Fórum dos Leitores

PETROBRÁS

O Estado de S.Paulo

16 Abril 2014 | 03h50

A coisa está feia

Em discurso em Ipojuca (PE), a presidente Dilma Rousseff disse que a Petrobrás tem o tamanho do Brasil - só se for nos rombos. Dilma ludibriou a plateia citando números e dizendo que a empresa é do povo brasileiro. Depois de cair do 12.º lugar para o 120.º, agora é do povo, que certamente vai arcar com o prejuízo de uma gestão incompetente. Mas o brasileiro é bonzinho, perdeu o que aplicou em ações, vai pagar o rombo e deixar o Brasil ser comandado pelo partido que está levando o Brasil ao fundo do poço. O governo do PT, que tanto combateu as privatizações, tinha razão: se a estatal fosse privatizada, eles não poderiam ter "roubado" tanto dinheiro. A coisa anda tão feia dentro da Petrobrás que a presidente, juntamente com Graça Foster, foi presentear, na cerimônia de batismo do navio petroleiro Dragão do Mar, funcionária da Transpetro com um pingente de ouro e na hora H a joia tinha sumido. Deve ter sido o dragão que comeu. E pensar que ainda há tolos aplaudindo o feito.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Privatização

Dilma reeditou a estratégia do PT nas eleições de 2006 e 2010 de atrelar o PSDB à intenção de privatizar a Petrobrás. Dona Dilma se equivocou ou está mal informada. A Petrobrás já está privatizada, sim. Ela é do PT.

SÉRGIO LUIZ CORRÊA

seluco@uol.com.br

Santos

PeTebrás x Petrobrax

Dona Dilma culpa novamente os adversários políticos no caso da Petrobrás. Tudo de ruim que os petistas fazem, claro, nunca é culpa deles, mas sempre dos outros. Esse mecanismo psicótico é parte do "fazer o diabo" para ficar lá a qualquer custo. Em solenidade ao lado de Graça Foster, a amigona conivente, mencionou em tom raivoso que a oposição sempre quis privatizar a empresa, alegando que FHC desejava até mudar-lhe o nome para Petrobrax, omitindo, porém, a boa intenção do então presidente de tornar mais fácil a internacionalização do nome da empresa. Se o PT não privatizou a Petrobrás, destroçou-a e tentou dela se apoderar, talvez para dar-lhe um novo nome, mais condizente com seus objetivos ocultos: PeTebrás. Quer dizer, internacionalizar não vale, mas aparelhar e partidarizar no mais puro estilo sindicalista (no mau sentido), em que tirar vantagem é a regra, isso pode! Em que fria este país se meteu elegendo gente que não ama a Pátria, mas tão somente o poder. Socorro!

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@terra.com.br

São Paulo

Não é questão de nome

Lenin recomendava aos companheiros comunistas que atribuíssem aos adversários o que eles próprios faziam: "Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é". Fiel a esse caro ensinamento, que seguramente traz desde os tempos da luta armada, mas agora acantonada em outra trincheira - defendendo com unhas e dentes sua reeleição -, a camarada Dilma Rousseff, à vista das grossas camadas de lama em que se vê envolvida a Petrobrás, resolveu acusar a oposição de lhe "ferir a imagem" e fazer campanha contra a petroleira por motivação política. Nesse desiderato, aduziu que a oposição quis mudar o nome e privatizar a empresa. Ora, FHC não fez uma coisa nem outra. Quem maculou a imagem da Petrobrás foi o governo do PT, que conseguiu nos últimos cinco anos sangrá-la em valor de mercado, endividando-a e fazendo-a assunto das páginas policiais dos principais jornais do País. Se ao tempo de FHC (2001) a plataforma P-36 adernou e o PT explorou o mais que pôde o episódio, dele extraindo dividendos políticos, hoje vemos a empresa inteira afundando, enquanto a "presidenta" pede o silêncio da oposição. De outro bordo, não tem cabimento Dilma especular sobre supostas intenções tucanas quanto ao nome da petroleira. Ainda que houvesse planos para mudá-lo, melhor uma Petrobrax lucrativa e bem administrada do que uma Petrobrás desgastada e quase insolvente, derretendo o patrimônio de seus acionistas. Em vez de acusar a oposição e nela procurar pretéritos e hipotéticos bodes expiatórios, melhor faria Dilma - que se diz a favor da transparência - se abrisse a caixa-preta daquela que um dia foi chamada a "joia da coroa" e deixasse a Nação prospectar as diversas camadas de "malfeitos" que ali se acumulam, em consideração ao "povo que a construiu com tanto suor e lágrimas".

