Fórum dos Leitores

RESENHA DA SEMANA

O Estado de S.Paulo

26 Julho 2014 | 02h03

Branca de Neve e Peter Pan

Nem bem mitigamos as feridas causadas pelo vexame da Copa do Mundo e eis que surge uma nova goleada, esta do Estado de Israel, quando classifica a diplomacia do Brasil como um dos amigos da Branca de Neve. De goleada em goleada, só nos resta cantar: "Eu vou, eu vou, pra casa agora eu vou"... Enquanto o Itamaraty cultiva uma diplomacia de anão, o nosso IDH mostra que a educação no Brasil caminha vergonhosamente no dorso de um cágado sedado: estamos em 79.º lugar entre 187 nações. Se não bastasse tudo isso, vem o ministro José Jorge, do Tribunal de Contas da União (TCU), e isenta de responsabilidade madame Dilma Rousseff e seu conselho na mancada da compra da refinaria de Pasadena. E para a semana ser fechada com retumbante patacoada, o desembargador Siro Darlan (TJRJ) declara lícitas as arruaças de Sininho e seus badalos, libertando-os.

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

CASO PASADENA

Explicado

Deixa-me ver se entendi: 1) Uma refinaria que valia US$ 45 milhões foi comprada por US$ 325 milhões iniciais, mas ao final custou US$ 1,2 bilhão; 2) a própria Petrobrás admite um prejuízo de US$ 530 milhões; 3) o presidente da Petrobrás de então diz que à época foi um bom negócio (bom pra quem, "cara-pálida"?); 4) a dona Dilma, que era a presidenta do Conselho de Administração da Petrobrás, admite, candidamente, que não teria aprovado o negócio se soubesse do teor das cláusulas do contrato (clara declaração de inépcia); 6) anos depois (só sete!) o imbróglio vai para o TCU, cujas áreas técnicas produzem dois relatórios estimando o prejuízo em US$ 620 milhões e US$ 873 milhões, respectivamente, e recomendam ao relator que os responsáveis devolvam aos cofres públicos parte (parte!) do prejuízo; 7) o conselheiro relator do TCU, José Jorge (23/7, A6), isenta do prejuízo os diretores da Petrobrás de então. Ah, bom! Agora entendi por que o PIB do Brasil é de 1%.

ANTONIO C. GOMES DA SILVA

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

Conta outra...

Que eu saiba, em qualquer empresa de capital aberto a tomada de decisões importantes cabe ao Conselho de Administração. Por isso o conselho da Petrobrás foi consultado e aprovou a compra da refinaria de Pasadena. Se existe um órgão cuja opinião não tem muito valor, é o TCU.

TOSHIO ICIZUCA

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

Maracutaia

A compra da refinaria de Pasadena não passou de uma "maracutaia". Quem embolsou US$ 792 milhões? Será que o TCU vai mesmo recuperar?

MARIUS ARANTES RATHSAM

mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

POLÍTICA EXTERNA

Nota deplorável

Lamentável sob todos os aspectos a nota da diplomacia de Israel contra a posição do governo brasileiro condenando a escalada de violência com uso desproporcional da força na Faixa de Gaza, onde milhares de civis, incluindo crianças e mulheres, morreram nos conflitos armados. Correta a posição do governo brasileiro de convocar seu embaixador em Tel-Aviv para consultas e publicar em uma semana a condenação da violência usada entre Israel e Palestina. O Brasil votou favoravelmente à resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU condenando a atual ofensiva militar de Israel na Faixa de Gaza. Ridícula e deplorável a nota de Israel afirmando que o Brasil é um gigante econômico e cultural, mas continua a ser um anão diplomático. Israel esquece a grande contribuição do Brasil, na pessoa do grande diplomata Oswaldo Aranha, que em 1948, na qualidade de secretário-geral da ONU, lutou pela criação da nação judaica.

