Fórum dos Leitores

MUNDIAL DA FIFA

O Estado de S.Paulo

13 Junho 2014 | 02h04

Abertura decepcionante

Muito ruim a abertura da Copa. Não avisaram à Fifa que Paulo Barros ou qualquer outro carnavalesco faria um espetáculo muito melhor, mais vibrante, empolgante, cheio de cores e verdadeiramente representativo do Brasil. Uma decepção!

FERNANDO PROCÓPIO FERRAZ

fernando@procopioferraz.com.br

São Paulo

Brasil 3 x 1 Croácia

Não sei o que vão escrever os articulistas que recebem para publicar as suas colunas na mídia, mas que foi um joguinho, isso foi. E não venham com a desculpa de ansiedade, nós já estamos cheios de blá-blá-blá. E o pênalti roubado, hein?

JOSE ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

Memória

Pela amostra, pode ser que o Brasil ganhe a Copa, mas nos mesmos moldes da Inglaterra em 66 e da Argentina em 78. Títulos conquistados com ajuda extra.

JOSÉ WILSON GAMBIER COSTA

jwilsonlencois@hotmail.com

Lençóis Paulista

Ajuda providencial

O "script" da Fifa continua o mesmo. Se o favorito da chave não consegue na bola, entra em cena o homem de preto para acertar as coisas. Como todos sabem, a Copa é um negócio como outro qualquer.

ALBERTO B. C. DE CARVALHO

albcc@ig.com.br

São Paulo

Dilma na Copa das Copas

O pontapé inicial da propaganda eleitoral de 2010 foi dado por Lula ao colocar no mesmo pódio as jornadas de Dilma Rousseff e de Nelson Mandela. No mesmo ano, dentro do Soccer City Stadium, Mandela foi ovacionado amorosamente pelos sul-africanos de todos os matizes. Aqui, na abertura da Copa das Copas, a companheira foi obrigada a cumprir um voto de silêncio.

HELENA RODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

Que vergonha!

Dona Dilma foi à TV para criticar os pessimistas e exaltar as obras do seu governo na área de infraestrutura, relata o Estadão (11/6, A6). Brasileiros na fila por duas e estrangeiros por três horas no desembarque internacional em Guarulhos, noticiou o rádio na véspera da abertura da Copa do Mundo. Desrespeito a todos os viajantes, inclusive aos brasileiros, e vergonha de todos nós, brasileiros, ao recepcionarmos os estrangeiros com esse cartão de visitas. Há menos de um mês constatei que a fila para apresentar o passaporte começava na porta do avião. Isso só no "primeiro tempo", porque no "segundo" tem a demorada retirada da bagagem (outra hora) e o trânsito engarrafado. A delegação dos EUA, com batedores e pelo acostamento, levou uma hora para chegar a um hotel na Avenida Paulista. Essa é a infraestrutura a ser exaltada? Esse é o legado que os estrangeiros não levarão na mala?

ANTONIO C. GOMES DA SILVA

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

Legado

Para o sr. Joseph Blatter o maior legado da Copa é a certeza de sua próxima reeleição para mais um período na presidência da Fifa. No mais completo estilo terceiro-mundista, adiantou, repartiu generosa parte dos lucros obtidos com a isenção de impostos garantida pelo governo brasileiro ao Mundial de Futebol. Mostrou que foi bom aluno do seu ex-chefe João Havelange em práticas políticas de perpetuação no poder. Viva o rei que tudo pode! Vergonha para o povo suíço, tão zeloso de sua ética.

SERGIO HOLL LARA

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

Segurança

Durante 30 dias o governo do PT nos garantirá segurança pública de Primeiro Mundo. Após a Copa, voltaremos a conviver com a violência endêmica que nos aflige e tira a vida de mais de 50 mil pessoas por ano. Está na cara que a administração petista é para ingleses e outros estrangeiros verem.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

NO SUPREMO

Triste espetáculo

Lamentável que um advogado experiente, em vez de usar a devida petição, o que lhe daria a vantagem de data e horário, se tenha dirigido à tribuna da Corte máxima do País e, de forma grosseira, feito reivindicações, que até poderiam ser justas, não se tratasse seu cliente de pessoa que teve laudos periciais, até do serviço médico da Câmara dos Deputados, comprovando que ele não precisa de tratamento especial e pode cumprir pena de prisão em estabelecimento penitenciário. Aliás, há muitos outros brasileiros que, verdadeiramente doentes, não têm prisão especial, recebendo tratamento médico no próprio sistema penitenciário. Se, realmente, o sr. José Genoino um dia lutou por uma sociedade mais justa, deveria cumprir sua pena quieto e caladinho, em solidariedade aos presos pobres da Papuda e de outros presídios, e jamais nos obrigar, mesmo que indiretamente, a assistir a um espetáculo medíocre. Mais uma vez o ministro Joaquim Barbosa agiu com coragem e dignidade.

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

Respeito

Respeito é bom e todo mundo quer. Acontece que alguns advogados se acham mais do que realmente são. No episódio do Supremo Tribunal Federal anteontem, o ministro Joaquim Barbosa, a única autoridade que realmente tem autoridade, agiu certo ao tirar um desaforado do plenário. A OAB, a que pertenço, deve tomar atitudes menos corporativistas. Respeito só o tem quem merece. Parabéns ao ministro Joaquim Barbosa

JOSÉ LUIZ TEDESCO

wpalha@terra.com.br

Presidente Epitácio

Defesa da OAB

Envergonha-me a atitude agressiva com que o patrono do ex-deputado José Genoino interpelou o presidente da Suprema Corte do Brasil. Entristece-me ainda mais ao ver a OAB defender o causídico. Fosse nos EUA, ele teria a sua licença cassada de forma sumária e talvez até saísse algemado do plenário.

