Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

24 Abril 2014 | 02h06

André Vargas

Dirigentes petistas ameaçam expulsar o deputado federal André Vargas (PT-PR) do partido, caso ele não renuncie ao seu mandato. Que pena! Tivesse o seu processo seguido adiante, Vargas poderia alegar ter sido alvo de julgamento político, como fizeram outros petistas. Como não seguiu, às piranhas com ele.

ADILSON LUCCA SABIA

adilsonsabia@gmail.com

São Paulo

Sinal de apoio

O deputado André Vargas não é o engraçadinho que ergueu o punho cerrado ao lado do insigne ministro Joaquim Barbosa no início do ano? O gesto era alusivo aos seus companheiros mensaleiros condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Engraçado mesmo é que o partido que então o deputado Vargas defendeu ameaça agora expulsá-lo. Onde estão os mensaleiros do PT, que não respondem a ele com reciprocidade?

LUIZ FELIPE DIAS FARAH

felipefarah@gmail.com

São Paulo

Abandonado

Há quem diga que André Vargas mais parece um zumbi vagando pelos corredores da Câmara, ou um cão sarnento abandonado. Ainda assim, ele afirma que vai "até o fim", com o apoio de colegas como José Mentor, Cândido Vaccarezza e Luiz Sérgio. Haja teimosia!

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Drible

Como estamos próximos da Copa do Mundo, o ainda deputado André Vargas está dando um drible na Comissão de Ética da Câmara dos Deputados. Será que seus membros têm problemas parecidos para protegê-lo?

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

PETROBRÁS

Casa de Noca

A insólita aquisição da refinaria de Pasadena pela Petrobrás tem produzido cada vez mais declarações desencontradas e troca de farpas entre os membros do governo. E o Palácio do Planalto periga se transformar numa verdadeira Casa de Noca, onde ninguém se entende mais. E não se entendem porque o negócio não tem justificativa, porque foi um verdadeiro negócio da China para os belgas. Depois da declaração de José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobrás, de que a presidente Dilma Rousseff "não pode fugir da responsabilidade" no negócio, o Estadão publicou terça-feira a reação dela, transmitida por intermédio de seu ministro Aloizio Mercadante: "Como já foi dito pela presidente e demais membros do Conselho de Administração da Petrobrás, eles assumiram as suas responsabilidades nos termos do resumo executivo que foi apresentado pelo diretor internacional da empresa". A presidente da República insiste numa justificativa que não justifica nada. Para que servia, então, aquele conselho, se aprovava um negócio de tal vulto mediante um resumo do contrato e com a agravante de ele ter sido entregue na véspera da insana decisão? Fica evidente que o negócio já estava decidido a priori e a votação do Conselho de Administração foi pro forma. Eis por que se torna imprescindível a CPI sobre este caso, que o governo tanto teme.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

De responsabilidades

Dilma Rousseff alega insistentemente que, quando ocupava o cargo de presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, foi levada a aprovar a aquisição da refinaria de Pasadena em razão de falhas no relatório que utilizou para tomar essa decisão. Em primeiro lugar, entende-se que a presidente estava plenamente capacitada para exercer tal função e tinha pleno conhecimento das operações de produção e refino de petróleo, o que a habilitaria a reconhecer a falha e mandar completar o relatório para, com todos os dados presentes, tomar a correta decisão sobre a aquisição da refinaria. Segundo, jogar a culpa de sua decisão nas costas de um subalterno vai de encontro a um dos princípios básicos da administração, o de que a responsabilidade é indelegável. Como presidente do conselho, Dilma detinha autoridade para adquirir a refinaria e usou esse poder para tanto. Portanto, tem, sim, responsabilidade total pela aprovação da operação.

FLAVIO BASSI

flavio-bassi@uol.com.br

São Paulo

Questões em aberto

Duas perguntas bobas. 1) Se alguém foi nomeado presidente do conselho de uma empresa, ou foi por mérito ou... - isso já sabemos (rs). Mas, de qualquer forma, é ou não é o responsável final pelas decisões (ou será a moça do cafezinho)? 2) Se o dito relatório estava incompleto, por que não determinou a correção?

