Fórum dos Leitores

CAMPANHA ELEITORAL

O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2014 | 02h05

Dilma não riu

No debate da Record, vários candidatos à Presidência falaram coisas verdadeiras, com os pés no chão e uma visão correta das questões importantes e da situação do Brasil. A exceção foi quem deveria saber mais que os outros, a presidente Dilma Rousseff. Ao final ela fez uma observação estranha, que deu a impressão de estar falando de outro país, onde certamente vive mentalmente: disse que "preparou o Brasil para um novo ciclo de desenvolvimento". Silêncio geral, todos ficaram impressionados com a coragem. Talvez eu não tenha atinado com o significado de "preparar", que para a presidente deve incluir recessão, inflação elevada, desemprego e o famoso custo Brasil. Verifiquei que dona Dilma fez toda a sua campanha falando mentiras como essa. Na realidade, ela não melhorou o País em nada, que piorou muito e continua atrasado. Não fez as imprescindíveis reformas tributária, política e trabalhista, além de deixar a economia no padrão argentino: em frangalhos. É impressionante a má qualidade do nosso governo e, mais precisamente, da presidente. Sua arrogância não lhe permite reconhecer que está completamente errada e conduziu o Brasil para o buraco. Seja ela ou qualquer outro, o presidente eleito terá de fazer uma reforma na economia que fará muita gente sofrer. Dilma deixou o País em péssima situação, prejudicando, por exemplo, a rede de energia com um rombo de R$ 60 bilhões, o que representará a necessidade de aumento de 20% nas tarifas; a Petrobrás está quase quebrada, pelo congelamento do preço da gasolina; a produção de etanol foi prejudicada e muitas empresas estão falidas ou paralisadas; e a infraestrutura é incompatível com nossas necessidades atuais. Dilma preparou o Brasil para, talvez, pedir empréstimo ao FMI, dada a nossa precaríssima situação, que continua caminhando para pior. Ela falou e não riu, como quase todos à sua volta. Minha educação não me permite dizer o que pensei.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Só com 'cola'

A candidata Dilma leva todas as respostas anotadas em seu caderno. Dependendo da pergunta e de quem a faz, ela vira a página e responde. Não tem resposta na cabeça. Desconhece todo e qualquer assunto. Só sabe fazer política, assim como todo o PT.

WAGNER MONTEIRO

wagnermon@ig.com.br

São Paulo

Que herança maldita!

É difícil entender este país. Em quatro anos de mandato de Dilma o produto interno bruto (PIB) cresceu em média abaixo de 2%, este ano talvez seja zero, e ainda assim a presidente, tentando sua reeleição, continua na liderança das pesquisas. Sabendo que os fundamentos macroeconômicos estão no fundo do poço, além de uma sequência interminável de denúncias de corrupção, e em curso a delação premiada de seus protagonistas com estrita ligação com o governo atual, como é que parte dos eleitores se diz satisfeita com o descalabro institucional que vivemos?! Vamos torcer para que nas urnas de domingo um toque de brasilidade resplandeça na consciência dos eleitores, livrando este país do pior...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Pesquisas

Vamos ver se eu adivinho? Dilma começa a melhorar progressivamente até que, na última semana, as pesquisas dão como certa a sua vitória no primeiro turno. E pensar que os americanos não quiseram nem saber dessa urna eletrônica...

MARIO ISSA

drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

DELAÇÃO PREMIADA

O peixe morreu afogado

Que coisa horrível está acontecendo no meu país! Está praticamente comprovado que parte do dinheiro da campanha de Dilma em 2010 foi proveniente de um assalto que fizeram na Petrobrás, o qual teria sido orquestrado pelo sr. Antônio Palocci (R$ 2 milhões). Isso se confirmando, a lei nos diz que a eleição foi ilegal e, consequentemente, o seu mandato também é ilegal.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

NA USP

Crime e violência

Cheguei a São Paulo na semana passada para competir no Campeonato Brasileiro de Remo 2014 e minha maior surpresa foi à entrada da raia da USP, onde se encontravam jornalistas por causa da trágica morte do jovem que participava de um evento dentro da própria universidade. Naquele momento pensei: a USP não é mais segura como antigamente. Domingo fui a "bola da vez". Para ir até a raia olímpica peguei o ônibus que normalmente transporta os estudantes e funcionários do metrô Butantã até os pontos distribuídos na Cidade Universitária. Porém os portões estavam todos fechados e o motorista nos deixou em frente ao portão 3, na Avenida Corifeu. Naquele momento a única coisa que me preocupava era o horário, pois passava das 6h40 e ainda precisava aquecer para as finais do nacional. Enquanto caminhava para o portão de entrada, dois rapazes pardos, de capacete, pararam uma moto CG azul-marinho ao meu lado. O jovem que estava na garupa estendeu uma arma e disse a famosa frase: "Passa a mochila". Calmamente, perguntei-lhe se poderia retirar um documento para apresentar na competição e em outros trâmites que estavam por vir. O assaltante, que apresentava sinais de alteração psicológica, negou. Nesse instante percebi que minha vida poderia estar em jogo e rapidamente retirei a arma do bandido. Em legítima defesa, entrei em luta corporal com ele, que gritava por ajuda do comparsa que dirigia a moto. Infelizmente, esse segundo infrator saiu da moto e me atacou na cabeça com o próprio capacete. Na tentativa de evitar ser mais lesionada, virei-me para me defender, mas o capacete acertou o meio da minha testa e caí no chão. Os infratores continuaram me batendo mesmo depois de terem pegado os meus pertences e acredito que só tenham fugido por verem meu sangramento no rosto e na cabeça. Hoje estou com diversos hematomas e machucados pelo corpo e não pude competir na final do Brasileiro por causa das lesões. Na mochila que os bandidos levaram eu tinha documentos, um speedcoach para usar em corrida de remo, outros objetos pequenos e meus bens mais preciosos: a dignidade, a autoestima e o respeito. Será que precisaremos de um mártir social para melhorar a segurança na região da USP? Quantos corpos terão de ser encontrados? Eu tive a sorte de ter praticado 25 anos de esportes de combate, o que serviu para minha autodefesa. Mas quantos jovens, homens e mulheres, serão encontrados mortos ou espancados no futuro por falta de segurança?

