Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

09 Março 2014 | 02h05

Números assustadores

A balança comercial fechou com um déficit recorde de US$ 6,2 bilhões nos dois primeiros meses de 2014. As exportações de carros caíram mais de 30% no bimestre. A produção da Petrobrás também vem sofrendo quedas preocupantes. Gostaríamos de saber o que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e sua equipe têm a nos dizer sobre esses números. Alardearam tanto o pré-sal e, no entanto, a produção da Petrobrás continua a sofrer quedas contínuas. Na verdade, a má gestão e a incompetência, já claramente demonstradas no governo Dilma Rousseff, estão levando o País para rumos opostos ao que prescrevem os ditames de uma boa administração. Estamos pagando um preço elevado pelo aparelhamento do Estado, pela manipulação de dados contábeis nas contas do governo, além de muita demagogia de palanque. As consequências futuras poderão ser extremamente danosas para a Nação.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Déficit recorde

Em fevereiro o déficit da balança comercial foi de US$ 2 bilhões e no primeiro bimestre passou de US$ 6 bilhões. Exportamos US$ 16 bilhões e importamos US$ 18 bilhões - principalmente petróleo. Se os governantes vivem apregoando que somos autossuficientes em petróleo, como se explica essa situação? Coitado do povo brasileiro.

TANAY JIM BACELLAR

tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul

PetroX

A seguir o ritmo de desvalorização das ações da Petrobrás, em breve seu nome deveria mudar para PetroX. As promessas da empresa para 2020 já me parecem um pouco mais otimistas do que foram as de Eike Batista.

ANTONIO CLAUDIO LELLIS VIEIRA

lellisvieira@gmail.com

São Paulo

Desmandos

Fechamos o bimestre com déficit de US$ 6,2 bilhões na balança comercial, tivemos a maior saída de dólares em 12 anos e, para encerrar, o BNDES faz um reforço de caixa ao Tesouro Nacional no importe de R$ 2 bilhões. Bom, quanto aos números, o PT está batendo todos os recordes de extravasos do erário. Até agora o povo brasileiro pensava em carnaval e, mais à frente, temos Páscoa, Copa do Mundo, etc. Enquanto isso, o PT e seus anexos, praticam desmandos à vontade.

LUIZ FELIPE DIAS FARAH

felipefarah@gmail.com

São Paulo

'Los hermanos'

No primeiro bimestre foi de 16% a queda nas exportações para a Argentina, conforme divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento. As de automóveis caíram 24%. No total, o Brasil exportou 36% menos carros, uma das razões para o déficit recorde de US$ 6,2 bilhões na balança comercial do nosso país. A isso se adicione o pedido das autoridades argentinas para que seus importadores - que encontram dificuldades na obtenção de divisas no país - atrasem os pagamentos. Tudo fruto de demagogia e má aplicação do dinheiro público, incluídos subsídios para sustentar um socialismo burro, tal qual o da Venezuela. E enquanto los hermanos continuam a nos prejudicar, usando e abusando do Mercosul, o nosso governo, como se nada estivesse acontecendo, manda o cubanófilo Marco Aurélio Garcia, representante dos Castros no Brasil, como emissário de Lula e Dilma com carta a Nicolás Maduro de "pesar de um ano" pela morte do ora mumificado Hugo Chávez.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

PMDB X PT

Politicagem

Apesar das desavenças e desinteligências que vêm ocorrendo há algum tempo entre o PMDB e o PT - os dois maiores partidos da base de sustentação do governo Dilma -, em que ambos se vêm acusando mutuamente de falta de apoio, e considerando que um não sobrevive sem o outro, não tenham dúvidas de que, por interesses em se manter no pudê, o PT abrirá as suas portas de benevolência, benefícios e vantagens, oferecendo-os ao PMDB em troca de continuar a receber seu apoio e seus favores. Só politicagem, né?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Cortar o mal pela raiz

Se as mazelas político-administrativas, como a criação de vários ministérios e cargos - que estimulam e despertam a corrupção -, começam pelas coligações partidárias, por que se continua a permiti-las na Lei Eleitoral? Se temos de cortar o mal pela raiz, eis uma oportunidade para corrigir tamanha ignomínia.

