Fórum dos Leitores

MENSALEIROS

O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2014 | 02h04

Covardia

Meu conceito: o único patrimônio que o ser humano pode chamar de seu é o nome. Pois Henrique Pizzolato teve a ousadia de roubar o nome de seu irmão Celso, morto há 36 anos. Atitude de bandido, mas de bandido covarde. Na tentativa de se safar da prisão pelos crimes cometidos, além de profanar a identidade de um morto, falsificou documentos que mancharam a imagem de várias instituições, principalmente da Polícia Federal (PF). Será que ele pensou que daria certo, como deu com Carlos Henrique Gouveia de Mello?

SÉRGIO BARBOSA

sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

Passaporte fraudado

Se para a obtenção de um novo passaporte brasileiro a PF exige o comparecimento do solicitante para tirar foto, registrar impressões digitais, colher assinatura, bem como a apresentação de documentos originais - passaporte expirado, cédula de identidade, Título de Eleitor... -, alguma autoridade poderia explicar como foi possível a Henrique Pizzolato ludibriar o rígido controle e conseguir tirar um passaporte falsificado em nome do irmão falecido há 36 anos?!

J. S. DECOL

decoljs@globo.com

São Paulo

Prova documental

Até agora não vi na mídia um documento sequer comprovando irrefutavelmente que Henrique Pizzolato (o que está vivo e detido) tenha a proclamada cidadania italiana. Tenho dupla nacionalidade - luso-brasileira - e se tivesse meus documentos extraviados procuraria substituí-los declinando meu próprio nome, jamais o de meu irmão, recentemente falecido, até por respeito à sua memória. Alguém poderia tirar minha dúvida, comprovando que ambos os irmãos Pizzolato (o finado e o muito vivo) têm a alegada cidadania italiana?

EDUARDO MENEZES SERRA NETTO

decimoserranetto@uol.com.br

São Paulo

Cidadania italiana

Perguntar não ofende: o que teria motivado dona Marisa Letícia, então primeira-dama, a solicitar a cidadania italiana para si e seus pimpolhos? Só "garantir um futuro melhor para eles"?

RICARDO HANNA

ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

Ingenuidade

Pura ingenuidade de Lula, Dilma et caterva pensarem que a Itália expatriará o famigerado ex-diretor do Banco do Brasil (BB) Henrique Pizzolato. A exemplo do que Lula fez para manter o homicida Cesare Battisti no Brasil, o troco será na mesma moeda.

CONRADO DE PAULO

conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

De extradições

Tendo negado a extradição requerida pela Itália do criminoso Battisti, condenado naquele país por quatro assassinatos, que moral tem agora o governo brasileiro para pedir a extradição de Pizzolato, condenado no mensalão? A propósito de extradições, temos agora o caso da médica cubana Ramona Rodríguez, desistente do Mais Médicos, que pensou em solicitar asilo ao governo brasileiro. Certamente lembrando-se dos dois atletas cubanos que em passado recente tiveram negado o mesmo pedido, achou mais seguro entrar com pedido de asilo na Embaixada dos EUA em Brasília. Precaução e caldo de galinha...

FAUSTO RODRIGUES CHAVES

faustochaves@uol.com.br

São Paulo

Homem-bomba

Alguém acredita que o PT quer realmente que a Itália extradite o homem-bomba, para abrir o bico no Brasil?

