Fórum dos Leitores

CPI DA PETROBRÁS

O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2014 | 02h04

Mais um megaescândalo

Não há como superar o PT em matéria de escândalos, corrupção, farsas, conluios, armações contra o Congresso Nacional e a democracia, dossiês falsos e tudo o mais que ponha o Estado de Direito em risco. Esse novo episódio da fraude na comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Petrobrás é tudo isso e muito mais. Deplorável vídeo desvenda mais um escândalo sem precedentes, alinhando-se com o do mensalão: figuras da mais alta estirpe petista (!), juntamente com diretores e advogado da companhia que um dia foi o nosso maior orgulho e hoje se encontra de joelhos, combinando atitudes para lá de criminosas! Parece que não há mais limites para esse tipo de gente. E querer distanciar a presidente da República disso é querer que acreditemos em fadas, basta ver o grau de importância das pessoas envolvidas que trabalham no Palácio do Planalto. Mais uma vez fica provado que nada deterá o PT no seu processo de tomada de tudo no Brasil. É preciso detê-lo enquanto ainda há resistência!

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

A meia-verdade

Será que alguém acredita? Meia-verdade é a confirmação de uma grande mentira, entenderam? O PT e aliados conseguiram destruir a Petrobrás e querem que o povo brasileiro acredite em quê?

LUIZ DIAS

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

Formação de quadrilha

Essa maracutaia na CPI da Petrobrás tem de ser entendida pelos congressistas como associação para o mal e formação de quadrilha. Diante do acorrido, só nos resta acreditar que de fato houve um desvio programado e o governo tenta desesperadamente acobertar o grande roubo.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Comissão chapa-branca

Nossos corruptos de antigamente (mas que continuam a assombrar o Planalto Central com suas negociatas e cabeleiras pintadas) tinham mais cuidado na roubalheira. Depois da mais recente - e decerto longe de ser a última - trapalhada suja e aloprada do PT, ensaiando as perguntas e respostas para a CPI chapa-branca da Petrobrás, essa sigla deveria mudar de nome para Partido da Lambança, pois desde que assumiu o pudê, 11 anos atrás, só faz chafurdar na lama.

PAULO RUAS

pstreets@terra.com.br

São Paulo

No saco dos corruptos

Graça Foster foi alçada à presidência da Petrobrás com fama de profissional técnica e isenta, sem perfil político, e por isso estaria imune às eventuais tentativas de aparelhamento da petroleira pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Pelo que se vê agora, no escândalo da farsa armada na CPI da Petrobrás, o PT conseguiu transformar a sra. Graça Foster em "farinha do mesmo saco" onde estão os corruptos que dilapidam o Brasil. Graça Foster só poderá lavar a sua emporcalhada imagem - mesmo que isso lhe custe o cargo - se convocar uma entrevista coletiva e contar tudo o que sabe sobre a relação promíscua entre o Palácio do Planalto, o PT e a Petrobrás. Certamente a sua fala será mais inflamável que a gasolina aditivada da petroleira.

TÚLLIO MARCO S. CARVALHO

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

MAIS CORRUPÇÃO

No Banco Central

Incrível, o PT conseguiu corromper até o Banco Central do Brasil! O Ministério Público, por intermédio de seu procurador dr. Julio Marcelo de Oliveira, requereu ao Tribunal de Contas da União (TCU) abertura de fiscalização sobre o banco porque, sustenta, entre 2009 e 2010 autorizou a subsidiária CaixaPar a pagar ao Banco Panamericano, que pertencia ao Grupo Silvio Santos, pouco antes de este quebrar em razão de fraudes financeiras, a importância de R$ 740 mil numa transação "ruinosa e ilegal"!

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

SABUJICES

'Sabueso español'

Parabéns ao advogado e ínclito cidadão dr. Manuel Alceu Affonso Ferreira por seu artigo Sabujices (4/8, A2). Sem ofensa, mas com propriedade, o artigo poderia ter seu título em língua castelhana. A reprovável iniciativa de uma instituição financeira de demitir de seus quadros um analista competente e honesto profissional, cujo parecer técnico, muito consistente e bem elaborado, desagradou ao poder federal merece repúdio da parte sadia desta Nação. O profissional cumpriu a sua obrigação e os demais envolvidos no triste episódio da demissão agiram de maneira torpe e vil. Mais uma vez louvemos as palavras do dr. Manuel Alceu.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Mentira e riscos

Com analistas de bancos sendo ameaçados por um rancoroso ex-presidente e sua sucessora, que se recusam a enxergar a realidade de mercado quando esta não lhes é favorável, e um banco prestando vassalagem a ambos, punindo com demissão um profissional cuja tarefa era orientar e proteger os seus clientes das inconstâncias do mercado financeiro, não seria mais seguro guardarmos dinheiro em casa, já que, por orientação da direção do banco, constatar uma verdade pode significar desemprego?

PETER CAZALE

pcazale@uol.com.br

São Paulo

Sub do sub analista

Pra falar bem a verdade, nem precisa ser analista!

