Fórum dos Leitores

MINEIRAÇO

O Estado de S.Paulo

09 Julho 2014 | 02h05

Alemanha 7 x 1 Brasil

Isso foi uma blitzkrieg contra o Brasil. Sem mais comentários.

HELEO POHLMANN BRAGA

heleo.braga@hotmail.com

Ribeirão Preto

Derrota para os alemães

Nunca antes na História deste país fomos tão bem derrotados.

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Fim da palhaçada

Acabou a palhaçada do patriotismo futebolístico, ufa! Nós não somos melhores nem nisso, está na hora de olhar no espelho e assumir. Espero que dona Dilma entregue a taça ao capitão do time de um país valoroso liderado por uma presidente de verdade.

MARLY N. PERES

marly.lexis@gmail.com

São Paulo

Podia ser pior

Deus é grande. Ainda bem que foi contra a Alemanha. Imaginem tomar sete na final contra a Argentina. Neymar deu uma grande oportunidade para o Felipão provar ser técnico de seleção. Pena que não aproveitou.

FRANCISCO MANZIERI NETO

manzierineto@uol.com.br

São Pedro

O sonho acabou

Foi um nocaute técnico. Se os alemães não fossem bonzinhos, o vexame teria sido maior. Mas, ainda que humilhados em campo, foi só um jogo. Brasil, erga a cabeça, a vida continua.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Que vexame!

16 de julho de 1950, Maracanã: aquela foi uma ferida nunca apagada de nossa História. Até hoje. 2014, uma seleção medíocre, apática, um técnico vacilante. Com esse vexame inequívoco, Barbosa e companheiros, onde estiverem, podem descansar em paz. Perderam como homens. Não somos o país do futebol. Oxalá tentemos ser, como nossos algozes, o país da saúde, educação, segurança e equidade social.

ANDRÉ LUIZ MALAVASI

drandreluiz@yahoo.com.br

São Paulo

Como o Íbis

Deram um vexame muito pior que o da seleção de 1950. Não é feio perder, faz parte do jogo. Mas perder de 7 a 1?! Até parece o Íbis... Mas não se preocupem, para 2018 a presidente Dilma Rousseff vai instituir o programa Mais Jogadores. Vai importar boleiros de Cuba.

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Derrota humilhante

Nunca antes na História "desse" país se viu a seleção perder de forma tão humilhante. Parece que os nossos meninos têm nervos de seda pura. Parece que a Alemanha fez macumba na porta do gol. Se fez, deve ter sido com um faisão dourado, e não com as nossas pobres galinhas pretas. Brincadeiras à parte, parabéns à Alemanha, país que enfrentou tantas adversidades ao longo da História! E viva o meu querido e amado Brasil, independentemente do futebol! Agora voltamos à nossa dura realidade com os pés no chão, sem chutes mirabolantes a gols fantasiosos.

SOLANGE GUIMARÃES

sola7@terra.com.br

São Paulo

'Le jour de gloire est arrivé'

De fato, nunca antes na História deste país a seleção foi tão humilhada numa Copa. Mas essa goleada vem apenas complementar o caos que vive o Brasil: inflação galopante, buraco nas contas externas e gastança pública. Com esses o povo, até ontem anestesiado pela Copa, pouco se importou. Agora deve acordar para a triste realidade sob o governo Dilma, arrogante e populista. Citoyens, hoje Versalhes (leia-se o Planalto) que se cuide. Sinto cheiro de junho de 2013.

DANIEL ARJONA DE A. HARA

haradaniel734@gmail.com

São José dos Campos

Melhor sofrer agora

Aqui, na minha rua, alguém gritava durante o jogo: "Alemanha! Alemanha! Pelo bem do Brasil!". O Ibope da Dilma estava subindo. Melhor sofrer agora alguns dias do que mais quatro anos.

RENATA MACIULIS DIP

renatadip@gmail.com

Londrina (PR)

'Copa das Copas'

Cá entre nós, seria muito ruim essa senhora aproveitar-se politicamente de uma vitória da seleção para enganar mais um pouco o povo brasileiro. Mas 7 x 1 foi de doer! Só espero que ela e elle estejam presentes na entrega da taça. Vão receber um justo agradecimento por tudo de errado que têm feito no Brasil durante tanto tempo. Haja cara de pau...

