Fórum dos Leitores

PETROBRÁS

O Estado de S.Paulo

23 Abril 2014 | 02h07

Absurdos

Paira no ar mais uma suposta fraude, agora na subsidiária da Petrobrás em Araçatuba (SP), a Transpetro, em licitação internacional no valor de US$ 239 milhões. Simplesmente inacreditável como o PTlulismo conseguiu dizimar a Petrobrás sem que até hoje tenham sido descobertos os verdadeiros culpados. Explicado está o grande empenho de Lula e Dilma Rousseff em evitar uma CPI sobre o caso.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Transpetro em Araçatuba

Filho de Birigui, com família morando ainda na Cidade Pérola da Noroeste, visito com frequência a região. Há meses conheci em detalhes a denúncia reapresentada pelo Estadão no domingo. O jornal já se havia reportado ao negócio nebuloso da Petrobrás para a construção de comboios que transportariam álcool da região até Anhembi usando a hidrovia. Indícios fortes de direcionamento e favorecimentos envolvem um projeto de mais de US$ 200 milhões e atingem autoridades municipais, autoridades com foro privilegiado, empresas e a Transpetro. O Ministério Público Federal investiga a questão há um bom tempo, teve seu escopo ampliado e está convencido das ilicitudes praticadas. Nenhuma das barcaças que deveriam ter sido entregues em meados de 2012 foi concluída e, se entregues, nada teriam para transportar, porque os terminais não foram construídos. Mais: o calado de 3 metros das barcaças excede o permitido para a hidrovia no trecho, que é de 2,70 m. Infelizmente, é assim. Na Petrobrás, se apertar, o que sai não é petróleo.

MILTON F. M. LAUTENSCHLAGER

miltonflaviol@gmail.com

São Paulo

Problemas

O poço de problemas da Petrobrás é tão imenso e raso que não se necessita de uma sonda de grande profundidade para prospectá-los e explorá-los. Eles afloram à superfície.

WALTER MENEZES

wm-menezes@uol.com.br

São Roque

Gestões petistas

Como Dilma Rousseff pode elogiar as gestões do PT na Petrobrás, se elas foram negativas, para não dizer catastróficas, desde que ela era chefe do Conselho de Administração, em 2006? O depoimento de José Sérgio Gabrielli ao Estadão foi claro, lúcido e objetivo. Os "negócios" da Petrobrás, sob égide dos governos petistas, todos já estamos sabendo. E não foi só Pasadena, mas muitos outros, pouco esclarecidos até agora. Uma empresa que já ocupou o 12.º lugar no ranking mundial e hoje está em 120.º não pode ser considerada bem gerida. Uma vez mais estão tentando enganar todos nós.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Pasadena

Qualquer pessoa que estivesse fechando a compra de uma empresa, por menor que fosse, em que o antigo dono permaneceria como sócio, com 50%, faria a inevitável pergunta: no caso da saída de um dos sócios, quais seriam as obrigações de quem fica e de quem sai desse negócio? Assim sendo, que me desculpem a presidente e os demais membros do Conselho de Administração da Petrobrás, onde pontuam empresários experientes e competentes: a desculpa de que não receberam nenhuma informação sobre um eventual futuro distrato no negócio não tem a menor justificativa nem cabimento. Se esse cuidado natural e indispensável tivesse sido tomado, a Petrobrás e o Brasil não estariam amargando um bilionário e irrecuperável prejuízo.

LUIZ ANTONIO ALVES DE SOUZA

zam@uol.com.br

São Paulo

Negociata

Na minha opinião, o Conselho da Petrobrás não examinou melhor Pasadena intencionalmente. Não duvido que a negociata com os belgas estivesse combinada desde antes de estes comprarem a sucata. Se a presidente é uma gestora, sou uma bicicleta.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

