ 105 bilhões na balança comercial brasileira, ficou claro que o governo que aí está, com o seu projeto de poder, não deu certo. Resta-nos agora, nas eleições deste ano, repassar com muito critério a carcaça do que restou do nosso país para alguém que o respeite.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

DILMA EM DAVOS

A presidente Dilma deveria nos poupar e evitar sua ida a Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial. Ainda dá tempo. Senão vejamos: posso país está muito endividado, não suportando mais despesas públicas. Discursar por discursar, faça-o aqui, pois estamos acostumados com seus pronunciamentos pueris e demagogos, no atendimento da máxima do camarada Lênin de que "o proletariado não deveria recusar qualquer audiência a expor suas ideias". Proletários os deste governo? Jamais! Aproveitadores, sim! Basta verificar o status socioeconômico de ícones do partido, alguns deles cumprindo pena por corrupção no Presídio da Papuda. A propósito, sobre esquerdismo de ocasião, Jules Michelet (1798/1884), em sua obra "O Povo", observa que "o homem foi levado a moldar sua alma conforme sua situação material". Quanto a Davos, é bom lembrar o vexame histórico, em janeiro de 2003, do ex-presidente Lula. Julgando-se inovador, apresentou ao fórum proposta de uma taxa a incidir nas operações financeiras internacionais voltada para o atendimento a países subdesenvolvidos do Terceiro Mundo. Não sendo absurdo admitir ter sido este o momento da estreia do "não sei de nada", lato sensu, do "cumpanheiro", diante do fato de que a mesma proposta, sob a denominação de Taxa Tobim, fora apresentada em 1972 por renomado economista norte-americano, James Tobin (1918/2002), da Universidade Yale, nos EUA, e ganhador do Prêmio Nobel em Economia em 1981. Não obstante a credibilidade e isenção do autor, não foram suficientes para a aceitação dessa taxação, até que em Cannes, França, em novembro de 2011, o Grupo dos G-20, do qual o Brasil faz parte, finalmente enterrou-a por absoluta inaplicabilidade. Em permanecendo no Planalto, Dilma Rousseff, mesmo sem nada a fazer, o que não significa que algo não tenha de ser feito, estará presente ao "tomá lá, dá cá" na cooptação de parlamentares à base aliada do seu governo e próxima dos trapalhados 39 ministros de seu lamentável mandato. Por outro lado, isentar-se-á em expor aos integrantes do Fórum Econômico Mundial, preservando a boa-fé dos presentes, a suportar as inacreditáveis justificativas sobre a nossa medíocre e rastejante economia, e dos malabarismos com as contas públicas e constante mudança de números, "tira, põe, deixa ficar", de seu ministro Mantega fazendo "zig, zig, zá".

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

GUERRA PSICOLÓGICA

Se a presidente Dilma quer saber o que é uma guerra psicológica, ela deveria acompanhar a França: 1) Sarkozy tentou ganhar a reeleição colocando Dominique Strauss-Kahn para a fora da disputa (este foi preso nos EUA e desistiu da eleição); 2) Sarkozy perdeu a reeleição em 2012 para Hollande, mas quer voltar ao poder em 2017 (daí a necessidade da guerra psicológica); 3) Um inocente aposentado de 71 anos, Jean-Pierre Discazeaux, que vive em Biarritz, alugou um apartamento em 2011 para Emmanuelle Hauck, nascida em Bastia (Córsega); 4) Emmanuelle Hauck emprestou o apartamento para Julie Gayet, a amante do presidente Hollande, enquanto esta realiza obras em seu estúdio na Rua Fauburg Saint-Honoré; 5) Emmanuelle Hauck esteve casada por seis anos e teve seis filhos com o ator corso Michel Ferracci, protagonista da série televisiva "Mafiosa", que foi condenado em novembro a 18 meses de prisão num processo que estabeleceu laços com a banda mafiosa Brisa do Mar da Córsega; 6) Emmanuelle Hauck, após a separação, envolveu-se com outro corso, François Masini, que foi assassinado a tiros em 31 de maio de 2013 durante um acerto de contas no norte da ilha mediterrânea; 7) A total falta de checagem do apartamento e os vínculos de Sarkozy com a cúpula da polícia possibilitaram a obtenção de fotos do presidente Hollande; 8) O ministro do Interior é mais amigo da primeira-dama do que do presidente e há suspeitas que traiu o presidente (não tinha informações sobre o apartamento portanto foi negligente ou sabia e não falou nada e, portanto, foi omisso); 9) A credibilidade do presidente Hollande foi durante afetada e a guerra psicológica já mandou a primeira-dama para o hospital; 10) O ninho de amor só poderia ser da Rua do Circo. Nada mais apropriado. Isso é que é guerra psicológica e a eleição é apenas em maio de 2017, faltam três anos para a eleição.