BIANCA MIARKA, atleta internacional de remo, ex-atleta da seleção de judô, Ph.D. pela USP

miarkasport@hotmail.com

Itapecerica da Serra

A SEMANA PROMETE

O grande acontecimento dos próximos dias poderá ser o doleiro Alberto Youssef entregando à Justiça os nomes dos seus companheiros de crime. Seu comparsa e ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa já delatou dezenas de nomes envolvidos em corrupção na estatal e, como prêmio, conquistou prisão domiciliar. É fundamental que todos os envolvidos – pessoas físicas ou jurídicas – sejam rigorosamente investigados e exemplarmente punidos pelos crimes cometidos. Não podem ficar impunes ou simplesmente se canalizar para o esquecimento os fatos que enlameiam a Petrobrás, emporcalham o sistema de trens e outros transportes e ameaçam colapsar a economia nacional. Sempre histórias de falcatruas e falta de apuração. Muitos dos políticos que vimos fazer carreira o fizeram denunciando malfeitos de seus adversários e, pelo menos boa parte deles, quando chegou ao poder, fez o mesmo, ou até pior, do que criticavam. Independentemente de quem venha a vencer nas eleições, espera-se que a Justiça tenha condições, meios e liberdade para apurar, processar e punir todos os malfeitores que têm manchado a imagem do País e da administração pública e, principalmente, roubado o dinheiro que deveria ser empregado na saúde, na educação e no bem-estar da população.
Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br 
São Paulo
                       
*
DELAÇÃO PREMIADA

Se o doleiro Alberto Youssef fizer de fato uma “confissão total dos fatos”, presumo que ele terá muitas coisas a dizer.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
SURGINDO A VERDADE

Diante da decisão do doleiro Alberto Youssef em fazer delação premiada e das declarações do coronel Moézia à Comissão da Verdade em 11/9/2014, não divulgada inicialmente, mas agora já no YouTube, eu diria que finalmente a “batata do sr. Lula” está assando, como diria minha saudosa avó.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 
São Paulo

*
EX-FUTURO PRESIDENTE

Há cerca de cinco anos, Lula declarou à imprensa que quando deixasse a política gostaria de ser presidente da Petrobrás. Pesquisem, encontrem e terão ótimo assunto para durar uma semana.

Luiz Roque lauroroque@uol.com.br 
São Paulo

*
DEBATE NA TV RECORD
 
A presidente Dilma Rousseff sempre será atacada em debates como o de domingo na TV Record, seja porque os escândalos nacionais, especialmente os da Petrobrás, são injustificáveis, seja porque, a poucos dias da eleição, não tem um programa de governo. Aliás, o seu atual governo não tem programa nem metas a serem seguidas, inclusive na economia. Certamente, ela não deseja se comprometer com o futuro apresentando planos de realizações para um próximo governo. Nota-se, com clareza, que o seu eventual e futuro governo não será bom para a Nação, porque será cercado, outra vez, por corruptos e atos de corrupção, e o País precisa de mudanças drásticas, e não de mais do mesmo. Os brasileiros querem mudar, em especial os mais atuantes e responsáveis, não desejando compactuar com tudo o que aí está.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
PRESIDENCIÁVEIS

Assisti ao debate de domingo na TV Record e me pergunto: será que em um universo de 202 milhões de brasileiros só temos este restolho para votar? De duas uma: ou somos covardes e omissos ou na política brasileira não existe espaço para gente do bem.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br
São Paulo

*
PROPAGANDA ENGANOSA

Dona Dilma, com a arrogância que lhe é peculiar, gosta de encher a boca para dizer, tanto nas propagandas quanto no horário eleitoral e nos debates, que “nunca antes na história deste país” se investigou tanto e que ela mandou prender o responsável pela roubalheira na Petrobrás – aquele chamado carinhosamente pelo “chefe” Lula de “Paulinho” e reconhecido como grande colaborador. Hein? E por que mandou (?!) prender somente depois que a imprensa – cuja função “não é investigar”, segundo sua abalizada opinião – deu a conhecer todas as “maracutaias” envolvendo a empresa? Por que a Polícia Federal tem de informar em toda investigação se há alguém politicamente envolvido ou avisar, com antecedência, sobre as operações para prender corruptos? Eleitores, cuidado com a propaganda enganosa!

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul

*
SARNEY E DILMA

Até poucos anos, achava José Sarney o mais medíocre presidente que tivemos nas últimas décadas. Dilma Rousseff, porém, conseguiu superar minhas expectativas.
 
André Coutinho arcouti@uol.com.br
Campinas

*
DENÚNCIAS DE CORRUPÇÃO

O petismo vive os estertores numa lama que ele mesmo causou.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com 
Campinas

*
FALSO OU VERDADEIRO?
 