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

Apenas uma dúvida

Não sou investidor, tenho apenas uma caderneta de poupança com alguns trocados, mas com frequência recebo de "meu" banco análises de mercado a título de convite. Após o episódio do Banco Santander, que recebeu ameaças do governo e, mesmo tendo razão, se acovardou, pergunto: na próxima análise econômica que eu receber do "meu" banco, devo acreditar? Ou ele também está com medo da dona Dilma Rousseff e vai me jogar na fogueira do governo federal?

HUMBERTO DE L. FREIRE FILHO

hlffilho@gmail.com

São Paulo

RICOS CANDIDATOS

Relíquia imperial

No Império só era senador quem tivesse posses. Passado um século, o jeitinho brasileiro ressuscitou essa regra eleitoral (no Senado). Gostaria de saber quantos suplentes entraram no Senado pela porta do cofre.

ROGÉRIO BELDA

rbelda@terra.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com

FRAUDE NA CPI DA PETROBRÁS

De acordo com revelação da revista “Veja” desta semana, a CPI da Petrobrás divulgou aos diretores e presidente da Petrobrás as perguntas que lhes seriam feitas no plenário da comissão, com antecedência, para que não houvesse contradições nas respostas. Se isso é ou não verdade, não interessa. O que realmente interessa é que a sociedade brasileira está convencida das grandes irregularidades que aconteceram e acontecem na Petrobrás e que acarretaram a desvalorização absurda de um dos maiores patrimônios brasileiros, causada pela incompetente e irresponsável gestão do governo petista. Podem enganar as CPIs do Congresso, mas não enganarão jamais o povo brasileiro. Se não é agora, será mais adiante que este governo corrupto e mentiroso terá de prestar contas à sociedade brasileira, quer queira, quer não queira.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br
São Paulo

*

NÃO SURPREENDE

O vídeo mostrando que houve fraude na investigação da CPI da Petrobrás, com as perguntas que seriam feitas pelos senadores aos investigados tendo sido passadas a eles com antecedência, para que pudessem treinar suas respostas de forma a não implicar a presidente Dilma, apenas comprova o que nós já sabíamos, que tudo não passou de uma dispendiosa farsa, nada diferente do que poderíamos esperar deste governo farsante e corrupto do PT. O que podemos fazer com relação a isso? Nada, pois qualquer coisa que venha a ser feita será devidamente neutralizada pela tropa de choque de Dilma Rousseff. A única coisa que podemos realmente fazer para extirpar este câncer petista do nosso país é não reeleger Dilma em outubro.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*

A GRANDE FARSA

Uma gravação mostra que os investigados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás receberam as perguntas dos senadores com antecedência e foram treinados para responder a elas. A farsa, diz a revista “Veja”, é tão escandalosa que pode exigir uma inédita CPI da CPI, para ser desvendada. Fica claro a todos que a CPI foi criada com o objetivo de não pegar os corruptos. Assim o governo Dilma e as lideranças do PT no Senado decidiram não correr nenhum risco. A leitura dessa reportagem nos levou a uma indignação total com este governo farsante do PT.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*

ESPETÁCULO DEPRIMENTE

Com atores canastrões, o PT levou ao ar sua “Escolinha do Imundo”. Além de não ser de graça, não teve a menor graça, viu dona Graça? Chico Anysio e a Nação não mereciam espetáculo tão deprimente...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*

FIM

Chega ao fim a farsa da CPI da Petrobrás. O conluio entre investigadores e investigados, desmascarado pela revista “Veja”, mostra como as coisas funcionam na corruptocracia brasileira. Não existe nenhum vestígio de boa-fé ou de honestidade no governo, a corrupção impera absoluta. Todos os dias vemos ministros, deputados e senadores vestindo seus ternos e gravatas e se dedicando à incansável missão de roubar, fraudar e desviar o dinheiro público, tarefa que lhes ocupa em tempo integral. Não há esperança de que este quadro irá mudar com o resultado das eleições – o jogo continuará o mesmo. Não há solução de continuidade, será preciso reinventar a democracia brasileira, com a extinção de tudo o que está aí e a criação de algo novo, novos partidos, novos políticos, novas regras e leis. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*

O QUE DIZ O TCU?

Na edição de domingo (3/8, A8), o colunista João Bosco Rabello se manifestou mencionando o caso da compra malfeita da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, o “negócio da China” que gerou para a Petrobrás um prejuízo de mais de US$ 700 milhões. Pois bem, o texto do colunista menciona que 11 diretores daquela época mais o ex-presidente José Sergio Gabrielli tiveram seus bens bloqueados. Até aí, parece que tudo bem. Mas o que me deixa indignado é saber que nada é feito a respeito nem o Tribunal de Contas da União (TCU) se manifesta quanto à omissão e a passividade do sr. Lula e de dona Dilma, ele, então, como presidente da República, e ela, como presidente do Conselho da Petrobrás. Deveriam e deverão, os dois, ser indiciados em todo esse episódio – ou não estamos num país sério onde a lei é igual para todos? O TCU deve, sim, explicar ao povo o seu silêncio em não responsabilizar também essas duas importantes figuras da República, e com certeza coniventes ou omissos no caso.
 