CARLOS NORBERTO VETORAZZI

cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

Arquivo vivo

Será que o PT e o governo da dona Dilma e do seu dono, Lulla, têm mesmo interesse na extradição de Pizzolato, para que cumpra a pena que lhe foi imposta pela Justiça brasileira? Esse questionamento, a meu ver, é pertinente, porque o condenado mensaleiro em questão é um arquivo vivíssimo e altamente explosivo, que poderá estourar a qualquer momento, pois exercia cargo de extrema importância no BB à época dos fatos que redundaram na condenação de diversos envolvidos. Esse elemento deve saber de tudo o que ocorreu e muito mais, principalmente na movimentação financeira feita pelo bando de que fazia parte. Todo cuidado é pouco com sua extradição e o transporte até o Brasil. Deve ser ressaltado que, além dos vários anos de cadeia que terá de cumprir, também deve pagar a multa imposta pelo STF. Bom, com isso ele não se deve preocupar, a cúpula petista providenciará abertura de conta bancária em nome de Pizzolato (só espero que não seja no BB!) e as doações "legalizadas", como foi feito com Genoino, Delúbio, não esquecendo que o próximo da fila é João Paulo, já devidamente recolhido no presídio da Papuda desde a noite de terça-feira.

ANTONIO M. GONZALES SOTELLO

tomsotello@uol.com.br

São José do Rio Preto

Jogada de mestre

Os petistas conseguiram proteger Battisti, assassino covarde que não deu chance de reação à vítima, e ao mesmo tempo despacharam Pizzolato para a Itália, montando esse teatro. Sabem que os italianos não devolverão o criminoso, porém fingem que têm interesse em trazê-lo de volta. Se usassem a inteligência que têm em benefício da população, o Brasil não estaria nesta draga.

CESAR ROMERO GALARDO

crgalardo@terra.com.br

São Paulo

A hora da vendeta

A vingança do governo italiano contra os petistas que defenderam o homicida italiano Cesare Battisti, autor de vários crimes cometidos na Itália e que teve a sua extradição negada pelo governo Lula, será devolver o também petista Henrique Pizzolato para que cumpra a sua pena no Brasil, completando o time de ponta escolhido por Lula para passar férias na Papuda.

PETER CAZALE

pcazale@uol.com.br

São Paulo

Foragidos

O notório deputado André Vargas (PT-PR) afirmou que a "mídia conservadora" não repercutiu devidamente a foto do ministro Joaquim Barbosa (STF) com um foragido brasileiro no exterior. Se fosse Lula, disse o deputado, a repercussão seria muito maior. Será que Lula, Dilma, João Paulo Cunha, Greenhalgh e o notório Vargas não conheciam o foragido da Justiça brasileira Henrique Pizzolato? Será que Pizzolato, acusado de ter 2 milhões na Suíça, foi nomeado diretor do BB pelo Espírito Santo?

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

APAGÃO

Conforme publicado pelo "Estadão" (7/2), a presidente Dilma Rousseff, que já foi ministra de Minas e Energia, afirmou que "o sistema elétrico brasileiro é à prova de raios". O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, concorda com Dilma e descartou, também, a hipótese de que o blecaute tenha sido provocado por falha humana, pelo recorde de consumo ou por pane no sistema elétrico. O executivo afirmou ainda que não há necessidade de racionamento e que "as chuvas virão. Nunca teve um ano em que as chuvas não vieram. Só espero que venham nos lugares adequados para ficarmos mais tranquilos". Por essas e por outras, acho que o apagão não foi causado pelos raios, por falha humana, pelo recorde de consumo, por pane no sistema elétrico nem pela estiagem. Foi por falta de capacidade do atual governo para administrar o sistema de geração e distribuição de energia elétrica no País.

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

 

*

BLECAUTE BRASIL

Dilma disse pela enésima vez que "o sistema elétrico brasileiro é à prova de raios". Os sucessivos apagões dizem pela enésima vez que o País está perigosamente próximo de um curto-circuito geral. Haja para-raios para evitar o blecaute Brasil. Basta de incompetência!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

CULPA DE QUEM?

O governo polemizar achando ter sido um raio ou não o responsável pelo último apagão provocado em 11 Estados. O problema nada tem que ver com uma descarga elétrica, e sim com "o raio que os parta". Chega de mentiras e palhaçadas! Vamos crescer e assumir as responsabilidades.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

NINGUÉM MERECE!

