Fórum dos Leitores

GESTÃO HADDAD

O Estado de S.Paulo

28 Março 2014 | 02h05

Como é?

O secretário dos Transportes da Prefeitura pretende agora implantar uma segunda faixa para veículos com carona e táxis em avenidas com pelo menos três faixas de rolamento. Não consigo imaginar como tal ideia possa ter surgido de um planejamento cuidadoso e criterioso dessa secretaria. Sim, porque muitos profissionais que prestam inúmeros serviços à população são obrigados a utilizar um veículo leve para desempenhar suas funções, tais como médicos e demais profissionais da área da saúde, socorristas, atendentes das diversas empresas de manutenção e outros tantos, bem como os particulares que são obrigados a usar seus veículos pelos mais diversos motivos. Seria interessante equacionar o que fazer quando um deles sofrer uma pane. Os demais veículos estariam, no caso, autorizados a invadir a outra faixa ou teriam de esperar um milagre acontecer? Até parece que o secretário ignora que os transportes públicos andam superlotados, no limite da sua capacidade, transportando seres humanos como gado. A verdade é que não há um mínimo de planejamento correto na área dos transportes, não só para melhorar o trânsito em São Paulo, como, principalmente, para humanizá-lo. Só fazem marola.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

Corredores

Na semana passada foi aprovada em primeira votação na Câmara Municipal paulistana a construção de mais corredores de ônibus, medida paliativa, pois a situação de São Paulo chegou ao esgotamento de uma cidade que não anda, onde não se trafega. Sabemos que não se trata uma situação desse nível fazendo construções, mas, sim, investindo pesado no transporte público de qualidade, retirando assim os carros das ruas.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

Faixas e multas

Com as faixas do prefeito Fernando Haddad proliferando pela cidade de São Paulo, ele quer suprir os recursos do aumento das passagens de ônibus que não vieram com multas a motoristas já saturados pelo trânsito caótico que ele ajudou a piorar.

MARIO GHELLERE FILHO

marinhoghellere@gmail.com

Mococa

Semáforos

Os "gênios" que "tomam conta" do trânsito de São Paulo ainda não perceberam (se é que um dia vão perceber) que os semáforos da cidade estão extremamente "bem sincronizados" - isto é, um abre (sinal verde) e o seguinte imediatamente fecha (sinal vermelho) -, tornando o trânsito ainda mais torturante do que já é. Será que no mundo não existe tecnologia para sincronizar os semáforos de maneira a formar uma "onda verde"? Em 1970 (44 anos atrás!), em Buenos Aires (Argentina), observei que um sistema desse tipo funcionava bem e o trânsito fluía muito melhor. Isso antes do advento da informática, etc.

ROGER CAHEN

rcahen@uol.com.br

São Paulo

PETROBRÁS

Má vontade

Os trâmites regimentais foram obedecidos e será instaurada a comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Petrobrás. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), alegou que não havia mais nada a fazer. Essa expressão pressupõe certa má vontade em instalar a CPI, uma vez que, segundo Renan, não é o momento apropriado por ser um ano eleitoral. Para os contribuintes brasileiros não tem a menor importância esse detalhe. O que nos interessa é que essa CPI consiga apurar com todo o rigor o que realmente ocorreu de nefasto na administração da estatal. Os interesses nacionais estão acima de interesses de políticos e o presidente do Senado deveria ter isso em mente.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Condutas abomináveis

Quando oposição, o PT adorava a peroração populista de que "o que falta neste país é vergonha na cara". E é precisamente isso que ocorre ao opor-se o governo à ampla apuração do histórico da Petrobrás, sob o argumento pífio de que a verdade conturba um ano eleitoral. Por outro lado, é profundamente deplorável a declaração de um aliado do governo, o senador Gim Argello (PTB-DF), de que é um especialista em obter a retirada de assinaturas de parlamentares no momento derradeiro de conclusão do procedimento para instauração de uma CPI. Ora, a retirada de assinaturas reduz o parlamentar a um inseto, sob o aspecto ético, e jamais poderia ser admitida pelas nossas normas de regimento parlamentar.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Abreu e Lima na CPI

Se há tanta coisa cheirando mal quanto ao gasto de US$ 1,2 bilhão na compra da refinaria de Pasadena (EUA), imaginem só os cheiros que revelaria um estudo sobre os quase US$ 20 bilhões sendo gastos na construção da usina Abreu e Lima (PE), principalmente considerando que o orçamento inicial fora de US$ 2,5 bilhões. Essa refinaria precisa ser incluída no campo de ação da CPI.

