Fórum dos Leitores

IBGE SERVIL

O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2014 | 02h04

Pnad do PT

Engenheiro formado em 1978, durante o curso de Engenharia sempre usei dados do IBGE para trabalhos, estudos e pesquisas. O IBGE foi referência de primeira qualidade para estudantes, cientistas e pesquisadores. Hoje o IBGE do PT virou uma verdadeira esbórnia. É a casa da mãe Joana dos petistas. Cada dia é uma coisa, e sempre ao sabor do que interessa ao governo do PT. Se a pesquisa é contra os interesses petistas, então se muda a pesquisa. Se o estudo não se coaduna com as aspirações do PT, então se muda o estudo. Agora alteraram os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) em função do risco de o PT perder as próximas eleições. É absolutamente lamentável que uma instituição como o IBGE se curve de maneira tão servil e submissa aos interesses espúrios de um partido político cuja única ambição é perpetuar-se no poder. Podem tentar se desculpar como bem entenderem, mas a diretoria do IBGE do PT jogou sua credibilidade no lixo.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Declaração infeliz

Infeliz a crítica da candidata Dilma Rousseff ao direito da imprensa de investigar. No país da corrupção, a imprensa tem o papel fundamental de investigar e denunciar todos os atos que atentam contra a moral e a ética na administração pública.

MARCOS ABRÃO

m.abrao@terra.com.br

São Paulo

Dilma e a imprensa

Mais uma vez - e não será a última - sobram para a imprensa os crimes dos petralhas. "Não é função da imprensa fazer investigação", segundo Dilma, em referência à última bandalheira na Petrobrás, delatada pelo ora demonizado Paulo Roberto Costa. Tivesse a sra. Dilma posto pessoas com responsabilidade na direção da Petrobrás para apurar as maracutaias - incluída a compra de Pasadena - cometidas debaixo do seu nariz, a imprensa livre não se preocuparia tanto em investigar. Se o faz é porque o seu partido, o da ética na política (?!), está envolvido em todas as gatunagens de que temos notícia - graças à imprensa - e tudo faz para encobrir os crimes cometidos pelos cumpanheiros.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

As verdades e o desespero

Nunca se viu tanto desespero numa eleição como o demonstrado por PT, PMDB e coligados. Lula aparece em público desfigurado, nervoso, agressivo. Dilma também agride e expõe um mal contido nervosismo. Eles já preveem a perda da eleição. Mais ainda, já sentiram que as verdades virão à tona e as maracutaias perpetradas nos ministérios e nas estatais, Petrobrás incluída, serão objeto de longas apurações e de incontáveis comentários na imprensa. Não é sem motivo que o PT não abandona a ideia de controlar o conteúdo da imprensa e impor um controle ditatorial à mídia.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Sindicalismo no poder

Grande parte dos candidatos a deputado estadual e federal é de sindicalistas - alguns presidentes e diretores dos inúmeros sindicatos instalados no Brasil. Na Petrobrás, os cargos de supervisão e gerência são ocupados por sindicalistas, assim como em outras empresas públicas e autarquias. O resultado que temos visto é desanimador. A participação deles nos esquemas de corrupção tem sido comprovada, mas eles e seus corruptores não vão para a cadeia nem devolvem o dinheiro roubado dos cofres públicos. Se continuarmos sob o desgoverno dos petralhas, o nosso país se tornará uma República Socialista Bolivariana. Aos verdadeiros trabalhadores e à sociedade só restarão o pagamento de altíssimos impostos e a falência da saúde, da segurança, da educação e do crescimento econômico do Brasil. Que cenário trágico e triste!

CLAUDIO D. SPILLA

Claudio.Spilla@CSpilla.org

São Caetano do Sul

Às claras

O povão que não paga impostos e recebe benefícios do governo precisa ser informado, bem informado, de que corrupção no governo o prejudica muito, na forma de piores serviços de saúde, educação, segurança e lazer, além de inflação alta, que lhe corrói o dinheiro que tem. Sozinho o povão não vê isso. É inócuo falar-lhe de corrupção sem mostrar-lhe as consequências.

WILSON SCARPELLI

wiscar@terra.com.br

Cotia

ELEIÇÕES

A chave do sucesso

Nesta eleição, bastaria ao presidenciável anunciar um combate firme e obstinado à corrupção que a grande maioria dos brasileiros, sem dúvida, o apoiaria. Sem o escandaloso desvio de verbas que aparece a todo momento, certamente sobraria muito dinheiro para saúde, educação e segurança. Sem falar nos postos-chave, que passariam a ser geridos por gente ficha-limpa e capaz, podendo assim os projetos ter andamento conforme o planejado, principalmente com verbas minuciosamente controladas. Aí, sim, o Brasil começaria a tomar jeito.