USP

Teto salarial

Gostaria de cumprimentar o Estado pela visão sistêmica que apresenta sobre a aplicação da emenda constitucional que estabelece o teto salarial para os servidores públicos e, no momento, está levando a um questionamento das contas de 2011 da USP, mas já afetou as contas de pelo menos outra universidade do sistema paulista público de ensino superior. Como a USP é a maior e a mais antiga, é a que tem um maior número de docentes, geralmente professores titulares, nessa situação. Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que o teto salarial do governador não é aumentado há muito tempo de forma a compensar as perdas inflacionárias e isso cria uma distorção até mesmo no âmbito da administração pública, visto que na esfera federal os valores são outros. Mas lei tem de ser cumprida e hoje a USP já está respeitando esse teto. Porém deveríamos aproveitar o debate para discutir se esse valor é justo. Um docente titular, depois de defender sua tese de doutorado, fez pelo menos mais dois concursos públicos, quando atinge esse teto tem mais de 30 anos de dedicação integral à universidade, geralmente domina mais de dois idiomas, tem reconhecimento internacional em sua área de atuação, participa de comitês nacionais e internacionais, dentre outras atividades. Seria o teto um salário comensurável com essa experiência? Outro ponto importante é que essa questão salarial não tem nenhuma relação com o ajuste orçamentário que se faz hoje na USP. De acordo com as informações da Comissão de Orçamento e Patrimônio da USP, as razões são outras, entre elas o número elevado de servidores docentes e não docentes, que hoje somam 22.697.

OSWALDO BAFFA FILHO, representante dos professores titulares no Conselho Universitário da USP, docente da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP)

baffa@usp.br

Ribeirão Preto

SEGURANÇA PÚBLICA

Polícia Civil

Ao contrário do que diz o leitor sr. Ruyrillo de Magalhães (19/4), o governo paulista está investindo significativamente na Polícia Civil. Só na atual gestão foram concedidos três aumentos salariais, um reajuste acumulado de 36,59%. Nos últimos três anos foram adquiridas 2.240 viaturas para renovação da frota. O efetivo está recebendo reforço de 2.805 novos policiais, a maior contratação da história da Polícia Civil. A melhoria e o aperfeiçoamento do trabalho policial também têm recebido especial atenção, como a recém-lançada nova etapa do Detecta. O novo sistema de monitoramento de crimes - o mesmo utilizado em Nova York - será uma importante ferramenta para melhorar a qualidade da investigação e o planejamento do combate à criminalidade.

PAULO DE TARSO, Imprensa SSP/SP

São Paulo

*

IMPEACHMENT DE DILMA

A CPI exclusiva da Petrobrás, terror tenebroso que recolhe os membros do governo e do PT à segurança inóspita das cavernas, não só apurará Pasadena, mas tudo o que se passou, vinculado ao objeto da Comissão. Tais verificações, porém, seriam despiciendas para caracterizar, senão o impeachment de Dilma Rousseff, na consciência generalizada do povo, sua absoluta improficiência para comandar nosso país, depois de admitir, com suas próprias palavras, que caiu, desculpavelmente (sic), por não examinar com atenção, no conto das cláusulas que obrigava nossa empresa a adquirir a outra, em caso de litígio e garantir-lhe rendimento mínimo expressivo, com ou sem lucros. Em qualquer país razoavelmente sério, a presidente de um Conselho Deliberativo que aprovasse tais cláusulas seria distanciada da ocupação de qualquer cargo público.

Amadeu R. Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

ATITUDE DE GRAÇA FOSTER

Os administradores das companhias devem ser escolhidos dentre pessoas probas e de sabida competência técnica. Com esses requisitos, a engenheira Graça Foster foi eleita presidente da Petrobrás por seu acionista controlador, que é a União, representada pelo governo federal. A Petrobrás é uma empresa de economia mista em que a União tem a maioria do capital votante, mas tem apenas 29% do capital que a compõe. Não é uma empresa de propriedade dos partidos que compõem a base do governo federal. Assim, a presidente Graça Foster não deve permitir que a Petrobrás continue a ser usada como plataforma de inserção de logotipo que aparenta ser um símbolo nacional, mas que é uma demasia inexplicável, com nítida inspiração eleitoral, identificadora do atual governo federal e dos partidos que lhe dão sustentação. Presidente Graça Foster, Vossa Senhoria tem a obrigação de servir com lealdade à Petrobras, que depende de si para conquistar a credibilidade necessária para realizar o seu objeto e cumprir sua função social. Por ter o poder de demiti-la, os políticos têm a certeza de que são os donos da Petrobrás, mas, perceba bem, presidente, eles não têm o poder para obrigá-la a servi-los e fazer malfeitos ou ilícitos de qualquer espécie. A Petrobrás não precisa de símbolos emprestados, mas de uma presidente de pulso e independente. Imponha-se como tal. É o que se espera.