WILSON SCARPELLI

wiscar@terra.com.br

São Paulo

Tudo despenca no Planalto

Caem o acumulado do superávit primário, o valor da Petrobrás no mercado, a máscara do governo com o rebaixamento da nota de classificação de risco do Brasil, etc. Agora, como consequência dos grandes equívocos praticados por este governo, a avaliação positiva da presidente Dilma Rousseff pelos eleitores brasileiros despenca também. E a queda não é pequena: segundo a última pesquisa CNI/Ibope, os 43% apurados em novembro desmoronaram para 36% em março. O que demonstra, ao contrário do que pensam alguns analistas, que o povão está, sim, acompanhando as estripulias do Planalto. Se essa CPI da Petrobrás, que acaba de ser sacramentada pelo Senado, tiver o andamento que a sociedade brasileira espera - trazer a verdade dos fatos sobre a escandalosa compra pela estatal, com o irrestrito aval de Dilma, da refinaria de Pasadena -, a situação da presidente poderá ser de penúria, até com a possibilidade de se interromper o seu mandato. Porque o que não pode despencar mais é a ética nas nossas instituições!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Pasadena x educação

O prejuízo da Petrobrás em Pasadena é equivalente à construção de mil escolas.

CARLOS DE OLIVEIRA AVILA

gardjota@gmail.com

São Paulo

*

ABALO NO PLANALTO

Os sismógrafos políticos do Planalto já registram abalos sísmicos de média intensidade na Escala Richter. A oposição conseguiu número regimental de assinaturas para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás, que busque compreender o que está debaixo do colossal angu da empresa. As coisas começam a se delinear com racionalidade, eis que senadores do PSB de Eduardo Campos e mais outros três aliados ao governo deram condições para que o presidente do Senado, Renan Calheiros, não possa negar a instalação da CPI. E novo abalo foi registrado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI): Dilma Rousseff caiu de 43% de aceitação do eleitorado para 36%. Sobre as assinaturas no pedido da CPI, o senador Humberto Costa (PT-PE) disse que o governo, antes da leitura da CPI, trabalharia para a retirada de assinaturas. É evidente que entrará aí o "jeitinho" petista da política de escambo. Os governistas falam que a CPI da Petrobrás não passa de palanque eleitoral, mas que nome se dá a uma presidente que, em sua caravana pelo País, inaugura até sanitário químico?

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

BREQUE

O que de podre existe na República do PT para que o partido queira brecar uma simples e ingênua CPI - algo em que o PT, quando era ético, era useiro e vezeiro em pedir? Para quem era contra a privatização da Petrobrás, o PT considera que a vendeu bem?

Antonio Jose Gomes Marques

a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

COMPROMISSO DO CONGRESSO

Os brasileiros acompanharam a abertura da CPI da Petrobrás pela TV com olhos fixos no Congresso Nacional. Ficou bem claro aos brasileiros conscientes e aguerridos que o Congresso, em qualquer momento, seja em ano de eleição ou não, tem o dever de respeitar o voto que receberam os parlamentares, é seu dever constitucional cuidar da saúde financeira das instituições públicas, por isso devem defender com unhas e dentes o patrimônio público da Nação. Ficou bem claro para nós quem são os trigos na política e quem são os que só olham para o bem-estar de si próprio, enquanto para o País só ficam mesmo o endividamento, a inflação e a vida sacrificada para os cidadãos de bem. Alguns acham que para o povo qualquer coisa serve, mas é obrigação moral do parlamentar probo fiscalizar toda e qualquer gestão pública. O mínimo que os brasileiros esperam é que os malditos corporativismos e coligações não tentem cercear as investigações da CPI e que ela seja profunda.