JOSÉ EDUARDO VICTOR

je.victor@estadao.com.br

Jaú

Opções

De duas, uma: ou o PMDB deixa a base aliada e se une aos partidos de oposição para fazer do Brasil um país melhor, onde todos ganham, ou continuará a receber migalhas, vendo só um partido ganhar.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

Oposição fraca

Cá entre nós, essa nossa oposição é bem fraquinha, não? Ficar atrás de picuinhas, como essa de multar a presidente Dilma por se reunir com Lula no horário de trabalho dela, é coisa pequena. De fato, do tamanho da nossa oposição. Faço parte da oposição, mas assim não chegaremos a lugar algum. É tudo o que a situação quer, fracos e pequenos como essa dita oposição. Um discurso de renovação e ideias novas, que é bom, nada.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

E aliada

Quando é que o eleitorado brasileiro vai compreender que os grandes aliados dos governos do PT não foram PMDB, PSB, PCdoB, PR, PDT, PP e tantos outros, e sim os maiorais do PSDB, que deixou de ter uma atitude enérgica, contundente, patriótica, propositiva desde os primeiros escândalos morais e financeiros a partir de 2002? Essa é "oposição" amiga, omissa, carinhosa, passiva, solidária, cúmplice, incoerente e covarde. Acreditar que Aécio Neves, José Serra, Eduardo Campos, Marina Silva sejam adversários políticos e ideológicos do atual governo é acreditar em cegonha, Papai Noel, coelhinho da Páscoa ou mesmo trocar mandioca por aipim ou macaxeira. Uma candidatura de verdadeira oposição é o que bastaria para levar a eleição ao segundo turno e até ganhar. Vide o que as pesquisas apontam de votos nulos e em branco. Precisamos ficar atentos à legislação eleitoral.

JOÃO ALFREDO CASTELO BRANCO

contracorr@gmail.com

São Paulo

 ______________________________________  

COMEÇA 2014!

Passado o carnaval, é tempo de começar o ano. Os ministros petistas do Supremo Tribunal Federal (STF) se anteciparam e lançaram uma ducha fria em toda a sociedade às vésperas do carnaval. A data foi escolhida a dedo para que pegasse a sociedade no torpor da maior festa popular do mundo. Devemos agora torcer, rezar e pedir a orixás e babalaôs que não permitam que a desfaçatez de meia dúzia se transforme na desgraça de todos. As reivindicações das manifestações do ano passado foram desprezadas pelo governo Dilma, mas valeram para conscientizar a sociedade brasileira da força que tem. Se essa força não puder ser demonstrada em manifestações pacíficas, que se mostre nas urnas, em outubro. Qualquer manifestação com depredação poderá ser o estopim que os bolivarianos instalados em Brasília estão esperando para virar de vez a mesa da democracia.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O INÍCIO DE UM ANO DIFERENTE

Diz-se que o ano começa quando termina o carnaval. Nesse raciocínio, 2014 está começando agora. Mas temos de lembrar que este é um ano atípico. Em junho teremos a Copa do Mundo e, em outubro, as eleições. Com esses megaeventos, pode ser que o ano não comece já. Teremos um misto de futebol e política. Em junho, quando se realizarão os jogos da Copa, haverá também as convenções partidárias, de onde sairão os candidatos que, a partir de julho, poderão fazer comícios e campanha. Muitas candidaturas sairão entre os gols da seleção brasileira. Não podemos nos esquecer de que, apesar de carnaval, Copa do Mundo e eleições, temos os grandes desafios a administrar e vencer. A economia dá sinais de crise, a segurança pública é caótica e os serviços públicos (educação e saúde, principalmente) não atendem às necessidades da população. O povo, insatisfeito, manifesta-se como pode e, por vezes, até como não poderia. 2014 é, de fato, um ano diferente. Oxalá a seleção – ao contrário de 1950, quando também sediamos a Copa – ganhe o caneco, e o povo, pelo menos, tenha discernimento para votar naqueles que melhor possam conduzir o País e resolver seus problemas.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

2014 DE SOBRESSALTOS

Passado o chamado trido momesco, temos de enfrentar o duro cotidiano de nossa realidade. Dos embates da campanha política das próximas eleições, entremeados pela proximidade da Copa do Mundo e suas obras em frenéticas conclusões, tudo nos leva a ter sobressaltos diários sobre tais acontecimentos. Queiram os deuses que tenhamos um ano em que superemos todas as dificuldades que estão à nossa frente. Oremos.