GERALDO DE PAULA E SILVA

geraldodepaula@ibest.com.br

Teresópolis (RJ)

Nas redes sociais

Acompanho pelas redes sociais várias manifestações de usuários justificando o seu voto em determinado candidato. Isso me inspirou a fazer o mesmo aqui. E digo por que voto em Aécio Neves: dos três candidatos majoritários nas pesquisas, é o único que tem base sólida para efetuar as mudanças que almejamos, pois não é contra a economia de mercado, não é contra o agronegócio, pertence ao partido que criou e tornou viável o Plano Real, não faz parte do Foro de São Paulo nem é adepto do Decreto 8.243, assegurando que o Brasil, sob o seu comando, não virará bolivariano. Sou do Estado mais desenvolvido e progressista do Brasil e que há 20 anos vota no PSDB. É preciso explicar mais?

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

Campanha

Enquanto as candidatas Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) se vão desconstruindo com acusações recíprocas, o presidenciável Aécio Neves (PSDB), com seu programa de governo de alto nível e sua imagem de verdadeiro estadista, vai subindo nas pesquisas. A continuar este cenário de debates, é certo que Aécio levará sensível vantagem sobre Marina no primeiro turno e vai bater Dilma no segundo. Sem margem de erro.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

AINDA PASADENA

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, pode estar envolvida na distribuição de dinheiro da Petrobrás no caso da compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA, diz o ex-diretor da empresa Paulo Roberto Costa, esclarecendo a investigadores da Polícia que houve distribuição de propina no caso. Lembre-se que Costa foi nomeado para a diretoria da Petrobrás na gestão Dilma Rousseff na presidência do conselho da empresa.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

PROPINA

Paulo Roberto Costa confessa ter recebido uma propina de R$ 1,5 milhão durante o processo de aquisição da Refinaria de Pasadena. Ora, se um mero diretor (agora ex-diretor e preso) recebeu pelo menos essa quantia, quanto não terão recebido seus companheiros e superiores na negociação da refinaria? Agora, só é preciso identificá-los e revelar as quantias, o que, talvez, já conste do processo: conhecer e saber quem são e quanto foi recebido individualmente é um inequívoco direito da cidadania, do contribuinte.

 

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrrix.com.br

São Paulo

*

FICÇÃO OU REALIDADE NA PETROBRÁS?

Em março, na Operação Lava Jato, a Polícia Federal prendeu mais de 30 pessoas numa investigação de esquema de lavagem de dinheiro, entre eles Paulo Roberto Costa. Estranhamente, somente ele foi solto, e preso algum tempo depois. Tempo suficiente para o PT orquestrar, muito bem assessorados pelos seus hábeis advogados, sua saída menos dolorosa, pois já se previa o mesmo caminho de Marcos Valério. Paulo Roberto limpou tudo o que pôde que incriminaria a cúpula petista, incluindo, obviamente, Lula e Dilma. Escolheram as pessoas de peso que seriam denunciadas e que dariam crédito à delação premiada. É ficção ou realidade? Alguém acredita que Lula e Dilma, e muito provavelmente José Dirceu, estão fora da boquinha da Petrobrás? Por que a oposição não faz nada? Marina Silva ainda falou que o PT colocou um bandido na Petrobrás, mas não fala diretamente que foi Lula, que despachava com ele. Aécio Neves, por sua vez, é só elogios com Lula.

Ricardo Nobrega cnc.eng@terra.com.br

São Paulo

*

ESTÃO CEGOS?

Este é o Brasil de hoje. São tantos os roubos do dinheiro público que a “delação premiada” nunca esteve tão em evidência. Vários senadores, três governadores e 49 deputados federais (para que manter o sigilo dos seus nomes, se eles são amplamente conhecidos da população?) devem estar envolvidos no esquema de corrupção na Petrobrás. Pelo jeito, nossa maior tributação mundial não é mesmo suficiente para atender aos serviços públicos de saúde, educação, transporte, segurança, etc.  de que o Brasil precisa. É muito interessante que, num tempo não muito longínquo, o PT tinha uma campanha superagressiva e difamante contra o político Paulo Maluf, que hoje é seu aliado. Imputava-lhe o slogan de “rouba, mas faz”. Hoje, em nosso país, “rouba-se e não se faz”, como está delatando o ex-diretor da Petrobrás sr. Paulo Roberto Costa. Será que os eleitores são tão cegos que não darão a sua resposta nas urnas desta eleição de outubro?

