Fórum dos Leitores

DIPLOMACIA

O Estado de S.Paulo

04 Março 2014 | 02h06

Crise na Venezuela

O chavismo, hoje liderado por Nicolás Maduro, que fecha jornais e TVs oposicionistas, assassina estudantes em plena praça pública, reprime violentamente manifestações pacíficas, desabastece a população de insumos básicos, cala juízes, arma milícias, deturpa a Constituição do país, etc., parece ser insuficiente para quebrar o covarde silêncio de Brasília. Pode até mesmo o prefeito de Caracas, sr. Antonio Ledezma, oposicionista, enviar carta à presidente Dilma Rousseff, como fez, solicitando uma posição brasileira sobre a brutal repressão que assola os venezuelanos, que nada se ouve. E a tal cláusula democrática do Mercosul? Ora, um adorno para pseudodemocratas que a interpretam a seu bel-prazer. Infelizmente, a presidente Dilma, que já foi vítima de uma ditadura militarista, esqueceu-se do ditado que diz que "quem cala consente". Vai ver que é isso mesmo que quer para toda a América Latina o atual partido da presidente...

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS

zambonelias@estadao.com.br

Marília

A respeito da Venezuela o chanceler declarou "que o Brasil não está mudo". Não mesmo? Estaria o quê, então, surdo?

ELIANA FRANÇA LEME

fleme@terra.com.br

São Paulo

Inércia

Muito esclarecedor o artigo Diplomacia inerte, do presidente Fernando Henrique Cardoso (2/3, A2). Todavia como esperar que o PT - um partido nascido na porta de fábrica, integrado por pessoas de sua base que nunca fizeram planejamento, nunca dirigiram, sempre foram dirigidas, nunca direcionaram, sempre foram direcionadas - pudesse enxergar um novo horizonte, quando estará amanhã tentando solucionar os problemas de ontem e hoje continuando a fazer as mesmas coisas? Diria até certo ponto que seria exigir demais das cabeças pensantes do partido. Não se trata de não terem capacidade, trata-se de nunca terem assumido posição nessa linha de trabalho e visão. Estarão sempre se apropriando das oportunidades que aparecem, fazendo do limão uma limonada e servindo-a, "com humildade", à população. Quantos na rua gostam de ser interpelados por catadores, mendigos, pobretões, etc.? E quantos adoram ser saudados por artistas, banqueiros, políticos, pessoas notadamente de destaque e influência? Este é o mundo em que vivemos e o PT, na sua diplomacia equivocada, como bem disse FHC, quer mudar a cabeça das pessoas tentando incutir-lhes uma liderança na qual nem estas acreditam.

MANOEL BRAGA

manoelbraga@mecpar.com

Matão

Corrigir o rumo

FHC acertou no mote: é preciso acertar, quer dizer, corrigir ou mudar o rumo. Mas poderia ter sido mais claro, mais assertivo. Não queremos ir na direção da Venezuela, da Argentina, de Cuba, da Bolívia. Na maioria, nunca quisemos. Mas há os que insistem desde antes de 1964. Queremos ser um país respeitável pelo trabalho e pela confiabilidade. Um país onde a corrupção dos órgãos públicos e dos políticos é punida com severidade e pelo desprezo da opinião pública. Um país ficha-limpa. Um país que oferece trabalho e educação, não aposentadoria precoce - quer dizer, bolsas permanentes. Um país de cidadãos responsáveis que, entre outras coisas, protege a natureza. E onde carnaval e rebolado sejam da curiosidade, não da essência.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

STF

E agora?

Com esse julgamento "político" da Ação Penal 470 pelo Supremo Tribunal Federal (STF), só nos resta agora buscar nas Câmaras de Conciliação, Mediação e Arbitragem a solução legal para os litígios.

LUIZ H. FREIRE CESAR PESTANA

luizhenriquefcpestana@gmail.com

São Paulo

Mudança na Constituição

Após a decisão do STF de inocentar os mensaleiros de formação de quadrilha, torna-se necessário alterar o artigo 2.º da Constituição. Ficou provado que os Poderes da União não são independentes e harmônicos entre si. O Executivo domina o Judiciário e se o mensalão não fosse denunciado o projeto de poder do PT teria sido alcançado.

