Fórum dos Leitores

MENSALEIROS

O Estado de S.Paulo

28 Junho 2014 | 02h05

Trabalho para todos

Com nove votos a favor e um contra, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) autorizaram o presidiário José Dirceu a trabalhar fora da prisão. O ministro Gilmar Mendes, um dos que votaram a favor, afirmou que não há vagas suficientes para o trabalho interno dos presos, completando com a interessante afirmação de que o trabalho externo seria uma alternativa para reintegrar os criminosos à sociedade. Pode até ser, mas o benefício deveria ser estendido aos demais presidiários e na ordem cronológica do início do cumprimento das respectivas penas, porque a lei é igual para todos. Com o índice de desemprego em torno de 5%, duvido que haja postos de trabalho suficientes fora dos presídios.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

Dirceu e os outros

Justificando a concessão de trabalho externo ao condenado José Dirceu, mesmo contrariando a Lei de Execução Penal, só agora os ministros do STF "despertaram" para as precárias condições do sistema carcerário brasileiro. Plagiando o personagem Feijó, de Guimarães Rosa, em Grande Sertão: Veredas: "A vamos. Hoje se faz o que não se faz...". Que o digam os milhares de condenados que há muitos ontens aguardam resposta ao mesmo pedido. A diferença? Eles são "muito menos iguais".

HONYLDO R. PEREIRA PINTO

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

Questão de justiça

Se realmente todos são iguais perante a lei, será que nossos ministros do STF darão a Fernandinho Beira-Mar, Marcola e outros que tais o mesmo privilégio que deram ao sr. Dirceu? Se o fizerem, estarão paralelamente ajudando a resolver o grande problema do excesso de presos.

WALTER DIAS DE CARVALHO

walterdc@uol.com.br

Jundiaí

STF

Pelo placar de votação no caso José Dirceu e pelo que deve acontecer de agora em diante no STF, seria mais fácil e mais barato transferir o tribunal para a sede do PT em Brasília, eliminando toda a estrutura burocrática.

CARLOS TAQUARI

taquari1@hotmail.com

São Paulo

Espinha dobrada

É uma vergonha! Infelizmente, o Judiciário também se curvou ao petismo. O ministro Joaquim Barbosa ainda nem deixou a Corte e, vergonhosamente, os magistrados já dão guarida aos corruptos da Papuda. E não se espantem se esses caras forem inocentados e indenizados por danos morais, no futuro. Como diz a fábula, "o gato se afasta e os ratos sobem à mesa".

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

De fato, nem se esperou que esfriasse a cadeira de Barbosa para se oficializar em massa a liberdade para os ratos. Viva De Gaulle!

CARLOS AVINO

carlosavino.jaks@hotmail.com

São Paulo

Está valendo

Ao contrariar o entendimento do impoluto ministro Joaquim Barbosa, afrouxando a execução da pena de um dos capos do mensalão, o pleno do STF tirou o caráter exemplar da punição, sinalizando que a modalidade pode continuar a fazer parte da cultura política brasileira.

CAIO AUGUSTO BASTOS LUCCHESI

cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

Esperança perdida

O slogan do PT, repetido constantemente por Dilma Rousseff e Lula, deveria ser ao contrário: em vez de "a esperança vence o ódio", "o ódio em nossas mãos derruba qualquer esperança". Começávamos a ter esperança com Joaquim Barbosa no STF, e o que aconteceu? Foi obrigado a sair e os mensaleiros condenados estão felizes, sorrindo, com a decisão do atual STF, sob a relatoria de Luís Barroso. Vamos ver Dirceu, Delúbio Soares e outros circulando e atuando política e ilicitamente, como sempre fizeram, sem pudor e respeito aos brasileiros. Cai sobre nós uma nuvem negra que sufoca qualquer esperança. Até quando?

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

O crime compensa

Como explico aos meus filhos que criminosos que roubaram a Nação podem sair da prisão e trabalhar? Na realidade, voltar à sociedade e continuar seus negócios escusos! Que país é este? Não dou três meses e todos os mensaleiros estarão em casa, rindo da sociedade brasileira. Mais um bom exemplo de que no Brasil o crime compensa.

