Fórum dos Leitores

ELEIÇÃO E CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

16 Setembro 2014 | 02h03

Contradição como norma

Não faz tanto tempo, assistíamos à pregação do petismo para convencer o eleitor de que as "elites" maltratavam os trabalhadores, rejeitavam o projeto do partido político das classes operárias, segregavam seus líderes, etc., só porque integravam categorias menos favorecidas da sociedade. Diziam que empresas públicas pertenciam ao povo, mas eram infiltradas na administração por gente das "elites" para servir aos interesses das classes abastadas, prejudicando os pobres - que mais precisavam das riquezas geradas por empreendimentos de capital público. Agora, após três mandatos presidenciais do petismo, a pregação mudou. Nestas eleições a candidata petista comentou afirmação da concorrente Marina Silva, que denunciou maltrato por ser pobre, negra e evangélica, alegando que "coitadinho não pode ser presidente"... Além disso, o Palácio do Planalto e a Petrobrás hoje estão repletos de "servidores" que entram no sistema de informática para "dar um toque" nos perfis biográficos de jornalistas que divulgam pontos de vista contrários à gestão econômica do governo petista (como Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg), sem falar na mais recente novidade: alguém dos quadros da petroleira "incrementou" o perfil do ex-diretor Paulo Roberto Costa, que deu nome aos bois delatando integrantes da base aliada envolvidos no escândalo da Petrobrás. Antes o perfil oficial dizia que o ex-diretor assumiu o cargo na estatal, em 2004, "por indicação do presidente Lula" e foi alterado para "o ex-diretor da Petrobrás é uma 'cria' do governo tucano de Fernando Henrique Cardoso". Como se vê, as coisas mudaram muito!

LUIZ CARLOS SOARES FERNANDES

luiz68017@gmail.com

São Paulo

Mamata

A Petrobrás deveria encerrar as suas atividades na área petrolífera e ingressar no ramo de leite, pois está mais para vaca leiteira. São políticos, partidos e empresários mamando nessas tetas. Até quando essa vaca ainda vai dar leite? Que me perdoem as vacas pela comparação.

WALTER ANGELO CAROTTI

waltercarotti@yahoo.com.br

Indaiatuba

País da piada pronta

Um grupo tomou de assalto a ex-maior empresa brasileira, a Petrobrás. A despeito de todas as tentativas de impedir uma investigação séria, isenta e completa, aos poucos os esquemas vão sendo identificados e os principais autores e atores, alguns até já estiveram no palco de outras falcatruas, tornam-se conhecidos graças à atuação de um juiz dedicado. Eis que um grupo de políticos, capitaneados por um ex-presidente da República, reúne sindicalistas - que são eternamente gratos a esse ex pelo fato de ter vetado dispositivo que determinava a prestação de contas das verbas recebidas - para realizar um protesto simbólico em defesa da empresa. Reforcem a segurança. Essa turma é perigosa. Seria cômico se não fosse trágico.

MARCO ANTONIO ESTEVES BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

De mentiras e fraudes

Sordidez é o mínimo a dizer sobre a campanha institucional do PT, em chamadas na TV, indicando que a corrupção só foi descoberta graças ao desejo dos petistas de apurar, adicionado à liberdade de ação da Polícia Federal. Tergiversar é uma coisa, mentir sobre fatos para iludir os menos informados e preparados é fraude. Ou a condenação dos ícones petralhas Dirceu, Genoino e Delúbio, entre outros, por corrupção foi obra do acaso? E a gatunagem na Petrobrás sob o nariz da presidente do Conselho de Administração, Dilma Rousseff? E a mais recente, detonada graças à imprensa, com Paulo Roberto Costa (Paulinho para Lula), ora preso e negociando a delação premiada, incluída a transferência espontânea de US$ 23 milhões em contas na Suíça, que se estende com benefícios monetários aos notórios Renan Calheiros, Edison Lobão, Henrique Eduardo Alves e outros de vergonhosa lembrança, apoiadores incondicionais deste nefasto governo? Esse é o PT que pretende governar por mais quatro anos, reconhecidamente a franquia da corrupção que se instalou no Brasil há 12 anos e cujo lema merece ser "ganha dinheiro honestamente se puderes; se não, como puderes"...

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Apenas turistas

Dilma presidente do Conselho da Petrobrás, Lula presidente do País. Paulo Roberto Costa, diretor à época da Petrobrás, leva para a Suíça US$ 23 milhões e Dilma e Lula não sabem de nada. Eles estão só a passeio no poder?

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Mutreta petista

Não gostei nada desse negócio de a CPI convocar Paulo Roberto Costa para depor em Brasília, justamente após sua adesão ao programa de delação premiada. Na minha opinião, a partir de então o réu teria de ficar absolutamente isolado, blindado de qualquer contato externo que pudesse intimidá-lo ou dissuadi-lo.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

CPI da Petrobrás

Os srs. parlamentares já enviaram a lista de perguntas ao sr. Paulo Roberto Costa? Não demorem muito, senão ele não terá tempo de decorar as respostas...

