Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO E ELEIÇÃO

O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2014 | 02h03

Nova dupla

Alberto & Roberto, a nova dupla na praça. Se cantarem tudo o que sabem, veremos um grande espetáculo de histeria, gritos, choro, cenas de imolação e muito descontrole emocional, de políticos e empreiteiros. Quem ficará feliz: banqueiros de paraísos fiscais, porque por longo tempo ninguém mexerá na grana.

SÉRGIO BARBOSA

sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

Pressa em mudar a lei

Como os medíocres legisladores são rápidos quando estão próximos de ser atingidos! Bastou a delação premiada da Petrobrás e já falam em alterar a lei para que eles saibam primeiro e fechem a boca do arquivo antes de ser aberta perante o Judiciário! Enquanto isso, o cidadão é punido pelos roubos e mortes que são frutos de uma legislação inversa.

ROBERTO NASCIMENTO

robenasya@yahoo.com.br

São Paulo

Socorro!

A presidente Dilma Rousseff todos os dias vai à TV e diz que a candidata Marina Silva, agora sua principal oponente, não tem experiência para ser presidente da República. Segundo ela, o cargo exige vivência administrativa e, obrigatoriamente, suporte emocional. E são justamente essas qualidades que a atual mandatária nunca teve. Como presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, sua incúria resultou em prejuízo de US$ 1,2 bilhão com a compra de Pasadena. Relatório falho e omisso é conversa para boi dormir. A empáfia, a arrogância, a mania de centralizar tudo foram a causa desse monstruoso mico. Como presidente da República, então, seu despreparo é patente. Recebe críticas de analistas nacionais e internacionais pela economia, que vai de mal a pior, e não arreda pé. Os índices, em parafuso, caem vertiginosamente, ao contrário da inflação, que sobe à velocidade da luz. Tem tratado a imprensa como a vilã por investigar e divulgar atos lesivos à Pátria e se mostra irritadiça e exasperada quando perguntada sobre as delações de Paulo Roberto Costa, questionamentos que a fizeram dar o cano em três entrevistas agendadas na televisão. Isso, sim, é preparo, meu Deus!

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Alienação

Se a mãe do PAC, ministra de Minas e Energia, chefe da Casa Civil, presidente do Conselho da Petrobrás e do Brasil não enxerga o esquema de poder do PT, os desvios do dinheiro público, as mancomunações, picaretagens, roubalheiras, quais são suas credenciais para gerir o País?

HELENA RODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

Marina, Dilma e as pesquisas

Se depois de todas as mentiras e baixarias contra Marina Silva, ela ainda se mantém empatada no segundo turno com a candidata que faz o diabo, é sinal de que as coisas não saíram exatamente como o PT gostaria. Se com quase seis vezes mais tempo de rádio e de TV e uma coligação de partidos que vai da extrema direita à extrema esquerda, com recursos financeiros ilimitados, enfim, a petista não consegue deslanchar, é sinal claro de que no segundo turno ela vai ter uma adversária muito mais difícil que no primeiro. Quanto às pesquisas, intriga-me como alguém que é rejeitada por 33% dos entrevistados tem seu governo mal avaliado por 28%. Os números não batem. Aliás, tem sido recorrente o fiasco dos institutos de pesquisas nas eleições, porém esquecemos isso e ninguém é cobrado pelos números discrepantes das enquetes e das urnas. Esta eleição será diferente?

SANDRO FERREIRA

sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

Terrorismo político

Caros eleitores, a eleição deste ano será a mais importante após a redemocratização e a Constituição de 1988. Estejamos alertas! A mentira corre solta nas propagandas do PT, que quer perpetuar-se no poder, implantando o bolivarianismo no Brasil. Dizem que a oposição vai acabar com o Bolsa Família e com a Petrobrás - cuja imagem já foi arranhada pela corrupção, denunciada pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa -, vai privatizar o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, além de extinguir direitos trabalhistas e muitas outras inverdades. É puro terrorismo político, para semear o medo na população pobre que recebe a indispensável bolsa para sua sobrevivência. Por isso a candidata Dilma diz que fará o diabo para ganhar a eleição, assim como Lula, em reunião do PT e endossando as palavras de Dilma, afirmou: "Eles não sabem o que somos capazes de fazer para ganhar as eleições". Também já falaram, na propaganda, que se Marina for eleita não terminará o mandato, como Jânio Quadros, que renunciou, e Fernando Collor, que sofreu impeachment. Que ameaças são essas, além das ameaças à liberdade de imprensa? Eduardo Campos, companheiro de chapa de Marina, faleceu num trágico acidente aéreo, ficando fora da eleição. O que poderá acontecer agora ou depois, se a oposição sair vitoriosa? Eleitores, o futuro do Brasil está em nossas mãos. Não percamos esta oportunidade única de salvar a nossa Pátria das mãos do lulopetismo. Salve o Brasil!

