Fórum dos Leitores

OPERAÇÃO LAVA JATO

O Estado de S.Paulo

21 Maio 2014 | 02h09

Incompreensível

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), "desprendeu" os envolvidos na Operação Lava Jato e depois "prendeu" todo mundo de novo, menos um: Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás, homem-chave dentro desse processo. Por que somente esse, que pode causar a maior dor de cabeça ao PT, está livre, leve e solto? Que desculpe o sr. ministro, mas soa incompreensível essa decisão.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Muito estranho

Depois de apenas o petista Paulo Roberto Costa ser solto, o ministro Teori Zavascki mudou a sua própria decisão, mas mantém presos os demais apanhados pela Polícia Federal (PF) na Operação Lava Jato. Por que, então, deixar o ex-diretor da Petrobrás à solta? Para terminar o serviço de eliminação de provas, realizado por ele e familiares, que estava em andamento antes de ser preso? Será que a "cumpanheirada" lulopetista tem algo que ver com isso?

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

Liberdade conveniente

Quem ficou mais contente com a libertação da cadeia do ex-diretor da Petrobrás: o próprio ou os petistas que estão com as barbas de molho?

ODILON OTAVIO DOS SANTOS

Marilia

O dito pelo não dito

O ministro do Supremo Tribunal sr. Teori Zavascki, depois de mandar soltar os 12 presos na Operação Lava Jato da Polícia Federal, voltou atrás em seu despacho e ficou o dito pelo não dito. Será que o excelentíssimo sr. ministro está totalmente perdido em sua avaliação ou terá atendido a pedido de algum padrinho/madrinha?

ANTÔNIO CARELLI FILHO

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

Eu já sabia

Essa intervenção do ministro Teori Zavascki na Operação Lava Jato era só para soltar o Paulo Roberto Costa, o homem-bomba que pode implodir o governo petista e a base aliada, se assim lhe convier. PR que se cuide. Na prisão ele estava mais seguro do que do lado de fora, onde arquivos podem ser queimados com mais facilidade.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Bandido livre

Pode até haver uma justificativa técnica, mas pretender soltar um monte de criminosos que desviaram R$ 10 bilhões de dinheiro público por existir a suspeita de políticos estarem envolvidos é bizarro! E mesmo reconsiderada essa decisão, o principal envolvido saiu ganhando duas vezes: a liberdade e o dinheiro. Que Justiça é essa, meu Deus do céu?

MÁRIO ISSA

drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

'Beijinho no Ombro'

Na foto do ex-diretor da Petrobrás ao sair da cadeia fazendo biquinho (Estado, 20/5, A1) parece que mentalmente ele está cantando o funk Beijinho no Ombro para os invejosos. Tem milhões desviados e vai para a rua rir da nossa cara. Eta, Brasil...!

ANA MARIA SANT'ANNA

annasantt@uol.com.br

São Paulo

Passaporte

Alguém lembre ao ministro Teori Zavascki de, entregue o passaporte do sr. Paulo Roberto Costa, determinar também que a PF não emita novos passaportes para algum parente morto dele.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Irresponsabilidade

Inacreditável a irresponsabilidade do ministro Teori Zavascki, que ia pondo na rua o doleiro Alberto Yussef e teve de voltar atrás para não ficar totalmente desmoralizado. Em que mundo vive esse senhor, que nunca ouviu falar da fuga de Pizzolato e de Cacciola, este último beneficiado por um habeas corpus concedido pelo ministro Celso de Mello? Pobre STF, que já foi um baluarte da justiça! Pobre Brasil!

HÉLIO DE LIMA CARVALHO

hlc.consult@mail.com

São Paulo

Alerta oportuno

E se o juiz federal de Curitiba não tivesse advertido o ministro do Supremo Tribunal Federal?

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

A decisão do STF

A necessidade de preservar direitos, responsabilidades e as normas constitucionais não deve contribuir para a impunidade. Segundo a Constituição, todos são iguais, e não mais ou menos, perante a lei. Por mais que se espere de tudo na Justiça, a população não vai conseguir entender muita coisa. Nossa organização social se abala e se assusta com a decisão do STF que desqualifica procedimentos de primeira instância da Justiça Federal do Paraná, mandando soltar suspeitos e suspender as investigações. Isso fortalece as organizações criminosas. Os caminhos na Justiça são mais lentos quando se criam mais espaços e interpretações nas jurisdições superiores.