SERGIO MENKE

semco50@gmail.com

São Paulo

Então, Dirceu agora quer trabalhar, é? Interessante: quando ele ainda não era condenado, ninguém sabia onde e o que fazia para ganhar a vida. Bastou o STF mandá-lo para a cadeia para querer trabalhar fora... Dá para não se indignar?

SEBASTIÃO VANDERLEI PINHEIRO

vanderlei106@terra.com.br

São Paulo

Disfarce

A liberação de Dirceu para "trabalhar" é sinal de que tudo voltará ao normal. Estando livre, comandará a corrupção, como sempre fez, agora disfarçado de trabalhador. Aliás, se quiserem ver o pessoal do PT trabalhando, é só prendê-los.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Projetos nefastos

Realmente, não dá para entender o tipo de punição a ser dado a José Dirceu. Condenado que foi por articular um plano para perenizar o PT no poder, com nítido abalo no sistema democrático, certamente continuará a elucubrar projetos nefastos. Ainda mais atuando num escritório de advocacia.

J. TREFFIS

jotatreffis@outlook.com

Rio de Janeiro

Capivara

O novo empregador de José Dirceu confunde "falta de juízo" com "falta de caráter" ao se referir ao quadrilheiro condenado a quem vai dar "atividades diversas" em seu escritório de advocacia. Todos sabemos a gama de atividades a que esse meliante contumaz se prestará, como tráfico de influência, uso indevido do patrimônio público, lavagem de dinheiro, enfim, tudo aquilo que a tão autoaclamada "história de vida" ou, em português claro, "ficha corrida" mostra.

PAULO RUAS

pstreets@terra.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

COPA DO MUNDO

A entrada de Fernandinho na seleção brasileira, no jogo contra Camarões, deu padrão de jogo à seleção. O Chile é o adversário ideal: Brasil 2 x 0! Força, Brasil!

José Ribamar Pinheiro Filho pinheirinhosb@gmail.com

Brasília

*

ROTO E ESFARRAPADO

O jogador chileno Valdívia disse estar muito preocupado com a arbitragem do jogo entre o Brasil e o Chile pelas oitavas de final no Mineirão, neste sábado. Eu, que sou bem mais velho do que ele, também tenho preocupações para o jogo de hoje. Valdívia é muito jovem e não deve se lembrar de como Pelé foi caçado em campo na Copa de 1962, coincidentemente disputada no Chile. Em vista disso, a preocupação é do Brasil com o fenômeno Neymar no jogo de hoje. O garoto Valdívia também não deve se lembrar do vexame proporcionado pela sua seleção em pleno Maracanã no ano de 1989, nas eliminatórias da Copa de 1990, quando o goleiro chileno Roberto Rojas fingiu ser atingido por um rojão lançado das arquibancadas, o que acarretou a suspensão do jogo Brasil x Chile após a seleção chilena, indignada, ter se retirado de campo. O “ator-goleiro” Rojas, assim que as câmaras de TV comprovaram a farsa, foi banido do futebol e encerrou sua carreira como jogador profissional. Portanto, aconselho ao jogador chileno Jorge Luís Valdívia a jogar futebol de boa qualidade hoje, antes de procurar desculpas antecipadas para o desempenho de seu time.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