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

OS REIS DO RISO

A alegria da foto estampada na primeira página do "Estadão" de quinta-feira (6/3), em que aparecem sorridentes o criador de postes, Lula, uma de suas invenções, a presidente Dilma Rousseff, e a claque paga para aplaudir e gargalhar em teatros, só pode ter sido provocada por uma boa piada. Para a atual situação do Brasil, em vez da claque, carpideiras seriam as mais indicadas. Fechamos o ano de 2013 com uma economia decepcionante que afugentou investidores em razão de sua instabilidade e de constantes ameaças de rebaixamento da nota Brasil pelas agências de risco, só não sacramentada por causa de manobras contábeis em metas não atingidas. O ano nem começou e as notícias não são auspiciosas. Balança comercial tem déficit recorde (US$ 6,2 bilhões), fevereiro marca a maior saída de dólares em 12 anos, produção de petróleo recua 2,4%, a inflação continua resistente, o dólar nas alturas e Bolsa na maior vazante da História. Então, o que é que tem provocado frouxos de risos nos "artistas" do poder? "O riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano" (Victor Hugo). Tudo que ver...

Sérgio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

O RETRATO DA ILEGALIDADE

Dona Dilma reuniu-se com Lula e cacifes do PT, além do seu marqueteiro, em pleno Palácio da Alvorada, com direito a fotos sorridentes e pose para a mídia inteira, como se isso não constituísse, em absoluto, uma ilegalidade. Ou não é? Então vejamos: pelo artigo 73 da Lei Eleitoral, é proibido aos agentes públicos "ceder ou usar, em benefício de candidato, partido político ou coligação, bens móveis ou imóveis pertencentes à administração direta ou indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios". Mas, quando se trata do PT, uma ilegalidade a mais outra a menos não importa, pois é evidente que, com relação a eles, a Justiça, além de cega, se faz de surda e muda. Já para os comuns dos mortais ela tem grande acuidade visual e é célere como um felino em perseguição a sua presa. Que país é este em que primeiros mandatários ali presentes não têm a menor noção da liturgia do cargo e da importância que representam como exemplo a ser seguido?

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

SEM VERGONHA

Na foto, como de costume em reuniões lulopetistas do tipo, o que mais se nota é a total falta de vergonha.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PEQUENO ENGANO

Na foto publicada no "Estadão" da reunião dos responsáveis pela campanha eleitoral de Dilma, todos estranharam a ausência das roupas vermelhas. Quem a estava usando deve ter sido "o diabo", invocado pela candidata Dilma. Segundo a lenda, vampiros e demônios não saem na foto, mas que estava lá, estava! Será que a bancada evangélica e a CNBB apoiam a candidata que vai fazer "o diabo" para se reeleger? Espero uma resposta.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

EM CAMPANHA

Na foto para eleições, as cores são verdes e amarelas e o regime é democrático, depois de enganar o povo e fazer demagogia, na execução as fotos são vermelhas e o regime é totalitário comunista, para levar o povo a uma escravidão total. Palácio não é lugar de reunião partidária e em horário de trabalho. A lei só vale para alguns?

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@Hotmail.com

São Paulo

*

INVASORES

A única diferença entre Vladimir Putin e Lula é o idioma que falam. Politicamente, são iguais, como soberbos, populistas, demagogos, detestam a imprensa, sonham em se perpetuar no poder, adoram arranjos com governos totalitários, etc. E nestes últimos dias, para sacramentar as incríveis semelhanças, o governo Putin invadiu a Crimeia, na Ucrânia, e Lula, na maior cara de pau, como se fosse a casa da mãe Joana, invadiu o Palácio da Alvorada! Assunto? Nada ligado às prioridades deste país, mesmo porque para o PT essas questões são de segunda classe na agenda do partido. Mas, no Alvorada, indevidamente utilizado como comitê eleitoral particular do PT, o ex-presidente, distante como sempre das ações republicanas, foi tratar da estratégia da possível reeleição de Dilma neste ano. Como se a alta da inflação, déficit público, balança comercial negativa, dos juros mais altos do mundo, etc. não tivessem nada que ver com este governo petista de Dilma, que literalmente também abre o Palácio da Alvorada para esta esbórnia e dá uma banana a seus eleitores, mandando às favas a ética neste país varonil. Uma verdadeira esculhambação!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

REUNIÃO PARA SALVAR A UNIÃO PT-PMDB

A guerra entre PT e PMDB não é política, é desentendimento na partilha dos roubos públicos. São bandidos que não se entendem.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CONTRA OU A FAVOR

O cérebro dos petistas tem apenas dois neurônios: um a favor do PT e outro, contra, o do PSDB. E acabou o cérebro dos petistas.