SCHINDLER PEDROZA

s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

Repúdio

Já não chega esse festival de desmandos e imoralidades que arruínam o nosso país? E ainda aparece esse desrespeito ao Supremo Tribunal Federal... Além do mais, a matéria não estava em pauta. A nossa repulsa!

JORGE MEMA BERNABA, advogado

jorgebernaba@gmail.com

Araçatuba

*

NO SUFOCO

Apesar da boa vitória de virada sobre a Croácia, a Seleção canarinho ficou devendo. Conduta tática errática do time que contou com o “apito amigo” do japonês Yuichi Nishimura na marcação de um pênalti inexistente, cavado magistralmente por Fred, que pouco fez em campo. Convertido por Neymar - o homem do jogo com dois gols - o Brasil viu consolidado o marcador com um bico, colocado com régua e compasso no cantinho por um gigante de físico franzino chamado Oscar. Que sufoco, meu Deus! Será que vai ser sempre assim? Valeu pelos 3 a 1, pelo alívio na estreia de uma Copa marcada por polêmicas de toda ordem, e, também, pela ansiedade, nossa maior adversária. Valeu, por fim, pela tranquilidade que a vitória dá rumo à classificação para as oitavas. Mas que ninguém se iluda: jogamos mal, muito aquém do potencial desse time, e Felipão vai ter trabalho para pôr o escrete canarinho pelo menos ao nível em que jogou a Copa das Confederações.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

Quem, como eu, assistiu ao jogo de abertura da Copa pela “Globo” não pode deixar de constatar: abobrinhas em todos comentários sobre arbitragem hoje culminaram com a incompetência que o marketing já não pode mais encobrir. Pois não é que, do alto da sua empáfia, o Sr. ex-árbitro Arnaldo Cezar Coelho nos brindou com uma brilhante interpretação das regras do futebol? No lance do pênalti só ele não viu que o Fred foi agarrado pelo ombro e puxado pelo zagueiro croata, e afirmou que não houve nada, que o Fred “se atirou”. Cavalheiro, V.S. já ganhou muito dinheiro dando interpretações suas das regras. Chega! Aposente-se, e nos poupe.

Ricardo Hanna

ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

*

É mais que evidente que essa Copa só pode ter sido comprada. Depois de um pênalti contra a Croácia, não marcado, e de um gol anulado da Croácia, irregularmente, fica claro que a Fifa se contentou com R$ 20 bilhões de lucro, mais o fato de o Brasil abrir mão da comissão a que tinha direito, por favor do governo, e pela primeira vez na História das Copas.

Conrado de Paulo

conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

Não é por nada não, mas um juiz japonês só podia dar no que

deu. O time da Croácia é um timinho.

José Roberto Iglesias

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

RETRATO DA COPA

Esta semana começou a Copa do Mundo no Brasil, e com ela, a exposição de uma série de obras inacabadas espalhadas pelas 12 sedes do Mundial. Aeroportos com puxadinho, portos sem conforto e eficiência, estradas esburacadas entre os estados brasileiros e muito mais se enveredarmos pela saúde, educação e segurança. Estrangeiros vão se deparar com histórias de dengue, sarampo, leishmaniose e algumas doenças que talvez não pensassem existir em pleno século 21. O sucesso da seleção em campo será fator determinante para aplacar a paciência já esgotada dos nossos brasileiros torcedores ou não de futebol. Pressentimos vergonha e desconforto em tudo que este desgoverno deixou de fazer em sete anos, tempo mais do que suficiente para cumprir suas promessas de fazer a Copa das Copas. Mas para quem está há 12 anos no poder o que poderíamos esperar, se nada fizeram para resolver as mazelas do nosso povo sofrido?     

Rafael Moia Filho

rmoiaf@uol.com.br

Bauru

*

O POVO ACORDOU

O povo acordou! O povo descobriu! Um governo que não foi capaz de fazer uma Copa de forma decente em sete anos, usou e abusou do dinheiro do povo, muito menos será capaz de dirigir um país com muito mais necessidades e zelo. O atestado está no desespero de implorar ao povo que salve a imagem do País que eles não foram capazes.

Nelson Pereira Bizerra

nepebizerra@Hotmail.com

São Paulo

*

A GRANA VAI ROLAR

Em sua entrevista na TV, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, pediu aos brasileiros para demonstrarem que são educados e como tal deveram ter um bom comportamento durante a Copa. Também deu seu recado que, para isso, a seleção brasileira precisa ganhar. Portanto, caros contribuintes, vamos começar a comemorar e preparar o bolso, que a nossa grana vai rolar como bola nos gramados da Copa.

Valdy Callado

valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

Fiquei atônito com a declaração do senhor Blatter, presidente da Fifa. Ele esclareceu que jamais pediria a isenção de impostos que a Fifa deveria ter pagado. Isso foi oferecido gentilmente pelo governo federal. Isso é inadmissível, é uma afronta ao povo brasileiro. Já não basta as doações para Cuba, Bolívia, Venezuela, países africanos e os outros grandes desvios? Eles fazem tudo às avessas desafiando a população e dando um show amargo de prepotência desrespeitosa.   