SUSPEITA DE MARMELADA

A Holanda ouviu cantar o galo, mas soube onde. Ela afirmou como suspeita essa história de ninguém poder jogar depois do Brasil. Na realidade, não era antes nem depois, o México tinha de jogar com a Croácia ao mesmo tempo que o Brasil, pois 90% da audiência estava grudada no jogo do Brasil e ficava mais fácil o juiz garfar o México sem muitos alardes. Era importante que o México não tivesse um saldo de gols maior do que o do Brasil. E o juiz garantiu isso transformando o jogo em jogo de voleibol. No primeiro pênalti não marcado, o zagueiro da Croácia deu um saque para o meio do campo, mas o pior foi o segundo, em que o zagueiro deu um mergulho e com as duas mãos jogou a bola para a linha de fundo. O bandeirinha espertamente marcou tiro de meta, pois se marcasse escanteio passaria recibo de que viu o pênalti. Como o jogo era transmitido por canais menores, não houve replay. Futebol não tem lógica, se tivesse, o Uruguai merecia um placar de 8 x 1. Mas a Holanda está chorando de barriga cheia, pois foi beneficiada. Ou ela pensa que passaria fácil pelo Brasil? A Fifa joga com três grandes possibilidades: Brasil contra Uruguai (1950); contra Holanda (1974); contra Argentina (1978). Se for Brasi x Uruguai, eu tiro meu chapéu para a Fifa. Será a marmelada das marmeladas da Fifa. A Fifa já garantiu a Copa  para times fracos (1954 e 1978) ou para seu preferido entre times equilibrados (1966 e a maioria). Mas uma final Brasil x Uruguai, no Maracanã, 64 anos depois, é o supergolpe dos golpes. E 99% dos brasileiros vão aplaudir e Dilma pode se considerar reeleita.

Francisco J. D. Santana franssuzer@gmail.com

Salvador

*

MANTRA PRESIDENCIAL

Já diz aquele velho ditado que a propaganda é a alma do negócio! Assessorada pelo marqueteiro da campanha, a presidente Dilma Rousseff passou a pronunciar um mantra em todas as suas últimas declarações: criticar os pessimistas que não acreditavam no sucesso do evento Copa Fifa. E, de imediato, passa a enaltecer vários aspectos positivos, no ponto de vista dela e até justifica os enormes gastos na construção das arenas. Ofereço um contraponto: uma visita informal aos aeroportos cheios de tapumes para esconder o inacabado. Desça incógnita no Rio, no Galeão, por exemplo. Pegue uma carona na moto do seu assessor e dê uma volta em Copacabana e veja as condições de insalubridade da orla. Converse com alguns comerciantes e com os moradores do bairro para obter um termômetro das agruras pelas quais estão passando, com tendência a piorar. Acho que já perdeu muitos votos, se é que os teve.

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

A VEZ DO POVÃO

Já que a vaia dirigida à presidente foi qualificada pelo “ex” como obra de uma elite aburguesada presente ao Itaquerão, fica a sugestão: ousem anunciar sua presença em dia de jogo Flamengo versus Corinthians no Maracanã lotado pelos mais carentes, sofridos, laboriosos – por isso muito respeitados – e legítimos representantes do chamado povão.

Helio Ferrari hferrari@picture.com.br

São Paulo

*

DILMA XINGADA

O coro do Itaquerão já vinha sendo ensaiado em show musical, manifestações e em jogo amistoso da seleção (Morumbi). Logo, era perfeitamente previsível que também acontecesse na abertura da Copa. Assim sendo e verificando a ausência e, depois, a fala do “cara” e de seu amigo predileto (estava nas imediações) da chefia do gabinete da Presidência, pergunto: será que o coro foi iniciado pela turma do “volta Lula”? Lembrando, lá estava infestado deles, conforme muitas fotos no Facebook.

 

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

AVENTUREIROS

Para o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, a seus blogueiros e ativistas pagos, os xingamentos à presidente Dilma Rousseff na abertura da Copa não vieram “só da elite branca”, como disse Lula. “Tinha muito moleque falando palavrão. Essa coisa desceu de que somos um bando de aventureiros que veio se locupletar.” A bem da verdade foram vários e em várias cidades incluídas capitais os xingamentos e não só restritos ao Itaquerão, a ponto de a presidente ter evitado de todas as formas aparições e falas públicas, incluídos os jogos do Brasil, por temor de mais vaias. Quanto ao fato de não ter, o governo, contraponto a essas manifestação espontâneas, as ocorrências pelo menos mostram de que os petistas se não são aventureiros, são incompetentes e, quanto a locupleta-se, que digam os tribunais, o Ministério Público, a Polícia Federal, os foragidos e os hospedados na Papuda.