Maria do Carmo Leite Alves m.carmo1946@bol.com.br

São Paulo

*

SALVA-PAÍS

Os delatores deixam de ser arquivos queimáveis. Que venham outros informar e, assim, salvar vidas e o País.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

CPIS TIRIRICAS

Honestamente, ainda não entendi qual seria a utilidade das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs). Prevista na Constituição federal, a CPI é instrumento típico das minorias para a apuração de “malfeitos”. Para convocá-las é um parto da montanha. O poder, em regra, não gosta de CPIs e sua base sempre as rejeita. Quando conseguem, a muito custo, criá-las e instalá-las, os cargos da mesa caem por gravidade no colo da maioria governista – que, em princípio, não queria a investigação. Cumpridas todas as etapas e já em funcionamento (ufa!), sobram pressões de todo tipo e chegam ao cúmulo de combinar perguntas e respostas com os entrevistados, como recentemente denunciado na investigação que (supostamente!) apura a compra de “Pasadena”. Acresce que os convocados têm o direito de fechar-se em copas e frustrar os trabalhos – caros, por envoverem muitos gastos. Essa prerrogativa foi usada pelo ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa – o “Paulinho”, como carinhosamente o chama Lula –, preso e beneficiário de um programa de delação premiada envolvido em altas maracutaias quando trabalhava na Petrobrás. Ante as perguntas que lhe foram dirigidas na quarta-feira, nada falou: entrou mudo e saiu calado! “Direito” seu. A CPI foi transformada num espetáculo circense, inútil e que só contribui para desprestigiar a já débil credibilidade do povo brasileiro em suas instituições, desmoralizando ainda mais nossa democracia. Perto desse picadeiro, o nobre deputado Tiririca pode até ser visto como um sujeito sério. Bem, ao menos é um palhaço assumido e não está a simular coisa alguma. Esse instituto deveria ter sido revisto há tempos, dada a sua gritante inutilidade. A sociedade, que banca toda essa farra milionária, merece respeito.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com   

São Paulo

*

SANTOS

Alguma dúvida de que os políticos citados na delação premiada do caso da roubalheira da Petrobrás negarão veementemente? São todos candidatos à beatificação.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

PETROBRÁS

Depois de décadas de ufanismo, finalmente podemos dizer ao PT o novo bordão: “O petróleo é vosso”. O azar é nosso.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

O PETRÓLEO É NOSSO

Precisa só definir quem é o “nosso”! Os neguinhos do PT, do PMDB, do PP, etc. acham que é “deles”.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

BANANOSA

Paulo Roberto Costa, metido numa tremenda bananosa, se propõe a devolver US$ 23 milhões e abrir o bico para reduzir de cinquenta e tantos anos para cinco anos o seu período de prisão, o que imediatamente lhe propiciaria, no mínimo, “progredir” para um regime semiaberto. Ora, só mesmo sendo muito inocente (ou imbecil) para acreditar que: 1) a dinheirama surrupiada da Petrobrás vai voltar toda para o País (só tem os US$ 23 milhões lá fora?); 2) ele vai revelar todas as falcatruas que conhece e fornecer os nomes de todos(as) os(as) canalhas envolvidos(as), em todas as instâncias, que com ele compartilharam e roubaram? Tá barato demais! Deveria apodrecer na cadeia, junto com toda a canalhada que roubou, principalmente da boca dos brasileiros pobres, que “elles” dizem tanto defender. Ainda tem muito dinheiro escondido e muitos nomes que precisam aparecer. Tem de abrir a boca e entregar TUDO. Senão, nem um segundo de “benefício” (belíssima lei). Ou, então, ele se redime e delação premiada vira canonização.

