Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

12 Abril 2014 | 02h05

Expulsão de André Vargas

Se o PT ainda tivesse um pingo de ética e dignidade, nem que fosse em nome do seu passado, já teria expulsado o deputado federal André Vargas (PT-PR) do partido. Vargas tem relações mais do que comprometedoras com doleiros e criminosos e não tem a menor condição de continuar nem no partido nem no Congresso Nacional. Estamos cansados de tanta picaretagem, falta de ética, bandidagem e impunidade no Brasil.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Padrinho

Estranho esse PT! Submete André Vargas, ainda deputado federal e em liberdade, ao Conselho de Ética do partido, mas mantém incólumes em seus quadros, sem nenhuma apreciação ética, ex-deputados que renunciaram para evitar a cassação e ex-ministro, todos condenados e presidiários na Papuda. Em Minas Gerais diz-se que quem tem padrinho não morre pagão. O padrinho defende ex-deputados e o ex-ministro por medo de que eles abram a boca?

CLÁUDIO EUSTÁQUIO DUARTE

claudio_duarte@hotmail.com

Belo Horizonte

De cabeça erguida

Nenhuma novidade (na declaração de André Vargas). Todo mensaleiro, até os que vão para a cadeia, vão de cabeça erguida, rindo do povo. Essa é gente do PT!

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Uma história de sucesso

André Vargas disse que tem uma história e vai defendê-la. Estou interessadíssimo em conhecer essa história de sucesso vertiginoso que o levou a sair de um patrimônio declarado em 2000, quando iniciou na política, de apenas R$ 11 mil, sendo seu maior bem um velho Monza 1993 no valor de R$ 9 mil, a um patrimônio de R$ 572 mil em 2010, fora o que deve possuir e estar em nome de parentes e laranjas, ou não declarado, e que hoje permite que ele seja considerado um homem muito rico. Tão rico a ponto de dispensar dinheiro arrecadado para sua campanha eleitoral e ser doador de mais de R$ 1 milhão para campanha de outros petistas.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Casa da mãe Joana

Comitiva do governo federal que leva no avião presidencial o doleiro Alberto Youssef para Cuba mostra a bagunça que reina no Executivo. Virou casa da mãe Joana. Arrecada-se muito, gasta-se muito mais e o País está completamente abandonado.

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

PETROBRÁS

CPI desmoralizada

O PT conseguiu detonar a CPI proposta pela oposição para investigar a sucessão de escândalos na Petrobrás e, junto, liquidou o direito constitucional da minoria de analisar em detalhes, por meio das comissões parlamentares de inquérito, suspeitas de irregularidades cometidas pela maioria governista. Petistas e aliados juntaram forças a fim de jogar o instituto das comissões originadas por iniciativa da oposição no lixo da História e devem estar, a esta altura, comemorando e promovendo juntos uma lamentável dança da impunidade. O opróbrio é tamanho que o governo nem faz questão de disfarçar a manobra indecente que se destinou a desmoralizar a CPI a partir da ampliação do escopo de investigação, com a inclusão de temas considerados "sensíveis" para a oposição, como os casos do Metrô de São Paulo e do Porto de Suape (PE). Se houvesse alguma nobre intenção nisso tudo, valeria a pergunta: por que, então, não foram incluídas as suspeitas de cartel no Distrito Federal e no Rio Grande do Sul? Esse é o PT e seu apreço pela transparência e pela moralidade. André Vargas, com seu punho cerrado e sua amizade com o doleiro, que o diga.

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

Inclusão de temas

Já que o governo Dilma Rousseff, por intermédio dos senadores Renan Calheiros, Romero Jucá, e a maioria do Congresso Nacional querem tornar a CPI da Petrobrás inviável, incluindo outros temas como obras do Porto de Suape e do Metrô, que incluam também a movimentação financeira do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e do BNDES. É aí que a porca vai torcer o rabo.

LEÔNIDAS MARQUES

leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

IDEOLOGIA

Direita ou esquerda

Difícil entender por que a mídia e muitos políticos ainda se apegam a definições de esquerda e de direita. Esse tipo de classificação não leva a nada e muito pouco diz a respeito dos fatos. Conhecê-los, sim, nos ajuda a saber quem é quem, além de tirar a maquiagem da falsa ideologia.

