Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

06 Fevereiro 2014 | 02h09

Apagão

O décimo apagão no governo petista. Será que a culpa é ainda de Fernando Henrique Cardoso ou apenas da costumeira má gestão do governo Dilma Rousseff?

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Versão convincente

Meus amigos, minhas amigas, é fácil perceber que as classes mais favorecidas tentam distorcer os fatos com o objetivo de desacreditar o nosso governo. O que aconteceu foi apenas uma simples queda de energia que, infelizmente, ocorreu simultaneamente em diversos locais, mas muito longe de caracterizar aquilo que chamam de apagão, marca esta dos governos anteriores ao nosso. Aliás, devo dizer que nós estamos investindo muito no aperfeiçoamento do sistema, aqui e alhures.

BLUMER JARDIM MORELLI

blumer@aasp.org.br

São Bernardo do Campo

O ONS está certo

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) negou que a alta do consumo de eletricidade tenha sido a causa do apagão. E está correto, não se trata de consumo demais, mas de massa cinzenta de menos nos governos. Como governos, ainda vivemos na era medieval, com informações navegando na velocidade da luz para o povo e de barco a remo para os governantes.

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Desculpas

Primeiro, o mau tempo foi o culpado. Agora, o responsável foi um curto-circuito. Daqui a pouco teremos outras tantas desculpas para os apagões. Na verdade, o que existe de fato é falta de investimento na área pertinente.

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

mdokrmo@hotmail.com

Bauru

Contas de luz

Deixa ver se eu entendi. Para evitar alta na conta de luz, o que queimaria o filme de Dilma Rousseff, o governo deve ajudar financeiramente as distribuidoras de energia elétrica. Não seria muito mais honesto o governo vir a público e dizer que aquela redução nas contas de luz não deu certo e as contas terão de sofrer reajustes para que as distribuidoras voltem a investir e com isso diminuírem os riscos de apagão? O governo não produz dinheiro. Quem vai bancar essa ajuda somos nós, os contribuintes, via conta mais alta ou por meio dos nossos impostos. Só que a conta mais alta ajuda a motivar o povo a fazer economia de energia para evitar os apagões.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Palavra de ministro

O nobre ministro de Minas e Energia deu na segunda-feira garantias que não haveria apagões elétricos no Brasil. Mas menos de 24 horas após esse pronunciamento do ilustre sr. Edison Lobão milhões de brasileiros ficaram sem energia elétrica. Dá para acreditar na palavra de algum ministro desse desgoverno?

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Risco zero

A previsão do ministro Lobão de risco zero de apagões não durou 24 horas. Sujeito competente...

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

O ministro sabe o que significa risco zero?

ROBERT HALLER

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

Escuridão

Precisamos avisar ao ministro Edison Lobão que o que aconteceu em São Paulo e outras regiões do País foram rolezinhos, ora num bairro, ora noutro. Assim disfarçam um apagão geral!

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Chove chuva

A Bovespa cai, a balança do comércio exterior cai, o crescimento da indústria cai, o PIB cai, a economia brasileira cai. Só não cai chuva! É hora de apelar aos deuses das nuvens e dos trovões e convocar uma dança da chuva antes que seja tarde.

J. S. DECOL

decoljs@globo.com

São Paulo

Crepúsculo de uma era

Eu era menino na década de 1970 quando assisti ao então presidente Ernesto Geisel responder a um jornalista que lhe indagava sobre a crise: "Crise? Que crise? Não há crise!". Alguma coisa agora me remete a isso quando ouço a presidente Dilma dizer que não tem inflação, não vai haver apagão e todos os outros "nãos" desmentidos em seguida pelos fatos. É o crepúsculo agonizante de uma era de poder. Aliás, graças a Deus!

JOÃO PACHECO AMARAL FILHO

imobiliaria.projeto@hotmail.com

Jaú

PETISMO

Saldo do dia

Ontem, Henrique Pizzolato preso, João Paulo Cunha preso, médica cubana abandonando o Mais Médicos por ter sido enganada. Vai bem o Brasil do PT.

CARLITO SAMPAIO GÓES

carlitosg@estadao.com.br

São Paulo

Ladeira abaixo sem freio

É, o funil vai apertando para o lado do PT. Prisão de João Paulo, médica cubana abrindo o jogo e pedindo asilo e, para finalizar o dia de glória, a prisão de Pizzolato. Vindo ele para o Brasil, seria mais perigoso para o PT do que ficando por lá. Se bem que ele pode abrir o bico tanto aqui como lá. Aqui ele teria o benefício da delação premiada, o que não ocorreria na Itália, pois seus advogados vão alegar que o crime dele lá foi somente ser apanhado com documentação falsa. De um jeito ou de outro, o PT desce a ladeira sem freio.

LUIZ H. FREIRE CESAR PESTANA

luizhenriquefcpestana@gmail.com

São Paulo

Mais um peixe na rede

Com a detenção do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, agora só falta chegar ao chefe da quadrilha do maior esquema de corrupção da História desta República.

