Fórum dos Leitores

É HOJE!

O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2014 | 02h05

Pense na hora de votar

Hoje exerceremos o nosso sagrado direito de escolher os governantes para manutenção do regime democrático. Mas quem são os maiores beneficiários desse regime senão os próprios candidatos, na grande maioria oportunistas e aventureiros que só querem uma fatia do bolo do poder? Enriquecem logo com as benesses de seu status, sugando nossas parcas economias em gabinetes caríssimos e outras vantagens propiciadas pelo mandato, como tratamento de saúde, extensivo aos familiares, em hospitais caros de São Paulo, passagens aéreas e serviços de postagem, além de favores pecuniários, como estamos vendo na delação premiada de Paulo Roberto Costa. Dizem que são representantes do povo, mas, na dura realidade, são representantes de seus próprios interesses e dos que lhes são próximos. Na hora de votar pense bem, porque o grande circo vem aí.

ALEXANDRE L. SENRA ANTONINI

familiaantonini@ig.com.br

São Paulo

Festa da esperança

Nada mais esperançoso para os destinos do nosso país do que a grande festa democrática que são as eleições que hoje se realizam Brasil afora. Apesar de todas as nossas grandes vulnerabilidades, o voto livre é e será sempre a maior arma para corrigir todas as mazelas que temos.

JOSÉ DE ANCHIETA N. ALMEIDA

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

Democracia de verdade

O Brasil só será uma verdadeira democracia quando o voto for facultativo. De nada adianta o TSE enaltecer os números gigantescos de votos e a celeridade na apuração final. Para nos igualarmos às nações desenvolvidas deveríamos ter a liberdade de votar ou não, principalmente considerando o baixo nível dos ataques trocados entre os diversos candidatos aos cargos majoritários. Será que esse dia chegará?

JOSÉ ANTONIO BRAZ SOLA

jose.sola@globomail.com

São Paulo

A hora chegou

E o eleitorado tem a obrigação de votar, mas levando em conta propostas e atitudes de candidatos inconsequentes. Alguns até usaram a mídia para se apresentarem de forma ridícula e grotesca. E o pior, conseguem quantidade inexplicável de votos! O eleitor precisa pensar, avaliar que tem responsabilidade por quem está elegendo. O voto é coisa muito séria.

URIEL VILLAS BOAS

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

Nulo ou em branco, não!

Falar sobre eleições é desgastante. Nós, eleitores, estamos descrentes de todos, e com razão. Mas votar nulo ou em branco só vai favorecer os piores. O sistema político é ruim e contaminado, normalmente vencem as eleições ou quem tem muito dinheiro ou pessoas públicas, rotineiramente as menos preparadas, enquanto as mais competentes ou comprometidas com o eleitor ficam de fora. Mas hoje, escolhendo bem, podemos minimizar futuros sofrimentos!

ALEX TANNER

alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

Status quo

É triste constatar que os políticos, generalizando, reinam entregues ao mesquinho interesse pessoal, monetário e eleitoreiro, muitas vezes em conluio com redes de corruptores e corruptos. Mas é muito mais triste ver que a maioria dos eleitores parece estar de acordo em dar o próprio aval à atual trágica situação de incompetência e corrupção.

FRANCESCO MAGRINI

framagr@ig.com.br

Cachoeira Paulista

Voto consciente?

É chegada a hora. Mas esperar voto consciente de quem só pensa no bolso ou em bolsas, de quem vota em quem está na frente nas pesquisas só por não querer votar no segundo ou no terceiro (para, no entender do idiota, não perder o voto), de quem não tem valor moral ou ético, como o seu candidato, nem pensar. Assim, talvez caminhemos para um segundo turno em que as escolhas serão ainda mais restritas e difíceis. Vejo-me diante não de uma urna eleitoral, mas de uma urna funerária onde enterrarei meus sonhos e esperanças de um Brasil livre de corruptos e corruptores, desonestos, trambiqueiros, boquirrotos, mensaleiros, malfeitores, ex-guerrilheir(a)os e petralhas. Resta-me apenas (a exemplo do que foi feito durante muito tempo, e enquanto oposição, pelo mais nefasto partido já existente no País) torcer para o quanto pior, melhor.

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Retrato fiel

O resultado da eleição para presidente da República será o retrato fiel do povo brasileiro. Pode ser o caos total ou o início de uma união para o bem do Brasil. Só depende do povo. "Deus" está muito ocupado e só volta em novembro, portanto, o problema é nosso!