CLEITON REZENDE DE ALMEIDA

cleiton_rezende@uol.com.br

Araraquara

Alternância de poder

Collor apregoou que seu oponente sequestraria a poupança e assim ganhou a eleição. E foi Collor que fez o dito sequestro. Lula-Dilma apregoa que seus oponentes acabarão com o Bolsa Família e, certamente, é Lula-Dilma que o extinguirá quando conseguir acabar com a democracia e não mais precisar comprar votos. A melhor proteção do Bolsa Família é a alternância de poder.

SUELY MANDELBAUM

suely.m@terra.com.br

São Paulo

Não deixe para amanhã

No horário "gratuito", nossa presidente promete, caso seja reeleita, um programa de segurança igual ao da Copa (das Copas). Mil perdões, excelência, mas hoje quem governa o Brasil? Por que esperar, sabendo que no ano há 50 mil mortes? Faça já! E, por favor, peça aos seus marqueteiros, ao apresentarem um gráfico como o da evolução do Índice de Gini, um pouco de respeito às escalas e aos telespectadores.

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo

Demagogia

No momento em que os índices de roubos e latrocínios sobem em São Paulo, a propaganda eleitoral da presidente Dilma anuncia que criará comandos especiais semelhantes aos utilizados na Copa para combater a criminalidade?! Ora, por que não fez isso antes...?

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

LULA E A POLÍCIA FEDERAL

Segundo o divulgado recentemente pelo “Estadão”, a Polícia Federal (PF) tenta há sete meses ouvir, sem sucesso, o ex-presidente Lula. O objetivo da convocação é fechar o inquérito decorrente da investigação determinada pelo Ministério Público Federal, a fim de apurar o repasse ilegal de recursos da Portugal-Telecom ao PT, com base em denúncia do operador do mensalão, Marcos Valério, condenado e preso, formulada em depoimento à Procuradoria-Geral da República em 2012, segundo a qual Lula seria o intermediário da operação. Inacreditável que uma instituição policial pertencente ao Estado brasileiro não consiga interrogar um cidadão desprovido de regalias especiais, sem mandato político e, portanto, sem dispor do famigerado foro privilegiado. Ao esquivar-se, o ex-presidente, sob a alegação de estar assoberbado com o envolvimento na campanha eleitoral visando à reeleição de Dilma Rousseff, escarnece do aparelho investigativo federal e ostenta uma atitude típica de quem se considera uma espécie de proprietário do Brasil e, portanto, legitimado ao se enquadrar no velho chavão do "sabe com quem está falando?". Infelizmente, ele tem plena consciência que sua postura e sua herança de corrupção e escândalos, inúmeros, com desdobramentos no governo atual, que tenta a reeleição, não alterarão, ou pouco alterarão, a tendência de favoritismo possibilitada por seus eleitores, uma parte despreparada e atendida por programas populistas e demagógicos e outra, constituída por uma classe média – da categoria não odiada por Marilena Chauí – com forte viés ideológico, ultrapassado e míope. É um quadro triste e preocupante que enche de tensão a parcela consciente da sociedade. A verdade é que nossa frágil democracia precisa urgentemente de uma reforma de princípios, antes que desapareça num trágico sumidouro. Deus, olhe por nós!

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com
Rio de Janeiro

*
VALE PARA ELE TAMBÉM

Por várias vezes, Lula se esquiva do convite para depor na Polícia Federal. Na condição de ser ex-presidente da República, Lula se crê livre de satisfação a quem quer que seja, sobre desmandos. Ora, não reza o artigo 5.º da Constituição brasileira que "todos sã iguais perante a lei"? Já não chega essa prerrogativa vergonhosa de foro privilegiado, um ex-presidente, como procede um bom cidadão, deveria cumprir à risca seus deveres perante a lei, não se esquivando quando chamado a depor.
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
‘QUEM NÃO DEVE NÃO TEME’

A propósito da manchete de 25/9 do “Estadão” (“Lula diz não saber de convite para depor na PF”), vale lembrar que Lula nunca sabe ou soube de nada. Nem sei como conseguiu ser presidente da República. Pessoas de bem não devem esperar a convocação da Polícia para depor em tema de tamanha importância para o País. Ao contrário, apresentam-se espontaneamente. É, como diz o velho ditado, “quem não deve não teme”. Ou será mais uma mentira do PT?

Ary Braga Pacheco Filho ary.pacheco.filho@gmail.com 
Brasília

*
‘NÃO SEI’

Mais uma vez Lula “não sabe”... Os jornais publicaram o convite para Lula depor sobre o inquérito complementar do mensalão e ele diz não saber de convite para depor. 

Oswaldo Oshida oswaldooshida@uol.com.br 
São Paulo

*
QUANDO SERÁ?

