Fórum dos Leitores

ROLÊS E VANDALISMO

O Estado de S.Paulo

01 Fevereiro 2014 | 02h06

Aliciamento

Bem que alguém disse que em época de eleições se faz o "diabo". Num passado recente pudemos assistir, aterrorizados, à polícia paulista acuada por ataques de facções criminosas. Foi o "diabo", não por coincidência, antes da eleição para o governo de São Paulo. De repente temos, neste começo de 2014, entre outros, dois fenômenos sociais, se é que podemos chamá-los assim: o rolezinho, convocado pela internet, e a depredação com queima de ônibus, prejudicando exatamente a população mais carente. Se a polícia age para manter a ordem, é criticada, e se não age, também. E mais lenha é jogada na fogueira quando "agentes" da cúpula do governo federal declaram que os jovens estão sendo discriminados por serem pobres, a velha cultura do "tadinho". Depois de convocados os organizadores dos rolês, sabe-se que foram convidados a filiar-se a uma organização de jovens vinculada ao PCdoB. As mensagens subliminares aos jovens são pérfidas e os manterão reféns por intermédio desse aliciamento. Só Deus para nos proteger da convulsão social que poderá eclodir.

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

Fogo em ônibus

Já que Jilmar Tatto sabe de tudo, pergunto: por que não põem fogo em peruas de lotação?

NELSON PEREIRA BIZERRA

nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

Bombons e flores?

Realmente, o povo brasileiro é muito sui generis mesmo. Reclama da segurança, mas quando a polícia atua há sempre críticas ao seu modo de agir. Os "do mal" atuam quebrando e esfolando e querem que os policiais lhes ofereçam flores e bombons?

GERALDO DE PAULA E SILVA

geraldodepaula@ibest.com.br

Teresópolis (RJ)

Interferência política

Se alguém tinha alguma dúvida quanto à interferência política nos chamados rolezinhos, com a filiação de seus líderes a entidade ligada ao PCdoB, partido da base aliada, acabou, né? Cuide-se, Alckmin, pois, como disseram, tudo é válido para se eleger.

JOSÉ ROBERTO PALMA

palmapai@ig.com.br

São Paulo

Cooptados

Tal qual a União Nacional dos Estudantes (UNE), o rolezinho foi "privatizado" pelo PCdoB.

A. FERNANDES

São Paulo

MENSALEIROS

Multas do STF

É inegável o apoio dos petistas e amigos aos mensaleiros em repúdio a suas penas. Dinheiro para pagamento de multas impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) está sendo rapidamente obtido por apoio inconteste de partidários da sigla. Trabalho com salários acima dos pagos ao trabalhador comum também foi oferecido com igual presteza a mensaleiros apenados. O aparelhamento feito está rendendo bons frutos e mau exemplo de impunidade. Resposta ao STF, como se apressaram a dizer alguns? Ao mesmo tempo, líderes de rolezinhos estão sendo cooptados pelo sistema político da base aliada. Serão eles os aparelhados de amanhã a retribuir benefícios auferidos? Pena. Perde-se a naturalidade da manifestação. Todo esse esforço de agregar novos talentos e manter lealdade ao partido e a seus líderes poderia ser usado positivamente na construção de uma Nação republicana forte, exemplar - se esse fosse o real objetivo do partido, e não a mera manutenção do poder e a exposição de força.

SERGIO HOLL LARA

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

Pagamento

À primeira vista parecia que as multas aplicadas pelo STF aos réus do mensalão eram altas e certamente alguns teriam dificuldades para pagá-las. Ledo engano. Só o réu Delúbio Soares conseguiu com "doações" mais de R$ 1 milhão, quando teria a pagar uns R$ 500 mil. Não dou dez réis de mel coado para afirmar que os "aliados comissionados" do governo foram induzidos a contribuir para o companheiro. Eta, turma unida!

SEBASTIÃO PASCHOAL

s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

Transferência

Num único dia o ex-tesoureiro entesourou R$ 600 mil! Há algo de errado nessa história... O STF condenou o sujeito a uma pena pecuniária e outros pagam a pena? Penas são transferíveis? E pensar que esse luminar do pensamento jurídico nacional, o sr. Dias Toffoli, chegou a sugerir, em sessão do julgamento do mensalão, que as penas de reclusão fossem substituídas por penas pecuniárias! Brilhante...

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

Desconfiança

Delúbio arrecadou mais de R$ 1 milhão. E ninguém desconfia que esse dinheiro venha de fontes ilícitas (leia-se mensalão)?

EDUARDO SPINOLA E CASTRO

spinola.adv@gmail.com

São Paulo

Vaquinha

A vaquinha acabou se transformando num bezerro de ouro... com os nossos anéis!

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Investigação

A Polícia Federal precisa investigar os doadores do ex-tesoureiro Delúbio Soares. Sua arrecadação me parece proporcional aos que têm o rabo preso com ele. Acorda, Brasil!