Maria Luiza Azzallini Medeiros

profm.luiza@bol.com.br

São Paulo

*

CPI DA PETROBRÁS

Está esperando que o conchavo entre PT e PMDB aconteça. A questão é que está difícil a partilha da corrupção no governo entre os "mandatários" dos dois partidos.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

NÃO ME COMPROMETA!

Como é do conhecimento até mesmo de seres do mundo mineral que aqui, no Brasil, ninguém é condenado por corrupção, jamais saberemos onde é que foi parar a imensa fortuna surrupiada quando da compra daquela refinaria no Texas pela Petrobrás. Mesmo que haja uma CPI, é óbvio que ninguém irá "abrir o bico", como se diz, ainda mais com a eleição para presidente batendo às nossas portas. Inestimável perda de tempo!

José Marques

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

SEM GRAÇA

Dona Graça Foster, presidente da Petrobrás, descobriu na segunda-feira que na Refinaria de Pasadena existe um conselho de proprietários que fica acima do Conselho Administrativo e cujo representante da estatal brasileira era o ex-diretor de abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, preso por suspeita de corrupção. E nem ficou sem graça...

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O IMBRÓGLIO DE PASADENA

Muito sem graça a afirmação de Graça Foster sobre desconhecimento de comitê interno da Refinaria de Pasadena.

Roberto Twiaschor

rtwiascjhor@uol.com.br

São Paulo

*

PEDRA SOBRE PEDRA

Ante o poço sem fundo de prejuízos em que a Petrobrás foi transformada sob o desgoverno petista, a presidente Graça Foster prometeu abrir investigações internas para apurar os fatos e disse, com ênfase, que "não fica pedra sobre pedra". Posto assim, o País aguarda ansiosamente a abertura da caixa-preta de Pandora. A conferir...

J. S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

TONTOS

Pelo que li e imprensa belga noticiou, a negociata da venda da refinaria para a Petrobrás foi feita com os amigos do Zorro, ou seja, todos foram feitos de tontos (e a cegonha existe). E, para os brasileiros e acionistas, como diria Marco Aurélio Garcia, top top.

Carlos Roberto Gomes Fernandes

crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

GESTÃO CALAMITOSA

A ata de 2008 do Conselho de Administração da Petrobrás na qual estão registrados os "agradecimentos pela competência técnica e elevado grau de profissionalismo" ao então diretor internacional da estatal, Nestor Cerveró, recém-demitido da BR Distribuidora, dá a ideia do tipo de gestão a que está subordinada a administração pública federal sob o desgoverno do PT. Cerveró - o autor do malsinado "resumo executivo" que induziu à compra de Pasadena - é o mero bode expiatório da vez, numa administração recheada de incompetentes que, quando pilhada em suas barbeiragens, apressa-se em terceirizar suas culpas, ainda mais em ano eleitoral. Malgrado a dimensão dos números de Pasadena (US$ 1,18 bilhão), o prejuízo com a referida refinaria é tímido (!), comparado às perdas observadas na construção da Refinaria Abreu e Lima, de Pernambuco, planta inicialmente projetada para processar o petróleo venezuelano sem que Brasil e Venezuela tivessem, antes, tido a cautela de formalizar um contrato que pudesse ser executado em foro arbitral ou em tribunais internacionais em caso de inadimplência de uma das partes. É o que dá encher de moral e chamar de "gerentona" uma pessoa que tem em seu currículo a luta pelo comunismo, assalto a mão armada e a quebra de uma lojinha de R$ 1,99.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

DEDOS E ANÉIS

Dona Dilma defenestrou o sr. Cerveró (em muy conveniente tour na Europa); agora manda depor no Congresso a sra. Foster e o grande expert, seu sucessor no Ministério de Energia, o sr. Lobão. O que são alguns pouquíssimos dedos e vagabundíssimos anéis, se o importante é preservar o órgão com o qual ela senta na cadeira presidencial?