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

USP

Palanque

O artigo de Virgilio Afonso da Silva e Fernando Limongi (Trancada pelo trancaço, publicado no Aliás de 28/9) repete mentiras para que elas assumam ares de verdade e distorce os fatos para fazer crer o que não é. Como pode haver crise financeira na Universidade de São Paulo (USP), nos moldes propalados, se há no caixa cerca de R$ 2,5 bilhões, sendo R$ 1 bilhão livre de compromissos? O plano de carreira de funcionários, o plano de progressão horizontal de professores e a atualização de benefícios, aprovados, às claras, nas gestões passadas, foram apresentados pelos autores como sendo benesses para "cooptar o sindicato". Nada mais absurdo! A mais longa greve da USP, feita pelas três categorias, deveu-se, isso sim, à negativa da universidade em corrigir o salário pela inflação, embora tivesse fortuna rendendo no banco! A verdadeira crise da USP é ficarem dez meses caçando bruxas, ao invés de gerir; desmontando-a, vendendo e cedendo seu patrimônio, ao invés de mirar o seu futuro; dividir, ideologicamente, a universidade, ao invés de esforçar-se para uni-la; além de mentir descaradamente! Quando vão descer do palanque?

JOÃO GRANDINO RODAS, ex-reitor da USP (2010-2013)

joao@grandinorodas.com.br

São Paulo

Refém de sindicatos

Parabéns aos professores Virgilio Afonso da Silva e Fernando Limongi pela coragem de falar o que todos já sabem há muito tempo: a USP está nas mãos dos sindicatos! Quem diverge é desqualificado. Passou da hora de todos sairmos desse torpor.

CLEO AIDAR

cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

________________________________________

 

BALANÇO DO GOVERNO DILMA

Chega ao final o mandato da presidente Dilma Rousseff, e o balanço é desastroso para o Brasil. O País recuou, ou não cresceu como deveria, em todas as áreas. Promessas não foram cumpridas, metas não foram alcançadas, obras não ficaram prontas, outras simplesmente desabaram. Nunca houve tantos casos de corrupção e de desvio de dinheiro público ligados diretamente à presidente da República. Nada disso importa ao eleitor, a única dúvida que existe é se a presidente Dilma vai ganhar no primeiro ou no segundo turnos. A jovem democracia brasileira precisa amadurecer, não é possível que um candidato faça dez vezes mais propaganda que os outros e tem de haver alguma forma de cobrar o desempenho dos eleitos para que cumpram suas promessas. Essas mudanças têm de ocorrer rapidamente, para que a democracia volte a funcionar no Brasil.

Mário Barilá Filha mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

ANOS DE FARTURA

O governo Dilma levou fartura ao povo brasileiro: "farta" saúde, "farta" educação, "farta" segurança, "farta" infraestrutura. Só não "farta" propaganda enganosa"

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

DOIS TURNOS

Que o voto no primeiro turno revele claramente que o País quer mudar, seja com Aécio ou com Marina. Que o voto no segundo turno dê um basta definitivo ao PT. Que assim seja! Muda, Brasil!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

TUFÃO

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) têm de se aliar no segundo turno das eleições. Nada melhor do que o presidenciável Aécio aliar-se a Marina, constituindo assim um verdadeiro tornado contra a pretensão do PT de perpetuar-se no poder e continuar com as falcatruas e escândalos, como tem feito nos últimos 12 anos.

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

À ESPREITA

Domingo chegou e tenho a impressão de que tem um monte de candidatos à espreita, loucos para botar a mão no meu dinheiro. Toda atenção é necessária.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

POEMA ELEITORAL

 

Eu não sou irresponsável, o meu voto é confiável. Eu não sou um negligente, o meu voto é consciente. Eu não sou um egoísta, o meu voto é altruísta. Eu não sou um imaturo, o meu voto tem futuro. Eu não sou um ignorante, o meu voto é atuante. Eu não sou um indiferente, o meu voto é inteligente. Penso na comunidade, o meu voto é honestidade. O poder da maioria é o voto melhoria. Mas, se sou alienado, voto é manipulado. O errado vira certo, ganha mais quem é esperto. Se não sou esclarecido, o meu voto é conduzido. A história do sufrágio, a tragédia do naufrágio. Se eu sou interesseiro, vai o voto, vem dinheiro. A vitória eleitoral vem da zona marginal. O poder da maioria é o voto porcaria.

 

Marcelo de Lima Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Mogi das Cruzes

*

O ÚLTIMO ESFORÇO

O Estado brasileiro está pronto para receber nas urnas sua salvação ou a eutanásia eleitoral - um momento em que a vida política nacional experimenta sua experiência de quase morte da democracia. Segue o País em seu delirante estado de coma institucional, lutando contra a hidra de mais de sete cabeças da corrupção. Também é assediado de forma sistemática e implacável pela mula sem cabeça, e cobiçado pela sanha voraz dos gafanhotos vermelhos que a tudo dizimam em sua revoada insana. Neste momento, só a consciência do eleitor brasileiro é a luz que pode sair das urnas no início do túnel com força capaz de trazer o paciente Brasil de volta do buraco negro em que está mergulhado. Mas ele ainda pode ser resgatado neste último esforço, é a oportunidade democrática que a Nação concebeu com a liberdade de escolha pelo voto.

Leon Diniz leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

*

ESTE É O BRASIL...