HUMBERTO BOH

hubose@gmail.com

São Paulo

Troca de criminosos

Que tal trocarmos o operador do mensalão Henrique Pizzolato pelo terrorista assassino italiano Cesare Battisti?

MOYSES CHEID JUNIOR

jr.cheid@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

APAGÃO - CRIME E CASTIGO

No dia seguinte ao ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ter afirmado que não existe nenhuma possibilidade de haver risco de desabastecimento de energia durante a Copa do Mundo, eis que partes das Regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste sofreram um novo apagão. Fala sério, é ou não castigo pelo crime da incompetência, hein?

Aparecida Dileide Gaziolla

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

E AGORA?

Ministro Lobão, vai ter apagão na Copa?!

J. S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

CONFIRMAÇÃO

Operador do Sistema Nacional (NOS) confirma apagão em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná na terça-feira. Na época de FHC, era apagão, agora o que é? Incompetentes... E o pior é que não me esqueci da lojinha de R$ 1,99 falida lá no Rio Grande do Sul. Agora vão falir o Brasil (vide Petrobrás).

José Roberto Palma

palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

NÃO ENXERGAM

"Estamos com mais de 40% nos principais reservatórios. Não enxergamos risco de desabastecimento de energia. Risco zero" (ministro Edison Lobão, em entrevista no dia 3/2). Como ele falou em "não enxergamos", há mais pessoas nessa declaração. Todas cegas. Precisam ir urgentemente ao oculista.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A COMPETÊNCIA DO MINISTRO

Do jeito que a coisa vai, Dilma ainda fará usinas eólicas movidas a sopro de Lobão...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

BRASIL DESPREPARADO

Apagões extensos causados por curtos-circuitos, baixos níveis de reservatórios de água ameaçando racionamento, tumulto e vandalismo em estações de metrô, trânsito caótico. Será que vai ter Copa mesmo? E, se tiver, como será?

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

APAGANDO

Em 2011 a presidente Dilma discursou e foi aplaudida entusiasticamente pela claque petista: "O Brasil nunca, jamais, terá apagões". De apagões em apagões, mentiras em mentiras, o PT apaga a boa-fé dos brasileiros trabalhadores.

Wilson Lino

wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

*

O APAGÃO DE DILMA

O apagão elétrico tem solução, porém o apagão de esperança, o apagão de ideias, o apagão da economia e outros apagões, principalmente o ético e o moral, esses são insolúveis. A coisa está muito ruim. Na terça-feira tivemos uma demonstração de a que veio o PT, querendo dar cotoveladas no ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). E a diretoria do partido nem se manifestou, então há conivência nesse ato espúrio. Então, como ficamos? Aguardando o fim.

Ivan Bertazzo

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

ENFRENTAMENTO E BLECAUTE

Menos de 24 horas após o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmar que não ocorreria de modo nenhum qualquer apagão no País, tivemos uma réplica às suas assertivas. Outrossim, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP), já preso na Papuda, envia carta ao Supremo Tribunal Federal (STF), demonstrando atitude de verdadeiro enfrentamento, sob a alegação de inocência. Alega, então, que não renunciará a seu mandato e enfrentará, também, eventual cassação. Problemas para a energia elétrica do País, problema para o STF e problema para a Câmara dos Deputados. Como bons resultados, teremos que os apagões não mais devem acontecer. O STF precisa dar a resposta devida, sob pena de cair no descrédito, e a Câmara dos Deputados, se não cassar o deputado, iniciará, talvez, a maior crise institucional no País, com verdadeiro apagão legal e constitucional.

José C. de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

INSENSATEZ E PETULÂNCIA

As declarações do deputado federal João Paulo Cunha, de que não irá renunciar ao mandato, apesar de já ser hóspede do governo na Prisão da Papuda, envergonha a todos nós, brasileiros, e ridiculariza de vez a imagem da Câmara dos Deputados. A notícia de que antes de se entregar ele divulgou uma carta atacando o Supremo Tribunal Federal é uma insensatez e uma petulância inadmissível para quem foi condenado pela mais alta Cote de Justiça do Brasil. Na citada carta, ele descreve o seu julgamento como um "show midiático", diz que pedirá revisão e que levará o tema a organismos internacionais, o que eu acho ser um suprassumo do absurdo. O agora condenado, com o processo transitado em julgado, exceto a acusação ainda a ser julgada, que poderá transformar o seu regime prisional para fechado, ainda se dá ao desplante de afrontar os juízes do STF. A Corte Suprema do País, composta de magistrados indicados pelos presidentes, do seu partido, realizou um julgamento justo, dando aos réus ampla defesa, e não pode ser atacada por quem já foi condenado. Nem pelo que os causídicos chamam de "jus sperdinandi". Outro grande absurdo do prisioneiro é que não renunciará ao mandato de deputado, como já o fizeram seus companheiros de prisão e da Câmara. Pretende, pelo visto, engrossar a psicodélica bancada de presos, fazendo companhia a Natan Donadon, que foi poupado da perda de mandato pelos seus pares, no episódio mais sórdido do Congresso brasileiro. Enquanto isso, o extraordinário vice-presidente da Câmara dos Deputados tenta desfazer a imagem ridícula em que foi flagrado, nas mensagens em seu celular (em que diz ter tido vontade de "dar uma cotovelada" no ministro Joaquim Barbosa). Agora, ele procura se esquivar da má impressão que causou na população e tenta desfigurar o flagrante com palavras nada convincentes. Mas o que vem ocorrendo agora apenas reflete a atuação deste Congresso bisonho, que teremos de engolir só até dezembro ainda, pelo menos é o que eu espero.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

