Fórum dos Leitores

PETROBRÁS/PASADENA

O Estado de S.Paulo

22 Agosto 2014 | 02h05

Manobras suspeitas

Diz o velho ditado popular que quem não deve nada tem a temer. Mas assim que tomam rumo as investigações sobre o nefasto negócio da compra da refinaria de Pasadena, o que fazem a presidente da Petrobrás, Graça Foster, e o ex-diretor da Área Internacional Nestor Cerveró? Transferem bens para o nome de seus filhos. Fica evidente que essa manobra é muito suspeita, pois libera tais bens de eventual confisco. Se houve lisura e se o negócio beneficiou o Brasil, como ambos não se cansaram de proclamar, qual o motivo, então, dessa manobra estranha e suspeita? Com a palavra o ministro-relator do Tribunal de Contas da União (TCU), José Jorge. O prejuízo para o erário foi astronômico, atingindo a cifra de US$ 792 milhões, e a exigência de uma investigação rigorosa é prioridade. Doa a quem doer.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Informações privilegiadas

Como cidadãos comuns, gostaríamos de saber quem informou com antecedência à sra. Graça Foster que os seus bens seriam bloqueados, para que ela os transferisse aos filhos às vésperas da decisão. E se Graça Foster, como diz, não tem culpa na famosa transação da refinaria de Pasadena, que causou bilhões de prejuízo ao País, por que ela teria tomado tal atitude?

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Estarrecimento

E a presidente Dilma Rousseff? Se ela achou "estarrecedor" o episódio do questionário de Graça Foster na CPI da Petrobrás, perguntamos se acha o mesmo sobre as doações dessa senhora - de seus imóveis no Rio - aos filhos e também as do sr. Nestor Cerveró, ficando ambos com o usufruto. E então, sra. Dilma?

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

Interpretação

Temer não vê ilegalidade na doação de bens de Graça Foster, mas não podemos deixar de interpretar o ato como constrição por culpa não assumida.

CARLOS LEONEL IMENES

leonelzucaimenes@gmail.com

São Paulo

Fraude à execução

O que a presidente da Petrobrás, Graça Foster, e o ex-diretor da Área Internacional da petroleira Nestor Cerveró fizeram ao transferir seus bens imóveis para familiares, esse ato em Direito Civil denomina-se "fraude à execução". Agora, em Direito Penal...

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Fuga patrimonial

Talvez a cartilha do lulopetismo contenha o ensinamento de que dirigentes da Petrobrás, desde que façam parte do PT, não precisam responder patrimonialmente pelos atos de má gestão realizados. Isso porque Graça Foster realizou doações patrimoniais, da mesma forma que procedeu Nestor Cerveró, ambos montados no argumento da Advocacia-Geral da União (AGU) de que doação não é fuga patrimonial. É bom que se saiba que a AGU se transformou em órgão judicante, porque existem centenas de decisões de nossos tribunais entendendo que doação de bens a descendentes ou terceiros é fuga de responsabilidade, especialmente se nas proximidades ou na ocorrência de fatos sujeitos a indenizações patrimoniais. Certamente alguns acionistas vão ingressar com a ação popular competente para salvaguardar o patrimônio da petroleira, como prevenção nos casos de Pasadena e similares.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

EMBRAPA

Os novos desafios

Com reconhecido bom senso e singular experiência profissional, Eliseu Alves e Zander Navarro chamam a atenção para os novos desafios da Embrapa (20/8, A2) - empresa que levou o Brasil à posição de campeão em produtividade agrícola e tanto ajudou o País a exportar e reduzir o preço dos alimentos. Dentre eles, despertou minha atenção o ativismo dos agroecologistas que, em nome da defesa do meio ambiente e com postura pseudocientífica, são contra a modernização da nossa agricultura. Neste tempo de eleições, temos de ficar espertos. Não se pode jogar por terra o trabalho comprovadamente bem-sucedido da Embrapa ao longo dos últimos 40 anos.