ANGELO ANTONIO MAGLIO

angelo@rancholarimoveis.com.br

Cotia

Origem

De fato, urge investigar a origem das doações aos mensaleiros, para que não paire a desconfiança de que se trate de numerário ilegal dos próprios condenados.

OTTFRIED KELBERT

okelbert@terra.com.br

Capão Bonito

Safra

Não me surpreende o fato de as doações a Delúbio Soares terem chegado a mais de R$ 1 milhão em apenas oito dias. Na feira livre do meu bairro e nos supermercados eu já havia percebido que a atual safra de laranjas está excelente.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

Investimento

Se perguntar não ofende, aqui vai: as doações a Delúbio Soares podem ser abatidas do Imposto de Renda?

J. PERIN GARCIA

jperin@uol.com.br

São Paulo

_______________________  

AS ‘VAQUINHAS’ MENSALEIRAS

O "Estado" (31/1, A7) noticiou que o companheiro Delúbio Soares já recebeu, em apenas oito dias, 1.095 doações, que somam R$ 1,013 milhão, para pagar a multa a que foi condenado pelo "mensalão". Separando o que terá de pagar de Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), sobrará ainda um bom troco, que ele pretende repassar ao companheiro Zé Dirceu. Pena que eles não tenham tido a ideia de arrecadar com essas "vaquinhas" o dinheiro para subornar parlamentares, tendo de apelar para o mensalão, vez que os dízimos contribuídos pelos companheiros aparelhados nos órgãos públicos não foram suficientes para cobrir essa conta.

Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@mail

São Paulo

*

MUITO DINHEIRO EM POUCO TEMPO

Após Genoino, agora é Delúbio quem recebe doações. Este, num único dia, mais de R$ 600 mil. Penso que deveria ser investigada a origem de tanto dinheiro e tão rapidamente. Ademais, pergunto: tais doações não estão sujeitas ao recolhimento do correspondente Imposto de Renda?

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br

São Paulo

*

MAIS SOLIDÁRIOS

Considerando a grande facilidade com que os mensaleiros do PT – Genoino, Delúbio & Cia – arrecadam milhões para pagar as multas pelos crimes que cometeram contra a democracia brasileira, talvez fosse interessante contratá-los como garotos propaganda do Criança Esperança e do Teleton. Essas duas campanhas beneficentes demoram semanas para arrecadar quantia semelhante, mesmo contando com a grande estrutura de marketing das duas mais importantes emissoras do País. A partir de agora, basta contar com a benevolência dos mensaleiros.

Luiz Fernando Sampaio sampaioluizfernando@gmail.com

São Paulo

*

EM BENEFÍCIO DO CRIME

Não é estranho o fato de alguns mensaleiros do PT receberem doações em valores bem superiores aos fixados às suas penas de multa? Somente um deles, Delúbio Soares, foi agraciado com R$ 600 mil em apenas um dia. Tanta generosidade para beneficiar um criminoso somente pode vir de gente com muito dinheiro. Estranho, não?

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

RECORDE

Pelo montante que o ex-deputado José Genoino arrecadou em sua campanha pela internet e pelo que Delúbio Soares já arrecadou até agora, presumo que, quando chegar a vez de José Dirceu, tenho certeza absoluta de que ele irá arrebentar a boca do balão.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

CORRUPTOS

Solidariedade é uma das ações mais dignas de um ser humano. Infelizmente, o "lulismo", movimento destruidor dos valores morais dos brasileiros, corrompe o significado de solidariedade, que seria estar junto com uma causa justa e decente. No caso, o que vemos é a solidariedade com a corrupção, pois os Delúbios e Zés foram condenados por corrupção. Quem é solidário com corruptos corrupto é! Já para o humilde mecânico que teve seu Fusca incendiado pela marginália no último dia 25, a solidariedade é bem pequena. Essa é a nossa tragédia, minha e sua, que está lendo esta carta. Os corruptos são maioria no Brasil.

Godofredo Soares caetano.godofredo@terra.com.br

São Paulo

*

VAI QUE COLA

Mais uma vez nos surpreendem a "bondade e a solidariedade" de mancomunados abestados que insistem em dispor de verbas para resolver problemas de mensaleiros condenados pela Justiça do País. Esse dinheiro todo, R$ 600 mil, computados os R$ 30 mil doados pelo excedente captado por José Genoino, não me convence de bondade da boa. Sugiro que haja uma investigação por órgão competente, capaz de apurar a origem dessas doações. Não para cadastrar os doadores, mas para deixar claro e transparente se, por acaso, não está voltando dinheiro de outra fonte criada pelo próprio desvio das prováveis falcatruas do mensalão. Ambos os que se beneficiam dessa arrecadação online podem apenas estar sendo bois de piranha para ver se a manobra funciona. Então outros, "comandantes", como Zé Dirceu, segundo nos informa o "Estadão" (nas palavras de Marco Aurélio Carvalho), ainda na penumbra da estratégia, com certeza receberão excedentes de arrecadação para pagarem sem quaisquer questionamentos, as multas que sobre os tais pesam. A opinião pública está sendo testada. E o povo inconsciente nem percebe a ironia: vai que cola!