SINESIO MÜZEL DE MOURA

sinesiomuzel.demoura@gmail.com

Campinas

Justiça sob mira

Estranha e preocupante a decisão do ministro Zavascki, abrindo troca de fogo entre imperativos judiciais em contradição - um que prende e outro que solta criminosos. As ordens e contraordens evidenciam que o Poder Judiciário (que é por essência uno) está dividido: juízes que se propõem, por argumentos sofismáticos, a soltar bandidos poderosos e outros que lutam pelo império da lei. Dividida entre si, a casa perece. Profundamente lamentável que tal cenário se alastre por todos os cantos. Eis aqui o fado ou o desenfado do nosso Brasil, sempre avisado e advertido, por todos os guetos que têm voz, que a coisa terminaria em pizza. Entretanto, jamais se pensou que a pizza seria tostada a gosto, a jeito e ao sabor dos que se locupletaram da Petrobrás. Essa decisão do STF lança a seriedade da Justiça à zombaria popular. Confirma o que há muito tempo se diz: que a Justiça só é cega para os pobres e a gentalha, mas tem olhos bem abertos e ouvidos afinados aos desejos e pretensões dos poderosos! A seriedade da Justiça não permite a nenhum juiz, a nenhum tribunal, pôr em risco o seu apanágio maior: a imparcialidade, equidade. Pois Justiça é o princípio moral e ético que exige e obriga ao fiel e exato cumprimento da lei.

ANTONIO BONIVAL CAMARGO

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

ACUSADOS DA LAVA JATO SOLTOS

É inaceitável que decisão do STF tenha mandado soltar os acusados presos pela Polícia Federal na Operação Lava Jato. Mais uma vitória da corrupção e da impunidade dos ricos e dos poderosos no Brasil. Sem dúvida, o crime compensa no Brasil. A Justiça brasileira age com rigor máximo contra os pobres que furtam um pacote de biscoito no supermercado, mas é uma verdadeira mãe para os ricos que desviam milhões de reais e lesam toda a sociedade. Claramente, são dois pesos e duas medidas.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

MPF PRENDE, E STF SOLTA

Por um lado, o Ministério Público Federal (MPF) tenta pôr na cadeia militares por crimes do tempo da ditadura, de três décadas e meia atrás. Em outro, assistimos ao Supremo Tribunal Federal (STF) liberar os réus presos na Operação Lava Jato da Polícia Federal por crimes tão frescos que ainda dominam as manchetes dos nossos principais jornais. Independente dos tipos de crimes cometidos e das instâncias federais envolvidas na condução dos casos, a impressão que fica na sociedade é de que, além das motivações ideológicas oportunas, existe um descompasso cronológico na confusa Justiça de nosso país.

Abel Pires Rodrigues

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

OPERAÇÃO

Mais uma vitória governista, basta olhar na foto da capa do "Estadão" a expressão do ex-diretor da Petrobrás no momento que ganhava a liberdade e deixava a sede da PF de Curitiba, onde estava preso. É uma expressão de deboche que demonstra que nada irá acontecer aos presos da Operação Lava Jato e jamais haverá um julgamento justo e rigoroso como o do Mensalão.

José Millei

millei.jose@gmail.com

São Paulo

*

IMPUNIDADE

A decisão do Ministro Teori Zavascki do Supremo Tribunal Federal de soltar as pessoas envolvidas e presas com provas robustas, levantadas pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, na teoria (Teori) é uma beleza jurídica, mas na prática é uma lástima e, mais uma vez, deixa a todos nós brasileiros com a sensação de que todo esse bom trabalho feito pelos policiais federais será desprezado, e tudo outra vez vai acabar numa enorme pizza. Aos cidadãos desta nação só resta cantar "se gritar ‘pega, ladrão’, não fica um, meu irmão".

Henrique Schnaider

hschnaider4@gmail.com

São Paulo

*

JUSTIÇA

Enquanto com grande dificuldade, mas alento, o ministro Joaquim Barbosa, no varejo, vai prendendo cada mensaleiro condenado, seu colega de toga Zavascki, no atacado, numa só canetada solta todos os inculpados pelo escândalo da Petrobrás. São os antagonismo de uma Justiça que patina e não encontra seu verdadeiro papel numa sociedade indefesa e estressada de tanta impunidade.

