Fórum dos Leitores

ELEIÇÃO PRESIDENCIAL

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2014 | 02h04

Último debate

Depois de assistir ao debate na Globo, na noite de quinta-feira, a ficha caiu definitivamente: quanta mediocridade! E a nossa presidenta se destaca de forma especial: absolutamente superficial, sem domínio de nenhum tema, inventa números sem cerimônia, não sabe para onde nos leva, mas diz que devemos confiar nela. Jabor, por favor, continue na sua luta, que é nossa também, temos de resgatar o Brasil antes que nos tornemos a Cuba da América do Sul.

PAULO RUSSO

russo.paulo@yahoo.com

São Paulo

Perspectiva

A se confirmar o resultado da eleição presidencial indicado pelas últimas pesquisas, o Brasil, que já há algum tempo está a caminho da Argentina, daqui a quatro anos estará como a Venezuela: falido econômica e politicamente. Francamente, não merecemos esse destino.

CELSO BATTESINI RAMALHO

leticialivros@hotmail.com

São Paulo

LULA, O 'PERSEGUIDO'

Descomunal

Então o ex-presidente Lula reclama que os meios de comunicação estão fazendo "perseguição descomunal" ao seu partido? Pois bem, descomunal é seu governo, que instalou um bando de corruptos em todos os órgãos governamentais. Descomunal é o aparelhamento das estatais com políticos despreparados e incompetentes para assumir cargos de direção. Descomunal é a forma de condução deste país, que beira o caos. Descomunal é a manipulação dos dados econômicos e financeiros para apresentar resultados falsos e enganosos à população. Descomunais são as previsões feitas pelo ministro da Fazenda, que a cada dia se vê obrigado a corrigi-las porque nunca se confirmam. Descomunal é o sucateamento da indústria brasileira por não ter sido levada avante a reforma tributária, o que castiga todas as nossas empresas. Enfim, descomunal é o tamanho da lata de lixo em que se transformou este país com este governo hipócrita, arrogante e incapaz de dirigi-lo.

ANTONIO BOER

toboer@uol.com.br

Americana

Antiestadista

O infeliz ex-presidente do Brasil faz questão de insuflar ódio entre as classes, especialmente contra a elite branca e a imprensa. É um antiestadista, pois, em vez de unir os brasileiros com propostas de crescimento e progresso, incentiva a separação. É muito triste. Pobre Nação brasileira!

EMERSON LUIZ CURY

emersoncury@gmail.com

Itu

Sobre elite

A palavra elite utilizada cotidianamente por Lula é um verbete com significado diferente do encontrado nos melhores dicionários da língua portuguesa. Seu uso é uma forma de ludibriar a patuleia, deixá-la a favor dele e instigar a luta de classes no País. Lula dissemina o ódio contra a cultura, o conhecimento, o uso correto do idioma, enfim, contra todos os atributos que qualificam o que se chama, de fato, de elite. Talvez seja porque ele sofra de complexo de inferioridade por não alcançar reconhecimento pelo cargo de presidente da República que ocupou um dia, insuficiente para enquadrá-lo na classe a que gostaria de pertencer. Bobagem típica de um personagem que deveria consultar um psiquiatra para livrar-se desse estigma que tanto o incomoda.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

JOAQUIM BARBOSA

Autoritarismo

Como advogado e cidadão, surpreendi-me com a notícia veiculada nesse importante jornal sob o título OAB vai avaliar se aceita inscrição de Barbosa (1.º/10, A13). Não tenho procuração para defender o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa, que, por sinal, disso não carece, mas não faz sentido imaginar que alguém que foi ministro da Suprema Corte não tenha condições de advogar ou de obter seu registro na OAB, nos termos da lei. É óbvio que tem tal prerrogativa e preenche os requisitos necessários para tanto! A intenção de barrá-lo parece mais um exagero e, por certo, um autoritarismo que relembra os tempos sombrios da ditadura militar. Aliás, se um advogado, no exercício de sua profissão, critica um juiz ou desembargador, não reúne condições para pleitear uma vaga na magistratura, pelo quinto constitucional? Poderá ser tido como "inimigo" da toga? Um pouco de discernimento e bom senso não faz mal a ninguém...

PAULO SÉRGIO SANTO ANDRÉ

pssandre@terra.com.br

São Paulo

Revanchismo

Negar a carteira da OAB a Joaquim Barbosa é um ato de revanchismo e grave retrocesso institucional. A OAB, que sempre pavimentou seu caminho pela liberdade e defesa intransigente dos direitos em prol da democracia, não pode ser vingativa a ponto de sonegar o documento a quem tem autoridade, competência e, acima de tudo, dignidade.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO, juiz