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

*

TRABALHADORES?

Se o Partido é dos Trabalhadores, que emprego devem ter para poder doar estas fortunas aos mensaleiros?

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

DOAÇÃO VERGONHOSA

Em apenas um dia a campanha de doações para pagar a multa imposta do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares contabilizou mais de R$ 600 mil. Com a arrecadação até ontem registrava R$ 1,013 milhão em oito dias. O numero de "contribuintes" foi de 1.095. Considerando o valor e o número de "colaboradores", o importe daria, por pessoa, R$ 925,11. Causa vergonha ver que um corrupto (esse é o termo porque a sentença transitou em julgado) tenha tamanho número de "admiradores cumpanheiros" que banquem sua multa, com sobra inclusive para complementar ou iniciar a lista em favor de Dirceu. Na campanha para Genoino, um dos doadores foi o ex-ministro Nelson Jobim, que deu um cheque de R$ 10 mil, que não chegou a ser compensado, segundo Carvalho. A lista foi composta por ministros, petistas que ocupam cargos no Executivo, parlamentares e sindicalistas da CUT. Cerca de 140 doadores são advogados. "A mobilização é uma resposta cívica às provocações do ministro Joaquim Barbosa que tentou condenar os companheiros ao ostracismo", afirmou Marco Aurelio Carvalho, coordenador do setorial jurídico do PT. Por sua vez, mais ainda envergonha nosso povo notar que, para conseguir uma cirurgia de transplante de medula ou uma simples cadeira de rodas uma pessoa tenha de esperar meses e meses, depois da negativa do governo, uma lista de solidariedade em que as contribuições não chegam a R$ 20,00 por pessoa. Por sua vez, fica no ar a pergunta: "Nessas doações a Receita Federal e a Estadual fazem qualquer controle?". Quando um pai faz qualquer doação para um filho, tem de pagar os impostos, que de forma alguma são perdoados pelo Fisco e devem ser explicados minuciosamente. E neste caso, as doações são tributadas e explicadas? Em determinados recebimentos, os profissionais são obrigados a explicar a origem do dinheiro. E neste caso, a origem está sendo explicada?

Claudio Mazetto cmazetto@ig.com.br

Salto

*

ENGULHO

Como podemos considerar essa campanha do PT (Partido dos Traidores) para arrecadar $$$$$ para os "cumpanheros" presidiários? Isso demonstra o quanto esses indivíduos se lixam para o povo, que juram amar e defender. O montante arrecadado para pagar multas dos chefões da quadrilha do mensalão é de dar engulhos. Por exemplo, por que esses indivíduos não convocam os seus para doar ao povo do Nordeste, que sofre com a seca, que acreditou nas promessas de benefício da transposição do velho Chico? Por que não arrecadar para aqueles que perderam tudo em Itaoca, no Alto do Ribeira?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

DINHEIRO DE SOBRA NO PT

Com que facilidade os mensaleiros do PT conseguem verba para pagar as multas que lhes foram impostas no julgamento do mensalão! Genoino e Delúbio chegam a esbanjar vultosas sobras. Seria bom que a Receita Federal pudesse conferir se cada um dos doadores declarou seus números de CPF, ou CNPJ, ao fazer a contribuição, e se possuíam renda suficiente para tal. Se não, fica a impressão de que se trata ainda de sobras do desviado no mensalão, que estão agora usando por meio de laranjas. O único que li que veio a público dizer ter feito uma doação (R$ 10 mil a Genoino) foi o ex-ministro Nelson Jobim. Tais doações, pergunto, não seriam tributáveis, como acontece, por exemplo, quando um pai doa a um filho importância razoável para a aquisição de um primeiro imóvel residencial? A esclarecer.

A.Ulhoa Filho adriles@uai.com.br

Belo Horizonte

*

DOADORES DESINTERESSADOS?

O Ministério Público Federal não vai investigar de onde vem tanto dinheiro assim para os mensaleiros pagarem suas multas? É no mínimo estranho que haja tanto dinheiro assim para "ajudar" os companheiros, "aparecendo" em suas contas sem qualquer controle, ainda mais em meses que mesmo os mais "abonados" enfrentam dificuldades de caixa, pelas despesas de dezembro e de janeiro.

Luiz Antônio Beluzzi luiz2812@icloud.com

Apiaí

*

MUITOS PAGAM

É um sucesso essa vaquinha feita pela internet para pagamento das multas impostas aos mensaleiros do PT. José Genoino já havia arrecadado uma montanha de dinheiro e, agora, Delúbio Soares chegou ao R$ 1 milhão arrecadado. Mais feliz do que eles pelo sucesso da vaquinha estou eu, por ver que, no fim das contas, essas multas estão sendo democraticamente repartidas entre tantos que com seus votos e seus suportes permitiram a consecução desse abjeto mensalão, o mais sério crime perpetrado contra a democracia brasileira em toda a sua história.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

LAVANDERIA S/A

Esse negócio de doação pra pagar a multa judicial da quadrilha petista virou a maior farra de lavagem que o Brasil já viu e o pior é que é feita à luz do dia, diante de todo mundo, e ninguém faz nada.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

QUEM TEM PADRINHO...