Eugênio José Alati alatieugenio@gmail.com

Campinas

*

INSTITUTO LULA

O desembargador Borelli Thomaz, da 13.ª Câmara de Direito do Tribunal de Justiça (TJ), manteve a proibição imposta à Prefeitura de São Paulo de ceder imóvel que vale R$ 20 milhões para que seja construído o Instituto Lula na cidade, numa evidente forma de mostrar que o poder do governo, nesse momento de revés para o Brasil, está acima do bem e do mal. O desembargador, em seu despacho, deixa claro que o ato se reveste de total inconstitucionalidade e que a Prefeitura cedeu o imóvel sem licitação e pelo prazo de 99 anos, para instalar o "Memorial da Democracia", projeto do Instituto Lula. Esse golpe na Constituição teve gestão e parto no governo de Gilberto Kassab, em 2011. É de pasmar o fato de que este "Memorial da Democracia" é um projeto de um partido político que está levando o Brasil à bancarrota e tem na sua política exterior visíveis sintomas de um socialismo bolivariano que está pustulando latino-americanos de todos os quadrantes. Lapidar o despacho dos promotores quando acentuaram que a cessão do terreno caracteriza "proteção unipessoal, desatenção e omissão da memória de outros presidentes da República, em ferimento à igualdade e à democracia. Na mosca.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

DESINTERE$$ADAMENTE

O "presente" de Kassab a Lula da Silva fez água, entrou areia. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) manteve a proibição à Prefeitura de São Paulo, com veto a cessão do imóvel (terreno) ao Instituto Lula, avaliado em R$ 20 milhões. Seria um presentão, o que caracterizaria uma "proteção unilateral". Inclusive a grande maioria dos paulistanos não estava e não está de acordo com essa cessão. Mas, se o atual prefeito, Fernando Haddad (PT), for rápido em recorrer ao STF ("Sistema Temporário de Favores"), pode se valer da promoção de vantagens para petistas. E daí aquela "meia dúzia" já conhecida pode reverter a decisão, aprovando o "presente" oferecido desintere$$adamente pelo ex-prefeito, com aprovação dos vereadores, que até podem receber mais alguns favores, i$$o, i$$o, é o que se deduz. Brincando, somos compelidos a escrever "verdades absurdas" e lamentar os fatos ocorridos, que na realidade não passam de safadezas e sem-vergonhices de boa parte das nossas "autoridades".

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

NADA DE COMEMORAR AINDA

De acordo com matéria assinada pelo jornalista Fausto Macedo, no "Estadão" de 7/3, o Tribunal de Justiça manteve a proibição imposta à PMSP de ceder imóvel avaliado em R$ 20 milhões ao denominado Instituto Lula. Eis um tribunal em que os juízes praticam a Justiça como deve ser exercida. Um dos maiores escândalos do governo Kassab, de triste memória, cedendo uma área pública em pleno centro de São Paulo, no bairro da Luz, para um empreendimento particular, sem nenhum interesse para a população. A iniciativa só serviu aos interesses do prefeito, dos maus vereadores que aprovaram a sua iniciativa e, principalmente, ao interessado, o ex-presidente Lula, que recebe agora a justa penalidade da Justiça. Como bem explicitou o desembargador Borelli Thomaz, a inconstitucionalidade na cessão do terreno, em atentado a violação aos princípios da moralidade, legalidade e impessoalidade (art. 37 da Constituição e ofensa aos artigos 17 e 24 da Lei das Licitações, Lei 8.666/93. Ressalte-se a frase dos promotores públicos que propuseram a ação civil, de que "falta interesse público na divulgação de acervo de apenas um (Lula)". E também a do juiz Adriano Marco Laroca, que concedeu a liminar contra a Prefeitura de São Paulo na primeira decisão da Justiça, de que a iniciativa "viola a moralidade pública". Entretanto, a multa imposta ao município, de R$ 500 mil, em minha opinião deveria ser recolhida pelo ex-prefeito, os vereadores e o ex-presidente Lula, responsáveis pelo atentado ao patrimônio público. E acredito também que o ex-prefeito deveria ser processado criminalmente por sua iniciativa e o ex-presidente, por ser copartícipe do ilícito. Só falta o atual prefeito e o denominado instituto desrespeitarem a decisão judicial e nós, população, pagarmos o pato. Contudo, não podemos nem comemorar, já que o processo, por envolver desobediência à Constituição, eventualmente será encaminhado ao STF, e aí já se tem uma ideia do que poderá acontecer.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2014

