Fórum dos Leitores

ELEIÇÕES

O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2014 | 02h03

O galope de Aécio

Os paulistas, sempre eles, lideraram o galope de Aécio Neves para o segundo turno da eleição presidencial: mais de 10 milhões de votos, 44,22% dos 32 milhões de eleitores de São Paulo e 22,4% dos 142,8 milhões do País. Aécio atropelou pesquisas, ceticismo e desesperança. Politizado, o eleitor paulista votou contra a corrupção e a incompetência. Contra a primeira são inafastáveis os efeitos do mensalão e da atuação da mídia independente ao revelar escândalos da gatunagem petista, exponenciada no assalto à Petrobrás. Sintetiza a incompetência o desastre Fernando Haddad, poste plantado por Lula na Prefeitura paulistana. Pernambuco à parte, queiramos ou não, a pobreza mental, subproduto da miséria material, divide o Brasil em Norte-Nordeste e Centro-Sudeste. O bolsa esmola, está provado, é o maior programa mundial de compra de votos.

JOSÉ MARIA LEAL PAES

josemarialealpaes@gmail.com

Belém

Orgulho de ser paulista

Tradicionalmente, São Paulo sempre foi o Estado mais cosmopolita deste país, recebendo gente das mais diversas e remotas regiões brasileiras, bem como estrangeiros dos mais variados países. O povo daqui muitas vezes se esquece da importância de ser paulista, mas nas urnas creio que demos uma demonstração inequívoca do que desejamos para nós, do que queremos para o Brasil. Mais uma vez o mapa das apurações mostrou um País dividido entre Norte e Sul. Este representa a vontade de passar o País a limpo, de não mais aceitar a corrupção, de mandar para a lata do lixo da História os demagogos, totalitários, ladrões e terroristas. O PT nasceu aqui, sim. E por aqui deverá começar o seu fim. Apelo aos piauienses, cearenses, maranhenses, etc., para que reflitam muito e venham conosco construir um Brasil moderno, sem ranços. Ontem acordei orgulhoso de ser paulista. Viva São Paulo, viva o Brasil!

RENATO LUIS C. GAGLIARDI

renatolgagliardi@gmail.com

Campinas

Começou a varredura

Com o resultado das eleições de domingo percebe-se que estamos varrendo São Paulo dos petistas. Falta varrer o Brasil. Força, paulistas. Força, brasileiros!

SEBASTIÃO VANDERLEI PINHEIRO

vanderlei106@terra.com.br

São Paulo

Fênix renascida

Se tivermos que comparar Aécio com algo, que seja a fênix. Com votação na casa dos 34%, mostrou poder de reação para enfrentar a governista Dilma Rousseff. Pena que muito dessa arrancada não tenha vindo de seu próprio Estado, Minas Gerais, e sim de outros, como Santa Catarina, Paraná e, principalmente, São Paulo. Que o espírito da Inconfidência Mineira novamente seja incorporado, já nesta eleição, pelo povo de Minas, assim como foi o da Revolução de 1932 pelos paulistas, ao rechaçar o modus operandi presidencial. Nestes tempos já longos de uma governança federal medíocre, em especial sob a ótica econômica e moral, urge a soma de forças de todos os brasileiros com um mínimo de discernimento e altruísmo. "Libertas quae sera tamen".

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS

zambonelias@estadao.com.br

Marília

Voto dos mineiros

Como mineiro, sinto-me envergonhado perante meus amigos paulistas. Diz o ditado popular que cada povo tem o governo que merece e Minas Gerais vai ter o seu. Tenho esperança de que o povo mineiro repense seu voto para presidente no segundo turno. Errar é humano, persistir no erro é burrice. Povo mineiro, não nos envergonhe!

WILSON SILVA

minascom@exnet.com.br

Itapeva (MG)

Vitória do PT em Minas

Os paulistas comemoram: comenta-se que Lula pode mudar-se para Belo Horizonte. O MTST já teria iniciado levantamento dos terrenos baldios na cidade...

VAGNER RICCIARDI

vbricci@estadao.com.br

São Vicente

Segundo turno

Os cidadãos de bem deste país esperam que Marina Silva "não desista do Brasil" e se alie a Aécio, como faria o saudoso Eduardo Campos, para reconstruir a grande Nação brasileira.