Vivemos numa República de terceira categoria, onde prevalecem a imoralidade, a corrupção, a falta de ética, a injustiça, a insegurança, o despreparo e a incompetência. Este é o país dos medíocres, ignorantes e corruptos, dos bandidos e dos policiais malfeitores, dos trapaceiros metidos a espertos, dos ladrões do dinheiro público, dos militares omissos e acovardados, dos movimentos sociais obtusos e subversivos, das igrejas caça-níqueis, das bolsas-votos distribuídas a milhões de desocupados, dos presidentes que nunca viram nem sabem de nada, dos direitos humanos só para bandidos e dos eleitores lesa-pátria irresponsáveis, que só votam em gente que não presta, como eles... Este é o país onde um palhaço de circo analfabeto (Tiririca) foi o mais votado para deputado federal. Enfim, vivemos um massacrante filme de terror, que, infelizmente, parece não ter fim! Aconselho os brasileiros honestos que não criem os seus filhos neste país onde a moral e os bons costumes estão apodrecidos. Que Deus nos ajude!

Sergio Diamanty Lobo diamanty18@gmail.com

São Paulo

*

A HORA DE MUDAR (OU NÃO MUDAR)

Assistimos a manifestações, algumas violentas, contra o aumento das passagens de ônibus, em oposição à Copa do Mundo e, até hoje, pedindo o fim da corrupção, mais segurança, casa própria, saúde, escola e dezenas de outras coisas. Apesar do discurso oficial, de normalidade, não é isso o que se vê na prática. Nossa vida corre risco permanente, a propriedade não é protegida, o direito de ir e vir é desrespeitado, as instituições mostram-se fracas e as autoridades, omissas e atabalhoadas. É nesse quadro que chegamos às eleições. Na urna eletrônica, teremos a oportunidade de, se insatisfeitos, dar nossa contribuição para mudar o governo e a composição das Casas Legislativas ou, se satisfeitos, votar pela reeleição tanto dos componentes do Executivo quanto dos do Legislativo. Se a presidente e/ou o governador forem reeleitos, ficará claro que a maioria da população não concorda com os protestos contra eles dirigidos, e as manifestações têm de cessar imediatamente. Numa democracia, as minorias se curvam à maioria, e ponto final.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

COURAÇA

Em eleições passadas, Lula se reelegeu em pleno escândalo do mensalão, depois elegeu Dilma em pleno julgamento e condenação de toda a cúpula do PT no caso. Diziam que, ao atacar PT/Lula/Dilma, eles cresciam nas pesquisas de intenção de votos, uma verdade que se repete: com todos os escândalos do governo Dilma aflorando, ela cresce nas pesquisas e tudo indica que será reeleita. Pobre Brasil! Lula conseguiu, com o Bolsa Família, criar uma couraça que ninguém atinge, a exemplo de Getúlio Vargas, com o "pai dos pobres". Aquele, porém, além de ter na oposição Carlos Lacerda, tinha vergonha na cara e suicidou-se.

Aurélio Batista Paiva aureliobpaiva@gmail.com

Brasília

*

POVO ESCLARECIDO

Eleitores desinformados, iludidos por competente marqueteiro e mentirosa convicta, podem nos levar a mais quatro anos de descalabro. Cabe à oposição deixar claro, se segundo turno houver, que baixo crescimento econômico aliado à má administração significa falta de recursos para as melhorias dos serviços tão justamente reclamados pela população. Sem esquecer que a crescente inflação resulta da clara incompetência e inapetência à seriedade.

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

‘LA NAVE VA’?

Dilma e PT ganhando, "la nave va", transportando o Brasil. Não a Nave de Felini, mas a Nave de Caronte.

Jose Joaquim Rosa jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

*

DESESPERANÇA

Hoje poderia ser ano-novo, para renovar as esperanças e torcer por um recomeço. Também poderia ser aniversário, para celebrar os anos que se foram e fazer resoluções para o que vem. Poderia ainda ser Dia de Finados, para relembrar dos que foram e dos que sentimos saudades. Mas, para mim, não é nada disso. Hoje vou lá para cumprir a burocracia. Vou lá no piloto automático. Vou lá para buscar um recibo. Faz tempo que voto nulo ou em branco. Faz tempo que justifico. Faz tempo que voto por exclusão ou contra. Invejo quem tem candidato, quem faz boca de urna (sem ter sido comprado), quem colou adesivo no carro. Não quero ficar velho de espírito para dizer que não acredito mais em nada ou que na minha época era melhor. Um dia foi? Tampouco vou achar que tudo isso é uma palhaçada e o que resta é soltar uma bomba no Planalto. Vou, então, seguir o conselho de Milton Hatoum (em sugestões para o fim de semana): "É preciso ter paciência com o Brasil. Nossos surtos de razão e esperança são esporádicos, mas existem". Então, Milton, terei mais quatro anos de paciência esperando que até lá eu tenha um pouco de esperança.

Daniel Hanai danielhanai@hotmail.com

Araraquara

*

IRONIA...