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Exclusividade

Sábio o discurso da presidente Dilma. Realmente, ninguém tem o direito de denegrir a imagem da Petrobrás e destruir a empresa. Esse "direito" é reservado exclusivamente a ela e ao PT.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Dedução óbvia

Quem será que a presidente pensa "tapear" quando fala em defender a Petrobrás? Se as pessoas envolvidas nas falcatruas e nos escândalos da estatal foram indicadas e/ou abonadas pelo PT, deduzo que ela esteja falando do seu partido. Ou seja, em última análise, a Petrobrás tem de ser protegida até mesmo da própria presidente...

DOCA RAMOS MELLO

ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

Dilma tem razão

Não se pode tolerar que acabem com a Petrobrás - nem com a Eletrobrás, o Ipea, o IBGE... Tampouco é possível que se tolere a pouca-vergonha que toma conta da coisa pública neste país. Espero ainda que a Nação recobre minimamente sua consciência cívica e se manifeste num bota-fora muito superior ao de Fernando Collor em 1993, em "homenagem" aos atuais destruidores do patrimônio nacional, durante a Copa, quando todo o mundo assistirá ao que de fato nos fizeram. O escracho a que Dilma se refere ficará evidente. Afinal, quem ela acha que é o responsável, Pôncio Pilatos?

OSWALDO COLOMBO FILHO

colomboconsult@gmail.com

São Paulo

Gestão temerária

Será que ninguém vai dizer a Dilma, primeiro, que ela é presidente do Brasil, o que ela ainda não sabe, com toda a certeza; e, segundo, que a luta que se está travando no momento não é para destruir a Petrobrás, mas sim salvá-la. E, principalmente, para impedir gestão temerária novamente e responsabilizar os que a cometeram. O que, aliás, deveria estender-se a toda a administração pública brasileira, como, por exemplo, no caso da transposição do Rio São Francisco, cuja barbaridade não tem nome, e ninguém toma conhecimento ou providência para acabar com mais essa vergonha nacional.

SEBASTIÃO HETEM

sebahetem@ig.com.br

Taiuva

*

GRAÇA FOSTER NO SENADO

Assisti ao depoimento da presidente da Petrobrás no Senado. Lembrei-me então dos personagens de Chico Anysio. Ela é muito parecida com a Biscoito ou Dona Bella no aspecto fisionômico. Suas explanações me lembraram das falas de Rolando Lero, Sambarilove ou mesmo Dirceu Borboleta. Isso significou um vazio e, o pior, ao contrário dos humoristas que caracterizaram os personagens antes citados, não teve graça (coincidência) nenhuma. Era um blablablá dela e um blábláblá dos senadores. Nada de útil foi extraído. Acho melhor deixar a Polícia Federal (PF), o Ministério Público (MP), o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria Geral da União (CGU) fazerem as investigações e darem férias coletivas aos congressistas.

Iria de Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

QUEM?

A presidente Dilma Rousseff vai a Pernambuco, no interior, e fala pela primeira vez sobre a compra desastrosa da refinaria de Pasadena, no Texas, e que o governo vai apurar "quem" prejudicou a Petrobrás, doa a quem doer, blablablá. Deve ter recebido instruções do ex-presidente Lula da Silva, pós-graduado em mentiras, fazendo afirmativas repetidas para conquistar seu eleitorado. Tais escândalos são do governo anterior. Ela sabia dos fatos, pois presidia o Conselho da Petrobrás. Depois que o "Estadão" fez as denúncias, ela vem com esta conversa? E o deputado André Vargas (PT)?