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

Parabéns a Marina por sua determinação e força ao lutar honestamente em favor do Brasil novo. Obrigada, Marina, pela sua luz. Parabéns a Aécio pela conquista do direito de disputar no segundo turno o cargo de presidente do Brasil Novo. Obrigada, Aécio, por sua alegria. O Brasil suplica por esta mudança. Foram muitos votos pedindo esta mudança. É urgente esta mudança. A maioria mostrou que quer o Novo. Sem rancores, mas com muito aprendizado, queremos mudar simplesmente porque o que está aí se esgotou, se deteriorou, se autodestruiu, apagou.

SILVIA MARIA PINHEIRO REZENDE

silviapr54@hotmail.com

São Paulo

Café frio

O surpreendente e contagiante desempenho de Aécio, que acarretou desconfiança no tal "índice de confiança" das pesquisas eleitorais, leva a crer que daqui a três semanas a arrogante presidente Dilma, que tem a péssima fama de humilhar subordinados, estará sendo servida de cafezinho frio no Palácio do Planalto. Além do mais, quando a petista acionar o botão do elevador palaciano, ele passará direto pelo andar do gabinete presidencial. Dilma não deixará nenhuma saudade, nem suficiente para ser palestrante a partir de 2015.

TÚLLIO MARCO S. CARVALHO

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

Dilma não tem nada de positivo a oferecer. Já começou a baixaria. Se o PSDB é o fantasma do passado, o PT é o monstro do presente. Será destruído e já está de saída.

ANDRÉ COUTINHO

arcouti@uol.com.br

Campinas

Pesquisas

Para que servem o "nível de confiança" e a "margem de erro" nas pesquisas divulgadas antes da eleição? Em todas elas tais critérios são indicados como verdades absolutas. Chama a atenção o erro - novamente - das pesquisas de boca de urna, apresentadas com grau de confiança de 99%. Por motivos estatísticos ou não, ou a margem de erro é superior ou o grau de confiança, inferior. O fato é que a forma de divulgação das pesquisas deveria ser revista, pois é inegável que a apresentação dos números com base nessas premissas é nociva ao processo eleitoral.

RAFAEL PEZETA

rpezeta@falpen.adv.br

São Paulo

SEGUNDO TURNO

Mal saiu o resultado das eleições e logo na sua primeira entrevista, a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) já soltou seus pitbulls, dando o tom de como será a sua estratégia de campanha neste segundo turno. Mas a atitude não é de estranhar: com o seu governo derretendo pelos indicadores econômicos pífios e a sucessão de escândalos de corrupção, só resta mesmo à atual presidente partir para a desconstrução do seu adversário – aliás, a verdadeira vocação do seu partido e especialidade do seu marqueteiro.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                     
Rio de Janeiro 

*
ELEITORES DA PRESIDENTE

41% dos eleitores brasileiros priorizaram o Bolsa Família, desdenharam a incompetência e foram coniventes com a corrupção do PT.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com 
Campinas

*
CORRUPÇÃO

A virada de Aécio Neves (PSDB) mostra sem dúvida alguma que a vontade popular é de acabar com a corrupção que nos assola hoje. Quando o doleiro Alberto Youssef abrir a boca e tudo vier à tona, sem dúvida alguma a presidente Dilma e seu ético staff estarão ameaçados de ir até em cana.
 
Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br São Paulo

*
CORRUPTOS NA PETROBRÁS

Se Aécio Neves ganhar, poderemos retomar um mote disseminado no período de Getúlio Vargas, mas com um pequeno complemento: “O petróleo é nosso”, não do PT.

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com
São Paulo

*
DEBATE

Nos debates no segundo turno das eleições, o candidato Aécio Neves não pode deixar de perguntar à presidente Dilma com que direito, sem dar conhecimento à população, milhões de dólares foram emprestados pelo governo petista para a construção do metrô da Venezuela, para a construção de estradas na Bolívia, para a construção do Porto de Mariel, em Cuba, e gastos com a anistia de dívidas de países africanos e de Cuba. Tudo dinheiro dos contribuintes, enquanto no Brasil os portos, aeroportos e as estradas estão sucateados e a saúde, a educação e a segurança, fragilizadas.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br 
São Paulo
 
*
HERANÇA MALDITA

Nunca antes neste país um governo receberá uma herança maldita de tamanha grandeza como será no próximo mandato, com que alguns analistas políticos estão afirmando que, para Lula, será melhor Dilma perder para ele voltar como o “Salvador da Pátria”, “O Iluminado”, “O Painho”. “A crise existe e o próximo presidente só poderá prometer sangue, suor e lágrimas” (célebre discurso em que Winston Churchill conclamou os ingleses ao sacrifício da Segunda Guerra Mundial).