abraoc@uol.com.br

São Paulo

MÁFIA DOS FISCAIS

Esclarecimento

Sobre o editorial No encalço da máfia dos fiscais (1.º/10, A3), é indispensável apresentar informações relevantes para que alguns aspectos sejam efetivamente esclarecidos. O Secovi-SP, que representa o setor imobiliário no Estado, de forma alguma tenta minimizar a responsabilidade de empresas que possam, eventualmente, estar em débito de ISS com a Municipalidade. No que diz respeito à legalidade ou não da forma utilizada para cobrança das incorporadoras dos valores devidos pelos prestadores de serviços, a questão realmente deve ser decidida na Justiça. Aliás, assim procederam algumas empresas que se dispuseram a ingressar nos tribunais e aguardar vários anos até que o TJSP, em recentes decisões transitadas em julgado, estabelecesse a ilegalidade da vinculação do "habite-se" ao pagamento de ISS, bem como a ilegalidade da pauta fiscal usada para tal cobrança. Importante lembrar que, embora houvesse a suposição inicial da existência de 410 empreendimentos suspeitos de fraude, com estimativa de R$ 500 milhões de sonegação, após a análise de 376 deles - portanto, 91% dos empreendimentos-alvo - se chegou à conclusão que a dívida seria de R$ 41,8 milhões. Ou seja, menos de 10% dos inicialmente previstos R$ 500 milhões. Ainda assim, para chegar aos R$ 41,8 milhões, mesmo que tenham sido analisadas obras anteriores a 2013, utilizou-se critério estabelecido em portaria editada em 2013. Portanto, com base em regras que não poderiam ser conhecidas ou cumpridas. O Secovi-SP pauta-se - e sempre se pautará - pelo respeito aos mais rígidos princípios éticos e morais, e defenderá, sim, todos os que agirem em consonância com esses princípios.

CLAUDIO BERNARDES, presidente

aspress@secovi.com.br

São Paulo

_______________________

O ÚLTIMO DEBATE

Para quem pensava que não havia vida inteligente fora da campanha eleitoral, nada como um debate, nem que seja o último, mesmo que tenha um formato e um mediador tão ruins, para esclarecer as dúvidas e mostrar a grande evolução das esquerdas no Brasil: Dilma Rousseff gagueja e se perde quando falha a escuta ou não encontra as respostas no seu calhamaço. Se for reeleita presidente, vai continuar precisando do controle remoto para falar e agir. Marina Silva, a "elfa", teve a magnânima ideia de propor o passe livre e o 13.º para o Bolsa Família (Dilma deve estar se mordendo por não ter pensado nisso antes). E Marina ainda disse que seu programa de governo – foi a única que apresentou um, repetiu dezenas de vezes – se alinha ao de Luciana Genro. Ufa! Se era para isso, melhor os outros, que não fizeram programa algum. E, por falar em Luciana, sua grande contribuição para o Brasil parece ser a lei anti-homofobia e a salvação da economia taxando os banqueiros e as grandes fortunas. Como é que ninguém pensou nessa engenhosa solução antes? Enfim, para o sexo chamado de frágil, que viu o debate e ficou desolado com a qualidade das representantes, peço que não desanime e pense – ou repense – o seu voto.

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

DEMONÍACO

No último debate pré-eleitoral promovido pela TV Globo, vimos disparates de certos candidatos despreparados, inclusive da criatura de Lula. Ela, no auge do desespero, até parecia ser dona da verdade, dizendo ter mandado prender o ex-diretor da Petrobrás e que determinou à Polícia Federal (PF) apurar rigorosamente os desvios de conduta ocorridos na estatal. Mentiu! Paulo Roberto Costa pediu demissão e a PF independe de suas ordens para cumprir sua missão. Ela fez, sim, não podemos negar, foi tentar esconder o sol com peneira. Por baixo dos panos, reuniu-se com seus asseclas e não deixaram a oposição levar avante a CPI para esclarecer todas as falcatruas reinantes dentro da estatal, e inclusive contou com as benesses de um procurador para blindá-la dos escândalos até agora não muito explicados. Dias passados ela admitiu a possibilidade de erros na empresa. Lula bradou a todo canto a eficiência da sua criatura e a classificou de "mãe do PAC", o que não prosperou. Confiou-lhe a direção do Conselho Administrativo da Petrobrás, deu-lhe o status de ministra da Casa Civil e outra vez dona Dilma mostrou seu despreparo para tantas responsabilidades. Quando da campanha para o seu atual mandato, prometeu o que até hoje não cumpriu: onde foi parar o trem-bala? Para onde estão correndo as águas do Rio São Francisco, destinadas a socorrer os flagelados da seca? Se os eleitores concederem mais um mandato à "presidanta", amanhã ninguém poderá chorar pelo leite derramado. O que os petralhas querem é permanecer no poder a qualquer custo, como bem disse Lula certa vez: "Eles não sabem do que nós seremos capazes". Mas eu sei. Dilma, Lula e todo o PT lutam pelo poder e para enfiar goela abaixo dos brasileiros o mesmo socialismo que assola a Venezuela e Cuba. Dilma já disse que poderia fazer "o diabo" para reeleger-se, e o está fazendo. Veja o escândalo mais recente, noticiado pelo "Estadão", sobre os 5,6 milhões de panfletos da campanha de Aécio Neves (PSDB) colocados nos Correios EM Minas Gerais, mas que nunca chegaram aos destinatários, enquanto os da candidata à reeleição foram entregues de maneira irregular, manobra que propiciou a sua alta popularidade, como declarou o deputado Durval (PT), regozijando-se pelos 40% das intenções de voto naquele Estado, dando à candidata o primeiro lugar na corrida eleitoral. Isso realmente é diabólico. Por essas e outras, apelo aos brasileiros patriotas para amanhã exorcizarmos o nosso Brasil, expulsando todos os diabos da historia deste país.