 

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br

São Paulo 

*

MÉTODO PALOCCI

O sr. Paulo Roberto Costa, ex-diretor corrupto da Petrobrás, já deu os nomes. Basta usar o método Palocci de quebra de sigilo bancário e todo o País já saberia bem antes das eleições quem, quando e quanto cada um dos companheiros corruptos de Lula roubou da estatal. Só que não...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

DELAÇÃO PREMIADA

Qual seria o tamanho do assalto à Petrobrás, quando você vê um dos componentes da quadrilha, Paulo Roberto Costa, se propondo a devolver US$ 23 milhões? Isso para pegar uma “pena menor”.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 

São Paulo

*

TERRA ARRASADA

Essa gente do PT no poder há 12 anos, envolvida em mais este inimaginável escândalo da Petrobrás,  ultrapassa todos os limites de tolerância, porque envolve uma soma monumental do dinheiro público, R$ 10 bilhões. Estes, sim, são os verdadeiros piratas que executaram a maior privataria em benefício próprio na face da Terra. E depois tinham a cara de pau de acusar oponentes de quererem privatizar a Petrobrás. Fizeram isso com Alckmin, com Serra e, agora, com Marina. Será que ainda terão a cara de pau de acusar mais alguém de alguma coisa? Depois de tudo isso, creio que está na hora de o povo brasileiro colocar um ponto final neste governo do PT pelo bem do Brasil. Além do péssimo negócio envolvendo a compra de uma refinaria em Pasadena, que Dilma autorizou, se até uma lojinha de R$ 1,99 ela conseguiu quebrar, imagine a que ponto de desorganização econômica deixará o País caso continue. Vai-nos deixará junto com Lula uma herança maldita de terra arrasada de difícil recuperação. Oremos!

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br 

São Paulo

*

O FUNDO DO POÇO

Consta nos noticiários que o esquema de corrupção envolveu R$ 10 bilhões. Consta também que, com a delação premiada firmada com o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa, esse senhor terá de devolver a quantia de US$ 23 milhões depositados na Suíça, e terá liberdade imediata. Se o esquema envolveu R$ 10 bilhões, quem será (ou serão) o responsável pelo saldo devedor do prejuízo? Pela lógica, deveriam ser os denunciados por ele. Será que ficaremos mais um vez sem a devolução do dinheiro roubado, sem punição dos envolvidos? Precisamos de uma resposta, mais que urgente, e da solução para este escabroso caso de corrupção.

Antonio Emilio Feierabend afeierabend@hotmail.com

São Paulo

                                                                                   

*

E SE A VALE?

Em boa hora houve a privatização da Vale. Imaginem se ela ainda estivesse nas mãos do governo?

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Teresópolis (RJ)

*

O RALO DA CORRUPÇÃO

Uma certeza temos: se os bilhões que descem pelo ralo da corrupção fossem usados devidamente na educação da criança e na reeducação do adulto, reformando escolas e pagando decentemente os professores, estaríamos mais próximos dos nossos vizinhos na América Latina. Também ajudariam a saúde sair desse caos em que se encontra, com os hospitais quase destruídos por falta de obras, de equipamentos e de profissionais. Precisamos de governantes, além de políticos, que sejam rigorosos na distribuição dos recursos, pois são eles que detêm a chave do cofre. Basta de tanta promessa e descaramento, essa máxima de "não sabia" não funciona mais, tem a obrigação de saber por que eles escolhem seus auxiliares diretos.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CUSTE O QUE CUSTAR

Marina Silva afirmou que o caso Petrobrás é o "maior mensalão da história", porque até então nunca se viu um escândalo dessa dimensão que fez com que o caso mensalão tenha se transformado em mensalinho. Está mais que claro o porquê do grande empenho e da insistência do petelulismo, junto com seu maior aliado, o PMDB, em permanecer no comando total do País, pois, além de continuarem mamando nas nossas tetas, evitariam que, ao entrar um novo partido, este viesse a descobrir falcatruas e podres até então inimagináveis.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PMDB

Se no Brasil governar é roubar, como constatado está, então o vice-presidente, Michel Temer, está certo ao afirmar que sem o PMDB não se governa o País.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

CORRUPÇÃO E ELEIÇÃO

O PT é o partido que coleciona o maior número de condenados por corrupção; o mais extenso fichário de suspeitos em safadezas; o maior elenco de envolvidos em maracutaias; o que participou do maior número de episódios de corrupção da história do País e que, mesmo assim, confia no voto dos coniventes.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

*

ELEIÇÃO ARMADA

Há algo de podre envolvendo a eleição para presidente da República. É incompreensível o PMDB, maior partido político do País, não ter interesse em lançar candidato ao cargo e o PT lançar Dilma e Marina, petista incubada, para brigarem de mentirinha durante o horário político. Sei não, minha visão diz que estamos diante de uma eleição programada para a continuidade do desmando que estamos vivendo no País desde o ano 2002. Isso explica por que Lula disse que apoia as duas. Acorda, Brasil!