Victor Hugo renard-46@hotmail.com 
São Paulo

*
LINGUAGEM

Na edição do “Estadão” de domingo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso esclareceu por que vota no PSDB (“Em quem voto e por quê”, 5/10, A2). Parece tão simples a forma como resumiu a sua visão... Pois não é. É mister que agora, indo para o segundo turno na disputa à Presidência da República, o partido seja capaz de traduzir melhor o significado de “lançaram as bases sociais e econômicas do Brasil contemporâneo”. Todos precisamos entender muito bem o que é isso na prática, se quisermos ter essa oportunidade novamente. Torço muito para que o PSDB tenha um excelente tradutor. Não se pode deixar essa oportunidade passar.
 
Silvia Vaisbich silvia@fridman.com.br  
São Paulo

*
AMEAÇA

Pelos resultados das urnas no domingo, a estrela do PT está ameaçada de extinção.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
VACILO DO PT

Deixaram Aécio gostar do jogo... Agora é só correr para a galera.

Marcos Catap marcoscatap@iol.com.br
São Paulo

*
MAPA DOS VOTOS

Por que em São Paulo Dilma perdeu de Aécio, mas empatou em Minas Gerais, sendo os dois candidatos mineiros? Porque o paulista vive no Estado mais industrializado do País e está vendo a dificuldade dos industriais em manter as empresas funcionando em decorrência da péssima política econômica de Dilma, correndo o risco de desemprego. Já em Minas, a votação expressiva em Dilma se deu em redutos que recebem o Bolsa Família. Este programa, que há 12 anos amortece a fome, não deixa que a proteína chegue ao cérebro. Esta população está apenas um passo à frente da pobreza extrema há 12 anos, enquanto políticas públicas que os ajudassem a crescer ficaram esquecidas propositadamente no limbo. Mais uma vez está explicado que nunca houve nem haverá vontade de ensinar a pescar.   
 
Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
AÉCIO NEVES E O BOLSA FAMÍLIA

Aécio ganhou nos Estados onde o povo trabalha, tem instrução e ganha seu próprio sustento. O povo do Nordeste, onde Dilma teve grande votação, deveria, como bem lembrou FHC em seu artigo de domingo, ser informado de que o sustento e o bem-estar da população mais carente é garantido pela nossa Constituição e tal fato não é mérito de nenhum grupo político. O PSDB deveria fazer todos se lembrarem disso, além de falar da importância que o partido teve em grande parte das conquistas sociais. 
 
Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com
Bauru

*
EDUCAÇÃO

Não é só o Bolsa Família que dá votos a Dilma no Nordeste, mas a incrível falta de investimento em educação, pois, se tivessem oportunidade de cultura e informação, saberiam por que ela não merece seus votos.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
INCONFIDÊNCIA MINEIRA

O Brasil espera que a história se repita em Minas Gerais, quando os mineiros se revoltaram contra a coroa portuguesa, em face dos extorsivos impostos cobrados de quem trabalhava. A luta agora é contra a corrupção, contra a incompetência, contra o bolivarianismo que só produz a desgraça, contra a violência, contra os desmandos na saúde pública que está na UTI e tantos outros problemas. Que façam a Inconfidência Mineira, mas desta vez enforcando o que tem de pior.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo

*
‘O DIABO’

Deve-se interpretar que, para cada pessoa decapitada no Estado Islâmico, é porque estes estão tentando estabelecer um papo cabeça com a nossa presidenta dona Dilma. Ela é aquela que disse que ia fazer “o diabo” para se manter no poder... Que Deus esteja com os bons, e os ruins que vão para a Papuda no Brasil.