Marcello Menta Simonsen Nico

mentanico@hotmail.com

São Paulo

*

DOIS COELHOS NUMA SÓ CAJADADA

Já perceberam que, quando a batata ameaça esquentar na mão do ex-presidente Lula, ele some do mapa? Aconteceu isso no rumoroso caso do mensalão: além dos intermináveis "eu não sabia", apenas um suposto suborno ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes foi ventilado. No caso da secretária Rose, ficou cem dias camuflado no exterior. Agora, na esteira do caso da compra da Refinaria de Pasadena (EUA), em que os cofres da Petrobrás foram arrombados em quase US$ 1,2 bilhão, vem à tona o caso da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Construção orçada inicialmente em US$ 2,5 bilhões e acertada entre Lula e seu "muy amigo" Hugo Chávez, da Venezuela, previa participação da PDVSA com 40% do custo da obra. Hoje a obra está beirando US$ 20 bilhões e nem um tostão foi injetado pelos dirigentes venezuelanos, configurando-se em mais um calote bilionário. Diretamente ligado a esse mico, onde está o ex-presidente? Ninguém sabe, ninguém viu. Falhas contratuais à parte, a verdade é que a atual mandatária brasileira e seu criador e guru, Lula, devem ser responsabilizados pelos prejuízos à Petrobrás, que está literalmente afundando num lamaçal de águas fétidas. Que tal se, em vez de um coelho, dois fossem caçados com só uma cajadada?

Sérgio Dafré

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

SINFONIA

Regida por maestro de bandinha, a orquestra Sinfônica Filarmônica Petrobrás executa em surdina "La Cumpanherata", opus lulopetista em dolo maior, corruptio allegro-galopante, enquanto a "Nassão" cochila e sonha "imagina na Copa...".

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

EXPLICAÇÕES

Muito interessante se o exímio presidente infalível e mágico Lula vier a público dar explicações sobre a compra da tal refinaria em seu desgoverno plantador de postes. Com a palavra, o sr. Lula!

Washington B. Estoyanoff

wa.botella@me.com

São Paulo

*

INSANIDADE

Na minha visão, o que foi feito com relação à compra e a venda de Pasadena não tem explicação, nem como um ato de corrupção, nem como de incompetência. A única explicação é que tenha sido um ato de pura insanidade mental, tanto de quem fez como de quem autorizou a fazer.

José J. Rosa

jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

*

O VERDADEIRO MERCADO

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) declarou, em seguida ao rebaixamento do rating (nota de risco) do Brasil pela Standard & Poor’s, que o mercado continuava confiando no governo e na condução da nossa economia, e deu como prova disso que a Bolsa tinha tido uma pequena alta após a divulgação do rebaixamento. No dia seguinte, em seguida à divulgação pelo Ibope da imensa queda na aprovação do governo Dilma, o que indica que a reeleição da presidente está a perigo, a Bolsa tem forte alta com o mercado antevendo uma benéfica troca na condução da nossa política econômica. Esse é o verdadeiro mercado - o mercado espontâneo e incontrolável. Não aquele manipulado pelo governo por meio dos fundos de pensão e órgãos sob seu controle.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

FINALMENTE UMA BOA NOTÍCIA

Após as quedas constantes das ações brasileiras negociadas na Bolsa de Valores, principalmente da Petrobrás, da nota rebaixada pela agência de risco S&P, finalmente, uma boa notícia: segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada no dia 27, a avaliação positiva do governo Dilma Rousseff caiu de 43% para 36% em relação a dezembro. Após a divulgação da pesquisa, o Ibovespa começou o pregão em alta, ignorando o mau humor em Nova York. Será que o Brasil está acordando? Que a resposta venha em outubro, nas urnas.

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

DIRETAMENTE PROPORCIONAL

Não é incrível? É só a aceitação de Dilma cair que a Bolsa sobe, principalmente as ações das estatais.