Muito bem, ex-presidente Lula, agora que já soube pela imprensa do desejo da Polícia Federal por seu depoimento sobre o mensalão, podemos marcar a data para que tão importante testemunha colabore para o encerramento do inquérito. Ou não?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com 
São Paulo

*
A SAÚDE DE LULA

O ex-presidente anda abatido e magro. Talvez caminhadas diárias no Parque Celso Daniel fariam bem.

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com  
São Paulo

*
A POLÍCIA FEDERAL PÓS-PT

O ex-presidente Lula insiste na tese de que o Brasil foi descoberto em 2003, a partir do momento em que ganhou a eleição para presidente. Mas não foi somente o Brasil que foi descoberto no governo do PT; a Polícia Federal (PF) também. Basta aparecer um escândalo que a presidente Dilma, Lula ou qualquer autoridade do governo vem logo com a desculpa de que “sempre houve corrupção, acontece que agora a Polícia Federal investiga”. Se sabemos algo sobre a Operação Lava Jato, devemos às investigações da PF, mas, em outros governos, antes do descobrimento do Brasil por Lula, a PF sempre teve papel investigativo, é só lembrar o caso PC Farias e tantos outros. Lula e Dilma vendem a imagem de uma PF que não existia antes do PT. Ocorre que nunca se viu tanta corrupção como se vê no governo do PT. As pessoas da PF poderiam se defender se quisessem, já Pedro Alvares Cabral não pode se manifestar. E o povo, que é um eterno ingênuo e crédulo de conversa afiada, salvo raras exceções, continua votando errado. Assim fica difícil melhorar este país. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com
São Paulo

*
MELZINHO NA CHUPETA

O senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da CPMI da Petrobrás, quer mudar a lei para ter acesso ao conteúdo da delação premiada (“Estado”, 28/9, A4). Excelência, não tem de mudar é nada, com perdão do trocadilho, é vital que a lei continue como está. Em todas as CPIs instaladas até agora o estardalhaço foi geral e, desde o começo, mesmo tendo a certeza de que os envolvidos estavam seriamente comprometidos com irregularidades, acabaram em nada. Por quê? Ora, só para colher o número de assinaturas, definir presidente, relator e ser instalada demora um século, tempo suficiente para que envolvidos e seus pares tramem e ensaiem, fato rotineiro nestas comissões, a estratégia de defesa. A diretoria principal fica sempre com os governistas e os parcos oposicionistas são meros coadjuvantes. Claro exemplo dessa descompostura foi a que investigou Carlinhos Cachoeira, construtoras e governadores, e após vários meses de enganação, o compadrio prevaleceu. Portanto, é imperativo que as informações obtidas em delações premiadas, principalmente estas envolvendo a Petrobrás, fiquem, até que o inquérito seja concluído, restritas ao Ministério Público, órgão competente e que goza de credibilidade perante a população.
 
Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí

*
LEIS NÃO ATINGEM EMPREITEIRAS

O “Estadão” de 25/9 publicou uma notícia semelhante a outras parecidas e extremamente frequentes: “As empreiteiras Camargo Corrêa, OAS e Odebrecht envolvidas em superfaturamento das obras da refinaria Abreu e Lima”. Têm sido enormes os desvios de dinheiro da Petrobrás em obras que deixaram a empresa quase “quebrada”. E empreiteiras concorreram com diretores da estatal no desvio de recursos. É impressionante, também, que estas e outras grandes empreiteiras há anos aparecem em jornais pilhando obras governamentais. Até agora nada acontecia e pode-se ver que elas ganharam muito dinheiro com esses procedimentos. Estão riquíssimas e em grande parte com dinheiro subtraído do Estado. A nova legislação que, afinal, reconheceu que empreiteira roubar o governo é crime deve começar a funcionar. Entretanto, os milhares de roubos realizados por essas empresas serão esquecidos. Agora, extremamente ricas, poderão contratar as melhores bancas de advogados e darão, certamente, muito trabalho à Justiça, exceto nos casos em que poderão resolver o assunto com juízes “facilitadores”, da forma como agem hoje com as obras públicas. Provavelmente, assim como roubavam descaradamente os governos federal e estaduais, encontrarão certamente uma forma de ultrapassar dificuldades com a Justiça, e tudo voltará à mesma. 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*
O HOMEM POLÍTICO NA PETROBRÁS

Ao dar uma breve olhada nas cadernetas de Paulo Roberto Costa disponível na internet, entendemos que ele não trabalhava na Petrobrás. Estava acampado lá como representante da nossa “idônea classe política”. Dá para fazer um livro de tanta falcatrua. E a presidenta gerenta Dilma não sabia de nada? Pensa que é fácil ocupar cargo de confiança? Precisa ter capacidade, que, pelo desconhecimento do assalto feito a Petrobrás, ela não tem. Se errou por ação, errou por omissão. E pensar que na propaganda política Dilma acusou Marina Silva de incapacidade para ocupar a Presidência. Pelos desastrosos quatro anos, com a economia capengando, roubos astronômicos aos cofres públicos, ela também não. Fora!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
DILMA SOB SUSPEITA