Ivan Bertazzo

ivan.bertazzo@gmail.com

São Paulo

*

DILMA PAZ E AMOR

A presidenta Dilma não pode nem deve cometer a tolice de não se dirigir à Nação na abertura da Copa do mundo. Dilma é mulher forjada em lutas. Jamais se omitiu diante dos problemas. Na qualidade não só de torcedora, mas de principal anfitriã brasileira, Dilma precisa dar as boas vindas aos visitantes e as seleções. Exortando paz, tolerância, respeito e otimismo. Tudo em clima de alegria, amizade e solidariedade. A manifestação de Dilma repercutirá no mundo inteiro. Sem essa de abrir mão de sua autoridade para satisfazer a corja de maus brasileiros, empenhados para que a bagunça, o desrespeito, a violência e a irresponsabilidade perturbem e estraguem a festa do maior espetáculo esportivo mundial. Dilma tem de mostrar ao mundo que o Brasil  é um país forte, respeitado, democrático e ordeiro.

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

DILMA MENTE

A presidente Dilma mente: o Brasil enfrenta, sim, um surto de dengue, as obras da Copa não ficaram prontas, o Itaquerão não tem sequer o habite-se. A presidente Dilma faz campanha eleitoral antecipada. Há motivos de sobra para que seja pedido o impeachment da presidente Dilma, se a oposição não o fizer só nos resta esperar que as Forças Armadas cumpram seu dever e apeiem essa senhora de seu cargo.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

PÁTRIA AMADA

No ano do seu centenário, que a seleção entre em campo com força total rumo ao hexa, honrando as cinco estrelas da “amarelinha” e à torcida de 200 milhões de corações dos filhos deste solo mãe gentil, pátria amada, Brasil. Boa sorte!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

À seleção brasileira, desejo toda sorte do mundo. Que nossos atletas encontrem forças para mostrar ao mundo que com a bola nos pés ainda é possível fazer uma Nação inteira sorrir. Boa sorte, Brasil.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

A realização da Copa do Mundo no Brasil foi pensada por Lula como consagração do governo da Dilma para assegurar a sua reeleição.  Agora parece que foi tiro que sai pela culatra por conta das incompetências, da corrupção, da falta de desempenho na saúde e na educação do governo petista. Não se trata de “falso dilema” nem “pessimismo”, como expressam os marqueteiros que redigiram o discurso intempestivo na televisão. Os protestos populares de junho de 2013 foram espontâneos e surpreendentes para todos.

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

MASCOTE DA COPA

O “Estadão” de ontem (12/6/2014, A22 ) noticiou que o  mascote da Copa - tatu bola - por falta de meio ambiente (Caatinga),  está em risco de extinção. Aliás, a contrário, o que deveria ser extinto é outro tipo homônimo desse animal, o tatu mamífero cavador, e que deveria chamar-se “tatu bolso”, ou melhor falando, bastaria colocar mais uma letra (s) na palavra bola, o que mudaria completamente o sentido do seu nome para tatu bolsa. Essa digressão faço para que os cofres  que guardam o dinheiro público fiquem livre dos assaltos dos vários tipos de corruptos que cavam profundamente às claras os bolsos da nação para criminalmente os mamarem sem a menor punição. Essa extinção seria a salvação da lavoura

Antonio Brandileone

abrandileone@uol.com.br

Assis

*

POLÍTICOS ESCONDIDOS

Conforme noticiários, os políticos irão assistir à Copa devidamente “escondidos” em algum canto policiado. Talvez será a primeira Copa em que os políticos terão, pelo menos uma vez, vergonha na cara de não aparecer em público.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

INSEGURANÇA

É nobríssimo ver esse inepto e corrupto governo gastar bilhões para proteger as seleções e os turistas, mas isso é só para inglês ou outros verem? Na verdade, adoramos aparecer de eficientes e bonzinhos, mas uma pergunta séria e importante tem de ser feita agora para a presidenta Dilma andar de vaqueiro: e a segurança após a Copa? O que vão colocar na rua, além dos milhares de bandidos ladrões e pedófilos? Isso é o que interessa ao povo e não a Copa e suas mazelas. PT, saudações.

Asdrubal Gobenati

asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

Às vezes dona Dilma diz alguma verdade: a Copa não vai ser  o padrão Fifa, vai ser padrão Brasil, ou seja, roubalheira , corrupção e incompetência.  O cara - o maior megalomaníaco - em 2007 afirmou que seria padrão Fifa, assim como o mesmo afirmou da autossuficiência do petróleo. E viva o Pinóquio.

Carlos Roberto Gomes Fernandes

crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

Então a nossa presidente diz que temos aeroportos padrão Brasil. Será que ela se refere a construções superfaturadas, ao pronto socorro sem médico, à falta de acesso por transporte público, à administração de incapazes apadrinhados, a ladrões em todo lugar, à prepotência dos que têm “autoridade”, ou a tudo isto junto? Perguntar não ofende. Só queria entender.

Marcos L Susskind

eulerei@estadao.com.br

São Paulo

*

DESÂNIMO GERAL

As bandeirinhas brasileiras encalhadas nas mãos dos vendedores de sinais e os raríssimos carros desfilando com elas mostram o humor dos brasileiros com essa Copa do Mundo. Bem diferente de Copas anteriores, quando se vivia um clima de festa verde e amarela, até o patriotismo e o amor pela seleção foram vencidos por um desânimo geral, fruto do atual desgoverno, com corrupção e inflação em alta e esperança por um futuro melhor em baixa. Nem as massivas propagandas do governo, de empresas patrocinadoras, e emissoras de TV interessadas em promover a Copa estão conseguindo mudar isso. O Brasil esperou 64 anos para sofrer o mesmo sentimento de tristeza e desilusão de uma derrota.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

INCOERÊNCIAS

Dilma Rousseff disse que há “campanha sistemática” contra a Copa e ainda afirmou “nem na ditadura nós confundimos Copa com política”, que estava presa e começou a Copa, e ninguém torceu contra o Brasil. Pois é, exatamente pelo motivo de muitos de vocês estarem exilados e presos, como no seu caso específico e, portanto, o País livre da “corrupção” e “roubalheira” não havia tanta revolta, com um detalhe: o povo não está torcendo contra o Brasil e sim contra políticos corruptos. Pois durante a ditadura, embora severa, as leis eram respeitadas, tínhamos segurança, bandidos estavam na cadeia e etc. Além do que, como é sabido, os militares não praticavam a corrupção, exatamente o contrário, a combatiam.