Ubiratan de Oliveira Uboss20@yahoo.com.br 
São Paulo

*

FANTASMA DO NEGÓCIO BICHADO

O fantasma da compra, pela Caixa Econômica Federal (CEF), em 2009, do bichado Banco Panamericano renasce sob a investigação do Ministério Público. Silvio Santos, que era dono e fundador deste banco, bom de bico que é, conseguiu o impossível, como vender sua instituição bancária, em total agonia financeira, com um rombo de R$ 4,3 bilhões e ainda receber um troco da CEF de R$ 739,2 milhões. Esse negócio escabroso, sobre o qual até hoje nem o PT, tampouco o Banco Central e menos ainda a Caixa responderam com dignidade à sociedade brasileira por que compraram um banco praticamente em estágio falimentar. Talvez o Palácio do Planalto tenha autorizado essa compra porque, próximo de uma corrida presidencial (2010), o PT iria necessitar de muito dinheiro para viabilizar a campanha do poste Dilma. Entenderam? Assim como em 2006, também ano de eleição presidencial, ocorreu a compra certamente fraudulenta da Refinaria de Pasadena, nos EUA, que gerou quase US$ 800 milhões de prejuízo para a Petrobrás. Isso posto, faz muito bem o Ministério Público de investigar – e que seja com rigor – o governo petista e os que concordaram em assinar essa compra, como os diretores do Banco Central e da Caixa e seus auditores que se submeteram, eu não tenho dúvidas, às ordens expressas do Planalto.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*

PANAMERICANO-CEF

A venda do falido Banco Panamericano, do grupo Silvio Santos, à Caixa Econômica Federal (CEF) constitui crime de lesa-Pátria, tal qual o imbróglio Petrobás-Pasadena. Que a abertura de fiscalização solicitada pelo Ministério Público seja rigorosamente acompanhada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O erário não pode ser usado, abusado e desperdiçado em transações obscuras, ruinosas e ilegais nas barbas da população. Basta! 

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*

QUE PAÍS!

O Brasil é um país incrível. Somos governados, legislados e julgados pelo que há de pior na sociedade: gente corrupta, picareta, irresponsável. E, mesmo assim, nosso país consegue avançar (bem ou mal) na economia e no desenvolvimento do trabalho e outros. Claro que temos tantos e tantos problemas. Imaginem o que seria o Brasil, se fôssemos um povo sério com autoridades decentes?

André L. O. Coutinho arcouti@uol.com.br  
Campinas

*

VALE-TUDO EM ANO ELEITORAL

É impressionante a capacidade que tem o ex-presidente Lula de torcer os fatos e atribuir aos adversários aquilo que ele próprio é useiro e vezeiro em fazer. A última desta série cascateira veio de Minas Gerais, onde o ex-presidente acusou Aécio Neves de tratar o Estado como “propriedade para benefício de uma família”, dizendo que faz “muita propaganda e pouca ação” e concluindo que os tucanos “não têm programas sociais e por isso se apropriam dos programas do governo federal”. Por partes: 1) Quem em seu tempo tratou a “res pública” como coisa “de família” foi Lula, como o provam a ascensão do filho “Lulinha” – cognominado por ele próprio o “Ronaldinho dos negócios”, após receber generosos favores de um esquema envolvendo empresa do ramo das telecomunicações. Também nesse particular, o caso Rosegate está aí para tirar dúvidas sobre o tipo de apreço que Lula tem pela distinção entre público e privado. Não bastasse, no último dia de mandato, um ato da administração federal contemplou a prole do ex-presidente com passaportes diplomáticos sem que se explicasse qual a razão da distinção aos agraciados com esse mimo da República à família do “ex”. 2) Quanto a fazer “muita propaganda e pouca ação”, nem precisa ir muito longe: estão aí as creches não construídas, as centenas de aeroportos que nem sequer saíram do papel, o trem-bala que deveria ficar pronto para a Copa, a transposição do Rio São Francisco, que mais tem transposto dinheiro público para o bolso de empresários e políticos, etc., etc. 3) Por fim, quem se “apropriou” de programa social alheio foi Lula, que herdou o programa Bolsa Escola, de FHC, trocando seu nome para Bolsa-Família. E ainda tem quem entre na lábia deste cara de pau...

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com    
São Paulo

*

REVISITANDO O PASSADO

Já que quer revisitar o passado, ao tempo em que recorremos ao FMI por três vezes durante o governo tucano, é necessário lembrar a presidente Dilma que para viabilizar a chegada do PT ao poder foi necessário que o partido rasgasse todas suas cartilhas com os insanos conceitos gerados durante os longos anos de oposição raivosa e irresponsável, procedimento oficializado na famosa carta ao povo brasileiro, que foi assinada pelo candidato Luiz Inácio da Silva. Então de posse dos fundamentos econômicos herdados do governo FHC e combinados com o extraordinário momento econômico mundial, foi possível ao governo petista nos livrar finalmente das garras do FMI.