Pouca ou nenhuma luz no fim do túnel. Esse é o panorama que infelizmente vislumbramos para um futuro não muito distante no que se refere ao nosso complexo energético. É melhor nem falar

em raios e trovões!

Luis Fernando Santos luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

 

*

A FUGA DE HENRIQUE PIZZOLATO

O plano de fuga arquitetado por Henrique Pizzolato, assim como os vários documentos falsos apreendidos em seu poder, demonstra que não é de agora que o ex-diretor do Banco do Brasil é afeito a práticas criminosas. As provas irrefutáveis obtidas durante a investigação do mensalão não deixam dúvidas. Diante dessas evidências, como podem ainda as lideranças do PT, seus militantes e simpatizantes continuar a afirmar que o mensalão nunca existiu e nada mais é do que uma conspiração política criada para desestabilizar o governo? Fazem isso conscientemente, o que, neste caso, já ultrapassaram em muito os limites do ridículo, ou é negação esquizofrênica da realidade? Não está na hora de admitir a culpa e pedir desculpas à Nação? Ou farão como os militares, que até hoje negam que houve tortura na época da ditadura?

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

CESTEIRO QUE FAZ UM CESTO

Cesteiro que faz um cesto faz um cento, diz a sabedoria popular. Depois de ter sido pego em crimes de ladrão de galinhas, como falsificar documentos e votar em eleições como sendo um seu irmão, já falecido, o que não deve ter feito Henrique Pizzolato no tempo das vacas gordas, quando era um importante quadro do Partido dos Trabalhadores, mandando e desmandando na Previ, administrando recursos de campanha de Lula na eleição de 2002 e, depois, como diretor de marketing do Banco do Brasil, com rios de dinheiro passando por suas mãos?

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

PASSAPORTE FRAUDADO

O irmão de Henrique Pizzolato morreu em 1978 e o passaporte foi emitido em 2010 (!). Como isso foi possível no Consulado italiano?

 

Cesar Gavillon betigavillon@gmail.com

Canela (RS)

 

*

MARCA REGISTRADA

Alguma surpresa pelo fato de Henrique Pizzolato ter usado os subterfúgios para fugir? O disfarce é a marca registrada dos petistas. Lembram-se de José Dirceu, que fez plástica e até mudou de nome? Lula também tirou a barba, ficou mais feio e resolveu deixá-la. Seja por vaidade ou esperteza, essa gente não perde tempo. Pizzolato falsificou documentos, tirou o cavanhaque e deixou crescer o bigode, usou passaporte falso e emitiu um passaporte italiano em nome do irmão já falecido. Em se tratando do Consulado Italiano, como isso foi possível, uma vez que descendentes de italianos com documentos legais esperam há mais de dez anos na fila para conseguir um passaporte?

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A PIADA DO ANO

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, diz que o governo brasileiro fará o pedido de extradição de Pizzolato, e, se não der certo, a alternativa será a própria Itália julgá-lo. Kkkkkkkkkkkkkkkkk! O riso de desdém é do povo brasileiro.

 

Maria Elisa Amaral marilisa.amaral@bol.com.br

São Paulo

 

*

A COISA ESTÁ PEGANDO

Assistindo ao programa "Roda Viva", na segunda-feira, dia 3/2, foi comentado sobre a morte de Celso Daniel, e com certeza muita gente do poder está envolvida. Depois houve a fuga de Pizzolato com passaporte falso. A extradição não ocorrerá, pois ele foi colocado no Banco do Brasil para desviar recursos para seu partido, e com certeza o fez com anuência de alguém muito poderoso, cujo nome não falarei, mas muitos dos leitores imaginam quem seja. Se ele colocar os pés no Brasil, não terá chances de denunciar o chefe do escândalo, até porque não terá tempo para isso, vai ser executado num "assalto" a mão armada. O que mais me intriga é que o chefe sumiu. Romeu Tuma Jr. falou poucas e boas em seu livro e ninguém comentou; abafaram o Rosegate, e agora o centro será Pizzolato. Esta semana a presidente Dilma estava esbravejando ao telefone (imagem mostrada pela Rede Globo). Será que era por causa do apagão, ou precipitação da polícia em prender o falsário? A cara de Cardozo estava muito estranha, e senti uma certa pirotecnia na Polícia Federal. Sinto que no Planalto a coisa está pegando. O povo está cheio dessa cambada e alguma coisa de grave ainda vai acontecer.