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com
São Paulo

*
FHC

Lula perdeu de FHC duas vezes e no primeiro turno. Lula ganhou duas vezes e elegeu Dilma sempre em segundo turno, porque José Serra e Geraldo Alckmin esconderam FHC. Bastou Aécio Neves retirar FHC do fundo da cartola e Lula pode perder outra vez. Dá para entender a raiva do petista com o professor.

Ronaldo José Neves de Carvalho rone@roneadm.com.br 
São Paulo

*
SPLIT NEGATIVO

É, Dilma, amarre as calças, tem tucano voando baixo.

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com 
Casa Branca

*
AÉCIO NEVES NO SEGUNDO TURNO

E não é que os institutos de pesquisa alegavam 95% de acerto e ainda explicavam o que isso significava?  

Candida L. Alves de Almeida almeida.candida@gmail.com 
São Paulo

*
FARSA

Abertas as urnas, pudemos ver o que continha nelas. Uma grande soma de votos para Aécio e um número bem abaixo de votos para a candidata Dilma, diferente do que sinalizavam as pesquisas. Como se vê, as pesquisas têm o objetivo de influenciar o voto dos eleitores indecisos e sem convicção. Segundo informações veiculadas, o governo gastou uma fortuna encomendando pesquisas, e é claro que a empresa, na tentativa de explicar os resultados favoráveis ao seu cliente, não poupou esforços no sentido de buscar eleitores que respondessem o que o cliente queria ouvir. Ficou patente a farsa. Espera-se que o eleitor tenha aprendido a lição e não se deixe levar por conversa mole de pesquisas e por mentiras de marqueteiro. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
ALÍVIO

Que alívio! Não teve fraude nas urnas, só nas pesquisas eleitorais.

Alice Arruda Câmara de Paula alicearruda@gmail.com  
São Paulo

*
PREOCUPANTE

Ficou provado mais uma vez que o governo pagou muito alto para a manipulação das pesquisas em relação ao primeiro turno. O pior é que, na véspera das eleições, divulgaram uma pesquisa com a virada do candidato do PSDB, mesmo assim com uma margem pequena de diferença para a candidata do PT, em que daria empate técnico com a candidata do PSB. Estou preocupado também com os fatos ocorridos no Norte, no Nordeste e no Rio de Janeiro, onde o eleitor votava no candidato do PSDB e, na confirmação, aparecia o número 13. Outra preocupação: pessoas chegando para votar e o sistema informava que ela já o havia feito. Diante do exposto, acho de suma importância que este jornal, que é sério, totalmente independente em sua atuação, procure averiguar o que estarão manipulando os governistas para se manterem no poder. Diante de tantos escândalos e incompetência, sempre nas páginas policiais, precisamos abrir os olhos das pessoas, para que não nos arrependermos por mais quatro anos. Preocupa-me o povo nortista e nordestino ainda acreditar que é por meio de facilidades medíocres que se deve reeleger este governo. Sabemos que cada povo tem o governo que merece (Alagoas, Bahia, Piauí, Acre), mas não podemos, por causa destes, estender o dito para o resto do País.

José Saez Neto jsaez2007@gmail.com 
Curitiba

*
PESQUISAS PRÉ-ELEIÇÃO

Agora dá para entender os R$ 12,7 milhões que Dilma gastou com o Ibope e o Datafolha.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com    
São Paulo

*
INFLUÊNCIA SOBRE ELEITORES

Pela maneira como são realizadas, divulgadas e interpretadas pelos eleitores, as pesquisas são o maior fator de influência eleitoral. Mais até que a propaganda obrigatória. Além disso, há um risco sobre a qualidade, uma vez que somente a última pesquisa divulgada antes do pleito pode ser avaliada pela comparação com a totalidade real das urnas. Todas as divulgações anteriores nem necessitam ter a qualidade esperada, porque nunca serão avaliadas. Como se viu, o resultado da mais importante votação no primeiro turno foi muito diferente do que indicavam as pesquisas. Qual terá sido o efeito de indução causado pelas pesquisas anteriores? Como agravante, as pesquisas são divulgadas pela principal rede de TV com um cerimonial tal que lhes confere uma importância muito maior do que a merecida. Até a fala sobre os erros porcentuais, em vez de alertar, pode estar aumentando a aura de cientificidade, enquanto os erros finais são de fato muito maiores... O efeito indutor desse útil, mas perigoso, recurso necessita ser contido, já que as pesquisas têm-se tornado mais um instrumento de seleção dos candidatos que de informação.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
INSTITUTOS DE PESQUISA

Erros de avaliação ou tentativa descarada de manipulação/indução de resultados? O povo deseja explicações!