MARCOS TITO

marcostitoadvogados@gmail.com

Belo Horizonte

Israel 7 x 1 Brasil

"Anão diplomático" e "irrelevante". Foi demais, desproposital. Mas merecemos. Nossa diplomacia está completamente desnorteada. Não se fazem mais diplomatas como antigamente. O "chanceler" Marco Aurélio Top Top Garcia deve estar desnorteado também. O míssil do Hamas atingiu o Itamaraty. Fogo amigo.

PAULO HENRIQUE C. DE OLIVEIRA

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

Matança interna

O governo brasileiro não consegue nem acabar com a matança diária dentro do nosso Brasil e vai querer opinar nas questões de Israel, que está se defendendo dos terroristas?!

FABIO ALVES

fabiocloro@hotmail.com

Araçatuba

Reação excessiva

Excelentíssima sra. Dilma, por favor, ajude-me a entender o que é "reação excessiva". Se eu jogar um ovo numa autoridade, essa autoridade virá pedir-me satisfações ou um bando de truculentos policiais vai atacar-me com spray de pimenta, revólveres de choque, balas de borracha, golpes de jiu-jítsu, algemas e prisão? Mas era só um ovo!

ALBERTO ARDITTI

e.arditti@terra.com.br

São Paulo

Força desproporcional

Com referência à nota oficial que o Brasil emitiu em relação à guerra Israel-Hamas: uso desproporcional de força, Dilma? Isso não é um jogo de casados x solteiros, não tem café com leite, estamos falando de vida e de morte! É um escorpião que está dentro da sua calça, é uma bomba-relógio na cabeceira da sua cama. Diga-me, qual é a sua proposta? Dilma, sabe o que é força desproporcional? É usar seu cargo e seu poder para fazer campanha eleitoral contra uma oposição que não tem acesso a esses recursos. Propaganda das estatais, aparições na TV, alianças pagas com dinheiro roubado, inauguração de obras inacabadas, frequentar eventos com dinheiro público, coerção sobre o Judiciário, etc., isso a senhora não condena? Isso, sim, é uso desproporcional da força!

JAYME NIGRI

jaymenigri@gmail.com

São Paulo

Pigmeu

O Brasil não é um anão diplomático, está anão desde que o PT assumiu o governo. Está anão em infraestrutura, saúde, educação, portos, estradas... Em diplomacia, então, nem se fale. E, enfim, anãozinho em PIB. Mas está um gigante em corrupção, apadrinhamentos políticos, malfeitos, desmandos de governos que fazem leis e mais leis para se autobeneficiarem. O Brasil virou pigmeu e elles sabem disso. Isto é uma vergonha.

RUTH MOREIRA

ruthmoreira@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL E ISRAEL 

Embora nos últimos anos nossa diplomacia tenha sido desvirtuada pelo desastrado lulopetismo, omitindo-se contra ações dos ditadores Vladimir Putin, Hugo Chávez, Nicolás Maduro e outros mais, humilhando-se perante Evo Morales e perante o destronado bispo metrossexual paraguaio, este já fora do baralho internacional, mas com atos que igualmente desrespeitaram a nação paraguaia, não posso deixar de ficar calado diante da ofensa ao nosso estimado Itamaraty pela diplomacia de Israel. Foram infelizes. Agrediram uma nação formada com a participação de brilhantes judeus. Minimizaram a criação recente de sua própria nação e ainda ofenderam pessoas que nasceram um pouco menores que os brutamontes militares de Israel. Esqueceram que este “anãozinho diplomático” foi o primeiro país a reconhecer aquele pequeno país, formado por grandes habitantes, inclusive alguns magrinhos, raquíticos e até alguns anões, mas dotados de mentes brilhantes que ajudaram e ajudam a formar o mundo em que vivemos, um anão diante do universo. A comunidade israelense no Brasil, sem dúvida, deve estar chocada, inclusive pelo fato de que aquelas autoridades diplomáticas não entendem os limites entre o direito de defesa e o excesso de defesa. E aqueles terroristas palestinos deveriam ser mais bem combatidos, com inteligência, não por meio da força bruta. Com certeza Israel tem pessoas com mentes brilhantes, talvez em corpos franzinos, ou mesmo um brilhante anãozinho, que possa ajudar a agir, a se proteger sem matar tantos inocentes.