UM SOCO NA CARA

"Gesto de André Vargas foi tudo o que sua inteligência permitiu para agredir o ministro Joaquim Barbosa." Frase lapidar do desembargador Aloísio de Toledo César ("Um soco na cara de cada um de nós", "Estadão", 5/2, A2). E o editorial "Além dos limites" (5/2, A3) complementa o artigo, traçando o perfil desses indivíduos quando diz: "E certamente a desrespeitosa atitude de André Vargas (...) não foi um bom exemplo, exceto para os correligionários habituados a se comportarem como torcedores de futebol organizados em gangues". Pelo menos nós, os verdadeiros brasileiros instruídos e civilizados, não nos sentimos representados por esses indivíduos, que, ao não respeitar os seus semelhantes, os valores de nossa cultura e as instituições nacionais, convulsionam um país sempre tido como fidalgo e pacífico.

Antonio C. Gomes da Silva

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

*

O PUNHO DO DEPUTADO

O clássico "último gesto de um afogado" é o punho levantado, tal como o do deputado André Vargas, simbolicamente pedindo que o ministro Joaquim Barbosa o resgate do mar de lama que o envolve.

Alberto Balaguer

albertobalaguer@gmail.com

São Jose dos Campos

*

O PT SEM LIMITES

É de estarrecer a passividade da oposição diante dos desmandos do PT. Não consigo enxergar, nem mesmo com ajuda de um telescópio, qualquer manifestação contundente de entidades e instituições políticas contra as atitudes do governo do PT, que, diga-se, faz o que bem entende no poder. Dinheiro público brasileiro (BNDES) e muitas outras cortesias despejados a rodo para sustentar as ditaduras cubana e africanas, além da roubalheira do mensalão e de outros desvios de dinheiro público na administração dos petistas. Tripudiam sobre as instituições e multiplicam suas ofensas contra elas e seus representantes todos os dias, como o mais recente episódio, o gesto de André Vargas (PT-PR), vice-presidente da Câmara dos Deputados, cerrando os punhos em solidariedade aos condenados do mensalão, uma descarada provocação diante de Joaquim Barbosa, presidente do STF, mais alto representante do Poder Judiciário. Defensor da corrupção, o PT sempre foi e sempre será uma ameaça à democracia, porque é de sua natureza ideológica usar de todos os meios, mesmo que sujos, sabotando os pilares da República fundada no Estado Democrático de Direito, para atingir suas metas políticas e conquistar o poder a todo custo e nele se perpetuar. Melhor faria o deputado André Vargas, com o punho cerrado, criando um bloco carnavalesco com o título "Unidos da Roubalheira", em homenagem aos seus pares. E Joaquim Barbosa pode ficar tranquilo com a sua consciência, porque a grande maioria dos brasileiros está ao seu lado.

Gilberto Motta da Silva

gmottas@yahoo.com.br

Curitiba

*

SEM NOÇÃO

Como é possível termos uma figura como o tal André Vargas na vice-presidência da Câmara, por onde já passaram grandes nomes de nossa política? Pela fisionomia do cidadão, deu para notar que se trata de um desequilibrado e que não tem a mínima noção do que venha a ser democracia.

Ary Braga Pacheco Filho

ary.pacheco.filho@gmail.com

Brasília

*

QUEBRA DE DECORO

O gesto do deputado Andre Vargas, pelo seu contexto e devido à liturgia que acompanha a sua função pública, configura, sim, a quebra do decoro parlamentar.

Jose Joaquim Rosa

jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

*

NO LUGAR ERRADO

Parece-me que o PT nada mais faz do que afrontar o povo brasileiro. Seja pela soberba da "presidenta", pela incompetência do seu ministério e, agora, com a atitude ridícula do vice-presidente da Câmara, André Vargas. Valentia mesmo, sr. Vargas, é para ser demonstrada nos ringues. Se V.Sa. é mesmo valente, é para lá que deve se dirigir e demonstrá-lo, é lá que o sr. terá a oportunidade de dar suas "cotoveladas". Terá coragem de fazê-lo? Ou sua atitude é apenas um blefe? Um vice-presidente da Câmara não deveria estar fazendo coisas mais importantes para o País? Para justificar o seu salário, que, não se esqueça, somos nós que pagamos.