Vicente Muniz Barreto dabmunizbarreto@hotmail.com

Cruzeiro

*

BAIXARIAS

A baixaria da campanha da presidente Dilma foi tão alta que até Lula, acostumado a falcatruas, teve certa vergonha de aparecer ao lado dela. Já o povo brasileiro, embalado pelo berço da corrupção, mais que nunca se apega ao refrão "me engana que eu gosto". Só quando acabar o dinheiro para o Bolsa Família é que este povo gentil vai acordar.

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Teresópolis (RJ)

*

RESPOSTAS PRONTAS

O calhamaço de dados e respostas prontas que Dilma carrega nos debates é a prova de que, espontaneamente, consultando suas referências pessoais, ela não consegue fazer com que as pessoas a entendam. Embaralha as frases, confunde conceitos, afirma apontoados comprometendo na maioria das vezes a clareza de sua fala. Como uma pessoa com essa incapacidade pode chegar ao mais alto cargo público da Nação e ainda pleitear mais um quadriênio? O que se conclui é que a falta de educação e carências culturais de grande número dos eleitores são os grandes responsáveis.

 

Leila E. Leitão

São Paulo

*

RUMO ÀS URNAS

No último debate presidencial, transmitido pela Rede Globo, mais uma vez Aécio Neves (PSDB) se mostrou infinitivamente mais preparado para governar este país. Só os muitos cegos e surdos não enxergam isso, aliados aos que não conhecem a história sobre os planos econômicos e as privatizações.

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

CIRCO

Assistindo ao último debate, na Rede Globo, pude observar que o que deveria ser uma explanação de metas e planos de governo dos candidatos acabou se tornado um verdadeiro espetáculo circense, com acusações pessoais e fuga completa da programação dos temas. Para que o debate ficasse ainda mais autêntico, deveria ser mediado pelo deputado Tiririca.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

REFORMA POLÍTICA

As imagens dos presidenciáveis nesse último debate televisivo, em que a atual mandatária posa ao lado dos outros candidatos, são emblemáticas. Tal imagem parece dar razão aos que pregam uma profunda reforma política, que, entre outros itens, pregue a não reeleição para os cargos majoritários, para que não se misturem e confundam interesses dos disputantes com a pessoa que está no exercício do poder. Essa tese constitucional merece ser avaliada no futuro Congresso que elegeremos amanhã.

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

REGULAÇÃO DA MÍDIA

A presidente Dilma Rousseff disse que, se reeleita, irá defender a "regulação econômica" dos meios de comunicação, porque entende que a possibilidade de se formarem monopólios e oligopólios deve ser evitada. Seguindo o mesmo jargão de Cristina Kirchner, da Argentina, deseja evitar a concentração de poder econômico. Atitude "bolivarianista" e que esconde a finalidade principal de seu desejo, que é o controle do conteúdo, impedindo que tenhamos uma imprensa livre e independente, bem longe das saias do governo. É claro que não perdoará a imprensa pelo quanto de bem fez ao País, denunciando os malfeitos na Petrobrás, nos ministérios e em todo lugar no seu governo onde houve desrespeito ao dinheiro público. Eis que está demonstrada, então, a sua verdadeira face, e que não é aquela que inicialmente demonstrou: "Antes o barulho da imprensa livre que o silêncio da ditadura". Mentira. Quer mesmo é calar a imprensa. Mas não será fácil, porque a pujança de nossa imprensa e a coragem de nossos jornalistas são muito maiores que as maracutaias petistas.

José C. de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

Rio Claro

*

DESVIO DE CARÁTER

Se mentir é desvio de caráter, conforme disse Dilma Rousseff para atacar uma suposta mentira de Marina Silva, como será que ela vai explicar a verdadeira e vergonhosa mentira que ela tem contado nesta reta final da campanha eleitoral para justificar a sua participação no escândalo da Petrobrás, dizendo que demitiu Paulo Roberto Costa tão logo soube dos crimes cometidos por ele na estatal, quando uma ata registrada na Junta Comercial do Rio e publicada no "Diário Oficial" do Estado mostra em seu teor que: "O presidente do Conselho de Administração, Guido Mantega, em face da renúncia do diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, submeteu o nome do senhor José Carlos Cosenza, indicado pela presidente da Petrobrás, Maria das Graças Silva Foster, para substituí-lo", e que, "outrossim, determinou o registro dos agradecimentos do colegiado ao diretor que deixa o cargo, pelos relevantes serviços prestados à companhia no desempenho de suas funções"? O verdadeiro desvio de caráter é tentar imputar aos outros os seus graves defeitos.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