Quem garante que a presidente Dilma, sob ordens do ex-presidente Lula, não é a chefe da quadrilha criminosa que age na Petrobrás? O “Paulinho” do Lula está preso e vai falar, depois das eleições, claro, mas a chefe dele, a amiga Graça Foster, continua presidindo a Petrobrás. Claro que todos terão de ser mais cuidadosos com as propinas, roubar um pouco menos até a poeira abaixar, mas nada mudou na empresa desde a eclosão do maior escândalo de corrupção da história, e, se depender da presidente Dilma, nada vai mudar, afinal não se mexe em time que está ganhando de goleada. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br  
São Paulo

*
ESCÂNDALOS

Getúlio Vargas, por escândalo de Gregório Fortunato, seu assecla, suicidou-se. Era um escândalo infantil perto das monstruosidades que estamos a ver. Fernando Collor renunciou para não ter o mandato cassado, via impedimento do Congresso Nacional. Nada se provou contra ele, tanto que foi inocentado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Outros escândalos se sucederam, mas nenhum com tamanhas gravidades como os ocorridos no mensalão e na Petrobrás. São estarrecedores. Mas não têm a força para impulsionar um impedimento governamental por parte de nosso Congresso, porque estão todos adredemente convencidos de que o poder é mais importante que a ética e a moralidade. E os eleitores que se virem. Não estamos transitando por fatos delituosos merecedores do impeachment de Dilma Rousseff? Num país verdadeiramente sério não ocorreria a providência?

José C. de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br 
Rio Claro

*
ABUSO DE PODER

O candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) tem absoluta e total razão em afirmar que a distribuição de 4,8 milhões de panfletos do PT pelos Correios, e sem a chancela, revelam “abuso de poder”, para a campanha de reeleição da dona Dilma. E e$$e não é o primeiro nem o último, é um dos muitos abusos cometidos pelo atual desgoverno do PT. Mas como o PT já provou que tem o Supremo Tribunal Federal (STF) nas mãos, não acontece nada... É o País da impunidade! Se tivé$$emos um Congresso capaz e independente, mas este não é o caso. Nem pensar no impeachment da presidente? Será que nem ao menos perde a “vergonha” de continuar tentando a reeleição como se nada tive$$e acontecido? E$$a é a democracia que temos? É lamentável... Será que vai ficar por i$$o mesmo?
 
Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br  
São Paulo

*
DILMA EM CAMPANHA NA ONU

São tantas entrevistas, tantas sabatinas, tantos debates, tanta leitura de textos e tanta mentira, enfim, tanto do mesmo, que nem dona Dilma Rousseff, nem João Santana, nem o presidente Ban Ki-Moon, nem todos os presentes à abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York, notaram que mais um texto de campanha para a reeleição de dona Dilma foi trocado pelo pronunciamento oficial da presidente.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br
São Paulo

*
O DISCURSO DA PRESIDENTE

O povo, na linguagem popular, sempre diz “pau que nasce torto morrerá torto”, “quem foi rei nunca perde a majestade” e “santo do pau oco”, agora poderá acrescentar “quem foi terrorista sempre será uma” e também “um petralha, esteja onde estiver, sempre estará em campanha eleitoral”.
 
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com 
São Paulo

*
BOCA DE URNA

Na ONU, Dilma frustrou os diplomatas: não distribuiu santinhos...

A.Fernandes standyball@hotmail.com  
São Paulo

*
POUCO IMPORTA

Se Dilma fez, ou não, um discurso político na ONU aproveitando para enaltecer dados duvidosos de criação de emprego e indicadores sociais, isso pouco valor tem, pois o público que ela precisa atingir para mudar o grau de aceitação do seu governo não se sensibiliza com falas preparadas por seus marqueteiros, mostrando um Brasil irreal do PT, aquele onde todos gostariam de viver, se ele existisse. Também não altera em nada a aceitação do seu governo por aqueles que já são seus eleitores, pois nenhuma atenção eles prestam a esses discursos, bastando para eles que o Bolsa Família chegue direitinho ao fim de cada mês.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro 

*
DIÁLOGO COM O ESTADO ISLÂMICO

Na contramão da totalidade do mundo islâmico, dona Dilma Rousseff deve insistir no diálogo como a melhor forma para solucionar conflitos internacionais. Seu argumento, para convencer os líderes do Estado Islâmico (EI), deverá ser o mesmo que o seu padrinho, Luiz Inácio Lula da Silva, usava quando era presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, que considerava como “o pior erro é a proposta de não conversar com os patrões”. 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
HUMILHAÇÃO

Péssimo exemplo deu Dilma com seu "discursinho" de apoio aos terroristas na ONU. Quem será que a instruiu a afirmar as baboseiras que sempre usa contra os Estados Unidos? Só que desta vez brincou com coisa muito séria: os terroristas do Estado Islâmico não querem diálogo, eles degolam quem se atreve a enfrentá-los. Dilma deveria ter uma postura de estadista, mas isso parece que ela não consegue. Sua postura foi uma humilhação para o Brasil!