A ordem dada pelo ministro Ricardo Lewandowski ao juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal para analisar "com urgência" o pedido do mensaleiro José Dirceu para trabalhar durante o dia num escritório de advocacia é clara ingerência de um magistrado no trabalho de outro, demonstrando o fato a existência de duas realidades na suposta república "democrática" do PT: 1) o ministro não está nem um pouco preocupado em salvar as aparências e desconstruir sua imagem como "homem do PT" dentro do STF; e 2) que igualitarismo, que nada! O Brasil continua sendo o País onde quem tem padrinho não morre pagão. Fosse um Zé Mané qualquer, e não um membro destacado do poderoso partido, as apurações do uso indevido do celular por Dirceu dentro do Presídio da Papuda seriam "rigorosamente apuradas" sem prazo para conclusão.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

ABASTECIMENTO

Parece que gastar o dinheiro do contribuinte e depois mentir por qual razão é a tônica de dirigentes petistas. Pois não é que a presidente diz que fez escala em Portugal para reabastecimento do Aerolula? Parece que os portugueses reabasteceram o avião com pequenos baldes de combustível, pois devem ter gasto umas 24 horas para tal procedimento, e, assim, a Exma. Sra. presidente (coitada!) foi obrigada a se hospedar em hotel de luxo com toda a comitiva de turistas, ops!, de assessores à custa de todos nós, contribuintes. Pelo jeito, ela aprendeu muito bem com seu tutor.

Vanderlei Saburi vande.saburi@hotmail.com

Santo André

*

‘NUESTROS HERMANOS’

Temos de agradar nossos irmãos argentinos (baixando preço da gasolina) e os cubanos (construindo porto estratégico). E lá vai o dinheiro do BNDES saindo pelo ladrão. Será que um pedacinho não escapa para paraísos? Nós estamos bem, não precisamos de nada... Êta solidariedade econômica hein.

José Dominece Domi51@terra.com.br

São Paulo

*

NOITE EM PORTUGAL

A sensibilidade da presidente Dilma Rousseff é a de um rinoceronte. Ela e sua comitiva presidencial saíram de Davos, com o papagaio de pirata chefe, Aloizio Mercadante, e Marco Aurelio Garcia (top top) e sem "programar" voo para Portugal. Ninguém da comitiva vai para a embaixada, onde havia aposentos. Vão para os dois melhores hotéis da cidade, vão jantar no melhor restaurante, vinhos, etc., e o governo esbanja mais de 75 mil euros, quando podiam abastecer o avião, até jantar na cidade e seguir para aquela inutilidade de Cuba, onde o Brasil foi emprestar dinheiro do BNDES, que nunca mais vai receber. Depois a presidente tem medo de manifestações... Aprendeu bem rápido com o ex, Lula, como jogar dinheiro público no ralo.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

REFORMA MINISTERIAL

Mercadante, ir para a Casa Civil é uma armadilha. Você conhece a Papuda? Quem avisa amigo é.

Celia H. Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

*

FERRO E FERRADURA

Dilma foi a Davos. Portanto, se encontrou com grandes chefes de Estado. Depois, foi a Portugal. Será que ela pediu carro forte? Ela tem uma Rosemary também? Em seguida, o Aerolula (ou será Aerodilma?) foi parar naquela "avançada" ilha do Caribe de onde as pessoas sonham em sair para não mais voltar. Não contente, agradeceu pelos médicos "cedidos" e ainda doou dinheiro público. Dinheiro do BNDES ou da Fifa? Pensei que estava tendo um pesadelo, mais foi exatamente isso o que aconteceu. Como diz o velho ditado, estes petralhas dão uma no ferro e outra na ferradura. Assustador, para dizer o mínimo.

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

OS VELHOS DAQUI

A presidenta viajou a Cuba para agradecer e abraçar um velho. Sem precisar gastar nada, bem que poderia abraçar os velhos brasileiros. Para os aposentados daqui ela nunca fez este sorriso maternal (vide foto da presidente com Fidel Castro).

Reynaldo Carvalho Palma rcpalma@uol.com.br

São Manuel

*

‘ZELITES’

Dilma e asseclas em alto luxo em Portugal, à nossa custa. Agora eu sei quem são as "zelite" que o PT tanto critica.