Silvio Leis

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

NOTA REBAIXADA

Não adiantou os amigos do governo convidarem há uma semana o Prêmio Nobel de Economia Paul Krugman para participar do "Fórum Brasil: diálogos para o futuro" e afirmar que "o Brasil saiu da crise muito bem e não se justificam preocupações com a sua economia". Apesar de todas as tentativas do governo e de seus acólitos para dourar a pílula, a agência de risco Standard & Poor’s reduziu a nota de crédito do Brasil para BBB-, que eu traduziria para "menos burla, bandalheira e besteira".

Alberto Bastos C. de Carvalho

albcc@ig.com.br

São Paulo

*

COTAS NO SERVIÇO PÚBLICO

A Câmara dos Deputados aprovou projeto que reserva 20% das vagas no serviço público para negros. Mas como ficam os amarelos (asiáticos) e vermelhos (índios)? Em tempo, já que o merecimento é pela cor da pele, e não por conhecimento, por que não reservar uma cota para os anistiados e os coitados dos imigrantes sírios?

Luiz Felipe Dias Farah

felipefarah@gmail.com

São Paulo

*

BOA NOTÍCIA

Finalmente uma boa notícia: cotas para negros em todas as instâncias do Estado brasileiro já. Antes tarde do que mais tarde. Afinal, já vai longe o tempo em que só os portugueses podiam ocupar os cargos públicos. Aqui, no Brasil, os brancos ocupam todos os cargos de comando (TODOS). Só sobram para os negros os cargos de 2.ª ou 3.ª categoria. Em tempo: sou branco, mas sempre questiono sobre isso.

Clóvis Deitos

clovis@ardcontabil.com.br

Campinas

*

GOVERNO DE VITRINE

Sobre a aprovação pela Câmara de projeto que reserva 20% de vagas para negros em concursos: se o Brasil investisse na escola pública, daria oportunidade a negros, brancos, pardos, amarelos. Mas isso significa investir verba pública em educação, o que não se cogita. Estabelecer cotas, ou seja, tirar de uns e dar aos outros, é processo mais econômico e chamativo. Embora vexatório para os negros. Mais uma vez o PT faz governo de vitrine. Alias, Joaquim Barbosa, segundo ele mesmo afirmou em entrevista a Roberto D’Ávila da Globo News, foi convidado por Lula, por duas vezes, para acompanhá-lo às viagens à África, mas negou-se a ir por saber que era apenas jogada de marketing do presidente que o indicou para o Supremo.

Sueli Caramello Uliano

scaramellu@terra.com.br

São Paulo

*

O CONGRESSO E AS COTAS

Participei, junto com um sem número de brasileiros, de uma pesquisa de opinião realizada pelo Congresso Nacional sobre a adoção do sistema de cotas para negros nos concursos públicos. Após votar, me inscrevi de modo a acompanhar a evolução da votação. Em todas as parciais apresentadas, o porcentual dos consultados que responderam não variou entre 70% e 80%, ante 30% ou 20% de respostas "sim". Foi com imenso espanto que tomei conhecimento da resolução, com direito à celebração, da aprovação do sistema na Câmara dos Deputados. Assim, parece-me que os congressistas estão de costas para os seus eleitores. Só lhes interessa estar de bem com os grupos minoritários e com os patrulheiros politicamente corretos - com ampla cobertura midiática, diga-se de passagem. De uma vez por todas, só existe uma raça: a humana.

Marco Antonio Esteves Balbi

balbi393@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A RENÚNCIA DE ASDRUBAL BENTES

Após ler a carta de renúncia do deputado federal Asdrúbal Bentes (PMDB-PA), condenado pelo STF por oferecer laqueaduras em troca de votos, há necessidade de mudança de caráter de muitos políticos brasileiros, como do sr. Asdrúbal.

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

FAXINA, SÓ COM O STF

No início do mandato de Dilma Rousseff, cercado de um alavancado índice de corrupção, vários de seus ministros foram exonerados de seus cargos e os petistas, sempre oportunistas, tentaram colar à imagem da presidente a imagem de uma autêntica faxineira do Planalto a serviço de ética. O que na realidade, para nossa indignação, não passou de uma farsa, porque o lamaçal continua. Mas lá, no Supremo Tribunal Federal, a maioria dos ministros da Corte tem tido para nossa satisfação outro entendimento. Os mensaleiros do PT que o digam. E como no STF faxina contra corruptos e praticantes de outros delitos é levada a sério, porque a ética é que prevalece, agora mais um deputado federal é posto atrás das grades, o condenado Asdrubal Bentes (PMDB-PA), que oferecia cirurgias de esterilização em troca de votos nas urnas. Não deixa de ser um sopro de alívio para nossa sociedade.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

LADO ERRADO?

