Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

15 Março 2014 | 02h02

'Guenta', PF!

A Polícia Federal (PF) não descansa. Só nos últimos dias tivemos notícias de que investiga o cartel dos trens que também atuou na área federal, em Belo Horizonte e Porto Alegre, além de apurar ações suspeitas na Petrobrás - o recebimento de propina por funcionários da empresa vinda de fornecedora holandesa e o caso da compra da refinaria americana de Pasadena, sem pés nem cabeça, causando prejuízo enorme. E mais um expediente de muitos que não citarei porque a lista é extensa, volta à tona o caso Rosemary Noronha, amiga "íntima" de Lula, denunciada por tráfico de influência, comércio de pareceres emitidos por agências reguladoras, mais formação de quadrilha. Tem PF para investigar tantas falcatruas do PT? Só espero que não sejam julgados pelo Supremo Tribunal Federal, pois, com a maioria de circunstância lá formada, como acusou o ministro Joaquim Barbosa num de seus mais brilhantes momentos de heroísmo, a tendência é todos os ligados ao poder petista serem absolvidos.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Alstom e subornos

Se, por meio de documentação clara e incontestável, ficar de fato provado o envolvimento de Robson Marinho em recebimento de suborno referente à aprovação de contratos com a Alstom durante os governos de Covas e Alckmin, lamenta-se ter ele participado da equipe de Mário Covas, que, falecido, não tem condições de se defender e foi um dos raríssimos políticos em quem votei crente em sua honestidade - e espero que ele não tenha participado do tal "bolo" recebido. O curioso nesse processo é algumas testemunhas serem levadas a sério por apenas dizerem ter ouvido de outros companheiros que essa empresa pagava suborno para ter contratos aprovados. Quanto ao andamento do processo, é de admirar o vazamento quase que diário de informações e uma pena não ter ocorrido o mesmo no processo do mensalão, envolvendo o governo Lula, quando qualquer informação a esse respeito tinha de ser arrancada a alicate.

LAÉRCIO ZANNINI

arsene@uol.com.br

Garça

IBGE

Erro em dados

Embora tenha feito correção posterior, o IBGE divulgou, erroneamente, que o governo Geraldo Alckmin, entre 2012 e 2013, aumentou o quadro de comissionados em 90%, quando, na verdade, o aumento foi de apenas 4% (14/3, A1 e A10). Isso nos faz lembrar a história do fiel que, ao confessar ao padre que havia caluniado uma pessoa, recebeu como penitência espalhar do alto da torre da igreja um punhado de penas de galinha com a obrigação de, em seguida, recolhê-las uma a uma. Ao reclamar do castigo, explicando que era impossível cumpri-lo, o sacerdote disse ao penitente que a calúnia era a mesma coisa: nem todas as pessoas que tiveram conhecimento da acusação souberam, depois, de sua inveracidade.

FAUSTO RODRIGUES CHAVES

faustochaves@uol.com.br

São Paulo

Contaminação

Incrível, mas é verdade: até o confiável IBGE, ao divulgar dados incorretos sobre o funcionalismo em São Paulo, demonstra quão contaminado está pelo ranço petista de criar inverdades.

JOSÉ MILLEI

millei.jose@gmail.com

São Paulo

ENERGIA ELÉTRICA

Segurança nacional

Precisamos de muita chuva. Pouco ou muito, felizmente tem chovido, mas com qualquer chuva somos contemplados com a falta de luz, que já é a praxe. As concessionárias de energia elétrica pouco ou nada fazem para evitar tais apagões, que causam enormes transtornos, prejuízos e problemas para os cidadãos e as empresas. Está até parecendo que os fios elétricos não podem molhar-se. Que fazer? A energia elétrica está se transformando em caso de polícia ou, pior, de segurança nacional. Será possível que onde nossa presidente põe a mão só saia burrada? Triste lembrança, a madame foi ministra de Minas e Energia e o povo está colhendo os maus frutos que plantou, se é que plantou. Nomear ministros "políticos" sem qualificação para a pasta tem gerado enormes problemas para o País. Eleição é coisa séria. Eleger candidatos sem qualificação (semianalfabetos, guerrilheiros, apatriotas, mal-intencionados) para qualquer cargo, eis aí o resultado. O setor elétrico precisa de elevados recursos para que não aconteça o que o famigerado secretário-geral da Presidência, com status de ministro-chefe, Gilberto Carvalho, afirmou: "Aqueles que previram (ou preveem) o caos no setor elétrico vão quebrar a cara". Será? Pelo visto, ele também gosta de "badalar" no escuro. Se a conta de luz mais cara do mundo vai subir mais ainda em 2015, seremos "roubados" outra vez, como foi feito na (indi)gestão Lula: por decisão judicial, os valores cobrados a maior deveriam ter sido devolvidos aos consumidores, mas até agora não vimos a cor do dinheiro. Enrolou, enrolou e não pagou quase nada! Que fim levaram, dona Dilma? A AES-Eletropaulo está uma lástima!