José Rubens Macedo Soares joserubens@federmacedoadv.com.br
São Paulo

*
‘ANÃO DIPLOMÁTICO’

Não foi Israel que disse que o Brasil é um “anão diplomático”, mas sim um jovem porta-voz que, com preparo e memória nanicos, nos ofendeu com termos de porta de botequim. Devemos ensinar este moço que: em 1947, liderados pelo nosso embaixador Osvaldo Aranha, foi criado o Estado de Israel. Para os israelenses que viveram naquela época, cuja maioria infelizmente já morreu, e para os bem informados, esse diplomata brasileiro é considerado um gigante. Este porta-voz deveria saber também que, no Brasil, povos de todas as origens, raças e religiões vivem harmoniosamente.

Délcio Nogueira dos Santos delciosantos@gmail.com
São Paulo

*
GAFE DIPLOMÁTICA

Será que este Yigal Palmor, porta-voz de chancelaria de Israel, é beócio? Será que ele não se apercebeu que essas tiradas, que ele pensa que são sarcásticas, na verdade incitam o povo brasileiro ao antissemitismo? A observação comparativa com os 7 a 1 do futebol poderia ser engraçada na voz do meu filho, Fabio Porchat, num de seus “stand-ups”, mas nunca ser proferida pelo representante oficial de um país. E chamar um aliado de “anão diplomático” e “parceiro diplomático irrelevante”, com certeza, é motivo para esse diplomata perder o cargo. O Brasil tem laços firmes com Israel e deve mantê-los, independentemente das bravatas do “anão diplomático”, termo, sim, que se ajusta ao perfil desse destemperado.

Fabio Porchat fabioporchat@gmail.com 
São Paulo

*
TERRA DOS ANÕES

Israel chamou o Brasil de "anão diplomático" e “parceiro irrelevante” ao responder a nota do governo brasileiro que considerou "inaceitável" a escalada desproporcional da violência em Gaza. Fico aqui imaginando que, se Israel prestar atenção à nossa economia, nossa educação, saúde e segurança, com certeza vai dizer que o Brasil é a terra da Cinderela e dos 39 anões: nossa presidente e seus 39 ministros.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
MEMÓRIA FRACA

Ao chamar o Brasil de “parceiro diplomático irrelevante”, Israel se esqueceu de que foi o brasileiro Oswaldo Aranha, então presidente da ONU, que presidiu a sessão da ONU em que foi criado o Estado de Israel. Também é bom lembrar que o Brasil não foi "parceiro diplomático irrelevante" quando acolheu imigrantes judeus que fugiam do nazismo. No mais, basta olhar a extensão territorial dos dois países para ver quem é anão.
 
Mario Hamilton Casella mariocasella@uol.com.br 
São Paulo

*
DECADÊNCIA DIPLOMÁTICA

Se o porta-voz de Israel foi grosso com o Brasil, há um motivo. Desde que o PT assumiu o governo, a diplomacia brasileira – antes tida como modelo – está desmoronando. Tornarmo-nos uma central de apoio a regimes esquerdistas opressores, ignóbeis e hostis. Se antes éramos concretos em nossas posições, avaliando bem os fundamentos, hoje o PT faz da nossa diplomacia um canhão, para atirar em quem não gosta. Dilma e seus companheiros ignoram que o Hamas ainda é o maior responsável pela morte de civis palestinos. Partido hipócrita. Governo hipócrita!

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br 
Porto Feliz 

*
ANÕES

Depois que Israel confirmou a decadência do outrora brilhante Ministério de Relações Exteriores do Brasil, ou Itamaraty, causada pela “cumpanheirada” petista, chamando o Brasil de “anão diplomático”, dona Dilma vai convocar os outros anões que compõe o Mercosul para, numa declaração conjunta, reafirmar que Israel usa força desproporcional contra os palestinos em Gaza. 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br 
São Paulo

*
GRANDÃO BOBO

O Brasil curva-se e bajula países ou aberrações como Cuba, Venezuela, Bolívia e Argentina. Anão diplomático é pouco...