Sergio Bertolini

sergiobertolini@ig.com.br

São Bernardo do Campo

*

NÃO ME REPRESENTA

Vergonhosa e covarde a atitude do deputado André Vargas, que nos enoja e nos envergonha, como paranaenses. O deputado não me representa, está despreparado para o cargo para o qual foi eleito. Vergonha! Ganhou 15 segundos de fama, apenas. E parabéns ao ministro Joaquim Barbosa, que mandou mais um papudo (João Paulo Cunha), para a Papuda.

Jose Pedro Naisser

jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS

Se alguém fizesse uma saudação nazista (de braço estendido) na mesa diretora da Câmara dos Deputados, haveria uma representação na Corregedoria e o deputado poderia perder o mandato na Comissão de Ética e, depois, no plenário. Se alguém faz uma saudação comunista (de punho fechado), é uma manifestação de apoio aos "presos políticos" de cunho ideológico e, portanto, não houve quebra do decoro parlamentar por parte do deputado.

Luiz Roberto Da Costa Jr.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

SAUDAÇÃO

Faltou ao gesto do deputado Vargas a mão espalmada para baixo e o grito "heil".

Cesar Araujo

cesar0304araujo@gmail.com

São Paulo

*

ATÉ ONDE VAI A PREPOTÊNCIA?

Até onde vai o desrespeito dos mensaleiros condenados à prisão ao ministro Joaquim Barbosa? Na verdade, nove são os ministros do STF que sofrem ataques dos petistas, pois dois deles, como se sabe, votam com o PT e contra a justiça. Os indivíduos condenados ainda aguardam o julgamento dos embargos infringentes e, caso seja mantida a condenação, João Paulo, Delúbio e Dirceu perderão direito ao regime semiaberto, o que não é pouca coisa. Nos próximos dias vamos ver João Paulo Cunha pedir para trabalhar, pois puxar uma cadeia não é fácil para ninguém, imagine para quem se acha acima do bem e do mal. E o Congresso Nacional que se prepare para cassar esse deputado, pois a sociedade não suporta tantos desmandos de boca calada. Quem deveria ficar calado são esses párias que são sustentados pela sociedade.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A PRISÃO DE HENRIQUE PIZZOLATO

Confirmada a prisão do mensaleiro Henrique Pizzolato, chego à conclusão de que a Copa do Mundo já começou e o placar está Itália 1 x 0 Brasil dos petistas. E também pergunto: vai ter vaquinha?

José Roberto Palma

palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

ACABOU A ‘DOLCE VITA’

Apesar da argumentação apresentada por caríssimos advogados em sua defesa, Henrique Pizzolato foi condenado pelos diversos crimes que cometeu durante a vigência do esquema do mensalão, em que era um dos elementos-chave do golpe. Mesmo assim, da mesma forma que outros mensaleiros, diz que é inocente e que fugiu para a Itália em busca de um julgamento justo, como se não tivesse sido justo o julgamento no STF. Como ele cometeu o crime de falsidade ideológica na Itália, entrando naquele país com um passaporte adulterado, fazendo-se passar por um irmão já falecido, é provável que ele seja condenado por lá, antes de uma possível extradição para o Brasil. Dos males o menor, pois pelo menos esse novo crime de Pizzolato vai nos dar certeza de que, de alguma forma, ele vai começar a pagar pelo grande mal que fez ao nosso país. Sua "dolce vita" acabou.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

VAI SOBRAR PARA BATTISTI

Xi, Pizzolato preso na Itália! Vai sobrar para o Battisti!

Luiz Henrique Penchiari

luiz_penchiari@hotmail.com

Vinhedo

*

TROCA JUSTA

O noticiário de ontem diz que Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão, foi preso na Itália. Que tal propor deportarmos Henrique em troca de Cesare Battisti? Troca justa e ficamos no zero a zero. O.k.?

Paulo Corrêa Leite

paulocleite@bol.com.br

São Bernardo do Campo

*

PIZZOLATO E BATTISTI

O.k., vamos fazer a seguinte proposta: os brasileiros colocam o assassino italiano no avião da TAM de volta para o Itália. No mesmo instante, os italianos colocam num avião da Alitalia o bandido que roubou o Brasil. Em determinado ponto do Oceano Atlântico, onde os aviões se cruzarem, jogam-se os dois para fora das aeronaves. Quem pegar pegou.