LUIZ DIAS

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

Quem vai quebrar a cara

Não só o ministro Gilberto Carvalho afirmou que "aqueles que previram o caos" no setor elétrico "vão quebrar a cara mais uma vez", como também saiu em defesa da estratégia do governo federal de repassar o aumento da conta de luz aos consumidores apenas em 2015, depois das eleições. Segundo Gilberto Carvalho, o governo Dilma Rousseff tem como objetivo "não antecipar custos que vão onerar a vida do trabalhador". Diante de tanta delicadeza, aliás, muito usual nesse desgoverno, só posso informar ao ilustre ministro que somos nós, os pagadores de impostos, que vamos "quebrar a cara", pois vamos pagar a conta pelos tresloucados arroubos de dona Dilma em relação ao setor elétrico. Mas somente depois das eleições, para não atrapalhar as suas mentiras eleitoreiras.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Poste sem luz

Quando, lá atrás, surgiram os primeiros sinais de que o setor elétrico teria sérios problemas pela frente, o douto ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, declarou em rede nacional que estava tudo sob controle e que o risco de apagão era zero - dessa forma, liberando os consumidores para gastarem irresponsavelmente uma energia que, por pura demagogia, então pouco pesava nos seus bolsos. Com isso se perdeu o momento de se iniciar uma campanha pelo uso racional e pela poupança da energia elétrica. Também, o que poderíamos esperar de um ministro da cota de José Sarney? A culpa é dos brasileiros que elegeram um poste incompetente para a Presidência da República. Poste que agora nos ameaça com sua luz sujeita a apagões.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

O FIM DO MENSALÃO

O fim do julgamento da Ação Penal 470, o mensalão, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), foi uma vergonha para todos os brasileiros de bem e notadamente para a comunidade jurídica do País. Alguns indivíduos que integram a mais alta Corte de Justiça brasileira se prestaram a inverter o único processo de tal grau de seriedade conduzido a duras penas por poucos ministros que honram a própria toga e cumprem a Constituição federal do Brasil.

Luiz H. Freire Cesar Pestana luizhenriquefcpestana@gmail.com

São Paulo

*

PENAS DESIGUAIS

A edição de 14/3 deste jornal publicou, em sua página A4, as penas impostas aos réus do mensalão e comentários sobre o mesmo assunto em páginas seguintes. Um fato chama a atenção, a aparente desproporcionalidade entre o rigor das penas impostas aos políticos e aos "outros". Para os 10 principais réus políticos a média das penas foi de 6 anos e 5 meses em regime semiaberto. Para os "outros" 8 principais réus, a pena média foi de 18 anos e 1 mês em regime fechado. Aparentemente, há uma enorme discrepância entre o rigor aplicado entre os dois grupos. Salvo melhor juízo, os políticos ocupam seus cargos eleitos pelo povo e os outros não representam o povo, mas as instituições privadas onde exercem suas funções. Assim sendo, maior responsabilidades e decoro dever-se-ia exigir dos representantes do povo. Tantas aberrações há nestas terras surrealistas que talvez esta do mensalão pode passar despercebida. A palavra aos doutos opinadores e analistas.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

MENSALÃO, FIM MELANCÓLICO

Mais uma vez a Justiça brasileira conseguiu, através de seus sinuosos, tortuosos, nebulosos e tenebrosos meandros, reverter um processo histórico, fazendo-o terminar de forma melancólica. Assim é que, por meio de conchavos políticos para reformar a composição do STF, dois ministros independentes foram trocados por dois ministros atentos e subservientes às demandas governamentais (Teori Zavascki e Luis Roberto Barroso), que vieram juntar-se ao grupinho de ministros francamente pró-réus, formado por Lewandowski, Carmem Lúcia, Dias Toffoli e Rosa Weber, com o intuito principal de reverter o processo do chamado mensalão, envolvendo a cúpula do PT. Esse sólido agrupamento, sempre dizendo uma coisa - com um falso discurso a favor do rigor na fiscalização da coisa pública -, mas fazendo outra - absolvendo réus que já haviam sido condenados por esse mesmo tribunal nesse mesmo processo -, conseguiu transformar a esperança de dias melhores que havia se instalado no coração dos brasileiros mais bem informados em total desesperança no futuro político do País. Muito estranha também a atuação de Celso de Mello, de um lado condenando, mas de outro aceitando embargos infringentes, essa anomalia inexistentes no STJ e já expurgados do STF pela Constituição. Desta feita, os dirigentes petistas, que engendraram os planos e comandaram todas as ações criminosas, foram os que menores penas pegaram, todos com regime semiaberto, do qual sairão em poucos meses. Vergonhoso.