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

PROGRAMAS DE GOVERNO

Sob o título “Com medo de desgaste, PT e PSDB adiam plano”, o “Estadão” publicou matéria inimaginável num país mais sério, seja ele considerado de esquerda, de direita ou de centro. A reportagem refere-se, claro, à publicação de seus respectivos programas de governo, pois ambos os partidos foram orientados pelos marqueteiros a não fazê-lo, ao contrário de Marina Silva, que já divulgou o seu. O candidato Aécio Neves afirma que apresentará antes do primeiro turno o seu plano de governo, se não estiver empurrando de barriga, digo eu, e a presidente disse que o apresentará apenas em doses na TV. Fico imaginando que tipo de presidente teremos, se o ainda candidato a ser o chefe de uma nação da grandeza do Brasil segue a orientação de um marqueteiro, que provavelmente não teria a mínima condição de ser ele o presidente. E tem mais, como um candidato ao mais alto posto da Nação se nega a apresentar de que forma conduzirá os destinos do País, se eleito for. Para mim, é a mesma coisa que pedir um cheque em branco ou, guardadas as devidas proporções, do que comprar um produto na rua de um camelô, sem saber se o mesmo é de boa procedência e se tem mesmo os atributos necessários ao uso a que se destina. Cada vez mais fica evidente que o uso de marqueteiros pelos candidatos a cargos públicos elegíveis deveria ser terminantemente proibido e qualquer propaganda assemelhada àquela que o PT apresentou contra a candidata Marina Silva sobre o Banco Central deveria ser severamente punida, e, na reincidência, a candidatura seria cancelada. A escolha de um presidente da República, ou outro cargo de importância para o País, não pode ser tratada como um produto qualquer, que se procura vender, ou mesmo impingir, por meio de forte apelo comercial. Tem razão o cientista político Fernando Antônio Azevedo, que afirmou em seu artigo, que acompanha a matéria aqui tratada, “as campanhas continuam a ser um momento único em que o cidadão pode escolher não só seus dirigentes, como as políticas para o País. É por isso que os programas importam e fazem falta na atual competição eleitoral”.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

O RISCO DE LULA

Uma coisa está muito clara para mim. Lula vai fazer o possível para manter o PT no “puder”, seja com Dilma ou com Marina devidamente enquadrada, sempre pensando em si próprio e SÓ em si próprio.   O risco que ele não pode correr é de o PSDB voltar e começar a levantar toda a bandalheira que o PT fez desde o dia que assumiu o governo. O primeiro a ser investigado e que será presa fácil é o próprio Lula, primeiro por meio de seu filho, que era um mero funcionário do zoológico de São Paulo antes de o papai assumir o “puder” e hoje é um dos maiores pecuaristas e fazendeiros do País (haja comPeTência), depois por meio de todas as negociatas e mensalões que, com certeza,  ainda irão explodir e nos quais ele está diretamente envolvido. Pena é que o povo tem memória curta e em pouco tempo estará reelegendo o próprio e toda esta corja, a exemplo do que já estamos vendo nesta eleição, tendo Russomano, Maluf e Garotinho (sem falar em Tiririca) liderando as pesquisas de intenção de votos.

Ariovaldo Marques arimarques.sp@gmail.com

São Paulo

*

VOLÚVEIS OU MAL INFORMADOS

Os resultados das pesquisas de intenção de votos e as opiniões de alguns eleitores me deixam em dúvida se somos volúveis ou mal informados. Pelo jeito, muita gente não entende que para ganhar a eleição no primeiro turno o candidato precisa de 50% + 1 voto, do total de votos válidos. Portanto, pouco importa a posição de seu candidato preferido, o que deve prevalecer é sua convicção na escolha. No segundo turno é outra conversa, mas mesmo assim é detestável que exista eleitor que afirma: vou votar no fulano para não perder meu voto. Arre égua.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

MAIS RACIONALIDADE

A situação da política no Brasil é de tirar o sono de qualquer cidadão razoavelmente informado, porem eu sempre durmo bem, porque fico pensando, até que o sono venha: “Bem que amanhã poderia começar uma nova era no Brasil, em que a insanidade patrocinada pelo PT passasse e uma névoa perene de racionalidade tomasse o nosso povo”.