 

José Saez jsaez2007@gmail.com

Curitiba

 

*

MENSALÃO NA ITÁLIA

A fuga de Henrique Pizzolato é a pura certeza de que vivemos numa republiqueta corrupta, que nos últimos 12 anos é comandada por um impostor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula nomeou, entre outros bandidos petistas, Henrique Pizzolato, para uma diretoria do maior banco estatal, o Banco do Brasil, que, aliás, já deveria estar privatizado. Também não devemos nos esquecer do título de eleitor falso. Sem dúvida, Pizzolato internacionalizou e está perpetuando o mensalão no mundo. Certamente os turistas estrangeiros durante a Copa não só ficarão de olho em Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo, mas também na seleção dos mensaleiros, da qual Dirceu é o capitão e Lula, o dono.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

 

*

CONDENAÇÃO MERECIDA

Se restasse alguma dúvida quanto à culpa de Henrique Pizzolato, penso que não mais existe. Basta observar o "modus operandi" do fugitivo, pois desde 2007 vem colecionando documentos falsos que não teriam outra finalidade senão uma eventual fuga do País quando de uma condenação. Ou os documentos falsos teriam outra finalidade?

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

PÁGINAS POLICIAIS

É impressionante a capacidade que o PT tem de frequentar as manchetes policiais dos principais jornais do País nesses últimos 12 anos. Agora com o mensaleiro fujão, Henrique (ou Celso?) Pizzolato, capturado pela polícia italiana.

 

Paulo Ribeiro de Carvalho Jr. paulorcc@uol.com.br

São Paulo

 

*

EXTRADIÇÃO

Os dirigentes italianos devem mostrar aos dirigentes brasileiros o quão superiores são. Extraditem o Pizzolato para o Brasil - bandido deve cumprir a sua pena no seu país de origem. Estamos carentes de dirigentes decentes e interessados no bem-estar do seu povo, sem subterfúgios e mazelas. Fica-se imaginando como "alguém" consegue burlar e desviar valores tão elevados do principal banco estatal, movido por uma camarilha empenhada apenas em ilicitudes em favor próprio e da sua quadrilha. Pizzolato não só deve cumprir a sua pena no Brasil, como devolver aos cofres públicos o montante total dos valores desviados.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

 

*

CIDADÃO ITALIANO

Só para argumentar, o verbo "extraditar" é nada mais, nada menos, do que entregar ao governo estrangeiro um refugiado criminoso que ele reclame. Portanto, uma pessoa da mesma nacionalidade do país pedinte. Estamos diante de um caso "sui generis". Um brasileiro, Henrique Pizzolato, ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, condenado no processo do mensalão (Ação Penal 470) por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculado a 12 anos e 7 meses de prisão, conseguiu, como é público e notório, fugir para a Itália, onde hoje por crime de falsidade ideológica está preso. Acontece que, antes de tudo isso, Pizzolato conseguiu a nacionalidade italiana e, portanto, é um cidadão italiano possuidor de todos os direitos que a lei local dá aos seus concidadãos. Assim, com a cidadania italiana concedida, nesse país peninsular não é considerado estrangeiro. Logo, não pode ser extraditado pela sua nova pátria. Está criado um caso de direito internacional. Quem poderá dar-me a solução jurídica?

 

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

 

*

BATTISTI X PIZZOLATO

O governo italiano tem uma ótima chance de retribuir a "gentileza" do governo brasileiro, quando concedeu impunidade ao criminoso Cesare Battisti. Empate de 1 a1.