JOSÉ PASTORE, professor da USP

j.pastore@uol.com.br

São Paulo

MARINA SILVA

Em rota de colisão

Mal sepultaram Eduardo Campos e Marina Silva já se indispôs com Carlos Siqueira, fiel escudeiro do ex-governador e cacique do PSB. Se já no início da retomada da campanha Marina entrou em rota de colisão com os integrantes do partido que aceitou gentilmente servir-lhe como barriga de aluguel (PSB), imaginem o que acontecerá se for eleita.

FREDERICO D'AVILA

fredericobdavila@hotmail.com

Buri

Dinamitando pontes

Parece-me que o "novo" de Marina Silva não nos vai levar a lugar algum. Sob a pretensão de não praticar a política nos seus moldes atuais, que julga comprometidos, ela começa detonando possíveis alianças futuras, que poderiam facilitar uma vitória e, em especial, o exercício do mandato, caso eleita. A não ser que Marina se fie na democracia direta - uma vez que já se teria manifestado favorável aos conselhos populares decretados por Dilma Rousseff e ainda não derrubados pelo Congresso Nacional.

SANDRA DE OLIVEIRA BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Navio fazendo água

Gostaria de saber qual é o planeta em que vive a candidata Marina Silva. O navio está fazendo água e essa senhora está preocupada com a cor do guardanapo do restaurante...?! Foi surpreendente e decepcionante a sua agressividade com o agronegócio. Estamos em emergência, dona Marina!

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Ambientalista irascível

A recusa de Marina Silva em apoiar Geraldo Alckmin revela a sua verdadeira personalidade.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Guinada à esquerda

Luiza Erundina quer uma guinada à esquerda! Cuidado, Marina, quem tem uma amiga assim não precisa de inimigos.

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

ggveiga@outlook.com

São Paulo

Cartas selecionadas para ­­o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A CAMPANHA DO PSB

Nenhuma novidade o coordenador-geral de campanha do PSB, Carlos Siqueira, deixar o cargo reclamando de que Marina Silva quer mandar no partido e dizendo que ela não representa o legado de Eduardo Campos. Este, quando vivo, vinha pisando em ovos, quase desistindo, mas conseguia segurar o tranco. Porque uma coisa é Marina Silva candidata a vice em partido emprestado. Outra muito diferente é candidata a presidente, sentindo o partido em suas mãos. Não nos esqueçamos de que ela vem pulando de partido em partido, deixando dissabores e truculências pelo caminho. A aparência frágil da candidata é tão aparente quanto a da atual “presidenta gerenta Dilma”. Uma vez no comando, não ouve ninguém, faz o que dá na telha e menospreza oportunidades. Ambientalista não difere em nada de fanático religioso: todos se sentem ungidos e escolhidos por Deus. Mas, quando necessitam viver no mundo real, dá no que dá. O problema não estaria em aprender a aceitar divergências e opiniões?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*

MAU RITMO

Marina está tendo uma postura totalmente errada da política ao tentar aplicar seu conceito, e acaba afastando os partidos coligados ao ou integrantes do seu, que, com certeza, lhe trarão prejuízos. Ou ela entra com postura de política ou não chegará a nada. Nesse ritmo não será a opção que muitos esperavam.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*

NÃO SE GOVERNA SOZINHO

A “Rainha do Candango” expulsou o coordenador de campanha Carlos Siqueira (cometendo, segundo ele, uma tremenda grosseria), não dividirá palanques acertados anteriormente por Campos (SP, PR e RJ) e o PSL saiu da coligação – fora as incoerências de sua plataforma. Lembrei-me de Jânio e de Collor, que tentaram governar sozinhos. Pelo jeito vai ser um salve-se quem puder, se for eleita.
 
José Roberto Palma palmapai@ig.com.br
São Paulo 

*

SITUAÇÃO CONFUSA

A definição do nome que será o vice mostra uma situação que por certo vai ter influência no andamento da campanha da candidata Marina Silva. Como está sendo divulgado, o deputado federal Beto Albuquerque, este o indicado, recebeu na campanha para deputado federal doações de uma empresa de defensivos agrícolas, de uma indústria de armas e de uma cervejaria. O estatuto do fracassado Partido Rede vedava tais arrecadações. O assunto não foi avaliado na definição do indicado? E como ficarão os correligionários dela e dele para explicar essa situação aos eleitores?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*