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

E agora?

Srs. marqueteiros do PT, foi tudo por água abaixo. Trazer a Copa para o Brasil, coincidentemente em ano de eleições, e contar como certa a vitória do nosso time para ganhar dividendos na campanha de reeleição de dona Dilma... O tiro saiu pela culatra e agora têm de inventar novas mentiras para enganar o povo nesta campanha eleitoral. A lona do circo caiu e o espetáculo terminou. Chega de pão e circo! Acorda, povo brasileiro.

HILO DE MORAES FERRARI

hiloferrari@hotmail.com

São Paulo

Seleção de mentiras

A derrota do Brasil reflete bem o momento que passamos. Não dá mais para o País continuar vivendo de mentiras. Não temos time para disputar uma Copa do Mundo, ainda mais uma bancada pelo PT, por conta dos nossos impostos, para ajudá-lo a eternizar-se no governo. A casa caiu. E é o que vai acontecer ao Brasil caso continue nesse caminho político bolivariano pelo qual estamos sendo levados. E aí não reclamem se os botões dourados voltarem novamente ao poder. Aliás, o general-presidente Médici era aplaudido nos estádios quando o Brasil jogava. E não ficou rico depois, nem nenhum outro presidente militar. Essa derrota para a Alemanha talvez consiga também detonar a farsa desse governo. Chega de mentiras, do mau uso do dinheiro público e das roubalheiras. Uma vez a Dilma quis dar uma lição de governo a Angela Merkel e levou um senhor revés lá mesmo. Ontem levou outro aqui.

MIGUEL PELLICCIARI

emepe01@uol.com.br

Jundiaí

Ao que interessa

Essa Copa é só futebol. Agora vem a Copa do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)! Vamos escalar um bom time?

MAURO MOORE MADUREIRA

mauromm@uol.com.br

São Paulo

*

*

MINEIRRATZON

Deutschland über Alles!

Wilson Solani Brinkmann

wsbrink@gmail.com

Atibaia

*

GOLEADA HISTÓRICA

Frieza e disciplina germânica 7, emotividade e improvisação brasileira 1. Podia ser pior. Teremos de aprender muito com essa dura lição para termos chance do hexa daqui a quatro anos.

Silvano Corrêa

scdorrea@uol.com.br

São Paulo

*

Ou seja, a nossa seleção é de um jogador só...

Paulo Busko

paulobusko@terra.com.br

São Paulo

*

7 x 1

Como diria o grande filósofo pernambucano, “nunca antes na história desse País..."

Gattaz Ganem

gattaz@globo.com

Carapicuíba

*

“Nunca antes neste país” vimos a seleção brasileira ser tão desmoralizada. Parabéns, Alemanha!

Tania Tavares

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

Leitura correta: no Mineirão a vitória do povo brasileiro contra o lulopetismo.

Francisco José Sidoti

fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

Não é à toa esse 7 x 1! Esta é a Copa das Copas! Não perdemos de qualquer jeito, perdemos sem Neymar, perdemos de muito para muito aprender! Essa é a cara do Brasil.

Alice Arruda Câmara de Paula

alicearruda@gmail.com

São Paulo

*

O 8 de julho 2014 entra na História: o dia em que o Brasil “levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”!

Luiz Roberto de Barros Santos

luizroberto.santos@gmail.com

São Paulo

*

VEXAME ANUNCIADO

Foi o repeteco de 2010. A seleção mostrou sua verdadeira cara ao jogar contra um time forte. Só que desta vez foi pior.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

Afinal, ao contrário da maioria dos políticos, Deus parece ser de fato brasileiro. Além do Felipão, podemos ficar livres também do PT.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

AS MULHERES NA COPA

Que lavada deu a seleção da Angela Merkel na seleção da Dilma. A grande diferença dos países e das mulheres se acentuando. Nem a VW faria 7 gols em tão pouco tempo. É o PT enterrando o País!