Abel Pires Rodrigues ablrod@terra.com.br
Rio de Janeiro

*

BRASIL NA UTI

Até quando os candidatos à Presidência da República vão fugir do debate sobre suas propostas para a área econômica? Todos parecem correr do tema como o diabo da cruz. Quando você percebe que, para produzir, é preciso saber qual a política econômica será implantada num próximo governo; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mas que pelo trabalho é que as leis não nos protegem deles, mas pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em autossacrifício; então poderá afirmar, sem medo de errar, que sua sociedade está condenada. A história mostra que os países mais desenvolvidos apostaram na força de trabalho do seu povo como mola propulsora. Esses governos incentivaram o empreendedorismo e a indústria, com menos impostos, regras claras e confiáveis e respeito à meritocracia. Como percebemos, esse não tem sido o caso do Brasil na última década. A carga tributária altíssima, a burocracia asfixiante e a instabilidade das leis têm gerado mais dúvidas do que certezas naqueles que investem ou gostariam de investir no País. Da para entender o porquê de os candidatos mais bem posicionados nas pesquisas não quererem expor suas posições para tirar o País do estado em que se encontra, quase na UTI. Para o País crescer mais que o pífio 1% no longo prazo e atingir os sonhados 3%, 4% ou 5% anuais, talvez seja preciso passar por uma fase com desemprego maior que o atual. Que candidato em sã consciência (e busca de votos) vai falar para a população que o emprego e a renda vão diminuir? A corrupção é outro câncer maligno que consome a riqueza da Nação. O dinheiro que deveria ser investido em melhorias públicas vai parar no bolso dos bandidos salafrários enganadores. Vejam em que condições se encontram as Santas Casas em todo o País! Não será possível tirar o Brasil da UTI enquanto essa sangria não for estancada. Temos riquezas naturais, clima variado, terra fértil e produtiva e uma série de outras vantagens que colocariam nosso país no topo do desenvolvimento, não fossem os maus políticos que nos governam. O Brasil ainda tem jeito, mas respira por aparelhos e pode entrar em coma dependendo do resultado fim das eleições de outubro. É hora de discutirmos o que realmente importa para todos nós, para que o futuro não fique ainda mais comprometido. Sem ataques infundados ou promessas eleitorais vazias. Nada está tão ruim que não possa piorar. Que o patriotismo que se viu na Copa do Mundo se estenda até dia 5 de outubro. Nesta data escolheremos o time que, mais do que levantar uma taça, poderá erguer uma Nação.

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com 
São Caetano do Sul

*

CULPADOS

A presidente Dilma e seus assessores chegaram a uma conclusão com relação aos números fracos e decepcionantes da economia brasileira: é tudo culpa do pessimismo. Não fossem os industriais serem pessimistas, a inflação estaria dentro da meta. Não fossem os jornalistas pessimistas, o déficit nunca teria sido tão ruim; e, se os economistas fossem um pouco mais a favor deste governo, o PIB teria aumento enorme. Tem também um outro culpado que os petistas não cansam de apontar: é a crise mundial. Sim, aquela crise que a Europa, os Estados Unidos e o resto do mundo, inclusive os nossos vizinhos da América Latina, também sofreram. Só que, por algum golpe de mágica, a maioria dos países já saiu dela e está se dando muito bem na área econômica. Só mesmo os coitadinhos bolivarianos, por motivo inescrutável, não conseguem se reerguer. Deve ser perseguição, pensam eles, a Argentina e a Venezuela, por exemplo, estão sendo discriminados pelos números positivos. O populismo e a má gestão não existem. A imprensa é que fica apontando e noticiando os números ruins do comércio exterior, do déficit primário, das contas do setor público, da produção industrial e outros tão ruins quanto estes. Tudo culpa da imprensa, do pessimismo e da crise. Algum dia alguém do governo vai dar o braço a torcer e reconhecer que esta política econômica inventada por Dilma e seus assessores não funcionou? Ou o sofá vai ser tirado da sala?
 
Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo

*

PESSIMISTAS

A presidente Dilma tem razão. Só podemos ser otimistas, pois, como diz um conhecido personagem, “pior que está não fica”.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*

EM PÚBLICO NÃO

A presidente Dilma Rousseff não tem coragem de se apresentar publicamente em nenhum lugar de acesso livre ao público, seja lá em que região for do Brasil; salvo em algum lugar de acesso controlado e com o público pré-selecionado pelos petistas. O ex-presidente Lula está mais amoitado que uma jaguatirica acuada por cães caçadores – até na África ele já foi se esconder durante a Copa do Mundo. O povo já chegou a uma conclusão sobre o procedimento dos pesquisadores do Ibope: as pesquisas não estão lhe dizendo mais nada, ele já sabe qual é a sua finalidade e como funcionam, portanto não surtem mais o efeito tão almejado pelos mentirosos petralhas.

Maria do Carmo Leite Alves m.carmo1946@bol.com.br 
São Paulo

*

‘FALTA SENTIMENTO DEMOCRÁTICO’

Cumprimento o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pelo brilhante artigo “Falta sentimento democrático” (“Estadão”, 3/8, A2), verdadeira aula de História do Brasil das últimas duas décadas. FHC não está vendo fantasmas, não, tenho certeza. O grupelho que se aboletou no poder já emitiu muitos sinais de que veio para impor goela abaixo sua ideologia retrógrada e autoritária aos infelizes brasileiros, como fez com o malsinado Mais Médicos. A julgar pela frase da presidente Dilma de “fazer o diabo para ganhar as eleições”, não seguirão nem o magnânimo exemplo de FHC de transição democrática de poder, caso venham a perdê-las.
 
Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 
São Paulo

*

CLAREZA

Brilhante e muito oportuno o artigo de FHC (3/8, A2). Nada como a clareza de quem já passou pelo cargo brilhantemente.

Dora Mellão dora@mellao.com.br 
São Paulo

*

FANTASMAS

Sobre o artigo de Fernando Henrique Cardoso (3/8, A2), fantasmas não me amedrontam, mas, sim, a nossa realidade.

Verá Candida Arruda verac.arruda@yahoo.com.br 
Campinas

*

INDIGNAÇÃO

FHC está absolutamente certo com seus lamentos.  Mas falta algo.  Penso que seja a expressão de indignação.  Fato é que “nunca houve na história do Brasil” um presidente tão mentiroso quanto Lula.  Lula também inventou a competência da Dilma, sua pupila no comportamento enganoso. É preciso, sim, que cuidemos da democracia. Então digamos que temos vergonha do que a presidente nos proporciona.
  
Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br
São Paulo

*

AS REAÇÕES DO GOVERNO

Lendo o editorial de domingo “A tropa petista vai ao ataque” (3/8, A3), nota-se que as reações deste governo e de seu partido, além de grotescas e apelativas, carecem de argumentos para desqualificar os relatórios e análises prestadas por instituições internacionais. Quando o Fundo Monetário Internacional (FMI) listou o Brasil entre as cinco economias emergentes mais suscetíveis de sofrer os efeitos de outra crise financeira global, por causa da inflação alta e do rombo nas contas internas e externas, as reações do governo foram exageradas e destemperadas; outro ataque foi o da senadora Gleisi Hoffmann, que propôs um voto de censura contra o banco central americano (Fed), porque incluiu o Brasil entre as economias vulneráveis; já o senador petista José Pimentel resumiu que o Fed é incompetente; sobre o Banco Santander, a presidente acusou a instituição bancária de “interferência no processo eleitoral”, alegando que vai tomar uma “atitude bastante clara” em relação ao banco. O antecessor chegou a exigir a demissão da analista que preparou a nota aos clientes do banco. Outro fato que revoltou os governistas, desmerecendo a informação, foi quando a ONU divulgou que o Brasil aparece em 79.º lugar entre os 187 países em relação ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Em vez de atacar e desqualificar, esta administração deve reconhecer que essas instituições têm razão, aceitar as ponderações e corrigir os erros para o bem da Nação.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br 
São Paulo

*

JUÍZES PUNIDOS

A punição imposta a 45 juízes, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com aposentadoria compulsória – a mais grave das penalidades administrativas aplicadas à categoria ­–, representou na verdade um grande benefício e vantagens para os mesmos, porque nos últimos seis anos eles continuaram recebendo mensalmente, sem fazer nada, R$ 25 mil cada, e já nos custaram até agora nada menos do que R$ 44,6 milhões. Ou seja, quem é que foi punido, nós ou eles? Simplesmente vergonhoso, absurdo e ridículo.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*

PREMIADOS

Juízes punidos custam R$ 45 milhões em seis anos. Ao invés de estes juízes corruptos irem para a cadeia, terem as aposentadorias canceladas e seus bens confiscados, são premiados com aposentadorias compulsórias, continuando a receber (sem trabalhar) salários em volta de R$ 25 mil. Cada vez mais, este país está se tornando insuportável para as pessoas honestas, que vivem do seu trabalho. 
 
Sergio Diamanty Lobo diamanty18@gmail.com
São Paulo

*

SOFRIMENTO?

O que acontece, normalmente, quando um juiz é “pego” em falcatruas? Em vez de ser punido, ele sofre uma aposentadoria compulsória, sem prejuízo dos seus vencimentos. 
 
Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com 
Casa Branca

*

O JUDICIÁRIO

Segundo denúncia da ONU, a ser divulgada em caráter oficial dentro de aproximadamente um mês a todos os governos do mundo, as cadeias brasileiras mantêm em suas dependências cerca de 200 mil presos além da capacidade e cerca de metade do total – quase 220 mil – ocupam lugar por estarem aguardando julgamento, às vezes há meses e até há anos, muitos sem saber o andamento dos respectivos processos. Quando tais dados forem apresentados formalmente, o governo brasileiro terá a oportunidade de se justificar. Tarefa difícil, pois, como qualquer cidadão sabe ou tem conhecimento pelos meios de comunicação, o quadro denunciado está bem próximo da realidade. Uma conta simples mostra, portanto, que o nosso Judiciário é responsável em grande parte pela situação desumana, exposta com frequência pela mídia, dos detidos em cadeias e presídios estaduais e federais, esta também denunciada no documento por apresentarem condições precárias e superlotação. O que estará acontecendo com nossa Justiça, aliás, um dos setores oficiais que melhor remuneram seus funcionários? Perda de independência dos juízes, que se sentem pressionados pela sociedade no sentido de manterem preso um número exagerado de suspeitos? Burocracia em excesso? Falta de assistência legal aos detentos? Todas essas causas juntas e inúmeras outras não imediatamente identificadas? De qualquer modo, está mais do que na hora de a sociedade se mobilizar para tentar minimizar o presente quadro, constrangedor para um país que tem, supostamente, aspirações de dispor de uma Justiça respeitada internacionalmente.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com
Rio de Janeiro

*

O CONFLITO EM GAZA

Se o governo de Israel está determinado a destruir todos os túneis do Hamas para concluir sua operação militar na Faixa de Gaza, qual o sentido desse massacre de civis palestinos, por terra, mar e ar?