Dilma declarou recentemente na ONU que em seu governo reduziu a destruição da floresta amazônica em 79%. A candidata Marina Silva declarou que o setor de álcool combustível tem pago um alto preço no atual governo: cerca de 70 usinas fechadas, 40 em recuperação judicial, quase 60 mil empregos perdidos. Marina criticou o gasto de “bilhões e bilhões” da gestão Dilma em termoelétricas. Dilma declarou que os senhores PSDB foram favoráveis à privatização da Petrobrás e venderam parte das ações a preço de banana. Dilma disse também que a ex-ministra Marina votou quatro vezes contra a criação da CPMF. De qual cartola os candidatos à Presidência tiraram esses números?
 
Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net
São Paulo

*
‘DILMA ROUSSEFF E A CORRUPÇÃO’

O editorial de domingo (28/9) do “Estadão”, sob o título “Dilma Rousseff e a corrupção”, simplesmente pôs os pingos nos is em vista das deslavadas mentiras que a presidente teve a insensatez de pronunciar na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas, na semana passada. Nunca antes um presidente do Brasil mentiu tanto naquela assembleia. Dizer, perante todos os chefes de Estado do planeta, que nunca se combateu tanto a corrupção no Brasil como em seu governo chega a ser uma ofensa à inteligência dos líderes mundiais ali presentes. Mas, o mais grave de tudo, tirante o seu conselho de ter de haver um entendimento com os trogloditas do califado do islã, foi o descrédito que o Brasil passa a ter perante as outras nações, que, com certeza implicará inclusive prejuízos econômicos. Um chefe de Estado não pode falar abobrinhas impunemente na Assembleia da ONU. Ao contrário do que vem sendo anunciado pelos petistas desde que assumiram o poder, tanto no atual governo quanto no anterior eles fizeram e fazem por merecer tantas denúncias, como bem exemplificou o editorial com o episódio do mensalão e os seus mensaleiros que cumprem prisão em diversas penitenciárias do País. Os acordos de delação premiada do ex-diretor da Petrobrás e do doleiro seu cúmplice poderão provocar um tsunami no governo que estará longe de ser uma marolinha. Licitações públicas federais, por indícios de sobrepreço e outras espertezas e “incompetências” administrativas são investigadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). As “táticas” que vêm sendo adotadas em sua campanha para a reeleição são escabrosas e imorais. Além da propaganda sobre a independência do Banco Central, a ridícula dança da chuva perpetrada pelos componentes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), braço do PT, em frente ao edifício da Sabesp foi um exemplo claro de como os petistas foram para as ruas a pedido do seu líder maior. E nesse episódio cabe também uma pergunta, ou seja, as mil pessoas que lá estavam seriam pessoas desocupadas ou remuneradas para tanto? Mas, apesar de todos os esforços dos “cumpanheiros e cumpanheiras”, além do marqueteiro de plantão, a presidente insiste em anunciar a sua crua verdade, tanto quando declarou que a imprensa deve noticiar, e não denunciar – a mídia está chegando muito perto para o seu gosto – e que, reeleita, vai tomar providências contra uma série de coisas absurdas que vêm ocorrendo no País, esquecendo-se simplesmente de que ela é a atual presidente e já deveria ter tomado essas providências há muito tempo. Tenho algumas dúvidas entre qual dos dois dos seus oponentes mais diretos seria o(a) melhor presidente(a) se fosse eleito(a), mas não tenho dúvida nenhuma de que a reeleição da atual presidente é o pior que pode acontecer para o País e para o povo brasileiro.
 
Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br  
São Paulo

*
ELEIÇÕES 2014 

Pena que boa parte da população brasileira ou não se interessa ou não tem acesso ao noticiário geral, haja vista os resultados das recentes pesquisas eleitorais. Chega a ser incompreensível como uma governante capaz de falar tantas barbaridades, expor-se ao ridículo de autopromoção, como a presidente Dilma recentemente na abertura dos trabalhos na ONU, mesmo assim manter o apoio popular. Pena que a população mais necessitada, antes do que se imagina, acordará do que acredita ser um sonho e sentirá o pesadelo por que passará.
 
Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*
CAMPANHA POLÍTICA

Acho muito injusto que a presidente Dilma não tenha se afastado do cargo para concorrer à reeleição. No mínimo é injusto, enquanto ela tem o governo para exibir as poucas realizações, os concorrentes só têm a vontade de exibir as promessas.

Agostinho Locci legustan@gmail.com 
São Paulo

*
BARAFUNDA

Para quem não assistiu à entrevista da presidente Dilma na Globo, há alguns dias, por oito minutos ela disse, afirmou, então negou, reafirmou, etc. sobre salário, inflação e emprego. Foi de tal tamanho a barafunda que ela fez que os entrevistadores tentavam interrompê-la, mas cada vez ela reiniciava o mesmo assunto sem continuidade de argumentação com o que tinha dito antes. Pior é que é este o entendimento que a presidente Dilma tem do que está ocorrendo na economia: uma grande confusão. Portanto, ela não vai achar o caminho certo de volta. Mas nós sabemos que o dela passa pela Argentina, pela Venezuela e por Cuba.

Gilberto J. Linhares Alves gjlinharesalves@hotmail.com 
Mogi das Cruzes

*
RETA FINAL

Nada é impossível, esta é a semana da virada para mandarmos Aécio Neves (PSDB) para o segundo turno e dar um basta neste governo petista que vem arruinando o Brasil.
    