MENTIRA

A documentação oficial da Petrobrás, em que consta que o ex-diretor Paulo Roberto Costa pediu demissão, pega a presidente Dilma em mais uma flagrante mentira. Nesse sentido, ao afirmar que a ex-companheira de partido Marina Silva tem falta de caráter, por ter mentido no caso da votação da CPMF, Dilma reivindica para si, com toda a justiça, esse desprezível desvio de conduta.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

‘RELEVANTES SERVIÇOS’

Realmente, Paulo Roberto Costa tinha todas as condições sob a presidência de Dilma de praticar a corrupção na qual está envolvida a Petrobrás na compra de Pasadena.

 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

*

O QUE DISSE O DELATOR PREMIADO?

Atribui-se ao general Golbery, o bruxo de 64, bem amado pela esquerda, a expressão "adoro uma traição, mas detesto o traidor". Isso vem a propósito da conclusão da oitiva de Paulo Roberto Costa pela Justiça, que lhe põe em liberdade provisória em troca de informações comprovadas das falcatruas na Petrobrás e da devolução de uma parte da grana que acumulou ilegalmente, algo como US$ 60 milhões. Como o acordo foi feito, presume-se que as informações estão lastreadas em provas. Na sequência: às vésperas das eleições, o PT está "fazendo o diabo" para conhecer os detalhes, ao tempo em que tenta impedir que os adversários também os conheçam. Para isso, usa o presidente da CPI, gente de sua confiança. Tenta conhecer não o que ocorreu na petroleira, mas até onde a Justiça sabe, para defender-se do indefensável (até amanhã, primeiro turno) e negar armas à oposição. Melhor seria que tudo fosse informado à imprensa, formalmente, pelo STF.

Roberto Maciel rvms@oi.com.br

Salvador

*

AS EMPREITEIRAS

A primeira empresa citada na delação premiada de Paulo Roberto Costa doou US$ 23 milhões em propina. Nem precisávamos ser adivinhos, já que as evidências mostravam por si. Odebrecht fez estradas na Bolívia. Odebrecht fez metrô na Venezuela. Odebrecht fez "porto" em Cuba. Odebrecht tem obras nos países ditatoriais na África. Tudo com ajuda fundamental de financiamento do BNDES. Odebrecht deixa jato à disposição do ex-presidente Lula, que após mandato viaja pelo mundo como garoto-propaganda da empresa... Estamos chegando lá. O verdadeiro mandante de toda essa roubalheira que tomou conta do País. O mentor! Isso é apenas uma pequena parte da ponta do iceberg que emerge. Faltam as outras.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO FISCALIZAM

A mídia noticia frequentemente que há empreiteiras – e dá os nomes – envolvidas em comissões pagas a políticos em troca de serem escolhidas para obras a ser superfaturadas. Mas parece que os órgãos que deveriam fiscalizar (Receita, Procuradoria, etc., etc.) não leem essas notícias e tomam as providências cabíveis. Por quê? Só a imprensa é confiável e se importa em defender os contribuintes.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

UMA REPÚBLICA BOLIVARIANA?

Sei não, mas cada nota que sai na mídia sobre informações dadas por Paulo Roberto Costa, como esta, agora, que diz ter recebido da Odebrecht US$ 23 milhões, não servirá para nada sem provas irrefutáveis desta, como gravações ou qualquer outro documento. Todo esse barulho de tiro de canhão, assim como tantos outros a respeito de corrupção deste governo petista, terminará com o som de um traque, como esse absurdo escândalo da usina de Pernambuco inicialmente orçada em US$ 4,5 bilhões e que poderá saltar para um custo tão estapafúrdio como a previsão final de US$ 20 bilhões. De que adianta discutirmos sobre tamanhos absurdos, se quem reelegerá a presidente criatura (apenas de direito, porque é apenas fantoche de Lula) são aqueles milhões de eleitores do Bolsa Família, somados aos semianalfabetos, junto com os lulistas da região metropolitana de São Paulo e os ignorantes que usam o jornal apenas para se "limpar" no sanitário. Para terminar, como entender a população sulista, que dá maioria à petista? "Emburreceram"? Não que Marina ou Aécio possam ser melhores, mas, a continuar esta política que caminha para tornar isto aqui uma República bolivariana, como as falidas Argentina e Venezuela, desconfio de que obrigará uma intervenção das Forças Armadas, pois apenas elas têm capacidade de limpar essa imensa latrina criada pelo PT.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

ESTAMOS SENDO ‘POUPADOS’?

O sr. Paulo Roberto Costa disse que, se contasse o que sabia, não haveria eleição. Consta que ele falou, e o que ele contou, na avaliação da Justiça, é relevante, tanto que já está em casa. Será que nós, os eleitores e contribuintes, que fomos roubados, só saberemos o que ele disse depois das eleições?