José Carlos Alves

jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

TODOS NA CADEIA

Com a decretação da prisão do mensaleiro João Paulo Cunha, a equipe da quadrilha do PT agora está completa ocupando espaço nos presídios deste País. Aliás, diferentemente de José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, João Paulo Cunha parecia até estar muito ansioso para ser preso, porque vinha criticando o ministro Joaquim Barbosa pela demora da decisão. Talvez essa ansiedade se dê pela sua vocação de amealhar dinheiro público sem fazer esforço, como o que surrupiou do erário no caso do mensalão, mesmo porque o seu partido, o PT, para apoiar seus queridos corruptos, criou de forma bem original, mas excrescente, uma vaquinha para arrecadar verbas diretamente na conta dos condenados, com o objetivo de quitar as multas judiciais, e ainda quem sabe sobrar algum para seus bolsos. Em boa hora, no entanto, o ministro do STF Gilmar Mendes publicamente levanta dúvidas sobre a origem desse dinheiro, e pede que o Ministério Público (MP) investigue a ilicitude ou não dos canais das tais vaquinhas. Em todo o caso, João Paulo Cunha agora terá bastante tempo para contar suas lorotas cívicas dentro da cadeia, com o punho erguido ou não.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.coam

São Carlos

*

EU ACREDITO EM PAPAI NOEL

Desde cedo fui educado para ser um garoto crédulo. Aprendi que fui trazido, assim como minhas irmãs, pela cegonha e durante muitos anos deixei minhas meias à espera dos presentes do Papai Noel. Na Páscoa, mantendo uma tradição alemã, procurava os ovos coloridos (infelizmente não tínhamos dinheiro para o de chocolate) trazidos pelo coelhinho. Daí a acreditar em assombração, curupira, mula sem cabeça, bruxa, diabo e anjo da guarda foi uma passagem tranquila. O último foi o Saci, já universitário e em Botucatu, a terra dos sacis. Adulto, cheguei a acreditar em utopias. Uma delas, e a que mais me envolveu, foi a possibilidade de associar-me a outros brasileiros e juntos construir uma nação. Alguns eram ex-combatentes, como eu na ditadura. Outros, ex-operários, agora sindicalistas, que ousaram fundar um partido, o dos trabalhadores. Quando coisas ruins começaram a acontecer como dossiês forjados, enriquecimentos inexplicáveis de filhos de dirigentes e surgiu o escândalo do mensalão, continuei acreditando que isso era coisa de aloprados e que o "cara", que agora chamo de Barba, não sabia. Quando vi, eu, que na época organizei uma campanha para ajudar Erundina a pagar sua dívida judicial, insignificante perto das atuais, a facilidade com que transbordavam e brotavam doações nas contas dos mensaleiros, passei a acreditar em milagre. Finalmente, hoje meu castelo desmoronou. O culpado? Gilmar Mendes, que sutilmente me trouxe de volta ao mundo real e apontou-me o caminho da maturidade. Não era milagre nem bondade, menos ainda solidariedade. O que ele acredita, e agora eu também, é que foi mais uma aprontada do PT, que agora também aprendeu a fazer lavagem de dinheiro. Aliás, como nunca antes neste país...

Milton Flavio, presidente do PSDB paulistano

miltonflaviol@gmail.com

São Paulo

*

SEGUE A PIADA

O PT continua a subestimar a inteligência dos não eleitores deste partido. Tá na cara que as doações para Delúbio & Cia. vêm do mensalão (talvez menos de 1% do que foi surrupiado dos cofres públicos ) e devem ter feito um acordo na base do 2 por 1, ou 3 por 1, ou, melhor, 10 por 1, isto é, você deposita 1 e o PT dá 2, 3 ou 10 por depósito comprovado. A piada de Delúbio continua.

Carlos Roberto Gomes Fernandes

crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

CRIME

Inacreditável! "Delúbio recebe R$ 600 mil em doação em um só dia" ("Estadão", 31/1, A7). Se não bastasse esse absurdo, esse deboche, o total de doações chegou a R$ 1,013 milhão em oito dias. Como, segundo o coordenador jurídico do PT, todos os doadores estão identificados, não seria o caso de listarmos os nomes de todos os comparsas, a fim de que o povo brasileiro saiba quem financia o crime organizado? Parece que finalmente conseguiram: legalizaram o crime! E ainda dizem que o crime não compensa...

Mario Miguel

mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

*

CHOVEU DINHEIRO?

Quem em sã consciência acredita que o mensaleiro Delúbio Soares tenha conseguido arrecadar em tão pouco tempo a fabulosa soma de mais de R$ 1 milhão a título de doações para saldar sua multa no STF? Querem enganar a quem? Uma coisa é certa: o dinheiro apareceu, quanto a isso não há nenhuma sombra de dúvida.

Eleonora Samara

eleonorsamara@bol.com.br

São Paulo

*

SERÁ PIOR?