Yvette Kfouri Abrão

abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO ESTOU ENTENDENDO

Espera aí. Não estou entendendo nada. O ministro Teori Zavascki, do STF, mudou de opinião e recuou da decisão de libertar os envolvidos na operação Lava Jato após alerta do juiz que está com o caso de que havia risco de fuga. Não acredito que o ministro seja tão ingênuo ou inocente a esse ponto. Achar que não poderiam fugir. Não dá para acreditar nisso. Ele achava o que? Que todos iam ficar quietinhos aguardando análise do caso? Meu Deus, quanta ingenuidade.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

LIVRES E SOLTOS

Doleiro Youssef e ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, estão livres e soltos. O ministro do STF, Teori Zavascki, os libertou. Não sou advogado, nada sei de leis, mas ninguém me convencerá de que esses dois bandidos tinham que ser soltos. E se eles se mandarem do Brasil, fugirem, quem responderá pela fuga? O ministro Teori Zavascki?

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

LIVRAMENTO A JATO

Enquanto a polícia, trabalhando duro e enfrentando os desafios de uma investigação difícil, consegue elementos de prova suficientes para tirar de circulação bandidos do colarinho branco como os acusados na Operação Lava Jato, a Justiça, no sentido oposto - certamente também fazendo o papel que a sociedade, sem qualquer ilusão, dela já espera - livra-os de ver o sol nascer quadrado, confirmando o velho dito de que, no Brasil, a polícia prende e a Justiça solta. O juiz federal Sergio Moro da 13ª Vara Federal de Curitiba já advertiu para a alta probabilidade de o doleiro Youssef "dar no pé", à vista das acusações que sobre ele pesam e dos vultosos recursos que tem no exterior. Se tal acontecer - como fez Salvador Cacciola, também beneficiado, à sua época, por polêmica decisão do STF -, quero ver com que cara vai ficar o ministro Teori. Avisado ele já foi.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

OPERAÇÃO ‘SOLTA A JATO’

O que poderíamos esperar do Sr. Zavascki que foi um dos últimos ministros indicados/empossados pela presidenta e pelo PT? Mas, sinceramente, adoraria saber o que o doleiro Youssef e o Sr. Paulo Roberto Costa ameaçaram contar caso não fossem soltos? Já imaginaram quantos peixes graúdos estariam envolvidos?

Luiz Roberto Savoldelli

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

FEDERAL PRENDE, JUSTIÇA SOLTA

A princípio, o ministro Teori Zavascki não causou o estrago que muitos estavam apregoando, e nem a sua decisão que, segundo os mais eruditos, está com toda a razão que lhe confere o ilibado saber jurídico. Diz o ministro que a Polícia Federal, ao prender os acusados, isto sim, deveria encaminhar os processos para o Supremo Tribunal Federal (STF). Da Operação Lava Jato somente o doleiro Alberto Youssef ficará em liberdade, não sendo novidade que dentro de poucos dias esteja fazendo companhia ao banqueiro Pizzolato. O que vem acontecendo com os mensaleiros condenados e encarcerados e mais esse caso da Operação Lava Jato mostra que a Justiça brasileira em qualquer instância possui interpretações dúbias que dependem muito da bolsa e das relações do acusado. Sempre é bom lembrar o escritor português Albino Forjaz de Sampaio: "A Justiça é uma roda velha que ameaça ruína a cada instante. O dinheiro é o azeite que a mantém em movimento."

Jair Coelho

jairgcoelho@gmail.com

São Paulo

*

MINISTRO ZAVASCKI

Com a intempestiva ordem de soltura de réus do Lava Jato, Teori Zavascki demonstrou ter mais aptidão para advogado de defesa de criminosos do que para Ministro do STF.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

ZAVASCKI VOLTA ATRÁS

Um ministro do STF não pode se dar ao luxo de errar e revogar determinação anterior, mantendo preso o doleiro Youssef da Operação Lava Jato da PF. É imprescindível ter conhecimento total do processo para que não reste dúvida sobre sua determinação. Se não podemos julgar que foi proposital, dando tempo para soltura de Paulo Roberto Costa, que interessa muito ao governo federal. E se ele vier a engrossar a fila dos "Celsos Daniels", já que vinha sofrendo ameaças na prisão? Solto o risco de vida não seria maior? Foi ou não foi intencional a soltura de Paulo Roberto Costa, ministro Zavascki? A quem interessa vê-lo em liberdade? E para que? A conferir...