JORGE WISZNIEWIECKI

jatw@terra.com.br

São Paulo

Melhor que mensalão

Aflige-me o pessimismo de Graça Foster dizendo que (a compra da refinaria de Pasadena) não foi um bom negócio. A dicotomia causa-me espanto por não ser lembrada pela presidente da Petrobrás, pois, se foi um péssimo negócio para os brasileiros, foi excelente para quem o fez. Aliás, dos melhores na História do País. Muito melhor que um mensalão, porque ficou concentrado em menos mãos.

FABIO PORCHAT

fabioporchat@gmail.com

São Paulo

ECONOMIA

Crise no setor automotivo

O estoque de carros nos pátios das montadoras muito se deve ao preço dos veículos, que em média é equivalente a três vezes o praticado no exterior. Esse valor se deve não só aos impostos abusivos (mais de 40%), mas também ao lucro excessivo dos fabricantes. Para os preços se tornarem competitivos precisaria haver uma redução de, no mínimo, 20%. Como conseguir isso? Aí é com o governo e com as montadoras.

PAULO DE TARSO ABRÃO

ptabrao@uol.com.br

São Paulo

Sugestão

Já que as subsidiárias montadoras de veículos no Brasil sugerem que o governo (nós, contribuintes) arque com a maior parte do salário dos operários disponíveis pela queda de produção (como informam que é feito na Alemanha), sugiro também que retenham a maior parte das remessas de lucros de bilhões de dólares para as matrizes no exterior, para que fiquem aqui, revertendo em nosso benefício. É bom lembrar que a indústria automobilística alemã tem a matriz lá mesmo, portanto, os lucros ficam na Alemanha.

ULYSSES F. NUNES JR.

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

E QUEM PAGA O PATO?

Sim, irresponsável foi Dilma quando assinou a decisão da compra de uma refinaria no Texas baseada num parecer de apenas folha e meia. É de pasmar até ao mais simplório e humilde habitante deste País. Só que o resultado disso custou ao povo brasileiro cerca de R$ 2,8 bilhões por um péssimo negócio. E ainda tenta tirar o corpo fora mesmo com um ano de negociações para essa transação ser realizada. Por que isso? A hipótese para tão inconcebível ato de irresponsabilidade poderia estar no fato de que dona Dilma jamais ousaria desobedecer a uma ordem do seu criador e chefe supremo, que colocou na ocasião Sérgio Gabrielli como presidente da nossa Petrobrás. Só isso explica, até porque a então Chefe da Casa Civil e presidenta do Conselho Administrativo tem a fama conhecida de apertar aos berros os subordinados, mas ser de cândida docilidade com seu criador. Por que será? Talvez só Freud explique. Mas, no final, quem paga o pato, quer dizer, a conta, é o povo brasileiro!

Eliana França Leme

efleme@terra.com.br

São Paulo

*

ESTÁ TUDO DOMINADO

Os deputados do PSDB querem a presença de Gabrielli na Câmara para dar explicações sobre as transações da Petrobrás com a usina de Pasadena. Pura bobagem. Vai ser mais uma sabatina que ninguém vai entender nada. Não bastassem os esclarecimentos dados por Dilma Rousseff, Graça Foster e Nestor Cerveró nos idiomas mandarim, aramaico e o vietnamita, os senhores pedem a Gabrielli. Deputados, deixa como está para ver como é que fica. Gabrielli vai enrolar ainda mais o meio de campo com a linguagem dele. Está tudo dominado.

Leônidas Marques

leo_vr@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

AINDA PETROBRÁS

A descoberta do prejuízo de US$ 1,29 bilhão na Petrobrás pela compra de Pasadena foi uma fatalidade. Não era pra ninguém ter ficado sabendo.