Nos próximos meses os brasileiros vão assistir ao vivo e em cores ao remake das eleições de 1994 e 1998. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) vão digladiar nas ruas e protagonizarão novamente a disputa pelo comando do País nos próximos quatro anos. Porém, não mais como os mocinhos da história, mas como padrinhos de Dilma Rousseff e do senador tucano Aécio Neves. Nesse meio há também um intruso repentino, antes aliado do PT, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que promete desequilibrar a disputa ao Palácio do Planalto. FHC, que há anos tem se dedicado a palestras, voltou nos últimos meses ao embate com Lula, que, diferentemente do que havia dito quando deixou Brasília, nunca deixou o palanque nem desencarnou, como prometera, a figura de presidente. A volta triunfante do "pai do real", e o Plano Real completou 20 anos, é totalmente providencial, já que a economia brasileira passa por momento delicado, com os juros nas alturas e crescimento pífio. Ninguém tem dúvida de que Lula usará todo seu carisma e popularidade para reverter a situação desfavorável que se instala ao redor da presidente por causa do baixo crescimento do PIB, 2,3%, que pode se tornar um dos principais percalços da campanha petista à reeleição de Dilma, e sacará da manga números favoráveis manipulados das administrações petistas, como já vem fazendo – sem deixar de lado, é lógico, o combate à pobreza com bolsa isso e bolsa aquilo, carro-chefe do PT nos últimos 11 anos. A contribuição de FHC para o desenvolvimento do País, que tinha sido esquecida nas últimas campanhas, reconhecida pela própria Dilma, agora com Aécio, será usada a favor do senador mineiro, que já enumerou meses atrás os 13 fracassos do governo do PT. Por enquanto, nada de novo aparece no horizonte das eleições de 2014, nem mesmo a possibilidade de um ministro Joaquim Barbosa mudar de ideia e se colocar como candidato a presidente. Há no momento apenas a já conhecida polarização entre PT e PSDB, e a velha ladainha de sempre do não menos famoso toma lá, da cá.

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

OS MÉRITOS DE LULA

Tenho 72 anos, nunca votei em Lula ou Dilma, sou leitor assíduo da grande imprensa e, em especial, do "Estadão", e manifesto minha estranheza ao constatar que, apesar de Lula ter saído com 80% de aprovação após oito anos de governo, não encontre entre os leitores do "Estado" alguém que lhe veja méritos. Será que o jornal quer vicejar somente no ambiente "aeroporto", em vez do "rodoviária", essa massa de 40 milhões que ainda não assinam o periódico? Desde a Regência aí incluída, não houve melhores governos que os três últimos considerados de centro-esquerda, FHC, Lula e Dilma, mas o "Estadão" só reconhece parte. Será que o jornal ainda acha que a questão social é caso de polícia, segundo Washington Luís? Apreciaria uma resposta ou a publicação desta na seção competente.

José Guilherme Pereira de Almeida jolherme@uol.com.br

São Paulo

*

A OPOSIÇÃO DE EDUARDO CAMPOS

Afirma o deputado Beto Albuquerque, líder do PSB na Câmara dos Deputados, que a campanha da chapa Campos-Marina não tocará no assunto mensalão, mas será focada em apresentar os problemas do Brasil e as soluções. Como se as tivessem... Piada de salão e manobra para defender indiretamente o dilmo-lulopetismo. Ética, como diz o deputado, realmente é obrigação. Deveria dizer isso ao nosso Ali Babá de barbas e a seus seguidores. E também a seu candidato e à sua vice, o primeiro por defender abertamente os companheiros do PT no caso do mensalão quando ministro (razão pela qual considerava dever se melhor aquinhoado na eterna briga pela sucessão do "capo"), e a segunda por vergonhosamente se omitir, preferindo submergir no discurso fácil de defesa da Amazônia, dos passarinhos e das libélulas. Ah, não se esquecendo do totalmente ético toma lá, dá cá promovido pelo agora governador renovador dos costumes da política nacional, no episódio degradante de acertos e conchavos para elevar sua progenitora, Ana Arraes, à sinecura vitalícia de membro do Tribunal de Contas da União.