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

*

TERRORISMO PSICOLÓGICO

É evidente que os brasileiros querem que o Brasil dê certo, avance, se desenvolva e deixe de ser o país do futuro. Seja com PT, PSDB ou qualquer outro partido no poder. O que dona Dilma chama de "terrorismo psicológico" nada mais é do que a sensação de todo o povo brasileiro de que o caminho escolhido pelo atual governo petista não vai dar certo. Dona Dilma acaba de sair de uma conferência mundial de investidores em Davos, na Suíça, onde pediu investimentos aos maiores capitalistas do planeta e, no dia seguinte, foi para Cuba, posou ao lado de Raul Castro, um político retrógrado de um país falido, fez a apologia da ditadura de mais de meio século dos irmãos Fidel e Raul e encerrou seu discurso afirmando que Cuba é um parceiro comercial de primeira ordem do Brasil. Depois dessa demonstração de explícita incongruência, qual é o investidor que aplicaria o seu dinheiro na nossa economia?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

SAMBA DO CRIOULO DOIDO

O Brasil, que só mesmo por milagre é considerado a 7.ª economia do mundo, segue em marcha à ré, sem rumo e direção definidos, perdido no tempo e no espaço. A prova do despreparo e inconsistência da política econômica do improvisado desgoverno é que, enquanto a política fiscal vai para um lado, a política monetária segue na direção oposta. De um lado, o Ministério da Fazenda eleva as despesas para estimular o consumo e a atividade econômica; do outro, o Banco Central reduz o volume de moeda, aumentando os juros e a taxa Selic para conter a demanda e a inflação. Forças antagônicas atuam ao mesmo tempo, cada uma puxando o País para o seu lado, acabando por neutralizar qualquer possibilidade de ajuste do rumo e das metas a serem atingidas. Parece mais o samba do crioulo doido do que qualquer planejamento macroeconômico! Parece piada de português, mas é de brasileiro mesmo. E não tem a menor graça. Até quando?!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL

Dívida Pública Federal sobe e fecha 2013 com mais um recorde negativo absoluto: nada menos do que R$ 2,12 trilhões. Seu crescimento ocorreu da emissão de títulos para injetar recursos no BNDES. Para, dessa forma, Dilma Rousseff poder continuar distribuindo nosso dinheiro a Cuba, Uruguai, Venezuela, etc., além de continuar financiando a corrupção que assola e destrói o País.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

GASTOS DO GOVERNO

O economista Paulo Rabello de Castro, do Movimento Brasil Eficiente (30/1, A2), como todo bom economês, atira no que vê para acertar no que não vê. Como o Brasil está exposto no mundo inteiro, só os cretinos do governo não veem ou fingem que não veem. Mas a questão é mais em baixo. Há algum "Brasil eficiente" falando que nunca tivemos Constituição alguma? Há algum "Brasil eficiente" dizendo que o cidadão vive no município, e não no Estado ou na Federação? Há algum "Brasil eficiente" dizendo que quem deve comandar politicamente o País são os governos municipais, e não o "paraíso político" chamado Brasília? Há algum candidato dos inúteis que estão aí com uma plataforma de reformas decentes? Que tal o "Brasil eficiente" formular uma cartilha de reformas para o Brasil, começando por tirar os vagabundos do poder em Brasília?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

NADA ESCAPA

O famoso físico inglês Stephen Hawking afirmou categoricamente que os "buracos negros" não existem. Quero discordar do eminente cientista. Podem não existir nas profundezas do universo, mas são facilmente detectados aqui mesmo, no Brasil, mais precisamente em Brasília. Existem ali dezenas deles, que é onde tudo desaparece. Principalmente o dinheiro do contribuinte. Sorry, mr. Hawking!

Luis Fernando Santos luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

*

O FED FECHA A TORNEIRA

Sem surpresas, traquinagens e outros artifícios desprezíveis nas contas públicas, como é infelizmente o caso do atual governo do nosso país, o banco central americano, o Fed, como estritamente prometeu e por absoluto respeito às regras de mercado, corta mais uma vez estímulos em mais US$ 10 bilhões, e vai passar a comprar títulos do Tesouro e bônus lastreados em hipotecas no valor mensal de apenas US$ 65 bilhões. Porém bem distantes daqueles US$ 85 bilhões, do início deste processo em que o objetivo primordial era alavancar a economia dos EUA. Como, felizmente, até para nós, brasileiros, está ocorrendo. E se para Dilma esse programa lá atrás era um tsunami monetário, que prejudicaria o Brasil, hoje provavelmente a presidente deve estar até perdendo o seu sono, porque, repito, como prometeu, o Fed está deixando de irrigar o mercado com mais dólares. Quem manda acreditar que Dilma tinha largo conhecimento em macroeconomia ou de contas públicas...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

ÔNIBUS INCENDIADOS

As pessoas que covardemente incendeiam ônibus e mais ônibus não se conscientizam de que serão eles próprios, ou seus pais, os que pagarão a conta da reposição dos mesmos. Não conseguem entender a incoerência desse tipo de protesto.