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

ESCÂNDALO

Se fosse um país sério, neste escândalo da Petrobrás, a presidenta, teria pegado seu boné do MST e tirado o cavalo da chuva, porque é muito escândalo, e nada acontece.

José Claudio Canato

jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira

*

SUGESTÃO À FRACA OPOSIÇÃO

Por que não entrevistar ou convidar o barão belga Albert Frère da Astra Oil a falar sobre os negócios em Pasadena? Há a possibilidade de ele não abrir o bico em razão de tantos investimentos no Brasil, que também deveriam ser investigados.

Sinclair Rocha

sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

*

RESUMO FALHO

Parece que no alto clero do governo federal não existe o mea culpa, pois a culpa é sempre dos outros. Denunciaram o Detran, o Rodoanel, o metrô de São Paulo, o Porto de Suape, e outros mais, e ninguém sabe quem foi o denunciante, mas, no caso da Petrobrás, foi um "holandês insatisfeito" que botou a boca no trombone. A crise volta ao Planalto e, tudo indica, não vai sair tão cedo, após Dilma ser responsabilizada por Gabrielli sobre a compra de Pasadena. O governo se esforça para salvar o "insalvável". Mercadante é o papagaio de Dilma para justificar que ela só deu o aval para a compra com base em resumo falho feito por Cerveró. Parece que este não quis ter o trabalho de desenhar as cláusulas para que Dilma entendesse. Por outro lado, Renan já prepara recurso ao Supremo Tribunal Federal contra a CPI restrita. Pensamos que, além do cabelinho, Renan tem interesse em algum outro projeto de implante. Enfim, "tudo junto e misturado", como diz José Nêumanne. É o que o governo quer fazer com a CPI, para que a verdade não jorre, e não se saiba quem, afinal, está lucrando com todo esse imbróglio que começou no governo Lula. Só esperamos que, desta vez, esse Fla x Flu não dê empate ou outra vitória para a corrupção e a incompetência.

Carmela Tassi Chaves

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

REPENSANDO A PETROBRÁS

Gostei muito do artigo "É preciso repensar a Petrobrás" dos economistas Adriano Pires e Paula Barbosa (19/4). De fato, é fundamental repensar a estatal. As pregações do PT em defesa das empresas estatais e contra as privatizações se revelam, agora, enganadoras. O endividamento da companhia cresceu vertiginosamente de R$ 64 bi, em 2006, para quase R$ 240 bi, no fim de 2013. O lucro foi para o brejo e decresceu 46% no mesmo período, revelando uma gestão que ou é falha, ou afetada por fatores alheios à boa governança.

Aníbal Teixeira

renato.alvescunha@hotmail.com

Belo Horizonte

*

DEVOLUÇÃO

O nobre deputado petista André Vargas exclamou: "Não renuncio! Agora, vou até o fim." Pergunto: fim do que, cara pálida? O presidente do seu partido está injuriado. Sabe que o seu telhado é de vidro e vai levar muita pedrada. Nós, da galera, só queremos esquecer que Sua Excelência exista, mas, antes, devolva o que roubou. Antes que me esqueça, gostaria de estar próximo o suficiente para lhe dar uma cotovelada.

J.Perin Garcia

jperin@uol.com.br

São Paulo

*

‘VAQUINHAS’

O PT disse que vai expulsar André Vargas, se esse não renunciar. Por uma questão de coerência, deveria ter expulsado os mensaleiros, julgados, condenados, e cumprindo pena. No entanto, com esses, só afagos e listas para arrecadar valores para pagar multas.

Carlos E. Barros Rodrigues

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

A CARA DO PT

André Vargas representa exatamente o PT: fanfarronice, incompetência e corrupção!