Jorge Luiz Babadópulos jorgeluiz@babadopulos.com.br

São Paulo

*

LIVROS

Terminei de ler o livro de Marco Antonio Villa "Década Perdida" e só vi ali verdades fartamente documentadas. O professor reescreve a historia atual deste complicado país com a precisão de um relógio Rolex. Está na relação dos mais vendidos. Outro livro que aparece na relação feita pela pesquisa do jornal "O Globo" é o livro de Romeu Tuma Jr. Depois de percorrer dezenas de livrarias, não encontrei o "best seller". A segunda edição não sai. Está parecendo com um antigo livro, "Os sete sábios do Sião", que era editado e, no outro dia, sumia das livrarias; e outros mais, por ações judiciais, como a biografia de Roberto Carlos, em que afirma ser vegetariano há mais de 20 anos e, agora, come carne de boi. Do Garrincha foi para a Justiça? Logo agora que o nosso Supremo Tribunal Federal (STF) foi aconselhado a votar a favor dos réus que já haviam sido julgados, demonstrando a força da mão do Estado na vida nacional, a curiosidade aumenta. O STF manda no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e possivelmente teremos de votar nessas urnas obsoletas, para não dizer velhas, e por isso nada confiáveis. Voltando ao livro. Romeu Tuma Jr. conta coisas do arco da velha sobre os anos em que chefiava uma repartição pública nomeado por Lula. A curiosidade é grande. Envolve lances cinematográficos! É sempre bom ficar sabendo de coisas boas e más das pessoas do governo, principalmente quando você paga religiosamente o seu Imposto de Renda. Onde será que enfiaram o livro do Tuma?

Ney Julião Barroso nejubar@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

POLÍTICA

"As mais perigosas formas de vida são aquelas que só sobrevivem através de emboscadas." Percebam, essa é a essência do lulopetismo, emboscadas na política, na economia, na Justiça, na segurança, na saúde, na educação, onde as ações visam única e exclusivamente a seus interesses de perenidade no poder.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

LUTANDO PELO PODER

Ciente e consciente de suas limitações, Lula colocou gente de maior gabarito como seus ministros. Teve, inclusive, coragem de chamar gente de outros partidos, pois os ligados ao PT são sabidamente menos competentes. O momento mundial e seus comandados conseguiram progressos. Ao contrário, a presidente Dilma não considerou esse aprendizado e, achando-se muito gerentona e sabida, não deu os ministérios a gente capaz. Deu no que está dando. Problemas e mais problemas pipocam todos os dias. O que nos entristece e irrita é que a brasilidade da presidente é pequena e, em vez de sair de cena, insiste em ficar no poder por mais um mandato, o que certamente levará o País a um imenso caos. Torçamos para que o povo se informe e entenda o que está se passando.

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Teresópolis (RJ)

*

MINISTÉRIOS E CORRUPÇÃO

Nenhum governo pode chegar ao ponto de dar possibilidade a que a sua Polícia Federal peça à Suprema Corte do país que investigue mais profundamente um ministro de Estado. No caso, trata-se do ministro Manoel Dias, do Trabalho, cujas ações apuradas pela Polícia Federal são pagamentos a amigos e correligionários na condição de funcionários-fantasmas. De imediato, deveria o ministro ser demitido e permanecer fora do ministério até o fim das apurações, da forma como agia Itamar Franco. Parece, enfim, que o candidato da oposição à Presidência, Eduardo Campos (PSB-PE), governador de Pernambuco, está com a razão quando assevera que não é importante mudar ministros, mas mudar o governo. Com escândalo sobre escândalo, a atual administração da República precisa sofrer alterações, e o remédio mais acertado é a troca de governança por outras forças políticas desejosas de alterar o quadro atual.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

O ROTO PELO RASGADO

Infelizmente o Ministério do Trabalho sucumbiu nas mãos do ex-ministro Carlos Lupi (PDT-RJ), que deixou o cargo em 2011 após denúncias de praticar atos corruptivos cobrando propina para liberar o registro de sindicatos e de que desviava recursos do partido. Porém, ao sair, conseguiu deixar em seu lugar seu afilhado, o atual ministro Manoel Dias (PDT-SC), que, seguindo a mesma cartilha do padrinho, continuou praticando atos corruptos empregando militantes fantasmas de seu partido, além de firmar convênio suspeito no valor de R$ 11 milhões. Ou seja, com muita habilidade e destreza, que lhe são peculiares, Dilma Rousseff conseguiu trocar "um roto pelo rasgado".