Percy de Mello C. Junior percy@clubedoscompositores.com.br

Santos

*

A LIÇÃO QUE FICA

Resumo da pizza da Ação Penal 470: políticos com penas brandas, em regime semiaberto e alguns absolvidos. Os da iniciativa privada, donos de empresas ou banqueiros, condenados. Qual o ganho ou o que este julgamento deixa? Para alguns, é um marco. Respeito a opinião. Para mim, não deixou nada, aliás, só confirmou que neste país só vai preso ladrão de galinha ou inadimplente de pensão alimentícia. Político não. É uma categoria acima dos demais.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FÁBULA

Era uma vez um país que era um paraíso e tinha tudo para ser o melhor do mundo. Este país tinha um tribunal temido por todos os corruptos e bandidos. Era chamado de Supremo Tribunal Federal... A fábula termina aqui, porque o futuro deste país é sombrio e o STF virou o sonho de todos os bandidos e políticos corruptos.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

O BRASIL PERDEU

A democracia brasileira perdeu um dos seus esteios: a independência do Supremo Tribunal Federal sob o jugo do Poder Executivo.

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

*

FELIZES POR QUÊ?

Tem razão o presidente do PT, Rui Falcão. De fato, com a nova decisão do STF em votação apertada, o PT não pode ser mais chamado de "Partido dos Quadrilheiros", podendo ser chamado apenas de "Partido dos Corruptos". Agora, sim!

Ana Maria Carmelini anacarmelini@yahoo.com.br

São Paulo

*

MAIS EVIDENTE?

A cientista política Maria do Socorro, da UFSCarlos, afirmou que foi tudo bem no julgamento do STF, "sem que houvesse interferência indevida sobre o Judiciário". Para que isso se caracterizasse, precisaria que os ministros Teori Zavascki e Luis Roberto Barroso estivessem trajando abadá vermelho com as letras PT?

Marcelo Falsetti Cabral mfalsetti2002@yahoo.com.br

São Paulo

*

OPINIÃO

Vergonhosa a análise, exibida anteontem na Rádio Estadão e publicada no jornal "Estadão" de ontem, de Oscar Vilhena ("Julgamento da ação penal não foi para inglês ver", 14/3, A6). Além da análise mais absurda e tendenciosa, é infame e antipatriota o apoio da jornalista da rádio e deste jornal à ideia tão fora da realidade, que contradiz todo o senso comum da Nação.

Francisco Eduardo C. G. Bessa fcbessa@yahoo.com.br

São Paulo

*

BANDIDOS À SOLTA

Assim como Joaquim Barbosa, que tem vergonha na cara - ante o resultado favorável à malandragem -, é preferível recolher-se a ver a vitória do malfeito. Uma caricatura disso são os brasileiros de bem se verem trancafiados e enjaulados em sua casa, enquanto os bandidos estão soltos.

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

POUPEM-NOS!

Alguém esperava algum resultado diferente da absolvição de João Paulo Cunha pelo crime de lavagem de dinheiro, depois desse vergonhoso aparelhamento do Superior Tribunal Federal? Minha sugestão para casos como este, que envolvam o interesse do partido do governo, que o STF decida por aclamação, poupando o seu valioso tempo e nosso dinheiro com essas dispendiosas sessões de resultado já conhecido previamente. Deveria fazer o mesmo que acabou de ser feito na Federação de Futebol do Rio de Janeiro, que, apoiada por uma maioria desqualificada de clubes sem expressão, mas ainda assim maioria, elegeu o seu presidente, mesmo contrariando a posição e o voto qualificado dos grandes clubes.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

LAVAGEM DE DINHEIRO

O STF deve ter confundido lavagem de dinheiro com aquele dinheiro que às vezes esquecemos no bolso das calças quando as mandamos para a lavanderia. E os R$ 50 mil, sim, com certeza João Paulo Cunha não esqueceu no bolso da calça.