Eugênio José

Alati alatieugenio@gmail.com

Campinas

*

TUBULAÇÃO VELHA

Sabesp alega que "a tubulação velha causa perdas". Mas de quem é a responsabilidade pela manutenção e troca da tubulação? Pelo estado que a Sabesp e a Comgás deixam nossas vias carroçáveis - termo bem adequado, pois as ruas da capital se assemelham a estradas para carros de boi - era de se imaginar que as tubulações estariam todas novas. Mas, sabemos que a administração escolhida por critérios políticos, e não técnicos, prima em fazer mal feito, pois, assim, faz mais vezes, todos ganham e o contribuinte perde. Vide exemplo dos remendos feitos e refeitos muitas vezes na Avenida Brigadeiro Luis Antonio, esquina com José Maria Lisboa que, mais uma vez, está afundando. Ou a "tapeada" que deram na cratera da Dr. Mario Ferraz, esquina com a Avenida Cidade Jardim, que ficou aberta por mais de um mês com uma manilha no meio da rua para impedir que os carros caíssem, e que, semanas depois, já está afundando.

Paulo Ruas

pstreets@terra.com.br

São Paulo

*

SE EU FOSSE PAULISTANO

Se eu fosse paulistano, criaria uma comissão de peritos para investigar desde quando os níveis dos reservatórios d’água que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo apresentaram sintomas que prenunciassem risco de racionamento no abastecimento da população. Se o diagnóstico apontasse para negligência de planejamento na procura de novos mananciais, e não para o consumo perdulário, eu entraria, imediatamente, com uma ação civil indenizatória acusando a Administração Pública de prevaricação.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santos de Minas (MG)

*

MULTA

Se o Alckmin decidiu multar quem desperdiçar água, a primeira multa deve ir para o próprio governo, já que a Sabesp desperdiça 30% da água que capta!

Isalete Ciccone

cicconeac@hotmail.com

Carapicuíba

*

AGUACEIRO DE PADILHA

Padilha baseará sua campanha de candidato ao governo de São Paulo em críticas a Geraldo Alckmin, atual governador, pela falta de água no Estado. Alckmin é culpado por não chover. Talvez o petista candidato tenha ouvido falar no filme "The Rainmaker", de 1956, cujo título em português é "Lágrimas do Céu", com a participação de Burt Lancaster e Katharine Hepburn, e acha que, para eles, petistas, tudo é possível. O fato é que certas idéias e atitudes de alguns petistas são ridículas e risíveis. Ele e seus "cumpanheros", com Lula comandando a comitiva, vão querer se reunir com São Pedro e determinar-lhe que despeje água no Estado que leva o nome de seu colega, o São Paulo, para encher os reservatórios paulistas. É bem capaz de quererem demitir São Pedro, se não fizer o que querem, e colocarem, em seu lugar, o Mercadante. Quanta bobagem partindo de pseudo governantes. Não merecemos isso.

Alvaro Salvi

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

PLANO DIRETOR

Finalmente, foi aprovado, em primeira votação, o novo Plano Diretor da cidade. O prefeito Fernando Haddad foi sensato ao mandar retirar a emenda de construção de um aeroporto em Parelheiros, área de manancial protegida, sensível à pressão popular por mais moradias e áreas de lazer, e não aeroportos executivos que só favorecem à classe rica. Entretanto, não deveria impedir que o povo frequentasse sua casa, permitindo que a Guarda Civil Metropolitana reprimisse a multidão com cacetetes e gás pimenta. Agora, atenção redobrada na votação em segundo turno do projeto, para impedir a aprovação de emendas do lobby da construção civil, que insiste em desafiar os limites de sustentabilidade de uma cidade refém do concreto e do asfalto e tão carente de infraestrutura básica e de opções de lazer.

Marcos Abrão

m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

CASO PIZZOLATO

O Ministério Público da Itália refutou todos os falsos argumentos apresentados pela defesa do mensaleiro condenado Henrique Pizzolato, inclinando-se por sua extradição. Que o Tribunal de Bolonha confirme o parecer e mande para cá o quanto antes o único foragido da Justiça nacional. Brasileiro deve cumprir pena no Brasil, assim como o italiano Cesare Battisti deveria cumprir na Itália. Cada macaco no seu galho, capisce?!

