Fórum dos Leitores

PETROLÃO E ELEIÇÃO

O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2014 | 02h05

O aval de Dilma à farsa

E agora, PT? Como que fica o roteiro da campanha eleitoral de Dilma Rousseff depois que Alberto Youssef desmentiu, por seu advogado, que seu laranja no laboratório Labogen, Leonardo Meirelles, mentiu sobre o doleiro ter tido contato com parlamentares do PSDB - como a presidente afirmou no debate do SBT - e até haver beneficiado o falecido tucano Sérgio Guerra com R$ 10 milhões para esfriar CPI contra o governo, em 2009? Nada como um dia após o outro! O advogado do doleiro, dr. Antônio Figueiredo Basto, vai exigir acareação entre Youssef e Meirelles porque, afirma, seu cliente "peremptoriamente nunca falou com Sérgio Guerra, nunca teve negócios com ele e nunca trabalhou para o PSDB". A coisa está literalmente preta para a turma do Lula, não? Esse farsante delator Meirelles, que também é réu na Operação Lava Jato, tinha negócios escusos com o Ministério da Saúde quando este era dirigido por Alexandre Padilha e certamente, como amigo da cúpula petista, fez um favorzinho (sabe Deus a que custo...) para jogar na lama gente do PSDB, no intuito de livrar a cara do PT e de Dilma, nesta reta final da campanha presidencial. Não seria esse evento mais uma razão para o impeachment de Dilma? O lado bom desse triste episódio é que dá ao eleitor a grande oportunidade de no pleito de domingo extirpar de vez o PT do poder.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Vocação petista

O advogado de Alberto Youssef disse desconhecer as intenções da denúncia de Eduardo Meirelles, ex-braço direito do doleiro, envolvendo o PSDB e seu ex-presidente Sérgio Guerra (com o petrolão). Mas nem é preciso muito esforço para entender, pois ela traz o DNA da mentira, principal vocação do partido petista.

VITORIO RODRIGUES

vitorio.rodrigues2014@gmail.com

São João de Meriti (RJ)

Manobra suja

Estão mais do que claras e evidentes as manobras do PT para fazer o "testa de ferro" de Alberto Youssef, Leonardo Meirelles, envolver o nome do ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, morto em março, no esquema de corrupção na Petrobrás, às vésperas do segundo turno e depois de estar em desvantagem em todas as pesquisas realizadas anteriormente, com a finalidade de atingir e prejudicar Aécio Neves. Até porque escolheram citar uma pessoa que não está mais entre nós e não tem nenhuma possibilidade de defesa. Isso, sim, é o que podemos classificar como uma atitude indecente, suja, leviana, covarde e mesquinha.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Os fins e os meios

A negativa de ligação entre o doleiro Alberto Youssef e o ex-presidente do PSDB senador Sérgio Guerra, morto e sem direito de defesa, mostra até onde vai a desfaçatez de um grupo criminoso que pretende manter-se no poder a qualquer custo. Fatos como esse nos levam a entender a morte de Celso Daniel (prefeito de Santo André) e de Toninho do PT (prefeito de Campinas).

M. APARECIDA RAMOS LORENA

catia.pereira73@gmail.com

São Paulo

A calúnia como método

A "presidenta" chegou ao fundo do poço ao alegar em campanha que o candidato Aécio Neves, se eleito, reduziria o valor do salário mínimo. Que baixaria, dona Dilma! É preciso chegar a esse ponto e mentir desavergonhadamente para o povo? O pavor de perder a eleição e, principalmente, o poder é tão grande que os meios, quaisquer que sejam eles, justificam os fins? Bem que o Lula avisou: vocês não sabem do que o PT é capaz para ganhar as eleições. Agora sabemos.

KÁROLY J. GOMBERT

kjgombert@gmail.com

Vinhedo

Diabólicos

Lula disse que para ganhar as eleições iriam fazer o diabo. E estão fazendo mesmo. Com mentiras, calúnias, injúrias, difamações e tudo o mais, que são as armas prediletas do capeta e ele sabe usar muito bem. Invocando Lúcifer pode ser que a parada do Lula dê certo e nesse caso o Brasil poderá ser transformado em filial do inferno. Sinais já existem. Nesta hora, contudo, é bom recordar a sabedoria do caboclo do sertão, que costumava dizer que o diabo fez o caldeirão, mas não fez a tampa. E também: enfeitou tanto o seu filho que acabou lhe furando os olhos.

ANTÔNIO LUIZ CICOLIN

alcicolin1308@terra.com.br

Cordeirópolis

Discurso do ódio

Ontem pela manhã, ao passar pela região de Santana, havia vários cartazes colados nos postes e nas paredes contra Aécio Neves. Um mostrava o candidato com o rosto vermelho, expressão demoníaca e a inscrição "O Inimigo Número 1 da Educação", assinado por UNE e Ubes - devem estar morrendo de medo de uma possível derrota do PT, pois certamente vão perder as verbas que recebem do governo. Outro, assinado pela União da Juventude Socialista (UJS), traz a inscrição "Aécio é o atraso para o Brasil" acompanhada pela hashtag #AécioNever. O terceiro, sem assinatura, é um cartaz preto onde se lê: "Eu não voto em quem bate em mulher" - acompanhado pela hashtag #AecioNevescovarde. E depois é a oposição que faz o discurso do ódio...