JOSÉ ALCIDES MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

Lembrando Tiririca

O palhaço Tiririca dizia que pior do que está não vai ficar. Mas, preparem-se, pode ficar pior, sim. Já pensaram quando dentro de alguns meses o ministro Ricardo Lewandowski assumir a presidência do STF?

PAULO CORRÊA LEITE

paulocleite@bol.com.br

São Bernardo do Campo

Oração da despedida

Sugiro que o presidente do STF, Joaquim Barbosa, faça seu último discurso lendo a Oração aos Moços, de Rui Barbosa, tire a toga, jogue-a em cima de sua poltrona e vá desfrutar sua aposentadoria na política, disputando uma eleição, ou no conforto das "consultorias" jurídicas sobre o cipoal de leis tupiniquim, como vários colegas. O juiz tornou-se o "patinho feio" numa família de patos, na qual ele deveria, de fato, ser um cisne. Levante o pescoço e a cabeça, caro ministro, não é o senhor o patinho feio!

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Sintomas de mudanças

O ministro Joaquim Barbosa ganhou amigos e inimigos ao presidir as sessões do STF no julgamento dos mensaleiros. Os que gostaram da atuação do ministro o veem como um homem raro no mundo de hoje. Os que odiaram sua atuação estão preocupados com uma possível candidatura do ministro e por isso mesmo fazem de tudo para manchar sua honra e sua dignidade. Neste país, que perdeu a noção da ética e dos bons costumes, interessa o quanto pior, melhor para eles. Está difícil virar o jogo, porém os países vizinhos estão mostrando que o modelo autoritário populista está esgotado. Basta ver governos como os da Venezuela, da Argentina e de Cuba e aprender a votar.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Futebol

Tão afeito às metáforas futebolísticas, o ex-presidente Lula terá de se conter para comentar o resultado do julgamento dos embargos infringentes dos seus companheiros mensaleiros no Supremo. No futebol só é permitido ao técnico substituir até dois dos 11 jogadores escalados a cada partida.

LÉO COUTINHO

leo.coutinho@uol.com.br

São Paulo  

 

 

 _________________________________  

 

 

 

O CARNAVAL DE GUIDO MANTEGA

Será que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, passa o carnaval revendo suas revisões otimistas para a economia brasileira em 2014? A pergunta é pertinente, uma vez que, segundo notícia, o saldo das contas públicas é o menor em três anos. O superávit primário do setor público foi de apenas R$ 19,921 bilhões em janeiro, muito abaixo dos R$ 30,251 bilhões registrados em janeiro de 2013. O otimismo por vezes exagerado do ministro Mantega não coincide com a realidade da economia brasileira. As previsões para 2014 ainda são uma incógnita.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

DISCURSO

Mantega, sobre o crescimento do PIB brasileiro: um carnaval de asneiras!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

NOITE DE OSCAR

Do filme "Ilha da Fantasia II", dirigido por Dilma Rousseff, no comando das contas públicas brasileiras. "The Oscar goes to": Maquiagem e Efeitos Especiais!.

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

*

CAMISINHA TEM

O governo está distribuindo, durante o carnaval de 2014, 100 milhões de camisinhas. Enquanto isso, numa Unidade Básica de Saúde (UBS): "Enfermeira, o médico receitou sivastatina". "Não tem." "E dipirona?" "Está em falta." "Rinosoro?" "Nem pensar..." "Paracetamol?". A enfermeira, já nervosa: "Tome duas camisinhas e vá atrás do galo da madrugada, só assim o senhor encontra o que fazer, esquece que está doente e para de encher minha paciência".