MARCELO H. PYLYPCIW SIMONI

marcelosimoni@hotmail.com

São Paulo

ANATEL

'Apagão'

Há mais de dois meses ninguém consegue contatar a Anatel para registrar uma reclamação contra as operadoras de TV por assinatura, telefones fixos e celulares, entre outros. Como pode a Agência Nacional de Telecomunicações ficar sem comunicação? Milhões de reclamações deixaram de ser registradas, beneficiando assim as operadoras. Qual a explicação da Anatel? Será que não é para zerar as reclamações e, assim, poder afirmar que os serviços de telecomunicações estão às mil maravilhas? Existe algo de podre nesse "apagão" da Anatel.

JOSÉ MILTON GALINDO

galindo52@hotmail.com

Eldorado

ESCLARECIMENTO

Inflação

Venho informar que minha avaliação sobre a inflação, a partir da divulgação do IPCA de março de 2014, não corresponde à creditada a mim no editorial A guerra inglória pela imagem (11/4, A3). O fato é que, mesmo com a alta recente dos preços de alimentos, em 2014 a inflação está mais benigna que a do começo de 2013. Os dados são claros quanto a isso. A inflação acumulada em 12 meses, até março, está em 6,15%, ante 6,59% em 2013; o grupo "alimentação e bebidas" acumula no ano (de janeiro a março) alta de 3,35%, ante 5,58% no mesmo período de 2013; assim como o grupo "alimentação no domicílio" acumula alta de 3,58%, ante 5,58% em 2013; e o grupo "produtos in natura" acumula alta de 15,4%, ante 23,25% em 2013. Portanto, solicito reconsiderar os termos usados em referência a mim. Tenho a certeza de ter-se tratado de erro de comunicação.

MÁRCIO HOLLAND, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda

Brasília

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

HÁ ALGO A COMEMORAR

É impressionante o volume de notícias negativas relacionadas à atual administração federal. A última diz respeito ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de março: 0,92%, maior taxa desde abril de 2003. A inflação já tem alto índice de difusão e flerta abertamente com o topo do limite "de tolerância", que é de 6,5% (do regime de metas), e já se prevê o seu estouro, apesar de os chamados preços administrados (gás, combustíveis, tarifas, eletricidade, etc.) estarem contidos artificialmente pelo Estado intervencionista, que surfa no populismo tarifário, bagunça o sistema de preços e nos impõe um modelo ficcional e antimercado - que, aliás, está quebrando a Petrobrás -, para tentar mascarar a desastrosa gestão petista na economia. Fora a inflação, o País lamenta inúmeros outros recordes negativos: desindustrialização, crise energética, infraestrutura às moscas, pibinhos recorrentes, déficits externos cada vez maiores, déficit nas contas públicas, estouro dos custos da Previdência, grau de investimento sob risco, baixa classificação no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), no índice de Gini e tantos outros indicadores que mensuram o nível de desenvolvimento econômico e social de cada país. Mas nem tudo está perdido. De todos os números negativos, há um em especial que merece ser comemorado pelo brasileiro consciente e bem informado: a queda na popularidade da "presidenta", responsável direta por toda essa pasmaceira. Tal notícia, em ano eleitoral, enche de ânimo os brasileiros conscientes e bem informados.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

A VOLTA DA INFLAÇÃO

Os preços altos no Brasil não estão apenas nas roupas, mas em todos os setores, desde os preços dos veículos, dos imóveis, até os dos alimentos, e tudo isso somado à camuflada inflação que retira da classe assalariada seu poder aquisitivo. Inexplicavelmente, do nada, os preços explodiram no País, e hoje em dia a nota de R$ 100 vale R$ 20, o que demonstra que o nosso Plano Real de vinte anos atrás precisa ser revisto urgentemente para colocarmos nos trilhos a nossa economia.

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

PASSAGEIRA?