"O Brasil quer mudar. Mudar para crescer, incluir, pacificar. Mudar para conquistar o desenvolvimento econômico que hoje não temos e a justiça social que tanto almejamos. Há em nosso país uma poderosa vontade popular de encerrar o atual ciclo econômico e político." Texto perfeitamente adaptado ao discurso de campanha de qualquer dos dois candidatos que disputam a Presidência com a candidata da situação, do PT. Trata-se, porém, do parágrafo de abertura do documento que passou a ser conhecido como "Carta ao Povo Brasileiro", datada de junho de 2002 e assinada pelo então candidato Luiz Inácio Lula da Silva. Nele, o possível futuro presidente buscava acalmar os investidores internacionais que apresentavam sinais convulsivos ante a possibilidade sua eleição em outubro daquele ano, além de estabelecer, caso fosse o escolhido, que não realizaria manobra na economia que configurasse uma ruptura dos preceitos econômicos gerais que vigoraram no governo anterior de FHC. Hoje é dia de mais uma disputa pelo cargo máximo, e de novo o mercado financeiro mostra sinais de apreensão em relação, desta vez, a uma reeleição que, após três mandatos marcados por atos de corrupção e aparelhamento de instituições, representa a continuação de uma política econômica incapaz de tomar medidas adequadas para enfrentar as consequências da crise global de 2008 que sacudiu o mundo desenvolvido e alguns emergentes, da qual estão saindo, com a retomada de bons índices de crescimento e que, ao contrário, mergulhou o Brasil na estagflação. Estamos diante de uma situação parecida com a do espelho distante, descrito em livro da historiadora Barbara Tuchmann, segundo a qual acontecimentos de hoje são reflexos de erros e mentiras de outras épocas e lugares distantes, corroborando a frase de Voltaire: "A História não se repete, mas os homens, sim". Ironia...

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

ENCRUZILHADA

 

O Brasil depende de você. É de suma importância o seu voto. No cargo presidencial está implícito o destino brasileiro. Estamos numa encruzilhada e está em nossas mãos a decisão entre a democracia e o bolivarianismo. A semente bolivariana foi plantada e floresce irrigada pelo atual governo no Sírio-Libanês, enquanto a democracia é menosprezada e agoniza num congestionado corredor do SUS. A democracia é a formiga que trabalha, produz, mas é desprestigiada e sem valor, enquanto o bolivarianismo é a sugadora cigarra que pouco ou nada faz, mas que, cheia de direitos, desfruta da riqueza alheia. Nunca o Brasil dependeu tanto do seu voto para reverter a nefasta situação, antes que seja tarde demais para restaurar a democracia.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

VOTE PELA DEMOCRACIA

A eleição que se encerra hoje, pelo menos para os cargos promocionais, ficará marcada pela falta de verbas que atingiu a maioria dos candidatos. Por outro lado, chama a atenção o fato de ainda haver muitos eleitores indecisos, conforme revelam as últimas pesquisas de intenção de voto para os cargos proporcionais, deputados estaduais, federais e senadores. Mesmo levando em conta que existam candidatos em demasia, disputando cinco cargos deferentes, deputados estadual e federal, senador, governador e presidente, ainda assim é estranha essa indecisão do eleitorado na etapa final das campanhas. Se mesmo com os debates e com as propagandas amplamente difundidas no rádio e na TV uma grande parcela da população ainda não foi convencida de qual candidato merecerá seu voto, talvez seja um sintoma de inexistência de postulantes que representem de verdade essas pessoas. Faltam propostas consistentes e sobram acusações e mentiras. Certos candidatos exageram nas bizarrices, em palhaçada, demonstrando total falta de seriedade e comprometimento com o que o povo espera de seus representantes. Outros, por sua vez, se mostram radicais, fazem promessas mirabolantes e mentirosas que qualquer pessoa com o mínimo de discernimento é capaz de constatar que tais propostas são incabíveis e imbecis. Tem gente que acha que uma mentira repetida mil vezes, como vêm fazendo alguns candidatos, torna-se verdade. A célebre frase - que lembra Joseph Goebbels, ministro do regime nazista de Adolf Hitler. Entretanto, no meio deste vasto universo de aventureiros políticos existem alguns nomes que se destacam por sua cara de pau e por defenderem questões de interesse da coletividade ou de determinados seguimentos da sociedade. Por isso, é importante pesquisar o histórico dos candidatos, dos partidos a que pertencem, saber se eles são "ficha limpa", procurar saber como tem sido sua atuação e suas principais realizações na vida política ou fora dela. Só assim é possível votar com consciência. Deve-se lembrar, aliás, de que os partidos são financiados de forma direta com verbas públicas. É o dinheiro dos impostos que pagamos que vai estar em jogo hoje. A previsão é de que este ano eles recebam pelo Fundo Partidário nada menos que R$ 313,5 milhões. Ano passado foram quase R$ 300 milhões. É muita grana para produzir muito pouco em contrapartida para o eleitor, não é mesmo?

 

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

UMA BOLHA VEM AÍ... LÁ, LÁ, LARÁ!