RICARDO DUTRA

rdutra@dutralevi.com.br

São Paulo

CONPRESP

Nova regulamentação

Ao contrário do que afirma a reportagem SP 'descongela' área vizinha de bem tombado e facilita reformas e obras (31/8), o Conpresp não liberou de anuência, de forma geral e irrestrita, intervenções em áreas envoltórias de bens tombados. Em vez da regra genérica que estabelecia uma área envoltória fixa de 300 metros a partir de bens tombados para imóveis tombados até 2013, o Conpresp estabeleceu uma nova regulamentação, que desburocratiza para o munícipe a realização de obras e intervenções em seu imóvel, tornando desnecessária a manifestação do Conselho nestes casos. O respeito à ambiência no entorno dos bens tombados continua mantido, dessa forma não é possível falar em "fim das ilhas de sossego". Nossa intenção é valorizar efetivamente o bem tombado através da definição precisa dos imóveis, desburocratizando a vida dos munícipes.

NADIA SOMEKH, presidente do Conpresp

smcimprensa@prefeitura.sp.gov.br

São Paulo

N. da R. - As oito resoluções do Conpresp publicadas neste ano e citadas na matéria liberam de autorização dos órgãos de patrimônio municipal e estadual as reformas nos imóveis e as novas construções no entorno dos bens tombados (área envoltória de 300 metros). Sobre o "fim das ilhas de sossego", a reportagem apresenta relato de moradores de Higienópolis.

O ARROGANTE MICHEL TEMER

A arrogante e presunçosa declaração do vice-presidente da República, Michel Temer, dizendo que “sem o PMDB não se governa” o Brasil, apenas confirma a triste realidade do sistema presidencialista de coalizão em vigor e a faceta de um partido que não sabe mais ser oposição, interessado que está apenas em fazer parte do governo e gozar as suas benesses, seja ele quem for. Muda, Brasil!

J. S. Decol  decoljs@globo.com 
São Paulo

*
‘SEM PMDB NÃO SE GOVERNA’

Os partidos e seus parceiros loteiam as organizações do Estado (federais, estaduais e municipais), tornando-as ineficazes, ineficientes, perdulárias e prestadoras de serviços públicos precários, e somos obrigados a dar razão ao vice-presidente do Brasil, chefão do PMDB, de que sem ele o Brasil não é governável?

Darcy Andrade de Almeida dalmeida1@uol.com.br 
São Paulo

*
O VICE TEM RAZÃO

Sem o PMDB não se governa, não se rouba e não se leva o País à bancarrota. A estas horas, o corpo do doutor Ulisses Guimarães deve estar se contorcendo na barriga de algum tubarão.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte santo de Minas (MG)

*
NÃO SE GOVERNA DIGNAMENTE

Em entrevista ao “Estadão”, o vice-presidente, Michel Temer, ao mesmo tempo que afirma que, numa possibilidade de vitória de Marina Silva em outubro, o seu partido iria para a oposição, também se mostra arrogante dizendo que “sem o PMDB não se governa”. Seria melhor se dissesse que não se governa com esmero republicano... Mesmo porque o partido do vice-presidente está de cabeça no governo petista há oito anos e o País deixou praticamente de ser governado com dignidade. O PMDB é cúmplice direto também da corrupção instalada neste país, principalmente no caso da Petrobrás, porque, de acordo com os depoimentos do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa à Justiça Federal do Paraná, ele aponta como beneficiários do esquema criminoso vários nomes da cúpula do partidão de Temer, como Edison Lobão, Renan Calheiros, Henrique Eduardo Alves, Sergio Cabral, etc. Se o PMDB tem uma grande bancada de parlamentares nas duas Casas do Congresso, esse número não passa de 15,5% do total. Na realidade, o partido fundado por Ulisses Guimarães e hoje comandado por Temer, não passa atualmente de uma sigla de aluguel. 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
QUEM APOIARÁ MARINA

É interessante observar que há muita gente preocupada com o apoio do Congresso a Marina, se ela vencer as eleições. A menos que ela queira repetir Collor, que foi expulso da Presidência por não ter apoio no Congresso, ocorrerão ali as negociações de sempre. De fato, é uma preocupação importante que os partidos também têm, pelo simples motivo lógico de que eles querem e “precisam” participar do poder, até para sua sobrevivência – desgraça que se pode verificar com os inexpressivos partidos “Nanicos S/A”. Dois dos mais importantes partidos de hoje estão tratando prematuramente dessa questão. Políticos do PSDB já declararam que, perdendo, apoiarão Marina. Isso criou um grupo que queria que Aécio Neves desistisse da campanha. Já o PMDB não é partido que fique fora de um governo. Como o PT era mais nanico e sem quadros de categoria, o PMDB se “espraiou” nos governos petistas, notadamente no período Dilma. Na entrevista com os vices no “Estadão” em 12/9, Temer, o comandante do partido, declarou que o PMDB “será oposição no primeiro momento”. Isso quer dizer que vão negociar a maior legenda no Congresso para a “governabilidade” de Marina. Nesta eleição, o Congresso será renovado em 53%, uma porcentagem bastante elevada levando em consideração que na última eleição foi renovado em 40%. Tomara que melhore! Por último, mas não menos importante, o PT. Os que não estiverem na cadeia ou forem eliminados do Congresso por causa do caso Petrobrás farão uma oposição bastante forte, apoiada por greves, manifestações e tudo o mais que possa perturbar um bom governo. Assim, o eventual governo de Marina Silva poderá dispor de um bom quadro de apoio no Congresso. Até o senador por São Paulo poderá não ser o petista Eduardo Suplicy, substituído pelo tucano José Serra.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo 

*
MAIORIA PARLAMENTAR

O governo federal, na pregação do voto útil, tenta convencer-nos da dificuldade que terá Marina – ou Aécio, que não está fora do jogo – de governar sem maioria parlamentar, certamente por pudores éticos incompatíveis com um mensalão que garanta a tal governabilidade. De todo modo, a gente sabe que o PMDB sempre está à mão apoiando qualquer governo. Se o PT naufragar, Temer vai cuidar de sua banca e todo o resto do PMDB vai aderir sem grandes exigências.