BETO ALBUQUERQUE E O AGRONEGÓCIO

Desconheço qualquer ligação do deputado Beto Albuquerque (PSB/RS) com o agronegócio, tanto que ele nem faz parte da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). A escolha de Albuquerque como vice de Marina Silva não traz qualquer alento ao nosso setor, como enseja matéria da página A6 do “Estadão” de 20/8. Qualquer produtor rural que se preze não se pode deixar seduzir por nenhum aceno de Marina, muito menos de seus correligionários da Rede Sustentabilidade, pois ambos já demonstraram sua intolerância e seu preconceito para conosco, ao desprezar gratuitamente o apoio do deputado Ronaldo Caiado (DEM/GO), que já havia antecipado seu apoio pessoal a Eduardo Campos em novembro de 2013. Para quem não sabe, Marina Silva qualificou o deputado goiano e legítimo defensor do agronegócio como retrógrado e inimigo dos ideais da sua cartilha clorofilada. Produtores rurais de todo o Brasil, unamo-nos em torno de candidatos ao Legislativo comprometidos com o homem do campo e com o único setor responsável pelo saldo positivo da balança comercial brasileira.

Frederico D’Ávila, produtor rural fredericobdavila@hotmail.com 
Buri

*

MAIS DO MESMO

Sobre o semblante da candidata Marina Silva, que nos remete aos primórdios do PT quando a marca registrada daquele era a postura de iluministas que "passavam" a imagem de que iriam consertar tudo de errado e acabar com toda a corrupção existente, tenho as seguintes indagações: 1) em São Paulo, ela credenciou como seu escudeiro-mor o sr. Valter Feldman, que a imprensa noticia ser um deputado licenciado (de que partido e remunerado por quem?); 2) ainda quanto ao prestigiadíssimo senhor, uma questão levantada à época pelo então candidato Fernando Haddad, em entrevista à Rádio CBN, espantado pelo fato de o deputado federal (por São Paulo) ter passado um ano em Londres à custa da Prefeitura de São Paulo (sr. Kassab) a fim de: observar a Olimpíada de Londres tendo em vista a Olimpíada no Rio de Janeiro em 2016 (sic). Ficou subentendido que o sr. Haddad iria promover o reembolso da Prefeitura e nunca mais se falou no assunto. Tem como saber como ficou? 

Marcelo Falsetti Cabral mfalsetti2002@yahoo.com.br 
São Paulo

*

INEXPERIÊNCIA?

Curioso o núcleo do governo federal dizer que falta a Marina Silva experiência. O que dizer, então, de Lula, que nunca trabalhou e mesmo assim perdeu um dedo da mão? Se tivesse trabalhado, penso que estaria cego e numa cadeira de rodas. E de Dilma, que, quando resolveu ser empresária, faliu? E vem se esforçando para repetir essa façanha com o Brasil. Já levou à falência a Petrobrás e a Eletrobrás e ainda assim o povo lhe agraciou com mandatos. E Dilma ainda é a favorita a um novo mandato. Pelé é que tem razão.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com 
Rio de Janeiro

*

APOIO A MARINA

Marina, morena, você me encantou. Não deixe, Marina, que os oportunistas de sempre se juntem a você, por favor. Caminhe, Marina, vamos em frente, com todo o seu fervor. Marina, morena, o nosso povo despertou.

Nivaldo Ribeiro Santos nivasan1928@gmail.com
São Paulo

*

ENTREVISTA COM DILMA ROUSSEFF

A propósito da entrevista da "presidenta" dada ao “Jornal Nacional”, da Rede Globo, no dia 18 deste mês, nas dependências do Palácio da Alvorada, observo que a igualdade de condições entre os candidatos não foi respeitada. Eduardo Campos e Aécio Neves sentaram-se à bancada daquele noticiário, e não em suas residências ou escritórios. Destaque-se que Dilma Rousseff compareceu à entrevista como candidata à reeleição, e não como presidente da República. Obrigatoriamente, essa candidata deveria ter-se sentado à mesma bancada. Só esse fato demonstra que ela não sabe separar o cargo que ocupa da sua candidatura.
 