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

O TAPA DO MINISTRO

Ao livrar mais um mensaleiro, o ministro Luis Roberto Barroso pediu ao povo brasileiro que esqueça o delito e, sem ódio, volte a ser cordial. A mensagem vinda da Suprema Corte foi um tapa na face da Nação, que entendeu o recado como quem ouve aquela melodia vinda do plenário e que dizia "o show já terminou, vamos voltar à realidade, não precisamos mais usar nenhuma maquiagem, gostando ou não, o show da corte terminou".

Leonel Diniz leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

*

O QI PREVALECE

O notável saber jurídico, além da reputação ilibada, condições essenciais para uma indicação ao STF, embora subordinadas ao QI (quem indica), após os últimos acontecimentos mostraram efetivamente o predomínio deste último, apagando em Brasília os "archotes do Direito".

Caio A. Bastos Lucchesi cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

*

LIVRES, LEVES E SOLTOS

Mensaleiros, aos poucos, estarão livres, leves e soltos, com a conivência de um vendido supremo tribunal federal - em letras miúdas, como miúda é a maioria dos integrantes -, prontos para continuarem a "sagrada" missão de seguir representando os cidadãos brasileiros, mantidos na ignorância, de forma a que os "nobres incomuns" continuem a se locupletar! Alguém se surpreende com o resultado de mais uma desfaçatez?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

LUTO OFICIAL

Não nos esqueçamos: dia 27/2/2014 deve ficar gravado na mente dos brasileiros. Dia de luto nacional, quando cinco heróis, comandados pelo ministro do STF, Joaquim Barbosa, enfrentaram a poderosa máquina formada pela Presidência da República para livrar seus condenados do mensalão do PT. A honra e o orgulho de um povo foram achincalhados, aviltados, pela maioria dos ministros do STF, aliados do governo federal. Caiu a última barreira contra os corruptos e corruptores do nosso País. Foram horas, dias e anos, gastos para julgar e indiciar os culpados, diante dos documentos, depoimentos e provas irrefutáveis da trama armada pela quadrilha, a fim de desviar bilhões de reais dos cofres públicos para a utilização espúria do PT. Nas próximas eleições, só nos resta uma arma, para mudar a situação caótica em que está mergulhado o Brasil: nosso voto.

Wilson Bonini avbonini@hotmail.com

São Paulo

*

PRÓXIMOS PASSOS

A manchete não poderia ser mais sugestiva, ou seja: o processo do mensalão acabou. Durou oito anos sua tramitação, levando em conta o início das investigações a partir do oportunismo do mensaleiro-mor, o deputado do Rio de Janeiro e o último a ser recolhido ao xadrez. Mas fica agora uma expectativa, ou seja, quando vai ser pautado o "mensalão mineiro"? Ou o "possível candidato a qualquer cargo na política", atual presidente do Supremo, vai se aposentar sem que o processo seja julgado?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

MUITO MAIS QUE O MENSALÃO

Se o mandado de segurança impetrado por Álvaro Dias (PSDB-PR) exigindo que sejam divulgados todos os detalhes dos empréstimos secretos do BNDES a Cuba, Angola e outros países, sempre liderados por ditadores, "a coisa vai feder". Lula intermediou as benesses ao regime de Cuba, da Venezuela e de vários países da África, principalmente Angola e Moçambique. E a coisa é coisa de bilhões de dólares. A Odebrecht é a empresa que aparece em quase todos esses "empreendimentos". O senador Dias também frisa que o artigo 49 da Constituição federal deixa bem claro que "é da competência exclusiva do Congresso Nacional: I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional". O parlamentar ressalta que não se tem notícia da chancela congressista com relação a tais acordos internacionais "secretos".

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

REVOLUÇÃO

Tenho algumas perguntas a fazer: 1) Por que nós, brasileiros, temos de nos conformar com este "desgoverno"? 2) E por que não nos revoltamos e colocamos à força estes bandidos do PT na cadeia? 3) Revolução? Por que não? Esses idiotas do PT não tentaram fazer isso? O MST não faz isso? 4) As reivindicações deles são legais, e as nossas? 5) Por que temos de ser "lenientes" com a bandidagem? Lugar de bandido é na cadeia! E a maior parte dos petistas deveria estar lá.

Geraldo R. Banaskiwitz geraldo.banas@gmail.com

São Paulo

*

...NEM MAL QUE NÃO TENHA FIM.