Leila E. Leitão
São Paulo

*
VEXAME NA ONU

A exemplo da grande maioria de leitores do “Estadão” e, com certeza, de significativa parcela do povo brasileiro, também fiquei indignado com o discurso pronunciado pela presidente do Brasil, que em absoluto representa a população brasileira mais esclarecida, ressalvados aqueles que o fazem por firme convicção política. Contive o meu ímpeto de escrever de imediato a este espaço, em respeito ao cargo e para não me expressar sem a devida civilidade. Somente a parcela da população subjugada pela ignorância a que é submetida por uma política educacional deficiente, cuja origem está no termo consubstanciado de que “povo ignorante é mais fácil de dominar”, vota em políticos despreparados e demagogos, que prometem em época de eleições realizar o impossível. Um dos exemplos mais significativos tanto nas últimas eleições como nas próximas, segundo as pesquisas, é a maciça votação que teve e que provavelmente terá agora em outubro o hoje deputado federal Tiririca, que se apresenta como “abestado”. E somente um Congresso Nacional composto de homens dignos e com espírito público pode exercer as suas funções numa democracia, sejam eles adeptos das mais diversas ideologias. Mas a nossa realidade é exatamente oposta. Igualmente, a Presidência da República deveria ser ocupada por um político muito capacitado, honesto e com uma indispensável visão de estadista, para dirigir o País não pensando nas próximas eleições, nas vantagens que pode conceder aos seus partidos coligados e a seus partidários e, para tanto, se alia a todos independentemente de ideologia e caráter, em nome do que denominam cinicamente de governabilidade. Pois foi por causa dessa nossa realidade que a presidente Dilma Rousseff chegou ao poder e, como nossa máxima representante, nos envergonhou ao se pronunciar na Assembleia-Geral da ONU contra o uso da força para derrotar os assassinos do denominado Estado Islâmico. Embora não o citasse explicitamente, como declarara na véspera aos jornalistas, ou seja, de que lamentava o ataque norte-americano contra o grupo islâmico e que resultara na morte de 70 pessoas e que é a favor de um diálogo. Ora, esse grupo vem atacando as cidades no Iraque e na Síria e, ao conquistá-las, simplesmente mata todos aqueles que se negam a se converter ao que eles chamam de religião. Numa só cidade mataram 250 pessoas. Como a presidente do Brasil pretenderia negociar com estes bárbaros e seu fanatismo insano que os leva a cometer atrocidades em nome de sua crença? Foi um vexame que certamente será mais um destaque nos anais da ONU. É por essa e por outras que as nações do planeta não aceitarão o Brasil no Conselho de Segurança da ONU.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
‘ANÃO DIPLOMÁTICO’

O discurso de Dilma Rousseff na solenidade de abertura da 69.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova York, diante de chefes de Estado e representantes de cerca de 200 nações do mundo, foi o de um gigante ou o de um “anão diplomático”? 

J. S. Decol decoljs@globo.com    
São Paulo

*
NEGOCIAÇÃO

Dona Dilma é contra bombardear o Estado Islâmico, ela acha que a solução é negociar. Sugiro que ela viaje até lá, quem sabe resolvemos um problema.

Ary Nisenbaum aryn@uol.com.br
São Paulo

*
NÃO NOS REPRESENTA

É difícil de acreditar: as atrocidades cometidas pelos assassinos de inocentes no Estado Islâmico não são o bastante para dona Dilma querer que sejam bombardeados, ela quer dialogar com os assassinos de inocentes! Como é possível que o Brasil tenha uma "presidenta", além de ex-terrorista, ainda por cima complacente com os atos bárbaros destes seres abjetos? Se podemos fazer um "recall" de carros, por que não de uma "presidenta" que não nos representa?
 
Pirjo Annikki Lehto-Gomes nickylehto@uol.com.br 
São Paulo

*
EVOLUÇÃO

Notei que houve certa evolução no discurso da nossa presidente na ONU. Em momento algum ela usou os jargões do PT, tais como “não fui eu”, “não sei” e “não sabia”.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br
São Paulo

*
TIRIRICA

O deputado federal candidato à reeleição por São Paulo apontado pelas pesquisas como possível recordista de votos não representa a vontade dos paulistas em terem-no como seu representante, mas simplesmente uma forma de protestar contra a classe política, da mesma forma como no passado foi eleito o rinoceronte Cacareco.