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

REENCONTRO PRÉ-COPA

Frustrada também. Chocada, revoltada, desanimada. Indignada. Tudo isso e mais duzentos adjetivos negativos, é assim que me sinto em relação à irresponsabilidade deste governo corrupto e o evento que se aproxima. Mesmo assim, na sexta-feira levei meu filho ao estádio para ver o amistoso. Levei, porque ele tem o direito de vibrar ao ver sua Seleção entrando em campo. Levei, porque aos sete anos de idade é a primeira vez que ele tem consciência do que é uma Copa do Mundo. E principalmente, levei porque precisamos saber prezar a diferença entre governo e Pátria. Ele vibrou com a Canarinho, e vibrou ao ver o Neymar. E fez reverência ao nosso hino com postura ereta e mão no peito. E eu, que entrei ali descrente e apenas querendo proporcionar-lhe essa experiência, fui totalmente surpreendida pelas minhas reações.  Eu tive um reencontro com minha alma brasileira. A seleção pisou em campo e eu me arrepiei. Senti um tremendo nó na garganta e os olhos umedecidos. O hino começou, aumentando a dose de emoção. Não consegui evitar as lágrimas, o que me deixou numa situação estranha no meio de tanta gente. É isso, governo e Pátria são coisas totalmente diferentes. E apesar do meu desprezo por este governo estúpido, meu amor à Pátria continua igual. E isso PT nenhum tira de mim.

Patricia Chaccur

patricia.chaccur@hotmail.com

São Paulo

*

Sem o menor pejo vimos, constrangidos, a presidente da Republica, utilizar em horário nobre os meios de comunicação, TV e Rádio, para fazer um pronunciamento dito sobre a “Copa das Copas” se safando da ida ao local da abertura oficial dos jogos tendo em vista as possíveis vaias que o publico, descontente com as promessas de sua governança nunca cumpridas, a saudaria. Seu pronunciamento em horário nobre foi um apanhado de auto-elogios pelos seus “feitos”, de ataque as oposições e aos “pessimistas” e ainda de sobra elogios ao Bolsa Família e as verbas para a educação, saúde e etc. como se estivesse em Horário Político Eleitoral achando que o povo brasileiro cansado de suas baboseiras fosse um bando de tolos e não percebessem que ela fugiu do assunto e da raia.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

SUPERTICIOSA

Se o coração dela batesse pelo Brasil e não pelo Felipão, e se, em vez de bater na madeira em busca de sorte na Copa, batesse com a madeira na cabeça do Guido Mantega, quem sabe os tempos atuais poderiam ser menos piores.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

A VERGONHA QUE SINTO

Quando vemos a ineficiente segurança do Brasil e sabemos que a França está enviando sete policiais para fazer a segurança de seus torcedores, dá uma grande inveja. Primeiro porque a França respeita seu povo, e segundo porque a criminalidade e a violência no Brasil são de conhecimento do mundo inteiro. Que vergonha do Brasil, o País vai sediar a Copa, não terminou as obras e não oferece segurança e conforto ao seu povo e seus convidados. E pensar quanto dinheiro foi destinado para essa grande festa. Lamentável!

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

No último dia 7, o “Estadão” trouxe a notícia que uma empresa de consultoria, auditoria e propaganda avaliou a marca Corinthians em R$ 1,23 bilhão. Como ela chegou nesses valores? Como sabemos o Corinthians só tem o Parque São Jorge reconhecido como sendo de sua propriedade, já que o CT da Marginal Tietê e o Itaquerão pertencem, por ora, ao poder público. Se a marca fosse tão valiosa como é cantada em verso e prosa por nós, corintianos, porque até agora o ex-presidente do Clube, que esteve por duas ou três vezes no mundo árabe, tentando vender o nome para a Arena, até agora não conseguiu nada? Só queria entender.  O Lula está certo quando diz que uma mentira repetida várias vezes, acaba se tornando uma verdade. Talvez seja essa a explicação. “Vivemos num mundo de mentiras”.

Walter Kovacs

kovacswalter@hotmail.com

São Paulo

*

A TAÇA QUE QUEREMOS

Sempre a mesma velha fórmula: para os amigos, as melhores fatias da torta, enquanto para o povo, pão e circo. Até quando teremos de aguentar isso? Até quando os que trabalham e produzem vão se contentar com as migalhas que restam dos pesados impostos que pagam com tanto sacrifício e suor?  Agora teremos a Copa do Mundo a ser realizada em estádios caríssimos - padrão Fifa.   Quem ficará com a taça?  Infelizmente, a seleção que eu desejo ver campeã não é a de futebol em que poucos estão ganhando milhões, mas a grande seleção do povo brasileiro.  No próximo outubro esperemos que o eleitor também pense assim!

Silvano Corrêa

scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

IMINENTE PERIGO

Se Dilma se submeter à chantagem do MTST para cancelar protestos na inauguração da Copa, estará dado um enorme passo para a institucionalização da anarquia no País.

RobertoTwiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

O governo petista sempre cede às chantagens dos que se utilizam da desordem e da força para fazer protestos. Desse modo institucionaliza a bagunça, a desobediência às leis e incentiva quem assim procede. Isso já faz tempo e agora tudo ficou muito pior. Com medo de haver uma grande ação contra a Copa Dilma cedeu às reivindicações do grupo MTST e prometeu casas no terreno ilegalmente ocupado perto do Itaquerão. Resta saber como ele será adquirido e quem pagará por ele. Prometeu dar R$ 76 mil à cada casa a ser construída na região, fazendo de idiotas os que esperam pacificamente por moradias pelos programas oficiais. Quer dizer que quem grita, invade e é violento tem vantagens. O governador de São Paulo não cedeu aos metroviários e não admitiu os que foram demitidos. Mostra, assim, que não é por meio de força e violência que se consegue tudo e espero que consiga manter esta posição apesar da pressão que deve estar recebendo dos ministros de Dilma (e dela própria). O fato de que os ministros de Dilma (José Eduardo Cardozo e Gilberto Carvalho) considerarem que o governo paulista é intransigente em não aceitar a readmissão dos grevistas do metrô mostra como estes movimentos que prejudicam a vida de pessoas comuns têm força dentro do poder. Não há mais espaço para que no Brasil a desordem e a violência tenham voz ativa. É por isso que nos tornamos um dos países mais violentos do mundo. Onde não há leis nem autoridade não há possibilidade de haver paz.

Maria Tereza Murray

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

Para quem decreta a proibição de manifestações políticas, condena protestos, não permite imagens dela no telão da Arena Itaquera, não faz a abertura oficial da Copa, e se diz super democrática, ou pensa que já vive em Cuba ou acredita que engana todo mundo. Como um chefe de Estado pode agir com covardia, medo e mentiras para enfrentar a realidade de seu país e não encarar seus compatriotas num evento de tamanha envergadura? Dona Dilma está galopando a passos largos para sua aposentadoria, mais depressa do que para a aposentadoria da lojinha de R$ 1,99. Já vai tarde e não deixará saudade.

Antônio Carelli Filho

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

NA PRÓXIMA ENCARNAÇÃO

Entre todas as estrelas que participarão da Copa das Copas, na próxima encarnação eu gostaria de ser o coordenador técnico da seleção brasileira, ou o senhor Carlos Alberto Parreira. Seguem alguns motivos: não são claras as suas obrigações; deve estar ali para dar palpite; pelo que se conhece do Felipão, nunca terá de dar palpite; não terá muita culpa se a seleção fracassar; será coautor se a seleção vencer; só dá entrevista sobre amenidades; seu salário é um prêmio de loteria por mês; e o seu lugar no estádio não tem cambista que consiga.

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br  

São Paulo

*

SÃO PAULO GANHOU NA COPA

Agindo com firmeza e determinação, o Metrô de São Paulo quebrou a espinha do sindicato dos metroviários, que insanamente tentou até a última hora  chantagear com a ameaça de tumultuar a abertura da Copa. Escudados na estabilidade, os dirigentes do sindicato jogaram na fogueira os seus liderados, afrontando decisões da Justiça do Trabalho  e insistindo na agressão diária a 4,5 milhões de usuários do Metrô. Os metroviários estão agora aprendendo que o desrespeito às leis pode resultar em punições, e que é muito alto o preço pago com a perda do emprego quando usados como massa de manobra por lideranças alucinadas. Que essa lição sirva para que se precatem no futuro e escolham melhor seus representantes. O sindicato vai colocar as barbas de molho por um bom tempo, mas é indispensável que a direção do Metrô continue agindo com firmeza para dissuadir eventuais tentativas futuras.

Hélio de Lima Carvalho

hlc.consult@mail.com

São Paulo

*

CONSULTEM O POVO

Dentro do espírito do Decreto de Participação Popular proposto pelo governo da Dona Dilma, sugiro que o governador Geraldo Alckmin proponha uma consulta popular entre os usuários do Metrô de São Paulo - excluindo os pelegos sindicalistas e os representantes dos Movimentos dos Sem-Sem - se deve manter a demissão dos grevistas baderneiros. Garanto que o número de opiniões favoráveis será bem próximo dos 100%. O povo que sofreu nas mãos desses irresponsáveis não esquece nem perdoa. Governador, não ceda a pressões ou promessas dessa corja.

Claudio Juchem

cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

FUTURO REPETINDO O PASSADO

Infelizmente, nossos políticos insistem em repetir os erros do passado. Confundem e fazem confundir regime econômico com regime político e deles fazem instrumento de ascensão. As sucessivas greves em SP têm sinais de ranço político, ao pior estilo do período conhecido por “Guerra Fria”, no qual os protagonistas dos embates eram apenas marionetes, coordenados pelas “duas potências” político-econômicas mundiais, através dos quais testavam suas forças ou utilizavam-nos para minar o oponente. Destruíram cidades, pessoas, mas parece que deixaram esse “mau exemplo” para ser usado por aqueles que, por falta de argumento e ética, utilizam-se de subterfúgios (protestos, greves) para se antagonizarem tanto à direita quanto à esquerda. Assim como na guerra, para esses, o importante é ter o poder (e não importam os meios, como na “cartilha maquiavélica”) e, de quebra, tripudiar o adversário. E dizem que isso é civilidade...

Maurício Martins Barbieri

mauricio.barbieri@coopsp.coop.br

São Paulo

*

Está satisfeito/a com o desenrolar da greve. Conseguiu o índice desejado ou contentou-se com o estabelecido pelo tribunal, ao qual você ousou desafiar? Está feliz de ter sido usado como massa de manobra para satisfação de alguns agitadores e para quem quanto pior, melhor e que lutam pelo despotismo de suas ideias políticas? Como vai encarar seus vizinhos, parentes, amigos, familiares e a população em geral a quem tanto transtorno você gerou? E agora vai ajudá-los a remarcarem as consultas médicas e exames, às vezes tão ansiosamente aguardadas? E as entrevistas de emprego perdidas? As aulas que não foram dadas? O prejuízo do comércio, indústria e o setor alimentício? Enfim, pronto/a para a próxima greve?