Roberto Maciel rvms@oi.com.br 
Salvador 

*
DITADURA PARTIDÁRIA

Se havia um pingo de esperança no coração daquele brasileiro mais ingênuo, ela se acabou com a declaração do vice, Michel Temer: “Não se governa sem o PMDB”. Esta, sim, é nossa verdadeira herança maldita: atuando no País desde 1964 (MDB), esse partido, aceita em seus quadros todo tipo de gente (canalhas, gente de esquerda, de direita, etc.), enfim, é um partido de ocasião! Ora governo, ora oposição, dependendo da barganha política que envolva poder, cargos, estatais, ministérios, falcatruas, roubos e muita grana. Como dizia Arnaldo Jabor, a canalhada é quem governa e dá aval, seja quem for e de que partido for que se eleja para governar este pobre país. Não nos resta mais esperança, uma vez que somos reféns de uma ditadura partidária obsoleta, feudal, coronelista, corrupta e genealógica. Nenhum estadista, seja ele a pessoa mais honesta, mais patriota e de que o País mais precisa, governa com a canalhada. Pergunto aos brasileiros de boa índole: o que nos resta neste pobre país?
 
Armando Favoretto Junior afjsrf@ig.com.br 
Sao José do Rio Pardo

*
O PARTIDO ACIMA DE TUDO

A atitude do PMDB, por meio de seu presidente, chega a ser antipatriótica. O PMDB é sempre amigo do rei, seja este quem for. O importante é ter as benesses do poder. Enquanto isso, parte da população brasileira continuará bolsa-dependente e a outra parte, pagando pesados impostos.

Emerson Luiz Cury emersoncury@gmail.com 
Itu

*
A VELHA POLÍTICA

O secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que "governar é outra coisa". Deve ser difícil mesmo, pois em 12 anos de poder o PT ainda não aprendeu, e quer mais quatro anos. E o vice-presidente Michel Temer já avisou, "sem o PMDB não se governa". A velha política quer se perpetuar.

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br 
São Paulo

*
DESPERDÍCIO DE TEMPO

Oito anos de desperdício de tempo com o petismo de Lula, mais quatro consumidos com Dilma, e lá se vão 12 anos patinando na lama – e o PT ainda quer mais quatro anos, para acabar de afundar o País, totalizando 16 anos, quase um quarto de geração. O tempo necessário para elevar o nível da Nação e alcançar a dignidade e o prestígio de que o País precisa foi simplesmente investido em bancos de votos como o Bolsa Família e outros arranjos, tal como fazem as ditaduras cubana e venezuelana. Ainda corremos o risco de nos próximos quatro anos termos um governo de pajelança com a quixotesca Marina Silva, que não sabemos de onde veio, para que veio e para onde pretende levar esta nação.

Henoch Dias de Amorim henochamorim@globo.com 
São Paulo

*
A ÉTICA DO PT

Nunca pensei que um dia seria eleitor de Marina Silva, mas serei. É vergonhoso o que esta quadrilha denominada Partido dos Trabalhadores está fazendo com os adversários em nome da política. Sintomático. É a política de um bando que no momento tem sua cúpula hospedada no Presídio da Papuda. Que moral tem esse partido para falar mal de quem quer que seja? Quem é seu presidente de honra? Um mau caráter, mentiroso e covarde que sempre foge da verdade, nunca assumiu nem assume nada do que faz. Infelizmente, falta cultura para a maioria dos brasileiros e, na cúpula desse governo, moral e ética.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 
São Paulo 

*
DILMA OU MARINA?

Escolher entre a “gerenta incompetenta” e a riponga marxista lembra-me uma ida à farmácia para tomar injeção extremamente dolorida quando de sua aplicação e de nenhuma eficácia. A única real opção é se será aplicada no glúteo direito ou no esquerdo.

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com 
São Paulo

*
AS LÁGRIMAS DE MARINA

As lágrimas de Marina Silva constituem uma das mais fortes armas com que a natureza proveu a mulher para se defender de homens malignos e pedir ajuda. Ao mostrar sua ágil manifestação contra as acusações e ataques de Lula, Marina atingiu o “fígado” do ex-presidente, deixando-o raivoso e acuado, sem uma resposta convincente para eliminar o seu contra-ataque. A feminilidade da candidata da Floresta Amazônica difere como a água do vinho da presidente Dilma, que, ao contrário, atua agressivamente contra seus adversários, como se fossem inimigos de morte. Trata-se de uma luta de duas mulheres que devem atrair o candidato masculino para o segundo turno. Acredito que ele será atraído pela candidata mais feminina.
 