Se a "inflação alta é passageira", como disse Guido Mantega, a cortesia é do motorista.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O ROTO FALANDO AO RASGADO

Lula aconselhou Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, a fazer planos contra apagões e inflação. É o roto falando ao rasgado. No governo do PT, o Brasil corre um sério risco de ficar às escuras na Copa do Mundo, o grande legado da Copa do Mundo no Brasil seria a melhora na infraestrutura que está um caos, em três Estados as obras em aeroportos só ficarão prontas em 2017. O Brasil perdeu a sua oportunidade de brilhar lá fora, isso é o que se chama de falta de gestão, planejamento e competência. A inflação no Brasil também vem diminuindo o poder de compra do trabalhador. A indústria está pedindo água, mas Lula ignora os problemas do seu país, encobre os erros de sua sucessora e aconselha os hermanos. A inflação gera perda de popularidade, quem manda no mundo é a economia, o que pode inviabilizar a eleição de Dilma, enquanto assuntos como corrupção, assalto ao erário, rombos em estatais parecem não incomodar a maioria dos eleitores. Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

AUMENTO NA CONTA DE LUZ

A partir de terça-feira, dia 8/4, a tarifa de energia da CPFL Paulista aumentou 16,46%! E esse "aumentinho" leva em conta o aumento de produtividade. E agora, dona Dilma, qual é mesmo a nossa inflação?

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

*

NÃO TEMOS GASOLINA

À parte da pura especulação para benefício de uns poucos, o aumento da porcentagem de etanol na gasolina é interessante do ponto de vista ambiental e também da economia ("Mistura de etanol na gasolina pode subir", 11/4). O Brasil ainda é invejado mundialmente por sua política de fontes renováveis que compõem a matriz energética, apesar de perder terreno tanto em termos absolutos como relativos ao longo dos últimos anos. Parte disso é em função de uma conjuntura internacional, mas também é devido à falta de marketing para valorizar nosso produto. Não deveríamos mais chamar o combustível de gasolina e, sim, de etanol-25, com é feito no exterior. Mostraríamos ao mundo que não temos mais gasolina em nossos postos, apenas blendas com 25% (que pode passar a 27,5%) e 100% de etanol.

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Lorena

*

AS ZELITE

Parece castigo, mas o PT não quebrou só a Petrobrás, está quebrando o Brasil. O desânimo dos empresários é geral, além dos casos de encerramento de empresa, 40% de impostos ninguém suporta. A nova classe das elites são os políticos corruptos e são milhares. Comerciantes estão vendendo tudo em dez vezes, e o lucro vai para o banco. Estes idiotas, incluindo o ministro Guido Mantega e o ex Lula da Silva são cegos e só vão ver a realidade nos próximos três anos. Seremos uma Venezuela.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

O RISO DE GLEISI HOFFMANN

Tem razões, de sobra para rir "à toa" a senadora Gleisi Hoffmann (primeira página, "Estadão" de 10/4). A senadora foi escolhida a dedo para ser relatora da Medida Provisória 630, apesar do seu retorno bem recente ao Senado. Com a aprovação da referida Medida Provisória, quem tinha dúvidas de quem manda no País são as construtoras. Se aprovada a MP como está, as construtoras não só vão fazer a obra, mas também vão equipá-la e, ainda, os serviços serão contratados por um período de 5 (cinco) anos. Pois bem, o "Estadão" de domingo (8/4) trouxe os maiores doadores eleitorais na Petrobrás: dos 20 relacionados, 15 são construtoras. A senadora, recém-saída do Planalto, candidata a governadora do Paraná, tem, sim, motivos para gargalhar. A MP passou por cima de muitos projetos que propõem a reforma da Lei de Licitações, especialmente dois: o PL n.º 1.202/2007, que tem apensado mais de 200 propostas, pronto para a pauta na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados; e o PLS n.º 559/2013, recentemente aprovado por uma comissão especial do Senado, que teve como relatora a senadora Kátia Abreu.