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

MENOS OTIMISTAS

Até as pesquisas encomendadas do Ibope estão mostrando que a taxa de otimismo dos brasileiros está caindo, além de terem perdido as esperanças de que 2014 será melhor do que 2013. Cansados de tantas mentiras. Não há cristão que aguente! Está chegando a hora de pegar o "boné" e puxar o carro. Tchau, dona Dilma, livre-nos do pior. O País e os brasileiros não merecem desgraça maior. Será que ainda há espaço para piorar mais? E agora?

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

'A POLÍTICA EXTERNA E AS ELEIÇÕES'

Gostaria de cumprimentar Rubens Barbosa por seu texto "A política externa e as eleições", publicado no dia 14/10 no "Espaço Aberto" do "Estadão". O debate acerca das eleições precisa ser iniciado imediatamente, pois, em virtude da Copa do Mundo, não termos tanto tempo como de costume. Quanto à diplomacia brasileira, fiquei satisfeito em saber a importância que o Itamaraty tem para o candidato Aécio Neves, espero que não seja desviada de seu foco num eventual governo seu, como foi no governo PT. A diplomacia não pode ser reinventada de quatro em quatro anos, precisamos estabilizar um plano de política externa e voltar a ser referência mundial em relações internacionais. Capacidade para tal o corpo diplomático tem, basta que o governo não fique se intrometendo e deixe os diplomatas que tanto estudaram para atingir tal cargo trabalhem em paz.

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com

São Paulo

*

GILBERTO KASSAB E A CONTROLAR

O ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab foi acusado por uma importante testemunha da máfia dos fiscais de grossa corrupção e de ter "feito fortuna" com o contrato com a empresa Controlar para a inspeção de veículos. Onde há fumaça há fogo. Num país sério e civilizado, Kassab certamente seria condenado e preso. No Brasil, terra da corrupção e da impunidade, ele fundou um partido e será candidato a governador de São Paulo nas próximas eleições. Onde estão o Ministério Público, o Tribunal de Contas, a Controladoria do Município e o Judiciário? Nossa única esperança é a imprensa livre, independente e investigativa, que presta um relevante serviço público ao denunciar e divulgar tais crimes para a sociedade.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

DISCURSO

Kassab recebeu dinheiro da Controlar? Impossível, tudo boato, nunca acreditei naquele ditado que diz que onde há fumaça existe fogo. Pura intriga da oposição, estão querendo desmoralizá-lo politicamente. Ou será que não é assim que os políticos falam?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

SUSTO

A expressão de espanto do papa Francisco na foto que ilustra a matéria "Papa admite que pedofilia é a vergonha do Vaticano" (17/1, A10) serviu direitinho para ilustrar também a matéria "Kassab recebeu 'fortuna' da Controlar, afirma testemunha da máfia do ISS", publicada na mesma página do jornal. Vale a pena ver.

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella..net

São Paulo

*

CARTEL METROFERROVIÁRIO

A terceira testemunha a depor na Polícia Federal no inquérito que apura as denúncias de propina no cartel das multinacionais nas concorrências públicas em São Paulo foi demitido do cargo que ocupava numa estatal paulista. E no seu depoimento ele reafirmou que efetivamente membros dos recentes governos paulistas recebiam propina. E agora, qual será o próximo passo? E o motivo da demissão tem que ver com intimidação para que outros funcionários se calem?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

JOGO DE EMPURRA

Afinal, quem é que recebeu esse dinheiro (propinas da Siemens/Alstom)? Já morreu, está vivo, é candidato a algum cargo? É isso que se quer saber. O resto é perfumaria! Trata-se do maior "jogo de empurra" visto no tucanato de alta plumagem. A única coisa de que tenho certeza é de que meu voto não terão. Em tempo, devo informar ainda que não sou e jamais fui petista.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

PAGAMENTO DO SUS

O ministro da Saúde mentiu vergonhosamente sobre o pagamento do Sistema Único de Saúde (SUS) no mês de dezembro, como disse na entrevista na sexta-feira. O pagamento dos hospitais que têm convênio com o SUS só foi realizado no dia 9/1/2014, quando normalmente no governo Lula era realizado no dia 18, com dois meses de atraso. Neste desgoverno, está sendo pago entre os dias 25 e 30 do mês. É simplesmente uma calamidade.