Oriowaldo Dias de Lima

oriowaldo@gmail.com

Santos

*

DESVIANDO A ATENÇÃO

Se o xará José Sérgio Gabrielli teve a coragem de afirmar que a dona Dilma não pode fugir da responsabilidade pela decisão da compra da tal refinaria nos EUA, é porque a estratégia de defesa da presidenta já está "armada" para inocentá-la. Tudo não passou de uma nuvem de fumaça para desviar a atenção da oposição da possibilidade de se instaurar uma CPI exclusiva para investigar a roubalheira petista na Petrobrás.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

ATENÇÃO, PF

"Graças à política de compras da Petrobrás iniciada no governo Lula e desenvolvida no meu governo, renasceu uma indústria naval dinâmica e competitiva, que irá disputar o mercado com as maiores indústrias navais do mundo", disse a presidente, em seu programa "Café com a Presidente", segundo noticia o "Estadão" de segunda-feira (21/4). Está na hora de se investigar quem estaria levando vantagens nesse setor. Pode não ser apenas desvio de foco da Petrobrás. Atenção, Polícia Federal.

José Jorge Ribeiro da Silva

jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

*

DILMA FOI, É E SERÁ

Gabrielli, o ex-presidente da Petrobrás, homem de inteira confiança de Lula, diante do ônus que está captando pela compra de Pasadena, afirma que Dilma, como presidente do conselho da petroleira e chefe da Casa Civil na época, "não pode fugir à responsabilidade dela", e que o relatório entregue para análise da compra pode ter sido "omisso", mas que esse fato não foi relevante para a decisão da compra. Como uma verdadeira petista, Dilma jamais assumirá sua culpa ou responsabilidade, pois o mote dos petralhas foi, é e será sempre jogar a culpa nas costas de um bode expiatório. Os cidadãos pagantes já estão carecas de assistir a essa turma, durante esses anos todos, jamais assumir algum malfeito, por mais transparente e palpável que seja a responsabilidade do transgressor.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

BILHETE PREMIADO

Há uma evidente incoerência nas explicações do ex-presidente da Petrobrás sobre o escândalo de Pasadena, quando, por um lado, defende a compra, por ter sido um bom negócio, mas, de outro, divide sua responsabilidade com dona Dilma por participação na decisão final ("Estadão", A4, 20/4). Ora, se tivesse sido um bom negócio, não haveria toda esta celeuma nem existiriam responsáveis pelo ônus e, sim, autores do bônus. Seriam louvados como gestores competentes. De outra parte, julga-nos, brasileiros letrados não comprometidos com o PT, como idiotas ou imbecis, infinitamente mais tolos que os compradores do "bilhete premiado", pois querer nos convencer de que um objeto que valia US$ 42,5 milhões deva ser comprado por mais de US$ 360 milhões, no primeiro lance, para chegar a US$ 1 bilhão e US$ 300 milhões ao final, só pode ser um bom negócio para o barão belga e para seus apaniguados amiguinhos.

Antonio Carlos Gomes da Silva

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

*

FALTA DE ENTROSAMENTO

Será que não seria mais interessante e produtivo (até para o PT) que houvesse uma acareação ou pelo menos uma reunião entre Dilma, Gabriel, Cerveró e Graça, para que ao menos houvesse consenso, em uma declaração, sobre a injustificada patranha?

Ulysses Fernandes Nunes Jr.

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

GRANDE NEGÓCIO

O deputado Jose Guimarães (PT-CE) disse que o que falou José Sergio Gabrielli sobre a compra da refinaria de Pasadena não tem importância nenhuma, quando informou que Dilma Rousseff "não pode fugir à responsabilidade". Talvez, então, fosse importante pedir ao ex-presidente Lula que esclarecesse quem lucrou com o grande negócio.