Pelo que foi publicado, fica difícil entender a condenação e a provável renúncia ou cassação do deputado Asdrúbal Bentes, por ter esterilizado mulheres para compra de votos, o que, no fundo, reduz a natalidade nas camadas mais pobres da população. E, além de o processo ter sido voluntário também por parte das mulheres, ele o realizou com seus meios próprios, inclusive os profissionais. Já o governo Dilma promove vários programas eleitoreiros que, em vez de conter, estimulam a natalidade e a criminalização nessas camadas (Fome Zero, Bolsa Presidiário, etc.), com as consequências que todos estamos vendo e sofrendo (favelização, criminalidade, mendicância, etc.), e tudo com o dinheiro do povo. Sendo assim, a cassação e a condenação estão do "lado errado". Ou não?

Nilton de Freitas Guimarães

nfguimaraeseo@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O ROTO E O RASGADO

Só rindo mesmo: peemedebista Asdrúbal Bentes foi condenado pelo Supremo por fazer laqueaduras em troca de votos. Por medo de ser cassado e perder os direitos políticos, como de praxe, renunciou de seu mandato. Em seu lugar deverá assumir o ex-senador Luiz Otávio (PMDB-PA), que também tem condenação na Justiça, nesse caso em primeira instância. É o roto substituindo o rasgado. É muita podridão, não é mesmo? Acorda, Brasil!

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

JOSÉ SERRA

A respeito dos comentários do senhor José Serra na edição de ontem do jornal "O Estado de S. Paulo" ("Se falta o rumo, todas as escolhas são ruins", 27/3, A2), gostaria de dizer que, ao sr. Serra, sobra-lhe competência para diagnosticar com clareza os problemas de gestão que estão há anos impedindo o País de crescer rumo ao Primeiro Mundo. O artigo do sr. Serra mostra que ele tem visão e poderia ser um dos melhores presidentes de nossa República. Pena que lhe faltam carisma e simpatia para conquistar os votos do povo brasileiro, formado por uma ampla maioria de analfabetos funcionais que não entenderia coisa alguma se lesse o texto publicado.

Odair de Carvalho

pops-smith@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

CARTEL DOS TRENS

A afirmação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, de que as denúncias do Ministério Público em relação à atuação dos cartéis no sistema metroferroviário, ajudam o seu governo mostra um oportunismo invejável. Qual a diferença deste caso para as denúncias de seu partido em relação ao governo federal no caso da Petrobrás? Se o governador não tem responsabilidade sobre as atividades do cartel de multinacionais, por que a presidente Dilma tem de responder pelos problemas na compra da Refinaria de Pasadena, ela que era integrante de um Conselho de Administração, onde há outras representações de acionistas?

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

ESTRANHO

O mais interessante da denúncia do Ministério Público paulista à Justiça acerca do cartel dos trens e metrôs é que houve fraudes em licitações e formação de cartel, e nenhum político desta época foi denunciado. É muito estranho tudo isso.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

AS PERGUNTAS DE SEMPRE

O que deve ser feito para que um membro do Tribunal de Contas do Estado, com farto indícios de enriquecimento ilícito, seja investigado? Será feita uma "investigação rigorosa" que a gente já sabe como acaba? Será protegido por seus pares? Um dia teremos um país honesto?