Caio A. Bastos Lucchesi cblucchesi@yahoo.com.br 
São Paulo

*
A BREVE GREVE DOS CORREIOS

Nunca antes na história deste país a greve dos funcionários dos Correios foi encerrada tão rapidamente, pois começou na semana passada e terminou na quarta-feira (24/9). Tudo foi resolvido rapidamente com o sindicato da categoria, pois não podemos nos esquecer de que estamos em plena campanha eleitoral e que os panfletos da candidata do PT, Dilma Rousseff, precisam ser distribuídos rapidamente, pois ela corre o risco de não ser reeleita. E ainda tem muita gente filiada aos seus sindicatos e pagando mensalmente para eles "defenderem" seus direitos. Em minha opinião, acreditar em sindicato é o mesmo que acreditar em Papai Noel. E os bancários, entrarão em greve, sabendo que o País está em crise e que muitos poderão ser demitidos?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
DESABAFO

Isto é um desabafo contra os péssimos serviços prestados pelos Correios, e eles nem se importam com seus usuários. É encomenda que some, é o sistema de rastreio que não funciona, é tudo. Eu enviei uma encomenda para a França como registrada, e ela sumiu. Depois desse fato, passei o usar o sistema EMS e com seguro serviço, esse que deveria me dar diversas vantagens, como rapidez na entrega e rastreio total, mas vejam o que aconteceu comigo: em abril minha mulher enviou para a Alemanha uma encomenda em que o número é EB106776475BR por EMS e com seguro, só que essa encomenda sumiu e eu questionei os Correios. Desde então, recebo e-mails que nada dizem e não atualizam o sistema de rastreio ou pagam o seguro, e chegaram ao cúmulo de dizer que eu deveria procurar o Correio alemão. Isso é agir de má-fé. Hoje dá vergonha de nossos Correios, que já foram considerados entre os melhores do mundo. Além dos extravios, vejo na internet vídeos de funcionários que abrem caixas com encomendas e roubam o que está dentro, caso seja um produto de valor. Eu pergunto, até quando os Correios tratarão seus usuários com desrespeito?

Paulo Souza Daneu paulo@tempusvivendi.com.br 
Sorocaba 

*
O ‘ERRO GRAVE’ DO IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) corrigiu no dia 19/9 os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilio (Pnad) divulgados no dia 18/9. A presidente do instituto, Wasmália Bivar, pediu desculpas por erros extremamente graves. Disse ela que resultados alterados em 7 Estados, segundo o IBGE, levaram aos erros. De acordo com as novas informações do instituto, a desigualdade social diminuiu, em vez de leve aumentar, como indicou o resultado da pesquisa divulgada no dia 18/9. Já o índice de analfabetismo caiu de 8,7% em 2012 para 8,5% em 2013, e não 8,3%, como havia sido exposto pela imprensa. Segundo Wasmália Bivar, as correções não aconteceram por intervenção política. Sinto cheiro de mais uma manipulação para proteger Dilma.
 
Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br 
Volta Redonda (RJ)

*
ACABANDO COM O BRASIL

O PT (Perda Total), em 12 anos, conseguiu: tornar ainda mais putrefato o Legislativo, aparelhar e, assim, tornar suspeito de qualquer decisão o STF, aparelhar os Correios, afundar a Petrobrás e acabar com a credibilidade do IBGE. Continuem votando neles, que nos próximos quatro anos a tarefa de acabar com o Brasil será concretizada.

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com 
São Paulo

*
CORREÇÃO DA PNAD

Tô sentindo um cheirinho de Venezuela no ar...

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com
São Paulo

*
APURAÇÃO

Esta questão dos erros do Pnad tem de ser apurada. Agora, em plena campanha eleitoral, fazer isso passa a imagem de pressão governamental, embora alguns itens da pesquisa tenham apontado piora dos indicadores. Para mim, não vejo diferença nenhuma em o índice Gini ter melhorado, passando de 0,498 para 0,495. Três milésimos. Bem, se alguém me mostrar qual a diferença de alguém se jogar do 40.º ou do 39.º andar, talvez eu veja uma melhora neste índice. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
IBGE INDEPENDENTE

Eu acho que, além da independência do Banco Central, agora vamos debater também a independência do IBGE. Se não, teremos de criar o 40.º ministro: da contabilidade criativa.