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

*

SOCIALISMO E ESCASSEZ

"Leite e carne são itens de luxo na Venezuela." A chamada da reportagem especial do "Estado" de domingo (2/3, A9) dirime todas as dúvidas sobre os efeitos do socialismo num dos países com maior potencial econômico do continente, mercê de suas gigantescas jazidas de petróleo. Após mais de uma década de chavismo, o "socialismo do século 21", apoiado integralmente pelo governo brasileiro do PT, levou a Venezuela à bancarrota econômica e ao caos político e social. Nada muito diferente do que aconteceu em outros cantos do mundo, guiados pelos princípios da foice e do martelo. Como diria a saudosa Margaret Thatcher: "O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros".

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

VERGONHA PARA O BRASIL

O Brasil infelizmente trilha caminhos repulsivos em nome de ideologias totalitárias em que o poder absoluto é o único objetivo. Mais uma vez o programa Mais Médicos mostra a fragilidade, a irresponsabilidade e a sua vocação puramente eleitoreira, pouco se importando com a qualidade do serviço oferecido e com as condições de trabalho disponíveis. Desta vez, o governo muda o esquema de pagamento dos médicos cubanos, como se dessa forma passasse a respeitar as leis trabalhistas do País, aviltadas ao extremo. Apesar de triplicar os ganhos desses profissionais submetidos a trabalho semelhante à escravidão, eles ainda continuarão a receber 70% do salário pago aos outros profissionais do projeto. E viva Fidel!

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

QUANTAS ABERRAÇÕES!

Por favor, Brasil, vamos reagir! O governo nos trata como se fôssemos ignorantes, e nós só criticamos e não fazemos nada de concreto. Um exemplo, entre os milhares, foram as palavras do ministro da Saúde anunciando com orgulho que os médicos cubanos agora vão receber mais. Mas o resto do dinheiro vai para o governo de Cuba. E ainda o representante da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), um cubano, dizendo que esse dinheiro é aplicado no sistema de saúde da ilhazinha. Acha que somos idiotas? É imoral que o Brasil compactue com a ditadura. Continuando com a sequência sem fim de atos imorais, o Supremo Tribunal Federal (STF) absolve aqueles marginais mensaleiros da acusação de formação de quadrilha. E nós vamos ficar de braços cruzados? Vamos para as ruas gritar e exigir um pouco de decência! Sem cobrir o rosto, sem violência, mas com muita determinação.

Patrícia Fischer patfischer@terra.com.br

São Paulo

*

AFINIDADES E LIBERDADE

Não vou entrar no mérito de discutir se o que os médicos cubanos recebem é justo ou não, mas, sim, o que o governo cubano recebe e o que essa parceria representa. Os princípios que norteiam nosso país, lastreados na Constituição cidadã de 1988, não admitiriam muitas das peripécias que a ditadura dos Castro comete em Cuba. Apesar de o Brasil ter uma certa fama em relações internacionais desiguais, existe um limite. Como somos parceiros de uma ditadura que vai de encontro aos princípios do nosso governo? Poderíamos simplesmente seguir nossos rumos sendo indiferentes ao que ocorre na ilha, mas não, o governo petista preferiu fazer amizade e, o pior, financiar. Quando vejo o Brasil financiando uma ditadura socialista, penso qual tipo de rumo que pretendem tomar aqui, no Brasil. Acordos diplomáticos e financeiros entre países são regidos por um certo alinhamento do modo de governar também, pois, quando este é muito divergente, o acordo se torna inepto. Um Estado Democrático de Direito financiando um Estado autoritário não faz sentido nenhum. A política externa do Brasil precisa ser revista, pois com esse tipo de parceria não me surpreenderia acordar um dia e descobrir que os jovens de hoje não terão mais liberdade de exercer o ofício que mais lhes apraz, como ocorre em Cuba.

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com

São Paulo

*

O BRASIL AMANHÃ?

A foto, na semana passada, de Lula todo sorridente ao lado de Fidel Castro, em Cuba, me fez imaginar o que Lula teria dito a Fidel: "Meu querido amigo, aguenta firme, que você ainda vai ser meu primeiro ministro".

Idilio Vallini marielconst@globo.com

São Paulo

*

BONS AMIGOS

Lula presenteou Fidel com uma camisa da seleção brasileira. Não fosse a senilidade, Fidel diria: mais uma, pô?!

Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br

São Paulo

*

IDIOTAS SEM REPRESENTATIVIDADE

Socorro! O povo brasileiro só serve para pagar impostos, sem que sua vontade seja respeitada. Exemplos: o povo cubano votou em Dilma? O povo cubano paga impostos no Brasil? Porém Cuba recebeu empréstimos e a construção de um porto, enquanto os nossos portos atrasam o progresso do Brasil. Os brasileiros apoiam as atitudes do Movimento dos Sem-Terra (MST) de vandalismo e invasões da propriedade? Mas essa "entidade" conseguiu empréstimos da Caixa Econômica Federal (CEF), do BNDES e até da falida Petrobrás para seus eventos. O povo queria que os mensaleiros fossem absolvidos do crime de formação de quadrilha? Contudo, os ministros "amigos do governo" lhes perdoaram. Quem paga o salário de todas essas autoridades somos nós, idiotas sem representatividade.

Diva Azevedo Andrade Mazbouh diva.am@uol.com.br

São Paulo

*

PRIORIDADES

Enquanto na crise ucraniana a prioridade é integrar o país com a Comunidade Europeia, aqui, na nossa crise, as prioridades são carnaval, futebol e reeleição. Nessa ordem.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

QUADRILHA INOCENTADA

Parece que agora, diante da absolvição da acusação de formação de quadrilha de José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, o Supremo Tribunal Federal (STF) só vai condenar por formação de quadrilha aquela que estiver legalmente constituída, com registro na Junta Comercial, CNPJ, inscrição no INSS, etc. Que decepção. Eu tinha os membros daquela Corte Suprema no mais alto conceito. Sendo a última instância da Justiça, o baluarte da defesa da legalidade, deveria corresponder às expectativas. Lamentável a reversão da condenação anterior.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CARNAVAL NO STF

Formação de quadrilha é uma boa família, são os bons brasileiros, são vários trabalhadores juntos, é uma sala de aula com bons alunos. E vamos lá, vamos todos pular carnaval, e "pra variar", com uma bela fantasia de palhaço.

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

NEM O SUPREMO ESCAPOU

Minha mais elevada consideração e reconhecimento pela corajosa e inabalável postura dos senhores ministros do STF Joaquim Barbosa, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Luiz Fux e Celso de Mello, diante do julgamento dos quadrilheiros do mensalão. Estes cinco honrados ministro deram exemplos contundentes agindo como homens de verdade, permanecendo o tempo todo de pé e nunca se ajoelharam diante dos poderosos que infestam esta nação. Se um grupo de políticos, figuras de proa do governo, é pego assaltando os cofres público levando R$ 150 milhões para financiar a corrupção e não deve ser condenado como quadrilha pelo STF, algo de muito grave está ocorrendo na mais alta Corte do nosso país. Quanto aos ministros Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Teori Zavascki, Luis Roberto Barroso, Cármen Lúcia e Rosa Weber, que se ajoelharam e disseram com a cabeça abaixada um sonoro "amém" aos desejos dos corruptos, resta-me concordar com o famoso discurso de outro Barbosa, há exatos cem anos: "De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, rir-se da honra e ter vergonha de ser honesto".

Wilson Sanches Gomes sancheswil@hotmail.com

Curitiba

*

FORMAÇÃO DE QUADRILHA?

Realmente, declarar que não houve formação de quadrilha num crime que se desenvolveu por três anos, com um organizando (Dirceu), outro captando (Valério), outro avalizando os títulos frios (Genoino), mais um distribuindo (Delúbio), além de um batalhão recebendo, é "absolutamente correto". Não foi formação de quadrilha mesmo! Seria caso se Pedrinho, junto com Joãozinho e Ferreirinha, tivessem roubado umas bananas da mesma banca. Seria uma "perigosa quadrilha" organizada para assaltar bancas de frutas. Essa interpretação, de que no mensalão não agiu uma quadrilha, só poderia sair da cabeça de um cara que foi nomeado ministro, junto com outros, com específica missão não ética de anular uma condenação mais que justa. Tem opiniões que acham que Joaquim Barbosa não foi muito elegante no final do julgamento. Acredito que ele até que foi muito comedido. Pois, se tivesse sido mais agressivo, apenas interpretaria o estado de espírito mas maioria do povo brasileiro.