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

A PETROBRÁS E O FUTURO

Pasadena, em 2006, foi só o começo. As ordens vinham de cima, em clima de festa, alegria e irresponsabilidade. Matéria do "Estadão" de 7/3/2009, pg. B6, escancarava a maneira de Lula decidir como usar a lucratividade da Petrobrás. A maior estatal do País tinha uma estratégia sigilosa para enfrentar a crise que previa adiar investimentos com o "olhar para o futuro". Lula, perante uma plateia de 500 pessoas, revelou a estratégia, desautorizou o presidente da empresa e mandou "gastar cada centavo" no PAC. A plateia riu e aplaudiu. Imagine-se o que se passava nos bastidores. A CPI focada na Petrobrás é necessária, sem mais delongas.

Gilberto Dib

gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

POLÊMICA EFÊMERA

O governo e o petismo acreditam que a polêmica sobre o escândalo na aquisição da refinaria de Pasadena vai passar logo, quem sabe em mais uma semana. Trata-se do monismo lógico dos petistas que leva ao fanatismo, a começar pelo ceticismo moral, mostrando que não há fatos morais quanto aos fins de seus interesses. Para eles, vampiros dos cofres, a bandalheira praticada com dinheiro público nada significa, desde que não prejudique nas eleições. A paralisia moral daqueles que só falavam em ética no governo, na procura da manutenção no poder, mostra, cada vez mais, o que nos espera, e de péssimo exemplo às novas gerações a que os assistem.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

VENEZUELAMOS

Um dos principais fatores na economia brasileira, que é a Petrobrás, está dominado. A Justiça e o Legislativo também estão dominados. Agora, chegou a vez de um controle rigorosamente favorável nas pesquisas, e o pessoal do IBGE reluta em não se subjugar. Tendo em mãos a faca, o queijo e a chave do cofre, está tudo dominado.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

AREIA MOVEDIÇA

Com a lama nos queixos, Dilma Rousseff repete que o resumo era falho. Com essa cândida justificativa, a presidente confessa que, para decisões relevantes, basta um resumo de duas páginas e meia. Essa celeridade inconsequente é o emblema do atual governo.

Helena Rodarte Costa Valente

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

DEIXA COMIGO QUE NÃO SEI DE NADA

Se Lula fosse quem diz que é, deveria assumir a candidatura à reeleição de seu poste Dilma Rousseff e dizer: "Deixa comigo". Se fosse realmente quem canta aos quatro ventos que é, assumiria a Presidência da República e mostraria ao povo brasileiro que a Copa do Mundo e a Olimpíada que ele inventou vão dar certo, vão dar muito mais lucro ao País do que à Fifa, vão dar muito emprego aos brasileiros e vão dar muito conforto também com o desenvolvimento da infraestrutura, dos transportes, dos portos, dos aeroportos, das estradas, etc. Se Lula fosse quem diz que é, assumiria a encrenca em que nos colocou e daria um jeito na economia, na saúde, na segurança, na política, na previdência, na falência iminente das grandes estatais e em tudo que foi prometido nesses 11 anos de promessas e mentiras populistas. Mas não, Lula nunca sabe de nada e nunca assumiu nada. Não é agora, com a casa de ponta cabeça, que vai assumir alguma coisa. Lula é malandro e esperto, o máximo que pode fazer é se esconder por mais quatro anos atrás do Instituto Lula, que foi criado para isso mesmo. Se tudo degringolar de vez, como está programado para acontecer, o estadista de Garanhuns voltará em 2018, como o grande salvador da pátria.

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

GOVERNO DILMA

Dilma não usa maquiagem, usa óleo de peroba. Vai ser cara de pau lá na Cochinchina.

Jose Roberto Iglesias

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

ESTE É O JEITO DO PT GOVERNAR

Em recente entrevista a um jornalista americano, Lula admitiu que uma parte das dificuldades até hoje encontradas para a realização de obras se dá por trâmites burocráticos, entre os quais licenças de todo tipo. O mais trágico é que "justifica" que essas aberrações foram criadas para dificultar o trabalho do governo, quando o PT era oposição, "sem levar em conta que, um dia, podíamos chegar ao poder", completa. Como visto, sua preocupação não era e parece que não é o desenvolvimento do País, mas a conquista e a preservação do poder a qualquer custo.