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

LAVA JATO

Referente à soltura dos presos da Operação Lava Jato há somente uma palavra para expressar: inacreditável!

Cesar Araujo

cesar0304araujo@gmail.com

São Paulo

*

VERGONHOSA

É simplesmente vergonhosa a suspensão dos envolvidos na operação Lava Jato tomada pelo ministro Teori Zavascki. Isso vem demonstrar a postura desse partido que se diz democrático, que não respeita nada. Tal atitude só vem nos envergonhar e colocar o STF numa condição de desconfiança. Pobre do Ministro Joaquim Barbosa.

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

CÚMPLICE DE BANDIDOS?

Caso Paulo Roberto Costa ou Alberto Youssef fugirem do País, o ministro Teori Zavascki deve ser investigado como cúmplice dos bandidos!

Eugênio José Alati

alatieugenio@gmail.com

Campinas

*

MAIS UM FURO N’ÁGUA

Teori Zavascki, nomeado por Dilma, que é discípula de Lula da Silva, da bancada lullopetista que se apossou do STF, como já tínhamos visto no julgamento do Mensalão do PT, que foi uma enorme palhaçada, tinha que dar o tom na operação da PF na operação Lava a Jato, a qual estava incriminando pessoal ligado diretamente ao PT, mandando libertar toda a quadrilha que deu um golpe de mais de R$ 10 bilhões, segundo investigações da PF.

É assim que funciona nossa Justiça capenga e totalmente aleijada, libertando réus confessos, fazendo com Fernandinhos Beira-Mar pareçam anjinhos tocando harpas perante nossas pessoas tão descrentes nesta pseudo-Justiça que dá aos criminosos do colarinho branco este tipo de tratamento corriqueiramente, vide mensaleiros, Paulo Maluf e tantos outros. Cabe a esses poucos que assim agem lutarem para colocarmos um ponto final nesta pouca vergonha que nos assola a todos os instantes de nossas vidas, nos fazendo de palhaços e nos tornando incrédulos perante à Justiça que acolhe bandidos a todo instante.

Boris Becker

borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

ASSIM FICA DIFÍCIL

Teori Zavascki, nomeado pelo ex-presidente Lula, para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF ), votou pela soltura dos réus do Mensalão, aqueles que desviaram alguns milhões de reais, mandou soltar os presos da Operação Lava Jato da PF, que desviaram mais de R$ 10 bilhões. Certamente, vai ficar aguardando no STF o dia em que pintar por lá os réus da Petrobrás. Assim fica difícil.

Leônidas Marques

leo_vr@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

NO EXTERIOR

O juiz Sergio Moro alertou Teori Zavascki da possibilidade de Alberto Youssef e Nelma Kodama, que têm uma fortuna no exterior, de fugirem pelas nossas imensas fronteiras. Caso essa possibilidade venha acontecer, Teori Zavascki será responsabilizado pelas fugas?

José Carlos de Castro Rios

jc.rios@globo.com

São Paulo

*

PARABÉNS

Ao que tudo indica, a solução vai ser no centro da curva com o Paulinho fora da jogada por ordens superiores. O ministro jogou no ralo, acabando com a alteração e deixando o "Paulinho" flanando nas praias de Copacabana. Parabéns, Brasil! Nosso protesto.

José Luiz Tedesco

wpalha@terra.com.br

São Paulo

*

TEJE SOLTO

Brasil, tranque as portas de casa, esconda a chave do cofre e guarde bem a carteira:o STF acaba de suspender os inquéritos e as ações criminais relacionados à Operação Lava Jato da PF e ordenar o "teje solto", abrindo a porta da prisão. Os bandidos estão de volta às ruas. Todo cuidado é pouco!

J.S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

SUPREMO

Colocar no Supremo Tribunal Federal pessoas sem nenhuma capacidade resulta nisso: um desses incapazes manda soltar um bando de ladrões dos cofres da Petrobrás. Depois, alguns fogem para o exterior e fica o ministro com cara de paisagem. Realmente a fase pela qual passa o nosso Brasil é das mais infelizes.

Carlos Alberto Ferreira

carlos.alberto572@terra.com.br

São Paulo

*

BOM SENSO

O Ministro Teori, na teoria, poderia até estar certo em libertar os presos da Operação Lava Jato. Só que se esquece de que existe uma qualidade humana inerente a todas as questões da vida: bom senso. Espero que ele tenha bom senso em se lembrar do bom senso.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

‘BABAQUICE’

Zavascki, Lewandovski, Toffoli: rima perfeita ou "babaquice"?