João Carlos Macluf jc.macluf@uol.com.br

São Paulo

*

EMBARGOS INFRINGENTES

O leitor sr. Carlos Coelho ("Fórum dos Leitores", 1/3, A2) matou a pau: o decano Celso de Mello foi o principal responsável pelo resultado final dessa pendenga, seu voto ficou no proselitismo, falou e não disse, prejudicou o julgamento e morreu na praia – o maior problema da Justiça, fala muito e não julga, não seca o bagaço. Ou será ingenuidade infinita do nobre decano imaginar que os ministros novatos e aqueles outros dois bastante conhecidos, mais antigos, votariam diferentemente do previsto? Porém exemplos ficaram, principalmente, para os alunos do nobre professor que, no maior cinismo, retrucou a presidência da Corte dizendo ser pena que seu voto tivesse o mesmo peso que o dele. Jamais, professor. Matematicamente, sim, moralmente, não.

Itamar Carlos Trevisani bia.trevisani@terra.com.br

Orlândia

*

CONTRADIÇÃO

Os dirigentes do PT são primazes em emitir opiniões contraditórias. Desde a prisão dos mensaleiros, a tônica vigente é de que o julgamento teria sido político e, portanto, injusto. Agora, que foram absolvidos pelo crime de formação de quadrilha, pelos votos decisivos e flagrantemente políticos dos ministros Teori Zavascki e Luis Roberto Barroso, nomeados pela presidente Dilma, o presidente do PT comemora e diz que a "farsa caiu". Ora, presidente Rui Falcão, essa decisão também não foi injusta, já que foi movida por forças políticas? Afinal, o PT confia ou não no sistema judiciário brasileiro?

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

A MATEMÁTICA DO STF

2 = 6. Como queríamos demonstrar.

Filippo Pardini filippo@pardini.net

São Paulo

*

FARSA NO SUPREMO

Tem razão o presidente do "pt", ao dizer que caiu a farsa. Sim, agora sabemos que temos seis ministros petistas, pois mostraram a cara e a farsa caiu.

Delcio da Silva delcio796@terra.com.br

Taubaté

*

‘É SÓ O INÍCIO’

O mensalão do PT não foi um atentado apenas contra o erário, mas, principalmente, contra a democracia. A composição do STF é só mais uma das consequências malignas da ação criminosa dos mensaleiros do PT sobre nossas instituições via maioria no Congresso Nacional.

Carlos Eduardo Stamato dadostamato@hotmail.com

Bebedouro

*

DECEPÇÃO

A acintosa demonstração de desprezo oferecida por seis ministros do Supremo Tribunal Federal feriu, mortalmente, o último baluarte que apontava para uma redenção do País. Deixou atônitos os brasileiros, excetuando os que, das decisões, se locupletaram. A possibilidade de redenção aponta para um clamor social que comova o ministro Joaquim Barbosa a aceitar sua candidatura à Presidência da República. Valha-nos Deus!

C. R. A. profrolim@globo.com

São Paulo

*

BRASIL, UM PAÍS MARGINAL

Não há muito o que comentar, mas, realmente, José Dirceu e Delúbio Soares tinham razão! Foi um julgamento de interesse político, o do dito mensalão, pelos juízes petistas do STF, e no final o processo virou realmente "piada de salão", mesmo que de mau gosto. Políticos e juízes marginais da sociedade que, além de provocarem vergonha de serem brasileiros às pessoas íntegras – comportamento que a maioria desconhece –, também provocam asco, nojo e repugnância. Portanto, precisa-se, com urgência utópica, de um homem com H maiúsculo, ou uma mulher que dignifique sua condição e não seja melindrosa ou, muito menos, donzela arrependida.

João Roberto Gullino jrobertogullino@gmail.com

Petrópolis (RJ)

*

O BRASIL EVOLUIU?