Plínio Vergueiro Neves plinio_neves@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

PREFEITURA CONGELADA

O fato de o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), dizer que vai congelar R$ 10 bilhões do orçamento de 2014 é coerente com a sua forma esdrúxula de administrar. Porque o prefeito já congelou num nível dos mais altos da nossa história o congestionamento de veículos da capital. Tudo graças aos esquizofrênicos corredores de ônibus que criou, que mais deveriam se chamar "corredores infernizadores de trânsito". Mal foi eleito, avisou no início de 2013 que iria arquivar, ou melhor, congelar, como ocorreu, suas principais promessas de campanha. Não satisfeito, e para sacanear seu antecessor, Gilberto Kassab, e sem maiores explicações, suspendeu o programa que foi criado para combater a poluição veicular, a inspeção, que funcionava tão bem quanto o eficiente Poupatempo, criado pelos tucanos. E também a lei que determinava a régia manutenção das calçadas pelos munícipes. E, por incrível que possa parecer, após congelar os preços do transporte urbano em 2013, fez de tudo para congelar o bolso do contribuinte, ao tentar aumentar o IPTU de forma cavalar. O que, graças ao ministro Joaquim Barbosa (sempre ele), lhe foi negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e congelado está numa das gavetas da sua prefeitura. E se o prefeito petista continuar a enfiar os pés pelas mãos, como faz infelizmente na administração da capital, também as pesquisas de opinião vão ficar congeladas em baixa aprovação até o fim de seu estabanado mandato.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

DISCURSO E PRÁTICA

Há um mês mais ou menos passei diante da sede do governo municipal, onde despacha o prefeito Fernando "Malddad", e vi que o prédio estava cercado com grades. Havia um policial numa entrada lateral, fui até ele e perguntei: Posso entrar aí, senhor? Ele me perguntou "a senhora trabalha aqui ou vai pagar alguma coisa?". Eu disse que não, "mas então só entram nesse prédio pessoas que trabalham ou vão pagar algum tributo?". Ele, percebendo a minha pergunta, disse "não, a senhora pode entrar se quiser". Então perguntei por que a casa estava cercada com grades, se ela não é a casa do povo e não é este o partido que está no governo que diz que o povo deve ser acolhido. O policial respondeu "sabe, senhora, essa cerca é por causa das manifestações". Agora, as manifestações nos shoppings ("rolezinhos") são vistas como preconceito pelos petistas, mas as suas casas são protegidas com cercas, inclusive a Câmara Municipal colocou vidros à prova de bala sem nem ao menos fazer licitação. Eis a diferença entre o discurso e a prática. O cidadão paulistano sabe disso e se cala. Com a palavra, os doutos que agem feito macacos, sentam em cima dos próprios rabos e falam dos vizinhos. Acorda, Brasil!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

'ROLEZINHOS'

Creio que o fenômeno dos "rolezinhos" é uma consequência da política iniciada por Lula incitando a guerra de classes. O conceito de superioridade de uma classe sobre outra é um veneno parecido com aquele que instiga as guerras religiosas, que pretendem dizer que o seu "deus" é superior ao do outro. Todos são importantes para a sociedade, todas as profissões têm a mesma importância, apenas suas funções são diferentes. Um lixeiro não é menos importante que um presidente da República, pelo contrário, tenho minhas dúvidas sobre qual dos dois fará mais falta à sociedade.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FALTA O QUÊ?

Há empenho de "otoridades" para um Dia Nacional do Rolezinho. Para tal, só falta um cadáver. Decorrente ou fabricado, é mero detalhe.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

USO POLÍTICO DO 'ROLEZINHO'

"Rolezinho", "rolezão", qual é a sua função? É intimidação ou diabruras? Então ainda não vimos nada...