José Millei millei.jose@gmail.com 
São Paulo
    
*
GROSSERIAS

Ao ler o comentário de uma leitora, publicado no “Você no Estadão”, a respeito do candidato Aécio Neves (PSDB), senti orgulho da herança que meu pai me deixou: a educação, pois nada justifica a acusação feita ao candidato. Pelo jeito, todos estão fazendo “o diabo” para ganhar esta eleição e, consequentemente, não perder a boquinha.
 
José Roberto Palma palmapai@ig.com.br
São Paulo

*
DISCURSO DECISIVO

O discurso de Dilma Rousseff na ONU, na semana passada, propondo a reforma do inútil Conselho de Segurança e criticando a política norte-americana no Oriente Médio foi determinante para definir meu voto para a Presidência. Demagogia ou não – estou mais para não –, gostei e endosso todas as palavras da candidata do PT. Alguém precisa reclamar e dizer alguma coisa sobre essas intervenções e massacres promovidos pelo covarde Tio Sam naquela região.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br  
Marataízes (ES)

*
PÁ DE CAL

Os comentários da presidente na ONU e na entrevista que se seguiu, quando sugeriu negociar com o Estado Islâmico, foram a pá de cal em minha decisão de voto. Em eventual segundo mandato, teremos de negociar com PCC, Comando Vermelho e outros "poderes instituídos"?

Maria Julia Pacheco de Castro juliapcastro@gmail.com  
São Paulo

*
A LÓGICA PETISTA

Plenamente justificável e compreensível a postura da presidente Dilma na ONU falando sobre os assassinos e terroristas islâmicos. Aliás, eu gostaria muito de assistir ao diálogo dela com os terroristas. Justificável por quê? Pelo discurso de Lula em Santo André, fazendo apologia ao roubo a bancos, tudo fica aceitável e lógico dentro da ética petista.  

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br
São Paulo

*
TRATO COM TERRORISTAS

Ao dizer que terroristas só entendem a língua da força, estaria Barack Obama se referindo a Dilma?

Edison Ribeiro Pereira edisonribeiro@hotmail.com 
São Paulo

*
HIPOCRISIA E VONTADE POLÍTICA

Aqui, no Brasil, não podemos ser ingênuos a ponto de acharmos que temos a solução mágica para um conflito histórico regional. Você já viu fotos, ou mesmo algum “selfie”, de autoridades brasileiras sentadas à mesa com líderes do tráfico de drogas? Possui imagem ou vídeo de Obama negociando com Bin Laden? Acredita realmente que a Europa vai promover um produtivo debate com decapitadores de jornalistas? O relatório (2010) da Global Humanitarian Assistence aponta Gaza como o terceiro "destino" do mundo que mais recebeu ajuda humanitária, porém, nenhuma escola ou hospital foi construído nos últimos anos na região. O valor recebido é mais elevado do que o encaminhado ao Haiti, abalado por um terrível terremoto; e também supera o dos países africanos, que passaram por genocídios, epidemias e secas e enfrentam constante miséria. E considere que o dinheiro cresce exponencialmente a cada ano à medida que o “marketing do sangue” faz o seu papel. Portanto, se concordamos que o acordo pacífico é utópico e a intervenção bélica paliativa, talvez o desafio para degolar o ódio e eliminar a intolerância desta ideologia primitiva seja secar todas as fontes de financiamento do terror. Neste caso, precisamos ter a decência de substituir a hipocrisia pela vontade política e a certeza de que a retórica só funciona se for desvencilhada de interesses eleitoreiros e acompanhada de ações conscientes e efetivas.

Mauro Wainstock mauro.wainstock@gmail.com  
Rio de Janeiro

*
MAIS AMEAÇA À IMPRENSA
 
Em entrevista com blogueiros no Palácio da Alvorada, Dilma Rousseff defendeu a “regulação econômica” da mídia e teve a pachorra de dizer que tal proposta não tem nada de “bolivariana”. Assegurou que a ideia não é fazer “controle de conteúdo”, coisa de ditaduras, não de país democrático, como o nosso.  Lindas palavras vindas de alguém que vê sentido em viver em contubérnio com a ditadura de Cuba, onde os poucos meios de comunicação existentes sofrem controle absoluto do que é publicado sem que Dilma diga um “a” de reprovação. Com essa conversinha mole, politicamente correta, de “impedir relações oligopólicas”, o que o governo do PT quer na verdade é reduzir ao mínimo o “poder de fogo” da imprensa independente – os órgãos que não vivem de verbas oficiais para sobreviver – e, assim, de forma indireta, passar a influenciar mais e mais em tudo o que se passar dentro das redações. O dia em que a mídia tiver, por força de lei, seu poder “desconcentrado” – seja lá o que isso signifique num país em que há milhares de órgãos de comunicação atuantes –, o “controle de conteúdo” dar-se-ia não de forma draconiana, com burocratas e suas tesouras censórias instalados nas redações, mas de forma sutil, com os empresários do ramo tendo um olho na pauta do dia e outro no departamento comercial, onde estatais representariam parte significativa do faturamento, evitando desagradar o grande Leviatã, que a tudo controla, podendo asfixiar um meio “rebelde” com a simples retirada da publicidade estatal. Criativos eles, não? E ainda querem que acreditemos que não são “bolivarianos”. 
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com  
São Paulo

*
‘CONTROLE ECONÔMICO DA MÍDIA’