Causa perplexidade e indignação saber que as doações feitas ao ex-tesoureiro do PT, o criminoso e corrupto Delúbio Soares, tenham ultrapassado a cifra de R$ 1 milhão, mais do que o dobro do que o necessário para pagar a multa imposta pelo STF por sua condenação no escândalo do mensalão. Fosse um cidadão de bem, honesto e trabalhador, certamente não teria arrecadado mais do que alguns trocados de amigos e familiares. Estarrecidos, vemos o tamanho da corrupção e da bandalheira dominantes no Brasil de hoje. Pelo visto, a coisa é muito mais feia, grave e séria do que imaginávamos.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

A VEZ DE DIRCEU

Com o volume de dinheiro que será doado a José Dirceu, não vale alegar, como os "anões do orçamento", que ganhou na loteria.

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

ROMEU TUMA JUNIOR

O sr. Romeu Tuma Junior esteve no programa "Roda Viva", da TV Cultura, na segunda-feira. O programa foi curto para a quantidade de denúncias apresentadas contra o governo Lula pelo seu ex-secretário de Justiça e que constam do livro "Assassinatos de reputações", grande "best-seller" nas livrarias do País desde o ano passado. Até quando o Ministério Público vai continuar se omitindo e cooperando com a blindagem ao ex-presidente Lula? Até depois das eleições?

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

UM ESCÂNDALO

Como se não bastassem as acusações feitas pelo ex-secretário Nacional da Justiça Romeu Tuma Junior no livro "Assassinato de Reputações, um crime de estado", ele as reafirmou no programa "Roda Viva", da TV Cultura. Pela ordem de autoridades, inicia com o ex-presidente Lula, que fora informante do DOPS; depois segue com o ex-ministro da Justiça Tarso Genro, interessado em apurar só o que convinha da criação de dossiês a prejudicar adversários como o ex-governador de Goiás Marconi Perillo; chega ao então chefe de Gabinete da Presidência Gilberto Carvalho, entregador para o Zé Dirceu de dinheiro arrecadado na corrupção em Santo André e que levou ao assassinato do prefeito Celso Daniel; continua com as doações do Banco Opportunity ao PT em datas coincidentes com interesses atendidos; além de mencionar o tráfico de influência por meio da ex-secretária da Presidência em São Paulo Rosemary (Rose) Noronha e suas relações com o poder, entre outras gravíssimas acusações. Em suma, um escândalo, uma vergonha para a Pátria. Se alguma dignidade e respeito à democracia ainda existirem, que os indicados desmintam e provem, ou providências devem ser tomadas do uso do Estado pelo governo do PT em benefício dos seus.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

ADORMECIDOS

A entrevista do sr. Romeu Tuma Junior no programa "Roda Viva" foi de deixar qualquer um preocupado. Tantos podres foram apontados, com os devidos "nomes e endereços", com tantos detalhes em amarração lógica e clara que, em qualquer país sério, dariam causa para cortar muitas cabeças. Aqui, passa tudo batido! Será que estamos tão adormecidos assim? Só dá para chegar às seguintes conclusões: realmente, não somos um país sério e parece que gostamos de viver no mundo do faz de conta. Quando será que vamos despertar desse pesadelo?

Silvano Corrêa

scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

LULA E OS MILITARES

É de estranhar o silêncio do ex-presidente Lula em face das pesadas acusações contra ele feitas por Romeu Tuma Jr. em seu livro "Assassinato de Reputações", em que ele afirma que Lula era alcaguete no regime militar, ou seja, era ele que entregava os "cumpanheiros". O mínimo que a sociedade espera dele é que venha a público para dar explicações sobre essas graves acusações. Afinal, como diz o ditado, quem cala consente.

Paulo de Tarso Abrão

ptabrao@uol.com.br

São Paulo

*

MAIS MÉDICOS EM CRISE

A cubana Ramona Matos Rodriguez, participante do programa Mais Médicos, abandonou o projeto após descobrir que o salário pago aos profissionais de outras nacionalidades era de R$ 10 mil e pretende pedir asilo ao governo brasileiro. Sugiro à sra. Ramona que, se realmente quiser asilo, dirija-se o mais rápido possível para alguma embaixada, pois, caso contrário, será "devolvida" para Cuba, como aconteceu com os pugilistas cubanos Guillermo Rigoundeaux e Erislandy Lara, que desertaram durante os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. Com certeza, ela desconhece que o Brasil, sob o governo do PT, tem um forte compromisso com o país cubano e seus ditadores e despreza totalmente a democracia. Atualmente, a única diferença entre Brasil e Cuba é que nós, brasileiros, ainda temos um pequeno espaço na mídia para nos manifestarmos. Até quando, não sabemos.