Antonio C. Marcondes Machado acmm.advocacia@uol.com.br
São Paulo

*

CHINFRIM

Confesso que há muito tempo já não tenho mais paciência e muito menos saúde para ouvir não só os equívocos ao dizer como seus obras e projetos de outro governante, como os absurdos ditos pela presidente Dilma, e por isso mudei de canal tão logo começou a sua entrevista no “Jornal Nacional” esta semana. E, pelo editorial de quarta-feira (“A presidente no sufoco”, 20/8, A3) e as cartas de vários leitores no “Fórum” do “Estadão”, constatei que nada perdi, e até ganhei. Como bem disse o leitor sr. Paulo Panossian, a situação da Petrobrás, as obras da Refinaria Abreu e Lima, os “heróis” do mensalão e a transposição do Rio São Francisco não foram questões abordadas claramente. E, ainda segundo o citado leitor, Dilma teve a cara de pau de dizer que a economia e a saúde vão bem. Mas tenho alguns comentários a acrescentar ao que foi dito neste jornal. Primeiro, não concordo em que ela tenha o privilégio de receber os jornalistas no Palácio da Alvorada, pois, se é entrevistada como candidata, deve seguir as regras dos demais candidatos. Tanto que ela conseguiu se impor e responder só ao que lhe interessava. Ora, afinal de contas, a presidente, em época de campanha, tem comparecido a eventos totalmente descabidos para uma presidente da República, como indiscutível tática de sua campanha eleitoral. Portanto, deveria ter comparecido aos estúdios da TV Globo, a exemplo de seus concorrentes. Também assiste razão ao editorial do jornal ao salientar que, se a entrevista tivesse sido nos estúdios da Globo, como ocorreu com os candidatos Aécio Neves e o então e já saudoso Eduardo Campos, os âncoras do jornal com certeza teriam tido outra postura. Foi, enfim, uma entrevista chinfrim. Ao mudar de canal, livrei-me de passar mal, afinal estou hipertenso.
 
Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*

DILMA NA TV

Usar o palácio presidencial para dar uma entrevista a um jornal televisivo pode? Cadê o Tribunal Superior Eleitoral (TSE)? Todos os outros candidatos vão à sede da emissora, no Rio de Janeiro ou em São Paulo, por seus próprios meios. Por que a TV Globo teve de mandar os jornalistas ao Palácio da Alvorada? Qual é a explicação para tal deferência? 

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br 
São Paulo

*

PETROBRÁS TALVEZ SEM GRAÇA

Notícia bombástica do “O Globo” fez suspender a decisão que seria tomada na quarta-feira (20/8) pelo Tribunal de Contas da União (TCU), de possível bloqueio dos bens da presidente da Petrobrás, Graça Foster, em razão da nebulosa compra da Refinaria de Pasadena pela estatal brasileira. Tudo está devidamente comprovado, conforme registros em cartório obtidos pelo jornal: Graça Foster transferiu para parentes, em 20/3/2014, dois imóveis e outro em 9/4/2014. O ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró também transferiu parte de seus bens para familiares (dois apartamentos) antes de o TCU incluí-lo, como ocorreu em 23 de julho, entre os nove dirigentes da estatal responsabilizados pela operação Pasadena.  Prudentemente, o TCU, de posse dessa informação, suspendeu sua decisão de bloquear ou não os bens da presidente da Petrobrás, até que se confirme um possível ato de má-fé pela transferência dos citados bens. Ou seja, por si só essa notícia é um fato contundente para que Graça Foster seja demitida da estatal, porque também está sendo investigada pelo prejuízo de R$ 792,3 milhões sofrido pela Petrobrás na compra escandalosa de Pasadena. Uma triste conclusão: jorram mais aloprados nesta era petista do que petróleo no pré-sal.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*

PERDA DE CONFIANÇA

Os acionistas minoritários estão perplexos com a atitude da sra. Graça Foster, presidente da Petrobrás, de doar imóveis de sua propriedade a seus parentes, evitando, assim, o bloqueio desses bens pelo TCU no caso Pasadena. A única atitude que esperamos é seu pedido de demissão, uma vez que esta sra. perdeu nossa confiança.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br
São Paulo