 

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

 

*

TROCA

Que tal nos trocarmos Pizzolato por Battisti? Com certeza Lula não vai aprovar.

 

Jose Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

OFERTA

Se o Brasil quer Pizzolato, que ofereça Cesare Battisti em troca.

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

LIÇÃO

Agora que conseguiram prender Henrique Pizzolato, que tal o Brasil fazer um toma lá da cá típico do PT e trocar ele por Cesare Battisti? Como isso vai ser quase impossível de acontecer, servirá para o ministro da Justiça não dar asilo a criminoso procurado em outros países, só assim aprendem.

Orélio Andreazzi orelio@andreazzi.com.br

Suzano

 

*

ANTIPANTEÃO

O PT tem protagonizado tantos episódios grotescos que mereceria um antipanteão, o antipanteão da incompetência e da corrupção! Neste antimonumento estariam inscritos comentários sobre os apagões, sobre a destruição da Petrobrás, sobre o Mais Médicos e os nomes de José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares e o do mais novel canalha, Henrique Pizzolato.

 

Eugênio José Alati alatieugenio@gmail.com

Campinas

*

E SE?

E se Pizzolato resolver falar o que sabe? A família dele está pê da vida pela sujeira que está fazendo. Pode influenciá-lo. Tem gente já deixando a barba crescer para talvez, quem sabe um dia próximo, colocá-la de molho? Nada como um dia após o outro e a verdade demora, mas sempre explode na cara.

 

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

 

*

METRÔ DE SÃO PAULO

Será que o Metrô de São Paulo é o pior do mundo e que as pessoas precisam transgredir normas de segurança e exigir melhoras quebrando tudo? Esta semana o Metrô de Londres está em greve, mas não vemos tumultos nas estações. O Metrô de Tókio é famoso pelos seus funcionários de luvas brancas que, nos horários de pico, empurram as pessoas para dentro dos carros (vejam na internet). Aqui, pessoas reclamam quando um trem para e ouvem no autofalante "estamos aguardando movimentação do trem à frente". O que queriam ouvir? O trem à frente ainda não saiu porque em horário de pico muita gente quer entrar e seguram as portas. Por outro lado, os que ficam parados dentro do trem, junto das portas, não se movimentam para os corredores. O povo normalmente é pacífico, mas entre eles temos os violentos e mal intencionados que incitam à violência por diversas razões, motivados pela ignorância ou militância. O governo federal não investe na educação elementar (resultados demorados), pois prefere investir nos cursos superiores de péssima qualidade que geram profissionais incapazes, mas que votam. A única forma de mudarmos o perfil deste país (dos malandros, corruptos, ladrões e violentos) é pela educação obrigatória e rígida desde a infância. Em tempo, sou usuário do Metrô e observo sempre o comportamento das pessoas e dos funcionários, que, de forma geral, não merecem reprimendas.

 

Alberto B. Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

 

*

CAOS

O metrô paulistano está em operação desde 14 de setembro de 1974, completando exatos 40 anos. Até hoje, seu investimento na área de ampliação andou a passos de tartaruga, o seu traçado em relação a outras metrópoles continua sendo uma piada. Os responsáveis por esse excelente transporte só visaram a lucros e, por conseguinte, houve corrupção, deixando de repassar até para manutenção preventivas. Assim, como pode ser visto, o metrô se tornou um verdadeiro caos, trazendo grande transtorno para a população, e principalmente para seus usuários. Isso é lamentável.

 

Benedito Raimundo Moreira br_moreira@terra.com.br

Guarulhos

 

*

INCOMPETÊNCIA

Trem quebra 300 vezes; povo anda num Metrô com poucos vagões e composições, como os judeus nos trens que iam para os campos de concentração durante a guerra. E aí vem um governador dizer que a pane no Metrô esta semana foi sabotagem?