J.S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

MEDIDA ELEITOREIRA?

Será que os petistas vão acusar o Ministério Público da Itália de estar agindo de maneira eleitoreira?

Ricardo Sanazaro Marin

s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

DELAÇÃO PREMIADA

Não acredito na possibilidade de Pizzolato ser extraditado. O PT não aceita devolução, principalmente pelo medo da "deduragem". Já imaginaram uma delação premiada? Vai sobrar para muita gente.

Arnaldo de Almeida

Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

FINAL DO ANO

Quanto estão gastando para que Pizzolato só retorne ao Brasil após outubro?

Angelo Antonio Maglio

angelomaglio@terra.com.br

Cotia

*

JK E JANGO

Vem agora o presidente da Comissão da Verdade, sem a menor sem-cerimônia, depois de toda a onda que fez contra os militares, declarar que, realmente, Juscelino Kubitschek morreu num acidente. Isso depois do genro de Juscelino - também figura de proa na política nacional - e da filha do motorista que o conduzia terem revelado, faz muito tempo, que a morte fora mesmo acidental. E o presidente da CV, circunspecto, não se desculpa nem nada. Quanta mentira essa gente não forjou.

Roberto Viana Santos

rovisa681@gmail.com

Salvador

*

O SENADO NAS MÃOS DO EXECUTIVO

A toque de caixa, o Senado aprovou o Marco Civil da internet. Isso mostra o quanto a Casa está nas mãos do Executivo e à serviço de dona Dilma. O Brasil saiu na frente achando que está fazendo uma grande coisa ao aprovar essa aberração. Se nenhum país está preocupado em controlar a internet, boa coisa não deve sobrar aos brasileiros, que já pagam o maior valor do mundo para ter banda larga. Com essa aprovação, deve vir mais dor de cabeça do que prazer. É esperar para ver. Nossos parlamentares, juntamente com a presidente, estão de olho nas eleições, e quem piscar mais terá a chancela do governo para suas candidaturas. Como se vê, é tudo um jogo de interesse, e o povo, mais uma vez, será o perdedor. A conferir.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A DITADURA DO CRIME

O inaceitável incêndio de 34 ônibus estacionados no pátio da empresa transportadora de Osasco é um perigoso precedente. Tudo por causa de uma briga entre traficantes. A empresa sofreu prejuízo da ordem de R$ 10 milhões e 20 mil passageiros tiveram dificuldade de transporte. Está indo longe demais a impotência das autoridades e da sociedade. Se a moda pega, bastará um confronto ou qualquer fato banal que descontente os marginais, verdadeiros "donos" do trecho, para veículos, sedes de empresas e outros bens serem vandalizados. O poder público, como concedente de todos os serviços - tanto que cobra imposto para permitir sua realização - tem o dever de garantir a segurança. Se assim não for, cada dia se tornará mais difícil encontrar investidores que queiram trabalhar em determinadas áreas, pois os riscos são crescentes. Os governos, parlamentares, juristas, defensores dos direitos humanos e os libertários (verdadeiros e falsos) que, ao longo das últimas décadas, trabalharam pelo afrouxamento das leis e de sua execução, devem hoje à sociedade providências que possam garantir sua segurança. A democracia com que todos sonhamos e que buscamos não inclui a impunidade dos criminosos, pois, dessa forma, cria-se a paralela ditadura da bandidagem, que escraviza a população.

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

cardosodirceu34@gmail.com

São Paulo

*

FOGO EM ÔNIBUS

Vermelhos terceirizando o terror aos bandidos comuns, em ano eleitoral.