Celso de Carvalho Mello

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

SIMPLES ASSIM

Graça Foster vai ao Senado, defende Dilma e as ações caem 3%. Sobre esse tema, cada vez que alguém vai defender o indefensável, dá nisso. Continuando assim, as ações da Petrobrás vão virar pó como as da OGX.

José Sergio Trabbold

jsergiotrabbold@hotmail.com

São Paulo

*

SEM CONFIANÇA

Após a penada do governo no Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), a confiança necessária para liderar uma marcha a caminho do sucesso esvaiu-se. Portanto, o sacrifício da sra. Foster tentando minimizar a participação da sra. Dilma no episódio das refinarias foi em vão, já que cada palavra parecia fazer parte de um texto destinado a consagrar a mentira.

Caio Augusto Bastos Lucchesi

cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

*

DESINFORMADOS

Mais uma prova de que o PT é o partido dos que não sabem das coisas. Lula não sabia do mensalão e Dilma não sabia das cláusulas do contrato de compra de Pasadena.

Robert Haller

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

CRENÇA SUPERFATURADA

Em discurso diante da presidente Dilma Rousseff, a dirigente da Petrobrás, Maria das Graças Foster, disse, numa eloquência artificial e forçada, acreditar "mil vezes" na empresa petrolífera, envolvida em graves denúncias de corrupção. Pelo que se percebe, até a crença de Foster na Petrobras é superfaturada.

Túllio Marco Soares Carvalho

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

VENDILHÕES DO PATRIMÔNIO PÚBLICO?

Certas notícias nos deixam com água na boca, como: "Petróleo eleva renda da Noruega a nível recorde". Em seguida o artigo da jornalista Suely Caldas "A Petrobrás capturada" nos mostra como nossa petroleira é sujeita à roubalheira deslavada em todos os setores aliciados pelos políticos de plantão, acuando os próprios funcionários de carreira da empresa a se corromper. Afirmação confirmada por um representante do MP no TCU que mostra que a estatal sofre com má gestão e ingerências políticas desde 2005. Essa grande maracutaia herdada por Graça Foster irá trazer muitas dificuldades para ela explicar o inexplicável para afastar uma possível CPI.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

PASADENA

Se não foi um bom negócio para a Petrobrás, para quem terá sido? A senhora Foster sabe? O PT sabe?

Luiz Nusbaum

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO TEM GRAÇA

Dona Graça disse que a Petrobrás não é uma quitanda, mas tem cada abacaxi e cada pepino que dá gosto. Coisa mais sem graça essa má gestão.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

PETROBRAS NÃO É QUITANDA

Petrobrás está mais para sacolão do que para quitanda.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

FALHA DE GESTORES

Dona Graça Foster declara que acredita na Petrobrás "mil vezes", mas, para mim, mil vezes é muito pouco, se considerarmos a escala atual de incompetência da empresa. Para fazer jus à presidência, ela tem de acreditar, no mínimo, um bilhão de vezes.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

OPOSIÇÃO FAZ ‘CAMPANHA POLÍTICA’

Como se oposição neste país fizesse outra coisa. Oposição serve para reclamar de qualquer coisa, não para o bem do País, mas para ver se consegue nomear para algum cargo público um parente ou um amigo. Quando o PT era oposição, fazia igual. Ridícula é aquela foto da oposição com um monte de deputados e senadores, sem nada mais útil para fazer, indo de terno e gravata, a pé, para o Supremo Tribunal Federal (STF) para fofocar sobre a CPI da Petrobrás. Deputados, senadores e magistrados falam nos autos, e não em volta de uma xícara de café ou de um copo de uísque.

Arcangelo Sforcin Filho

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

PERSEGUIÇÃO

Os políticos alegam sempre perseguição política para justificar seus malfeitos. Assim, daqui a pouco os bandidos vão alegar perseguição policial para seus atos, e com razão.