Jose Rosa jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

*

FIDELIDADE

 

Em 1959, Hollywood produziu um filme extraordinário: “Quanto Mais Quente Melhor” (Some Like It Hot). No início do filme, Jack Lemmon e Tony Curtis, para fugir de gângsteres de Chicago, vão tocar em uma banda só de moças, uma delas Marylin Monroe, a Sugar Cane. Lemmon se transforma em Daphne e Curtis, em Josephine. No final do filme, Daphne, para se livrar de um milionário apaixonado, apresenta uma lista que inclui de “eu fumo” até “não posso ter filhos”, mas o milionário não se abala. Desesperado, Jack-Daphne tira a peruca e revela: “Sou um homem” e a resposta é impagável: “Ninguém é perfeito”. Impossível não fazer um paralelo com a fidelidade petista. Depois de tantos crimes cabeludos, Dilma e Luiz Inácio não perdem a arrogância, os Ibopes marcam 39% e seus asseclas repetem: “Ninguém é perfeito”.

 

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br 

Rio de Janeiro

*

EM BUSCA DE DEMOCRACIA

Imaginem se em pleno regime militar a Arena usasse metade das mentiras contra o MDB que o PT está usando contra seus adversários nesta eleição de 2014? Os artistas, a Igreja Católica, os intelectuais, os empresários e uma parte da imprensa, todos se revoltariam num barulho estarrecedor, e com muita propriedade, contra este tipo de arbitrariedade. Muito bem, nos dias de hoje, o partido deste desgoverno há longos 12 anos no “pudê”, e sem querer largar o osso, faz uso de cabeludas mentiras, calunia seus adversários e usa de todo tipo de mesquinhas propagandas enganosas, e ninguém da sociedade esboça a mínima expressão de condenação, a não ser uma parte da imprensa. Estamos vivendo atualmente os mesmos ares que a Venezuela viveu com Chávez quando da implantação da ditadura bolivariana. O aparelhamento do Estado já está efetivado em todos os setores, Legislativo, Judiciário e empresas estatais, e a corrupção brotando das entranhas destas empresas naturalmente, sem a preocupação de serem descobertas. Ainda temos tempo de mudar este quadro sombrio que pode ser instalado em nosso ainda democrata país, basta votar consciente e firme em outubro de 2014, em candidatos enraizados com a verdadeira democracia, tão procurada e desejada por todos nós quando da vigência do regime militar em nosso querido Brasil.

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté 

*

CAMPANHA DE MENTIRAS

O PT demonstra que continua extremamente craque em sua tarefa mais básica: difamar os adversários e jogar os cidadãos uns contra os outros – sempre com interesse próprio, postergar-se no poder. Enquanto acusam caluniosamente Marina e Aécio de quererem destruir o Brasil, eles (petistas) se vendem como salvadores da Pátria, descobridores do Brasil, fiéis da balança e Olimpo da seriedade e da credibilidade. Pena que o povo é burro e custa a observar a verdadeira realidade.

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

HONORÁVEL SARNEY

José Sarney, que andava meio sumido das páginas dos jornais, reaparece dizendo que Marina Silva tem cara de santinha e vontade de ódio, num ataque direto àquela que declarou que não há lugar no seu governo para políticos da espécie dele. Fico na torcida para que ele tenha acertado nessa “vontade de ódio” de Marina, pois será bastante bem-vindo um ódio imenso à maneira de fazer política protagonizada pelo “honorável” Sarney e por assemelhados, que tanto mal tem feito ao Brasil.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

SANTA!

Sarney está enganado. Marina é com todas as letras “uma santa”, porque conviver ao seu lado no Senado durante 16 anos, vendo toda tramoia, conchavos e roubalheiras protagonizadas por ele e sua patota, dinheiro de todos os brasileiros sendo jorrado para o Maranhão, Estado mais atrasado do País, e sabendo que esse Estado sob tutela de Sarney e família não melhorou um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 50 anos, é para matar qualquer santo de raiva. Ela ultrapassou o limite do suportável! Só sendo raivosa mesmo! Marina é a “Rainha das Santas” só por ter aturado Sarney nesses 16 anos! Ela deve ter incorporado o sentimento de raiva pelo coronel do atraso que todos os brasileiros conscientes sentem.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

SECA

Sugestão para a marquetagem petista: Dilma tem mais gordura para resistir à seca do que Marina.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