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

SÃO PAULO OBESA

Li, dias atrás, que São Paulo está inchada. É muito mais do que isso, é obesidade mórbida. Quando o prefeito Figueiredo Ferraz disse que São Paulo não podia crescer mais, foi tirado da prefeitura pelo governador da época. Ele tinha toda a razão, pois o "inchaço" é muito mais rápido do que as possibilidades da prefeitura de prover as melhorias necessárias. Com isso, a qualidade de vida dos moradores da cidade vai piorando. Os candidatos a prefeito prometem demais, sabendo que não poderão cumprir as promessas, mas querem a todo custo ganhar as eleições, pelo poder, e o povo que se lixe. Só como exemplo, em 2010, segundo o IBGE, São Paulo tinha 11.200.000 habitantes. Hoje a estimativa seria de 11.800.000. São 580 mil habitantes a mais, isso em três anos. Não há cidade que aguente, quase uma Sorocaba a mais. Quanto mais os prefeitos prometem, mais iludem pessoas de outras localidades a virem para cá. É maldade com estas pessoas, pois elas sofrerão muito. Chega de demagogia.

Everardo Miquelin everardo.miquelin@ig.com.br

São Paulo

*

PASSE LIVRE

Em outubro de 2013 foi publicado no "Diário Oficial" lei que permite que pessoas a partir de 60 anos tenham passagem livre nos trens. Até agora não é possível entender por que, sem haver nenhuma alteração no processo hoje vigente, tem-se de esperar para que essa lei seja cumprida. Aliás, com a internet, um comunicado às estações demora segundos para ser enviado, mas nessas empresas são necessários 180 dias. Quem pode me explicar isso?

Oswaldo da Costa Funfas funfasoswaldo@gmail.com

São Paulo

*

MOBILIDADE URBANA

A mais percebida vulnerabilidade de infraestrutura urbana de nossas megalópoles, o transporte de massa majoritariamente feito por ônibus, está, após as manifestações de junho passado, no centro das preocupações de todos. Urge que nossas lideranças públicas e da iniciativa privada, unidas, encontrem soluções factíveis de conforte e preço que minorem os sofrimentos desse erro histórico do uso preferencial de locomoção por modal rodoviário, para que não tenhamos de volta os atos de vandalismo, em face dessa deficiência que tanto nos prejudica.

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

FRAUDES NO ISS E NO IPTU

Conforme informações do Ministério Público (MP) de São Paulo, vários shoppings e universidades estão entre os 84 empreendimentos que fraudaram IPTU na capital paulista, causando um prejuízo de R$ 500 milhões aos cofres públicos. Segundo a promotoria, o grupo recebia propina dessas empresas para informar que a área construída era menor que a área real do imóvel, com isso o empreendimento pagava um imposto menor. Essa investigação é um desdobramento do Ministério Publico que investiga a apuração da máfia que atuava na fraude do ISS – prejuízo de R$ 200 milhões a R$ 500 milhões –, também na capital paulistana. Segue a minha sugestão para o MP de outros Estados brasileiros e o Distrito Federal: por que não iniciar também investigações para apurar fraudes nas áreas de IPTU e ISS em outras grandes cidades brasileiras?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

FRAUDADORES

Nós, brasileiros, cidadãos do Estado, queremos a divulgação dos nomes das empresas e o dinheiro de volta aos cofres públicos (ISS e IPTU). Ou não tem governo neste país!

Vanderlei Pereira de Jesus pvanderlei@hotmail.com

São Paulo

*

ROLEZEIROS NA POLÍTICA

Na filiação ao PCdoB, o "rolezista" recebe ___ grátis! ___ o cabresto para participação nos futuros "eventos sociais" da massa de manobra...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ROLÊ COM PROPÓSITOS

A onda no momento é o rolezinho! Rolezinho para cá, rolezinho para lá, mas sempre em lugares chiques, agradáveis e que atraem multidões. Avenida Paulista, shopping centers e por aí vai. Não há notícia, até a presente data, de um passeio coletivo em nenhum local onde a mão de obra seja necessária e alguém precise suar a camisa. Uma plantação de cana, batata, jerimum... Jamais! Ninguém pensa em fazer uma excursão pelos hospitais do País, para consolar doentes, trocar curativos e doar sangue. Já pensaram que coisa linda: uma multidão de gajos musculosos fazendo um rolê num hospital para doação de plasma? E um rolezinho em escala nacional para visitar nossos idosos nos asilos e prosear com eles? Dar banho em morador de rua seria algo interessante. Nossos cemitérios também poderiam ser agraciados com um vibrante passeio juvenil com cantorias e cartazes e, antes de ir embora, a rapaziada pintaria os túmulos. Os garis do país mal-assombrado teriam condições de sair de férias, caso nossos vitaminados jovens resolvessem varrer as ruas num "rolezinho das vassouras". Hospitais, asilos, cadeias públicas, orfanatos são excelentes lugares para exercitar o amor ao próximo, despertar o patriotismo e incentivar atos heroicos. Outro território adequado para um estafante rolê são os Tribunais de Justiça (TJs) do País. Imaginem só que maravilha: uma multidão de jovens bem dispostos entrando, de repente, nas salas dos juízes e desembargadores para dar uma mãozinha no andamento dos processos. Talvez os presidentes dos TJs pudessem até mesmo dar um descanso extra aos juízes, escrivães, meirinhos, escreventes. O Judiciário tupiniquim, finalmente, perderia essa fama de lesma-lerda, não é mesmo? Outra coisa: por que rolezinho? Para que tanta modéstia e usar um diminutivo tão chinfrim? Só se for pra homenagear nossos bravos "Mamonas Assassinas". Mas, se é pra reverenciar alguém, por que não enaltecer Giuseppe Verdi e batizar essa gloriosa jornada de "Marcha Triunfal"? Não seria muito mais chique? Mas, pensando bem, chique mesmo seria se todo mundo resolvesse imitar o mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams, fazer um rolezinho pela Via Láctea e jogar um balde d’água nas labaredas do sol. O verão tá quente demais, minha gente!