 

Incorporadoras com R$ 29 bilhões em imóveis encalhados, com expectativa de distratos, rescisões e cancelamentos de contratos de vendas sem devolver um tostão aos compradores e ainda cobrando-lhes multas? Se dona Dilma for reeleita, salve-se quem puder.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

APELO DAS URNAS

Faça das suas mãos uma extensão da sua inteligência. E com postura crítica coloque na política pessoas com eficiência, que possam lhe garantir um melhor porvir sem dores de consciência. Analise a vida dos candidatos, não se iluda com belos retratos. Ou com os apelos da mídia. Construa a sua própria opinião. Não dê aos meios de comunicação o controle sobre a sua vida. Faça das críticas contras e prós instrumentos para que sua voz pelos indecisos seja ouvida. Contribua com o desenvolvimento deste país imenso, sendo um consciente eleitor, escolhendo pessoas capacitadas que tenham conduta ilibada e o apreço pelo suor que escorre pelo rosto daquele que honra o voto que nele você depositou.

Eduardo de Paula Barreto opoetizador@gmail.com

São Paulo

*

POUPANDO DILMA E O BRASIL

Mais dois excelentes motivos para não votar em Dilma são os acordos de delação premiada de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás, e do doleiro Alberto Youssef. Como dificilmente virão a público antes das eleições todas as falcatruas que eles estão ou estarão denunciando, cresce muito a probabilidade, caso eleita, de um inexorável impeachment de Dilma, doloroso processo que não interessa nem à Nação nem a ela.

Lazar Krym lkrym@terra.com.br

São Paulo

*

O PT ONTEM E HOJE

Há tempos venho me perguntando como a presidente Dilma ainda se mantém no poder. Digo isso em razão de tantas denúncias de corrupção ocorridas em seu governo, é escândalo atrás de escândalo, e cada vez um roubo maior que o outro. É só voltarmos um pouquinho na história política do Brasil que veremos que denúncias pequenas e quase irrelevantes já derrubaram grandes governantes. Cito como exemplo o caso do ex-presidente Collor e tantos outros, quando bastou haver a denúncia de algo errado que o PT, que sempre foi oposição desses governos, pressionou e eles foram cassados. Agora, que é o próprio PT que está no poder, as coisas parecem nunca atingir os grandes articuladores de todas as falcatruas, pois houve o mensalão e Luiz Inácio da Silva se saiu inocente, aí veio a Petrobrás e até a agora Dilma se diz inocente e se mantém roubando no poder. A grande verdade é que o PT sempre roubou do povo a mando de seus líderes, esconde-se atrás de um programa de governo chamado Bolsa Família e o povo, com medo de perder o beneficio, acaba aceitando. No entanto, precisamos esclarecer que a Bolsa Família existe desde Fernando Henrique e naquela época o PT era totalmente contra - Luiz Inácio apenas trocou o nome do programa e disse ser sua criação. Com tantas denúncias e roubos revelados, Dilma não poderia sequer ser candidata. E digo mais, deveria ter sido cassada e presa. Porém, ainda há tempo de reparar o erro e elegermos um candidato sério que faça com que o Brasil cresça e prospera, porque, se continuar como está, afundaremos ainda mais neste mar de lamas.

Daniel de Jesus Gonçalves al_amachado@yahoo.com.br

Paranavaí (PR)

*

O BRASIL QUE DESEJO

Claramente, os dirigentes atuais do País têm uma nítida preferência por ter relações diplomáticas com nações onde as liberdades individuais são limitadas ou praticamente inexistem. O apoio a algumas delas é uma constante, apesar dos sensíveis prejuízos que isso nos causa. Os investimentos realizados em favor delas, por meio do BNDES, ou de concessões ultrapassam em muito R$ 6 bilhões. Num desses países constrói-se um porto muito superior aos nossos; noutro recuperam-se as suas rodovias; na América Central, constrói-se uma hidrelétrica; num país vizinho assiste-se sem contestação ao absurdo sequestro de uma refinaria nossa; finalmente, perdoam-se dívidas de países ditatoriais africanos. Para completar esse cenário, a nossa dirigente máxima, na ONU, procura defender extemporaneamente o Estado Islâmico, apesar das barbáries que vem praticando. Não se pode usar a democracia para se acabar com ela. Não é esse o Brasil que desejo para meus netos. Os nossos dirigentes têm a obrigação moral de colocar os interesses nacionais acima dos de seus amigos ideológicos.