ALEXANDRE FONTANA

alexfontana70@yahoo.com.br

São Paulo

Último debate

Em 1989 o ex-presidente Fernando Collor ensinou a Lula da Silva como se ganha uma eleição no último debate na TV. Certamente Lula jamais esqueceu a lição. Pelo andar da carruagem, a reprodução daquele acontecimento, com personagens e modo diferentes, já está preparada por Lula - por intermédio das palavras de Dilma Rousseff - para o debate programado para hoje na TV Globo. Está dando para sentir a escancarada falta de escrúpulos. Quem viver verá.

LEÔNIDAS MARQUES

leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

Irresponsabilidade

Só num país nada sério resultados (de desempenho governamental) essenciais para a tomada de decisões têm a divulgação adiada para depois da eleição. Sem contar o caso Petrobrás... Imaginem a bomba que vem por aí!

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Só mesmo aqui

Com os resultados apresentados até agora, se Dilma gerisse uma firma privada estaria demitida. Com os escândalos do seu governo, se ela presidisse um país sério estaria presa. Acorda, Brasil!

MARCELLO M. SIMONSEN NICO

mentanico@hotmail.com

São Paulo

ELEIÇÕES 2014

O ex-presidente Lula ultrapassou todos os limites ao acusar de nazista a campanha de Aécio Neves. Lula era um feto de três meses, em formação, quando Adolf Hitler morreu deixando para o mundo o nazismo, milhões de mortos, a Europa destruída e ódio, muito ódio. Se Hitler pudesse ter um seguidor no momento da sua morte, o ventre de Caetés seria distante e seguro. Lula adota métodos de destruição de pessoas, perseguição de grupos e mentira, muita mentira. Em 2002, disfarçou-se de anjo, o “Lulinha paz e amor”, e hoje reencarnou sua verdadeira natureza: Adolf Lula, ódio e terror. Que Deus tenha piedade de nós.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br
São Paulo

*
PIJAMA

Quando Lula assumiu a Presidência, mandou Fernando Henrique Cardoso vestir o pijama. Por que ele não faz o mesmo?

Milton Bulach mbulach@gmail.com  
Campinas

*
ENTRE SÃO BERNARDO E AUSCHWITZ

Já defini Lula como o clone inculto de Fernando Henrique Cardoso, tamanha a obsessão raivosa que a erudição do segundo provoca no fanfarrão autoproclamado “garanhão de Garanhuns”. Lula odeia quem é culto. Agora, em Minas Gerais e em Pernambuco, Lula questionou o que Aécio fazia enquanto Dilma Rousseff lutava contra a ditadura. Aécio tinha 7 anos, é certo. Incerto é se Dilma Rousseff lutava pela democracia. A menos que democracia tenham sido os regimes instalados nas falecidas União Soviética e Alemanha Oriental. E no que se vê em Cuba e na Venezuela. Em desvario hidrófobo, Lula esbravejou que os tucanos agem como nazistas. Lula, que confessa não gostar de livros e não lê jornais e revistas, revela-se ignorante cirrótico da História. Atormentado pelo fantasma de Celso Daniel, talvez o subliminar de Lula encontre algum elo entre São Bernardo e Auschwitz.

José Maria Leal Paes josemarialealpaes@gmail.com 
Belém

*
‘NÓS’ CONTRA ‘ELES’

Como quase tudo o que fala, o ex-presidente mais uma vez se perdeu em baboseiras e ódio em comício no Recife. O Brasil e, principalmente, os brasileiros não merecem ter um cidadão como este (cujo nome adotou já no meio sindical pelego). Nos palanques eleitorais (e também fora deles), prega o ódio e a divisão de classes no Brasil em dez de cada dez palavras que diz. Ele ganha muito mais do que R$ 30 mil mensais, vive cercado de amigos ricos como José Sarney, Fernando Collor, “Paulinho” da Petrobrás, Renan Calheiros, Cavendish, etc., e, no entanto, fala como se pobre fosse. Fala do Sudeste, mas aqui procura os melhores hospitais para se tratar, ao invés de ir ao SUS, como os brasileiros comuns. O nazismo (será que ele já leu a respeito?) era justamente o regime que pregava a divisão de classes de povos, entre arianos e os outros (judeus, ciganos, etc.), ou seja, entre “nós” e “eles”, justamente o que Lula já vem fazendo há muito tempo no Brasil. Ricos contra pobres, nortistas e nordestinos contra a população do Sul e do Sudeste, brancos contra negros, estudados contra não estudados, mulheres contra homens, etc. Que os mais de 30 mil lulopetistas-sindicalistas queiram manter a mamata no atual governo, nas estatais e nas empresas públicas até que dá para entender. Mas pôr uma parte da população brasileira contra a outra, explorando as necessidades pessoais (que são pagas como o dinheiro de todos os brasileiros), isso, sim, é ideologia nazista. Como Lula faz.

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com 
Cunha 

*
ONDE ESTAVAM ELES?
 