Dilma, agora candidata, continua falando em “controle econômico da mídia”, afirmando não ter conotação bolivariana, como aconteceu na Venezuela, na Argentina, no Equador, etc. Mas talvez tenha a conotação petista para com as “privatizações”, cujo nome foi trocado para “concessões”, não é? Troca-se o termo, mas é tudo a mesma coisa.  Eles estão tentando há 12 anos calar a imprensa, a única que investiga os roubos aos cofres públicos protagonizados pela quadrilha que se apropriou do País! Depois que a mídia divulga, fazem cara de paisagem, fingem investigar, quando não impedem vergonhosamente a criação de CPIs. Depois do Decreto 8.243, assinado por Dilma, e, se ela for reeleita, vai ser barbada controlar a mídia!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
O MANIFESTO DOS GENERAIS

Gostaria de cumprimentar os 27 generais da reserva pelo conteúdo do manifesto redigido e divulgado na semana passada em repúdio à nota oficial do ministro Celso Amorim. Cabe deixar claro à presidente Dilma que não cabe a ela oferecer a opção de "pedir desculpas ou não" para os integrantes das Forças Armadas. O manifesto já demonstrou que não há nenhuma chance de os militares se desculparem por terem cumprido sua obrigação constitucional de proteger o Brasil e seu povo. Celso Amorim denigre a imagem do Ministério da Defesa como instituição, pois se comporta como verdadeiro vassalo do comando petista. Apegado ao cargo e com verdadeira paúra de cair no ostracismo, pela sua total irrelevância no mundo diplomático, Amorim se submete a todo e qualquer desejo do Planalto. É importante Dilma Rousseff lembrar que, se não fosse pela Lei da Anistia, ela e vários dos seus colegas do PT nunca poderiam ter sido candidatos a absolutamente nada, porque assaltaram, submeteram pessoas inocentes ao cárcere privado, extorquiram mediante sequestro, assassinaram, praticaram atentados com explosivos que mutilaram e mataram inocentes, além de ainda tentarem vilipendiar a nossa soberania através de recursos oriundos de ditaduras sanguinárias, como a soviética e cubana. Meu total apoio e solidariedade às Forças Armadas, que acredito ser o mesmo sentimento de muitos outros brasileiros.

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com 
São Paulo

*
NO PERÍODO MILITAR

A mim, que tenho idade suficiente para me lembrar do período militar, quando trabalhava nove horas durante o dia e deixava a faculdade depois das 11 da noite, sem ter tempo, nem dinheiro, nem vontade ou motivo para contestar o regime – que promovia o desenvolvimento do País –, posso opinar que na época jamais tive conhecimento de torturas praticadas sistematicamente. Havia, sim, bandos de jovens universitários – geralmente sem trabalhar – que discursavam contra o regime e promoviam esporádicas manifestações juvenis, sem jamais se aproximarem do povo, que os ignorava. Hoje vejo na TV pessoas relatando torturas horríveis  que sofreram em instalações militares e, claro, me compadeço, mas ainda não ouvi claras explicações sobre suas motivações ao enfrentamento e à implantação do comunismo, se é que sabiam o que isso significa de verdade.

Ademir Valezi adevale@gmail.com 
São Paulo 

*
MEMÓRIA

A manchete da repórter Tânia Monteiro “Generais atacam Amorim e ‘dizem ter salvado o País’” (“Estadão”, 27/9) pretende recontar a história do Brasil segundo a cartilha comunista. Põe em dúvida um fato que é  sintetizado na manchete de primeira página do “Estadão” de 20 de março de 1964: “Enquanto há liberdade”. É ilustrada com fotografia de uma multidão, meio milhão de pessoas,  tomando avenidas do centro de São Paulo na “Marcha da Família com Deus pela Liberdade, manifestações que também ocorreram no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Expressa com fidelidade o sentimento de medo e angústia da sociedade brasileira, diante da ameaça  comunista que pairava sobre a América Latina. Depois de 11 dias, os generais atenderam o apelo das ruas. Para reavivar a memória da jornalista e de brasileiros mais jovens que não viveram aqueles dias que eu vivi, consultem o Estadão Digital – Página da História – Anos 1960.

Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br   
São Paulo

*
COMISSÃO DA VERDADE

A Comissão da Verdade é composta por pessoas que, salvo se forem estupidamente ignorantes sobre o ocorrido no período que pretensamente estariam investigando, são covardes para apurar os crimes praticados pelas quadrilhas que pretendiam implantar suas ideologias totalitárias no Brasil, uma delas a que contava com a atual presidente Dilma Rousseff entre seus líderes.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@ig.com.br 
São Paulo

*
MEIA-VERDADE

Comissão da Verdade? Investigando somente um lado da questão? Até agora tem se comportado como Comissão da Meia-Verdade.

Paulo T. Sayão psayaoconsultoria@gmail.com 
Cotia

*
HOMENAGEM AOS MORTOS

O governo paulista gastou  mais de R$ 8 milhões para reformar o Obelisco que homenageia os soldados constitucionalistas mortos e, para os soldados constitucionalistas que ainda estão vivos  ou suas viúvas,  homenageia-os com o pagamento mensal de R$ 720,00. Por que não dar-lhes uma pensão mais digna para poderem viver com maior conforto seus últimos anos de vida, sem precisarem do auxílio de parentes ou amigos? Todos têm mais de 90 anos. O sr. governador gastou milhões homenageando os mortos, homenageie também dignamente os vivos.