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
SÓ CHORANDO

Dona Dilma Rousseff reclama de tantas “acusações” que tem recebido, e não é para menos: o País vivendo uma enorme crise econômica, a delação premiada dos malfeitos na Petrobrás “estourando” e vem mais chumbo grosso por aí. Dona Marina Silva reclama e se diz atacada por ser “filha de pobre, preta e evangélica”, o que não é demérito nenhum... Só chorando! Do que o “seu” Aécio reclama? Só se são das “pesquisas encomendadas” que estão prejudicando a sua campanha, sem dúvida! Só que homem não chora! Mas ainda pode surpreender.  
 
Fernando Silva lfd.dasilva@2me.com.br  
São Paulo

*
CAMPANHA VERGONHOSA

Melhor preta evangélica e filha de pobre ou prepotente, inescrupulosa e terrorista?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br
São Paulo

*
AMIGOS

Lula disse ser amigo de Aécio. Cuidado, Aécio! Li, não me lembro onde, que Sócrates, em certa ocasião, disse aos discípulos: "Amigos, não há amigos". Passados cerca de 2.500 anos, essa afirmação do sábio solidificou-se em sua consistência diante da constatação de que há amigos que seriam muito mais amigos se fossem inimigos.

Geraldo Hernandes gherr@ig.com.br 
Santo André

*
O PT PERDEU-SE

O ex-presidente Lula continua a mudar o foco das coisas, ou seja, fala o que quer falar fora da realidade dos fatos e da História. Os “cumpanheiros” que são seus “amigos” (Eduardo Jorge, Luciana Genro, Marina Silva, entre tantos outros), no seu ponto de vista vieram do PT e na verdade não saíram simplesmente do PT. A verdade histórica mostra dois pontos: o partido os expulsou ou saíram por iniciativa própria, pois eram radicalmente contra os rumos que o PT vinha tomando. O partido se perdeu das suas origens, esqueceu ética e moral. Perdeu os valores de dignidade, de conduta moral, etc. Misturou-se a todo tipo de coligação por meio dos piores conceitos de política séria e digna. Por falar em “amigos cumpanheiros”, por onde andam Renan Calheiros, Henrique Alves e Edison Lobão após as denúncias do ex-diretor da Petrobrás? Sintomático esse sumiço, não? Também estão (estrategicamente) sumidos os políticos presos Zé Dirceu, Delúbio, Zé Genoino, etc. Engraçado, não é?

Sergio H. B. Freire 
São Paulo 

*
MORDE E ASSOPRA

Aécio Neves agora se solidariza com Marina Silva. Isso se chama hipocrisia. Se ela saiu do PT, foi por não mais concordar com o que era defendido pelos seus líderes e pela forma como agem. O ruim é persistir nos erros e não mudar, não é sair de um partido por não mais concordar com seus princípios. Eu também já acreditei no PT. Como aqueles que fundaram o PSDB acreditaram no PMDB. Ou Aécio se esqueceu? Ele deveria comparar Marina a FHC e aos que fundaram o PSDB. Elogiá-la pela coragem de, com menos estrutura do que eles tinham na sua época, estar enfrentando a "velha forma de fazer política". E deixar de lado o sorriso (cada vez mais amarelo, reparei) ao "morder e assoprar": não engana ninguém. Não dá para querer ser menino bonzinho defendendo e, ao mesmo tempo, atacando. Para o Brasil mudar, Marina precisa do PSDB e de todos os que querem um Brasil diferente para melhor. Que queiram refundar as estruturas do poder. 

Jorge Alves jorgersalves@2me.com.br
Jaú

*
PUBLICIDADE ENGANOSA

Como consumidor de propaganda eleitoral – enfiada goela abaixo por políticos e criada por publicitários –, em especial a do PT, veiculada pela presidente, não consigo entender como o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) não se manifesta em razão da nítida, clara e objetiva propaganda enganosa, que extrapolou em muito a liberdade de expressão, uma vez que sua missão é "impedir que a publicidade enganosa ou abusiva cause constrangimento ao consumidor ou a empresas e defender a liberdade de expressão comercial". 

Alcides Ferrari Neto ferrari@afn.eng.br 
São Paulo

*
O GOVERNO PODE PERDER

O resultado das últimas pesquisas indica que estão preparando uma fraude como nunca antes vista nas eleições.

Ernani Teixeira tucaenani@gmail.com 
Barueri

*
EM PÂNICO

O pânico tomou conta do PT. Vou explicar por quê. Aquele velho dito “treino é treino, jogo é jogo” se materializou com a pá de cal nas pretensões do PT: a alegação de FHC dizendo que, assim que acabar o primeiro turno, o PSDB abraça Marina Silva, e é obvio que os 20% de Aécio Neves naturalmente iriam para Marina, pois quem vota em Aécio não vota em Dilma. No quadro de hoje, as duas estão empatadas e, no segundo turno, Marina dever vencer com 25% a mais. Não seria a melhor solução, mas tirar o PT do Planalto já é um grande feito.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br 
São Paulo

*
O POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE

Infelizmente, essa é uma verdade incontestável. Um povo influenciável por 11 minutos a mais ou a menos de horário político sofre da influência de uma hora ou mais de novelas perniciosas. Um ser considerado “adulto” pode ter um conceito mudado em 11 minutos. Imagine anos e anos de uma doutrinação de costumes e princípios éticos distorcidos, a partir da infância, durante uma hora ou mais por dia. A novela imoral (a culpa não é da novela, mas de seu teor) imbeciliza a ponto de valorizá-la mais que declarações de interesses importantes que, em rede, dirigentes desses povos queiram divulgar. Quer que eu te diga quem irá vencer eleições de um povo como esse? Não? Então você já sabe!