Maria Teresa Amaral

mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

LAVADA DAS LAVADAS

Nenhum dos que sonhavam com o ambicionado hexa poderia imaginar a extrema facilidade com que a Alemanha se impôs à seleção canarinho nesta fatídica terça-feira, um dia para ser esquecido - mas que será lembrado “per omnia secula seculorum” como o dia do “Mineiraço”. Definitivamente, essa história de Copa no Brasil não traz muita sorte para nossas cores, haja vista a outra humilhação, de 1950, um precedente pouco alvissareiro. Aliás, humilhação talvez seja palavra "leve" para definir o que houve nesta semifinal da Copa das Copas, com os 7 x 1 históricos que nosso time amargou em Minas Gerais. Não precisava ser tanto e, ainda assim, podia ter sido mais, haja vista os gols perdidos (!) por Thomas Müller & Cia. ! A bola já estava cantada, mas muitos se recusavam a enxergar, chamando de “derrotistas” ou dizendo ter “complexo de vira-lata” os que temiam pela sorte do Brasil. Coube à (excelente) seleção alemã pôr ordem nas coisas e jogar sobre a cabeça dos ufanistas e patriotas quadrienais o balde de gelo que só não veio antes - contra o Chile e a Colômbia - por pura interferência dos deuses do futebol. Apesar de tudo, duas boas notícias: 1) Com um time pouco inspirado, sem ataque nem meio de campo, chegamos entre os quatro melhores - convenhamos, não é pouco! 2) O desgoverno não vai poder usar o futebol para alavancar a reeleição de Dilma Rousseff. Nada disso compensa minha tristeza, a qual, todavia, não me impede de parabenizar os comandados de Joachim Löw, por quem torcerei na final. São candidatíssimos ao tetra com um time talentoso e muito bem entrosado. Canarinhos, fica pra próxima. Levantem a cabeça. Tudo passa.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

MAIS CONSTRANGIMENTOS À VISTA

Mérito para a excelente seleção alemã. Constrangimento para a seleção brasileira apenas pelo elástico placar, pois perder para a seleção alemã não é demérito. Tristeza de todos os brasileiros que sonhavam com a vitória da seleção canarinho. Mas não é possível ganhar todas, principalmente quando se joga contra uma seleção muito bem preparada técnica, física e psicologicamente. Fatalmente, nós, brasileiros, teremos mais constrangimentos nesta Copa: caso a seleção argentina perca para a seleção holandesa, provavelmente perderemos a disputa do terceiro lugar para os argentinos, que estão com uma excelente seleção também. Se a seleção argentina ganhar da seleção holandesa, teremos de torcer para nossos algozes alemães para não entregar a taça de campeão da Copa do Mundo no Brasil à Argentina.

Vagner Ricciardi

vbricci@estadao.com.br

São Vicente

*

FIM HUMILHANTE

Dilma e Lulla entregaram o Brasil para a Fifa e agora ela vai entregar a taça para a seleção de outro país. Será que vai mesmo? Tenho dúvidas. Se na abertura foi xingada, imaginem agora. Este governo de petralhas submeteu-se a tudo, vergonhosamente, e nós não queríamos isso. Anteriormente escrevi ao “Fórum” dizendo: Brasil, patrão Fifa. E quando diziam que esta seria a Copa das Copas, eu dizia: não será de bom senso esperar o final? Triste fim, é para chorar mesmo, mas pela conta que nós é que teremos de pagar agora. Sete gols da Alemanha foi demais, foi constrangedor. Além da derrota humilhante para a Alemanha, o governo brasileiro tornou a Fifa e seus dirigentes um pouco mais ricos. É de se lamentar. E vem o débil mental, reizinho, dizer que a Inglaterra foi desclassificada porque jogou no Fonte Nova, o melhor estádio do mundo, no qual não estavam acostumados a jogar. Se Lulla disse, é verdade e sua claque exulta.

Alvaro Salvi

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

E aí, seu Lula, o Brasil, como aconteceu com os ingleses, não entendeu a qualidade do campo? Se o Brasil tivesse entrado em campo ou pelo menos visto a cor da bola, a Alemanha teria ganho de, no máximo, 5 x 1. E será difícil também o terceiro lugar, que provavelmente disputará com a Argentina.