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

FARRA

O carnaval acabou, já á farra continua.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

SUBSTITUIÇÕES PERNICIOSAS

Enquanto o critério político tiver prevalência na escolha de seus ministros, a presidente Dilma se vê às voltas com contínuas substituições de seus auxiliares imediatos. No Ministério do Trabalho, caiu Carlos Lupi, filiado ao PDT, por desvio de conduta. Em tom de súplica, proclamava "Dilma, eu te amo". Foi substituído por Brizola Neto, do mesmo partido, porém de fraquíssimo desempenho na chefia da pasta. Assumiu, então, o atual ministro Manoel Dias, também filiado ao PDT, já incurso em irregularidades. Segundo notícia, a Polícia Federal pede ao Supremo Tribunal Federal (STF) para investigá-lo por irregularidades cometidas na celebração de contratos. Quando o critério político impera nas escolhas presidenciais, as substituições são contínuas, sejam por improbidade ou falta de competência. O prejuízo, então, é pernicioso ao País por essa nefasta submissão da nossa presidente aos critérios políticos na escolha de seus auxiliares imediatos.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

DE NOVO

A Polícia Federal pede autorização ao STF para investigar ministro do Trabalho. O inquérito foi concluído e há indício de participação de Dias em esquema para empregar militantes de seu partido como funcionários-fantasmas. Claro que a primeira coisa é que ele nega. Não há nada de novo nesse esquema e, como o STF não tem força para nada, é mais uma investigação que acabará em pizza, em que os participantes do regalo aparecerão sorridentes e o povo é que se dane.

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul

*

PAÍS SEM MEMÓRIA

Num país sem memória, como o nosso, em breve grande parcela dos brasileiros se esquecerá dos escândalos e tudo deve continuar sob o domínio deste desgoverno incapaz, corrupto e sem vergonha. Alguém duvida de que mensaleiros serão reeleitos?

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

OS MINISTROS DO STF

Conforme matéria do "Estadão" (1/3, A6), o deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS) sugere limitar os mandatos no Supremo Tribunal Federal (STF) e, ainda, afirmou que a recente decisão da Corte de derrubar condenação por formação de quadrilha de políticos envolvidos no mensalão "cheira mal". O sistema atual, com a indicação de ministro pelo presidente da República, mesmo sistema dos EUA, não reflete o pensamento da sociedade brasileira, bem como da área jurídica do País. A sensação de decepção e impunidade da opinião pública é decorrente da "possibilidade" de que os ministros escolhidos pelo presidente tenham uma visão única e convergente com a visão do partido político no poder. Como a Justiça é o pilar mestre de toda a sociedade democrática, por que não se faz a escolha de ministro do STF por meio de decisão de consenso entre a Associação dos Magistrados do Brasil e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ)?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

CARTAS MARCADAS

Com cartas marcadas, com a inclusão dos dois novos ministros pela presidente Dilma, com "voto pronto" pela absolvição, como deu a entender o ministro Joaquim Barbosa, o Supremo Tribunal Federal (STF) foi agredido, caiu em descrédito perante a opinião pública e a nossa democracia está agora fragilizada. Este governo conseguiu introduzir na administração pública a impunidade, a desestruturação das instituições e o desrespeito à Constituição.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA & POLÍTICA

Após o julgamento do mensalão, no Brasil, nem políticos nem juízes respondem mais ao estado real da sociedade.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PLACAR MORAL

Os mais velhos lembram-se de que, no passado, quando uma partida de futebol terminava com um placar injusto, cronistas esportivos anunciavam o "placar moral". Neste caso, em que seis ministros do STF, lenientes ou coniventes, absolveram os mensaleiros da acusação de formação de quadrilha, agravando o sentimento de abandono da população e fazendo retornar a sensação de impunidade dos poderosos, é preciso lembrar a ação de Celso de Mello. Foi ele que, com um voto "técnico", permitiu os embargos infringentes. Votar agora contra os mensaleiros parece jogada combinada e é repeteco de decisão semelhante tomada quando magistrado em São Paulo. O placar moral, meus caros, é 7 a 4 para os mensaleiros, uma goleada.