No último ano (enfim) do desastrado governo de madame Rousseff, ficou demonstrado e provado que, se um jabuti está no alto de uma árvore, é evidente que alguém o colocou lá. Não fiquemos na total incapacidade administrativa nem queiramos trocar o jabuti por uma anta. Em quantas mentiras/promessas madame já emoldurou sua presença em rede nacional, na inauguração de obras inacabadas, em qualquer solenidade sem expressão, lá estava a "presidenta" fazendo promessas, dizendo balelas, araras petas e patranhas, seja qual for o sinônimo de mentira, qualquer um se aplica nesse atual desgoverno de Dilma. Trem-bala, transposição do Rio São Francisco, mega-hidrelétricas, centenas de milhares de creches e casas populares. Redução de tarifas de luz para consumidores e para empresários. Prometeu sem conhecimento da realidade do Brasil atual. Nenhuma das promessas anteriores foi cumprida e agora se sabe que o aumento nas contas de luz para 2015 já chega a 24%. O governo assumiu que o rombo deste ano é de R$ 21 bilhões e já prometeu, e isso sabemos que ele vai cumprir, que os impostos serão aumentados. Dilma faz-nos lembrar do saudoso Pavarotti em "I Pagliacci", "vesti la giubba e la faccia infarina...".

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

NO ESCURO

O não aumento da "conta de energia elétrica" agora, em 2014 - fica represado até 2015 - não é propaganda política antecipada, é, sim, "propaganda política velada", ou, melhor, às escuras. É a conta de luz no escuro! Deu pra entender?

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhanddava

*

A MENTIRA DA PRESIDENTE

A presidente Dilma, com fins eleitoreiros, vai deixar para 2015 cair nas nossas costas a pequena conta de R$ 4 bilhões da pisada na bola dela e de Lobão, o cara que só mete os pés pelas mãos. Ela acha que vai ser reeleita assim, e aí ninguém vai poder reclamar. Só podia ser jogada do ético PT. Lamentável e vergonhoso.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

RACIONAMENTO E EFICIÊNCIA

Sobre a possibilidade de racionamento de energia que novamente assola o País, lembramos mais uma vez que a implantação de projetos de eficiência energética nas instalações e processos (sistematicamente desdenhado pelas autoridades) é uma prática que traz como resultado importante redução da energia consumida com projetos de curto prazo de realização e ótima relação de custo-benefício, contribuindo para a redução racionalizada (e não racionada) da energia consumida. Na mesma edição do jornal em que o tema do racionamento foi tratado (13/3) havia uma matéria sobre o novo avião da Embraer, que, com o novo projeto das asas, consome mais que 6% de combustível, exemplificando mais um bom projeto de eficiência energética, técnicos competentes inovando com eficiência e redução de custos. Bons projetos de eficiência energética quando implantados junto aos grandes centros agregam valor na redução de carga nos sistemas de transmissão e de distribuição, evitando mais esses investimentos.

Projetos de eficiência energética aumentam a confiabilidade de operação, possibilitam automação de processos, economia de água, redução de emissão de gases de efeito estufa e sensível incremento na qualidade de energia das plantas industriais. Um tratamento especifico de fontes e sistemas de financiamento para estes projetos aliviariam o consumo de energia a curto prazo, trazendo ótimos benefícios agregados. Outro ponto não considerado é a aplicação das mesmas tarifas para consumidores perdulários e conscientes; por que o consumo exagerado dos primeiros são pagos pelos outros na ampliação do sistema elétrico? Não estaria na hora de onerar a tarifa para aqueles que extrapolam o consumo regular para determinadas atividades; ou mesmo bonificar aqueles abaixo dos valores esperados? Estamos sujando nossa matriz energética por causa do esvaziamento dos lagos e falta de energia renovável na mesma proporção. Por que não eficiência energética, alguém pode responder?

Jose Starosta jstarosta@acaoenge.com.br

São Paulo

*

PERSPECTIVAS

Espero que um dia possamos olhar pelas janelas da nossa história e enxergarmos a época em que hoje vivemos apenas um acidente de percurso durante a trajetória de nossa caminhada na busca da verdade, onde se encontra a razão absoluta para vivermos felizes. Que sejamos uma nação rica e próspera, alicerçada em valores éticos e morais que sejam claramente reconhecidos individualmente em cada brasileiro dentro de sua respectiva classe social. Que as diversidades raciais e sociais não sejam objeto de disputas e desequilíbrios, mas, sim, o ambiente natural no qual as pessoas encontrem desafios e espaço seguro para se desenvolver livremente, de acordo com suas aptidões e desejos. Esses são meus desejos e anseios perante as conturbações que hoje o Brasil vem sofrendo, em função dos desmandos de pessoas totalmente despreparadas para gerenciar vidas humanas. Que esta seja a luz que ilumine todos os países que compõem nosso planeta.