Eu era feliz, e não sabia. Por meio do Bolsa Família, o PT, Lula e Dilma se apossaram do Executivo; por meio do mensalão, compraram o Legislativo; e, com a nomeação de Barroso, Zavascki, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Dias Toffoli e Lewandowski, formaram uma quadrilha que se apossou do Judiciário. Pobre Brasil, a única esperança é que as Forças Armadas acordem, ou me mudar para o Paraguai.

Aurélio Batista Paiva aureliobpaiva@gmail.com

Brasília

*

VICIADOS EM ROUBAR

Há anos o PDT, partido original da presidente Dilma, dirige o Ministério do Trabalho e rouba dinheiro público de diversas maneiras. Passou pela pasta como ministro o presidente do partido, Carlos Lupi, flagrado roubando, relutou em deixar a pasta, pois ela é uma ótima fornecedora de recursos. Atualmente, o ministro Manoel Dias tem também acusações de roubalheira, pelo que a Polícia Federal pediu autorização para investigá-lo. Existem várias formas como o PDT rouba no ministério, cobra propina para aprovar sindicatos, cobra comissões de interessados em assuntos da pasta, tem funcionários-fantasmas e outras mutretas. O que impressiona é que o partido está há anos no ministério, a presidente Dilma sabe que roubam, mas nada faz, sendo por isso seu governo considerado muito corrupto. Aparentemente, o partido governista (PT) também não se importa.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

TENSÃO NA UCRÂNIA

A imprensa, de um modo geral, e a estéril Assembleia Geral das Organização das Nações Unidas, menina dos olhos do governo brasileiro, não estão dando a devida dimensão ao que está se desenhando com cores fortes e trágicas. A posição da Assembleia Geral é de ações comedidas, pois trata-se de nada mais, nada menos do que a Rússia, a antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), que teve o seu território invadido pelo poderoso exército alemão, rechaçou-o ajudado pelo "general frio" e entrou vitoriosa na capital Berlim. Em seu poema "Os Homens Amam a Guerra", Affonso Romano de Sant’Anna afirma: "Por isso se armam festivos em coro e cores para o dúbio esporte da morte". A Crimeia e a Ucrânia podem protagonizar a Terceira Guerra Mundial, bastando que os Estados Unidos e a União Europeia tomem partido dos ucranianos, que já foram parte da antiga URSS. O bloco comunista, representado por China, Coreia do Norte e outros de menor poder bélico, aliando-se à Rússia estarão alimentando o que seria a Terceira Guerra. "Não sei com que armas os homens lutarão na Terceira Guerra, mas na Quarta, será a pau e pedra" (Einstein). Completa Affonso Romano de Sant’Anna: "Mas não amam só com a coragem do atleta e a empáfia militar, mas com a piedosa voz do sacerdote, que antes do combate serve a hóstia da morte".

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

CRISE UCRANIANA

A URSS despertou de seu longo sono...

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

APOIO À RÚSSIA

Estamos esperando a Rússia invadir a Ucrânia para o nosso governo manifestar seu apoio à escalada soviética. Muita gente vai morrer, mas por uma boa causa o comunismo soviético, que até hoje insiste em sobreviver, sonha em dominar o mundo. Todos os aliados, Coreia do Norte, China e Cuba, e até a Venezuela, estarão aliados para massacrar o povo ucraniano. Arrependidos pela fragmentação e liberdade dos povos que se separaram, a Rússia hoje tenta retomar a Ucrânia. Só falta agora um Gilberto qualquer vir dizer que enviaremos tropas das nossas Forças Armadas para lutar contra a Ucrânia. Será que as pesquisas são enganadoras como eles? Dizer que a Criméia é importante é o mesmo que falar que a Ilha do Governador é ponto-chave para a nossa defesa. Depois do episódio do STF, tudo pode acontecer.