Erminio Alves de Lima Neto limaneto@gruponewtime.com.br

São Paulo

*

DEBOCHE

A foto da senadora Gleisi Hoffmann, estampada na primeira página do "Estado" de quinta-feira, reflete fielmente o sentimento patriótico do PT. A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apuração de fato determinado relativo à Petrobrás foi transformada num circo de bichos, palhaços e equilibristas, onde, ao final, tudo se dissolve em alegria. Resta saber se o Supremo Tribunal Federal (STF), que tem farta jurisprudência coibindo essa canhestra manobra parlamentar, pronunciar-se-á em favor do povo brasileiro ou do partido que sequestrou seus direitos mais elementares.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

CINISMO NO SENADO

Os petistas são mesmo treinados para o comportamento único: são cínicos, são mentirosos, são aproveitadores, pregam contra a elite e vivem com ela em imóveis de valores elevadíssimos - e até no riso do deboche eles se parecem. A foto da sra. Gleisi Hoffmann me lembrou muito aquela ex-deputada e ex-prefeita de São José dos Campos que dançou no plenário e riu dos brasileiros, lembram? Tomara que os paranaenses continuem lúcidos e não elejam esta figura arrogante para o governo daquele Estado.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

LAMA

Renan Calheiros, Romero Jucá, André Vargas, Vicentinho, mensaleiros, Lula palpiteiro, Dilma gerentona, Gleisi Hoffman, Ricardo Berzoini e tantos outros petistas ou de sua base aliada espúria querem desviar o foco de todas as falcatruas e desmandos tanto nas entranhas da Petrobrás como na Eletrobrás e outras obras destes desgovernos petistas desde 2003 com a aprovação na CCJ da CPI mais ampla com a maior cara de pau de seu "presidente" Romero Jucá, por conta do anteriormente afastado do Senado por falta de decoro Renan Calheiros e suas atuações sempre pró-governico vigente. Esses senhores são sempre os tais que gostam de levar vantagem em tudo, certo? Como preconizava a famosa Lei de Gérson. O comitê Olímpico Internacional (COI) já estuda um plano B para nossa tão propalada "melhor Olimpíada de todos os tempos", o Itaquerão não terá suas obras completas sequer até a Copa do Mundo, toda a infraestrutura prometida para estes dois eventos não estão sendo cumpridas em tempo hábil, conforme exigências da Fifa e do COI. Ministérios corriqueiramente realizando desvios de verbas para ONGs suspeitas, obras do PAC de Lula e Dilma sempre inacabadas sejam quais forem os motivos, ou por superfaturamento destas, ou por desvios de verbas, ou por simples incomPeTência do governo lulopetista, enganador do povo. O País nunca esteve tão sujo e tão cheio de corrupções correndo à solta em todos os níveis da administração pública como agora, passeatas diárias, greves, assaltos em quaisquer minutos do dia, em quaisquer lugares, caos na saúde pública e idem na privada, insegurança generalizada nos quatro cantos do Brasil, tráfico de drogas em crescimento exponencial em todas as cidades, etc. Esse é o quadro atual de um país jogado na lama pelas duas últimas administrações do PT e seus aliados coniventes com todas as falcatruas. Ou nas próximas eleições damos um basta nessa situação ou iremos todos chafurdar neste lamaçal sem fim.

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

OLIMPÍADA 2016

Não são só os atrasos na Copa que têm tirado o sono da Fifa, que deveriam servir de alerta para o Comitê Olímpico Internacional chegar à conclusão de que precisa intervir nas obras que estão sendo feitas para a Olimpíada de 2016. Recentemente, o Rio de Janeiro teve de vergonhosamente adotar o famoso jeitinho brasileiro para que o evento "Vigília de Oração" com o papa Francisco fosse mudado de última hora para a Praia de Copacabana, já que o terreno Campus Fidei, que foi preparado para isso e que tinha recebido grandes investimentos, por falha de planejamento, com uma simples chuva, ficou coberto de lama e não pode ser utilizado. Se eu fosse o presidente do COI, exigiria assumir o controle total das obras, hoje em mãos despreparadas e incompetentes.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

INTERVENÇÃO

Mais uma intervenção, desta vez do Comitê Olímpico Internacional (COI), na administração das obras da Olimpíada do Rio 2016. A razão? Bagunça graças aos mesmos administradores do Pan-Americano. A Copa do Mundo não deixa nada a dever em matéria de desorganização e custos exorbitantes, não obstante apregoado o não uso de dinheiro público. Ambas as criações se creditem a Lula, em seu irresponsável populismo, sem medir as custosas consequências ao País. Justificar com o turismo é pura falácia de quem não sabe fazer as contas, preocupado tão só com interesses eleitoreiros, dirigidos a plateias desinformadas sem a menor capacidade de avaliar que, passadas as alegrias momentâneas, as contas virão em prejuízo primeiramente delas próprias. É assim que age o petismo em sua demagógica caminhada na administração pública, e das mais recentes com a redução em 20% na conta da luz, que irá custar mais caro, bastando esperar.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

COPA E OLIMPÍADA

A vergonha que estamos passando e ainda vamos passar é o resultado de querer comer uma feijoada e, em seguida, uma macarronada.