Nelson Pereira

Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

OS INCÊNDIOS

A queima de ônibus do transporte coletivo em São Paulo há muito passou dos limites, e as nossas autoridades se mantêm omissas, em todas as esferas de governo tratando a questão apenas como vandalismo. Pelos motivos mais fúteis, vândalos praticam esse crime, que deveria ser tratado mais especificamente pelo Código Penal, e os seus infratores enquadrados com penas mais duras. Não se trata apenas de danos materiais, mas sim um sério dano contra a coletividade. E como o nosso país se tornou a Casa da Mãe Joana, os ônibus vão sendo incendiados cada vez mais amiúde. E esse vai ser um dos cenários que apresentaremos aos estrangeiros que vierem ao Brasil para assistirem a Copa de Futebol. Segunda-feira, feriado em homenagem a Tiradentes, foram dois por conta da falta de água na Zona Norte, e os usuários daquela linha correspondente, além do desconforto da falta de água, passaram mais tempo nas filas do ônibus. No dia seguinte, foram 35 em Osasco por conta de uma briga entre quadrilhas. Hoje, pegaram o adolescente que comandou o ataque inominável e foi por conta da morte de seu irmão gêmeo no referido entrevero. Em consequência, um número enorme de pessoas perderam seus compromissos, já que algumas linhas dos coletivos daquela cidade simplesmente não puderam funcionar ou funcionaram de forma precária. Os nossos congressistas, que passam o tempo discutindo abobrinhas, deveriam se preocupar mais com tais crimes, pensando mais nos direitos da população, e menos nos dos bandidos. Mesmo que aprovassem uma lei, ainda seria necessária uma Emenda Constitucional para punir os infratores não apenas com a prisão, mas os obrigando a trabalhar em locais determinados pelas autoridades, até ganharem o suficiente para ressarcirem não só o prejuízo em si, mas também os danos morais causados aos passageiros. Se apenas um fosse condenado e passasse a cumprir tal penalidade, já seria suficiente para acabar com essa estupidez.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

PAÍS DO FUTURO

Em menos de uma década, só na capital paulista mais de 100 ônibus já foram incendiados. Seria esse o País do futuro que nossos políticos nos prometeram?

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

COPACABANA EM GUERRA CIVIL

A morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, de 25 anos, os tiroteios e crimes bárbaros das favelas do Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, das favelas do Alemão e da Maré, no Rio de Janeiro, colocam em dúvida a eficácia das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) do governo do Estado do Rio. Será que essa é a solução para diminuir os altos índices de criminalidade que ocorrem no Estado? Parece que a demagogia e a maquiagem dos políticos sempre estão por trás das mazelas que ocorrem no cotidiano dos cidadãos. Eles acham que aparecer é mais importante do que fazer. Fizeram tanta publicidade sobre as UPPs que, por um momento, conseguiram iludir o povo.

Mário Negrão Borgonovi

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

IMAGINA NA COPA

Ao ver Copacabana tomada por inacreditável violência, com barricadas, focos de incêndio, polícia acuada, pânico generalizado, parte do bairro sem energia, a única coisa que veio à minha cabeça foi o chavão: "imagina na Copa".

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

COPACABANA EM CHAMAS

Os assustadores protestos em Copacabana, em razão das circunstâncias da morte de um jovem artista da comunidade do Pavão-Pavãozinho, é emblemática. Mostra que temos de reformular a forma com que o combate aos marginais encastelados nesses bairros lupenizados estão sendo realizados. Nesses tempos de comunicações instantâneas virtuais, há de se estabelecer um constante diálogo do governo com as legítimas lideranças de todos os seguimentos sociais, para que tenhamos uma paz social duradoura, sem esquecer a séria e correta repressão a todos os tipos de crimes que afligem a nossa atual sociedade.

José de Anchieta Nobre de Almeida

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

OUTROS CRIMES

O governador Pezão determinou empenho total na investigação sobre a morte do dançarino Douglas Rafael, o DG. Mais um para jogar para a plateia. Aliás, não me surpreende, da escola que vem. Uma pena, governador, que esse tal empenho total não seja para todos os crimes.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

INDIVIDUALISTA

Ouvindo pela TV a reportagem na qual se pronunciou a delegada de Três Corações (RS) Caroline Bamberg Machado sobre a trágica morte do menino Bernardo, questionada, respondeu de forma "exclusivista" e "autoritária", como se ela estivesse resolvendo o caso sozinha, e não junto a uma equipe, mostrando que, além de a ignorar e desqualificar, a desprestigia totalmente. Afirmando em alto e bom tom: "Eu não descarto nenhuma hipótese", "eu estou averiguando", "eu acho que pode haver uma quarta pessoa". Ou seja, eu, eu, eu. O correto não seria "nós"?