CARTA PARA AÉCIO NEVES

Estimado sr. Aécio Neves, tenho 91 anos de idade.  Sou escritora. Sei o que é certo e sei o que é errado. Leio diariamente revistas e jornais (mormente o “Estadão”) e é com o coração apertado que, notando todas as recentes mentiras de um contingente de outros políticos (seus adversários), eu peço ao senhor, já agora que estamos às vésperas do “confronto”, para tentarmos mudar o atual destino deste espoliado e sofrido País, que seja veemente nos seus pronunciamentos ao público. Não perca tempo, seja contundente. Alerte mais e mais os eleitores. Eu o quero ver mais resoluto, com coragem plena, falando claramente, denunciando e sustentando a verdade sobre os governos sujos que emporcalharam e inundam com vexames e falcatruas a nossa Democracia. Assim como reclama a consciência nacional, eu e milhões de outros eleitores o vemos e o queremos como o paladino de nossa redenção moral, o redentor político do Brasil. Não permita, por favor, ainda em tempo, que o nosso País seja governado pela desonestidade, pela insensatez e pela corrupção absurdas que hoje existem. Eu o quero ver na Presidência desta nossa honesta República, para honrar e revigorar a esperança e a confiança que devemos ter em quem nos governa. Esta é a minha voz, sincera, e é também, por certo, a voz de todo o legítimo cidadão brasileiro.

 

Nêmesis Rossi Cossi amiciscossi@gmail.com 

Jundiaí

*

UMA ELEIÇÃO SABÁTICA

 

Guido Mantega anunciou redução de Imposto de Renda para a indústria. Trata-se de estratégia para resgatar a confiança do empresário em Dilma Rousseff, ou seja, não é para o bem do Brasil, mas para o bem de Dilma. Isso reafirma o que já se sabe, há anos: o PT não tem um plano de governo, mas um plano de poder. Pouco importam o País, a decência, a dignidade, desde que mantenham o poder. Nada se faz pelo Brasil, mas apenas para ganhar as eleições, custe o que custar, o que responde pelos péssimos índices econômicos, “nunca antes na história deste país”, pela destruição da Petrobrás e da Eletrobrás, pelos 39 ministérios, pela corrupção repetida, pelo desvio e desperdício de dinheiro público, pela absurda inapetência em realizar as reformas decididamente indispensáveis para o desenvolvimento do Brasil e pelo apequenamento ético e moral que se observa em tudo. Desde a estrela do PT plantada no Palácio da Alvorada se soube que a estratégia era subordinar o País ao partido. A mostra de que isso já se esgotou foi que, quando Dilma subiu dois pontos na pesquisa de intenção de voto, a Bolsa de Valores caiu e o dólar subiu! Ninguém mais acredita nessas promessas vãs, nessa fábrica de engodos, nessa sucursal de calúnias e baixarias. Está mais do que na hora de mudar, de renovação, de colocar no poder republicanos e patriotas, quem pense no poder usado apenas para transformar o Brasil, e não no continuísmo fracassado, no poder apenas pelo poder. O Brasil precisa, e muito, de uma eleição sabática, de refletir e ver que o que está não serve mais, e de ter a coragem de mudar.

Luiz Sérgio Silveira lsergio22@gmail.com

Rio de Janeiro

*

REFORMA POLÍTICA

O Brasil precisa de uma reforma política urgente. Atualmente, 32 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A maioria dessas legendas só visa a interesses próprios em benefício dos dirigentes políticos. Candidatos pobres hoje em dia não têm vez no atual sistema do País. Defendo o fim da reeleição para os gestores dos Executivos, federal, estadual e municipal. Esse procedimento traz prejuízo para a administração pública, o candidato permanece no cargo e até usa recurso público para investir em campanha eleitoral. O fim das coligações partidárias. Diretórios estaduais e municipais se beneficiam desse engodo, que não leva nem em votação aos seus filiados. Toma decisão isolada sem a participação da maior parte dos seus correligionários.

Manoel Limoeiro manoeljs127773997@hotmail.com

Recife

*

URNAS ELETRÔNICAS

Por que será que no Brasil o voto eletrônico não vem acompanhado da respectiva impressão do voto, como é feito nos EUA?

 

Sergio Diamanty Lobo diamanty18@gmail.com

São Paulo

*

O BRASIL E SUAS INSTITUIÇÕES

O que se pode esperar de uma nova gestão Dilma na Presidência da República? Mais corrupção e incompetência? Que moral tem a sra. Graça Foster para continuar presidindo a Petrobrás depois da tempestade de corrupção que desabou em sua gestão? Como é possível que o sr. José Maria Marin continue presidindo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) depois de protagonizar o maior vexame da história do futebol brasileiro? Como é possível que Renan Calheiros e Henrique Eduardo Alves continuem presidindo o Senado e a Câmara dos Deputados? Que dizer do novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que acha que o principal problema do sistema judiciário é a baixa remuneração dos juízes? Alguém espera alguma coisa do Ministério de Minas e Energia presidido pela nulidade Edison Lobão? O Brasil precisa acordar desse pesadelo em que vive! Não é mais possível que ninguém enxergue o que esta legião de corruptos e incompetentes está fazendo com o País.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