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo

*
GIGANTE BOÇAL?

Considerando a atual e surpreendente subserviência do gigante brasileiro às inexpressivas e falidas Argentina (no âmbito do Mercosul) e Cuba, Venezuela e Bolívia (no âmbito político e diplomático mundial), não temos aqui um anão diplomático? Ou seria um gigante boçal?

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br 
São Paulo

*
O BLOCO ERRADO

Dilma Rousseff está procurando ficar do lado do bloco da Rússia e desprezar o bloco dos EUA, que sempre foram nossos aliados. Aliás, seu governo teria ganhado muito se tivesse ficado calado sobre a guerra entre Israel e Palestina. Agora, meteu-se numa encrenca porque falou mais do que deveria e suas declarações deram a entender que o País tem simpatia pelo Hamas. O mesmo aconteceu quando acusou os EUA de espionarem o Brasil, esperando que eles viessem a se desculpar por algo que não fizeram, e aí veio a resposta à altura, os EUA disseram que sempre foram e vão continuar sendo os guardiões do mundo, no entanto, ela não levou em consideração que tudo o que temos em tecnologia veio dos EUA. Os exemplos são inúmeros, mas cito apenas a soja, que, antes, produzíamos cerca de 30 sacas por hectares, e hoje, graças aos avanços da tecnologia americana trazida para cá, já produzimos 50 sacas por hectares. Outra demonstração de que está dando apoio ao outro bloco é que tudo indica que o avião que foi abatido e caiu em solo ucraniano teve a ação apoiada pala Rússia, que dá todo apoio ao grupo separatista daquela que espalha terror por toda aquela região. Se Dilma se calou, é porque apoia. Que saudade do governo Bush. 

Daniel de Jesus Gonçalves al_amachado@yahoo.com.br 
Paranavaí (PR)

*
CASO PASADENA

Se o ex-presidente Lula fosse formado em Direito, seria um ativo advogado de porta de cadeia. Sua vocação e a persistência com que defende corrupto (seja camarada ou aliado) e aquele que gera prejuízo à Nação são notáveis, mas incomuns para alguém como ele, que sonhou um dia ser considerado um grande estadista. É verdade que a sua investida de tentar na surdina ganhar o apoio do ministro Gilmar Mendes para adiar o julgamento do mensalão foi frustrada. Mas, como denodo defensor dos que praticam ilícitos, não desistiu de salvar a presidente Dilma Rousseff no caso escabroso da compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA, pela Petrobrás, que resultou em prejuízo de US$ 792 milhões. E conseguiu, porque mexeu seus pauzinhos e convenceu ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) de que o mau negócio não foi culpa de Dilma, mesmo sabendo que na época ela era presidente do Conselho de Administração da estatal e responsável pela autorização dessa compra. E assim o citado tribunal achou por bem livrar a presidente de uma ação penal dolorosa. Agora, é bom ficar atento se, até o fim do mandato de Dilma, em dezembro próximo, para a vaga a ser deixada por Joaquim Barbosa no Supremo não for indicado um dos ministros do TCU. Esse é mais um exemplo triste deste país da impunidade, em que uma mão lava a outra e duas batem palmas.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
NOVO MENSALÃO

É hábito entre os líderes do PT acusar seus companheiros quando algum malfeito aparece em público. Foi assim no mensalão, quando Lula se desfez de seus amigos declarando, em Portugal, que José Dirceu, Delúbio e Genoino não eram de sua confiança e agora, com a presidente Dilma, Nestor Cerveró acusa a presidente de responsabilizá-la por não haver pedido esclarecimentos sobre os contratos durante o caso Pasadena. Esse tipo de comportamento desleal entre companheiros e amigos é típico de componentes de quadrilhas que se acusam entre si para escapar de um provável cárcere, processo e dividir o pequeno butim de US$ 1 bilhão. Para complementar a maracutaia, o envolvimento do advogado Luís Adams e do ex-presidente Lula tentam engavetar o processo no Tribunal de Contas da União (TCU) repetindo tentativas semelhantes quando estava em andamento o julgamento do mensalão.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
LULA FAZ ESCOLA
 