Benedito Madaleno Mendes beneditomadalenomendes@yahoo.com.br

Itapetininga

*

ROLEZINHO DE COMUM ACORDO

A inversão dos valores humanos, embasada numa sociologia que, para nós, cidadãos alfabetizados e cientes de nossos direitos e deveres quanto ao bem-estar da sociedade e do Estado, o acordo entre os shoppings e os "chefes" dos rolezinhos – entenda-se desocupados, mantidos por vertentes mais ou menos desconhecidas – fere o sentido da sensatez. Este tipo de "acordo" é o salvo-conduto para outros, que certamente serão exigidos, nas bases particulares e empresariais, tornando nosso país refém de grupos ou movimentos ditos por eles de "discriminados". O cidadão que mata um leão por dia, para sua sobrevivência e satisfazer a sanha arrecadatória dos governos, esse, sim, é o discriminado, vítima necessária para dar sentido real à meta do socialismo comuno-petista.

Aloisio A. de Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

*

VIOLÊNCIA NO RIO DE JANEIRO

Uma turista portuguesa foi baleada durante uma tentativa de assalto na Estrada do Sumaré, no Parque Nacional da Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro, por volta das 18h de quinta-feira. Rosa Maria Van Schothorst e seu marido, Jorge Manoel Ribeiro Carvalho, estavam num carro quando foram surpreendidos por uma falsa blitz montada por bandidos. E ainda tem otário que vem nos visitar com essa insegurança... E ninguém faz nada nem resolve matar esses animais irracionais? É uma vergonha, uma lástima e as nossas "otoridades" só levando.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

FAZ DE CONTA

Mais um ciclista foi assaltado e esfaqueado no Aterro do Flamengo. Ouviremos da Polícia Militar que ela faz policiamento no local, etc. Realmente, estamos no país do faz de conta. O governador Sergio Cabral faz de conta que temos segurança pública, e os índices de criminalidade aumentando. A insegurança voltou. Não se pode circular, após certa hora, por algumas ruas da cidade e bairros. Vamos ver em outubro o que farão essas pessoas que reclamam, que foram assaltadas, etc.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O MP, DAS TORCIDAS AOS ‘BLACK BLOCS’

Quando as torcidas organizadas saíram do controle e passaram a brigar, depredar e até matar dentro e a caminho dos estádios, as autoridades – por iniciativa do Ministério Público (MP) – proibiram-nas de ir aos jogos, de usar uniforme em via pública e, para evitar novos problemas, fizeram até, que os torcedores mais comprometidos com a baderna se apresentassem à unidade policial durante a realização dos jogos dos seus times. Agora, vemos os "black blocs" tomando de assalto as manifestações pacíficas e promovendo quebra-quebra, desafiando a polícia, desvirtuando o propósito dos manifestantes e, ainda, cavando a solidariedade de sociólogos, ideólogos e contestadores sociais. Os autores de violência nas manifestações deveriam, da mesma forma que se fez com os torcedores violentos, ser obrigados a comparecer a uma unidade policial e ali permanecer durante as manifestações futuras. Além dos 130 presos no último sábado, só em São Paulo, deve haver mais duas ou três centenas que estiveram recolhidos e foram "fichados" nas manifestações anteriores e poderiam sofrer essa restrição. O uso de máscaras e o porte de armas, combustíveis, explosivos ou qualquer artefato que possa servir ao vandalismo precisa resultar em prisão imediata e processo. O Ministério Público, que atua com eficiência no caso das torcidas, precisa ser chamado, pois dispõe de meios para conter os "blocs". O "remédio" ministrado para a violência das torcidas pode, e deve, ser aplicado aos desordeiros sociais de hoje. E com certa urgência, antes que a situação não tenha mais remédio...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