ELETRICIDADE – MODELO SETORIAL

 

Ao sugerir um grande debate sobre os caminhos para o setor elétrico nacional, o professor José Goldemberg relembra, no seu “Energia no próximo governo federal” (15/9, A2), o fantástico exemplo empresarial que foi a criação das Centrais Elétricas de São Paulo (Cesp), empresa de ciclo completo (com geração, transmissão e distribuição), nascida da fusão de 11 empresas paulistas sob inspiração de um grande engenheiro, o politécnico Catullo Branco.  Acreditava esse notável engenheiro – com inúmeras contribuições à engenharia nacional – que o País só sairia da sua situação “semicolonial e de economia dependente” se tivesse “energia elétrica barata e farta”. Por isso, embora membro do antigo PCB e ferrenho defensor das ideias marxistas, sua seriedade e elevados princípios éticos o levaram a buscar solução para São Paulo justamente no país pai do capitalismo moderno que tanto combatia. Pois foi no Tennessee Valey, nos Estados Unidos, que em 1941, de onde trouxe inspiração e experiência para os seus estudos; impressionado que ficou com a abrangência daquela obra de múltiplos aproveitamentos (produção de energia elétrica, controle de enchentes, navegação fluvial, saneamento, turismo, piscicultura e irrigação). Para um projeto maior, que o professor Goldemberg chama de “políticas de Estado”, basta entrar em sintonia com as ideias desse sábio politécnico da USP e completar sua obra no plano nacional. Tentativas de se introduzir eficiência num modelo sabidamente ineficaz é ir contra a necessidade da energia barata, farta e com qualidade. Não precisa ser nenhum entendido no assunto para concluir que a organização do setor numa determinada região em que o mercado é diluído, como o é da Amazônia, por exemplo, tenha de ser igual ao de regiões mais desenvolvidas, como o Sudeste. Pensando assim é que os EUA, um país territorialmente grande e com as mesmas diversidades socioeconômicas do Brasil, não tem um, mas vários modelos setoriais e – destaque-se –, com “poderes concedentes” descentralizados, normalmente por bacias hidrográficas. Esse centralismo brasileiro – calcado num gordo estatismo e num monte de empresas desnecessárias e sem patrimônio – é o que torna os serviços de eletricidade no Brasil tão caro e, apesar disso, desestimulante ao investidor.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

São Paulo

*

COMPETITIVIDADE

O que falta é uma política energética com preços competitivos aos produtores. A iniciativa privada não investe por falta de apoio, de retorno e contratos de longo prazo. Toda usina de açúcar, por exemplo, tem um grande potencial de gerar energia, só falta preço.

Ruy Queiroz ruy@dotsoft.com.br

São Paulo

*

MME X MMA

Ministério de Minas e Energia (MME) x Ministério do Meio Ambiente (MMA). Com possibilidade de Marina Silva ser nossa presidente, as discussões sobre o planejamento energético torna-se muito importante. O MME precisa planejar como irá produzir energia e quais os pesos das fontes em sua matriz energética (hidrelétrica, térmica, nuclear, eólica e solar). O MME deve demonstrar ao MMA a miopia ambiental quando só se analisa o projeto em questão, e não a matriz energética como um todo. Explicando: quando da análise da licença ambiental da Hidrelétrica de Belo Monte, deram como uma grande vitória  dos ambientalistas a diminuição do tamanho do reservatório, deixando praticamente a usina operando a fio d’água. O porquê da miopia é que  o MMA não enxerga que, com essa política de diminuição de reservatório, todo ano, em período de estiagem, termoelétricas serão acionadas para suprir a energia hidrelétrica que deixa de estar disponível pela falta de um reservatório maior. Como escreveu o professor José Goldenberg, muito mais cara, e eu diria muito mais prejudicial ambientalmente. Mas ainda podemos "salvar" Belo Monte construindo as futuras hidrelétricas a montante, com reservatórios maiores, que serão as "caixas d’água de Belo Monte.

Gilson S. Nakamura nakamuragilson@ig.com.br

São Paulo                                                                                                                                                                                            

*

E AGORA, JOSÉ?

Lulalá e dona Dilma incentivaram, o povo comprou e se endividou, a prestação subiu, a inadimplência cresceu, o desemprego chegou, o dinheiro acabou, a inflação disparou. E agora, José?

Milton Bulach mbulach@gmail.com 

Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.