*

MALANDROS

A malandragem de Graça Foster e Nestor Cerveró, de doarem imóveis a parentes após estourar o escândalo da compra da Refinaria de Pasadena, por saberem que teriam os seus bens tornados indisponíveis pelo Tribunal de Contas da União e, com isso, escaparem de perder esse patrimônio, mostra bem o caráter que têm e que deveria impedir que exercessem qualquer cargo público em nosso país. Para que o Brasil seja considerado com seriedade e para evitar que outros gestores de bens públicos cometam deslizes como este da compra de Pasadena, esses golpes aplicados pelos dois malandros deveriam ser anulados na forma da lei, além de receberem devidas punições pela sua tentativa de enganar a Justiça.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro 

*

BOM PARTIDO?

Alô, amigo! Se você tem algum filho ou filha em idade casadoira, apresente-os aos herdeiros dos Cerveró, e não dos Foster. Os primeiros possuem imóveis bem mais valorizados, em Ipanema/Leblon, zona sul do Rio, com todo o respeito que os aprazíveis bairros da Ilha do Governador e do Rio Comprido, na zona norte do balneário de São Sebastião do Rio de Janeiro, merecem. Além disso, pelo que foi divulgado, os herdeiros dos Foster são muito desunidos, brigam muito. Me engana que eu gosto! Ou cadê o meu nariz de palhaço?

Marco A. Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 
Rio de Janeiro

*

DOAÇÃO

Até que dona Graça poderia se lembrar de mim e me doar uma casinha lá na praia de Búzios. Ficaria eternamente grato.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*

AFASTAMENTO

Aproveitando o "erro" do Tribunal de Contas da União, que se "esqueceu" de decretar o bloqueio de seus bens por conta do prejuízo causado pelo escândalo de Pasadena, a presidente da Petrobrás transferiu seus bens para seus filhos. Qualquer pessoa de bom senso enxergaria essa manobra como uma tentativa de escapar de uma eventual punição e da perda dos bens na conclusão do processo. A presidente da Petrobrás deveria ser imediatamente afastada de seu cargo, que lhe confere enorme poder de alterar provas no escândalo em que está sendo investigada. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*

LEILÃO ANULADO

Lamentável a decisão – mais uma – do ministro Luiz Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulando o leilão dos bens dos condenados no escândalo do mensalão, antes determinado pelo ex-presidente do STF Joaquim Barbosa. Entre os beneficiados estão o corrupto Marcos Valério, responsável pelo desvio de milhões de reais dos cofres públicos. Decisões como essa fazem com que a sociedade brasileira não acredite na Justiça, pois não há punição para os corruptos ricos e poderosos. O ministro Barroso marcou mais um gol contra e é uma enorme decepção. Esperávamos que ele fosse um jurista progressista e que tivesse o espírito público e republicano. Ledo engano. Viva a impunidade no Brasil!
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*

UM ENTULHO DE LEIS

Realmente este país está precisando, urgentemente, ser passado a limpo e mudar suas leis e estruturas do Judiciário. O ex-presidente do STF ministro Joaquim Barbosa bloqueou os bens de Marcos Valério, envolvido na Ação Penal 470, dos "mensaleiros". O bloqueio era para garantir o ressarcimento do prejuízo aos cofres públicos, por meio de leilão. O ministro Luis Barroso anulou a decisão por entender que a decisão cabe ao juiz responsável pela Vara de Execuções Penais. Marcos Valério foi multado em R$ 4,4 milhões e não tinha como pagar a multa, então se decretou o leilão dos bens, já que estavam bloqueados. Medida lógica e correta. Agora, com a decisão contrária do ministro Barroso, os bens estão liberados, podendo ser vendidos. O hilário disso tudo é que Marcos Valério vai pagar a multa com a venda dos bens fruto dos desvios de recursos públicos. Se contar isso no exterior, vão perguntar se é brincadeira ou pegadinha. Ministros do STF e do STJ não podem ser indicados. Têm de ser juízes togados, de carreira. Este país é um entulho de leis, decretos, uns se sobrepondo aos outros, e o País fica ingovernável. Cada um faz o que quer. Isso lembra anarquia.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*