 

Ricardo Pereira de Miranda ricarmiran@terra.com.br

Salvador

*

A OAB E JOAQUIM BARBOSA

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ao negar registro ao ministro Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), sairá menor do que entrou, pois está mostrando a sua cor. Sinceramente, Joaquim Barbosa nem deveria perder tempo em advogar. Deveria dar suas palestras, levar sua experiência ao mundo. O ministro é professor e certamente vai lucrar muito mais e fará um imenso bem ao mundo. Essa gente está com dor de cotovelo pela coragem e competência do ministro, atributos que faltam a eles. Se o Brasil fosse um país sério, Barbosa seria o presidente da República e essa camarilha seria varrida para Cuba.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

CIRCO DA OAB DE BRASÍLIA

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal, Ibaneis Rocha Barros Júnior, por incrível que possa parecer, não deve ter vocação democrática. Para conseguir seu minuto de fama, negou a carteira de advogado para ninguém menos do que Joaquim Barbosa (mesmo com o alto saber jurídico que tem), até que seja avaliada a idoneidade moral do ex-presidente do STF. Pode?! Para o dirigente da OAB, as críticas de Barbosa a advogados dos réus do mensalão, como por exemplo, aquele que defendia José Genoino, que foi expulso do plenário, Luiz Fernando Pacheco (muito se falou que este, inclusive, estava alcoolizado), foi o empecilho moral para seu registro na entidade. Muito estranho que essa observação venha de um alto dirigente da OAB, que demonstra desprezar a livre expressão, uma prerrogativa constitucional, e de forma corporativa se doa por um colega como o advogado do réu José Dirceu, José Gerardo Grossi, que na maior cara de pau quis convencer o plenário do Supremo durante o julgamento da Ação Penal 470, que aquela farsa de emprego que o ex-ministro de Lula conseguiu num hotel de Brasília, por um salário de R$ 20 mil por mês (ou seja, 10 vezes mais que a empresa paga a outros funcionários) era coisa de gente séria, e por este motivo foi duramente criticado por Barbosa. Será que Ibaneis Rocha, por estar tão próximo do Palácio do Planalto, se farta também do vírus petista da mediocridade, e pela sua apequenada decisão contra um nobre brasileiro como Joaquim Barbosa ainda tenta macular a imagem da Ordem dos Advogados do Brasil? Sinceramente, este tal Ibaneis Rocha está mais para advogado do diabo...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

COLHENDO O QUE PLANTOU

Engraçado: o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa agora se diz vítima de arbitrariedade por parte da OAB-DF, que lhe negou registro de advogado. Quando todo-poderoso e empavonado ministro da Suprema Corte, costumava ser grosseiro, publicamente, com magistrados. Barbosa agora queria o quê? Ser recebido com flores e faixas pelos colegas que tinha prazer de insultar e denegrir? O pau que bate em Chico também bate no Francisco. Barbosa colhe desavenças que plantou.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

REPRESÁLIA OU PRECONCEITO?

Antes de tudo, a instituição OAB deve ser apartidária na expedição da carteira de inscrição, e principalmente para um ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). É lamentável a ameaça da OAB-DF em recusar a sua inscrição. Que a direção da OAB é petista a maioria dos brasileiros sabe, mas a ameaça só pode ser pelo julgamento da Ação Penal 470 - conhecida como "mensalão", e que tardiamente condenou alguns mensaleiros. Mas também pode ser interpretada como discriminação, represália e até preconceito. Pegou mal! O conceito e a conduta do digno magistrado valorizaram o nosso Judiciário, que estava tão desacreditado por grande parte dos brasileiros. A expectativa é de que, após a aposentadoria do ex-ministro Joaquim Barbosa, o STF consiga encontrar o seu real e verdadeiro caminho, com todo o respeito.

 

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

RACISTAS

Quem seria tão ou mais racista: a torcedora do Grêmio de Porto Alegre, que chamou de "macaco" o goleiro do Santos, num ato aberto e espontâneo, ou a mediocridade da atitude do presidente da OAB-DF, Ibaneis Rocha, que impugnou o pedido do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal para ter um registro de advogado? O dr. Ibaneis, ignorando a projeção social e política de Joaquim Barbosa, usou a sua dura atuação no caso da autorização de trabalho externo do apenado José Dirceu. Em seu pedido contra o ex-presidente do Supremo, elencou fatos acorridos durante o julgamento da Ação Penal n.º 470. Para Reginaldo de Castro, ex-presidente da OAB Nacional, se Joaquim Barbosa usou de sua autoridade de forma abusiva enquanto ministro do STF, deveria ser questionado, mas tentar negá-lo o direito a que pleiteia é querer transformá-lo num "aranha" sem chuteiras, numa discriminação "chapa-branca". As últimas intervenções da OAB ou seu silêncio não têm sido bem recebidos, porém essa de querer impedir o "herói" do mensalão de exercer a advocacia põe a OAB na contra mão de tudo o que não se queria acreditar no que seria o paradigma da Justiça.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

BRASIL BOLIVARIANO

Os senhores José Dirceu e Delúbio Soares, ambos da cúpula do PT, foram julgados na Ação Penal 470, condenados, presos e, posteriormente, liberados para o regime semi-aberto, autorizados a trabalhar fora da prisão durante o dia, sem a mínima objeção e entrave por quem quer que seja. Quanto ao senhor Joaquim Barbosa, ministro relator da Ação Penal 470 e acumulando na época do julgamento o cargo de presidente do STF, após requerer sua aposentadoria por tempo de trabalho, por sinal altamente relevante e profícuo, teve seu pedido para inscrição como advogado indeferido pelo presidente da OAB do DF. Sinceramente, parece que no Brasil já estamos com as praticas e com as leis bolivarianas, iguais às da Venezuela, para não exagerar e dizer iguais às de Cuba. Depois vem Lula da Silva vociferar que seu partido é perseguido pela imprensa e que "as elites brancas de olhos azuis detestam dona Dilma e os pobres". Eleitores brasileiros, abram seus olhos, antes que seja tarde