José Carlos Ribas ribistico@yahoo.com.br

Pirai do Sul (PR)

*

QUEBRA-QUEBRA NA CEAGESP

Ontem, infelizmente, assistimos a mais um quebra-quebra perpetrado por vândalos, desta vez na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), que é uma empresa estatal. Com a desculpa esfarrapada de que protestavam contra o pagamento do estacionamento em suas dependências, caminhoneiros interromperam o trânsito na Marginal do Rio Pinheiros. Depois, começaram a atear fogo nas dependências da companhia e até em caminhões e outros veículos, enquanto a polícia não chegava. A tropa de choque só chegou ao local 2 horas depois de chamada. Durante todo o tumulto, pudemos assistir ao vivo e em cores às cenas animalescas dos baderneiros. O governo de São Paulo e a Prefeitura de São Paulo não podem mais permitir tais manifestações em detrimento dos munícipes, que têm o seu direito de ir e vir usurpados e que serão encarregados de pagar os estragos em equipamentos públicos com impostos recolhidos. Pudemos ver os passageiros de ônibus, impedidos de trafegar, caminhando pelas pistas da marginal para atingir o seu destino. Se isso não for crime, então tudo o mais será válido e poderemos viver daqui para a frente como no velho oeste. Depois das manifestações pacíficas e patrióticas de junho de 2013, esses trogloditas se acharam no direito de tumultuar a cidade interrompendo o trânsito e prejudicando a população pelos motivos mais absurdos. Lembro-me do mais ridículo deles, perpetrado pelos comerciantes da Rua Paes Leme, que se acharam no direito de interromper o trânsito na Avenida Nações Unidas (Marginal do Rio Pinheiros). Discordavam da mudança de mão daquela rua, motivada por obras no Largo da Batata, inversão que, segundo eles, prejudicou as vendas em seu comércio. No caso da Ceagesp, deve ser relativamente fácil para os seus funcionários, por meio das câmaras de segurança, identificar um bom número desses vândalos, já que diariamente eles ali comparecem. Identificados, deverão ser autuados na delegacia e obrigados a ressarcir a companhia pelos danos causados, sem prejuízo da ação penal para cada um deles. E, se legalmente possível, deveriam ficar impedidos permanentemente de ingressar nas dependências da Ceagesp, para que outros não ousem jamais efetuar manifestações desse naipe.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

MÁ GESTÃO

Segundo informações de proprietários de boxes na Ceagesp, os protestos realizados neste sexta-feira foram em decorrência de medidas draconianas impostas a comerciantes, empregados e usuários, pelo novo gestor do espaço. Funcionários dos diversos boxes, ao adentrar no Ceasa, passam por catraca e pagam R$ 3,00. Isso ocorre com os proprietários e usuários. Os veículos de descarga pagam R$ 4,00 na primeira hora, valor aumentado a cada hora utilizada. Outrora, o Ceasa oferecia, além das mercadorias frescas a preços compatíveis, ambiente interessante, com bares e restaurantes convidativos, banheiros limpos, enfim, era um local agradável de ser visitado. Essa gestão abomina o diálogo e impõe regras, sem avaliar as consequências. Uma pena!

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

*

BADERNA NA REGIÃO

Todo dia, há um ano e meio, temos de conviver com esta falta de respeito. De madrugada, pelo menos três vezes por semana, somos acordados pelo buzinaço dos caminhoneiros entrando no Ceasa. Já contatei a polícia, a CET e a Subprefeitura. Continuo esperando, em vão, uma atitude dos órgãos públicos.

Tiago Aguiar contato@tiagoaguiar.com.br

São Paulo

*

DEPREDAÇÃO ENCOMENDADA?

A depredação na Ceagesp está mais para coisa encomendada. A cobrança do pedágio não é o verdadeiro motivo. Como a Ceagesp é órgão do governo do Estado, aí entram os conhecidos "vândalos" pagos por partido político interessado em destruir, aqueles que estão há quase 12 anos destruindo o País. Seria o prenúncio da derrota antecipada nas eleições para presidente e para governador? Aonde querem chegar?