José Domingos Batista jbd.13@hotmail.com  
São Paulo

*
ANOS DE PT

Infelizmente, este governo conseguiu piorar tudo neste país. O que mais choca é que esse povo não consegue enxergar nada. Só resta lamentar!

Ângela Maria Ramos Flávio angela@ramos.mus.br
São Paulo

*
IGREJA CATÓLICA

Nestas alturas, a única força capaz de alterar a nefasta demagogia que está na iminência de fazer do PT e conluiados vitoriosos nesta eleições, desgraçando de vez nosso país, é a Igreja Católica (mesmo não sendo seu papel se imiscuir na política). Os católicos ainda são a grande maioria religiosa, e a Igreja dialoga com todas as camadas da sociedade. Se conseguiu recentemente contribuir para o fim da ditadura, certamente poderá fazer mais um bem para os brasileiros.
 
Suely Jung sjungborges@yahoo.com.br
São Paulo

*
ELEIÇÕES E SEGURANÇA

Qual o projeto dos três candidatos mais bem posicionados nas pesquisas para a Presidência sobre a violência, que mata mais de 50 mil pessoas por ano, número equivalente ao de uma guerra civil. Qual a posição de cada um deles em relação à maioridade penal de 16 anos idade, essa de milhares de jovens bandidos e assassinos? O que pensam sobre o vergonhoso sistema prisional brasileiro, com a superlotação e as frequentes rebeliões sangrentas? O que cada um propõe para coibir a entrada de armas e drogas pelas fronteiras do País, por onde tudo passa? E sobre a nojenta impunidade? Claramente, nenhum deles tem um plano.  Respostas: ou nenhum deles está se importando com o assunto, ou estão com medo, ou todos já perceberam que o País já está todo dominado pelo crime e que a vocação do Brasil é ser mesmo o paraíso da bandidagem. Pior do que a situação catastrófica da saúde, entre outras coisas, é o medo permanente que temos de sair de casa para ir ao trabalho, à escola, ao bar e passear com o cachorro.

Ari Giorgi arigiorgi@hotmail.com 
São Paulo

*
A EXCRESCÊNCIA DA DELAÇÃO PREMIADA

O ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa assinou acordo para delação premiada e aceitou repatriar US$ 23 mil depositados na Suíça – e por isso poderá deixar a cadeia esta semana. Que excrescência a lei brasileira! O sujeito rouba, aceita devolver parte do roubo e fica livre das grades, podendo usufruir da outra parte do dinheiro bem longe do Brasil. Como é fácil tirar dinheiro do contribuinte neste país! Especulações à parte, o delator, homem-bomba, que prometeu divulgar nomes dos seus pares, acenou que, se falasse o que sabe, não haveria eleição, pois a casa iria cair. Como se vê agora, nem a casa caiu, como a eleição acontecerá, os delatados serão ignorados e o eleitor novamente elegerá os bandidos. Brasil, um país de tolos! 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
ESTÁ CONFIRMADO?

Quando o ex-diretor de Abastecimento – e como abasteceu sua conta na Suíça ­– da Petrobrás Paulo Roberto Costa assinou o acordo de delação premiada com o Ministério Público, este pacto previa que o “prêmio” só seria entregue após a confirmação de suas delações. Se não me falha a memória, o delator entregou aos inquiridores dezenas de nomes, entre eles o de um ministro de Estado, de deputados federais, senadores, governadores e de outros figurões pelo Brasil afora, a maioria da base de sustentação do governo Dilma Rousseff. Perguntar não ofende: os nomes citados foram confirmados no “bolsa propina”, que, segundo o delator, recebiam 3% dos contratos assinados com a petroleira? E os US$ 23 milhões, dos US$ 10 bilhões desviados, já foram repatriados? Acredito que os dois questionamentos foram confirmados, pois o predador está prestes a ir para casa, para cumprir a pena de cinco anos (que dureza) em regime domiciliar. Se os nomes revelados têm realmente culpa no cartório, eu e os quase 142 milhões de brasileiros aptos a votarem gostaríamos de saber antes das eleições em 5/10, assim, pelos menos, esses estorvos da sociedade seriam escorraçados da política nacional. 

Sérgio Dafré sergio_dafre@otmail.com 
Jundiaí

*
FESTIVAL DE EXPLICAÇÕES

Claro que muito há de ser investigado antes de acusar formalmente quem quer que seja, mas, com a denúncia de Paulo Roberto Costa, não tardaram as explicações daqueles que foram apontados por ele no forte esquema de recebimento de propina dentro da Petrobrás. João Vaccari se defendeu dizendo que nunca pisou na sede da empresa – mas precisaria pisar para receber o dinheiro para o caixa do PT? Para Marina Silva, é “uma ilação” envolver o nome de Eduardo Campos. Para Dilma, “uma especulação”. Roseana Sarney ficou “indignada”. Os outros todos negaram. Lula ainda não se manifestou, mas é evidente que dirá que não sabe de nada, que nunca viu mais gordo. Aécio Neves foi na mosca: mensalão 2! Uma pergunta que não quer calar cabe aqui: por que Costa se exporia dessa forma, dizendo nomes importantes da República brasileira, do ex-presidente do Brasil aos presidentes do Senado e da Câmara, se não pode comprovar o que acusa? Ele mesmo disse ter medo por ser um “arquivo vivo”.  Aí tem, todos sabemos, e não é pouco! A notícia boa é que a Polícia Federal, que está fazendo um ótimo trabalho, vai investigar as empreiteiras também. Para um corrompido há sempre um corruptor, não?