Carmela Tassi Chaves

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

NO LIMITE, A CULPA É DO LULA

Se não fosse a ganância do culto à própria vaidade, o então presidente deveria ter consultado experts em futebol para assegurar-se de que teríamos craques que nos permitissem sonhar em ganhar a Copa. Mas, não. Como sempre, ele não sabe de nada... ou sabe de tudo. E trouxe a Copa. O povo brasileiro poderia ter sido poupado dessa decepção! Agora só daqui a 50 anos.

Lourenço Julio Cesar Paolini

advogadopaolini@gmail.com

Botucatu

*

O HEPTA

Realmente, estávamos no rumo do hexa. Mas levamos o hepta dentro das traves: 7 x 1. Vamos, agora, vestir o verde-amarelo e pedir prestação de contas desta Copa das Copas. Feita em nossa casa para a seleção da Alemanha. Ou alguém tem alguma dúvida de que a Alemanha vai ganhar a Copa? Parabéns à Alemanha pelo jogo limpo, um grande espetáculo! Triste por ser contra o anfitrião, triste pela torcida brasileira! Mas esse povo é forte, guerreiro, sabe se levantar e agora vamos rumo ao bronze!

Valdy Callado

valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

HEXA

Não entendi porque deixaram o Fred entrar no estádio sem pagar ingresso. Bom afinal conseguimos o hexa (7 - 1 = 6).

Carlos Alberto Duarte

carlosadu@yahoo.com.br

São Paulo

*

VEXAME HISTÓRICO

Em vez de hexa, vexame! Quarta-feira de cinzas...

J. S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

A Alemanha teve um belo horizonte depois que caiu a fortaleza do Brasil. A derrota em Minas Gerais atingiu não apenas o coração do Brasil, mas a alma do brasileiro. A humilhação suprema e o vexame histórico mexem com a autoestima do País. Reconstruir o futebol, a política e o País devem ser prioridades numa reflexão séria com muito autocrítica para analisar o que queremos para o futuro do Brasil.

Luiz Roberto Da Costa Jr.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

VEXAME COM UM LADO BOM

Se perder para Alemanha, mesmo dentro de casa não é nenhum desastre, mas por 7 x 1, aí já é uma vergonha, uma catástrofe! A desculpa não pode ser a ausência do Neymar, que, infelizmente, sofreu lesão numa vértebra. E tampouco culpar o Felipão, porque escalou o jovem Bernard e não montou uma equipe retranqueira para se defender da ótima Alemanha. O problema é que depois do primeiro gol do time do Joachim Löw, principalmente a nossa defesa pisou em ovos, apavorou-se e não enxergava mais a bola! Nessas circunstâncias nem com a presença do Neymar o Brasil teria vencido. Aliás, o Neymar safou-se desse massacre, ultra-humilhante vexame, e preserva a sua imagem de grande craque que é. Isto posto, o lado bom (que eu juro não desejava que fosse dessa forma) é que com essa derrota acachapante da nossa seleção, e o sonho do hexa adiado para 2018 na Rússia, nós, brasileiros “urubus e pessimistas”, como somos chamados pela presidente Dilma, vamos ter, urgentemente, de recuperar esta nossa nação, que está sendo destroçada pelo petismo. E o PT fica numa saia-justa (outra) e deixa de ter um combustível eleitoral demagogo com essa derrota do Brasil, e vai ter de comer o pão que o diabo amassou até o pleito de outubro, e explicar a estagnação da economia, a alta da inflação e a corrupção que não cessa, entra outras barbáries. Tarefa essa bem mais difícil do que a nossa esperança, diga-se que foi para o vinagre, de ganhar a Copa em casa...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Estava escrito nas estrelas! Porque o Neymar não jogou? Ficou de férias no Guarujá. O dano nas vértebras talvez não seja o noticiado. Problemas, como esse na coluna, necessitam de hospitalização ou, no mínimo, do uso de coletes imobilizadores.

José Erlichman

joserlichman@gmail.com

São Paulo

*

E AGORA DILMA?

Depois que o efeito da anestesia popular passou, como demonstrado naquele já famoso coro entoado no Mineirão após o quinto gol da Alemanha, você ainda mantém a promessa de comparecer à final da Copa das Copas? Vai encarar?