Esta é da série “Sanatório Geral”. No Recife (PE), na terça-feira, um ensandecido Lula associou o candidato de oposição Aécio Neves ao comportamento de “nazistas na Segunda Guerra”. Em certo momento de sua catilinária palanqueira, interpelou retoricamente o tucano: “Onde estava o candidato quando essa moça (Dilma) estava colocando a vida em risco na luta pela liberdade deste país? Estava aprendendo a ser grosseiro, a ser mal educado?”. Ora, vejam só quem, agora, arvora-se a ditar normas de elegância e boa educação: ninguém menos do que Lula, o mesmo que disseminou todo tipo de baixaria no curso de seus dois mandatos – tudo documentado pela tal “mídia burguesa”. Mas a questão, no caso, é outra. Quem está perfilhando a escola nazista é justamente a candidata oficial, que se esmera em repetir mentiras para fazê-las passar por verdades, como predicava Joseph Goebbels, o ideólogo nazista. Uma dessas patranhas consiste na velhacaria de imputar a Aécio o rótulo vazio e infundado de “filhinho de papai”, sempre atento a Marx, Lenin e à “luta de classes” ensinada por ambos, quando, ao revés, qualquer pessoa medianamente informada sabe que o verdadeiro filhinho de papai do Brasil é o filho de Lula, alcunhado “Lulinha”, que, de modesto servidor de um zoológico, tornou-se um abastado empresário – por coincidência, ao tempo em que o pai virou presidente da República. Por fim, chega a ser cômica a indagação do ex sobre o paradeiro do candidato de oposição ao final dos anos 60. Com cerca de 7 anos de idade, Aécio deveria estar iniciando os estudos do 1.º grau e, em seu tempo livre, divertindo-se,  soltando pipa, rodando pião ou disputando uma lúdica pelada com os coleguinhas do bairro, como toda criança de sua idade. Nesse mesmo tempo em que o menino Aécio Neves brincava nas ruas, Dilma, também conhecida como Estela e outros nomes, pegava em armas e também saía às ruas, só que para assaltar quartéis, bancos, explodir petardos em lugares públicos (atos terroristas) e até surrupiar o volumoso “cofre do Adhemar”, fatos de que muito se orgulha. Que ninguém pense que Dilma fazia isso “pela democracia”. Suas verdadeiras causas eram a conquista do poder pelas armas e a instauração de um regime comunista no Brasil.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 
São Paulo

*
LUIZ INÁCIO

Decadente e patético, impressionam os níveis de subsolo moral e ético a que um só homem pode descer.

Rocardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 
São Paulo

*
RESPOSTA À ALTURA

O ministro João Otávio de Noronha, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), durante julgamento de uma representação do PSDB que reclamava das ofensas proferidas por Lula contra Aécio, leu as falas de Lula (“onde estava Aécio quando Dilma lutava a favor da democracia?”) e comentou que Aécio teria menos de 10 anos à época, ou seja, não era possível cobrar responsabilidade de alguém com menos de 10 anos. Então, o ministro Gilmar Mendes, que também é integrante do TSE, sapecou: “E nem passou pelo bafômetro antes de falar isso”.

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com 
Porto Feliz

*
LULA INCONSEQUENTE

Na ânsia de continuar com seu poder, o sr. Lula perdeu completamente o bom senso e a lucidez. Sua fúria e seu ódio pelo que ele chama “as elites deste país” o levam a destilar veneno por todos os orifícios. Ele estava quieto na sua insignificância, mas voltou para difundir mentiras, ofensas, intrigas e para incitar o ódio entre os irmãos nordestinos e os do sul do País. Com um nível cultural risível, vem querer comparar os atos de defesa do PSDB contra os ataques de baixo nível do PT com a maldição que foi o nazismo para a Alemanha. Pergunto o que este senhor sabe da História, pois muito pouco leu ou ainda lê, para fazer tal comparação? Sua mente doentia é focada no ataque rasteiro, sem nenhum compromisso com a verdade. Talvez sua mente doentia já esteja contaminada pela “marvada”, o que o faz ter alucinações e achar que todos querem matar o PT e, para isso, parte para difundir o medo e o terror utilizando de técnicas de comunicação típicas de guerrilha. Mas os brasileiros íntegros, honestos, trabalhadores e patriotas, sejam do Nordeste ou de qualquer parte deste país, saberão dar o tom nestas eleições e acabar de vez com a fanfarrice deste incompetente e inconsequente molusco.

Fernando Guimarães afergui@terra.com.br
São Paulo

*
PERFIL

Hitler começou sua vida política no Partido dos Trabalhadores – qualquer semelhança com Lula não é mera coincidência. Quem colocou Hitler no poder foram os empresários e bancos alemães – qualquer semelhança com Lula não é mera coincidência. Hitler chegou ao poder de fato quando conseguiu “domar” as Forças Armadas e a elite cultural do país – Lula está chegando lá, portanto, não é mera coincidência. Hitler tinha formação cultural e carisma pessoal para chegar aonde chegou. Lula tem carisma, mas ainda é ignorante, dificilmente chegará lá, mas que está tentando está. Os ídolos políticos de Lula são Fidel (comunista) e Vargas (fascista). Se isso diz alguma coisa, está aí o perfil ditatorial do “sapo barbudo”. 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.comn
São Bernardo do Campo