A PRISÃO DE ROGER ABDELMASSIH

As vítimas do ex-doutor Roger Abdelmassih que me perdoem, é justo seu clamor por justiça de, talvez, uma centena de vítimas (não saberia dizer ao certo quantas realmente o foram), mas gostaria de ver a mesma eficiência midiática e das autoridades constituídas em julgar, condenar e resgatar fugitivos de todos os naipes envolvidos nos mais variados escândalos de desvio de verba, de propina, gestão fraudulenta e por aí vai, envolvendo políticos, empreiteiros, banda podre, cidadãos os mais variados que são os verdadeiros canalhas que não sabiam de nada, “não li direito”, “desconhecia a cláusula”, enfim, os verdadeiros sacripantas que cometem os verdadeiros crimes hediondos minando a sociedade e o direito de quem efetivamente trabalha por esta nação, entre eles a falta de educação e atendimento à saúde dignos e segurança por extensão desses seus antecessores. Talvez cuidar dos ç, ss, ch seja mais importante, o que com certeza fará toda a diferença no futuro dos brasileiros – acho que lerão melhor relatórios, cláusulas, etc. Acorda, Brasil, e no dia 5 de outubro dê sua resposta nas urnas. Mas, considerando o andar da carruagem, o gigante está mesmo é anestesiado, ou em coma profundo.

Alexandre Januário Peggion alpejan@gmail.com 
São Paulo

*

O PODER DAS MULHERES

O médico estuprador Abdelmassih declarou que a fuga para o Paraguai foi ideia da mulher dele.  Deputado mandou a mulher receber propina por ele no banco. A "moçoila" do ex-presidente, chefe do escritório da Presidência em São Paulo, viajou por quase todo o mundo, além de ter cometido tráfico de influência, sem que o "namorado" soubesse de coisa alguma. As mulheres estão poderosas. Ou está faltando coragem, decência e hombridade nos companheiros delas? 

Cláudio Eustáquio Duarte claudio_duarte@hotmail.com 
Belo Horizonte 

*

DEFENSOR

Em um mês, no máximo, Roger Abdelmassih conseguirá prisão domiciliar. Tendo Márcio Thomaz Bastos como advogado de defesa, ele estará garantido, para tomar uísque na beira da piscina da casa dele, e rindo de nós.
 
Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br 
Bragança Paulista

*

MÉDICO E MONSTRO

Segundo o escritor português Albino Forjaz de Sampaio, "a Justiça é uma roda velha que ameaça ruína a cada instante". No que se refere ao seu funcionamento, o dinheiro é o azeite que faz essa roda se movimentar. O estuprador de 52 mulheres, médico Roger Abdelmassih, fora condenado a 278 anos de prisão, tendo sido detido nessa ocasião. O presidente do STF na época, ministro Gilmar Mendes, concedeu habeas corpus ao médico cassado. Diante das denúncias das vítimas, houve estranheza no ato do ministro, pois os crimes cometidos pelo então médico poderiam ser enquadrados como hediondos. De posse do habeas corpus, o doutor Roger tratou de escafeder-se do Brasil, fixando residência no vizinho Paraguai, onde ostentava credenciais de alta personalidade. Estranho também é o fato de Abdelmassih estar foragido do Brasil desde 2011 e só agora, depois de três anos, ter sido capturado. Entre as concessões do ministro Gilmar Mendes constam a de Cristine Maris Meirick, envolvida no sumiço de um processo contra a Globo, e um habeas corpus concedido a Daniel Dantas, preso em 2008 na Operação Satiagraha. Em maio de 2010, a ministra Ellen Gracie havia negado habeas corpus ao violador de mulheres.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*

A ESPOSA

No caso do monstro médico Roger Abdelmassih, uma coisa é decepcionante e deve ser investigada detalhadamente para que se possa punir: a atitude de sua mulher, uma procuradora da República, que fugiu junto, sabia das atrocidades cometidas pelo marido e, como mulher e procuradora, deve saber muito bem que este é crime dos mais inaceitáveis contra as mulheres. 

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com 
Casa Branca

*

FUGITIVOS

Falando em Roger Abdelmassih, o médico e monstro, por onde anda Henrique Pizzolato, o defunto e vivo? Parabéns aos policiais.
 