Washington D. Quintas

washingtonimov@uol.com.br

São Paulo

*

CONTRA A PETROBRÁS?

"A compra da refinaria de Pasadena pela Petrobrás foi um mau negócio", declarou sua "presidenta" Graça Foster. Será que ela faz parte da oposição na campanha contra essa estatal? De acordo com a "presidenta" Dilma Rousseff, parece que sim.

Silvano Corrêa

scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

OPORTUNISMO

O momento eleitoral, para algumas pessoas, é que determina seus procedimentos. Como no caso do candidato Aécio Neves, que em oito anos de mandato abortou todas as tentativas de CPIs contra seu governo. Agora, afirma que assinaria qualquer CPI. É mesmo um candidato oportunista, como demonstra o que está fazendo em relação a uma CPI contra o atual governo federal.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

VASSOURA NOVA

Enquanto a ONU cobra rapidez de países na adoção de combustível limpo, na Petrobrás todos os esforços vão no sentido de limpar a barra do Conselho, da diretoria, do governo federal. Triste ironia brasileira. A presidenta Dilma começou e vai acabar da mesma maneira: fazendo faxina. Mas como diz o velho ditado: "vassoura nova varre bem".

José Leonardo de Moura Coutinho Filho

leo.coutinho@uol.com.br

São Paulo

*

POLÍTICOS E A GESTÃO

O que está acontecendo com a Petrobrás é um ótimo exemplo da péssima gestão que nossos políticos assumem como governantes. Precisamos começar a discutir sobre a profissionalização de políticos. Já chega de ver tudo que é relacionado ao governo (serviços públicos e empresas públicas) ser administrado de uma forma medíocre.

Rafael Brandão Oliveira Martins

rbomartins@yahoo.com.br

Guarulhos

*

IBGEM

Seguindo à risca a cartilha dos regimes totalitários, o governo decidiu adiar a divulgação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua a fim de esconder e omitir da população, às vésperas das eleições, o registro da alta do índice de inflação e da taxa de desemprego. À Cristina Kirchner, o "vale-tudo-me-engana-que-eu-gosto" do governo pela reeleição de Dilma quer fazer do centenário (143 anos) IBGE um IBGEM: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística "Maquiada". A que ponto chegamos?

J. S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

PESQUISAS DUVIDOSAS

Se o governo não consegue acertar as informações corretas do IBGE, o que será de nosso país e da população com as pesquisas distorcidas e/ou batizadas? Lembrando que identificar o problema corretamente é mais importante do que uma maravilhosa solução que não vai funcionar por parâmetros equivocados.

Nelson Pereira Bizerra

nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

DESCRENÇA NOS ÓRGÃOS DO ESTADO

Lamentavelmente, desfiguraram todos os órgãos de Estado: agências reguladoras, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e IBGE. E até um instituto de pesquisa. Todos foram literalmente aparelhados pelo governo do PT. Já estamos duvidando até dos índices da Fundação Getúlio Vargas (FGV), uma entidade privada, porém com vários adeptos do lulopetismo. A apuração dos indicadores já se equipara à Argentina e à Venezuela. O que futuro nos reserva?

Anival Fillip

aniverofil@uol.com.br

Santos

*

EDITORIAIS

É motivo de alívio e de reafirmação da democracia a publicação no "Estadão" dos editoriais deste domingo, dia 13/4: "O IBGE sob domínio petista", "De perguntas e respostas" e "A bomba na conta de luz". É a liberdade de imprensa que nos garante acesso a todo tipo de opinião, tornando possível avaliar melhor tudo aquilo que afeta nossa vida diretamente. Os editoriais de domingo demonstram cabalmente o que seria deste país, se o jornalismo sério e independente não tivesse tido a possibilidade de nos trazer a essência do caráter de um governo que, com unhas e dentes, tenta por todos os meios escamotear a verdade, seja manipulando números, maquiando índices e, agora, por meio do IBGE, sonegando informações, pois, afinal, segundo as palavras da própria mandatária, pode-se "fazer o diabo" para ganhar as eleições, a única obsessão deste grupo no poder. Obrigada, "Estadão"!