 

Mario Cobucci Junior maritoobucci@uol.com.br

São Paulo

*

LULA CONTRA SÃO PAULO

Tradução: “elite branca”, para Dilma, Lula, PT e mais parasitas, quer dizer povo paulista. Para eles não somos a miscigenação que deu certo. Somos encarados como problemas para a ambição de poder deste pessoal, pois sempre jogam politicamente os outros Estados contra o nosso para obtenção de votos. Para eles só servimos para pagar impostos e dar boa assistência médica a seu apaniguados. Está na hora de substituirmos o politicamente correto pelo politicamente correto.

Ferdinando Perrella fperrella@hotmail.com

Sorocaba

*

‘ELITE’ PETISTA

Na “elite branca” petista não existem pobres, pardos, negros e índios, e o único que existiu teve de sair porque era honesto, Barbosão.

Fernando Castellari castellarinando@yahoo.com.br

São Paulo

*

MASCOTE

 

Que Dilma sumiu, tudo bem. Mas e o Fuleco? Afinal, não foi vaiado.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

FULEIRO

Tenho a impressão de que acharam o Fuleco muito fuleiro.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

CONVITES

É uma injustiça a Fifa não ter dado convites a Lula e seus familiares, ele foi o mentor de tudo, está sendo uma frustração não vê-lo nos estádios.

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

COPA DAS COPAS

 

A oposição a este desgoverno corrupto, irresponsável e provocador contra a classe média está torcendo desesperadamente para o Brasil se tornar o campeão desta Copa, não para dona Dilma se locupletar, mas sim para que o povo tenha momentos de alegria e felicidade, esquecendo por um curto período os desmandos, as mentiras do sr. Lula, a incompetência de nossa presidente, a cara de pau do sr. Gilberto Carvalho, a roubalheira praticada por todos os integrantes do PT e as promessas de um futuro melhor, quando por 11 anos não conseguiram fazer nada de bom para a Nação.

 

João Gilberto Seghesi Fogaça jg.fogaca@uol.com.br

Ribeirão Preto

 

*

COPA DAS COPAS?

Os torcedores fanáticos devem estar no céu, tudo é Copa: as propagandas na TV, nos jornais, nas rádios, na maneira de vestir, ou seja, o brasileiro é o maior patriota quando se trata de futebol, mas no dia a dia, salvo exceções é claro, é lamentável. Será que as TVs não têm outro assunto a não ser a Copa? É inacreditável, o que me interessa, se o Neymar está malhando na academia ou se está na banheira do seu luxuosos apartamento da Granja Comary? “Panem et Circem”, essa é a realidade, e o povão nem aos jogos consegue ir.

Károly J. Gombert kjgombert@gmail.com

Vinhedo

*

TORCIDA

O sucesso da Copa é graças à participação assídua da torcida. Se dependesse da Fifa e do PT seria um verdadeiro fracasso.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

COMO SERÁ DEPOIS DA COPA?

A Copa é uma espécie de circo para distrair todos nós e que, depois de 13 de julho, será desmontado, a lona recolhida, 99% dos artistas voltará às arenas europeias, a Fifa fretará um Antonov 225 de 6 turbinas, o maior avião cargueiro do mundo, para  levar para um banco suíço a montanha do dinheiro auferido sem impostos com a promoção da Copa. Depois, já fora do território tupiniquim, a Fifa fará  relatórios apontando e criticando um monte de erros cometidos pelo governo brasileiro. Ótimo para o governo que investiu bilhões no evento para faturar politicamente e torna obrigatório uma seleção que nos saiu cara demais, ganhar na “marra” o torneio, mesmo que para isso os boleiros tenham de comer até a grama dos estádios onde jogarem. Mas como ficará o povo, que só viu o circo pela TV ou nas ruas, nos telões, porque nas arenas só entrou quem pode pagar os ingressos caríssimos? Ora, ora, tem nada não, o povo que hoje não entra nas arenas amanhã não ficará fora dessas, pois o custo de manutenção e reformas delas será democraticamente dividido entre todos. Quando o povo gritar em frente de hospitais porque não tem atendimento médico e sofre meses para fazer uma simples tomografia, vir filhos sem escolas ou creches, moradias prometidas que não vieram, segurança que falta e mata parentes e outras necessidades, esse povo vá aos estádios e veja onde foram enterrados bilhões de reais que de forma alguma retornarão. Serve de alerta para o povo? Sim, para ele não fazer como agora, que saiu às ruas protestar só depois do circo Copa estar em “função”, mas alerta com tempo ainda para evitar outro evento circense que vem por aí, o “Circo Olimpíada”, que custará outros bilhões de reais. Como viciado em futebol, não sou contra uma Copa, desde que realizada em países que tenham condições financeiras para arcar com o evento, o que não é nosso caso. 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