 

Fernando Castellari castellarinando@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

A HISTÓRIA SE REPETE

Com a aproximação da campanha eleitoral em São Paulo, já eram previstas, como ocorreu em eleições passadas, paralisações de transportes públicos, desta vez os trens e metrôs, para "atingirem" o governo do Estado de São Paulo. A recente paralisação faz parte dessas campanhas feitas por opositores ao governo, outra vez o PT e sindicatos aliados contra o PSDB. São Paulo é o Estado mais importante para os planos de poder do PT, como Lula reconheceu. Ações semelhantes ocorreram também quando disputaram a prefeitura. Na recente paralisação de metrôs, as autoridades constataram a existência de "vândalos" organizados em duas frentes. Nos vagões, dizendo aos passageiros diante da paralisação "vamos para as linhas". Sabiam que a energia das linhas seria cortada, paralisando também outros trens, como de fato aconteceu. A outra frente dos "vândalos" foi na Estação da Sé, estimulando as pessoas a depredarem o local. As autoridades de segurança pública precisam ficar muito atentas, dado que São Paulo é tão importante para o PT que serão capazes de realizar muitas ações como essa ou piores.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

*

CORRUPÇÃO NO ESTADO

Eu não entendo por que o "Estadão" só publica cartas sobre o Pizzolato, quando sabemos que os desvios do PSDB de São Paulo são no mínimo três vezes maiores do que o mensalão dos petistas. Em tempo: não tenho partido e nem sequer voto mais, mas a imparcialidade é a alma do jornalismo.

 

Clovis Deitos Clovis clovis@ardcontabil.com.br

Campinas

 

*

CARTEL DOS TRENS

O cartel do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) convive tranquilamente por 20 anos com governos tucanos. Existem evidências de que até hoje o cartel atua tranquilamente como no caso em que a reforma dos trens da CPTM ficou mais cara do que a compra de trens novos. Peixes graúdos, como lobistas (Aníbal Teixeira e Jorge Fegali Neto), diretores da CPTM (João Roberto Zanibone e Arthur de Araújo) e políticos como José Aníbal, Aloysio Nunes Ferreira, Arnaldo Jardim, Rodrigo Garcia e Andrea Matarazzo, foram indiciados pela Polícia Federal e Supremo Tribunal Federal. Com a clara intenção de jogar uma cortina de fumaça sobre o assunto, a Controladoria-Geral de Administração do Estado, ao invés de se preocupar com os peixes graúdos, inclusive alguns com contas na Suíça, tenta colocar como bode expiatório Osvaldo Spuri, pelo simples fato de atualmente ser secretário do prefeito. Spuri, que trabalhou na CPTM, é acusado pelo sumiço de documentos de licitações e afirma que, na verdade, a área técnica, não subordinada à comissão de licitação, era responsável por esses documentos. Ressalte-se que Spuri era subordinado ao ex-secretário da CPTM, Arthur de Araújo, este, sim, indiciado pela Polícia Federal.

Paulo Sergio Fidelis Gomes psf.gomes@ig.com.br

São Paulo

 

*

SUCESSÃO EM SP

É evidente a preocupação com a sucessão em São Paulo e o "Espaço Aberto" de 6/2 parece ter sido orquestrado. Eugênio Bucci trouxe a crítica à propaganda de Skaf ("PMFiespDB", 6/2, A2), não tanto pelo constrangimento eleitoral, mas, sim, por ser forte candidato a retirar votos de Alckmin, já que ambos atuam no mesmo eleitorado. Por outro lado, os editoriais "Despreparo do Metrô" e "Risco de racionamento de água" mostram que o governo tucano está desgastado, sem criatividade e já abandonando o governo que conduz por duas décadas. Em dois fundamentos da vida urbana, houve uma má gestão inexplicável. A mobilidade urbana, núcleo dos protestos do ano passado, tem sido propagandeada, mas sem investimentos e manutenção. Os problemas de recursos hídricos são mais do que conhecidos, mas a Sabesp não sabe de nada. Que haja, finalmente, uma mudança de governo, pois os paulistas não aguentam mais.