Moises Goldstein moisesgoldstein1@gmail.com 
São Paulo

*
O IBGE QUE NÃO SE DOBRA

Se a Petrobrás é vassala do governo, se o Banco Central não é autônomo, se Dilma derrubou Agnelli da Vale por querer ser independente, por que acreditar que o IBGE – com quem andou às turras em passado recente – cometeu apenas um “erro banal” (sic), como disse a presidente? O erro do instituto foi divulgar a falha desfavorável ao governo antes do segundo turno, graças à reação rápida dos indignados funcionários de carreira.

Roberto Viana Santos rovisa681@gmail.com 
Salvador

*
PNAD RETIFICADA
 
Muito simples, dona Dilma. Basta S. Excia. parar de obrigar o IBGE a distorcer resultados de pesquisas que denigrem sua já desgastada gestão.
  
Celso Vicente Fiorini celsofiorini@ig.com.br 
São Paulo 

*
DESVIO NA BAHIA

O PT na Bahia desviou milhões destinados a programas de moradias para pobres. O dinheiro ia para o partido beneficiando um senador, dois deputados federais, o atual governador e um ex-ministro de Dilma, revela a revista “Veja” desta semana. Depois de tantos escândalos chocantes revelados nestes últimos dias ocorridos na Petrobrás, além do já desastroso mensalão e tantos outros episódios de ministros defenestrados envolvidos em malfeitos, tantas ilicitudes protagonizadas por gente grossa deste Partido, como imaginá-los – estes que ocupam as páginas de jornais diariamente e que vivem fazendo o diabo com essa compulsão destrutiva ao roubo e às ilicitudes – possam continuar no poder? Que gente analfabeta e alienada, dependente dos benefícios, permaneça indiferente, sem noção do comprometimento que tudo isso representa para o futuro do País é, de certa forma, compreensível. Mas pensar que intelectuais e artistas influentes, com acesso a todas as informações necessárias para formar um juízo de valor, avalizem tudo isso, com gestos de beija-mão ou gritos de ódio contra a classe média porque esta se revolta contra a imundície que testemunha, isso escapa de fato, a qualquer lógica. Será que falta-lhes a compaixão pelo povo, ou então a noção das consequências no plano ético que tudo isso representa a curto, médio e longo prazos para o Brasil, carcomendo e deteriorando uma ambiência de valores éticos e democráticos tão necessários para o desenvolvimento integral de nosso país? Se o PT vencer, serão poucas as chances de que tais condições sejam recuperadas algum dia. Irão embora os anéis e os dedos também. Seremos uma nação moralmente aleijada para sempre. Mas tal angústia só está a remoer a alma dos indignados. Não toca, porém, o coração dos indiferentes habituados a viver olhando para o próprio umbigo e acomodados à sua confortável vidinha.   
 
Eliana França Leme efleme@terra.com.br 
São Paulo 

*
ESTRAGOS

Estamos bem próximos do que aconteceu com a falida URSS. Se o PT continuar no poder, é preciso apenas que surja um Gorbachev, o Brasil feche para balanço e vamos recomeçar tudo de novo, o que os comunistas não conseguiram em 1964. Quanto mais tempo no poder e no "pudê", mais estrago.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com
São Bernardo do Campo

*
DE JOELHOS

O PT está pondo o Brasil de joelhos, acabando com a nossa democracia, tão duramente conquistada, cinicamente desafiando todas as instituições Republicanas que devem servir ao Estado, e não ao governo nem a nenhum partido político, nenhuma associação, nenhuma entidade pública ou privada, ninguém faz nada! Nada de nada, zero do contestação, de oposição, zero de atitude para proteger o que nos está sendo tão descaradamente roubado. É isso mesmo? Vamos ficar calados e ajoelhados assistindo a esta procissão que carrega à sua frente um andor repleto de facínoras que se fazem passar por serafins e querubins? Alguém pode explicar?

José Antonio Melo e Silva melosilva02@hotmail.com  
São Paulo

*
MENTIRAS E MENTIRAS

Uma vez que Dilma não se importa nem parece se incomodar em responder a todas as perguntas que lhe fazem com mentiras deslavadas – e o jogo eleitoreiro permite essa postura –, haveria algum problema em perguntar mentiras (se se pode responder com mentiras, por que não perguntar também mentindo)? Exemplos dessa minha hipótese: 1) Candidata, você submete sua mãe a maus tratos dentro da residência oficial? 2) Você espanca seu netinho? 3) Erenice Guerra repassa porcentagens à senhora? Quem sabe se, ao negar perguntas mentirosas, o eleitor possa ouvir alguma resposta verdadeira da boca dessa mulher que, assumidamente, "faz o diabo" nestes tempos de promessas vãs.