*
O COMEÇO DO FIM

O ex-presidente Lula declara nos palanques do Nordeste que a propaganda do PSDB é nazista. É uma monstruosidade, é um crime, pois um movimento separatista, vença quem vencer as eleições, já tem a semente plantada por este senhor. As pesquisas indicam a vitória de Dilma, e assim o futuro pode ser negro. Todas as conquistas e melhorias que o Plano Real proporcionou aos brasileiros vão naufragar no programa socialista do PT com seus parceiros bolivarianos. É o começo do fim da nossa liberdade.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 
Osasco

*
NOTA DE REPÚDIO
 
A Confederação Israelita do Brasil (Conib), representante da comunidade judaica brasileira e entidade apartidária, vem a público repudiar as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, comparando ações do candidato presidencial Aécio Neves e seu partido, o PSDB, a “agressões nazistas”. A Conib, com trajetória de inquebrantável compromisso com a democracia e o debate intenso de ideias, rejeita a banalização de um episódio trágico para a humanidade, como o nazismo, responsável pelo Holocausto, com a morte de 6 milhões de judeus, e o assassinato de dezenas de milhões de outros inocentes, como ciganos, negros, homossexuais, comunistas, entre outros. Entendemos o calor da campanha eleitoral e a intensidade da disputa, mas conclamamos à manutenção de padrões que sirvam à causa da democracia, e não ao aprofundamento de divisões em nossa sociedade. Defendemos enfaticamente o direito à crítica, inata ao processo democrático, mas temos a convicção de que comparar adversários de um embate eminentemente político e ideológico a nazistas distorce a História e corrói nossa democracia. Desejamos ainda reiterar que não nos manifestamos em nome desta ou daquela candidatura ou partido político. A Conib é apartidária, porque representa a comunidade judaica brasileira, onde há militantes e simpatizantes das mais diversas correntes políticas. Manifestamo-nos, sim, em respeito à memória das vítimas do nazismo.
 
Confederação Israelita do Brasil info@conib.org.br
São Paulo

*
CANALHICE

Durante minha vida já vi muita gente de mau caráter, mas igual a Lula, que exerceu por oito anos a Presidência desta republiqueta bananal, eu ainda não tinha visto. O cara é de uma sordidez sem limites. Falando para seu eleitorado Bolsa Família, ele vomitou a seguinte pergunta: “Onde estava Aécio Neves na luta contra a ditadura, quando Dilma foi presa?”. Como cidadão brasileiro, acho-me no direito de responder: se a terrorista foi presa à noite, Aécio Neves estava na cama, pois na época tinha apenas 7 anos; se foi durante o dia, estava brincando com um carrinho de rolimã. Ainda como cidadão brasileiro, acho-me no direito de fazer algumas perguntas ao criador e apenas uma pergunta à criatura. Ao criador, pergunto: o que você fazia durante todas as noites, quando se dizia preso, na antessala do delegado Romeu Tuma? Quantos “cumpanheros” denunciou? Quantos bilhetes enviou ao general Golbery do Couto e Silva, denunciando planos da esquerda? Quantos inícios e finais de greve negociou nos porões da Fiesp com a finalidade de esvaziar os pátios das montadoras? À criatura, faço uma única pergunta: o que a senhora fez com os US$ 2 milhões roubados do cofre de Adhemar de Barros? Vejam que tipo de gente comanda o nosso país há 12 anos. 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 
São Paulo

*
DILMA, CRISTO, AÉCIO E HERODES

Se continuar nesse rumo, o ex-presidente Lula acabará chamando Jesus de Genésio e cachorro de cacho.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
ÓDIO E ESPERANÇA
 
Em comum, Aécio e Dilma só têm duas coisas: ambos são mineiros e postulantes ao cargo de presidente da República. Dilma, em sua trajetória, foi terrorista que participou do assalto ao cofre do ex-governador Adhemar de Barros, economista, empresária mal-sucedida em Porto Alegre, ministra de vários ministérios, presidente do Conselho da Petrobrás na época da compra da Refinaria de Pasadena, eleita presidente com a indicação e apoio de Lula, impôs alterações no setor elétrico que redundaram num prejuízo de R$ 65,5 bilhões, a ser pago em três anos por nós, consumidores de energia. Aécio participou ativamente nas Diretas Já, que redundou na transição à normalidade democrática, economista, deputado federal durante quatro mandatos, governador de Minas Gerais, senador e, agora, candidato à Presidência da República. Hoje Dilma está presidente candidata à reeleição falando em mudança, mas apregoando ódio num Brasil literalmente desestruturado; Aécio é a esperança de dias melhores, de recuperar um país desgovernado. A escolha é nossa, no dia 26, entre o ódio e a esperança.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 
Vila Velha (ES)