Paulo Gustavo P. C. de Carvalho pege@globo.com

Rio de Janeiro

*

COMBATE À CORRUPÇÃO

A presidente Dilma disse no debate de quinta-feira que o governo dela foi o que mais combateu a corrupção até hoje. Tal frase não é difícil de ser afirmada, considerando que nunca antes na história deste país a administração pública sofreu tantas improbidades administrativas. Que amanhã tenha fim este governo demagogo que jamais lutou visando ao interesse público, mas, sim, ao particular.

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com

São Paulo

*

CREDIBILIDADE

A credibilidade que Dilma tem em falar em "combate sem tréguas à corrupção" é tão autêntica quanto a que têm os viciados em crack e outras drogas, Brasil afora: apesar de certas "apreensões" pela Polícia Federal, "a droga" corre solta entre usuários bolsistas, nos mais de 5 mil municípios brasileiros. Quem destes votará contra Vossa Majestade?

 

Carlos Leonel leonelzucaimenes@gmail.com

São Paulo

*

FALTA DE LÍDERES

Com os candidatos que temos à presidência, e demais cargos já sei que vai perder as eleições. O Brasil. Somos governados, legislados e julgados pelo que há de pior na nossa sociedade. Nossa presidente é um mau exemplo de liderança, assim como tantos outros levam milhões de jovens a duvidar e desdenhar da seriedade, capacidade e ética. Que triste. Lutamos e sofremos tanto para termos um regime democrático e decente no País, mas estamos cada vez piores. Estão confundindo comprar carro e geladeira com pregresso social. Quando autoridades perdem a vergonha, nosso Poder Judiciário vira de costas para a sociedade e nossos legisladores se tornam membros do crime organizado, o País todo vai para o buraco. Vide Venezuela. Nosso maior problema continua sendo a falta de líderes, gente com escrúpulos e critérios justos.

 

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

JOGANDO A TOALHA

 

O eleitor brasileiro parece esquizofrênico. Pouco mais de um ano após a irrupção de protestos por urgentes "mudanças", e com o País em franca deterioração (contas públicas erodidas, crescimento zero, inflação alta, etc.), o que temos, às vésperas do primeiro turno da eleição presidencial, são enquetes apontando Dilma levando de vencida as eleições 2014. São péssimos os números da "presidenta": mal concluiu 43% de seu PAC; não entregou uma única obra de vulto em todo o governo, aliás, atolado em corrupção até o pescoço. Construiu magnífico porto em Cuba, e financia metrô na Venezuela à custa dos nossos impostos, mas descura-se da saúde, da educação, do saneamento, da infraestrutura e de todas as demais demandas dos brasileiros, vocalizadas nos protestos de rua de 2013. Periga o grau de investimento, Petrobrás e Eletrobrás perdem dezenas de bilhões em valor de mercado, e a primeira não sai das páginas policiais dos jornais. O núcleo duro do partido da presidente está preso, enquanto o governo alia-se a ditadores mundo afora, baixa decreto instituindo "sovietes" na administração pública e pede, em Nova York, a abertura de "diálogo" com terroristas do Estado Islâmico, cruéis decepadores de cabeças de jornalistas e servidores de agências humanitárias. Dois terços do eleitorado seguem inconformados, dizendo querer mudar "muito" ou "totalmente" o governo mas, na contramão desse sentimento, Dilma segue favorita e 61% dos entrevistados em levantamento da CNI apontam-na como vencedora do pleito que se avizinha. Quem quiser que entenda a cabeça – ou a sanidade – do eleitor brasileiro. Eu, definitivamente, já joguei a toalha.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

PESQUISAS ELEITORAIS

Você acredita em pesquisas de intenção de votos? Eu não. Depois das eleições, gostaria de receber um e-mail de todos os que acreditaram. Quero ver a cara de tacho de cada um que acreditou que daria Marina contra Dilma num segundo turno, conforme os institutos de pesquisas divulgaram desde a morte de Eduardo Campos.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

FÉ NA VIRADA

As pesquisas devem ser respeitadas, afinal de contas, é muito dinheiro em jogo. Interesses existem e todos nós sabemos que, mesmo com isso, a virada vai acontecer e Aécio vai ser presidente, para acabar com esta vergonha nacional de corrupção e economia em declínio. Nunca antes neste país um partido aparelhou a máquina pública como está fazendo o PT. Para o bem do Brasil, Aécio precisa e vai ganhar esta parada.

 

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

PROTESTOS PARA QUÊ?

Depois de um 2013 repleto de protestos, alguns cívicos e bonitos e outros cheios de baderneiros, black blocs e esquerdistas prontos para o quebra-quebra, chegamos ao dia da eleição. Os clamores eram de mudanças. Assim sendo, fica difícil de entender como Dilma está na frente das pesquisas. Depois de toda a sujeira explícita de seu governo e o pouco-caso com a opinião pública, com a imprensa e com os cidadãos brasileiros, o favoritismo de Dilma só pode ser creditado à memória curta do brasileiro ou à aceitação com tudo de ruim que aí está. Acorda, Brasil!