Tiago Pavinatto pavinatto@me.com 
São Paulo

*
FALTA UMA SEMANA

Estamos nos aproximados do dia 5 de outubro. Não vejo nos guias eleitorais nenhuma proposta dos três principais candidatos a presidente da República que traga benefício à população brasileira. Primeiro, a saúde pública não está nada bem, com 12 anos do PT no poder. O povo sofre nos hospitais com a falta de uma infraestrutura adequada e não é atendido corretamente. Estou cansado de assistir a debates na TV e nenhum desses presidenciáveis cita este problema que nunca teve solução no País. Outro exemplo: a segurança pública. Só espero que a força dos nossos votos dê uma boa resposta nas urnas.

Manoel Limoeiro manoeljs127773997@hotmail.com 
Recife

*
ELEIÇÃO PERDIDA

Dos 11 candidatos à Presidência da República, somente dois demonstraram sua capacidade de gestão: Dilma e Aécio.  Minha esperança é que nos próximos quatro anos sejam permanentemente avaliadas as administrações dos 26 Estados brasileiros, comparando métodos, resultados e aqueles executivos que demonstram melhor capacidade de gestão. Cria uma competição anual do melhor administrador. Que na eleição de 2018 os partidos apresentem somente candidatos que tenham sido governadores. Com 76 anos, não sei se ainda terei essa oportunidade. Voto desde outubro de 1958, não voto em branco, não anulo meu voto e não deixo de votar. Se tem dois candidatos, um é mais adequado.

Alfredo M. Dapena alfredomdapena@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
VOTO FACULTATIVO

Na maioria dos países o voto é facultativo. Por mais que o brasileiro seja obrigado a votar em todas as eleições, ele não aprende a votar corretamente e sempre escolhe mal os seus dirigentes – vide os políticos que aí estão. Dia 5 está próximo, esperemos que tenham aprendido a votar. Pobre Brasil!

Francisco Jose Cardia fra.cardia@hotmail.com 
São Paulo

*
PLEBISCITO

Todos os candidatos falam que o Brasil precisa mudar. Até Dilma, há quatro anos no poder, fala em mudança. Um país pode mudar adotando outro país como modelo. Por suas raízes históricas, Dilma e o PT só conhecem dois modelos, Cuba e EUA, um dos quais não aceitam. Muitos brasileiros que enxergam o que está acontecendo no Brasil estão de mudança para Miami. Tenho a certeza de que todos, se pudessem, fariam o mesmo. No próximo dia 5 o povo brasileiro terá a oportunidade de decidir qual mudança prefere. Aqueles que acreditam em Dilma votarão nela aceitando mudar para Havana. Já os que prefeririam mudar para Miami votarão em Marina ou Aécio. Não será uma eleição. Será um plebiscito. Só há um futuro para o País. As passagens estão disponíveis para ambos os destinos e a escolha depende do apertar de uma tecla. Boa viagem, Brasil!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
DILMA OU MARINA

Na quarta-feira à noite, comemorando os 5.775 anos judaicos, ouvi uma discussão entre rapazes (não é a “rapaziada do Brás”, garanto) sobre os votos para Dilma ou Marina. A dúvida persiste se “a minha gente sofrida esquecida da dor” vai votar na ex-guerrilheira Dilma ou dar a vitória a Marina Silva. Ah! A dúvida persiste para este velho poeta tardio e recolhido, em outubro nas eleições “ver a banda passar”...

Fernando Averbach reginalili@yahoo.com 
São Paulo

*
NOS PRÓXIMOS QUATRO ANOS...

Meu magnânimo senhor Lula, que transita nas altas esferas do domínio popular, nós o elegeremos como grande e único timoneiro, que igual jamais existirá, lavraremos o seu nome nos céus para que todos possam louvá-lo, mas, por favor, faça um “ato de caridade”, não deixe que o Brasil beba mais desse "cálice" nestes próximos quatro anos. "Pai, afasta de mim esse ‘cale-se’”. E o Chico “vai passar, enquanto a pátria era surrupiada”?

João Luiz Piccioni piccionijl@me.com 
São Paulo

*
MARINA SILVA E O VALE DO RIBEIRA

Há cerca de 20 anos, o Grupo Votorantin pretende construir no alto do Rio Ribeira de Iguape a Usina Hidrelétrica do Tijuco Alto, para produção de eletricidade e regularização da vazão de suas águas, evitando assim as frequentes inundações em seus 36 mil hectares de bananais e nas casas de seus moradores. Por não ter sido construída, o governo do Estado gastou, em 2004, milhões de reais com a construção de uma nova ponte com 333 metros, em Eldorado Paulista, derrubada pelas águas do Rio Ribeira. Essa barragem não foi construída até agora pelos esforços do ambientalista sr. Feldmann, atual assessor da presidenciável Marina Silva, que mantém ligações com ela desde o tempo em que fora ministra. Ao que tudo indica, caso Marina venha a ser eleita, a barragem não será construída e a situação desesperadora dos bananicultores do Vale continuará na mesma a cada chuva mais forte que ocorra.

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br
Campinas

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.