Ney Julião Barroso nejubar@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

SILÊNCIO, PRESIDENTE

Espero que a presidente Dilma se mantenha em silêncio diante das sérias ocorrências na Ucrânia. Sabemos que, entre as razões diante dos fatos, está a de ucranianos aspirarem integrar-se com a União Europeia, para a qual, recentemente, dentro da visão da política externa petista na procura de aproximação, dona Dilma fez dois pronunciamentos estonteantes, verdadeiros monumentos à estupidez.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

O CARNAVAL DE LULA

Constou na coluna "Direto da Fonte" (Sonia Racy, 2/3/2014) que o ex-presidente Lula foi passar o carnaval na fazenda de seu filho em Araçatuba (SP). Até aí, tudo bem, mas até hoje como seu filho obteve o dinheiro para adquirir a fazenda é que é anormal. Será o filho gênio que comprou a fazenda? Neste Brasil de trambique, tudo parece ser normal.

Edivelton Tadeu Mendes etm_mblm@ig.com.br

São Paulo

*

ROSEGATE

Dona Rosemary Nóvoa de Noronha e mais 17 pessoas alvos da Operação Porto Seguro serão investigados pela Justiça Federal. Cumpre observar que os crimes desse grupelho são formação de quadrilha, tráfico de influência e corrupção passiva. O Brasil assistiu ao julgamento dos embargos infringentes dos mensaleiros e descobriu-se que "meter a mão no dinheiro público" não é crime algum, apenas um grupo com "boas intenções" se juntou para se dar bem. Portanto, formação de quadrilha não passou de mero engano. Dona Rose e seus comparsas podem dormir tranquilos, outra pizza está a caminho. Nada ficará provado e todos serão absolvidos. É por aí que caminha a Justiça brasileira, dando regalias aos que podem pagar bons advogados e deixando na chuva aqueles que não tiveram a mesma sorte. Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

ROSEMARY DE CABEÇA FRIA

Até que enfim a Justiça abre ação criminal contra Rosemary Noronha e outros 17 investigados da Operação Porto Seguro. Rose, como é chamada, era chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo e é acusada de "formação de quadrilha", tráfico de influência e corrupção passiva. A investigação recai sobre suposto esquema de venda de pareceres técnicos de órgãos públicos federais. Essa senhora tinha ampla liberdade de ação desde o governo Lula, como nos mostraram provas de gravações de seus conchavos com os companheiros e ex-marido, mas não terá direito de ser julgada pelo STF, pois não é política.Talvez, se condenada, não precise se preocupar, pois não terá pena estipulada por formação de quadrilha e, por ter as costas quentes, talvez saia com uma simples multa por suas estripulias. No Brasil de hoje, tudo o que é impensável pode acontecer. Em todos os setores.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

DE FRACASSO EM FRACASSO

O título acima não se refere a um trecho da bela canção de Antonio Maria "Ninguém me Ama". Mas ouso utilizar uma frase dessa linda composição musical porque cabe muito bem ao sentimento da sociedade brasileira com relação a este governo petista: "E hoje descrente de tudo me resta o cansaço"! E o editorial do "Estadão" de 2/3/2014, com o título "O fracasso da Petrobrás", pelos seus ricos detalhes, comprova o grau deste sentimento. A estatal, ao divulgar a sua lucratividade em 2013, no valor de R$ 23,5 bilhões, só conseguiu apresentar esse resultado não porque melhorou a sua eficiência, mas porque vendeu ativos que resultaram numa arrecadação extra de R$ 8,5 bilhões, ou 36% de todo o lucro apresentado. O mercado, precavido, recusou aceitar esse anúncio como positivo. E não é por outra razão que as ações da empresa continuam despencando, para má sorte dos seus mais de 500 mil investidores. Mas esse processo de decadência da Petrobrás teve total ajuda das mãos sujas de petróleo de Lula, que, abusando da sua demagogia, mentiu a todos os 200 milhões de brasileiros dizendo que a estatal já era autossuficiente na extração de petróleo. A verdade é completamente outra. Hoje, a Petrobrás produz apenas 1,9 milhão de barris/dia, e o nosso consumo gás/petróleo é de 2,9 milhões de barris/dia. Ou seja, o nosso déficit nessa área é de 35%. Aliás, o PT é o governo dos déficits: o fiscal, o da balança comercial, o da infraestrutura e o do preço real dos combustíveis, porque prefere não reajustar adequadamente o produto e, sem piedade, afunda a capacidade de investimento da Petrobrás e, por consequência, a sobrevivência das usinas que produzem o etanol. E, de fracasso em fracasso, o preço de mercado da estatal desvalorizou mais de 50%. As ações da companhia, que nos tempos gloriosos chegaram a valer R$ 50,00, hoje estão abaixo de R$ 14,00. Tudo por obra de um governo relapso como este petista, que há quase 12 anos suga com os seus amigos e camaradas a outrora rica Petrobrás. E de que adianta então este governo bradar a todos os cantos que acumulou reservas cambiais de US$ 375 bilhões, se na outra ponta, por puro amadorismo ou maldade administrativa, jogou pelo ralo da incompetência mais de US$ 100 bilhões do valor de mercado da Petrobrás? E, já que estamos em pleno carnaval, os dedicados funcionários da estatal, lamentando esse absurdo desrespeito ao patrimônio público, deveriam dar um abraço na Petrobrás cantando Antonio Maria: "Ninguém me ama, ninguém me quer / ninguém me chama de meu amor / A vida passa, e eu sem ninguém / E quem me abraça (o PT) não me quer bem".