Luiz Nusbaum

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

MERECEMOS

Nossos governantes são inoperantes. Greves pipocam Brasil afora e mesmo assim a tendência para a reeleição continua forte e bem próxima de se tornar uma realidade. O povo merece o governo que tem, enquanto não houver uma conscientização pela cultura e educação, a sociedade permanecerá sendo vítima do seu voto inconsequente.

Yvette Kfouri Abrão

abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

Mais do que justa a não-readmissão de grevistas. Esses "sindicalistas" afrontam o cidadão de bem. O sindicato tudo pode, o usuário nada tem.

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

DESPRAZER

O sindicalista Altino Prazeres proporcionou o "desprazer" a 42 companheiros por suas demissões. Prazerosamente, a população agradece.

Ademar Monteiro de Moraes

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

Vivemos tempos perigosos. Neste país, só há sujeitos de direitos, sem qualquer obrigação correspondente. Em que pese uma greve ser considerada abusiva, pela Justiça competente, associação de juízes, políticos, ministros de Estado vêm em defesa dos grevistas, que assim permanceram, a despeito de decisão judicial em contrário. Assistimos a reportagens, vale dizer, com imagens, exibindo cenas de violência contra o patrimônio público. Diante de 42 demissões, a turma do “deixa disso” entrou em campo. Realmente, o abuso do direito parece ser o esporte favorito de parte expressiva dos brasileiros.

Ana Lúcia Amaral

anamaral@uol.com.br

São Paulo

*

PETROBRÁS

De nada adiantou o ministro do STF Teori, sabe-se lá porque, uma vez que ele não justificou a sua decisão, talvez porque a Dilma ou o Lula mandaram, libertar, da cadeia, o Paulo Roberto Costa, o homem bomba da Petrobrás. Ele é Chefe da Quadrilha da organização criminosa que existe na Petrobras. O facínora omitiu a entrega dos passaportes. Entregou o brasileiro, mas ele tinha outro, o português, que não entregou. Certamente porque sabia que tinha US$ 23 milhões na Suíça, agora denunciados pelos procuradores da lá. E a certeza de que pretendia fugir do Brasil, como fez o Pizzolato e viver nababescamente na Europa. Felizmente não deu tempo e o bandido foi preso novamente e agora terá de explicar de onde vieram esses US$ 23 milhões, os quais, com certeza, foram surrupiados da Petrobrás, dos contratos que esse salafrário administrava. Agora a jurupoca vai piar. Se cuidem, Dilma e Lula. Ainda vai sobrar para vocês. A cana e o impeachment estão rondando bem perto.

Dr. Carlos Alberto Ramos Soares de Queiroz

soares.queiroz@terra.com.br

Moema

*

DE PEÇAS E TRAGÉDIAS

Quando assisto via TV as peças tragicômicas denominadas, convenção do PMDB e convenção do PDT, e vejo artistas consagrados em cartaz como Renan Calheiros, José Sarney Michel Temer, Carlos Luppi e outros coadjuvantes de igual talento, chego à conclusão que a maior e mais consagrada e premiada peça sempre será: o Brasil nunca mudará. Essa é definitivamente a maior tragédia tupiniquim de todas as temporadas.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

Os partidos de coligação com o PT me parecem aquelas moçoilas de beira de estrada: sempre se vendendo.

Maria José da Fonseca

fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

Que surpresa a decisão do PMDB em manter aliança com o PT.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

PROCISSÃO PARA ÉOLO

A  todos esses manifestantes que diariamente enchem o saco do paulistano com suas passeatas, protestos e outras formas tais que acabam por congestionar o transito até para ciclistas, faço um pedido: unirem-se  numa só procissão pelas vias paulistanas e  rezar ao deus Eolo para ventar forte do Sul para Sudeste, para trazer  o excesso de chuvas que inunda o  Paraná viesse despejar esse mundão de água na bacia do Sistema Cantareira que está mais seca que o Atacama.  

Laércio Zannini

arsene@uol.com.br

São Paulo

*

TUDO AOS SOVIETES

O decreto presidencial criando os tais “conselhos populares” comprova que a alteração sugerida pelo marqueteiro de plantão, nas cores a serem exibidas pelo partido no poder, irá transformá-lo numa “melancia”: verde por fora, porém vermelho por dentro.

caio augusto bastos Lucchesi

cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

*

Países ricos não viram socialistas. Não há nenhum que tenha esse feito. Isso dá uma pista do motivo pelo qual a presidente Dilma, alertada por importantes economistas para os grandes erros da econômica, prosseguiu na sua política com “grandes gastos públicos” muito acima do permitido. Foi a pior atitude. As obras públicas continuaram se arrastando. O governo atual não tem nenhuma obra concluída, incluindo-se as da Copa do Mundo. Melhorias nas rodovias, portos, aeroportos, que melhorariam a economia, foram extremamente atrasadas. As importantes reformas tributária,  trabalhista e política não foram realizadas. As medidas para a sustentação do Real, o chamado tripé, foi basicamente abandonado, e a inflação voltou. Nos governos petistas não se procurou realizar acordos comerciais com países que pudessem comprar produtos brasileiros, como também, a produtividade do País despencou e nossa indústria em caminho descendente não consegue exportar, nosso custo é elevado e a tecnologia é atrasada. O Brasil cresce a taxas “mínimas” e há a previsão do crescimento do PIB ser negativo no 2º trimestre de 2014. O governo cria números fictícios para a economia, instituindo a “contabilidade criativa”. Nessas circunstâncias a impressão que fica é que a presidente Dilma busca, propositadamente, empobrecer o País para seguir no programa de socialismo. Não há nenhuma medida que possa melhorar a economia e fazer o Brasil voltar a cresce. A recém criada Política Nacional de Participação Social (PNPS) é uma demonstração do caminho do Brasil rumo ao socialismo.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