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O GOVERNO AMEAÇA

Não precisa muito esforço para que a população brasileira veja por quem está sendo governada. A nível federal, um bando de ladrões e incompetentes há 11 anos destroem o País e é formado pelos dois maiores partidos do Brasil. O Partido dos Trabalhadores (PT) que dá as sujas ordens em conluio com o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). O maior e mais bem estruturado, mas nunca quis estar na Presidência. Fica satisfeito em comandar a roubalheira dos porões dos ministérios onde circula mais dinheiro. São os verdadeiros gigolôs da República. Não querem dar cara para bater. O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), o terceiro partido, e que se diz oposição, governa o mais rico estado da federação há 20 anos. Ontem, resolveu vir à televisão para ameaçar o cidadão com multa em caso de não economizar água, em vista da grave crise que se avizinha, com a crescente carência nos reservatórios que abastecem a maior cidade do país. Crise essa, em parte, pela falta de investimentos e pela má administração, que há muito vem desempenhando no estado. A bandidagem faz a festa, o cidadão paga a conta e ainda é ameaçado. Quando o Brasil vai ser um país sério? Quando vamos ter estadistas e não ladrões tomando conta do cofre?

Humberto de Luna Freire Filho

hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

CRISE NO PLANALTO

A crise nunca saiu do Planalto. Tem sido disfarçada pelo comportamento tribal petista, até o momento em que vem à tona, por tornar-se maior que seus participantes. Aquele fascínio-ético, precoce de 11 anos atrás foi abrandado com o passar do tempo, por um ceticismo crescente quanto aos verdadeiros propósitos do petismo, a começar pelo histórico em relação corrupção, a verdade e a eficiência, adicionadas à prevalência ideológica populista, cujos resultados estão presentes.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

PERONISMO X LULISMO

O peronismo desconstrói a pobre Argentina há quase 70 anos, lentamente. Aqui, o lulismo desconstrói há somente 10 anos, mas a uma taxa muito mais acelerada. Nesse ritmo, vamos chegar lá mais rápido. Acorda, Brasil, antes que seja tarde demais.

Renato Pires

repires@terra.com.br

Ribeirão Preto

*

ESMOLAS

Um país rico é aquele constituído de trabalhadores, não de povo que vive de esmolas, como os eleitores do PT.

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

IMPOSTO DE RENDA

A Receita Federal não permite que o imposto retido nas aplicações financeiras entre no cálculo do imposto pago, por que considera um rendimento sujeito à tributação exclusiva/definitiva. Sei que imposto é imposto, mas como é retido na fonte - como nos salários, por exemplo - porque não é considerado imposto pago? Outra falcatrua contra o bolso do contribuinte!