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

VERGONHA NACIONAL

Nunca antes se viu no Brasil tamanha vergonha no futebol brasileiro. Fico com dó dos nossos grandes craques Pelé, Jairzinho, Tostão, etc., assistindo a um futebol de incompetentes, jogadores e técnico. Nós só nos sobressaímos pelo futebol. E agora? Sinto vergonha de ser brasileiro. E agora, Dona Dilma? Vai entregar a taça para quem? Para a Argentina ou a Alemanha?

Marcelo Bernabe

zbernabe@hotmail.com

São Paulo

*

PÉS-FRIOS

Como se não bastasse a humilhação de ser governada por uma corja de incompetentes, a Nação brasileira não pôde contar nem mesmo com a ajuda de Deus, amplamente invocada pelos jogadores ao entrarem em campo. Acho que Ele está cansado de nós. Como se não bastasse aturar os desmandos desse um governo incompetente; como se não bastasse que pessoas de bem, capazes e honestas tenham de se sujeitar a ser governadas por uma quadrilha, que entre outros desmandos assalta e quebra uma Petrobrás - vide a escandalosa negociata de Pasadena onde sob a tutela de um conselho deliberativo sua presidente se declarou mal informada! -; como se não bastasse termos de engolir diariamente uma série de declarações mentirosas, demagógicas e distorcidas; ainda temos de suportar uma derrota acachapante no nosso tão amado futebol. Mesmo na ditadura, sob Médici, o Brasil foi campeão. A "presidenta" Dilma é incompetente até na sorte.

Fernando Nicolau Purchio

ferpurchio@yahoo.com.br

São Paulo

*

Lulla não conseguir ver o Brasil campeão do mundo enquanto brincava de ser presidente, agora o poste Dilma também não consegue enquanto pensa ser a presidenta. O PT é o câncer deste país, até nesse ponto.

Alberto Souza Daneu

albertodaneu.health@uol.com.br

Osasco

*

NO ITAQUERÃO

Presidente Dilma, caso tenha vontade de fazer xixi, faça no banheiro de mármore do Itaquerão, construído com o meu dinheiro! Sou brasileirooooooooo com muito orgulhoooooo, com muito amoooooor, desde que cuidem da saúde, educação e segurança.

Claudio Baptista

clabap@ip2.com.br

São Paulo

*

DONA DILMA, POR FAVOR

Terça feira negra, 17h49, Brasil 0, Alemanha 5! Libero um grito que não quer calar: “Dona Dilma, cale a boca, meta a viola no saco, chame o seu inventor, deem-se as mãos e sumam!".

Alexandre de Macedo Marques

ammarques@uol.com.br

São Paulo

*

ELITE BRANCA

Como diria Lula, só deu "elite branca" na arena mineira e "branco" na seleção brasileira. Foi merecido o 7 x 1 que a Alemanha nos impôs.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

E não é que o Lulla da Silva acertou de novo? Os culpados por o Brasil perder a Copa foram os branquinhos de olhos azuis, a elite branca! Além de racista, o ex ainda em exercício é profeta.

Antônio Carelli Filho

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

PRESTAÇÃO DE CONTAS

Diante do fiasco de 1 x 7 contra a Alemanha, esperamos que o criador e a criatura justifiquem o porquê de terem jogado R$ 36 bilhões no ralo com a criação dos elefantes brancos, que não servirão para nada.

Conrado de Paulo

conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

FIM DA ILUSÃO

Com o vexame já anunciado há tempos de nossa seleção de “craques” acaba de vez toda e qualquer ilusão gerada pelo PT de Lulla, Dilma e os demais petralhas, com essa palhaçada que foi esta Copa das Copas e esses gastos desmedidos com enormes desvios de verbas, elefantes brancos aos montes, obras inacabadas, etc, etc e tal. Agora nos resta darmos resposta a tudo isso nas próximas eleições, acabando de uma vez por todas com os desmandos dos petralhas.

Boris Becker

borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

TRAUMA

O duro nesta derrota do Brasil foi ver as crianças chorando. Estavam elas lá com o rosto pintado, camisa da seleção, alegres e, de repente, o choro pela vergonhosa derrota. Que trauma deixaram nessas crianças. Mas o que esperar de uma seleção que perde para o Flamengo?