Ariovaldo Jorge Geraissate ari.bebidas@terra.com.br

São Paulo

*

RIO 2016

Quando a cidade do Rio de Janeiro foi escolhida sede dos Jogos Olímpicos de 2014, com grande euforia dos cariocas, pessoas que conhecem bem as exigências e necessidades que o evento requer foram contrárias à realização da Olimpíada no País, sendo então taxadas de antipatriotas. O que é patriótico? Expor o Brasil ao vexame? Mostrar incompetência e corrupção? Fazer do jeitinho uma característica positiva? Nem se fala da opção por obras faraônicas em nome do famoso legado. Na realidade, só voltando a 1.500, e começar tudo de novo.

Sonia de M. Padilha Murray smurray@uol.com.br

São Paulo

*

RECADO

A intervenção do COI nos Jogos Olímpicos de 2016 é um recado simples e direto: vocês, brasileiros, são incompetentes.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

ESCOLHA ERRADA

A Fifa já teve, e continua tendo, seus problemas com a organização da Copa no Brasil. As queixas vêm de longa data. Numa das últimas, num pronunciamento, o presidente da entidade disse que os atrasos nas obras para a Copa são porque o brasileiro é inativo. O que ele quis dizer é que o brasileiro é incompetente mesmo, só que usou outro termo. Agora é o COI, que, temendo os problemas nas obras para a Olimpíada, resolveu assumir a coordenação da Rio 2016. Sabem qual é o problema? O problema foi a escolha do Brasil para Copa e a cidade do Rio de Janeiro para a Olimpíada. A Fifa e o COI jamais deveriam tê-los escolhido.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

SÓ POR DEUS

Muito oportuna e bem-vinda a intervenção do Comitê Olímpico Internacional na gestão da Olimpíada do Rio. Certamente, os atrasos e promessas não cumpridos para a Copa do Mundo devem ter chamado a atenção dos organizadores do COI. Quando foi anunciada a escolha do Rio para sediar os jogos olímpicos, a primeira coisa que foi prometida foi a completa despoluição da Baía da Guanabara, e claro que até hoje nada foi feito. Nos dois anos que restam, só uma intervenção divina para realizar essa proeza.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

OLIMPÍADA DO RIO DE JANEIRO

Pelo visto teremos de levar outro chute no traseiro, para poder avançar as obras emperradas. Até agora só estão garantidos futevôlei, frescobol e arrastão nas praias cariocas.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

GRANDE OPORTUNIDADE

A meu ver, todas as manifestações previstas deveriam se realizar antes, durante e depois dos jogos da Copa do Mundo. De preferência junto dos 12 estádios, quando bilhões de pessoas no mundo inteiro poderão assistir pela TV ao que o povo brasileiro espera do governo, e ainda contando com a segurança prevista.

Gregório Zolko gzolko@terra.com.br

São Paulo

*

A FALÊNCIA DO PODER PÚBLICO

As mais acentuadas características do poder público nas mãos do PT (Lula e Dilma) são a incompetência, a irresponsabilidade e o consequente atraso em obras. Foi irresponsável trazer a Copa e a Olimpíada para o Brasil. Como muitos previam, o governo não consegue terminar uma obra mesmo fora do prazo e a um custo final de 4 ou 5 vezes o valor do orçamento inicial. O PAC 1, por exemplo, tem ainda várias obras que não saíram do papel. E isso sem falar nos desvios, comissões, superfaturamentos que ocorrem em praticamente 100% das obras, o que implica uma maior severidade do Tribunal de Contas da União (TCU), passando a ser um motivo alegado para o atraso de obras, uma desculpa risível do Executivo, acobertada pelo Congresso. A falta de compromissos e responsabilidades atingiu fortemente o Rio de Janeiro, que enfrenta a possibilidade de ter de transferir provas da Olimpíada para São Paulo, por incompetência daquela administração, que, aparentemente, pegou a "doença da ineficiência" do governo federal. Esse e outros motivos justificam o fato de o Brasil e Lula serem objeto de piada no exterior, dadas as péssimas demonstrações de capacidade de realizar a Copa do Mundo, em que nenhuma obra do entorno dos 12 estádios estará 100% concluída. Há informação de que somente 10% foram completadas. É impressionante a incompetência do poder público brasileiro, com exemplos também em muitos setores como água, energia e infraestrutura. Precisamos mudar profundamente a forma de escolher os homens públicos, devemos voltar aos tempos da meritocracia, em vez de valorizar os mais "espertos".