Eduardo Henry Moreira

henrymoreira@terra.com.br

São Paulo

*

EXAGERO

Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef ficaram 60 dias presos. Uma eternidade pela importância deles. Só não entendo o foro privilegiado, já que não são parlamentares. Quer dizer, neste país qualquer coisa se justifica, se ameaçar os poderosos.

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

ÓBVIO CONFLITO DE INTERESSE

Está difícil de entender. Os mesmos juízes que são indicados pela Presidência e aprovados pelo Congresso são os únicos que podem julgar o presidente e os congressistas. Assim, ao presidente, senador ou deputado que queira delinquir fica assegurado o "direito" que a investigação sobre seus atos e o julgamento será conduzida pelos mesmos juízes do STF que ele tenha indicado ou aprovado? Há óbvio conflito de interesse nisso?

Wilson Scarpelli

wiscar@terra.com.br

Cotia

*

HÁ ALGUÉM IMPORTANTE?

Felizmente, o trabalho de Lula e Dilma nomeando "amigos do PT" para o Supremo Tribunal Federal deu certo e trouxe um aspecto interessante na Justiça brasileira. Petistas têm preferência em não ser condenados ou ter sua pena reduzida. Havendo indícios (mesmo que ainda não confirmados) de parlamentares estarem envolvidos em investigações quaisquer, os processos todos devem ser enviados ao STF. Os investigadores e todas as pessoas envolvidos no trabalho original são dispensadas. Os réus no processo que já estejam presos devem ser soltos e provavelmente algum procurará viajar para o exterior (como Pizzolato). A impressão que fica é que há alguém do PT muito importante envolvido nessa operação que precisou ser "calada". Lembremos que os processos no STF geralmente levam muitos anos para conclusão. O dos mensaleiros foi concluído em cerca de nove anos e ainda há coisas a julga,r e o processo de Barbalho está lá há mais de 15 anos. Ou seja, a Operação Lava Jato "melou", os investigadores estavam chegando perto demais.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

DESÂNIMO TOTAL

O momento atual é tão desanimador que nem dá vontade de escrever para o Fórum, pois são tantos malfeitos, tantas denúncias e tantos rolos, que fica difícil selecionar só um tema. Hoje, ao apanhar o "Estadão", me deparei com a foto do ex-funcionário da Petrobrás com um sorriso irônico escudado por dois, imagino eu, advogados. Ou seja, a banda podre do STF, que literalmente manda soltar, já pôs nas ruas esse "senhor". De nada adiantou o aviso de que o doleiro mesmo sem passaporte, pode fugir. Alguém se lembra do Sr. Pizzolato? Pois é, e ainda temos de ouvir do ex-presidente babaca - ops, me enganei que é babaquice metrô em porta de "arena", afinal estádio mudou de nome. Arena para os tigrões fazerem mais alguns malfeitos. Será que o rouco, disse, o Lula, se os brasileiros quiserem, não viu nas suas andanças, que não foram poucas e nem frutíferas, ou melhor, foram para ele e Rosemary Noronha, que em muitos países europeus, os "babacas" de lá fizeram linhas de metrô, que coincidentemente, passam ao lado dos estádios? Esses europeus têm muito de aprender com o babaca daqui. Além do seu exitoso programa Fome Zero, cadê o marqueteiro que embalou isso? Ele pode exportar jegues e mulas para que os europeus vejam a perfeita mobilidade de muitos brasileiros. Só cuidado para não exportarem o senhor das mulas. Junto com a carga de animais. Acho que os animais não suportariam a presença do outro.

Renato Amaral Camargo

natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

*

BURRICE DUPLA

Lula é o responsável pela crise que o País está atravessando. Ele colocou Dilma na Presidência da República, e sua pupila demonstrou ser incompetente, prejudicando todos os setores da economia brasileira. Dilma quebrou a Petrobrás e toda cadeia produtiva sucroenergética, sem contar a energia. O País está um caos, por que a sociedade vai pagar novamente para ver essa senhora à frente do País e que não sabe o que fazer para mudar o cenário atual? Lula também não serve, pois como professor de Dilma, mostrou-se incompetente também e não está dando conta do recado. A maior obra do governo Dilma continua sendo o Porto de Mariel em Cuba. O povo quer mudança? Vamos mudar, pois pagar para ver o mesmo filme é burrice dupla.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

UM AVISO

Dona Dilma, já diz o ditado: "A mão que afaga é a mesma que apedreja". Quem se gaba de tê-la colocado lá em cima vai tirá-la com as babaquices que anda pronunciando a torto e a direito. O Brasil já acordou.