Eliana França Leme

efleme@terra.com.br

São Paulo

*

INTERFERÊNCIA NO IBGE

Quem pensava, como eu, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) era totalmente independente e que o governo Dilma teria de mudar o discurso eleitoral nos palanques com índices de desemprego mais realistas por meio do novo modelo de pesquisa "Pnad Contínua" - suspenso até janeiro 2015 -, acabou caindo do cavalo, pois os interesses políticos do PT e dos partidos governistas acabaram predominando.Como o poder é fascinante e embriagante. Vale tudo!

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

OS NÚMEROS DELES

Para um governo acostumado a manipular números para ficar bem na fita, alguém duvida de que a pesquisa do IBGE poderá ser publicada com as convenientes emendas?

Odilon Otávio dos Santos

o.o.snts@hotmail.com

São Paulo

*

PT ATACA NOVAMENTE

Pronto, mais um bastião da seriedade e da competência está sendo atacado pelo PT: o IBGE. Se os resultados da pesquisa Pnad não são do agrado da máfia petista e podem prejudicar a campanha da dona Dilma, vamos adiar a divulgação dessas informações para 2015 - depois das eleições. Esse é o lema deste ajuntamento de estelionatários: tudo que os prejudica é escondido embaixo do tapete. Mais um órgão que está sendo cercado pela camarilha comandada por Lula. Mas, pelo menos, estamos sentindo a resistência de verdadeiros profissionais, que ameaçaram demissão coletiva caso os resultados das pesquisas não fossem divulgados. Vamos dar força para essas pessoas, que ainda têm dignidade e vergonha na cara, ao contrário de milhares de outros, cooPTados pelo partidão, que preferem manter seu emprego a fazer algo verdadeiramente digno das profissões que exercem. Parabéns aos profissionais que se rebelaram!

Geraldo Roberto Banaskiwitz

geraldo.banas@gmail.com

São Paulo

*

SILÊNCIO

O Tribunal de Contas da União vai ser silenciado, como foi o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística? Nesta toada, rapidamente alcançaremos nossos hermanos argentinos e sua excelentíssima presidenta Cristina Kirchner.

Filippo Pardini

filippo@pardini.net

São Paulo

*

O BRASIL DOS EVENTOS ESPORTIVOS

Quem foi o maior responsável por o Brasil ser sede da Copa do Mundo e da Olimpíada na sequência? Lá atrás, fizeram questão de aparecer na foto. Com a palavra, o ex-presidente Lula. Embale a criança agora!

Mário Issa

drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

*

FALTA DE PLANEJAMENTO

Obras da Copa atrasadas, obras dos Jogos Olímpicos, canal do Rio São Francisco, usinas geradoras aguardando linhas de transmissão, promessa de trem-bala, etc. Enquanto nossos dirigentes não mudarem o seu comportamento, continuaremos a ser o País da gambiarra, do quebra-galho e do puxadinho. Jamais do Primeiro Mundo! Concorrências baseadas em anteprojetos, e não em projetos executivos, são ótimas para quem ganha a obra e péssimas para quem as paga, pois deixam o governo totalmente vulnerável à revisão de preços e prazos.

Níveo Aurélio Villa Atibaia

niveoavilla@terra.com.br

São Paulo

*

MAIS ALGUNS BILHÕES DO NOSSO BOLSO

Não nos esqueçamos de anexar à conta do sr. Lula, além dos gastos inimagináveis da Copa, dos assaltos à Petrobrás e à Eletrobrás, os gastos de mais algumas dezenas de bilhões com a Olimpíada de 2016, que, para a maioria dos países desenvolvidos, é muito mais importante que qualquer Copa de futebol. O megalomaníaco de Garanhuns vai aproveitar os holofotes para locupletar os seus amigos empreiteiros.