*
SEU VOTO, SUA SENTENÇA

Sou uma cidadã apartidária, sempre votei, ao longo de minhas sete décadas de vida, no candidato que apresentasse o melhor currículo ético e de competências. Desta vez faço um apelo e convoco a todos os brasileiros que, como eu, viveram os últimos 12 anos mais sombrios de nossa história política num regime dito de democracia. Vivemos um período de incompetências e mentiras de nossos governantes – além das nuances de completa corrupção inigualável. O império de promessas não cumpridas e de obras eleitoreiras iniciadas, pagas e nunca acabadas; um misto de incompetência com irresponsabilidades gerenciais e “asneiras ideológico-diplomáticas”, como lemos no editorial do “Estadão” de 23/10, nunca dantes vividas num regime democrático; o aparelhamento do Estado produzindo malefícios incalculáveis, tudo usado em benefício de alguns e para tapar as maracutaias de um desgoverno que se especializou em burlar as leis sem o menor pejo. Como cidadã atenta e amante deste país que caminha para um fim obscuro das liberdades, de uma pátria dividida entre pobres e ricos, brancos e negros, nordestinos e sulistas, trabalhadores e dependentes dos favores e amarras do governo, entre outras mazelas, faço um apelo singular: não entreguem seu voto nas urnas deste próximo domingo sem pensar em qual Brasil estaremos escolhendo para nossos filhos, netos entre outros entes queridos. Um Brasil livre que gozará de independência política, organizado, isento de restrições ou controles, em conformidade com os padrões morais e éticos, e mais, um Brasil democrático longe das amarras de ideologias que defendem seus próprios interesses e compromissos institucionais, religiosos, políticos e econômicos? Ou a continuidade de tudo isto que aí esta? Seu voto, sua sentença!

Leila E. Leitão
São Paulo

*
LULA E A HISTÓRIA

A propósito do editorial “O nazismo na boca de Lula” (23/10, A3) e das tolices ditas pelo líder petista no Recife, gostaria de contribuir com a seguinte indagação: será que o ex-presidente leu pelo menos um livro na vida?

Euclides Rossignoli euclidesrossignoli@gmail.com 
Avaré

*
FÁBULA DO LOBO, A OVELHA E O REGATO

Uma ovelha saciava sua sede à beira de um regato quando viu aproximar-se sorrateiramente um lobo. Tentando ser cortês a ovelha iniciou uma conversa com o outro animal referindo-se a assunto corriqueiro. O lobo, por sua vez, ignorou a fala de sua interlocutora e com aspereza inquiriu o animal o que ele estava fazendo contaminando a água do regato em que ele também saciava sua sede e isso já há muito tempo. A ovelha, espantada, redarguiu que ela estava matando a sua sede a jusante enquanto que o lobo estava a montante e, sendo assim, jamais o líquido seria contaminado. Além disso, ela estava ali há pouco tempo. O lobo, à primeira vista surpreso com a explicação da ovelha, logo recobrou a sua índole e, com palavras agressivas irrompeu declarando categoricamente: “Não me interessa saber onde você está e quanto tempo estava nesse lugar. Se não foi você, foi alguém dos seus antepassados”. Sem mais demora, avançou sobre a pobre ovelha e a devorou. Moral da história: contra ignorância não pode haver discussão e nem debate de ideias e de pontos de vista.

Clênio Falcão Lins Caldas clenio.caldas@gmail.com 
São Paulo

*
MARVADA

As propagandas do PT adaptaram algumas músicas tradicionais do cancioneiro popular, com letras enaltecendo as grandes obras (antigamente usava-se o verbo obrar para outra coisa) de nossa presidente, enquanto ultimamente seu mestre vem falando cada absurdo que daria para adaptar aquela da querida Inezita Barroso: “Com a marvada pinga é que eu me atrapaio”.

Jair Freire assim.soja@gmail.com  
São Paulo

*
CONTABILIDADE DE CAMPANHA

Lula divide os brasileiros usando o dinheiro dos mais ricos na compra do voto dos mais pobres.

A.Fernandes standyball@hotmail.com  
São Paulo

*
EM DEFESA DE LULA

É mais que constrangedora a argumentação de alguns colunistas políticos. A intimidade com a palavra e o estilo só realçam a péssima qualidade do verniz que colocam sobre o preconceito contra Lula e o PT. Na coluna de quarta-feira, 22/10, Dora Kramer destilou todo o horror que a elite brasileira tem à figura de Luiz Inácio Lula da Silva e o que ele representa no País e no mundo. A agressão não é provocada pela possível vitória de Dilma no próximo domingo, mas principalmente pela incapacidade de essa mesma elite ter produzido um quadro político da estatura do retirante de Garanhuns. Dora Kramer chega ao absurdo de dizer que a reeleição de Dilma, além de ser obra e graça desta figura sem caráter que é Lula, está sustentada pelo absurdo que é “o índice positivo do emprego formal”. Até Armínio Fraga seria mais sutil. A sra. Kramer também volta suas baterias contra as pessoas informadas, que são tolerantes e se deslumbram com Lula. Essa gente até aceita que ele não fale direito o idioma, diz ela. São desconhecidas as abordagens da sra. Kramer sobre a falta de caráter de tucanos de alta, média ou baixa plumagem. Seu ódio embrulhado em papel celofane não é destinado apenas a Lula, Dilma e aos petistas, mas também aos milhões de brasileiros que não querem o retorno da pureza e da santidade política de pessoas como Aécio, FHC, Álvaro Dias, Aloísio Nunes e outros menos votados ao poder!