Luiz Nusbaum

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

PRESCRIÇÃO

Que o Brasil é o país da impunidade todos estão cansados de saber, mas uma grande e fundamental ajuda para esse sentimento é a justiça com sua lentidão, que ajuda, e muito, a prescrição dos crimes, principalmente àqueles que têm foro privilegiado.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

CORRUPTO É SEMPRE UM CORRUPTO!

Nenhuma ideologia e nenhum interesse político poderão justificar ser favorável à corrupção, a não ser que você seja um corrupto!

Eugênio José Alati

alatieugenio@gmail.com

Campinas

*

FAÇAM SUAS APOSTAS

O que será que tira o sono do governo brasileiro: as obras inacabadas da Arena Corinthians e demais estádios, ou a saúde do jogador Neymar, que está afastado e sem jogar no Barcelona, seu atual time, devido a uma lesão no pé esquerdo? Será que Neymar estará completamente recuperado para disputar a Copa e defender o Brasil? Segundo o "Financial Times", a presidente Dilma depende da vitória do Brasil na Copa de 2014 para garantir sua vitória e se reeleger em outubro deste ano. E o gigante, será que vai acordar novamente, durante os jogos da Copa? Façam suas apostas: Neymar, Dilma ou gigante? Eu aposto R$ 1.000,00 no gigante.

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

ITAQUERÃO

Jérôme Valcke, o secretário-geral da Fifa, voltou a criticar o Itaquerão, dizendo que o estádio só deverá ficar pronto no último momento, não sendo possível desperdiçar nenhum minuto para conseguir finalizar a obra a tempo da partida inicial da Copa. Mais um vexame que estamos sujeitos a passar, caso algo inesperado aconteça. Com isso, nem mais um eventual minuto de silêncio poderá ser respeitado nos jogos testes do estádio.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

PLANO B

O secretário geral da Fifa, Jerôme Valcke, voltou a criticar as obras do Itaquerão. Na visita às obras, não ficou ao lado do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Fez bem. Incompetência é contagiosa. Secretário, vais ficar criticando até o fim da Copa. O erro foi vocês terem escolhido o Brasil como sede, e o Comitê Olímpico Internacional (COI), a cidade do Rio de Janeiro para a Olimpíada. Vocês acham que as obras para a Olimpíada estão em estágio mais avançado? As federações já pressionaram o COI, que resolveu intervir, e já falam em plano B.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

TAÇA DA COPA

A taça da Copa chegou ao Brasil. Ela tem aproximadamente cinco quilos de ouro maciço. É bom mesmo estar blindada antifurto. Guarda armada protegendo. Porque mais que bandidos, temos medo mesmo é daqueles que organizaram e construíram a Copa. Quem superfatura obra debitando a conta na população brasileira rouba qualquer coisa!

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

UM FERIADÃO PARA SEMPRE

Após o feriadão, sempre se contabiliza o número de mortos, principalmente nas rodovias que acabam sendo o ponto final para muitos brasileiros. O excesso de velocidade, o desrespeito à sinalização de trânsito, além da embriaguês são os principais causadores de tantas tragédias anunciadas. Portanto, se uma pessoa sai com sua família e encontra um destes três personagens, pode perder a vida que nenhum DPVAT pode trazer de volta: um apressadinho, um sem educação do trânsito ou um bêbado. Ou até mesmo um três em um: um apressadinho sem educação e com a cara cheia. Não adianta correr das estatísticas, vá devagar para não se transformar em apenas mais um a menos.

Manoel José Rodrigues

manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

*

A DATA MAIOR

Caro leitor, qual é a data mais importante para você? Tenho certeza, a resposta será a do seu nascimento, pois foi quando tudo começou. Por isso é a mais significativa, a mais comemorada, a mais festejada por cada um de nós. E em nosso país são inúmeras as datas comemorativas dos nossos acontecimentos históricos. Mas, quando ele, o nosso País, "nasceu"? Claro que, historicamente, no dia 22 de abril, o do seu descobrimento oficial, inclusive com certidão de nascimento, a carta de Pero Vaz de Caminha. Mas será esse dia comemorado por alguém? Infelizmente, a resposta é não! No entanto, o dia anterior (21) é feriado nacional (Tiradentes) e o posterior (23), também (São Jorge). Por isso, pergunto: será o Brasil importante para os brasileiros?