A DEFESA DAS MÁSCARAS

Peço vênia para discordar da tese contra o uso das máscaras nas manifestações públicas. Na verdade, venho apelar pelo direito dos que se acham verdadeiros "heróis de histórias de quadrinhos". Refiro-me àqueles que, nas verdadeiras manifestações, protestaram, em sua maioria de forma pacífica, com o rosto coberto pela máscara do "V". Cabe refletir, no meu entender, sobre o significado do uso de tais máscaras. Nesta humilde opinião propõe-se que o uso das máscaras se deu muito mais pelo que o herói dos quadrinhos representa do que pela necessidade do anonimato referido na tese. As máscaras, na maioria das vezes, foram, portanto, um símbolo, muito mais do que a subversiva pretensão de esconder a face do cidadão que a usava. Isso quando se compreende quem são os verdadeiros cidadãos, logo, aqueles que se manifestam de forma pacífica. A arte (em suas mais variadas formas) sempre foi uma ferramenta de extrema importância para sensibilizar a população quanto às questões políticas postas no seu contexto histórico. Daí, não parece acertado condenar de forma tão categórica o uso das máscaras. Provavelmente, faz parte do conceito de cidadania a escolha do sujeito em qual símbolo vai se inspirar, o que não me parece motivo de ironia. No que toca à atuação dos black blocs, entende-se inconteste a antijuricidade da conduta. Isto porque é claro que o uso de armas ou violência é contrário aos propósitos da democracia. Aplicou-se este raciocínio (da vedação ao uso da violência), primeiramente, à ação inicial da polícia nas primeiras manifestações pacíficas (brilhantemente remediada em um segundo momento, quando os policiais, mais bem preparados, interagiram de forma muito democrática com relação ao levante da população). Naturalmente, se a defesa da vedação ao uso da violência pela polícia foi tão aclamada pelo povo, o mesmo se aplica aos supostos cidadãos que se denominam black blocs. Ou seja, há de se convir que os mesmos cidadãos que defenderam a paz agora vão se posicionar contra tais ações, que, nesta tese, não são qualificadas como verdadeiras manifestações. Entretanto, voltando às razões deste apelo, no ponto da preservação da ordem pública ou do dever do Estado quanto à segurança pública mencionados na tese ora oposta, é indispensável pensar não só na questão do policiamento ostensivo, mas sim no policiamento preventivo. Neste intuito, o Art. 37, § 6º da Constituição federal, que aborda a responsabilidade do Estado pelos danos ocasionados na prestação dos serviços públicos, merece menção. Da mesma forma, deve ser mencionada a exceção consolidada na doutrina jurídica com relação aos movimentos multitudinários. Pois bem. O artigo referido dispõe que o Estado responde pelos danos ocasionados por seus agentes a terceiros durante a execução dos serviços públicos, dentre eles, por óbvio, a segurança pública. Esta responsabilidade do Estado também se estende às omissões de seus agentes. A tese oposta insinua que a omissão dos policiais em não apreender as máscaras dos manifestantes configuraria uma espécie de omissão. Aplicar-se-ia, diante disto, o policiamento ostensivo para evitar a omissão do Estado. Para lançar outra luz ao mesmo enredo, poder-se-ia mencionar a hipótese dos movimentos multitudinários. As depredações ao patrimônio privado ocasionadas por movimentos multitudinários decorrem de um levante da população, no caso uma massa de populares, que destroem o patrimônio como forma de expressar sua revolta para com determinados fatos do contexto social e político vivenciado. Considerando que o ilícito é cometido pela multidão em conjunto, muitas vezes se torna impossível identificar um responsável, mesmo quando estes não usam máscaras. A doutrina jurídica defende que é obrigação do Estado aplicar o policiamento preventivo para evitar tais situações, uma vez que para garantir a segurança pública o Estado deve se preparar para enfrentar tais ações quando o contexto social ou político se mostra sabidamente alterado. Na falha do policiamento preventivo, os prejuízos deverão ser ressarcidos aos particulares pelo Estado. Nesta hipótese, se aborda a responsabilidade pela omissão na fase da prevenção. Ficam então os questionamentos. O Estado se omite por não retirar as máscaras de todos os cidadãos que fizerem esta opção ou se omite por não fornecer policiamento suficiente para evitar o início da depredação feita por uns poucos? Como o Estado pretende lidar com as manifestações e a latente insatisfação popular com a atuação política: através da repressão ou da prevenção? Enfim, trata-se não de uma crítica, mas sim da busca por outros pontos de vista, afinal o direito é passível de manipulação para defesa de interesses diversos. Achei que os verdadeiros cidadãos mascarados (aqueles que se expressaram de forma pacífica na revolta do vinagre) mereciam uma defesa. No que cabe a esta simples leitora, a primeira curiosidade que teve despertada quando se deparou com o uso das máscaras "V" nas manifestações foi: por que o uso do herói do filme/quadrinhos norte-americano e não algum herói brasileiro mesmo? Será que estão faltando símbolos tupiniquins? Mas isso seria tema para outra tese.

Patrícia Malfatti patricia.malfatti.v@gmail.com

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.