 

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Lorena

 

*

EUGÊNIO BUCCI

Não está muito claro para mim a posição do professor no seu artigo de 6 de fevereiro. O problema de Eugênio Bucci é com Paulo Skaf, pessoal, ou ele é contra um representante dos industriais na política - em qualquer que seja o partido? Se há problema, por que então é normal termos representantes dos sindicatos? E das igrejas? E dos ruralistas? Qual a diferença entre ele - como representante da Fiesp (Sesi, Senai, etc.) - fazendo comerciais de TV e representantes do governo federal ou estadual vendendo suas "grandes conquistas"? Pois só agora o professor percebeu que líderes de associações, em última análise, sempre estão fazendo política? Seja Lindbergh Faria, a partir da UNE, ou Guilherme Afif, com a Acesp e, surpresa, Lula com o Sindicato dos Metalúrgicos... Apenas Paulo Skaf é "persona non grata" na política a ponto de merecer um artigo no "Estadão"?

 

Wellington Sarti Jr. tom.sarti@gmail.com

São Paulo

 

*

‘PMFiespDB’

Sempre foi claro que os sindicatos de trabalhadores eram "instituiçõesinhas" comunistas pelegas dos governos e dos próprios empresários. Agora descobrimos que, no Brasil, até o sindicato de empresário é um mero peleguinho de governos e empresários, como se mostra a tal Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Realmente os comunistas petistas estão inovando nas besteiras, até estão criando "aparelhos" dentro dos próprios empresários. Alguém já viu algum "empresário comunista"? Até mesmo na China? Estamos vendo no Brasil, o máximo.

 

Ariovaldo Batsita arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

O NOVO RG

O governo de São Paulo lançou o novo RG (7/2, A17). Essa cédula de identidade digitalizada continuará discriminando parcela dos cidadãos paulistas com uma imensa tarja vermelha de "maior de 65 anos" sob a foto, contrastando sobre o fundo verde? Fiquei chocada quando um prestador de serviços me apresentou um RG assim gravado e eu espero que os jornalistas e leitores repudiem essa nova manifestação fascista no País. Discriminação é crime inafiançável conforme a Constituição do Brasil. O "servidor" público - idealizador da tarja criminosa para servir às empresas de ônibus cujos motoristas não sabem calcular que quem nasceu até 1948 tem 65 anos ou mais, e, ainda, tem preguiça de olhar a foto de um lado e a data de nascimento do outro - é dono dos direitos dos cidadãos? Há supervisão na administração? A única faixa de idade legalmente discriminada e tutelada é o menor e, felizmente, nem essa faixa é discriminada no RG. Se tal tarja inconstitucional permanecer, o Ministério Público Federal proporá a necessária ação criminal contra o secretário e o governador responsáveis? Os cidadãos já agraciados com o RG inconstitucional poderão substituí-lo livres de ônus para si e para os pagadores de impostos paulistas?

 

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

 

*

BRASIS

24/12/2010: o presidente Lula lança na próxima quinta-feira (30), em Brasília, o modelo da nova carteira de identidade com chip e cartão magnético que será adotado a partir de janeiro de 2011 em todo o Brasil. O RIC (Registro de Identificação Civil) será um cartão que reunirá todas as informações pessoais, como o número do CPF e o título de eleitor, armazenadas em um chip e que irá substituir gradualmente as cédulas de identidade. O objetivo é substituir todas as carteiras de identidade em nove anos. Em 2011, serão 2 milhões de carteiras trocadas; em 2012, 8 milhões, e, a partir de 2013, 20 milhões cada ano. O atual modelo de carteira já tem 27 anos e está obsoleto. 6/2/2014: Foi lançado nesta quinta-feira em São Paulo o novo modelo de cédula de identidade feito a partir da coleta biométrica, o novo documento traz um código que promete dificultar fraudes e auxiliar nas investigações de crimes (Os 230 mil presos do Estado receberão o novo documento...).