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

O PAPEL DA OAB

Um advogado que foi presidente do STF, que não se sabe se tem registro na OAB e, se quiser exercer sua profissão como tal, tem de ter o aval da OAB. O que se sabe é que ele meteu a lenha em alguns juízes e até na própria OAB. Se há calúnia, não há lei para isso. A OAB é que faz leis no País? Na prática, isso significa a importância real da tal entidade, nada mais do que um mero sindicato, que se arvora na condição de "juíza dos advogados e até juízes". Pode?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

VEM AÍ O CONTROLE DA MÍDIA!

Sempre existe um método do PT. Um dia Dilma fala em "controle econômico da mídia". No outro, Lula culpa a imprensa pela grande rejeição ao PT. Para avivar a memória, basta lembrar os passos da mídia livre após a ditadura militar. Pegou no pé de José Sarney, que quase faliu o País, sem dó nem piedade. Depois Fernando Collor, com denúncias de corrupção, ajudou sobremaneira o PT no impeachment. Os oito anos do governo FHC foram tão incansáveis que abriram espaço depois de décadas de tentativas de Lula subir ao poder. Só existe uma sutil diferença: "Nunca antes na historia deste país" se roubou tanto e houve tantas tentativas de burlar nossa democracia. Tenho até pena da imprensa hoje, porque para cada lado que olha existe um minhocaçu para desenterrar. Com uma provável reeleição de Dilma, com certeza a mídia será o alvo preferido dessa gente.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

TRUCIDADOS

Lula diz que foi trucidado pela imprensa nos oito anos do seu governo. A imprensa não o trucidou, foi até condescendente com o volume de suas atitudes condenáveis. Ele que trucidou o Brasil com a eleição de Dilma para governar nos últimos quatro anos.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

DIALETO LULO-DILMISTA

Atualmente em nosso país é cada vez mais necessário que os brasileiros aprendam a traduzir um novo idioma, um dialeto utilizado pelos políticos mais íntimos do poder. Por exemplo: quando, nas eleições de 2010, a candidata Dilma Rousseff defendia a independência do Banco Central (BC) e, nas atuais eleições, critica a concorrente Marina Silva por defender autonomia para o BC, caro eleitor, não vá cair em erro de interpretação. No último debate dos candidatos, ao ouvir a alegação de Marina de que a tese da autonomia "é para evitar que a inflação cresça como vem crescendo no seu governo", a presidente ensinou: "Candidata Marina, acho que você está deliberadamente confundindo autonomia e independência". Num outro útil exemplo, o ex-presidente Lula, dia 2/10, em Diadema, em cima de um carro de som, deu uma aula sobre o significado de liberdade de imprensa. Segundo ele, as denúncias nos jornais, revistas e televisão que mostram os personagens corruptos de escândalos - como o do mensalão, o dos Correios, da Petrobrás e outros - não são devidas à liberdade de imprensa, mas ocorrem só porque os veículos de comunicação seguem uma doutrina imposta por nove famílias "que dominam a comunicação neste país e determina quem é bom e quem é ruim, o que se vai mostrar e o que não se vai mostrar". É isso, aprenderam? Mais importante do que os fatos acontecidos é saber que não se deve confundir uma coisa com outra: liberdade de imprensa não é o mesmo que doutrina de nove famílias que dominam a comunicação no País e impõem quem é bom e quem é ruim!

Luiz C. Soares Fernandes luiz68017@gmail.com

São Paulo

*

ANTES QUE SEJA TARDE

Temos visto a nossa presidente e seus seguidores mais fanáticos falarem sobre imposições ao jornalismo. Não podemos nos esquecer de que na nossa vizinha e alvoroçada Venezuela a imprensa já não tem papel. Aqui, em nosso querido país, querem acabar com o papel da imprensa.

Manuel Jose Falcão Pires manuel-falcao@ig.com.br

São Paulo

*

A ECONOMIA EM 2014

O Banco Central (BC) cortou de 1,6% para menos da metade, 0,7%, o crescimento econômico projetado para este ano. Pensem bem, prezados leitores/eleitores, é muita folga, muita cara de pau, para não dizer falta de vergonha na cara quando esta corja pleiteia ainda a continuidade. Para quê? Por que continuar, se o montante surrupiado e/ou desviado já os manterá, com até a sua décima geração, em altíssimo padrão de vida? Sem nenhuma dúvida, o motivo só pode ser um: o medo de julgamento e condenação por um novo governo.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

PREPAREM O BOLSO

Como todo ano, o governo de dona Dilma está empurrando as despesas para debaixo do tapete. Os morrinhos, já existentes, aparecerão nos bolsos do povo. A tungada só na energia elétrica é prevista em 25%! Fora a dos combustíveis... Imaginem a bola de neve. Acooorda, Brasil!