Celia Henriques Guercio Rodrigues

celitar@hotmail.com

São Paulo

*

LOBÃO MAU

É deprimente ler o relato da conduta de Lobão Filho (PMDB), pré-candidato ao governo do Maranhão ( 20/05 - A6). Ao afirmar que Aécio é contra o Bolsa Família e que foi contra o aumento concedido pela presidente, mobilizando inclusive a plateia desinformada, esse senhor deixa evidente o quanto esse projeto é, na prática, um "mensalinho", um esquema para a compra de votos dos mais humildes. Não sei se o chamo de Lobão-Mau ou de Pinóquio.

Sueli Caramello Uliano

scaramellu@terra.com.br

São Paulo

*

SE O NY TIMES FICAR SABENDO

Imagina se o "New York Times" ficar sabendo que no Brasil os criminosos que têm ligações com algum político não podem ser investigados nem presos pela polícia. Definitivamente o Brasil é a Disneylândia da impunidade, o País mais bonzinho do mundo com os criminosos. Em nenhum lugar do mundo o crime compensa tanto quanto no Brasil, campeão mundial invicto da corrupção e da impunidade!

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

CINISMO ELEITORAL

Sob o título acima, este jornal publicou na página A2, em sua edição de 20/05, excelente artigo dos professores Marco Antônio C. Teixeira e Rafael Alcadipane, que, entre muitos temas interessantes e de real importância, abordam o excessivo número de ministérios deste país - 39, e que já foram 21 no governo FHC e ainda menos no passado. A certa altura dizem que os candidatos Aécio Neves e Eduardo Campos prometem cortar o número de ministérios pela metade. Em minha opinião, o corte poderia ser de dois terços, pois 12 ou 13 ministérios seriam mais do que suficientes. Para lograr tal reforma necessário seria reduzir também o número de partidos políticos a uns cinco ou seis. Assim, seria fácil contentar o apetite dos ministeriáveis que seriam em menor número do que são hoje. Patriotas lúcidos, mãos à obra.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br

Campinas

*

COPA DO MUNDO

Acho que o Lula não sabe mais (ou nunca soube) o que fala. Achar "babaquice" ter metrô que chegue aos estádios e dizer que o povão pode ir "a pé, de bicicleta, de jumento, de qualquer coisa" para assistir aos jogos da Copa, só coisa de pessoa que não tem nenhum raciocínio. Por que ele não dispensa os carros, aviões, quase todos pagos com dinheiro público (como ex-presidente ele possui regalias, inclusive acompanhado por seguranças pagas com nosso dinheiro) e passa a andar a pé, de bicicleta ou de jumento, por este Brasil? Ele está querendo tirar o pouco do conforto que as pessoas têm quando andam de metrô, trens urbanos, ônibus (para trabalho e lazer), ou está com ciúme das obras metroviárias realizadas pelo governo do PSDB? Muito estranho que o ex possa manter sua vida como classe A (classe da elite, a quem condena), com aposentadorias e pensões somando mais de R$ 30 mil mensais, além dos cachês milionários como palestrante e querer que o povo não venha a ter nem um mínimo conforto urbano. Por que não diz isso diretamente ao povo da rua?

Éllis A. Oliveira

elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

TINTAS

Sera que o Lulla tera que pegar na brocha e a Dilma carregar os baldes de tinta verde amarelo e pintar as calçadas dos brasileiros visando anima los para o evento. As propagandas oficiais até agora não surtiram efeito.

Jose Roberto Iglesias

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

EVENTOS E TENSÕES

Com o "frisson" pela chegada da Copa do Mundo e a proximidade das eleições, com ameaças de greves e protestos generalizados, esperemos que nossas lideranças e autoridades saibam conduzir e realizar tais eventos com firmeza, equilíbrio e bom senso. O Brasil precisa aprender a ultrapassar democraticamente esses momentos de tensão, focando nos objetivos primordiais de nossas necessidades, pois somente assim avançaremos no processo civilizatório de que tanto necessitamos.