Tania Tavares taniatma@hotmail.com 
São Paulo

*

COMPETÊNCIA E INTELIGÊNCIA

Cumprimentos ao Ministério Público de São Paulo, à Polícia Federal e à Civil pelo cuidadoso e minucioso trabalho de investigação que levou, após três anos, à descoberta do paradeiro, captura e prisão do "médico" Roger Abdelmassih no Paraguai. Alguns meses após a localização e detenção do mensaleiro condenado Henrique Pizzolato, na Itália, a Polícia Federal dá mais uma demonstração de competência de seu sistema de inteligência e de sua capacidade de ir atrás e deter, seja lá quem for e onde estiver, os bandidos e criminosos foragidos da Justiça. Bravo!

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*

A PERGUNTA

O cidadão José da Silva que, hipoteticamente, estupra a dona Maria da Conceição no subúrbio de Parelheiros e pega uma pena de 15 anos de cadeia, também tem o direito de recorrer em liberdade, como o cidadão Roger Abdelmassih teve, depois de ser condenado a 278 anos de cadeia por 48 crimes do mesmo tipo? Esse prejuízo devido a uma avaliação errônea do STF e que custou três anos de investigação da Polícia Federal, cujo custo saiu do meu, do seu, do nosso bolso, não deveria ser ressarcido aos cofres públicos pelo ministro que permitiu que um legítimo representante da elite bandida se escafedesse?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br
São Paulo

*

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS

A sociedade tem critérios casuais para eleger seus criminosos. Enquanto o ex-médico Abdelmassih foi condenado a 278 anos de prisão por ter estuprado 37 mulheres, jamais soube, dentre centenas de padres pedófilos, que um sequer destes infames tenha sido condenado a 278 anos por esses crimes infinitamente mais bestiais que vêm sendo perpetrados há muitos anos, sistematicamente, contra crianças de 5, 6, 7 anos.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com
Campinas

*

COMBATE AO ABUSO

Em seu artigo “Para ele, vítima não tinha rosto. Temos”, foi muito interessante observar como muitas mulheres se juntaram para combater o ginecologista Roger Abdelmassih, que cometia abusos durante suas consultas. O fato de que o consultório do médico foragido atendia mulheres da classe alta contribui muito para a sua localização, já que recursos financeiros com certeza foram necessários. Mesmo assim, o que fez a diferença neste processo foram a dedicação e as pesquisas intensas feitas pelas vítimas, que não sossegaram até fazerem justiça. Dessa forma, a prisão de Abdelmassih mostrou que as mulheres também são corajosas o suficiente para enfrentar seus agressores, contradizendo a ideia do “sexo frágil”. Deveríamos tomar tal conquista como um exemplo de que nós, mulheres, também somos capazes de lidar com casos de abusos de forma batalhadora e resistente, sem aceitar a intimidação feita por agressores e outros machistas.

Diana Hix Molinari didi.hm@hotmail.com
São Paulo

*

JUSTIÇA

Roger Abdelmassih foi capturado. Vamos ver o tempo que vai levar para obter um novo habeas corpus.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com  
São Paulo

*

UNIVERSIDADES PÚBLICAS PAULISTAS

Que me perdoe Eugenio Bucci (“USP”, 21/8, A2), mas as universidades públicas paulistas viraram reféns da esquerda vadia, que não quer construir nada, mas apenas mentir, roubar e destruir, como é de sua natureza. Enquanto a sociedade não arrancar esses pilantras de lá, não existe diálogo nem futuro para as nossas universidades. Simples assim.

Renato Pires repires@terra.com.br 
Ribeirão Preto

*

UM MUNDO À PARTE

A USP tem envergonhado os paulistas. Greves absurdas todos os anos atrás de vantagens salariais do pessoal administrativo, cujos salários e benefícios custam os olhos da cara a todos nós. Gente em excesso, engajada em seus interesses corporativos, sob as vistas grossas das autoridades, a quem desacatam abertamente. Querem ser um mundo à parte, mas à nossa custa. Isso precisa acabar.