Roberto Viana Santos rovisa681@gmail.com

Salvador

*

ÓRFÃOS DE JUSTIÇA

Agora, sim, estamos órfãos verdadeiramente de Justiça. A única instituição que ainda nos dava um pouco de orgulho, que é o STF, foi derrotada pela quadrilha que o próprio STF diz não ser quadrilha, composta pelos mensaleiros, por mim denominados bandidos. Para alegria deste "governeco" que aí está, todos os componentes do bando terão suas penas abrandadas, o que criará jurisprudência, eliminando, na prática, do Código Penal Brasileiro o crime de formação de quadrilha, principalmente para os políticos. É, minha gente, é o pacto com o "diabo" que a presidente Dilma disse aceitar em tempo de eleições.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

NOVA SEMÂNTICA

O mesmo excelso pretório que classificou os meliantes conforme a função de cada grupo ou núcleo – político, político-partidário, operacional e financeiro – vem agora dizer que não houve quadrilha? Então querem os ministros dizer que uma organização tão complexa, com tarefas tão bem distribuídas entre os grupos, que se coordenavam perfeitamente, numa organização capaz de rivalizar até com o Primeiro Comando da Capital (PCC), não é quadrilha? Então já não sei o que é quadrilha. Recorro ao dicionário e encontro súcia, corja, bando e outros termos, mas parece que nenhum desses é jurídico, nenhum está compilado no Código Penal. É muito estranha a nova semântica dessas Excelências.

Decio Penteado de Castro depecastro@gmail.com

Piracicaba

*

QUADRILHA

Simplesmente indecente a decisão dos ministros petistas do STF, que decidiram que a quadrilha dos mensaleiros nunca existiu. Também, pudera, o próprio PT como um todo é a maior quadrilha que já existiu no Brasil, e responsável pela montagem do STF.

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

FALTOU O REGISTRO OFICIAL

José Dirceu organizava, Valério cuidava da captação dos recursos, Genoino era o avalista, Delúbio cuidava da distribuição e um batalhão de pessoas recebia, mas não é quadrilha, porque eles não tinham registro oficiais de legalidade, como na Junta Comercial, CNPJ, inscrição no INSS, etc., etc. O STF está certo!

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

TARDES TRISTES

Muitas classificaram de "tarde triste" aquela da decisão do STF de reverter a condenação por formação de quadrilha dos "mensaleiros" José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. Eu vou mais além. Não foi só aquela tarde, não, eu diria que temos dias tristes desde 1/1/2003.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

TROCA DE NOME

Depois dos resultados na última reunião do caso do mensalão e das decisões diminuindo as penas e livrando da prisão em regime fechado vários "altos" dirigentes petralhas, eu proponho trocar a palavra Supremo para "político", passando a chamá-lo Tribunal Político Federal.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

TRIBUNAL DO CRIME

Quem já leu sobre os "tribunais" dos guerrilheiros e traficantes, em que eles julgam e absolvem ou condenam seus pares? Então...

Maria Emília Xavier da Silveira mexs@uol.com.br

São Paulo

*

APENAS O COMEÇO

Do jeito que o PT está mandando no STF, a Corte mais alta do sistema judiciário brasileiro, e depois da vergonha do julgamento da quadrilha que não era, as coisas só vão piorar, e ainda podem querer mandar prender o ministro Barbosa. Não duvidem. O PT é o partido do jeitinho e da vergonha.

Alice Baruk alicebaruk@bol.com.br

São Paulo

*

ARAPUCA

A nossa Justiça está caindo na arapuca dos vândalos, ladrões e corruptos do PT. A quadrilha está conseguindo as vantagens como redução de pena. Já podemos sentir que nossa Justiça já não xia nem pia. É lamentável.

Miguel Rizzo miguel.rizzo@terra.com.br

São Paulo

*

MENSALEIRO FORAGIDO

Pizzolato, volte! Aqui está fácil. E só reunir o STF e sacramentar sua absolvição.

Mario Ghellere Filho marinhoghellere@gmail.com

Mococa

*

COMISSÃO DA VERDADE

Segundo Pedro Dallari, coordenador do grupo denominado "Comissão da Verdade", o prazo para entregar o relatório final à presidente Dilma Rousseff, espera-se, é de até 10 de dezembro. Com tempo suficiente para a conclusão, não seria a hora de convocar o ex-presidente Lula para esclarecer sua participação como informante do Dops? Ou essa comissão, a exemplo do próprio, convenientemente "não sabe de nada"?

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.