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

 

*

APOIO À TORTURA

É assustador o nível de fascismo e preconceito existentes na sociedade brasileira nos dias de hoje. É inacreditável que uma despreparada jornalista do SBT, no ar, ao vivo e em cores, no telejornal da emissora, em horário nobre, tenha elogiado e apoiado abertamente a tortura e crueldade praticada por um grupo de bandidos que espancou e amarrou um rapaz nu numa árvore, no Rio de Janeiro. O mínimo que se espera é que tal jornalista seja sumariamente demitida pelo SBT. Felizmente, o deputado federal Ivan Valente (PSOL) já entrou com uma medida contra a referida apoiadora de tortura, por apologia ao crime. Jornalistas deveriam defender os direitos humanos e o respeito pelas leis e pelos seres humanos, prestando um relevante serviço de utilidade pública. Ao contrário, essa jornalista do SBT defende tortura e covardia contra pessoas indefesas, revelando total despreparo para o exercício da profissão e desrespeito pela cidadania e pelos direitos humanos. E o pior é que muito apoiam esse tipo de barbárie e estupidez. A que ponto chegamos.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

OMISSÃO

Esta questão do adolescente espancado e preso a um poste por uma tranca de bicicleta no Aterro do Flamengo faz-nos parar e pensar. Em que estamos nos transformando? Existem algumas explicações. Não precisa de psicólogo ou analista. São alguns já cansados da omissão da polícia e que partiram para a justiça deles. Isso pode nos levar a uma situação perigosa e de anarquia, mas é fato a omissão das autoridades. As infrações cometidas pelos chamados "di menor" estão aumentando. E por quê? Porque pelo Estatuto da Criança e do Adolescente não se pode fazer nada. O "di menor" é intocável, enquanto o "di maior" está sujeito a todas as penas. Isso está criando uma revolta em alguns e partem para aplicar a sua justiça. Errado na visão da sociedade, mas certo na deles, e o poder público que tem que tomar as rédeas disto e manter sob controle, dá uma de avestruz. Enterra a cabeça no chão, para ignorar o que se passa ao redor. Então estão dando margem a que outros façam à maneira deles.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

RUBENS PAIVA

O depoimento do coronel reformado Raimundo Campos à Comissão Estadual da Verdade revelou, com riqueza de detalhes, a farsa montada por agentes da ditadura militar para esconder a morte do ex-deputado Rubens Paiva. Mas o caso não fica encerrado, impondo-se o julgamento dos responsáveis, pois os crimes de tortura não prescrevem nunca e o Exército de Caxias, a que tive a honra de servir, não pode acobertar torturadores de porão e capitães do mato. Se o Supremo Tribunal Federal (STF) não fizer justiça, os tribunais internacionais a farão.

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

 

*

DESCONHECIDO

Busquei informações com amigos militares e este general que "confessou-se" na Comissão da Verdade é um ilustre desconhecido. Desgraçada e convenientemente, ele frequentava os porões mas não tinha nada que ver com o que ali se passava. Toda vez que o governo se encontra acuado volta-se contra os militares e obtém a atenção da mídia, numa manobra diversionária. Mas a mensagem negativa não cola nos milicos que permanecem com índices de aceitação e admiração mais elevados que o próprio governo. E olha que eles, os militares, não têm Secom nem blogs beneficiados por grana do Executivo. Até 31 de março, usarão essa arma inócua. Depois vem a Copa com apagões gerais, e aí não tem salvação. Ou tem, com a frouxidão demonstrada pelo PSDB, um partido com candidatos chuchu. Alguém acredita no carisma de Aécio?

 

Mário Alves Souza maroca64@bol.com.br

Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.