Nilton de Freitas Guimarães

nfguimaraeseo@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ABUSO DE ÁGUA

Pago meus impostos em dia, sou uma cidadã honesta e não acho justo ser punida pela incompetência e falta de planejamento do governo de São Paulo pela falta de água. Se os relógios da Sabesp marcarem consumo elevado de água, ninguém vai perguntar se estou com obras em casa, por exemplo, ou algo que justifique o consumo acima do usual. Mas alguém pode perguntar por que o governo não resolve um problema recorrente nos últimos anos? Incompetência e falta de planejamento do governo deveriam pagar multa para a população, cansada de ser explorada.

Fernanda Guimarães Pateo

feguidupa@hotmail.com

São Paulo

*

O POVO É A VÍTIMA

O "Estado de São Paulo", de ontem, 22/4, dá a notícia de que, no município de Osasco, Região Metropolitana de São Paulo, 34 ônibus da Empresa Urubupungá foram incendiados com um saldo de 20 mil passageiros prejudicados nessa manhã de terça-feira, e um prejuízo financeiro de mais de R$ 10 milhões. No Rio de Janeiro, nos dois primeiros meses deste ano, foram incendiados 14 ônibus. Não se pode admitir que essa sucessão de ataques aos ônibus, as depredações e saques sejam um revide dos traficantes quando um soldado é abatido. Deve haver um planejamento, uma orquestração para esses ataques. Excetuando-se a queima dos veículos que, por certo, estão protegidos pelo seguro, os maiores prejudicados são os usuários, o povo sofrido que fica sem a sua condução. Estamos num ano de eleição, em que o governo é capaz se encarnar o "Fausto", de Goethe. O temor de perder o trono não é menor do que as contas a serem ajustadas depois da derrota. Cabe ao Serviço de Inteligência da Polícia Federal desvendar de onde vem esse plano de levar o terror ao povo. Intimidar o eleitor em outubro pode ser um plano dos "Joseph Goebbels" acantonados no Palácio do Planalto.

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

CUMPRIMENTO

Cumprimento o "Estadão" pela publicação do excelente artigo do Dr. Ives Gandra Martins intitulado "As mentiras verdadeiras" (19/4, A2), que traz ao público uma verdadeira discussão de nossa história, sem subterfúgios, hipocrisia ou tergiversações tão usadas pelos populistas e demagogos para tirarem proveito pessoal à custo do povo. Mais uma vez, fico orgulhoso de ser assinante e leitor assíduo deste jornal.

Lucio Felix de Souza Filho

luciofelix@icloud.com

Salvador

*

CONSTITUIÇÃO DE 1988

Complementando o insigne jurista, a sexta mentira é o próprio socialismo e comunismo, cuja doutrina diz que, se o peão roubar o patrão, ele se tornará também patrão, e o idiota do peão acredita nisso. A Constituição de 1988 foi feita por comunistas e coronelistas, o que existe de arcaico e idiota em política pelo mundo. É claro que hoje estamos numa encruzilhada que levou a URSS a decretar a própria falência. De tanta mentira, o cachorro começou a comer o próprio rabo, até morrer. Hoje, o Brasil se sustenta da produção agrícola, que, sem os "militares", ainda estaríamos produzindo com burros e sem terra. A Petrobrás, que nunca fora mais do que uma "empresa comercial monopolista" até os militares, chegou a ser a 12ª no mundo, e hoje está na 120ª posição, caminhando rapidamente para uma falência inglória, sob o comando comunista-coronelista instalada pela Constituição de 1988. E por aí afora, vivemos no mundo da mentira socialista, tanto que indivíduos como Maluf, se alojam como sócio e conselheiro dos energúmenos que hoje comandam o governo.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

E A TORTURA?

Em seu muito ilustrativo artigo "As mentiras verdadeiras", o professor Ives Gandra Martins, propositadamente ou não, não refletiu sobre a prática sistemática da tortura durante a ditadura. O artigo ficaria mais completo e justo se o tivesse feito.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

‘AS MENTIRAS VERDADEIRAS’

Comentando as mentiras o autor traz à tona a verdade!