Em relação à aquisição da refinaria de Pasadena, o Tribunal de Contas da União (TCU) condenou os funcionários da Petrobrás e absolveu o Conselho de Administração da estatal, presidido pela sra. Dilma Rousseff. Convenhamos, sem o parecer favorável do conselho, a nefasta compra não teria sido efetivada. Lula faz escola. Dilma também não sabia de nada.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 
Vila Velha (ES)

*
ABERRAÇÃO

Condenar a Diretoria Executiva e isentar os membros do Conselho de Administração da Petrobrás envolvidos no imbróglio Pasadena é, no mínimo, uma aberração.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
COMPARANDO

Dilma se livra de Pasadena e a culpa recai exclusivamente sobre os 11 diretores da Petrobrás. É a mesma coisa que isentar Felipão da culpa pela desastrosa campanha da seleção brasileira na Copa e transferir a culpa aos 11 jogadores que entraram em campo.

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br
São Paulo

*
O FIM ESTÁ PRÓXIMO

Não é a proximidade do Apocalipse bíblico de João, mas o fim das nossas esperanças em ter chegado a hora de mudar o estado de anarquia em que este país foi transformado com o completo aparelhamento das instituições basilares da sustentabilidade da democracia. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) caminha em direção errada quando defende baderneiros; o Tribunal de Conta da União indulta o Conselho de Administração da Petrobrás, em 2006 presidido pela candidata à reeleição Dilma Rousseff, do prejuízo causado com a compra da Refinaria de Pasadena, que passou de US$ 1 bilhão; baderneiros que transformaram as principais capitais do Brasil em verdadeiro inferno, com saques depredações e agressão ao patrimônio público e privado, recebem das Justiça habeas corpus como um prêmio pela instabilidade social instalada.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
A SEGURANÇA E A ORDEM PÚBLICA 

Se o desembargador Siro Darlan mandou soltar os 23 manifestantes violentos do Rio de Janeiro, é porque deve ter fundamentos legais para tanto. Mesmo assim, vemos avanços no sentido de recuperar a ordem social perdida. O secretário da Segurança Pública carioca garante que sua polícia está mobilizada para coibir qualquer abuso. Em São Paulo, apesar de lentamente, a polícia investigativa vem encontrando, prendendo e processando os desordeiros. Nos últimos dias, a Polícia Militar tem agido eficientemente ao impedir a invasão de prédios no centro da cidade. São providências novas, antes não admitidas pelos governos lenientes e ferozmente criticadas pelos falsos democratas. Os governantes não podem esquecer que, entre suas tarefas, está a manutenção da ordem. Presidente da República, governadores e prefeitos têm suas equipes encarregadas do serviço social e também são titulares das forças policiais, que devem ser empregadas nos momentos em que a situação sai do controle. Não podem negligenciar em nenhuma dessas suas obrigações, assumidas no momento da posse em seus cargos. Se o fizerem, serão indignos dos postos que ocupam. Os parlamentares, por sua vez, devem produzir e votar leis que garantam o bom funcionamento da sociedade. E os integrantes do Judiciário não podem abrir mão da obrigação de exigir o cumprimento do ordenamento legal sempre que estiverem analisando processos colocados sob sua apreciação. É preciso reencontrar o sincronismo social perdido. 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br 
São Paulo
        
*
O RABO E O CACHORRO

Desde o meu ingresso nos bancos acadêmicos da Faculdade de Direito de Marília, em 1997, é a primeira vez que vejo um magistrado (leia-se desembargador Siro Darlan, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) justificar o porquê da sua decisão fora dos autos. Mais abismado fiquei ao ler que o magistrado agradeceu via rede social "por todas as manifestações favoráveis e contrárias" à sua decisão. A cada dia que leio o meu "Estadão" vejo que o rabo está balançando mais e mais o cachorro. Sinceramente, não sei qual o fim deste país! 
 