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

AGORA É FECHAR PARA BALANÇO

Antes do jogo com a Colômbia o “Estadão” publicou minha opinião de que a Copa acabaria naquele jogo, que Felipão e Parreira são técnicos ultrapassados e não poderiam fazer parte da renovação proposta em 2010. Pois bem, foi apenas adiado em alguns dias o fim da Copa, e de forma triste e humilhante. Nosso povo não merece isto, é roubado de todas as formas pelos governantes, paga impostos abusivos em tudo o que consome, não tem nem liberdade de educar os filhos sem interferência do Estado. Agora chega! Vamos fechar para balanço e atacar tudo o que está errado. Fora Lula, fora Dilma e todos os partidos corruptos que formam essa máfia petista.

José Mendes

josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

FIM DO CICLO FELIPÃO

Interessante a mídia esportiva. Antes desse jogo contra a Alemanha, em sua quase totalidade os ditos analistas esportivos brasucas cansaram de elogiar o Felipão, que segundo eles soube como formar como que uma família na seleção e graças a isso apostavam no Brasil para as finais. Ontem, após o vexame histórico contra a Alemanha, não é que sem exceção todos desceram o porrete no técnico, esquecidos de que ele havia fracassado na Europa quando perdeu uma Copa em Lisboa para uma Grécia, não durou um ano no Chelsea e foi terminar treinando um time de um daquele países que terminam em ....istão? Voltando para cá ganhou uma copinha pelo Palmeiras e quando o alviverde estava na pior, abandonou o time e foi treinar a seleção. Duro foi ver um dos analistas, Neto da Band, se fazendo nervoso criticar a violência contra o time brasileiro que tirou o Neymar da Copa e que nossa seleção não batia, "esquecido" de que a primeira cotovelada dada na Copa foi do Neymar contra o Modric.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

COPA DA VERGONHA

A culpa desse vexame, como todos os que acontecem no Brasil, também é da imprensa, que paparica demais esses verdadeiros mercenários. A preocupação da maioria é a exposição na mídia. Faltou competência da comissão técnica, acharam que a taça já estava ganha antes de iniciar o certame.

Jose Roberto Iglesias

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

No jogo Brasil-Alemanha, Davi Luiz demonstrou que tem vergonha na cara. Já Felipão, que é sem-vergonha e arrogante.

Georges Schwarzstein

georges_@br.inter.net

Campinas

*

VERGONHA

Felipão fala muito e agora engole isso. Vocês são mercenários e mereceram. Querer prêmio num país miserável que precisa ganhar uma Copa para ter alegria é uma vergonha, Ainda bem que já eram. Sumam e parem de falar, o Brasil acordou, ainda bem. E o Lula surdo?

Antonio Jose Gomes Marques

a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

Quanto é que ganharam para entregar o jogo para a Alemanha, Felipão e jogadores? Isso a gente não vê nem em jogo de várzea.

Maria José da Fonseca

fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

O QUE FALTOU?

Uma das coisas faltantes foi dinheiro. Esse pessoal (jogadores, comissão técnica, dirigentes) ganha muito pouco. Como sobreviver com esse salário mínimo? Não têm um nutricionista, um psicólogo, um médico. Em resumo, falta-lhes um tratamento digno e humano. Qualquer contusão tem de ser tratada no SUS. Vivem a sair em passeatas, a brigar por R$ 0,20 na tarifa do transporte coletivo. Precisam de três ou quatro conduções para chegar aos treinamentos. Sem contar a luta para contribuir para o INSS, em busca de uma boa aposentadoria. É uma vida difícil a dessa gente.

Gilberto M. Costa Filho

marcophil@uol.com.br

Santos

*

JOGO É JOGO

Que tristeza! Mas não devemos culpar nossos jogadores, que carregarão esse peso. A declaração do goleiro Júlio César de que teria preferido ter sofrido um único gol - até de frango - em lugar dessa goleada mostra que são jovens de bom caráter e o choro deles é sinal de hombridade. Há dias de sorte, há dias de competência, há dias em que ambas não aparecem ou surgem mais do lado de lá. Mas isso se chama esporte e muito bom seria se as disputas terminassem 25 x 22, 50 x 49 ou 35 x 35, sem faltas intencionais, sem violência, abolindo impedimentos, na pura técnica e beleza. Menos chances para as falcatruas e para as arbitragens e bandeiradas por encomenda. Pra frente, Brasil, futebol não é política, temos de dar uma injeção de ânimo nessa moçada, porque de repente ainda se pode chegar a um terceiro lugar. Hoje, quem merece todos os elogios é a seleção alemã.