José de Anchieta Nobre de Almeida

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

ESTÁ CHEGANDO

Faltam poucos dias para o início da Copa,e o assunto predominante da população, inclusive nos comerciais de TV, são sobre futebol e a "nossa" seleção. Vivemos em um país líder de corrupção, onde carecemos de serviços básicos (saúde, segurança, educação, etc.), e todas as obras de infraestrutura para sediar a Copa foram superfaturadas e ainda não estão prontas. Neste país de chuteiras, onde os torcedores desde crianças são manipulados pela paixão, se emocionam quando cantam o Hino Nacional. Será amor à pátria? Na verdade, as pessoas em sua maioria nem sabe o significado do que cantam, onde o "brado retumbante" é somente pelo gol. Enfim, até a seleção está sendo usada para fins políticos. Ó, pátria amada, até quando será enganada?

Alex Tanner

alextanner.sss@hotmail.com

São Paulo

*

REPRESSÃO POLICIAL

Na Copa do Mundo, a repressão policial será grande. Como o rio que tudo arrasta chamam de violento, mas violentas não chamam as margens que o oprimem, teremos dias onde a paz e a ordem devem ser preservadas. A violência nunca é um bom caminho. A Copa do Mundo passa, e as dívidas espiritual e material ficam. A África do Sul passou por uma Copa do Mundo e saiu com dívidas materiais. Vamos deixar o exemplo de uma boa educação e tratar bem dos nossos irmãos que vêm para a Copa. O brasileiro é solidário e hospitaleiro!

Paulo Roberto Girão Lessa

paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

*

SANEAMENTO

Em 2011, O Brasil era o 112º em ranking de saneamento básico mundial, e de lá para cá não se mudou muito, e mais de 40% da população brasileira não tem acesso ao saneamento básico, o mais básico possível. Um país que pretende ser grande não pode deixar que os dejetos fiquem à mostra, dando a cara e o cheiro do País.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

URUGUAI

A decisão uruguaia, a respeito da maconha, vai contra todas as recomendações médicas e psicológicas. Pode ser uma desgraça para o país. O uso prolongado da droga, além de prejudicar o aprendizado, causará, provavelmente, esquizofrenia e tragédias. Também está comprovado que a maconha é uma droga que serve de entrada para drogas mais pesadas, ou seja, a médio prazo os traficantes dessas terão mais clientes. Se reconhecerem tais riscos, terão condições de voltar atrás? Tomara.

André C. Frohnknecht

caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

HOMENAGEM A UM ASSINANTE E LEITOR

Valdemar Carlos Juliani, assinante e leitor do "Estadão" há mais de 74 anos, eleitor apaixonado pela política com "P" maiúsculo por 57 anos, se despediu desta vida em Botucatu, SP, no último dia 15/05/2014 aos 82 anos (04/08/1931), vítima de infarto fulminante, após lutar por 14 anos contra moléstia insidiosa traiçoeira e injusta. Foi enterrado em Piracicaba no jazigo do saudoso sogro e amigo Antonio Paes. Neto de emigrantes italianos, ligado às famílias Juliani, Bisin, Armelim e Pagotto, entre outras, radicadas em Capivari, sua outra paixão. Exerceu com retidão, caráter e perseverança seu ofício laboral, por várias cidades do estado desde os 16 anos, até aposentar-se após 34 anos de serviço na antiga Sorocabana, extinta Fepasa, outra paixão. Dizia ter aprendido quase tudo que sabia e praticava nas páginas do "Estadão" da Família Mesquita, outra paixão, da qual teve oportunidade de conhecer através do Dr. Rui Mesquita em 2003. Leitor assíduo desde os oiyo anos, quando iniciou o gosto pela leitura no "Estadão" que seu saudoso pai Santo Juliani já assinava nos anos 20 do século passado. Praticou ativamente suas convicções cobrando lisura, coerência e trabalho de todos, até as maiores autoridades. Foi fiel defensor e praticante da cidadania, como eleitor e consumidor, exercendo seu papel ativamente e espontaneamente junto ao Procon de Botucatu. Se despede o assinante, leitor, cidadão exemplo, meu pai, meu herói, meu espelho. Obrigado, André Luís Paes Juliani, Caçador S.C.

André Luís Paes Juliani

andreluisjuliani@globo.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.