Neide Gumbis de Souza Belluco neidebelluco@ig.com.br 
Piracicaba

*
VIOLÊNCIA EM SÃO PAULO

Gostaria de saber de que País fala o sr. Fernando Grella Vieira, secretário estadual da Segurança Pública, quando declara desaceleração de roubos em São Paulo. Fui assaltada duas vezes na mesma região. Da última vez (6/9), levaram todos os meus pertences, além de usarem de extrema violência. Procurei comerciantes da região para ver se haviam encontrado meus documentos (geralmente jogam nas imediações) e, qual não foi meu espanto ao ouvir que eu tinha sido só uma de três assaltadas no mesmo dia, na esquina da Rua Bueno de Andrade com a Rua Lava-Pés. Traduzindo: todos sabem que nessa região acontecem assaltos frequentemente. O que se faz? Nada... E ainda temos de conviver com políticos e policiais corruptos, que afirmam que aqui é onde mora "Alice" – O País das Maravilhas.

Norma Pereira Tallo tpt.thiago@gmail.com 
São Paulo

*
TERRORISTAS NO MORUMBI

Logo no café da manhã da segunda-feira (dia 29), a TV mostrou os atos de terrorismo praticados por grupos de desordeiros na região do Morumbi, e, desta vez, chegando a depredar edifícios da região e  aterrorizar seus moradores, que chegaram a temer uma invasão com efeitos que não se sabe até onde chegariam. Mas por que basta a polícia liquidar um bandido e, de imediato, desordeiros reagirem provocando todo esse terrorismo? Simples, quem se aproveita de situações como a morte de um bandido em confronto com a polícia são elementos treinados na promoção de agitação de massas e que, depois de iniciada a baderna, somem deixando os influenciados  para  continuá-la. Para acabar com  essas  badernas que acontecem regularmente e trazem medo à população, faz-se necessário criar uma lei para classificá-las como atos de terrorismo e  enquadrar todos os participantes como terroristas sujeitos a penas pesadas. Mas por que tantas ocorrências neste ano? Simples, são promovidas por elementos ligados a partidos políticos que visam a derrubar o governador  atual que lidera as pesquisas e tentar eleger um petista para tomar posse de nosso Estado, assim como estão fazendo com o resto do País. É o sonho maior de Lula: dominar o Estado mais rico do Brasil. E a essa possibilidade prefiro que São Paulo saia da Federação brasileira e torne-se um Estado independente. 
 
Laércio Zanini arsene@uol.com.br 
Garça

*
DISCURSO ESGOTADO

Lula, com seu discurso de defesa dos pobres na campanha, divide os brasileiros ricos (malvados) e os pobres (bonzinhos). Já deu! Deveriam divulgar os bens de seu filho “Lulinha testa de ferro da Silva” e desmantelar esta farsa ridícula de discurso para pobres. As eleições estão aí e o tempo acabou. Por que não trocar o governo? 

João Bráulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com 
São Paulo

*
ASSALTANTE MORTO

Segurança de empresário mata bandido “di menor” que tentava roubar o relógio de seu patrão. Aguarda-se a imediata manifestação de um certo padre, de um certo senador e demais entidades de direitos humanos, indo dar apoio à família do "coitadinho", além, é claro, da própria comunidade onde o ladrão residia e que certamente aparecerão diante das câmeras de TV, chorando e jurando que ele era um "bom menino, estudante e trabalhador".  Ou será que irão se calar por ser ano de eleição e poder prejudicar o ParTido? 

Artur A. Intaschi lene.arte@hotmail.com 
Ubatuba 

*
AS CONTAS DO GOVERNO

O governo federal vai usar dinheiro do Fundo Soberano para fechar as contas do País. Pena que o cidadão não pode fazer o mesmo. Quantos não conseguem fechar as contas no fim do mês?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
POLÍTICA FRACASSADA

Dilma vai gastando com pouca responsabilidade e depois tem de fechar as contas públicas. A meta do governo para apresentar uma boa administração das contas públicas seria superávit de 4,5%, para pagamento dos juros. Então entra em operação a “contabilidade criativa”, uma invenção das manobras de Arno Augustin para esconder o fracasso da política econômica da presidente Dilma. Agora, contra a opinião de muitos do “palácio”, o governo quer usar R$ 3,5 bilhões do Fundo Soberano do Brasil para “tapar buraco”. Ela prefere viver na mentira e aparentar esforço para cumprir a meta fiscal do que confessar a verdade, não cumpriu, negligenciou a meta fiscal. Grande parte dos economistas prefere não atingir a meta a tentar esconder a verdade. Houve protestos deles, mesmo os de dentro do governo. Apesar disso, Dilma reclama de falta de confiança. O PT recebeu o País em condições excelentes, tanto que o primeiro governo Lula foi razoavelmente bom, ele “não mexeu” no Plano Real. Dilma ignora a boa administração da economia e quer reduzir a meta fiscal para 2%, não consegue fazer melhor do que isso. Provavelmente nem isso ela conseguira atingir sem o uso da “contabilidade criativa”. Não vamos repetir o erro de 2010. Dilma, fora!

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*
SEM CAIXA
 
O governo se utilizará o Fundo Soberano no valor de R$ 3,5 bilhões para fechar as contas do corrente exercício. Por quê?  É que no momento o governo federal, perdulário como nunca, está completamente sem caixa. Essa estratégia espúria de maquiar as contas utilizando-se de artifícios contábeis, segundo analistas é completamente ilegal. E quem pagará essa pesada conta?  As contas de energia terão reajuste pesado a partir do próximo ano, sacrificando mais ainda a sofrida população do País. A busca sempre mais fácil para resolver os sérios problemas de caixa do governo, é o aumento de impostos. Não há  combate eficiente para diminuir os gastos federais, corrupção etc. Administra-se muito mal o dinheiro público e as consequências sempre recaem para o bolso dos contribuintes. Os maus gestores das finanças públicas estão sempre à vontade, uma vez que o povo brasileiro é paciencioso e aceitará de forma pacífica mais  esse ônus sobre suas costas. Vamos ver o que acontecerá nas eleições de domingo.
 