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

VOTO OBRIGATÓRIO

Apesar do comprovado livre curso à corrupção praticada no governo PT e a sua evidente imprudência financeira e desastrosa administração pública – o que em países democraticamente civilizados derrubaria o governo –, Dilma continua avançando nas recentes pesquisas Ibope. É o resultado da ignorância de uma massa votante com insuficiente capacidade intelectual necessária para uma votação consciente, vítima da calamitosa administração pública de educação deste governo. Aliás, essa perversa circunstância é, no fundo, criada pelo fato de que o Brasil é um dos poucos países com o antidemocrático sistema de votação obrigatória. Difícil de olhar o seu futuro com otimismo.

Pablo L. Mainzer plmainzer@hotmail.com

São Paulo

*

OBRIGATORIEDADE

A esta altura dos acontecimentos, certamente e como de costume, o "Fórum dos Leitores" voltará a receber mensagens dos que criticam em nossa democracia a obrigatoriedade de o cidadão votar. Então eu pergunto: "que democracia é esta em que o cidadão é obrigado a pagar Imposto de Renda?".

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br

São Paulo

*

‘MENTIRAS, GRANDES MENTIRAS E PESQUISAS’

Sem exagero, mas, falando francamente, todos sabem que nada funciona neste país – tanto no setor público como no privado, pois é a "cultura" brasileira de empurrar tudo com a barriga e transferir responsabilidades a terceiros. Acabo de tirar a prova disso ao percorrer três endereços diferentes para entregar uma documentação por informações erradas dadas pelo 0800 da empresa. Portanto, se isso é uma realidade "verdadeira", por que só as pesquisas eleitorais iriam funcionar com seriedade? Benjamin Disraeli, político inglês do século 19 já dizia que "existem mentiras, grandes mentiras e pesquisas". Mas o povo acredita em tudo, até em anúncio de TV e, mais ainda, em pesquisas. Pobre povo simpático, mas problemático e apático, que tudo aceita e se conforma.

João Roberto Gullino jrobertogullino@gmail.com

Petrópolis (RJ)

*

REPLAY

 

Por que temos de repetir o que não foi bom? Se pensarmos no PIB negativo por muito tempo, com demissões em massa nas montadoras, na construção civil, no comércio, etc., com um povo manipulado, com as escolas e a saúde maquiadas e questionáveis, tudo isso desafia nossa inteligência. Se antes a sujeira ia para debaixo do tapete, agora já não há tapete em que caiba tanta! Mas hoje as pesquisas apontam um segundo turno para a Presidência e não adianta dizer que ainda vai fazer, quando nada fez e quer mais tempo para continuar na imobilidade, no marasmo, no ostracismo. Por que não voltar às cédulas de papel, que os países mais avançado usam até hoje e as apurações são lícitas, enquanto nas urnas eletrônicas os hackers podem intervir, favorecendo suspeitas? E a cédula é importante, pois faz com que o eleitor tenha de saber ler e escrever, e os "tiriricas" da vida teriam de voltar à escola, àquelas que os governantes tanto prometem e nunca cumprem. Por isso o analfabetismo ainda impera! Um país se constrói com escolas, professores e livros, mas isso faz mal para o populismo. Vamos exigir posições mais claras no debate do segundo turno, em que os candidatos terão de nos oferecer propostas e programas de governo para continuar ou para mudar, e nós temos o papel da decisão, então esperemos o melhor para tornar o Brasil mais produtivo.

 

Nelson Scatena nelson.scatena@hotmail.com

São José dos Campos

*

AS SUSPEITAS PERMANECEM

Voto há mais de 60 anos, desde os tempos da cédula-papel. Trabalhei para a Justiça Eleitoral, tanto na área de votação, como mesário, como na de apuração, por mais de 20 anos. Com a introdução da urna eletrônica, esse serviço simplificou. Mas também deu margem à suspeita de que seus resultados podem ser alterados pela via eletrônica. Essas suspeitas perduram até hoje, pois países sérios recusaram se valer do nosso sistema de voto eletrônico. Mas o que quero questionar são as pesquisas pré-eleição. Jamais vi em televisão, seja na Globo, na Record, no SBT, um programa mostrando o funcionamento desses órgãos. Suponho que sejam enormes salões de marketing, com 200 ou mais telefonistas, em suas mesas, telefonando, preenchendo formulários; depois salas reservadas, onde se fazem a compilação dos dados (e talvez a separação entre os votos que devem ser aproveitados ou descartados). A exibição dessa captação/contagem/totalização é essencial para que o povo acredite no serviço. E hoje a suspeita dessa manipulação está muito forte, porque o nosso ex-presidente Lula vive a dizer que "para se vencer uma eleição, a gente faz o diabo", dando a entender que vale tudo para se conseguir a vitória, inclusive fraudar o sistema eleitoral.