Ítalo Cardoso é ex-vereador e ex-deputado estadual pelo PT/SP e atual vice-presidente da SPTuris italopt@uol.com.br 
São Paulo

*
PARA REFLETIR

Sobre a opinião da sra. Dora Kramer exposta em 22 de outubro de 2014, gostaria de cumprimentá-la. Penso que todos os brasileiros deveriam refletir sobre o mal que este causou e ainda quer causar a todos nós.

Geraldo Macias Martins maciasfilho@hotmail.com 
Catanduva

*
MAQUIAVELISMO

Atolado no mar de lama com os novos escândalos do "petrolão" e prestes a ser derrotado pelo senador Aécio Neves, o governo dos petralhas, pela enésima vez, pratica o maquiavelismo inescrupuloso ao proibir a divulgação dos dados atualizados sobre o desempenho dos alunos em Português e Matemática; a arrecadação de tributos; o desmatamento; e, sobretudo um novo estudo sobre o contingente de pobres e de miseráveis do País. Graças a Deus e à maioria do eleitorado brasileiro, a partir de 1.º de janeiro de 2015 o Brasil tem a chance de estar sob nova direção, longe do maquiavelismo lulopetista.

Francisco Alves da Silva profealves@gmail.com
São Paulo

*
‘O DIABO’

Uma campanha baseada em mentiras ou besteiras como as que diz Lula diante de uma plateia de incautos, quando fala em "nazismo" sem saber o  que isso realmente significa, pode forçar a dianteira de sua afilhada num determinado momento, mas não a faz ganhar a eleição, mesmo que seja eleita. Dilma disse, e todo mundo já sabe disso, que em "época de eleição se faz o diabo" e é o que ela e seu partido estão fazendo, ajudados por um marqueteiro sem escrúpulos, que também faz qualquer coisa por dinheiro. Se ela ganhar, não será por que tem qualidades e capacidade de administração, mas sim pelas mentiras que vem contando ao longo de seu mandato, e agora mais do que nunca. Equivalerá, portanto, a uma eleição fraudada. Ela, então, não estará na Presidência porque foi escolhida, e, sim, porque "fez o diabo” para se manter no poder, orientada por seu padrinho. 

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com
Santo André

*
CAMPANHA FRACA

Acho que Dilma não vai ganhar a eleição, é Aécio que vai perdê-la. A propaganda eleitoral dele é ruim, ele não fala para o povo. No debate eleitoral, ele respondia a perguntas com termos como "contingenciamento", "duodécimos", "aparelhamento do Estado" e coisas para as quais a maioria da população não dá a mínima por não compreender o significado. E aquele riso irônico, sempre presente no olhar e nos lábios, não dá credibilidade. Por que os marqueteiros tucanos são tão ruins?
 
Sérgio Araki Yassuda sergio-araki@uol.com.br 
São Paulo

*
TERRORISMO

Qualquer ideia lançada pela oposição sempre é dada como algo destinado a extinguir o Bolsa Família. Daqui a pouco dirão que a apuração do escândalo da Petrobrás é porque querem acabar com o Bolsa Família. Aécio Neves deveria usar o mesmo terrorismo do Bolsa Família que é usado pelo PT e por Dilma. Ele deveria alertar que quem vai acabar aos poucos com o benefício é o próprio PT, e Dilma, se ela for reeleita. Alardear que as empresas e as pessoas que produzem e pagam impostos estão sendo prejudicadas pelo governo petista e se isso continuar irão reduzir cada vez mais suas atividades, haverá desemprego, a arrecadação de impostos vai minguar e não haverá recursos não só para o Bolsa Família, mas também para muitos outros benefícios. Aécio deveria ressaltar, ainda mais, que dessa forma irão extinguir o salário-desemprego, aposentados terão proventos cada vez mais achatados, e assim por diante. Fazer terrorismo, mesmo! Enfim, é usar as mesmas armas, a mesma desconstrução, como fazem Lula, Dilma e cia.

Hugo Jose Policastro hjpolicastro@terra.com.br 
São Carlos

*
O BOLSA FAMÍLIA EM CAMPANHA

Aqui, no Rio, está sendo convocada pelo PT reunião do Bolsa Família. Campanha, óbvio. Em Belford Roxo, Baixada Fluminense. Cadê o Ministério Público Estadual (MPE)?
 
Solange Delocco Coutinho solangedelocco@hotmail.com
Rio de Janeiro

*
MAZELAS DA SAÚDE
 
São tantas as mazelas da saúde pública, e os candidatos à Presidência só falam de Bolsa Família em todos os debates, batem sempre na mesma tecla. Ora, se os pobres tivessem um salário digno, não precisariam de Bolsa Família. Por que eles não apresentam uma proposta para resolver os problemas da saúde do Brasil? Por que não fiscalizam os descasos com obras de hospitais que consomem o dinheiro público e ficam parados sem atender o cidadão que precisa?   
 