ARENA PERNAMBUCO

 

Para o bem da verdade gostaria de neste espaço pedir para que a Fifa corrija uma grande injustiça. Nas transmissões dos jogos da Copa 2014 que ocorrem na Arena Pernambuco todas as propagandas dão como Recife a localização da Arena, o que não é verdade. A Arena Pernambuco está localizada na cidade São Lourenço da Mata, distante a 19,7 km da capital pernambucana, Recife.

 

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@estadao.com.br

Guarulhos

*

PESSIMISTAS

A Copa vence sua primeira etapa e, a não ser pelos acontecimentos estapafúrdios ocorridos dentro dos gramados, tem tido um andamento que merece apenas pequenas correções. Isso leva a um questionamento sobre o posicionamento de alguns, como o diretor de cinema Jabor, que anunciou previamente o “caos e o vexame internacional” que seria a realização desse importante evento esportivo. Cabe a pergunta: Ele vai se retratar? Ou preferirá o silêncio, sem assumir ser um pessimista de plantão?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 

Santos

*

EXCELÊNCIA

Os jogos da Copa dos Clubes Campeões da Europa da Uefa são mais interessantes que os jogos da Copa do Mundo da Fifa. A excelência está nos times de futebol e não mais nas seleções. A Copa do Mundo da Fifa está com seus dias contados.

Carlos Roberto da Silva Calderon crscalderon@hotmail.com

São Paulo

*

SURPRESAS

O futebol é mesmo uma caixinha de surpresas. Já teve gol de mão de Maradona, cabeçada de Zidane, banana comida por Daniel Alves e, agora, a dentada de Luisito Suárez. Qual será a próxima cena insólita em campo? Aguardemos os próximos jogos...

J. S. Decol decoljs@globo.com 

São Paulo

*

OS CRITÉRIOS DA FIFA

O jogador do Uruguai que deu uma mordida recebe uma punição bem mais severa que o jogador de Camarões que deu um soco no jogador da Croácia. Os dois casos são considerados como agressão. Os critérios da Fifa são estabelecidos de que maneira? Estou tentando entender os dois casos. Acho que foram além de uma simples posse de bola, portanto a punição deve ser rigorosa, pois o futebol é jogado com a bola nos pés, e não com as mãos ou com os dentes. Entretanto, existe um critério muito brando para punir o jogador que faz simulações para cavar um pênalti ou provocar a expulsão do adversário que deixa qualquer pessoa extremamente aborrecida. O jogador que faz a simulação às vezes recebe um cartãozinho amarelo. Será que os senhores estudiosos do futebol não percebem que a enganação que o jogador tenta fazer para pegar desprevenido o juiz, os auxiliares, os milhares de torcedores que pagaram ingresso e os milhões de telespectadores por todo o planeta pode prejudicar em muito o espetáculo e principalmente o time adversário, que trabalhou durante meses e até anos para formar uma equipe competitiva? Então, senhores estudiosos do futebol, sugiro que a punição para esses pseudojogadores que gostam de enganar as pessoas seja exemplar e até mais rigorosa que aquela que foi estabelecida para os dois jogadores acima, pois a moral e a ética são a base para o caráter do ser humano.