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

RUMO À VENEZUELA

Tanto da oposição quanto da situação os escândalos são tantos que o Brasil precisa urgentemente ser passado a limpo. Esse processo de limpeza e mudanças só se fará com o "novo". Uma nova liderança, por meio de um real líder e estadista, se faz urgente, caso contrário, caminhamos rapidamente para o caos, e aí então as consequências serão catastróficas. Vizinhos nossos estão um pouco mais adiantados do que nós, brasileiros, nesse quesito, mas em breve os alcançaremos. No início estaremos como a Argentina e, logo em seguida, nos tornaremos uma Venezuela. Basta continuar vivo para testemunhar em futuro bem próximo isso tudo.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

A POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA

Sobre o artigo "Sumiço do Brasil e Itamaraty marginalizado" (25/3, A2), o Brasil virou o "João Grandão Bobão" da América Latina: Evo Morales expropriou a refinaria da Petrobras. Não bastasse o ato em si, ainda fez questão de humilhar nosso país utilizando-se de tropas do Exército boliviano para ocupar as instalações; a Venezuela dá um sonoro cano na Petrobrás (e no Brasil) ao descumprir um acordo (verbal, vejam se isso é possível, envolvendo uma empresa desse porte e os valores do caso) e dar o cano no caso da Refinaria Abreu e Lima; A Argentina dita as normas no comércio bilateral com o Brasil, sempre aplicando um "passa-moleque" no nosso país. O problema não é o Itamaraty, mas os atuais gestores da nossa política externa: Dilma e Marco A. Garcia

Marco Cruz

mm.cruz23@gmail.com

São Paulo

*

A IMPORTÂNCIA DO BRASIL NA ONU

O presidente Lula (ainda é) passou os oitos anos de seu mandato oficial voando mundo afora buscando apoio de países pobres para que ele conseguisse trazer para cá a Copa do Mundo de agora e a Olimpíada em 2016, algo que conseguiu, mas pagaremos um preço altíssimo por isso. Além desses dois desejos, que ajudavam a fazer seu nome entre os eleitores analfabetos, ele pensava em tornar o Brasil membro do Conselho de Segurança da ONU, que é atualmente composto por EUA, Rússia, China, Inglaterra e França. O nefasto imaginava que, se isso acontecesse, ele teria poderes para impedir que algum dos outros membros do conselho cometessem abusos, como os EUA invadindo o Iraque ou mandando tropas para o Afeganistão. Fico a imaginar se Lula tivesse conseguido seu intento e o Brasil, parte dele, então numa situação como a de agora, em que a Rússia já tomou a região da Crimeia, na Ucrânia, e parece disposto a mais. Bastaria ele apontar o dedo para o nariz do russo Vladimir Putin e este recuaria. Pois é, pensava ele que, se países como EUA e China (essa na moita), os cachorros bravos do conselho, apenas rosnaram sem impedir a tomada da Crimeia, ele, o machão de Pernambuco, conseguiria tal façanha! Pois é, estamos pagando muito caro pelo sonho deste maluco. Basta lembrar que, para agradar à ONU, há mais de sete anos o Brasil mantém militares aquartelados no Haiti, quando a permanência acordada seria de um semestre, segundo ele. Sua irresponsabilidade já custou bilhões de reais ao País. E, lembrando a situação atual no Rio de Janeiro, com mortes de policiais esta semana em favelas que supostamente estariam sob controle do Estado, e o governador já pede e recebe o envio do Exército para ajudar a impor a ordem nessas comunidades, por que não atender ao pedido de Sérgio Cabral usando a tropa estacionada no Haiti? Interessante é oposição e imprensa esquecerem os bilhões jogados no Haiti, seguramente mais que o escândalo de Pasadena, para culpar a Criatura e apenas "passar de raspão" pelo seu criador.

Laércio Zanini

arsene@uol.com.br

Garça

*

A RÚSSIA, DO G-8 AO G-20

O governo russo tem razão quando diz que não se importa em ser expulso do G-8, porque ainda faz parte do G-20. Entre eles, os capengas governos bolivarianos. Divulgou ainda que países como o Brasil não se manifestaram com relação à tomada da Crimeia. Quis dizer não se manifestaram oficialmente, não é? Os papagaios de pirata do governo brasileiro, tipo "top top" Garcia, devem estar se comunicando diariamente e enchendo a bola do "simpático" Putin. A Rússia de antigamente sempre foi o sonho dourado dessa gente, frustrado depois da queda do Muro de Berlim. O povo ralando, a patota deles enriquecendo e vivendo como verdadeiros capitalistas. Pelo sonho vale tudo, inclusive meterem as mãos em dinheiro público. Tudo pelo capenga "socialismo" pelo qual lutaram. Acorda, Brasil, antes que acordemos como os venezuelanos de hoje.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

FERINDO O ORGULHO RUSSO

Nada como um dia depois do outro. Quem ousaria pensar que um presidente dos Estados Unidos se referisse à Rússia como uma potência regional?