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

JOGOS OLÍMPICOS

A sangria com o dinheiro público parece não ter fim. Não bastasse a construção de estádios para a Copa do Mundo, agora querem mais recursos para os Jogos Olímpicos de 2016. Com essa impensada ação, o endividamento público ficará impagável e a esperança de reaproveitamento dos locais dos jogos é mínima. Queremos ser nação de Primeiro Mundo para grandes espetáculos sem medir as consequências dos prejuízos do dia seguinte.

Yvette Kfouri Abrão

abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

FALSA GERENTONA

Tem muita gente boa torcendo para o Brasil perder a Copa, simplesmente para a vitória não se tornar sucesso pontual para beneficiar a maléfica candidatura de Dilma. Nem no campo futebolístico a presidente conseguiu demonstrar a sua lendária fama de gerentona.

Geraldo Siffert Junior

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

COPA, UM MAL PARA TODO O PAÍS

Meu nome é Marco Barmak Fainguelernt, tenho 15 anos e estudo na escola Vera Cruz. Vou defender por que a Copa do Mundo não deveria ser sediada no Brasil. Num evento privado, patrocinado pela Fifa, deveria ter sido usado o dinheiro dos clubes para fazer estádios de milhões ou até bilhões de reais, mas na verdade foi do bolso da população brasileira que veio esse dinheiro. Antes de fazer uma aventura dessas, teria de ter sido feito um plebiscito, mostrando números e opções. Os bilhões gastos em estádios poderiam ter sido gastos em setores mais carentes do Brasil: estradas, escolas, transporte e hospitais. O pior de tudo é que mesmo os que reclamam da Copa vão para os estádios torcer para sua seleção. Os políticos que contrataram essa barbaridade não vão vir ao público se retratar, porque, afinal, aqui é Brasil, o País do futebol, onde tudo está certo.

Marco Barmak

marcofaing@hotmail.com

São Paulo

*

A RENÚNCIA DE ANDRÉ VARGAS

André Vargas (PT-PR), deputado pego em grampo (com ordem da Justiça) armando ficar milionário com dinheiro roubado da PeTrobrás, disse que renuncia ao mandato para evitar desgastes familiares. Engraçado! Eles roubam pensando na família, que fica numa boa usufruindo do delito, e saem provavelmente quando familiares ficam constrangidos perante a sociedade que foi roubada. Se a sociedade brasileira trabalha pensando na família e os políticos roubam pensando na deles, nada mais justo que essa mesma sociedade lhes cobre pelo delito, incluindo familiares. Porque nós sabemos quanto pagamos, já eles desconhecem, porque apenas usufruíram! É o custo a pagar, ou não é?

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

SOBRENOMES TERMINADOS EM ‘SSEF’

O caso do deputado André Vargas, que tem um doleiro amigo chamado Youssef, que deu muito lucro ao deputado, leva a comparar com a presidenta Rousseff; ambos deram prejuízo à Viúva. Se reeleita, vai continuar na sua tarefa.

Mário A. Dente

dente28@gmail.com

São Paulo

*

‘COSA NOSTRA’

André Vargas, o truculento deputado petista que pretendeu meter uma cotovelada no presidente do STF, Joaquim Barbosa, lamentou a exposição de sua família com as revelações dos escândalos em que se envolveu. Nos filmes de máfia, que tratam de gente como ele, quando o protagonista expõe a "família", a renúncia não basta: é melhor sumir do mapa.

Léo Coutinho

leo.coutinho@uol.com.br

São Paulo

*

MENOS UM

O deputado licenciado André Vargas (PT-PR) disse que vai renunciar porque ele já foi julgado. Por certo, foi a mídia golpista a culpada, pois, além do simples fato de o deputado ser amigo do doleiro, de ter admitido voar no jatinho de Youssef, Vargas foi flagrado em grampo da PF em que Youssef prometia a ele "independência financeira". Tudo isso parecia pouco, não fosse o trabalho da PF. Renunciando, o deputado terá tempo de proteger o que arrecadou nesse período e poderá futuramente montar o seu próprio lava-jato. Vou repetir o gesto do deputado como ele fez ao ministro Joaquim Barbosa: o País se livra de mais um.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