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

A COPA DAS COPAS

Pois é, a Copa está chegando e o Brasil está preparado para receber muitos turistas com muita hospitalidade: obras atrasadas, ausência de chuvas e reservatórios em baixa, podendo haver racionamento de água e energia elétrica, e, para finalizar, uma epidemia de dengue no Estado de São Paulo. Parabéns aos organizadores.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

O MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMA

Aos turistas que virão ao Brasil, no mês de junho, para assistir aos jogos da Copa do Mundo de Futebol, estamos oferecendo agora duas opções de contaminação por vírus: através de mosquitos Aedes aegypti (dengue) e/ou através de mosquitos Aedes albopictus (chikungunya). Aproveitem!

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

A DENGUE NA CIDADE

A dengue mata, avisam as autoridades sanitárias, mas esquecem de avisar que a prefeitura ainda por cima vem colaborando com os mosquitos. Não temos notícias das equipes de mata-mosquito e das pulverizações que sempre foram realizadas nessa época do ano, a partir do verão. Nem com os moradores da Lapa pedindo socorro a municipalidade está se mexendo, segundo a reportagem transmitida pelo SPTV, da TV Globo. E o secretário da Saúde do município ainda tenta jogar a culpa sobre os moradores que estão estocando água por causa estiagem, como costumam fazer os administradores petistas. O prefeito Fernando Haddad vem administrando a maior cidade do País como administrou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

DECORO PARLAMENTAR

O ex-vice-presidente da Câmara André Vargas (PT-PR) vai ser investigado pelo Conselho de Ética da Casa para saber se quebrou o decoro parlamentar ao manter ligações suspeitas com o doleiro Alberto Youssef. De acordo com o dicionário "Aurélio", decoro quer dizer "dignidade moral, honradez, nobreza, decência". Os Conselhos de Ética das duas Casas do Congresso Nacional deveriam mudar o nome desse tipo de exigência, uma vez que faz muito tempo que esses atributos não existem mais por lá...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO

O deputado André Vargas, aquele que, na sua Casa, teve vontade de dar uma "cotovelada" em Joaquim Barbosa e até levantou o braço com o punho cerrado ao lado do ministro, mostrou ser igual aos condenados pelo mensalão, que fizeram esse gesto ao serem presos. Veja-se a comparação: ele está envolvido com negócios escusos com um doleiro preso, enquanto o ministro Joaquim Barbosa é honrado e benquisto no País inteiro. Por que a vontade da cotovelada? Nem Freud explicaria.

Benedito Silvério Ribeiro beneditosilverioribeiro@ig.com.br

São Paulo

*

A CASA CAIU

Como diz a Polícia quando flagra um bandido, "a casa caiu". Exatamente o que aconteceu com o deputado André Vargas. O gesto racista dando uma banana a Joaquim Barbosa deu um tremendo azar, atraiu forças negativas e deu nisto: vai ficar provavelmente nas mãos do nosso guardião da Justiça e protetor da Carta da República, hospedado na Papuda. A cada escândalo denunciado neste partido, ficam cada vez mais fracos os argumentos dos juízes do STF que absolveram os mensaleiros do crime de formação de quadrilha e fica claro que não se trata só de uma quadrilha, mas de uma facção criminosa, tal é a quantidade de delitos.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

NOCAUTE

O deputado André "Cotovelada" Vargas foi nocauteado. Mais um petista é flagrado com a mão na botija. Nunca antes neste país tivemos um partido tão corrupto e um povo tão ignorante.