José Erivaldo Barboza Gama gamabarboza@gmail.com 
Santa Barbara d’Oeste

*
O BRASIL EM ORAÇÃO

Dona Dilma fez uma grande proeza para o País, fazendo todos os brasileiros rezarem: 1) os doentes rezarem, porque, se dependerem do SUS, morrerão; 2)os industriais rezarem para desovar os estoques; 3) os comerciantes rezarem para, no fim do mês, conseguirem pagar os impostos; 4) os desempregados rezarem para conseguir um emprego; 5) os que estão empregados rezarem para não perderem o emprego; e 6)agricultores, só orando para pagar as dívidas bancárias  e não perderem suas terras. Enfim todos os brasileiros estão rezando, até quem nunca foi à igreja, pois, se depender das ações governamentais, muitos sucumbirão. Até Dilma, que nunca rezou, já foi a duas igrejas rezar para ficar no governo. Tem tanta gente rezando que estão abrindo uma igreja a cada esquina.

Pedro Olivério Tonon rural@tramaton.com.br 
Piraju 

*
MILAGRE

Acabo de verificar as últimas pesquisas para presidente e a candidata do PT aparece com uma vantagem que só por milagre o candidato do PSDB poderá tirar no debate desta sexta-feira. Este milagre seria a adesão imediata do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa em favor de Aécio Neves. Caminhamos para um califado petista no Brasil. Pobre Brasil!

Walter Angelo Carotti waltercarotti@yahoo.com.br 
Indaiatuba 

*
NOVA PESQUISA

Jamais imaginei que houvesse tantos mal informados, mal intencionados e bem aparelhados. Ainda há tempo.

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br 
São Paulo

*
IBOPE E DATAFOLHA

Pergunto, pelo que dizem as pesquisas agora, onde elas foram feitas. Precisamos de mais transparência: os Estados, as regiões, capitais, etc. Só quero entender.

Carmine Mario Buonfiglio krminegoodson@gmail.com 
Santos

*
MARGEM DE ERRO

A simples presença de Aécio, ao invés de Marina, no segundo turno comprova que as pesquisas Datafolha e Ibope não podem ser levadas a sério. Muito pelo contrário.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br
São Paulo

*
VOTO ANTI PT

Conhecemos um taxista que há muitos anos atende à família: nordestino de nascimento, ainda jovenzinho, escolheu São Caetano do Sul (SP) para viver.  Trabalhou duro para sobreviver, fazendo de tudo um pouco. Com família formada, conseguiu educar os filhos e pagar faculdade para eles, além de casa própria, que na cidade não é barata. Ele acreditava no PT e, certo dia, disse-me que não queria brigar comigo por causa de política. Dia destes, perguntei: 13 ou 45? A resposta rápida foi: minha amiga, nem fale ou pense 13. E assim, de ladroagem em ladroagem, baixaria em baixaria, o mito vai se desfazendo.

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul 

*
AÉCIO ELEITO?

Contagem progressiva.
 
Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net 
São Paulo

*
NOTÍCIAS

Tivemos duas notícias no “Estadão” de ontem (página A8), uma boa, outra péssima. A boa: Marta Suplicy revelou: não permanecerá no Ministério. A péssima:  voltará para o Senado em 2015.

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br 
São Paulo

*
‘DESEMANCIPAÇÃO’ FEMININA

A teimosia de Dilma Rousseff em reconhecer e corrigir erros, sua incompetência e desequilíbrio serão com certeza atribuídos à sua condição feminina – retroagindo a causa feminista de emancipação da mulher. Dilma repete o mal causado pela incompetente ex-ministra Zélia Cardoso de Mello à imagem da mulher brasileira. Mulheres guindadas ao poder por interesse de Lula, como Dilma e Rosemary, não apresentam exemplos adequados, às jovens gerações, ao estudo, ao trabalho e ao fortalecimento da mulher na sociedade brasileira. A apelação de Lula ao “voto feminino solidário” (23/10, A3) só causa esse resultado negativo à mulher em todas as regiões. Voto em mulher com história pessoal e política construtiva poderá ser exercido em quatro anos à Marina Silva.

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br 
São Paulo

*
NEOFEMINISTAS

Quem será indicada para dirigir a Casa da Mulher Brasileira, Marisa Leticia ou Rose Noronha?

Jose Carlos Pinto josecarloslages@globo.com 
São Paulo

*
CORRUPÇÃO NA PETROBRÁS

Primeira página do “Estadão” de 23/10: “Doleiro nega ligação com PSDB e quer acareação”. Tenho por hábito assistir todos os dias aos telejornais  “Bom Dia Brasil” e “Jornal Hoje”, ambos  apresentados pela TV Globo. Porém achei muito estranho que nenhum dos programas citados fizessem  qualquer comentário a respeito da matéria. A meu ver, num país democrático, os veículos de comunicação têm por obrigação informar a população com todas as notícias e acontecimentos que ocorrem, sejam elas boas notícias ou más notícias. Não podemos permitir que se instale no Brasil uma República bolivariana, em que somente as notícias de interesse do governo sejam divulgadas.