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br 
São Paulo

*
CARTEL

No "rolo" Petrobrás, as chamadas "propinas" seriam de iniciativa dos fornecedores. Misteriosamente, eles teriam combinado que dariam 3% sobre cada contrato. Está aí o cartel. E o Ministério Público não deu conhecimento ao Tribunal de Contas da União (TCU). Bem, é óbvio que a história se desenrolou de forma um pouco diferente. Não foram os fornecedores que estabeleceram, de comum acordo, os 3%. E o que tem sido apelidado de propina, na verdade, se tratava de achaque. A porcentagem foi estabelecida da parte dos beneficiários. Essa é a explicação do porcentual uniforme das "doações".

Mario Helvio Miotto mariohmiotto@gmail.com
Piracicaba

*
JOGO DE PALAVRAS

É preciso parar com o uso de jogo de palavras para minimizar crimes cometidos. Desde a descoberta do mensalão que o governo e políticos referem-se como “malfeitos” aos crimes cometidos pelas pessoas envolvidas e flagradas em maracutaias. Por exemplo, malfeito é um armário que o marceneiro faz e as portas não fecham, ou uma roupa que sai da lavagem e ainda apresenta manchas de sujeira. Isso é “malfeito”. Detalhe: um serviço malfeito custa o mesmo que um bem feito. Agora, os atos cometidos por estes políticos e quadrilhas são CRIMES e custam muito mais que o normal por causa do esquema de desvio de verba. Esses CRIMES são bem especificados na legislação: corrupção, concussão, prevaricação, peculato, malversação de verbas, improbidade administrativa, entre outros.  Então essas pessoas não cometem malfeitos, cometem crimes. Vamos parar com esta coisa de malfeito. Às vezes também se referem a estes crimes como erros. Mas é demais, erro em ação intencionalmente pensada e executada? Se é intencional, não é erro. Quem comete crime é criminoso.

Marco Bingre macbingre@terra.com.br
São Paulo

*
MENSALÃO 1, 2, 3, 4...
  
Dilma ensina: "Em todos os partidos tem gente corrupta". Perfeito. O grande problema é quando a corrupção é rotineira, planejada, abrangente e tem como objetivo claro o poder pleno. Onde há solo fértil, o PT planta, colhe e distribui.  
 
Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br 
Rio de Janeiro 

*
ILDO SAUER

Também ex-engenheiro (aposentado pelo INSS), como o ex-diretor da Petrobrás Ildo Sauer, trabalhei durante mais de 30 anos em grandes obras estatais desde 1974. Sobre a nota do sr. Ildo Sauer publicada no “Fórum dos Leitores” de 12/9/2014, devo esclarecer que: em todos os meus 30 anos de experiência no trato com estatais (que foram 99% dos empreendimentos nos quais eu trabalhei), nunca tive notícia de um único estudo de viabilidade técnico e econômico que ao final concluiu que o "negócio" era inviável. Ou seja, os estudos são contratados para viabilizar o inviável.

José Gilberto Silvestrini jgsilvestrini@gmail.com 
Pirassununga

*
ESTATAIS À PROVA DE CORRUPÇÃO

Fernando Gabeira, partindo da premissa – também defendida por Pedro Simon – de que os governantes e seus prepostos nas estatais não se corrompem sozinhos, defende leis que punam severamente as empreiteiras ("Abençoado por Deus e roubado com naturalidade", 12/9, A2). Corretíssimo, mas neste mesmo raciocínio, indo também na origem dos problemas, julgo mais do que oportuna uma mudança na Lei das S/As no que se refere às empresas de economia mista, estejam elas no plano federal, estadual ou municipal. O caso da Petrobrás é emblemático, o sr. Paulo Roberto Costa só foi guindado ao posto que ocupou por longos anos porque foi ali colocado por um Conselho de Administração totalmente descompromissado com a perpetuidade e os resultados financeiros da empresa. Entre outras possíveis medidas saneadoras penso que mesmo em casos em que o Estado seja majoritário no capital, nas Assembleias Gerais de eleição do Conselho de Administração o voto do acionista minoritário tenha peso diferenciado de forma a representar 51% da massa votante. Quem sabe assim, ou outra forma estrutural apolítica que se possa vislumbrar, a idoneidade técnica e moral dos candidatos prevaleça sobre os interesses dos padrinhos corruptos e inescrupulosos.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br
Valinhos

*
PETROBRÁS PRIVATIZADA

Não vejo nada de tão ruim na Petrobrás privatizada. Vejo, sim, algo de péssimo imaginar a Petrobrás falida em razão de seu uso político.
 
Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com
Bauru

*
REPÚBLICA DA IMPUNIDADE

Como é que pode, delatar dá privilégios e alivia anos de cadeia?! Efetivamente, no Brasil, o crime compensa, e muito. A pena do sr. Paulo Roberto Costa por delatar, qual seja, devolver ao erário ou sei lá para quem, dá essa condição de ter pena reduzida. Daí ficar dando risada dos condenados no Brasil. Agora vamos para a economia: na página B9, a banana se caracteriza pela foto do sr. Eike Batista e o título da matéria é “MPF pede bloqueio de R$ 1,5 bilhão de Eike”. Sabe quando isto irá acontecer, o bloqueio?  Nunca! No Brasil, só os PPPs pagam por alguma coisa. Ou estou errado? Como diria aquele comunicador da TV, “me ajuda aí, pô!”.

Benedito Rodrigues dos Santos reisrodrigues.santos@gmail.com 
São Paulo

*
DEDO PODRE

O Ministério Público Federal (MPF) pede bloqueio de R$ 1,5 bilhão do empresário Eike Batista, por crimes contra o mercado de capitais, e, se for condenado, poderá "pegar" 13 anos de cadeia. O bloqueio dos seus bens foi solicitado para futuras indenizações de prejuízos causados. O senhor Eike Batista já doou alguns imóveis para a atual mulher e para dois filhos. Vale lembrar que este empresário teve todo apoio pessoal de Lula da Silva quando este foi presidente do Brasil, e farto financiamento do BNDES. Aliás, Lula da Silva pregava aos quatro cantos que o senhor Eike Batista era o exemplo de empresário a ser seguido por todos os demais. Isso prova que dedo podre tem nosso ex-presidente ainda em exercício. Abram os olhos, eleitores, as mentiras e as maracutaias estão em alta nesta campanha. Outubro já está aí.

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com 
Taubaté
  
*
A VEZ DE EIKE?

A delação premiada de Eike Batista, se houver, será tomada com a chancela segredo de justiça?

Othon Calestini calestini@gmail.com
Cuiabá

*
SILÊNCIO E OMISSÃO

São impressionantes o silêncio e a omissão da OAB e da CNBB diante da imensa podridão em que se transformou a República do PT. Por onde andam essas entidades que vivem numa espécie de silêncio obsequioso? Ou também já foram "aparelhadas" e instrumentalizadas pelo PT? Acredito piamente que, se não fosse o bom trabalho da imprensa, nunca teríamos luz sobre o imenso lamaçal de corrupção que se instalou no governo central comandado pelo PT. 

Gilberto Motta da Silva gmottas@yahoo.com.br 
Curitiba

*
FEITIÇO CONTRA O FEITICEIRO

Revista “Veja” desta semana: PT sob chantagem. Quer dizer: o feitiço voltando-se contra o feiticeiro!
 
Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 
São Paulo
 
*
ELEIÇÃO 2014 – FICHA LIMPA

José Roberto Arruda, além de ladrão, safado, sem vergonha, é muito cara de pau: desistiu da candidatura. Ficha Limpa neles.

Ariovaldo J. Geraissate ari.bebidas@terra.com.br
São Paulo

*
DROGAS

Estão aparecendo diariamente nas TVs nos horários obrigatórios de propagandas de drogas: traficantes são os partidos políticos, drogas são os candidatos e usuários são os eleitores. Infelizmente, para os não usuários, o número de usuários é muito maior e eles "compram" sempre as mesmas drogas, mesmo sabendo que elas são fatais. É preciso mudar, urgentemente, a legislação sobre a traficância, as drogas e seu uso.

Mário A. Dente dente28@gmail.com
São Paulo

*
O PREÇO DO ERRO

Ao ler o bem fundado artigo do jornalista Rolf Kuntz (“A recessão como produto da incompetência”, 13/9, A2) perguntei-me por que será que a maioria dos eleitores no Brasil ainda não começou a alterar suas preferências de voto a favor de uma oposição realmente única e verdadeira contra o tristemente existente. Não tem a mínima lógica. Só pode ser por convicções ideológicas incrustadas. Sei por vivência própria que ideologias de qualquer coloração costumam andar de mãos dadas com fanatismo cego, insensatez e até alucinação. Lembro vivamente quando no quinto e penúltimo anos da Segunda Guerra Mundial, extremamente sangrenta – eu tinha apenas 16 anos na época –, após o fracassado atentado contra a vida do criminoso Führer, e quando já havia mais que claramente virado a sorte das armas nas frentes de combate, num comício propagandístico, perguntado pelo ministro de propaganda Goebbels, no seu inflamado discurso, se daria preferência a manteiga ou a canhões, a massa dos ouvintes gritou fanaticamente: Canhões! Era a voz do povo que eu mesmo escutei pelo rádio. É isto, tanto lá, quanto cá. A maioria não pensa, ao menos não o suficiente. Preferem correr o risco de se arrepender profundamente mais tarde. A Alemanha pagou naquela ocasião com mais um longuíssimo sexto ano de guerra com incontáveis mortes a mais, feridos e desoladora destruição da maioria das suas cidades maiores. Escolher de maneira correta numa eleição não é brincadeira em absoluto, é sério, muito sério. O preço do erro pode ser extremamente alto ao País e seus cidadãos. Hitler havia ganhado numa eleição, um erro de escolha não suficientemente pensada dos eleitores. Dilma não havia sido um erro de escolha também? E já não estamos começando a pagar certos preços? Querem realmente que estes ainda possam aumentar?