Ataliba Monteiro de Moraes Filho ataliba@outlook.com 
Marília
                                  
*
PROTESTOS

Concordo plenamente com a opinião do leitor sr. José Carlos Ferreira (25/7). A OAB deveria defender o direito do cidadão de ir e vir para o trabalho com segurança, sem de repente deparar com quebra-quebra de lojas, carros e ônibus, sem rojões e outros objetos atirados nos policiais que muitas vezes atingem inocentes. A liberdade de expressão é garantia constitucional, mas a violência incontida que gera crimes, não! A prevenção é ainda o melhor para evitar graves e tristes episódios. Nosso país está se transformando num dos mais violentos em época de paz. Afinal, não temos guerras!

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
ROMANCE REVOLUCIONÁRIO

O esquema revolucionário-blackblocista caiu por causa de um "romance revolucionário" entre Sininho e Game-Over, denunciado por "companheira" corneada por este último. Já vimos este filme: Zé Dirceu caíra por "romance revolucionário" com Maçã Dourada. O que diria Marx, se vivesse os tempos modernos? Nada. Já teria desanimado com nossos revolucionários e estaria numa praia lendo um bom policial.

Milton Akira Kiyotani miltonak@gmail.com 
São Paulo

*
ELISA QUADROS

A "ativista" Sininho deixou a prisão no Rio de Janeiro esta semana. Será que, daqui a alguns dias, ela não vai sair dando outras badaladas por aí?"

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
CARREIRA POLÍTICA

Essa tal Sininho anda tão "badalada" (mera redundância) que já, já vira deputada federal e corre ainda perigo de, daqui a uns 30 anos, aproximadamente, virar presidente da República. Quem viveu viu e quem viver verá a histórica repetição. Deu para entender ou é uma simples coincidência?

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
TÁTICA ESQUISITA

O irmão declara que ele, Jefte Rodrigues, um black bloc, participa do grupo "para chamar a atenção do governo para o sofrimento da população". Ora, essa postura tática é esquisita e bizarra, sobretudo para um professor do ensino médio de que, por dever de ofício, espera-se que tenha comportamento diverso em seus momentos de lazer. Seria bom, pois, que o black bloc esclarecesse o que tem que ver um caixa eletrônico com a população carente da periferia.  Se com atos de vandalismo quer chamar a atenção para a miséria existente no País, melhor seria solicitar uma audiência com a presidente da República para analisarem e discutirem o problema. A presidente e seu secretário, Gilberto Carvalho, certamente terão muito prazer em recebê-lo na presença de jornalistas brasileiros e estrangeiros. Aliás, estando atualmente preso, o momento é mesmo oportuno para a acareação, visto que será conduzido até a presidente de forma que não faltará ao encontro depois de acertado.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br 
São Paulo

*
INVASÕES EM SÃO PAULO

Os invasores do terreno situado ao lado do Shopping Plaza, na Vila Prudente, em São Paulo, reclamam que não podem pagar o aluguel de R$ 600,00 de suas casas na favela da Vila Prudente. Ora, se o terreno onde está essa favela é sem dúvida terreno invadido, como se justifica que alguém está faturando aluguel nas casas? A Prefeitura, juntamente com os seus colegas desses movimentos petelianos, deveria invadir o terreno e distribuir as casas a todos aqueles que pagam aluguel. Seria mais justo do que desapropriar terrenos de legítimos proprietários.

Ademir Alonso Rodrigues rodriguesalonso@uol.com.br
Santos

*
FURANDO A FILA

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que apoiou o prefeito Fernando Haddad, está furando a fila dos pretendentes a moradia na cidade de São Paulo. Por isso o Ministério Público (MP) sustou o programa Minha Casa Minha Vida (ou minha falcatrua) até que a coisa fique clara. Esses bandidos do MTST querem ganhar tudo no grito e o medroso Haddad está entrando nessa furada. Espero que o MP não dê moleza a bandidos travestidos de gente necessitada.
 
Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br 
São Paulo

*
A DÍVIDA DA SANTA CASA

O secretário da Saúde de São Paulo, David Uip, mirou sua artilharia para o alvo errado, ao exigir auditoria na Santa Casa de Misericórdia por causa das dívidas contraídas. Se existe repasse de X pelo Estado e União, com uma dívida já existente de aproximadamente R$ 300 milhões, paga-se a dívida. Se fechar as portas, fim. Não gerará mais déficit. Mas se paga a dívida e continua atendendo milhares de pessoas anualmente, vindas de todo o País, recebendo do Sistema Único de Saúde (SUS) valores congelados há dez anos, como não gerar dívida? Não seria o caso de mirar sua artilharia ao alvo certo e perguntar ao ministro da Saúde, ao ex-presidente Lula e à presidente Dilma como operar tal milagre? 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
CRISE NOS HOSPITAIS FILANTRÓPICOS

A Santa Casa de São Paulo suspendeu o serviço de pronto atendimento devido a dívida de R$ 50 milhões; foi socorrida com 10% desse valor. A situação não é muito diferente no resto das Santas Casas do País, responsáveis por 50% dos atendimentos hospitalares. O SUS paga pouco, quase sempre com atraso. Em contraste gritante, não faltaram recursos para construir três suntuosos estádios novos, dois deles (Manaus e Brasília) não serviriam mais para nada. É revoltante a ordem de prioridades deste (des)governo! 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com
São Paulo

*
POUCO-CASO

O fechamento do pronto-socorro da Santa Casa, maior e mais importante hospital filantrópico do País, por causa de dívidas de R$ 350 milhões em material, demonstra a fragilidade e o pouco-caso com a saúde – e os maiores prejudicados neste caso, em especial, são os pobres que não têm acesso a planos de saúde e hospitais particulares.
 
Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com 
Casa Branca

*
SITUAÇÃO ABSURDA

Lamentável, absurdo, vergonhoso a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo ter fechado seu atendimento no pronto-socorro por falta de medicamentos e materiais que deixaram de ser entregues por débitos e atrasos nos pagamentos, interrompendo dessa forma o serviço de emergência. Ridículos são os governos federal, estadual e municipal terem permitido que a situação chegasse a esse caos absurdo.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
SUMARÉ, 146 ANOS

Hoje, 26 de julho, a minha amada Sumaré completa 146 anos. Uma cidade com mais de 250 mil habitantes, que desde o início foi mal planejada, sendo dividida em várias regiões sem o mínimo de planejamento, e por tal a cidade de uma forma geral é desprovida em tudo. Em pleno século 21, Sumaré é um exemplo negativo na região, onde “movimentos” de invasores de terras particulares e públicas se enraízam. Enfim, sou filho da terra e não encontro motivos para exaltar.

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com 
Sumaré

*
SELEÇÃO BRASILEIRA

A infeliz decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na contratação do técnico Dunga, mesmo após a vexaminosa atuação na Copa 2014, demonstra o total desrespeito com o torcedor brasileiro, por não apresentar a tão propagada “renovação” do nosso futebol. Minha única esperança é que os patrocinadores habituais, aqueles que na verdade mantêm o nosso futebol, já que os torcedores não vão mais aos estádios, deem a sua contribuição e não invistam seus recursos naquela instituição, até porque ninguém gostaria de vincular sua imagem a um grupo de perdedores, antiquados e sem motivação.

Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br 
Mogi Mirim

*
EFEITO DUNGA

Viu no que deu o Dunga ser convidado para técnico da seleção? Já estão chamando o Brasil de "anão diplomático"!

Eduardo Augusto de Campos Pires eacpires@terra.com.br
São Paulo

*
TRUCULÊNCIA NÃO!

Recordando o destempero e a truculência de Dunga no trato de um companheiro de Seleção Brasileira, em plena Copa do Mundo, quando ainda era jogador, manifesto minha preocupação quanto a seu retorno como técnico. Creio que o novo técnico deve ser alertado para a Lei Menino Bernardo, também conhecida como Lei da Palmada! Como diria João Ubaldo Ribeiro: Viva o povo brasileiro!

Carlos Gonçalves de Faria sherifffaria@hotmail.com
São Paulo

*
A ‘VELHA CÚPULA DA SELEÇÃO’

Após Dunga, Gilmar Rinaldi, Taffarel e Mauro Silva. Só fica faltando o Zagalo!