Tania Tavares taniatma@yahoo.com.br

São Paulo

*

MOLECADA ATREVIDA

"Rolé", "rolezinho", "rolezão": sinônimos hoje de baderna, arruaça, confusão, intimidação. Ou, apenas, simplesmente falta de educação, de inteligência e de bom senso. Era o que faltava, a molecada atrevida e imponderada tentar transformar o shopping em ponto de guerra. A odiosa convocação surge pelas famigeradas redes sociais. Espaço que geralmente desune, deseduca e destrói. Nelas, ordinários travestidos de paladinos e éticos usam e monitoram inocentes inúteis. A onda é bagunçar o lazer de quem vai ao shopping. O modismo é uma extensão, tomara que em menor escala, dos facínoras mascarados cuja missão estúpida é destruir o patrimônio público e privado. Para juntar-se ao amargo cardápio do rolé e irresponsáveis mascarados, apareceu em cena outro movimento cretino e tolo, o "não vai ter Copa". Querem usar o shopping, que por ora não resulta em cadeia quem vai causar tumulto neles, em extensão das recentes, trágicas, medonhas e covardes agressões nos estádios de futebol. Os brasileiros civilizados e ordeiros, felizmente ainda a maioria esmagadora, repudia energicamente torpes iniciativas que pretendem tornar o País um paraíso do caos. É preciso agir firme, forte e exemplarmente, dentro da lei, para extirpar este cancro da barbárie que ameaça transformar o Brasil em terra sem lei, movida a ferro e fogo por uma corja de irresponsáveis. O objetivo desses marginais é claro: tumultuar a Copa do Mundo, a Olimpíada e as eleições, provocando o governo e as forças militares, visando fragilizar as instituições. Nesta linha, fora rápido com a praga dos desagradáveis e hipócritas politicamente corretos. Começaram a passar a mão na cabeça da turba sabidamente mal intencionada. Santinhos de pau oco. O Brasil que sonho para meus netos é o movido a solidariedade, amor, trabalho, esperança e perseverança. Jamais um Brasil norteado pela confusão, trapaça, canalhice, covardia e avacalhação.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

PROJETO PARA A CRACOLÂNDIA

Essa é a administração petista. Ao invés de acabar com a pobreza, a oficializa. Ao invés de acabar com as filas na administração, instalam cadeiras estofadas para o contribuinte mofar na espera. Ao invés de gerar empregos, criam Bolsas Família. E por aí se vai, esbanjando o dinheiro público que energúmenos petistas pensam que é deles, com a única condição de que o "marginal" se torne eleitor da cambada petista nos governos. Daqui a pouco vamos ter também "sindicato dos presidiários".

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

ENXUGANDO GELO

Sr. prefeito, sr. governador, sra. presidente da República, façam uma reunião, um triunvirato, e desapropriem uma grande fazenda em Mato Grosso, Pará ou qualquer outro Estado, desde que fique no mínimo a 300 quilômetros da cidade de São Paulo, e ali edifiquem um grande reformatório laborterápico, para a cura dos dependentes do crack e similares. Convoquem para a empreitada as igrejas universais da vida, igrejas mundiais da vida, igrejas internacionais da vida e a Igreja Católica Apostólica Romana. Ali vai ser um campus ecumênico onde todos vão trabalhar a vida e a natureza, e todos vão ter participação nos rendimentos do empreendimento. A administração vai ser desse povo de Deus para cuidar não só da alma, mas também da vida terrena. Pois tenho certeza absoluta de que o resultado vai ser bem diferente destes R$ 15,00, casa, comida, roupa lavada e higiene pessoal que o nobre prefeito está oferecendo. Tudo isso eu fiz, e muito mais ainda, mas perdi meu filho para as drogas. Este projeto da Prefeitura tem possibilidade de dar certo zero, e não precisa ser formado na Sorbonne para verificar isso. É enxugar gelo mesmo.

Bruno Clemente Domingos bruclemdo@gmail.com

Embu Guaçu

*

JUSTIÇA INJUSTA

Os trouxas que incham os cofres dos sindicatos devem estar orgulhosos. Delúbio Soares, preso na Papuda, após condenação no processo do mensalão vai trabalhar na CUT e receber pelo "trabalho" R$ 4.500,00. Pois é, o sindicato acolhe criminosos, enquanto muitos associados devem estar desempregados. Segundo o juiz Bruno André Ribeiro, da Vara de Execuções Penais de Brasília, "não é muito lembrar que a concessão do beneplácito neste momento constitui uma possibilidade de se avaliar a disciplina, autodeterminação e responsabilidade do(a) reeducando(a) antes de uma possível transferência para um regime de pena mais avançado". Nas palavras do juiz, a próxima decisão será a porta da frente da cadeia. Que pena que a Justiça não tem a mesma preocupação com os presos que estão na cadeia sem as mínimas condições. E pensar que ainda se fala em recuperação do preso. De que forma, se a própria justiça é tão injusta?