Ademir Valezi adevale@gmail.com 
São Paulo 

*

GREVE DOS PROFESSORES

Sugestão aos professores, para que realmente consigamos saber se a greve é justa ou simplesmente política: publiquem seus holerites na imprensa.
 
Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com
Bauru

*

A VENEZUELA E A ALIMENTAÇÃO

O governo da Venezuela adotará um sistema biométrico para racionar produtos alimentícios, para que as pessoas não comprem o mesmo produto mais do que uma vez por semana, e justifica que assim evitará o desperdício. O ministro responsável, Manuel Fernández, afirma que “o sistema biométrico chegará para colocar em ordem o mecanismo de abastecimento e torná-lo justo”. A medida valerá até para os supermercados particulares. Depois de mais essa medida do governo Maduro/Chávez, esperemos que Dilma/Lula mudem o conceito de que a Venezuela vive uma perfeita democracia. Quanta liberdade existe lá!

Leila E. Leitão
São Paulo

*

CONTENÇÃO VENEZUELANA

Na falta de papel higiênico, raciona-se a comida...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*

O CALOTE ARGENTINO

A mais recente "invenção" da presidente Cristina Kirchner é a de pagar todos os credores de títulos argentinos vencidos, incluídos os dos “abuitres”, no seu próprio país através de banco local e argentino. É mais uma tentativa de burlar a decisão da Justiça dos EUA, de cumprir os contratos pagando o que deve em Nova York, o foro exigido, e na mesma moeda objeto do empréstimo, ou seja, dólares norte-americanos. Todavia, em se tratando de delírio dos "hermanos", não será absurdo alegarem pagar em dólares zimbabuanos – milhares correspondem ao valor de um ovo – mas também chamados dólares, já que em sã consciência ninguém aceitará o peso argentino como moeda de troca. Paralelamente, nosso governo petista estará dando seu apoio a mais um enfrentamento contra o norte desenvolvido, atendendo nossa ridícula política externa, comandada pelo odiento cubanófilo admirador passional dos medíocres e ditadores Marco Aurélio Garcia.
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*

A BARBÁRIE DO ESTADO ISLÂMICO

A barbárie cometida contra o jornalista James Foley e demais vítimas do Estado Islâmico, que pagaram com a própria vida a intolerância desses fanáticos religiosos, se estende a todo ser humano que preza os direitos humanos na sua totalidade e aos que lutam pela democracia. Até quando o mundo se calará e se curvará perante estas bestas-feras, e manterá relações amistosas com os governos que sabidamente apoiam esses movimentos?
 
Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*

VISÃO GLOBAL

Fascinante o artigo no “Estadão” de 20/8 “Uma ameaça à língua de Jesus?”, de Ross Perling e tradução de Celso Paciornik. Uma lição histórica dos primórdios do aramaico e a sua involução quantitativa, menos povos falando, nos remetendo a uma trajetória de nossa expressão falada. "Eli, Eli, lama sabachtani?", que na língua mãe de Jesus: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?". Ele a proferiu segundo o “Evangelho de Mateus”. Maravilhosa leitura cultural, e artigos como este reforçam o jornalismo saudável. Obrigado.

Claudio A. S. Baptista clabap45@gmail.com 
São Paulo  

*

SE...

É de entristecer tomar conhecimento de que a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, de Brasília, será a primeira orquestra brasileira a se apresentar no Carnegie Hall, de Nova York, em 1/12/2014 se, e somente “se”, conseguir vencer os entraves burocráticos e administrativos deste nosso país tropical. Seria um orgulho para a música de concerto brasileira, mas... Pergunta-se: onde está a ministra da Cultura, aquela senhora do "relaxa e goza", que não toma providências?  

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul

*

O CAÓTICO TRÂNSITO PAULISTANO

No site do “Fórum dos Leitores” do “Estadão” de 21/8, a missivista Beatriz Campos escreve esta pérola: “Recuar, admitir erros, também é compatível com um bom administrador. Covarde é aquele que não admite e segue em frente persistindo nos erros”. Essa frase é perfeita no caso da proibição de conversão à esquerda para quem transita pela Rua Heitor Penteado (sentido Lapa) e quer entrar à esquerda na Rua Pereira Leite. Acorda, prefeito!

Roberto Twiaschor  rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo
 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.