José Luiz Martin jluizmartin@yahoo.com.br

São Paulo

*

A MORDIDA

Em matéria de mordida, quem mordeu mais forte Havelange e Teixeira na CBF e Fifa ou Suarez?

Hamilton Penalva hpenalva@globo.com

São Paulo

*

CHANCE

Que tal a Fifa rever a punição do jogador do Uruguai obrigando a jogar usando focinheira?

Francisco Manzieri Neto manzierineto@uol.com.br

São Paulo

*

VACINA

Para se proteger das consequências da mordida decorrente da crônica fúria canina do uruguaio Luiz Suárez, é prudente que o jogador italiano Chiellini tome a vacina anti-rábica.

 

Mario Hamilton Casella mariocasella@uol.com.br

São Paulo

*

PADRÃO FIFA JÁ NA POLÍTICA

Bom exemplo! O craque da seleção do Uruguai, Luiz Suárez, em jogo pela Copa, morde o zagueiro Chiellini, da Itália, e, reincidente que é, recebe uma punição exemplar de 9 jogos de suspensão, mais uma pesada multa de R$ 247 mil e 4 meses em que não poderá jogar pela sua equipe do Liverpool, da Inglaterra. Ou seja, implacável padrão Fifa. Totalmente diferente da boa parte da nossa classe política, que morde propinas sem parar de milionárias quantias das estatais, das verbas parlamentares e dos fornecedores do governo, e nada acontece com essa gente, como se fossem brasileiros especiais e intocáveis nesta ilha da impunidade. E, neste caso, as vaias estrepitosas que ocorrem pelo Brasil contra autoridades no País, como recebe regularmente também a presidente Dilma, são mais do que justificadas. Só falta agora penalizar esta corriola nas urnas, no próximo mês de outubro. Não é uma boa?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MANIFESTAÇÃO

 

Fora das quatro linhas o Brasil já perdeu a Copa. As últimas notícias nos dão conta de que seremos derrotados no combate às manifestações. Não podemos nos conformar que em pleno século 21 não se tomem medidas intensivas, ostensivas e coercitivas para matar de vez essa doença que grassa na nossa sociedade. Doença que não tem a menor graça. E, enquanto isso, só notícias da Copa, ópio do povo. Bater recordes de manifestação na maior cidade da América do Sul? Urge tomarmos medidas urgentes e obrigatórias, entrando compulsoriamente nas propriedades, como fez Osvaldo Cruz no início do século passado, erradicando a febre amarela. As manifestações não devem ser da dengue, mas contra a dengue, uma vergonha para o nosso país.

Victor Hugo de Almeida

São Paulo

*

PROTESTO

Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) invade e acampa. E o Movimento dos Trabalhadores Com Impostos (MTCI) não faz nada?

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

CHEGA DE BADERNA

 

Não adianta a polícia prender os baderneiros, que estão destruindo patrimônio público e privado e levando caos à população paulistana, e a Justiça liberá-los em seguida. Cabe ao Poder Judiciário mostrar para a população que a lei existe e deve ser respeitada. Quem sabe, após a Justiça decretar prisão preventiva de dois manifestantes presos, mais pais passem a cuidar melhor de seus filhos, se não quiserem gastar dinheiro com advogados para tirá-los da cadeia. Fora black blocs.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

O PREFEITO E O RODÍZIO

Dia 23, Brasil e Camarões jogariam as 13 horas, a grande maioria sairia do trabalho para assistir ao jogo em casa e o prenúncio de um novo super congestionamento era evidente. Então o prefeito Fernando Haddad determina que deveria haver rodízio dos veículos de placas final 1 e 2 durante todo o dia. Dia 26, Bélgica e Coreia do Sul jogariam as 17 horas, ninguém sairia do trabalho para ver esse jogo e não havia prenúncio de nenhum congestionamento. Ainda assim, o prefeito estabeleceu rodízio durante todo o dia com a alegação de que a experiência foi boa. Eu acho que ou ele está agindo de má-fé, faz isso só para prejudicar a “elite branca”, ou ele gostou da ideia e vai propor rodízio o dia todo, todos os dias. É impressionante a capacidade de desgovernar que certos executivos têm.