Affonso Renato Meira

armeira@usp.br

São Paulo

*

SEM MEIA VERDADE

Cumprimento o prof. Dr. Ives Gandra da Silva Martins pelo brilhante manifesto em prol da verdade, tal como o de Fernão Lara Mesquita e outros insignes brasileiros. Não podemos aceitar uma Comissão da "meia verdade". Mais ainda neste ensejo, ouso pensar que, para o governo atual são convenientes ações midiáticas dessa parcial apuração do passado, embora seja um passado insuscetível de efeitos jurídicos por força da anistia. No mínimo, ajudam a desviar o foco das atrocidades que, muito provavelmente, estejam a cometer contra os brasileiros no plano econômico e outras esferas. Mais ainda, os governistas atuais pautam-se por dois pesos e duas medidas, ao dificultarem a instalação de uma CPI exclusiva acerca da Petrobrás - instrumento amparado na Constituição da República destinado a deixar se emergirem verdades que não lhes seriam convenientes. Enfim, como elucida o prof. Ives Gandra da Silva Martins, se é para apurar fatos históricos, que todos sejam esclarecidos, inclusive os eventuais crimes, em tese, praticados pelos atuais membros do alto escalão.

Ibrahim Fleury de C. Madeira Filho

ifleurymadeira@terra.com.br

Araxá (MG)

*

ARTIGO BRILHANTE

Sob o título "As mentiras verdadeiras", em artigo brilhante, como costuma fazê-lo, o jurista Ives Gandra da Silva Martins fala das razões que levaram a derrubada do governo Jango, em 1964, que queria estabelecer aqui o comunismo, ao contrário do que dizem os que estão hoje no poder. Tal assunto, inclusive, havia sido abordado pelo "Estadão" há dias atrás em um brilhante editorial. Cumprimento o Dr. Ives por mais este belo artigo.

Luiz Nunes de Brito

rosahollmann@rocketmail.com

Rio de Janeiro

*

LUZ DENTRO DO TÚNEL

Ives Gandra Martins foi, mais uma vez, brilhante em seu artigo de hoje, "As mentiras verdadeiras". Lúcido, imparcial e esclarecedor, seu artigo é uma luz dentro do túnel de ignorância que o Brasil atravessa a todo vapor.

Aguinaldo Mendes da Silva

aguinaldomendesd@gmail.com

São Paulo

*

NOVA CUBA

O artigo "As mentiras verdadeiras" de Ives Gandra da Silva Martins só confirma a verdade sobre o Movimento de 1964 que evitou que o País fosse transformado em uma nova Cuba. Na época, o País estava bagunçado política e economicamente e a ilha de Fidel era um sucesso político a ser seguido pelos chamados ativistas, que hoje se dizem defensores da democracia. Aproveito a oportunidade, para aconselhar o jovem senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) a ler esse artigo do Dr. Ives e se concentrar mais nos problemas atuais do seu estado, como mais segurança, saúde e educação, em vez de ficar ruminando sobre a tal revisão da Lei da Anistia, pois devemos pôr uma pedra em cima e ir em frente. O Brasil não se constrói olhando para trás.

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

COLÍRIO

"Escoteiros destreinados apartando um conflito de subúrbio" nos olhos dos outros é colírio. Queria ver nos seus, jurista Ives Gandra da Silva Martins. Seria bom mesmo usar colírio, para poder enxergar o que não conseguiu ver até hoje. Lamentável!

Luiz Antonio D'Arace Vergueiro

luiz-vergueiro@hotmail.com

São Paulo

*

DENÚNCIA AOS MALFEITOS

Gostaria de cumprimentar o grande jurista Dr. Ives Gandra da Silva Martins pelo excelente artigo "As mentiras verdadeiras". Concordo plenamente com ele. Já estamos fartos dessa enganação desse governo e dessa Comissão da Verdade, que só ouve um lado (a dos companheiros) e não o outro lado. Quando ouviram um único militar, ficaram apavorados e sem respostas para as argumentações dele, tentando encerrar logo a arguição. Felizmente temos o "Estadão", a "Folha", a "Veja" e a "Época", que, com muita autoridade, denunciam os malfeitos e roubalheiras do ParTidão. Chega de empulhação. Só não entendo porque a imprensa dos outros estados do Brasil não denuncia nada e simplesmente se calam.