Ana Maria Carmelini anacarmelini@yahoo.com.br 
São Paulo

*
O VOTO OBRIGATÓRIO

Somos uma democracia onde o direito ao voto é obrigatório. Um pouco difícil de entender...

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com
São Paulo

*
O APOIO DE MARINA SILVA

Com a surpreendente ascensão de Aécio Neves (PSDB) para a disputa ao segundo turno da eleição contra a presidente Dilma (PT), segue o meu apelo, e de grande parcela de eleitores que mantêm o sentimento de mudança no destino do Brasil: Marina Silva (PSB), dê seu apoio formal a Aécio Neves, pois, somados os votos de ambos no primeiro turno, 57 milhões, eles superam com folga os 43,2 milhões obtidos por Dilma. O Brasil agradece.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
NÃO HAVERÁ MUDANÇAS

O espaço que este nosso jornal deu no domingo ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (“Em quem voto e por quê”, 5/10, A2) não foi democrático. Não discordo democraticamente de que um jornal assuma a sua preferência, aliás, em vários campos. Voltaram as velhas raposas. Indignou-me que na noite de domingo a Globo News cortou várias vezes o pronunciamento de Marina Silva, tentando enganar o eleitor incauto deseja fortemente a transferência dos votos ao PSDB. Teremos um segundo turno “xoxo”, ridículo, em que iguais lutarão pelos mesmos princípios pífios, políticos e corruptos, pois os dois têm mensalões e aeroportos, nada mais interessa do que o poder pelo poder. Dormi triste, indignado de ser brasileiro. Não queremos mudanças, creio que infelizmente Dilma vencerá, pois não acredito na migração de votos. Ninguém é capacho de candidato. A nossa imprensa livre e democrática será o alvo e o nosso “Estadão”, se não aprender, poderá ser, entre outros, como “Veja”, o nosso “Clarín”. Apostar para ver. Pobre Brasil.

Claudio A. S. Baptista clabap45@gmail.com 
São Paulo

*
A MUDANÇA TEM CANDIDATO

O resultado da votação na eleição presidencial mostra que o povo quer mudança, pois está cansado da incompetência, da corrupção, da insegurança e do malfeito. Esgotou o modelo que se baseia em simples combate à fome (nobre, mas deve ser temporário) e não na expansão da economia e entrada dos menos favorecidos no mercado de trabalho. Agora depende de nós e de apoio dos que colocam o bem do Brasil acima de tudo. A palavra com Marina Silva/PSB/PV, etc.

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com
São Paulo

*
AÇÃO, E NÃO OMISSÃO

Marina Silva sinaliza apoio a Aécio Neves quando assevera que não concorda com a forma de governar do PT. Então, não pode ficar em estado de omissão, precisando manifestar-se em nome dos 21% de votos obtidos. Sem dúvida, o seu apoio a Aécio Neves é fundamental para a sufragação dele na Presidência da República, especialmente porque a diferença entre Dilma Rousseff e Aécio Neves é pequena e facilmente suplantável com os apoios necessários. Cumpre lembrar também que a maioria da Nação está contra o PT, o que se pode constatar pela soma dos votos de Aécio e de Marina. O Brasil precisa reformular tudo o que aí está e, para tanto, precisa eleger Aécio, com o apoio de Marina Silva. Agora é que vamos constatar, também, a coerência e a brasilidade de Marina Silva.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
COMO EDUARDO CAMPOS

No dia 17 de setembro passado, eu escrevi ao “Fórum dos Leitores” (“Seis por meia dúzia”) que “todos sabiam que, se a dona Dilma fosse para um segundo turno com Aécio, os partidários de Eduardo Campos a apoiariam”. Hoje, depois do trágico passamento de Eduardo, eu acho que vai ocorrer o mesmo com a candidata Marina Silva. Não tenho dúvida de que ela se manifestará a favor de dona Dilma, embora sem a concordância de boa parte dos seus apoiadores na atual coalizão.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG) 

*
CORAGEM

Se a ex-candidata Marina Silva se mantiver novamente neutra na disputa eleitoral do segundo turno, vai apenas confirmar o receio de fragilidade que a eleitorado nutriu em relação a ela. Seu futuro político e a sua consolidação como líder nacional vão depender da coragem que ela manifestar agora. 
  