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

EDUCAÇÃO OU PETROBRÁS

A frase "se a Petrobras é eficiente, ela não precisa ser estatal. Se não é eficiente, ela não merece ser estatal" foi feita originalmente pelo maior brasileiro que aqui apareceu em todos os tempos (embaixador Roberto Campos). Seria bom que Antonio Cabrera ("A educação ou a Petrobrás", 3/3, A2) avançasse mais e explicasse algumas razões pelas quais nenhum partido abraça essa causa. Seriam os brasileiros adeptos de mais Estado?

Luiz Gornstein gornstein@uol.com.br

São Paulo

*

ARTIGO DE 3 DE MARÇO

Ouça o conselho de Demóstenes: não faça o que estais fazendo atualmente, vote no Antônio Cabrera para presidente.

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

O BRASILEIRO QUER MUDANÇA

Conforme demonstrou o "Estadão", é patente a queda de prestígio da presidenta Dilma. Afinal de contas, 4 pontos a menos na aprovação do governo atual, como afirma o Ibope, é uma queda que, com certeza, irá aumentar daqui em diante, em decorrência do mau desempenho da economia e do aumento do desemprego. As pesquisas particulares e empíricas, no entanto, demonstram maior queda e demonstram, ainda, que o povo deseja mudança total no quadro político atualmente existente. Que a oposição saiba aproveitar o momento, apresentando um programa de governo à altura dos desejos dos eleitores deste país, o que não se viu até o momento, porque todos os candidatos repisam chavões e não demonstram o que farão para sanar carências na saúde, na educação, na segurança pública e na previdência social, contentando-se com apreciações genéricas, que se tornam inconvincentes.

José C. de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

Rio Claro

*

ELEIÇÃO 2014

A única chance de evitar o "óbvio lulante" que será a reeleição da presidente Dilma (ou melhor, do Lula), a oposição perdeu quando não se uniu numa chapa encabeçada por Marina Silva, Aécio Neves como vice, juntos com José Serra e Eduardo Campos para senadores. Desunida, a oposição será presa fácil para Lula, talvez sem precisar de segundo turno. Dará até lambujem.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

LAÇOS DE FAMÍLIA

Esta eleição presidencial de 2014, com dois netos e uma filha na disputa, vai ficar marcada como a eleição "Laços de Família". É o neto de Tancredo Neves e o neto de Miguel Arraes contra uma filha, que todos nós sabemos filha de quem ela é.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

SINAIS FORTES

Escola de samba entra na avenida e o tema é a Copa do Mundo no Brasil de 2014. Daí desaba uma chuva pesada de granizo. O que significa isso? Nada? Ou tudo? Vem para a rua, vem! Não vai ter Copa, não!

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@Hotmail.com

São Paulo

*

PAUSA PARA A FOLIA

Não vi nenhum movimento dos mascarados violentos neste carnaval. Interessante, cadê os seus financiadores?

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.