IMAGENS DE LEMBRANÇA

Na visita que o presidente do STF, Joaquim Barbosa, fez à Câmara dos Deputados, o vice-presidente da Casa, André Vargas, mesmo sentado ao seu lado, além de erguer o braço esquerdo com o punho fechado, em um claro deboche ao Poder Judiciário, usou um smartphone para se autofotografar duas vezes, cuidando para que Joaquim Barbosa aparecesse, aparentemente cochilando, na foto. Ao seu lado, uma senhora que presenciou e conferiu a molecagem quase morria de rir. Pena que não consegui identificá-la para acumpliciá-la.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

PAGANDO O PATO

Lula havia dito que o PT não poderia pagar o pato no lugar de André Vargas. Foi o suficiente para que ele fosse abandonado pelo partido, do qual era um dos mais importantes deputados. Com isso, quem vai acabar pagando o pato é o povo brasileiro, pois vai ter muita gente que vai continuar caindo naquela conversa mentirosa de que o PT é um partido que não rouba nem deixa roubar. Se não fossem a proximidade das eleições e o voto aberto no plenário da Câmara no processo de cassação a que seria submetido, ele estaria sendo prestigiado por seus iguais do partido.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

IMPEACHMENT

Com tantos malfeitos do governo atual, não está na hora de pedir o impeachment da nossa presidenta? O impeachment de Collor foi feito por muito menos do que isso. Quantos hospitais se construiriam com o dinheiro perdido na compra da refinaria dos EUA? Quantos hospitais se construiriam com o dinheiro gasto e desviado na Copa, que serviria para melhorar a saúde do nosso povo tão sofrido e maltratado pelo serviço público tão precário? Políticos insensíveis com coração de pedra. Onde estão os caras-pintadas, a UNE e a oposição que tem medo ou é incompetente para capitalizar todos os desmandos desse governo extremamente corrupto?

Guilherme dos Santos Neto

gltd@terra.com.br

São Paulo

*

PLANO DIRETOR

A extensa e detalhada exposição apresentada pela Comissão da Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo, na pessoa do vereador e urbanista Nabil Bonduki, correspondeu de alguma maneira às expectativas individuais dos aproximadamente 2 mil participantes. Deixou a desejar em termos de credibilidade, visto que muitos deles se manifestaram frustrados em face de promessas anteriores não cumpridas. Uma nova programação de audiências temáticas e regionais está sendo divulgada (datas, locais e duração sem viabilidade para quem trabalha). Será que isso vai funcionar? Atender aos propósitos? Ou seria melhor apurar as demandas por meio de pesquisas "pé no chão", partindo da premissa da disponibilidade efetiva de recursos, verbas, prazos, aspectos legais e de continuidade (independentemente de orientação partidária)? O Plano Diretor fica limitado às fronteiras do município de São Paulo, quando, na realidade, envolve 38 municípios com suas respectivas Câmaras Municipais.

Gunter W. Pollack

gunterwp@uol.com.br

São Paulo

*

DEPOIS DAS ELEIÇÕES

Até o fim do ano a Câmara Municipal, a pedido do prefeito, concedeu isenção de Imposto sobre Serviços (ISS) às empresas de ônibus. A gasolina vai ganhar mais 2,5% de álcool na sua mistura, e o aumento de preço somente chega para nós a partir de 2015. Preparem-se para viver o caos depois das eleições.

Paulo Maia Costa Júnior

paulomaiacjr@hotmail.com

São José dos Campos

*

ITUANO

Cumprimento, pela carta publicada no "Estadão" (15/4, A3), o leitor sr. Renato Khair. Só precisa adicionar que nossas autoridades deveriam intervir para que os clubes paguem suas dívidas, e não permitissem que as TVs antecipassem os valores de direitos de transmissão, como é o caso do Santos F.C., que já está recebendo as verbas de 2017.

Alvarez Aguiar

alvarez.atib@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.