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
CRIATIVIDADE BRASILEIRA

A missão do Fundo Soberano (FSB), criado em 2008 foi: mitigar os efeitos dos ciclos econômicos, formar poupança pública, promover investimentos em ativos no Brasil e no exterior e  fomentar projetos de interesse estratégico do País localizados no exterior. Nasceu de maneira pouco ortodoxa. Ao invés de quitar dívida, nossos gênios resolveram separar algo como R$ 14 bilhões e constituíram o fundo. Entre suas proezas consta a participação na “maior capitalização do mundo” – o aumento de capital da Petrobrás. A subscrição foi feita a R$ 29,65 pelas ações ON e 26,30 as PN. As ações caíram, mas todos sabem que o investimento em ações deve ser feito a longo prazo. Mas o FSB realizou o prejuízo e se desfez das ações. Parabéns! Agora, o FSB contribuiu com R$ 3,5 bilhões para fechar as contas do superávit primário. Ou seja, depois de 6 anos, fez o oposto da manobra que o criou. A Noruega, país desprovido de nossa criatividade, deve se roer de inveja com seu Fundo Soberano “tão quadradão’.

Alexandru Solomon alex101243@gmasil.com
São Paulo

*
SEM-VERGONHICE

Por princípio, este Fundo Soberano foi criado para salvar o Brasil de uma eventual crise, uma situação de extrema gravidade, como declarou a candidata Marina Silva. Como, segundo a própria presidente Dilma, o seu governo não atravessa nenhuma crise, mas apenas uma situação momentânea de aperto, motivada por uma crise internacional, eu acho que ela deveria ter pudor de tentar justificar o uso desse mecanismo para apenas ajudar a fechar as contar deste ano, e mostrar mais um dos seus resultados maquiados. O uso de R$ 3,5 bilhões do Fundo Soberano, juntamente com R$ 1,5 bilhão do lucro de estatais e com corte de despesas que poderão ter de ocorrer, é mais uma sem-vergonhice deste governo que já perdeu totalmente a sua credibilidade.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*
BOLSA FAMÍLIA EM RISCO?

Dilma diz que é normal usar dinheiro do Fundo Soberano. Claro que é. O anormal é precisar usar esse dinheiro. Se o governo fosse do PSDB, Lula diria que o dinheiro do Brasil está acabando e o Bolsa Família corre perigo. Mas como o governo é do PT, ninguém fala nada!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
CHEIRO DE MUDANÇA NO AR

O Ibovespa fechou em alta de 2,23% na sexta-feira, aos 57.212 pontos, e as ações do "kit eleição" (PETR4, PETR3 e ELET3) registraram as maiores altas do dia. Será que as próximas pesquisas eleitorais trarão novidades? Será que o gigante está aderindo à onda da razão? Será que Deus está ouvindo as minhas preces?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
NÃO ADIANTA

Não adianta o PT e o governo gritarem pressionarem para demitirem um bancário, não adianta o Banco Central processar. O mercado é soberano e, à medida que se vai gerando um medo de que o status quo vença a eleição para presidente, as moedas fortes como o dólar vão se valorizando e as cotações das ações na Bolsa vão se desvalorizando acentuadamente. Isso mostra que os investidores nacionais e internacionais estão descontentes com a condução da política econômica e monetária do governo.

Marco Antonio Martignoni mmartignoni@ig.com.br 
São Paulo

*
‘PARA QUE 39 MINISTÉRIOS?’

Cumprimento a jornalista Suely Caldas pelo artigo do dia 28/9 (“Para que 39 ministérios?”). Uma sugestão: tentar explicar ao leitor (me incluo) como um país em pleno emprego pode ter crescimento tão medíocre associado a um rombo histórico do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT)?!

Antonio Carlos Gasparotto Hindo acgasparotto@me.com 
São Paulo

*
FURTO LEGALIZADO DO GOVERNO

Não ouvi nenhum candidato abordar um assunto importante para os proprietários de imóvel, seja a proibição de reajustar com a inflação o valor da compra de imóvel na sua declaração de Imposto de Renda. Vendendo o imóvel anos mais tarde, vai arcar com um "lucro imobiliário" sobre a diferença do valor da venda  com o da compra de anos anteriores. Por exemplo, com uma inflação média neste período de 6% AP ano, vendendo o imóvel 12 anos mais tarde com a simples correção da inflação, vai ser taxado sobre um valor de 100% do valor da compra de 12 anos passados, sem que haja nenhum "lucro imobiliário". A taxação deveria ser sobre a diferença de valor da venda e o do valor corrigido, caso essa diferença fosse positiva. “Elementar, meu caro Dr. Watson”, diria Sherlock Holmes. Por que  entidades de classe como o Secovi não exigem uma modificação desse abuso na regra atual?