João Pacheco de Souza Amaral Filho imobiliaria.projeto@hotmail.com
Jaú

*
OPÇÃO PELO PAÍS

Na eleição passada para presidente, Marina Silva adotou uma postura de neutralidade e não apoiou nenhum candidato. Espero que desta vez ela faça uma opção pelo País e seu povo que tanto necessita de uma mudança em seu rumo. Queremos, nesta ordem, melhorias na saúde, educação e segurança e queremos uma nação desenvolvida e forte. 

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com
Santo André

*
LUCIANA E TARSO GENRO

Eu sou um gaúcho morador do Rio de Janeiro e afirmo ter verdadeira ojeriza por esta tal de Luciana Genro e seu pai, um tal de Tarso Genro. E discordo frontalmente das posições políticas de ambos. O PSOL, partido defensor de um comunismo feudal oriundo de cabeças absolutamente obtusas, só pode ter vida num país de mentalidade tão atrasada como o nosso triste Brasil. Nos chamados países do leste europeu, onde as populações sofreram 70 anos dessa praga, os tais partidos comunistas foram simplesmente banidos da vida pública. Luciana Genro utiliza um discurso stalinista contra o capital, bancos e empreiteiras. O lucro no Brasil realmente é exorbitante e carece de controle, mas fazer a apologia de um regime que só destruiu países e nações é algo sintomático de um estado de loucura. Aliás, coisa típica destes fanáticos de esquerda. Outra, Tarso Genro, como governador do Rio Grande do Sul, nada fez e em nada contribuiu para qualquer progresso do Estado. Um Estado hoje decadente, quebrado e carcomido economicamente. 

Paulo R. da Silva Alves pauloroberto.s.alves@hotmail.com  
Rio de Janeiro

*
MUDANÇAS

Passado o primeiro turno das eleições, constata-se que a vontade manifestada de mudanças foi de pequena monta. A oligarquia Sarney não ganhou no Maranhão, mas Barbalho, Calheiros e Collor se mantêm firmes no Pará e em Alagoas. No Legislativo, foram novamente eleitos cidadãos que talvez tenham intenções políticas positivas, mas que, vê-se de antemão, se tornam presas fáceis para serem adicionadas a um caldeirão de inutilidades movido pelas lideranças partidárias. O Brasil paga um preço alto pela desigualdade social, cuja base é ainda voltada para necessidades básicas que teme perder com mudanças. Torna-se fácil sua manipulação por marqueteiros, demagogos e aproveitadores de plantão. Temos de continuar lutando para que se faca uma reforma política já.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 
Indaiatuba

*
ABESTADOS

Tanto Heloisa Helena como a ex-ministra Eliana Calmon não foram eleitas senadoras. Em contrapartida, sabem quem se reelegeu? Fernando Collor de Melo. Isso mesmo, aquele ex-presidente picaretaço. Outra incoerência, anote aí: Tiririca foi reeleito deputado federal com mais de 1 milhão de votos, e quem agradece é seu partido/legenda, que com essa enxurrada de votos levará mais uma meia dúzia de abestados para Brasília. É mole ou quer mais?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
A FALÁCIA DO CAMPEÃO DE VOTOS