Jose Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

ENSAIO

Ninguém se deu conta, mas o gesto do deputado André Vargas (PT/PR) dia 3/3, à moda nazista/Zé Genoino, na mesa da Câmara nada mais foi do que um ensaio para as fotos de seu vindouro ingresso no Presídio da Papuda.

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br

São Paulo

*

CANA BRAVA

Rogo que o deputado André Vargas (PT-PR) erga novamente seu braço e com punho cerrado, só que desta vez quando ele estiver adentrando o Presídio da Papuda.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PAGANDO O PATO

"Quem paga o pato é o PT", disse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre os fatos relacionados ao deputado André Vargas (PT). Quem manda oferecer legenda a fabricante de malfeitos.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

CARA DURA

O deputado André Vargas é de um caradurismo digno de nota. Teve a coragem de subir à tribuna e proferir um discurso recheado de mentiras e ameaças, esquecendo-se de que tudo o que foi revelado sobre si está comprovado pela Polícia Federal. Falou sobre um "massacre" midiático, seja lá o que isso significa, achando que desta forma poderia enganar alguém. Infelizmente, boa parte da população brasileira pouco acompanha por qualquer mídia a vida política brasileira e talvez nem tome conhecimento do malfeito, mas felizmente quem costuma se inteirar sabe que a casa do deputado caiu e talvez somente ele não tenha percebido.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

ERA UM SINAL

Levantou o punho fechado em riste, pode apostar: aí tem... André Vargas, o "imprudente", deve estar se mordendo de raiva por ter dado tamanho mole para o azar. Podia muito bem continuar a viver sossegado na profícua cadeirinha, mas foi fazer aquele gesto e, agora, seu festival de tramoias se escancara no noticiário.

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

*

FINANCIAMENTO DE CAMPANHA

Parece que o STF precisará tirar da cartola outro meio para doações de campanha que não seja pessoa física. O deputado afastado por corrupção André Vargas (PT-PR) responde processo desde 2006 por usar sem consentimento nome de várias pessoas para doação de campanha. Prova de que este método deve ser praxe entre políticos há muito tempo e comprovando também aquelas doações muito mal explicadas aos mensaleiros, cujo engodo o povo brasileiro até hoje não engoliu. O deputado André Vargas não passa de uma muriçoca baixo-clero, imaginem os figurões do partido. O STF vai precisar usar de muita massa cinzenta para descobrir como financiar campanha com dinheiro limpo!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

RODOVIA BLOQUEADA

Na quinta e na sexta-feira (10 e 11 de abril), por volta do meio-dia, grupos de desocupados (só poderiam ser desocupados) bloquearam a Rodovia Raposo Tavares, no km 19, próximo ao Rodoanel. O ponto do bloqueio é particularmente crítico, pois não há rota de escape e força a paralisação total da rodovia e bloqueio parcial do Rodoanel. Foram quilômetros e quilômetros de veículos parados, incluindo ambulâncias, carros de polícia, ônibus, caminhões, etc., etc. Ontem estive entre os retidos e vi que os desocupados somente interromperam o bloqueio com a chegada de guardas da PM, que solicitaram sua saída da pista. Quando passei por eles, eu os vi rindo entre si e conversando com o guarda. Deviam estar rindo satisfeitos pelos transtornos que causaram. Soube pelo rádio que eram funcionários da Fundação Casa, pedindo aumento de salários. Se forem mesmo, trata-se de funcionários públicos, pagos com nossos impostos, judiando de nós. Em qualquer outro lugar esses indivíduos estariam sendo identificados para serem demitidos do serviço público e para cumprimento de penalidades legais. O governo que temos é excepcionalmente frouxo. Governador, vai ficar por isso mesmo, na conversa de meio-fio?

Wilson Scarpelli wiscar@terra.com.br

Cotia

*

PROPAGANDA DISPENSÁVEL

É irritante e desanimador ver o desperdício do governo de São Paulo com a intensa veiculação de propaganda institucional na televisão, em várias inserções diárias de anúncios mostrando a "superpolícia" paulista, com algumas poucas centenas de novos carros adquiridos, e comparando seu efetivo aos da Marinha e da Aeronáutica somados. Vários outros veículos e equipamentos poderiam ser comprados com as generosas e inúteis verbas despendidas em produções caríssimas para promover a instituição, enquanto os índices de criminalidade permanecem os mesmos, se não crescentes. Pergunto ao sr. secretário da Segurança Pública de São Paulo: qual o valor total gasto com essa série de anúncios?