Domingos Perocco Netto dperocco@ig.com.br

São Paulo

*

SANTA INOCÊNCIA

Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB), candidatos à Presidência da República, parecem que realmente são neófitos em matéria de política. Enquanto dona Dilma anda de ônibus, come de bandejão, degusta pastel na feira, veste avental para pilotar fogão, quando não sabe sequer fritar um ovo e carrega criancinhas, a dupla "tapioca e pão de queijo" se mata em acusações e assiste de camarote a toda essa demagogia ilusionista barata que está a levando à vitória. O máximo de Aécio Neves foi vestir um chapéu de couro em visita a uma exposição em Feira de Santana (BA), e fim, nem uma buchada de bode saboreou. Marina Silva apenas deu uma choradinha para meia-dúzia de assistentes, ao lembrar que passou fome quando era criancinha lá no Acre. Foi taxada de instável e sem preparo emocional para dirigir uma Nação. Resultado. Marina despencou no agrado popular e Aécio encalhou, parece que vai, mas não vai e a dona do trono presidencial, agora mais antipática ainda, marcha célere rumo à reeleição, levando para 2015 tudo de ruim que acumulou em quatro anos de governo. "Sai vitorioso das urnas o candidato que fala o que o povo quer e não o que precisa ouvir".

 

Sérgio Dafré sergio_dafré@hotmail.com

Jundiaí

*

ESCLARECENDO

Não sou petista e isso não significa que desprezo os mais pobres e humildes, aliás, quem conheceu a história da minha família, sabe que o respeito, a dedicação e ajuda aos mais necessitados estão presentes na essência dos que antecederam a mim, hoje e nos empenhamos para que seja por todo o sempre. Não sou petista e não compactuo com safadezas, roubos, ou quaisquer atitudes ilícitas tomadas que possam justificar um fim. Aliás, como pode nesse fim, encontrar uma luz, se pelos caminhos se usurpou da saúde, da educação, da mobilização desse povo, até sobrar uma massa praticamente sem pensamentos lógicos, formados na miséria, pela TV e num crescente mundo das drogas, despejadas aqui pelos vizinhos "amigos" do PT. Não sou petista e não pude vestir essa camisa vermelha, pelas oportunidades perdidas desse partido, que usou as ferramentas e possibilidades acessíveis no poder, não para desenvolver a nação e elevar as condições de sobrevivência do povo, mas sim para o poder individual, patrocinado por todos esses desvios e roubos, que esses poderosos estão conseguindo abafar, dissimular e esconder. O voto é tecnicamente secreto, mas assumo que vou votar em Aécio e prometi para mim mesma diariamente encontrar um meio de expor aquilo com que não concordo.

Maria Luisa Giorgi malugiorgi@gmail.com

São Paulo

*

MEDO DE PERDER O PODER

Antes que me chamem de marinista ou aecista ou dilmista ou qualquer coisa do gênero, declaro que sou apolítico, todos os partidos e postulantes a cargos públicos são "farinha do mesmo saco", mas me causa indignação ver como o PT nestes últimos 12 anos vem menosprezando a nossa inteligência. Não assisto a propaganda política, mas dias atrás, sem querer, assisti por alguns segundos à propaganda do PT. Dilma apresenta um país perfeito, sem contradições, uma "lindeza". Dilma mente o tempo todo. Quem Dilma e sua famigerada equipe querem enganar? Tudo o que fizeram nestes últimos 12 anos foi assaltar os cofres públicos, encobrir maracutaias e sucatear o Estado brasileiro, e agora posam de bons moços, ela (Dilma), de "coração valente". O PT aposta na política do medo, pior, aposta na burrice e na falta de memória da maioria dos eleitores. O PT nunca nos representou, mas está com medo de perder o poder.

Wilton de Castro wiltondecastro@gmail.com

São Paulo

*

O TAMANHO DA IGNORÂNCIA

"O curral eleitoral e seu poder na eleição" (3/10, A2), de Aloísio de Toledo César, traz bem ilustrado o título, ao mostrar o resultado da pesquisa de que a adesão à candidatura oficial é quase unânime entre dependentes do Bolsa Família, diferentemente das áreas de pessoas de melhor instrução. Quero acrescentar o comentário de que é tamanha ignorância e alienação desse primeiro grupo que não enxergam que se o País continuar desgovernado, como está, há ameaça também para a continuidade do Bolsa Família.

 

Cleria Valle cfsrv@bol.com.br

São Paulo

*

CARA DE TACHO

Dilma tem cara de ditadora; Marina, de sofredora; Aécio, de espertalhão; Fidelix, de rabugento; Luciana, de mulher-bomba; Eduardo, de bicho-grilo, e, Everaldo, cara de nada. E, eu, eleitor, às vésperas da eleição, estou com cara de tacho, sem saber ainda em quem votar.

Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

PLANO DE GOVERNO

Dilma só tem um plano: manter a Presidência. Se bem-sucedida, o plano seguinte será a volta de Lula. Alguma dúvida?

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

*

CICLO SEM FIM

Com cada vez mais escândalos ao longo desses 12 anos, o PT e seus aliados abriram brecha moral para que cada cidadão queira se beneficiar financeiramente pelas frestas do tesouro advindo dos próprios brasileiros. Mas o fato é que só se saem melhor nessa corrida quem tem mais poder e/ou mais votos. Só se sai melhor a alta sociedade político-judiciário-econômica, mas também, virtualmente, a baixa sociedade cujo poder (voto) é comprado com bolsas família. A miséria permanece nos aspectos mais banais como saúde e educação. E assim entra-se num ciclo sem fim que só dilacera a classe média e liberal, que só será quebrado com o voto consciente amanhã.

Lucas Renó Gonzaga lucasrg72@gmail.com

São Paulo

*

POR QUE NÃO VOTAR

Não é preciso ir longe, para derrubar o PT, basta o eleitor esclarecido lembrar tão somente de cinco coisas: Petrobrás/Pasadena, Porto de Cuba, PEC-37 felizmente derrubada no Congresso pela pressão popular, mistério na morte do prefeito de Santo André, Celso Daniel, e, por último, do mensalão, maior escândalo ocorrido na história da República. Algo mais?

João Rochael jrochael@ibest.com.br

São Paulo

*

SUGESTÃO A LULA

Meu senhor magnânimo, que transita nas altas esferas do domínio popular, nós o elegeremos nas eleições futuras, mas faça um "ato de caridade": não deixe que o Brasil beba mais quatro anos deste cálice. Pai, afasta de mim esse cálice... E o Chico "vai passar"?

João L. Piccioni piccionijl@me.com

São Paulo

*

UM MILAGRE

É, o dia D está chegando e só um milagre salvará o País de uma catástrofe nos próximos quatro anos. O PT, nesses 12 anos de desgoverno, semeou ventania e agora colherá tempestade. Quem viver verá.

Jose Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

FAZENDO ‘O DIABO’

O PT prometeu fazer "o diabo" para ganhar as eleições. Que jogo sujo e desleal usa esse partido para enganar a população. São Paulo tornou-se terra de ninguém. Hilário ouvir Lula dizer que Alexandre Padilha governador vai resolver o problema da água, do metrô e da segurança em São Paulo. O governo federal nunca resolveu o problema da falta de água no Nordeste, não quer punir menores que matam inocentes, a violência e insegurança aumentaram em todo o País e o candidato Padilha, se ganhar, vai resolver? Se ele tem a receita, não deveria ter oferecido ajuda ao governo federal, que não consegue conter a violência e precisa recorrer às Forças Armadas? Quantas pessoas se deixam levar pelo discurso barato e demagogo do partido que rasgou a bandeira da ética e tornou-se o verdadeiro PT, Partido dos Trambiqueiros?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

LULA E SÃO PAULO

O incansável Lula (sic Alexandre Padilha) está em todas jogando suas fichas em nosso Estado, a impulsionar o desempenho de Dilma e de Padilha. Observo estarmos dando à candidata à reeleição presidencial do PT nas intenções de votos relativamente o que damos à reeleição do governador Geraldo Alckmin, do PSDB, em 47%, podendo reeleger-se no primeiro turno, mostrando a avaliação incabível da presidente Dilma no Estado que mais se prejudica com sua política econômica, e aquele que mais colabora em recursos ao governo federal para distribuir aos seus apaniguados apoiadores. É estranho e perigoso em nosso Estado, o maior colégio eleitoral do País, com peso significativo no total eleitoral, tal disparate como mostram as pesquisas na tendência à petista, enquanto massacramos o poste 2, Padilha, com 11% das intenções de voto ao governo do Estado, e o poste 1, Fernando Haddad, despenca na avaliação de sua atrapalhada gestão municipal. Tal qual na tétrica "escolha de Sofia", se realmente o objetivo for o de defenestrar o PT, nada resta a não ser votar em quem tem mais chance de ir ao segundo turno, deixando as convicções, divagações e implicâncias para depois, ou então aguentar mais quatro anos com os petralhas.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO EM SÃO PAULO

Não que o PSDB seja essa maravilha, mas PMDB e PT são farinhas do mesmo saco. Irão arrasar as estatais paulistas – ainda sólidas – se vencerem aqui. Portanto, ao eleitor que não vive nas tetas do governo e paga impostos não resta alternativas amanhã.

 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

*

POLÍCIA FEDERAL TUCANA

Alexandre Padilha vê motivação política na investigação de fraude em licitação realizada quando então era ministro da Saúde. De duas uma: ou o PT aparelhou a Polícia Federal com quadros tucanos ou o PT, assim como a maioria dos paulistas, não quer Padilha como governador de nosso Estado.

Eduardo Biral elbiral@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.