SOVIETE TUPINIQUIM E COPA

A Presidente da República e seus companheiros que lutaram de armas na mão para impor um governo comunista ao povo brasileiro não desistem. Aproveitando-se da liberdade que o Estado Democrático de Direito lhes faculta agora fazem mais uma investida para desfigurar o regime democrático e voltam à carga com o decreto de criação dos chamados Conselhos Populares, embrião - versão tupiniquim - dos sovietes bolchevistas que, em 1917, derrubaram a incipiente república russa. O panorama nos últimos tempos vem mostrando que maleável massa de manobra popular e lideranças agitadoras de rua não lhes faltam para conseguir pela violência seus objetivos políticos. No momento atual o poder lulopetista-marxista, que dilapidou o Erário financiando a Copa e, que defende sua realização com “unhas e dentes” sob intensa propaganda, paradoxalmente não se manifesta contra os grevistas metroviários e agitadores agregados - todos seus parceiros ideológicos - que martirizam a sofrida população paulistana e ameaçam tumultuar o início da competição que patrocinam. A explicação é simples. O interesse maior - estratégico -, que é político, é desestabilizar o governo estadual paulista para, em outubro próximo, conseguir o sonho ainda não realizado - a conquista do governo do Estado de São Paulo.

Arnaldo Amado Ferreira Filho

amado1930@gmail.com

São Paulo   

*

DILMA EM QUEDA LIVRE

Como se estivesse nos priscos tempos em que brandia um fuzil AK-47 de procedência soviética, a presidente Dilma invadiu a nossa privacidade para, usando pano de fundo da inauguração da Copa apresentar, sob as vistas grossas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mais uma propaganda ilegal onde desfilou as obras super faturadas, muitas inacabadas e que garantirão as verbas para a campanha eleitoral  do Partido dos Trabalhadores. Sempre arrogante e petulante de quem ainda vive um sonho que jamais havia idealizado. As mais recentes pesquisas dão aos brasileiros de bem uma esperança de que essa quadrilha será escorraçada. Mas essa esperança foi abalada pela coluna de Dora Kramer, no “Estadão” de 11/6. Dora sugere que Dilma pode ser descartada como candidata sendo substituída por Lula. Pesquisa recente do Datafolha revela que 58% dos entrevistados afirmaram que o candidato do PT à presidência deveria ser Lula. Algo podre pode estar em gestação nos laboratórios petistas. Nada disso é especulação. Quantos sabem que até 20 dias das eleições o candidato pode ser substituído? Dilma já havia dito que o PT faria “o diabo” para vencer as eleições, porque do contrário assistiremos a uma Nuremberg tropical. “A vitória de uma facção política é ordinariamente o princípio da sua decadência pelos abusos que a acompanham.” (Marquês de Maricá).

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

Segundo Ibope, Dilma cai para 38%, Campos e Aécio sobem. Se a proporção continuar, até outubro a presidente perderá mais 10%, ou seja, cairá para 28%. No início das pesquisas, Dilma ganharia as eleições no primeiro turno, hoje já se admite o segundo turno.  Já imaginaram que benção se ela ficar de fora, for eliminada no primeiro turno?

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

É O CÚMULO

"Garanto energia, não água" é o cúmulo, a dona Dilma que disse que garante, em quase três anos e cinco meses de desgoverno, se garantiu alguma coisa foi para os seus filiados e aliados com a liberalidade no gasto público e facilitação na corrupção em tudo, nos ministérios, estatais e órgãos de governo. Nem energia nos garantiu, depois dos inúmeros e constantes apagões, água nem pensar - é só perguntar aos nossos irmãos nordestinos. Quem até agora não mostrou para o que foi eleita, e, pior, lhe restam apenas sete meses de (des)governo, não podia deixar de criticar o governador Alckmin, em razão da estiagem mais longa da História. Presidente Dilma, é fácil, avalie o seu próprio desempenho, comparecendo aos estádios para assistir os jogos da seleção brasileira, em que será ovacionada solenemente com vaias e possíveis palavras de baixo calão, é só tentar. As térmicas ameaçam cortar a luz em Manaus, fique esperta. É o cúmulo mesmo, era melhor ter ficado calada quando no evento da comunidade judaica na capital paulista.

Luiz Dias

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

ALVO ERRADO

As críticas que o ex-presidente Lula fez ao secretário do Tesouro, Arno Augustin, em Porto Alegre, o deixou abaixo de zero. Citou o secretário em oito oportunidades, uma verdadeira humilhação. Faltou educação e sobrou arrogância ao ex-presidente. Enquanto isso, em Brasília, a verdadeira culpada, a presidente Dilma Rousseff assistia a tudo de camarote. Desde que essa senhora assumiu o governo em 2010, tomou o controle da política econômica, que desde então caminha como caranguejo, de lado e para trás. Centralizadora, arrogante, tem mantido secretários, o presidente de Banco Central (BC) e ministros sob rédeas curtas, tudo tem de passar pelos seus olhos de lince, que sabemos não são tão apurados assim.  E o resultado é o que estamos assistindo: o caminhar catastrófico da economia ao fundo do abismo.