João Menon joaomenon42@gmail.com 

São Paulo

*

GOVERNO HADDAD

Parece que o prefeito da maior cidade da América Latina, Fernando Haddad, ainda não sabe qual a sua verdadeira vocação; não se deu bem como ministro da Educação e não está se dando bem como administrador, perdido entre faixas incontáveis de ônibus e, agora, placas dobradas ou o dia inteiro de rodízio para tentar solucionar o caos no trânsito, quando qualquer leigo sabe – menos o secretário de Transportes da famiglia Tatto – que só a melhoria nos transportes públicos solucionaria isso. Ou, pelo menos, atenuaria. Aconteceu o mesmo na cracolândia: um vigilante ensinou ao sr. Haddad que não adianta  gastar “nosso” (sic) dinheiro financiando as drogas aos usuários, mas que deveria construir hospital para os mesmos. Talvez, depois de tanta gente ensinando, Haddad  consiga aprender. Mas há outro motivo para o empenho do prefeito nisso que ele imagina ser a cereja do bolo na cidade: a cracolândia virou ponto turístico da capital e, para lá foi o príncipe Harry, que, por não ser brasileiro e muito menos petista, “quis saber a lógica de se ter um local monitorado com as pessoas continuando a venda de crack”. Talvez o príncipe aprenda conosco que a única lógica que o PT tem é a de ganhar as eleições a qualquer preço. Assim, continuamos pagando para as “nóias” continuarem a se drogar mas, ver um socialista babando ovo para a realeza, isso não tem preço!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

SEGURANÇA PÚBLICA, TOLERÂNCIA ZERO

Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo mostram redução do número de homicídios na capital e aumento do de roubos no mês passado. Não se pode negar que a maior parte da população tem a impressão de que a polícia investiga somente crimes violentos e se limita a registrar BO para os considerados menores (roubos, furtos, etc.). Não são poucas as histórias que escutamos de sequestros relâmpago, invasões de domicílios e assaltos em portas de bancos, cujos responsáveis não são presos pois a polícia não vai a campo para investigá-los. É preciso entender que praticantes de pequenos crimes podem cometer delitos mais graves a qualquer momento, e este estado de coisas só mudará quando as autoridades tiverem vontade política de praticar a tolerância zero.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

O SALÁRIO DO POLICIAL E A FANTASIA DO GOVERNO

Ao anunciar aumento salarial de 8% aos policiais militares (PMs), o governo paulista atende apenas parcialmente a reivindicação da classe, que pediu 19%.  Estado mais rico da Federação, São Paulo paga o 23.º pior salário entre os policiais militares estaduais brasileiros, num universo de 27 unidades federativas. No poder há 20 anos, os tucanos produziram grandes discursos e excelentes peças midiáticas sobre os reajustes salariais oferecidos às polícias e carreiras afins. Mas só quem é da classe, quando recebe seu holerite e tem de pagar as contas, sabe o que realmente acontece. A política de prêmios, bônus e aumentos setoriais têm servido apenas para a desagregação das classes que, para aumentar seus ganhos, é obrigada a recorrer ao bico. Em vez de resolver o problema salarial, o que fez o governo? Oficializou o bico, denominando-o “função delegada”, onde o policial militar é levado a trabalhar para a prefeitura em suas horas de folga. Depois de dois anos sem reajuste, os PMs paulistas recebem os 8% com total apatia. Esse percentual pouco ajudará em seus orçamentos e – o pior – a falta de perspectivas de carreira é cada dia maior. Não será de estranhar se o nível de insegurança continuar aumentando e a sociedade, a cada dia, sentir-se mais desprotegida. Cada povo tem o governo que elege.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

‘QUE JUIZ O BRASIL QUER?’