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

ESSA NEM GUIDO MANTEGA PREVIU

Cobrar pedágio dos caminhoneiros para entrar no estacionamento da Ceagesp encarece o tomate e o chuchu, bombando a inflação.

Sergio S. Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

OUTRA DERROTA DO PLANALTO

Desta vez não foi o "blocão" dos deputados federais insatisfeitos com Dilma Rousseff que impinge mais uma derrota ao governo federal. Foi o Supremo Tribunal Federal (STF) que, em boa hora, deu ganho de causa a uma ação indenizatória à já falida Varig. Tamanho estimado desta dolorosa, mas justa, conta é de R$ 3 bilhões. Não podemos nem falar que vai gerar um rombo nas contas do Tesouro, porque rombos se sucedem nas contas públicas desde a gestão Lula, e perigosamente não param de crescer com Dilma, fruto infelizmente dos gastos excessivos e improdutivos deste relapso governo federal. E, no caso dos R$ 3 bilhões que serão destinados à massa falida da Varig, esses recursos serão muito bem-vindos, porque prioritariamente serão destinados para saldar dívidas com os aposentados, pensionistas e quitar ações trabalhistas dos ex-funcionários desta empresa de aviação. Portanto, um rombo que vai beneficiar milhares de brasileiros que contribuíram muito com o Tesouro, porque pagaram regiamente seus impostos. Estes, desde 2006, com a extinção da Varig, se sentem humilhados e, para sobreviver, a maioria teve ainda de se desfazer de seu patrimônio conquistado a duras penas, já que pouco ou nada receberam até aqui dessa massa falida. E esperamos que o governo se preste mais a obedecer e respeitar a decisão do Supremo (o que não é comum entre petistas), e não fazer manobras protelatórias para o pagamento desses recursos.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

INDENIZAÇÃO À VARIG

Graças à má administração durante a gestão do ex-presidente José Sarney, os brasileiros terão de pagar uma indenização bilionária à Varig, conforme decisão do STF. Na minha opinião, toda vez que uma medida tomada por um governo causar prejuízo à máquina pública, o gestor que ocupava o cargo à época deveria ser proibido de exercer cargo público e/ou político, evitando, assim, outros prejuízos ao erário. Com essa medida, o gestor pensaria muito antes de adotar medidas ao estilo de congelamento, tablita, Plano Verão, etc. Precisamos banir da administração pública pessoas incompetentes.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

CASO VARIG

Lamentáveis os votos dos ministros Joaquim Barbosa e Gilmar Mendes, atitude com rara e declarada intenção de prejudicar os míseros beneficiários do Aerus, à beira da morte. Omitiram em seus votos que a responsabilidade é da União, em virtude da falta de controle da SPC sobre o fundo, e não má gestão somente. Todos os brasileiros devem ter este fato em mente, jamais votando nele(s), caso venham a se apresentar.

Sinclair Rocha sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

*

POR ANALOGIA

Como brasileiro e acionista da Petrobrás, gostaria de ver, imediatamente, duas ações serem tomadas pelos órgãos competentes: 1) A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) exercendo de fato seu papel fiscalizador (sem conchavos) e punindo exemplarmente as diretorias atuais e passadas, assim como todos os membros do Conselho da Petrobrás, pelos desmandos e gestão fraudulenta desta empresa que já foi a mais importante e valiosa do País; 2) por analogia ao que o Supremo decidiu no caso Varig, obrigar a União a repor aos cofres da empresa e, consequentemente, aos acionistas a diferença entre os preços praticados por determinação desse desgoverno e o preço justo de mercado dos combustíveis vendidos pela empresa nos últimos cinco anos.