Antonio Carlos Srougé

acsrouge@gmail.com.br

São Paulo

*

ANISTIA

A propósito do artigo do professor Denis L. Rosenfield "Anistia, sim!" (A2) publicado na segunda-feira, 21 de abril, ele certamente tem razão ao lembrar que a esquerda armada foi derrotada e que ela, essa mesma esquerda armada, não tinha compromissos com a liberdade nem com a democracia representativas burguesas à medida que, na maior parte dos casos, o compromisso daquelas organizações revolucionárias não partidárias era com o socialismo. Mas apreciaria advertir o caro professor a respeito de ideia errônea que repassou a seus leitores: a tortura deve, sim, vir a ser apurada, assim como os desaparecimentos e mortes de militantes de esquerda, porque isso simplesmente ainda não aconteceu, contrariamente aos crimes dedicados à esquerda, que foi caçada, capturada, torturada - às vezes morta, outras, banida - mas sempre processada e julgada pela justiça da ditadura. Ou seja: a esquerda já cumpriu sua pena, caro professor! Falta, agora, que torturadores, reconhecidos como tal, passem assim a ser nomeados.

Vicente Lessi Filho

valessi49@hotmail.com

São Paulo

*

OS ANOS 1964 E 1979

Parabéns aos professores Ives Gandra Silva Martins e Denis Rosenfield pelos excelentes artigos desse fim de semana prolongado sobre o assunto acima na página A2 do "Estadão", respectivamente dos dias 19/4 e 21/4. Ambos, cada um a seu estilo e com focos próprios, oferecem uma narrativa imparcial e precisa do quadro político de então , pouco anterior à março de 1964 e à época da Anistia, em 1979. Relevantes informações e comentários contextualizando fatos. Tudo o que estava realmente em jogo e as respectivas ações tomadas. Importante, sobretudo, para informação dos mais jovens e interessados, para refletirem e compararem com as múltiplas narrativas e versões atuais e tirarem suas conclusões.

Renato de Rezende Pierri

Renato.pierri@cerp.com.br

São Paulo

*

ABORTO

O governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB), afirmou ser contra a descriminalização do aborto no País e que a lei atual deve ser mantida. Repetiu a mesma opinião conservadora da sua vice, Marina Silva, sobre o polêmico tema do aborto. Até quando o conservadorismo, os dogmas e os votos dos pseudoreligiosos continuarão dando as cartas no Brasil? Milhares de mulheres morrem ou ficam mutiladas em clínicas clandestinas todos os anos no Brasil, pelo fato de o aborto ser criminalizado por aqui. Não são protegidas, não tem a menor segurança e ainda são estigmatizadas, perseguidas e criminalizadas por isso, como se ainda estivéssemos na Idade Média. Se havia alguma dúvida sobre votar na chapa Campos/Marina (PSB), essa foi completamente dissipada. Chega de políticos conservadores e reacionários que não nos representam e nem dizem aquilo que pensamos e queremos.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO É PRIVILÉGIO

O candidato a presidente do Brasil Eduardo Campos disse que a lei do aborto já é "adequada". Adequada para os políticos brasileiros, que podem encaminhar suas filhas e amantes para clínicas especializadas em abortos, pagas com o dinheiro do contribuinte. Agora, a livre escolha pelo aborto da mulher pobre no Brasil já constitui crime. Sem dúvida, o direito ao aborto deve ser universal, não um privilégio para mulheres ricas.

José Francisco Peres França

josefranciscof@uol.com.br

São Paulo

*

TRIBUTO MÉDICO

Torno públicos meus agradecimentos ao professor Dr. Pedro Henrique Silveira Corrêa (C.R.M.14.471), à professora Dra Regina Matsunaga Martin (C.R.M.78691) e a Mariana T. A. Reis (C.R.M. 115.091), extensivo a toda equipe pela competência, pelo alto profissionalismo e pelo grande carinho que muito me ajudam, para que eu continue a ser um homem muito feliz.

Aluysio Monteiro

aluysius@hotmail.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.