Oportuno o texto do dr. José Renato Nalini, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, com o título “Que juiz o Brasil quer?” (27/6, A2). Faz todo sentido sua pergunta, nesse momento do Brasil. Como cidadão comum, quero um poder judiciário que seja confiável e que trabalhe para que os processos sejam julgados com rapidez e não demorem anos para uma conclusão. Como cidadão comum, pagador dos impostos que sustentam a estrutura do Poder Judiciário, quero que os juízes tenham respeito pelo cidadão. Não dá para aceitar que você tenha uma audiência agendada, espere meses por ela, marque seus compromissos e vida pessoal por isso e depois dessa situação, tem que ouvir do juiz que não teve tempo de analisar o caso etc. e remarca sua audiência novamente. Nossa democracia e cidadania também dependem de um Poder Judiciário forte, independente e competente. É preciso ter em mente que o Poder Judiciário afeta muito mais a vida das pessoas que nossa política (corrupta e irresponsável).

André  Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

MENSALEIROS PRESOS VÃO TRABALHAR

As condições de trabalho externo dos agora presos em regime semiaberto e condenados pelo “mensalão” devem ser analisadas para que tudo não passe de um teatro de péssimo gosto. Deverão ser observados e acompanhados no trabalho para verificar o comparecimento e a atividade efetiva para que se garanta a sua re-socialização! “Re-socializar os socialistas”, parece até uma piada pronta!

Décio Antônio Damin deciodamin@terra.com.br

Porto Alegre

*

SARNEYS FORA DA POLÍTICA

Primeiro foi  José Sarney a desistir de disputar mais um mandato como senador, agora sua filha Roseana que anuncia que está saindo da vida pública. Os motivos alegados são “de saúde”, mas foram, sem dúvidas, embasados por extensas pesquisas e principalmente pelas vaias ouvidas por ambos nos últimos eventos públicos  de que participaram. Se o motivo real é “de saúde”, deve ser dos cofres públicos, que não mais podem arcar com as farras e desmandos da família Sarney.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

SARNEY DESISTE DO SENADO

Tardiamente,  o sr. José Sarney diz estar se retirando da política. Está mesmo? Tenho dúvidas. Mas isso não é motivo para festejar, pois a dinastia dessa família não é pequena e esses herdeiros vão se agarrar como puderem no poder. Não é nada fácil acabar com as parasitas.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

MOTIVO

Será pela idade ou pelo medo das urnas que José Sarney está desistindo  de se candidatar ao Senado? Se houvesse uma bolsa de apostas, eu apostaria na segunda alternativa.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

NOTÍCIA ALVISSAREIRA

 

Apesar da chuva diária de notícias ruins, enfim uma noticia maravilhosa, não apenas para as populações do Maranhão e do Amapá, mas para todos os brasileiros.

Aloísio Santos anavarro@superig.com.br

São Paulo

*

SARNEY FORA

Rejeitado pelo que fez e deixou de fazer em sua longa e “interminável” carreira política, primeiramente, por seu Maranhão natal e, atualmente, às vésperas das eleições, por seu Amapá Adotivo, o senador José Sarney sai da vida pública pela porta dos fundos. Já não era sem tempo! Não deixará lembranças nem exemplos. Deu para o gasto! Basta!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

NÃO VALEU

 

60 anos de vida pública, praticamente a vida inteira. No início o poder encanta, embriaga, facilita tudo e com ele se consegue uma boa vida financeira, que melhora a cada dia, pois o poder aumenta na mesma proporção. Em um determinado ponto não existe mais volta, não se consegue sair do círculo  pois o poder e o dinheiro permitiram que tudo fosse possível, mas é preciso preservar o conquistado, o que só é possível permanecendo no poder, ser seu escravo. Será que é uma dádiva ou um castigo terrível ser obrigado a defender tudo o que conquistou não podendo parar aos 50 ou 60 anos e viver a vida? Poder e dinheiro são como cegueira, quanto maior, menos se vê, menos se vive. Por último, ser temido desperta os piores sentimentos de quem o cerca. Sinceramente, é melhor ser um “bosta” livre, leve e solto do que um tubarão preso no aquário. O anonimato não tem preço, pergunte a quem não tem!

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.