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

EUA-UNIÃO EUROPEIA

O presidente Barack Obama disse que vai atender as necessidades de gás da União Europeia. Como? Vai construir um gasoduto sob o Oceano Atlântico? Vai transportar em navios tanque? Os EUA têm gás para isso? Acho que o presidente Obama está começando a meter os pés pelas mãos.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MANIFESTAÇÃO E PROMESSA EM SÃO PAULO

Na quarta-feira, 26/3, mais uma vez o trânsito da cidade ficou congestionado acima do caos diário, com várias avenidas bloqueadas pela passeata do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que reivindicam a regularização de uma área de preservação ambiental localizada na Estrada do M’Boi Mirim, que, aliás, estava destinada a um parque municipal. E, apesar de ser uma manifestação ilegal, por causar graves transtornos à população, que se dirigia ao trabalho, o prefeito desceu de seu gabinete e foi discursar do alto do caminhão de som daquela passeata. E mais uma vez prometeu aos manifestantes que vai ceder à pressão, mas que precisaria do aval da Câmara Municipal. Imediatamente, os manifestantes para lá se dirigiram e uma comissão foi recebida pelo presidente da Casa, também do PT, José Américo, que assegurou que a Casa pretende atender às suas reivindicações. Será que ele já tinha consultado os outros 54 vereadores, ou os demais estão lá para dizer amém? Isso na mesma semana em que a Organização Mundial da Saúde (OMS), da ONU, divulgou dados de 2012 de que 58 mil pessoas morrem anualmente nas Américas em razão da poluição do ar. O último dado estatístico que conhecemos a respeito dessa poluição em nossa cidade é de 2011, que constatou 4 mil habitantes/ano por causa da poluição, com uma vegetação de 2,5 m²/habitante, em lugar de 12 m²/habitante, preconizado também pela OMS. Com os dados agora divulgados pela OMS, essa relação com certeza está pior, principalmente depois da administração Kassab, liberando o desmatamento de grandes áreas para as construtoras. Portanto, não tem mais sentido derrubar áreas verdes para implantar núcleos habitacionais, mesmo porque, além das casas, há de se pensar na respectiva infraestrutura, principalmente a rede de esgoto, dada a localização nobre daquela área. Inclusive o prefeito já deveria ter mandado emparedar a derradeira área da Mata Atlântica na Marginal do Rio Pinheiros, que a Cyrella vem desmatando sem autorização. Quanto aos moradores que realizaram a passeata, poderiam ser mais bem acomodados numa das áreas disponíveis na região da Estação da Luz, desapropriadas há anos e até agora inúteis. Mas é muito mais simples fazer promessas em cima de caminhão de som do que planejar corretamente a cidade como um todo.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

CAMPEONATO PAULISTA

Gostaria de obter o resumo da folha de pagamento de quatro times de futebol, para análise comparativa: São Paulo, Corinthians, Penapolense e Ituano, bem como os maiores salários incluindo os rendimentos dos respectivos técnicos. Quem pode ajudar?

José Carlos Alves

jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

TRIBUTO MÉDICO

Torno públicos meus agradecimentos ao professor dr. Pedro Henrique Silveira Corrêa (CRM 14.471), à professora Dra. Regina Matsunaga Martin (CRM 78.691) e à Dra. Mariana T. A. Reis (CRM 115.091), extensivo a toda a equipe, pela competência, alto profissionalismo e muito carinho que muito me ajudam para que eu continue a ser um homem muito feliz.

Aluysio Monteiro

aluysius@hotmail.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.