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

A HORA DA VERDADE

A médica cubana Ramona Matos Rodrigues é uma mulher de muita coragem. Não aceitou ser ludibriada pelos governantes cubanos nem pelos brasileiros. Descobriu que é uma escrava da ditadura tanto adorada pelos petistas e adulada por Dilma e Lula. O que acontecerá com ela agora é um grande problema para os que dirigem o Brasil e que se dizem democratas e justos. Quando Tarso Genro era ministro da Justiça, ele e Lula devolveram à ilha-presídio (com a ajuda de Hugo Chávez) os dois atletas que abandonaram seus times aqui. O ministro atual já ameaça retirar dela o visto de permanência e já se sabe estar ela sendo procurada pela Polícia Federal. Seu contrato de trabalho é com uma associação cubana com um nome extenso (Sociedade Mercantil Cubana Comercializadora de Serviços Cubanos), e não com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), entidade ligada à Organização Mundial de Saúde (da ONU), conforme o governo brasileiro nos fez crer. Então nós, os que pagamos essa conta, queremos saber por que a informação que recebemos não é a verdadeira e quais os termos destes contratos do programa Mais Médicos. Como muitos de nós suspeitávamos, a médica percebeu que está sendo explorada pelos contratantes (nós) e pelo seu país. O que recebe aqui é uma parte ínfima do que recebem os médicos de outros países do mesmo programa. Ao contrário do que discursou a sra. Dilma em Cuba, essa vinda dos médicos não é um ato de benevolência dos ditadores cubanos. Precisamos saber exatamente o que é. Queremos ter bem esclarecidos os termos destes contratos e quem recebe este dinheiro todo (não é pouca coisa). O governo brasileiro precisa nos explicar logo toda essa história, porque está muito confusa. Não vivemos numa ditadura e o governo tem a obrigação de esclarecer isso. Segundo nossas leis, explorar trabalho escravo no Brasil é crime.

Maria Tereza Murray

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

A GESTÃO DE PADILHA

Em sua despedida do Ministério da Saúde, Alexandre Padilha quis ressuscitar o discurso da "herança maldita" e criticou o PSDB. Que moral ele tem para isso? Segundo a presidente, sobre a gestão Padilha, "o grande destaque mesmo é o Mais Médicos". Ela deveria dizer Mais Médicos Cubanos, pois 77,5% dos médicos (?) do "programa" são cubanos, que vieram para receber cerca de R$ 2 mil, isso contando entre o menos de R$ 1 mil para si próprios e o restante, pouco mais de R$ 1 mil, vai para sua família, que ficou retida em Cuba. O "programa" deveria pagar cerca de R$ 10 mil para cada médico, mas, pasmem, cerca de R$ 8 mil vão para ajudar a manter a ditadura comunista de Cuba, ou seja, nós, brasileiros, estamos ajudando a manter os irmãos Castros "et caterva" no poder há mais de 50 anos. Com o fim da União Soviética e a falência da Venezuela, a inteligência lulopetista, aí incluído o "grande" Padilha, resolveu ajudar a manter a ditadura comunista de Cuba. Poderia não ser problema, se usassem o próprio dinheiro. Mas não, estão dando cerca de R$ 60 milhões mensais (por enquanto) do dinheiro que deveria ser aplicado na saúde à ilha caribenha, além de outros R$ 2 bilhões para a construção de um porto por lá. O ralo de dinheiro que deveria ser aplicado na saúde dos brasileiros não para por aí. Segundo os jornais da semana passada, o senhor Padilha aumentou em 20% os gastos em propaganda na Saúde. Isso entre 2012 e 2013. Para o biênio 2011/2013, os gastos em propaganda chegam a mais de 42%. E a ONG do seu pai, hein Padilha? Tá sobrando mesmo dinheiro para gastar em propaganda e dar uma ajudazinha a Cuba. Afinal, temos excelentes postos de saúde, ambulatórios, hospitais, saneamento, educação, etc.

Éllis A. Oliveira

elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

ATACAR PARA SE DEFENDER

Alexandre Padilha, durante sua gestão como ministro da Saúde, nada mais fez do que importar médicos cubanos, mal preparados e explorados vergonhosamente e de forma desumana pelo regime totalitário dos irmãos Castro. Além dessa tíbia iniciativa, pouco se sabe sobre o que foi feito de mais benéfico para a saúde da população, durante sua gestão. Quem não tiver um plano de saúde robusto pago a peso de ouro é que pode avaliar com conhecimento de causa em que nível está a saúde pública no Brasil. "Em três anos conseguimos reverter legados malditos dos anos 90" foi uma expressão oportunista, de viés político, com objetivo precípuo de justificar seu questionável desempenho no Ministério da Saúde.