Yvette Kfouri Abrão m.abrao@terra.com.br 
São Paulo 

*

A HISTÓRIA SE REPETE

O massacre sistemático de civis palestinos, cometido por judeus em Gaza, nos lembra o que os nazistas faziam contra eles durante a 2.ª Guerra Mundial. É a Solução Final! 

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br 
São Paulo

*

DIREITO DE DEFESA
 
O velho mantra de Israel: “direito de defesa”. E os palestinos? Massacrados e expulsos (duas vezes) de suas terras ancestrais, vítimas de um Estado sem fronteiras definidas, que pratica ocupação colonial há décadas, com destruição de casas e plantações, morte de inocentes, prisões sem culpa formada. Se o Estado judeu não permite que tenham Forças Armadas regulares, estes exercem seu legítimo direito de resistência (Assembleia-Geral da ONU, 1965) com aquilo que está a seu alcance: pedras, foguetes, mísseis. Hamas terrorista? Maquis, partisans e combatentes de guetos também eram chamados de terroristas pelo nazismo. O câncer da região é a maldita ocupação. Desocupe, Israel! Chega de ser um Estado pária! O tempo é o seu pior inimigo. 

Mauro Fadul Kurban maurofkb@gmail.com
São Paulo

*

LIBERDADE

Os que não compreendem por que os palestinos em Gaza insistem, apesar do massacre diário, em terminar a “carceragem” imposta há anos antes de aceitar o cessar fogo, devem ler o que Jimmy Carter escreveu sobre as condições inumanas de vida neste maior “prisão a céu aberto do mundo”. Não é admissível punir um povo inteiro por querer a coisa mais básica da vida, sua liberdade!

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com
São Paulo

*

FOGUETES CONTRA ISRAEL

Considerando que os foguetes do Hamas nunca acertam nada, mas servem de escudo a justificar todas as atrocidades cometidas por Israel, com certeza o Hamas é um braço do serviço secreto de Israel, e com essa conversa mole o Estado de Israel, que na verdade não era nem para existir, vai anexando um pedacinho aqui, um território ali, enquanto o mundo se cala. A verdade é que quem financia todo este massacre não é nenhum governo, mas os judeus do mundo todo, então vamos protestar no bolso deles, identificando as empresas que eles controlam e mudar nossos fornecedores de bens e serviços. Se eles têm um ponto fraco, com certeza é o bolso. Da minha parte, já comecei cancelando minha assinatura deste jornal. Pode não fazer diferença alguma, ou talvez eu possa estar salvando a vida de imã criança palestina. Reflitam.

Marco Sredoja anjo43@icloud.com 
São Paulo

*

HISTÓRIA CONTADA

O “Estadão” dá sempre mostras de por que é o mais admirado meio de comunicação do Brasil. Quem quiser entender o conflito Israel-Palestina e suas origens, leia artigo publicado no domingo, do americano professor Rashid Khalidi (“Punição coletiva”, 3/8, E8). Ali está a história que os israelenses, americanos e grande parte da imprensa não contam.

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com 
Vinhedo

*

O SOFRIMENTO PALESTINO

Leio com extrema tristeza sobre os horrores que atingem os inocentes do conflito no Oriente Médio e, em especial, os da Faixa de Gaza. Sei que outros judeus, como eu, e muitos israelenses estão igualmente mortificados. Nunca fomos um povo agressivo. Toda nossa energia costuma ser canalizada para a vida, e não para a morte. Há uma frase atribuída a Golda Meir que diz: “Poderia perdoar os árabes por matar nossos filhos, mas não poderia perdoá-los por nos obrigar a matar os seus filhos”. Como o Hamas permite que isso aconteça com o seu povo? Eles não se condoem vendo tanto sofrimento? Como se sentem os palestinos ao ver os israelenses sendo protegidos pelo seu Estado, enquanto seu governo investe todo o seu dinheiro na construção de túneis para destruir Israel, e usa sua própria população como bucha de canhão? Não estou escrevendo para defender Israel. Sou brasileira e não posso dizer o que faria se fosse governante daquele país. Aprendi (não me acostumei) que os judeus serão sempre demonizados. Certos ou não. Não é, portanto, uma questão de discutir aqui quem tem razão. A pergunta que repito, em outras palavras, é: como um pai deixa seu filho apanhar até a morte, sendo ou não ele culpado pela briga?