Jacques Pennewaert jacques.pennewaert@terra.com.br
São Paulo

*
PAÍS REFÉM

Baseado na realidade, se não houver forte reação popular, em curto e médio prazos nosso país se tornará politicamente refém de meia dúzia de grupos de exploradores. Com um poder econômico inimaginável, estão “domesticando” grande parte da mídia e políticos que descaradamente assumem estar a serviço dessa praga nacional. Uma das mais recentes demonstrações nesse sentido foi de um deputado paranaense em favor do que é supostamente um dos mais engenhosos e blindados esquemas de corrupção da nossa história recente, ao dizer que com pedágios de tarifas baixas não é possível fazer melhorias nas estradas. 

Lotario Wessling, caminhoneiro lotariowessling@yahoo.com.br 
Venâncio Aires (RS)
     
*
CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL

Os times paulistas decepcionaram nesta última rodada, salvando-se somente o Santos F.C.. Mas meu comentário é destinado ao meu time do coração, aos seus dirigentes e à nossa imensa torcida – nada menos que a quarta no Brasil em números. No meio empresarial, por quaisquer outros  motivos disciplinares ou mesmo por falta de puro profissionalismo, um funcionário que se portasse tal qual nosso pseudojogador de bola Valdívia já estaria na rua, por justa causa, sem direito à indenização. O Palmeiras infelizmente não está capacitado a disputar a série A, mesmo em comparação com outros que correm pela raia de fora. Como pode uma agremiação futebolística ficar à mercê de um só jogador, que, por puro capricho ou desconsideração, trata o clube e seus donos (nós, torcedores e dirigentes) com um desdém inadmissível? Fica aqui a pergunta que os milhões de torcedores da S.E. Palmeiras estão fazendo neste momento, aguardando uma resposta convincente dos responsáveis pelo imbróglio chamado Valdívia.   

Aloisio A. de Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br 
Limeira

*
SUGESTÃO AOS SÓCIOS DO PALMEIRAS

Fechar o boteco para balanço.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com 
São Bernardo do Campo

*
RISCO AMBIENTAL EM VINHEDO

Sou moradora da cidade de Vinhedo (SP) e gostaria de denunciar a depredação que o meio ambiente vem sofrendo na cidade. Muitos condomínios de luxo vêm sendo construídos, e queimadas vêm ocorrendo. Atualmente a população vem se mobilizando para preservar a Fazenda Cachoeira, patrimônio ambiental e histórico da cidade. Ocorre que estão querendo fazer uma mudança no plano diretor da cidade, e imobiliárias poderão então comprar a Fazenda Cachoeira, que está à venda. São interesses financeiros que estão ameaçando esse patrimônio. Grande área verde seria destruída para a  construção de condomínios de luxo, destruindo fauna e flora de grande área, que é utilizada hoje como área de lazer para a população, pois a fazenda tem uma passagem que é pública. Assim, espero que a mídia ajude a população de Vinhedo, que já está fazendo um abaixo-assinado para salvar esse patrimônio de grande valor ambiental e cultural.

Rosangela Zizler rosangelaltz@hotmail.com 
Vinhedo

*
FALTA DE ÁGUA EM SÃO PAULO

Os "responsáveis" pela gestão da água para São Paulo e cidades vizinhas só sabem informar "quantos dias faltam para os reservatórios ficarem secos". Não se vê campanha na TV, no rádio e nas ruas ou junto da população que ainda insiste em gastar água lavando calçadas, quintais, carros... O que está acontecendo? E o governo em campanha política nem sequer trata do assunto para não "ferir sua imaculada imagem". Estamos perdidos! E sem água daqui a 3, 2, 1 dia... 
 
Adriana Dias adrianajornalista@yahoo.com.br 
São Bernardo do Campo

*
PELO EQUILÍBRIO DO CLIMA

Só agora, com a diminuição geral das reservas de água doce e a drástica diminuição das chuvas para  as pessoas, governos e até a ONU resolveram discutir e procurar soluções para este grave e urgente problema. Por muitos anos pessoas desinformadas apregoaram que o plantio de eucalipto era o vilão que secava as águas, atualmente estudos e a observação cuidadosa demonstram exatamente o contrário, pois o eucalipto plantado respeitando a legislação ambiental promove a conservação dos mananciais e a formação de umidade no ar. Entre os inúmeros benefícios das florestas de eucaliptos, ressalto a preservação das reservas nativas, a formação de corredores ecológicos, nos quais os animais silvestres e todo o ecossistema se intercomunicam, dificulta a caça, a pesca e a exploração predatória de recursos naturais, há prevenção e combate em caso de incêndios florestais impedindo sua proliferação por vastas áreas e conserva o solo da erosão. Por ser uma monocultura de ciclo longo, os impactos ambientais são mínimos e só ocorrem no plantio e na colheita, sendo recompensados com a aplicação de nutrientes que beneficiam diretamente o ecossistema no entorno e através da evaporação da umidade em suas folhas e do sequestro de carbono, contribuindo significativamente para o equilíbrio do clima global. O poder público e privado deveriam subsidiar e incentivar o plantio de florestas, sendo esse o único modo de garantir uma terra habitável para as gerações futuras.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com 
Virginópolis (MG)

*
HERANÇA MALDITA

A nascente do Rio São Francisco secou. Essa catástrofe natural deveria servir para que o Brasil revise sua política suicida de desmatamento da Amazônia e suspenda as obras de transposição do Rio São Francisco, pois não haverá mais água para transportar nas famosas obras superfaturadas. Sempre na contramão da história e do bom senso, a presidente Dilma se recusou na semana passada a assinar documento sobre controle de desmatamento, na ONU. O novo presidente do Brasil terá de lidar com uma herança maldita de destruição e descaso com o meio ambiente. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.