Júlio Brisola  jrobrisola@uol.com.br
São Paulo

*
DECADÊNCIA
 
Sempre sonhei que os brasileiros direcionassem 1% de sua paixão pelo futebol ao exercício da cidadania, mas não tinha argumentos sólidos para convencê-los. Agora tenho: um paralelo entre a decadência do Brasil político e a CBF não é mera coincidência.
 
Honyldo Roberto Pereira Pinto honyldo@gmail.com 
Ribeirão Preto
  
*
CAROCHINHA

Mas é verdade esse disparate? A nova seleção brasileira será formada por 1 Dunga e 7 alemães? Deve ter dedo de petralha nisso. 

Klaus Reider vemakla@hotmail.com 
Guarujá 

*
SETE

Diante da crítica antecipada por boa parte da imprensa ao nome de Dunga, imagino que, se fosse anunciado como técnico da Seleção Brasileira Carlos Caetano Bledorn Verri, com certeza seria mais bem avaliado, pois Dunga fica associado aos 7, não é mesmo? Dizer o que mais?

Benedito R. dos Santos Reis reisrodrigues.santos@gmail.com 
São Paulo

*
A VINGANÇA
 
A escolha de Dunga foi política! Querem castigar o povo que vaiou a presidente Dilma. Com Dunga o Brasil não se classifica para a Copa de 2018, na Rússia, se houver Copa. Plano B da Fifa? Quem sabe Brasil de novo...
 
Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br
Osasco

*
OS BRUZUNDUNGAS
 
Basta olhar a mesa montada pela CBF para anunciar Dunga e desconfiar de que nada de bom sairá daquele quarteto, pois nada de bom há de se esperar do presidente da CBF, um eterno político que até hoje é um zero para nosso Estado. Além disso, o gerente de seleções, que até a véspera da indicação era agente de boleiros; um cartola que vive eternamente à custa de seu clube; e, para finalizar, retrocedem chamando Dunga, o zangado de ontem. E quem sabe não chamam também o Zagallo para assessor? Neste grupo de bruzundungas, salva-se apenas o Galo e... sei lá! 

Laércio Zannini  arsene@uol.com.br 
São Paulo

*
RENOVAÇÃO

Já que a CBF anunciou o glorioso Dunga como técnico da seleção, aproveito para dar a sugestão de alguns nomes para a comissão técnica. Vamos lá: Zagagállo, Admildo Chirol, Carlos Golias Parreira, Mario Américo e Nocaute Jack. Coutinho não dá, pois já se foi... Que tal minha lista? Assim "renovamos" mesmo a gloriosa selecinha, não é não?

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br 
São Paulo

*
COMO MELHORAR O FUTEBOL

O debate hoje é como melhorar o futebol brasileiro. Dois itens são essenciais para isso. O primeiro é ter um item em que metade da seleção seja constituída de jogadores em atividade no Brasil. A justificativa é lógica, pois que incentivo tem um jogador de ficar atuando no Brasil? Todos querem jogar bem para ir embora para o exterior e lá ser convocado pela seleção. Assim ficam o mínimo possível no Brasil, piorando a qualidade dos jogos aqui. Pois o exterior é sinônimo de dinheiro e seleção e, aqui, no Brasil, resta ser o local de terminar a carreira do jogador exportado ou do promissor ser exportado e ganhar dinheiro, pois ficar aqui significa pouco dinheiro e não convocação. O segundo item é disseminar pela televisão os campeonatos que acontecem no Brasil. Tanto aqui como no exterior, a coisa mais difícil ou custosa economicamente é ver jogos brasileiros. Você vê na TV um jogo do campeonato inglês, francês, alemão, português, espanhol ou de outro país da Ásia ou Arábia, por um preço razoável, mas o Campeonato Brasileiro, com seu time do coração, é muito caro para o povo brasileiro. Os dois fatores explicam o sumiço dos torcedores dos estádios e também os horários em que são realizados os jogos, às 22 horas.

Ciro Bondesan dos Santos cirobond@hotmail.com 
São José dos Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.