Evelina Holender eveholender@hotmail.com    
São Paulo

*

EM BUSCA DE PAZ

O primeiro-ministro de Israel agradeceu aos Estados Unidos pois recebeu mais armas para matar mais palestinos. Contudo, o verdadeiro terrorismo é apropriação de terras palestinas para criar mais assentamentos. O grupo Hamas luta pela criação do Estado Palestino, bem como pela vida sub-humana imposta por Israel em Gaza. Acabar com o apossamento de terras palestinas e a criação do Estado Palestino são o ponto-chave. O turismo nesta região está acabando. Queremos a paz.

Jorge Mema Bernaba jorgebernaba@gmail.com 
Araçatuba

*

DESARMAMENTO

Com certeza há a boa vontade do primeiro-ministro de Israel em desarmar o Hamas com o menor número possível de baixas civis para depois congelar os assentamentos na Cisjordânia e, enfim, abrir sérias negociações para a criação de um Estado Palestino com seus pares moderados. Quem acusa Israel de massacrar os palestinos nos atuais confrontos e de má vontade nas negociações não passa de uns detratores.

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br 
Marília 

*

O BRASIL E O HAMAS

Brasil amigo do Hamas? Pasmem, é o que afirma Dajany, do Hamas: Dilma, ao ter-se manifestado unilateralmente apoiando os palestinos de Gaza, fez com que o Brasil esteja sendo considerado como novo amigo em potencial do Hamas. A guerrilha e o terrorismo estão no DNA de alguns dos nossos atuais governantes?

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br 
São Paulo

*

NÃO ACEITAMOS AFRONTA

O território da Palestina não é reconhecido como uma nação porque não possui os ingredientes básicos para tal (território demarcado, língua e soberania política). Porque os palestinos odeiam os judeus com tamanho ódio que parecem descendentes das hordas de Nabucodonosor, implacável na escravização da futura nação israelita. No episódio bufo protagonizado pela ministério do Exterior, o Brasil recebeu como resposta um visto no seu passaporte para o reino de Liliput. Por que o Brasil se coloca contra os judeus? Porque os judeus representam tudo o que há de progresso, de total liberdade democrática, ascendendo no cenário mundial como um potência de Primeiro Mundo. As mais recentes atuações desse Ministério deixam de bruços na sepultura o Barão do Rio Branco e o grande Oswaldo Aranha, antípodas deste ministro top-top e “sub do sub do sub do sub”. Parodiando a inesquecível Aracy de Almeida: “O nosso povo não quer afrontar ninguém, mas não aceita afronta também”.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*

DIPLOMACIA BRASILEIRA

Depois de consulta relâmpago, a governanta Dilma Rousseff já manda de volta o embaixador do Brasil em Tel-Aviv para o meio dos tubarões, por acreditar que o recado já está dado. Agora o pessoal em Tel-Aviv deve estar a se borrar de medo.
 
Antonio Cavalcanti da Matta Ribeiro antoniodamatta@ig.com.br 
São José dos Campos

*

EMBAIXADOR DE VOLTA

Se Nelson Ned fosse vivo, será que o senhor Marco Aurélio Garcia aproveitaria a oportunidade para nomeá-lo embaixador em Israel?

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*

O DESAFIO DA PAZ

A convivência entre judeus e palestinos pelo Brasil afora por certo é pacífica. E isso acontece em muitos outros países. Por que não se empreende uma campanha mundial para que definitivamente seja reconhecido o Estado Palestino, o que pode proporcionar o fim da beligerância, da violência e das mortes naquela região? A paz é um grande desafio, que precisa ser enfrentado antes que seja tarde.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*

BANDEIRA DA PAZ

A ONU e o mundo inteiro reclamam, protestam e choram as mortes em Gaza, inclusive o Brasil. Por que Brasil, Turquia, Egito e países árabes não formam uma forca de paz com o apoio da ONU e mandam tropas a Gaza para impedir ataques a Israel? Por outro lado, por que Estados Unidos e Europa, em paralelo, não mandam suas tropas para Israel a impedir ataques a Gaza? Por que o Brasil não levanta essa bandeira da paz, ao invés de só assistir e reclamar?

David Volyk davidvolyk@hotmail.com
São Paulo

*

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Terminou em 2/8/2014 o prazo para que municípios se adequassem à lei que regulamenta os lixões, e mais de 60% dos municípios do País não conseguiram nem estudar um programa para viabilizá-la. Para quem vive nos grandes centros e tem consciência ambiental, parece ultrajante. Mas, se olharmos a fundo a realidade brasileira, tem lógica, já que em grande parte do Norte e do Nordeste brasileirinhos desconhecem até como funciona um banheiro convencional, com chuveiro, pia e privada, utilizando até hoje o mato, como o fizeram nossos desbravadores há 500 anos. Como exigir de seus prefeitos que o lixão deveria ter todas as condições para não poluir rios, nascentes e lençol freático, se até hoje utilizam suas cisternas ao lado de seus banheiros ao ar livre? Falta educação básica antes da ambiental. Ou não falta?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*