A notícia é: “A Missão Extra dos ‘campeões de votos’” (“O Estado de S. Paulo”, caderno especial sobre as eleições, 5/10/2014), que informa: “nas eleições para o Legislativo nem sempre são os candidatos mais votados que se elegem”. É assim mesmo, é isso mesmo o que ocorre. Temos na memória os candidatos do Prona que se elegeram com minguado número de votos porque seu chefe, Eneas, estourou com milhares e milhares de votos. “Meu nome é Eneas!”, em sua voz de comando que forçou a barra para os de poucos votos. E deu no que deu, no caso, Tiririca: um palhaço profissional, analfabeto funcional, mas que foi campeão de votos. Quatro anos de mandato e desde que se elegeu até agora não fez nada de útil, nem mesmo para a sua classe profissional. Apenas teve bom comportamento, comparecendo regularmente às sessões – obrigação do eleito. O erro trágico disso está na Constituição de 1988, por dispor que a eleição para a Câmara dos Deputados será composta por eleitos pelo sistema proporcional, o que significa que o voto é do partido, e não do candidato. Aí está o erro, a grande bobagem dos constituintes, pois um candidato mais bem votado não se elege porque o partido não atingiu número suficiente de votos para que esse candidato fosse eleito. Essa é a falta de sintonia com o povo na composição das Casas Legislativas deste país. É uma forma de protesto diferente do que ocorria no passado, antes de 1964, quando muitos votos foram dados ao Cacareco. Tanto lá quanto cá, muito triste... Pelo sistema majoritário – os eleitos para o Senado Federal – já dá no que costuma dar: o senador eleito é chamado para assumir um posto no Executivo, ficando, então, no cargo eletivo um suplente que não recebeu nenhum voto. Hélas!

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br
São Paulo

*
PALHAÇOS

Tiririca eleito com 1.016.796 votos mostra que seu voto de revolta não muda o sistema político ou o índice de corrupção, mas reflete sua imagem no espelho social do País. Palhaço vota em palhaço! 

Rogério Piccino Braga rogeriopiccino@aasp.org.br
Jaú
 
*
VELHAS ESCOLHAS

As urnas não mentem: o eleitor pagará a conta...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
ELEIÇÕES EM SÃO PAULO

Os eleitores do Estado de São Paulo merecem os parabéns: baniram aquele senador demagogo (Eduardo Suplicy), que agora vai ter tempo de sobra pra dormir em acampamento do MST ou visitar bandidos nos presídios; reelegeram um governador honesto e trabalhador (Geraldo Alckmin), não permitindo a instalação do terceiro “poste” (Alexandre Padilha) do falastrão raivoso; e deixaram bem claro para a presidente mentirosa que aqui ela não tem e nunca terá maioria (44% a 25%).

Iveraldo Duarte nanukuloa@hotmail.com
Avaré

*
FALTA DE CARIDADE

Não tem preço vermos defenestrados da política paulista o novo poste que o ex-presidente Lula tentou impingir ao laborioso povo de São Paulo e aquele que o transportou – ridiculamente de “cavalinho” – e cuja atuação no Congresso desmoraliza a Casa do Povo, por sua falta de compostura ao seu fantasiar, cantar (mal, diga-se de passagem) e, principalmente, usar a tribuna para defender o frio assassino italiano Cesare Battisti dizendo-se seu amigo. Sei que não se deve chutar cachorro morto, por ser falta de caridade, e que me perdoem os amigos defensores dos animais. Parabéns ao nosso povo paulista.

Aparecida dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul 

*
FALTOU ENERGIA

Com a falta de água no Estado de São Paulo, faltou energia para eleger o terceiro poste de Lula. Obrigada, São Pedro. Agora pode enviar água para nós.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
PADILHA EM TERCEIRO LUGAR

Esta eleição trouxe duas grandes alegrias: a primeira, a real possibilidade de ser extirpado o vírus do petismo, que, tal qual o Ebola, dizima países; e a segunda, ocorrida na prática, que “deus” finalmente perdeu a força ao deixar para trás seu candidato ao governo do Estado de São Paulo.

Alcides Ferrari Neto ferrari@afn.eng.br 
São Paulo

*
BORDÃO

Sobre a eleição para o governo de São Paulo e a tentativa frustrada de Lula de emplacar seu terceiro poste, vale retomar antigo bordão do comediante Jô Soares: Vai pra casa, Padilha!

Fábio Aulísio faulisio@hotmail.com 
São Paulo

*
NÃO SOMOS CONDUZIDOS, CONDUZIMOS

 Parabéns, São Paulo! Non ducor duco! Precisamos dizer mais?
 
Tania Tavares taniatma@hotmail.com 
São Paulo

*
‘BABY DOC’

Morreu, aos 65 anos, o ex-ditador do Haiti, o corrupto e violento Jean Claude Duvallier, o “Baby Doc”, que governou o país de 1971 a 1986. Já foi tarde. Um canalha a menos no mundo.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.