Cláudio Moschella

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

ANCINE

Estou há meses tentando inscrever um projeto de documentário do Cemitério de Automóveis na Ancine para poder captar verba para fazê-lo, mas me parece que o site deles foi construído para que pequenos produtores e independentes tivessem dificuldades e desistam, porque nós só os atrapalhamos e damos trabalho. A sensação que tenho é que a Ancine tem parceria com essas empresas que fazem projetos e te cobram uma fortuna para fazer. Isso virou um comércio muito lucrativo para essas empresas. Desconfio que muitas são empresas de ex-funcionários na Ancine. Porque nós temos que pagar uma empresa para poder ter nosso projeto aprovado? Porque a Ancine não disponibiliza formulários mais simples e um pessoal capacitado dentro da própria agência para dar informação e orientar os pequenos produtores que não têm a estrutura das grandes produtoras que sempre aprovam seus projetos? Será que somos tão burrinhos e desinteressantes para eles? É aquela coisa de Brasil. Você tem que ficar amiguinho da turma para poder conseguir algo, tem que fazer lobby e até dar presentinhos. O problema é que a maioria dos independentes e pequenos produtores tem receio de criticar e exigir tratamento igual aos grandes produtores, por que todos nós pagamos impostos e a Ancine é uma empresa pública financiada com nossos impostos, dos grandões e dos pequenos. O pior é que vemos uma montanha de lixo cultural ser aprovada com muita facilidade. Pois é, mas, talvez, patrocinar sertanejo e forró universitário seja mais importante do que um grupo de teatro com 32 anos de atividade, como o Cemitério de Automóveis. Estou mandando um projeto que estou tentando fazer sem que precise pagar uma fortuna para um escritório que faz isso e, depois de aprovado, dar uma parte da verba para eles. Acho isso um absurdo e uma ofensa aos produtores sem padrinhos importantes. Esperança que isso mude um dia? Nenhuma. Eu moro no Brasil, onde o padrinho importante vale mais que um currículo.

Grima Grimaldi

grimagri@terra.com.br

São Paulo

*

SENTIMENTO ARMÊNIO

Rememoramos hoje, com muita amargura, o 99º aniversário do primeiro genocídio do mundo (24 de abril de 1915), quando 1.500.000 armênios, por motivos políticos, foram brutalmente assassinados por determinação do governo turco-otomano. No Brasil, aproximadamente 100 mil armênios e seus descendentes anseiam o reconhecimento do genocídio pelo governo brasileiro, assim como já o fizeram a maioria das grandes nações. Gerações de armênios confirmarão as verdades apontadas pelo notável cidadão turco Orhan Pamuk, Prêmio Nobel de Literatura, que foi julgado pelos seus conterrâneos por insultar "o sentimento turco", depois de afirmar que mais de um milhão de armênios haviam sido assassinados pelos otomanos, na Turquia, durante a Primeira Guerra Mundial. E o "sentimento armênio", que foi ininterruptamente insultado, injuriado, ofendido, ultrajado, afrontado, humilhado e asfixiado, por 99 anos, não deveria também ser julgado?!

Krikor Boyaciyan

krikor@cremesp.org.br

São Paulo

*

AS RAZÕES DE UM FRACASSO

Para um ser humano ter direitos, tem que assumir obrigações. Para ter bens, tem que trabalhar para obtê-los. E isso depende de disciplina, e tem que ser ensinado desde a mais tenra infância, começando no ambiente familiar e tendo, nas escolas, sua continuidade. Infelizmente, nossos jovens (e podemos escrever vários tratados sobre os motivos) estão sendo criados pelos pais como se o mundo devesse girar em torno deles. Tudo lhes é devido. Nada pode afetar sua autoestima. Como vão aceitar que no resto do mundo os tratem diferente? Só pode dar no que está dando!

Jorge Alves

jorgersalves@2me.com.br

Jaú

*

AÉCIO OU CAMPOS?

Se você está indeciso entre Aécio Neves e Eduardo Campos para tirar o lulopetismo do poder, aqui vai uma informação fresquinha: Eduardo Campos disse hoje que é contra a redução da maioridade penal para 16 anos. Isso é, ele acha que essas pobres crianças de 17 anos, com 1,80, que andam assaltando, traficando e matando gente por aí não devem ser presas, devem receber o seu carinho. Mas levar pra casa dele nem pensar, né? Já Aécio Neves se declarou a favor da redução da maioridade penal para 16 anos. Meu voto, portanto, é dele. Tolerância zero com o crime!

Percy de Mello Castanho Junior

percy@clubedoscompositores.com.br

Santos

*

IDADE PENAL

O pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, disse ser contra a redução da maioridade penal, ("Estadão", A8, 23/4/14). Esse candidato nunca terá o meu voto.

Waldir Roberto

wroberto04@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.