Ariovaldo Marques arimarques.sp@gmail.com

São Paulo

*

FEIRA DE DROGAS NA PEIXOTO GOMIDE

E desalentador constatar, para grande parte do distrito da Consolação, e não só para os pobres munícipes sujeitos ao espetáculo da degradação humana e local que ronda o tal perímetro da Rua Peixoto Gomide, em São Paulo, que nem sequer houve comentário sobre fator elementar e crucial: que o distrito da Consolação está há uns dois anos sem a sua base da Polícia Militar no coração do distrito. Onde era essa base? Em plena Praça Roosevelt. Há anos estava ali. É fato, senhoras e senhores, o distrito está com a sua respectiva Cia da Polícia Militar, responsável pelo policiamento da área, fora da delimitação territorial que lhe corresponde - está na Bela Vista, portanto, fora de mão. O distrito da Consolação, um que sempre foi reduto de uma classe média trabalhadora e que anda sendo tão maltratada pela presente ausência do Estado, tem, na falta de sua base da PM que lhe corresponde, a prova cabal dessa ausência! O que mais enfurece o munícipe e contribuinte deste distrito é que de fato o "caixotão" de metal e vidro construído na Praça Roosevelt, com ajuda de verba do Estado (não do município!) e com saída muito oportuna para a Rua Augusta, estava de fato destinado a ser o retorno ao lar da nossa Polícia Militar ao distrito. Até o presente momento, todas as autarquias públicas se negam a nos dar esclarecimentos e explicações plausíveis ou a atender a população que quer a sua Polícia Militar de volta no distrito. Ao senhor prefeito desta cidade de São Paulo, sr. Fernando Haddad, pedimos que interceda por nós, munícipes da Consolação, para que nos devolvam a nossa polícia a seu lugar de destino: a Praça Roosevelt. Desde que a PM dali saiu, a situação em todo o bairro tem se deteriorado a olhos vistos, do que a região da Peixoto Gomide é o mais malfadado exemplo.

Susan H. Pearson susanhpearson@gmail.com

São Paulo

*

É RIR PARA NÃO CHORAR

Dirigentes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farcs) comemoraram a expansão cada vez maior de seu mercado no continente. Segundo dados divulgados no dia 4/3 pelo Conselho Internacional de Controle de Narcóticos, entidade ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), o consumo de cocaína no Brasil mais que dobrou em menos de dez anos e já é quatro vezes superior à média mundial. Notícia preocupante, mas a nossa "presidenta" emitiu seu sempre tão esperado parecer de que esse fato tem um lado positivo, pois se deu em razão do crescimento da renda dos mais pobres: "Agora, além de consumirem produtos de primeira necessidade, também podem se dar ao luxo de consumir coisas supérfluas. Se a economia estivesse indo mal, jamais seríamos um dos maiores consumidores de cocaína do mundo". Que cada um dos cidadãos pagantes tire as suas próprias conclusões.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

SEM FUNDAMENTO

Segundo relatório da ONU, no Brasil, em virtude do aumento do poder aquisitivo da população, o consumo de drogas ilícitas dobrou nos últimos dez anos. A tragédia revela, de uma forma muito clara, que nosso crescimento econômico não está alicerçado nos valores morais e espirituais. A violência, que se alastra na sociedade, tem seu epicentro no uso do álcool, da maconha, da cocaína e de outras drogas. Está mais do que provado que sem educação familiar, religiosa e humanitária não se chega a lugar algum. O povo está sem liderança.

Marcelo de Lima Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Mogi das Cruzes

*

CORAGEM E SERIEDADE

Os jornais noticiam que mais de 40% dos usuários de crack do Brasil estão no Nordeste brasileiro. Vemos centenas de viciados dormindo nas calçadas como que anestesiados. A droga não escolhe o usuário, ela aceita todos. O uso das drogas é um mundo da ilusão, e a droga é uma porta para um mundo de difícil volta. Ou encaramos com seriedade o mundo dos usuários de drogas ou seremos impotentes diante delas.

Paulo R. Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

*

A TRANSFERÊNCIA DE MARCOLA

Agora o governo Alckmin manda Marcola, um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), mas até dias atrás dizia serem invenções a existência de qualquer movimentação organizada do grupo criminoso para resgatá-lo da prisão.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

ALGUÉM APOSTA?

Não está descartada a possibilidade de que, mesmo Marcola tendo sido transferido para o Regime Disciplinar Diferenciado (isolamento) na Penitenciária de Presidente Bernardes, venha ele a comandar ações de banditismo e vandalismos em represália à transferência. Aliás, atitudes já tomadas e determinadas por ele em outras ocasiões chegaram a paralisar a cidade. Tudo isso só é possível ocorrer pela incapacidade total dos responsáveis pela administração dos presídios e pela precariedade da vigilância por permitir-lhe ter e fazer o que bem quer.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

QUE PAÍS É ESTE?

Que país é este em que um rapaz de 17 anos mata a ex-namorada de 14 anos e não responde criminalmente por isso? Que país é este em que o mesmo rapaz pode votar aos 16 anos e elege figuras espúrias, corruptas, criminosas como tantas que pululam neste governo? Que país é este em que a impunidade impera e os valores e a decência celeremente deixaram de existir? Com certeza, é muito diferente do país que queremos para nós e para as nossas gerações futuras.

Luiz Felipe de Camargo Kastrup lfckastrup@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.