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

*

CONTA DE PADEIRO

O termo "conta de padeiro" ganhou destaque ultimamente. Funcionaria no caso do nosso Fundo Soberano? Vejamos. Em 2008, ao invés de pagar uma parcela de juros da dívida, separou-se uma grana e foi criado o FSB. É chique ter um Fundo Soberano! Ativo como um girino - pouca cabeça , muita cauda e muito movimento, participou da "maior capitalização do mundo" subscrevendo ações da Petrobrás, pagando R$ 26,30 as PN e R$ 29,65 as ON. Tempo depois, se desfez- com prejuízo- delas, vendendo-as ao BNDES, para não derrubar o mercado, que já não andava bem das pernas. Comprou ações do Banco do Brasil. Agora para funcionar como esparadrapo das contas públicas terá de se desfazer das ações do Banco do Brasil e pingar R$ 3,5 bilhões na conta do Tesouro, a fim de complementar nosso raquítico superávit primário. Com qual finalidade? Bingo! Para praticar o oposto da manobra que o criou: pagar juros da dívida! Parabéns, padeiro contracíclico!

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

*

ILUSIONISMO

Gostaríamos de saber quais serão as mágicas do atual governo, caso ele se reeleja, ou eventualmente de quem vier a substituí-lo, que poderão reverter todas essas manobras falsas e jogos de números para fechar e maquiar ilusoriamente as contas e, como sempre, continuar enganando a população. Ainda mais com a nova previsão do governo para o PIB deste ano, que caiu de 1,8% para 0,9%. E até o fim do ano, pela maneira como administraram o País, esse número pode até ser negativo, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

VIOLÊNCIA EM SANTA CATARINA

País das violências infames, da maior guerra do mundo, difusa, o que a torna mais letal, porque o brasileiro não tem a mínima ideia onde e quando poderá sucumbir, como se fora um boneco de palhas à mercê de um fósforo. O pacífico e belo Estado de Santa Catarina soçobra sob o fogo cruel, ouvimos o som habitual dos tiroteios cariocas e, em seguida, a pesquisa que põe o cínico governo federal, responsável primeiro por todas essas mazelas, à frente das pesquisas, com sua candidata autoritária, mentirosa e incompetente. Sérgio Buarque de Holanda definiu com extrema felicidade o homem brasileiro como o homem cordial; honesto, tímido, alienado, subserviente, que vai às urnas agradecer um prato de comida e o casebre disfarçado que conseguiste ter em vida, Severina.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

VERGONHA

Temos 50 mil pessoas assassinadas por ano no Brasil, temos 43 mil mortes em acidente de trânsito - mais do que câncer -, e dona Dilma Rousseff vai à ONU, metida numa vestimenta vermelha, falar em meu nome e no de milhões de brasileiros que os países que combatem o Estado Islâmico, terroristas sanguinários e que odeiam o nosso modo de vida ocidental, deveriam "dialogar", assim como ela dialoga com os bandidos que nos matam diariamente em nossos lares e destroem nossa família. Quanta cara de pau! Que vergonha, dona Dilma, ter a senhora como presidente do meu país.

 

Armando Favoretto Junior afjsrf@ig.com.br

Sao Jose do Rio Pardo

*

O MUNDO COMPREENDEU

Mais uma vez a presidente Dilma na ONU foi sinônimo de vergonha para os brasileiros patriotas e de bem! O nosso Ministério das Relações do Exteriores, que sempre foi respeitado e desfrutou de alto conceito com a maioria absoluta dos países-membros da ONU, hoje está de cabeça baixa, sem conseguir explicar convincentemente o discurso catastrófico da presidente Dilma Rousseff. Tentam sem êxito, convencer o mundo que a nossa presidente não foi compreendida. Mas o mundo todo entendeu sua compaixão com os terroristas e sua indignação com a repressão imposta aos assassinos bárbaros de vítimas feita por esse fanatismo desumano.

Maria do Carmo Leite Alves m.carmo1946@bol.com.br

São Paulo

*

DISCURSO NA ONU

O silêncio é a maior arma do ignorante. Manter-se calado chega a confundir, se és sábio ou asno. Mas o ignorante não se cala diante de tudo, pois tudo sabe. Feliz o mesmo é, pois sendo portador da maior doença da humanidade tem sorte, não dói e não mata.

 

Paulo César Zorzenon ipcamposnfe@gmail.com

Ipeúna

*

O LADO POSITIVO

O distúrbio mental de Dilma que a levou ao cúmulo de afirmar que é preciso dialogar com extremistas do Estado Islâmico, que têm decapitado reféns, tem seu lado positivo. Afasta nosso país para bem distante do tão almejado assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

Flávio José Rodrigues de Aguiar rsd100936@terra.com.br

Resende (RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.