José da Silva jsilvame@hotmail.com 
Osasco 

*
ESTARRECEDOR

Quando um petralha espalha pelas redes sociais alguma calúnia é uma coisa. Quando a própria presidente o faz, durante um debate na televisão, é outra muito diferente. E foi a presidente, pois a candidata não teria acesso a uma informação privilegiada como a que Dilma teve. Ela dirá que não sabia que a informação era falsa, revelando a mesma leviandade de outros momentos. O fato é que todos vimos, na véspera do debate, a presidente reconhecer que houve malfeitos na Petrobrás, pois de outra forma a acusação do debate não faria sentido. Tudo muito bem orquestrado. Eles não têm limites! Valeu, “Estadão”, por resgatar a verdade! Mas temo pelas urnas. Elas não estão conectadas à internet, mas as linhas de transmissão de dados são, pura e simplesmente, internet. Hello, PSDB! 
 
Sueli Caramello Uliano scaramellu@terra.com.br
São Paulo

*
PETROLÃO

Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, dois operadores do petrolão que estão dando declarações à Justiça sob delação premiada, relatam os desvios efetuados na estatal do petróleo para a eleição de Dilma em 2010. E para a reeleição de 2014, quem serão os “doadores”? Estatais, empreiteiras ou os dois grupos, como sempre? Ninguém acredita que numa eleição disputada, como a atual, o PT não recorra a estratagemas a que está habituado e diplomado em mestrado e doutorado. 

Mário A. Dente  dente28@gmail.com 
São Paulo

*
CONVOCAÇÃO GERAL

Para contrapor a convocação do diretor de Abastecimento da Petrobras José Carlos Cosenza, que substituiu Paulo Roberto Costa, os governistas da CPI cogitaram convocar o candidato Aécio Neves por ter sucedido Sergio Guerra na presidência do PSDB. Seguindo essa lógica, a comissão vai acabar convocando Deus, que foi quem começou tudo isso aqui, na Terra.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                    
Rio de Janeiro  

*
CORRUPÇÃO

O PT pode não ter inventado a corrupção,  mas mostrou um talento extraordinário para servir-se dela.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
ESTATAIS: PRIVATIZAR OU MORALIZAR
 
Excelentes e oportunas as propostas contidas no artigo “Resgate das estatais – e as propostas?”, do sr. Sérgio Lazzarini (22/10, B2). Ele tem razão, não adianta os candidatos apenas prometerem profissionais honrados na próxima administração. É necessário, mas insuficiente. O próximo governo – se quiser demonstrar boa intenção –, além de fazer as devassas necessárias para resgatar tais empresas, terá de se comprometer com  uma profunda reforma estrutural que as torne imunes aos governos e políticos desonestos. É o que todo país sério do Primeiro Mundo faz. A alternativa é: ou privatizar ou – estruturalmente – moralizar. Como está não pode ficar! 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br 
Valinhos 

*
TERRORISMO NO CANADÁ

Pois é, Dilma Rousseff. O governo canadense deveria ter escutado os seus sábios conselhos dados ao mundo na Assembleia-Geral da ONU e procurado dialogar com o grupo de extremistas islamistas que invadiu o Parlamento daquele país. Certamente o ataque terrorista não teria acontecido. Quem mandou não ouvirem a voz da razão. 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro 

*
TEMPO DE SECA

Todos os dias os jornais trazem fotos do leito seco dos reservatórios de água de São Paulo com os mais variados tipos de lixo. Por que os órgãos competentes não aproveitam o período de seca para retirar o lixo acumulado ao longo dos anos (e das cheias)? Será que estão pensando que os reservatórios não voltarão a encher? 

Fernando J. Althoff fjalthoff@gmail.com 
Florianópolis 

*
NA CRISE

O que é mais importante no momento, o pré-sal ou o pré-água?

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
NÍVEL DE ÁGUA E DE ÉTICA

O nível de água é sem dúvida um dos mais baixos dos reservatórios paulistas, porém é menor e mais baixo o nível ético do PT. O País está perplexo com a inexistência de ética praticado por Dilma e Lula nesta campanha. A falta de água prejudica, mas a falta de moral do PT em geral é inaceitável por qualquer brasileiro, deduzo seja o desespero para não perder as eleições, e que seus malfeitos e roubos serão apurados. Mesmo que ganhem, serão arrasados pela Justiça e pelo que fizeram à Petrobrás. Eduardo Campos dizia “vamos mudar o Brasil”. Com ajuda do juiz Sergio Fernando Moro e o cidadão de bem nas ruas, certamente teremos todos estes corruptos  na cadeia, de presidente ao porteiro deste esquema que está destruindo nosso país. O jogo começou, que cada um sue a sua camisa para o bem do Brasil.

Eugênio Iwankiw Junior iwankiwjr@hotmail.com 
Curitiba

*
DILMA,  A ÁGUA E O INFERNO

A presidente anda roncando papo ao afirmar que ajudaria resolver o problema da água em São Paulo. Primeiro teria de resolver o problema de suprimento de água nas hidrelétricas que estão sob seu governo, tornando desnecessários os vultosos gastos com as térmicas, agora já lançados nas contas futuras dos brasileiros. Segundo, a água depende lá de São Pedro, não de dinheiro do governo. E com Dilma São Pedro não quer nada, pois, ao afirmar que para se reeleger faria “o diabo”, certamente com o capeta o pacto já está celebrado. Por meio dela, portanto, a solução viria do inferno, onde, segundo consta, só tem fogo.

José Roberto Cicolim jrobcicolim@uol.com.br 
Cordeirópolis
Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.