Luciana Lins lucianavlins@gmail.com

Campinas

*

EFEITO COLATERAL

Com a prisão de alguns dos inúmeros mensaleiros, algo novo foi revelado. Até quem nunca foi chegado ao labor, de repente, ficou com uma vontade louca de trabalhar, mesmo que fosse de mentirinha. Milagre!

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

QUEM TEM MEDO DA JUSTIÇA?

Segundo noticiário, o detento José Dirceu, chefe da quadrilha do mensalão, poderá deixar a prisão ainda este ano. Já Marcos Valério, operador do esquema, que foi condenado a quase 40 anos de detenção, poderá estar nas ruas em 3 anos e 11 meses. Cá entre nós, essa notícia com toda certeza não causa nenhum sobressalto em quem quer que seja. O que nos deixa realmente perplexos, assombrados e incrédulos é o fato de que esses senhores tenham ido parar atrás das grades. Com ironia, por favor!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

PARAÍSO DA CORRUPÇÃO

José Dirceu pode deixar a prisão ainda este ano. Será que existe algum outro país no mundo que liberta um criminoso que cumpriu apenas um sexto da pena? Será que alguém já ouviu falar de um julgamento que durou dez vezes mais do que a pena do criminoso condenado? Devolver o dinheiro público desviado? Nem pensar! Desviar centenas de milhões de reais, ficar com o dinheiro e passar um aninho preso? Claro que, literalmente, vale a pena! Não existe nenhum outro lugar no mundo onde o crime compense tanto quanto no Brasil, paraíso do impunidade, disneylândia da corrupção.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

DIRCEU AO CELULAR

Secretário do governo da Bahia afirma ter conversado por celular com José Dirceu na semana passada. O ex-ministro está preso há dois meses na Papuda. O autor da ligação foi James Correia, titular da Indústria, Comércio e Mineração na gestão Jaques Wagner. Ele é empresário na área de gás e petróleo, na qual Dirceu atuava como consultor. Se é proibido usar celular na prisão e Dirceu o está usando, esse tal de James é muy seu amigo.

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

A MULTA DE GENOINO

A "cumpanheirada" do deputado José Genoino já atingiu quase 80% de recolhimento do valor da multa a ser paga aos cofres públicos, por volta de R$ 667 mil no total, determinada na condenação da Ação Penal 470, vulgo mensalão, pelo STF. E o valor correspondente para pagamento do Imposto de Renda devido, mesmo sendo a título de doação, quem vai ser o arrecadador e o pagador aos cofres públicos? Ou este Imposto de Renda não será cobrado, igualmente ao que ocorre com o pagamento dos salários mensais dos médicos cubanos? Parece que no Brasil dos petralhas bolivarianos nem todos são iguais perante a lei... Pobre dos brasileiros desiguais que não abrem os olhos para essas falcatruas.

Antônio Carelli Filho toni.cafi@hotmail.com

Taubaté

*

QUEM SÃO OS FINANCIADORES?

Genoino parece que vai conseguir pagar a multa no valor aproximadamente de R$ 668 mil, que lhe foi imposta no processo da Ação Penal 470 - mensalão - em que foi um dos réus e julgado culpado. Quantia esta que deverá ser paga até o dia 20. Mas isso será uma barbada, diante da arrecadação, em apenas sete dias, da quantia de cerca de R$ 450 mil, arrecadada entre a militância e os "cumpanheros" de partido. Seria importante que a Receita Federal verificasse quem são esses "financiadores" que, solidários, estão bancando essa multa. A técnica de como arrecadar dinheiro não contabilizado foi muito bem aprimorada por Delúbio Soares.

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com

Porto Feliz

*

A FICHA CAIU

Se José Genoino não tem dinheiro nem patrimônio para pagar as multas aplicadas pela Justiça, quem ou como foram pagos os honorários advocatícios do seu advogado Luiz Fernando Pacheco? Teria sido "pro Bono" a atuação do causídico?

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

ESPIONAGEM INTERNACIONAL

Se a Agência Nacional de Segurança Americana (NSA) é capaz de monitorar as mensagens que enviamos de nossos celulares e ligar remotamente nossa webcam, creio que neste momento eles já têm um dispositivo instalado nos modernos aparelhos de televisão que os permite visualizar nossa casa todo o tempo, mesmo com a TV desligada. Ficção científica? Acho que não.

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

*

MUDANÇAS NA NSA

Quem acredita que a NSA vai deixar de monitorar, coletar e investigar o universo onde ela atua hoje?

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.