Gerhard Fink gerhardjfink@gmail.com 
Atibaia 

*
SÃO PAULO – CICLOVIAS

A maioria das ciclovias implantadas em São Paulo tem dupla mão e muitas estão sendo feitas em ruas de mão única, aparentemente sem estudo nenhum. Como será que os ciclistas farão para atravessar ruas e avenidas com semáforos e obedecê-los, inclusive o de pedestres, quando virem pela contramão do fluxo de carros? Alguém da CET me explique.

Dirceu Bertin dibertin@gmail.com 
São Paulo

*
CONTRADIÇÃO?

Meses atrás escrevi ao jornal concordando com as faixas exclusivas de ônibus, mas dizendo que gostaria que os táxis pudessem utilizá-las. Dias depois, algumas pessoas falando de mobilidade urbana e o secretário Jilmar Tatto fizeram declarações dizendo que os táxis transportam muito poucos passageiros, em comparação com os ônibus. Nos últimos dias, a Prefeitura acabou com as motofaixas e começou a fazer ciclovias por toda a cidade de mais de 11 milhões de pessoas e de topografia acidentada com aclives e declives acentuados. Contraditório ou as bicicletas transportam mais pessoas que as motos e os táxis?

Victor Hugo renard-46@hotmail.com 
São Paulo

*
SEM PLANEJAMENTO

Agora a Prefeitura de São Paulo descobriu que os táxis não atrapalham os corredores de ônibus. Logo, faltou planejamento. Adivinhe o que vai acontecer com as ciclovias...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
IDAS E VINDAS

O Brasil é um país onde a mediocridade impera na qualidade dos nossos políticos. Exemplos temos aos montes. Com o apoio de um certo "salvador" da pátria, o senhor Fernando Haddad, aquele ministro do escândalo do Enem, entre outros "feitos", foi eleito alcaide do município de São Paulo. Como não tem habilidades inerentes ao cargo que ocupa, este senhor implantou medidas que prejudicaram os motoristas de carros particulares, em detrimento dos usuários de ônibus. Atitude louvável, desde que não implicasse o nó que só piorou as ruas da cidade, de manhã até a noite, especialmente em alguns bairros. Sem mencionar as ciclovias. Agora, depois de proibir os táxis ocupados e que podiam circular nas vazias faixas de ônibus, eis que o nosso glorioso alcaide volta atrás e vai liberar novamente, o que, diga-se de passagem, nem deveria ter sido proibido. Simplesmente e profundamente lamentável vermos uma das maiores e mais importantes cidades da América Latina ser "administrada" por um principiante empírico, ou seja, “tentemos, se não der certo, voltamos ao que era”.

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br 
São Paulo

*
CICLOVIAS INCONSTITUCIONAIS

As ciclovias paulistanas são inconstitucionais. Conforme a Constituição do Estado de São Paulo, artigo 180, “no estabelecimento de diretrizes e normas relativas ao desenvolvimento urbano, o Estado e os municípios assegurarão a participação das respectivas entidades comunitárias no estudo, encaminhamento e solução dos problemas, planos, programas e projetos que lhes sejam concernentes”. O fato de ciclovias fazerem parte do Plano Diretor aprovado não significa licença para infringir a Constituição. A ciclovia que circunda o calçadão do centro velho foi construída do lado errado das ruas. De fato, os pedestres que chegam ao centro de ônibus ou taxi passaram a ter de desembarcar do lado oposto dessas vias públicas e atravessar vias movimentadas, além da ciclovia, para acessar o calçadão – demonstrando assim a incapacidade técnica do secretário de Transportes e da CET e a não oitiva da população. 
 
Suely Mandelbaum, urbanista suely.m@terra.com.br 
São Paulo

*
PRIORIDADES

Lendo o editorial de domingo “Brincando com ciclovias” (14/9, A3), lembrei-me de que o secretário Jilmar Tatto afirma que a prioridade máxima da Prefeitura é o pedestre, vindo em segundo lugar o ciclista, em terceiro o coletivo e em quarto lugar o abastecimento (transporte de carga). Tendo como a primeira opção o pedestre, entendo que o secretário deveria esquecer das bicicletas no centro e se preocupar com a fiscalização das calçadas construídas de forma irregular na cidade, como as do bairro de Perdizes, onde podemos encontrar desníveis de mais de meio metro, tornando impossível a circulação de cadeirantes, idosos, mães com carrinhos de bebê ou simplesmente alguém carregando uma mala com rodinhas, obrigando-os dessa forma a circular pelas ruas, expondo-os a perigos.

Manoel Sousa Lima Jr. manoel@setcesp.org.br
São Paulo

*
ESTUDOS

Ao ler o editorial “Brincando com ciclovias” (14/9, A3), não vi nenhuma alusão aos possíveis problemas de saúde e danos causados pela inalação do monóxido de carbono emitido pelos milhares de carros que trafegam pela Avenida Paulista ao lado das ciclovias planejadas. Pergunto: será que as autoridades responsáveis pela saúde do cidadão paulistano têm algum estudo, análise ou mesmo uma simples medição do quanto um ciclista inala de monóxido de carbono num trecho de 2,5 km? O secretário municipal de Transportes deve uma resposta à população.

Carlos Claus Janeba ejaneba@terra.com.br
São Paulo

*
‘BRINCANDO COM CICLOVIAS’

Até que o editorial foi suave. Nosso alcaide resolveu aderir ao MAS (movimento dos sem assunto) para bloquear de vez a Avenida Paulista.

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.