Francisco Zardetto Francisco

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

MELHOR QUE SER SURDO

É melhor ouvir do que ser surdo, diziam nossos avós quando tinham de se deparar com bobagens ditas por outros. Nossos avós não tiveram de enfrentar a maratona de discursos oficiais e não oficiais a qualquer pretexto e a qualquer hora do dia, redigidos ou improvisados, com os quais temos sido bombardeados desde que a "presidenta" Dilma resolveu que sua incompetência deve durar mais quatro anos. Iriam optar pela surdez, certamente. Pois há bobagem maior do que ouvir o destrambelhado Padilha falar em "legados malditos dos anos 90", quando o PT só se sustenta no poder até agora justamente porque a única competência desse partido foi manter a política econômica do Plano Real do governo FHC, aliás, pelo visto por pouco tempo, pois já destruíram a Petrobrás e praticamente todos os setores de infraestrutura brasileiros. Resta apenas uma dúvida: Dilma realmente acredita neste país que ela inventou para efeito de propaganda ou é mesmo muita sacanagem? Para dizer que 2014 será melhor do que 2013, depois de nossa economia estar quase falida pela sua incapacidade de gestão, como também dos assessores que a rodeiam, ou ela ainda não melhorou da indigestão dos comes e bebes de Lisboa, ou ainda não colocou os pés no chão depois que desceu do avião. Quanto à "saúde", faltando médicos, leitos, remédios nos postos de distribuição de todo o País e até atendimento - obrigatório - pelo Samu, permitindo que as pessoas entrem em óbito após muitas horas de espera, o que estão fazendo os milhares de médicos já importados de Cuba? Só repassando o montante de sua escravidão para os déspotas fraternos que a dirigem? Quanto ao setor de logística, um verdadeiro caos que tem atrasado nossas exportações, o que pode fazer Gleisi Hoffmann, já que o capital de investimento para melhorá-lo foi investido no Porto de Mariel pela presidenta? Sugerimos, então, que Padilha e Gleisi se candidatem a algum posto eletivo naquele país, já que nos tornamos filial.

Carmela Tassi Chaves

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

GESTÃO ALCKMIN E AÇÕES POLICIAIS

A delegada Elaine Biasoli, diretora do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), promoveu uma ação desastrosa contra usuários de drogas, em São Paulo, que também atingiu assistentes sociais e agentes de saúde da Prefeitura, que trabalham no programa Braços Abertos. Na ação truculenta da delegada foram utilizadas bombas de efeito moral e balas de borracha, sob a alegação de que o intuito era prender policiais filmados traficando na região. Na verdade, a nítida intenção era desestabilizar o programa Braços Abertos, pois não se tem notícia da prisão de nenhum policial traficante. A cidade está à mercê da bandidagem, que tem a petulância de praticar inúmeros assaltos nas imediações do palácio do governo, chegando ao cúmulo de tentar assaltar ou sequestrar de forma violenta o filho do governador por duas vezes, ou seja, a inanição de Geraldo Alckmin poderá ter consequências trágicas. Fica patente que as extemporâneas demonstrações de força da polícia paulista são dirigidas contra pessoas indefesas, poupando perigosos bandidos que infestam nossa cidade.

Wilson Haddad

wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

*

ESTÁ TUDO SOB CONTROLE?

Segundo noticiário, filho e neta do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ficaram no meio de um tiroteio numa possível tentativa de assalto. Ora, isso é um caso isolado, dirão alguns. O governador tem vindo a público ultimamente para dizer que o crime em São Paulo tem caído sistematicamente. Então tá, e não se fala mais no assunto.

Sara May

sara-may@bol.com.br

São Paulo

*

DITADO POPULAR

Num passado não muito distante, escutava meu pai dizer que, "quando o gato não está em casa, o rato come em cima da mesa". Hoje, como não temos segurança pública, os "ratos" estão comandando a festa. Não há polícia que aguente, afinal eles também estão sendo caçados e mortos. Na maior metrópole do Brasil o filho do governador foi encurralado, não fosse o nosso dinheiro para garantir a ele uma escolta, a esta hora já estaria do outro lado. Dilma só está preocupada com a Copa do Mundo, deveria, sim, preocupar-se com a copa do Palácio do Planalto e botar um general no lugar do José Eduardo Martins Cardozo. Em vez de palavras, neste momento o Brasil precisa é de ação!

Jatiacy Francisco da Silva

jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

*

JOVENS CRIAM GRUPO DE JUSTICEIROS NO RIO

O Estado brasileiro é incapaz de garantir aos cidadãos o direito de andar tranquilo pela rua. Diante dessa situação gravíssima, é natural que apareçam grupos de justiceiros - uma privatização do dever descumprido pelo Estado. Esses grupos cometerão novas violências e injustiças. Gostaria de lembrar ao pessoal dos direitos humanos que a classe média também os tem e que meninos pobres e pretos com uma arma na mão viram feras e cometem atrocidades.

Cloder Rivas Martos

closir@ig.com.br

São Paulo

*

COMO DIMINUIR A CRIMINALIDADE

Os bandidos, que estão armados, sabem que os cidadãos estão desarmados e ficam assaltando, fazendo arrastões, etc. na maior segurança, por isso e pelas leis burras. Como a maioria dos assaltantes é menor e os dirigentes deles são bem maiores, ficam seguros da impunidade. Armemos os cidadãos. Até quando, senhores congressistas, os cidadão não poderão, também, andar armados?

Mário A. Dente

dente28@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.