A FÉ MOVE MONTANHAS

Segundo os apóstolos de Jesus Cristo, a frase acima é de sua autoria e, claro, não foi dita no sentido literal, mas no sentido figurado. Ela me ocorreu ao ler a manchete do “Estadão” de domingo, no caderno “Metrópole”, a saber: “MP investiga se terra contaminada da USP Leste veio do Templo de Salomão” – aquele erguido pela Igreja Universal na congestionada Avenida Celso Garcia, desrespeitando praticamente todas as normas municipais que regem as edificações em São Paulo. Se não bastassem as maracutaias já desvendadas, agora a citada igreja é suspeita de cometer crime ambiental – e, pior, contra uma unidade da USP, que obrigou a desativação daquela unidade e a transferência de seus estudantes por vários locais da cidade. No caso, a fé removeu entulho contaminado. Não é preciso raciocinar muito para concluir que o templo localizado na acanhada avenida, de grande importância para a população da zona leste, vai causar um impacto de tal monta no trânsito que será de difícil solução. Também no mesmo caderno ficamos sabendo que o corredor de ônibus que será implantado naquela avenida vai ter de desviar do templo, enquanto os seus vizinhos serão desapropriados. Eis, em minha opinião, mais um passa-moleque da igreja. Os projetos de corredores de ônibus para São Paulo estão previstos há anos e certamente o da Avenida Celso Garcia também. Para ter uma ideia, o corredor Santo Amaro-Bandeira foi inaugurado em 1987. Então, como pode o Departamento de Aprovação autorizar a “reforminha” solicitada pela Igreja Universal naquela avenida, além das ilegalidades já apontadas? Se confirmada a suspeita do Ministério Público sobre a terra contaminada no terreno “santo”, seria o caso de simplesmente a Prefeitura ordenar a demolição daquela igreja. Mas isso jamais irá acontecer, não neste país e muito menos neste governo. Mas é o que bastaria para que aqueles que se acham acima das leis parassem de tripudiá-las.
 
Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo
    
*

AUMENTO DOS ROUBOS EM SP

“Roubo a pedestre aumenta em SP” (3/8, A22). Mais um sinal forte de que o crime organizado está atrelado a partidos políticos, como um braço armado terceirizado para praticar o terror contra a população, com objetivos eleitorais disfarçados de crime comum. Pois os crimes vão mudando sistematicamente e são estudados conforme a conveniência política do momento, muito perceptível a partir de 2006.
  
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com 
São Paulo

*

‘ATIVISTAS, MILITANTES E CRIMINOSOS’

Excelente o artigo do professor Carlos Alberto Di Franco (“Ativistas, militantes e criminosos”, 4/8, A2). O avanço autoritário em curso no País é assustador. A violência, como método para alcançar o poder, avança e os governantes nada fazem para estabelecer a ordem e proteger os cidadãos de bem. Pior, ainda há aqueles, como o prefeito Fernando Haddad, que acolhem os vândalos seguidores do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e lhe fazem concessões. Parte relevante da imprensa, em particular as TVs, por outro lado, “criminaliza” a polícia quando faz seu trabalho e aceita tudo dos black blocs e quetais. A cobertura dada à capitã Gancho (vulgo Sininho) é quase que a de uma heroína.
 
Roberto Cintra roberto.cintra@uol.com.br    
São Paulo

*

CRIMINOSOS OFICIAIS

O editorial “Um sino de várias notas” (3/8, A3) mostra que a ativista Elisa Sanzi apenas segue a cartilha oficial da Comissão da Verdade, que enxerga crimes nos atos dos agentes do governo no regime militar, enquanto os criminosos das organizações terroristas são tidos como inimputáveis por terem pretensamente agido por motivações ideológicas, tudo na mesma linha das alegações do PT na defesa dos mensaleiros.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@ig.com.br  
São Paulo

*

SININHO

Esta Sininho, claramente, tem um raciocínio rachado, daí o sim decepcionante. Caso de tratamento.
 
André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com  
São Paulo

*

TRAGÉDIA ANUNCIADA
 
Um menino de 11 anos teve um braço amputado após ser atacado por um tigre, no Zoológico de Cascavel, no Paraná, na tarde da última quarta-feira. Segundo testemunhas, a criança ultrapassou a grade de segurança da área onde estava o felino. O menino, que mora em São Paulo, estava em Cascavel para passar as férias com o pai. Para que a tragédia não se repita, a área de risco deve ser protegida de tal forma que seja impossível a aproximação de qualquer pessoa, seja adulto ou criança, independentemente de fiscalização da segurança, porque o acidente ocorrido em Cascavel pode repetir-se em qualquer outro zoológico.
 
Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net
São Paulo 

*

CORRIDA DO MILHÃO

Espetacular, emocionante. Mais uma vez, a Corrida do Milhão foi espetacular. A prova trocou Interlagos por Goiânia em 2014, mas, pelo terceiro ano seguido, teve um desfecho imprevisível e terminou com um feito inédito na Stock Car: a primeira vitória de Rubens Barrichello na principal categoria do automobilismo brasileiro. O milhão é de nosso Rubinho, que mais GPs disputou no Mundial de F-1. E não foi qualquer vitória. Ele merece!

José Ribamar Pinheiro Filho pinheirinhosb@gmail.com
Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.