Sérgio Dafré

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

VOZ CORRENTE

Eu levava uma vida simples, fiado era coisa rara, mas  Lula e  Dilma me incentivaram ir às compras  e  eu enfiei a cara. Fui ao banco, tomei café com o gerente, meu empréstimo foi aprovado e saí de lá todo sorridente. A minha vida deu uma virada. Comprei tudo o que eu não tinha  antes.  Joguei fora os móveis velhos, troquei todos por novinhos e, pasmem, de um guidão,  passei para um volante. Deram-me um cartão de crédito, fiquei todo prosa.  Quando colocava o danado na maquininha eu me sentia uma pessoa poderosa. Aos domingos, enchia a minha casa de convidados. A gente fazia a festa. O churrasco era da melhor carne, mas hoje, só eu sei o que me resta. Vieram a inflação e juros altos. Foi-se a minha  alegria. Os boletos estão amontoados e está evidente que entrei numa fria. Estou com dificuldade para suprir as minhas necessidades básicas. Estou tomando emprestado

da vovó. Ela não seguiu o conselho do Lula e Dilma e não ficou no pó. E o governo quer que eu busque mais crédito. Veja quanta irresponsabilidade. Se para pagar o que devo, vou levar uma eternidade. Fizeram-me ver um oceano, onde existia apenas um rego, agora eu me arrepio, só de pensar no desemprego.

Jeovah Ferreira

jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari

*

BRASIL MAIS PERTO DE CUBA

Segundo o IBRE/GV, instituto que calcula o monitor do PIB (soma de toda a renda gerada no País), houve uma queda de 1,8 % em abril, isso significa que hoje estamos economicamente mais perto de Cuba do que ontem. Parabéns, PT, Fidel Castro está orgulhoso com a eficácia dos seus alunos.

José Carlos Degaspare

degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

MAQUIAGEM DAS CONTAS

A matéria do “Estadão” sobre a maquiagem nas contas do governo mostra o esforço para cumprir a meta do superávit primário de 1,9% do PIB, dinheiro para pagar parte das obrigações da dívida pública do ano corrente. De um lado, com a reabertura do Refis, o governo espera  arrecadar R$ 12,5 bilhões, através de descontos de multas e juros para quem parcelar dívidas tributárias vencidas até 2013. Do outro lado, o Ministério da Fazenda tinha ou ainda tem a intenção de suspender a campanha publicitária para não estimular saques de beneficiários de baixa renda, e assim arrecadar R$ 1,3 bilhão dos que ainda não sacaram o abono anual do PIS. Pelo visto, a campanha do “vale tudo” está a todo vapor, pois conforme o consultor econômico Raul Veloso, é um desafio controlar as contas públicas onde 75% do orçamento federal é para pagar salários e benefícios.

Edgard  Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

EDUCAÇÃO

Os nossos planos nacionais de educação têm resultados discutíveis; assim serão, enquanto suas execuções caminharem a atender interesses políticos, com ênfase eleitoral. Há, ainda, um viés a ser examinado: o financiamento pautado em percentual do Produto Interno Bruto (PIB). Fica, esse, dependente da capacidade do governo na administração da área econômica e na contingência internacional. Supõe a aspiração de socorro da União no caso de baixo resultado de referido PIB. É buscar água em fonte seca. Um plano nacional de educação terá de ter sua execução independente de PIB. Deve ser executado nos termos de sua proposta. Busque-se, caso necessário, seu financiamento no esforço patriótico do povo, no corte de despesas desnecessárias e se em elevada contingência, na redução de salários, exemplarmente na Câmara Federal, no Senado, nas Assembleias e Câmaras de Vereadores, e, também, no custo Brasil. Um plano de educação não deve ficar na dependência de fatores aleatórios: sorte ou ventos favoráveis.

Lígia Maria Venturelli Fioravante

advocaciaafioravante@uol.com.br

São Paulo

*

REI JUAN CARLOS

O Rei Juan Carlos, da Espanha, abdicou e renunciou ao trono espanhol em favor de seu filho, Felipe. Já vai tarde. É difícil entender como alguns países desenvolvidos da Europa - Inglaterra, Suécia, Holanda, Dinamarca - ainda adotem algo tão atrasado, anacrônico e infame como a Monarquia, gastando um bom dinheiro público na manutenção da família real, que nada produz. As revoluções francesa e russa foram pontos altos da História da Humanidade, no qual a parasitária e inútil nobreza foi colocada no seu devido lugar. Oxalá o povo espanhol aproveite a oportunidade para acabar de vez com a Monarquia e restaurar a República no País.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

Concordo totalmente com o leitor Luis Severiano, lamentando as

manifestações na Espanha pelo fim da Monarquia. Parece-me uma absoluta insensatez, uma vez que, até agora, não apresentam nenhuma alternativa melhor para o seu sistema de governo. Será que querem manter o sistema parlamentar e apenas ter um presidente eleito direta ou indiretamente?  Qual seria a vantagem?  Essa gente não percebe que usufruem do melhor sistema que existe atualmente. Ou seja, separação entre chefia de Estado e chefia de Governo. Na chefia do Estado um monarca apartidário, que pensa nas próximas gerações, e menos nas próximas eleições.  Sendo apartidário, representa o País inteiro e o mantém unido.  Nós, brasileiros, deveríamos olhar para a Espanha com muita inveja.

Bruno Hellmuth

bruhell@domain.com.br

Rio de Janeiro

*

GÊNIO DO HUMOR

Morre um gênio do humor. Ai, Max Nunes, que eu não conheci e nem sabia da existência dele! Se eu soubesse, ai - de novo -, teria feito um curso com ele. Que teria me poupado dos muitos outros cursos que eu fiz e não aprendi nada. Que Deus o tenha.

Leilah Assumpção, dramaturga

lleilah@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.