Luiz C. Bissoli

tiocaio17@gmail.com

São Paulo

*

A TRISTEZA DE NOSSA SELEÇÃO

A televisão deveria ter a decência de não entrevistar os jogadores num momento tão triste para eles e todos nós.

Sônia Maria Benfatti Resstel

sbresstel@gmail.com

São José do Rio Preto

*

SOMOS CAMPEÕES

Por que os brasileiros queriam ser campeões de futebol, se nós já somos campeões na falta de escolas, campeões na falta de hospitais, campeões na falta de segurança e ainda campeões de corrupção?! Pobre País!

Francisco José Cárdia

fra.cardia@hotmail.com

São Paulo

*

FORA DE CAMPO

O largo placar de 7 x 1 sofrido pela seleção brasileira em pleno Mineirão, nesta terça-feira, 8/7, diante da organizada e eficiente seleção alemã de futebol, mais do que um vexame esportivo, é um reflexo da atual realidade brasileira dentro e principalmente fora dos gramados. Falta de estratégia, organização, planejamento a médio e a longo prazos são apenas alguns dos ingredientes e temperos que estão faltando em nossos pratos, ao contrário de um país como a Alemanha, que em 2006 deu um grande exemplo de como organizar uma Copa do Mundo e receber em sua casa milhões de estrangeiros com respeito, educação e civilidade. Naquela ocasião, os alemães não se sentiram nem um pouco envergonhados e saíram de campo aplaudidos de pé. Já a desclassificação brasileira nesta Copa é realmente um reflexo daquilo que o Brasil há tempos está deixando a desejar ao seu próprio povo. Afinal, muitos são os brasileiros esquecidos em seu dia a dia que sofrem goleadas muito maiores em termos de falta de saúde, educação, segurança pública, transporte público, trabalho, infraestrutura e saneamento básico e falta principalmente de políticas públicas eficientes para a população. Com isso, fica evidente que os gastos exorbitantes com estádios e obras superfaturadas para sediar a Copa do Mundo de 2014 em nosso país resultariam num placar destes, que expressa a diferença entre nós e eles. Nossos diários casos de corrupção, lavagem de dinheiro, escândalos, entre tantos outros problemas crônicos enfrentados pelo nosso país, jamais sairiam na frente deste placar e jamais resolveriam a situação de nossa sociedade. As Copas podem até promover um efêmero e passageiro palco de fantasias e ilusões, mas jamais servirão para cuidar de nossa gente. E a lição que tiramos disso é que está mais do que na hora de sonharmos com outros títulos e nos prepararmos mais seriamente para a tarefa de arrumarmos a nossa casa.

Emanuel Angelo Nascimento

emanuellangelo@yahoo.com.br

São Paulo

*

FIM DO SONHO

Chega de sonhar, vamos voltar à realidade! Acabou a euforia, agora vamos cuidar da economia e fazer este país a voltar a andar pra frente. Chega de emoção, vamos cuidar da inflação. Cai na real, Brasil, vamos voltar a valorizar o nosso real. Fora, PT!

Arcangelo Sforcin Filho

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

NOTA DE PESAR

Morreu Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), um dos grandes homens públicos do País e que sempre esteve na defesa do povo brasileiro e de boas causas, como a democracia, a redemocratização do Brasil, a reforma agrária, a inclusão social, os direitos humanos e a defesa dos mais pobres. Deixou bons exemplos e um importante legado para as futuras gerações. Descanse em paz.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

Embora seja de uma vertente política completamente oposta à de Plínio (ele era de esquerda e eu sou de direita), sempre admirei seu bom senso, sua sensatez no diálogo e sua sinceridade. Descanse em paz.

Sérgio Eckermann Passos

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

Perguntar não ofende. O que fazia o socialista dr. Plínio de Arruda Sampaio se tratando no Hospital sírio-libanês?

Miguel Caram

miguel@admcaram.com.br

São Paulo                    

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.