Luiz M. Leitão da Cunha luizmleitao@gmail.com

São Paulo

*

SAQUEADORES

É inegável que são execráveis os atos de vandalismo dos ocupantes recém-expulsos, ontem, da improvisada Favela da Telerj, no Rio de Janeiro. Que tal, então, examinar com muito maior indignação e afinco os saques de valores incomparavelmente mais elevados cometidos por vândalos de gravata contra a Petrobrás, com o conluio de funcionários daquela empresa? Essa apuração e punição indispensáveis estão sendo bloqueadas pelo governo.

Claudio Janowitzer cjano@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

‘1964 - UM TESTEMUNHO’

Cumprimento o jornalista Fernão Mesquita pelo seu artigo publicado no "Estadão" no dia 7/4/2014 ("1964 - Um testemunho"). Nele foi dito tudo o que precisava ser dito em prol da verdade sobre o que realmente aconteceu naquele ano 1964, um movimento cívico de toda a sociedade, contra o regime socialista/comunista que desejavam implantar no Brasil. A tal "Comissão da Verdade" deveria ler e refletir sobre o artigo, que serve também para esclarecer os jovens, meus netos em particular, sobre esse movimento tão deturpado por alguns políticos, que naturalmente agem movidos por interesses pessoais.

Maria Luiza Novaes luiza.novaes@terra.com.br

São Paulo

*

‘UM TESTEMUNHO’

O "testemunho" delirante de Fernão Lara Mesquita (7/4, A2) é vergonhoso e carregado de má-fé. Confunde conceitos e tenta simplificar problemas como violência do Estado sob ditadura versus violência urbana contemporânea. Justifica o injustificável. O jornal, tão íntimo de José Serra, poderia ler o que o ex-governador diz sobre a falsa "ameaça comunista de 64". Ou Almino Afonso: ministros de Jango eram João Mangabeira, San Tiago Dantas, José Ermírio de Morais. "Quem deles faria, com o presidente, qualquer trama golpista de caráter comunista? A falsidade espanta. É um absurdo tão imenso que me espanta que tenha prosperado de uma maneira que era literalmente repetido por toda a imprensa. Tudo bem mandatos cassados de 5 governadores, 11 prefeitos, 51 deputados? Ninguém tinha sido fuzilado? Nenhum estudante no Rio na tarde do golpe foi fuzilado, colunista? Ninguém tinha sido preso? Ninguém tinha sido torturado? Que tal o deputado estadual mineiro Sinval Bambirra, preso em 30 de março de 1964 durante as articulações do golpe? Torturado pelo Exército e pela polícia, ficou preso até 1966 e deixou a prisão com o tímpano perfurado e traumatismo craniano. Jornalismo canalha esse, que ainda tenta limpar a barra ao dizer que o jornal passou a "combater" os militares em 1965.

Roger Moreira roger20_11@yahoo.com.br

São Paulo

*

REVISÃO DA LEI DA ANISTIA

A presidente Dilma Rousseff já se manifestou, por várias vezes, que seu governo não tomaria a iniciativa de alterar a Lei da Anistia. Entretanto, parlamentares de partidos da sua base aliada patrocinam anteprojetos de lei visando a realizar a revisão da citada lei, sempre no pressuposto de que só houve um lado negro na guerra interna, o dos agentes do Estado, e que estes devem ser punidos, restando anistiados os guerrilheiros e terroristas que buscavam implantar a ditadura do proletariado por aqui. Como anistiada e governante de todos os brasileiros, seria de bom alvitre que a presidente desestimulasse tal iniciativa. Afinal, tem suficientes mecanismos políticos para arrefecer os ânimos dos seus aliados no Congresso Nacional. Basta querer. Ou depois terá de exercer o seu poder de veto, correndo um risco de vê-lo derrubado, com enorme desgaste. A conferir.

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.